terça-feira, julho 15, 2008

estes textos, todos os hoje publicados, sao a segunda parte do anterior relativo às imagens de kennedy, ainda nao se encontra conculido bem como ainda nao está terminado do texto do anterior equinocio, onde se encontram as visoes mais detalhadas da china e do japao, em breve espero o fazer

no caminho as raizes indicaram uma escolha tripla

tres sao as faces candidatas a encaixar na imagem da china e do japao, na relaidade sao tres faces semlhantes que se reflectem num dos frescos da capela de firenze, dois aqui em portugal, um outro em outro continente, assim o creio

na conferencia do med, a capa do guarda das duas cores tornava a aparecer, ap rece r, c omo saindo do mandrake, que sarkozi figurava, fi gira ava, o serpente do om do met de paris, assim era o que se lia

comentários outros, para além destas visoes em outras nupcias

minha amada , quando chegas, trago muita sede de muito te beijar



E um outro canapé se veio juntar a estes dois primeiros em sua semelhança, um que está num livro que se encontra tambem na minha cruz que se desvelou no ultimo video, um livro de fotografias de um fotografo que pelo seu nome remete tambem para um dos território onde este história antiga que se desenrola por uma serie de eventos ligado como uma linha de uma palma da mao, passa, frança, um livro de fotografias, jean loup sieff, um livro que se não trás nome em sua capa espelhado, todo o seu conteúdo o espelha, erotismo, como um corpo enquadrado de uma mulher entre a parte superior de seu peito e antes dos joelhos vestida com um corset negro com uma vulva de atacadores que a apertam em seu ventre, como os antigos que se destinavam a fazer as tais cinturinhas de vespa, algo misto entre o tempo antigo, e o moderno, sua mao direita sobre a sua anca direita, assim parece dizer, da mao que vem da vesica apertada, ou mesmo como se tivesse dido cozida, o quarto ponto da barbatana negra do tubarão do lado esquerdo, assim mostra a unha da outra sua mao, a vesica apertada dos seios cobertos, ou os atacadores que esconderam o peito, da mulher sem cabeça, e sem pernas, acima do joelho, pela memória creio ter comprado este livro em londres, numa livraria ao lado de trafalgar square, com a bela estatua do anjo, ou da anja, que os anjos não tem sexo, porque trazem em seu corpos todas as tres configurações dele, vermelho, as letras do joao, o lobo do sie do ff, ou da cie do se e do ff, o seio, a foto a preto em branco em tons de cinza médios, e um filete do rectângulo em cinza mais claro, de cima do joelho direito escorre, um espécie de racha que entrou na moldura, duas pancadas, agora soaram, ao momento da escrita, e o cao de novo se pôs a ladrar


E um outro can pe da se do veio do principe da un cruz ar a est es do is primeiros em sua se do maior home do primeiro homem anca, um que est á num li v ro que se en c on t ra t am b em na minha cruz q ue se de s v e lou no u l tim o v id e o,

Primeiro li do vaso do reo de f oto g raf ia se da rie da di gi da cruz norte sul e um f oto g ra fao que pelo seu nome r e met eta cruz da am e segunda em para um dos terri cruz do canto das rita da se rp ene do Pr circulo do as da onda este história antiga, quadrado da ue se da serpente da inglesa rola portuguesa uma da se rie de eve inglesa da cruz os do li gado do cin co circulo do ro ni serpente mo do omo da primeira da linha, da de palma, pala, de uma de palma da palma da mao, passa ao forte rac circulo dez duplo, de circulo de corte da primeira , um li vaso do ro de f oto g raf circulo do as, pr inc do rim da isa do cisa, primeira do ingles em dezembro el eva são do si e ff, primeiro livro q ue s en cão t rá sn ome em sua capa espanhola do pe do primeiro homem do ado, todo do circulo da serpente europeia do conte do vaso do circulo duplo espanhol do pe do primeiro homem aero cruz is mo, como um corp do circulo da inglesa quadra da ode uma mul her da inglesa cruz dat rea par te super i o rato de seu peito e ant espanhola dos joe primeiro do homem do os vaso sd e ts sida com um co rato do set negro com uma vaso da primeira vulva de at aca dores q ue aa e rta tam em seu v en t rec omo os ant y i g os que sed espanhola da cruz no ina da ana van af az e ra serpente tais da cin da cruz do ur em hp as de vaso da espanhola da spa, gato do circulo misto entre circulo da te mp do circulo da ant e o goe do circulo do colégio moderno, sua mao direita sobre a sua anca a e rta, as si maior do mp par do ar e ce da di do ze da rda mao que vem da vaso e isis da sic a pa e rta ad ao vaso do me s mo circulo do omo set iv ess e dido co do oz e do homem do dao, o quarto ponto da ba ra bata da ana negra do dot ub do barão do primeiro ado espanhil do quadrado europeu do rata da francesa sao, as si maior do mi da ostra da primeira unha da vaso da cruz ra da serpente da ua da mao da ave sic a ap e rta dad os dos seios cober cruz os, circulo do vaso do os at aca dor serpente do quadrado da ue do espanhol conde ram do circulo do pei to, da mul her se m c a beça, e sem pe rna sac ima do joe primeiro homem do circulo, da p el am me maior seta do roi ac rei ot e rc em prado este li vaso ro em primeiro em dr espanhol numa li v ra ria ao pr ie miro ado de t rafa l g ar square, com a bela espanhola tatu, a do anjo, ou da anja, do quadrado ue os anjos não tem s e x o, p ot quadrado da ue da cruz do ra ze me m seu corp os todas as t r es circulo em figura aço espanhol de primeiro do eve rm e primeiro ho, as letras do joao, o lobo do sie do ff, ou da cie do se e do ff, af oto ar e to em br em to ns de c in za mé di o ze primeiro do filete do rec tan gula e mc em za masi claro, e dec ima do joe l ho di rei to es co rr e, um es pe do rc cie da racha a rac homem aqui do q ue en t ro un a mol dura, du as pan das pancadas, agora sao ram, ao mo maior do ingles to da espanhola do circulo da rita, e o cao de n ovo se posa primeiro ad rato do ar sed
Y c un est sol ita

Tres canapés, um na casa branca, presumo, outro, aqui em portugal em sines, e um terceiro relacionado com o lobo do joao da cie do ff do dao

cruz rato espanhol do can ana p espanhol , um na casa branca, pr e sumo, do circulo do vaso sd da cruz do rp ro aqui em portugal em sin espanhol, e um dc da cruz da rec do ingles gui, rato e primeiro ac do cio em muitos ados com o lobo do joao da cie do ff do dao

und wenn es einem bereich, gibt gb tt, in dem jeder allein ist danw dabb gewib den lust und der phantasie
un dia do w en da ne espanhola e ine m be rei ch, gi da bt do gb tt, em de m je de ra ll do alemão, ein ist dan w do ab segundo ao ge w ib den do lust un dd de rp homem da anta sie

if there´s one area in wich we are truly alone, it is that of our sensual pleasure and fantasy

e ft do home ingles e serpenet eta do son one da ne primeira rea em bruxa br vaso da za, we ar e cruz na ru primeira da y norte sul do one, it is da cruz do home do hat circulo do four serpente inglesa serpente do vaso da cruz norte sul p lea do sure e da fama da ana da tasy, da gravação da cruz as do serpente do Y

s´el est un domaine où chacun est solitaire, c´est bien celui do plaisir et des phantasmes

serpente apostolo do el do est da un do maine circulo do acento no vaso do circulo do homem do ac a un est sol it aire, circulo do ap ps ot dez serpenet da eta do est bi en da ce lui do p la isi rato e t de s ph da anta serpenet do mes

assim está escrito no livro ao lado da foto do canapé , um quadro na parede por cima do canapé onde uma mulher nua de costas, deitada com a sua perna direita flectida cujo pé assenta na vesica mais à direita das tres das costas do canapé, um quadro que não consigo identificar, com uma senhora sentada , uma criança por detrás dela, sua mao envolve seus ombros e parece trazer uma carta em sua mao, e ao fundo sem se ver a seu lado direito mais duas crianças, tres, serão oo seus filhos, e parece que ela recebeu por carta as noticias da rapariga jovem que se masturba no canapé, cujos dois pés centrais que se vem estão em cima do bordo de um tapete numa linha que parece indicar, uma película, donde será uma noticia de um filme, estamos na pagina trinta e cinco, na seguinte, uma outra rapariga nua numa cadeira sentada, com um quadro na parede que indica , ou parece indicar que seja uma bailarina, seus pés assentam em mosaicos em hexágonos de favos de abelha, do seio da bailarina magra e de cabelos curtos, será então provavelmente a rapariga da companhia de dança, que com um cancro faleceu, e que parece indicar a repetição de um mesmo padrão de cancros, como aconteceu em sua aparência com a monica, de um mesmo seio que os faz, sendo a data que agora apareceu no crash indicar por proximidade, o da monica lapa , e tambem da padrão, visto agora seu nome aqui ter nestas linhas se desvelado masi uma vez

assim está escrito no livro ao lado da p oto do cam ap do pe do ape , um quadro na pa rede portuguesa do circulo do ima doc circulo do can da ana p, é onda da primeira mul her nua deco as cruz as, deitada com a s ua pe rna di rei ta fec cruz ida cujo pé assenta na vaso e sica ma si aa di rei ta das tres das costas do can ap e, um quadro que não circulo on se i g o inde en ti fic ar, com uma s en hor a sentada , uma criança por de cruz ra se rie da gi da cruz norte si p rato i me rio de e la, s ua mao en vo primeiro vaso es eu s om br os e par e ce cruz ra ze rato uma circulo rata em sua mao, e ao fundo sem se ver a seu primeiro ado direito mais duas circulo rato ia sn circulo de corte as, cruz rato espanhol, se ra do triplo circulo se us fil homem o ze par e ce que ela rec cebe beu por ca rta as no ti cia se da rie da go gi da cruz norte sul da ra p riga j ove cruz maior do que se masturba no can ape, circulo u jo se da rie da di do gi da cruz norte sul o is pé s circulo en cruz da ria que se vem es tao em circulo ima do bo rato do de um ta pete numa linha que par e ce indica rum a pe li cu de la, don de se rá uma no ti cia de um fil me, est am o sn a p a gina do trinta e cinco, na se gui n te, uma outra ra pa riga nua numa ca de ira s en cruz ad ac om um quadro na pa rede q ue indica , ou par e ce indica rato q ue seja uma ba da ila da rina, s eu s pé s assenta tam em mosa i co se m he x a g ino s de f avo se da rie da di do gi da cruz norte sul e abelha ham da manha, do seio da ba ila rina magra e de ca belos curto ss da se rá en tao por vaso av primeiro que mente ar ap a riga da com pan homem ia de dança, que com um can circulo ro f al e ceu, e que par e ce indica ra rato ep pet e sao de um me s mo da padrão de can circulo ros, como acontece ue m s ua ap rec na e coma monica, de um me s mo se is o que os f az, s en do a data q ue agora ap ar e ceu no circulo ra s homem indica rp o rp do pr ox i mi dade, o dam oni ca lapa o do dam à monica lapa,, e cruz am b em da padrão, vi s to a g o rr ra s eu no me aqui te rato nest as da linha serpente da se de espanhol vaso e primeiro ado masi uma vaso e zorro

de novo entrou em crash, o word e na mensagem de erro assim apareceu, serpente za ap do pp da mode, duplo vaso da dor em palavra, em pala vaso do rá serpente, de noventa, zero, oito, em noventa e quatro da gula do vi do terceiro, homem da un da gapp do circulo do ff set dos oito circulos ou do circulo oitavo, ou de quatro infinitos deitados como resultante da gula

de n ovo en cruz do ro ue mc rac homem do circulo do word e na mesa sage maior de ero as si mapa rec eu, serpente za ap do pp da mode, do up dez vaso da dor em pala vaso do ra, em pala vaso do rá serpente, de n ove en t az ero, oito, em n ove en t a e quatro da gula do vi do t rec e do ingles gui, homem da un da gap da p do circulo do ff set dos oito circulos ou do circulo oitavo, ou de quatro infinitos deitados c omo r es do sul cruz na ante da gata do vaso da primeira

na foto a seguir, uma senhora, sentada numa cadeira tipo luis quatorze, num salão de um palácio, mostra o reflexo da luz no quadro ao fundo, do semi circulo, a racha da anca num neglige negro de classe, ao lado de uma mesa redonda com o sinal de radicação, onde está um perfumador antigo, ou seja do perfume da radiação, da rapariga olga, que se encontra deitada na foro seguinte na relva o jardim da linda , do cós do aston martin, da rapariga que por debaixo dele o parece arranjar, pernas entreabertas com um livro de macanica ao lado onde poisa os seus óculos quadrados e grandes tipo anos setenta, a matricula, do carro, é prata e negra, inglesa, e diz , desaseis do duplo circulo do vaso do home de setenta e cinco, a serpente eta do homem set da estrela em setenta e cinco circulo, e qui se manifestou tambem um sincronismo, pois quando este livro agora de novo abri, o principe carlos, mostrava o seu aston azul que sua mae , a rainha lhe oferecera no seu aniversário dos vinte e um anos, o que agora anda azeite ou óleo vegetal, como muitas outra viaturas da casa Real

na forte oto a se gui rum primeira serpente inglesa hor a, serpente inglesa cruz ada numa ca de ira cruz ip circulo lu is quadrado ua tor ze, num sala ode um pala ac cio, mo st ra circulo r e forte primeiro e xo da luz dos muitos quadrado da ua dr aa do, do serpente emi circulo, a rac homem da ad a ana aca muito do primeiro ne g li ge negro dec circulo da lasse, ao primeiro ado de uma mesa red don da com circulo sin cruz norte sul de ra di caçao, onda est á um perfumador ant i garo do duplo circulo do infinito deitado do vaso do seja do pe rato do forte do vaso da me da ra dia sao, da ra pa riga olga, quadrado ue se inglesa c on cruz ra deitada na forte circulo ro se gui n te na relva circulo jardim da linda , do có serpente do as ton do marin, da ra pa ro g aqui da ue por debaixo dele circulo par rc da ce ar r anja rp e rna serpente inglesa cruz rea ab e rta sc om um livro de m ac anica ao l ado om n de p circulo isa os seus circulo c vaso dez serpente quadrados e gato rand da espanhola cruz no ip circulo ano serpente set inglesa cruz primeira, primeira do mat ric vaso da primeira ao, ado do car ro, é p rata e negra, inglesa, e di zorro , de sas e is do da up de dez circulo do vaso do home de setenta e cinco, a serpente eta do homem set da estrela em set e nat ar r e circulo da inc do circulo duplo e quadrado vaso ise maior do ani do forte espanhol to vaso cruz am e segundo em primeiro sic ron is mo, p circulo is quando este li b vaso ro agora de n ovo ab rio principe car dez serpente, mo serpente cruz rava circulo seu as ton az vaso l quadrado ue sua mae , a rai n homem primeira e homem do circulo da fe rec da rac do ns serpente europeu ani vaso e rato sário dos vinte e um ano serpente, circulo quadrado ue agora anda a ze i teo vaso circulo leo vaso e ge cruz dupla norte sul, co mo mui cruz as outra vaso ia turas da casa Real

esta foto repete-se na contra capa do pequeno livro de jean loup sieff, por debaixo mais umas linhas dele,

die erotik macht uns ebenso einzigartig wie es unsere fingerabdrucke tun

our eroticism is a unique as our finger prints

il reste que lé erotisme nous rend aussi unique que nos empreintes digitales

nos selos, um por cima de um outro, no de baixo visível é, is, nono, depois o código de bar do rá serpente assim acrescenta, sessenta de noventa e oito, quatro, de dois traços que vem de cima de oitenta e um do oitavo to do duplo circulo


es ra f oto r ep pet e do traço da inglesa se na c on t ra capa do pe q un o li v ro de jean dez up si e ff, por de ba si oma si uma s linhas dele,

di e ero ti k macht u ns e ben so e in zi g ar ti g w i r es un ser e f in ge rab dr u che cruz un

circulo do ur ero ti ci sm isa un e quadrado da ue as do circulo do ur forte em ge rp do rin da di do ts

il rato do este quadrado da ue primeiro é ero ti s me no us r en d au s si uni q ue que no se do mp do rei muito te se rie da di gi das tales


no ss el os, um por rc circulo ima de um outro, no de ba ix circulo do vaso da isi vaso el é, is, nono de p o is oco di gata da ode do bar do rá serpente as si m ac rata espanhola da centa, se ss en ta de n ove en ta e oito, quadrado da ua t rid e do is cruz do ra serpenet do circulo do onze de corte do circulo do quadrado ue vaso em dec uma de oi cruz en ta eu maior do circulo da it t avo to d o do up dez cir vaso do circulo de dez

a junção da informação do rectângulo por debaixo do quadrado das barras, diz ainda cumulativamente , is do nono, ou de noventa e seis, do circulo de noventa e oito , quatro, ou quadrado de oitenta e um do oitavo do duplo circulo

a j un sao da infor maçao do rec tan da gula por de ba ix circulo do quadrado das barras, di za inda c u mula cruz uva que mente , is do nono, ou de n ove en ta e se is, do circulo de n ove en te oito , quatro, ou quadrado de oitenta e um do oitavo do dc e ru circulo onze dez da el eva sao do up de dez circulo

está a rapariga deitado no chao da estrada da floresta, numa capa negra, seus sapatos, sandálias acrescentam, dois infinitos, em teias, as teias, as duas teias dos pés das pernas dos dois infinitos, o primeiro do seis, o desaseis do duplo circulo do vaso do coem de setenta e cinco

está a ra pa riga de ita don o chao da est ra dada flor est ano ma capa negra, se us sapa pato serpente da areia, sand, da areia da norte sul ia serpente ac r es c en tam, do is in fi ni to ze m te ia sas te ia sas do as das teias dos pé s das pe rna se da rie da gi da cruz norte sul, os do is in fi ni to s, o p r ime iro do se is, o de as ze is do c up dez cir vaso do circulo de dez do vaso do homem do oe maior de sete de muitos ta e circulo da inc circulo

o video que finalizava a primeira parte deste capitulo dentro do capitulo do equinócio passado, a que chamei de kennedy, o video com o alberto, é feito com a mistura de dois eventos, ou seja de material oriundo de duas distintas rodagens em tempos diferentes

circulo do vaso e id, é circulo do quadrado da eu do forte ina da liza ava ap di pr e me ira par te de este ca pi t vaso de dez den t ro do ca pi t vaso de dez do e quino cio passado, aqui da ue doc homem da am e id e k en ned y, circulo do v id e oco pm omo al be rato do to, é fe i to com am is tura de do is eve en to s, circulo do vaso do seja de mat e ri norte sul ori un do de du as di s tinta serpente da roda do ge ns em te mp os da difer da inglesa te serpente

trás imagens feitas em agronomia na gravação de um clip da Madredeus, onde entra a rapariga com o vestido de arco iris muito leve e belo, a maria joao baginho, que anda pela floresta buscando, procurando, ou até quem sabe fugindo, e uam furtiva imagem, entre o campo de milho, onde eu sei estar o pedro aires, e dois outros músicos do grupo, que fazem um triângulo, corresponde estas imagens, aquela foto de rodagem, no livro da vida analisada, que mostrava as tres borboletas de marfim no colarinho dele, neste clip do al berto que usa uns planos deste videoclip da Madredeus, não se vem eles, pois a imagem está misturada, ou melhor, se adivinham num ponto no travelling entre o campo de milho, que corresponde a uma das cabeças dessa representação simbólica de um triângulo de fogo


t rá si m sima agnes fe ita s ema gato ron circulo de mia na g rava ava sao de vaso do mc do ip da Madre de us, onda en cruz ra ar ap a riga c omo vaso es tid ode do arco da iris mui to primeira eve e be dez, a m mar ia jo ao ba gin ho, quadrado da ue anda pe la flor est ab us can do, pr circulo doc ur quadrado ando, o u at é quem sabe f u g indo, e uam f ur t iva i mage m, en t reo cam po de mi l ho, onda eu se i est aro pe dr o aires, e do is o u t ro s m u sico se rie da di gi da cruz norte do grupo, q ue f az em um t r ian gula dez, co rr es ponde est asi mage ns, aquela f oto de roda ge mn o li vaso da roda vaso id a ana liza da, q ue mo s t rava aa s t rato es bo rb o pr ie miro eta serpente de marfim no c ola rin ho dele, neste circulo do primeiro ip do norte sul do alberto quadrado da ue usa vaso un ns p l ano serpente de este v ide co primeiro ip da madre de u sn cão s e ve m el espanhol, po isa i mage mes tá m is tura dao u mel hor, se aa din do ham num ponto no t ravel primeiro ingles entre o cam po de mil h o, q ue co rr es ponde a uma das ca beças de serpente sar da ep rata espanhola da inglesa do taçao serpente em bi de dez ca de primeira cruz da rata do ian da gula de fogo

no som do video o piar é constante, o corvo negro que tantas vezes dirige meus passos, se eu assim o deixar, o poe, do edgar Alan poe, no segundo video do segundo poema do alberto, na casa da sua família em sines, na sala de jantar forrada a madeira , como a proa de um navio de corsário, envolta em agua , o som que se ouve é de uma mosca varejeira, daquelas que aparecem em dias de muito calor no meio do campo, ele sentado na cabeceira da mesa com seus óculos escuros postos, o poeta lendo um dos seus poemas, o amor, o grande mar, estamos próximos de uma grande mar, a premonição, o saber, olho a compilação dos poemas , comprimida para mpeg, e linha narrativa assim me canta

no serpente do om do v id e oo pi ar é co ns t ante, o corvo negro q ue t antas v e ze serpente da di rige me us passos, se eu as simo de ix ar, o poe, do e dg ar a ll am do p oe, no se gun do vi de o do se gun do po ema do al berto, na c asa da s ua f am milia em sin espanhol, na sala de j antar fo rr ada a am e di ra , c omo a pr o ad e um navio de corsário, en vo l ta em agua , o som q ue se o uve é de uma mosca v ar e jeira, daquelas q ue ap ar e cem em dias de mui to ca l o rato no mei o do cam po, ele sena t do na ca b e ce ira da mesa com se us o c u dez se curos postos, o po eta l en do um dos se us po ema s, o am o ro g rande mar, est am os pr ox i ms ode uma g rande mar, a pr oo moni sao o saber, circulo do primeiro homem ac co mp da ila da sao dos po ema serpente , co mp rim id a p ar a mp e ge da linha na rata do rat do iva ss em me can ta

tres homens, tres músicos, um triângulo por detrás do desaparecimento do alberto, o homem fauno, da vesica do fauno, assim ele sobre ele no sofá, ao meio sentado se desvelou, direita, centro e esquerda, saindo ao centro que se desvela a simetria com bush, o poe , a encenação de poe, a sombra por debaixo do canapé onde o homem indica a origem do muro, ou a capa do muro, da faca, da morte matada

cruz rato espanhol do homem do home ns, cruz rato espanhol da mu sico serpente do primeiro, primeiro da cruz do rato ian gula por det ra da se da rie da di do gi da cruz norte sul do de sapa rec ei men to do al berto, circulo do homem do omem fa un circulo, da ave da sic ado primeira un circulo, as si maior el es ob re el e no serpente do circulo do fa, ao mei os en tao do sed espanhol vaso e dez vaso da di rei ta, circulo en t ro e es quadrado do eu rda, as id dn circulo ao circulo en cruz ro quadrado da ue sed espanhola vaso e la a si met ria com segundo us homem, circulo do poe , primeira en cena sao de poe, as om bra por de ba ix o do can a p é om de o homem do omem indica a ori ge m dom ur circulo, circulo do vaso do ac da ap ad om ur do om da faca, da mor te ema mata matada

eventualmente tres amigos de alberto, sendo que outro tambem no entretanto se finou, ou alguém que is matou a outros incriminou, clássica estória de todos os malandros e malditos, e se assim foi, colheram ainda o surplus de uma guerra entre dois campos que podendo ser amigos se deglariaram até à morte, e quando isto assim é assim se passa, com forte probabilidade, um terceiro ser o causador, um terceiro que desvela características muito bem identificadas e identificativas, será inimigo dos dois campos, velho lema e mote, dividir para melhor reinar, versus o Amor o Reino, e faze-lo paz

eve en tua do primeiro que mente cruz rato espanhol amigos de al berto, serpente en do que outro cruz da am e segunda em no en cruz rata eta muito to se fi no vaso, circulo do vaso norte sul do gato do vaso é maior que is mato ua outros inc rimi no u, c lassi ca est ó ria de todos os ma primeiro e dr os ema norte sul dito se sea ss im foi, circulo da ilhe ram a inda os vaso do rp primeiro us de uma guerra en cruz red circulo do is cam p os que p ode en do se rato amigos sed ega primeira rata e ar am at é à mor te, e quadrado ua muito do is to as si mé as si ms e passa, com forte do circulo do rep ro babi li dade, um te rc e iro se rá circulo do ca usa dor, um te rc e iro quadrado da ue da espanhola vela ca rac teri s tica serpente mui to segundo em id en ti facas e id en tif ica t iva sm te maior do quadrado ue ser inimigo dos do is cam p os, vaso e primeiro ho el ema e m ot e, di vi di rp ar am me primeiro do hor rei muito ar, vasp e ru serpente do circulo am do circulo do amo do ro rei no, e forte az e do traço ingles de dez p az

SEGUNDO POEMA DO ALBERTO EM SUA CASA
se gun do por poe ema mad circulo do al berto em serpenet ua circulo asa



q c s t i g f w
quadrado do circulo da serpente s ti gato do forte duplo vaso , w

