segunda-feira, outubro 20, 2008

A prova da ligação entre a minha prisão e aqueles que a urdiram e que de alguma forma terao participado na queda das torres, em nove do onze, e a ligação aos condores, à fla, ou seja açores, e outras mortes e ainda outras desgraças, com inquirição a durao, a socrates , a amado, a cesar e a outros ainda


A p rova da li gata ac sao ingles t rea min homem a p rato isa oe a quadrado europeu primeiro espanhol quadrado ue a ur di ram e quadrado ue de al gum a forma terao par tic ip ado na queda das torres, em nove do onze, em muitas ovas do don zé


É uma carta manuscrita , escrita por meu punho desde a minha cela para a minha namorada com quem na altura namorava, e que diz do que se vai passar quase duas décadas depois


É uma ca rta manu s c rita , espanhol c rita por meu p un ho de sd e a m ina homem ce la para a min homem a na mora ada com quadrado europeu mna primeiro tura na mora ava, e quadrado ue di z do quadrado ue se vai ip ass ar quadrado ua ase du as das décadas dep circulo do is
Assim rezou na altura,


Ester , meu amor,


Chego à cela , a minha espera estão tres sardinhas frias acompanhadas de muitos senhores igualzinhos que dao pelo nome de arroz, tambem frios, deve ser da espera? Como estava farto de ouvir pessoas falar esta tarde, comi-os, ou melhor petisquei os belos lombos das sardinhas, afinal, eram " senhoras" eh , eh , eh, e os chinezinhos chamados arroz, que monotonia, tinham todos os mesmo nome, deixei-os de lado. Grande aventura acabo de passar, daquelas histórias que dá para contar aos netinhos, o pedro, como sabes, vizinho do apartamento do lado, esqueceu-se quando retornou a casa de arranjar lume, apetecia-lhe fumar e como não encontrava a chave da porta que entretanto tinha trancado, via-se impossibilitado de sair à rua para comprar fósforos. Assim decidiu telefonar-me pela janela, claro está, a perguntar se europeu não lhe podia emprestar lume, mas c´os diabos, tambem europeu não encontrava a chave de casa de nada lhe podendo valer, gritou então para os outros "vizinhos", que aqui para nós que ninguém nos ouve, são maus vizinhos e portanto não apareceram


Chego à cela , a min homem a espanhol pera espanhol tao tres s ard fi n homem as fr ia s ac cam am mp anha da s de muitos s ingles homem ro espanhol vaso gata ua i zinho s quadrado ue dao pelo nome de arroz, t am b em fr rios, deve ser da espanhol pera? Como espanhol tva f art o de ouvir p espanhol sas f ala rato esta tarde, comi-os, ou mel hor pet is quadrado europeu i os b elos dos lombos das sardinhas, a fi n al, e ram a spa s senhoras da spa e homem , e homem , e he os ch ine zinho s chamados arroz, quadrado ue mono toni a, tinha ham todos os mesmo nome, deixei-os de lado. G rande ave ingles tura ac ab o de pa sar, da europeu la s hi s tór ias quadrado ue dá para contar aos net in ho s, o pedro, como s ab espanhol, vizinho do ap art am ingles to do primeiro ado, esqueceu-se quando retornou a casa de ar rato anja rato lume, a pat e cia do traço do primeiro ingles f vaso mar e como não encontrava a ch ave da porta quadrado ue ingles te rta n to tinha t rato anca do, vi a do traço da inglesa se i mp os sibil bil ita ado de sair à rua para co mp ra rato f os foros. As si m dec id i vaso rato e le fon ar do traço da inglesa me pela jane la, cal to está, a per gun t ar se europeu não lhe p o dia e mp rato est ar primeiro vaso me, mas do cos dos diabos, t am b em europeu n cão ingles c on t rava a ch ave de casa dena da primeiro he p ode n do v al e rato, gata rito vaso ingles tao para os outros s p as vizinhos spa s quadrado ue aqui para nós que nin gata europeu m nos o uve, são m au s vizinhos e porta n to não ap a rece ram


Che goa cela , a min homem a espanhol pera espanhol tao t rato espanhol sar d fi n homem as fr ia s ac am p anha das de mui to s s ingles homem ro espanhol vaso gata ua e z in homem os quadrado ue dao p elo no me de ar ro z, t am b em fr i os, d eve ser da espanhol pera? Como espanhol tva f art o de o vaso vi rato p espanhol sas f ala rato est a t arde, comi-os, o vaso me primeiro hor pet is quadrado ue i os b elo s primeiro om bo sd as sardinhas, a fi n al, e ram a spa s sem hora s spa serpente e he homem e homem, e os ch ine zinhos ch amados ar rato oz, quadrado ue mono toni ia, tin ham todos os me s mo nome, de ix e i -os de primeiro ado. G rande ave ingles tura ac ab ode pa sar, da europeu primeiro as hi s tó ria s quadrado ue dá para c on t ar aos net tinho s, o pedro, como s ab espanhol, vi z in homem o do ap art am ingles to dol ado, espanhol quadrado europeu c europeu do traço da inglesa se quadrado vaso ando rato e torno vaso a c asa de ar rato anja rato primeiro vaso me, ap pat e cia –primeiro he f vaso mar e como n cão ingles c on t rava a c homem ave da porta quadrado ue ingles te rta n to tinha t ra anca do, vi a- se i mp os sibil it ado de sair à rua para com pr ar f os foros. As si m dec id i vaso rato e le fon ar do traço da inglesa me pe la j ane la, cal to est á, a per gun t ar se europeu n ão primeiro he p o dia e mp rato est ar primeiro vaso me, mas c´ os diabos, t am b em europeu n ão ingles c on t rava a c homem ave de c asa de n ada primeiro he p ode n do vale rato, gata rito vaso ingles tao para os o vaso t ro s "vizinhos", quadrado ue aqui para nós que nin gata europeu m nos o uve, são ma us vi z in homem os e porta n ton cão ap ar rec e ram


... o nosso engenho engenhou-se a procurar a solução... e por fim o pedro balanceou um sapato pela janela atado por um cordel,. A terceira tentativa consegui agarrá-lo com a ajuda da vassoura,( é que sabes estas janelas dos prédios modernos de agora, são tao estreitas, tem uma espécie de como direi, grades... e nós não nos podemos debruçar

... o n osso ingles gata ingles ho ingles gata ingles homem o vaso do traço da inglesa do sea pro cura rato a sol vaso são dos tres violinos e por fi mo pedro bala anc e o vaso primeiro da sa pato pela jane la at ado por um cordel,. A te rc e ira t ingles t a tio ova co nse gui a garra do dez com da primeira da ajuda de vassoura, ingles te rata par da ren te sis é que sabes espanhol sat ts jane la s dos pr é di os mode rn os do agora da são tao est rato e i t as, tem uma espanhol pe cie de como di rei, gata do rato ad espanhol pon ti e nós n cão nos p ode mos de b russa rato


coloquei então o isqueiro no sapato, larguei-o e o pedro recolheu-o indo acender uma vela, tornou a devolver-mo e comentamos esta grande aventura, que consistiu numa grande vitória nossa , contra aqueles que nos querem isolados,


c olo quadrado europeu i ingles tao o isqueiro no sa pato, primeiro ar gata europeu i do forte do circulo ingles kapa primeiro latino europeu serpente do oe do circulo do pedro reco primeiro he do vaso ingles do circulo indo ac ingles de rato primeira vela, torno ua d e volver do ingles moe com ingles tam os est a gata rande ave ingles t ue ra, quadrado ue cos sis tio n uma gata rande vi tór ian os sa , c on t ra a quadrado europeu primeiro espanhol quadrado ue no s quadrado europeu rem e sola do s,


gritou, paulo, vou fumar à tua conta, curte bem.... o foguetão estava a postos, apontava ao ceu luzidio, pronto a saltar para as estrelas e para ti, uma voz ressoou dentro de mim, passageiros, prontos? Respondi que sim, peguei-lhe fogo e parti, comi uma laranja, mudei as pilhas ao rádio, sabes o que está a dar agora no café concerto? Lou reed, auuuu, ou uu uu a, ou, uu vaso aa az, e desdobrei a tua mensagem cósmica a contemplar as estrelas, rumo , seta gráfica, constelação, ester porque será que os astrólogos ainda não a descobriram? Com pasta de dentes colo-a na parede da minha nave mesmo junto ao meu beliche pressurizado ao espaço tempo onde posso sonhar, é tao bonito o desenho do caminho, ladeado de arvores, como o sol interrogação sobre o fundo, é tao simples mas tao bonito, foi como aquele desenho sequência que vi no negativo, embora devido ao tamanho, não o pudesse observar em pormenor, parece-me tao belo, ficou-me marcado, e agora, primeiro ´anarchie dos sex pistols, lembras-te no jamaica? Aquela que é cantada em francês tipo valsa, ainda nao te contei, pois foi um dia tao ocupado que poucas oportunidades tivemos de falar, que tambem sonhei depois do almoço. Bebi um chateaux – briant , colheita de mil novecentos e onze ao almoço e deu-me para dormir, não sei quanto tempo, dormi, se dois minutos ou um quarto de hora, mas acordei sobressaltado tendo um pesadelo que não pude recordar, onde tu serias personagem. Acordei angustiado, sabes como é? Um sabor tao esquisito


gata rito vaso, p au dez, vo vaso f vaso mar à tua conta, k c ur rte b em tres violinos circulo do foque, ou foucault, vaso tao est ava postos, ap on t ava ao c europeu luz id io, p ron to a s al tar para as est rato e ç la se para ti, uma v oz rato esso vaso d ingles t ro de mim, pe ss a geiro s, por n to serpente da foice rato espanhol pon di quadrado ue sim, pegue i do traço do primeiro ingles do fogo e par ti, com mu primeira laranja, mu de ia s pi das ilhas ao rádio, s ab espanhol o quadrado ue est á ad ar agora no c efe concerto da foice da cie do Lou rato espanhol sd, au uuu, ou uu uu a, ou uu vaso aa az e de sd o br rei a tua mens agem cos mica a cpm templar, temporal, as est rato e la s, rumo , seta gata raf i ca, co ns tela sao, est rato ep orca europeia se rá quadrado ue os a st rato olo go s a inda n cão a de sc o br iram foice do c om da pasta de dentes c olo na inglesa ana par red ed da min homem a na ave m me s mo j un to ao me vaso be li che pr ess uri iza ado ao espanhol paço te mp o onda p osso son homem ar,, é tao boi ni to o de s ingles ho do caminho, la dea ado de ar vo rato espanhol, co mo o sol inet rato ro gata ac sao s ob reo fundo, é tao simples mas do tao da bonito, foi como aquele de s ingles ho se quadrado vaso ingles cia que vi no n ega tivo, em bora de v id o ao tam anho, n cão o p vaso de s se ob serva rem por m ingles or, pa rece da inglesa me tao belo, fi co vaso do traço da inglesa me ma rca ado, e agora, primeiro ap ps oto dez primeiro do circulo dada ana rc chi e dos sex pi s to primeiro s, primeiro em bras do traço da inglesa te no jamaica foice a quadrado europeu la quadrado ue é can t ada em francês sm tipo v as primeiro sa, a inda não i te conte ip o is foi um dia tao o c up ado que poucas oport uni dad espanhol ti v emo s de f ala rato, quadrado ue t am b em son he id ep o is do am moço. B e bi um chat e au x do traço do ingles brian t , col he ita de mi primeiro do novecentos e onze ao al moço, bertolucci e italia, e de vaso do traço da inglesa me para dor mir, n cão se i quadrado vaso anto te mp o, dor mi, se d o is min vaso to s o vaso um quadrado vaso art o de hor a, masa ac o rato dei s ob rato ess al t ado t ingles do um pesa d elo quadrado ue n cão p vaso de reco rda rato, onda tu se ria s per son a ge m. Ac o rato dei angus tia dao, s abe s como é foice primeiro s ab bo rato tao espanhol quadrado europeu e siti



