domingo, maio 25, 2008

Novas informações sobre o tremor de terra na china e outras desgraças com ele relacionadas

No das muitas ovas infor mações es ap pn h is s ob reo t r emo r de te rr ana c h ina do traço de nante

Primeiro, o senhor que anda de camuflado com óculos escuros e ar de gato ronronante de rabinho empinado a passar revista às tropas , sabe porventura que o estado português tem aviões cento e trintas e tendas militares e que elas fazem muita falta na china, então que espera, para as enviar?

Prim e rio, o s en hor q ue anda de cam u fla doc com o cu l os es curo sea do ar do gato ron ro nante de ra bin h o e mp pi ina do a passa r r e v ista às t r op as , s ab e por v en tura q ue estado por tu gi es te mc c en to e t rin t as e t en d as mili t ar es e q ue el as f az em mui ta f al ta na c h ina, en tao q ue es pera, para as en vi ar f o ice do ar

E não me venha com a tal da operação logística dos festejos nas ilhas, que este tipo de desgraça é sempre prioritário

En ão me v en h a com a t al da o pera sao l o gi s toca dos f es tejo s nas ilha s, q ue este t ip o de d es graça é se mp r ep rio r t á rio

Não lê o senhor as noticias, quantas vezes em dia distintos, á já mais de uma semana, a informação relativa à sua necessidade, se podemos ajudar, o que esperamos para o fazer, que caia da tripeça, o senhor, por falta de dar uso ao neurónio, que eventualmente trás, no olhar e não trabalha no mesmo governo do ministério dos negócios estrangeiros

N cão leo s en hor as no tic ia s, q u antas v e ze s em dia di s tinto sá j á mai s de uma se mana, a info maçao r e l at iva à s ua ne ce s sida de, se p o demo sa ajuda ro q eu es pe ramos para o f az e r, q ue c aia da t rip eça, o s en hor, por f ala t r de d ar us o ao ne ur ó ni o, q ue eve en t ua l e mn te t rá rn no olhar e n ão t ra ab alha no me sm o g ove r no do mini s té rio do sn e g cio s es t ra n geiro s

Millions, mi ll e circulo ns le do ft homem, o homem ss dos muito choros homem oto serpente da vareta do harry porter, rosa preto e azul da gaivota branca inclinada com uma set que lhe foi à asa direita a partir de um canhão tipo cruz tuberculose, um duplo t deitado , dois caminhos de ferro, sendo um de via mais estreita que lhe fez a perpendicular, que deve tambem remeter para ao acidente do comboio aqui em portugal que agora se evoca, por similitude do calendário, ah filhos da puta, que morram todos, assassinos!

Millions, mi ll e circulo ns le do ft homem, o homem ss dos muito choros homem oto serpente da vareta do harry porter, rosa preto e az e l da gaivota br anca inc lina ada com uma set q ue l he foi à sas di rei t aa par tir de um can h ao t in h o cruz t uber cu l o se, um duplo t deitado , do si cam in h s ode do ferro, s en do um de via mais est r e tita q ue l he fez a pe r e pen di cu ala r, q ue d eve t am b em r e met e rp para ao c i dente do com boi o aqui em por tu gal q ue agora se evo ca, por si mili t u de do ca l en d á rio, a h fil h s o da puta, q ue mor ram todos, as ss as sin os!


Ss eve en ts da vareta inglesa dez, segundo do sexto circulo do onze, do x, xa, primeiro do duplo vaso do cento e quinze, ou seja, médico e que remete tambem para a tábua de calculo em relaçao à assinatura em Alcântara que remete tambem para a china, visto numa das fotografias ter lá aparecido, um pedaço de estrutura semelhante e tambem semelhante com a mesinha que aqui tenho, dois pés de três, dois pés de um tripé, ou seja dois pés maçónicos que suportam o tampo, vermelho da flor vermelha, oitavo ad terceiro do segundo do primeiro da estrela de sessenta e nove da bb de noventa ao oitenta e um underscore, china underscore e art quake, x a w cento e quinze, vi sua liza dor de mage e ts do foret do ax, citroen, e provavelmente tambem a ver com o acidente que eu com ele tive e com a manha para me incriminar sobre um qualquer atropelamento, homem do tó, assim me desvela, a escrita ao escrever, e forte do w indo do sudoeste do principe kapa do ponto do ro do duplo vaso do primeiro ingles au thor o f , o homem de harry porter segundo ook, segundo anzol do duplo circulo da kapa, da serie da se da ase da rie espanhol do si ts em alemã carro em ne w york april oito, segundo do duplo circulo do oitavo, joshua lot cruz raro eu teresa raro serpente, que deve ligar com o vento do menino que foi morto no carro com seus pais, quando o avião saiu da pista na América, que assim se chamava, e que muito na altura me afligiu por seu nome simbólico,


