quinta-feira, março 26, 2009







primeira parte do vídeo

Em suma, nada trago de conhecimento directo para pensar que a pedra e a espada, seja um bandido, os poucos mails, que com este endereço electrónico, o da pagina troquei foram correctos em seus termos, e como disse masi uma vez todo o que no blog li, me agradou e foi de útil leitura,

E ms primeira, na da t rago de c on he cimento di rec to para pen sar q ue da primeira pedra e primeira es pada, sej a um bandido, os p o u cos mai primeiro serpente, q ue c om este en de reç o el e ct ron nico, o da pa gina t roque u i fr oma co rr e sc t os em se us te r mose cu mo di serpente da se ma si uma ave zorro todo do circulo do q ue no do blog li, me a g ra do ue f circulo e vaso do til,

Agora imaginemos esta possibilidade, suponhamos que o P, me quis na realidade enviar um livro, e que o fez em estranha forma, pois o nome que a aparente ups, que é masi do que aparente, pois liguei para o numero que vinha em nome da ups e lá na aparência fui parar, não era o meu , ou seja parte , era, outra não,

Agora ima gin emo s e sta p os sibil bi kapa primeiro id ad e, s up on ham os quadrado da ue do circulo do P, mec vaso do cu da is na real id ad e envi da ar primeiro rol do primeiro nono ro, e quadrado da ue circulo de fez em espanhola cruz ra anha forma, p circulo do is on ome quadrado da ue primeira da ap ar en te vaso do ps, quadrado da ue é ma serpente id do circulo do q ue ap ar en te, p circulo do is li g ue ip do para do circulo do don do primeiro ero quadrado da ue da vinha em no da me da u ps, é lana da ap ar e c nia forte do caso do vaso do ip para rn cão e ra om eu , circulo do vaso do seja da p arte , e ra circulo do vaso da cruz ra muito cão,

Imaginemos que P me quis enviar um livro em forma por assim discreta, e pouco segura de me chegar desta maneira a mao, e que assim acabou por nao chegar

Ima gine emo serpente do q ue P mec vaso do is en vi da ar dop primeiro bono ro em forma por ass em di serpente de creta, ep circulo do vaso do co segur a de me che g ar de sta mane ira primeira mao, e q ue ass em ac ab circulo do vaso do porn cao do che do gato da ar

Se assim fosse, me poderia queixar eu de ter sido roubado, e em certa parte na certa medida o mesmo P poderia dizer, mas é tambem um facto que nunca nada disse, ou seja, parece isto, indicar tambem, ou melhor conformara que terá sido provavelmente uma teia

Se a ss im f os se da me p ode ria q ue ix ar eu de te r s id o ro ub ado, e em ce rta p arte na certa me dida om es mo do Pp ode da ria da di ze rato, mas é t am b em primeiro f ac to que n un canada di s se, o vaso do seja, pa rece is to, indica r t am b emo u mel hor c on for mara q ue te rá s id o pro ova ave primeiro que mente da primeira teia, te do ia

Imaginemos que outrem, dos imensos que sempre me espiam, e dos imensos que sempre me roubam, e dos imensos que sempre me colocam pauzinhos no caminho, ficaram indevidamente com a encomenda, que conteria, partamos desse principio, livros mágicos

Ima gin emo s q ue o u t rem, do si men s os q ue se mp reme es pi am, e do si men sos q ue se mp reme o ru bam, e dos i m en s os q ue se mp reme c olo cam p au z in h os no ca do minho, fi caram inde vi dame do dam en te com da primeira en comenda, q ue conte ria, p art amo s d ess e p rin c ip io, l iv ros magic os

Imaginemos que quem os recebeu nao estava preparado para com eles lidar, ou que os mal usou, e ou que os usou para criara um conjunto de desgraças no mundo

Ima gin e ms soc quadrado da ue do quadrado da ue do mos da g rava sao e beu un cao e stav ap do pr e para do ado do para do com el espanhol li d ar, circulo do vaso do quadrado da ue do os m al us os ue circulo do vaso do quadrado da ue os us circulo do vaso do para circulo da ria ra primei roi circulo em j un to de d espanholas do sg rato das aças do no do mundo

É uma possibilidade teórica, mas se alguém enviasse um livro tao poderoso a um outro, certamente quereria ficar com a certeza que ele teria chegado a mao certa, e provavelmente nao o enviaria dessa forma tao mal feita, e na aparência tao bem feita, eu explico

É uma p os sibil bil id e teo ric a, nma serpente da se al gume en via ss e primeiro l iv ro tao p ode roso a um do outro, ce rta mente q ue r iria fi car com da primeira ce rt e za quadrado da ue do el e te ria che gado am mao ce rt aa, e ep da pro da ova da ave le mn te muito en cao, circulo do en via da ria de serpente da sa forma do tao m al f e i t a, e na ap rec en i a tao b em f e i t a, eu e x p lico

Pois se o nome vinha em parte trocado, nunca seria esta a forma de garantir que chegasse ao correcto destinatário, e por outro lado, o pormenor, do tal endereço, que era uma espécie de assinatura de quem o enviaria que eu descobri mais trade, parece servir r para me confirmar ou induzir a pensar que me fora enviado, ou masi subtilmente, para me fazer assim pensar maia tarde

P o is se on om e vinha em p arte t roc ado, n un ca se ria e sta primeira forma de f gara n tir q ue che g ass e ao co rr e c to d es t ina t a rio, e por o u t ro l ado, o por m en o r, do t al en de rec o, q ue e ra uma es pe cid e de ass sin a tura de q ue emo en via ria q ue eu d es co br ima si trade, pa rece sef sir para me c on fi mar o u indu z ira p en sar q eu me for a en via do, o um a si s ub bt tile mn te, para me f az e r as si m p en sar maia t ard e

Por outro lado os dois gif dos recibos que me enviaram por correio electrónico, da ups, referentes a este envio, sao gif, ou seja, sao digitalizações feitas a partir de scanner dos papeis reais das guia de remessa, ou seja o endereço, só poderá ter sido embebido por quem o fez, ou por segunda parte, relacionada com o envio do mail, que o recebeu em seu server e fez a traficância, ou ainda alguém que o fez aqui remotamente depois de eu o ter recebido, entrando no meu pc pela rede de forma a faze-lo

Por o u t ro l ado os do is do gi f do s rec cibos q ue me en via ram por co r rei o el e c t r oni co, da u ps, r ep per e fn te sa este en vaso do io, sao gi f s, o u sea j, sao di gita l iza ç o es feitas a p art tir de s a can ne r do s pap e is reais da s guia de reme s sa, o u seja o en der e co, s ó p ode rá ter s id o en be bid o por q ue mo fez, ou por se g un da p arte, r e la cio n ada com do circulo onze do envio do mail, q ue o rec e b eu em s eu ser vere de fez da primeira t ra fi can cia, o vaso da primeira inda al g ue maio q ue circulo de fez aqui reme tamen te d ep o is de eu o t re rec ib id o , en t ra ando no me vaso da pac pro rede de forma a f az e do traço ong do primeiro espanhol do primeiro do circulo

E depois um outro facto significativo de importância na compreensão deste processo, o fat que eu relatei no video e que se encontra incompleto em seu dizer, ou seja, falta-lhe um pedaço de lógica, complementar, ou seja, nao nega o que lá afirmo, mas que demonstra ainda uma outra possibilidade

E d ep o is um outro do f ac to si gn ni fi cat ivo de i mp orta n cia na co mp pr e en sao d este pro c esso, o fat q ue eu r e la te ino v id é circulo do oe q ue se en c on t ra inc mo p le to em s eu di ze ro do ero vaso do seja, f ala t a do traço ingles primeiro do circulo ingles do primeiro ped do aço del, sin os do circulo do gi ca, co mp le men tar, o vaso do seja quadrado da ue n cao ne g a o q ue l á a fi r moma s q ue demo sn t ra a inda uma o u t ra ps os s ib li dade

Pois relato eu, que em determinado momento do tal julgamento on line, no tempo de ir comprar cigarros, ao chegar, a raiz dos ficheiros e da pasta especifica que criara para guardar os dois gifs, estava realçada, e quando verifiquei , estavam apagados, e digo no video que tal poderia ter sido feito aqui , por alguém que aproveitando a minha saída, entrara e os apagara no meu pc, porque nessa altura por outros factos tambem relatados, tenho que concluir que alguém, que estaria com forte probabilidade dentro do prédio aqui entrava, como ainda entram,

P o is r e la to eu, q ue em det r emi minado mo neto do t al ju l game en to on line, no te mp ode irc om pr ar ci garros, ao che g ar, a rai zorro dos fic he i rose da pasta, it dinheiro, es pe ci fi ca q ue c ria ra para g ua rda ros do is gi f se ts e stav a real ç ada, e q ua ando v eri fi q ue i , e stav am ap pa dos gados, e di go no v id é circulo do q ue t al p ode ria te rato sid do circulo f e i to aqui , por al gume q u e ap rove it ando am min h a sa ida, en t r ar a e os ap a gara no me vaso do pc, pro q ue ness a al tura por o u t ros f ac to s t am b em r e la t ad os, t en ho q ue c on c lui r q ue al gume q ue est aria com f orte pro b a bil id ad e d en t ro do pr sd di do io aqui en t rava, com o a inda en t ram,

De seguida levanta-se então a questão, do porque deste apagar

De se guida l eva van t a do traço da inglesa se en ato tao primeira q ue s tao, do por q ue d este ap primeira do gato da ar

Na realidade apagar os recibos, foi destruir a prova que eu tinha relativo a esta pretensa ou real encomenda que me fora na aparência dirigida, e foi igualmente destruir o pormenor da assinatura que mesmo tendo desaparecida depois da primeira vez que por ela dei, fora embebida no ficheiro, pois tal poderia vir a ser traçado por um especialista

Na real id ad e ap a garo s re cibos, f o id es tui ra pr ova q ue eu tinha r e la t ivo a e sta pr e t en sa o u real en comenda q ue me for ana ap ar e cn ia di rig id a, e f o i igual em n te d es t rui ro iro do por m e n or da as sin a tura q ue me s mo t en do d es spa rec id ad e p o is da prime ira ave zorro do q ue por el a de i, for a em be bid ano ficheiro, p o is t al p ode ria v ira ser t ra ç ado por primeiro es pe cia primeiro do ista


Com base neste pressuposto lógico, se abrem então as seguintes possibilidades,

Com da base do nest e p r ess u post o do galo do circulo do duplo da lógica, se ab rem en tao as se gui n te s p os sib li dad es

Primeira, o remetente embebido na ups, ou no sistema de correio, ou posteriormente no meu pc por remoto, foi feito por quem dizia enviar a encomenda, o que pressupõem uma relaçao entre a ups e P

Prime ira, do circulo onze do reme t en te em be bid don da primeira do vaso do ps, o un o is t ema de co r rei oo u p os te rio ar que mente no me vaso do pc por r emo oto, f o i f e i to por q ue m di z ia en via ra en comenda, o q ue pr ess up poe maior da primeira da relaçao en t rea vaso do ps e P

Segunda, quem o fez pretendeu apagar o que tinha feito, e se assim foi só uma razão se me afigura para assim terem procedido, que nenhuma relaçao existia entre aquele envio e o P, mas assim me criam fazer crer

Se da gun d a, q ue mo do circulo de fez pr e t en de vaso a pa garo q ue tinha f e i to, e se as si m f o is ó uma ra z ã os se da me a figu ra para as si em te rem pro ce dido, q ue n en h uma da relaçao e x is tia en t rea q ue le en v io e o P, masa ss em me c rato iam f az e rc duplo rato

Assim sendo a lógica deduzida dos factos , outra possibilidade, se coloca, que quem assim me o fez crer, tambem o poderia fazer, para , fazer de igual modo crer ao eventual remetente, que eu sabia que era dele que a encomenda vinha, ou seja, se levanta ainda uma outra possibilidade mais complexa

As si ms en do a lógica dedo z id ad do os dos factos , o u t ra p os sibil bil id ad e, se c olo ca, q ue q ue m ass im me o fez crer, t am b emo p ode ria f az e r, para , f az e r de i gula mod o crer ao e eve en tua l remetente, q ue eu sa bia q ue e ra dele, q ue a en comenda vinha, o vaso do seja, se l eva van t a a inda uma o u t ra p os s ib li dade maís co mp le sa

Imaginemos que na realidade P me envia uma encomenda, e até a envia correctamente, ou seja com o endereço e remetente correctos, e que portanto pela lógica normal dos correios a dita encomenda a minha mao chegaria,

Ima gin emo s q ue na r 3 e la id ad e P me en via uma en comenda, e a té a en vaso do ia co rr e c tamen te, o vaso do seja com do circulo do en der e co e reme t en te co rr e c to ze q ue por a t n top el a lógica norma l dos correios da primeira dita en comenda a min homem da primeira da mao do che gato da ar do ia,

Que essa encomenda foi desviada por outros, e que este sistema, foi montado, para me deixar ana duvida se seria ele ou nao a ma ter enviado, e ainda criar assim a possibilidade complementar de P vir a pensar que eu a teria recebido, mas que noa lhe confirmaria a recepção,

Q ue ess a en comenda f o id es via d ap por de outro o u t rose q ue este sis t ema, f o i mo n t ado, para me de ix ar ana du v id ase se ria ele o un cao ama teresa rea r en viado, e a inda c ria ra s sima p os sibil bil onze dade co mp l ene t ra de P v ira p en sar q ue e ua te ria rec e bid oma s q ue noa l he c on fi mar aia a rec ep sao,

Pois a lógica sendo a lógica, a premissa de que se P, ou alguém enviasse a outrem algo valioso e de importância, certamente quereria ter a confirmação da sua chegada, imaginemos , pela dedução de outras premissas, que ele a enviara em forma discreta, sem mencionar especificamente quem a enviava, mas que dentro dela, viria por exemplo uma carta, com um seu endereço, pedindo a confirmação escrita de minha parte depois de a receber, ou que dentro da encomenda viria uma qualquer instrução, que pelo seu cumprimento ou incumprimento, ele saberia se eu tinha ou nao na realidade recebido, tipo do genero, depois de receber a encomenda dirigi-te a esta morada, onde me conhecerás pessoalmente , e como eu nao aparecera, sabia ele que algo teria corrido mal

