terça-feira, maio 06, 2008

no final da tarde na amurada, olhava o tejo, o ceu, o risco inclinado tipo percentil, sobre o sol, o bebé pequenino com sua mae no banco de pedra , levava o telemovel à boca e o deixou cair na pedra, prata com um filete azul, assim me pareceu ser, depois apareceram as andorinhas que muito gostam de voar no fim da tarde, deram loucas e rápidas voltas em torno da casa de goa, pareciam spitfires

comprei um ppão de mafra , paguei um e noventa e cinco, o primeiro de noventa e cinco , é o de mafra, o saco plastico está ao contrário, um circulo cinza com duas ondas por debaixo, a primeira azul, josinp, a.s.sã cac i fi n ap ed air ts ù dn i e o i c r emo c tres seis tres um, qaudrado do oitavo a um do segundo x af, ponto triade do bar ra segundo do sete do duplo circulo da triade do oitavo quadradodo ze ponto fe le t suacsac p on to edi v j a

n h f dk
v bf d w
e q u g w fa

a terceira personagem, a actriz , sentada em sua chaise longue, como seu trono, as enhora de branco com seu peito desnudado, segunda se pr n te bailarina primeira
é uma rainha, coroada em seus cabelos tratados, os seios desnudados, toda de um alva btancura , um fio negro se enrola em seu braço acima de seu cotovelo, como que marca o ponto do angulo ,
olha a arinha para quem a bailarina dança, a menina loira do pássaro, a menina cuja mãe +e uma outra rainha, uma peça negra
diz então ela em sei olhar que o o laço negro, o angulo do cotovelo do braço da formiga, ou do braço da tia da menina partiu
assim escuta dando o leite de seus seios, se is o, no trono onde stá, três sao os veus que parecem ser de uma boca de cena de um teatro, assem ela o escutou, um teatro antigo cor de cinza e pesado como o cimento, aos p+es do seu trono uma pá branca
y e i h do circulo da lua em crescente, triade do zorro da triade de dois trasços inclinados e uma varet acom ponto em linha vertical debaixo da triade, bo do semi circulo com bolas de defesa em suas pontas, como o guerreiro aquiles, em sua armadura, azul, um traingulo de agua dentro de um outro que é como uma ponta de lança comprida e em duplo facetada
isto se lê em refelxo por detras da actriz alma da segunda triade, escorreu o oiro para o chão
why o g ur
l y q v k y
r z q m i fr
y ra l j
lu q b w
antes ou depois, seria antes o Rei Gustavo na camara de lisboa, de novo o quadro da carta que caira da mao do senhor que a recebera ao lado, a seu lado como cenário de fundo, a seu lado esquerdo, fazia o Rei, um passe com uma das suas folhas no pulpito, uma metade de um a quatro, que punha debaixo das suas outras maiores, a seu lado o simbolo da camara na bandeira, com um corvo da barca de s. vicente assim meio inclinado, abanava o Rei a cabeça no final da sua alocuçao

curioso, um dos senhores da comitiva com um fato sem gola, como um que eu tinha, sempre gostei daqueles fatos, passava-se isto num outro lugar da visita Real Solar, o ceu estava azul, como nao poderia deixar de ser


s v z c y
pe j y rr sb

a bailarina , ou a segunda ase pr n te bailarina do is
a segunda personagem é uma bailarina de côr negra que dança com uma rede que em seu corpo desenha uma lua para o zenite virado, é como um corpo de girafa que se chama maria, e uma seta se desenha entre suas pernas, uma seta para a terra na lua ssim para cima deitada, ah amada, em ti assim me deitava
um M que é a aseta que parte de seu delta para o chao, ela a flecha , o veu e o arco, o arco, o colar da marca na primeira menina, como se possuindo o colar da primeira que mais nao o tem fizesse dele o arco
dança ela para um altar com veludo rosa tinto em suas paredes debruado a meio por um cordao fio doirado
as paredes são como duas metades de um hexagono que juntad de face desenham um três como o cabelo da menina loira, metade de um infinito deitado, uma outra menina de fra viu na bailarina ou sabe ela, uma foca
é uma bailarina com, em dois mil custava terzentos contos, por cima do meio infinito deitado, recostada
o candieiro parece ser seu vaso feito de areia de diferentes cores, como se vê nos tropicos ser feito
bd k o p ww
k zorro rato w l gato
dm l f j ue