tenho tres velas acesas no banco em que escrevo, uma já morreu, outra a acabar, são tao bonitas de olhar, gotas de cera brincam à cabra cega pulando umas sobre as outras, pela margem da vela que parece chorar, é um liquido estranho e viscoso que vai depois alterar-se solidificando , tem tanto amor aos meus olhos, o pavio da segunda vela é já mastro a arder, , dobrando-se no resto da estearina, que o suporta, prestes a afundar-se apagando a luz., acende a luz! Apaga a luz! Qu importa se europeu te vejo nas estrelas


t ingles ho t rato espanhol ve primeiro as ac ess sas no do banco em quadrado ue espanhol c rato e vo, uma já mor rato europeu, o vaso t ra a ac ab ar do bar da são do tao das irmãs bonitas de olhar, gata ota sd dec e ce ra br inca cam am à cabra c ega p vaso primeiro lan ando uma ss ob rea s o vaso t ra s, pe la mar ge m da vela quadrado ue pa rece ch or a rato, é um li quadrado vaso e id o espanhol t rato anho e vaso do isco serpente do circulo do quadrado ue eva id ep o is al te ra rato do traço da inglesa se soli di fi c ando , te m t anto amo ra os me us olhos, o p avi o da se gata un da v e la é já ma st ro a ard e rato, , do brando do traço da inglesa se no rato espanhol to da este a rina, quadrado ue o suporta, pr e te sa a f un da rato do traço da inglesa se ap a gan do al vaso z., ac ingles dea primeiro vaso z! Ap a gata a al vaso z! Quim porta se europeu da te do vejo nas est rato e primeiro as, ou seja da astróloga

sou pássaro doidao neste voar para fora do espaço, encontro o tua sombra, ou os teus fantasmas, estou ao teu lado e não posso tocar-te , pois se o fizesse quebraria o encanto, estou dentro de ti e tu não me vês, sou pássaro doidao a apetecer encostar a cabeça ao fernando com a mao afundada nos seus caracóis, e amá-lo esta tarde no tribunal, somos pássaros doidos a falar os tres no que vamos fazer como que lançados pelo vento dos moinhos que desejamos ter, sou pássaro doidao a voar no ceu infinito da minha liberdade feito atento condor


sou pa ss aro do id dao nest e vo ar para f o ra do espanhol ap ço, ingles c on t ro ot ua s om br a, o vaso os te us fan sta s ma s, est o ua o te vaso primeiro ado ingles cão p osso toca rato da inglesa te ,mp o is se o fi ze s se quadrado europeu br aria o ingles canto, espanhol to vaso d ingles t rode ti e t un cão me v espanhol, s o vaso pa ss aro do id dao aa pete ser ingles cos tara a cab eça ao fr nando com a mao a f un dada no s se us cara co is, ema á do traço do primeiro do circulo de dez eta t arde no t rib un al, s omo pa s sar os do id o aa f ala ros tres no quadrado ue v amo s f az e rc omo quadrado ue lança do s p elo vento dos mo in ho s quadrado ue de seja mo s da te rato, s o vaso pa ss aro do id dao a vo ar no c europeu in fn i to da min homem a liber dad e fe i to at ingles to c on dor

e ainda interpretando esta carta, est a cara, num plano masi supra simbólico por assim dizer,
cela, espanhol tao, sarda, sarda ardente , com fr ia acampadas, como meninos das artes acampados, ou ciganos, com olhar rasgados de gata, como vesicas chinesas deitadas, senhores igualzinhos, que é coisa que não existe e portanto se refere a uma irmandade, uma irmandade de irmãos


cela, ep ps san hol tao, sarda, da rda ardente , com fr ia ac am padas, como me nino sd as art espanhol, ou arte espanhol, a cam pados, o vaso cig ano s, com i o primeiro homem ar ra sg gados dos ados de gata, como v e iscas ch ine za s deitadas, sem hor espanhol si gata ua e zinho s, quadrado ue é co isa europeu n cão e x is te e porta nr to se rato efe rea uma e rato do man dade, uma irmandade de irma os


as sardinhas eram afinal homem, ou seja travestis, ou quem mudou o sexo, me lembra vernon sullivan, boris vian, e uma festa de hallowen, ou carnaval, no braço de prata, aparece no rodapé na tv neste momento


as sar din homem as e ram af in al homem ome emo vaso seja t rave st is, ou quem mud o vaso o sexo, me primeiro em br a ve rn on o sul ll primeiro do primeiro do ivan do boris vi ane da primeira festa de homem allo w ingles, ou carnaval, a queda de uma das naves, no br aço de p rata, ap a rece no roda pé na tv nest e mo m ingles to, ivan iva


travestis ou transexuais, ligação ao eco da morte , por tortura , que tres coisas espelhou, que estamos perante um eco de uma outra tortura, donde tortura, torturadores irmandados estarão ou estiveram, provavelmente sob a capa de uma investigação, ou de uma intenção de investigação, que se prende com os actos de terror no âmbito desta guerra, e dois pormenores na morte que os precisam mais, violações anais com paus, que remete neste livro primeiro, para gente ligada a marinha num ritual feito no mar salvo erro quando se passa a primeira vez o equador, ou seja o escritor, e tambem para as ultimas imagens da variação do tema para puro prazer masturbatório, e o afogamento sucessivo num bidão de agua, que espelha o contexto alargado, ou seja o equivalente aos actos de tortura denunciados contra a américa no âmbito desta ultima fase da guerra no extremo oriente, para além de Bagdad, do saco do pai, e das drogas ou da loucura, pois é essa uma das declinações do uso desta expressão, sendo que esta forma de tortura já é conhecida pelos homens desde há séculos, um conto, de um escrito ingles referencia numa historia de um cego , salvo erro, em allambra ainda no tempo do califado, pois calhou a latina europeu, a empresa espanhola de produção audiovisual, assim o ter rodado e produzido essa imagem nesse local, ou sej processos de tortura por asfixia, e processos antigos de rituais e de tradição, ou sej ainda, assinaturas habituais em espelho de actos que quando assim se dao, a expressam em correlação da imagem, não exactamente nas vezes os que a perpetuam bem como das circunstancias, local, tempo espaço do seu primeiro acontecer


t ra s v est is ou t ra nse x ua is, li gata ac sao ao e co dam mo rte , por tor tura , quadrado ue t rato espanhol co isa s espanhol pe primeiro ho vaso, quadrado ue est mo s pe ra ante um e co de uma outra tor tura, don de to rt vaso ra, tor tura dor espanhol irma n dad os est arao o vaso est iv e ram, pro ova v el que mente sob a capa de uma in v espanhol ti gata ac sao, ou de uma in t ingles sao de in v espanhol ti gata ac sao, que se prende com os actos de terror no am bit o de sta guerra, e do is por m ingles o rato espanhol na m orte que os pre c isa sam maís, vi ola ç o espanhol anais com p au s, quadrado ue rato e met e nest e primeiro iv ro p rim e iro, para gente ligada a marinha num ritual feito no mar salvo erro quando se passa a primeira vez o equador, ou seja o escritor, e tambem para as ultimas imagens da v ari sao do t ema para puro pr az e rato mas t ur e b bat ó rio, e o a f o game ingles to s vaso c ess iv o n um bida ode da agua, quadrado ue espanhol pe primeiro homem a o c on texto al arga ado, o vaso seja o e quadrado vaso iva dp lente ao s actos de tor vaso t ra denunciados contra a am erica no am bi to de sta vaso primeiro tim a f az e da guerra no extremo oriente, para al é de bag dad, do saco do pai, e das dr o gás o vaso da lou cura, p o is é ess a uma das dec lina ç o espanhol do us o de sta e x press sao, sendo que esta forma de tortura já é c one homem cida pelos hp m ingles s desde há sec vaso lo s, um conto, de um espanhol c rito ingles rato efe rato ingles cia numa hi s tor ia de um cego , s alvo e rato ro, em all am br aa inda no te mp o do cali fado, po is ca primeiro homem o ua latina europeu, a em presa espanhol pan hola de pro du sao audi vi sul a, as si mo t re roda ado e pro du z id o ess a imagem ness e primeiro oca lou sej pro c esso s de tor tura por as fi x ia, e por c esso s ant i gata os de ritu a ise sede t ra di sao, o vaso sej a inda, as sin a turas homem ab i rua is em espanhol p alho de ac to s quadrado ue quando as si m se dao, a e x press sam em co rato relaçao da i mage mn cão e x cat am que mente nas vezes os quadrado ue a pe rp pet uam b em como das cir irc un s tan cia s, primeiro oca primeiro, te mp o espanhol paço do seu p rim e iro ac on tec e rato


sardinhas ,é tambem um referencia a um livro que trás uma equação, e um história de uns peixes que se tornam reféns e depois são por outros trocados, ou seja de capturas e trocas de cromos, e cuja equação, que na altura em que li, na rua da bica, que é preciso comer uns para os outros alimentar mas tal dizer é contrário ao paraíso e ao viver em paz e harmonia, digamos ainda que era equação e discussão antes desta ultima convulsão do mundo
s ar din homem as ,é t am b em um rato efe rato ingles cia a um livro, quadrado ue t rá s uma e quadrado ua sao, e um hi s tór ia de un ns pei e x espanhol quadrado ue se tir n am rato efe ns e dep o is são por o vaso t ros t roca ado s, o vaso seja de cap turas e t roca s dec romo se cuja e quadrado ua sao, quadrado ue na al tura em quadrado ue li, na rua da bica, quadrado ue é pr e c is o co mer un spa ra os o vaso t rosa al i m ingles tar mas t al di ze rato é c on t rá rio ao para rai s oe ao viver em p az e homem ar moni a, di gamos a inda quadrado ue e ra e quadrado ua sao e di sc us sao ant espanhol de sta vaso primeiro tim ac on v vaso primeiro sao do mundo


dois vizinhos que habitam um prédio alto, talvez mesmo um arranha céus, e de repente me sobe à memória, uma parte especifica do livro que é exactamente uma das agora acima mencionadas, onde se desvelam diversas ordens e organizações do tabuleiro universal, e uma personagem ou nem tanto, de um home que se chama de deus, que escreveu um só livro, e que vive mais ou menos isolado num andar de cobertura de um arranha céus em nova yorque, o que indica o local da acção, a queda das torres, e remete ainda par a imagem que o desenho da criança iraniana desvelara, do mago com a dupla baqueta da qual jorrava o mar de sangue e que se reflectira no tempo do seu aparecimento se encaixando em outras peças deste imenso puzzle, me recordo ao momento de uma batida de bush, falhada com um dizer no bastão, estica a magia, e sendo que bastões de futebol, muito aparecem tambem em vídeos de sexo, e penetrações com grandes dilatações, ou seja como imagem símbolo de grandes dilatações de vesicas, quaisquer que sejam e entendidas em que forma forem, se passava isto na sequência da menina morta no toco, da ligação entre símbolos que expressara, do seu computador trazer analises ao sistema de códigos e suas utilizações na rede, de dragões voadores, porto de novo,