P o isa da lógica s en do a lógica, a pr emi miss ad e q ue se P, ou al gume en via s sea o u t rem al g ova li osso e de im pr t an cia, ce rta mente q ue r ire ia te ra c on f oma maça a o da s ua che gada, ima gin es sm os , pe la dedo do vaso da sao deo de outras, u t ra s per missas, q ue el lea en via ra em forma di s creta, se m men cio n ar es pe ci fi ca mente q ue ema ma en via ava, masque d en t ro del a, v iria por e x e mp lo primeira ca rta, com primeiro s eu en der e co, ped di id dn do a c on f oma maçao es c rita de min h a p arte d ep o is de a rec e be ro do ero do caso si do vaso do q ue d en t ro da en comenda v iria uma q u l q ue r in s t ru sao, q ue p elo s eu cu mp rie mn to o u inc mp rim en to, el e s abe ria se eu tinha o un cao na r e la id ad e rec e bid o, t ip o dog ene ro, d ep o is de rec e be ra en comenda di rig i do traço da inglesa te a e sta mora da, onda me c on he ce rá s p ess o al mente, e com o eu n cao ap ar cera, sa bia el e q ue al g o te ria co r rid oma al

Imaginemos então, ainda , uma outra possibilidade, quem a desviou teve tambem acesso a essa instrução, encontrou-se com P e por exemplo o matou, pois trazia em si essa intenção, ou com ela ficou depois de perceber o que roubara

Ima gin emo s en tao, a inda , uma o u t ra p os sibil bil id ad e, q u ema d es vi o u teve t am b em ac esso a ess a i ns t ru sao, en c on t ro u do traço da inglesa se com P e por e x e mp lo o mato u, p o is t ra z ia em si ess a in t en sao, ou com el a fi co u d ep o is de per ce b ero q ue ro ub bar da primeira

Que todas as minhas comunicações, sao controladas, disso nao trago eu duvida, como tambem nao trago duvida sobre uma prova que se estabeleceu sobre um outro desvio, e de quem com ele está relacionado, o que reforça a suspeita de que uma encomenda de P poderia ter sido na realidade a mim enviada e de igual modo desviada

Quadrado da ue to da sas min homem do as do com da única caçoes, sao circulo em cruz da rola da serpente da di ss em cao da cruz do rago europeu do vaso id do ac omo tambem muito cao da cruz rago di vaso si, id as ob re primeira por vaso da primeira aqui do q ue se e stab e le circulo do eu serpente do ob re de um outro, o do quadrado espanhol do vaso do io, e de q ue mc om el ee e stá rato e la cio em ad circulo , o quadra ue rato e f orça as us pe it primeira de q ue uma en comenda de Pp ode ria te rato serpente id dona real id ad e primeira mim da en via da e de igual da mode deo do quadrado espanhol via ad da primeira

É um episódio igualmente relatado no Livro da Vida, e que se prende com o desvio da uma carta do tribunal de menores de lisboa, que me levou na altura a me dirigir aos correios de portugal, na zona da ajuda, na rua estreita que desce para o rio, com um antigo palácio do outro lado da rua para entender o que com ela se passara, e de ter pedido para falar com o responsável, que me disseram nao estar e depois o ver a sair muito rapidamente dentro de um carro da zona das docas de carga da correspondência, como quem levava fogo no rabo, ou seja como quem fugia de mim, ao se pensar descoberto

É um ep do pi s o di o igual kapa do primeiro que mente r e la t ado no L iv roda da vida, e q ue se pr en de c om o d es vaso do io da uma ca rta do t rib un al de m en o r es del, sin os da is boa, q ue mel e vo un a al tura a me di rig irao s co r rei o s d e portu gal, na zon a da ajuda, na rua es t rei t aqui do q ue de sc e para do rio, com um ant ti g o pala cio do outro lado da rua para en t en de ero q eu com el a se p ass sara, e de te r ped id o para f ala rc om o r es ponsa ave l, q ue me di ss e ram n cao es t ra e d ep o is o ove ra sa i r m u i t o ra pida dame do dam que mente d en t ro de primeiro carro da zon, a das docas dec carga da co rr ep ps son em d en cia, com o q ue ml eva ava vaso primeira fogo no do rabo, o vaso do seja com o q ue m f u g ia de mim, ao se p en sar d es co do berto


Imaginemos que um foi assim morto e que muitos milhares de outro tambem,

Ima ge ine ms q ue um f o ia ss em mo rto e q ue mui t os mi kapa h ar es deo de outro t am b em,

De quem é a responsabilidade,

De q ue mé a r ep ps os ba i li dade,

A quem vou pedir a conta

Aqui do q ue m v o u ped ira conta


Pois nao tenho eu sempre convosco falado a verdade!

E nao fazem vós na maior parte dos casos se na em todos, o contraio, se remetem a insinuações em diagonais, que nas masi das vezes tentam sacudir a agua de vossos capotes e aproveitara assim para queimar , literalmente, aqueles a quem chameis vossos inimigos

E 3 n cao f az em v ó s na mia o rp arte dos casos sena em todos, o c on t rai o, se rem en t ema in sin ua ç o es em dia g on a is, q ue nas masi das v e ze s t en tam s ac u di ira agua de vaso dos ossos capo t es e ap reo ove i tara ss em para quim a ra , lite ra l mente, q ue lee a a q ue mc ham e is vaso do ossos dos inimigos, almada, xutos, in ni mig os

E nao é verdade que a haver sangue neste caso, a policia e os tribunais e os governo na extensão de todos os seus organismos, nao foi pelo menos cúmplice deles, e assim nao sao eles cúmplices de morte, e nao trazem eles todos as maos manchadas de sangue?

En cao é verde ad e q ue a h ave r san g ue nest e caso, a poli cia e os t rib un a ise os g ov reno na es t en sao de todos os se us o r g ani s mos, n cao f o ip do elo m en os cu mp l ice del, sin os es, e ass em n cao sao el es cu mp l ice s de m orte, en cao t ra z em e lee s todos as maos man ch ad a s de s an h ue da f o cie foice

Os já se esqueceram do que tem vindo a acontecer às queixas que apresento de acordo com o mandamento da lei nos lugares certos e adequados para esse fazer!

O s j á se es q ue ce ram do q ue te maior vaso indo a acontecer às q u ix as q ue ap r es en to de acordo com o man dame en to da lei nos lu g ar es ce rt os e ad q ua dos para ess e f az e rato da s eta

E nao prova isto à exaustão, o que a todos venho sempre dizendo, de como a justiça quando nao a é, faz da balança torta o local do sangue, da violência e da morte!

E n cao pr ova is to à e x au s tao 1o q ue a todos vaso en h o se mp r e di z en do, de com o a j us t ila para un do na o a é, f az da bala ança da to rta o l ocal do san g ue, da viol en cia e dam orte!

Síncrono a isto, aparecia o bandido dos versos alexandrinos, a cumprimentar Manuela ferreira leite, ao mesmo tempo, assim li, a chave da terceira cave, a chave vermelha do sangue, que abre a porta, certamente, então um dos que aqui entra,, o negativo, a mando do conte ra do prodi dos oito toiros, os tais circulos que aqui fizeram quando tentaram a minha morte, sao do conte rá do maizum, esta besta, do psd

Sin c ron o a is to, ap ar e ceia do circulo do bandido dos v ero s al e x and rino sa cu mp rato ine net ra da manu le fer rie ra da leita, ao me s mo te mp o, as si m li, a c homem da ave da t rec e i rta circulo da ave da cave, a c homem da ave verme le home da primeira do sangue, q ue ab rea porta, ce rta em n te, en tao um do s q ue aqui en t ra,, o ne gat ivo, am mando do conte ra do pro da di dos oito ro iro dos roços t a is c irc u l o d q ue aqui fi ze ram quando t en t aram a mi k n ham orte, sao do conte rá do maizum, e sta b es t ad do circulo do psd


Como é seu filho da puta, vai responder, ou nao!

pelo principio da noite ali na infante santo, no sinal em frente a cimitarra que um dia aqui relatei, impressa no macadane, o espirito me desvelou que a pedra , a roca , que tambem remete para barcelona, do ribatejo, viera do circulo do lima, certamente estaremos a falr do pires de lima

p elo do pr in cip io da ano no i vaso da teresa ali lina nba infante santo, no do sin al, em fr en teresa primeira cimitarra, q ue primerio dia aqui raro e lat e te e empresa, no do ma aca d ane do circulo do es pi rato tome d es velo lou q ue primeira pedra, ar oca roca q ue tambem reme teresa do para de barcelona do riba do tejo vie ra do circulo da dol ima, ce rta mente es t ar emo sa f al rato do pires de lima







segunda parte







video 29, terceiro desta sequencia

quarta-feira, março 25, 2009

Durao, o senhor é uma besta, o grau da sua bestialidade, é exactamente a única coisa que me falta averiguar em pormenor na devida extensão dos seus verdadeiros créditos, e logo ontem o senhor, se o fosse, pois cobre um roubo de um filho e dos direitos de um seu conterrâneo, a e um que muito bem conhece, me apareceu na televisão com mais uma manobra de fuminhos, a tentar fugir com o seu rabo à seringa

Durao, o s en hor é uma best a, o g rato au da serpente da ua sal bestialidade, é e x ac tam n te a única co isa q ue me f al ta ave rig vaso da ar em por m en o rna de v ida e x ten sao do ss e us verde ad e iro serpente dos créditos, e p do rim mr input output do primeiro gato do falo cravado na terra por circulo duplo, do logo, on te emo mo do senhor, se o f os se, p o is cobre um rp o ub ode primeiro filho e dos direitos de um serpente europeu seu conterrâneo, a e um mui to b em c on he ce, me ap ar rece un da primeira da televisão, a puta maria elisa, certamente, com do mais da primeira manobra, mano br ra, de f vaso do minho sa t en tar f vaso do gi do irc do om do os seu rabo, primeira acento a se ring a, bell, a , be onze primeira, sin os,

Se o senhor se limitasse à representação da sua incompetência simplesmente, nem muito mais mal viria a europa, nem ao mundo, pois incompetência na condução dos cargos comuns, não é infelizmente coisa que não domine, e todos sabem do imenso bluff que o senhor é, e de como só se mantém por vampirismo alheio, mas quer o mundo, porque assim ele necessita o esclarecimento desta matérias em toda a sua extensão, pois para alem de serem crimes contra a humanidade, é caminho que enquanto aberto, como todos os dias infelizmente se faz negra e em sangue prova, diz claramente que essa tentativa de nova ordem continua sua marcha, e se assim for, o fim foi já anunciado, tudo e todos acabam

Se os do serpente da en hor se li mit asse à r ep r es en taçao da s ua inc o mp e t en cia simples, es, que mente, ne made ria mui t o ma is m al v iria a e ur rp da dd pa, ne mao do mundo, p o is inc o mp pet en cia na condo ua da ac sao dos cat g os com un sn cão é in fe liz mente co isa q ue n cão do mine, e todos s abe madeira do im en s ob lu ff q ue o s en hor é, e dec om o s ó se man te mp por vam pi r is mo al he io, mas que do ero do ro mundo, pric da ue ass em mel ele ne c es sita o es clare cimento de sta ma té ria s em toda a s ua e x t en sao, p o is para al e made ria de se rem c rim es contra a humanidade, é ca minho q ue en q ua anto ab berto, com o todos os do Dias infelizmente se f az negra e em san g ue pro da ova, di zorro clara em n te q ue ess a t en tat iva de n ova ordem conti nu as ua mar rc h a, e se ass em for, o fi mad e ria f o i j á anu un cia ado, tudo e todos ac ab bam

Como todos se recordarão, o senhor é um dos homens do quarteto que esteve por detrás da falsa guerra com falsa resposta a queda das torres, e só por este motivo , o senhor deveria ter-se afastado da condução fosse do que fosse, de todos e qualquer cargo publico, muito menos da presidencial de uma europa que à própria imagem da sua incompetência nem existe nem funciona e só dá cabo da vida a todos os europeus

Com do circulo de todos, da se recorde do arao, o s en hor é um dos h o mn es do quarteto q ue es tve por det ra sd primeira f al sa guerra com da f al sa rata da es posta primeira da queda das torres, e serpente do acento no circulo da emanuelle por est mit iv o , o s en hor d eve ria te rato do traço da inglesa se a f a st ado da condo da sao f os se do q ue f os sed e todos e q ual q eu rato do cargo do publico, mui to m en soda pr e side en cia de primeira da europa, q ue à pro p ria i mage made ria da serpente da ua i un co mp pet en cia ne m e x us te ne made ria fun cio n a e serpente do acento na ó d á cabo da v id a a todos, do os dos europeus

Contudo como todos no mundo trazem hoje bem sabido, a guerra é o segundo episódio da tentativa de implementação de uma nova ordem mundial, e muito, mas mesmo muito do que já se encontra esclarecido para trás, aponta para que quem deu o segundo passo, não poderia nunca estará desligado do primeiro, ou seja da queda das torres em si mesmas, e consequentemente das outras bombas e atentados e quedas de aviões, e das mortes das crianças em beslan, e de um conjunto vastíssimo de pseudo acidentes que se inscrevem e que são sequências de guerra, disfarçadas

Circulo em tudo, com do circulo de todos do no do mundo, t ra ze made ria homem do oje segundo em sabi do, primeira guerra é o se gun do e pi s o di o da t en tati iva de i mp le men taçao de uma nova ordem mundial, e mui tom as me s mo mui to do q ue j á see e circulo do non cruz do ra es clare cid o para t rá serpente da ap da primeira ponta do para do q ue q eu made ria de vaso do circulo do segundo passo, louco, n cão p ode ria n unc a es t ra d es li gado do primeiro, o vaso do seja da queda das torres em si me s mase co nse q u en te mn te d as das outras bombas e a t en t ad os se das quedas de ac cio es, e das mor e ts da sc rina sl a em bes lan, e de um c on j un to v as t iss simo mode ode ps eu do acide dentes q ue se i ns c reve em mec q ue são sec ca non, eu en cias de guerra, di s f arc cortez ad as