um de set en t a e c inc o de p oto be ll o,
a menina do pássaro, no sete da estrela de portobello,
no set da estrela da tinta doirad do porto belo
belo com dois ll é nome, belo é o porto de minha infância, bello de monica bello, porto bello, é uma galeria de antiguidades na minha terra natal
por cima de tão belo letreiro, uma fiada de dentes de um zip e por cima de be, uma argola , antes do ultimo telhado, antes do ceu
antique gal l ery, ant do quadrado europeu gata onze ery formiga ti do quadrado europeu do onze eu y do gal latino americano do rato Y
setenat é tambem o ano, arcada de seis colunas com portico de fogo do olho de horus, o x no Y
a imagem nos canta
jovem loira de cabelos de lábios e asas de gaivota cpmo um três invertido ou uma bomp de maor, como vestal sacerdotiza com duas cobras , tem ela poisada em seu ombros um negro pássaro como uma rosa, o pássaro é da peça da rainha preta, está arainha em cimo de um set invertido , um zorro invertido, sobre uma quilha do barco maçonico do home que observa por um espelho
por detrás da menina, a tule branca alva e translucida com uma costura vertical como uma serpentina,
no ceu pescoço a marca de um apertado colar agora ausente, dele sob sobre seu pescoço uma vela arabe
i j tv q
g d w be
eco a conta gotas mil e trezentos e dois qualquer coisa, mexia, o ratinho das energias muito se mexia sentado esta tarde ao lado do Rei Gustavo, que até parecia incomodado, eu incomodado nem bem estou, só pela falta dos lábios de minha amada, se ela estivesse no final das pedras da calçada, como se dizia no jornal, não me mexeria numa cadeira, mas me mexia, sem se mexer, foi o sincronismo das minhas ultimas sugestões electricas, na ainda ausência dos ds lábios dela, e uma nova campanha que logo a seguir apareceu, com uns esquilos a andarem a roda, sem roda, como tres laminas, e umas tirbinas num mar redondo, mas mexia, não mexeu seu unico neurónio, pois não se trata de neocolonialismo, mais sim de giroscópios , sem trablho infnatil em forma de prisão a jovens esquilos

y rato vaso serpente do quadrado
p v j mu i m

o elfo da divisão portuguesa do ká azul e amarelo do brasil, curiosamente apareceu agora um elfo na televisao à hora de jantar, o bob geldof, ouvi eu no espirito , o preço é justo, e devolve-me as minhas cinco libras, we shall see in details, na imagem está o rapazinho do boné preto ebranco do passe de prestigidação, já abordado em texto anterior, ligado ao norte , ao boavista
db ce i j
uc w n ct y
alvalade s eta r ee book k set, p l a z

a vareta da forca do nono da gasolina, circulo de noventa, o alvo que reapareceu agora na imagem recente do antónio costa em seu gabinete, com o rato pendurado nas costas da sua cadeira

o hoem entre as duas aspas, a vareta do mic que roda a roda da vida, a gasolina, o angulo em noventa e nove



o home da dupla cabeça do leão





a v ar eta da fo rca do nono da g a sol in a, gal p



b l kapa vaso do x serpente zorro

vo y quadrado do rato do duplo w a p

xu xx bi e

a zc mr x



frames do video de londres, continuaçao, alvalade, gravaçao do clip da selecção, al ava ala ad e

a unha do p é o duplo circulo do K do castelo branco invertido cinco ameias, cobra ao ombro am mr e la quadrado europeu desce sobre o pulso com um gancho à mão

o rato da cristina coutinho do bo da kapa, ao lado o forte branco invertido, uma cassete de audio , uma gravaçao da hertz, ou seja aluguer de carros para impróprio fim, o livro do cá set cardinal p , primeira coluna az bo vareta bi circulo rosa , o segundo do circulo rosa, tó sa

sporting, o leao, carimbos mandala e laminas com o cash mer , o dinheiro do mar, o tráfico de caxemira os incidentes no oriente, com dois leões em seu peito do comboio azul vermelho da mesma criação do segundo comboio azul vermelho do cowboi cozinheiro das torres londrinas, marcas na terra, explosões, matthew cook, mat t he w cok, mateus, c irc u lo K , may , mateus o galo do mateus, das caraibas van gogh, dinamite auto carro, cruzamento em aviões, a na da luz no antonio, cook torres de londres, cook dos prisioneiros, o que cozinha os prisioneiros

