segunda-feira, abril 21, 2008

como é evidente e a todos visivel, depois da minha penultima publicaçao en video, enlouqueceram todos outra vez, como não são assim tão loucos como isso, o sentido é distinto, o que se passou, não sei mesmo se ainda o terminaram, nao o creio, foi a criação de uma imensa cortina de fumo, antes se chamava de propaganda em curso, não demorará muito a resposta, meus senhores, os dias parece que passam de acordo com os vossos relógios, e nenhum de vós ainda me respondeu, se pensais que eu desisto de meu filho e de justiça que me é devida, vos enganais redondamente, e vos digo, assim vao sempre agravando vossos casos

demissões, viagens às ilhas, fumos e enredos diversos a brincar a meninos , teatrinhos, que nem lembravam um menino, o senhor que vai nas vestes de presidente inclusive, que giro isto está


gato k do y vaso do carneiro do forte
e t xx to, ro

e ti ot n
Minha Amada, depois da Tua ultima visita feita andorinha que aqui pelos mes olhos no visto aqui te contei, a dos riscos da parede e da cadeirinha do almeidinha, de novo na rua a voar Te vi, fora antes da chuva de novo começar do ceu a cair, logo em dia seguido a esta primeira visão, subia eu a rua, descias e subias tu ele pelo ceu, primeiro em voos rasantes às pedras negras do chão, no exacto sitio onde em seu meio, um fio de cor mais negra existe como algo que nas pedras outrora verteu, uma linha negra como uma cobras esticada no meio da rua a descer, a rua que vai dar a igreja do bom sucesso e do triunfo, onde um dia em nela vi reflectida a via sacra de outrora, depois me mostras-te uma outra casa, uma mais clarinha que existe um pedaço mais acima, pintada assim de amarelo clarinho, e eu até me assustei, pois pareceu-me que Te terias magoado, ao instante em que mais uma vez pela parede parecias querer tido entrar, mais uma volta impossível, que eu até ouvi o barulho de Teu ventre, ou assim me pareceu, pois depois percebi, que assim não fora, fora o som que nas vezes se conhece nas asas dos aviões, quando se torcem em seu limite, sem partir, me mostras-te nessa cas uma janela circular, que ela trás, e assim me remeteste para a outra cas na rua do costa onde eu vira o desenho do tubarão que se reflectira em noite anterior no ceu sobre monsanto, e de onde Tu , Lua pela sua boca saíras, depois voastes rasante e paralela ao corrimão das janelas e eu reparei o que me assim me dizias, são eles sequências de x s, assim me completaste o dizer , anterior, que a casa da janela circular, era a casa do tubarão que tinha comido a lua, como a baleia outrora a jonas fizera, e que esse senhor baleia misto tubarão, mais tubarão, certamente era o responsável por toda a linha de x s, se calhar o tal juiz da linha, mais abaixo, em outra imagem reflectido


Min h a Am ad a, d ep o is da T ua u l tim a v isi t a f e i ta and ori n h a q ue a q u i pe l os mes o l h os no vi st o a q u i te conte ia dos r isco s da parede e da ca de i rin h a do al me id in h a, de n ovo na rua a vo ar Te vi, f o ra nat es da c h uva de n ovo co me ç ar do c eu a cai r, l o g o em dia se guido a est a pr i me i ra vi são, s u bia eu a rua, d es cia s e s u bia s t u el e pe l o c eu, pr i me i ro em vo os ra s an t es às pe dr as ne g ra s do c h ão, no sex cat o si tio onda em s eu mei o, um fi o de co r ma si ne g ra e xis te c omo a l g o q ue nas pe dr as o u t r ar a v e r t eu, uma linha n ne g ra c omo uma cobra s est i ca da no mei o da rua a d es ce ra rua q ue va i d ar a i g r e j a do bo m s u c ess o e do t riu n f o, onda um dia em nela vi r e f l e c ti da a v ia s ac ra de o u t ro ra, d ep o is me mo st ra s inglesa te uma o u t ra c asa, uma mai s c l ar in h a q ue e i x te um peda ç o mai s ac i ma, pi n t ad a as si m de am r elo c la rin h o, e eu at é me as s u te i,p o is par e c u inglesa me q ue Te t e ri a s mago ad o, ao ins t ante em q ue mai s uma v e z pe l a par ed e par e cia s q ue r e r t id o en t ra r, mai s uma vo l t a i mp os s iv el, q ue eu at é o u vi o bar l h o de T eu v en t reo u as si m me par e c eu, p o is d ep o is pe r cebi, q ue as si m n ão f o ra, f o ra o som q ue n as v e ze s se c one h ce nas a sas dos avi õ es, q ua n do se tor c e m em s eu li mit e, se m par tir, me mo st ra s inglesa te ne s sa ca s uma jane la cir c u l ar, q ue e la t rá s, e as si m me r e met este para a o u t ra cas na rua do co st a onda eu vi ra o d es en h o do t u barão q ue se r efe l c t i ra em no i te ant e r i ro r no c eu s ob re mo n santo, e de u onde T u , L ua pe la s ua b oca sa ira s, d ep o is vo as t es ra san te e para l e la ao co rr i mao das jane l as e eu r epa rei o q ue me as si m me di z ia s, são el es se q ue n cia s de x s, as si m me o mp l eta s te o di ze r , ant e r i ro, q ue a c asa da jane la cir c u l ar, e ra a cas do t u barão q eu tinha co mida o a l ua, cm o a ba leia o u t ro aa jo n as f i z e ra, e q ue ess e s en hor ba lei a m is to t u barão, ma si ti ba r ao, ce rta mente e ra o r es p os n v el por toda a l on h a de x s, se cala h r o t al j u i z da li n ha, mai s a bia x o, em o u t ra s i mage ns r efe l e c tid os

Ah Amada Minha, Minha Amada, esteve este fim de semana a cidade cheia da musica, e eu a ver se te via, pois mais uma vez ao perto pertinho te pressenti, e depois começou a chover aos pedaços, ou melhor, cada vez que saia, logo chovia um bocadinho, parecia um bailado, mas me sabia a uma certa tristeza, espero que estejas feliz, e que tenha sido assim como uma brincadeira do ceu comigo e contigo , quando chegas?

A h Am ad a Min h a, Min h a Am a da , est eve este fi m de se mana a c i dad e che ia da mu sica, e eu a v e r se te v ia, p o is mai s uma v e za o pe r to pe r t in h o te pr es en ti, e d ep o is co me ç o ua c h ove ra os peda ç os, ou me l hor, c ad a v e z q ue s aia, l o g o ch o v ia um b oca din h o, par e cia um ba ila d o, ma s me sa bia a uma ce rta t r iste za, es p ero q ue est j as f e li z, e q ue te n h a sid o as si m co mo uma br inca de i ra do c eu co mig o e c on ti g o , q ua n d o che g as?


No dia a seguir a ter estado a olhar de novo o painel das contas e o mupi ao lado, em Alcântara, no sitio das assinaturas, já aqui narrado, a sequência dos cartazes da eva, do bastão da l ´oreal, e do grupo de jovens ao pé dos armazéns do rio, e da nespresso, mudou o cartaz ni painel onde antes estava o classic motors, com um jaguar e , branco, apareceu um cartaz que anunciava os dias da musica, de tal forma estranho era o logo, ao vê-lo do outro lado da rua , da estação, que não o reconhecendo, lá de novo atravessei a rua para ao pé observá-lo, era o logo do ccb, desenhado em modo que nunca vira, dois, c e um b, escrito na vertical de cima para baixo, ou seja dois vasos, dois semi círculos em cobre o outro de um b, ou seja ainda, do segundo, como a complementar o desvelado na sequência anterior, o jaguar branco classic motors, do circulo da lassi, a tal dos ca~es que apareceram um dia no jardim do império, aqui relatado, do circulo do primeiro as da serpente sic la m ot circulo rato, serpente, do ccb, mais uma vez uma relação com o mega ferreira a aparecer, ou com o local onde ele está, que por sua vez remete para a visão do reflexo na altura das mortes no liceu em Virgínia na América.


No dia a se gui ra te r estado a o l h ar de n ovo o pa ine l das c on t as e o mu pi ao l ado, em al can tara, no si tio das as sin a t ur as, j á aqui na rr ado, a se q u en cia dos cara ze s da eva, do ba s tão da l ´o rea l, e do g r up o de jo v e ns ao p é dos ar ma ze ns do rio, mu do u o cartaz ni pa ine l onde ant es est ava o c l as si c m ot o r s, com um j a g ue r e , br anco, ap ar e ceu um ac art az q ue a n un cia v a o s dias da mu sis ca, de t al forma est ar n h o e ra o l o g o, ao v ê inglês bacardi, l o do o u t ro l ado da rua , da est a ção, q ue não o r e c on he c en do, l á de n ovo at rave ss se ia rua para ao p é o v b s evá inglesa l o, e ra o l o g o do cc b, d es en h ado em modo q ue n un ca v ira, do is, c e um b, es c rito na v e r tic al de cima para ba ix o, ou seja do is v as os, do is s emi cir c u l os em cobre oo u t ro de um b, ou seja a in da, do se gun do, c omo a co mp l e m en t ar o d es vela do na se q u en cia ant e ri r o, o jaguar br anco c l as sic m oto r s, do cir c u l o da l as si, a t al dos ca ~ es q ue ap ar e ce ram um dia no jardim do i mp é rio, aqui r e la t ado, do cir c u l o do pr i e mr io as da se rp en te sic la m ot circulo rato, se rp en te, do ccb, mai s uma v e z uma relação com o maga ferreira a ap ar e ce r , ou com o l oca l onde el e es t á, q ue por s ua v e z r e met e para a visão do r e f l e xo na al t ur a das mao m art es, mor t es no li c eu em vi r gin ia na am érica.


Analise dos vídeos últimos

Ana lise dos vi de os u l tim os

O que foi carismado como as ab do ze segundo, ou, serpente do a da bd circulo do zé segundo,

O q ue foi cari sm ado como as ab do d o ze se gun do, ou, se rp en te do a da bd cir c u l o do zé segundo,

Sábado segundo, saabadoze2 , fui o titulo gravado, do gravado, ou ainda as, do ab ad circulo do zé segundo, o zé segundo que aqui aparece é, o timber land, ou seja do homem da madeira , a madeira ilha, e não do canada, ou então com ligação tambem a este território estendida

S ab ado segundo, sa ab ad o ze 2 , f u io titu lo g rava do, do g rava do, ou a in da as, do ab ad circulo do zé segundo, o zé segundo q ua aqui ap ar e ce é, o tim be r l and, ou seja do h oe m da madeira , a am de ira ilha, e não do c ana dao u en tão com li g aç ao tam b em a este terri to rio est en x d id a

O primeiro zé que aparece interpelado é o joel,

O pr i me i ro zé q ue ap ar e ce in te r p e l ado é oo jo e l,

O azeite gallo está em cima da mesa entre o primeiro e segundo risco vertical de um conjunto de dez, o azeite gallo, esta especifica embalagem, tem o galo sem cabeça, e depois um outro logo por cima em circulo branco azul com o galo inteiro, como tradicionalmente nesta marca aparece

O az e i te g a ll o es t á em cima da mesa en t reo primeiro e se gun do r isco v e r tic al de um c on j un to de dez, o az e i te g a ll o, est a es pe c i f ica em bala g em, t e m o g a l o se m ca beça, e d ep o is um o u t ro l o g o por cima em circulo br anco az u l com o g alo in te i ro, co mo t ra di cio n al e mn te ne st a am ar v ca ap ar e ce