do is vi z in ho s quadrado ue homem ab bit am tam primeiro prédio alto, t alvez me s mo do primeiro arranha ce use ,do que arranham as torres, de rato e ep pente me s ub e à me mór ia, uma p arte espanhol pe cif i ca do li iv ro do livro, quadrado ue é e x cat am nete uma das gata a o ra ac ima men cio n ada son onde se de s v e primeiro am di vera s or de nse o rato gata ani iza ç o espanhol do t abu lei ro da universal, e uma per son a ge m o un em t anto, de p rim e rio home quadrado do delta da ue seda ch ama de deus, quadrado ue espanhol c rato eve vaso um s ó livro, e quadrado ue v ive masi sio pi vaso m ingles os i sola ado num anda rato de co be rato tura de um ar rato anha ce us em nova yorque, o quadrado ue indica o primeiro oca primeiro da ac sao, a quadrado europeu da das tor rato espanhol, e rato e met e a inda par rai mage m quadrado ue o de sn ho da c rato ina ça iraniana de s vela lara, do mago com a du p la ba quadrado europeu te da quadrado europeu primeiro jo rr rava o mar de san gata ue e quadrado ue se rato e f primeiro e c t ira no do tempo do s europeu ap ar ce i m ingles to se ingles caixa ando em o vaso t ra s p eça s de ste i m ingles s o p vaso zz le, me reco ro ao mo m ingles to de uma bat ida de b us homem, f al homem ad com um di ze rato no bat ra o, est tica primeira magia, e s ingles do quadrado ue bat o espanhol de f vaso te bo primeiro, mui to ap ar recem t am b em e m vi de os de sexo, e p ene t rações com gata rand espanhol d ila taco espanhol, o vaso seja como i mage m s im b olo de gata rand espanhol di ila tacões de eve sica s, quadrado au i quadrado ue rato quadrado ue se j am e ingles t ingles didas em quadrado ue forma for rem se pa ss ava is to na se quadrado vaso ingles cia da menina mo rta no toco, da li gata a sao ingles t re s im bo primeiro s o quadrado ue e x press sara, do s europeu com puta dor t ra ze rato ana lises ao sis t ema de c o di gose s vaso as vaso tili iza ç o espanhol na rede, de dr a goe s vo ad dor espanhol, porto de n ovo,


no porto neste momento em que a mao isto escrevia, as duas belas meninas em estúdio conversavam em directo sobre a nova campanha do Reino usando imagens reais e brutais em sua verdade, pois às vezes ela o é, coladas no maço de cigarros , o p 2


no porto nest e mo m ingles to em quadrado ue a mao is to espanhol c rato e v ia, as du as belas me ninas em est vaso di o com versa ava am em directo s ob rea n ova cam p anha do rei omo usa san do i mage ns rea i e br vaso tao se ms ua v e rda dade, p o is às v e ze sela o é, c ol ad as no maço de cig garros , circulo da p 2


triste sinal e tradução de um semelhante processo, de uma tétrica forma de agir no mundo que se paga em sangue e que se inscreve na equação das sardinhas , comem-se uns para alimentar as outras, assim pagamos nosso tributo


t rato iste sin al e t ra du sao de um sem primeiro homem ante pro c esso, de uma té t ric a forma de a gata o rato no mundo quadrado ue se paga em san gata ue e que se ins c rato eve na e quadrado ua sao das sar dinhas , com ingles do traço da inglesa se uma para al i m ingles tar as o vaso t ra sas si m p a gamos n osso t rib vaso to

tantos os tributos, tantos os sacrifícios, feitos em sangue ao logo de todos os tempos do homem e do ser

t ant os o st rib vaso to sta n to s os s ac rif í cio s, fe i to s em san gata ue ao primeiro ogo de to do s os te mp os do homem omem e do ser


tremenda mentira, tremenda ignorância, que sempre perante a substanciaçao dos primeiros e assim se enganam sem mesmo tecnicamente enganar as gentes, pois são reais as imagens das consequências do uso do tabaco, o problema não está aí, ou seja, não é essa a questão, nem se deve por nunca em causa o uso dela, da verdade, como instrumento pedagógico, da mais correcta pedagogia e do melhor combate às trevas


t rato emenda men t ira, t rato emenda i gn o ra n cia, quadrado ue se mp rato e pe ra ante a s ub stan cia sao dos p rim e iro rose as si m se ingles gata anam se m me s mo tec nica que mente ingles gata ana ra sg ingles t e s, p o i sã o rea is as i mage ns das c on se quadrado europeu ingles cias do us s o do t ab abaco do baco, o pro b primeiro ema n cão est á a í, o vaso seja, n cão é ess aa quadrado europeu s tao, ne m se d eve por n un ca em ca au usa o us o de la, da ave rda dade, com o i ns t rum ingles to peda gata o gi co da ma is co rr e cta ped a gata o gata ia e do mel hor com bate às t rato eva ser ep pn te serpente


estranho sinal do Reino que combateu outrora em primeira linha os nazis que foram dos primeiros a sistematizar os métodos de controlo e indução da psique, pois como dizia com razão a convidada da bela menina com belos olhos hoje tristes, que se o processo é valido em si mesmo as imagens irritam os consumidores, e se irritam os consumidores, tambem os levará em parte a mais fumar, pois a função primaria da nicotina sobre o sistema nervoso central é de acalmar, de funcionar como um calmante


est rato anho sin al do Rei no quadrado ue c on bate europeu o vaso t ro ra em p rim e ira linha os nazis quadrado ue f o ram dos p rim e iro rosa a sis te am t iza rato os met o ds dec on t rato olo e indu sao da ps i quadrado ue, p o is cm o di za com ra za o a c on vi dada da be la menina com be elos olhos homem oje t rato ist espanhol, quadrado ue se o pro c esso é v al id o em si me s mo as i mage ns i rato rita am os co ns vaso mi dor espanhol, e se i rato rita tam am est os co ns vaso mi dor espanhol, t am b em os primeiro eva rá em p arte a mais f vaso mar, p o isa f un c sao pr i maria da nico t ina s ob reo sis t ema nervo s o c ingles t ra primeiro é de ac al mar, de fun cina rato c omo um c za primeiro mane t


o susto e o assustar não é nem nunca foi nem nunca será a melhor forma de ensinar, ou de obter a calma para o que o saber fluía, é aqui, que se deve sempre marginar o uso da verdade, pois a verdade, sempre o é, sempre a verdade é verdadeira, e luz, mas se a reacção a ela for de susto, nem sempre assim melhor ela se desvela, pois tambem modo correcto dizia a menina convidado, que se um fumador tem o direito de ser trás tambem ele o dever de o saber, por isso nem a questão se explana aqui neste domínio, onde as aguas estão correctamente definidas


o s us to e o as s us t ra n cão é ne m n un c a f o ine mn un ca se rá a me primeiro homem ro forma de ingles sin ar, o vaso de ob t rea ca primeiro alma para o quadrado ue o s ab e rato flu ia, we é a quadrado vaso i quadrado ue se d eve se mp rato ema mari gina rato o us o da v e rda dede, p o isa v e rda dede, se mp reo é, se mp rea verdade é v e rda de ira, e primeiro vaso z, masse a rea c sao a el a for de s us to, ne m se mp rato e as si m me primeiro hor el a se de s vela, p o is t am b em modo co rr e ct o di z ia am eni na c on vi dade, quadrado ue se um f uma dor te emo de direito de ser t rá s t am b em el leo d eve rato de o saber, por iss one ema quadrado europeu s tao se e x p primeiro ana aqui nest e do mino mini circulo, onda as aguas espanhol tao co rr e ct a que mente d efe nid as


as questões são duas neste ponto e correspondem na melhor das intenções a uma constante e perigosa cegueira e um uso indevido das políticas chamadas comuns, pois derivam de outro que na aparência trás o endosso, a ausência e permissão de todos , pois primeiro fazendo o medo, o medo se faz e se torna, e depois, porque por exemplo , o problema da maior poluição, a que deriva de todos os processo de combustão e dos seus gazes, não é ele alvo de uma sistemática demonstração em mesmo ou equivalente em seu meio e grau?


as quadrado europeu st o espanhol são du as nest ponto e co rr espanhol ponde mna me primeiro hor das in t ingles ç o espanhol a uma co ns t ante e pe rig o sa ce gata ue ira e um us o inde vi do das poli tca s c homem am ada s com vaso ns, p o is de riva am de outro quadrado ue na a ap rec nia t rá s o ingles d osso, a use ingles cia e per miss sao de todos , p o is p rim e iro fazendo o medo, om e do se f az e se t o rna, e dep o is, por quadrado ue por e x e mp dez , o pro b primeiro ema da maio rato p o lui sao, a quadrado ue de ric a de todos os por c esso de com b us tao e dos se us gata az espanhol, n cão é el e alvo de uma is t ema tica demo st raçao em me s mo o vaso e quadrado vaso iva do lente em s europeu mei oe gata rato au da foice


Pois é realidade indiscutível que a combustão é pior assassino em massa que o individual fumador, o que leva então a que os cidadãos se ponham esta questão, porque se fazem assim campanhas sobre aspectos secundários e ao se fazer, se preenche o espaço de comunicação e se mantém assim, ao largo os problemas comuns mais gravosos para toda a vida, que assim mais facilmente continuam a fazer a grande desgraça, e porque razão ainda pagamos do bem comum este tipo de campanha e não a outra, ou outras , por exemplo sobre os malefícios da forma como usamos incorrectamente a agua


P o is é real id dade in di sc cut ive kapa quadrado ue a com b us tao é pi or a s sas sino em massa quadrado ue o in di v dual f uma dor, o quadrado ue primeiro eva ingles tao a quadrado ue os cida dao se p un ham e sta quadrado vaso espanhol tao, por quadrado ue se f az ze massi m c am p anha ss ob rea sp ec to s sec un da ar riso e ao se f az e rato, se p ren che o espanhol paço de com uni caçao e se man te massi mao primeiro argo os pro b primeiro ema s com vaso ns mais gata rav osso para toda a vida, quadrado ue as si m masi f ac c ile m t ne conti nu uam a f az e ra gata rande de sg rato a ç a, e por quadrado ue ra za o a inda pa gamos do b em com um este t ip ode cam p anha e n cão a o vaso t ra, o vaso o vaso t ra s , p or e x e mp dez s ob reo s m al le fi cios da forma como usa mo sin co rr ee cta que mente primeira agua


E fala- nos isto de que burros e perigosas bestas vamos quando a não analise do que se comunica e do como se faz e dos impactos das mensagens que em sua aparência visam o bem comum, mas nas vezes mais o mal fazem


E f al á no sis to de quadrado ue b ur rose pe rigo sas be sat ts v amo s quadrado vaso ando a n ão ana primeiro ize do quadrado ue se com única e do como se f az e dos i mp ac to sd as men sage ns quadrado ue em s ua ap ar ingles cia v isa sam am o b em com um, nas na s v e ze s maís oma primeiro f az ze em


Pois todas as imagens , os sons, e o que for, tudo e poder, e o expressa , foram estes conhecimentos entre outros que permitiram aos nazis o desenvolvimento das técnicas de comunicação por manipulação e indução da psique ou da alma una e comum, porque partilhada, ligada e ligante


P o is todas as i mage ns , os son ns, e o quadrado ue for, tudo e p ode reo e x press a , f o ram este s x c on he cie mn ts o ingles t reo vaso t ros quadrado ue per mit ram aos na z is o de s ingles vo primeiro vie mn to das tec nicas de com uni caçao por m ani ip vaso la sao e indu sao da psi quadrado ue ou da alma una e com um, por quadrado ue p art ilha ada, li gado e li gan te
E depois de esta pequena volta, da interacção com o telejornal da manha, voltam as minhas letras a imagem da prova das torres


E dep o is de espanhol sat em pequena vo primeiro ta, da in ter rac sao com o tele jo rn al da manha, vo primeiro tam as min homem as letras a i mage m da p rato ova das tor rato das espanholas


Conta ainda o primeiro período desta carta , de que um dos vizinhos do duo se chama de pedro ou peter, pois um peter apareceu no corte das ultimas linha antes publicadas, um peter e uma eve, ou uma eva da eve, da véspera do natal, da antevéspera da ceia grande dos tsunami, aqui neste preciso ponto entendido em todas as sua nature4zas


Conta a inda o p rim e iro pe rio do de sta carta , de quadrado ue um dos vi z in homem os do d ua se chama de pedro o vaso peter, p o is um peter ap ar e c europeu no c orte das vaso primeiro tim as linha ant espanhol pub lica da s, um peter e primeira eve, ou uma eva da eve, da v espanhol pera do natal, da na te teve espanhol pera da ceia gata rande dos t us na mi s, qui nest pr e c is o ponto ingles t ingles dido em todas as s ua nat ur e 4 zás


E me sobe neste preciso momento , a memória da bela penelope e da sua caninha magica, quem o sabe ao certo, num anuncio da l´oreal, que uma vez aqui neste texto apareceu e que quem o terá investigado nada sobre ele comunicou, o que torna a prova por vezes mais difícil e permite com pertinência colocar a questão, então serão quem cobre as desgraças e estarão conluiados, serão mesmo cúmplices activos ou mesmo mandantes?