na acção da sequencia do video, o home de laranja vestido, avança, quando de longe percebe que está a ser filmado, um dos que estao na linha do campo, faz rodar a bola que na linha anda, quase saindo, depois com o seu péde novo a apanha e se junta ao grupo inicial

homem y a homem diplo principe jj

zorro rr dia l
fim de tarde, foi dar de comer aos gatos, no jardim uma mãe com um jovem bebe, que muito sorria a meu passar, no ceu por cima do sol, um imnso risco feito pelas nuvens, como uma varte ligeiramente inclinada que vinha subondo da outra margem

no caminho, no sitio do toque no ombro, dois fosfors no chao, em angulo dispostos, mais a cima ao lado da mercearia dos estranhos trocos de antanho portas meias com a igreja do bom sucesso e triunfo olhando os carros parados meus pés deram cada um pontape em duas pedras da calçada que alguem ali estratégivsammnete pusera, os chtei pra o circulo da ravore, li no espirito do lugar, o ab de setenta e cinco da js, do rapaz da js em setenta e cinco, um senhor num carro doirado, que devia ser observador da un, arrancou

no caminho, no si tio do to q ue no om br circulo, do is f os for serpente no chão, t roco serpente any de ny antanho, em duas pedras da calçada, es t ra t´r gata iv sem m nete p use ra os ch tei, p ra o ra vo re li no es pi rito do lu g ar o ab de set en ta e cinco da js
v y pie pi gato n vaso

w l dp x g
mais ou menos , calculo eu, seria pela hora em que a camioneta da gravilha se enfiara na outra que trasnportava as crianças, sendo que é urgente, primeiro, que os transportes escolares, sejam identificados em cor inequivoca, tipo como as camionetas na america, assim toda a gente sabe que lá vem crianças, me dirão coisa e tal, muito menos tal, que as bestas dos governantes, que nada sabem planificar, nunca tal se lembraram, nem podiam exigir, pois nao existe uma rede de transportes escolares, com carrinhas e motoristas formados para o efeito, e que assim se vao subcontrantado, empresas várias para o fazer à mediad da estupidez do que nao se planifica, se assim é, que quem preste serviço traga sempre uma camioneta com essa cor, por outro lado, me pergunto e vos pergunto, se já fizeram a lei de que falámos há se calhar mais de um ano, da obrigatoriedade dos cintos de seguranças, nas camionetas e nas de transportes de crianças, suas bestas!

cam ion t a da g rave da ilha, se en fia ra e r ra sn p orta ava as crianças, ca mi on t as na ama erica, neta serpente, sa ben, b en p l ani fi car,ele em bar ram n emi pod d iam e xis gi rato maior, e x s te eco co lar es portes, para o circulo efe i to ess e car de cor ma isa de primeiro ano, com eo neta serpentes e n as da tv ra sn portes de ciranças, ou seja de todas as mortas

um pouco antes pela tarde, em cima, no ponto onde o passeio da rua do borja desaparece, por causa do muro e da estupidez, um smart branco e preto com dois adloscentes a namorar, com desenhos no pó que lhe cobria, um deles era uma espiral,

do is as l os c en te serpente a no mao ra com

vinha eu subindo a rua do capitão pala um pouco antes de chegra à escola das crinças, a cento e sessenta e nove da misiricordia, acho que é este seu numero de policia mas agora nao trago certeza, quando na parte que estreita com as grades e depois existe um murete, um cão, ou melhor dois me chamaram de imediato à atençao, o verdadeiro, de pernas mais curtas, que é daquelas raças perigosas ou assim parece, pois uma vez a mim se lançou ao antónio no jardim do império, vinha com uma corrente curta de metal que arrastava pelo chão, ao lado o seu dono, esse tal rapaz que mora para ali na cova da moura, esta aqui, o tal de uma noite e de uma história de uma cerveja, o rapaz ao passar por mim, pediu-me um cigarro, em forma estranha, como que me deu um murro no braço direito, nem parei, nem lhe respondi, continuei meu caminho, depois em casa liguei a televisao, e lá estava a noticia do acidente no telejornal das oito, depois as imagens, lá estava ela tombada, como se tivesse levado uma pancada lateral, como o rapaz me acabara de fazer