Ss eve en ts da vareta inglesa dez, segundo do sexto circulo do onze, do x, xa, primeiro do duplo vaso do c en to e q u in ze, ou seja, médico e que r e met e t a m b em para a t ab ua de ca l culo em relaçao à as sin at u ra em al can tara que remete t am b em para a china, vi s to numa das f oto g raf ia s ter l á ap ar e cid o, um peda ç o de est r u ra se mel h ante e t am b em se mel h ante com a me sin h a q ue aqui t en h o, do is p é s de t r es, do is p é s de um t r up e, ou seja do is p é s m aç oni c os q ue s up pi orta mo tam po, v e r mel h o da flor vermelha, o it avo ad te rc e i ro do segundo do primeiro da estrela de se s senta e nove da bb de no v en ta ao oitenta e um un de r s core, c h ina un de r sc or ee art q u ak e, x a w cento e quinze, vi s ua l iza dor de mage e ts do foret do ax, c it ro en, e pr ova vele mente tam e b m ave r com o ac i dente que eu com el e t ive e com a manha para me inc rimi n ars ob r e um q ual q eu r at r op l e m en to, homem do tó, as si m me sd es vela, a es c rita ao es c r eve r, e forte do w indo do sudoeste do principe kapa do ponto do ro do duplo vaso do primeiro in l es au thor o f , o homem de h ar r y po r te r se gun do oo k, segundo anzol do duplo circulo da kapa, da serie da se da ase da rie espanhol do si ts em al ema carro em ne w york april oito, segundo do duplo circulo do oitavo, js i h ua l ot cruz ra ro eu teresa ra ro serpente, q ue d eve li g ar com o v en to do me nino que foi morto no carro com seus pais, q ua n do o aviao sai da pi st a na am erica q ue as si ms e c h amava, e q ue mui to na a l t u ra me a f l i gi u p or s eu no me s im bo l i co,

O ponto do furo na cruz na altura dos pés, ou seja, o prego nos pés, que foi feito dentro do carro mercedes, ou seja relacionado com a minha morte na expo, a porta da discoteca onde se juntavam os bandidos todas dos quadros e quadrinhos chupistas vários da expo, e com os contornos já aqui neste Livro outrora detalhados, uma cruz feita pelas cores prata e negro, um gancho de uma unha vermelha no livro amarelo dos templários alemão e italiano, em vila do bispo,

O ponto do furo na cruz na al tura dos p é s, ou seja, o pr ego nos p é s, q ue f o i fei to den t ro do carro mer ce d es, ou seja r el ac cio n ado com a min ha mor te na e x po, a p orta da di s c o t teca onda se j un t ava mo s ban di d os todas dos q ua dr os e q ua dr in h os ch up pi pistas v á rio s da e x p o, e com os c on tornos j á aqui ne st e Li v ro o u t ro ra d eta l h ad os, uma cruz fei ta pe la s co r es p rata e ne g ro, um gan c h o de uma unha vermelha no livro a am r el o dos te mp l a ´ riso al e mae s, em v ila do b is p o,

Cantaria ca pt do ponto do segundo quadrado de dezembro, circulo de oitenta e oito, que será referencia ao tal stand que mo vendeu, o mercedes duzentos e oitenta sl com que eu ness altura andava, de mudanças automáticas, a que chamava de navio, de um k art pa s sara para u mna vi o, , e em oitenta e sete segundo do terceiro circulo de noventa quatro dos três pontinhos, dos três violinos do ca da pt do ponto terceiro do segundo do ff nono faf da bb de oitenta e três , em dia de setembro,