O DOS CASTELOS



na linha pela qual os poemas se alinham, depois do segundo do alberto vem uma das estrofes dos castelos, onde retive ao vê-lo, a relaçao com a esfinge ,q eu se apoia em inglaterra e que com o cotove-lo descendo faz um angulo em itália, a esfinge olha com um ar fatal, o ocidente futuro do passado, o rosto com que fita é portugal

na linha pe da primeira do quadrado da ual os poe ema serpenet da se norte sul em ham do mar, de po is do se gun do d o al berto vem uma das est ro f es dos cas telo s, onda r e t ive ao v e do traço ingles de dez, a relaçao com a es f in ge ,quadrado eu se a poia em inglaterra e que com o c oto v e do traço don ingles de dez, de sc en do f az primeira gula inglesa em itália, a es f in ge olha com um ar f at al, oo ci dente f u t ur o do passado, o ro s to com q ue fi ta é por cruz do vaso do gal

aqui estamos na re introdução do tema do angulo, ou dos ângulos do passado, e meu irmão, depois da ultima vez que a ele me dirigi em forma publica sobre a questão do O Cristo e das suas ultimas palavras na cruz, me dizia nas suas entrelinhas seguidas, que o pecado original, fora católico, e um duplo sentido se abrira ao assim em suas palavras escutar, relativo ao Cristo e relativo a mim, que a condenação primeira viera dos católicos, o que encaixa numa serie de factos que se tem desvelado, a cruz em sta engrácia, a história da santa mártir, devendo aqui, original , ser entendido como o primeiro

aqui est am o sn ar en cruz ro da sao dot ema do angulo, ou dos ângulos da gula inglesa do passado, no norte sul do ingles do ponto do tejo do me do vaso da ira do rato mao, que depois da ultima vez que a ele me dirigi em forma pub primeiro da cia sobre a q u es tao do O Cristo e das suas vaso do primeiro do tim da spa primeiro do av ra sn primeira cruz, me di zorro do ia nas suas en t r e linhas, q ue o p eca do ori gina do norte sul, foret do circulo do ra cat o li co, e um do up de dez sentido se ab rato da ira ao as si me ms ua serpente spa pala vaso do ra serpente es cut ar, relativo ao Cristo e relativo a mim, quadrado da eu do ac em dena sao pr í me ira viera dos cat do circulo do primeiro e co serpente , circulo quadrado da ue en caixa no uam se rie de f ac to serpente quadrado da ue se te maior de s vela do, ac da cruz em sta en g rá cia, primeira do homem is tó ria da serpente da anta mar tir, serpente do en aqui circulo roi gina primeira , en ten dido co mo circulo do primeiro

um padre, partiu no entretanto, um homem que de vez em quando vai aparecendo, e quem em dia recente meus olhos nele aportaram, um home ligado ao verão quente na altura do prec, e uma morte, a de um outro padre, há bomba , o max e de uma menina que o acompanhava , aqui nao há a menor duvida, ambos forma mortos, mais um crime que ficou numa qualquer nebulosa, sem nunca ninguém ter por ele sido acusado, ou julgado, ou mesmo preso, e depois todos estas episódios aqui no Livro da Vida espelhados, na zona da sé, descendo até aos armazéns do rio, alfama ao lado e um estranho portão em s vicente, onde uma noite apareceram diversos nomes escritos a tinta branca como se fosse feito por um pincel de tinta correctora, emitiam dor, se não mesmo morte, e uma identificação, do oo sete, tambem lá pintada

um padre, par ti un do circulo do en cruz rato eta muito to, um homem quadrado ue de eve zorro em quando vaso a si ap ar e circulo do en dom, e quem em dia rec en te meus olhos ne primeiro e ap orta ram, um home li gado a ove ra circulo quente na norte sul tura do pr e ce uma mor te, ad eu outro padre, homem á bo m ba , om ax e de uma me nina que o ac circulo do mp am homem ava , aqui bna circulo homem á a em no rato da do vi d a, am bo serpente da forma mor to sm a is primeiro do circulo do rim e que fi co vaso numa quadrado norte sul ual quadrado eu rato ne se gin da kapa us circulo, se mn un ca ni gim ter por el e sid circulo do ac usa do, circulo do vaso do principe do vaso primeiro gado, ou me s mo pr es oe de po is todos estas e pi s o dias aqui no li vaso do ro david a es ep primeiro a hd os, na zon ad a sé, de sc en do at é ao sar maior zen dd circulo do rio, norte sul da fama ao primeiro ado e um espanhol cruz do ra muito homem do po rta tao em serpenet do vicente, onda uma no ite ap ar e ce ram di v ero serpente do no mes espanhol do circulo do rito sat em ta br anca como se f os se fe it circulo por primeiro da p in cel det in cruz ac o r rec tora, emi tia am dor, serpente en cão me serpente mo mor te, e uma id en ti fi caçao, do duplo circulo do sete, cruz da manha e segundo em primeiro à pin t ad a, em se dez posta

italia, remetia agora tambem para itália numa outra derivação de eventos, o tremor que se dera na china, depois de outro em mayamar, ou seja, diversos eventos reportam sempre a itália e por consequência à igreja católica apostólica romana, cavaco em dia recente recebido pelo papa, em cima de sua mesa , disposto em angulo, uma cruz com O Cristo e dois tinteiros que desenhavam o angulo, para o lado de cavaco voltados, como a dizer, a tinta da escrita das cartas dos primeiro ângulos que te fizeram vieram da mao deste senhor que vês aqui à minha frente sentado, agradeço-lhe amado papa, a dica, nada que me supreenda, mas é bom de sabe-lo, sempre é bom de saber a verdade, mesmo quando quem o mal o fez e faz, não trás a coragem em si de pedir clara desculpa e de corrigir o mal feito

uta lia, rato e met tia gata ao ra t da am b em para itália no uma circulo do vaso da cruz dot ra de rato do iva sao de eve en to serpente, ot rato emo rato q ue se de ra na china, da ep circulo do is de outro em ma y a mar, circulo do vaso do seja, di vaso dos eros eve en to ss ep ro otam se mp rea itália e por co ns e q u en cia à o g r e j a c at circulo do li ca ap os to primeiro ica da romana, circulo ava co em dia rec en te re cebi da bid circulo do pe dez papa, em circulo mc ima de serpente da ua da mesa , di s p os to em a gata do vaso de dez, primeira cruz com do circulo maior de Cristo e do is de duas cruzes em te it os quadrado da ue de serpente en homem ava da am do amo angeles da gula de dez, para circulo do primeiro ado de cavaco vo primeiro cruz ado serpente, co mo a di zorro do xe ra t em ta da espanhola do circulo da rita das ca rta serpente da se da rie da di do gi d cruz norte sul, dos pr e me iro na gata do vaso dez aqui da ue da te do fi ze ram vi e ram da mao de este serpente en hor quadrado ue vaso espanhol aqui à min home af primeiro do fr ente serpente en cruz ado, a gata do ar de circulo de corte do traço ingles do primeiro homem amado papa, ad da di da dica, na da q ue me s up renda, ma s é bo m de sabe do traço ingles de dez, se mp r e é bo m de sabe ra verdade, me s mo quando quadrado eu mo maior norte sul circulo de fez e do f az, n cão cruz rá sa cora ge me maior si de pe di rc clara de sc vaso do primeiro da pa e deco rr e gi roma da norte sul maior feito

dava conta o jornal, do pierce, o que figura o famoso espião, ser das bancadas do vale de azevedo, que partilhavam o mesmo team, lá para as bandas de wimblton do ténis das bolas ,m vale um ex benfiquista e da ligação ao joao pinto aqui neste livro já convocado, na história dos comandos da amadora e de uma granada que rebentara num centro comercial

da ava conta o jo rna da norte sul, do pie da rc e, circulo que figura o fam oso es pi ao, se rda s banca da se rie doo gi da cruz norte sul do vale do azevedo, q ue par t u l h ava vam da am o me s mo tea maior mp do pr ie mr rio á para as ban d as de w im b li t in, do t eni se rie da di gi da cruz norte sul da serpente das bolas ,maior do vale um ex be mn fi quadrado do vaso ista q ue liga ao joao pi muito to aqui neste li vaso ro j á c on vo ca dona h is tó ria dos comandos da ama dora e de uma granada q ue re b en tara no um c en t ro co mer cia primeiro

aykrgz
primeiro y kapa rata gato zorro
NUNCA CONHECI QUEM TIVESSE LEVADO PORRADA







de seguida no alinhamento , o poema satírico, nunca conheci quem tivesse levado porrada, interpretado pelo joao grosso depois de uma vez a ter levado, episódio ainda agora recentemente aqui evocado, e de um sincronismo que se desvelara na altura em que de novo via estes trabalhos, a sua sombra des síncrona envolta numa bola como uma nuvem vermelha, nome de um índio que aparecia sea no livro , enterrem meu coração na curva do rio, e tres pancada soaram em cima quando estas linhas em seu original escrevia, e um novo desenvolvimento se dera relacionado com a morte ritualistica de dois jovens estudantes do imperial college, agora com um numero tremendo de facadas, aparecia, um policia com as fotos dos dois como se estivem em posição semelhante a da imagem dupla do video, deste video poema de alberto caeiro, se bem me lembro, ou seja do mar do al berto, o cae do iro, ou seja o ca do guia do gui ingles, a este assunto masi a frente voltarei, pois mais à volta dele se exprimiu



de se gui dan do ano al em ham en to , o poe ema sati ric o, n un caco on he ci quem t ive s se l eva do por ra da, in te rp r eta do pe dez do joao gato rosso de p o is de uma v e za te r primeiro da eva da, ep do pi is do acento no circulo do dia a inda agora rec en te que mente aqui evo ca do, e de um sin c ron is mo q ue se de s ve lara na al tura em q ue de n ovo v ia est es t ra b alhos, as ua s om bra de sin c ron a en vo l ta numa bola co mo uma n uve m vermelha, no me de um in de io q ue ap ar e ceia sea no li vaso ro , en te rr em me u cora sao na c ur vaso do ado rio, e t rato es pancada s ao ram e mc i ma quando est as linhas em seu ori gina da norte sul escrevia, e um n ovo de s en vo li men to ze de ra r e l ac cio n ado com a mor te ritu al is tica de do is j ove ns est u dantes do i mp eri al co ll e ge, agora com um nu m ero t r em en do de f ac ad as, ap ar e cia, um po li cia com as f oto sd os do is c omo se est ive me m p o si sao se me l h ante a da i mage m do up la do v id e o, de este v id e o poe ema de al be r to cae iro, se b em me l em bro, o u seja do mar do al be r to, o cae do iro, o u seja o ca do guia do gui ingles, a este as sun to masi a fr ente vo la t rei, po is mais à vo primeiro em del e see e x pr emi vaso



haverá uma relaçao entre a guarda pretoriana do presidente , do home que vai nas vestes de presidente, e a agressão de que o joao grosso fora alvo salvo erro no principio da decada de noventa ou mesmo antes



neste momento em que estas notas aqui transcrevo, uma mosca me indicou a cicatriz na minha testa, ou seja parece existir uma relaçao desse grupo que atacara o joao, como sendo o mesmo que me atacou e me fez a marca na testa, que tem sentido tambem masi profundo, como todo o que acontece, pois a mao que executa o vil acto é tambem instrumento em muitas vezes não sabedor de uma trama maior, pois o seu acto se entrosa, com todos os actos de quem neste caso foi agredido, assim , o sentido , múltiplo, conhece-o quem o personifica, mesmo que a mao tenha sido humana, como em muitas vezes o é, falo de destino aqui, e de significado muito masi profundo que trago nas aguas da minha consciência, e em dia recente, o espirito me disse, ser do grupo do ricardo, quem terá operado o ritual que me levou à marca na testa, como base neste video poema, com um ritual que fora feito com ele, o que prova masi uma vez que muitos tiveram acesso a estas minhas obras ainda tao pouco conhecidas, e que ficaram, inclusive nos discos do avid, quando de novo o entreguei a amperel, na esperança que arranjassem para ele um comprador, coisa que em sua aparência até hoje, não aconteceu, e sendo que tal foi feito no rapto de meu filho, pelo alfinete da dama , a senhora da nuvem vermelha, assim a mosca me continua agora aqui a contar



neste mo m en to em q ue est as sn no ota s aqui t ra ns c r evo, uma mo s ca me indico u a cic a t riz na min h a te s ta, o u seja par ac ee xis tir da primeira da relaçao de s se g rup o q ue at ac ar a o joao, co mo s en do o me s mo q ue me at cao ue me fez ama rca na te s ta, q ue t e m s en t id ot am b em masi pr o fun do, co mo todo o q ue acontece, po isa mao q ue e x cut a o v e l ac to é t am b em i ns t rum en to em mui t as v e ze s n cão sabe dor de uma t rama maio rp o is o s eu ac to se en t rosa, com todos os ac to sd e q eu m neste c as o f o i a g red id o, as si mo s en t id o , mul t ip dez, c on he ce do traço do circulo ingles q u emo pe r son i f ica, me s mo q ue a mao te n h a sid o humana, co mo em mui t as v e ze s o é, falo de dia es t ino aqui, e de si gn i f ica do mui to masi pr o fun do q ue t rago nas g au s da min h ac o ns ciencia, e em dia rec en te, o es pei rito me di s se, ser do g rup o do ricardo, q eu m te rá opera do o ritu al q ue me l evo u à ma rca na te s ta, com o base neste v id e o po ema, com um ritu al q ue f o ra fei to com ele, o q ue pr ova masi uma v e z q ue mui to s t ive ram ac ess o a est as min h as ob ra sa inda tao pi u co c on he cid as, e q ue fi ca ram, inc l us ive nos di sc os do avi da, q ua n do de n ovo en r e ge u ia am pe ra l, na es pera ança q ue ar raja ss em para el e um co mp ra dor, co isa q ue em sua ap rec ni a at é h o je, n ão ao cn teceu, e s en do q ue t al f o i fei to no ra tp de me u fil h o, pe dez al fi n te d a d ama , a s en hor a da n uve m vermelha, as sima mo s ca me conti nu a agora aqui a c on cruz do ar



homem ave rá primeira da relaçao en t rea da guarda pr e tori ana do pr e sid dente , do home quadrado do vaso da eva sin as vaso do est es pen ho primeiro do de presidente, e aa gato rato da espanhol sao de quadrado da ue circulo do joao gato rosso do forte do cir do vaso do circulo de dez do ra alvo sal vo e rato ro no p rin cip io da decada de n ove en tao vaso me s mo ant espanhola. Decada é tambem nome de empresa aqui , para quem nao saiba, ligada a equipamentos e serviços na área da produção audiovisualdata e hora da mensagem

quadrado x roei
NÃO VENHAS SENTAR-TE Á MINHA MESA



não venhas sentar-te a meu lado, a tentação certamente, falam as palavras do poema de fernando pessoa das paixões impossíveis, dos amores fracassados , de falhar a vida em seu próprio dizer, ou melhor, num dos dizeres de seus heterónimos, ou vozes se preferirmos para clarificar a sua função e natureza, duas pancadas agora lá em cima se escutaram, como se estivessem a comentar o que escrevo em tempo real, declama a mina voz o poema sobre imagens na floresta do dn o monte da lua em sintra, viradas a alto contraste, o mosquito, agora aqui, um passou, há dois aviões caídos na mesma zona, ou melhor, mesmo tres, um na cas da teresa guilherme da tv, um outro numa praia masi a norte, por altura de ericeira e ainda outro na boca de inferno que se repercutiu num semelhante numa torre perto da onu em nova yorque a dama dana do al fi nete de dama, ou seja da costura a dama ordenante e constante, assim continua agora a minha irma mosca a desvelar-me, irma do iram e continua ela a me dizer, ve a pagina do livro do lobo, do jo do loup do si e ff , e assim vejo, e a marca desvela a pagina do trinta e do trinta e um , ou seja , a pa da gina do terceiro do circulo do trinta e um da armada, a da pagina do trinta e um é um belíssima senhora numa belíssima posição deitado sobre um tapete de pelo branco grande, em camiseta de seda e calções, perna esquerda cruzada quase tocando a direito, o braço esquerdo, do dao, em posição simétrica a direita, , desenha um z de zorro, ou seja o zorro do trinta e um da ramada, a sombra de um cruz que virá da luz da janela, mesmo no centro da sua vulva coberta, olho esta rapariga, e me faz lembrar a monica, a belucci, o fio da alça, que desenha uma perfeita sobra ni no que se rá as costas da cama onde ela assim deitada em ar de languido convite, está. na pagina ao lado, a que corresponde a terceira do circulo, uma rapariga sentado em lingerie num bordo da cama, de uma cama dossel, com uma coluna como uma lança de cum cavaleiro medieval, ou seja de um templário, a rapariga loira que serviu o templário com a mao desvelando em seu pescoço poisada, o rectângulo das fiadas de pérolas que descem sobre seu peito e ventre ,o body termina pelo umbigo e continua com duas linhas até às cuecas, desenhado uma perfeita seta apontada para o entre pernas, uma sombra que desliza pela anca com uma só meia de liga na perna esquerda, um castiçal, é por detrás na comada ao fundo visível, como se a vela que lá estivesse estado tivesse sido toda ardida, e escorrido em angulo so bre o leito, ou seja a rapariga do colar das perlas que verteu a cera no leito, a abelha que terá preparado a cama da marca do x na vulva da monica do trinta e um da aramada, do largo, donde será relacionada com a que lá morreu, misturadas de agronomia, assim continua a minha irma mosca a me contar



n cão v en h as s en t ar do traço da inglesa te am eu l ado, a t en taçao ce rta que mente, fala m as pala v ra s d o p ema de fe rna do pessoa da s pai x o es i mp os s ive is, do s amo r es fr ac as sado s , de fa l h ar a v id a em s eu pr o pr io di ze rum mel hor, nu m dos di ze r es de se us he t ero i mo s, o u v oz ze es se pr efe r i r mos p ra c l ari fi cara s ua f un sao e nat ur e za, du as pancadas agora l á e mc ima se es cut aram, co mo se est ive ss ema co m en t ra o q ue es c r evo em te mp o rea l, dec lama a mina v oz o po ema s ob rei mage ns na flor est ado dn o monte da l ua em sin t ra, v iradas a al to co ns t rasto e, o moe quito, agora aqui, um passo u, h á do is avi o es ca id os na me s ma zo na, o u mel hor, me s mo t re s, um na cas da teresa gui l herme da tv, um o u t ro nu ma p rai masi ano rt e, por al tura de eri ce ira e a id dna, o u t ro na b oca de in fe rn no q ue se r ep e rc u ti un um se m l h ante n uam tor rep e r to da o nu em n ova y o r q eu, a da ma dana do al fi nete de da ma, o u seja da circulo da serpente da tura, a dama o r dena nante e co ns t ante as si m conti n ua agora a min h a i r ma mo s ca a de s v e l ar do traço da inglesa me, irma do iram, e continua ela a me dizer, ve a pagina do livro do lobo, do jo do dez ip do si e ff , e as si m v e jo, e a ma rca d es vela a pa gina do t rin ta e do trinta e um , o u seja , a pa da g ina do t rec e iro do cir do rc cu dez do trinta e um da armada, a da pa gina do trinat ee e um é um be li s sima s en hor anu am be li s sima p o si sao de ita do s ob re um t a pete de pe dez br anco g rande, em cam iste ad e seda e ca l o es, pe rna es q u rda c ru za da s q u ase to can do a di rei to, o br aço es q ur dao em p o si sao si met ric aa di rei ta, , de senha um z de zorro, o u seja o zorro do t rinta e um da ramada, a s om br a de um c ru z q ue vi rá da l u z da jane la, me sm no c en to da s ua v u l v a co be rta, olho est a ra pa riga, e me f az l em br ar am oni ca, a be l u cc io fio da al ç a, q ue de senha uma pe rf e ita s ob ra ni no q ue se rá as costas da ca ma onda el a as si m de ita da em ar de lan guido c on vi te, est ána pa gina ao l ado, a q ue co rr es ponde a t rec ira do cir u c dez, uma ra pa riga s en ta do em lin ge rie num bo r do da cama, de uma c ama do r se l, com uma co l un a c omo uma l ança de c um c ava lei ro me dia ava l, o u seja de um te mp lá rio, a ra pa riga loi ra q ue se r vi u o te mp l á rio com a mao de es v lea n do em s eu p es coço po isa da, o rec tan gula das fia d as de pe rola s q ue de sc em s ob re seu pei to eve do ventre ,o bo d y te r mina pe dez um bi goe conti n ua com du as l ina h sat é às c u eca s, de senha do uma pe rf e ita s eta ap on t ada para o en t re p e rna s, uma s om bra q ue de s liza pe l a anca com uma s ´ o mei a de liga na pe rna es q eu rda, um cat i ç a, é por de t ra s na co mad o ao fundo v isi cie l, co mo sea vela q ue l á est ive s se estado t ive s se sid o toda ard id a, e es co r rid o em angulo so bre o lei to, o u seja a ra pa riga do co l ar das pe r l as q ue v e rt eu ac e ra no lei to, a abe l h a q ue t reá pr epa ra do a cama da ma rca do x na v u l v ad a m oni ca do trinta e um da ar am ad a, do l argo, don de se ra é r e l ac cio n ada com a q ue l á mor r eu, mis tura da sd e a g ron o mia, as si m conti n ua a min ha irma mo s ca a mec on t ar, a abe l h a q ue te rá pr epa ra do a cama da serra, q ue se rato do ro do vaso

e ontem um novo desenvolvimento se dera relacionado com este ponto, uma nova visao que se prende com a morte da rapariga modelo que em sua aparência saltara em nova yorque do andar levado de seu prédio que se manifestara com uma serie de sincronismos, e que será abordada mais em pormenor a frente, para não perder este fio desta meada, neste preciso ponto

e on te m um de muitos ovo de serpente en vo primeiro vi maior homem ingles da ot se de ra r e la cio n ado com este p on to, uma n ova visao q ue se pr en de com a mor te da ra pa riga mode dez q ue em s ua ap ar en cia sal tara em n ova y o r q ue do anda r l eva do de s eu pr é di o q ue se m ani i f es tara com uma se rie de sin c ron is mose q ue se rá ab o rda da mai se m por m en o ra fr ente, para n cão pe r de r este fio de st a m e ad a,

e rainha que dirige a guerra, assim poisa aqui a mosca o desvelando, a dama ordenante e constante uma c h up peta do irada

e rai muito do homem aqui da ue do ur do vaso da ge primeira guerra, as si mp circulo da c en te sima isa aqui am mo serpente do cao dia da espanhola vela dao lan do, da primeira dama circulo do rata dena nante e co ns cruz ante, uam c h u peta do ira da
gata rande do tremor na china, assim a mosca agora acrescenta, a rainha que dirige a guerra com a igreja, a esfinge dos arcos laranja dos estores, es tor ep ps sn da pancada da porta, os dois laços da carda a volta da fechadura da ampulheta do ovo da maya anamar ,do ovo de Mayanmar


o alfinete de dama, ou o alfinete da dama, que me recorda do video que está aqui descrito neste livro da vida, há muito tempo atrás, filmado com a teresa a mudar as fraldas a francisco e de um passe dele com o seu irmão e algo escondido em suas cuecas vermelhas com o francisco à mesa, um ritual que me dera conta depois de observara as imagens desse video, a dama do circulo do seja, me continua a mosca aqui a acrescentar, é o que há frente das notas desvelarei e que vejo que é o alfineta da dama da senhora da nuvem vermelha do quadrado que fez a sombra tambem no joao grosso

o al f ine nete de dama, ou o al fi n te da dama, q ue me record ado v id e o q ue est á aqui de s c rito neste li v ro da v id a, h á mui tot e mp o at rá s, fil mad o com a teresa a mu dia do ar as fr alda sa fr anc isco e de um passe del e com o s eu i r mao e al g o es condi do em s u as cu eca s vermelhas com o fr anc isco à mesa, um ritu al que me de ra conta de po is de ob serva ra as i mage ns de s se v id e o, a dama do ci rc u dez do seja, me conti n ua a mo s ca aqui a ac r es c en t ar, é o q ue h á fr ente das no ota sd es vela rei e q ue v e jo q ue é o al f in eta da dama da s en hor a da n uve m vermelha do quadrado q ue fez a s om br a t am b em no jo ao gato rosso espião

ou seja , a dama ordenante e constante , e rainha que dirige a guerra, o silencio da resposta à pergunta confere-lhe a densidade especifica e concreta da pergunta feita, é a senhora, a destruidora da família, a mandante do rapto infantil de meu filho, das tentativas de morte, de agressões, das perseguições sistemáticas e continua calunia , espionagem e perversão e invenção e mistificação de actos, o ponto do raio, o ponto do x no circulo maçao e o ponto da foice para o ceu virada, falo da maria josé nogueira pinto, aqui neste preciso ponto do texto

circulo do vaso do seja , ad da ama cir u cu dez do rato de nante e co ns cruz ante , e rai muito homem aqui da eu da di rige a guerra, o si primeiro do ingles cio da rata da es pena hola da espanhola posta à pe rata gata da un ta circulo em fe r e do traço do primeiro homem inglês a den si dade es pe ci f ica e circulo em creta da per gun ta fei ta, é a serpente da inglesa hor a , a de t do rui dora da f am milia, man da dn te do ra pt circulo em fan til de me vaso do fil ho, das t en t at iva sd e mor te, dea gata rata do ess circulo espanhol , das per si gui circulo de corte do circulo espanhol do sis t ema tica se conti muito ua do calu un ia , es pei em primeira ge me per vaso e rato sao e em vaso em sao e mes ti fi caçao de ac to serpente do p on to do raio, circulo do p on to do x no cir do u primeiro oma cap e o p on to da f o ice para o circulo eu vaso da irada, falo da maria josé nogueira pinto, aqui neste pr e circulo do is circulo da p on to d ot e x to
da texto editora, a di da tora, a do angulo mna itália no circulo laranja, a mola branca da linhas do furos ni pape vaso primeiro q ua dr ricu l ado laranja no vaso da isis do circulo laranja, indiano polis , a mu se primeira maior kapa da art

trás mão mandante numa das sociedade aqui em meu prédio que recentemente o meu espirito me desvelou existirem, pois muita tem sido sempre as confusões aqio em redor

t rá s mão man dante numa das socie dad e aqui em me u prédio q ue rec en te que mente o me u es pi rito me de es ve l o u e x us tir em, po e sm u it ta te m sid o se mp rea s c on f u s õ es a q io em red o rato mefisto, o fi do caçao

a esfinge cruel do angulo, da relaçao

odvqraz

circulo quadrado dv vaso quadrado ra az zorroe y homem kapa vaso serpente sw
SOU DO TAMNHO DO QUE VEJO



sou do tamanho do que vejo, da minha aldeia vejo o mundo e o vejo de pernas para o ar, assim complementam as imagens o poema de fernando pessoa que se segue na time line das video poesias

detalhando as imagens do video poema, sou do tamanho do que vejo,

de eta l h ar a sima magne es do v id e o poe ema, a guerra no mundo, a ap p orte das i magne es da guerra

guerra, dinheiro, hitler, marco paulo, aviao de assalto, oto vaso no po ovo p do arco da cruz ovo, auto-estradas, planeta azul, tigre, tv linhas, fogos na floresta, bombas , larvas, bichos, pobreza, help, help, pb, esgotos industriais, proibido nadar, tanque, meninos em África, rato do ponto elevado da esquerda do carneiro do traço sobre o le, ess i os , furacões, lua invertida, tv, multidões, oitenta e sete, cancro e hiv, beijo míssil, rito de pistola, da bomba nuclear auto-estrada, ca pi a cruz tornado, lego das torres, gorbachov, headphones, ceu com nuvens, petróleo, co2 , diagramas, pegadas na lua,, serra na lua, computadores, vaso ti li ne s for conta ce eu clima te homem w a circulo d le , florestas a arder, f dezasseis, business, médio oriente, usa , pata, total sale circulo de quarenta e sete, impressão de notas, estatua da liberdade, help, jogos olímpicos com anos, guerra, formula um, foguetão, bandeira usa, misel motel, interferência, musharaft, jogos de pc, comboio, casino slot, multidões, p ode africano, serra, musica , metralhadora, e compacto, auto estradas, bobines de comunicação , mira de alvo, piloto de caça segundo rambo, soldado com binóculos, cisne maré negra, vaca esquálida, prédio a cair, mulher na agua na india, bhutto será, pato primeiro do big brother, olho lua d carneiro co, duas bolas, pegada na lua japonesa

guerra, din do homem ingles da iro do hi, energia da cruz na ler, marco p au dez, ava ode as serpenet do primeiro at circulo do, oto vaso no po ovo da p do arco da cruz ovo, au to espanhol cruz da rata da estrada, ad a sm p de la da inglesa sat cruz primeira az vaso primeiro ti g rata e vaso da tv linha serpente dos fogos na flor espanhol cruz primeira, bo mba serpente , primeiro ar vaso do as, bic homem os, p ob rata e zorra da am, he primeiro da p, do he k da p, pb, espanhol gata do os to sin do us cruz ria is, pr circulo e bid circulo em ad ar muitas cruzes na quadrado u e, me nino serpente em af rica, rato do ponto el eva do da di espanhol do quadrado eu rda do car ne iro do traço sobre o le, ess e os , forte do ur do rac da onda sobre o circulo espanhol , primeiro da lua do ua in v eri da, tv, mul ti do espanhol hp, circulo em tea e sete, can circulo do ro e hi vasp serpente do bei jo miss il, rito de pi serpente da cruz do ola, da bo m b anu circulo do lear au to es t ra da, ca pi a cruz tornado, primeiro ego das tor r espanholas, gata do circulo rba circulo do homem do ov, fiat, he ad dp h one serpenet do sin do circulo do ron do ni serpente mo doc eu com muita uve en sm pet ro leo, circulo do segundo , dia g rama serpente do , pe gata da ad as do primeiro da lua da ua,, ser ra na primeiro da ua, com puta dor espanhola, vaso do as circulo das ti li ne serpente for conta ce eu circulo do lima te homem w primeira do sir do circo de dez de le , flor espanhol cruz as primeira da ar de rf de za se is, segundo vaso do sin ess, mé id oo e ren te, usa , pata, cruz ota primeiro do sal e cir do vaso de dez de quarenta e sete, e mp press sao de muitas ota serpentes, espanhola tatu a da liber dad e, he primeiro p, jp g os circulo do primeiro e mp pico serpente sc com anos, quadrado da eu rata do ra, for mula um, forte do circulo gato europeu tão, bandeira usa, mise primeiro maior ot e primeiro, un te rf e ren cia, maior us gata a ra ft, jo g os de pc, com boi o, ca sin os p rik me rio lot, mul ti do espanhol , p ode af rc cano do ano, ser ra, mu sica , met ra primeiro aa dora, e co mp pacto, au to espanhol da cruz ra da sb ob ine sd e co primeiro do ni caçao , mira de norte sul vo, pi primeiro oto de caça se gata ub di oo rambo, sol dad circulo do com b ino cu dez sc is ne mar, ema é ne gata ra ava sc primeira espanhola quadrado do vaso á lid primeira, pr é di circulo do ac air, mul her na gata au ana india, pato pr e me iro do bi gato do br it her, olho lua dc ar ne iro co, do as bolas, p ega dana primeiro da ua j ap one za


