quarta-feira, agosto 29, 2007

oh amada muito amada amadinha, só um beijinho em teu passar, que eu gosto muito de te ver passarinhar, a cantar e louvo e louvo e louvo a antena dois e todos os seres que naquela santa casa vivem, suas palavras e a musica, as vozes, os cantos que me enchem de alegria os dias, pois tudo é musica e o amor a pauta, antena da minha companhia e da tua, que sei que dela tambem muito gostas

e depois no fim da tarde os prommenade, promenade fazia eu contigo beira mar a passear em teus abraços aportar e um concerto com a obra, assim falava zaratrusta, disse ao que parece o compositor aos seus amigos que o interpelaram por tamanho sacrilégio, que a sua musica não era filosofica, como que à laia de se defender dos que o acusavam de tamanho e falso, digo eu, sacrilégio de ousar adptar a obra do filosofo, pois em verdade a filosofia é tambem filha da musica, pois tudo dela vem e aquela obra em verdade no ouvido se vê a história completa do tempo do homem,desde pequenino até mais grandinho, se na realidade ele cresce, bem amada, cresce e crescer, cresce uma outra coisa ao pertinho de ti, e mesmo na distância quando te trago em meu pensar e imagino muito te beijar,e que é uma especie de vareta de condutor da musica do amor, quando te encontra a ti feita harpa e meus pelinhos se poem em pé

ah amada que eu gosto muito de opera, embora frequente muito pouco, alías assim a bem dizer, estou mesmo muito pouco frequente seja do que for, à tua espera na tarde, mas enfim sem qualquer fim, muito te amo e só posso mesmo te amar e depois saí de casa com opera, a morte de melesinda no pensar e me disse o algoritmo musical que se chamava ema, e que tinha duas irmãs cegas e que as três não viam o amor, o que é sempre uma grande tristeza e às vezes trás e faz coisas más acontece, pois em verdade, só ele existe

depois tive uma iluminação porque fui dar a casa da bela senhora magdalena kozena, com uma setinha para baixo no z e me deletei a ouvi-la, que bela voz e que belo sorriso em tons toda ela arruivada, olha só que belo sorriso a arrulhar

http://www.kozena.cz/core.php?section=oceneni&lmut=1&li=6

e a iluminação se deu, porque sua face é semelhante a uma outra face sem em exacto o ser, uma face com quem eu uma tarde no cabo de s. vicente me cruzei e que me isse ser grega sem na verdade o ser, assim me falou no momento o coração e estava exacamente a escrever sobre esse encontro quando à magdalena fui dar, magdalena é um nome com uma grafia muito bonita que dá um belo som em seu pronunciar,por cauda do g antes de do d, junta a ideia de gata a madalena ser, sempre gostei muito de assim o prenunciar, como que faz uma ondinha que enrola enrolada pelo seu permeio

e depois naveguei neste mar e lembrei-me de ir ver o que na rede do pesca dor aparecia relacionado com a marquesa virginia cujo nome aparecera nas entrelinhas de um texto recente,relacionada com a ideia da primeira eve da roménia, e assim li

marquesa virginia, mar da maria do ar do quadrado europeu da sa da virgin do instituto das artes, que é uma forma de falar de artes colectivas, a marquesa primeira mé do circulo da kapa austin apostrofo serpente da elevação do super, cd da comida e co da ming e ra circulo isi da se rato vi do circulo elevado do orçamento de estado espanhol serpente dos serviços de informação de sing do forte de la e homem co dan ce rato serpente ao gus, ponto da gruz em 15 de j de 2005, virgin ni a sp serpente circulo da onda a ponce e serpente rato e homem os da teresa primeira forte la do homem có dan ce dos trabalhos da dupla dor de ork, ou york, serpente homem do circulo portugues para be gin e rato serpente ao circulo do tim, o do leme, mar qu es primeiro de e com dresen da dupla dor primeira aolf woolf do y vaso do ur cem do ar do mar da gata ue do rite do z na primeira manhã br no maria, marquesa e dam do asco, maldição do asco, teresa homem gugu, pat da cruz te rato na isa serpente mall ce muito teresa ral vaso~, treceiro do primeiro do sexto ma na st re et da quinta da ville da virginia, e forte ma lo muito dn em ba ss y da chave de west da vareta inclinada da fla, traço usa traço kuwaite da praia da virginia, ac re da albo e ro ed de la mar quadrado espanhol primeiro do fu e rte do traço ao homem I principe do ar

