segunda-feira, julho 30, 2007

Ah Amada, aqui no mar da palha, a ponte ao fundo
o rio pasmado quieto se aquieta
é noite de lua cheia
grande e redonda como Tu
como o amor em que Te trago
redonda em meu peito és

uma imensa paz se evola no ar da doce noite
as gentes passam e pausam no uno lugar
os reflexos são prata de teus cabelos

Ah Amada quem me dera Ter-te eu Aqui
em meu mar
e muito Te Abraçar

bela a lua que és Tu
bela a Luz
bela a Paz de Todo o Mar

o mundo esse ao fundo,dizem os peixes em seu passar, que vive irregular na sua regularidade, nascimentos e mortes,amor e desamor, meu peito sem o ritmo preciso de teu beijar, nem mais sabe se bate certo ou não, se bate mesmo ou quieto está, no ceu e na terra, só mesmo o beijar, que mais poderia eu fazer, se te amo assim e tu me chegas em pássaro e em lobo no meio do jardim e da floresta nocturnas e nos piares da garças pela noite fora


ah amada sê doce peixinha em meu mar, a meu cais vem aportar, assim to peço, amada minha, cansado em doce vaga estou à tua ausência ao perto pertinho e meu coração todo por ti anseia

ah amada que o hoje o dia nasceu quente como o mais quente dos dias e mesmo antes do amanhecer, meu coração ardia de amor a Ti, por Ti e as letras escorriam de meus dedos sobre o teclado, como piano as notas, melhor seria se tivesse tua pele ao perto, meu beijar, as letras de amor, amada, se estendem e se estendem como o infinito amor em que te trago, ah amada minha sereia, porque te esqueçes de mim, o que te agita teu peito que te leva ao alto mar

ah amada, na praia sempre te espero e espererai pelo tempo que te for preciso, faço meus amigos os peixes e o mar, as estrelas no ceu ao redondo alvo lunar, e com paciência de artesão remendo minhas rendas da rede aberta a todo o mar, olho a conchinha na beira mar, lhe pergunto novas de minha amada, e ela me diz, tem fé que ela vai chegar e todo eu tremo, doce tremura por dentro de mim, que te anuncia, como um presságio e sempre esta infinita, perturbadora, tão doce perturbação, de te sentir sempre ao perto de mim, habitas meu coração, sem porta trago em mim pressa sem pressa, presso mesmo só de muito te beijar e molhar os pés a beira mar, sabes amada, passei hoje por minha casa, escrevera antes na alva madrugada, e depois o dia nasceu em tom quente de laranja avermelhado em ceu azul clarinho e se pôs o céu pelo calor como esbranquiçado, o astro rei esperando sua rainha como que se ocultou pela neblina, e quando cheguei à minha casa abri o livro, primeiro me saiu a imagem do farol de saturno e depois, o encoberto, ah amada é mágica a vida e o amor, amor pura magia e assim nele me embalo enquanto não aportas teus braços em meu colo

ah amada que bom será ver nascer o dia contigo em corpo a meu lado, na areia da praia as asas dos pés a chapinhar, ah amada e sorrir-Te muito e fazer-Te feliz e ser feliz a brincar muito e amar-Te muito, muito e muito sem pausa e sem parar

como a escrita da letras que trago em meu peito, creio que já não muito faltará, mas quando se começa nunca se sabe ao cero onde se termina sem terminar, mas não te preocupes, não, amada minha, que eu gosto de terminar o que começo, sempre fui assim, a unica coisa que não tem fim, é o amor, meu amor a Ti e

os mistérios, pequenos e grandes milagres e as desvelações sempre a acontecer em meu passar