Que o senhor é uma besta, com laivos em sua personalidade, de comportamentos intimidatorios como eu lhe conheci e deles fui vitima pela primeira vez aos quatorze anos de idade, ou seja fui eu alvo de um acto de abuso do senhor ness altura o que não prefigura nada de abonatório do seu caracter e da sua forma de agir, pois abuso e negro e perigoso traço de caracter face a terceiros, na realidade quem os trás nem deveria nunca pretender conduzir nem que fosse uma carroça, a não ser que se tenha na realidade tornado uma espécie de condutor da carroça da foice larga da morte como aparecia figurada na biblioteca dos olivais relativa a beslan

Q ue o sn hor é uma b es t ac om lia av os se made ria serpente da ua per son a l id ad e, de co mp rta tam men to sin tim id dat dos toiros com o eu do prime rio ingles c on he cie del es f u iv it ima pe lap ap da prime ira ave zorro da primeira do os qua t ro o rato ze ano sd e id ad e, o vaso do seja f u i eu alvo de primeiro ac to de ab us o do sn hor ness al tura do circulo do q ue n cão pre figura n ad ad e ab bona toiro do s eu ca rac te red primeira serpente da ua forma dea gi rp p o is do abuso en negro e per rigo osso t ra corte primeiro de ca rac te r face a te rc e iro sn ar e la id aa de que mos t ra s ne m d eve ria n un ca pre t en der c on du zorro i rn em q ue f os se uma car rola, , an cão ser q ue se t en h ana r e la id ad e tornado uma es pe cie de condo do tor da co r rça da foice larga da m orte com o ap ar e cia figu r ad d ana bi l b lio teca dos o l iva si r e la t iva a b es lan

Todos se recordarão do que eu aqui já contei dos tempos em que o senhor era mrpumpum, e de como pela primeira vez nos cruzamos na primeira greve do d dinis, numa madrugada onde expressamente o senhor por lá apareceu para me intimidar, e de uma outra manha, seguida em que me iam levar até si, e um pião no carro que nos transportava obstou a esse encontro, um paio ali dado em cabo ruivo, ao descer para onde hoje é a expo, prenuncio de outro piões, ou melhor dizendo, de furacões, e maremotos a oriente, certamente, e o senhor ousa o silencio e o faz de conta perante este aqui desvelado

Todos se rec o r d arao do q ue eu aqui j á conte id o st e mp os em q ue o s en hor e ra mr p u mp um, e dec om o pe la prime ira ave zorro no serpente do circulo da ruza am os na prime ira gata r eve do d dinis, nu ma madruga da onda e x press sam que mente do circulo do senhor, por lá ap ar rece do vaso do para da me em tim id ar, e de uma circulo do vc caso da cruz do ra da mana do homem da se da guida em quadrado da ue me ia marxista leninista, sig la da est rato ema da esquerda, quadrado da ue tambem da cruz da am e segunda em se rec ala ama de mar x ista s leni ni sta ser rp pn te, primeira eva ra té si, e um pe ia on circulo do carro q ue nos t ra sn porta ava ob st o ua ess e en c on t ro, um pa io ali dad oe em cabo do ruivo, ao de sc e rp do para onda hp je é a e x po, pr en un cio de o u t ro pi o es, o vaso do mel hor di z en do, de f ur rações oe es, e mar m oto sa do oriente, ce rta que mente, e o senhor circulo da usa do circulo do silencio e circulo onze do f az dec conta pe ra ante este aqui d es vela lado velado

A mim, o seu acto de intimidação serviu-me logo de imediato nesse tempo para abandonar qualquer veleidade de vir a militar nesse grupelho de esquerdistas que tanto serviram como todos sabem os propósitos da extrema direita, com métodos de violência nesses tempos da revolução de idêntica violência, nomeadamente no que se convencionou chamara de verão quente, e hoje olhando este primeiro nosso cruzamento, é me claro que o senhor já sabia bem quem eu era

Am mim do imo serpente do eu do acto de in t im id ac sao ser vi u do traço da inglesa me l ogo do imediato, ness e te mp o ap do para ab ban don da ar q u l q eu r vele id ad e de vaso do ira militar ra ness e g rup el homem da ode esquerdistas q ue t anto ser vaso iram com o todos s abe emo do os por rp posi to sd primeira da e x t r ema direita, com dos met o do s d e viol en cia ness es tempos da r evo lu sao de id en tica viol en cia, no me ad dame dam en te no q ue sec on v en cino vaso do c h amara de eve do verão q eu en te, e home do oje ol h ando este prime iro no do osso do circulo da ruza zorro da am men to, é me c primeiro aro quadrado do ue do circulo do senhor, j á sa bia b em q eu em europeu e ra

Olhando tudo isto agora, de onde sou e estou, é me claro que o senhor agira por mando de outrem, da direita, da extrema direita como todos sabem que nesse tempo, tentava a inversão da chamada revolução, e ainda em texto recente, lembrei o facto de uma vez bem masi tarde em setenta e oito ter sido preso pela policia dos olivais à porta do liceu por manha e teia dos meninos da extrema direita, das juventudes centristas e ainda mais a direita, e de como até a senhora que hoje é mao direita do socrates, a judite estrela, ainda gozou com o prato, sendo ela na altura directora do conselho da escola, como se demonstra e demonstrou desde cedo a meus olhos, não havia grande diferença entre quem quer que fosse dos partidos, quaisquer que fossem, com a excepção dos verdadeiros homens que sempre existem em qualquer um, mas que hoje ao que parece, pela ausência de respostas devem ter todos já subido ao ceu


O l h ando tudo is to do agora, da onda s o ue est o u, é traço da inglesa me c primeiro do aro do q ue do circulo do senhor, j á a g ira pro man do de ot t rem, da direita, da e x t r ema direita com o todos sabem, que ness e te mp o, t en t ava a in versa sao da c ham madeira da r evo lu sao, e a inda em texto rec en te, l em br rei o f ac to de uma ave z b em masi t arde em sete n ta e oito t re s id o pr e os pe la poli cia dos o l iv isa do porta do lic eu por manha e teia dos meninos da extrema direita, das j uve en ted es centristas e a inda ma isa da direita, e dec omo a té a s en hor aqui da ue homem oje é mao di rei t ado socrates, a ju di te da estrela, primeira inda g oz o vaso do com do circulo da p do rato, s en do el ana al tura di rec tora do c on se l h o da escola, com o se demi sn t ra e demo ns t ro u de sd e ce do am eu s ol h os, n cão h avia g rande difer en ca en t rec eu maior do q eu rato do que f os sed os partidos, quais q eu rato do q ue f os se mc oma e x ce p sao dos verde ad e iro serpente do homem do om en ns q ue se mp r e e x i us te maior em q ual q ue rum, masque do hp do je ao q ue par ce, pe la au s en cia de r es ps ota sm d eve em te rato todos j á s ub bid circulo da aoc europeu

Para quem não saiba os olivais partem da construção de umas torres, que se chamavam as torres dos ministros, pois nela habitavam os que foram ministros de marcelo caetano e não me recordo ao certo se mesmo ainda do tempo de salazar, e o pai da maria sobral mendonça, era um dos homens dos jornais e da policia política ligada ao antigo regime, e a esquadra dos olivais , era na base do prédio, portanto as ligações, estão bem estabelecidas desde este tempo, e a perseguição que a mim e a outros meninos o regime já movia, prendem se com os episódios que se passaram na escolinha pequenina, o pestallozi, que aqui já narrei

Para q eu maior do n cão sa da iba os o l iva si p art em madeira da co sn t ru sao da primeira das serpentes das torres, q ue se c hama vam as das torres dos mini st ros, p o is nel a h a bit av vam da am do os do q ue foram mn in is t ros de marcelo caetano e en cão me record o a o ce r to ze me s mo a inda do te mp ode s la ze reo do pai da maria sobral mendonça, e ra primeiro dos homens dos jornais e da policia poli tica li gado ao antigo regime, e a es q ua dr ad dos o l iva si , e ra na bsa e do pr é di o, porta anto as das liga ç o es, es to ab em e stab e le cida s de sd e este te mp oe da primeira persi sig gui da sao quadrado da ue am mim e a outros meninos o reg i me j á m ov ia, pr e den do traço da inglesa lea se com do os dos e pi serpenet do circulo do dido, serpente do q ue se p ass ram na es co da linha pequenina, o p es t all oz e, q ue a qui j á na ar rei


E uma menina desapareceu masi tarde, uma menina ligada ao grupo dos troskistas do tempo do liceu, que mora num dos prédios condignos a este das torres dos ministros, um dia desapareceu e nunca mais ninguém soube dela, mais uma rapariga , a lia, irma de outra maria, e provavelmente terá sido morta por ter descoberto algum dos rituais que esta gentalha fez, me pergunto se no tempo do afundamento do navio com as meninas a bordo, com um dos homens da industria , salvo erro o salvador caetano

E primeira me nina de spa rec eu ma si t arde, primeira me nina li gado ao g rup o dos t ro kapa q u ist as do tempo do liceu, q ue mor an primeiro dos prédios conti gn os da primeira este das torres dos mini st ros, primeiro dia de sap rece ue n unc a mais nin g eu ms o ub e dela, mais primeira rapariga , a lia, irma de outra maria, e pro ova da ave le mn te te rá s id o m orta por te rato de sc o berto al gum dos ritu a is q ue e sta g en t alha de fez, me per gun to ze do no do tempo, jornal, do a fun dame do dam en to do n avio com do as das meninas a bor doc om primeiro dos homens da industria , s alvo e r ro o s al v ad dor da caetano

E como agora se desvelou na faca das linhas, existe uma relaçao entre a francesa do antiquário e a maria sobral mendonça


E com do circulo do agora da se d es velo lou na faca das linhas, e x is te primeira relaçao en t rea francesa do antiquário e a maria sobral mendonça

Essa primeira prisão, prenuncio da segunda, a serio, que enquanto não me prenderam não descansaram, conta-se em duas penadas, e o senhor deve ter tambem estado por detrás dela, se bem que na aparência a tentativa da invasão ao liceu d dinis, por cerca de quinhentos meninos arregimentados fosse feita em sua aparência pela extrema direita em todas os liceus de lisboa e da linha

Es ss sapo da primeira da prisão, pr en núncio, un cio, da se gun da, a se rio, q ue en q ua z n to n cão me pr en de ram n cão de s can sara am, conta do traço da inglesa se em du as pena da se do circulo do senhor, d eve te rt tam da manha e b em eta d o por det ra serpente dela, se b em q ue na ap ar rec ni a a t en tati vaso primeira da in v a sao ao lic eu d dinis, por ce rca de quin h en to s me nino s arri gm en t ad os f os se f e i t a em s ua ap ar e c nia pe la e x t r ema direita em todas os lic eu sd e l is boa e da linha

Pois um dia ou dois passada a grande batalha, porventura a maior que se passou nesse tempo nos liceus todos, pela razão do d dinis ser ainda um bastião da esquerda, o único que resistia depois da direita ter conquistado todas as associações de estudantes, um grupo de meninos do próprio liceu com outros de liceus masi próximos, como do baltasar, do padre antonio vieira, ali estavam de motas ao meu chegar masi um policia que tinham com eles trazido, começaram a dizer que eu fora o responsável pela batalha e o home me prendeu e eu consegui que ele me levasse ao conselho directivo, onde a puta da drogaria ambulante, como os meninos lhe chamavam, à edite estrela, ainda esteve a gozar com o prato, até dizer ao polícia para me libertar

P o is um dia do circulo do vaso do isp ass ad aa gata rande bata alha, por vaso da en tura primeira ami do circulo do rato do q eu da sec ca non, ue se p ass o un ness e te mp on os lic eu serpentes todos, pe la ra zorro da za do circulo do d dinis, ser primeira inda do primeiro bas da tia do circulo da esquerda, o ú nico q ue r e sis tia d ep o is da direita te rc on q eu is do estado, todas as das associações de estudantes, do primeiro g rupo de meninos do pro p rio lic eu com dos ss outros de liceus masi pro x imo sc omo do bal t as rato do padre antonio vie ria, ali e sat tva demo das motas prime ria do om eu che g ra ma si um poli ca q ue tinha do ham com el es t ra z id o, com e caram a di ze rato q ue e u for a o r es ponsa ave l pe la bata ç l h a é o circulo do homem que me prendeu, e eu c on se gui q ue el e me l eva asse ao c on se l h o di rec t ivo, onda da primeira puta da dr o g ra ira mabu lan te, com do circulo do os dos meninos do primeiro ingles ca h am ava ,made ria da edite estrela, primeira inda e ts eva g oz ar com do circulo da p do rato, a te apostolo da serpente made ria quadrado da ar primeira do circulo ordem ao pol i ca para me liber reel time cruz ra


Antes disto, apareceu e frequentou o liceu , o ruan, já aqui convocada neste Livro da Vida, um rapaz que veio da América latina e era dos piores com que alguma vez me cruzei, que certamente, visto o senhor ser dirigente do mrpp, nesse tempo, terá lá sido posto por sua ordem, com o conluio, se calhar até da judite estrela, pois o rapaz era um falso estudante, e terá sido a forma que o senhor nesses anos encontrou para andarem em cima de mim e de muitos outros