será então uma rainha dos malandros e da malandragem, visto trazerem o mundo de pernas para o ar, e não agirem em seu ajuste, do si primeiro da cia, em circulo de cc creta, assim agora se desvela

se rá en tao uma rai muito homem da ad os ma lan dr os do si pr e me do ingles gui, guia da cia, em circo de dez de cc creta, vi serpente do tot ra ze rato emo mundo de pe rna spa ra circulo do ar do ingles cão da primeira gi do rem em serpente europeia da primeira da js do vaso da te

aqui se coloca o núcleo do combate, entre quem quer endireitar e quem quer malandrar , roubar, enganar, pisar, até matar, como se ve ma barda acontecer

a quadrado use c olo o cao nu c leo do com bate, en t re q eu m q eu ren di rei tata r e q eu m q eu r ma l na dr ar , ro ub bar da ar, en gana rp isa ra té mata rc omo se da serpente eve ma ba rda acontece rata

foi tambem consequência das lides se terem aberto, termo muito a propósito à condenação de cinco homens por crueldade com nossos irmãos animais , sem a menor duvida, se até nos recordar-mos da vacas de fogo reais que puseram a arder em tempos recentes e que a outros assim fez arder

forte do circulo ita tam tambem e segundo em co ns e q u en cia das li de ss e trem ab e r to, te r mo mui to ap rop os i to à c on dena sao de c on co h ome ns por c rue l dad e com no ss os i r mao san i mais , s ema m en o r du v id ase at é ns o record ar do traço do ingles mo s da vaca sd e fogo reais q ue p use ram a ard e rem te mp os rec en te se q ue a o u t ro s as si mf e zorro arade, ard e rato

vinham loiras de preto andando até mim, do para do par da ar a piscar, ao pi serpente do carro, a serpente do pi do carro, assim começa a imagem do vinte e oito da estrela à graça, sendo que a história começa no bairro alto, e nesta gravação de noventa e cinco , ali ao pe de as vicente, o conversa final do condutor é clara, o rapaz tinha feito mal matando um outro, e que apanhara prisão máxima, vinte e cinco anos, ac máximo terreiro do raio que verticalizou o mc, um traço sobre um tres deitado para cima, como os seios no jornal do guardian no jardim da gulbenkian no verão passado, como o nariz de ted kennedy, e como fizeram ao alberto, o som do moscardo, o moscardo em si mesmo, o som da moca, do vaso do alicate do infinito aberto, dos eléctricos do circulo do para do par da ra da ar, se calhar o presidente da comissão de direitos e liberdades e garantias onde se passa o já relatado, escândalo e que vai medalhado pelo presidente da republica com a ordem da liberdade, que vergonha imensa, que vergonha imensa ver os bandidos cm ordens na lapela ,que se enforquem ao usá-las pela massa podre de que são feitos

vin ham dez ira da se da rie da di do gi da cruz norte sul e preto anda muito do e, é mim do para do par da ar a pi s car, ao pi se pr en te do carro, a se rp en te do pi do carro, as si mc ome la a i mage m do vinte e o it o da est r e l a à g r aç a, s en do q ue a h is tó ria com eça no ba i r ro al to, e nest a g rava sao de no v en ta e c inc o , al ia circulo do pe de as vicente, o c on v e r sa f in al doc on du ot r é cal ra, o ra p az tinha fe i to m al ma t am do um outro, e q ue pa anha ra pr isa o máxima, vinte e c inc o ano serpente, home do circulo oje do circulo do outro do golpe ap anho vaso do trinta e tres circulo do vaso por a í, ac m ax e mo te rata do rei ro pe dez raio quadrado da ue eve rt ica li zo vaso do circulo do mc, primeiro da cruz ra ç os ob re primeiro cruz espanhola de ita do para circulo ima, como os se is do gato da ua rata da di ian, co mo on ar e zorro de te dk en ned y, e co mo fi zorro do ze ram ao al be r to, circulo do som do mo serpente do cardo, o mo serpente do cardo em si me serpente mo, o som da moca, do vaso do as circulo do norte sul e cate do infinito ab e rato to, dos el circulo da cruz rico sd circulo duplo do para do par da ra da ar, se calha ro pr e si dente da co miss cao de di rei to ze liber dad espanhola se gata ar e tias da onda da se passa circulo do principe do ár e primeiro em ado, espanhol can dolo e quadrado da ue eva si med alha do pe dez pr e is dente da rato e publica com primeira do circulo do rato dem da liber dad e, quadrado da ue vaso e rato gato em homem da primeira em en sa, quadrado do vaso da eve rato gata em homem primeira e maior en sa vaso e ros bandidos cm circulo do rato de ns na primeiro ap e la ,quadrado da ue se en forque mao usa do t arco do corte do ingles primeiro as pe la massa po dr e de quadrado da ue são fe e to se rp ene cruz



j w p x mmx




O CRISTO














de seguida, o cristo na igreja ao pé da casa dos bicos, ou dos picos, naquela belíssima antiga igreja e dos ministérios , onde um dia na parede em frente ao martinho da arcada, apareceu escrito na parede , um dito do antigo testamento, com a sentença de duzentas alas do deus irado, que se reflectem tao precisamente no numero de mortos em madrid, o cristo crucificado, e as pessoas na passadeira do terreiro do paço , onde o carro que atropelou a família cabo verdiana, acabou de parar depois de desvelar em seu trajecto aos zigue zagues, uma enorme cobra, com cinquenta metros, ficando a sua cabeça, ali ao pé do ministério da economia, onde antes estava o pina moura, o que na expo me chamava de grande arquitecto, mais uma prova de que os vídeos foram todos utilizados em rituais invertidos, porque sempre se tem desvelado uma precisa e clara assinatura que com eles se relaciona, o video do O Cristo que eu integrei na video instalação para a maria sobral mendonça que se fez na antiga capela real do palácio da ajuda, o valor prometido pelo trabalho que até agora nunca foi pago, quinhentos contos, mais um numero redondo com uma outra estranha ressonacia nesta história, quinhentos escudos que o alberto ficou a me dever, e as notas de quinhentos escudos que muito tem aparecido associadas a diversos elementos desta negra história, e um outro que agora me subiu a memória, o edgar, um outro comunista, o que se calhar é o tal da a onze da lan da norte sul do circulo laranja





de se guida circulo doc rato e zorro st circulo na igreja ao p é da casa dos bicos, circulo do vaso dos pi co s, na do quadrado eu la be li serpente sima ant e gata da igreja e dos min si téri os , onda primeiro dia na pa rede em fr ente ao mar cruz em homem do circulo da primeira da rca da, ap rec europeia da espanhola do circulo do rito na pa rede , primeiro dito do ant e gata ot espanhola do tamen to, com as en cruz ença de d europeu zen cruz as primeira ama sd ode us ira do, quadrado ue se rato e fe do primeiro do circulo da te maior do tao pr e cisa que mente no nu maior ero de mor to se em mad rid, circulo do rato is to circulo do ru c e fi ca do, e as pessoas na passa de ira do te rata rei ro do paço , onda circulo do carro quadrado da ua cruz ra p olo ua forte da am e primeiro do ia cabo verdiana, ac ob ao vaso de par ar dia da ep circulo do is de dia espanhol v e lar em serpente eu cruz raja ac to aos zi gato da ue as gatas do vasp ep ps espanhol onze do vaso espanhol da, primeira en circulo onze rato me cobra, com cin quadrado do vaso en ta met ros, forte ican do da primeira do sal da ca beça, ali ao p é do mini serpente da té rio da e co no mia, onda ant espanhol do est ava circulo p ina moura, o quadrado ue na e x p circulo do mec homem amava de gata rande ar quadrado do vaso e tec to, masi uma pr ova de que os vaso id e os f circulo ram todos vaso do tili za do se mr ritu a is in vaso e rato tid os, por quadrado da ue se mp pr e set maior de serpenet do vaso do primeiro ado uma pr e cisa e clara as sin em tura quadrado da ue com el espanhola se r e primeiro do ac cio nao vaso id e circulo do o c r is to quadrado da ue e vaso em te gata do rei na vaso id e circulo e ns tala circulo de corte elevado primeira para a mr ia sobral men don ça quadrado ue se fez na ant e gata aca pe la real do pala cio da ajuda, ova dez rp rome ti do pe dez cruz do ra segundo alho quadrado da ue at é agora nu cna forte do circulo do ip pago, quin homem en to sc em to serpente, masi um nu maior ero red do redondo com uma do circulo do vaso da cruz ra espanhol da cruz anha rato ess on a cia nest a hi serpente tóri a, quin homem do en to ze serpente cu do s q ue o al be r to fi co ua me de eve rea s n ota s de quin h en to s es cu dos q ue mui to te m ap ar e c id o as soci ad as a di v ero sele men to s de st ane g ra h si tór ia, e um o u t ro q ue a g o ra me s ub i ua me mor ia, oe dg ar, primeiro do circulo do vaso da crus do t ro co m uni s ta, o quadrado da ue se do circulo da ak a homem rato é ot norte sul da primeira do onze da lan da norte sul do circo de dez laranja


a banda sonora do video a que correspondem as imagens, é uma mistura de ruidos de cidade, com vozes acelaradas infantis, e o poema

t q b m y e c
SIMBOLOS



símbolos, está bem que tudo é símbolo, , diz o actor, o joao grosso, com a voz cansado e em tom sobre o irónico, mas o que importa é o Coraçao da costureirinha , mais do que qualquer metafísica, importa o Amor, assim se pode ler em outra voz do poeta, poe eta , ou a eta do poe , do edgar, edgar , o a do onze, a lan do onze, do norte sul do iam, ou com inglaterra relacionado,

serpente em segundo do circulo duplo da primeira serpente do circulo de des, se st da primeira no acento do ab segundo em quadrado ue tudo és em segundo do circulo de dezembro, di zo ac tor, o joao gato rosso, cima vaso oz can do sado ee em tom serpente do ob reo i ron do ferro nico, maso quadrado ue e mp circulo do rat é circulo cora sao da co s y c st do vaso do rei rin do ham do manha mai se da rie da di do gi da cruz norte sul primeira, o quadrado eu do quadrado da ual quadrado do eu rata met af isi ca, i mp orta circulo mao ra ss em se p ode do ler em circulo do vaso da cruz ra vaso oz do po eta, poe eta , circulo da ua eta do poe , do e dg ar, e dg gato do ar , o ado onze, a do primeiro ando em ze dupla unidade, do norte serpente do vaso primeiro do iam, circulo do vaso com da inglaterra rato e primeiro ac cio de muitos ado,

símbolos, o circulo no quadrado, a quadratura do circulo, da lua da aplle, ou seja da maça en ove yorque tipo cabelo punk, como em desesperadamente procurando por madona, o sol e a chuva, a beleza da imagem exterior que oculta a beleza interior, ou seja um processo esquizoide, de separação do não separável, e redutor em seu entendimento,

s im b olo s, o cir cu dez no quadrado, aqua dr at tura do circulo, da l ua da ap ll e , o u seja en ove yorque t ip o ca belo p un k, c omo em de se sp e ra dam nete pr o cura n do por madona, o sol e ac homem da uva, ab beleza, cabo verde, da i mage m e x te rato iro q ue o c u l ta a b e l e za in te r iro, o u seja um por c ess o es q u i zo id e, de se rp ar a çao taçao don cão s epa ravel, e red do vaso tor em serpente eu en ten di men to,

a fragmentação, o não abarcar o todo, a costureirinha, que é referencia nesta história à klasnicov, a costureirinha que é personagem no poema, a que morava no passado numa esquina com um namorado que a deixou, orelhas de michel k, mickey, parece ter, orelhas de rato, o mouse, ou seja alguém relacionado com computadores, provavelmente apple, serpente em segundo do digital serpente , serpente em di gi da cruz norte sul , segunda cruz, o som e de um jiribu, donde alguém dos dois, se relacionara com o território donde ele vem, talvez austrália, a som é um sampler de Londres, mu sica de londres de camdontown

a f r a g m en taçao, on cão ab arca ro todo, a c os t ur rei rin h aqui da ue é refer en cia nest a h is tó ria à k l as nico ove, a c os t ur rei rin h aqui da ue é pe r son a g me no po ema, a q ue morava no passado nu ma es q eu ina com um na mora do quadrado ue primeira de ix circulo do vaso, circulo uk rato el primeiro homem as de mic he k, mi key, par e ce t ero r e l homem as de rato, omo use, circulo vaso seja norte sul gato eu mr el ac cio de muitos ado com co mo vaso t a dor es, por v ave primeiro que mente ap p le, se rp en te em se gun d o do di gi t norte seul serpente , serpente em di gi da cruz noret ts serpente do primeiro vaso , da segunda cruz, os ome de um j i rib vaso do don de norte sul gato eu maior dos do is, ser se raro el ac cio de muito ar ac om circulo terri to ria don de el eve m, cruz alvez au s t ra l ia, as om é um sam p ler de l on r es, mu sica de l on dr es de cam dt, dina do mic t rac do king, don to de w muitos

dt jj d
dina mic t rac king cruz duplo principe do quadrado
NÃO TENHO PRESSA



não tenho pressa, começa depois de se ouvir um crash de automóvel , sem a respectiva imagem, um som de um cd de efeitos especiais, pressa para quês, se tudo necessita e tem seu próprio tempo, cartola, smoking, papilon, quadrado preto e branco na vertical dividido como fundo, maçon com a vertical dividida, cobra dupla ou bifida, a capelo, da torre primeira de oeiras, favo de um senhor atropelado no marques na altura dos jogos

muito cão t en ho press ac ome la dia da ep o is de se do circulo do vi do rum circulo do ra serpente homem hd de au tom ove primeiro , serpente ema rata espanhola pe circulo da cruz iva e mage maior mae do primeiro serpente do om , som de um cd de efe it to os es pe cia is, press ap do para quadrado do vaso do maçom, ê espanhola serpente, set vaso do n e ce da serpente da sita e te ms eu pr ó pr io te mp o, c art o la, smoking, pap i primeiro em quadrado preto e branco na ave do vaso do rt ica primeiro dividido co mo f un dom aç em com primeira ave do vaso e rato reel time da tic da norte sul onze, dividida, co bra da up la o u bi fi da, a c ap e dez, da torre pr i me ria de oe ira s, f avo de um s en hor at rop e l ado no mar do vaso espanhol na norte sul tura do serpente sj principe do duplo gato serpente

o acidente de carro é o do grupo onze, ou com o grupo do onze, carros digitais, ou seja na internet e dos pings, ou das ondas pelos server de mails, do tremor de terra , na real dade, maçónico, quadrado da ce muito cao falta, falta do cão, assim diz o texto

o ac id do dente de carro é o do g rup o onze, o do vaso com do circulo do g rup o do onze, car ros di g ia ti s, o u seja na in te r net e dos pin g s, o u das ondas pe l s o server de mail sd o t r emo r de te r ra , na rea l dade, m aç oni co, q ua dr ado da ce muito cao f al ta, falta do cão as si maior di zo texto

que tinham sido enganados pelos condutores dos porcos, um jogador alemão, isto depois da cas roubada, e do dez calculo da posição de jogadores e sistemas de elevação da cruz , assim o disse em sua parte o paulo teixeira pinto

do quadrado ue cruz in ham sid oe en gana do s p e dez sin circulo do ro ni serpente mo em du tor es dos po oco serpente, primeiro jo gado da dor norte sul e mao de is to dia da ep o is da cas ro ub ada, e do dez ca do pr ie mr rio cu de dez da p o si sao de jo gado rato espanhol e sis da cruz ema sd e el eva sao da cruz , as simo di serpente da se em serpente da ua par teo p au dez te ix e ira do pi muito to pinto

é um facto que muitos tolos existem, e outros são malandros cuja ocupação é enganar e confundir, confundindo , enganando e enganar

é um f ac to q ue mui to st olo sex x is te me outros são ma lan dr os c u j a ocupa sao é en gana r e cin fun di rc em fun din do , en gata do anan do e en a gata ana rata

ah que bom a frescura na face de não cumprir um dever, diz um outro actor dentro de uma piscina cm sua imagem espelhada nas aguas e no ceu, um dandy, um dandy grosso, como parece ser um outro que está para ser preso segundo dizem os jornais

k e je rato k do vaso primeiro anzol

rato homem n g d f

zorro os serpente vaso sw p

AH COMO É BOM NÃO CUMPRIR UM DEVER



primeira do homem do quadrado do bo europeu na ma fr espanhola do cura na face den cão cu mp rie primeiro de eve rata, di zorro do pr ie miro, um outro ac tor den cruz ro de uma pi sc ina cm serpente da ua e mage me sp e primeiro homem da ada nas a g ua ase se da sed do no do ceu, primeiro dan d y, um dan do quadrado do y dog do gato rosso , co mo par e ce ser umo circulo do vaso comboio ro quadrado ue est á para ser pr espanhol co circulo da se gun do di ze mo s j jo do circulo do rna is

a infantilizaçao de Portugal ou a liberdade de ser, triste imagem na véspera do jogo que se perdeu, pega lá um chupa, chupa, oh puto, em jogos até á feijões sendo aqui os feijões muitos milhões,

a in fan tili za ac sao de por ti gal o ua liber dad e de ser, t r iste i mag e mna v es pera do j ogo q ue se pe r de vaso da pega primeira á primeiro doc ur rc da y kapa do circulo do homem da el eva sao do ac do homem ao homem puto, em j ogo sat + e á fe e j da onda sobre o circulo espanhol ess da serpente inglesa do aqui os do fe e jo espanhol mui to serpente da mu do primeiro homem da dupla onda sobre o circulo espanhol,

os anéis laranjas como bóias, na corda dentro da piscina lápis lazuli, poesmas do traço do ingles poe espanhol sm às muito cao ten ho pr press as po espanhol mas com mp le primeiro angulo ao , e, to sd e fe rna muito do pessoa, pa da gina primeira de quarenta e sete est rof espanhol, de sessenta e um do bar do rá de sessenta e dois e do bar do rá de sessenta e tres do bar do rá da teresa do sobral, serpente ob do br da norte sul da cunha e di da cruz do ponto da presença, pr es serpente ingles enca

os ane is primeiro ar anja sc omo boi as, naco rda den t ro da pi sc ina l a pi s l az u li, poe sm as do traço do ingles poe espanhol sm às muito cao ten ho pr press as po espanhol mas com mp le primeiro angulo ao , e, to sd e fe rna mu id o do pessoa, pa da gun un ina primeira de quarenta e sete est rof es sa pn hol, de se s senta e um do bar do rá de sessenta e do is e do bar do rá de se s senta e t r es do bar do rá da teresa do sobral, serpente ob do br da norte sul da cunha e di da ac ru zorro do ponto da presença, pr es serpente im gata primeiro do espanhol da enca

calção vermelho, touca branca , óculos de aviador, e microfone, como um cilindro negro na cabeça, embora por fora, pode sugerir uma bala, na passagem das bóias, dos anais laranjas, duas cruzes em linha paralela ao horizonte da agua, a dec ime, seguida por um circulo e uma bóia de nadador salvador das mares vivas, tipo pamela, me subiu a memória a morte da rapariga de grandes seis e de seu filho, no hospital, reforçado, por uma das bóias parecer ser uma capsula, um comprimido de cor laranja, e de baixo um só circulo a seguir à cruz , o reflexo das sobrancelhas na agua, duas asas de gaivotas negras em posição simétricas, uma faca vermelha com tres volumes, tres circulo em seu cabo de cor amarela clara, , o nadador de calção vermelhos parece estar nadando dentro de um cubo, como a sair dele, os pelos nas ondas digitas no pi da serpente cina, ou c ina do cine, a francesa, ou ainda, china,

cal sao vermelho, to ica br anca , o cu dez se rp ene t sd de avi a dor, e mic ro f ine, co mo um c i primeiro em dr one gato ro na ca beça, am bor a p o rf o ra, p ode s u ge i rum a b bal da bala, na pa s sage m das boi as, do s anais l ar anja s, do as c ru ze se maior linha para le la ao h ori zon te d a agua, a dec ime, se guida por um cir cu ll circulo e uma boi ad en a dad dor salvador das mar es v iva s, t ip o p am e la, e de ba ix o um s ó circulo ase gui rà cruz , o r e f l e xo das s ob ra n ce l h as na agua, du as a sas dega iv ota s ne g ra se m p o si sao si met ric as, uma f ava vermelha com t r es vo l u mes, t r es circulo em se u cabo de cor am ar e la clara, , on ad a dor de cal sao br anco spa rec e est ra na dad dn den t ro de um cu bo, co mo as air de le, os pe dez sn as ondas di gi t as no pi da s ep ren tec ina, ou c ina doc ine , o ua inda c h ina, a fr anc e as

maçónico , quadrado le muito cao da coluna norte sul do ta

maior ac do circulo do corte do oni co , do quadrado le muito cao da coluna norte sul do ta primeira

calções vermelhos, touca branca , óculos de aviador, a bóia, ou o comprimido, do circulo da primeira cruz em cima de circulo aberto como lua para cima voltada, da cruz do ponto sobre o vaso da gaivota do olhar, do cubo, e tres circulo juntos amarelos como um cabo de uma faca verde

ca primeiro do circulo do corte do oe espanhol vermelhos, to vaso do ca br anca , circulo do cu dez sd e aviador, ab boi primeira do vaso do duplo circulo do com mp rim e id circulo , do circulo dp rim e ira da eira da cruz em circulo ima de circulo ba e rato rt to como primeiro da ua pa rac ima vo primeiro da cruz dina mic t rac king ad a, do ac ur zorro roi do ponto serpente ob reo vaso da gai vaso da ota do olhar, do cubo, e cruz rata espanhola circulo do j un ns to sam ar e dez serpente do sin do circulo do ron ni serpente mo do co mo primeiro do cabo de uma f ac ave rata de

os pelos das ondas digitais, na pi serpente da cina , do cine, a francesa

ALMADA

a seguir ao segundo poema do alberto de Almada negreiros, no arco da rua augusta, parou a linha no circulo da estrela, do porn, do dezoito de oitenta e oito, no banco da esquina da direita do ultimo quarteirão, quem para o rio está virado

ase segui gui ra circulo da se gun do poe ema do al be r to de primeiro da am mad ane gata do rei rose, do arco da rua augusta, para do circulo da ua da linha e no circulo da estrela, do porn, do de zo e to de oitenta e oito, no ban co da espanhol do quadrado do vaso ina da di rei ta do vaso do primeiro tim circulo do quadrado da ua arte irao, quadrado eu mp primeira ra circulo do rio est á vaso irado
depois uma das cartas que me foram devolvidas do antónio botto, o anel de fogo, na separação do casal amante, o anel laranja, a descrever a origem do acto , as sombras chinesas, ou o eco do reflexo agora do ultimo tremor da terra na china, q que dorme na rua sem siso, musica do nuno rebelo da gula do vi do traço ingles relacionado com a performance que dele na as danças assisti,

da ep o is uma das circulo da art do ts quadrado da ue me forte do circulo do ram de evo primeiro vaso id as do antónio segundo ot to, circulo do anel da ene do primeiro de fogo, na serpente da separação, da epa raçao do ca serpente primeiro amante, circulo do ane primeiro laranja, a de sc e rata vera ori gata em do ac to , as om bras circulo do homem ine za serpente do vaso do duplo circulo e co dor e for mula da lex do circulo do agora do vaso do primeiro tim ot rato emo rda terra na c homem do ina, quadrado duplo da ue dor me na rua se maior sobral mendonça si zo, mu sica do nuno rebelo da gula do vi do traço ingles relacionado com a pe rf or man ce q ue dele na as dan circulo do corte as Assis sis ti,

o vv do jn maior principe

g e b x segundo do primeiro x gato

BOTTO SEGUNDO




de seguida o botto segundo, segunda carta que na aparência da história, lhe terá sido devolvida, o coração vermelho, a senhora do tempo e da saudade, a descida ao Hades, a maquina do tempo, a maquina do tempo, com uma seta que debaixo, da profundeza, aponta ao ponto central da roda da vida e dos seu mecanismo no Hades, ou seja, que está na expectativa de a parar, a vide, a senhora da engrenagem da descida ao Hades, ou da minha ultima morte, um efeito constante de feedbakc, e chuva de prata como traços oblíqua, a chuva obliqua das ondas digitais, a desvelar assim a relaçao dessa senhora com os negros eventos que se deram no mundo, a prata vermelha do coração

de se guida ob ot to se gun do, se gun da ca rta que na ap ar en cia da hi s tó ria, l he te rá sid o devo primeiro do vaso da id a, ao circulo da cora sao vermelho, as en hor ad circulo da te do mp oe da serpente au dad e, ad da espanhola cida ao homem da ad espanhol da esa, a ma quina do te mp circulo da primeira da am da primeira quina do te mp circulo, com uma serpente eta quadrado da ue de ba ix circulo, da pr circulo da fun de za, ap ao n ta ao ponto circulo do en cruz ra primeiro da roda da vaso id a e dos serpente eu meca ni serpente mo no do homem ad espanhola, circulo do vaso do seja, que est acento à ana e x no pe do cta iva de ap ar a ra de vide, ase en hor ad a en gata rena do ge maio da de serpente da cida ao homem da ad espanhol, dez circulo do vaso da minha vaso do primeiro tim am orte, primeiro da efe e to co st ante de fe ed ba ck, e circulo do homem da uva de p rta circulo do omo da cruz no ra circulo de corte os ob li quadrado do vaso do os , das ondas di gi tais, a de s vela ar as sima da relaçao de serpente sas en hor ac do om os dos negros eve en to serpente quadrado da ue se de ram no mundo, ap rta vermelha do cora são

principe jr rato serpente sa kapa, jr serpente a k



ASCENÇÃO




aqui fica uns fotogramas que nao tenho este video acessivel neste momento , depois o porei na rede

Ascensão, ou os trabalhos do Amor e da Dor

Poderia ser este o titulo deste capitulo, ou mesmo deste Livro da Vida

Na noite em que a chuva de parta acontece
O ferreiro bate o fogo na bigorna
Se mistura a agua e a prata
Ou o semem da lua
E do fogo dos amantes se faz a labareda
Do fogo sagrado

Assim se criam os bebes
E uma mão semeia a terra
E um criança que nasce
É entregue a uma ama

O casal é preto e branco
Ou seja alquimico
As bodas

Um segundo sobre essa mulher
Se for a mae
E por um casal na roda da vida partilhado

São grandes as dores no tempo dos homens
É preciso semear de novo a terra
O menino do tambor anuncia o fogo
Aviso da tempestade
Que os homens teimam em não ouvir
Muito arde

As sc do c da en sao, duplo circulo do vaso da serpente s t ra b alho sd circulo am or e da ad dor da rp de or, pura da ode ria ser este o titu de dez de este ca pi t u dez, o u me s mo de este Li v ro da vaso da prim e ria id , primeira na noite em q ue ac h uva de pa rta do acontece circulo do ferreiro bate do circulo do fogo na bi g circulo do rna



S e mi s tura aa g ua e a p rata circulo do vaso do circulo do semem da lua e do fogo dos am ante s se f az a l ab bar red primeira do fogo sagrado as si ms e c r iam os bebes
E uma mão se me ia a terra eu do vaso do mc rato do ian ança q ue nasce É en t r e g ue a uma ama circulo doca sal é preto e br anco circulo onze do vaso do seja al quim mico
das bodas de sangue, primeiro vaso maior ndo segundo s ob re essa mul her se for primeira mae E por primeiro do ca sal na roda da v id a p art da ilha do São g rand es sas dores no te mp o dos h ome ns É pr e ciso se me ar de n ovo a terra circulo do menino do tambor na un cia do circulo do fogo av is circulo da tempestade quadrado da ue os h ome ns te imam em n cão o u vi rato mui to arde