ah amada, que vi hoje o dia nascer, o ceu plumbeo carregado e dois tracinhos vermelhos um ao lado do outro se desenharam a oriente e eu por dentro no momento estremeci ao perceber o seu dizer, dois traços de sangue no céu a oriente e depis apareceu um por cima, no meio que se deslocou e era branco e parcia um serra e corte circular e me lembrei das bombas à volta da pedra cubica negra e depois vieram do mar duas gaivotas e depois outras e as pombas e por fim acordaram os pardais, e enisto na varanda estava pousando meu queixo neste todo a ver e uma pequeissima pluma branca subiu vertical, vinha da rua e passou por mim a subir, e eu me lembrei de ti e dos colchões de plumas onde contigo gosto de descansar me sorri na bela lembrança e assim adormeci

e me levantei e ouvi

a mais leve, a ami serpente, primeira europeia ex ige , o pr rui exige primeiro do duplo circulo mg e eu não gosto nada desta palavra exigir, mas por exigir, o que é certo de exigir, mais nas vezes o tom em que é feito, onde a exigência se confunde com arrogâncias várias avariadas e sai para a rua lento de acordar meio ainda dormir e li, o homem da segunda onda, horta dois, maria josé dn, 85, um porche preto inglês na rua parado, o homem ix em 83?

e quando voltei um menino vinha pela mão de sua mãe, poisaram seus pés na sombra da cabeça, como quem dizia, a cabeça da sombra por debaixo dos pés do menino loiro, cabelinho cortado com um pajem, laranja e azul suas veste, de branco calçado e depois o menino serigaitou, olhou o redor, o peqeuno campo de relva ao lado do prédio viu, uma pau e rapidamente a ele se dirigiu e nele pegou e enquanto sua mãe poisava as compras e abria o carro, começou a betre ele no carro ao lado, um leão de prata, depois pôs seu pé no saco dos rolos de papel hi gi é nico s, que fguravam colunas brancas dispostas lado a lado, depois entraram , sua mãe a mão na chave da ignição, conferia o pael das compras, o custo da ignição, ero o dizer de tudo aquilo, a ignição, ou vareta do gato ni são, da custo do mar, da segunda mão, a menino loiro com o cabelo à pegem, seta na maior, de bicileta azul com caixa de molas azuis, que pende as velas, o menino loiro, oiro, sol, laranja e azl de sapatos brancos, a sombra da cabeça preta em seus pés, a sombra do homem da caneta que rolou por debaixo do sofá na vespera do sessenta e nove, do triangulo do sesenta e nove no porto, o isqueiro azul e prata com o home do bico da caneta, o homem da caneta do circulo inglês, rato da pj 1777, primeiro do deus quadruplo rup lo do dr do quadrado da ua, verde e preto tá xi da comte muito ur, no super, meu olhar poisou nas maças royal gala que se apresnetavammuito bonitas, tipo leopardos às pintas,gato ue s no sw eden, o ponto vermelho nono dos três apitos do circulo de quatro , a da esquerda baixa, o nono ee do circulo de prata , são santos, serpente formiga do os da cruz, escutei uma travagem de um carro que pareceu bater, uma pancada ecoou

serpente kapa e homem segundo teresa kapa, ou cruz kapa, vaso w principe homem do vaso, todo dupla vaso da dpla dor primeira do ac primeiro
Ah Amada, recordas-te daquela vez em tempo muito ido em que foras visitar tua familia em cidade e pais longinquo e depois voltas-te e trazias um saquinho e lá dentro uma flor, a flor de sal, que era das mais belas flores refinadas dos cristais do nosso amado mar e depois de muito te beijar, o que te farei, quando de novo chegares, olhei aquela rara e preciosa carga e me lembrei que durante tua ausência, tivera que levar o boi às costas, um dia ao mercado, porque ele, cheio de saudades tuas, como eu, não queria caminhar e o levava ao mercado, para o trocar por sementes para semear e madeira para compor o telhado da nossa casa e reforçar nosso leito de amor onde quando chegares te vou deitar e já me tinha antes o mesmo acontecido com os patos, e as galinhas e mesmo a girafa que tinha vindo à muito tempo atrás na arca