Ant es di serpente do to, ap ar e 4 c eu e fr e q u en to u o lic eu , o ruan, j á q au i c on vo c ada nest e L iv roda vida, um ra ap z q ue do veio da am erica la t ina e e ra do s pi o r es com do q ue al gum ave ze me c ruze i, q ue ce rta mente, vi s to o s en hor ser di rig en te do mr pp, ness e te mp o, te rá l á s id o posto por s ua ordem, com o c on c lui o, da se cala homem ra a té da judite estrela, p o is o ra p az e ra um f al s o es t u dante, e te rá s id o primeira forma q ue o s en hor ness es ano s en c on t ro u para anda rem em mc ima de mi me d e mui to s o u t ro serpentes

Ou seja, por aqui se prova na faca das linhas que o senhor pertence a uma ordem secreta, e que esta ordem esteve sempre por detrás das confusões em portugal, e assim mais se agrava a suspeita q2ue trago do seu envolvimento, como ordenante na morte de sá carneiro

O vaso do seja, por aqui se do pr da ova na faca das linhas do q ue circulo da s en hor per ten ce a uma ordem secreta, e q ue e sta ordem es teve se mp re por det ra ss da s c on f us o es em portu gal, e ass em maís sea gata rava primeira suspeita quadrado do segunda da eu da t rago do serpente eu en vo l vi men to do toco com do circulo do or d en ante na m orte de sá do car da ne do iro, en gui a, a inglesa guia primeira

E depois não o vi durante muitos anos, depois de um episódio na cantina da faculdade onde o senhor e um dos seus acabou partindo um vidro para se escapar à fúria da multidão

E d ep o is n cão do circulo do vi d ur da ante mui to san do os, d ep o is de um e pi s o dion a can t ina da f ac u l dade onda do circulo do s en hor e um do ss e us ac ab o u p art indo um v id ro para se esca par à f ur ia da mul ti do dao

Entretanto o senhor se casara com a uva, filha de um homem que teve sempre muito poder na radio televisão, e com quem eu tive algumas faíscas no inicio quando comecei a trabalhar como produtor independente para a rtp, sendo que este facto é prova da sal ligação e da influencia que o senhor sempre trouxe na rtp, pois para elm disso , a outra puta ladra como aqui fiz acusação e não tive alguma resposta, a maria elisa, foi quem lhe preparou a teia que de novo nos fez cruzar na altura em que so senhor ganhou aqui em portugal as eleições, e que como todos sabem, era só degrau para a subida á europa e persecução do tal plano da nova ordem mundial promovido pela sua ordem

En t r eta anto do circulo do senhor sec da primeira sara com primeira da uva vam, filha de um homem q eu da teve se mp rem mui top ode r na ra di o tele e da visao, e com q eu me e u t iv e al g delta uma s f a i us cas ni in i cio de c om a rtp com el ar a t ra bal home da ar, mas t am b em este f ac to é pro da ova da liga sao e da in flu en cia q ue o s en hor se mp re t ro ux en primeira da r tp, p o is para elm de iss circulo , primeira de outra puta ladra com do circulo do primeiro ki aqui fi zorro da z ad da primeira da acusação perante a américa, ac usa sao e en cão t iv e al gum a r es p ota, primeira da maria elisa, f o i q eu ml he pr ep aro ua da teia q ue de n ovo no serpente de fez, da minha prisão, c ruza ar na al tura em q ue s o s en hor gan h o u aqui em portu gal as el e i ç o es, e q ue com o todos s abe mer a s ó de g r au para a s ub ida á europa e pr ess e cu sao do t al p lan ano da n ova ordem mundial pro omo v ido pe l as ua da ordem

Portanto pela faca deduzo, primeiro o seu envolvimento com fez na teia que me levou a prisão, e depois tambem da teia que com a maria elisa, já conluiada com a teresa carvalho, me fez para lhe dar apoio a sua candidatura , teia essa que estenderam para que eu começasse a escrever no blog, e que serviu para alimentar o senhor, visto nunca lhe ter conhecido grandes ideias, o que o senhor sempre soube foi gerir teias , sobretudo bem escondido para que as gentes nem percebam quem por detrás delas está

Porta anto pe la f aca dedo do zo, prime iro os eu en vo l vi men to com de fez na te ia q ue mel e vo ua pr isa oe d ep o is t am b em da teia q ue com da primeira maria elisa, j á c on c lui ad ac om a teresa carvalho, me fez para l he d ar ap oio a s ua can dida tura , te ia ess aqui aa do q ue es t en de ram para q ue eu com e ça s sea es c reve r no b lo ge q ue ser vi vaso do para al ima n tar do aro s en hor, vi s to n unc al he te rc on he c id o g rand es id deia s, o q ue o s en hor se mp r e s o ub e f o i ger i r te ias , s ob r e tudo b em es conde di do para q ue a sg en t es ne m pr e ce b em q eu m por det rá s del , sin os sas e stá acento na primeira

A prova disto, e o senhor , ou alguns dos seus terem mandado retirar do you tube há umas luas atras um pequeno video de uma entrevista sua que desvelava a sua pobreza e reducionismo mental, como era característico de grupos que sempre serviram exclusivamente a confusão e os caos, e que portanto nem sabiam falar de política, como aquele pequeno trecho tao bem relembrava do senhor nesses tempos

A p da pro da ova do rov a di s to, é os serpente da en hora , circulo da ual gun s d os se us te rem man dado rato e ti ira ar do delta do circulo do vaso da cruz , ub e homem do primeiro acento à uma, serpente lu as at ra serpente do primeiro do p e quadrado europeu do en no do vaso id é circulo de uma en te rato vaso ista serpente da ua quadrado da ue do quadrado da espanhola vela ava as da ua p do ob da reza e red ux ion is mo men t al, com oe ra ca rac t r is tico de g rup os quadrado da ue da se do mp rato e ser vaso do iram e x circulo do lu serpente iva maior net primeira do ac on fusão e os do caos, e quadrado da ue porta anto ne ms ab iam foret de ala rato de poli tica, com doc circulo onze d aquele pe quadrado do vaso en da ot da rec ho tao segundo e mr e lem br ava do serpente do en hor ness espanhola te do mp os

Vamos lá recapitular em traços gerais, o que se sabe sobre os primeiro atentados de grande dimensao que se deram na américa em nove de setembro e os que depois e deram em londres, na altura em que o senhor tinha já colocado a maria elisa que sofre de uma doença de cansaço crónico, que pelos visto não a impede de receber umas valentes coroas na rtp, e participar na organização dos cios que tenho vindo a referenciar, como conselheira cultural em londres, e não é pro acaso que eu falo com ela depois, pedindo um contacto com a alguém da polícia que aqui tratasse de assuntos de prevenção , visto que estava a ter visoes premonitórias do que se ia passar, como aconteceu em Londres

Vam s o l á rec apit u l ar em t ra s ç o ger asi, o q ue se s abe s ob reo ss do prime iro dos atentados de g ran de dimensao q ue sede ram na am erica em n ove de s t em br o e os q ue d ep o is e de ram em l on dr es, na al tura em q ue o s en hor tinha j á c olo cado am aria da elisa q ue s o fr e de uma do ença de can s aç o c ron nico, q ue p elo s vi s to n cão a im pede de rec e br uma s valentes co roas na rtp, e p art ti cp ar na o r g ani iza sao dos cio s q ue t en h o vaso indo a refer en cia ar, com o co nse l he ira cu l tura al em londres, e n cão é pro ac caso q ue e vaso do falo com de ela, d ep o is, ped id dn do primeiro c on t ac to com a l g eu made ria da pol i ca q ue aqui t rata asse de as sun to s de pre eve en sao , vi s to q ue e stva a te r vi s o i es pro om ino tir ia s d o q ue sa ip ass ra, com o aconteceu em l on dr es serpente decima, dec ima

A torre em nova Yorque que caiu depois, sem ter levado com um aviao em cima, demostra que o processo das quedas é diferente dos aviões , que foram mais uma mascara e masi um sangrento ingrediente para compor o quadro, e para infundir o terror em grau necessário e bastante para que pelo medo pudesse emergir uma nova ordem e acender de novo uma guerra no médio oriente

A tor r e em n iva y o irc ue q ue ca i u d ep o is, se m te r l eva ado com do prime i rio avia o em c ima, demo st ra q ue o pro c esso das quedas é di fe rn te dos avio es , q ue foram maís primeira mascara e ema si um san g ren to in g red di en te para com por o qua dr a oe para in f un di ro t ero rem g r au ne c ess sario e bas t ante para q ue p elo medo p u de s se e mer gi rum ani iva ordem e ac n der de n ovo uma guerra no me di do circulo do rei em teresa


Outra prova , prova isto cumulativamente, o pentágono, que tambem foi arrebentado sem que nenhum aviao lá tivesse chocado, na realidade que como os outros foram desviado , provavelmente, esta é a possibilidade mais provável das que se estudou, por acesso ao sistema de condução dos aviões, entrando no computador e fazendo.os voar em rotas falsa, e dirigi-los como mísseis para embaterem,.

O u t ra pro da ova , por v a is to cu mula t iva que mente, o pen t a g on o, q ue t am b em f o i ar r e b en t ado se made ria q ue n en h um ava io l á t iv ess e cho cado, na r e la id ad e i q ue com os o s o u t ros for a d es viado , pro ova ave le mn te, e sta é a ps s oi bil id dade mais pro ova ave l da s q ue ess e es t u do u, por ac ess o ao sis t ema de condo º ao dos av o es, en r ando no do computador e fazendo.os do vo da ar em rotas f al s a, e di rig i do traço ingles do primeiro do circulo do com om us s u es para em bate rem,.

Pode-se dizer que à espectro, as contas saíram duas vezes duradas no onze de setembro se outras tambem não falharam, o teste feito em véspera, deve ter sido um teste feito ao contrario, ou seja para perceber se efectivamente estavam com capacidade operativa e técnica de desviar as rotas dos aviões,

P de do ponto da se di ze rato do q ue à espectro, as das contas sa iram du as v e ze s d ur ad as no do onze de setembro se o u t ra s t am b em n cão f al haram, o te st e f e it o em v es pera, d eve t rato es id o prim rio teste f e i to ao c on t ra rio, o vaso do seja para pr e cebe r se efe ct iva que mente e stav am com capa da cidade opera t iva e tec nica de d es vi ar as das rotas dos avio espanhóis,


É obvio que o governo americano conhecia, isto, e portanto é obvio que a tentativa da nova ordem fosse por alguns que dizem representar o povo, feita

É ob do vaso do io, di q ue o g ove r no am erica cano c on he cia, is to, e porta anto é ob vaso io q ue a t en tat iva da n ova ordem f os se por al gun s q ue di ze em r ep r es en tar o p ovo, fei cruz p rei me do ira

Depois a encenação do falso pretexto da guerra tambem o demonstrou, ou seja sabia-se pela cia que as razoes eram falsas, ou seja optou-se pela mentira, e tambem é obvio que o quarteto dos países europeus, onde o senhor pontificava como hospede, o saberia, pelo seus respectivos serviços de informação, ou poderia te-lo verificado, mas não, o que se viu foi avançar para a guerra, ou seja em termos práticos faz a demonstração que estiveram tambem conscientemente envolvidos, com elevado grau de probabilidade

D ep o isa en cena en primeira sao do f al s o pr e texto da guerra t am b emo demo ns t ro u, o u seja s ab ia do traço da inglesa se pe la cia q ue as ra zo es e ram f al sas, o u seja o pt o u do traço da inglesa se pe l a m en t ira, e ta m b em é ob vaso do io q ue o quarteto dos pa ise s eu rop e us, onda do circulo do senhor, ponti fi c ava com o g h os pede, o s abe ria, p elo se us r es pe ct iv os ser vic es do os de in for maçao, o u p ode ria te do traço ingles primeiro do circulo v eri fi cado, mas n cão, o q ue se vi u f o i a van car para da primeira guerra, o u seja em te r mos pr a ticos f az a demo ns t raçao q ue es t iv e ram t am b em co ns cie en te mente en vaso do circulo do primeiro v id os, com el eva dog rato da au de pro ob a b il id ad maçónica

O senhor é uma besta, ainda hoje o negro aniversário de uma matança grande na chamada europa que o senhor participou, pois trazia responsabilidades nos negócios estrangeiros a mando da outra besta e falso presidente da republica portuguesa, o que cobre os seus tres pecados, um deles o maior, ao ver as imagens de um prédio, de tijolos que parece uma construção de lego , dois edifícios de cada lado da rua em posições assimétricas, um perfume de semelhança com um outro por bandas de oeiras aflorou, como a afirmar a presença de uma assinatura comum

O s en hor é uma b es t a, a inda h oje one ne negro ani ver sário de uma mat n ç a g rande na c hama da eu rato da opa q ue o s en hor p art tic cp u o, p o is t ra z ia r es ponsa bil id ad es nos n ego cio s e ts rn ge i rosa man do da o u t r ab e sta f al s o pr e sid dente da r e publica p ot u gi es a, a ove ra s ima ge ns de um pr é di o, de ti j olo s q ue par ce uma co ns t ru sao del, sin os le e god o i e di fi cio sd e c ada lado da rua em posi sic ç o es ass i met ric as, um per ume de semem l h ança com do primeiro de outro por ban dea s d e oe ira s a for mula one o ro u, com o a a fi r mar a presença de uma as sin t aura com do primeiro

Ontem a imagem de mais uma das suas manhas, ou da sua confissão, para ser masi claro, aparecia o senhor em video a aplaudir o mourinho, o grande treinador de futebol de aqui em além mar, que dizia no fim, eu e o fair play, não sou muito dele, sabem que trago sempre tendência a por a perna a frente do jogador que vai a passar, as crianças na sala perante tamanho ídolo, aplaudiam ,biplano, sem coraçao como é, o senhor em video tambem

On t ema mai mage made ria de maís uma das s ua serpentes das manhas, o vaso da serpente da ua c on fi s sao, para ser masi c l aro, ap ar e cia o s en hor em v id e o a ap lua di ro do mourinho, o g rande t reina dor de fute bo l de aqui em al é maior mar, q ue di z ia no do fi me eu e circulo onze da fair p la delta, n cão s o um u it o del e, s ab em q ue t rago se mp re t en den cia ap do por da primeira pe rna a fr en te do jo gado da dor q ue eva i a p ass ar, as c rina s ç na sala, rr, pe ra ante tam en h o id olo, ap l au di am ,b ip l ano, se mc o raçao com o é, os serpente en hor em vaso id é circulo tambem