No eixo da garrafa do azeite está meu braço direito, durante o falar, por debaixo do gallo, está defenido pela posição, um triângulo vermelho, é claramente visível um x, feito pelas rugas da minha camisola, a garrafa do azeite , a parte visível é como uma pomba ou horus, que está por cima do triângulo vermelho com vértice apontado ao cimo da asa do sofá vermelho italiano, por debaixo do triângulo, no eixo da pomba ou de horus, um x espelhado em meu braço, que será o sitio do prego, e ainda por debaixo em mei caderno, a anotação de circulo zero um, ou seja, circulo digital, circulo internet

No e ix o da gara f a do az e i te est á m eu br aço di rei to, duran te o f aa l ra, por de ba ix o do g a ll o, est á d efe ni do pela p o si çao um tir na gula vermelho, é clara m en te v isi v el um x, f e i to pe la s ru g as da min h a ca mi sol, a g ar raf do az e i te , a ap r te v ii s iv e k l é co mo uma p om ba ou horus, q ue est á por cima do t r ian gula vermelho com v e r tic e ap o mn m t ado ao cimo da asa do sofá vermelho it al i a n o, por de b a ix o do t r ian gula, no e i x o da pomba ou de horus, um x es pe l h ado em m eu br aço, q ue se rá o si tio do pr e g o, e a in da por de ba xi o em mei ca de r no, a ano tação de cir c u l o z ero um, ou seja, cir c u l o di gi t al, cir c u l o ine te r net

O triângulo vermelho , circulo x debaixo do gallo, circulo dos traços brancos sobre tampa azul, a asa da coluna da vesica de prata do circulo negro do cá da fé da sic al

O t ra in gula vermelho , cir c u l o x de ba ix o do g a ll o, cir c u l o dos t ra ç s o br anco ss ob re t am p a az u l, a asa da co l na da v e sica de p rata do cir c u l o ne g ro do cá da fé da sic al

Um y deitado ao lado do pescoço, provavelmente e degola, Três traços por cima de uma folha vesica deitada, com um falo atravessado que atravessou um pássaro, ou uma gaivota

Um y de it ado ao l ado do p es coço, pr ova v el e mn te e d e g ola, T r es t ra s ç s o por cima de uma fi o l ha v e sica d eu it ad a, com um falo at rave s sado q ue at rave ss o u um pa ss ar o, ou uma g a iv ota

O cone de prata onde se põem o café, aponta com triângulo vaso a asa do braço esquerdo, sobre o sofá italiana, onde é visível uma bomp , um alto, uma vesica deitada de uma pássaro, três cortes na manga cuja mao vai dar a parte branca entre as almofadas, ou seja, vermelho e branco, ou seja templário que por sua vez passa pelo Pb do micro ondas, o tal do desenho da frequência sonora dupla, que origina a vibração, o terceiro, assim parece indicar o desenho da almofado

O c one de p rata onda se pe o mo ca fé, ap ao n ta com t r ian gula v as o a asa do br aço esquerdo, s ob reo s o fá i t a li ana, onde é v isi v el uma bo mp , um al to, uma v e sica de i t ad a de uma pa ss ar o, te r s co r e ts na manga c u ja mao v aia d ar aa pa r te br anca en t re a s al mo fadas, ou seja, vermelho e br anco, ou seja te mp l á rio q ue por s ua v e z passa pelo p b do mic ro on d as, o t al do d es ne h o da fr e q u en cia s on a ra d up la, q ue ori gina a vi br a ção, o te r ce i ro, as si m par e ce indica r o d es en hi o da al mo fado

O galo não tem cabeça, assim é o seu estranho logo, e o azeite, o oiro que lá está dentro é muito pouco

O galo n ão te m ca beça, as si m é o s eu es t ra n h o l o g o, e o az e i te, oo i ro q ue l á est á d en t ro é mui to p o u co

Deve ser horus, ou um gavião, ou mesmo uma águia ou falcão, no sentido em que do lado esquerda da imagem, e visível, um pedaço de papel que simboliza uma pomba, e um fosso entre as almofadas preenchido a branco, que simboliza a cor da morte , a pomba está a sair de um jornal inclinado, ou seja uma pomba jornalista, o jornal é o publico, o que está como um rectângulo inclinado, e se lê na parte que é visível da câmara se lê, valongo, ligeiro mata três operários que reparavam a estrada, uma pequena escavadora está tombada em cima do rail, ou carril, tendo nele desenhado uma serpente e a ponta sobre o asfalto, antes da linha branca que mara a berna, Zimbabwe, oposição espera demissão de robert mugabe, farmacêutica bial vende fabrica, Tibete , futebolista indiano recusa-se a transportar tocha, artes, jorge xavier barreto, é o novo director geral, e em seu verso, , , onde estão, neste momento da escrita, na frente do jornal, ou seja no verso que não se vê na imagem, pedro e o lobo, o dvd, ou prokofiev, ou a negra canção da negra desgraça russa, assim neste momento me ressoa, está o jornal inclinado porque está meio em cima da fruteira de cristal que se encontra na mesa a fruteira, tem três maças dentro, duas vermelhas e uma amarela, um outra vermelha de fora encostada, como uma bola excêntrica ao circulo maior que a fruteira é, fruteira tem seis asas e seis bicos, e uma base de quadrados inclinados em sua base dispostos em circulo, a seu lado repousa agora o pacote de massa, tagliaatelle spinaci, contudo debaixo do prokofiev, pedro e o lobo, está na primeira pagina em destaque uma foto de um palácio com um soldado a seu lado, nato, Ucrânia e Geórgia batem a porta a aliança atlântica, o portão é um reflexo na casa da entrada envidraçada, que quebra o reflexo do palácio ao fundo em dois, e repete dois circulo de proibido e um circulo na casa do portão é como um ponta de uma faca que seguindo seu vértice, vai dar a um respiradouro, com um gelosia em metal, que é como que uma escada que termina na altura de uma imagem num quadrado branco que se encontra num pano pendurado no palácio, o portão tem três circulo em cima rodeados por três rectângulos, do qual partem dias , duas lanças, sendo que a do meio pela forma como o enquadramento a cortou, perece ser um suporte de fio de alta tensão, cuja ideia é reforçada por uma linha branca, um reflexo que está no vidro e que liga o plano do ceu a terra, por debaixo dos três rectângulos com circulo inscritos, outras vez os elementos dos dois semi círculos opostos sendo que no reflexo de um deles, dois dos travessões horizontais se tocam, como a dizer interruptor ligado, ou o local onde o interruptor se terá ligado, descarga, ou o que originou a descarga, por cima operadoras telefónicas ainda não cobram chamadas ao segundo, e por cima ao lado do p vermelho, obama de mãos na cintura contente, televisão nas series americanas obama já ganhou a a hillary, literatura infantil os tempos mudam, as boas histórias nao, opera, uma alucinação de offenbach estreia-se hoje no são carlos, obituários, dith pran , o repórter que o mundo descobriu em terra sangrenta


D eve ser horus, ou um g avião, ou me s mo uma a gui a ou falcão, no s en tid o em q ue do l ado esquerda da i mage me v isi v el, um peda ç o de pa el q ue s im bo liza uma p om ba, e um f osso en t rea s al mo fadas pr en s c h ido a br anco, q ue s im bo li x a a cor da mor te , a p om ba est á a sa ir de um jo r n al inc l in ado, ou seja uma p o mba jo rna l ista, o jo r na l é o p ub li co, o q ue est á co mo um rec tan gula inc lina do, e se l ê na par te q ue é v isi v el da ca mara se l ê, v al on g o, li geiro mata t r es opera ´ rio s q ue r epa r ava m a es t ra da, uma pe q eu na esca v a dora est á tom b ada em c i ma do rai l, ou ca rr u l, t en do ne l e s en h ado uma se rp en te e a p on ta s ob reo as f as l o, ant es da linha br anca q ue mara a be r na, z im b ab ue, o p o si ção es pera d emi s são de ro be r t nu g abem f ar a n c eu tic a bi al v en de fabri ca, ti bet e , f u te bo l ista in dia na o r e c usa inglesa se a t ra ns p orta r tocha, ar t es, j pr jp r ge x av i e r barreto, é o n ovo di rec tor ge r al, e em s eu v e r s o, , , onde est ão, nest emo m en to da es c rita, na fr en e t do jo rna l, ou seja no v e r s o q ue n ão se v ê na i mage m, pedro e o l o b o, o d v d, ou pr o k o fi e vo ua ne g ra can çao da negra d es g ra ça russa, as si m ne st e mo m en to me r ess o a, est á o jo r na l inc l ina do inc l ina do por q ue es t á mei o em c i ma da fr u te ira de c r ista l q ue se en c on t ra na mesa a fr u te ira, te m t r es maças d en t rio, du as vermelhas e uma amarela, um outra vermelha de f o ra en costa da, co mo uma b ola e x c en t r ica ao cir c u l maior q ue a fr u te ira é, fr u te ira te m se is a sas e se is bi co s, e uma b ase de q ua dr ado s inc l ina d os em s ua b ase di s postos em circulo, a s eu l ado r ep o usa agora o paco te de massa, t a g li aa te ll e spi n ac i, c on tudo de ba ix o do pr o k o fi e v, pedro e o l o bo, est á na pr i me ria pa gi ma em d es t a q ue uam foro de um pala cio com um sol dad o a s eu l ado, na to, u c rania e ge o r gi a bat e m a p orta a al ina ç a at l na tic a, o p or t a ão é um r e f l ex o na ca sa da en t ra da en v i dr a ç ada, q ue q eu br a o r e f l ex o do pala cio ao fundo em do is, e r e pete do is circulo de pr o bid o e um circulo na ca sa do p or tao é co mo um ponta de uma f ac a q ue se gui n do s eu v e r tic e, v a i d ar a um r es pira douro, com um ge l o s ia em met al, q ue é como que uma esca da que te r mina na al t u ra de uma i mage m n um q ua dr ado br anco q ue se en c on t ra n um p ana o pen d ur ado no pala cio, o p o r tão te m t r es circulo em cima ro dea d os por t r es rec tan gulas, do q ual par te m dias , du as lan la s, s en do q ue a do mei o pela forma co mo o en q ua dr am en to a co r to u, pere ce ser um s up o r te de fi o de al t a t en são, c u j a i d eia é r e f o rça da por uma li n h a br anca, um r e f e l xo q ue est á n p vi d r o e q ue li o g a o p l ano do ceu a terra, por de ba ix o dos t r es rec tan gulas com cir c u l o ins c rito s, o u t ra s v e zo s el ee mn t os dos do is s emi cir c u l os o p o st os s en do q ue no r efe l zo de um de l es, do is dos t rave es õ es h ori zon t a is se to cam, co mo a di ze r inter rup tor li gado, ou o l oca l onda o in te rr u pt or se te rá li ado, o d d es g carga, o u o q ue ori gi no u a d es cara g a, pro cima opera do r ra s t ee l f oni ca s a in da não co br am c h ama d as ao se gun do, e por cima ao l ado do p vermelho, ob am a de mao s na cin t u ra c on ten te, tele visao m as series am ar e c ina as ob am a j á gan h o u aa hi ll ary, li te ra r t ua in fan til os te ms ps mu d am, as boas h si tor ia s na oi, opera, uma al un c ina ção de o ff en b ac h es t reia inglesa se h o je no são carlos, ob i t ua rio s, di t h pr ano r ep o r te r q i e o m un d d es co br i u em te r ra san g r en t a

A fruteira veio salvo erro da latina europa, deverá lá terá chegado pela mão da ines

Af fr u te ira veio sal vo e r ro da l at ina eu r opa, d eve rá l á te re che gado pela mão da in es