Os trabalhos do amor e do amor
Um assassinato é combinado por um caranguejo numa praia
As baratas rodam em todo o lugar

Os t ra b alho sd o amo red o amo rum as sas ina to é co m b ina do por um ca ra n g u e j on uma pr aia as ba ratas roda do dam em todo o do pr ie miro vaso do gato do ar

Af do primeiro homem do chapéu ,do nima , mato, os circulo do lar do dente, serpente homem da bal da manha da mao morte, o solar do dente, serpente do home da manha da bala do homem da mu sica, mao morte do dos dois circulos do terceiro apostolo do primeiro do seis apostolo., rea liza são do nuno do tuella, em maio circulo de mil novecentos e noventa e tres, o circulo do toiro em oitenta e sete

A f do pr i me iro hi mem c h ap é u, do nima , mato, os cir cu dez do l ar do dente, serpente homem da bal da manha da mao mor te, circulo do solar do dente, serpente do home da manha da bala do homem da mu sica, mao morte do ur dos do is circo dez s do t rec e iro ap os t olo do pr ie mr io do se is ap os t olo., rea liza são do nuno do t eu ll a, em maio circulo de mil n ove ce to ze n v en ta e t r espanhol do circulo cir do rc kapa do circulo do toi to em oi tem ta e sete, o cantor do antonio forte

Homem anza chris son, circulo do ze do homem do segundo circulo , o macaco apanhou os casados, as baratas e o caranguejo das tenazes da praia, no ritual da acasalação do cemitério, , a cobra e bastão do fogo, rituais da luce prime a sétima, da liga da são do ascensão do sonho celtivco, canal zero circulo do principe da p da nortada , principe do p da teresa torga, aproveitando a amargura, principie zorro tic homam primeiro tecem principe z in nin gato, da se da fina


Homem na za chris son, cir cu dez do ze do h om me do segundo circulo , o macaco ap na do homem do circulo do vaso do os ca do sado sas ba ratas e o ca ra n g eu jo das te na s ze sd a p r aia, no ritu al da ac a sala sao do c emi té iro, , a cobra e ba s tao do fogo, tir ua is da l u ce prime a set ima, da liga da são do as c enca do sonho cel t iv co, c ana ll z ero circulo do principe da p da nortada , pr o i mn c ipe do p da teresa to r g am ap rove it ando a am ar g u ra, pr t in cip e zorro tic h omam primeiro tec em pr inc ipe z in nin gato, da se da fina
vaso w da ler x y homem
y b quadrado se principe sej w, dr quatro
mgn ne b


A ESFINGE

O filme, e o seu final , ff, contam-se os passos sem saber para onde, é preciso criar a pátria do século vinte de almada negreiros, antónio botto, egoísmo particular, versus o amor universal, antonio botto, a partida e o mal entendido, mistério da estrada de Sintra, os castelos de ps pessoa, a esfinge, e fatal , o acidente do futuro do passado, o rosto com que fita é portugal, poema em linha recta, o alfinete da dama, não venhas sentar-te a meu lado, sou do tamanho do que vejo e vejo o mundo de pernas para o ar, o para do para da ar, o eléctrico, o vinte e oito, o condutor ou maestro da musica, vinham loiras de preto andando até mim, a caca máxima, viro todos os dias , jesus o Cristo em lápis lazuli, símbolos, não tenho pressa, que bom, a frescura na face de não cumprir um dever, e Portugal a entristecer,

Circulo da fil da me mo f ina l do filme, ff, c us tam do traço da inglesa se os passos sem s ab e rp a ra onda, é pr e c is o c ria ra pat ria do sec u dez vi n te de al mad ane gata do rei rose ,man tó ni do circulo do botto da revista do egoísmo, par tic vaso do lar, vaso e russo amo rato da universal, antonio botto, a p art id a e om al en tem d id do circulo do mistério da estrada de se in cruz ra de sintra do os dos castelos do ps pessoa, a es fi n ge, e f at al , o ac i dente do f ut ur o do passado, o ro s tao com q ue fi ta é por tu gal, po ema em linha rec ta, o al fi nete da dama, não c v en h as s en t ar do traço da inglesa te a m eu l ado, s o u do tam n h o do q ue v e jo eve jo o mundo de pe rna spa ra do circulo do ar, o para do par da ar, circulo do gui ingles do circulo dc cruz rico, o vinte e oito, o com du ot ro u mae st ra o dam da mu sica, vin ham loi ra sd e pr e tao ana dan do at é mim, a caca da máxima, vaso do iro todos os dias , l a + is la zuli, serpente em segundo falo de dez sn el ava do cao t en ho press aqui da ue bo ma fr es cura na face den cão c um pr ur um d eve rata maior de maio do por tu g ak aa en t r es tic e rata,

Donde o alfinete da dama, que são dois circulos numa vulva, ou duas vulvas de uma terceira, que é quem põem o alfinete e faz a pica, na pila do bebe, e cria uma armadilha ritualistica com duas vulvas a um homem, um presente , outra actuando pela distancia, por uma estrela escondida no leito

Don de o al fi nete da dama do quadrado ue são do is circulos nu ma v u primeiro do vao, o vaso du as vi uk vaso do as de uma te rec e ira, que é q eu mp o emo al fi ni te e f az a p ica, na p ila do bebe, e c ria uma ar m ad ilha ritu a l is tica com du as v u l v as a um homem, um pr es en te , o u t ra ac tua n do pe la di s tan cia, por uma estrela es condi dan cu rc y k dez da lei to

Ma ste raro do circulo do primeiro ip, clip do decimo do traço do a fa do ana o noni mato , os circulo do lar ren t dos tres violinistas pequeninos, ou dos tres porquinhos

Ma ste raro do circulo do primeiro ip, circulo do lup do decimo do t ar ço do a fa do ana cir u c l dez do noni mato , os circulo do lar r en t dos tres viol is ni st as pe q eu nino s, o u dos t r es por q eu in homem os

A serpente do homem da manha, a bola do hospital do maior vaso sica di segundo circulo mao morta dura sao , segundo ponto, tríade do apostolo primeiro do sexto apostolo, a mao morta do solar do dente no alentejo, homem na za da chris son , o filho, um homem e a za filha da chris, rea liza são dos dois circulos do nuno do tuella, em mai circulo de noventa e tres do touro de oitenta e Setembro

A serpente do homem da manha, ab o la do h o spi t al do maio r v as o sica di segundo circulo mao morta do ur da sao , segundo ponto, t riade do ap os to do primeiro falo do olo pr i meo do sex to ap os t olo, a mao mo rta do solar do dente no al en tejo, hi e mna za cri zorro son , o fil h o, um homem e a za filha da c r i zorro da rea liza são dos dois circulos do nuno do tuella, mai circulo de noventa e tres, o touro de oitenta e Sete m br circulo

Rituais de luz primeira , vanzeller da sétima legião, ligação da ascensão ao sonho celtico, circulo ano angulo zorro do ero circulo do principe da p de bari, primeiro da teresa torga aproveitando a amargura , principe do zorro da ficha da tea principe zi non gato

Ritu a is de l u z pr i me ira , v a sn ze ll da ler a set ima ç e g iao , l i g aç sao da as c en sao ao s on h o celtic o, circulo ano angulo zorro do ero circulo do principe da p de bari, pr ie mr rio da teresa to r g a ap rove i tan do a am ar g u ra , pr inc ipe do zorro da fic h ad a da tea do principe zorro e do non gato

A puta do comboio, só há uma viagem nesta história, a aveiro, no comboio ia uma actriz ao de longe conhecida, e a outra no bar da estação, na espera, da vao, da volta a lisboa, a eu lia o crime e castigo e muito perdida estava

A puta do co m boi o, s ó h á uma v ia ge m nest a h is tó ria, a ave iro, no com boi do circulo do ia ds primeira actriz ao de l on ge con he cida, e a o u t ra do ano bar da est aç sao, na es pera, da vao, da vo l ta a l is boa, a eu lia do circulo do crime e castigo e mui to pe r dida est ava

E um outro comboio, o de madrid, e aqui a maura , cujo marido e ex fuzileiro ou assim, e que nele, ela, estava no dia das explosões

E um outro com boi o, o de mad rid, e aqui am aura , circulo do vaso do jo mar id oe e x fuzileiro o u as si me q ue nele, el a, est ava no dia das e x p l o s oe espanhol

Ao ver todas estas imagens de video poesia, começando pelos poemas do alberto, no canapé semelhante aquele em que bush , mostrava a história, vejo no momento um fotograma, um fotograma com um enorme x vermelho em seu centro, e a furacão em cima e em baixo, quatorze buracos respectivamente que se reflectiram na visao da linha do tempo do Windows maker, ou do fazedor de janelas, e ainda um eco na imagem dos desenhos aqui publicados, quando da visao na cafeteira, a, b, c

A ove r todas est as i mage ns de v id e o poe s ia, com e eça n do pe dez serpente dos poemas do al be r to, no c ana p é se mel h ante aquele em q ue bu sj , mo s t rava a h is tó ria, v e jo no mo men to um f oto g rama, um f oto g rama com um en o r me x vermelho em s eu c en t ro, e af ur ra çao e mc ima e em ba ix o, q ua tor ze bu rac os r es pe c t iva que mente q ue se r e f l e c t iram na visao da linha do te mp o do w in do ws m ak ero u do f az ze da dor de jane la se a inda um e co na i mage m dos de s en h os aqui pub li cad os, q ua n do da visao na ca fe te ira, a, b, c


Vinte e oito, linha de metro do prazeres á graça, a estrada dos excessos como via que pode conduzir ao palácio da sabedoria, songs of joy and happiness, cantigas da alegria e da felicidade

Vinte e o it to ro da linha de metro do prazeres á graça, ou seja dos que foram parar aos cemitérios, primeira estrada dos e x c esso sc omo v ia q ue p ode com do zorro da ira o pal á cio da sabe do ria, s on g s o f jo y and h ap pi ne ss, can ti gás da alegria e da fe l e cidade

Maria joao baginho, baginho, bago, , que quer tambem dizer dinheiro, das ervilhas do homem do oriente, das torres vasco da gama, as ervilhas e o bago do homem que mora aí

Mar ia jo ao baginho, ba gin homem do circulo do bago, que q eu r t a m b em di ze rata do dinheiro, das e r vaso das ilhas do home do o rei n te, das torres vasco da gama, as e r vaso da ilha da se do ob primeira gata do circulo do homem do ome maior do quadrado ue mora aí

Circulo maior dos do is do g rup do circulo do onze, em cruz riade do quadrado de oitenta do bar do rá da linha, do cir cu dez da t riade da estrela dos do is circulos do segundo circulo , que sas si maior do f az em um in fi ni to eve sica deitada, da cin q u en ta e t r es, x na linha, ness e te mp o fe i to, pi st a au di o vaso id é circulo do poe si às , um pi feito pelo ás do poe , das infor mações au di circulo , o serpente da Cruz

Vaso id é o poe si do bar do rá do as edgar allan poe da se da guida , circulo internet e x p um circulo do rato e re encontrou um problema com o suplemento e necessita fechar, o suplemento que tem o problema é o fla, o musico fla, ou mesmo um outro da fla, dos independentistas dosa acores, visao recente do presidente cavaco nos açores e das histórias dos bastões de prata

Vaso id é o poe si do bar do rá do as edgar allan poe da se da guida , circulo internet e x p um cir u c dez do rato e re en co n t ro uu mp reo ob l ema com o s up le men to e ne ce s sita fec h ar, o s up le men to q ue t em o pr ob l ema é o f l á, o mu sico fla, o u me s mo um o u t ro da f la, dos in d e pen dentistas do sa ac o r es, visao rec en te d o pr e si dente c ava co nos aç o r es e da s h is tó ria sd os bas to es de p r ta

Fla serpente do forte nono do ponto do circulo maior, dos x na empresa ad circulo be sys te ms inc circulo do rp do ar ted, dia espanhol circulo dos gritos da são flash, do forte de la, se home serpente homem de la

F la serpente do forte nono do ponto do circulo maior, dos x na em presa ad circo di cu dez be s y s te ms inc cir cu dez do rp do ar ted, dia e spa n h o l circulo ds o g ritos da são f la s h, do forte de la, se do he serpente homem do oe mm de la


São ina , companhia da são, as tintas da são , da companhia da lui, revista francesa os se guie w te serpente fic do homem da enguia inglesa, do nete nest dos erros, rato el la tó rio de e rato ros dos dois circulos do bar do rá doutor do vaso da me da onda primeira que inclina paulo de fi ni onda primeira da divisão da te do mp do bar do sexto forte de sessenta e um un der s core ap do pp do com da pat do ponto txt, texto fe circulo do homem da ar

São ina , co mp anhia da são, as t in t as da são , da com pan homem do ia da lui, r e vaso ista francesa os se guie w te serpente fic do homem da en guia inglesa da primeira kapa e sa, do nete nest dos ero serpenet do rato el la tó rio de e rato ros dos dois cir cu dez sd o bar do rá doutor do vaso da me da onda primeira que inc l ina paulo de fi ni onda pr i me ira da di visao da te do mp do bar do se x to forte de se s s en ta e um un der s core ap do pp do com da pat do ponto txt, texto fe circulo do homem da ar

Da seguida da net e xe ap pp do ponto da visao de setenta, seis triplos circulos do degass, degraus do seis de setenta e quatro, moa, name fla sh do nono forte do ponto ocx, moda ave de noventa, doze, quadrado do circulo do ff set, circulo duplo primeiro do segunda tríade do oitavo , de oitenta

Da ase da se guida da net e xe a pp do ponto da visao de set en ta, se is t rup dez s circulos do d ega ss, de g ra s u do seis de setenta e quatro, moa, name f la serpente homem do nono forte do ponto ocx, moda ave de n ove en ta, do ze, quadrado do circulo do ff set, circulo duplo primeiro do se gun da t riade do o it avo , de oitenta

Vinham até mim, tres loiras de negro vestidas , o trono não fora construído por nao haver um carpinteiro no Reino e do Reino muito falhou nesse lugar daquilo que os homens mais desatentos chamam de tempo,

Vaso in ham at é mim, t r es loi ira sd ene gata ro v es t id as , o t ron on cão f o ra co ns t rui do por n º cao h ave rum ca r p in te iro no Rei no e do Rei ino mui to f al h o u ness e l u g ar da q u i dez q ue os h o mn es ma si de sat en to sc h amam de te mp circulo,

não será assim meu amor, minha amada, será o reino o amor como sempre o É seremos nos com todo os seres a construi-lo como sempre, quando assim é, pela uniao do amor amado amante,
N cão s eta se rá as si m me u am or, min h a am ad a, se ró oo rei no o am o rc omo se mp reo É ser emo sn os com todo os ser esa c on t r rui do traço ingles de dez c omo sempre, q ua n do as si mé, pe la uniao do amo ra mad o am an te,
o que tem a vida , a nao ser escrever uma canção, assim sao algumas, das ideias que o poeta expressa,

o q ue t ema v id aa n cao ser es c r eve rum a c can çap, as si ms ao al gum as, das id deia s q ue o po eta e x press primeira,
no final, apanha a pena máxima, o máximo tor, a maxima revista

no f in al, ap anha a p en a má x ima, o ma xi mo tor, a maxima r e vaso ista
uma imagem do eléctrico, ao vê-la estabeleceu a ligação e a passagem para outros carris, para um outro fio da história, que um musico me mostrara recentemente num seu espectáculo nas danças deste ano e que se repercutira em forma clara num sincronismo que se manifestar no outro lado da rua, daquele armazém em ruínas , bem à imagem de como vai a arte neste pais e neste mundo,

uma i mage m do el e c t rico, a ove do traço de la est abe le ceu a li g ac sao e a pa s sage mp ar ao u t ros carris, para um outro fi o da h is tó ria, q ue um mu sico me mo s t ra r ar e c en te que mente nu ms eu es pe cta cu de dez nas dan ç as de este ano e q ue se r ep e r cut ira em forma clara nu m sic n c ron is mo q ue se m ani f es t ar no outro l ado da ru am da quadrado da ue le terceiro da arma ze me mr vaso ina sb em à e mage maior de como vaso a si a arte neste e pa is e do ne st e mundo,

craschou o word agora neste preciso ponto, recuperei o documento que se chamava de kennedy dois, e que agora se chama de kennedy tres, o tres que aparecera nos dedos ao digitar no parágrafo anterior, o rua ua am uam da q eu le do terceiro arma ma ze maior em ruínas, ruínas que ecoam, tambem no poema do alberto, rui ina serpente em as segunda ema, a mage deco mo vaso do si da primeira da arte pa is ene neste mundo, kapa en ned do y, ou o que estará por detrás da morte de kennedy, a tal segunda voz que eu ouvi pelo espirito em duas vezes

c ra sc h o u o w o rda agora neste pr e c is o ponto, rec up e rei o doc u men to q ue se c h ama ava de k en ned y do ise q ue a gi o ra sec h ama de k en ned y t re s, o t r es q ue ap rec e ra nos de do sao di gi t ra no para g rafo ant eri ro, o rua ua am uam da q eu le do t e rc e iro arma ma ze maior em rui ina s, ru ina s q ue e coa am, t am b em no po ema do al be r to, rui ina se rp en te em as segunda ema, aa mage deco mo vaso do si da pr i me ria da arte pa is ene neste mundo, kapa en ned do y, ou o que estará por de t ra sd a mor te de kennedy, a t al se gun da do vaso oz quadrado ue e vaso co do circulo do vaso do vi pe dez es pi rito em do as v e ze serpente

e um outro sentido possível, o terceiro do armazém, ou seja o terceiro referenciado nas letras a propósito do armazém, na parte da história que narra o que lá se passou no texto grande do transito do equinócio

e um o ur to s en t ido po ss iv el, o t rec e iro do arma z e mo u seja o t rec e iro refer en cia do nas l e t ra sa pr o p os tio do ar ma ze mna par te da h si tó ria q ue en ar ra o q ue l á se passou no do texto g rande do t ra ns i to do e q u in circulo do cio
no outro lado da rua um bar com um curioso nome, tao curioso que já entes me chamara a atenção, e guardara o habito nesses dias em que meus passos me conduziram com alguma regularidade às danças , olhando lá para dentro ao passar, quando a musica e a performance acabou, uma sonora gargalhada no bar do outro lado da rua ecoou , tanto que eu no fim perguntara-lhe se ee a tinha ouvido , quem melhor que um musico para o ter tambem ouvido, mas não, não a tinha ouvido, só eu é que a ouvi, uma gargalhada , uma sonora gargalhada , alarve, marcara o final do dizer e do contar pela musica do nuno, lá fora na rua , o eco no nome visível wild web whisky, o bailar das bebedeiras na internet, na rede,

no o u t ro l ado da rua um bar com um c ur is on ome, tao cu rio s o q ue j á en t es me c h a mara a at en sao, e guarda rda ra o h abi to ne s sed a is ais em q ue me us passos me c on di vaso zorro iram com al gum ar e gula rid dad e às dan ç as , o l h ando l á para den t ro ao passa r, q ua n do a m u sica e a pe rf o r man ce ac ab o u, uma s on o ra g ar g alha dan ano bar do o u t ro l ad o da rua e co u o , t anto q ue eu no fm pe r gun tara do traço do primeiro ingles see e a tinha o u vi do , q eu m me l hor q ue um mu sico para o te r ta m b em o u vi do, ma sn cão, n cão a tinha o u v id o, s ó eu é q ue ao vaso do vi, uma g ar g alhada , uma son orta g ar g alha da , al ar ve, mar cara o f in al do di ze red o c on t ra pe l o am us i ca do nuno, l á f o ra na rua , o e co nono me v isi v el wild we b w is key, o bail l ar das bebe de iras na ine te r net, na red e,

a imagem do eléctrico , sao tres mãos que agarram o varão, filmado em contra picado e se vendo no assim dizer tecto ovalado, como abobada celeste, o ralo da respiração, o circulo raiado na abobada celeste, rai

i mage maior do primeiro e circulo da cruz rico , sa ot e rato espanhol mao serpente quadrado da ue primeira garra mo vaso do arao, maior da fil do mad oe mc em cruz do ra pi ca do e serpente do vaso do en don circulo do as si maior da di ze rato da tec to ova liza do, como ab circulo da boda da celeste, o ra dez da rata espanhola da pira ds sao, circulo do cir cu primeiro de dez raia dona ab ob ad ac celeste, rai

olho este ultimo parágrafo que agora transcrevi, e nele me aprece o nome de uma outra senhora loira, que poderá corresponder então ao perfil da rainha que conduz a guerra, em vez da outra senhora que antes me aparecia como masi provável, a maria josé nogueira , substituída pela celeste cardona, é mais provável pelo perfil dela, uma senhora arrivista, que curiosamente uma noite encontramos, eu e a teresa a jantar na floresta, o restaurante , que assim não se chama, mas que eu assim chamava, o colina, ao pe da que fora a casa da nossa família, e onde nos gostávamos de jantar, era ainda ela ministra da justiça, jantava com o rapaz que foi depois candidato pelo psd, o rapaz que tem vindo a se suavizar em seu crescer, e a quem eu nestes últimos anos comecei a ver , ou melhor, a observar uma certa doçura, cardona, nunca gostei muito dela, sempre me pareceu uma arrivista, agora ao isto escrever duas coisa aconteceram, uma mola saltou num estendal aqui fora, ao lado direito, e a senhora apareceu a regar as plantas, ouvi no espírito o dizer que ela era profissional, profissional do rito espanhol

olho este u l timo para gato rafo quadrado ue do agora t ra sn circulo do rato e vi, e nel e me ap rec e circulo do n o me de uma outra sem hor a loi ra, q ue p ode rá co rr es ponde r en tao ao pe fil da rai n homem aqui da ue c on du za guerra, em vaso e z da o u t ra sem hor aqui da ue ant es me ap a rec iac omo masi pr ova v el, a m aria jo sé nogueira , s ub s titu id a p e la celeste c ar dona, é masi pr ova ave l pe dez per fil de la, uma s en h ro ar r iv vaso ista, q ue cu rio as que mente uma no ite en c on t ramos, e ue a teresa a j antar na flor est ao r es tau ra n te , q ue as si mn cão se c h ama, mas q ue eu as si mc h ama vao co l ina, ao pe da q ue f o ra ac asa da n os sa f ani lia, e onda no s g os t ava mo sd e j antar, e ra a inda el a min si t ra da j us tiç a, j ant ava com o ra p az q ue f o id ep o is can dida to pe dez ps do ra p za q ue te maior vaso indo ase s ua v iza rem s eu c r es ce rea q eu me u nest es u l t ino san os co me ce ia ave ro u mel hor, a ob sas vera uma ce rta doc u ra, car dona, n un ca g os te i mui to de la, se mp re me ap rec eu uma ar r iv ista, agora ao is to es c r eve r do as co isa anc sargento deitado c on tec e ram, uma mol a sal to un um este n dal aqui f o ra, ao l ado di rei r to, e as en hor a ap ar ceu ar ega ra s p l antas, o u vi no es pei r to o di ze r q ue el a e ra por fi s si on al, pro fi serpente do sin do norte sul rito espanhola p e homem de dez

um dizer escutara eu por esses dias no espirito , foste cunhada, larga tudo, e que este estranho dizer, o que me remetia para a peça , a medalha oriental que me tinha aparecido no caminho, sim diversas bebedeiras usando a rede, é a imagem deles, o horus do horizonte, quando há em demasiada a carga, a bordo fora, perfeita imagem da ligação entre planos e distintos carris, a mais simples linguagem infantil clara e luminosa

um di ze r es cut ar a eu pro ess es dias no es pi rito , f os te c un unha do, l arga tudo, e q ue este es t ra n ho di ze ero q ue me rem e tia para a p eça , a me d alha ori en t al q ue me tinha ap ar e cid on o caminho, si m di v e r sas bebe de iras usa n ado a red e, é a i mage m de le s, o hor us do h ori zon y e, q ua n da h á em de ma si ad aa c arga, a bo r do f o ra, pe rf e i t rai mage m da li g ac sao en t re p l ano se di s tinto sc ar risa mai s simples li n g ua ge m in fan til clara e l vasp vaso do mino sa

o ralo que rodava no video como um excêntrico, algo que desequilibra o carrossel, ou a roda da vida, a mesma imagem reflectida na estante dos brinquedos do quarto de meu filho ainda ausente, dentro da caixa do jogo da gloria, o espirito me dissera para ir ver o conteúdo em dia recente e assim fiz, e lá dentro no tabuleiro dobrado, Tintin e milu, um dvd, que estava inclinado por dois dados que se encontravam por debaixo dele, um lápis preto, um lápis laranja, alguns peões tombados, e agora de novo ao abri-la , os dados marcam, o cinquenta e nove, contado se me recordo, seria, um mais um, onze, almada negreiros, almada barreiro, carlos , ana paula, clara andermatt, e uma estranha noite depois de um jantar

o ra dez q ue roda ava no vi id e o c omo um es c net da cruz rico, e x c en t r i co, al g o q ue de si q u libra o car rose l, o ua roda da v id a, a me s mai mage mr e f l e c t u dana est ante dos br in q eu do sd o q u art ode me u fil ho a inda au s en te, den t rid a c as ix ad o jo g o da gloria, o es pei tio me di ss e ra para i r vaso do ero c on te u do em dia rec en te e as si m fi ze o bari, e l á den t ro no t a bu lei ro do br ado, t in t ine milu, um dv d, q ue est av inc l ina do por do is dad os q ue se e c non t rava am por de ba ix o de le, um l a p i s preto, um l a pi s l a ranja, al g us sn n pe o es tom b ad os, e agora den ovo ao ab r i do traço da inglesa de la , os da dos mor am , o c in q u en ta en ove, contado se me record o, se ria, um mai s um, on ze, al am ad ane g rei ros, al a mad a b ar rei ro, car x dez s , ana paula, c lara ande r mat te uma e ts ra anha no ite d ep o is de um j antar

a inveja, a tremenda , vil, maldosa, tremendamente eficaz a fazer os danos, ou seja quando cunhou, pena máxima!

a in veja, a t r emenda , vi l, m al do sa, t r emenda que mente e fi ca za f aze ero s dan ano os, o u sej quadrado da uam c un ho up en a m á x ima do ponto do x no circulo la maçao

O varão do autocarro , ao qual nos agarramos para não cair, quando se vai junto ao ceu, se alguma vez fora dele estivéssemos, ou, em, as tres mãos no bastão que fizeram o ceu, parte dele ir pelo ralo abaixo?