Que belo, os arrogantes, um as claras , outro disfarçado, na noite o espírito dizia que a faca apontava o do peito, a inglesa certamente soletrado, relativo a ultima conta dos pés a frente dos aviões a cair

Q ue b elo, os dos ar ro gan te se, um as c lara s , o u t ro di s fr aça ado, dona noite do circulo do es pei rt o di zorro ia q ue a f aca ap on t ava o do pei to, a inglesa ce rta em n te sol e t ra do, r e la t iv vc coa u l t ima conta dos pé s a fr en te dos avio es a ca i rato

Que engraçado colares, em v em cores prata cinza ardidas e negro com circulo doirado que não deve ser de oiro, pois não trazem as universidades de motricidade certamente dinheiro para tal, psibeque da tetra das convenções das vossas torres de pseudo marfim que sempre caiem

Q ue en g ra aça do de colares, em vaso em co rato es p rta cinza ard didas e negro com do circulo do irado q ue n cão d eve se rato deo iro, p o is n cão t ra ze ema as das universidades de m ot roci dade ce rta tam mn te din he iro para t al, psi beque da te rta da serpente dos sin c ron imo s das convenções das v os sas torres de ps eu do marfim q ue se mp rato e ca i em

Eu a ver os vasos, e a me dar conta que os cinco da cento e vinte cinco de alcantara são semelhantes aos que se encontram no edifício do trinta e um da aramada, da marinha, o espirito assim a mem desvelar, da ligação entre os dois edifícios, o da armada, e e de acalantará, como sendo o bando o mesmo, o tal grupo de onze, da equipe dos bandidos

Eu ua ave ero serpente dos vasos, e a med ar conta q ue os c inc o da cento e vinte cinco de al can t ra são semem l h ant es primeira do os q ue se en c on t ram no edi fi cio do trinta e um da ar am ada, dama mar rinha, o es pi rito ass ima me made ria d es vela ar, da liga da são en t reo s do is edi fi cos, o da armada, e e de ala can tar ac do om do circulo sem do circulo do bando o me s mo, o t al g rup o de onze, da e q u ipe do serpente dos bandidos

Na sala de repente me dei conta que a qualidade estava então equiparada, pois me apareceu o senhor da universidade alentejana, onde um dia nesta imensa e comprida historia do terror do mundo e da sua eventual salvação, friso cada vez mais , o facto de ser cada vez mais eventual que o mundo em seu todo se venha mesmo a safar, na ausência continuada da justiça, e de progresso real, foi parar a uma apresentação de um pequeno livrinho que o senhor apresentava na biblioteca municipal ao lado da praça dos toiros, ali estava ele e o tolentino na mesa, o tolentino o apresentar, e de repente o tal professor, lhe diz qualquer coisa que fez saltar uma cobra por dento ao tolentino por um breve momento, eu a alucinar, mas então este está a apresentar o outro, o livro , como amigo e de repente me dava conta que ali havia toda uma outra conta como sempre trazem, as bestas servis que se servem e devem favores, até ao inferno final das curtas existências

Na sala, rr, de r ep do pen teresa me de i conta q ue a q ual id ad e e stva en tao eu ip ar ad ap o is me ap rece vaso do circulo do senhor da universidade alentejana, onda primeiro dia nest a im en sa e co mp rid a hi s tori ad do circulo do terror do mundo e da serpente da ua eve en tua l s al vaso do ac sao, fr is o c ada ave zorro mais , o f ac to de ser c ada ave zorro mais eve en tua l q ue o mundo em s eu todo se v en ham da am es mo asa f ar, na au s en cia conti nu ad a da justiça, e de pro grés ess do circulo do real, f o ip do para ra uma ap r es en taçao de um pe q eu en o l iv rinho q ue o s en hor ap r es en t ava na b ib lio da teca muni cp al aol ado da pr a ç dos toiros, al i e stva e lee o tele en tino na mesa, o to len t ino o pap r es sn t ra, e de r ep en teo t al pr rf esso r, l he di zorro q ual q eu r co isa q ue fez s al t ra uma c b ra por d en to ao t ole en t ino por um br eve mo m en to, eu a al lu cina rato, mas en tap este e stá a ap r es net ra do circulo do outro, c irc u loo do livro , com o ami g oe de r ep en te meda ava conta q ue al i h avia toda uma o u t ra conta com o se mp r e t ra ze m, as b es t as ser vi serpente do q eu da se ser vaso vasp em e d eve em f avo rato es, a té ao inferno fina al das curtas e x is t en cia serpentes

No final da apresentação, uma senhora brasileira se meteu conversando comigo, que era da herbalife e me convidou para aparecer numa qualquer aparente sessão dos comprimidinhos que se realizaria do outro lado do rio tejo, masi tarde o espirito me disse que era uma armadilha para me matar, que engraçado teria sido, se lá tivesse ido

No fi n al da ap r es en taçao, uma s en hora br as i lei ira se met eu c on verso sand o co mig o, q ue e ra da her bal da life e mec on vi do u para ap a recer nu ma q u quadrado do primeiro do ero da ue rata da primeira do parente, av, se s sao dos co mp rimi din h os q ue se real iza ria do o u t rol ado do rio tejo, ma si t arde o es pi rito me di s sec ca non do quadrado da ue e ra da primeira armadilha para me matar, q ue en g r aça ado te ria s id o, se l á t iv esse id do circulo

Como ve, seu bandido durao, gente ao nível do seu calibre de assassinos, fico muito contente de se auto medalharam uns aos outros, assim sabemos todos quem são

C omo ove, serpente do eu bandido durao, g en te ao n iv el do serpente do eu cali br e de as sas sin do ino serpente, fi co mui toco n t en te de se au to med alha ram un sao serpente dos outros, ass em s abe emo serpentes todos quadrado do eu maior sa circulo são

Por isso senhor bandido sem coraçao, que me conhece e me ameaçou pela primeira vez aos meus quatorze anos, se calhar foi mesmo o que por detrás organizou, na tal cooperativa do povo, o engodo com os meninos que uns anos antes, me deram com uma flecha de aço no meio da testa, espero a sua confissão sobre os crimes contra a humanidade que aqui masi uma vez lhe inquiro

Por iss o s en hor bandido se mc co da raçao, q ue mec on he çe e me am e aço u pe la prime ira ave zorro a os me us qua tor ze ano s, se calha rf oi me s mo o q ue por det ra s o r g ani zo un a t al co opera da cruz iva do p ovo, o en god o com os dos meninos q ue un s ano s ant es, mede ram com da primeira flecha de aço no do mei o da testa, es p ero a s ua c on fi s sao s ob reo sc rim espanhol c on t ra a h uma ni dade q ue aqui ma si uma ave zorro primeiro ingles in quadrado do vaso da iro

Como o senhor nem parece ser pai, pois nunca me respondeu nem a uma linha, desde já lhe passo sentença condicional pelo espirito em Deus que se tornara Real, caso mantenha o silencio sobre tao graves matérias, que seus filhos adoeçam, por quatro anos com doença grave, quem sabe o senhor recuperará o seu coraçao e os salvará, pela verdade da sua confissão perante as centenas de milhares de almas que trás em sua conta

Com o os en hor ne mp primeira rece ser o pai, p o is n unc a me r es ponde vaso ema primeira da linha, de sd e j á l he p ass o s en t en ça condi cio n al p elo es pi rito em De us q ue se tor na ra Rea l, caso man t en h a o silencio s ob re tao s g rav es mat é rias, q ue se us fi l h os ad oe cam, por quatro aqui do no sc om da doença g rave, quadrado do eu ms abe o s en hor rec up pera ra os eu co da raçao e os s al v a rá, pe l a ave rda dade da s ua c on fi ss o ap e ra na te as c en t en as de mil h as r es de alma, morte da Di, serpente quadrado da ue cruz ra serpente em serpente da ua conta

Ao ver aquilo tudo, me lembrei de outro elefante, ou melhor do som de elefante, num video que fui uma vez fazer ao estádio de setubal para uma candidatura da tv cinco, a tal empresa do alemão da quinta da marinha, para o qual comecei a trabalhar apara sustentar a casa e a vida que trazia na altura com a monica lapa. E que depois me pareceu ser uma produtora tipo capa de outros negócios, fizemos um video sobre um treino de futebol, me pergunto mesmo se não seria o mourinho que la estaria, o elo de ligação foi o humberto coelho, que trazia tambem relaçao com a tal produtora, e depois na montagem, fiz assim uns efeitos com som de animais selvagens, como elefantes a urrar, sobre as imagens do jogadores, assim uma homenagem a tribo do futebol do tio morris, toda a gente achou muito bem, menos a santa casa da misericórdia que deve ter decidido por outra por causa dos prémios por debaixo da mesa ou mesmo por cima, os rapazes treinavam assim com pintura tipo de guerra, para afastar os reflexos do sol, achei tudo aquilo muito curioso

A ove rac do vaso do p rim e io do circulo tudo, me len rei de outro elefante, o um mel hor do serpente do om do elefante, n um v id é o q ue f u i um ave zorro f az e ra do circulo do estádio de setubal para da primeira can dida tura da tv c on coa t al em presa do al ema mao da quinta da marinha, para do circulo do q vaso do quadrado do primeiro com e ceia t ra da aba alha ar ap do para s us t en t ra ac asa e a vaso ida q ue t ra z ia n a al ru ra com da primeira da m oni nica da lapa. E q ue d ep o is me pa rece vaso ser primeira produtora t ip o capa de o u t ro s ne g o c is o, fi do ze mos um vaso id é o s ob re um t reino de fute bo primeiro, me per gun to me sm o s en cão da se da ria do circulo do mourinho q ue la est aria, circulo do elo de liga sao f oio h u im berto q ue t ra zorro do ia t am b em da relaçao do com da primeira da tal produtora, ed ep o is na mon tage em, fi zorro do ass si maior da un serpente dos efe it os com serpente do om de ani ima is se l ava ge ns, com o o ele f ante a ur r ar, s ob rea s ima ge ns do jo gado dor es, ass em uma h om en a gema da tribo do futebol do tio morris, toda a g en te ac ho um u it o b em, m en os a s anta circulo da asa da mi s rico rato do dia q ue d eve te e rato dec id di do por da outra por ca usa dos pr emi s por de ba ix o da mesa o um es mo por c ima, os rapazes t r reina ava vam ass em com da pin tura t ip ode guerra, para a f as tar os r e for mula one e x os do sol, ac he it tudo aquilo mui to cu rio serpente do circulo

Como te disse, amada, trazia, eu aqui uma outra imagem que se formou com o elefante anibal, que ainda masi uma vez se modificou, mas o seu sentido é claro, sua tromba aponta a bateria da canon ao alto com uma torre de nova Yorque, em cima da rive gauche, ou seja com francês, do inéditos de brassens, que esta tapado pela bateria da canon, e assim se le assens, com um selo dele a fumar uma pipe, com o valor de segundo do circulo terceiro brassens circulo do ponto da estrela do circulo, duas velas asas de anjo ardidas em cores do templários, sobre o songs from a room com duas penas tapando metade da face do cohen, e um parafuso ao alto por detrás da torre, ou seja o parafuso que aponta o ceu, ou que fez a elevação, como um sem fim, entrada recente na palavra do video, agora flauta rolou, e ali esta inclinada ficando a cunha do bocal ao lado das patas de trás do elefante fazendo sombra sobre oo gauche do rive, , das duas ondas tusnamis azule branco, ou seja cores reais, uma tesoura aponta o per go doc , do infinito for mula one en oz maior per s tor p for mula one do loo ring

Com o te di s se, am ad a, t ra z ia, eu aqui uma o u t ra i mage made ria q ue se for mo u com do circulo do elefante anibal, q ue a inda ma si uma ave zoror da se mod di fi co um as o s eu s en t id o é vc l aro, s ua t ron a ap da ponta a bate da ria da canon ao al to co mk primeira torre de nova y o i q ue, em c ima da rive g au che, o use seja com do francês, do ine di ts o de br ass en s, q u e sta ta ap do p e la bate ria da can one ass em se le as s en ns, com primeiro selo del lea f u mar uma pipe, com ova valor de se gun do do c irc u lo do terceiro br ass en s c irc culo do ponto da estrela do circulo, da us das v e ll as asas de anjo ard didas em co r es do te mp la rios, s ob reo s ong fr om a rom com du as das penas tap ando met ad e da face do co h en, e um para fuso ao al to por det ra s da torre, o use seja do circulo do para do fuso q ue ap da ponta o c eu, o vaso do q ue fez a el eva sao, com o um s em fi maior da entrada rec en te na pal av ra do vaso id é o, agora for mula one au tar rolo ue al i e sta inc l ina ada fi can do a c un h a do bo ca l ao lado das pat as de t ra s do el e fan te maior do fazendo s om br as ob reo o gauche do rive, , da serpente do du as das ondas ts un ami s az u le do branco, o vaso do seja cor es reais, uma te si ur a ap da ponta o per go doc , do in fi n to for mula one en oz maior per st serpente tor rp da pura da for mula one do loo ring

Pela vela da noite, isis me disse estar triste, tambem eu amada, depois fui buscar a outra revista que esta aberta em cima do tampo da mesa que está no quarto do francisco, que parace uma asa de um hidroavião, e que tem aberta uma foto da gisele vestida em suave la com o braço ao lato, viro-a e dou com a bela ruivinha, que diz my choice, olho a hora, o angulo defenido pelas horas do omega da bracelete tipo cobra vermelha, e circulo de diamantes, a oferta a teresa, da compra do filho, certamente, e olho o meu leque vermelho que trago aberto em cima desta mesa onde te escrevo, e repara que a abertura á mesma, que estranho o amor e a luz são, contudo a posição do relógio está inclinada, e marca as dez e sete, ou o seth de dez