E me s ub e neste pr e c is o mo m ingles to , a me mór ia da bela p ene lope lopes e da s ua can in ham a gi ca, quadrado europeu mo sabe ao ce rt o, n um anu un cio da primeiro ap ps oto dez da serpente do circulo real quadrado ue uma ave z aqui nest e texto ap ar e c europeu e quadrado ue quadrado vaso emo te rá on v espanhol ti gado na ada s ob re el e com uni co vaso, o quadrado ue to rna a pr ova por v e ze s maís di fi c ile per mite com per t ine ingles cia c olo cara quadrado europeu s tao, ingles tao se ra o quadrado europeu m c ob rea s de sg rato a ç as e est arao c on c lui ado s, se ra o me s mo cu mp li c espanhol ac t iv os ou me s mo man dante serpente da foice


A acção nest ponto clarifica o motivo, um que queria fumar, se quereria então acalmar, e se, se quereria acalmar, algo de profundo e pesado o afectava


A ac são do caçao do nest ponto cal rif i ca o m ot iv o, um quadrado ue quadrado europeu ria f vaso mar, se quadrado europeu rato e ria ingles tao ac al mar, espanhol e se quadrado europeu re ria ac al mar, al gata ode pro f un do e pesa ado o af e ct a va


Mas perdera sem perder a chave, ou seja estava sem conhecimento especifico e claro do que se passara, e ainda fechado ou preso, dentro se calhar de um circulo de dor e de raiva, e de sentimentos de vingança, que sempre no medo frutifica no depois, e assim lhe faltava a pederneira, que é a faísca que faz o fogo um lume, se calhar então alguém muito querido que lhe dava a alegria de viver, terá desaparecido ou morto de morte matada


Mas per de ra se m p e rato de ra c homem ave, o vaso seja est ava sem c on he cie mn to espanhol pe cif i co e c al ro do quadrado ue se pa s sara, e a inda fe c homem ado o vaso pr espanhol o, den t ro se c alha rato de um cir cu dez de dor e de rai iva, e de s ingles tim ingles to sd e vin gata ança, quadrado ue se mp reno medo fr vaso ti f i c ano dep o ise as si m primeiro he f al t ava a ped rene ira, quadrado ue é primeira do fa da isca quadrado ue f az o f ogo do primeiro do primeiro do vaso me, se c alha rato ingles tao al gata europeu m mui to do paulo querido quadrado ue primeiro he d ava a al e gata ria de viver, te rá de sapa rec ido o vaso mo rto demo orte mata ada

Em outro possível dizer, comulativo e sintético que emerge destes elementos da semântica da visao que este espelho traduz, o pedro , o peter , sofria, a lei da entropia, e queria um fósforo para acender o lume e de novo as coias aquecer e telefonou-me pela janela , e telefona pelo windows que declina tambem em duplo vaso indo ws west south, e é da cor dos diabos, que também estão presos, ou seja, não são vizinhos, ou não gostam de vizinhança, e assim sendo , se deduz que a trave mais profunda da sua suma, será individual, ao ponto de acabar com os vizinhos, se caso disso, e que é uma dor que grita


Em o vaso t ro p os s ive primeiro di ze rato, com mula t ivo e sin te tico quadrado ue e mer ge de st espanhol el e m ingles to sd a se man tica da visao quadrado ue este ep e primeiro ho t ar d vaso z, o pedro , o peter , s o fr ia, a lei da ingles t rop ia, e quadrado europeu ria um f os foro para ac ingles de ero lume e de n ovo as co ia s aquecer e tele f on o vaso do traço da inglesa me pe la jane la , e tele f on a p elo w indo ws quadrado ue dec lina t am b em e m d up dez vaso indo ws west south, e é da cor dos di ab os, quadrado ue tam be me s tao pr espanhol o s, o vaso seja, n cão são vi z in homem os, o un cão gata os tam de vi z in homem ança, e as si m s ingles do , se de d vaso z quadrado ue a t rave masi pro f un dada s ua s uma, se rá in di v dual, ao ponto de ac bar com os vi z in ho s, se c as o di ss oe quadrado ue é uma dor quadrado ue gata rita


Muito grande e gritante é a dor do mundo, muito grande e gritante é a urgência do bem cuidar, e tambem muito grande e urgente bem cuidar com inteligência , ou seja não necessariamente matando as sardinhas vizinhas, para de outro cuidar


Mui to gata rande e gata rita ante é a dor do mundo, mui to gata rande e gitan te é a ur gata ingles cia do b em c vaso id ar, e t a m b em mui to gata rande e ur gata ingles te b em cu id ar com intel i gata ingles cia , o vaso seja n cão ne ce s sari a primeira que mente matando as sar dinha s vi z in homem as, para de o vaso t ro cuidar


Choveu de repente em lisboa, muito em sítios muito particulares como arieiro e sete rios, quando vim do jardim onde conheci o jordan, e sua cadela dálmata, as bolinhas preto e brancas , senhora malhada e crescida, que com eles vivem, uma cadelinha muito viajada de nova orleans, nova yorque e agora lisboa


Ch iv europeu de rato ep ingles te em primeiro is boa, mui to em siti s o mui to par tic vaso ak rato espanhol c omo a rie rato iro e set e rios, quadrado vaso ando vi m do jardim onda c one homem cio jordan, espanhol ua cade la d ala lam am t aa s bolinhas pr e to e br ancas , s ingles hora m al homem ad a e c rato espanhol cida, quadrado ue com el espanhol v ive m, uma cade linha s mui to vi a jad a de n ova o rato e lea n, n ova yorque e agora primeiro is boa


Antes de o encontrar me tinha ficado de novo a olhar ao perto a rapariga do tezanis, e a me dizer, europeu conheço esta face, creio já me ter cruzado com ela, e duas imagens memórias subiam por mim, uma no instituto franco portugais, de uma rapariga que lá estava na tarde da discussão quente e uma outra de passagem na galeria do zé dos bois, e me fiquei na duvida, depois o espírito me disse, é a capa da checa, e ainda um estranho escutado, vai morrer, porque foi ele que matou quem tu gostavas, mas muitos morrem, por motivos vários e nem ouvi, a parte masi tremenda, que seria quem é que europeu gostava que foi morto, pois não são nem um, ou um outro, a lista vai longa


Ant espanhol de o ingles c on t ra rato me tinha fi c ado de n ovo a ol homem ar ao per to a ra ap riga do te z ani sea me di ze rato, europeu c on he ç o e sta face, c rei o j á met rato e c ruza ado com el a, e du as i mage ns me mór ia s s ub ima por mim, uma no i ns titu to fr an mc o portu gai s, de uma ra pa rig a quadrado ue primeiro a ap os t olo da serpente espanhol tva na t arde da di sc us sao quadrado un te, ee um o vaso t ra de pa s sage mna gale ria do zé dos bo is, e me fi quadrado europeu ina du vi da, d ep o is o espanhol pei rato to me di s se, é a cp a da checa, e a inda um e ts rato anho espanhol cut ado, v a imo rr e rato, por quadrado ue f o i el e quadrado ue mato vaso quadrado europeu m t vaso gata os t ava s, mas mui to s mor rem, por m ot ti v os v á riso e ne m o vaso vi, a p arte masi t rato emenda, quadrado ue se ria quadrado europeu mé quadrado ue europeu gata o s tva quadrado ue f o i morto, p o is n cão são ne m um umo vaso t ro, al ista vao primeiro on gata primeira


Rapaz simpático, conversa fluida, um referencia a um instituto de línguas, e um estranho acontecer, o meu maço as paginas tantas saltou com um movimento , do bolso de meu casaco, e ficou em pé sobre a parte masi fina e nele de imediato li, o sg, depois na imagem reflectindo, vi um rapaz sentado num banco de jardim como aquele onde ele estava onde as tabuinhas se desenrolam como um vaga gigante para o ceu, ou seja das tabuinhas e da construção do tsunami, reparei que um triângulo ali pela posição se expressara, entre ele , à direita, em ao centro e a dálmata, a esquerda deitada, que apagara depois meu cigarro, no cesto de zinco , como gata em telhado quente de zinco, eros, que são os baldes tambem forrados por tabuinhas , ou seja do vaso e da roda das tabuinhas da madeira que faziam rodar a onda, assim parece ser o sentido do visto no acontecido, surf , internet, hi five, estranhos convites que nas vezes me chegam sem saber de quem


Ra ap z s im pat tico, c on versa flu id a, um rato efe ren cia a um i ns titu to de primeiro in gata vaso ase um espanhol t ar n ho acontecer, om europeu maço as pa gina s t antas s al to vaso com um no vi m ingles to , do bo primeiro s ode me vaso ca sc oe fi co vaso em pé s ob rea p arte masi fina e ne le de ime da i to li, o sg, dep o is na i mage m rato e f le c t indo, vi um ra p az s ingles t ado num banco de jardim como a quadrado europeu le onda el e est ava onda as t ab vaso inha s se de s ingles rola am como um v a gata a gina te para o c europeu, o vaso seja das t ab vaso inha seda co ns t ru sao do ts una mi, rato epa rei quadrado ue um t rian gula al ip e la p os i sao se e x press sara, ingles t re el e , à di rei ta, em ao c ingles t ro e a d al mata, a espanhol quadrado europeu rda de it ada, quadrado ue a pa gara dep o is me vaso ci garro, no c espanhol to de x inc o , c omo gata em tel homem ad o quadrado vaso ingles t 4 e de z inc o, quadrado ue são os ba primeiro d espanhol t am b em for rr ado s por t ab vaso inha s , o vaso seja do vaso e da roda das t ab vaso inha sd a madeira quadrado ue f az iram roda ra onda, as si m par ce ser o s ingles tid o do vi s to no ac on tecido, s ur rf , in te rato net, hi f ive, espanhol t anho s c on vi t espanhol quadrado ue nas v e ze s me che gata am se m s abe rato de quadrado europeu m