Can t ua ria ca pt do p on ro do segundo quadrado de dezembro, circulo de oitenta e oito, q ue se rá r efe ren cia ao t al satan d q ue mo v en d eu, o mer ce d es du zen to se o it en ta sl com q ue eu ness al tura andava, de mu danças au tom ar i c asa q ue c h am ava de na vi o, de um k art pa s sara para u mna vi o, , e em oi t en ta e sete segundo do te rc e i ro circulo de ni v en ta q ua t ri dos t r es ponti n h os, dos t r es vi o lino s do ca da pt do p on to te rc e i ro do segundo do ff nono f af e da bb de oitenta e t r es , em dia de set em br o,

Ao fazer paste desta foto para o meu álbum, ficou ela imediatamente antes da foto da hard drive do vaivém caido recentemente encontrada, que por sua vez a seguir , está uma outra foto que eu tinha feito copia antes, da família imperial russa, testes adn, e depois de novo uma outra foto da drive, sendo que a primeira desta sequência de quatro é a da china, ou seja, uma ligação, uma linha se estabelece, pelas ids, que trás relacionado

Ao f az e r paste de st a f oto para o m eu al bum, fi co u el a i me dia tamen te ant es da f oto da h ar dd r ive do v a ive m ca id o r e c en te mente en c on t ra da, q ue por s ua v e za seguir , est á uma u t ra f oto q ue eu tinha fe it o co pi a ant es, da f ami lia i m ep ria l ru ss, te s te sa dn, e d ep o is de n ovo uma outra f ot d dr ive, s en do a q ue a pr i me ira de st a se q u en cia de q ua t ro é a da c h ina, ou seja, uma l u g aç sao, uma linha se est ab e l e ce, pe la si ds, q ue t r ra s r e l ac cio n ado

O stand oitenta e oito, o ca da pt, oo home da ft dos milhões, a queda do vaivém, o tremor de terra na china, consequentemente as cheias aqui agora, e com probabilidade elevada as de sessenta e seis, e ainda o acidente de comboio, aqui tambem onde morreu uma serie de gente, e uma ligação com nova yorque, frança, e Inglaterra, pois tambem aparece aqui referencia a morte de cem, que é numero próximo das vitimas em londres, se não me falha a memória, relativo a este numero, e tambem em porto bello

O s tan do o it en ta e oito, o ca da pt, oo home da ft dos mil h õ sa queda do v a ive mo t r emo r de te r ra na c h ina, co ns eu q n tee mn te as che ia s aqui agora, e com pr ob ab bil iade el eva da as dd e ss s e neta e se is, e ai n da o ac inde te de co m boi o, au i t am b em onda mor r eu uma se rie de g en te, e uma li g a sao com n ova yorque, fr ança, e in b g l a t e r ra, p o is t am be ap arc e aqui r efe ren cia a more t de c em, q ue é n eu mr o pr o xi mo das vi tim as em l on dr es, se não me falha a me m ´ ria, r el at ivo a este nu m ero , e t am b em e m p orto be ll o



Ou seja mais uma vez parece emergir actores constantes nesta imensa cadeia de actos , alguns a que se chamaram de acidentes e outros de terrorismo como na realidade eles são, todos, ou quase todos, sendo que acidentes, se poderiam pensar ser, se quem os tivesse feito, não trouxesse conhecimento daquilo que fazia no modo em que fazia

Ou seja ma si uma v e z par e ce e mer gi r ac t or es co ns t ant es ne st a i m en sa ca deia de ac to s , al g u ms a q ue se c h ama ram de ac i dentes e o u t ro s de te rr os r is mo como na real i dade el es são, todos, ou q u ase todos, s en d o q ue ac i dentes, se p ode r iam pen sar ser, se q ue mo s t iv ess e fe i to, n ão t ro ux ess e c on h e cie mn to da q u ilo q ue f az ia no modo em q ue f az ia

E estrutura vermelha de novo apareceu numa foto na china no yahoo, que remete tambem para a mesa do homem da dimensão, dois carros em cruzamento debaixo de um telha de vasos de fogo verdes, a cas das telhas verdes, na costa verde, a das perdizes, um carro preto e outro tipo pajero ou tt meio citadino, o tijolo dos haschachiens do barrote na porta da casa das telhas verdes, a casa sobre a falésia em frente ao mar, salvo erro, nas areias brancas