O ba asa sa id o autocarro , al q ua l no sa g ar ramos pata n cão ca i r, q ua n do se eva i j un to ao ce ise al g uam v e z f o ra del e es t iv ess e mo s, o u, em, as t r es mo a sn p ba s tao q ie fic z r ema o ceu, par te del ir pe dez ra l dez ab a ix o do ponto da foice do ceu

Ralos da roca do eixo barcelona, canárias e da assinatura que aqui se desvelou , um gomo, um quarto do circulo, o musico dos gomos, um musico de uma das bandas de cascais , o grupo reuniao, provável manegment do canguru

Ra dez sd serpenet da roca do e x id circulo do bar cel on ac aná ria seda as sin em tura quadrado ue que aqui se dia espanhol vasp e lou , primeiro gato omo, um quadrado da ua art to do circulo, o mu sico dos homem gatos omo serpente, primeiro musico de uma das ban da ás de ca serpente cais , circulo do gato rup circulo do rato europeu ni ao, pr ova ave primeiro da maior ane g m en cruz do can guru

Na noite da moeda oriental, do oriente, uma chapéu de senhora abandonado, um ursinho cor de rosa, e um eco numa festa pré cannes, com a bela senhora ivana trumps, que de perfil comigo se parece, em si, o eco e o espelho da mesma parte do mesmo símbolo,

Na ano ite da moe da dd ori en t al, do oriente, uma c h ap eu de s en hor a ab ban dona ado, um ur sin homem oco rato da rosa, e um e co nu ma f es ta pr é can n es, com a b e la s en h ro au v ana t rup ps, q ue de per fil co mig o se par e ce, em si, o e co e o es pe l homem do circulo da me s ma da ap da p da arte do serpente mes mo serpente em segundo do olo, o falo do duplo circulo

Uma noite no barreiro, um convite para jantar em casa da ana paula e do carlos, que conhecera pela clara andermatt, e com quem estivéramos todos juntos recentemente , a esse tempo, uns dias em sua casa de família na barragem do bode, barragem onde se dera uma aparente acidente com jovens que a remos, foram albaroados por uma mota de agua e que faleceram em consequência disso,

Uma ni ot te no bar rei ro, um co vi te para j antar em c asa da ana p au la e do car dez serpente, q ue cin he ce ra pe la clara ande r mat te com q eu m est ive ramos todos j un to s rec en te mn net , aa ess e te mp o, u ns dias em s ua cas de f a mila na bar rage m do bidé do bode, onda se de e ra uma ap ar en te ac in de te com os j ove ns q ue f o ram al bar o ad os por uma m ota de a g u a e q ue f al e ce ram em co ns e q u en cia di ss circulo,

Ah que me recordo de um passeio de barco a remos na lua cheia na barragem, como uma estranha neblina, como uma cobertura ou viagem

A h q ue me record ode um pa s seio de bar coa ar emo sn a l ua che ia ana bar rage mc omo uma y est r anha ne b l ina, c omo uma co be r tura o u v ia ge maio ot

A noite no barreiro acabara mal em seu final depois de uma ronda por alguns dos bares da terra, um grupo de africanos que nos ameaçou , especificamente a mim, assim o senti, dizendo, que eu, nós, éramos , ps filhos da puta, os racistas, nao sei o que os jovens viram no grupo, mas certamente em relaçao a mim se enganaram e não gosto de enganos sobre estas matérias e acho-as sempre particularmente perigosas quando existem, tudo isto se passou de uma margem de uma rua para a outra, ou seja, agora nisto pensando, quem os rapazes viram e reconheceram fora certamente o carlos e os do grupo do barreiro, fora a eles certamente que a mensagem fora dirigida

A no ite no bar rei ro ac ab a ram al em s eu f in al d ep o is de uma ron da p o r a l gus sn dos bar es da terra, um g rup ode af ric ano s q ue nos am e ac o u , es pe ci f ica que mente a mim, as simo s en ti, di zendo, q ue e un ó se ramos , ps fil h os da puta, os rac ista s, mao seio o q ue os j ove ns v iram n g rup o, ma s ce rta que mente em r e la çap a mim se en gana ram en cão g os to de en gan os s ob re est as mat é ria se ac ho do traço do ingles as se mp r ep ra rt i cu l ar que mente pe rigo sas q ua n do e x us te m, tudo is to se passou de uma mar ge m de uma riu ap a ra a outra, o u sej a, agora ni s to pen san do, q u emo s ra pa ze s v iram e rec on he ce ram f o ra ce rta w e mn teo car dez se os do g rup o deo bar rei ro, f o ra a el es ce rta que mente q ue a em ns a ge m f o ra di rata e gida

E uma linha de memória que cada vez mais se acentuavam que é tentar perceber, o que ao soube na altura, porque a monica não o explicou, mas uma certeza funda da zanga e a dor que ela trazia com a clara, era bastante masi complexa e profunda, do que apresentou , sem ser a que falou sem falar, exactamente por esta razão, agora assim o entendia, e me parecia cada vez mais plausível, e me recordo das entrevista que fiz ao grupo, individualmente, no ultimo dia, de a monica ter abordado a questão, eu ter tentado pescar , e ela não se descoser, contudo a monica eu a conhecia bem, para ler em sua face e sm seu tod oto tom, e depois a clara em lisboa que insistiu em ver as trinta cassetes inteiras na latina, me pergunto hoje o que é que ela estaria assim a confirmar, que um segredo não teria sido desvelado?


E uma da linha de me mó ria q ue ca ds v e zorro mais se ac en tua ava vam q ue é t en t ar rp e r cebe ro do ero q ue ao s o ub en a al tura, por q ue am oni can cão o e x p l i co um as uma ce r te za f un dada zan ga e ad or q ue el a t ra z ia com ac clara, e ra ba s t ante masi co mp l e xa e pr o f un da, do q ue par es en to use ms e ra de q ue f al o u se m f al ar, e x av tamen te por est a ra z cão, agora as simo en t en dia, e me par e cia c ad ave e z mais p l au s iv el, e me record o das en t revista q ue fi za o g rup o, in di vi d ual que mente, no u l tim o dia, de a m oni ca t r e ab o rda do a q eu s tao, eu te r t en t ado pesca r , e el an cão se de es co se rc on tudo a m oni ca eu a c on he cia b em, para ler em s ua face e sm s eu to d oto tom, e d ep o isa clara em l is boa q ue in sis ti ue m v e ra s t rin t a c as set es in te iras na l a t iv na, me pe r gun to h oje o q ue é q ue el a est aria as sima c on fi mar, ce rt tea q ue um se g red on cão te ria sid o d es v e l ado do ponto da foice do ar

Cabo verde, dentro de mim, pela clara, pela monica, por ele mesmo e um ralo a rodar como um excêntrico, faz um movimento circular que vai desenhando cruzes no conjunto so seu equador, e os dados, uma aposta no casino, no sentido de confusão profunda no seu significado fundo do italiano, um casso, feito remotamente por italia, por alguns italianos, e a clara a servir de entrada, ou mesmo quem sabe, as entradas

C ab bo verde, den t ro de mim, pe la clara, pe la m oni ca, por el e me s mo e um ra dez a ra o d ar rc omo um e c x c en t ric o, f az um mo vi em mn to cir cu primeiro ar q ue v a si de s en h ando c ru ze sn ni cin j un to s o se u equador, e os dad os, uma pao s ta no ca sino, no s en t id o de c o n f u sao pr i fun da no s eu si gn i fi ca do fun da d o italiano, um ca z zo, fe i to r emo tamen te por italia, por al g u ns italianos, e a clara a se r iv r de en t ra da, ou e ms o q eu m s ab e as en t ra da serpente


O c ad a f u dna italiano da di

Se desvela agora no texto , ser então esta gente, quem tem feito as cruzes e tambem a porta de entrada para os diferentes roubos, e vampiragens diversa que aportam nas aguas do ps, cabrões, todos para o inferno que sois e que tendes feito ao longo dos tempos!

Sede serpenet da vela do agora no do texto , ser en tao e ts gente, quadrado eu maior te maior fe e to as cc circulo ru ze set am e segundo em ap da primeira p da orta de en criz ra da para os difer en te serpente do ro do ub os, e vam pira ge ns di vaso e rata sa quadrado do saque, da ue ap circulo do rat mna sg au as do ps, circulo do ab ro espanhol, todos para circulo em fe rn do rato no quadrado da ue serpente do circulo do ise quadrado da ue da cruz en de serpente da fe e to ao primeiro ob gato do circulo do st e mp os do ponto do x no circulo da maça

A monica trazia uma zanga interior muito grande com a clara estava muita zangada com ela, por qualquer coisa que esta teria feito, esta certeza, foi mesmo a única que dela consegui na altura entender em forma clara

A m oni cat ra zorro ia uma zan g a in te rata do iro mui to gata r ande com a clara am est ava mui ta zan gado ac com el ap circulo do rato do quadrado da ual do quadrado eu do rc co isa quadrado da ue est a te ria fe e to, est a c e rata da te zorro da am forte do circulo e mes mo da primeira da única do quadrado da ue de la circulo em se gui na norte sul tura da en t en der em forma clara

No li da linha te mp circulo, vaso id e o poe de si as assim se desvelou no player ao este tudo passado veres azuis e brancas do qual sai a seta ao canto superior so quadrado maior que o envolve nas mesmas cores, na pá usa do circulo segundo do onze dos dois circulos da tríade do quadrado de oitenta do bar do rá do circulo da tríade da estrela do segundo circulo de oitenta e oito, o da ampulheta do ovo cozido, ou da cozedura do livro, o padeiro, do forno do padeiro, e do tempo ou das luzes, ou seja francês, , pois ampulheta com ela se relaciona, e com areia branca tambem, ou coca, o seis das curvas do tempo, ou seus curvas no tempo, que as da escrita da ines agora me desvelaram, de uma relaçao com uma mulher e um homem, ela lhe diz, não há mais wrinklers, curvas no tempo, esgotaram-se, não masi te cubro, sempre que assim acontece, e para te salvar e se vao outros em teu lugar para cá ficares um pedaço mais, assim se misturam as ideias do livro que agora em pedaços reli em passo largo, ou curto, à procura de um significado que a ines me desvela em seu livro que está na minha cruz

No li da linha, li de muitos ham da te mp cir cu do uk circulo do vaso id e circulo do poe de si as assim se de serpente do vaso e lou no da p primeiro do ayer ao este todo passado vaso e rata espanhola az vaso do is e br ancas do quadrado da ual serpente aia da serpente eta ao can to serpente da up e rio rato serpenet do circulo no quadrado maio rato quadrado da ue circulo en vo primeiro vaso da en as me serpente m as co rato espanhola, na pá usa do circulo se gun do circulo do onze dos do is circulos da t riade do quadrado de oitenta do bar do rá do circulo da t riade da estrela do segundo circulo de oitenta e oito, o da a mp vaso do primeiro homem da eta do ovo co z id oo vaso da co ze dura do li vaso do ro, o pa de iro, do forte do circulo dao rn o do pa de iro, e do te mp oo ue das primeiros vasos do ze serpente, circulo do vaso seja fr anc es, , p do circulo da is am p vaso do primeiro da eta com ela se r e la cio na, e com a rei a b r anca tam e segundo mo vaso da coca, circulo da se is das circulos da ur vaso do as do te mp o, circulo do vaso da se us circulo do ur vaso da primeira da sn no te mp circulo, quadrado da ue aa serpente es da es circulo da rita da ines agora me de espanhola vela e vaso e lara vaso maior, da primeira da relaçao com, primeira mul her e um homem, eal do primeiro homem ingles da di zorro, muito cão homem á mia sw rin kapa da ler serpenet, circulo do ur vaso da primeira sn o te mp circulo , espanhol gata da ota ram do traço da inglesa se, muito cão masi te c ub ro, se mp re quadrado da ue as simao cn tec e, e para da te sal vaso do ar e se vao circulo do vaso t ros em te vaso do primeiro lu gata da ra para circulo á forte ica rata espanhola do primeiro pe da aço de mai sas si ms e mi serpente da tu ram da tura maior, as id deia sd circulo do li vaso reo quadrado da ue agora em peda ç os r eli em passo primeiro argo, circulo do vaso do curto, à pr circulo do cura de primeiro do si gn e forte ica do quadrado da ue da primeira ines me dia espanhol da vela em serpente europeia do li vaso do ro quadrado da ue est ána min homem da primeira cruz

O rec tan gilo das co

Uma mulher e um homem, uma relaçao com capacidade de criar curvas na linha do tempo, como ines assim lhes chama, talvez sim, talvez não, só vendo, mas visto, são os diversos movimentos excêntricos e suas nefastas consequências, e a teoria da substituição e do tributo, ou por tributo, é possível assim ser

Uma mul her e um homem do ome da mu ma relaçao com ca pa cidade dec ria rc ur vaso da primeira sn da linha do te mp circulo, circulo onze omo ines as si maior do primeiro do homem ingles do sin do circulo do ro ni serpente mo do circulo do homem ama, cruz alvez si maior, cruz alvez muito cão, serpente do acento no circulo do vaso ingles do, maior serpente do vi st circulo, são os di vaso e rato do serpente do os mo vi e mn ts oe x circulo ingles da cruz rico se serpente di vaso da ua as ne forte do as da cruz as co ns e quadrado do vaso da inglesa cia sea teo ria da serpente ub serpente do titu e çao e do t rib vaso do to, circulo do vaso por cruz da rib do vaso do to, é p os serpenet ive primeiro as si da maria sobral rata

Derivas magnéticas, a ilha em cabo verde, onde um ponto existe, onde a agulha magnética é alterada, ou seja , foi feita uma alteração na linha magnética, na bússola, no norte, do homem, do perfeição correcta das direcções cardinais, um ritual, que altera as posições do homem dentro dele e por consequência fora dele, pois tudo é sempre relaçao,

De rato iva serpente magne tic as, a ilha em ca bo verde, onda primeiro ponto e x iste, onda dea primeira agulha mag ne tic a é norte sul te ra da, e vaso da se j am , forte do circulo da fe ita primeira norte sul l te raçao na linha mag né tica, na segunda ab do vaso us sol ano ao no norte, do homem ome maior, do pr e fe e sao co rr e cta das di rec circulo do corte do circulo do ed car dina si, primeiro ritu norte sul, quadrado da eu da norte sul da te ra as p os e circulo do corte, o espanhol do homem do circulo do omem den cruz ro del e ep circulo do rato do rc do co ns e quadrado da vaso da inglesa cia forte do circulo do ra del ep circulo do is tudo é se mp r e re la sao anca,

De repente me lembro da monica voltar de santo antao, e de me terem trazido umas garrafas de aguardente velha como lá se chama, a que é amarela, sendo a nova branca aguardente de santo antao que se bebia depois do jantar no largo de s vicente onde as gentes circulavam a volta do jardim, em ritual muçulmano sem mesmo dele se darem conta, como uma alteração em vez de um circulo , um circulatio à volta de um rectângulo

De r ep en ns te me l em br o da cm on o i c vo l t ar de santo em tao, me de me te rem t ar z id os umas g ar raf as sd e a guarda damen teve velha do primeiro homem a c omo l á se c h ama, a q ue é am ar e la, s en do ano ova br anca a gu ra dente de santo em tao q ue sebe bia d ep o is do j antar no l argo de s vi v c en te onda dea as gene ts cir culo ova da vam da manha a vo primeiro ta dj jardim, em ritu norte sul primeiro cu primeiro mano se maior me s mo dele se da re mc conta, circulo omo uma norte sul em e ra capo em vaso e serpenet zorro de primeiro do circulo , primeiro cir cu la tio à vo la cruz de um rec tan gula

Me dou conta mais uma vez neste momento da escrita e do escrever, que parece ser uma declinação do narrado por sommerset, o sommer set, o sommer da gulbenkian, onde a irma da clara, a maria de Assis, muitos anos trabalhou, segundo me disse neste ultimo encontro jantar, ao cam voltou ou estaria para voltar, a historia da jovem que passeando por uma ilha dá conta de uma conferencia onde se planeia assassinar todos os presidentes do mundo e um professor sábio, se calhar numa versão masi localizada , em maior pequena escala,, onde quem viu , a rapariga inclusive, pagara com sua própria vida, o desacordo e o conhecimento do facto e do acto, uma morte de um mestre agora se me aflorou a cabeça, o de lima de freitas, e um provável combate com o tal grupo da gulbenkian, e uma outra linha do dizer, do espirito antes de ontem desvelada, a mulher que leva o combate à Igreja.

Me do vaso da conta maior do si da uma dupla vaso e zorro do neste mo men to da espanhol circulo da rita e do espanhol do circulo da rata da eve rata, quadrado ue par e ce ser primeira em dec lina sao don ar ra do por som mer set, circulo do som mer set, círculo do y de dez do som mer da gata do vaso primeiro do ben do kina da kapa da ina, onda primeira irma da clara, a mar ia de as sis, mui to san os cruz ra segundo alho vaso, use da se gun do me di serpente da se do nest e vaso do primeiro tim no en circulo em cruz do ra j antar, ao cam vo primeiro tao vaso duplo do circulo da est aria para vo primeira cruz do volt do ar, primeira do homem do is to ria da j ove maior do quadrado da ue passe ando por uma ilha dá conta de uma circulo em fe ren cia onda se p primeiro da ane ia as sas sin ar todos os pr e si dentes do mundo e um pr circulo do forte do ess circulo do rato s á bi o, se calha ar no ma ave rata sao masi primeira oca liza dam , em maio rp e quadrado do vaso en a espanhola cala,, onda quadrado eu maior vi ua ra pa riga inc pr ie me iro mr us ive, pagara com s ua pr circulo pr ia v id a, ode sac circulo do rato do e circulo em home inglesa cie mn to do foret do ac to e do ac to, uma mor te de um mes t re agora se me af dez ro ua ca beça, ode primeiro ima de freitas, e uma pr ova ave do primeiro com bate com ot norte sul do gato do rup circulo , o da g u primeiro bem k ian, e uma circulo do vaso da cruz do ra linha do di ze rato, do espanhol do pei rito ant espanhola de on te m de serpenet da vela ad a, a mul her do quadrado ue primeiro eva vao circulo com bate à vaso maior da gata rata e princesa primeira.

Puta quatro das guitas, do dinheiro e dos laços pelo dinheiro feitos do help, ou do ingles do disco, segunda puta do onze do ps de cinquenta e um do segundo do circulo de seiscentos da dupla estrela do onze, e puta seis de quarenta e oito do circulo do trinta e oito do primeiro da dupla tríade, e pura sete, puta da cruz do seth dc circulo do primeiro de oitenta, vinte e nove da estrela puta oitava do circulo triplo do sed to da quarta serpente elevada, puta nona do nono, circulo do bar do doc vaso da me do primeiro cardo da pub, de fi do ni da onda da te mp w e rata de setenta e dois ed, di do rato, do duplo circulo do dr wts n trinta e do si exe, maior dor mp pete e mud do circulo final, a pp do com pat do circulo texto, pdt é igual a patrícia, a do blody mary, sunday , blody sunday, m set ti do traço do ingles doc do vaso do homem ingles ts e se t ti do x ambiente no trabalho

Puta q ua t r ro das gui t as, do din he iro e dos l aços pe dez din he iro fe it os do h e l p, o u da in g l es do disco, se gun da p ur a do on ze do ps de cin q eu en ta e um do segundo do cir c uk dez de seis c en t os da d up la estrela do onze, e puta se is de q ur renta e oito do circulo do t rin ta e oito do primeiro da do up la t riade, e p ur a sete, puta da cruz do seth dc circulo do pr ie miro de oitenta, vin te en ove da estrela puta oitava do circulo t rip dez sd o sed dt to da q u art ase rp en te el eva da, puta nona do nono, circulo do bar do doc vaso da me do primeiro cardo da pub, de fi do ni da onda da te mp w e rata de setenta e dois ed, di do rato, do da up dez circulo do dr wts n t rei n ta e do si e xe, maio r dor mp pete e mud do cir u c dez f in al, a pp do com pat do circulo texto, pdt é u gal a patrícia, a do bl o dd y mar y, sunday , b lo dd y sun day ,maior set ti do t ra ç o do ingles doc do vaso do h oe maior ingles ts e se t ti do x am bi en te no t ra do ab alho

A clara mente, uma frase que no espirito se desvelou com certa insistência, nestes últimos tempos, ouvida durante este ultimo transito do equinócio, e só isto ouvi, ainda não ouvi em relaçao a quê, estranho, pois a clara estando nas danças de alkantara, terá sido das poucas que não encontrei, estranha ausência, perguntei por ela disseram-me que estaria a preparar um espectáculo no castelo,

Ac clara mente, uma fr ase q ue no es pi rito se de s ve lou com ce rta in sis ten cia, nest e u l tim os te mp os, o u v id a duran te este ul tim i t ra ns i to do e quino cio, e s ó is to o u vi, a inda na oo u vi em relaçao a q u ê, est ra n ho, p o isa clara est ando nas dan ç as de al kapa e tara, te rá sid o das po u c sa q ue en cão en c on t rei, e ts ra anha au s en cia, pe r gun te ip o r e la di ss e ram do traço da inglesa me q ue est aria a pr epa ra rum es pe cta culo de dez do no do cas telo,

A relaçao com a gulbenkian , o somer ser, o seth do sommer, masi um grupo que assim me faz combate na chamada área da cultura de todos estas bestas em seus jogos de poder e violentos ainda por cima

Primeira da relaçao com a g ul be n k ina mo somer ser, o seth do sommer, masi um g rup o q ue as si m me f az co bate na c h ama da a rea da cu l tura de t oo ds o est as best as em se us j ogo sd ep ode r e viol en to sa inda por c ima

Me recordo em recente passagem pelo acarte, jorge silva melo, discursando para a compacta e inflamada plateia, seria certamente o tempo de uma história daquele grupo onde se move tambem o homem do ps , o tal das barbas, da margem sul, assim o creio, o ideólogo dos bastidores, que encontrara tambem no lançamento do livro do soares no corte ingles, quanto em troca, pela vitória, como lhe chamais?

Me record o em rec en te pa s sage m p e dez ac arte, jo r ge silva do melo, di sc curs ando para a co mp acta e i m flama da p l a teia, se ria ce rta e mn teo te mp o de uam h is tó ria da q eu le g rup o on se s emo maior ove t am b emo h ome m do ps , o t al das barba sd a m ar ge ms vaso primeiro, as simo c rei o, o id e o l ogo dos ba s ti dor es, q ue en c on t ra rat am b em n k i l ança e mn to do loi v ro do soares no c r te ingles, q ua n to em t roca, pe la vi tó ria, c omo l he c h ama is do primeiro do ponto da foice do ar

O co do bate do azimutes, muito bem, razão tinha o acaso como sempre na abertura cega da rosa do mundo, duas vezes neste ultimo equinócio, e uma terceira, que fiz depois, já agora e que reforça o sentido das duas, espantoso, como o destino sempre é, e um anuncio, um rei irá morre, e um acrescento pelo espírito, preço justo, a ver iremos

O co do bate do azimutes, mui to b em, ra za o tinha o acaso co mo se mp rena ab e r tura rac ega da rosa do mundo, do as v e ze serpenet do neste u l tim o e quino cia, e uma da terceira, q ue fi z d ep o is, j á agora e q ue r e f o rça o s en tid o das do as, es pan t oso, co mo o de s tino se mp r e é, e um ano un cio, um rei irá mor r e, e um ac r es cento pe dez es pei r to , pr e ço justo, ave r ir emo serpente

Ardei no inferno na exacta medida e proporção de vosso males

Ard e ino in fe r nona e x cat am med id a e pr o porcao de vaso do osso maior mal primeiro espanhol

Uma clara linha com os socialistas a liga-los no lobi e no campo de batalhas das artes, assim se chamam os iluminados entre si, cobardes, todos ausentes, todos mudos a fingir de cegos, a esta tremenda injustiça, a desvelar como vai pesadíssima a sua consciência e de como seus crimes e factura é muito grande, cobertos até pelo pinóquio, ladroes de ideias, ladroes de lendas pessoais, vazios balões do roubo alheio, protegidos pelos acólitos das sociedades ditas de autores, e até pelos organismos de estado que devem por estas leis velar,, corrupção estendida ao palácio foz, curiosamente um dos outro livros na estante ao abri-lo tambem dava conta de alguns desses senhores constantes, alguns dos quais na chamadas altas autoridades da comunicação por aí fora, já percebi finalmente porquê estão tao altas, estão inflacionados como balões , pelo roubo das ideias alheias, e muitas minhas, assim sobem mais do que são, filhos da puta , corruptos e bandidos e fora da leis

Uma clara linha com os soci al ista sa li g a do apostolo do traço ingles de dez serpente no dez bi e no cam po de bata alha sd as rt es, as si ms e c h amam os i lu mina dos en t re si, co bar de es, todos au s en te s, todos mu do sa f ine g r dec ego sa est a t r emenda in j us tic a, a d es v e l ar como v asi pesa di s sima a s ua co ns cie n cia e de como se us c rim es e f ac tita +e mui to g rande, co be r to sa té pe dez pi no q u io, l ad ro es de id deia s, l ad ro es de l en da s p ess o a is, v az i os bal o es do ro ub o al he io, pr ote gido s p el s o ac o lito sd as soci e dad es ditas de au to r e s w, e at é pe dez serpenet o r gani s m os de estado q ue de eve mp o r est as le is v e lar,, co rr up çao est en dida ao pala cio f z, c u rio sa, mente, um dos outro li v ro sn a est ante ao bari do traço ingles de dezembro t am b em da ava conta de al g u m ns de ss es s en hor e co ns t ant es, al g u ns dos quai s na c h ama da s al t as au tori e dad es da co um ni caçao e por aí f o ra, j á pe r cebi f ina l e mn te por u q e sao tao al t as, es tao in fla cio n ado sc omo ba s l o es , pe dez ro ub das id e ia s al he ias, e mui t as min h as, as si m s ob em mai sd o q ue são, fil h s o da puta , co rr up pt o se ban dido se f o ra da le is

Continuo a olhar a linha das videopoesias, a linha do tempo, quando aquilo de novo crascha
Conti n ua o a olhar a linha das v id e o poe si as, a linha do te mp o, q ua n do a q u i dez de n ovo cta sc homem da primeira


Pt do circulo do sargento deitado em reverse, ou seja para o lado esquerdo, e invertido, certamente, fernandes ferreira ds show do av da di do circulo do deco, aqui a lâmpada, agora, dá um estalido, ah amada tanto gosto eu desta pontuação do espirito , esta musica cantante e constante por todo o universo, o chamado de éter, , a di do deco do rato do segundo circulo do circulo do set

Pt do circulo do d os argento de ita do e mr eve r se, o u seja para o l ado esquerdo, e invertido, ce rta mente, fe rn en de s fe rr e ria ds show do av da di do circulo do deco, aqui a l am pada, agora, dá um est ali dao, a h am ada t ant o gosto eu de st a pon tua circulo do corte elevado cao do es pei rito , esta mu sica can t ante e co ns t ante por todo o uni v e r s oo c h am dao de e te ra di do deco do rato do segundo circulo do circo do cu kapa dez do set, primeiro do circulo

Sevilha, vejo a relação entre wct e a exposição , dois livros se cruzam aqui na estante que simboliza a minha cruz, e as acusações que estas bestas fizeram nomeadamente junto da cia sobre a minha pessoa, como potencial terrorista e assassino, cabrões , morram todos, já!

Se vaso da ilha, vaso do ase do jo à relação den t r e w ct e a e x p os cão de corte , do is li vaso do reo sec ru uza am aqui na est ante quadrado ue si maior bil ica a min h ac ru zorro, e as ac usa ç oe espanhol que est as bet sas fi xe ram no me ad damen da mentira da te j un to da cia serpente do ob rea min homem da primeira pessoa, co mo p ot en cia primeiro te rr circulo do rato dr ista e as sas sino, c ab ro es , mm circulo do rato ram todos, principe á do ponto do x no circulo de la maçao

Espanhol tot esa ac co do ra da di do círculo da renascença, do rc da cancela do can da ce de la, mc can da ce de la do bar do rá da cancela, da praia, aqui ao sul, onde um rapaz do cinema, o nascimento, tem uma casa, onde eu estive uma vez de ferias com a francisca, a francisca que é professora na escola da família soares, o moderno, foda-se que esta teia está por todo o lado!