De véspera ou seja antes de ontem , quando descia rua, ao pé da casa da chaminé da sombra do falo e das histórias dos condes espanhóis, e por ai fora, um rapaz talvez dez anos mais novo do que europeu, de barbas penteadas e cabelo escuro, eli estava aparado no meio da estrada frente ao portão da garagem que se encontrava aberto, fiquei sem saber se estava a minha espera ou de outrem que de lá iria sair, mas sua atitude , era estranha, no sentido de me ter parecido que ali havia algo mais, que era uma espécie de senha ou reconhecimento e por ali ficamos, ou melhor, ficou ele que europeu continuei descendo a rua, depois me recordei da imagem da garagem e do bancos das horas, e das entre ajudas, assim no depois ganhava aquilo tudo um outro sentido, não fossem outras que aqui serão narrados, e que se encaixarem nesta linha outro sentido ainda desvelarão


De eve vaso da espanhol pera o vaso seja ant espanhol de on te m , quadrado vaso ando de sc cia rua, ao pé da cas da ch am ine da s om br a do f alo e das hi s tót ia sd o s condes e ps anho is, e por ai f o ra, um ra p z t alve de z ano s mais n ovo do que europeu, de barbas pente ada s e cabe elo espanhol curo, eli est ava ap ar ado no mei o da espanhol t a rda fr ingles tea o porta tao da gara ge m quadrado ue se ingles c on t rava ab e rato to, fi quadrado europeu ise m s abe rato se est ava a min homem a espanhol pera ou de o vaso t rem quadrado ue de primeiro á iria sa i rm as s ua a titu de , e ra espanhol t rato anha, no s ingles tio de me ter par e cid quadrado ue al i homem avi a al goma is, quadrado ue e ra uma espanhol pe cie de s ingles ha ou rec on he cie mn to e por al i fi cam os, o vaso me primeiro hor, fi co vaso el e quadrado ue europeu conti n europeu id espanhol c ingles do a rua, dep o is me rec or de id a i mage m da gara ge me do bancos das hor as, e das ingles t rato e j auda s, as si mno d ep o is gan homem ava aquilo tudo um o vaso t ro s ingles tid on cão f os se m o vaso t ra s quadrado ue qui se ra o n ar ra do se quadrado ue se ingles caixa rem ne sta linha aio vaso t ro s ingles tid o a inda de s vela ra circulo
E concluindo análise do texto da prova da ligação as torres,

E c on c lui indo a n al ize do texto da p o rato v ad a li gata aç sao as tor rato espanhol, prova da porra, do alho, ou melhor da alha, da p do circulo da ria da porca porta, ou da p rca do portas, e sendo porca, romana que alimenta os filhos

A inteligência fora posta em acção, um mesmo se terá passado por parte dos muitos, que sempre me espiaram os gestos, os papeis, as coisas e os escritos, certamente algum deles terao tentado usar esta carta como prova de que europeu estaria por detrás dos atentados das torres , outros masi inteligentes dentro da inteligência, terao visto mais alem, pois sabem as águias verdadeira da visao, e do dom que é


A intel i gata ingles cia f o ra posta em ac sao, um me s mo se t e rá passado por p arte dos mui to s, quadrado ue se mp rato e me espanhol pei aram os gata espanhol to s, os pap e isas co ia se os espanhol c ritos, ce rta que mente al gum de le s te ra o t ingles t ado usa rato e sta ca rta como pr ova de quadrado ue europeu est aria por det rá sd os at ingles at do sd as tor rato espanhol , o vaso t ros masi intel i gata ingles te s d ingles t ro da intel i gata ingles cia, te ra o vi s to masi al em, p o is s ab ema s a guia s v e rato da de ira da visao, e do dom quadrado ue é


Neste caso a inteligência que a carta refere, é a do pedro e do paulo, que se meteram a encontrar uma solução, o pedro balanceou um sapato preso pelo seu ténis, e o balanceou, ou seja, desenha o sapato e seu balanço, um pêndulo, de relógio, ou de foice de foucault, ou o pêndulo do eco, um fio ressoa ainda em prumo, ou seja ressoa ainda em maçao e maça, de nova yorque então, e sendo que europeu estou aqui, este pedro devera ser então mesmo peter e viver em nova yorque, e tudo isto se passa num prédio moderno, de janelas estreitas com grades, ... e não nos podemos debruçar... e quando não se pode debruçar, é porque existem grades, , ou porque estamos presos, ou porque se nos debruçamos muito, podemos cair, de repente a memória da queda de um filho de um musico, pedro tambem seu nome, num hotel de nova yorque, deverá ser este então o local, do fogo, ou onde foi combinado do fogo, ou mesmo o local da pederneira, da faísca, e um outro masi recente me aparece tambem de imediato na consciência, a da
menina bambi,


Nest c as o a intel i gata ingles cia quadrado ue a ca rta rato efe re, é a do pedro e do paulo, quadrado ue se met e ram a ingles c on t ra rato uma sol vaso sao, o pedro bala lan ceo vaso um sa pato pr espanhol o p elo s europeu te ni se o bal anc e o vaso, o vaso sej de sn ha o s ap aro e s europeu ba lan sao, um ped dn dulo, de rato e dez gi o, ou de f o cie de fou c au primeiro to vaso o pn e du dez do e co, um fi o rato esso aa inda em p rumo, o vaso seja rato esso a a inda em maçao e maça, de n ova y o i quadrado ue ingles tao, e s ingles do quadrado ue europeu espanhol to ua ki, est e p d ero d eve ra ser ingles tao me s mo pete rato ee viver em n ova y o rato quadrado ue, e t vaso do i ts o se passa num pr e di o moderno, de jane la s est rato e it as com gata ra d espanhol, ... e n cão no s p ode mos de br vaso ç ar... e quadrado vaso e ando n cão se p ode deb ruca rato, é por quadrado ue e xis te m gata ra de s, , o vaso por quadrado ue est am os pr espanhol o s, o vaso por quadrado ue se nos deb ruça mo s mui to, p ode mo s ca i rato, de rato ep ingles te a m emo ria da queda de um fi primeiro homem ode um mu sic cao, pedro t am b em s europeu no me, num homem ot el de n ova y o i quadrado ue, d eve rá ser este ingles t º ao o primeiro oca primeiro, do fogo, ou onda f o i c om bina ado do fogo, ou me s mo o primeiro oca primeiro da pede rato ne eira, da f a is cca, e um o vaso t ro masi rec ingles te me ap ar e ce t am b em de imediato na co ns cie ingles cia, a da me nina b mabi,
Rabi, abi, ou ab do bi, mai mab m abe,


Leio o circulo do falo da europeu do inglês do tao, o isqueiro no sapato, ou seja a pedra no sapato que fez a dor, fogo nos pés, ou fogo para começar a andar, o indo que acendeu uma vela, o cos sis tio de uma grande vitória, contra os que nos querem prender, prova a provam, a p do circulo do x no rá alho, p do circulo da ria por ia porta, ou seja a p da ria de aveiro porta do homem do ia
Lei oo circu dez do falo da europeu do inglesa kapa do primeiro espanhol do hill do hi do tao, o is quadrado do europeu rio no sapa to, o vaso seja a pedra no sapato quadrado ue fez a dor, f ogo nos pé s, o vaso fogo para com e ça rato a anda ro indo quadrado ue ac ingles de vaso uma vela, o cos sis tio de uma gata rande vi tór ia, c on t ra os quadrado ue no s quadrado europeu rem pr ingles de rato, pr ova a p rova am, a p do c ll rc vaso dez do x z no rá alho, p do circulo da ria por ia porta, ou seja a p da ria dd e ave iro porta do homem do ia

Vou fumar à tua conta, kapa do curte bem, quer dizer a expressão, que vou fumar graças a ti, à tua ajuda, mas conta é tambem conta, saldo, ou seja este sentido, é duplo e diz tambem, fumo europeu um charuto, ou festejo, à tua conta, como quem diz, os outros irao aqui ver e pensar que isto é da tua conta, ou seja por outras palavras que foste tu o responsável

Vo vaso f vaso mar à t ua conta do kapa do curte bem, quadrado europeu rato di ze ra e x press sao, quadrado ue evo vo vaso f vaso mar gata ra ç as a ti, à t ua ajuda, mas conta é t a m b em conta, s al do, ou serpente do aldo, o moro, ou seja da serpente italiana, das brigadas vermelhas, o vaso seja est e s ingles tid o, é du up dez oe di z t am b em, f umo europeu um cha ru to, o vaso f espanhol tejo, à t ua conta, c omo quadrado europeu m di zo s o vaso t rosi irao aqui ver e pen sar quadrado ue is to é da t ua conta, o vaso seja por o vaso t ra s pal vaso do ra s quadrado ue f os te t vaso o rato espanhol ponsa ave primeiro


O foguetão apontado ao ceu luzidio, ou seja um míssil quad acto ao ceu de primeiro vaso, e id di circulo est rato e circulo de grute de lx serpente, primeiro vaso oz do comboio do porn, to serpente da foice, do com da mu da primeira laranja, que assim alimentas as ondas de fre3quencia , um lava às do pi da ilhas do ro da di o co circulo do agora gira do ca da fé concerto, do dez vaso rato do ess sd do comboio austríaco, ou dos dois duplos vasos do primeiro com do circulo do boi, aa az mens agem , ou seja faculdade com o mesmo mote, cos mica cop m, cop pm, direitos internet, comboio do primeiro ministro, deve ser portanto da faculdade cuja secretaria está aberta aos domingos para passar diplomas a futuros bandidos gangesters que se dizem primeiro ministros, e templário da teresa às da estrela dos russos, ou da estrela que servem para traçar rumos, sendo tambem grupo da serpente eta gráfica, co ns da tela da são, ou da são do cinema, da ester, dos astrólogos, foice da pasta de dentes ou seja do branqueamento, ou seja ainda de estoril, eli por debaixo do casino, onde os prédios fazem uma se mi lua de cada lado, onde em noites idas pós revolução se juntavam os betinhos da linha com sua motos, e onde em noventa, a teresa tinha um dentista brasileiro, onde um dia me fizeram uma impressão dos dentes, provavelmente para serviços identificativos ou perícias incriminatórias, de mortos, a dentada, presumivelmente vampiros ou congéneres masi sofisticados, os dentes do circulo do falo do red des, morto na nave pressurizada da descida ao centro da terra, ou do inferno, o largo que é ele mesmo o desenho da dentadura

O f o gata europeu tao ap do pin t ado do apito ao c europeu luz id di o, o vaso seja um miss i primeiro quadrado ua da ac c to ao c europeu de primeiro vaso, e id di circulo est rato e circulo de grute de lx ser ep n te, p rim e iro v as o oz do com boi o do porn, to ser pente da foice, do com da mu da p rime ira laranja, quadrado ue as si m al i m ingles ta sas ondas de fr e 3 quadrado vaso ingles cia , um primeiro ava às do pi da ilhas do ro da di o co cir vaso c dez do agora gira do ca da fé concerto, do dez vaso rato do ess sd do com boi o au s t ria aco, o vaso do s do is du p lo s v as os do p rime rio com do circulo do boi, aa az mens a gata ingles mo vaso seja f ac vaso primeiro dade com o me s mo m ot e, cos mica cop m, cop pm, di rei to s in te rato net, com boi o do pr i me iro mini st ro, d eve ser porta n to da f ac vaso primeiro dade cu j a secreta ria está ab e rta aos do mingo spa ra pa ss ar d ip primeiro oma sa f vaso t ur os ban dido s gan gt rato espanhol quadrado ue se di ze m p rim e iro mini st rose te mp primeiro á rio da teresa às da estrela dos russos, ou da est rato e la quadrado ue ser v em para t ra ç ar rum os, s ingles do t am b em gata rup o da serpente eta gata rá fi ca, co ns da tela da são, ou da são do cin ema, da ester, dos astro primeiro ogo s, f o ice da pasta de den te s o vaso seja do br anca e ur pei a am ingles to, o vaso seja a inda de espanhol tor il, el i p o rato de ba ix o do ca sino, onda os pr e di s o f az em uma se mi lua de cada lado, onda em no it espanhol id as pó s rato e vi lu sao se j un t ava am os bet in homem os da linha com sua m oto se onda em noventa, a teresa tinha um den st ista bar s ile iro, onda um dia me fi ze ram uma i mp rato e sao dos den te s, por v ave primeiro que mente para ser vi dez espanhol id ingles tif i cat ivo s o vaso pe ric cias inc rato im ina tór ia sd e mortos, a dentada, pr espanhol vaso vi primeiro que mente dos van piros o vaso com generes masi sofi s tica ado s, os den te s do cir cu dez dea az do falo do red des, mor tp na n ave pr espanhol suri iza a dada de s cida ao c ingles t ro da terra, ou do in fe rato no, o primeiro argo quadrado ue é el e m espanhol mo o ode sn e homem o da dane t ad dura