E e ts ru tura vermelha d en p vo ap r e ceu numa f oto na china no y a h oo, q ue r e met e t am b em para a mesa do homem da di m en sao, do is car r os em c ru za m en to de ba ix o de um tel h ad eva s os de fogo v e r de sa cas dd as tel h as verdes, na co st a verde, a das pe r di ze s, um car ro preto e o u t ro t ip o pa j e ro ou tt mei o cita dino, o ti j olo dos h a s c h ac hi e ns do bar r ota na pr ota da c asa das tel h as verdes, a casa s ob rea f al e sis em f e rn te ao mar, sal vo e r ro nas a r ei a s br ancas

Ema do watson, a que coadjuvará o sherlock do holmes, ou uma ema que morará no holmes, urbanização, a do primeiro homem, a cozinheira de cinco traços horizontais na coluna da direita do rupert seis do gato do rin da cruz e as do da rn aa serpente da ley em warner brother, ou sej mais uma vez uma ligação, parece aqui emergir, do rapaz da carolina que morreu no carro, do outro que se seguiu, e agora de um jovem que foi morta à facada em londres, filho de uma senhora de olhos azuis, com preto e fivela de prata, ou seja uma policia, e que ao vê-la me ecoou estranhamente numa outra senhora assim meio junkie que vira de manhã cedo aqui a passar na rua igreja e da cas da misericórdia, ou seja deve ser espelho da senhora que faz os riscos, que fez cinco riscos, e que estará relacionada com a misericórdia, e tambem com os eventos últimos da imagem do incêndio, que remete para a china

Ema do w a t s on, a q ue coa dj uva rá o she r l o ck do h o l mes, ou uma ema q ue mor a rá no h o l mes, u r ban ix x za sao, a do pr i me rio homem, a c oz in h eira de c inc o t ra ç os h ori on tais na co l una da di rei ta do r up e r to se is do gato do rin da cruz e as do da rn aa se rp n te da ley em w ar ne r b r ot her, ou sej mai s uma vez uma li g a sao, p aa rec aqui e mer gi r , do ra ap z da cat ar ina q ue mor r eu no carro, do o u t ro q ue se s e gui ue agora de um j o v e m que foi mo rta à f ac ad a em l on dr es, fil h o de uma s en hor a de olhos az u is, com preto e f iv e la de p rata, ou seja uma poli cia, e q ue ao v e do traço la me ec u o u est ra n h am en te numa o u t ra s en h ro a as si m mei o j un ki e q ue v ira de manhã ce do aqui a passa r na rua i ge r j a e da cas da mi siri co r dia, ou seja d eve ser es pe l h o da s en hor a q ue f az os r isco s , q ue fez c inc o r isco se q ue est a rá r e la cio n ad a com a mi siri co r dia, e t am b em com os eve n to s u l tim os da i mage m do in en di o , q ue r e met e para a china


Zorro ip z on fly com, easy jet, dia circulo it Y circulo do ur se do angulo ao foret muito no te dos livros, bo so segundo anzol, ook serpente homem ave arrived in te primeira do traço do core , gasolina ds segundo duo

Zo r ro ip zorro on f l Y com, esa s Y jet, dia circulo it Y circulo do ur se do angulo ao foret muito no te dos livros, bo so segundo anzol, ook se pr en te homem ave ar rive ed in te primeira do traço do core , g as sol ina ds segundo duo

O rom do k no x da direita , sid cup do belly do marcus, ou seja da barriga do marcos, o cozinheiro, o jardineiro e o ladrão, vaso li muito seis gato ar Y p ot te rato co do pi es circulo do forte aspas homem ar do editor e computador gráfico po tt e rato e homem al f do traço do sangue do principe em ab oo k store, st ab ba oo k , serpente da cruz ab bed, cam a do to death du ring, da ane primeira, da primeira luta o u t side a london bar au sat ur day

O rom do k no x da direita , sid cup do be ll y do mar c us, ou seja da bar riga do marcos, o c oz in h e i ro, o j ar di nei ro e o l ad ra o, v as l o li mui to se is g at o ar Y p ot te rato co do pi es circulo do f or r te a spa s homem ar do edi tor e com puta dor g raf i co po tt e ra to e homem al f do traço do sangue do principe em ab oo k store, st ab ba oo k , se rp en te da cruz ab bed, cam a do to dea t hd u ring, da ane pr i me ria, da primeira luta o u t side a l on di n b ar au sat ur day