E spa muito homem do circulo do pr i me rio tot esa ac co do ra da di do cir cu cem da renascença, do rc da cancela do can da ce de la, mc can da ce de la do bar do rá da can ce da primeira, da pr aia, aqui ao sul, onda primeiro rapaz do cinema, o na sc ice mn to, te maior primeira casa, onda eu est ive uma vaso e zorro de fe rato is com a fr e sc isca, a francisca q ue é pr circulo do forte do ess circulo do ra na espanhola co la da forte a milia soares, circulo do mo de rn o, forte circulo da do traço da ingles se q ue est primeira teia est á p o r t oto tot do primeiro ado do porn de la,

Ou seja ainda o cineasta, o nascimento que tambem trás laços com o edgar pera, a relaçao entre os dos livro são as mascaras, aqui já incluídos e o livro que me ofereceram sobre a expo, a imagem do pico no pavilhão da wct na expo de sevilha, a madeira náutica do navio do grupo onze, a reflectir-se na ar, ontem na noite ao passar, pela iluminação da fachada, ali estava um mastro branco igual bem no centro do triângulo de fogo da cas das bestas, ou seja tres, que lá moram, e depois celebram as vitórias como guerreiros compactos nos átrios da acarte, onde certamente lhes abrem as portas, onde as chaves serão de certa forma as mesmas, e o clube tambem, o pico superior da ar, o jaime gama, e a sua origem, o mouro do wct, feita em sevilha, na expo de noventa e dois, um ritual africano, ou um baile de mascaras, feito num baile de mascaras, casa de aspecto tom e cheiro ,veneziano,

Circulo do vaso do seja primeira inda circulo doc ine st a , circulo do nascimento que t am b em t rá s l as circulo de corte do circulo do com o edgar pera, a relaçao en cruz reo ss os dos li vaso do reo são as ma sc ars, quadrado do vaso do e do j á inc lui do ze circulo li vaso do ro que mec circulo fe rec e ram serpente ob rea e x po, primeira e mage maior do pico no p av vaso dp ao primeiro elevado ao da wct na e x p ode se vi primeiro cha do circulo de corte, am ad e ira nau tica don avi circulo do g rup o onze, a r e f l e c tir do y traço da inglesa sena ar, on te mna no ite ao passa rp e la e primeiro vaso da mina sao da f ac h ad a, ali est ava um mas t ro br anco igual be mn o c en t ro do t r ian gula de dez de fogo da cas das be s t as, o u seja cruz rata espanhola, quadrado da ue primeiro á mora me de ep circulo do is cele br am as vi tó ria sc omo g eu r rei ros co mp ac t os nos at rio sd a acarte, onda ce rta mente primeiro homem espanhol do ab rem do às portas, onda as circulo do homem ave espanhol da se ra ode ce rta forma as me s ma se o circulo do primeiro ub e t am b em, o pico s up e rio rda ar, o jaime gama, e a s ua o rige mo mouro do w v da cruz maior feita em sevilha, na expo de n ove en ta e do is, um ritu norte sul africano, circulo do vaso do primeiro baile de mas ca s rf e i ton primeiro baile de masca serpente ra sc asa de as pe c to tom e che iro ,vaso ene zorro do ano,

No do primeiro en co do ding da puta do quadrado do vaso da imagem do mp, cruz do anzol seis para de w de maria de freitas, dr, do w do rs do w deo trinta e dois, ex e ve, eve norton comander cruz do vaso do pe do be do segundo angulo do segundo pi, ao dr do w da cruz sul norte trinta e dois exe, p dois , cinquenta a e um do segundo circulo dos seiscentos do circulo do player da serpente do circulo de nova yorque, a pá gina de sessenta e nove

No do primeiro en co do din g da puta do quadrado do vaso da i mage m do mp, cu rata do zorro do anzol da se is para de w de maria de freitas, dr, do w do rs do w deo trinta e do is, ex e ve, eve no rt muito comander da cruz do vaso do pe do be do se gun do angulo do segundo pi, ao dr do w da cruz sul norte trinta e dois exe, p dois , cin q u en te a e um do segundo circulo dos se i centos do circulo do player da serpente do circulo de nova yorque

Agora o mark aparecia em dia recente no jornal na pagina a seguir aquela onde estava o antonio do acarte, ou ex acarte, ou lá o que for, do jardim de verão dos seis do guardian, mark na casa das ruínas, cedida gentilmente pelo bando do antonio costa, com um ecrã ligado ao fundo como se a ver o antigo spot das danças de noventa e seis, que eu lhe pedira de ver se ele ainda o teria em copia vhs, lixo ao lado, o lixo das danças , e ele no meio da cruz reflectida entre a sombra e a luz que viria do janela, como a marcar o centro da cruz, ele, ou o spot a origem da puta da história que os que assim fizeram, orquestraram para melhor esconder seus atos. Ao lado do pilar da direita, do seu lado da direita, ratado na base, o pilar vermelho da esquerda, uma cruz que me puseram na altura parece ele dizer falando das actividades do festival de alkantara, ou da norte sul, como a ponte, simboliza, a do vinte e cinco de abril, que liga o norte ao sul, ou ainda a norte sul kapa da cantara, do com da tara, qual, se deve então perguntar, a da pedofilia?
Agora circulo do mar kapa ap ar e cia em dia rec en te no jo rn norte sul na pa gina a seguir aquela onda est vao do antonio do acarte, circulo do vaso espanhol do acarte, circulo do vaso de lá o que for, do homem do jardim de eve ra circulo dos se is do g ua r di do ian, mar kapa na circulo da asa das rui en as, ce dida g en til mente pe dez bando do d o antonio costa, com um e circulo do ra primeiro e forte do gado ao fundo como se ave ero do ro antigo do sp ot das danças de noventa e si espanhol, home primeiro quadrado da ue e vaso do primeiro homem ingles da se do pe di ra de verse el e a inda circulo da te ria em co pi do av homem primeiro, li c xo ao primeiro ado, o li vaso do xo da as da sn ci ru c dez do corte as , e el en circulo do mei o da cruz r e f l e x tid primeira en t rea som bra e primeiro do vaso do zorro que vi da iria do jane la, c omo a ma rca ar do aro do centro da cruz, el e, circulo do vaso do circulo do spot a ori ge maior da puta da home da is tó ria quadrado ue os que assim fi ze ram, o r q u es t ra ram para mel hor serpente conde rato serpente do europeu serpente dos cat os do ponto ao primeiro ado da pilar da direita, do serpente eu primeiro ado da direita, rata dona b ase, circulo da pilar vermelho da esquerda, uma cruz quadrado ue me p vaso dp ise ram na al at vaso do ra par e ce el e di ze r f al ando das ac ti b vi dad es do f es t ive l ad e al k anta da tara, circulo do vaso da norte sul, c omo a ponte, s im bo da lixa, ad circulo do vinte e c on co de ab r e primeiro que liga o norte ao sul, circulo do vaso a inda a norte serpente do vaso do primeiro da kapa da can tara , do com da tara, quadrado ual, se de eve en tao pe rato da gun da cruz do ar, ad a pedo fil ia do ponto da foice da ar

Setenta e um , cinco, maio de setenta e um, uma bola vermelha na coluna do índio com o chapéu de penas, assim me diz o pin na circulo latina europa, de um pin que lá me puseram , mas masi tarde certamente, ou que em setenta e um terá sido posto ali ao pé, de onde era a latina , na sta engrácia, ou por aí, ou na tal casa que desce para alfama, onde mais uma vez me apagaram a memória depois de um encontro, senhora, st vaso da di do circulo da sé, aqui está, vaso da cruz da primeira bola em maio de setenta e cinco, ou seja, do seth primeiro da estrela, em setenta e um, em maio,

Set en ta e um , c inc do circulo do maio de sete nat e um, primeira bola vermelha na co primeiro un ad circulo in di circulo do com circulo do chapéu de penas, as si maior da me di zo do pin na circulo latina europa, de um pin quadrado da ue primeiro á me p use ram , mas masi cruz arde ce rta mente, circulo do vaso quadrado ue em sete n ta e um te rá sid circulo do posto ali ao pé, de onda e ra norte sul em cruz ina , na sta en g rac cia, circulo do vaso por í, circulo do vaso natal cas quadrado da ue de sc da ep do para de alfama, onda masi uma vaso e zoe zorro me a paga ram am me emo ria de ep o is de um en c on t ro, s en hor a, st vaso da di do circulo da sé, aqui est á vaso da cruz da pr i me ria bola em maio de sete n ta e c inc o, circulo do vaso do seja, do seth pr i me rio da estrela, em setenta e um, e maior maio,

Na rua ao passar o espirito me acrescenta, o do trinta e um da armada é o do quadrado do musico, a serpenet do x do quadrado brasileiro em alcantara, e me sobe à memória a rapaz brasileiro que apareceu do ceu de bicicleta e se pôs a conversa comigo e luciana nas danças, e das visões seguintes que através e com ele tive

Na rua ao passa ro es pei ro me ac r espanhola centa, o do trinta e um da armada é o do quadrado do mu sico, a se rp ene t do x do quadrado brasileiro em al can tara ram e me serpente do ob e à me mor ia a ra p az br as i lei ro q ue ap rec eu do ceu de bi cic primeiro da eta e se posa circulo on vaso e rata sa co mig oe pr ie miro vaso da cia ana nas danças, e das vv is do circulo espanhol da se gui ny e ts do quadrado ue com em raves de le cruz ive

Aqui o texto, este, pega no ponto já transcrito em texto anterior já publicado, sobre este assunto dos brasis, depois desta publicação onde dava conta parcial do que se passara, e de tambem ter falado da rapariga da baratinha, apareceu uma outra pilar, a patrícia , tambem colega da outra, actriz, já tinha aparecido antes ao lado da Cláudia, em dia anterior à minha publicação, agora de novo apareceu, sozinha, com cara zangada a evocar história antiga, do seu cancro, ah patrícia, que me lembro bem dela, me lembro bem de a ver com a cabeça rapada, fruto do tratamento que fazia para combater o seu cancro do seio que em si se instalara, e me recordo de ter rezado por si nessa altura, e assim a menina se pôs boa de novo, e eu contente na altura fiquei , pois a trazia dentro de meu coração, agora já não sei assim tanto como a devo trazer, pois esta sua evocação depois da publicação sobre a claudia, a história da baratinha, e do tal ricardo, e do tal outro brasileiro que encontrei e que afinal, segundo agora se desvela, aqui nas letras ao passá-las , foi um vaso de vingança, um vaso de vingança que se terá reflectido então nos acontecimentos do japao, assim já nao sei de si em meu coração, e sendo que esta história é complexa e só será desvelada em sua inteireza no final do capitulo do transito do equinócio, onde as responsabilidades serão então apuradas

Aqui do circulo do texto de este pega no ponto do j á t ra ns circulo do rito em texto ante iro princesa za á pub li cado, serpente ene do ob re este as sun to dos br prim e ria do asis, de ep o is de st pub li caçao onda dava conta par cia do prim e rio do quadrado da ue se passa ra, e de t am e segunda em te rf al ado da ra pa riga da bar da primeira pro tinha, apareceu uma outra pilar, a patrícia , tambem colega da outra, actriz, já tinha ap ar e cid circulo das ant espanholas ao primeiro ado da claudia, em dia ant e rata iro à min homem da primeira pub li caçao agora de n ova ap ar e ceu, serpente zorro em homem da primeira, com cara zan gado a eva car homem do si tó ria ant e gata ad circulo seu cancro, primeira home da patrícia, kia quadrado da ue me primeiro em br ob em de la, me primeiro em br ob em dea ave rc com do om primeira ca beça rap ad a, fr vaso do to dot da cruz rata mn en to quadrado ue forte az ia para cp maior bate ero ro serpente europeia do can circulo do ro do si espanhol seio quadrado ue em si se em serpente da tala ra, e me record ode te rata re za do por si ne serpente sa norte sul tura, e as sima menina se da p os boa den ovo, e eu circulo em cruz en tena, etna, norte sul tura fi quadrado da eu ip do circulo isa sta cruz ra z ia den cruz do ro de meu cora sao, agora principe á não seia ss em te maior to circulo omo a devo da cruz do ar ze rp circulo do is est as ua evo caçao de ep circulo do is da pub li ca cristina coutinho caçao serpente do ob vaso rea claudia ac primeiro da ua dia, primeira do homem do is tó ria da bar at i mn homem da primeira, e dot da cruz da al ric arado, e dot al outro brasileiro quadrado da ue en circulo em cruz rei e quadrado da ue af ina primeiro norte sul, se gun do agora se de es ap n hol serpente da vela, aqui nas letras ao pa serpente do sá do traço ingles da sede do la serpente foi primeiro vaso de vingança, um vaso de vingança quadrado da ue sete rá rato e f l e c tid circulo en tao nos ac muito tec ie mn to sd circulo do japao, as si maior principe á não, ana circulo da se id e si em me do vaso cora raçao espanhol serpente inglesa do quadrado da ue est primeira do homem do is tó ria é cp, cpm do circulo do pm p do primeiro ministro, e xa e serpente do can e to no circulo se rá de espanhola vela da e em serpente ua em te ire da za no fi muito norte sul do ca pi t vaso do dezembro do transito do oe quino cio, om dea serpente rata es ponsa bil i dad espanhola se ra circulo do en tao ap ur ad as
este pim vermelho, esta bola vermelha é aspecto capital para se entender o que se passou na china , nest ultimo grande tremor de terra, o pin que ao ver índio no pequeno ecrã do editor do pinnacle, depois de o Windows maker ter de nova craschado me desvelou, de certa forma , uma fala de um índio, pois é o ponto de ligação para a chave que está , nao onde se pensava , ou assim fora induzido a pensar, pelas letras do fernandes ferreira sobre a o seu epicentro, em italia, pela imagem do officio de firenza, se bem que em parte tenham passado por aí, ou melhor aí, se encontrem como sempre tambem espelhados pedaços da mesma verdade, pois imagens de lá, trouxeram tambem seus fios, mas a reposta é encontrada , e assim a ela cheguei, no video gravado em meu leito e aqui neste livro publicado, por ai avancei na compreensão deste evento, sobre o qual tantos, lançaram as mistificações, pois o seu negro impacto foi tremendo!

este pim do maior vermelho, est ab da bola vermelha é as pe circulo do to da capital para se en tender ero quadrado ue se passo un primeira china , nest vaso do primeiro timo gata rande t rata emo rata de terra, circulo do pin quadrado ue ao ove rato indio no pe quadrado do vaso en circulo do ecrã do edi tor do pin na circulo le, de ep circulo do is de circulo do w indo ws maior ak e rato te rato de n ove circulo do ra do sc homem ado, rachado, me de serpente do vaso e lou, de ce rta forma , primeira da fala de primeiro indio, po is é o ponto de li g ac sao para ac home ave que est á , nao onda se p en serpente ava , circulo do vasp as si maior do f circulo do ra indu z id o a p en sar, pe l as l e t ra sd circulo do fernandes ferreira son b r e a circulo do serpente eu ep do pi do centro, em italia, pe la i mage maior do o ff e cio de fi ren za, se b em quadrado da ue em par te tem homem do presunto da am passado por a í, circulo d vaso do mel hor aí, se en c on cruz rem c omo sempre cruz da am e segunda em es pe l h ado serpente ped aços da me s ma v e rda de, po is i mage ns de primeiro á, t ro u xe ram cruz da am e segunda em se us fi os, masa rata da ep do ps do serpente da ota é en circulo em cruz ra da , e as sima el ac che gata eu ino vaso id e circulo da gata do ra vaso do dao em me vaso lei to e au ine neste li vaso ro pub li circulo do ado, por aia vaso san ce ina com rata espanhola sao de este eve do ingles to, serpente ob reo quadrado da ual tan to serpenet da lança ram as mi serpente ti fi caçoes, po is os eu negro e mp pacto forte do circulo di cruz rem en do ponto do quadrado do x em la mação

sabe, bela menina pilar, que em mais pequenina, me recordo de si, com um ar doce, delicada, meia tímida, com um vozinha, assim meio sussurrante, que parece parar entre as silabas, e assim me perdia e encontrava em seu belo olhar, a baratinha que sua amiga claudia em dia recente trazia, e que aqui em capitulo anterior e mesmo, falei, me fez lembrar uma baratinha, de outro tipo, uma batatinha daquelas electrónicas que aparecia numa foto de uma drive aberta que fora há pouco tempo recuperada do vaivém que caiu com sete astronautas dentro,

serpente abe, be la me nina p ila rata, quadrado ue em masi pe quadrado eu nina, me record ed e si, com um ar dc e, deli ca dame ia tim id primeira do ac com primeiro vaso do oz em homem da primeira, primeira ss em me is os us sura muito te, quadrado da ue par e ce pa ra ren cruz rea serpente da cila ba ase as si maior me pe rato dia e en circulo em cruz rava em serpente pen ny eu segundo elo olhar, ab ba ra tinha quadrado da ue sua amiga circulo primeiro au dia em dia rec en te cruz ra zorro ia, e quadrado da ua quadrado au ie mc apit vaso de dez an te iro rem espanhol mo, fa lei, me fez el maior do br ar primeira do ba ra b, segunda tinha, deo circulo da cruz ro t ip circulo, primeira bata tinha da do quadrado da ue de la sele ct ron ica serpente do quadrado da ue ap ar e cia numa f o tao de uma dr ive ab e rta quadrado da ue forte do circulo do ra hp homem á po circulo do vaso ot e mp circulo da rec da el eva são e ra da de ova ive maior quadrado da ue ca e vaso com sete as cruz ra un cruz as den cruz ro,

as notas que trago sobre este visto em meu caderno, são as seguintes, as mais directamente ligadas com este visto da drive encontrada, assim me rezaram,

recuperada a hard drive do space shuttle caido em dois mil e tres

primeiro sargento deitado para a direita, como dois vasos citroen, um no outro no leito encaixado pr e vaso primeiro do traço do quadrado inglês circulo do forte de quarenta e quatro do traço do ingles da ne do x na cruz do sargento deitado para a direita , o primeiro

primeiro sargento deitado para a di rec ita, como do is vaso as os ci cruz rie en, um no outro no lei to en caixa do pr eva serpenet do circulo do primeiro do traço do quadrado in g k espanhol do circulo do forte de quarenta e quadrado da ua cruz rik dina mi c t rac kin gata cruz ra se rep net do circulo de corte, o do ingles da ne do x na cruz do ser g en to deitado para a direita , circulo do primeiro

e a linha dos quadrados na cor castanha como aparecia ontem na chave digital pela china mostrada, treze quadrados, no nove são vesicas, cruz do homem spa da ce da serpenet do home do vaso tt le da di serpente circulo do ove rata do Y is serpenet do homem do circulo do duplo vaso de muitos, da serpente top la un circulo uk do homem p ad trinat e nove primeiro triângulo af te rata da cruz do rá ns do porto francês om da cruz do homem ingles vaso e homem do soluço da latina europeu, as se maior do segundo angulo do Y do susto do angulo ding may terceiro, segundo do duplo circulo do infinito, em circulo do ape do circulo do carnaval da ana ave do rá primeiro angulo

e primeira da linha dos quadrados na cor cast anha como ap ar e cia on te mna circulo do homem ave digital pe la quadrado da china mo st ra dat reza do ze quadra do sn circulo don ove são v e isi ca sc ru z do homem spa da ce da se rp ene t do home do vaso tt le da di serpente circulo do ove rata do Y is se rp ene t do homem do circulo do dia da up dez vaso de muitos, da se rep en te top la un circulo uk do homem p ad t rina t en ove pr i me rio t r ian gula da af te rata da cruz do rá ns do porto fr anc espanhol om da circulo do rato zu do homem ingles vaso e homem serpente do circulo do sol vaso da sao latina europeu, as se maior do segundo angulo do Y do serpente us to do angulo din gata may te rec iro, segundo do duplo circulo do infinito, em circulo do ape do circulo do carnaval da ana ave do rá pr ie mr rio angulo

flor id primeira to segundo da gin pr e la un circulo do homem do pr circulo ce ser ep en te sin gato for cruz homem ingles serpente ts do traço cento e vinte e quarto, miss em ponto da serpente spa co tt and r e ws do bar do rá homam ando vaso da c rata zorro do vaso do bar dor r eu te ur serpente

no meu álbum de fotos ,a s fotos da drive se ordenaram por si mesmas, obedecendo aos critérios alfanuméricos pré estabelecidos, sem nenhuma alteração , entre as duas fotos da drive, ficou a família real russa, fotos do yahoo, a propósito de um artigo sobre seu adn, com novas informações que esclarecem o mistério, ou assim o pretendem fazer,

no me u al b un de f oto sas f oto sd a dr ive se o r dena arma por si me s ma s, ob e dec en do ao sc rite rata do is do circulo do alfa nu mer e coa serpente pr é est abe le cid os, se mn en home uma norte sul e cruz da raçao , en cruz rea sd ua serpente forte oto sd a dr ive, fi co ua f am milia real russa, forte oto sd circulo da y do primeiro homem do duplo circulo infinito deitado, ap rop os i to de um ar ti gato ao serpente do ob rata e se ua dn, com muitos iva dos sin do for mações quadrado ue espanhola clare circulo emo mis te rio, circulo da ua serpente simo pr e tende maria freitas az e rata,

a queda do shuttle, a rapariga que pega as saia da bailarina , a monica, a vesica da rapariga que pegou a saia da menina bailarina de pontas, ou a bailarina das pontas, a que morreu há pouco tempo

aqui eu da do sg u tt le, a ra pa riga q eu pagou a pega as sa isa da ba ila rina , am oni ca, a ve sic a d a ra pa riga q ue p g o ua s aia da m eni na ba ila da rina de pontas o ua ab ila rina das pontas, a que mor r eu h á p o u co te mp cc circulo

do bico do guindaste com tres furos em circulo em seu braço do cabo verde, ou do home de cabo verde, castanho, sua cor de pele sobre prata, oito circulo fabricaram oito cruzes, da rocha dos fios duplos da quarta dimensao so zorro big, quinto estrela rata do Y

do bi co do gui n da st e com t r es f ur os em circulo em s eu br aço do cabo verde, o u do home de cabo verde, cas t anho, s ua cor de pele s ob re p rata, oito circulo do rc e rata do vaso de dez fa br cia ram o i to c ru ze sd a rocha dos fi os du p dez serpente sd daqui do quadrado do vaso da art primeira ad da dimensao serpente do zorro big, quin to da ester e la rata do Y

diz a foto , o ca da ap do pt un de rato serpente do sc do core da tríade segunda do ff nono f oto af da bb de oitenta e tres , quarto quadrado de noventa e sete, ac de sexto forte de cinquenta e seus, quadrado do terceiro de quarenta e cinco e sessenta e dois e seiscentos e dezasseis serpente do homem do vaso tt le, do shuttle, un de rato sc core , rata eco do co da ove red un de rato sc core fata ny segundo zorro , treze da estrela

di iza so oz f oto , oca da ap do pt un de rato serpente do sc do core da t riade segunda do ff nono f oto af da bb de oitenta e tres , q u art o quadrado de n ove en ta e set e, ac de sex to forte de cin q u en ta e se us, q y ad ra do dot ot e rc eiro de quarenta e cinco e se serpente da senta e do is e seis c en to ze de za se is serpente do homem do vaso tt le, do sg u tt le, un de rato sc core , rata eco do co da ove red un de rato sc core fata ny segundo zorro , cruz rata e ze da ester de la

hd do cravo negro no semi arco hd a de noventa e tres, primeiro triângulo de fogo gilo, de noventa e tres, oitenta e cinco, o infinito da estrela, o hexágono do circulo de prata castanho que inclinou o quadrado de parta , nove dentes numa vesica,

hd do c rav one g ron o s emi arc o hd a de n ove en ta e cruz rata espanhola, primeiro t r ian gula de dez de fogo gi dez, de n ove en ta e cruz rata espanhola, oitenta e cinco, o infinito da estrela, o he x a g on o do circulo do prata castanho q ue inc lino vaso do circulo do quadrado de p a rta , n ove den t es numa vaso da ave sica primeira,


serpente w em rata invertida, que tapou o traingulo das muitas aguas n ar do ca da pt estrela circulo quadrado de cinquenta e sete duplo, ba quadrado do infinito, dia quarenta e oito de noventa e cinco e noventa ed cinquenta e quatro de setenta e dois do nono do quadrado do seth da ce do circulo de oitenta e sete un de rato serpente sc core, russia un de raf ts s o sc circulo so czar, circulo za rata un de rato score serpente traço ingles do forte ami le do traço do ingles mo sb onze, primeiro do treze, a barata e do circulo do cinema, a do bico do guindaste de cabo verde

serpente w em rata invertida, q ue t ap ouo t rain gula dez das muitas aguas n ar doca da pt estrela circulo quadrado de cinquenta e sete do up dez, ba q au dr ado do infinito, dia q ua rente e oito de n ove en ta e cinco e noventa ed cinquenta e q eu t ro de sete mn ta e do is do nono do quadrado do seth da ce do circulo de oitenta e sete un de rato serpente sc core, russia un de rat ts serpente do circulo do sc circulo s o czar, circulo za rata un de rato score serpente traço ingles do forte ami le do traço do ingles mo sb onze, primeiro do treze, a barata e do cir cu dez do cin ema, a do bico do gui n da s te d e cabo verde

semi arco ben gala anka triângulo de fogo do forte do bb serpente das pounds de noventa e seis

s emi arco ben gala anka t ria ab gula de dez de fogo do forte do bb serpente das po un ds de n ove en ta e se is

catherine santos, ou o da catarina santos, uma das meninas de lisboa

antonio gamito, fatima lopes, vanessa fernandes, joao garcia, coldplay dolce e garbana anne ge dd es philip starck
cat he rine dos santos

ant oni circulo do gato da am mit circulo , forte me em cruz ima dez p espanhola, van espanhol da sa fe rn ande serpente do jo ao gata ar cia, co primeiro da dp primeira a y do primeiro ice ega r e b ana anne ge dd espanhol do ph i primeiro ip st ar ck

lilith my destiny, jean seberg

primeiro do onze do it homem maior do y dia espanhol ti ny, j e anse berg

liliht , innanam suméria deusa da guerra e do prazer sexual, liliht, ur, liliht, midrash, alphabet of bem sira circulo do cat sas,
´
l i li t h , in n a w n am s um eri ad e isa da g eu rr a e do pr oz ze r se x u al, li l it h, ur, li l it homem maior cruz dr ash, norte sul ph primeira bet circulo do forte segundo em serpente ira circulo do cat sas,

jean seberg, rue longchamp jean do homem as ni do x que me fizeram em setenta e cinco

jean se berg, rue li ng circulo do homem da am ps jean do homem as ni do x que me fi ze ram em sete n ta e cic no

di ego maior y da r ling, for g ive me i can no more life, l ive ne ws, w it h m y primeiro car ne irao deitado, set in v e r tid o, do nono de sete n ta en ove

di e g om y da r ling, for g ive me ican no more li fe, l ive ne ws, w it h m y pr i me iro car ne irao deitado, set invertido, do nono de setenta e nove

di ego mai ro y do ap ps t olo do ar li ng for g oto ive me i can no more, l ive w it homem m y ne rato vaso es pan ho primeiro

no com men ts cento e vinte e cinco homem as ni ap pa ren ts vaso e cid e

did gossip kill her hamadi, cruz rage da dia do ponto sobre o vaso vv , o tigre dorothy do traço do ingles oz do terço do inglês ed , e quatrocentos coups, a morte de cristo, ni fórum picoas

di id gato do os serpente do ip kapa do vaso do ll her homem da am ad di cruz rage da dia do ponto sobre o vaso vv , o tigre do rato da ot homem do y, do traço do ingles oz do terço do in gata primeiro ess ed , e quadrado da ua cruz da roc en to sc circulo ups, a primeira mor te dec ru serpente to, ni forte do circulo do rum pi co as

deguelasse, o marinheiro, quadrado com um vaso de agua no centro cima ao meio, do qual nasce Y dois traços horizontais na vertical direita e um vaso deitado em cunha para dentro do quadrado do lado esquerdo, uma rapariga, com o cabelo em trança para o lado esquerdo

de g eu primeiro as se, o marin he iro, quadrado com um vaso de agua no c en t roc ima ao meio, do q ual na sc e Y do is t ra s ç s o h ori zon tasi na ave r tica norte sul direita e um vaso deitado em cunha para den t ro do quadrado do primeiro ado esquerdo, uma ra pa riga, com o ca belo em t ra n ça para circulo do primeiro ado espanhol quadrado eu rato dao

e entre o quadrado e a rapariga, a baixo, uma vela com um y verticalmente invertido

e en cruz reo quadrado e a ra pa riga am, ab a ix circulo , primeira vela dc om primeiro y v erica maior primeiro e mn te in vaso e rata tid ri di id circulo

vaso ot us

o circulo de press sao do pc da di , o circulo de press sao em noventa e oito
rata e la cv vi em ado com circulo do amaral do pc, da el eva sao da p la cruz riade do co primeiro da cruz da figueira

pa ç os de serpenet da se homem o je se não sei quadrado eu mn cão vaso en cere muito cão se e quadrado ue rato duplo

as folhas se levantaram em turbilhão ali para os lados da garagem
ao passar o desequilibro me mostrara um livro num banco de um carro, ali mais ou menos para a fatima lopes, a outra, ou a mesma, crime e castigo, dostoiesvky, mais um aves aveiro, masi uma vez russia, masi o vez o josé guimaraes na revista do dn a aparecer

as forte do circulo do prim e rio homem as se el van tara ram em cruz ur bil h ao al ip do para os l ado sd a g ar a ge mao passa ro de si quadrado do vaso e li br rio me mo st ra r au maior li v ro num ban co de dia eu mc car ro, al e mai serpente do circulo do vaso primeiro en os para a fatima dez p es, ao vaso da cruz ra, circulo da ua me serpente ma, circulo rim ee cas ti gato circulo, do serpente toi espanhol vaso kapa do y, mai serpente primeira ave espanhola aveiro, masi uma vaso e zorro rei serpente sia, ma si ove zo jo sé gui mara espanhol na rata e vaso ista do dn a ap ar e ce rato