I just phone to say to you, ou i just call to say that i love you, do belo cantor cego, e depois uma primeira interferência que se deu na gravação da imagem , aparecendo quadrados digitais, ou seja ligados ao telefone, ou seja as comunicações, falo eu com Madona, ou seja, provavelmente ligado a inglaterra, depois falo do ultimo video de madorna, ou seja, das formas, extrude forms do som, das ondas sonoras, lá estamos na queda dos edifícios, timber land, assim em modo errado prenuncio seu nome, ou seja da terra da madeira, canada, ou seja salvo erro, o senhor agora preso, blake, ou madeira ilha, sound wave, www, coming closer, por cima da mesa com notas negras de laços brancos, segue-se dn, edição de sábado, pergunta ao senhor joel, dois crimes nas ilhas, um deles a menina do papagaio, depois me ficou no pensar, e me pergunto se essa menina, que eu não sei quem é, não será uma outra menina que um dia pelo espirito assim o percebi, que vira de uma das ilhas e calhara estar em lisboa, no dia em que as pessoas , foram todas alteradas, e que segundo outros sabem, ela o terá confirmado e entendido, ou seja, seria uma testemunha dessa manhã, que tema ver com a indução que um grupo aqui fez e que fez tambem de semelhante modo no acto eleitoral da eleição presidencial, o que se liga ao que aqui no livro se encontra escrito, a experiência americana na europa, o tal hangar ao serviço da candidatura do actual presidente, e por ai fora, ou seja, encaixa bem, no sentido que depois de publicara estes vídeos, mais uma vez uma alucinação, de outro modo aqui se deu, primeiro a saída de menezes do psd, uma enorme agitação nas hostes sociais democratas, apanhei eu ele , a dizer na televisão, assim já se sabe porque baslsemao vais sempre a frente, enigmático e incompleto dizer, depois a visita do presidente a madeira, uma serie de estranhíssimas imagens nos jornais, algumas que serão abordadas em maior pormenor, e sendo que a primeira reverberação que me surgira na saída de menezes, fora o sincronismo que se manifestara na gravação de um dos segmentos, onde pela rádio se dava conta da sinopse do ultimo livro do gonçalo, onde um médico, como menezes, o é, masoquista que se entretinha a tratar mal meninas e outras pessoas, mas tambem outros médicos, ou pseudo médicos, pois um verdadeiro, assim não se comporta, tem sido convocados a estas páginas, e sendo que uma das linhas por detrás desta história no tocante ao roubo de meu filho, se prende tambem coma a existência de uma rede de pedofilia em portugal, que terá obviamente a cobertura de gente que se considera poderosa, e que mexe bastantes cordelinhos, e trará a protecção de muitos outros, por pertença, ou a partidos, ou maçonaria, ou o raio que seja,.

I j us t p h one to as y to y o u, ou i j us t ca ll to s a y t hat i l ove y o u, do be l o can tor c ego, e d ep o is uma p r i me ira ine t r efe ren cia q ue se d eu na g rava ção da i mage m , ap ar e c en do q au dr ado s di g is tais, o u seja li gados ao tele f one, o u seja as co m uni caçoes, falo eu com m ad on a, ou seja, pr ova v el mente li gado a in g l at e r ra, d ep o is falo do u l tim o v id e o de m a do rna, ou seja, das formas e x t rude f o r ms do som, das ondas s on o ra s, l á est a m os na q eu da dos edi fi cio s, t im be r l and, as si m e em modo e r ra do pr en un cio s eu no me, ou seja da terra da m ad e ira, c ana da, ou seja sal vo e r ro, o s en hor agora pr e s o, b l ak e, s o un d w ave, www, co ming c l os e r, por cima da mesa com n ot as ne g ra s de l aço s br anco s, se g eu inglesa se dn, edi ção de s ab ado, pe r g un at so s en hor jo el, do is c r i mes nas ilhas, um de l es a me nina do p ap a gaio, d ep o is me fi co u no p en sar, e me pe r g un to se ess a em nina, q ue eu não sei q eu m é, n ão se rá uma o u t ra menina que um dia pe l o es pei rito as si m o pe r cebi, q ue v ira de uma das ilhas e ca l h ara est ar em lis boa, no dia em que as pee ss o as , f o ram todas al te ra d as, e q ue se gun do o u t ros s ab em, e la o te rá c on firma do e en te n d id o, o u seja, se ria uma t es te m unha d ess a am n h ã, q ue t ema ver com a indu çao q ue um g r u p o aqui fez e q ue fez t am b em de se me l h ante modo no ac to e lei tor al da el e i c çao pr es id en cia l, o q ue se li ga ao q ue aqui no li v ro se en c on t ra es c rito, a e x pe ri en cia am e i r c ana na eu r opa, o t al hama g ar ao se r viço da can di d at u ra do ac t ua l pr e si d ente, e por ai f o ra, ou seja, en caixa b em, no s en t id o q ue d ep o is de pub l c ira est es vi de os, ma si uma v e z uma a lu c ina ção, de outro mode o aqui se d eu, pr i e mr io a sa id a de em en ze s do ps d, uma en o r me a gi t a ção nas h os te s soci a is demo c rat sa, aa pan hei eu el e , a di ze r na tele v isa o, as si m j á se s ab e por q ue ba s l se mao v a is se mp rea fr ente, eni g am tic o e inc o mp l e to di ze r, d ep o isa v is i ta do pr e si d ente a madeira, uma se r i e de es t ra n h is simas i mage ns nos jo rna is, al gum as q ue se rão ab o r dad as em maio r pr o m en or. e s en do q ue a pr i me ria r eve rb a ção q ue me s ur g i ra na s a id a de me ne z es, f o ra o sin c ron is mo q ue se m ani f es tara na g rava ção de um dos se g m en t os, onda pe l a rá di o se d ava c on ta da sino ps e do u l t im o li v ro do g on ç alo, onde um médico, c o mo m e n e n z es, o é, maso q u ista q ue se en t r eti n h aa tr atar m al me ninas e o u t ra s p ess o as, mas t am b em o u t ros médicos, ou ps eu do mé di co s, p o is um verdadeiro, as si m n ão se comporta, te m sid o c on vo ca d os a est as pá gina s, e s en do q ue uma das linhas por de t rá s desta h is tó r ia no t o can te ao ro ub o de m eu fil h o, se pr en de t am b em c oma a e xis t en
cia de uma red e de pedo fi l ia em portu gal, q ue te rá ob vi a mente a co be r t ura de g en te q ue se c o ns id e ra p ode rosa, e q ue me ze rá b as t ant es co r de linho s, e t r ar á a pr ot e c ção de mui t os o u t ros, por pe r t en ça, ou a par t id os, ou a am ç on arias, ou o rai o q ue se j a ,.

Depois o outro jovem das aparentes plantas alucinogénicas, uso de telemóveis, associado a fenómenos e ao despoletar da violência nas escolas, alteração do equilíbrio psíquico, deresponsabilizaçao dos pais, pouca atenção aos filhos, pico de um cio, pico remete para ilha do pico, digo cheias de setenta e seis, nas elas foram uma década antes, ou seja, remete isto para algo que se terá passado em setenta e Setembro
O segundo mencionado é o obama, que aqui declina em ob, ou seja tampão, ou circulo segunda da ama da manha, clinton, bush, mac cain e depois a referencia à morte de hemingway, terroristas, lhe chamo eu, queda das torres em nova yorque, e atentados em londres e madrid, sobrancelha direita, ou seja asa direita, tantas vezes o púcaro vai à fonte que acaba por quebrar, púcara em modo indevido a fonte indevida

D ep o is o outro jo v em das aa pr en t es p l antas a lu cio no g é n i ca s, us o de tele mo v e is, as soci ado a f en o m en os e ao d es p ole t ar da vi o l en cia nas es cola s, al te raçao do e q eu li br io ps i q u i c o, d es r ep om sabi liza ç ao dos pa is, p o u ca a ten c çao aos fil h s o, pi co de um cio, pico r e met e para ilha do pico, di g o che ia s de set en ta e se is, nas el as f o ram uma dec ad a ant es, o us seja, r e met e is to para al g o q ue se te ra passado em set en ta e Set em br oo se gun do m en cio n ado é o ob am a, q ue a q u i dec l i na em ob, ou se j at am pão, ou cir c u l o s gun da d a ama da manha, c li n ton, b us h, m ac cc a ine d ep o is a r efe r en cia à mor e t de h emi n g w a y, te r ro s r sitas, l he c h amo eu, q eu da das torres em n ova y o r q ue, e a ten t ado s em l on dr es e m ad rid, s ob ra n celha direita, ou seja asa di rei t a, t anta s v e ze s o p uca rao v aia a fonte q ue ac ab a por q eu bra r, pu cara em modo inde vi do a fonte inde v id a