O vaso do circulo da di senhora de preto olhos azuis parecida com a que eu hoje me cruzei, e que trazia em si um estranho ar, meio dor, meio fora de si, rectângulo doiro preto e xerife, ou seja, um homem daqui ligado ao av, o edi tor, o homem da di do thor, da casa dos filmes,

O va s o do circulo da di senhora de pr eta tao olhos az u is par e cida com a que eu h oje mec r u ze i, e q ue t ra z ia em si um est ra n h o ar, mei o do r, mei o f o ra de si, tec tan gula doiro preto e xerife, o u seja, um h oe m daqui li gado ao av, o edi tor, o h oe m da di do thor, da c asa dos fi l mes,

No meio dos tijolos nos destroços da foto da china um pano vermelho que me remeteu para a visão recente na paragem do autocarro, em texto anterior, pedaços da tarde, a love posta card to the bea ti f u ll fay, ao lado o lenço de um livro de harry porter, tendas do segundo do lounge to a vic do circulo das vareta do corte do tim at ac o onze ap sed sc h oo l in bei c h ua n c h ina apostolo da serpente ponto south west sic h ua da w em may vinte e um, olivais, po mar da lara n jaeira do rabo rai e la ck o f t en ts underscore , homem massive task facing homem do governo, gato do ove rato nm da inglesa cruz in mulher it e ring, ane primeiro do anel, a francesa do documentário da bbc que se fez em Moçambique, do milhões do home le ft do homem el e ss do ponto rosa preto e azul

No mei o dos ti j olo s no s de t roço as da f oto da ch i ma um p ano vermelho q ue me r e met eu para avis ao r e c en te na ap rage m do autocarro, em te x to ant e rio r, peda ç os da t arde, a l ove p os t ac ard to t he bea ti f u ll fay, ao l ad oo l en ç o de um li v ro de h ar r y po r te r, t en d as do segundo do l o un ge to a vic do circulo das v ar eta do co r te do tim at ac o on ze ap sed sc h oo l in bei c h ua n c h ina a p os tolo da se rp en te po t no s o u t h w est sic h ua da w em may vinte e um, ol iv ia s, po mar da lara n jaeira do rabo rai e la ck o f t en ts un de r sc ore , homem massive t as k f ac ingles homem do g ove r no, gato do ove rato nm da inglesa cruz in mul her it e ring, ane primeiro do anel, a f a r b n cesa do doc u m en t á rio da bbc q ue se fez em moca m bi q ue, do mil h o es do home le ft do homem el e ss. rosa pr e to a az u l

Homem da cruz do triunfo dos porcos do segundo do is da dupla baqueta do ne das noticias, a clara que aparecia chorosa? Do duplo vaso da serpente do Y primeira do homem do duplo circulo do ponto com do bar do rá das muitas ac i dez es oto serpente do bar do rá do potter do traço p ot te rato do traço do homem ar r Y, computadores gráficos, do traço do homem do ar rato do Y p ot te rato e traço da cruz maior do hal forte do traço do primeiro sangue dos cc cem da vareta ss do bar do natal en ts da vareta ingles da varte do primeiro do circulo segundo de seiscentos e um, gangas, p ot te rato da vareta da serpente tt e rato do traço domo do vi e traço do homem ar rato Y a cruz do do hal pequeno, ou do pequeno do dois mil e de, mil e cinco forte do traço da serpenet ds do segundo is da vareta ap do bar do segundo do duplo circulo de oitenta circulo de cinquenta e dois, quadrado da ap under score inglesa under score do mo da vareta a britain, cómico, do underscore do y o un gato do underscore ac tor ao jovem actor underscore do coração da faca sr av bed dia da vareta segundo do is do circulo vareta de oitenta cinquenta e dois quadrado, da vareta quadrado de oitenta e um e vartea do circulo do oitava segundo de setenta e três de sessenta e noventa e nove, noventa e quatro duplo circulo do oitenta e oito, stand dos automóveis, arco do cego e ao pe da mistral, do forte terceiro da estrela, a primeira do circulo do sessenta e um quadrado segundo do nono forte em circulo de setenta e cinco da vareta do ponto da gula do vi underscore Y primeira cruz igual as cruz forte nono, do porto, dia do duplo circulo e quadrado circulo oe circulo Y vaso ft af homem em gato de setenta e oito circulo, do cardeal do homem do financeiro do g sete de setenta e oito, cardeal calçada, ph oto vi e duplo vaso e rato igual da vareta do circulo primeiro em setenta e dois ,março, vareta do primeiro de sessenta e set da vareta do cinquenta e seis gato rato kapa do ponto do home da cruz marxista leninista , primeiro do ml, pcp, ml