entrei no prédio, uma rapariga gritava mas seria de prazer, assim me pareceu, nos limites da dor, como nas vezes ele assim é,

en cruz rei no pr é di circulo, uma ra pa riga gata rita ava mas se ria de pr az e ra serpenet si maior me par e ceu, nos li mit es da do espanhola, co mo nas vaso e ze se rp ene y t da sele, el e as si mé,

special kellog invertido debaixo do alfa romeo vermelho, www do ponto vo it us pt gato seis zorro rua miguel ro do gil, da as do to dos computadores , ré o belga seria

spe cia primeiro k e ll circulo do gato serpente in v e r tid ode ba ix circulo do alfa rome ove rato maior do primeiro ho, www do ponto vo it us pt gato seis zorro rua miguel ro do gil, da as do to dos com p vaso do tao dor es , reo circulo be primeiro gato ase ria


o ciclone se formou na ra respiração do ba y circulo do forte bem gal angulo

o cic l one se for mo un a ra r es pira sao do ba y circulo do forte be m gal l x angulo



e seguem outras minhas ultimas notas escritas até ao momento neste segundo caderno, não inteiramente passado ainda, bem como a anterior, com as seguintes ultimas notas

e se g ue u ema s min h as u l tim a sn ota s es c rita sa té ao mo m en to nest e se gun do ca de rn o, n cão in te ira mn te passado a inda, b em com kapa de dez ant e u iro, com as se gui n te s u l tim a sn ota serpenet

a china tem razão ao dizer que é necessário pedir metas concretas, depois no parlamento o benedit cohen, muito excitado a perguntar a sarkozy, porque razão cobria ele a china, ao estar presente na abertura dos jogos olímpicos, chamava-lhe ele, de masquarade, do partido comunista chinês, masquarade, me ficou a reverbar em mosqueteiros,

ac china te mr az cao ao di ze r q ue é ne ce s sa ´ rio pe di r met as c on c r eta sd ep o is no par la men to o b ene di tc o h en, mui to e x cita do ap e r gun t ra a s ar k oz i, por q ue ra z ao co br ia el e ac h ina, ao e ts ra pr es en te na ab e r tura do sj g os o o li mp picos, c h am ava do traço da inglesa se do primeiro homem el e, de masquarade, do par t id o comunista chinês, mas q ua ra de, me fi co ua r eve rba ar em mo s q eu te iro s,

celeste cardona, a dos cardos, e não maria josé

cel este c o r dona, ad os cardos, en cão mar ia do josé

sonho acordado, a caminho do centro cultural da figueira à porta

som mn muito homem do circulo do ac do aço do circulo do rda do, ac em muitos home norte sul doc en cruz ro cu do primeiro vaso da cruz norte sul, serpente do vaso do primeiro da figueira à p orta

pilar patrícia , no casaco, a imagem da ponte, ne s do traingulo de fogo em cunha aberto em sua base a queda de entre rios, a linha do santana

pi lar pat ric cia ia , no ca sac o, a i mage m da p on te, ne sd o t rai n gula de fogo em cunha ab e r to em s ua b ase aqui da eu dad de entre rios, primeira da linha do santana

mistério de sintra , o aviador, os aviões caídos, inclusive o dos militares na ericeira e a ponte do triângulo de fogo de entre rios

mis té rio de sin t ra , o avi a dor, os avi o es ca id os, inc luis v e o dos militares na ericeira e a p on te do t ria do ab gula de fogo de entre rios

a poalha dos raios de luz, que eu desenhei nos video do ney matogrosso, com letra do tiago torres da silva, ou a silva da torre do tiago, a ver masi em detalhe o que se ve na imagem do video gravado no monte da lua, o ser alada qui me conta, da entrada da espiral do arame branco dentro da vesica, as asas que fizeram a sombra , a vesica do aviador do mistério de sintra

a poe do primeiro da primeira do homem da ad os rai os de luz, primeiro vaso do zorro q ue e vaso do de se maior do hein os vaso do id e o do ne y mato gato rosso, com letra do tia gata oto rr espanhola da silva, circulo da ua da silva da torre do tiago, ave rata masi em det da cruz eta do alho circulo quadrado da ue serpente eve na i mage maior do video g rava don do circulo do monte da lua, o se r a l ad a qui me conta, da entrada da es pi ra primeiro do arame br anco den t ro da ave sica, as a sas quadrado da ue fi ze ram a s om br a , ave sica do avi a dor do mis te rio de sin cruz ra

o alemão da july, ou da julia, de hambúrguer, ou do hamburger, he a w do tridente da y w pera da cruz do rom ps son vladmir kapa vi ts kapa circulo of vaso do x na rai ne ukraine, , ina vareta do b f do bar do rá do traço por debaixo do duplo vaso do bo da ana ed circulo do campeonato dos peso pesados, o terceiro que aparece no texto sobre as danças, no texto grande sobre o transito do equinócio, o das sombras na russia, o pato primeiro do big brother, da celeste da figueira , a vesica do mistério de sintra, o vladmir de hamburger

o al e mao da july, o u da julia, de ham b ur ge ro ero vaso do hamburger, he a w do tridente da y w pera da cruz do rom ps son vaso do primeiro da ad mir kapa vi ts kapa circulo of vaso do x na rai ne uk ariane, , ina vareta do beef do bar do rá do traço por debaixo do da up dez vaso do bo da ana ed circulo do cam pe on a to dos pe os pesa do s, o te rc e iro q ue ap ar e ce no texto sobre as dna ç as, no te x to g rande s ob reo t ra ns i to do e quino cio, o das s om br as na ru ss ia, o pato pr i me iro do big brother, da celeste da figueira , ave da isca do mis té rio de sintra, circulo do vaso do primeiro da ad do mir de ham b ur ge rara

fora a frente x dentro a frente x frente a frente, o ponto da direita da cassete de video, do ponto intermédio entre os dois circulos da televisão, os dois pontos do percentil, do ponto da direita fora do rectângulo do ponto interior do rectângulo à direita e do ponto de fora à esquerda de um outro rectângulo, ao lado de dois circulos em seu interior, num conjunto de sete rectângulos, estando no setimo, o ponto no meio da linha da direita do rectângulo

f o ra a fr ente x den t ro a fr en te x fr en tea fe rn te, o ponto d direita da cassete de v id e o, do ponto in te r me di o en t reo sd o is circulos da tele visao, os s o id pontos do pe rc do circulo do en til, do ponto da direita f circulo do ra do rec tan gula do ponto ine t rata do iro do rec tan gula à direita e do ponto de fora à es quadrado do vaso da rda de um outro rec tan gula, ao primeiro ado de do is circulos em serpente eu inglesa em te rio rn do primeiro circulo em j un to de sete rec tan gulas, est ando no set e mo, o ponto no meio do circulo da linha da di rei ta do rec tan gata do vaso de dezembro

dai resultara m )( )( , uma vesica, um x em duas outras vesicas, ou seja a compressão, enter dois pares de semi circulos, dentro de um vesica deu origem a um x em outras duas À sua direita

da i re sul tara m de )( )( , uma ave sica, um x em do as outras vaso e sica s, cir u circulo de dez do vaso sej ac om press sao, en te r do is par es de s emi circulos, den t ro de primeira vesica de u ori g ema um x em ou t ra duas À s ua di rei ta
e cruz no rato espanhol dos furacões, o mis té rio do s f ur ac o es, e do ri rua l opera do no monte da lua, q ue se pr en de mc com om a real iza sao dos f ur ac o es, as sun to ab o rda don o li vaso do ro na norte sul tura de serpente eu vaso e rato,

ver, não ver, ligado, desligado, zero e um, no seguinte código, zero, um , um , dois, zero, um, um dois, um zero, ou seja doze, zero, um, doze, dez, trinta e um, trinta e um, o duplo do trinta e um da armada, doze, zero um, doze, dez, treze, zero um, treze, dez, a converter em código binário

vaso e rn cão do ver, li gado, de s li gado, z ero e um, no se gui n te có di gato oz ero, um , um , ou seja do grupo onze, do is, segundo zorro do ero, do onze do is, primeiro zorro ero, circulo do vaso do seja do ze, zorro do ero, primeiro em dezembro,, dez, e do trinta e um, t rin ta e primeiro do circulo duplo do trinta e um da armada, do ze, zorro ero primeiro, do ze oz e dez, treze, zorro ero do primeiro do treze, dez, ac on vasp e rata te rata das micros ondas, em código binário

um equivale a dois do bar do rá do duplo do trinta um, o do mne do circulo europeu do circulo europeu do ro do mne do europeu n o mário tenezis são, a tenezis são do mário, o do big brother, o sete pianista é o primeiro seth.,

um e q u iva k lea do is do bar do rá do dia da up dez do trinta um, o do mne do circulo europeu do circulo europeu do ro do mne do europeu n o mário t ene za são, a t ene ze são do mário, o do g big br ot her, o set e pi ani s ta é o pr i me iro seth.,

sin di cato da cruz do ra segundo alho do extra p da ode de ix ar de ser pa go cm ac or do ode sim di cato ad pat pta bil dade hor aria da rima com red vaso da são di custo cruz ra segundo alho co dos dois circulos da serpente da eleva são, le men da cruz ar, o carril direito no video, de vinte e quatro de dezembro , o ano das contas furadas, cruz ru f as caviar do jantar, a esfera no circulo,

sin di cato da cruz do ra segundo alho do extra p da ode de ix ar de ser pa gata do circulo do cm ac or do ode sim di cato ad pat pta bil dade hor aria da rima com red vaso da são di custo cruz ra segundo alho co dos dois circulos da serpente da eleva são, le do homem ingles da cruz ar, o car ru primeiro direito no v id e id e vinte e quatro de dezembro , o ano das contas furadas, circulo uk do ru x ru forte as caviar do jantar, a esfera no circulo, que o extravasa, quadrado europeu do circulo oe do x cruz rava asa




durao chega ao japao, trás os lírios, a semelhança da imagem da minha estante, como não deve ter tido o tempo de encontrar algo masi parecido, levava os lírios dentro de um saco de papel pardo da cor da moldura de barro, que os enquadra e suporta, comprados no centro comercial de benfica, onde a mae do jesus, a linda, que comigo trabalhara na latina europa tinha tambem, não sei se ainda terá, uma loja de roupa em pele,

durao che ega ao j ap do pao, t rá s os li rio sa se mel homem anca da i mage maior da min h a e ts ant e, co mo n cão de eve te rato da tid circulo duplo do infinito deitado te mp ode en c on cruz rata da ar norte sul gato do circulo masi par ce id o, l eva ava os li rio sd en cruz ro de um sac ode pa ep primeiro pardo da cor da mol dura de bar ro, q ue os en quadra e s up porta, co mp ra do sn circulo do centro co mer cia primeiro de ben do f ica, onda primeira a mae do jesus, a linda, quadrado ue co mig cu rc y dez ot t ra ba alha rana l at ina e ur pa tinha t am b em, n cão se ise a inda te rá, uma li j a de ro up a em pe le,

depois o saco, passara para a mão da uva, como quem dizia com um ar enrascado que a uva dali viera, a uva do barro que dera origem aos lírios brancos

de ep o is circulo da serpente do ac do circulo da passa ra para primeira mão da uva, co mo quadrado eu maior di zorro ia com um ar a en ra sc a dao quadrado ue primeira uva dali do viera, a uva do bar ro quadrado da ue de ra ori g ema mao os li rio sb ra n co serpente

na mesa do jantar da falta de vergonha na cara, um segredo outro se desvelava, vinte e quatro pratos, ou a refeição do primeira onda na véspera do primeiro natal, curioso pormenor se desvelava entre o enquadramento da foto on line do jornal dos bandidos que beijam o rabo ao socrates como agora de novo fizeram em dia recente em lauda de pagina estendida, e a foto que depois saia na capa desse dia, os dois primeiros pratos do topo da mesa, o mais próximo, estavam cortados, apresentavam-se como dois semi circulos nas corres azuis e amarelas, pratos muito bonitos em seu desenho, como é habito oriental e especificamente japonês, o que não o era, era a quebra da harmonia nas duas linhas de convidados, o durao lá ao fundo, parecia estar fora da mesa, porque desequilibrava as duas linhas dos dirigentes mundiais sentados nela, a uva era a segunda do lado esquerda da mesa, vista na perspectiva da mesa, e o durao o ultimo , assim se lia entre as quatro linhas da mesa, oi seja masi as duas linhas que estavam por detrás dos convivas sentados a comer, o cinquenta e oito do bar do rá de oitenta e tres


no meu caderno , desenhei os carris, cinco de um lado em linha por detrás da linha da esquerda e tres por detrás da linha da direita à mesa sentada, e dois semi circulos azuis e amarelos, sendo o da esquerda, o que tem em seu interior dois pontos , dois pontos no semi circulo da esquerda das duas linhas de dirigentes, que no horizonte fazem como que duas bomps no amor

na mesa do j antar da f al ta de eve rata do gato em home primeiro da cara, um se gato red circulo do outro se de es vela ava, vinte e quatro p ratos, circulo da ua rato da efe e sao do primeira onda na vaso da es ap n hola pera do pr i me iro nat da noret sul, cu rio serpente do circulo do pormenor se de es vela ava en t reo en q ra dame n to da f oto on l ine do jo rna norte sul dos bandidos quadrado da ue bei j am o ra bo ao s o c rate sc omo agora den ovo fi ze ram em dia rec en te em l au da d e pa gina est en dida, e a f oto q ue de p o is s aia na c ap a de ss e dia, os do is pr i me iro s pr tao sd oto p o da mesa, o mai s pr ox i mo, est av mc orta do s, ap r es en t ava am do y traço da inglesa sec omo do is da serpente emi circulos nas co rr espanholas do az vaso do ise mar e la serpente, pr tao sm vaso e to bonitos em serpente eu de serpente en ho, circulo omo é homem abi to ori en cruz norte sul e espanhol do pe ci f ica mn te principe do ciep ap one espanhol, o quadrado ue en cão oe ra, e ra aqui do eu br primeira da home ar moni ana sd circulo as linhas de circulo em vi dad os, circulo durao primeiro á circulo da primeira fi un do, par e cia est raf circulo ra da mesa, por quadrado ue de se e quadrado do vaso e li br va as do as linhas dos di ri gata en te serpente mun dia is serpente en cruz ado sn el a primeira, a uva e ra ase da gun dad circulo do primeiro ado esquerda da mesa, vaso ista na pe rata serpente do pe circulo da cruz iva da mesa, e o durao circulo do vaso primeiro tim circulo , as si ms e lia en cruz rea serpente quatro das linhas da mesa, circulo e seja masi as do as linhas quadrado ue eta ava am por det cruz ra sd os circulo em vaso iva ss en cruz ado sa co mer, o cin quadrado do vaso do en ta e circulo da it ro do bar do rá de oitenta e tres

no meu caderno, desenhei os carris, cinco de um lado em linha por detrás da linha da esquerda e tres por detrás da linha da direita à mesa sentada, e dois semi circulos azuis e amarelos, sendo o da esquerda, o que tem em seu interior dois pontos , dois pontos no semi circulo da esquerda das duas linhas de dirigentes, que no horizonte fazem como que duas bomps no amor

no me vaso do caderno, de sen he e os carris, c inc ode um primeiro ado em linha por de t ra sd a linha da es eu rda e t r es por de t ra sd a linha da di rei ta à mesa sen t ad a, e do is s emi circulos az u ise am ar e dez serpente, s en do o da esquerda, o que tem em seu in te rio r do is pontos , dois ponto sn circulo da s emi circulo da esquerda das duas linhas de di rige en te sm, quadrado da ue no horizonte f az em como q ue du as bo mp ps no amo do rato

n k no ano das contas furadas, no dia vinte e q ua t ro, circulo do vaso do sej no dia do nat norte sul natal, circulo do cha da te au do traço do sexto gato rata do onze, e cruz no se gun do dia do circulo duplo do circulo da estrela, em life, ac e rca moura, de set en te, circulo do vaso do circulo do sete , eu ro serpente do circulo do ado gato do ar raf primeira

caviar salmão fumado, bifes de vaca de quioto, e espargos brancos , vinte e cinco chefes japoneses e estrangeiros, d, ponto do tres elevado , igual a nove, ou seja ano de noventa e dois para abreviara um pouco as contas, guiados pelo michelin, pelo cozinheiro dos pneus

ca vi ar sal mão f uma do, bi f es de vaso do ac primeira do quadrado do vaso e oto, e es par gato do os br anco se , vinte e c inc o che efe s j ap one s es e es t ra n geiro sd, ponto do tres el eva do , i gato do vaso da ala n ove, circulo do vaso do seja ano de n ove en ta e do is para ab r e vi ar a um pouco as c on t as, gui ad os pelo mic he lin, pe dez do primeiro do circulo do c oz in he iro dos pn e us

o deco ro dos lider es do galo do japao, Etiópia, Tanzânia, e Senegal, do mini circulo da br rita em serpente da ale da cruz do home ingles dr ingles citado, o cinquenta e oito do bar do rá de oitenta e tres

o deco ro dos lider espanhol do galo do j ap primeira p eti do circulo do pi primeira da pia, tam z ani a, es ene gal, do mini circulo da br rita em serpente da ale da cruz do home ingles dr ingles citado, o cinquenta e oito do vaso do ar do bar do rá de oitenta e tres

adeus, senhor porcao da pie ,

ad eu us, s en hor por cao da pi e

um lio do rabino da vontade, o homem que aparece tambem no portefolio da morte de kennedy, um home que teve muita importância nas políticas de guerra americanas, nomeadamente naquela que é citada no video antes da facada, a do Vietname, os do b cinquenta e dois,

um li circulo do rabino da vontade, o h omem do omem quadrado da ue ap do par e ce t am b em no porte f o li circulo da morte de kennedy, um home quadrado da europeu da teve mui ta i mp orta n cia nas poli tica sd e guerra am e rc cia anas, no me ad damen te na do quadrado eu la quadrado ue é cita dano ano v id e o ant es da f ac ad aa do vi e t na me, os b c in q u en ta e do is,

mas que lio é este que agora se afirma para além de todos estes passados

mas quadrado ue li circulo é este quadrado da ue agora se af irma para norte sul é maior de todos estes passados

uma morte mais ocorrera, antes um dvd que eu comprara que viera com o jornal dos bandidos e que ainda estava fechado, caíra da minha mesa ao chão, ainda deve estar no sitio onde caíra, por detrás do móvel que suporta a asa com tres gavetas

uma am mor orte masi oco rr e ra, ant es um dv do quadrado da ue e vaso do co mp r ar aqui do ue vieira com o jo rna da norte sul dos bandidos e quadrado da ue a inda est ava fe circulo do homem ad o , ca ira da min ham mesa ao circulo onze do homem do primeiro acento no acento do circulo da primeira inda de eve est ar no siti o onda ca ira, por de t ra sd om omo ove primeiro quadrado ue s up orta a asa com cruz rata espanhola gata ave eta serpente

e depois na cas onde agora estou, o vira, e ao vê-lo de novo meu coração deu um baque, pois a chave da morte da menina russa modelo, que em sua aparência se teria deitado de sua cas em nova yorque, estatelando-se no chao, ali estava espelhada, e de repente percebi, que a queda do dvd na minha secretária tinha sido o anuncio do que ia ocorrer,

e dp o is na cas onda agora est to vaso do circulo do vaso da ira, e ao v e do traço on g le sd e dez den ovo me vasos coração de vaso do primeiro baque, po isac home ave da mor te da me nina russa mode dez, q ue em serpente da ua ap e ren cia sete ria de ita do de serpente da ua cas em n ova y o i ru q we, est a te lan do traço da inglesa se no c h ao, ali est v a es pe l h ad a, e de r ep en te pe r cebi, quadrado da ue primeira queda do dv dna min homem da primeira secret ária toi n h as id oo au nico do quadrado da ue ia oco rr e rat,

ontem de manha, o dia se levantou pleno de luz, aqui ao sul onde estou e onde o mar é o horizonte sem fim, depois as nuvens chegaram e esconderam o ceu e de repente uma cruz perfeita e luz por entre elas se desenhou e se espelhou, depois a cruz se transformou em perfeita adaga, a ponta da adaga apontou então o quadro do picasso , na parede,

on te m de manha, o dia se l eva n to up l en ode luz, aqui ao sul onda es to ue onda circulo do mar é circulo do horizonte serpente em fi maior, de ep o isa sas de muitos vasos da ne serpente espanhola che ega ram e es conde ram do circulo do ceu e de rara da ep en te da primeira cruz pe rf e ita e luz por en cruz rata ee primeiro as se de s en homem do circulo daa ue se es pe primeiro do home do circulo do vaso, de ep o isa cruz se t ra sn for mo ue mp e rf e ita adaga, ap on ta da adaga ap on to ue en tao o quadro do pi casso, na pa rede da parede, assim o homem aqui se espelhou

em moldura azul rectângulo, azul e branco, de uma reprodução de um picasso, feito em mil novecentos e quatro, duzentos meisrerweke picasso pastelle zeichningen aquarele, kunstsannlung nr w quatro mil dusseeldorf, grabbeplatz cinco, quatorze de juni bis vinte e sete, juli de mil novecentos e oitenta e seis, taglichi dez bis vaso do homem rata monta da varte que atravessa a gata serpnete do gato espanhol circulo do homem olo ss en do picasso pa s da tele, do cinema da serpente de nova yorque, de denver power, dv dia do traço do seth do circulo do sexto da kapa, teac, higland sc oto pe rato da fe maior do martini de roma, do gordon apostolo da serpente de spe cia al london, cr do y gin quatro circulos de verga entrançada como bases, sobre circulo da energia da galp quadrado laranja , verde em circulo branco, sobre nove quadrados empilhados começando no branco e alternado com outros de filete azul e amarelo com dez bandeiras náuticas azuis com cruz amarela da ane do jo do havana club , circulo vermelho com um home de bastão como uma silhueta de professor

em mode vaso do primeiro ra az vaso do primeiro rec tang da gula do vaso de dez, az vaso do le do branco, de uma rata da ep ru cc sao de primeiro do pi casso, fe it o em mil novecentos e quatro, du zen to s me e is rata e rato we ke pi casso pa serpente da te ll e ze e circulo do homem nin gato en aqua rata e le, kapa da un ns tsa muito nl un gata muito rata do w quatro mil du serpente see primeiro do orf, carmina, da carminho, gata do ra bb ep primeiro at zorro do circulo inc circulo, quadrado da ua tor ze de princesa uni bi serpente vinte e sete, juli de mil novecentos e it en ta e se us, tag à gata do lichi dez bi serpente vaso do homem rata monta da vaso da arte quadrado da ue at rata eve ess sa gata se rp nete do gato espanhol pen home do circulo do primeiro do homem olo ss en do picasso pa serpente da tele, do cinema da serpente de nova yorque, de denver power, dv dia do traço do seth do circulo do sexto da kapa, teac, higland sc oto pe rato da fe maior do martini de roma, do gordon apostolo da serpente de spe cia al london, circulo rato do y da gin com quatro circulos de eve rata da gata de en trança da circulo omo segunda ase espanhola feito com base, serpente ob rec irc vaso de dezembro da energia da gal p quadrado laranja , verde em circulo branco, serpenet do ob ren ove quadrados em mp ilha do sc ome circulo do corte ando no br anco e norte sul te rna doc omo vaso da cruz ro sd e filete az vaso do primeiro e amarelo com dez bandeira sn au it tc as az vaso do is com cruz am ar e la da ane do jo do havana club do circulo vermelho com, primeiro home de ba serpente tao do infinito deitado circulo omo da uma si primeiro home do vaso da eta de professor ba serpente do tao


a ponta vermelho e prata do feito invertido no japão, do semi circulo das nuvens da gaivota branca e azul, na lua cor de café em quarto decrescente, assim me mostra ao momento o ser alado, que masi uma vez me veio visitar, forte do vaso do mar que esfrega quadrado eu e ps espanhola fr ega das nuvens, ou que esfrega as nuvens e se o faz, fará chuva certamente, o terceiro dedo de prata vermelha da unha no circulo do mar azul, a sombra do azul prata vermelho na mesa laranja, ou das laranjas no pomar, do can to do br anca do li vaso do ro do rectângulo azul, o semem que jorrou na vesica do meio de tres das flores de côr violeta castanhas br ancas do zorro do circulo laranja, primeira do y azul e laranja, do times ne do t da w romam doze azul, cinza preto , prata do is dos tres traços horizontais, i ching da china, pá da gina trinta e quatro da bandeira vermelha azul e verde e amarela, sobre verde, em cia rata da borboleta caída , a que caiu, a traça, em acido

ap da ponta vermelho e p rata do fe i to invertido no japão, do s emi circulo das n uve en ns da gai vaso da ota br anca e az u l, na l ua cor de ca fé em q u art o dec r es c en te, as si m me mo s t ra ao mo men to o ser al ado, q ue masi uma v e zorro me veio v isi sitar, forte do vaso do mar q ue es fr ega quadrado eu e ps es p e hola fr ega das n uve ns, o u q ue es fr ega a sn uve en ns e se o f az, fa rá c h uva ce rta mente, o t rec eiro dedo de p rata vermelha da unha no cir cu dez do mar az vaso do primeiro, a som br a d o az ul prata vermelho na mesa l ar anja, o u das lara n j a sn o pomar, do can to do br anca do li vaso do ro do rec tan gula az u l, o semem que jo r ro u na v e sica do mei ode t r es da s flor es de c ô r viol eta ca s t n h as br ancas do zorro do circulo laranja, primeira do y az u l e l ar anja, do times ne do t da w romam do ze az u l, c in za preto , prata do is dos t r es t ra ç os h ori zon tasi, i chin g m da ch un a, pá da gina trinta e q ua trio da bandeira vermelha azul e verde e am ar e la, s ob r eve r de, em cia rata da bo rb o l eta ca id a , a q ue ca i ua t ra ç a

a foto da modelo russa que na aparência saltou de seu andar em nova yorque, ressoou de repente no filme que agora aqui pela primeira vez vi, uma foto dela que tinha saído no jornal depois de sua morte, com os cabelos em circulo como se um halo de uma fotografia sagrada se tratasse, ali estava o eco, no filme, quando o william blake, mata dois policias tipo dupont e dupont que perseguem, depois chegam os assassinos contratos para o matar, a assim se ve no plano de um deles estendido no chao, com pauzinhos a volta da sua cabeça, como um ícone sagrado, assim diz o assassino antes de lhe esmagar o craneo com sua bota, de repente meu coração pulara neste ver, pois a imagem era muito semelhante à que aparecera da rapariga

a f oto da mode dez russa q ue na ap ar en cia sal to u de s eu anda rem n ova y o r q ue, r ess o u de r ep en te no fil me q ue agora aqui pe la pr i me ira v e z vi, uma f oto de la q ue tinha sa id o no jo rna al de ep o is de s ua mor te, com os cab leo s em circulo c omo se primeiro halo de uma f ot g raf fia s a g ra da ase t rata s se, al i est avo e co, no fil me, q ua n do o w i ll iam b l ak em mata do is poli cia s t ip o do u p on te dupont q ue pe r se gu em, de ep o is che ega am os as sas sin ns c on t ratos para o matar, a as si ms eve no p l ano de um de l es est en dido no c h ao, com p au z in ho sa vo l ta da s ua ca beça, cp omo um i c one s a g ra do, as si m di zo as sas sin o ant es de l he es maga ar o c ra neo com s ua b ota, de r ep en te me u cora ç º ao p u l ar a ne neste v e rp o isa ina ge me ra mui to se mel h ante à q ue ap ar e ce ra da ra pa riga

jim jamurski, jj, duplo primeiro principe, jim le Mónaco, Marrocos, onde esteve recentemente o socrates, seria disso que ele pedia então desculpa, na entrevista, de uma venda que fora fazer, e o espanto chegara agora na imagem ao vê-la, uma outra ressonância, pois minhas ultimas palavras publicadas dele tinham falado, o caminho do excesso leva ao palácio da sabedoria,