vinha europeia s ub bin do a rua do capitão pala, ou seja o grego, che g ra a es cola da c rin ç as , a c en to do sessenta e nove da misiricordia, p oli ca cia, e es t rei ta, e x is te muret e um cao, c h ama ram de imediato à a ten ç elevado sao, o verdadeiro de pe rna s maior is curtas que uma vez se lançou a ana toni o do jardim do império, cinema, e ts ranha , ne m l he r es pod dn ni conti m eu caminho, li gato eu ia a televisao, no tic a cia do acido dente no te le jo rnba primeiro das oito, l á est av e la tombada, ra p az me ac bara de f a ze rato

hoje, mais uma vez se espantaram os olhos, na estupidez e cegueira, pois colocaram um sinal de aviso de escola, na rua do borja, mesmo excatamente entre duas arvores, se o pusessem antes, se veria, assim já pouco se vê, e quanto masi elas crescerem, menos se verá, se é que assim se vê, quem venha de carro, a descer, pais sem lei nem rei nem roque

h o je mais si , p o is c olo coa ram um sin al de avi is o de es cola na rua do bo r j a , me sm o e x cata e mn te en t re du as ra vo raro es, mais si e la s se vera rá, a vera , deverá ser a tala da advogada da honra dos ladroes de crianças

q v kiro w u

be w ft pa
o w mr i
nausea é esta bela terra cheia de tretas, aqui desvelei em dia recente matéria relativa à maddie, e como resposta, sem resposta o senhor alipio meu ex vizinho que eu encontrava na sereia ao pé da gulbenkiam, sai de suas funções, mas sobre o miolo das coisas, que é onde está a importancia delas, nada, rigoroso zero, continauis a preferir viver assim na alucinaçao das coisas

e x vi z in h o q ue ue en c on t rava na sereia ao pé do libano, sa id e de s ua s d un c o es m as sob rei mi o l o das co isa, q ue é onda est á e mo orta otan cia de la s n ada rigo roso z ero conti na vaso is a pr efe rato e rato viver as se mna a lu c ina sao das co i sas

eu continuo sem a minima resposta a qualquer dos assuntos, que vou invocando, pelo menos em voz humana, para que claro vos fique

yygenea, yy e ene ne a

h m v a x m w p
x a g f h ro p
ecos curtos e estranhos, depois de publicar a carta mais ou menos antiga à bruni, logo vi na televisao, um anuncio, que era dela sem o ser, pois o belo delta passava numa estrada com belas arvores, ao fundo, em primeiro plano, um cemitério, onde enterravam uma inteira limosine branca, a voz paarcia ser a da bruni, a falar outra vez , que o seu amor lhe tinha dado dois bang bangs, mas ela não aparecia, ora sendo a limo branca, nao será aquela que a madona anda empurrando que é preta, e nem sei como a rapariga trás nela força para aquele fazer, mas uma branca está no video de londres, tem como sua matricula, o primeiro do sesenta e nove, mas nao deverá ser daquele que eu estou a muito desejar, para grande pena minha, snif, snif

r tif w
k lc cd y se terceir

c j uu v u
g a ab g
de qualquer forma mesmo com ou sem nausea, mais dez mil mortos em vossas e nossas mãos é um pouco, grande demais para estar calado , e vi agora que ao que parece já a contagem se eleva para vinte e dois mil almas

se circulo um po oco demi para est serpente ra calado

assim vi

um ressonacia entre o texto gnostico, ou seja do pseudo grupo da gnose no nome do furacão

um raro ess son an ac cio primeira en t rei texto gnos tico, seja do ps eu do g rup circulo gnose no no me fura cão

nag gi, y an seis gato on m Y an mar, mu do ano do mar

libertem a senhora que está como eu a mais anos presa em sua casa, que Deus não gosta de ninguém preso!!!!

austriaco, em nosso jesus na republica dominicana

bolivia, autonomia, vermelho, amarelo verde inflamavel, o militar boliviano

mili t ra boli iv viana ana circulo

casa assombrada, as andorinhas me mostraram a janela da ventania no sotão, às aguas furtadas com os vidros quebrados e um velho pedaço de umc cortina ao vento, me recordei da casa assombrada ao lado do pestalozzi, hoje recuperada, donde esqueletos no armário, o home da cas assombrada, ou das assombrações

jane la da v en t ani a no sotao, aa s das aguas furtadas, roubadas, um velho pda peda c o de um c cortina, alemao, ao v en to nme recorde e da cas