Homem da cruz do t riu n f o dos po rc os do se gun d o do is da d up la ab q u eta do ne das not cia s, a clara q ue ap ar e cia c h o rosa? Do d up l o v as o da serpente do Y pr i me ira do homem do d up l o cir cu loo do ponto com do bar do rá das mui t as ac i dez es oto serpente do bar do rá do po r tt e r do traço p ot te rato do traço do homem ar r y, com puta dor es g rá fic s o, do traço do homem do ar rato do Y p ot te rato e traço da cruz maior do hal forte do traço do primeiro sangue dos cc cem da vareta ss do bar do natal en ts da av r eta ingles da varte do primeiro do circulo segundo de seis centos e um, gan ga s, p ot te rato da v ar eta da serpente tt e rato do traço domo do vi e t arco do homem ar rato Y a cruz do d o hal pequeno, ou do pequeno do d o is m ile e de, m ile e cinco forte do ra ç o da se rp ene net do t ds do segundo is da vareta ap do bar do segundo do duplo circulo de oitenta c irc cu l i de cinquenta e do is, quadrado da ap un de r score inglesa under sin ron ni s mic o re do mo da v ar e t ab britain, co mico, do un de r s core do y o un gato do un de r s core ac tor a ojo v em ac tor un de r s core do cora çao da f ac a s r av bed dia da v ar eta segundo do is do circulo v a e rta de o ie tnt a c in quanta e do is quadrado, da v ar eta quadrado de oi t en ta e um e v ar tea do cir cu l o do oitava se gun do de setenta e t r es de sessenta e noventa e nove, noventa e q eu t ro d up l o circulo do oitenta e oito, stan dd os au tom ove is, arco do c ego oe ao pe da mis t ra l, do forte terceiro da estrela, a pr i me ira do circulo do sessenta e um quadrado segundo do nono forte em cir cu l o de setenta e cinco da vareta do ponto da g u l ç a do vi un de r s core Y primeira cruz i g ua ak as c ur z forte nono, do porto, dia do duplo circulo e quadrado circulo oe circulo Y vaso ft af homem em gato de setenta e oito circulo, do cardeal do h oe m do f ina ce i ro do g sete de set en t a e oito, c ard e al calçada, ph oto vi e d up l o v as o e rato i g ual da v ar eta do circulo primeiro em set en t a e do is ,março, v ar eta do pr ie miro de se ss en ta e set da v ar e t y a do c in q u en t a e se is gato rato kapa do ponto do home da cruz mar x ista el e ni n ista , pr i me i ro do m l, pc p, m l

Ao principio da noite no final da procissão aqui em frente a igreja, depois da reza de novo a procissão seguira, eu parado fiquei a olhar o altar, quando um carro com um casal ali em minha frente parou, o rapaz que ia no lugar do pendura, parecia imenso o actor do filme do homem de ferro, trazia, uma expressão parada como se tivesse estado a chorar ou passado, a rapariga, escondeu-se por debaixo do banco, e telefonava, deu-me ideia que aquilo era mais uma encenação de um bando qualquer

Ao pr inc ip io da no it e no f ina ak l da por c iss sao aqui em fr nete a i g r e j ad ep o is da r e za de n ovo a pr o c iss sao se g u ira, eu para do fi q eu ia olhar o al t ar, q ua n do um car ro com um c a sa l al i em min h a fr ente pa ro u, o ra p az q ue ia no l u g ar do p en du ra, par e cia i m en s oo ac tor do fil me do homem de ferro, t ra z ia, uma e x press sao parada co mo se t ub v ess e estado a c h or ar ou passado, a ra pa riga, e conde u da inglesa se por de ba ix o do ban co, e tele f on ava, de u inglesa me id deia q ue a q u ilo e ra ma si uma en cena sao de um ban d o q ual q eu r


b ab br rato zorro segundo gato serpente

bab br zorro segundo serpente

q u c h ct u z