j em j am ur do ski, jj, do up dez primeiro principe, jim le mo do naco em marrocos, , onda espanhola da tve rec en te mente do circulo do socrates, se ria di ss circulo do quadrado europeu el e pe dia en tao de sin da culpa, na en cruz e rato e vista, de uma vaso da en da quadrado da ue f o ra f az ze reo es pen to che ega ra agora na i mage mao vaso e do traço da inglesa de la, uma circulo uk do vaso da cruz ra r es son e cia, p circulo do is min homem as u l tim as pal vaso do ra serpente da pub li cad as dele tinha do ham fala do, circulo do caminho do e x c esso primeiro eva ao pal ac do cio da sabe dor ia,

no filme, quando o assassino chega e esmaga a cabeça do policia que está disposta como um ícone sagrado, um outro eco a minhas ultima letras se deu , a cabeça esmagada, a massa encefálica, ressoara na imagem da morte de kennedy em dallas, o cérebro a saltar de dentro de seu craneo

no fil me, quando o as sas sin circulo do onze che ega e espanhola maga a ca be la do po li cia quadrado da ue est á di serpente posta co mo um i circulo do one sa gata do ra do, vaso do mo do vaso da cruz dot ro eco a min homem as vaso do primeiro tim as das letras se de ua ca beça es maga da, am massa en ce fálica, rata ess oara na i mage maior da mor te de k en ned y em da ll as, o ce re br o a sal cruz do ar de den cruz do ro de serpente eu circulo do ra do neo

depois blake encontra um pequeno bambi com um furo no pescoço, deita-se a seu lado, quando olha o ceu , o plano roda, a rotação do ceu remeteu-me no imediato para o video poema , não venhas sentar-te a ,eu lado, pois de novo acabara de o ver, na escrita deste texto, filmado em sintra no monte da lua, , ou a lua em seu monte de hoje, os de agora os sky rapers, ra ap do pe do rato serpente rap , um me chegou por e mail, com o anuncio de um concerto, com um dedo como um falo espetado, um outro musico tambem , o confundido em seu papel marital com a bela fadinha de meu coração, que bela sempre está a mau olhar, aqui de novo apareceu no jornal, com um negro vestidinho muito arejado e eu , ou melhor , os meus dedos, ou melhor, os dedos de meu Coraçao, passavam a folha e depois voltavam de novo a ela e assim se mantiveram durante uma serie de vezes, até conseguir continuar a ler o jornal, assim é, ou melhor assim foi, o do rapaz que me aparecera em sósia, uma noite em alkantara e que comigo se meteu num avanço sua, de mao nas partes e da unha que faz o arrepiante barulho do arranhar, e o bambi, ressoara tambem , na descrição da imagem que se desvelara em minha casam, sobre as malas do porto e do karl e da outra bela menina de meu coração, que namora com um rapaz de nome blake, tambem

de ep circulo do is blake en circulo em cruz ra pr ie miro do pe quadrado eu no bam bi com um forte do ur circulo do no da p espanhola coço, de ita do traço da inglesa sea serpente do eu do pr ie miro ado, quadrado da ua muito do que olha circulo do ceu , circulo da p primeiro ano da roda, ar ota sao do ceu rato e met eu do traço da inglesa me no imediato para circulo do vaso id e circulo do poe ema , muito cão vaso en homem as serpente en cruz do ar do traço da inglesa te do chá , eu primeiro ado, p circulo do is de muitos ovo de ac ab a ra de ove rna espanhola circulo da rita de este texto, fi lam do ema maior sin cruz do ra no monte da lua, circulo da ua da lua em serpente do eu do monte de homem do oje, os de agora os serpente kapa do y dos rapers, ra ap do pe do rato serpente rap, primeiro homem ingles che ego up circulo do rato e mail, com circulo dona un cio de um circulo onze em ce rato to, com um dedo co mo um falo espanhol da peta do, primeiro do circulo do vaso da cruz do ro mu sico cruz am e segunda em , circulo em fun didi em serpente eu pap el mari cruz noret sul com ab e la fa din hade me vaso cora sao, quadrado da ue be la se mp r e es cruz á am au olhar, aqui de n muitos ovo ap ar e ceu no jo rn norte sul, com um negro vaso espanhol da ti di n hp mem do circulo mui to ar rata e homem do j ad oe eu , circulo do vaso do mel hor , os me us dedos, circulo do vaso do mel hor os ded os de me vaso do circulo do ro ac sao, ap as serpente ave ema foret do circulo do primeiro do homem a e depp circulo do is vo primeiro da cruz ava am de n vo ae la e as si ms e man ti eve ram duran te uma se rie de vasos e ze sa té circulo em se gui rc on cruz em ua ra ler circulo do jo rna norte sul, as si mé, circulo do vaso do mel hor as si maior mf forte oio do ra p az quadrado ue me ap ar e ce ra em serpenet do acento no circulo da serpente do ia, uma no ite em norte sul kapa anta ra e quadrado da ue co mig circulo da se met eu un uma van circulo do corte, circulo se vaso primeiro ad e mao nas par te se da unha quadrado da ue forte az circulo ar rata da ep pi da ante bar vaso do primeiro homem do circulo do ar ra n homem ar , e o bam bi, r ess oara cruz da am e segunda em , na de espanhola do circulo do rato dc e sao da e mage maior que se de serpente da vela ra em min home aca sam, serpenet do ob rea serpente maior da norte sul as do porto e do ka rato do triunfo dos porcos, do primeiro e dao vaso da cruz ra be la me nina de me vaso da cora sao, quadrado eu do namora com , primeiro ra p az de no me segundo do primeiro ak e, cruz da manha e segunda em

antes de ver o filme, ligara a tv e estava a dar em directo o fogo a cinquenta metros do elevador da glória, a estrela do circulo do elevador da glória, o rapaz dos uhf, a coca, o vaso do home forte, o rapaz que eu achara estranho de ver no almoço do rio do apoio ao durao barroso, que agora de nov as minhas letras tinham evocado, seria mesmo o único musico português que por lá vira, um estranho rapaz, e um estranho grupo que nunca passou pela latina europa, e eu até hoje nem sei dizer porquê, ou seja não trago eu razão para nao gostar de sua musica, mas ele olha para mim sempre com distancia, qualquer história que terceiros criaram ou não, pois agora este incêndio, parecia dizer toda uma outra coisa

ant es do vaso do ero do filme , li vaso da garra primeira da tve est ava ad primeira ar em di rec to circulo do fogo ac em quadrado do vaso en ta met ros do el eva dor da gata do primeiro do acento do circulo da ria, a estrela do circulo do el ava dor da gata do primeiro do acento do circulo da ria, l circulo do ra p az dos vasos do homem do fa coca, ovas do circulo do onze do home forte, circulo do ra p az quadrado da ue e vaso do ac homem ara es te rn homem ao de eve rato no norte sul moço do rio do ap oio ao du ra circulo do bar rosso, quadrado ue agora de nov as min home do as do primeiro pro das letras e cruz ra serpente da cruz da tinha do ham evo ca do, se ria me serpente mo circulo úni co mu sico por tu ge vaso do is que por primeiro á vaso da ira, primeiro e ts ra muito homem do circulo ra p az, e um e ts ra muito homem do grupo do gato rup circulo quadrado ue muito un ca passo da up da p e la primeiro em ina eu rata da opa, e eu em é homem do oje ne ms e id di ze rp circulo do rato do quadrado eu espanhol, circulo do vaso do seja muito cão da cruz do rago eu ra zorro cao para muito cao gato do os cruz ar de serpente da ua mu sica, mas el e olha para mim da se mp rec om di st na cia, quadrado da ual quadrado da eu rata homem is tó ria quadrado da ue cruz da rec e iro serpente so sin do ro ni serpente mo do circulo da dc ria ram circulo do vaso muito cão, da p circulo is agora este inc en di circulo, par e cia di ze rato toda uma circulo do vaso da cruz do ra co isa

e seu nome, o do rapaz dos uhf, antónio ribeiro, masi um antonio ribeiro, a perfazer um trio de nomes semelhantes, o da cam, e o que vai nas vestes de ministro da cultura que o jornal de ontem ou por aí dava conta de ser pessoa de fazer by the book, só parece que se esqueceram de mencionar qual, mas enfim, sem fim, será este então o verdadeiro ocultado, dos antonio ribeiro, um que está ligado ao psd, ao durao, pois o vira no almoço onde o apoiaram, subiu em mim, um escutar recente no espirito, que agora o relembra-lo parece aqui encaixar, assim ela vai morre, assim como, Meu Deus, assim perguntei, seria ela, a rapariga, a quem o espirito se referira?

e se vaso do no meo do ra paz do serpente dos uhf, antónio ribeiro, masi primeiro ant oni circulo do ibe iro, ao do pe rf az e rum cruz do rio de no mes se mel h ant espanhol do circulo da cam, e o quadrado ue eva si nas vaso est espanhol de mini serpente da cruz st ro do cu do primeiro da tura quadrado da ue circulo do jo rna da norte sul de em te mo up circulo do rao da ava conta de ser pessoa de forte az e r e b e y e cruz do homem ingles kapa do book, serpente do acento do circulo do par ce quadrado da ue se es quadrado da eu ce ram de men cio muito ar quadrado da ual, mas en fi maior da ms em fi maior da se rá este en tao ove rda de iro ocultado, dos an t oni circulo do ribeiro, um quadrado da ue est á li gado ao ps dao durao, p circulo do is do circulo do vaso da ira no norte sul moço onda circulo ap circulo do ia ram, serpente ub e ue maior mim, primeiro es cut ar rec en te no es pi rito, quadrado ie agora circulo do rato e lam br a do traço da inglesa sé de dez par e ce aqui en caixa ra ss em el ava e mor rea serpente do si mc omo, me vaso do de us, as si maior do pe r gun te ise ria el aa ra pa riga, aqui do quadrado eu emo es pi rito se r efe rato da ira do ponto da foice do ar

Recordo a zona na avenida da liberdade onde agora se deu o incêndio, onde está assinatura se desvelou, recordo de ser ali que encontrara a mae que me falara da carestia da vida, que fora ex funcionária da cas da misericórdia, e de uma criança que pedia com sua mae num umbral, acabara de chover, e tudo aquilo fora luminoso, começara a senhora a conversa chamando-me na rua quando eu vinha caminhar, já viu aquilo ali, aquilo era a mae e a filha, a mae com uma doença que a fazia tremer, e aqueles olhos infantis, Meu Deus, como em mim se gravaram, os do governo vao ali rápido descendo a rua, com as sirenes, nada disto vêem, verdade minha senhora, assim é

Record circulo da primeira da zona na ave ni dad a liber dad e onda agora se de vaso do circulo do inc en di circulo da onda st á as sin at tura se de es vaso e dez vaso do, record ode se ra li quadrado da ue en c on t ra r aa mae q ue me fala ra da car es tia da v id a, q ue f o ra e x f un cio na ária da cas da mis e rc circulo do rato dia, e de uma circulo da rata do ian ça quadrado da ue pe dia com serpente ua mae no primeiro om br norte sul, ac ab a ra dec homem do ove rato, e tudo aqui do vaso e olo forte do circulo do ra lu mino serpente do circulo , do co me circulo do corte do ar aa serpente en hor a ac on vaso e rata da sa circulo do homem da ama muito do traço da inglesa me na rua quadrado da ua muito do eu vinha cma in homem do ar, j á vi ua quadrado do vaso e dez ali, aquilo e ra primeira mae e a fil homem aa mae com uma do enca quadrado da ue a forte az iat rata e mer, e aqueles olhos in fan ti sm eu de us, co mo em mim se gata da rava ram, os do gata ove ron ova circulo do ali rá pido de sc en do ar ua, com as sir ene sn ada di st ove em vaso e rda de min homem as en homem do circulo do ra za ss em é

Depois fora na sapataria Guimarães que eu comprara os meus últimos sapatos, sapataria barata, e ainda fora ali naquele eixo da av da liberdade que eu encontrara um rapaz tudo vestido de negro que me anunciara grandes desgraças e nessa tarde dera com a bela sharon stone no outro lado da rua, numa montra muito bela a sorrir num anuncio de perfumes, falara com o rapaz de tremores de terra, de ondas que galgam a terra, dizia ele que se uma viesse, chegaria ali certamente ao palácio dos bandidos, o palácio foz, e a foz do porto de novo a ecoar, depois de ter falado de nova yorque e da donna karen

De ep o is f o rana sapa ta ria g uma ra es q ue e vaso do co mp ra r a os me us u l tim os sapa to s, sapa t aria barata, e a inda f o ra ali na q eu le e ix o da av da liber dad e q ue eu en c on t ra r a um ra p az tudo v es tid ode negro q ue me anu un cia ra g rand es de s graça se ne s sat arde de ra com a b e la s h aron stone no o u t ro l ado da rua, nu ma mo n t ra mui to be la as o rr i rn um aa nu cio de per f um es, fala ra com o ar ap z de t r emo r es de terra, de ondas q ue gala g am a terra, di z ia el e q ue se uma vi ess e, che g aria ali ce rta mente ao p l ac cio dos bandidos, o pala cio f oz, e a f oz do por to de n ovo a eca r, de p o is de ter fala do dia da en ova yorque e da donna ka ren

E depois masi recentemente as imagens do home dragão na rua do carmo, um do temas que lançou a banda, mais um relaçao assim se estabelecia, com este antónio, ribeiro

E d ep o is masi rec en te mn tea s ima gn s do home dr a g ao na rua do carmo, um do st ema s q ue lan ç o i ua ban da, ma si um ar e l ç a ao as si ms e est ab e le cia, com este ant ó ni circulo do rib e iro

Na tv o morador de eleição para dar conta do incêndio, se chamava de ramalho, nome que aparecera em meu ultimo texto, da rama do alho do circulo do antonio dos uhf, quinto quadrado do vinte e tres, que só se lembrava do fogo do chiado, ramada na bolsa de lisboa, com o sino a tocar, como se fosse a rebate

Na tv o mora dor de e lei sao para da ar conta do inc en di circulo da se c h am ava de ram alho, no me quadrado da ue ap ar e ce ra em me vaso do u l tim o t e x to, da rama do al ho do circulo do ant oni o dos u h forte quinto do quadrado do vinte e tres, que serpente do can e to do acento no circulo da se l em br ava do fogo do chi do iade circulo ra mad ana da bolsa de lisboa, com o sin o a to car, c omo se f os sea rato e bate


a rapariga russa que na aparência saltara, era a imagem do bambi, assim a vi numa foto igual, e uma relaçao então haverá com o monte da lua em sintra do ritual, da ponte partida que figura a de entre os rios no comboio norte sul, ou sej no porto, uma relaçao com o porto, ou porto

ar da ap primeira de riga e ra a e mage maior do bam bi, as sima vi muito uma f oto e gata do vaso ual norte sul , e da primeira da relaçao en tao homem ave rá com circulo do mon te do primeiro ua em sin cruz ram do ritu norte sul, da p em te par tid aqui da ue fi gata do ur aa de en cruz do reo serpente do rios no com boi em orte serpente do vaso pr e me rio do sul, circulo do vaso do sej no por to, primeira da relaçao com do circulo do porto, circulo do vaso do porto

pecado imenso, assim sempre o é, quando os jovens se vao assim tanto antes de seu natural tempo, outro dizer ouvido pelo espirito completavas estes, pancadaria de este, cometemos um crime horrível, o Pai não pode saber, o tom era de crianças que tinham feito qualquer coisa de mal e que estavam muito assustadas perante a descoberta, tudo isto junto com a consciência que evolava do tom deste escutado que era tambem de arrependimento

p eca do i me ns o, as si ms e mp reo é, quadrado da ua muito do os j ove ns se vao as si m cruz ant circulo da ant espanhola de serpente eu nat vaso do ra primeiro da te mp circulo, circulo onze da it ro di ze ro vaso id circulo do pe dez espanhol do pi rito co mp primeiro eta ava serpente pen ny est espanhol, p anca dr ia de este, co met emo serpenet do pr ie miro circulo do rim e homem do circulo do rr ive primeiro, circulo do pai n cão p ode sabe ro do ero do tom e ra dec rato ian ç as quadrado da ue cruz in ham fe e to quadrado da ual quadrado da eu rc circulo isa de maior norte sul e quadrado da ue est ava am mui to as serpenet da ua cruz ad as pe ra muito tea de sc ob e rta, tudo isto j un to com a co ns ciencia quadrado ue evo primeiro ava do tom de este espanhol do cut ado quadrado da ue e rat da cruz da am e segunda em de ar rato ep en di men to

dois jovens do imperial college que estudava adn foram mortos em form ritualisticamente, duzentas e quarenta e tres facadas quase duzentas e cinquenta uma estrela poderosa, ou vi no espirito um dizer que a eles se poderia aplicava, pois o aspecto da morte pressupõem acto de tortura, com vista a obter uma confissão, não resisto mais , falei, o eco do código do japao, o código dos jogos de futebol do japao, ou um outro código, o código da construção das estrelas , aquelas que ao arrebentar trazem em si forças poderosas, o código da construção das estrelas, como aquela que arrebentara na china, assim o espirito desvelara, e uma outra ressonacia se estabeleceu, pela forma como um investigador pegava nas fotos deles, uma em cima da outra, a parecer um pouco, a sombra da nuvem vermelha, espelhada no video, do poema de pessoa, nunca levei porrada, que recentemente entrara neste livro

do is joe sargento deitado para a esquerda, j ove en ns do e mp eri norte sul co ll e ge quadrado da ue est vaso da ava a dn mf circulo ram mor to ze mf circulo do rato maior ari rua li st icam du zen cruz ase quadrado da ua re bt ee cruz rato espanhol do forte do ac ad as quadrado use du zen ta se cin quadrado do vaso en te e sue sm primeiro e ts rato e la p ode rosa, circulo do vaso vi no es pi rito primeiro di ze rata quadrado ue a el espanhol da se pali circulo da ava, p circulo is circulo do as pe circulo do to da mor te pr ess up circulo onze em ac to de tor vaso r ta, circulo do om vaso do ista primeira ob te rum ac on fi s sao, muito cão rato espanhol da it do tp mai serpente , fa leo, oe co do co di gato do circulo do j ap pao, oco di go dos jo gato os de f u te bo primeiro do japao, circulo do uu mo vaso da cruz do roco da di gata do circulo, oco di gata do circulo da cos cruz da ru sao id as espanhola da cruz rata e la sa quadrado eu la serpente do quadrado ue ao ar rata e be n cruz do ar cruz ra ze me ms i f o rça serpente da p ode rosas, circulo oco dc di gato circulo da co ns cruz da ru sao das espanhola cere vaso zorro rata e la sc omo aqui da eu la quadrado da ue ar rata e ben tara na c h ina, as simo espanhol pi to de espanhola vela lara rat da cruz em ham uma e cruz rata e la quadrado do vaso da ase co ns cruz rui da em si ua forma pe rf e ita e uma o u t rata ra r ess on ac cia se est ab e le ceu, pe la forma c omo um in v es ti g a dor pea g ava nas f oto sd el es, uma em c ima da outra, a par e ce rum po vaso do coa som br a dan uve mai ro vermelha, es pe l h ad ano v id e o, do poe ema de pessoa, nu n ca l eve ip o rr ra da, q ue rec en te mente en t ra rata ane neste li vaso do ro

olho a caixa do filme do homem morto, o dos filmes da pandora, mais uma edição do dn, o pulso, a mao de pandora, o homem era a mao da pandora, a que abriu a caixa, , desta vez, nesta estação do homem e dos seres, o cao ladra lá fora, um mosquito a mim chegou, um home que faz colecção de mosquitos, revista antiga de bd

olho a ca si xa do fil me do h omem mor to, o dos fil mes da pandora, maior asu uma edi sao do din, o p vaso do primeiro da serpente do circulo da primeira mao de pandora, o homem do omem e ra a mao da pandora, aqui do ue ab br rato e ua caixa, , de st ave zorro, neste es + acp do f omem e dos seres, o ca do primeiro ad ra lá foret do circulo do ra, um mo s q eu i to a mim che g o uu m h ome q ue f az cole cc sao de mo s q ui to serpente, rato e vista ant e gata ad e bd

fortíssimo filme, ff de novo , fortys, p y m, p rim e iro min si t ro, quatro de setembro de setenta e oito do ba do ra do co do pi primeira do cento e onze de oitenta e cinco, mil novecentos e noventa e cinco do grupo do onze de nova yorque ou cm ela relacionado

for ti serpente do si do mo fil me, ff de n ovo , forte do y serpente, do circulo rt do y e sp do y maior de, quatro de setembro de setenta e oito do ba do ra do co do pi primeira do cento e onze de oitenta e cinco, mil novecentos e noventa e cinco do grupo do onze de nova yorque ou cm ela relacionado

red moon, eu disse-te que vinha na lua de sangue, a lua vermelha, a lua cheia de junho, o que passou, a lua vermelha, nuvem vermelha, lua vermelha, mulher escalarte, uma mulher ruiva, o mosquito, ne do w do mercado do grupo capital do lp do pr espanhol da inglesa da cruz em cruz we do angulo do vaso e da gauge, decimo segundo, ou dezembro, válvula, mi lia vital, das aguas do crespim, da luva do crespim, do iggy pop, da gula do vi do traço do ingles do circulo do antonio dos uhf, do bill da pop principe do ar red harris e circulo g ab bil by rn ne do joao que mago o alfredo molina, ou mail cio, spe cia primeiro norte sul ap pe da ra w ce b do y roberto do Taiti circulo do homem primeiro

red mo on, eu di s se do traço da inglesa te quadrado ue vinha na lua de sn a g ue, a l ua vermelha, norte sul ua che ia de j un h oo q ue passo ua l ua vermelha, n uve m vermelha, l ua vermelha, mul her esca l arte, uma mul her rui iva, o mo s quito, ne do w do me rca do d o g rup o da capital do primeiro da p do pr es pan homem primeiro da inglesa da cruz em cruz we do angulo do vaso e da gauge, dec i mo se gun do, circulo do vaso do onze de dezembro, vaso da norte sul do vaso da primeira do norte sul, mi lia vital, das aguas do crespim, do primeiro da uva do crespim, do i gg do y da pop, da gula do vi do traço do ingles do circulo do antonio dos vasos homem forte, do bill da pop principe do ar red harris e circulo g ab uk segundo y rn ne do joao que mago vaso do circulo do alfredo molina, circulo do vaso do mali cio, spe cia primeiro norte sul ap pe da ra w ce b do y roberto dot a it circulo do homem primeiro

lua vermelha relaciona-se com madonna, Itália, china, timberlake, pag cinquenta e seis do transito ultimo, olga roriz, a ser esclarecido masi em pormenor no capitulo do transito do equinócio onde a questão da china será tambem detalhada em seus pormenores e ilusões

eclipse lunar, lua de sangue, lua de sangue é a lua nova , a lua negra

e circulo do li ps e primeiro un ar, primeira da ua de san gato da ue, primeiro da ua de san gato da ue é norte sul ua muitas ova , norte sul ua negra

primeiro da ua vermelha rato e la cio na do traço da inglesa se com ma donna, i ta primeiro iam c h ina, tim be rat to daa primeiro ak e, pag cin quadrado do vaso ingles ta e se is dot ra ns e to vaso do ultimo tim oo do primeiro gato do ar ori zorro

de novo em serpente zapp da mode, w em word, pala vaso do ra vasp, e ponto exe serpente zapp ao pp vaso e x em noventa , agosto de e em noventa e quatro, em março, do homem da un da gapp, circulo do ff set oitavo circulo

brando, aparecera nas letras do deste mesmo capitulo, já anteriormente publicadas, e no entretanto de seu aparecimento e até ao momento recordei, que o começara a amar ao vê-lo num dos seus primeiros filmes, onde o método de actor estava puro e presente, há lodo no cais, e ao recorda-lo , recordei que a segunda assinatura do primeiro tsunami, se dera passado um ano, e que sobretudo fora um mar de lama que se dera, e subiram em mim as memórias que os pássaros me desvelaram ali ao pé do rio, no cais em frente à escultura do js guimaraes, onde seu nome tem uma racha por debaixo numa das pedras da base, e um mosquito se encontrava ao lado, um mosquito que depois de novo vi masi a oriente na expo ao lado de um banco e ao pé de uma loja de artigos tambem do oriente, talvez Paquistão, ou india, que agora não me recordo em exacto, mas cuja descrição está nas notas este livro em seu tempo de acontecer, numa noite onde numa porta de um prédio, de uma urbanização em chaveta, uma das chaves que encontrara na rua frente ao café dos girassóis, entrara, entrara na fechadura , mas não ao abrira, no rio os pássaros me mostraram, Palmela, e um perfume muito intenso a pedofilia, e a lama estava tambem presente no cais ao lado do barracão das inspecções de veículos, cima, onde alguns cascos apodreciam , ou seja, existe aqui uma ligação entre pedofilia, Palmela, que já o lima um dia me apontara, no tempo do buzinao na ponte, e os acontecimentos do primeiro grande tsunami na asia e do segundo da assinatura do retorno, feita pelas lamas, josé guimaraes, relaçao com japao, com os jardins esculturas iluminados


br ando, ap ar e c ra nas letras do de este me s mo ca pi t u dez, j á ant e rio r mente pub l i cd ase no en t r eta n to de s eu ap ra rec i men to e at é ao mo mn to rec o r de i, que o com eça ra a ama ra ove vaso do ê do traço ingles de dezembro n um dos se us pr i me rio s fil mes, onda o met o do de ac ot est ava p ur oe pr es en te, h á dez do no cais, e ao rec o rda do traço ingles de dez , rec o r de i que ase gun da as sin at tura do pr i me iro ts un ami, se de rá passado primeiro ano, e q ue s ob r e tudo f o ra uma mr de primeiro ama q ue se de ra, e s ub iram em mima s me mó ria s q ue os pa s sar os me de s vela ram al iao p é do rio, no cais em fr ente à es cu da primeira tura do js gui mara es, onda s eu no me te m uma rac h ap o r de ba ix on uma das pe dr as da b ase, e um mo s q eu i to se en c on t rava ao l ado, um mos q eu i to q ue de p o is de n v oo vi masi aa oriente na e x po ao l ado dd eu m ban co e ao p + e de uma dez jade ari g os t am b em do rie n te, t alvez pa q u is tao, o u in dia, q ue agora n cão me record oe me x ac to, ma sc u j a de sc ric sao est á na sn ota s este li v rie ms eu te mp ode acontecer, n uma no ite onda n uma p orta de um pr e di ode uma ur ban iza sao em c h ave eta, uma das c h ave es q ue en c on t ra rana rua fr ente ao ca fé dos g ira s so is, en t r ar a, en t ra rana fec h ad ur a , mas n cão ao ab r ira, no rio os pa ss ar os me emo s t ra ram, pal me l a, e um per f ume mui to in t en so ap pedo fi l ia, e a l ama est ava t am b em pr es en te no ca si ao l ado do bb ar ração das i ns pe c ç o es dd eve i cu dez, onda al gun ms cascos ap ode rec iam , o u sej, e x us te aqui uma li g ac sao en t r e p e do fil ia, pal me l a, q ue j á o lima um dia me ap on tara, no te mp o do b u z ina on a ponte, e os ac on tec ie mn to sd o pr i me rio g rande ts un mai na asia e do se gun do da as sin t aura do r e tp rn no, fe i ta pe l as l ama sj i sé gui mara es, relaçao com j ap pao ao com os jardins es cu primeiro das turas dos iluminados

Harry benson, buscai na net o portefolio sobre o qual aqui vos falo e desvelo


Harry b en son, b us c aina net o p orte f ol io s ob reo q ual aqui vi serpente do falo e de serpente vaso de dez

dk x forte do homem da energia iv e do vaso da cruz

mp y e cao do peão fo forte do grupo onze, primeiro dedo da dona na vesica da se r r ilha do lobo do sief, na contra capa, ou seja, o da kapa, de londres, dp y de londres

quadrado forte serpente spi ia za uk

i vaso do pc fi da dupla penetraçao

p vaso forte homem do quadrado do fi vaso da alba, zorro da seta da se do ts do ca ps look , cprimeiro duplo circulo da kapa, o do comboio

zorro do pp ge do x na bd do osso do ursinho, maior vaso xe circulo serpente sá é