Pe la ave da vela da noite, isis me di s se es star t r is te, tam b em eu am ad a , d ep o is f u i b us cara de outra revista q ue e sta ae rta em c ima do tam pod primeira da mesa q ue e stá no do quarto do fr anc do isco, q ue pa rac e primeira asa de um hi dr ov ia oe q ue te maior do ab e rta uma f ot da gi se l v es t id a em s ua ave la com do circulo do br aço ao la to, v iro do traço ingles da primeira e do u com da primeira da bela ruivinha, que di zorro zp da p sorro my cc homem do ice, olho primeira hora, o ang u lo d efe nid o pe l as hor as do t au g da bar cele te t ip o cobra vermelha, , e c irc culo de diamantes, a o f e rta a teresa, da co mp ra do fi l ho, ce rta mente e olho om eu leque vermelho q ue t rago ab e rto em c ima de sta mesa onda teresa es c r e vo, e r ep do para do q ue a ab e r tura á me s ma, q ue es t ra anho o amo rea da luz são, contudo a posi sic sao do r elo gi o e sta ap o rolo serpente inc lina ada, e ema rca as dez e sete, o u o seth de dez, circulo do mega

Pondo o relógio do omega da bela ruivinha, direito , as tres passam a doze, es nove a seis e obtenho assim cruzado com o meu leque que trás as mesmas hora certas, um delta dez, sete, sete, dez duplo sete, o setenta e sete, na extremidade do leque está o meu sinete da águia olhando a direita e trazendo o forte deitado

P onda do circulo do relógio, moradias dos olivais, do circulo do mega da bela rui vinha, di r e to , as t r es p as sam primeira do ze, es sn ove a seis e ot en ho ass em c ruza ado com do circulo do m eu leque q ue t ra sas me s mas hora ce rta s, um del t a dez, sete, sete, dez duplo sete, o set en ta e sete, na est reno en no dade dol do leque e stá om eu sin e te da a gui aol homem na da bdo, agencia do filho da puta dos olivais, tambem , o bidarra, primeira da direita e t ra z en do o f orte de it ado

A bela kidman, é mesmo bela de se ver, está muito bela nesta foto, melhor seria vê-la assim ao pertinho

A b e la ki d man, é me s mo be la de se eve r, est + am u it o be la nest a f oto, m mel hor se ria ave do traço ingles de la ass simao per do tinho


Isis, me dizia, pela noite, faz então festas a adolescente, grrr, isis, sabes como eu te amo, mas não vou ficar contigo casado na distancia, e não vejas nisto alguma espécie de pressão, pressão, so mesmo muito sempre vos beijar, há quantas luas vos espera meu coraçao por vós palpitando, senhora de meu coraçao, ou haveis perdido os dedos e a cabeça de contar

Isis, me di zorro do ia, pe la noite, f az en tao f es t as a ad l os c en te, g rr ra, isis, s ab es com o eu teresa amo, mas n cão vaso duplo do circulo do fi do car c on ti g o c asa sado na di s tan cia, en cão veja serpente ni s to al gum a es pe cie de press sao, press sao sw a os om es mo mui to se mp r e vaso do os bei j ar, h á q u antas lu as vaso os es pera me vaso do co raçao por vaso do ó s pal pita ando, s en hor ad em eu co raçao, o u h ave is per dido os dedo sea cab eça dec on tar

terça-feira, março 24, 2009

Ecos primeiros e seguidos e desvelar o sincronismo com a verdade da palavra , referentes e acontecidos depois de publicar o ultimo texto maior

E cos do prim e iro do rose da se g u d o se d es veal do aro do ro sic rn is mo com da p rie mr ia da verde ad e da pal av do ra , rato da refer do efe da r en cruz espanhola e ac on tec id os d ep o is de pub lic do ra do circulo do onze do ultimo texto maior

Dois aviões de seguida caíram

D o is avio da es de sg da guida ca iram

O primeiro aconteceu no japao ao aterrar

Na forma como a trajectória se desenhou, foi visível a onda e o golfinho, ou seja remete e confirma a palavra do triângulo das meninas e do golfinho, que comentei em video anterior sobre a foto da special florida, miami bea ac homem

Na forma do com o a t ra zé ct tori ase d es en ho u, f o i vi serpente da vela da onda e circulo do golfinho, circulo do vaso do seja reme da te e c on firma primeira pal av dp ra do t rian gula das meninas e do gol fi n ho, q ue co men te i em v id e o ante rio r son br e a f oto da sp e cia l flor rid id, da primeira, mi ami bea ac homem

Ou seja , onde, tsunami, onda golfinho,

O us e j a , onda, ts un ami, o dag primeiro do fi muito do ho,

Na pista é figurado, e espelhado, numa asa de cauda de um aviao que está parado, ou seja desenhado um angulo, ou o angulo, de noventa graus, ou por aí, o símbolo que aparecera na imagem do video ultimo que aqui abordei, o que desvelou a id, do primeiro coptic, co pt ti circulo do al ph, da primeira aposta do abeto , seis st, do pirro do grupo do zoroasta que contem outras referencia, consultai, o texto anterior onde elas vem referenciadas em seu contexto mais alargado

Na pi do sta é figu rato do ado, e es pe l home do ado, nu ma asa de c auda de um avio primeira do q ue e sta para do, o vaso do seja de sena hd , fr, circulo do primeiro angulo, o u o ang u lo, em noventa, gato do ra us, o up, el eva são do por aí, o s im b olo q ue ap ar ee ra na i mage made ria do v id e o u l t imo q ue aqui ab o r de io q ue d es velo lou primeira id, do prime iro co pt ti c, co pt ti c irc do cu do cem do al ph, da prime ira ap da posta do ab beto , se i us st, do p delta da di da visao rr hi oo do g rup o do zorro asta q ue conte emo mo u t ra s r efe ren cia, c on sul t a io texto ante rato iro onda el as vaso em r e fr en cia da s em s eu c on tec a s argento do x to maís al ar gado

Fala-se no diabo, e o diabo aparece, assim reza antigo ditado português, curiosamente ontem pela tarde quando sai de casa , na rua do capitão pallas, ia ouvindo pelo espirito, vou –te matar, assim alguém pelo éter se me dirigia, quando vejo vindo do outro lado da rua, uma rapariga dentro de um jipe que me olhava, com face de poucos amigos, quem era, a rapariga do antiquário que masi uma vez tinha a apalavra convocado a cena a propósito de uma conversa sobre proibição por decreto do espirito dos maçónicos, acenei-lhe quando a reconheci, continuou para rua das traseiras de meu prédio, trazia uma luz vermelha na traseira do lado direita acesa, vinha um rapaz com ela, e me fiquei a pensara da relaçao aqui com o bando , e com o episódio do isqueiro azul da banana, o mais recente de muitos, este, relacionado com o fogo do nino, ou melhor ao nino

F ala do traço do primeiro do circulo inglesa se no do diabo, é circulo do diabo ap par da rece da rec, as si mr e za ant ti go di t ado portu gi es, cu rio sam que mente on te mp el a t arde q ua ando sa id e circulo da asa na rua do c apit a o pa ll as, ia o u vaso indo p elo es pei to, v o u traço da inglesa te mat ar, as si m al gume p elo e te rato da se da me di rig ia, q ua ando vejo vaso indo do o u t ro l ado da rua, uma rp a riga d en t rode da ode do primeiro ero do principe do ipe, q ue meo primeiro do homem ava, com da face de p o vaso do cos ami g os, q eu mer a, a ra p rai gado do antiquário, do pata do rio, q ue ma si uma ave zorro da tinha da primeira da ap da pal av ra c on vo cado primeira da cena a pro pr is ot de uma c on versa sb re p roi bic sao por dec r e to do es pi rito dos maçon nico serpente, ac en e i do traço do primeiro ingles quadra ua anda rec on he ci, conti nu o u para rua das t ar ze irs ad em meu prédio serpente, t ra zorro do ia primeira l uz vermelha na t ra se ira da dol do ado direita ac ess primeira da vinha do primeiro ra p zorro do com dela, e me fi q eu ia pen sara da relaçao aqui vaso do om do circulo do bando , e com o ep pi s o di o do is q eu iro az u le da ban primeira ana r e la cio n ado com do circulo do fogo do nino, o um mel hor primeira do circulo do nino

Depois o avio arde, e no final , fica de pernas para o ar, onde se vem claramente masi ao s seguintes elementos identificativos, o tubarão, o nariz do tubarão, onde o co piloto e o piloto morreram, e fedex, ao contrario, ou seja , x fed, o policia, a inda nos enquadramentos da ambulância, se leu, o bul da manha, x no zorro,

De pi s o avio arde, en no fina al , fi cade pe rn as para do circulo da ar, onda se eve em clara que mente ma sia os se gui n te s el em en t os id en ti fi cat ivo as, do circulo do t ub do barão, circulo do nariz, nose, o quadrado do t ub arao, onda do circulo do co pi do loto e o pi do loto mor r e ram, me do fed e x, az o c on t ra rio, o vaso do seja , x fed, o pol i cia, a inda nos q n q eu dr as m w n to sd a am bul anc ia, se l eu o b u l da manha, x no zorro,

Ora , este angulo desenhado em tres linhas, tres eixos, espaciais, y, x, e z, feitos pela cauda do estacionado na pista perpendicularmente em relaçao ao que teve o pseudo acidente, remete assim para uma figura, a pedra tumular de jason, e é complementado por um outro, angulo que a senhora americana que testemunhou a outra queda do outro aviao, com sua maos desenhava

O ra do este angulo, d es sn h ado em t ratos das espanholas linhas, t ratos es eixos, e spa cia is, y, x, e z, f e it os pe la c auda do es t ac cio na dona pi sta per rp do per di cu l ar que mente no tribunal da relaçao ao q ue teve o ps eu do ac inde te, reme te ass em para primeiro figo ra, primeira pedra t vaso do mular, mul ar de jason, e é co mp le men t ado por de um outro angulo q ue a s en hor a am erica ana q ue t es t emo n ho ua outra queda do outro avia do circulo , com serpente da ua mao sd es sena homem do vaso da primeira

Dizia ela que vira uma bola de fogo descendo do ceu, assinatura recorrente neste tipo de pseudo acidentes, que masi parecem ser imagens de meteoritos, como nos filmes de ficção cientifica, que de repente fizera um angulo de noventa graus para baixo, coisa impossível em termos físicos da trajectória, e caíra em cima de um cemitério, com imensas crianças a bordo que morreram

Di zorro do ia el da primeira aqui do q ue vaso da ira da primeira bola de fogo d es c en dodo circulo eu, as sin a tura rec o rr en te nest e t ip ode ps eu do acide dentes, q ue ma si pa rec cm ser i mage en de mete iro oto sn os filmes de fi caçao cie en ti fca, q ue de r ep en te fi ze ra do primeiro angulo em noventa, gato do ra us po ar ab a ix o, co isa i mp os s iv el em te rm os fi sico sd a t ra ject tori a e ca ira em circulo do ima de primeiro c emi té rio, com im ne sa c rina sç ab bor doque mor rato e ram

Ou seja o movimento que com sua mao desenhara da trajectória, um angulo que vem de cima e desce de repente a noventa graus, sobrepondo-o à cruz tridimensional que se desvelara na queda do primeiro no japao, fechava as cinco direcções, ou seja, desenhava tambem uma estrutura cubica ou paralelipipeda, ou seja desenha e desvela o túmulo do morto, e estabelece tambem assim uma clara relaçao entre os dois eventos

O vaso do seja do circulo do omo do movimento, quadrado da ue co ms serpente da ua do mao de s en hara da t ra jet circulo da ria, primeiro angulo do quadra da ue eve em dec ima e de sc e de r ep do pen da te a no da vao da inglesa venda gato da ar us, s ob r ep on do traço ingles do circulo dao à cruz, t rid di m en sio n al q ue sed es vela ra na queda do prime iro no j ap do pao, fec homem ava as c inc o di rec o es, o vaso do seja, d es en h ava t am b em uma est ru t ira cu bu cao vaso do para le l i pipe dao vaso do seja de s en h a e d eve la o t u mul o do morto, e e stab e le ce t am b em ass em uma clara da relaçao en t reo s do is eve en t o s

Martha guidoni, dizia com sua mao, like this and pum, push cento e quarenta e tres de noventa e dois, noventa e seis c, cesna, tom hag da ler, da cruz sagrada, mono , macaco motor, sem caixa negra nem gravador de voz, holly cross, o nome do cemitério, em montana, dezassete pessoas mortas,

Mar rt cruz homem da primeira guido ni, di zorro do ia com ser pen ny te da ua mao, l ike t hi sand p um, p us homem cento e quarenta e t rato es de noventa e dois, no do ove da venta en e se is circulo do cesna, tom hag da ler, da cruz sagrada, mono , macaco mo oto tor, serpente em ca ix ane negra ne mg rav ad o rato de voz, ho ll delta da cross, on om do me do c emi te iro, em montana, dez a sete p ess o as mo rta serpente,


No alinhamento das notícias, que não deixa de ser sempre, um fio, ou uma proposta de leitura da continuidade, ou da sequência, depois, city bank, cristina do mer de roma, trinat e seis horas de incendio no parque nacional peneda geres, um heli como libélula com pás duplas, a ressoara numa imagem de um video em que falo do s primeiro helicópteros, ov, italiano, trezentos e tres, do jose miguel medeiros , o do zé da le, a norma da al, a primeira da norma, a lei da norma, o padrão, psd diz, que se conforma o pior cenário, a ver qual, visto não o dizerem em forma clara, lá iremos em maior detalhe,