depois vi na primeira imagem do furação, ums estrutura de seis quadrados ao alto em duas filas lado a lado, atravessada em diaganoal, primeiro da direta de cima e ulimo da terceira fila de baizo da esquerda, passado tambem a vareta pelo do meio da coluna direita, esta vareta é quarenta e cinco graus da divisão do angulo do canto superior direito que enquadra o conjunto dos rectangulos e da qual sai a varte aque os atravessa, ao lado dois vuimetros, , vermleho lado esquerdo, azul, o do lado direto, a equalizaçao do etsrela do north

est r uu r ra do sis tutra se is, di r eta de c ima e vaso primeiro ino da terceira f ila de vba e zo da esquerda passado, t am b em a varte, varta, vaso arte eta, é q ua ren ta , can to super rio rato di rei to q ue anqua dr a circulo conjunto, vaso e r m le e h circulo primeiro ad circulo esquerdo azul, aqua liza são d o e ts rato e la st ar

falara eu das escutas que o espirito me dissera, terem de novo posto aqui em minha casa, assim me deu para olhar para o equalizador, que aqui ao lado da secretária em cima da pilha das aparelhagens, pois tem ele dois vuimetroa, nele assim li

fala eu das escutas q ue circulo es pi rio cruz , da secreta ria da em c ima da p ilha das ap arpar rato re primeiro homem a g e ns si u ra, miura miora ra p o is r em el e do is vu e met ro a ne le as sim li

lá mora um dvd que encontrei aqui na rua com o nome, o motel, que não consegui ler, pois está danificado, cheio de risquinhos, como um onda de frequencia, s on y, ny, dv d rato cento e vinte min bar ra quadrado do p on to sete gb, ac cc cu core vesica dv d, vers dois p on to s um bar ra um x cruz do forte ingles do primeiro do seis x son y corporation, corp rp po ra tio n da raçao, seis tres dois cinco-quatrocentos e tres, ref, onze de oitenat e um, setembro, mais uma referncia ao miguel dos ref

la mora dv ad quadrado do vaso en con cruz rei, dani fi cad o che io de risquinhos, coca, c omo um onda frequencia, fr e q ue en cia son y on y ny, gato gb e ac cristina coutinho core vaso e sic a dv, vaso e rato serpemte do bar do ra do primeiro x em gb, refe efe rn cia ao mih ue k dos ref

a mesa de mistura é da mesma marca da que o miguel comprara em londres, uma spi rito f o ll io li , te, um xl rato negro e prata encaixa no terceiro mic da coluna de cima, de um conjunto de quatro entradas, qautro triades rai, o dvd do motel, em seis centro apanha os botoes, amarelo e azul do bal au x do motel, o que no motel terá acontecido, provavelmente o da costa verde, entre coluna um e coluna quatro, e depois, sobre a quinta, a estrela, uma chave de parafusos, com cabo em madeira, vermelho e madeira, ao lado mais a direita, os headphones, sony dii gi t al reference dyna mic st e reo head ph on es mdr cd primeiro do circulo sete, mix o/p, dois rcas entram em adpatadores jack

a mesa da m is tura é da me sm a maraca, mar ac a, da que o miguel em londres comprara, primeira spi , s pi do tito do f circulo onze e circulo li, primeiro xl rato negro e prata au x m ot el te rá ac on tecido, pr ova ave el me mn te circulo da costa, edp dp o is sobre quinta a estrela, c h ave para fusos com cabo de Madeira, reference rato efe ren ce da duna mic st e reo da cabeça do ph on es madior dia do rato cd do circulo sete, ad pat pata ad o r es jack, principe ac ck, k

ouvi em no espirito, o rei caiu do cavalo cruz no rá alemao lg branco bmw, inimigos, do grupo da peça de almada com a musica dos xutos e pontapés, com o zé walenstein,

a serpente po up , igula rata da cruz ue, a serpente é a barbara ou o rui da produtora,

e depois continuam as minhas notas com outras notas e depois tenho mais um apontamento sobre o furacão, que assim diz,

começa a sequencia depois de uma complexa leitura na rua,tua,

depois vira de novo o ultimo video,

santa catarina, lauro e muller, pi m do p um do angulo,

a gaivota , me aparecera outra vez na lombad do livreo expressa, e em dia recente na tarde descendo ali ao pé da escola, uma andorinha me mostrara o mesmo desenho debaixo das telhas, na parte de aluminio do forro, que assim se encontrava dobrada, ao aldo das tasia aguas furtadas, abandonadas, com a janela quebrada, o local das assombraçoes, outra vez a gaivota em mayanmar,