Depois o joker, o duplo príncipe, esquizofrenia, partido partido, é pp, partido popular, ou seja espanha, ou pp do cds, aqui, rui do marques , cio Timor, ramos do horta, o provedor do jornal, tambem das ilhas, al gum as das lebres, segunda linha, futebol, primeiros a se queimar, quem foram os primeiros a se queimar, o feder, o zidane, lauda , Áustria, asa direita, mea culpa a nada, dia g on al, ce ra nos o u vi os, cio do ligante das colecções manhosas da parta, reflecte o caso do homem dos selos, caso em Espanha, das colecções philae, cera das gravuras religiosas, o senhor besta pseudo padre a mando da besta, lauda, envolvimento no ra pt o do m eu fil homem do circulo, li gado t ra mo ia, pb compromisso, mação compromisso, veludo da cera, br on ca, cio cheias, Alcântara , santarem, l oca l ori gina um, ce ra policia, ana lise, composição química, r eve s t i m e neto , simetrias e as pontas, mais os lápis ce ra das c r ian ç as, usa rato as c r ian ç as para v o s sas m a lan dr c i es, p rov a pr ova d a , conhecimentos da tradição associados a novas tecnologias, acidentes, o t ana s, atentados em nova yorque, em madrid e londres, esclarecido até ao final, mata ou morre, tourada, pensam que eu sou um matador, Ribatejo, concluia, que é na realidade concluio, ou seja, co n c lui primeira, governo socrates, pagar a quilo tudo, donde alguém do governo ligado as finanças, sessenta mil contos, seis , sete zeros , contos euros, c on t os eu ro serpente, lápis as cr ian ç as, sistemas emo cio na is, fr e q eu en cia, e pi mba, chapas metálicas a volta das arvores, símbolo, lápis, vidas, cera, abelhas, abelhas, c me das espadas sobre a igreja de paula, ligante alumínio estrutura molecular diferenciada a vo l ta , das tretas , tertas, en xe r g am cam ba da de mei a du z ia de gajos, c e g ano serpente, no jornais , televisão, por ai f o ra, agitação social, revolução sangrenta, interessa que fazem tam tam nas pessoas, que batem na pele das gentes, a ac s, cop ro r i za çao da q ue ix a, esca m o t e i a m, esca , espanhol ca mo ot te da teia da manha, portanto, p orta ant circulo, horta cidade, h circulo ra, se us pal e r m as do jornal diabo, mais o papa, igreja católica apostólica romani, em ve de romana, ou seja romenia, ou ainda o roma ni, que me aparecia em dia seguinte na p ap e al ria, a olhar, com o ti u l o sugestivo, w he r e w e go a gain, ao lado uma outra revista da bela pr inc e za, a muito se rir, que até eu assim me fiquei tambem, c e gato do ano , a serpente do ano, enriquecido, teologia, filosofia de teologia, ro u b ar ro do ar do s u b marino, fazer livrinho, revolucionários do pen ss m en to, t r eta s , crimes de morte, morreu gente, tribunais , judice, carrilho, pul l ari s mo, p l u rali s mo, o judice a quem eu inter pele i mui to t axa t iva m en te a pr e to no br anco da senhora instituto social que me corta a cabeça e faz perder o sincronismo vertical, quatorze do um, o quarto do quarto zé do um, o um é presidente tribunal de menores de lisboa, che g o u a q u ia cas, tir o u f oto g raf ias ao q ua r to do fr a n s cisco, sonegou a foto, en co m en do u ou n ão o se r viço, pe se rato guido , gui din h o, mat ilha d os ca es, anda maior a in t en t ar en g ana r o q eu maior, sim ou não, ou seja p b ou seja maçon, manipuladores, ilusionistas perfeitos, ou seja, relacionado com beslan, ou seja a pistola, mortes da saúde, contra reforma, são os que fazem a contra reforma, grupos e co no micos dos protocolos de e x p l o raçao dos t rib un ais, micos do protocolos de estado, função no estado, hospital, estado, um home de um hospital do estado, o anzol do bico do pescoço, a chave da divisão do circulo, o homem que marcou a cruz no braço direito, ou seja a cruz que se encontra por debaixo do pássaro do azeite, duas garras marcadas no braço quase por altura da a x ila , ou seja o s na ilha, nas cam rias canárias, ou na republica dominicana, ou em lanzerote, tao boas co mo tem vindo a lume, ou seja cobras tao co mo te maior vaso indo a primeiro me, fogo, ao l on g o d os ano s, me us ab rio s olhos, horus, que tem jornais, estes pasquins, te m jo rna is este s p as q v so e ns , sessenta , ou setenta ou trinta mil pessoas por dia a levara com os v ossos pólos , seis de setenta e três, vi br ar d en t ro dos v ossos p olo serpente, c om f usaão da po li cia, senhor pinto monteiro, segundo mail, lá deverá estar mais um esclarecimento, mais tribunais, ordens, grão vasco, em vez de grão mestre, ou seja museus, dos museus, maçonaria Bruxelas, falar com durão barroso, laudas as todas os cães, ne g o cio esca motear as responsabilidades, caso de policia, houve mor te s, o que e que responderam, que ninguém respondeu aquilo que eu pergunto sobre o raio do durão barroso, a fotografia, ninguém a viu, fizeram um edição do salvo erro vinte e quatro horas, só para mim, fotografia a caminho da ilha de ferias do coutinho num zodíaco, zodíaco, remeteu para aqui, para a visão das penas, e para a visão recente do símbolo celta na ford transit antiga, ou seja para londres e para os atentados, sendo que a seguir reparei que é tambem o símbolo do bhuda bar, forro coutinho no brasil com oito ou nove meninas, quando eu vos ando a falar das filhas de l ot , querem tramar o durão Barroso, ou é uma acusação sobre o durão barroso, q eu se passou, pb, o que se passou, coração e pen sar, en se r g am , revolução, perigosos terroristas, com sangue nas mãos , e exemplo mais claro este da cida li a, na s em ana passada, polos com flito es c rita, home que matou a mulher, reconhecido com o espalho ali, mais um anterior moviflor, natureza afectiva, contas, camas trocadas, um homem que perdeu o emprego por causa disso, estampou-se de carro, papa, veja o que se passa com alguns elementos que dizem pertencer a igreja de cristo, com ac ess o as edi ç õ e aa s co l un as e rai o q ue pa rta, o s en hor q ue é s a b i a o, se us ac o lito s, gravador da pedra, as si m f un cio na o v as o, ajustes de contas muito antigas no mundo inteiro, presidente bush, Madona, morte j f kennedy, france, matter, i will go deeply on t hat, time, o do it, dodo, ou seja o segundo zé que se pergunta em cima, inde ed, ne w world, we d ont like wars, we are just defending, in ter na cio n al c on te x t by b ase, t ru t h , it s on ly way we can solve the problem in the world, c r eta e a inter na cio n al c r is es,, crated when a presidente of a country is dead by murder, i will go again to couple clinton, be c au se they appeard also on that photo, and a not so sure, rigth now publised about a gi ft last week, we shall see, and truth alwasy emerge and always conqueror, o papel, as indicações no papel conqueror, são muitas , podem ser as que ainda não entraram, que são relativas a londres, o u sej o gi ft, será de inglês, apareceu, um na minha recente navegação, um que está a fazer uma aquisição de um banco


D ep o is o jo k e ro d up lo pr inc ipe, es q u i zo fr eni ca, par tid o par tid o, é pp, par ti do pop u l ar, ou seja e s p a n h a, ou pp do cds, aqui, rui do marques , cio tim o r, ra mo s do h orta, o pr o v e dor do jo rna l, t am b em das ilhas, al gum as das l e b r es, se gun da linha, f u te bo l, pr i e miro se q eu i mama, q eu m f o ram os pr i me i ros a se q u i mar, o fe d ero z i g ane, lauda , au s t ria, asa direita, mea c up la a n ad a, dia g on al, ce ra nos o u vi os, cio do lu gan te das cole ç o es man h o sas da pa rta, r efe l c te o c as o do homem dos se l os, c as o em e sp ana h a, das cole c ç o es p h ila e, se ra das g rav iras r e li gi o sas, o s en hi or best a a ps eu d o p ad rea a mando da be st a, lauda, en vo l vi e mn to no ra pt o do m eu fil homem do circulo, li gado t ra mo ia, pb co mp romi s so, mação co mp ro m i s s o, v e l u do da cera, br on ca, cio che ia s, al can tara , san t ar em, l oca l ori gina um, ce ra policia, ana lise, co mp o sisão q u i mica, r eve s t i m e neto , si met ria s e as p on t as, ma si os l a pi s ce ra das c r ian ç as, usa rato as c r ian ç as para v o s sas m a lan dr c i es, p rov a pr ova d a , c on he cie mn t os da t ra di ção a s s o cia d os a n ova s tec no l o gi as, ac i dentes, o t ana s, at en t a do s em n ova y o r q ue, em ma d rid e l on dr es, es c l ar e c i dao at é ao f ina l, mata ou mor r e, t o u ra da, pen sam que eu sou um mata dor, ri bate jo, com c lui a, q ue é na real i dad e c on c lui o, ou seja, co n c lui pr i am e ira, g o v e r no s o c r e te s, p ag ar a q u i l o tudo, don de al g eu m do g o v e r no li gado as f ina ç as, se s en ta mi k l c on t os, se i es , set e z ero s , c on t os eu ro s, c on t os eu ro se rp en te, l ap is as cr ian ç as, sis t ema s emo cio na is, fr e q eu en cia, e pi mba, c h ap as met a li cas a vo l t a das ar v o r es, s om b o l o, l a pi s, v ida s, cera, abe l h as, ab e l h as, c me das espadas s ob rea igreja de paula, li gan te a l u mino e ts ru t u ra mole c u l ar difer en cia da a vo l ta , das t r t ra s , te rta s, en xe r g am cam ba da de mei a du z ia de gajos, c e g ano se rp en te, no jo r na is , tele visao, por ai f o ra, a gi t a çao soci a l, r evo lu ção san g ren ta, ine t r ee s sa q ue f a ze m tam t am nas p ess o as, q ue bate mna pe le das g ene ts, a ac s, cop ro r i za çao da q ue ix a, esca m o t e i a m, esca , e spa n h ol ca mo ot te da te ia da manha, p o rta n to, p orta ant circulo, horta cidade, h circulo ra, se us pal e r m as do jo r na l diabo, mai s o papa, i g r e j a cat o li ca ap os to li ca roma ni, em ve de ro mana, ou s e j a ro m eni a, c e gato do ano , a se rp en te do a no, em ri q e u sid o, teo l o g ia, fil o sofia de teo l o g ia, ro u b ar ro do ar do s u b marino, f a ze r li v rin h os, r evo lu c io na rio s do pen ss m en to, t r eta s , c r i mes de mor te, nm o rr eu g en te, t rib una si , ju di ce, car r ilho, p ul l ari s mo, p l u rali s mo, o judice a q eu m eu inter pele i mui to t axa t iva m en te a pr e to no br anco da s en hor a ins titu to soci al q ue me co rta a ca beça e f az pe r d er o sin c ron is mo v e r tic a l, q ua t ro ze do um, o q ua r to do q ua r to zé do um, o um é pr es i dente t rib un al de me no r es de lisboa, che g o u a q u ia cas, tir o u f oto g raf ias ao q ua r to do fr a n s cisco, s one g o u a f oto, en co m en do u ou n ão o se r viço, pe se rato guido , gui din h o, mat ilha d os ca es, anda maior a in t en t ar en g ana r o q eu maior, sim ou não, ou seja p b ou seja maçon, m a ni p u l ao d r es, i lu sio ni st as pe r f e i t os, ou seja, r e la cio n ado com bes l an, ou se j a a pi s tola, mor te s da s au de, c on t ra r e forma, são os que f az ema c on t ra r e forma, g rup os e co no micos dos pr oto c olo s de e x p l o raçao dos t rib un ais, micos do pr oto c olo s de e t s ado, fun ção no eta do, h o spi t al, est ado, um home de um h o spi t al do est ado, o na zi l do bi co do p es coço, a c h ave da di visao do circulo, o homem que mar co ua c ru z no br aço di rei to, ou seja a c ru z q ue se en c on t ra por de ba ix o do pa ss ar o do a ze i te, du as g ar ra s ma rca d as no br a l o q u ase por al t u ra da a x ila , ou seja o s na ilha, nas cam rias c an a rias, ou na r e publica do me ni cana, ou em la nm z e r o te, tao boas co mo tem vindo a lume, ou seja cobras tao co mo te mao r v a os indo a pr i me i ro me, fogo, ao l on g o d os ano s, me us ab rio s olhos, horus, q ue te m jo rna is, est es p as qu in s, te m jo rna is este s p as q v s oe ns , se s en ta , ou set en t a ou t rin t a mil p ess o as por dia a l eva ra com os v ossos p olo s , se is de set en t a e t r es, vi br ar d en t ro dos v ossos p olo serpente, c om f usaão da po li cia, se mn hor pi n to monteiro, se gun do mail, lá d eve rá est ar mai s um es clare cie mn to, ma si t rib un a si, o r d e ns, g r aa o vasco, em v e z de g rão mestre, ou seja mu se us, dos m us e us, m a c on aria br u xe l as, f ala r co m du ral bar roso, laudas as todas os ca es, ne g o cio esca m ot e ar as r es ponsa bil i dad es, c as o de po li cia, h o u v e mo r te s, o que e que r es po dn e ram, q ue nin gui e r es pond eu aquilo que eu pe r gun teo s ob reo rai o do du ra ao barroso, a f oto g raf ia, nin g eu m a vi u, fi ze ram um edi c çao do as al vo e r ro vi n te e q ua t ro horas, só para mim, f oto g raf ia a co a minho da ilha de f eri as do coutinho n um zo di a co, zo dia ca, r e met eu para aqui, para a vi são das p en as, e para a visão recente do s im b olo celta na ford t ra ns it ant i g a, ou seja para londres e para os a t en a t d os, forro coutinho no bar si l com oito ou n ove me ninas, q ua n do eu v os and o a f l a ra das fil h as de l ot , q eu r em tara mar o dura ão bar ro s os, ou é uma ac usa ção s ob reo durao barroso, q eu se passou, pb, o q ue se passou, coração e pen sar, en se r g am , r evo lu ção, pe rigo s os te rr ori s t as, com san g ue nas mao s , e e x me p l o mai s c l ar o est e da cida li a, na s em ana passada, p olo s com f l i to es c rita, home qu ema to ua mul her, r e c on he cid o com o e sp a l h o a li, ma si um ant e r i ro mo vi flor, na t ur e za af e c t iva, c on t as, c a ma s t roca d as, um h oe m q ue pe r d eu o e mp rego por c a usa d iss o, est am p o u inglesa se de carro, p ap a, veja o que se passa com al g u ns el e m en t os q ue di ze m pe r ten ce n r a i g r e j a d e c r is to, com ac ess o as edi ç õ e aa s co l un as e rai o q ue pa rta, o s en hor q ue é s a b i a o, se us ac o lito s, g rava dor da pe dr a, as si m f un cio na o v as o, a j us t es de c on t as mui to ant i g as no mundo in te i ro, pr e di d en t b us h, m a donna, mor te j f k en ne d y, f ar n ce, mat te r, i w i ll go de ep l y on t hat, time, o do it, dodo, ou se j a o se gun do z é q ue se pe r gun ta em c ima, inde ed, ne w world, we d ont like wars, we are just defending, in ter na cio n al c on te x t by b ase, t ru t h , it s on l y w a y we can sol k v e t he pr o b l em in t he world, c r eta e a inter na cio n al c r is es,, c ra ted w h en a pr es i d ente o f a co un t r y is dea d b y m ur de r, i w u ll go a g a in to co up le c l in tom, be c au se t he y a pp ear al s o on t hat p h oto, and a n ot so s ur e, r i g t h n ad p ub lise d ab o u t a gi ft l a s t w ee k, we s h a ll see, and t ru t h a l w y as e m e r ge and al w y s c on q u ero r, o p ap el, as indica ç o es no pa els c on q u e roe, são mui t as , p ode m ser as qu e ainda n ão en t ra ram, q ue são r e l at iva s a l on dr es, o u se j o gi ft, será de inglês, ap ar e ceu, um na min h a r e c en te n ave g a ção, um q eu e ts á a f az e r uma a q u is i ção de um ban co