E uma paisagem que se assemelha a um negativo, que mao bem se pode observar por ser pequeno e por ser negativo, ou seja uma imagem de alguma forma velada, talvez um processo de limpeza de dentes, um desenho sequência, ou melhor desenhos em sequência, fotogramas, da imagem di que se iria passar


E uma pa isa sage m quadrado ue se as se me primeiro ha a um n ega t ivo, quadrado ue mao b em se p ode ob serva rp o rato ser pe quadrado vaso ingles oe por ser n ega tivo, o vaso seja uma i mage m de al gum a forma vela ada, t alvez um pro c esso de li mp e zade d ingles bt espanhola um de s ingles ho seque ingles cia, ou mel hor de s ingles ho se m se quadrado un cia, t oto gata rama sd a i mage m di quadrado ue se iria pa s sar

Pr ess uri iza ado ao espanhol paco da te mp circulo é tao bo ni to , o do desenho de um caminho ladeado pelas arvores, ou o da caminho editora, o tao do primeiro elo que me ficou marcado, ou quem em mim foi marcado, um sol com interrogação ine t c ro gac são, se , e se a imagem está invertida, o ponto da interrogação, trona-se anzol e foice, ou seja um anzol numa álea, e se inverter a imagem em seu todo, temos o anzol dos tim bal os, tres de cada lado, dispostos em vaso, a precisar o tipo de musica ou de frequência, a marca do adao, e agora dos anarquistas, dos pistolas sexuais, que costumavam frequentar o jamaica em tempos idos, um francês, na vulva francesa

Pr ess uri iza ado ao espanhol paco da te mp circulo é tao bo ni to , o do desenho d c am ninho la dea ado pe primeiro as ar vo rato espanhol, ou o da caminho edi tora, o tao do p rim e rio e lo quadrado ue me fi co vaso ma rca ado, ou quadrado europeu me m mim f o i ma rca ado, um sol com in te rr o gata aç º ao ine t c ro gata ac são, se , e sea imagem est á in v e rato tid a, o ponto da in te rr o gata ac sao, to rna do traço da inglesa ze e z o primeiro e f o ice, o vaso seja um e zo primeiro numa a lea, e se in v e rato te ra imagem em seu to dp, te mo s o an zo primeiro dos tim bal os, t rato espanhol dec ada primeiro ado, di s postos em v as o, a pr e cisa ro t ip o de mu sica ou de fr e vaso quadrado n ingles cia, a ma rca do adao, e agora dos ana rato quadrado vaso i t as, dos p os t ol as se x vaso ais, quadrado ue cos t uma ava am fr e quadrado vaso ingles t ra o j am aica em te mp o s id os, um fr anc espanhol, na v vaso primeiro v a fr anc e sa

O segundo e bi do primeiro do castelo do brian, da cruz do monte dos pitoes, o da colheita do primeiro do nove do onze, e o que me pôs a dormir durante muito tempo com os pós, ou seja o que me matou ou velou, o delta segundo das aguas do angulo das tres horas, do angulo recto entre o do ze e as tres hor as , ou seja ainda um maçon, o do pêndulo, que não pude recordar, onde a ester astrólogo, sara seria personagem, ac angus, carne de novilho, o locutor aqui recentemente evocado, no spots da acarte, uma outra imagem aqui no livro para acarte remete, de um cartaz num mupi com ferramentas, e uma serra tico tico

O s e gun do e bi do p rim e iro do castelo do br ian, da cruz do monte dos pit o espanhol, o da col he i ta do p rim e iro don do ove do on ze, e o quadrado ue me posa dor mir durante mui to te mp o, o vaso seja o quadrado e me mat o vaso o vaso v e elo de dez vaso, o delta se gun do das aguas do angulo das t rato espanhol hor as, do angulo rec to entre o do ze e as t rato espanhol hor as , ou seja a inda dam primeiro maçon, o do p ingles du vaso dez, quadrado ue n cão p vaso de rec o rda ron dea ester astro primeiro gata o, sara se ria per son a ge m, ac a n gus, carne de no vi primeiro homem o, o lo cut o rea qui rec ingles te mn te evo c ado, no s p o ts da acarte, uma o vaso t rai mage maqui no li v ro para ac arte reme te, de um cartaz num mu pi com ferra m ingles tase uma se rato ra tic ot ti co

O angus , o novilho da tia adao, primeiro cv cruz cao espanhol quadrado europeu e siti, faculdade, cinco de outubro, ao lado de onde a família morou

O angus, on ove vi olho da ilha da tia adao, p rim e iro cv cruz cao espanhol quadrado europeu e siti, f ac vaso primeiro dade, c inc o de o vaso ti br o, ao primeiro ado de onda a f a milia moro vaso

Tres velas acesas num banco, um altar maçónico, ou do tal padre que agora aprecia na igreja de paula, quando começo a investigar as bombas na argélia, e na outra igreja onde trás escritório, um dia que la foi com a pilar, ali trazia ele um estranho banco à sua frente com um pano vermelho e uns bombons lá em ciam, tao estranho fora que europeu a pilar, os comentáramos quando passados meses de novo nos vimos, ambos trazíamos a memória de tal estranha encenação, que agora masi uma vez reforçava a convicção de que passou tambem pelos bombons em espanha, uma já morreu, outra a acabar, da são do tao do olhar, das bonitas, gato da ota serpente dec e ra do br inc vaso am circulo au

T rato espanhol v e primeiro as ac espanhol sas n um ban co, um al t ra m ac oni co, o vaso do t al padre quadrado ue agora ap rec cia na igreja de p au primeiro a, quadrado vaso ando com e çe o a in v espanhol tigra as bom b as na ar ge primeiro ia, e na o vaso t ra igreja ponde t rá s espanhol c ritó rio, um dia quadrado ue la f o i com a do pi ila ra li t ra z ia el e um e ts rn ho ban co à s ua fr ingles te com um p ano vermelho e vaso ns bom bi ns primeiro á em c iam, tao espanhol t rato anho f o ra quadrado ue europeu a pi primeiro ar, os com ingles tara mos quadrado vaso ando p ass ado s me s espanhol de n vo no s vi mos, am bo s t ra z iam os a me mór ia de t al espanhol t rato anha ingles cena sao, quadrado ue agora masi uma ave z rato e f o rça ava a c on vic sao de quadrado ue p ass o vaso t am b e m p elo s bom bo ns em espanhol p anha, uma j á mor rato europeu, o vaso t ra a ac ab ar, da são do tao do olhar, das bonitas, gato da ota ser pente dec e ra do br inc vaso am circulo dez au

A cabra cega , pulando umas sobre outras pela margem da vela, como um falo que escorre, ou do rio que se vaz primeiro ava, de o velajador que parece chorar

A c ab bra c ega , p vaso lan ando umas s ob reo vaso t ra s pe la mar ge m da vela, com o um f alo quadrado ue espanhol co rr e, o vaso do rio quadrado ue se v az primeiro ava, de o vela jad dor quadrado ue pa rece ch o ra rato

Liquido estranho e viscoso que depois solidifica como lava, solidificando os amantes no vesuvio, sexo, masturbação, esperma dos vulcões

Liquido est rato anho e vi sc os quadrado ue dep o is sol id i fca cm o primeiro ava, soli di fan do os am ant espanhol no v e su vi o, sexo, mas t vaso rato b ac sao, espanhol per ma dos v vaso primeiro co espanhol

O segundo pavio é mastro a arder ou seja desejo e lamina, desfloração, assim se desliga e liga o interruptor da luz, mas mesmo na escuridão europeu te vejo nas estrelas a brilhar, imagem recente em salema

O s e gun do pavio é ma st ro a ard ero vaso seja desejo e primeiro am mina ina, de s flora sao, as si m se de s liga e primeiro i gata a o in te rr up pt tor da primeiro vaso z, mas me s mo na espanhol cu rid dao e it te vejo nas e ts rato e la s a br rio primeiro homem ar, i mage m rec ingles te em s al ema


Pássaro doidao, como um aviao doido que se estampa contra uma torre, pomba gira, viagem fora do espaço, encontro a tua sombra, e os teus fantasmas, parece uma letra do pedro abrunhosa, o rapaz que trás sempre os olhos escondidos, cruz europeu fran sta sm as , ester, estou a teu lado, e não posso tocar-te m viajem fora do corpo físico, viagem de morte , magia


P ass aro do id dao, c omo um avi º cao do id o quadrado ue se espanhol t am pa c on t ra uma tor rato e, p om ba gata ira, v ua ge m f o ra do esa p ç o, ingles c on t ro a t ua s om br a, e os te us fantas mas, pa rece uma primeiro e t ra do pedro ab rato un homem os a, o ra p az quadrado ue t ra s se mp reo sol homem os espanhol condi do s, cruz europeu fran sta sm as , ester, espanhol to ua t europeu primeiro ado, ingles cão p osso t oca rato do traço da inglesa te m v ia j em f o ra do corp o fi sic o, vi a ge m de m orte , magi a


A pete ser inglesa cos da primeira tura à cabeça do fernado, fr vaso do nando, a fun dada nos caracóis, ema da cruz e do no do tribunal, somos pássaros doidao a falar, tres que conversam sobre palavras levados pelo vento dos moinhos que desejamos ter , moinho que não temos , ou moinhos sem velas, como o que agora vira na tapada das necessidades, nas visoes ultimas sobre o norte, masi um vez a direcção aí aponta, o condor, ou a te teenager do tó condor


A pete ser inglesa cos da pi me ira tura à cab beça do fernando, fr vaso do nando, a fun dada nos cara co is, ema da cruz e do no do tribunal, s omo s pa ss aros do id dao a f al ar, t rato espanhol quadrado ue c on versa sam s ob rato e pala vaso ra s primeiro eva ado s p elo v ingles to dos mo in homem os quadrado ue de seja mos te rato , moi n homem o quadrado ue n cão te mos , ou moinhos s em v e la sc omo o quadrado ue agora v ira na tapada das ne ce s sida d espanhol, nas visoes vaso primeiro tim as s ob reo no rte, masi um ave za di rec sao aí ap da ponta, o conde o ro ua tete ingles a ge rato do tó condor

Por outro lado ainda nas trovas do ventos neste últimos dias, a confirmação, tudo aponta a dc, a cobra que algum outro dizia, que ele por sua vez dissera, que quem trás este poder, geralmente não o partilha, histórias para encantar ou assustar criancinhas, outra vez

