quarta-feira, maio 30, 2007

Meu Deus, saiu-me a exclamação em voz alta ao olhar a foto do diário de noticias. em dia anterior, aparecera uma foto da Princesa Diana em seu vestido de noiva, estendia-se ele com uma meia lua ou vesica no chão, e dizia a noticia que o acopmanhava que iria ser , ou tinha sido publicado, um livro sobre Ela, com pedaçoes de renda desse mesmo vestido.

esta que vejo, é do carro, depois do acidente, uma foto tirada de cima e de frente. na amalgama de ferro torcido, na zona do capot me saltou de imediato aos olhos e ao olhar uma escada de cinco degraus que aparece em diagonal, apontando adirecção do condutor, a escada da elevação que foi feita ao condutor, o que é parte do conhecimento publico, de que ele não estav em suas normais condições, mas tudo de repente na foto fala de uma outra aceleração mais completa que terá sido feita.

depois mais em direcção ao centro, por baixo da zona do vidro da frente, à esquerda do condutor, é visivel, um vaso , um triangulo, negro, quase perfeito em seu desenhar, o triangulo das aguas negras. Da bateria é visivel um cabo que saí como uma linha, ou a curva de um anzol, primeiro de cor verde e depois vermelha.

se bem que a impressão pareça estar descentrada na aplicação da cores, assim é o desenho que resulta da imagem, por debaixo do carro é visivel uma manga cinza, que que se divide em dois, estando parte ocultada por debaixo do chassis, a parte maior na zona da frente, do lugar do condutor e do pendura, e parece ter na extremidade visivel, elos metálicos, a outra parte mais pequena saí da zona à altura do banco de trás.

no seu todo, o capot amachucado, da forma em que ficou desleva um W, ou seja um M invertido, ou dois dentes de uma serra e tudo o que vi me aflorou à consciência, a interpetração do ritual que vi nos quadros do bonacheia, no restaurante ao lado da pt pro, onde dei conta de no mesmo eixo, em texto recente, ter um outro mercedes, feito uma tacada de três e enfiado um outro na boca do metro, ou seja debaixo da terra, os quadros davam conta de uma forma de por ovos, de um ritual sexual feito dentro de um galo, e de uma cobra que entrava e saia de campo e dava a volta outra vez, tornando a entrar.

e dava conta aqui agora no texto que primeiro desapareceu, de uma folha que encontrara à saida do jardim da estrela num circulo do passeio daqueles que circunda as arvores, ao pé do sitio onde esteve em dia recente, uma faixa do canal história, no dia que lá vi o Catroga, que como escrevi na altura me pareceu que tinha ido ele tambem tirar medidas ao que eu lá tinha visto e descrito em dia anterior.

é uma folha de uma revista, e o curioso é que um dos seus lados trás um artigo sobre manuel maria carrilho, o outro lado, um outro sobre adr45iana galisteu e encontrei-a no dia a seguir a ter escrito aqui palavras à barbara guimaraes, pelo que a visão de um conjunto de fotos dela me tinha suscitado, depois o espitio foi falando , e tenho um conjunto de notas que não posso agora transcrever, por serem em letra demasiado miudinha para a luz que aqui existe, bem como o conteudo doas artigos, que amanhã tentarei fazer, mas que ressoam de forma particular e precisa e em sequencia com o que aqui agora já escrevi e por hoje aqui fico mesmo, que isto de ter que andar a escrever e depois reescrever, não me é de agrado nenhum

abri agora ao sair o yahoo, e a primeira noticia que aparece, tem quinze minutos, e dá conta da morte de cinco soldados americanos no afaganistão na queda de um helicoptero, Chinook, o laço chino, que me remete ainda para outra noticia que hoje saia sobre o senhor inglês ao lado de um helicoptero do spirou, que depois em outra foto ao lado da cadeira com um p no braço onde está sentado de pernas cruzadas, são visiveis as foot print deixadas num circulo negro, e dá a noticia conta, de que ele foi o senhor maravilha do markting de Blair e que se prepara para lançar, um livro com as notas que tirou durante estes anos, censurando, os palavrões, a intimidade afectyiva ou algo assim, por desagrado à esposa de blair, esta parte, e onde dá conta das conversas com bush, a Rainha e chirac, nos tempo desta guerra, dizem dele ser homem capaz de inventar sumo onde ele não há e fazer o seu contrário, diluir ou mesmo apagar o que não é bom de se saber, ou mesmo de acontecer, depois de acontecido, o que se for levado à letra , será então capaz de andar com o tempo para trás, mas não a li toda, fiquei só a pensar se não será quem às vezes me parece do céu em helicoptero acampanhar em meu caminhar.

relaçoes publicas do buzz do pi do homem gato, o gato da alice?
continuam a desaparecer os posts, agora escrevi dois e desapareceram, um sobre o o que apareceu depois de escrever sobre a barbara guimaraes e outro sobre a princesa diana, assim não dá mesmo!!!
por hoje fico por aqui na escrita

xu ze x hj

ph ct x l t
pe x ch s