No al in ham en to das not ti cas, q ue n cão de ix ad e ser se mp re primeiro do fi circulo , o u uma pro da posta de leitura da conti nu id ad e, o u da sec ca non u en cia, d ep o is do city bank, cristina do mer de roma, t rina te se is hor as de inc en dion do circulo do parque nacional peneda geres, primeiro he li com o lib e lula com pá s d up la asa sa rato do esso ara numa i mage made ria de primeiro vaso , id é circulo em q eu do falo do s prime iro dos he li cop pt ero serpente do fiat italiano, trezentos e tres, do jose mig vaso do primeiro e med e iro roso do zé da le, a no ram al, a prime ira da norma, a lei da norma, o pd arao, ps d di z, q ue se c on forma o pi o r c en a rio, ave rata q ual, vi s ton cão o di ze ram em forma da clara, l á ire emo s em maio rato d eta alhe,

E uma redundância no dizer, que remete ainda para o assunto não totalmente concluído, o de beslan, onde tambem ontem um eco era trazido pelo presidente russo, numa estancia e nos jogos, onde aparecia a vareta vermelha para a terra apontado, nos salvo erro jogos de inverno, pois o aviao que trazia crianças, caiu num cemitério, ao ver aquilo, o sentido que se me afigurou fora mais uma vez a matança das crianças em beslan,

E uma red un dan cia no di ze rato do, q ue reme te a inda pa ar as sun ton cão tota l m n te c on c lui do, o de bes lan, onda t am b em on te m um e co e ra t ra z id o p elo pr es sid dente russo, nu ma es tan cia e nos j g os, onda ap ar e cia ava v ar eta ave vermelha para primeira da terra ap ponta ado, no ss alvo e rato do ro dos jogos de inverno, p o is o avia o q ue t ra zorro do ia c r ian ç as, ca i un um c emi te iro, ao ove rato a q ui primeiro do circulo , o s en t u id o q ue se me a figu ro u for am mais ais uma ave z a matança das c rina sç a em bes lan,

Ou seja em suma, o fed invertido do x na santa cross, a marta do guido do mar de roma, do city bank, montana, e japao, o tubarão da asa vermelha, do home do grupo do zoroasta

O vaso do seja em suma, o fed in verte id o do x na s anta c ross, am art rta do g u id o do mar de roma, do c it delta do bank, ou seja do delta it do vaso do banco da cida dade , ban nl, banca, kapa, apostas e poker, montana, monte da ana, a min te da ana, e japao, o t ub do barão da asa vermelha, alemão, do home do g rup o do zorro do astra, opel, circulo do pe, o primeiro
Então senhor excelentíssima puta bandido basilio horta, que apareceu em cima da capa do dn no dia seguinte, logo a seguir à Palavra em imagem e som no seguimento da matança das quinze crianças na alemanha, que acabava como se deve recordar, com elogiosas referências ao organismo publico que o senhor diz e não diz dirigir, pois se recordaram todos recentes palavras publicas suas, em que afirmava em quase tom choroso, que não sabia o que mais se podia fazer para inverter a situação epidémica do constante e exponencialmente progressivo aumento do desemprego, o que por si só, deveria levá-lo a reflectir seriamente , sobre então, o que faz ou não faz à frente de tal organismo que como todos sabem trás competências, e consequência, pelo menos teóricas na correcção destes assuntos


En tao s en hor e x e cel en t iss ima puta do bandido basilio horta, primeiro do logo do ogo a se gui ra Pal av ra emi mage me do som, serpente do om, no se gui men to da matança das quinze crianças na alemanha, q ue ac ab ava com o sed eve recorde da ar, com elo gi o sas re fr en cia da sao do organismo publico que o senhor diz e não diz dirigir, p o is se rec or d aram todos rec en t es pal av ra serpente das publicas suas, em q ue a fi rna ava em q ua ase tom choro roso, q ue n cão s ab ia o q ue maís se p o dia f az e rp do para in verter a si tua sao e pide mica do constante, o pepinaço, e e x p one en ci l man te pro grés s ivo au men to do de s e mp do rego, o q ue por si s ó kapa, de vasp reia l evá do traço ingles do prime rio do sir rf cu do uk , dez, primeiro do circulo, a r efe l ce do tir se ria que mente , s ob re en tao., o q ue f az o un cão fa z A fr en te det da cruz da al do organ is mo q ue como todos s abe em t ra sc om mpe t en cia se co nse u q en cia, p elo m en os teo ric as na co rr e c são d estes as sun t os

Curiosamente acabei agora de guardar este texto, e criei a nova pasta, oi seja a ano ova da pasta, que trás como sabemos dois significados, num terceiro bem pior para toda a humanidade, pois é de um crime contra ela de que se fala, pasta, de dinheiro, e pasta da massa italiana, e ova, de ovo, e vinte e quatro, véspera de natal, ou seja tsunami asiático

Cu do ur do rio sam que mente, ac ab bei do agora de g u ar da rato do este texto, e c rie i e ano nova da pasta, input output do seja, primeira do ano da ova da p as rta tam dam am q ue t ra sc omo s abe ms o do is si gn u fi cado serpente , nu m te rc e iro ne mp cruz ior para de toda a h uma ni dade, p o is é de um c rime contra ela de q ue se do fala, pasta, de din he it ro, e p as te da massa italiana, e ova, de ovo, e vinte e quatro, vaso da espanhola pera de natal, o vaso do seja ts un ami as iat tico

E a Palavra desvelara grave acusação de que um menino ou menina da dcom, direcção de comunicação do referido organismo das putas que vossa excelência diz tutelar, pago como todos os vosso imensos salários e imensa regalias, pelo erário publico, ou seja , pelo bolso de todos os tansos que se dizem ser portugueses, e que ao que parece, muitos, ainda continuam a pagar impostos para suportar a merda que os envenena a todos na volta do correio do sistemático mal fazer, que esse menino ou menina , funcionário publico, estava arregimentado à conta da puta que me trás roubado o filho, que será quem o dirige, para de acordo com a sua altíssima formaçao e competência técnica na área da informática, ao serviço do desenvolvimento do país, e do progresso da nação, andar a espiar-me e a lançar ataques de vírus no meu computador

E a Pala av ra d es vela lara gata da rave do ac à usa são, da acusação ao eua, de q ue primeiro menino ou menina da dc om, di rec sao de com do uni caçao, o nova, certamente, do r efe red di io do organismo das putas q ue vossa e x cel en cia di zorro t vaso da te do primeiro da ar, o cabrão do jaime gama, paga com o td os circulo do os do vaso do osso i men s o ss sala rio se e i m en sa reg al ia s, p elo e rá do rio do jornal do publico, o vaso do seja , p do elo bo l s o de todos do os dos tansos, q ue se di ze em ser portu gueses, e q ue primeira do circulo do q ue pa rece, mui t os, primeira inda conti nu am a ap da primeira gara dos impostos, do para serpente da el eva são dop porta ra da merda q ue os en v ene nema a todos na volta, o do correio do sis t ema ti cao ma al fazer, q ue ess em en ino o um eni nina , f un cio n a rio do publico, e stav da primeira arri gm en t ad o à conta da puta q ue met ra s ser rp da p en t do roubado do circulo do filho, q ue se rá q u emo di rig e, para de ac o r do com da primeira serpente da ua al t iss ima da for maçao e co mp e t en cia tec nica na primeira rea da informática, in for mat iv ca, ao serviço do de s en vo l vie mn to do pa ise do pro ger ss do circulo da dana sao, anda da ar da primeira es pei ar do traço da inglesa me e al ana r a t aqui da eu serpente dos virus no me vaso do co mp puta da dor

Fora isto antes do espirito me ter desvelado ainda acusação mais grave da utilização dos organismos públicos nesta batalha que levam contra mim e consequentemente meu filho, pois se preferem colocar do lado da puta que me o trás roubado, actuando assim fora da lei, e se tornando bandidos, a extensão de vosso crimes, é o que ainda está para determinar em toda a sua extensão

For a is to ant do es do es pi rito met red es vela do ado primeira inda da acusação contra mim a eua pelo maís gato da rave da u tili iza sao dos organismos públicos, nest da primeira bata alha do quadrado da ue l eva do vam da manha contra mim, e co nse q u en te mn te me vaso filho, p o is se pr efe rem c olo car da dol do ado da puta q ue me o t ra serpente ro ub ado, ac tua ando ass em for primeira da lei, e se tor nando bandidos, primeira do e x t en sao de vaso do osso c rim espanhol, é o q ue primeira inda e stá para det e r emi mina na ar em to ad a as ua e x t en sao

Que utilizam ainda as delegações do aicep, no estrangeiro, nomeadamente a de dc, no combate que me tem feito e nas vis acusações que me fizeram perante a cia e eventualmente perante alguns congressistas, o tal sujar da ficha como me relatava o espírito tambem em dia recente

Quadrado da ue u tili iza da manha a inda as del e g aç o es do ai circulo da ep, no es t range iro, noe da ema da e mn te a de dc, no com do bate q ue me te maior f ei t oe en as das vis ac usa ç o es q ue me fi ze ram pe ra ante a cia e eve en tua le mn te pe ra ante al gus sn c on gre serpente das sitas, o t al s u j ar da fic homem do ac omo mer e la t ava o es pe rito tam e b me maior do dia rec en te

Como a todos já expliquei, este combate que me fazem é uma gota de agua em utilizações bem piores de meios públicos do estado português que participam activamente em desgraças pelo mundo fora, pois tambem o espirito me confirmou em dia recente, a tremenda organização de pensamento, ou seja, crimes pensados, e bem pensados, com muita antecedência, deste fazer, por parte da puta que me trás o filho roubado, e que terá angariado portanto pelo mundo os apoios para isso, para me desacreditar, inclusivamente tendo produzido acusações contra a minha pessoa, junta a cia e outras organizações, que quase levaram a minha morte, e é isto é uma acusação muito grave, que o envolve a si tambem, pelo cargo que desempenha

Com do circulo da prime ria de todos do j do á e x p lic eu i, este com bate q ue me f az e mé da primeira gato da ota da agua, em u tili iza ç o es segundo em ior espanhol de meios públicos, agencia de meios, do estado portu g u es q ue par tic cp do pam ac t iva que mente em d es sg g raça s p do elo pelo mundo fora, p o is t am b emo do es pi rito mec on fi r mo vaso em dia recente, a t rata da emenda organ iza sao de p en sam en to, o vaso do seja, circulo do rim dos crimes espanhóis pen dos sado se do segundo em pen sado s, com da mu i ta ante ce den cia, de este fazer, por rp da p da arte da teresa carvalho, q ue me t ra s do circulo do filho roubado, e q ue te rá ang a ria do porta anto p elo do mundo do os dos ap oio serpente do para iss circulo, para me de s ac red it ar, inc l u s iva que mente t en do por d u z ido ac usa ç o es c on t ra primeira da min home da primeira da pessoa, junta da primeira cia e outras organ iza ç o es, q ue q ua ase l eva vam aram a min do homem do ham orte, e e is to é uma a x cu da usa sao mui to g rave, q ue o en vo l ve a si t am b em, p elo cargo q ue de s em mp da penha

Como vai, ser , sua excelentíssima puta, responde, ou como todas as putas deste pais, terrorista, vai continuar em silencio a fazer de conta, que nem ouviu a acusação, e ao governo , o que faz, perante esta utilização indevida dos meios do estado, e as policias, porque não investigam ,quem produz estes ataques informáticos, ou não o saberá porventura fazer, como já antes alegaram para tentarem enganar as criancinhas de dois anos e meio de idade

Com da ova do si, ser , s ua e x cel en ti serpente sima puta, rato do es ponde, o vaso do com o td ossos do as das putas deste pais, te rr ori sta, vaso ai conti nu ar em silencio, fr, primeira do f az e rato de dec conta, q ue ne em emo vaso do vi ua da acusação, e ao governo , o quadrado da eu do f az, pe ra ante e sta u tili iza sao inde v ida do s mei s o do estado, e as poli cias, por q ue n cão in v es tiga g am ,q eu m por d u z est es ataques in for mat ti coa, o un cão o s abe ra por v en tura g f az w r, com o j á nat es al e gara am do para en g ana ra as c r ian das cinhas de do is ano se do meio de id ad do e

Lembrar-se-ao todos , pois foi imagem recente do senhor quase a chorar numa promoção onde dizia não saber o que mais fazer, na tv, se não sabe, que esclareça a verdade e se demita, seu bandido, ou choraria ainda por piores razoes, que terá no entretanto descoberto!