rosa do mundo, rosa dos ventos, presente do herminio , qautro pancadas, faz minha mão no livro, biblia dos veros e da palavra , rota, rato ota, o trovão mente perfeita gnóstica,

na mina cais o la, na minha camisola, se vê um z em cima, que me remeteu de imediato para o z no con t n t o r, contentor, branco no porto de lisboa, à frente dos gomos de laranja dos salva vidas do barco que lá estava, e debaixo, um y deitado, o passaro do z, que se reflectira, o galo marcou sobre o mar vermelho , circulo sg azule branco filete prta suporte reis, o livro repete o mesmo simbolo, a gaivota de asas abertas,

depois o o passaro deitado, se transforma em arpão arado com osi dentes, imagem da ar, tapeçaria, o duplo, a rp ã pop, arpão, no egipto, , o isqueiro no mar morto, nag h am ad di, do quadrado dentro do olho, o sg se deitado, a circulo a , as quatro notas do bico sobre o manto de sangue, orion, venus, capricornio, touro e tc, o dos livros escolares, circulo texto, é o primeiro degrau

oraculo , furacão, maschen

a cruz do angulo da esqeuina , as duas asas vermelhas da M da maria , a cabeça do can to, o home de mel da suméria, circulo alface, A beira mar, clube, ou à beira rio, alface lisboa, o botão, bal, bai inama, k e liana, poly ana, kulundri, cu lum li, praça maior, emara rid madris, sa gid a mircea eliade, arrabida, punt egipto

e depois mudava o assunto, sem na realidade o mudar

for K ka de maiorca, rato seth do cavaleior da calla, ka rato ingles mat segundo en bach e raio e filipe gay do dão, c olo ra da heather da sex circulo lup

que belas assinhas , bela menina kate hudson

onda gigante na coreia do sul, bo r y e cir culo ong, a du zen t os q u ilo met ros de se ul

p en sa cola florida marcou o telefone, com o pé e safou-se da prensa onde com seus braços ficara preso

o private tours do pe do cais novak, pequena chaveta

a parte masi fraca no divorcio, são sempre as crianças antes de mais

na rotunda dos golfinhos, um jaguar conduzido por uma senhora que vinha apressada, fez descarrilar um metro de superficie, que trazia um interruptor desenhado, uma vareta que atravesssa a veica , parat com filete doirada, que ficou com uma asa dobrada em sua ponta, mato sin homem os do hospital pedro hispano, h is spa ano

be rato sh shire hat h way

la putta, o furacão entrou por la putta e rato rá w a dd dy da delta de k y a e k la cruz, passou ao lado a assinalar o porblema, depois y an gato on sat ur day doze duplo circulo gato maior curz gmt, ay py id a w mu ano ard mar, sun day circulo quadrado duplo circuklo, dmt

te k naf at bengladesch

quatrocentos e quatro serpente do ponto sapo.pt

depois uma acidente em azeitão com uma crrinah ecolar, na realidade envolve tres viaturas,

dep o sis uma acide dente em a xe it sao com uma c rato rina homem eco co l ae na real id dad e en vo primeiro vaso e t r es via das turas do iat ur as, morreum uma menina de doze anos, do s peter scholl

reitoria lampada de halogeneo, pegou fogo ao edificio, assim pressepunha quem falava, livrios antigos, a lampada de a h l o g ene o, Halo g en e o, no banco de dois de g rua, degraus s com rodas ligadas a história do cancro na menia da body shop, porto

a escudo azul e douro da pj , ponto no alvo, o alvo que o costa mostrava, o quadro da carta das invasões, os dirigentes dos clubes de futebol, a queda da ponta, ponte, nos states

luisa todi, a lu isa do to da di de set vaso do bal, pr e r ep ps sol, carlos oliveira cos, palmela, a rapariga com quem eu ficra a falar em tarde recente lá trabalha, brita na camioneta, brita na rua na bomba omag, cinquenta e oito, trinta e um , da aramada, circulo do vaso, a garra de tres dedos como no joelho do pai, ali etsva no autocarro, um compazzo, um angulo, que atravessa um circulo, o cm compasso deitado, é a gara ao jelho do pai que leva o mnino aos ombros