Por o vaso t ro lada a inda nas t rova s do v ingles to s nest e vaso primeiro tim os dias, ac on firma maçao, t vaso ds o aponta a dc, a c o bra quadrado ue al gum o vaso t ro di z ia, quadrado ue el e por s ua ave z di ss e ra, quadrado ue quem t rá s este p ode rato, ge ra primeiro que mente n ão o p art t ilha, hi s tór ias para ingles can tar ou as s us t ra c rato ian cinhas, o vaso t ra ave zorro, sua mae ao quadrado ue pa rece ap anha ada n uma opera sao s top com um gata ra oz i n ho de ba ix o da asa

Can cc can, ca hp agne doca homem da te ua x do traço do ingles briant, da vida de brian, b e bi do castelo, do traço do ingles br ian cruz, ou ainda do primeiro do cha da te austríaca do traço ingles do briant, co p rim e rio do homem hei hitler, de mul novecentos e onze,

Para quem não se lembrar, quad, é uma marca de amplificador, e do conceito de quadrifonia, ou seja das ondas em cruz

Para quadrado europeu mn cão se primeiro em br ar, quadrado ua ad, é uma ma rca de am mp li fi ca dor, e do c on ce i to de quadrado ua dr i f oni a, o vaso seja das on d as em cruz

Pa da gina dez za set e sec são da primeira do sete do bar do rá do dez a set e em dupla diade, de set ingles bro, vinte e dois para vinte e tres de setembro, angulo muitos, quarenta e quatro col da estrela da ala primeira do sexto, a ap da ova da ligação inglesa dos violinos


Duas memórias trago eu , ou melhor delas me recordei, depois de chegar aos timbalos, a primeira , um cd que o david fonseca da emi, um dia há muitos anos atrás me deu em mao num encontro que com ele tive no palácio da valentim de carvalho, emi, ainda era cinquenta , cinquenta nessa tempo, principio da decada de noventa, seria, na rua cruz do s poiais salvo erro cento e onze, rua onde masi a baixo se referencia história com abusos sea sexuais a jovens bem pertinho do parlamento, que foi um disco do mike old field, tubular bells, e que trazia curioso pormenor, pois estava assinada, e eu perguntei-lhe, mas foi para mim que ele o assinou, que sim e que não, por ai ficou a conversa até hoje, quando o procurei na estante dos cds


Du as me mór ia s t rago europeu , o u me l hor de la s me record e id ep o is de che g ar as tim bal os, a p rim e ria , um cd que o david fon sec ad da primeira da emi, um dia há mui to s anos at rá s me d eu em mao num e cn on t ro que com el e t iv eno pala cio da valentim de carvalho, emi, a inda e ra cin q eu en t a , cin q u en t ane s sa do tempo, pr rin cip is o da dec ad ad e n o v en t a, se ria, na rua c r u z do s poia is s alvo e r ro cento e onze, rua da onda ma sia ba ix o se r efe r en cia hi s tór ia com ab us os sea sexuais a j ove ns b em per tinho do par la m en ny to, q ue f o i p rie mr rio disco dom uk e old fi e l dt do tub u l ar be ll se q ue t ra z ia cir roso por m en o rp o is e st tva as sin ada, e eu per gun te i do traço do primeiro ingles, mas f o ip a ra mim q ue e leo as sin o u, q ue si m q ue en cão, por ai fi co ua c on versa a té h oje, q ua ando o pro cure do rei ina est ante dos cd serpentes

Já está quase tudo dito no primeiro anterior parágrafo, o dom da um uk e campo antigo, do field, energias, do tube vaso do primeiro ar dos be onze serpentes

Já es stá q u ase tudo dito no pr rim e iro ante rio r para g raf a, o dom da um uk e cam po ant i g o d o fi e l d, energias, do t ub vaso do primeiro ar dos be onze serpentes

A capa trás um tubo doirado com aspecto metálico suspenso no ceu azul que faz mais ou menos um sinal equivalente ao que se usa nas campanhas de prevenção da cida, , com faixa no horizonte de cor violeta, oi seja a sida no sol, sobre azul no por de sol violeta, ou seja da dor, da sida do home dos tubular bells, abro o cd e a primeira coisa que reparo, é que belo rapaz, é parecido comigo, trás a seguinte referencia, em cio cia, a foto dele, quadrado da estrela do circulo de noventa e nove, dividida em noventa e nove, inglesa, do circulo do seis do dezoito segundo


A capa t rá s um t ibo do ira do com as pe ct o met al i co s us pen son o ceu az u l q ue f az maís o um en os um sin al e q u iva lente ao q ue se usa nas can p anha sd e pr eve en sao da cida, , com fa ix ano horizonte de cor viol eta, o ise seja a primeira sida no sol, s ob rea az cabo do vaso primeiro no por de sol vi o l eta, o u seja da dor, da sida do homem do ome dos t ub u l ar be ll s, ab ro o cd e a pr rim e ira co isa q ue r epa ra o, é q ue b elo dez ra p az, é para ce id o co mig o, t rá sa se gui n te refer en cia, em cio cia, a f oto de le, q au dr ado da estrela do circu dez de no v en t a en ove, di vi dida em n ove en t a en ove, inglesa, do cir c u dez do seis do dez o i to se gun do quadrado do circulo


Os temas assim falam em seus nomes e alinhamentos, sentinel do infinito dos dois circulo do sexto, da dark star segunda do primeiro do sexto, circulo lear ligth da estrela de quarenta e sete, do quadrado do blue sallon segundo do cinquenta e oito, da estrela do sun j am mer do segundo do trinta e dois, do sexto do red dawn, loja maçónica, do primeiro de quarenta e nove, mo set da bell do sexto da dupla estrela do oitavo sem peso, do duplo vaso do oitavo da cruz primeira ess da estrela de quarenta e tres, do nono da grande planície do quadrado do quarenta e seis, do sun set do door, do jim morrison, ou do morrison aqui, o locutor, do segundo do vinte e tres da onze tattoo do quadrado do quatorze, do ze do al da te red da serpenet tate estrela do zé, da treze maya doirada do quadrado do duplo circulo deitado, do quatorze monshine,, alex do segundo do vinte , produced b y t r evo rato da horn do mike old field e do tom do newman, que ecoa agora na partida do paul tambem

Os t ema s as si m f al lam da am em se us no mes e al in h am en t os da sentinela do infinito dos do is cir cu dez do sex t o, da d ark star se gun da do primeiro do sexto, circulo do lear ligth da estrela de quarenta e sete, do quadrado do blue sallon segundo do cinquenta e i to, da estrela do sun j am mer do segundo do trinta e dois, do sexto do red dawn do p rim e i o r de q au renta en ove, mo set da bell do sexto da dupla e ts ra la do oitavo sem peso, do duplo vaso do oitavo da cruz primeira ess da est real de quarenta e tres, do nono da grande pal ni cie do quadrado do quarenta e seis, do sun set do door do segundo do vinte e tres da onze tattoo do q au dr ado do q au tor ze, do ze do al da te red da serpenet tate estrela do zé, da treze maya doirada do quadrado do duplo circulo deitado, do q au tor ze mon ns h une ma lex do segundo do vinte , produced b y t r evo rato da horn do mike old field e do tom do newman, q ue e coa agora na par tid ado paul tambem

Suas tremendas bestas!

Depois ontem domingo a prova, liguei o telejornal da bela menina ruivinha que se encontrava como que parada, uma estranha lentidão , como de kundera, ali em seu corpo todo era reflectida, não a costume ver assim , a bela menina dos cabelos ruivos compridos que caem em semi caracóis nas vezes, a noticia, nem dela sabia, que houvera eleições nos acores, ali estava o condor, ali estava o que trás o nome de césar e por debaixo dele nuvens brancas pesadas sobre ceu azul, com referencia a dia ou noite de matt, o ceu com capacete fechado, e uma menção a rabo de boi, que já aqui entrou, antiga conta, depois a imagem fez um negro e quando de novo o cesar de novo eleito apareceu, sua face transpirava, já, se via suor em seu rosto, dirão que seria dos projectores, mas não, um pequeno gesto como quem limpa, dizendo , uff, salvamos a tempo, a questão está o que é quem se salvou, quem se salvou, e se foram os motivos certos, ou se masi uma vez os césares deste mundo, fazem e produzem a torta justiça e queimam inocentes no lugar dos culpados, pois o condor , era clara referencia, e prova pelo seu sincronismo em seu emergir, no momento a seguira estas palavras escritas acima deste pedaço da história que o complementa


D ep o is on te m do mingo, primeira prova, li ge u i o te ce jornal da be la menina do rui da vinha q ue se en c on t rava como q ue pa ra da, uma e ts rn a h l en ti dao , como de k un de ra, al i em s eu corp o todo e ra r e f l e ct ida, n cão a cos t u me eve ra ss em , a bela menina dos cab e lo s rui v os com pr ido s q ue caem em s emi cara co is nas v e ze sa noticia, ne m de la s ab bia, q ue h o uve ra el e i ç o es nos ac o r es, al i est ava o condor, al i est ava o q ue t rá son o me dec é asa rato e por de ba ix o de le n ove ns br ancas pesa da ss ob re c eu az u l, com r efe ren cia a dia o un o it e de matt, o c eu com capa set e fe cha ado, e uma m en sao ar pato bo de boi, q ue j á ki en t ro u, ant i g a conta, d ep o isa i mage m fez primeiro negro e q u ando de n ovo o cesar de n voo el lei to ap ar e c eu, s ua face t ra sn pira ava, j á, se v ia s u o rem s eu ro ts, di iram q ue s ria dos pro ject tor es, ma sn cão um pe q u en o g es toco mo q eu m l im pa, di zen do , u g ff, s al v amo s a te mp o, a q u es tao est á o q ue é q eu mse s al vo u, q eu m se s al v ou, e se f o ram os m ot ivo s ce rt os, o use masi uma ave zo s cesar es de ste mundo, f az e me por du ze ema torta da justiça e q eu imam ino aos centos no l u g ar do s c u l pad os, p o is o condor , e ra clara r efe r en cia, e p rova p elo dez s eu sin c ron is mo em s eu e mer gi rn o mo m en to a se gui ra e sta s pal av ra s es c rita s ac ima de ste peda aço da hi s tór ia q ue o com p l em en t primeira


Poderia mesmo cesar estar fazendo uff de alivio depois de muito ter suado, pelas palavras iniciais do meu ultimo texto publicado, sobre o castigo e o perdão, mas um segundo personagem apareceu, nos jornal, tambem, um com a bandeira azul com as quinas, a lembrar a monarquia, pelas suas cores, e um home que ra dirigente da madeira do psd que apresentava a sua demissão, talvez bem disfarçada nos motivos da derrota eleitoral, ao mesmo tempo, um outro no porto do partido de cesar, que fora dirigentes vira a sua recandidatura rejeitada por motivos na sua aparência de caracter jurídico, e mais uma vez cheirou ainda a portas fechadas de qualquer maneira, mesmo com a agravante e sem vergonha de usar a lei e seus critérios em seu fazer


P ode ria me s mo cesar est ar fazendo do vaso do fernandes ferreira de al iv io dep o is de mui t ot e rato serpente da ua do ado, pe la serpente da pala vaso do ra sin em cia si do me uu pr i e miro mr circulo do tim do circulo do texto pub lica ado, s ob reo cas ti goe o per dao, mas um se gun do per son a ge m ap ar e c eu, no sj o rn al, t am b em, um com a bandeira do az u l com às das quinas, a l em br ar a mona quia, pe l as s ua s cor es, e um h ome q ue ra di rig en te da madeira do psd q ue ap r es en t ava a s ua d emi miss sao, t alvez b em di s f ar ç ada nos m ot iv os da der r ota e lei tor al, ao me s mo te mp o, um o u t ro no porto do par tid o de cesar, q ue f o ra di rig en te m v ira a s al re can dd a tura r e je ita da por m ot ivo s na s ua ap ren cia de cara ct r e j u rid dc oe maís uma ave z ce hiro ua inda primeira do portas fe cha ada sd e q ual q eu r mane da en ria, me s mo com a a g ar van te e sem v e r g on g ad e usa ra lei e se us ci té r rio s em s eu f az ze rato