O terceiro segmento de video, em notas mais curtas

O t r e ce i ro se g m en to de v id e o, em n ot as mai s c u rta s

O quadro da imagem tem os seguintes elementos assim dispostos que contam então a seguinte leitura, ou sentido, assim o prefiguram depois de novo os olhar,

O q ua dr o da i mage m t e m o s se gui n t es el e m en t os as si m di s p os to s q ue c on tam en tão a se g un i te lei t u ra, ou s en tid o, as si m o pr e figura m d ep o is de n ovo os o l h ar,

De novo temos na asa direita do meu sofá vermelho italiano, um triângulo vermelho em idêntica posição, mas por detrás , não está nesta vez o azeite do gallo, mas sim um pequeno quadrado verde que corresponde a um pacote de leite, ou seja, desta vez parece narrar a história uma personagem feminina

De n ovo te mo s na a sa di r eta do m eu s o f á vermelho it a li ano, um t r ian gula vermelho em id en tic a p o si ção, mas por de t rá s , não est á ne st a v e zo az e i te do g a ll o, mas sim um pe q u en o q ua dr d o verde q ue co rr es pond e a um p ac ot e de lei te, ou se j, de st a v e z p aa r ce na rr ar a j is tó ria uma pe r son a g m fe m en i na

Leio eu nos traços que se apresentam , uma vareta que entra no triângulo mais ou menos deitado, com um ponto, ou o ponto da vareta que entrou na vaquinha mimosa, do ponto do príncipe do w , primeiro do primeiro anzol, ao quadrado mimosa do coador verde que está em cima de um cilindro de prata, um fervedor, que portanto terá aquecido o que se encontrava no coador verde, que parece um instrumento alquimico e que pela posição do bico, poderá ter entornado seu conteúdo em cima do sofá vermelho, e de meu braço, donde juntando as duas cores, temos uma indicação de nacionalidade portuguesa, o tal príncipe do w, ou duplo vaso
Lei o eu nos t ra ç s o q y e se ap r ess n e t am , uma v ar eta q ue en t r a no t rian gula mai s o u m en os de it ado, com um ponto, ou o p on to da v ar eta q ue en t ro u n a v a q u in h a mimo sa, do p on to do pr inc ipe do w , pr i me rio do pr i me rio na zo l, ao q ua dr ado mi mo sa do coa dor verde q ue est á em c i ma de um c i li n dr o de p rata, um f e r v e dor, q ue pr t ant o te rá a q eu cid oo q ue se en c on t rava no coa dor verde, q e pa arc e um ins t ru m en to al q u i mico e q ue pe la p o si ção do bi co, p ode rá ter en tor na d o s eu c on te u do em cima do s o fa vermelho, don de j un t and o as du as co r es, te mo s uma indica ção de na cio na li dad e portu guesa, o t al pr inc ipe do w, ou d up l o v as o

Depois o coador entra por assim dizer, salvo esteja sempre minha cabeça, e se liga ao pacote de café , sic al, doirado e vermelho , um triângulo de fogo é ainda visto no sofá , das letras da musica da nave negra e branca, café espanha e vaso francês do chá das pirâmides, ou dos charutos do faraó, que deve ser, mais uma vez o jardim, aos charutos voltaremos mais adiante

D ep o is o coa dr o en t ra por as si m di ze r, sal vo est j a se mp re min h a cb e ça, e se li g a ao p ac ot e de ca fé , sic al, do ri ad o e eve r me l h o , um t ria gula de fogo é a in da vi st o no s o f á , das l e t ra s da m u sica b v e ne g ra e br anca, ca fé es p an h a e v as o fr anc es do c h á das pi r a m id es, ou dos c h ar u t os do f ar a oo, q ue d eve se r, mai s uma v e zo j ar dim, aos c h ar u t os vo l t ar emo s am s ia a di ante

O cabo do coador, parece que entra, e sai do meu ouvido, portanto algo ouvido, ou escutado, de quem faz escutas, por detrás de mim, no ceu azul, temos o Y , o bordão que eu um dia do chão no jardim apanhei, deve estar portanto relacionado com o jardim, e madeira, a atender ao cio que agora lá se montou, na cortina desesperado de fumo que montaram a correr, depois da publicação dos meus últimos vídeos, devem-se ter reconhecido as bestas, e o susto lhes subiu logo ao coração, e o medo lhes montou de novo as manhas, fotografias espantosas no jornal, o presidente e o jardim e mais alguns dentro de um carrinho tipo comboio do portugal dos pequeninos, com portas de madeira as rectângulos incrustados uns nos outros como babel, e como o desenho, achatado, de uma outra torre que aparecera na cas branca , com o papa a cortar o bolo da babel, com uma luz em cima, e que quando o vira se reflectira tambem, em casa branca alentejo, visto ser recorrente os sobreiros, que dai dessa zona são características e mais uma vez o portucale, o caso da herdade onde se cortaram os sobreiros e outras coisas se passaram, ainda não esclarecidas, com a mão de alguns partidos e dirigentes de partidos políticos, nomeadamente do cds, pp, olhais as fotos, as expressões e vide, como parece ser um filme de palhaçadas, para entender em sua extensão, como é real mais uma vez se ter feito uma enorme cortina de fumo, desenganem-se, que o fumo sempre passa, e o povo é sereno, assim relembrava o almirante uma vez no terreiro, é só fumaça, há uns largos anos atrás numa enorme manifestação que ai se dera, no tempo do prec, prec, quer dizer, processo revolucionário em curso, estranhíssima frase daqueles tempos,

O cabo do co ado r, par e ce q ue en t ra, e sa i d o m eu o u v ido, p orta n to al g o o u v ido, ou es cut ado, de q eu m f az es cut as, por de t ra s de mim, no c eu az u l, t emo s o Y , o bo r dão que eu um dia do chão no j ar dim ap na he i, d eve est ar p orta n to r e la cio n ado com o jardim, e am ad e ira, aa ten der ao cio q ue agora l á se mo n to u, na co r t ina d es e s pe ra do de f umo q ue mo n t aram a co rr e r, d ep o is da pub li cação dos me us u l tim os vi de os, d eve m inglesa se ter r e c on he cid o as b e s t a s, e o s us to l h es s ub o u l o g o ao co ra ção, e o me do l h es mo n to u de n ovo aa s man h º a s, f ot g ar fi as es p ana t o sas no jo rna l, o pr e si d ente e o j ar dim e mai s al g u sn d en t ro de um car rin h o t ip o co m boi o do port u gal dos pe q eu nino s, com portas de ma de ira as rec tan gulas inc ru s t ado s u ns no s o u t ro s co mo babel, e co mo o de s en h o, ac h at ado, de uma o u t ra to rr e q ue ap ar e cera na cas br anca , com o p ap aa co rta ro b olo da ba be l, com uma l u z em cima, e q ue q ua n do o v ira se r e f l e c ti ra t am b em, em ca sa br anca al en tejo, vi st o se rr e co rr en te os s ob rei r o s, q ue dai de s sa zo n a são ca rac te r is tic as e mai s uma v e zo portu cale, o c as o da h e r dad e onda se co rta ram os s ob rei ro s e o u t ra s co i sas se spa ss aram, a in da n ão e x c l ar e cida s, com a mão de al g u sn par t id os e di regentes de par ti d os poli tic os, no me a d amen te do cds, pp, o l h a is as f oto s, as e x press õ es e vide, co mo par e ce ser um fil me de palha ç ad as, para en te n de r em s ua e x t en são, co mo é real mai s uma v e z se te r f e i to uma en o r me co r t ina de f umo, d es en g ane m inglesa se, q ue o f umo se mp r e passa, e o p ovo é se r eno, as si m r e l em br ava o al a mirante uma v e z no te r rei ro, é s ó f um a ç a, h á u n s l argo s ano s at rá s n uma en o r me m ani f es t a ção q ue a i ds e de rá, no te mp o do pr e c, p rec, q eu r di ze r, pr o c ess o r evo lu cio na rio em curso, es t r t na h iss i ma fr ase da q eu l es te mp os,

O coa dor verte sobre o vermelho e cinza, sic al negro e vermelho, a mosca, o home mosca que aparecera tambem recentemente no dn, no dia a seguir, à publicação do video, lá estão os bandidos nas correspondências, faculdade de ciências de Lisboa, ccb, sophia de mello breyner, freitas branco, baile de mascaras, ubíquo, iníqua, Andreia lupi, o lobo da Andreia, do ccb, gonçalo m tavares, luis caetano, ana caetano, dr lem, leme, lend, belo retracto de masoquistas, aparece na visão a navegar , a ra tec nica Jerusalém, reino do império do espirito santo, reza da técnica, , constelação do cruzeiro do sul. Espada es pera es peta no cora são, pr ma rosca betão grupo por detrás, do dn, cluny, património, belo edifico, do alameda negreiros, ou do negreiro, medico de Almada, o medico antonio pedro vasconcelos, o leme, os professores das ficções das estrelas e dos astros e dos realizadores, o edu cação, tarzam, jane, sobreiro namora r vai vem do mar. a me nina, en si ma monstro, como químicos, arroz, china, burro coelhinho revestido a oiro com fita vermelha e sininho doirado, ilhas, espanha inglaterra, amiches, as duas raparigas do remo, anuncio que passa na sacola do jornal, quando neles estou falando, me lembrei do atentado na escola amisch, universo infinito, mamutes elefantes em loja de porcelana, vinte e um tres nove nove nove, virgulo nove, nove, nove, le is, casa do sobreiro do jardim, o gomo laranja, estrutura molecular, favos, estrutura, energia solar em energia electrica, alta tensão, pequena tensão , rede bidireccional, fumar charutos, remete de novo a jardim, bater mal da cabeça, o Xº do circulo das aguas do vodafone, sem antena, sem pon, ecrã vermelho, masturbo, malucos, colo pano pr seis us s a um q eu + o l os meu Deus do ceu, Bruno , coelho, cabeça de birro, coelho doirado, sininho, fada, vermelho, grupo imo, que já aqui entrou, a tal empresa das construções, de onde a ines mendes, minha ex colaboradora, veio quando á latina europa chegou, imo k poupança bpn bna, terça feira salvo erro, era segunda feira,