depois estava eu a escrever a bela princeza madalena, em verdade acabara de a encontrar no jardim e pelo amor e pela beleza lá vira um história muito comprida, que me remeteu para tempos passado, e calas e cartas de condução pra computadores, eue me recordo da primeira q vez que ouvi tal expressao, numa terra distante estava, até alucinei, mas querem ensinar as pessoas a conduzir por pc, fora a primeira pergunta que me surgira, e passam cartas pelos pcs e por ai fora em leve alucinar, face aquela alucinaçao, em verdade já começara antes a escrever a seus belos pais que pela cidade cá andam, em mais verdade ainda, começara tudo isto quando ouvira um avião que vinha a aterrar com um barulho tao estranho e alto que no primeiro instante pensei, ui, ui, que aquele vem com problemas no motor, depois passou o primerio f dezaseis, depois o segundo e depois provavelmente o avião de seus pais, e eu lá percebi que não havia problema, pois é esse o ,com, som normal dos f dezaseis, me perguntava naquele preciso momento o es pe rito, espirito, uma historia , sobre um porquê dos lobos, e eu acabara de ver dois, e ouvia minha amada a dizer-me, já me dump uma vez, e coisa e tal mais ou menos assim, sabes minha amada, às vezes me preocupas, e me enervas assim um bocadinho, devias che g ra, chegar, e depois vias que em vez de dump, deito-te em beijos de leito sem fim, mas tu lá sabes como sempre o que fazes, mas dizer-me assim, nao muito me alegras, mas enfim, sem fim, são um bocadinho mais longas as cartas e ficaram para outra nupcias, sabendo que sabes que aquela bem que eu queria, era de outro genero, beijos em vez de palavras, e nao precisava de te ensinar histórias para contares a tua mãe em nossos belos e doces atrasos, se atrazos se pudessem chamar, c h mr ar, que me parece mais de sempre de acerto, belo acerto acertado

ao pouco vi mais uma imagem do acidente, o vo l vo tp da varta que atravessou oo rectangulo fm doze de cinquente e oito do forte ingles do trinta e um, que deve ser marinheiro ou da armada, circulo do vaso, visabeira, ou vaso da isa da beira, caiu em cima do vaso da isa beira , da qual saiu
uma lança branca que se deve ter enfiado no condutor da cam ion tea, camioneta, que levava gravilha, ou seja do gata do rave do vaso da ilha, a gravilha, ressuou tambem na visao recente da montanha e do angulo da sombra na bomba omag, ou seja no pai que trás um pé no sas asfalto e outro na gravilha, depois duas unhas erma visiveis, uma com tres circulos, dois vermelhos com um verde de permeio e uma unha laranja de noventa e tres

que coisa e v ts r anha, estranha, amada, ouvi-te agora dizer, vamos dormir uma sestinha, sempre te respondo que sim, muitas, mas onde estás?

hoje a menina da paparoka , estava com seu ombro à mostra, nele era visivel um golfinho

xb n it


a oz cd vs

s oz cd v s
c w v uk

vaso x ax d ak

j y fr x s vc
nausea era um dos titulos de um jornal de hoje de manhã, sem duvida que assim me sinto em nausea um pouco permanente desde há uns dias para cá, uma nausea assim tipo existencial, a lua que chegue a ver se isto passa, que vontade de vos dizer o que quer que seja , é de momento igual a less than zero, menos infinito negativo

mau do sea e ea um do dod titu as se me sin da cruz y o em n au sea vaso mp oco per m en te primeiro ess t h an z ero

cheguei agora da rua em volta curta, pois nem vonatde de nada trago em mim

che ge vaso vareta agora da rua em valta do cu rta po is ne m von an at de de n ada t rago em mim

quando sai chegava um belo avião, estranho, tarzia um leme de direcção em baixo, parecia um tubarão de pernas para o ar, mas era bastante silencioso, deve ser um modelo do mais novos

t ar z ia primeiro leme, t ub ra arão do pe do rna serpente para circulo ar e ra bas t ante si len cio serpente circulo dia eve um dos modelos com mais ovos

quando sai da paparoka pronta a comer, duas gaivotas apareceram no ceu, fizeram assim um cruzamento como a dizerem-me que me iam mostrar um x, já antes num carro, um papel falava das velas e das regras de navegar

papa roca do ro Ka pr on ta a co mer, do as das gaivotas, me iam, fav, la ava, o papa da papa da roca

as pombas e os papagaios logo destaram a fugir por todos os lados, pois vinham elas baixo, o papagaio, se pôs entre os ramos de uma arvore, no final, entrou no ninho que existe na cabeça da palmeira da rainha do tejo, em esvoaçar discreto, um senhor sentado no jardim, trazia um rádio dentro de um saco preto do qual saia a sua antena, tocava aquela musica da marisa com o outro belo rapaz, passei por ele em dois versos se fosse