Ah Amada, nessa noite quando chegaste ao entardecer, muito nos amámos, recordas-te?

e ficamos os dois muito felizes e tu me deste os parabens pelo novo leito, que era gentil, simpatico, cuidado e resistente e leve como onda do mar e assim estavamos em nossos devaneios de amor, quando a ideia surgiu, da flor de sal, fazer o valor, o valor que simbolizaria a vaca e as galinhas, simbolizaria o valor e assim na manhã seguinte parti para a cidade e falei com os homens e como todos já tinham tido problemas de transportes do que queriam trocar, lembras-te daquela tarde em que no fundo do campo vimos um homem que levava mesmo sua casa às costas?, como cansado estava e comentamos, quão pouco prático aquilo tudo era e tu foste à cozinha e correste pelo campo fora a oferecer-lhe agua e pão.

Ah Amada que doce e bela em tua doçura amante és
Ah Amada chega depressa, que morro de saudades


e na cidade dos homens e das mulheres, com eles falámos e assim acordamos nas flores do sal figurar o valor, viviamos nesse tempo pertoem itália e os seres começarem a receber em sal, salarium, o chamaram e todos andavam com belos saquinhos que tu por amor lhes fazias e todos tinham seu pedaço, seu pedaçinho de terra e seu tecto para muito se amarem e pretegerem, quando caso disso


Ah Amados, não vos escrevi eu há muitas luas do problema triplo do que representa o valor e da esquizofrenia entre o objecto, o valor e a relação de valor,que às vezes parece grassar, por mão e errada obra humana e que quando assim acontece as correspondências se rompem, porque se insuflou a representação do valor e não o objectos do valor e como qualqeur balão, uma vez cheio sobe e se afasta da mão e depois costuma tambem de novo esvaziar, e quando assim é com a moeda, ficam geralmente os bolsos mais pobres

Ah Amados, ser rico é viver, e amar, e amando vivendo, e o amor não tem valor nem câmbio em nenhum banco, nem mercado, nem se merca a não ser no coração e ninguém vive com a moeda pela etrenidade nem a beija nem com ela faz amor e muito menos por ela é amado

e a esquizofrenia grassa e vai grassando, se vão onze mil crianças por dia à fome e por falta de cuidados diversos, e uma minoria muito minoritária nada em dinheiro,ou melhor se o tivesse nos bolsos dos calções de banho, logo se afundaria, sem retorno nem margem e se compram armas e se investe nelas, e continuam todos comoo canibais a comer e a fazer desgraças ao corpo comum, que está doente e desregulado e a todos os seus pedaçinhos o mostra

hoje ao que parece, durão na comissão a dizer, o problema , bla e blé, do financiamento do psd se passou em rotugal e não na comissão europeia e portanto não tem nada a acrescentar, nem em nada o afectará

como se le não fosse responsavel na altura, e como se a responsabilidade, fosse coisa que se lavasse das sujas mãos, ironia, das ironias, esta gente alguns, que me acusam a mim de ser corrupto e a questão dos finacimantos é tranversal a todos os partidos e como bem algume em dia recente dizia, isto é só a ponta do iceberg

e todos os partidos ficaram mal na fotogrfia das contas do tribunal e afecta o cds, via portucale, o psd via somague e o ps , ao que parece por uns dinheiros vindos do brasil, que ainda estou para saber ao certo, seu pormenor, e já passaram alguns dias e mais nada sobre o assuto se disse

espantam-se mes ohos com a qualidade dessta gente e com a tolice dos que estão a seu lado, é a resposta curta, muito curta, para a gravidade da situação, a ver se verá

vaso circulo lu serpente décima


rucrzti rato do vaso circulo rato do z vareta da teresa e cruz a mim, vaso figueira segunda quadrado serpente do Y, a gi ra do fá
vfibqsy
wpbvntrj

dupla dor pb vaso muito nt do principe do rato