O co a d o r verte s ob reo vermelho e c in za, sic al ne g ro e vermelho, a mo s ca, o home mo s ca q ue ap ar e ce ra t am b em r e c en te mente no dn, no dia a seguir, à pub li caçao do vi de o, l á est ão os ban d id os na s co rr es pond en cia s , f ac u l dad e de cie n cia s de lis ba, cc b, s o p h ia de me ll o br e y ne r, fr ei t as br anco, ba ile de mas cara s, ub i q u o a, in i q ua, na dr e is l u pi, o l o bo da and reia, do cc b, g on ç a lo m t av ar es, lu is cae t ano, ana cae t ano, dr lem, le me, l en d, belo r e t rato de maso q eu ista s, ap ar e ce na vi são a n ave g ar , a ra tec ni ca je r usa l em, rei no do i mp e rio do es pi rito s na to, r e za da tec nica, , co sn te l a çao do c ru ze rio do s ul. Es pada es pera es pe t a no cora são, pr ma ro s ca bet º ao g r up o por de t rá s, do dn, c l u ny, pat r i mo mn i o, belo eidi fi c o, do al am ada ne g rei ro s, ou do ne g rei ro, me di co de al m ad a, o me di co ant o ni o pe d r o v as c on ce l os, o l e me, os pr o f ess o r es das fic ç õ es das est r e l as e dos as t ro s e dos real iza d o r es, o edu cação, t ar z am, j ne, s ob rei ro namora r vai vem do mar. a me nina, en si ma mo ns t ro, co mo q u i micos, ar r oz, ch ina, b ur ro coe l h in h o r eve si tio d a o i ro com fi ta vermelha e sin in h o do ira do, ilha s, e spa n ham in g l a te r ra, am i ch e s, as du as r aa p rigas do r emo, a n un cio q ue passa na s ac ola do jo rna l, q ua n do ne le s est o u fala n do, me l em br ei do at en t ado na es cola ami s c h, uni v e r s o in fi ni to, mam u t es el e fan t es em l o j a de por ce la sn, vi n te e um t r es n ove nove n ove, v r g u l o no v e, nove, nove, le is, casa do s o b rei ro do jardim, o g omo lara n j a, es t ru t u ra mole cu l ar, f av i os, est r u t ira, ene r g ia sol ar em ene r g ia el e c t r i ca, al t a te n são, pe q eu na te n são , red e bi di re cio n al, f u a mr c h ar u t os, r e met e de n ovo a jardim, bate r m al da ca beça, o Xº do cir c u l o das aguas do vo da f one, se m ant e n a, se m p on, e c ra vermelho, m as t ur bo, mal u co s, c olo p ano pr se is us s a um q eu + o l os me u D e us do ce u, br un o , co l e h o, ca beça de bi r ro, coe l h o do ira do, sin in h o, f ad a, vermelho, g r up o i mo, q ue j á aqui en t ro u, a t al e mp r e sa das co ns t ru ç o es, de onde a in es mendes, min h a e x c ola bora do ra, v e i o q ua n do á l at ina eu r opa che g o u, i mo k p o up am ç a b pn b na, te r ça f e ira sal vo e r ro, e ra se gun da f e ira,

Depois a coisa porventura mais estranha no video, que se deu no encoding, uns segundo que ficaram acelerados, de tal forma que só o entende quem tiver um reprodutor que ponha o filme a meia velocidade, ou seja, a divisão da unidade , representada pelo circulo em formato impossível biplano, seguida do cinco, ou seja estrela, portanto da primeira divisão da unidade da estrela

D ep o is a co isa por v en t u ra ma si es t r a nha no vi de o, q ue se d eu no en co di n g, u ns segundo q ue fi ca ram ac e le ra d os, de t al forma q ue s ó o en te n de q eu m t i v e r um r ep ro d u tor q ue p on h a o fil me a mei a v e l o cidade, o u se j a, a di vi sao da uni dad e , r ep r e sn t ad a pe l o cir c u l o em for mato i mp os s iv el b ip l ano, se guida do c in co, o u se j a est r e la, p orta n to da pr i me ira di vi sao da uni dad e da est r e l a

Diz assim, não se pode negra ao cidadão, um homem, um ser, seja qual a forma em que se ele se presente, a justiça,

Depois de publicado , um eco sobre este ponto aconteceu, dos belos juizes com relógios de quarenta e cinco minutos, ou seja, referindo-se a um home ou nascido em quarenta e cinco, ou do quadrado da estrela, andavam eles em seu treinos, para a frente e para a trás, esta era a ponte visual que pela velocidade do no movimento se estabelecera, donde o sentido que se me afigurou deste presente de amor, era o tal juiz da linha, da linha, de onde vêem os enzimas, a linha de cascais, se calhar mesmo de cascais, depois me apareceu um numero de telefone, nove um sete dois, dois, quinze, dezasseis, ou em noventa e um, o sete da dupla diade, ou sej , o quadrado, do primeiro da estrela do primeiro do seis, ou seja o juiz malandrim, visto ser esse o sentido do dito

D ep o is de pub li c ado , um e co s o b re este p on to ac on te c eu, dos be l o s j u i ze s com r e l ó g i s o de q ua r en ta e c in co minu o t s, o u se j a, r efe r en di inglesa se a um home ou n as cid o em q ua r en ta e c in co, ou do q ua dr ado da est r e la, anda v am el e s em s eu t rei no s, para a fr n te e para a t rá s, est a e ra a p on te v is ual q ue pe l a v e l o cid de do n oe mo vi m en to se es t ab e l e ç ar a, dom n de o s en t id o q ue se me a fi o guru d este pr es en te de am or, e ra o t al j u i z da li n h a, da li n h a, de onde v ee m o s en zi ma s, a linha de ca s ca si, se ca l h ar me s mo de ca s cais, d ep o is me ap r e ceu um nu m ero de tele f one, n ove um set e do is, do is, q u in ze, dez as e is, ou em no v en ta e um, o set e da d up l a dia de, ou sej , o q ua dr ad o, do pr i emi ro da est r e la do pr i me i ro do se is o u seja o j u i z m al and rim, vi st o ser ess e o s en tid o do di to

Mais ou menos ao minuto vinte e cinco, no video que refere os atentados às torres, circulo jonas, central park

Mai s o u m en s o ao minu to vi n te e c in co, no vi de o q ue r efe re o s at e n t ado s à s to rr es, cir c u l o j on as, c en t ra l p ar k

Depois desci à estação tomar café e o comboio de mercadorias estava a passar, como muitas vezes acontece, ali atravessa a estrada, por debaixo do passadiço elevado, e nele assim li

D ep o is d es c i à e ts a çao tomar ca fé e o co m boi o de me r ca d o ria s est ava a pa ss ar, co mo mui t as v e ze z ac on te ce, al i at ravessa a est r a da, por de b ax io do pa ss a di ç o e l eva do, e ne le as si m li

Homem lx , do x no vaso sessenta e dois , oitavo do cento e quinze, homem ap a g inglesa ll o y d azul, serpente do vaso du quarenta e cinco, setenta e dois , duplo quadrado do seis, cant id w cruz ato da ile x l, Hamburgo, trinta e dois rato iv de noventa e quatro, cp, quatro de noventa e seis , primeiro da divisão de cem por seis, sg , gato duplo mr dupla serpente, br set de noventa e sete , o condutor maquinista

H omem lx , do x no vaso se ss en t a e do is , o i t avo do c en to e q u in ze, h omem ap a g inglesa ll o y d azul, se rp e n te do v as o du q ua ren ta e c in co, set en ta e do sis , d up l o q ua dr ado do se is, cant r id w cruz a t o da ile x l, h am b u r g, t rin t a e do is rato iv de no v en ta e q ua t ro, cp, q au t ro de no v en t a e se is , pr i me r io da di vi sao de ce m por se is, sg , gato d up l o mr d u p la se rp en te, br set de no v en ta e set e , o co n du tor ma q u in ista

No espirito do redor, li, josé guimaraes, poly ester, é a chave dada pela bela Sharapova, o ninja do noronha espelhado na moto negra num dos dias que fui ao tribunal, o primeiro antes do cio do terreiro do paço, o gato k y + as ne e circulo do primeiro homem do Qatar, seis ar az, sendo o z parecido com uma serpente, um s, espelhado ao contrário, que depois e reflectiu no símbolo de um novo filme que se chama o segredo, um segredo relacionado com livros escritos há muitos séculos atrás,

No es pi rito do red o r, li, jo s é gui mara es, p o l y ester, é a c h ave dada pela be la S h ar ap ova, o ni n j a do no ron h a es pe l h ado na m oto ne g ra n um do s dias q ue f u i ao t rib un al, o pr i me i ro ant es do cio do te r rei ro do p aç o, o gato k y + as ne e cir c u l o do pr i me rio homem do q u at ar, se is ar az, s en do o z par e cid o com uma se rp en te, um s, es pe l h ado ao c on t rá rio, q ue d ep o ise r e f l e c ti u no s im b olo de um n ovo fil me q ue se c h ama o se g red o, um se g red o r e la cio n ado com li v ro s es c rito s h á mui t os sec u l os at rá s,

Na rádio escutei um belo extracto do concerto do lakatos, assim li, k la ak ka at t os cigano romani, Budapeste, a longa loira , ou a loira comprida, se calhara aquela que vira a descer do carro no terreiro do paço,

Na rá dio es cut e i um be l o e x t rac to do c on ce r to do l ak at os, as si m li, k la ak ka at t os c i g ano roma ni, buda pe st, a l on g a loi t a , ou a loi ra co mp rid a, se ca l hara q eu la q ue v ira a d es ce r do car ro no te r rei ro do p aç o,

Mara garfagno

Mara g ar f a g no

Vuou o primeiro avião a hidrogénio, parabéns!

V u o u o pr i me i ro av i ão a hi dr o g é ni o, p aa rb e ns!

Edward lorenz, pai da teoria das borboletas, para o ceu se foi,

Ed w a rd l o r en z, pai da teo ria das bo rb o l eta s, para o c eu se f o i,

O procurador, que parece nada procurar, como o pode fazer, se nem sabe ler a correspondência que lhe enviam, ou se souber, então alguém o trás preso, o que concordaremos todos, é coisa estranha de acontecer a um dito procurador, que se calhar se esqueceu que tem ditos, e se se esqueceu, à falta de tanto se lembrar, se calhar em definitivo os perdeu, apareceu num jornal, com um burrico antigo, em cimo de uma muralha de um castelo do homem do chapéu de lua deitada em posição invertida, coisa impossível, a uma lua acontecer, do vela do vaso do pinheiro dentro de um circulo aberto entre a linha do passado e do seu presente, o dele , onde em foto por cima estava, depois na rua vi , um carrinho, assim golf alemão preto e prata, parado ao lado de um mupi com um cartaz com um belo corpinho, ou melhor um pedacinho dele, que segundo parece bebe uma tal agua vitalis, que deve ser portanto o tal vi do it da primeira cruz que me foi posta na alemanha pelo vi do lis, o tal do mouta lys, dentro da tal garrafinha de vitalis, está um tornado, portanto o tal senhor deve então ter feito um há muitas luas atrás em relação à minha pessoa, e depois em lembrei que no video, quando interpelo o pinto monteiro, o situei em Grandola, mas esta imagem do castelo me situa agora pela memória em alcácer do sal, onde eu tambem nessa altura ia das catequese, e eme recordo de um dia , em seu final, antes de apanhar a camioneta para Lisboa, alguém me levara ao castelo a ver umas escavações, que me recordo de ter visto, mas pouco mais disso me recordo, contudo uma outra memória com a lua aflorou, um eclipse completo, que se deu na republica dominicana quando lá estive com a cristina coutinho, um fenómeno raro de acontecer, e me fiquei a pensar se esse tornado que fora posto dentro de uma garrafa, em alacacer, não terá sido de algum modo ai continuado, e se uma relação com o mouta lys trará, mouta lys, um senhor da extrema esquerda, que tinha um filho que eu conheci na noite lisboeta e com quem tive uma vez um problema com uma maquina fotográfica minha que meu pai me oferecera, será tambem este um dos meus constantes inimigos, e será então o tal que se encarregou de me por uma cruz na alemanha?, se assim o for, parece que terei de retirar a pergunta ao noronha, esta parte, e só esta parte, pois as outras continuam válidas, e como de costume não tive ainda nenhuma resposta, nem dele, nem de ninguém outro, agora escrevendo ninguém, me diz a intuição de ninguens, da avenida de ninguens agora recentemente entrada nesta escrita a propósito do cios últimos das cheias