pap a e vareta gato da se p os en t reo serpente ramos de uma rav ra avo or e no fi n al en t rou vaso no ninho d, que e xis te ca beça da palmeira da rainha do tejo

da amurada, passaram de novo as gaivotas voando largo e longe, primeiro até quase a ponte, eu pensava, estes belos passaros, se deslocam rápido, meia duzia de braçadas e já lá estão ali ao longe, que belo deve ser assim andar pelos ceus

ap s seros se d es primeria oca cam rá pido , principe acento primeiro a primeira á es tao, ana ad ar ps belo

depois voaram em linha mostrando o rectangulo da caixa que é a antrada do comboio por debaixo da ponte, meu coraçao se começou a inquietar ao que percebi que me iam dizendo, o tunel do comboio, remete para metro

ant rada do cm bi circulo por da ponte, ponta, in q vaso ie t ra ao q ue per cebi q ue me iam di zen do circulo t une nel do comboio

depois mostraram-me em seu voo mais ao menos a ela paralela, um pedaço da antena arpão, que da amurada se encontra mais porxima, e que do ponto onde estava, se fez assim escada de descer de um barco, de um navio grande, um paquete, ou seja , a seta nas escadas do metro

vaso duplo circulo maia ao me no s a e la para rale la , primeira peda c o da ant en primeiro arpão, por c ima , se fez as si escada , a s eta nas esca d as ds do metro

passaram pela igreja do alto de santo amaro, me lembrei da monica, ou seja, me estavam elas contando de alguem que trazia tambem implicaçao na monica, e me recordei no instante de uma tarde em casa do pombo, ver um home que rolara nesse mesmo telhado as que felizmente nao se estatelara no chão

al gume q vaso e r ra z ia t am b em e mp li cação da monica, um home q ue rola ra ness e me smo te primeiro homem ao d , es tate tela te lara ni chão

depois me mostraram uma nova urbanizaçao de predis claros que trás umas turbinas de prata em todas as suas chamines, uma primeira mais à frente do rio e um outro bloco mais a trás, portanto será ali o local da residencia do dito cujo

pr e di serpente claros, sao os montes, uma s turbina de r rta em todas as uas c h ami n es, ma isa a fr ente do rio, e um b primeiro coco ma is a t rá serpente p orta ent circulo se rá sas

depois na relva poisaram duas pequenas borboletas em tons castanhos, um passaro poisou numa arcada de metal , os arcos, e pulando , me disse ser então do arco da direita, egipicio, assim vi ao momento as flores, da imagem num freco do encvontro entre os dois presidentes, depois passou um algodao pelo ar, uma representaçao simbolica da alama, como as borboletas, e foi contra uma ravore grossa, ou sej, alguem que se foi num acidente de carro contra uma , lembrei-me do menino das telenovelas, mas a muitos mais acontecesse

e gi ip pi cio as si maior vi ao mo m en to da sflores, da mage n um fr eco do en circulo von t ro entre dois presidentes, ra avo rato da lola, ou sej, le lebre do rei da forte da imglesa me do menino das tele en no das b velas s se

depois uma pomba me mostrou de novo o que já outra me mostrara, as duas colunas das chasma no alto do balcao da igreja, o o tal santo borromeu, depois casa da comida goa, ou seja da raçao em goa, ou do oriente, um homem com blusao vermelho passou, seu forro, azul às riscas

cha sm a no alto do bal do cao da igreja, cuplo circulo t al santo bor romeu, d ep o is da ds de goa, primeiro home do verme le ho passo vaso s eu forro azul às r iscas, figado, pelicano

na rua há já alguns dias um carro lg de prata que é do mesmo modelo do que tinha o pai do luis, o tal do episódio do estranho acidente uma noite os meninos, por debaixo do radio cb antigo, um tijolo de cortiça, como a suportá-lo, ou seja de uma comunicaçao antiga, remete aquilo, o acindete incluisive para la

ma ar rua , primeiro gata de p rata, tinha sciruclo pai do luís, e ps si o dia, ra di o cb ant e g circulo tijolo de cortiça, amaorim, cc inde te , inc lui primeiro onze, clu is iv vaso e do para de LA, o do pi


p ww s u o Y

zn te maior

cc s l f da w