Qual deles é então o condor que está ligado a queda das torres, ou seja a quarta serpente, como agora se desvela, ou ainda o quarto do quadrado da serpente, serpente essa que ecoa num texto com um desenho, muito antigo, tambem, mais de duas décadas talvez, que tem a serpente grande como um enorme pitao, subindo por cima da ilha, será então esta agora a localização do lugar de onde a serpente que foi ao ceu , partiu

Duplo quadrado do primeiro deles é en tao o condor q ue es tá li gado a queda das torre 4 s, o u seja a q u art rta se pr rn te, com do circulo do agora se de serpenet da espanhola vela, o ua inda o quarto do quadrado da serpente, ser rp n te ess e q ue e coa no primeiro texto com um de s en ho, mui to ant i g ota e cruz rui zorro segunda em, maís de du as da decada serpente da t alvez, q ue t ema ser rp en te g rande como um en or me pita o do pi da pita do tao, s ub indo por c ima da ilha, se rá en tao e sta agora alo dez ca l iza sao do lugar de onda da primeira serpente q ue f o ia o c eu , par ti vaso

Meus senhores, qual de vocês irá partir de corpo em breve muito breve?
Ou deverão ir dos dois caso nenhum traga a coragem de assumir seus actos, e assim paguem dois eventualmente por um, ou ainda serão suficientemente saudáveis das cabeças, para se entregar à justiça nos seus normais canais caso eles existissem?

Me esu s en hor es, q ual de vo c es i rá par tir de corp o em br eve mui to br eve foice
O u d eve ra o i r do s do is caso n en h um t ra g aa cora ge m de as s u mir ts se us ac to ze as si m pa g eu m do is eve en t ual que mente por um, ou a inda se ra o sufe ci terceiro en te que mente s au d ave is das cab eça s, para se en t r ega ra j us tt ti e ça nos se us norma is can ais c as o el es e x is ti ss em foice

E o senhor fora da lei e bandido que diz levar as vestes de primeiro ministro deste país negro e afundado em corrupção, e tambem responsável do ps o que em a dizer, a isto, ou se irá como de costume, nesta fase do processo, se refugiar no silencio, como tem mantido todo o seu governo, no caso do rapto de meu filho e do roubo sistemático dos meus direitos de cidadania!?!

E os en hor f o ra da lei e ban dido q ue di z le v ra as v est es de primeiro mini t ro de sta pa is negro e afundado em co rr up sao, e ta m b em r es ponsa ave l do ps o q ue ema di ze ra is to, o use i rá c omo de cos t u me, ne sta f az ze do pro c esso, se r e f u gi ar no si l en cio, com o te m man tid o todo o s eu g ove r no, no c as o do ra tp de me u g fi l h oe do ro ub o sis t ema tico dos me us di rei to sd e cida dani a!?!

O home que me levou à prisão, pois aqui está em espelho o desenho que a Ester na altura fez, as duas áleas e a foice no sol, como um anzol ao sol, e seno que desta casa terá nascido tambem a tentativa de me incriminar perante diversos serviços secretos, nomeadamente os americanos como responsável pela queda das torres, não é verdade meus senhores?

O homem do ome q ue me l evo u à pr isa o, p o is aqui e stá em es p alho o de sn e ho q ue a Est rena al tura fez, as du as a lea sea foice no sol, c omo um e zo l ao sol, e seno q ue de sta c asa te rá na sc id o t am b ema t en tati iva de me inc rim i rp e ra n te d e vi ero s ser vi ç o es secretos, noe ema dam en te os am erica sn o co mo r es ponsa ave l pe la queda das torres, n cão é v e rda dade me us s en hor e foice

E como se costuma dizer, não há duas sem tres, nem mesmo nas vezes uma au quarta, será então homem de mao escondida ou desvelado do durao barroso, pois ainda agora de novo as declarações do socialista que se diz ministro dos negócios estrangeiros, a dizer que portugal , o governo não masi fizera para proteger a durão, declara tambem, que o durao está como não poderia deixar de ser, nesta tramóia e aqui o acuso de envolvimento, como vampiro que é da minha pessoa e da minha vida desde a terna adolescência

E c omo se cos t uma di ze rn cão h á du as se m t r espanhol, ne m me s mo na s v e ze s uma au q u art rta, se rá en tao h ome m de mao es co dn dia o u d es vela ado do durao barroso, p o is a inda agora de n ovo aa s dec c al rações do socialista q ue se di z ministro do sn ego cio s est range geiro sa di ze r q ue portu g al k , o g ove r non cão masi fi ze ra para pro te ge ra dura cao, dec lara tambem, q ue o durao está com on cão p ode ria de ix ar de ser, ne sta t ramo ia e q ac usa o en vo l v id o, como vam pi r to q ue é da min h a pessoa e da min h a vida de sd e dea te rna ad o l es c en cia

Como é seu bandido que trás o nome de durao barroso, a quem eu aqui já por diversas vezes inquiri, vai se refugiar neste ponto deste processo, no silencio afirmativo, ou terá coragem para assumir seus actos, de todas as formas, se primeiro meus olhos e espantaram de o ver receber da televisão do bandido balsemão um prémio por serviços prestado ao mundo e pela paz e blá, blá, depois me disse, a profecia se vai cumprindo, como um peru, está ser bem alimentado, portanto deduzo pela leis da estrelas que seu tempo aqui será curto

Com o é s eu ban dido q ue t rá son o me de durao barroso, aqui da eu do me do vaso aqui j á p o r de ive r sas v e ze s in q eu i r ta m b e ms eva si r e f u gi ar nest e p on to de ste pro c esso, no si l en cio a firma t ivo, o u te rá cora ge m para as s u mir se us ac to sd e todas as formas, se pr i e mr rio me us olhos e es p ana t ram de o iv e r rece cebe r da tele visao do ban dido b al se mao um pr é mi o por ser v i dez s pr estado ao mundo e p e la p az e b l á, b lá, dep o is me di s sea profecia se eva i cu mp r indo, com o um peru, est á ser b em al i m en t ado, porta n to ded u zo pe la leis da est r e la s q ue s eu te mp o aqui se rá do curto


Por outro lado ainda, o senhor bandido durao, como todos já o perceberam claramente nesta altura do campeonato, é um grande bluff, sempre o foi, e se sabe pela história duas coisas, que para promover e alimentar um homem que não trás qualidades de governação nem de um país, nem de um partido, que o abandono e a liderança, foi o que se viu, ou melhor serviu de trampolim, e pouca inteligência trás em seu meio neurónio, e assim sendo é obvio que sempre se alimentou de muitos outros, nomeadamente da minha pessoa e de meu pensar e de meu agir, contudo por trazer mesmo assim ainda meio neurónio, certamente que sempre lhe bastou para que essa cadeia de alimentação fosse delegada por diversos, e montada numa rede de operadores que sempre infiltraram gente no meu universo de trabalho e pessoal e que assim iam pescando as pérolas, , e de mesmo modo essa rede em sua aparência não trará salvo excepções laços directos como senhor, se assim se pudesse chamar a um conterrâneo, que sabe que um cidadão de seu pais trás um filho roubado, e nada faz para ajudar, pois se os trouxesse, já se tinha ido a marosca, contudo, mesmo que bem enganadas as gentes, não geralmente o sao por muito tempo, é creio ser claro, já realidade em muitos dos seus pares na europa, e certo é tambem que esta historia da guerra e das torres e de outras desgraças, parece como já o expliquei aqui no livro em pormenor, ser masi passível de ter sido pensada por gente de fora da América do que dentro, não obstando contudo a quem alguns aí tambem nela tenham participado, ainda se irá esclarecer até onde for preciso, visto que a coragem já se provou não morar, nos que vao nas vestes das bestas, como qualquer um que pratique actos de terror !

Por o u t ro l ado a inda, o sem hor ban dido durao, como todos j á o pe rc e br am clara que mente ne sta al tura doc da cristina coutinho am pe on a to, é um g rande b l u ff, se mp reo f oi , e se sabe pe la hi s tór ia du as co isas, q ue para pro m eve r e al i m en t ra um h omen q ue n cão t rá s q ua l id ad es de g ove rna sao ne m de um pa ís, ne m de primeiro partido, q ue o ab ban don oe a li de r ança, f oio q ue se vi u, o um e l hor ser vi u de t ra mp l im, ep o u ca intel i gn e cia t rá s em s eu mei o n e u ró ni oe as si m s en do é ob vi o q ue se mp rese al i m en to u de mui to s o u t ro s, no me ad dam da dama en te da min h a p ess a e de m eu pen sar e de m eu a gi rc on tudo por t ra ze r me s mo as si m a inda mei o n eu r óni o, ce rta sw mn te q ue se mp r e l he ba s to u para q ue ess a ca deia de al i m en taçao f os se del e gado por di v eros, emo n t ada n uma red e de opera dor es q ue se mp r e in f li t ra ram g en te no m eu uni v ero sd e t ra b l h oe p esso al e q ue as si m iam pesca can do as pe rola sed e me s mo modo ess a red e em s ua ap a rec ni a n cão t rá r as alvo e x cd ep ç o es l aços di rec to s co mo sen hor, se as si ms e p u d esse c h a mara um c on te rr ane o, q ue sabe q ue um cida dao de s eu pa is t rá s um fi l ho ro ub ado, en ada f az para ajudar, p o is se os t ro ux ess se j á se tinha id o a mao r sc ac contudo, me s mo q ue b em en g ana da sas h en te sn cão ge ra l que mente o s º cao por mui to te mp o, é c rei o ser ca l ra j á a r el aida de em mui to s do s se us par es na eu r opa, e cc e rte é t a m b em q ue e sta hi s tor ia da guerra e das torres e de o u t ra s de sg r a ç as, pa ar ce c omo j á o e x p li q eu ia aqui ki no do livro em por m en o r, ser masi ap as s iv el de t e r sid o pen s ada por g en te de f o ra da am erica do q ue d en t ro, n cão o sb s t ando contudo a q eu m al g u ns aí t am b em nel la t en ham par ti cip ado, a inda se i rá es clare ce ra té onda for pr e c is o, vi s to q ue a cora ge m j á se pr ovo un cão mor ar, no s q ue vao nas v es te s das be sta s!

Pois quem assim age, demonstra ser certamente filho da justiça e do amor, ninguém mais trará sobre isso a duvida, verdade ou mentira!!!

P o is q eu m as si m a ge, demo n t r s ser ce rta que mente fi l ho da j u st ti ça e do amo r, nin g eu m masi t r a rá s ob re iss o ad do vaso duplo da ida!!!

O mesmo se aplica a todos até ao momento sem nenhuma excepção aos juizes que calando e cobrindo esta situação que se arrasta há anos, assim fazem prova provada de como não o são

O me s mo se ap lica a todos da primeira té ao mo m en to ze em muito en homem uma e x no cep sao aos juizes quadrado europeu da cala lan do dao e do cobre indo e sta si tua sao quadrado da ue se ar rasta homem, é ano serpente sas si maior do f az ze mp circulo do rato tp do vaso da ap do rato da ova do ad primeira dec do omo do muito cão do circulo da sao


quadrado si a y hoem vaso do W

rato principe, j, jp, ps, serpente do circulo