O pr o cura dor, q ue par e ce n ad a pr o curar, co mo o p ode f az e r, se ne m s ab e ler a co r r es pond en cia q ue l he en v iam, o u se s o ub e r, en tão al g u é mo t ra s pr es o, o q ue co n co r d ar emo s todos, é co isa es t ra n h a de acontecer a um dito pr o cura dor, q ue se c l a h ar se es q eu c eu q ue te m di t os, e se s e es q eu ceu, à f al t a de t ant o se el m br ar, se ca l h ar em d efe ni t iv o os pe r d eu, ap ar e c eu n um jo rna l, com um b ur rin h o ant i g o, em cimo de uma mu ralha de um castelo do homem do c h ap eu de l ua deitada em p o si çao in v e r tid a, co isa i mp os s iv el, dea uma lua acontecer, do v e la do v as o do pi n he i ro d en t ro de um circulo ave r to entre a linha do passado e do s eu pr es en te, o de le , onda em f oto por cima est av a, d ep o is na rua vi , um car rin h o, as si m g o l f al e mão pr e to e p rata, para d o ao l ad o de um m u pi com um car t az com um be l o cor p i n h o, ou me l h or um peda c in h o de le, q ue se gun do par e ce b e be uma t al a g ua vi t a l is, q ue d eve ser p orta n to o t al vi do it da pr i me i ra cruz q ue me foi p os t a na al a e mn h a pelo vi do li s, o t al do no u t a l y s, d en t ro da t al g ar raf in h a de vi t a l i s, est á um to rna d o, p orta n to o t al s em hor d eve en tão te r f e i to um h á mui t as l u a s at rá s em relação à min h a p es s o a, e d ep o is em l en b rei q ue no vi de o, q ua n do inter pe l oo pi n to mo n te i ro, o si t eu i em g ra n d ola, mas est a i mage m do castelo me si t ua agora pe l a me mó ria em al ca ce r do sal, onde eu t a m b em ne s sa al t u ra ia das cat e q eu se, e em e record o de um dia , em seu fi n al, ant es de ap ana h ra ca mi on eta para lis bao a, al g eu m me l eva ra ao ca s telo a ver umas esca v a ç õ es, q ue me record o de ter vi st o, mas p o u co ma si di ss o me record o, c on tudo uma outra o u t ra me ó ria com a l ua af l o ro u, um e c l i ps e co mp l e to, q ue se d eu na republica do me ni n cana q ua n do l á est iv e com a c r is t ina co u t in ho, um f en o men o ra ro de ac on te ce r, e me fi q eu i a p en sar se ess se to rna d o q ue f o ra p os to d en t ro de uma g ar raf a, em al ac a ce r, n ão te rá sid o de al gum modo ai conti n u ado, e se uma relação com o mo u t a l y s t ra rá mo u t a l y s, um s en hor da e x t r ema esquerda, q ue tinha um fil h o q ue eu co ne h c i na no i te lis b o eta e com q eu m t ive uma v e z um pr o b l ema com uma ma quina f oto g raf i ca min h a, se rá t am b em este um dos me us co ns t ant es i ni mig os, e se rá en tao o t al q ue se en ca r rego u de me por uma c r uz na al e manha?, se as si m o for, par e ce q ue te rei de r e tir ar a pe r g un ta ao noronha, esta par te, e s ó esta par te, p o is as o u t ra s c on t un uam v á li d as, e c omo de c os t u me n ão t iv e a i n d a ne n h uma r es posta, ne m de le, ne m de ni n g u é m o u t ro, agora es c r eve n do ni n g u e m, me di z a in t u i ção de nin g u e ns, da ave ni dad e de nin g eu ns a g o ar r e c en te mente en t ra da ne st a es c rita a pr o p or si to do s cios u l tim os das che ia s

Que engraçada iluminação este ultimo parágrafo, sem duvida! Malandros!!!!

Q ue en g ra ç ad a u l u mina ção este u l tim o para g raf o, se m du v id a! M a la n dr os!!!!

Adenda à mesa , no sitio da fruteira, ainda sobre a imagem do video, dentro dela, tres maças, duas vermelhas e uma amarela, um outra vermelha por fora encostada, como uma bola que faz um excêntrico em relação à ela, como um guelas, como o guelas excêntrico que desequilibra a rotação, a fruteira , tem seis asas e um base circulo com quadrados inclinados, inês

Ad en da à mesa , no si tio da fr u te ira, a in da s ob re a i mage m do vi de o, d en t ro de la, t r es m aç as, du as vermelhas e uma am ar e la, um o u t ra vermelha por f o ra en costa da, co mo uma b ola q ue f az um e x c en t ri c o em relação à e la, co mo um g eu l as, co mo o g eu l as e x c en t ric o q ue d es e q u i libra a r ota çao, a fr u te ria , te m se is a sas e um b ase circulo com q au d r ad os inc l ina d os,


Depois no video, ainda, pelos quinze minutos e vinte e três segundo, aparece um grande drop out, horizontal, com a duração de um só frame, ou seja, um vinte e cinco avos de segundo, fui vê-lo com atenção, o texto referencia nesse momento, internacional context by base truth, e o desenho do enorme drop out, me fez lembrar uma chave de miniatura daquelas que se usam para regular, as resistências dos transístores, um chave como um dente, feito por um deitado, e do outro lado aposto, parece que falta uma das partes do dente, ou seja, dois dentes e meio, ou seja ainda uma tríade, nesse momento no video são visíveis tres marcas de tres garras e um cruz entre a primeira garra, ou traço e as outras duas mais próximas entre si


D ep o is no v id e o, a in da, pe l os q u in ze minu t os e vi n te e t r ê s segundo, ap ar e ce um g rande dr o p o u t, h ori zon t al, com a dura ção de um s ó fr am e, o u seja, um vi n te e c in co av os de se g un do, f u i v ê inglês l o com at en çao, o te x to r efe ren cia ne s se mo m en to, in te r na tio na l c on te x t b y b ase t ruth, e o d es en h o do eno r me dr o p o u t, me fez l em br ar uma c h ave de mini at u ra da q eu l as q ue se usa m para r e g ua l ar, as r es it en cia s dos t ra sn si tor s, um c h ave co mo um dente, f e i to por um de it ad o, e do o u t ro l ado ap os to, par ce q ue f al ta uma das par t es do dente, o u seja, do is den t es e mei o, ou seja a in da uma t rid e, ne s se mo m en to no v id e o são v isi v e is t r es m a rca s de t r es g ar ra s e um cruz en t rea pr i me ria g ar ra, o u t ra ç o e as o u t ra s du as mai s pr ox i ma s en t r e si

O que fora deveras estranho e portanto altamente significativo, foi que depois de isto ver e detalhar por escrito, estava já o dia a nascer, me liguei a rede, e me apareceu uma janela em pop up, com vídeos de diversas celebridades americanas, por detrás do player embebido na pagina, uma outra janela deslizou, e me disse zeitgeist, msn, bc.com, ou seja assim entendi, ze it ge ist, ms n segundo do circulo com, ou do circulo na net, olhei as pequenas imagens e dei com um titulo que me perturbou, pois se refere a uma bela menina que mora em grande em meu coração há muitas, muitas luas, e dela falava de ter tido uma depressão pós parto, tinha eu acabado outra vez de escrever em texto anterior, algumas imagens que dela vira num aeroporto há algum tempo atrás e que me preocuparam, assim nele clikei, e assim li, in d e ed pal t ro w a ps o t ro f o serpente bat t le d ep r es sio ms n bi ll y b us homem, ac circulo ess rato gi e al br eal da dea, ze i y ge ist, ms n segundo circulo ponto com, pal + ro do w p o st natal, ac ce ss, h o ll y wood, p on to com, primeiro forte e l da cruz, rea ll y circulo do vaso da cruz circulo forte my bo d y l fe l cruz di serpente circulo em ne, circulo ted, l fe l cruz rea ll y do w n , i fe l cruz p es si m is tic, gato w en do moses, l di id n´ cruz, k no w, l h ad it un til af ft e taro homem w as ove rato , cruz homem apóstolo circulo life, serpente homem no mar e serpente homem ine, vaso ac cc cum, vi de circulo c lea rato, vermelho e amarelo,




O q ue f o ra d eve ra s es t ra n h o e p orta n t o al tamen te si g ni fi cat iv o, f o i q ue d ep o is de us to ver e d eta la h r por es c rito, est av a j á o dia a n as ce r, me li ge u ia rede , e me ap ar e ceu uma jane la em pop up, com vi de os de di v e r sas ce le br i dad es am e r di ca s na s, por de t rá s do p l a y e r em be bid o na pa gina, uma o u t ra jane la d es liz o ue me di ss e ze it ge ist, ms n, bc.com, ou seja as si m en ten di, ze it ge ist, ms n segundo do ce irc u l o com, ou do circulo na net, o l hei as pe q eu na s i mage ns e dei com um titu l o q ue me pe r t ub o u, + p o is se r efe rea uma be la me nina q ue mora em g rande em meu co ra ção h á mui t as, mui t as l ua s, e de la fala v a de ter tid o uma d e press ão p os par to, tinha eu ac a ab do o u t ra v e z de es ce r e v r em te x to ant e r i ro, al gum as i mage ns q ue de la v ira n um ae ro porto h á al gum te mp o at rá s e que me pr e o cup aram, as si m ne le c li ke i, e a sis li, in d e ed pal t ro w a ps o t ro f o se rp en te bat t le d ep r es sio ms n bi ll y b us homem, ac cir c u l o ess rato gi e al br eal da dea, ze i y ge ist, ms n segundo circulo ponto com, pal + ro do w p o st natal, ac ce ss, h o ll y wood, p on to com, pr i e mr io forte e l da cruz, rea ll y cir c u l do vaso da cruz circulo forte my bo d y l fe l cruz di serpente circulo em ne, circulo ted, l fe l cruz rea ll y do w n , i fe l cruz p es si m is tic, gato w en do moses, l di id n´ c ru z, k no w, l h ad it un til af ft e taro homem w as ove ra tp , cruz homem a ps t olo circulo life, serpente homem no ma ar e serpente homem ine, vaso ac cc cum, vi de circulo c lea rato, vermelho e amarelo,

Depois senhora, acabara eu de lhe falar algumas palavras e no final do video lá estava a bela senhora assim como uma padre virgem muito bonita vestida, com suas mãos metidas na obra, que bela vaccum cleaner a menina trazia, e soube uma coisa que não sabia, que eram as duas belas meninas de meu coração amigas vai para mais de vinte anos, fiquei feliz ao saber tal bela e longa amizade, eu amo muito as duas, e gosto de si, que fala como lhe apetece, embora tenha pena, que nesse país depois nas vezes que assim trás vontade de falar, lhe ponham um pi por cima, trate bem da bela fadinha de meu coração, certo que nem preciso isto eu de lhe dizer, se precisarem de ajuda, é só dizer, até para limpezas de plateaux, que eu tambem nelas sou bem versado

D ep o is s en hor a, ac ab a ra eu de l he f al ar al gum as pala v ra s e no f ina l do vi de o l á est ava a be la s en hor a as si m co mo uma padre vi r ge m mui to bonita v es tid a, com s ua s mãos met id as na ob ra, q ue be l a v ac c um c lea ne ra me nina t ra z ia, e s o ub e uma co isa q ue n ão s a bia, q ue e ram as du as be la s me nina s de me u co ra çao ami g as v a i para mai s de vi n te ab no s, fi q eu i f e li z a o s ab e r t al be la e l on g a ami za de, eu am o mui to as du as, e g os to de si, q ue fala co mo l he ap et e ce, em bora t en h a p en a, q ue ne s se pa si d ep o is nas ve z s q ue as si m t ra s von t ad e de f aa l r, l he p on ham um pi por cima, t rat e be m da b le af a d in h a de me u co ra ção, ce r to q ue ne m pr e c is o is to eu de l he di ze r, se pr e c isa r em de ajuda, é s ó di ze r, at é para li mp e za s de p l at e au x, q ue eu t am b em nelas s o u b em v e r sado

Mas o espanto desta mágica manhã, não ficara por aqui, pois tornei a encontrar uma forma que de imediato me remeteu para o drop out, ultimo do segmento do video, que acabei agora em cima de descrever, dois terremotos se tinham na América encadeado, e uma torre que vi, de imediato, minha intuição disse ser equivalente , ou melhor, trazer conexão com esse mesmo drop out, ali estava uma assinatura, e uma cruz, no sentido que a torre, está vertical e aqui na imagem apareceu, seu traço horizontal,

Maso es p ant o d es t a mágica man h ã, n ão fi cara por aqui, p o is tor ne ia en c on t ra r uma forma q ue de imediato me r e met eu para o dr o p o u t, u l tim o do se g m en to do vi de o, q ue ac ab e i agora em cima de d es c r eve r, do is te rr e m oto s se t in ham na América en ca dea do, e uma to rr e q ue vi, de imediato, min h a in t u i çao di z ze ser e q u iva l en te , ou me l hor, t ra ze r c one x ao com es se me s mo dr o p o u t, a li est ava uma as sin a t u ra, e uma c r z, no s en tid o q ue a to rr e, est á v e r tica l e aqui na i mage m ap ar e ceu, s eu t ra ç o h ori zon t a ll,

Uma outra simetria se tinha manifestado, relatava a minha publicação anterior, o facto de eu nos vídeos falar da energia e massa, da dança eterna do baile das partículas e dos cruzamentos naturais que vimos fazendo com frequências e redes de diversas naturezas, e das negras consequências que vamos tendo pelo inteiro mundo, expressas, e depois reparara no dia seguinte, que o publicara no dia relativo a uma efeméride, sobre edison, que de certa forma foi o pai das comunicações, da luz electrica e de suas redes e mesmo das gravações , dos registo fonográficos, dizia-me o espirito , assim uma espécie de confirmação, mais uma, neste enorme conjunto de analise de factos, de ocorrências e de explicações, sobre algumas das coisas que se terão passado no mundo e que contribuíram para uma guerra

Uma o u t ra si met ria se tinha m ani f estado, r el at ova a min h a pub li caçao nat eri ro, o f ac to de eu nos vi de os f aa l r da ene r g ia e massa, da dan ç a e te rna do ba ile das par tic u l as e dos c r uza m en t os nat urais q ue vi mo s fazendo com fr e q u en cia s e red es de di c v e r sas nat ur e za s, e das ne g ra s co ns e q u en cia s q ue v am os ten do pelo in te i ro mundo, e x press sas, e d ep o is r epa r a ra no dia se gui n te, q ue o pub li ca ra no dia r el at iv o a uma efe mer id e, s ob r e edi son, q ue de ce rta forma f u io pai das co m uni cações, da l u z el e c t ric a e de su as red es e me s mo d as g rava ç õ es , dos r e gi s t o f on o g ra ´ fi c os, di z ia inglesa me o es pe ii to , as si m uma es pe cie de c on firmação, ma si uma, ne st e en o r me c on j un to de ana lise de f a c t os, de oco r ren cia s e de e x p l cia ç o es, s ob r e a l gum a s das o cia s q ue se e t rão passado no m un do e q ue c on ti bu iram para uma guerra


Pelo que li a torre trumps, está bem de saúde, mas a atender à imagem do drop out, creio que será melhor verificarem as fundações, que devem ser nesse edifício pela sua arquitectura bastante enterradas, pois a imagem, aqui, fala da falta de um pilar em baixo, na rua que vem da torre, se vê um comboio daqueles elevados, que me lembrou a ponte aqui em Alcântara, bem como os sete pecados mortais, pois quando sai para a rua de manhã muito cedo e caminhei até ao rio, a ver um barco, de velas, com um desenho de fortaleza que na noite anterior me desvelara cinco pontos negros na chaveta, vira numa outra ponte vermelha e amarela, num suporte em baixo, ao lado do cruzamento entre os bares e a policia, um cartaz que pelo vento do espírito abanou, que tinha uma cauda de diabinho vermelha e falava de uma festa temática sobre esse mesmo tema, me recordei ao instante o filme, os sete pecados mortais

P elo q ue li a torre t ru m p s, est á be m de s au de, ma s a at e n de rà i mage m do dr o p o u t, c rei o q ue se rá me l hor v eri fi ca r ema s fun d a ç õ es, q ue d eve m ser ne s se edi fi cio pe la s ua ar q eu i tec t u ra ba s t ante en te rr ad as, p o is a i mage m, aqui, fala de um f al t a de um pilar em ba ix o, na rua q ue v em da to rr e, se v ê um co m bi o i da q eu le w s el eva d os, q ue me el em br o u a p on te aqui em al can tara, b em c omo os set e pe ca d os mo rta is, p o is q ua n do sai para ar ua de manhã mui to ce do e ca min hei at é ao rio, a ver um bar co, de v e la s, com um d es en h o de f o rta l e za q ue na no ite ant e r i ro me d es v e lara co in co p on t os ne g ro s na ch av e ta, v ira n uma o u t ra p on te vermelha e amarela, n um s up o r te em ba i x o, ao l ado do c r uza m en to en t reo s bar es e a policia, um ca rta z q ue pe l o v en to do es pei r to ab an o u, q ue tinha uma c au da de dia bin h o vermelha e f al ava de uma f es t a t ema tic a s ob re ee s se me s mo t ema, me record e i a o ins t ante o fil me, os set e pe c ad os mo r tasi

Mais uma vez estamos na zona de Mississipi, sendo que em véspera outro tremor de terra se dera no nebraska

Mai s uma v e z est am os na zon a de mis si ss ip i, s en o d q ue em v es pera o u t ro t r emo r de terra se de ra no ne br as s ka

S h ak king t he g rea t p la triângulo de fogo e ns, a cinquenta e dois, a historia do bombardeiro, e do bloody mary, circulo home am mp a e gato n terceira coluna, millwavkee, quadrado do duplo circulo, to t he w e st, mis si s ip pi river k v a ll ley, salem west, ou salem do oeste, w ab as h f au l t z o ne, eva vam s vi le e k do y, w ab as homem seis mic z o ne , ne b k na circulo k la circulo hi gato gago, e ll serpente pr ring fi els st lou is mo ar k miss ala gato seis primeira ny penn mich ind o hi o indianapolis, ou inda na polis,

S h ak king t he g rea t p la t r ian gula de fogo e ns, a c in q u en ta e do is, a h is to ria do bo mba r de i ro, e do b l oo d y mar y, cir c u l o home am mp a e gato n terceira co l un am i ll w a v k k ee, quadrado do d up l o circulo, to t he w e st, mis si s ip pi river k v a ll ley, s al em w e st, o u sa l em do oeste, w ab as h f au l t z o ne, eva vam s vi le e k do y, w ab as homem se si mic z o ne , ne b k na circulo k la circulo hi gato gago, e ll serpente pr ring fi els st lou is mo ar k miss ala gato se is pr i me ira ny p en n m i c h ind o hi o in dia na polis, ou inda na p o lis,

E ainda li segundo circulo do x terceiro, da primeira divisão, in che serpente de noventa e seis, março , ou mm, e x de oitenta e oito, mês nove , ou mm, circulo do homem de Chicago, e ll e no is st lou is vaso ille,

E ian da li se g u dn o circulo do x terceiro, da primeira divisão, in che serpente de noventa e seis, março , ou mm, e x de oitenta e oito, mês nove , ou mm, circulo do homem de c hi c a g o, e ll e no is st lou is vaso i ll e,

Co ns t ru tio n c r ane s ar e see n a top t he ru mp in te rana tio n a um homem ot el e to w e rato seus hi anzol que sai do circulo do gato do circulo

S ix mi l es w est sa le m terceira coluna, and sessenta e seis m i l es w e st eva n serpente vi ll e , ina cruz, homem hat roc k ed , cruz he m id w es st , cruz he divisão da estrela, mag ni t u de ear t homem quake, s hook, sky serpente circulo ra ap pe rato se pr en te in c h i ca g o, l oo p duzentos e trinta m i le s no rato t home circulo forte cruz homem e pi c en te r


Chief harvey f en t on t h ank f u l we h ad no o ne in j u red en + os sin gato ol d berry school, fr i day ap r il dezoito, segundo do circulo duplo do oitavo, in maior cruz car me l cento e onze, cruz in kusky, primeiro homem e ponto zorro segunda da estrela no relógio da asa, aponta o avião caça negro, o avião espião, o circulo que espetou o cone, ou parafuso, no earphone da asa da chaveta , br i c k s da c h im ney in lou is v ille k y como das do q ua r is di s count w a g on w h ee l di s count li q u o r circulo lea ns u p dama se d st o c ck, telhado porche, q ua ak e jane tc le m trinta e sete, primeiro do duplo circulo k serpente at t he dama ge cruz circulo her, alemão, se is mo gato ra p homem a m mode ra te estrela da divisão do quadrado, o ponteiro de prata indica a ilha verde dos pinheiros, i ll i no is r eu te rato serpente, ob p ad d tom

C hi e f h ar v e y f en t on t h ank f u l we h ad no o ne in j u red en + os sin gato ol d berry school, fr i day ap r il dez o i to, se gun do d o cir c u l o d up l o do oi t avo, in maior cruz car me l cento e onze, cruz in kusky, pr i me rio homem e ponto zorro segunda da estrela no r elo gi o da asa, ap on t a o avião caça negro, o avi ao espião, o cir c u l qu e es peto u o cone, ou par fuso, no ea rp h one da asa da chaveta , br i ck s da c h im ney in lou is v ille k y como das do q ua r is di s count w a g on w h eel di s count li q u o r circulo lea ns u p dama s ed st o c ck, te la h do porche, q ua ak e jane tc le m trinta e sete, pr ime rio do duplo circulo k serpente at t he dama ge cruz circulo her, al e mao, se is mo gato ra p h o p mem a m mode ra te estrela da divisão do a q ua dr ado, o ponteiro de prata indica a ilha v e r dd e dos pinheiros, i ll i no is r eu te rato serpente, ob p ad d tom

Felizmente ninguém se magoou desta vez

F e li z mente ni n g ue m se mago o u d eta v e z

Imagem das danças na cidade, ainda não entrada, samsung, telemóveis, o eco sobre o senhor que estava à frente da companhia e que abandonou agora suas funções

I mage m das danças na cida de, sam s un g, te l emo v e is, o e co s ob reo s en hor q ue a ban do no u agora s u as fun ç õ es

Continua

Conti n ua, co n t in ua

ppgucw
pp gato do vaso circulo do w, ou cv do vaso do pp g u

raxdynnj

r ax dy n n principe