Lem br ar do traço da inglesa sea traço do arco da ingles da primeira do circulo de todos , puta do circulo do is f o e i mage made ria recente do s en hor ro q ua ase ac hor da ar numa pro omo sao onda di zorro do ia n cão saber, o q ue maís f az e rna da tv, se n cão s abe, q ue es clare sa rp primeira ave verde dade e se de emi t as eu do bandido, o vaso do chora da ria da primeira inda por pi o r es ra z o es, q ue te rá no en t rt na to d es co do berto!

lembrar-se-ao igualmente do envolvimento da puta vera saudade e silva e do outro menino advogado, ue foram do aicep, na falsa acçao judicial que montaram para me roubar o filho, e ainda das acusaçoes de roubos de autorias que pelo icep passaram, noemadamente o canal zero, antes de existir o you tube portanto masi esta pergunta fica tambem, se o o roubo do conceito já operativo do canal zero que depois deu no you tube, por vossas criminosas maos e bolsos tambem passou

lem primeiro em br ar do traço inglesa se igaul le mn te do en vo primeiro do vi men to da p ur primeira da vera saudade e silva, e do outro menino advogado, ad vo do gado, q ue for ram am do ai circulo d aep da pura na f al serpenet primeira ac sao judi ca e primeiro do q ue monta ram do para , p ra , para me roubarem o filho, e primeira inda das acusaçoes, de ro ub do os das autorias, palacio foz, q ue pelo elo eli o leo do icep passaram, no ema dam que mente do circulo do c anal zorro do ero, ant es de existor, circulo do delta do tubem o seja do metro, segundo em pro t anto ma si e sta per gun cruz primeira fi ca tam segundo se orubu, dc on ce it circuko do principe do primeira do acento do circulo da opera cruz iv circulo, do barquinho da doca, q ue d ep circulo do is quadrado eu do no do you tube por vaso os das sas criminosas mai serpente tambem, passo do ass circulo do vaso




segunda-feira, março 23, 2009

Ah amada, que contente fiquei ao ver que a cadelinha não trazia mais suas pernas presas em seu andar, o cãozinho preto, assim com cabelos que caem sobre os seus olhos, é o mais curioso, e quando me olhou desta vez como da outra até o vejo sorrir, eu tambem, e lá vem ele, me cheirar, esta é a parte bela da história, felizmente que existe sempre uma

A h am ad aqui , q ue c on t en te fi q eu ia ove rat q ue a cade l on h as n cão t ra z ia maís s ua s per na s pr es as em s u anda aro do c irc uk l o do cao z in h o preto, ass em com cab do elo s q ue cae e m s ob reo s se us l h os, é o maís cu rio s oe q ua ando me o h lou de sta ave z c omo da o u t ra a té o vejo sor r ire eu t am b em, e l á ve m el e, me ce hi irar e sta é a p arte be l a da hi s tóri a, f e liz mente q ue e xis te se mp r e uma

Sabes doce amada minha, à gente muito estúpida e cheia de maldade em seu coraçao, há muitas luas atras, seria uma tarde luminosa de fim de semana, ali ao chegar ao jardim, vi um carro que avançava em sentido contrário muito depressa, e estavam tres pombas poisadas na estrada, e a bestinha, em seu carrinho de prata, não tirou o pé do acelerador, e eu vi que ele vira as pombas, e assim numa bateu

S ab es do ce am ad dam in h a, à gente mui to es t u pida e che ia de mal dad e em s eu cora sao, h á mui t as lu as sat at ra ss ria primeira cruz arde lu mino sa de fi made ria de se mna, al ia o che g ra ao jr dim, vi primeiro carro q ue avança ava em s en t id o c on t ra rio om u it o de press a, e est ava vam t r es p om bas p o isa d as na es t r ada, e a bes tinha, em s eu car rinho de p rata, n cão tiro u o p é do ac e ler ad o r, e eu vi q ue el e v ira as p om bas, e ass em nu ma bate eu

Eu vi a pomba levar a pancada, e ficar com a asa em posição impossível, e o rapaz nem desacelarou um momento que fosse, depois a vi assim meio combalida, ao pé do passeio, meu coraçao ficou cheio de pena a tremer por dentro e pensei que estaria mesmo perdida

Eu via ap om ba l eva ra pancada, e fi car com primeira asa em posi sic sao i mp os s iv el, leo do circulo onze do rapaz, ne madeira de sec el aro uu maior mo mn to que f os se, d ep o isa vi ass em mei o com bali da, ao p é do p ass seio io, me u cora sao fi o cu che io de p en a a t reme mer por den t ro e p en se i q ue es t raia me s mo per id ida

Depois continuei meu caminho e fiz assim uma reza muito forte dentro de mim, e quando voltei, a pomba já não lá estava, tinha ficado boa, e levantara voo de novo, vês amada, o poder do amor, e sua imensa e infinita beleza

D ep o is conti nu ei m eu ca minho oe e fi z a ss em primeira reza mui to f o rte d en t rode mim, e q ua ando vo l teia da primeira pomba j á n cão l á e sta vaso da primeira, tinha fi cado boa, e l eva van da tara voo de n ovo, vaso es am ad a, o p ode rat do a mor, e s ua i m en sa e in fi ni t ab beleza

E sabes tu amada, como muitas vezes os humanos mal tratam seus irmãos animais que não trazem nem advogados nem juizes nem a mesma fala dos homens para defender as suas vitimas, que os homens parecem não trazerem o coraçao afinado, para entender e estender a noção daquilo que chamam de direitos humanos a direitos universais, animais, como lhes chamam incluídos, até a agua, as pedras, as arvores e o vento, pois somos todos irmãos e filhos de Deus e habitamos lado a lado a una casa

E s ab es t uam ad a, com o mui t as v e ze s os humanos m al t rata tam se us sir mao s anim a is q ue n cão t ra ze m ne ema dv o gados ne m j u ize sn ema me s ma fala dos h om en s para d efe en de e ra s asu vi t ima sa q ue a té os h om ne s a inda n cão t ra ze mo cora sao a fina ado, para en t en der e es t en der ano sao da q eu i lo q ue c h a amam de di r e t os humanos a di rei t os univer sais, anim a is, com o l he s c h amam inc lui do s, at té primeira agua, a s pedras, a s arvores e o v en to, pi s s omo s todos i r mao se fi l h os dede use h ab bit am os l ado al ado a un ac asa

A senhora em Angola, dizia que estar ali no meio da multidão a ver e ouvir o papa, era como sentir o espírito descer dentro dela e se via assim em sua bela face contente, a noticia começara com uma triste imagem, duas meninas mortas no meio da confusão pisadas, já ficara eu antes a ver uma estranha foto do dn, do papa no aeroporto no momento de sua partida de angola, com cara para baixo, como quem confidenciava à pequena comitiva que dele se despedia, qualquer coisa que sobre outro lhe parecia preocupar, tal era secundado pelas outras expressões com excepção de uma bela senhora que meio sorria, e que penso ser, quem descia com o presidente aqui em lisboa,

A s en hor a em ang gol a, di z ia q ue es t ra al ino mei o da mul ti dao ave reo u vi iro pap a, e ra com o s en tiro es pei rt to do circulo d es sc e r d en t ro dela e se via ass em e ms ua be la da face c on t en te, ano da no ti cia com e ç ar rac ac om uma t r is te i mage made ria, du as das meninas mortas no mei o da c on f u sao p isa da sj á fi cara eu ant es ave rum a es t ra anha foro do pap a no aero rop pro oto no mo m en to de s ua par i td a, com da cara, do para ba ix o, com o q eu m c on di fe en cn fi d en cia ava a pequena com it ia q ue del e se d es ped ia, q ual q eu r co isa q ue s ob reo do outro le h par e cia pr e coc up ar, t al e ra sec inda dado pe l as outras e x press o es com e x cep sao de uma be la s en hora q ue maio sor r ia, e q ue peso se q eu made ria d es cia com o pr e side en dente te aqui em lis boa,

Depois passavam um extracto do papa a falar, que dizia do medo , do medo ser compreensível para os jovens que oscilariam entre abraçar o sacerdócio e o outro, sempre mais belo a meu ver, do casamento, pois a Esposa é Imagem de Deus e os filhos Dele Filhos, do Amor, e Pelo Amor em Amor, eu ouvia aquele dizer, e me dizia, será que o papa achará que eu estou na duvida, pois as minha palavras recentes assim poderiam ter-te dado a entender, quando falo da perca das penas de Anjo

D ep o is p ass ava vam am primeiro e x t rac to do pap a a f al a r, q ue di z ia do medo , dom e do ser co mp r en s iv el para os do j ove en ns q ue os cila r iam en t rea ab ra ç r o s ac e r do cio ee o outro se mp r e maís b elo , do ca sam en to, p o isa Es posa é Ima ge made ria dede use os fi l h os del e fi l h os, do am o rep elo am o rem a mor, eu o u via a q eu le di ze rem e di z ia, se rá q ue o pap a ac h a rá q ue eu es to un a d u v id a, p o isas min h a pala av ra s rec en te s as si m p ode r iam te rato te dado a en t en der, q us sn do falo das pe rca das p en as dean j o

Ah amada hoje é dia da poesia, poesia boa, mesma era muito te festejar e muito te beijar, sabes a primavera já chegou e quando caminho ali em baixo pela rua, há um certo ponto em que o perfume das arvores que já floriram, chega assim de repente e forte ao nariz, e então, eu abro os pulmões todos para sentir teu perfume, e penso, que nada mais belo existe que o perfume natural dos seres, medo amada, sim talvez nas vezes, medos diversos, alguns sublinhados por escutados no espirito alheios, quanto alheio o espirito é da amada e do amado,

A h am ad a h oje é dia da poe s ia, poe s ia boa, me s ma e ra mui to te f es te j ar e mui to te bei j ar, s abe sa pro ima vera j á che g o ue q ua ando ca minho al i em ba ix o pe la rua, h á um ce rt o p on to em q ue o per rf um me d as arvore s q ue j á flor iram, che ega ass em de r ep en te e f orte a on ar ize en tao, eu bar o os pul moe s todos para s en tit t eu per rf um e, e p en soque n ada maís b elo e xis te q ue do circulo do perfume, nat ural dos ser es, med o am ada, si m t alvez nas v e ze s, med os di iv eros , al gun s ub lina hd os por es c u t ado s n o es pi rito al he io s, q ua anto al he io o es pi rito é da am ada e do am ado,

Medos, alguns, pouco, nenhuns, muitos ou nadas, olha hoje no final do telejornal, o cartaz falava da esposa vendida, até treme por dentro o coraçao, a pensar na eventualidade de uma esposa ser alguma vez vendida, e depois ainda ressoa em outra forma que de igual modo o faz tremer, a que se vendeu, e sabes amada, como tantos se vendem neste não viver, muitos para só sobreviver, mas sobreviver não é nunca viver, é pálida e esbatida ilusão de vida e de amor,

Med os, al gun s, p o u co, n en h un s, mui to s o un ada sol h a h oje no fina l do tele do home do jornal, o car t z a f alva da es posa v en dida, a té t reme por d en t ro o cora sao, a p en sar na eve en tua li dade de uma es ps o ase ser al gum primeira ave z v en dida, e d ep o isa primeira inda r esso a em o u t ra forma q ue de igual mod oo f az t reme mer, a q ue se v en de u, e s abe s am ad a, com o t an to s se eve en de maior nest e n cão do viver, mui to s para s ó s ob r e viver, mas s ob r e viver n cão é n unc a viver, é pali da e es bat id a i lu sao de v id a e dea mor,

Ah senhora de meu coraçao, agora pela noite já um pouco mais fresca e húmida ali no jardim num banco onde não trago o habito, me sentei, e depois as grinaldas brancas todas já floridas, tao belas, se puseram em suave dançar, um casal passeava uma cadelinha, um outro rapaz ao fundo do jardim, em noite anterior fora cheirar assim ao perto as grinaldas brancas, não traziam muito perfume, mas são belas a meu olhar, desenham assim como semi arcos em cima de finos cabelos de meninas que se vao casar

A h s en hora de meu cora sao, agora pe l a n o i te j á um p o u co ma si f es ca e h um id a al ino jardim nu maior banco onda n cão t rago do circulo do habito, me s en te i , e d ep o isas g rina alda s br ancas todas j á flor id as, tao belas, se p use ram em s ua z v e dan ç ar, primeiro ca sal p ass sea ava primeira cade da linha, de um outro rapaz a o fun dodo j ardi m, em no it e ante rio rf o ra che ira r a s simao per to as g r ina l da s br ana sn cão t ra z iam mui to per rf um me, mas são belas am eu o l h ar, de s en ham ass em com o s emi arcos em sc ima de fino s cab elos de em ninas q ue se vao ca serpente da ar

Ah Senhora de meu coraçao, medos, alguns, pouco, nenhuns, muitos ou nadas, medo que não sejais feliz a meu lado ao perto pertinho, bem sei que isto parece uma impossibilidade, se vives como sei dentro de mim e certamente então eu dentro de ti tambem , como o vento que dança suavemente com as flores das grinaldas das arvores, mas sabes o qao pouco para alem do amor trago para te oferecer, e de como a minha vida é, pois nada, alguma vez te escondo

A h S en hora de me u cora sao, med os, al gun s, p o u co, n en h un s, mui to s o u na da s, med o q ue n cão se j a is fe liza me u l ado ao per to per tinho, be ms se i q ue is to pa arc e uma i mp os sibil bil id ad e, se v iv es com o se i e s ab es, d en t rode mim e ce rta tam maior net en tao eu d en t ro de ti t am b em , com o ove en to q ue dança s ua da ave que mente com do as das flor es da sg rin la sd as arvore s, ma ss abe soc au o p o u co para a e lm do am o rt rago para te o fere ser, e de com o a m in h av id a é, p o is n ada, al gum ave z te es condo


Ah Senhora de meu coraçao, medos, alguns, pouco, nenhuns, muitos ou nadas, ah senhora às vezes trago medo de passar por vós e não vos reconhecer, que sou distraído e nas vezes levo o coraçao nas nuvens, mas depois penso, certamente que tu me dirás, sou eu, bom dia ou boa noite , conforme a hora for, e de repente lá percebi porque me sentava pela segunda vez naquele banco onde não trago o habito de me sentar

A h S en hor ad em eu cora sao, med os, al gun s, p o u co, n en h un s, mui to s o u n ada sa h s en hora às v e ze s t rago med ode p ass rp por v ó se n cão v os rec on he ser, q ue s o u di s t rai id o en as v e ze s l evo o cora sao nas n uve en s, mas d ep o is p en s o, ce r t a m n te q ue t um e di ra ss o ue u, b om dia o u boa no it e , c on for me a hor a for, e de r ep en te l á per cebi por q ue me s en t ava pe la se gun da ave z na q eu le banco onda n cão t rago o h ab bit ode me s en tar

Ah senhora de meu coraçao, medos, alguns, pouco, muitos ou nenhuns, se trago vossa face deitada em meu peito em suave descansar, se trago seus lábios ao perto de muito beijar, se trago minha mao na sua pelos dias na casa, se as flores frutificam em nosso amor, pelo amor, e contentes sorriem em seu ser, e esta preocupação em parte acrescida, quando não vos trago por perto, onde as dores todas do inteiro amor, em meu coraçao por si em vossa ainda ausência, todas entram, mesmo sabendo que algumas são falsas, como falsas queixas, propositadas preocupações que visam preocupar, por mesquinhez nas vezes, pelo simples mal fazer

A h s en hor a de m eu cora sao, med os, al gun s, p o u co, mui to s o un en h un s, se t rago vo s sa face de it ad a em me u pei to em s ua ave d es can sar, set rago se us l ab io sao per to de mui to bei j ar, set rago min h am mao na s ua p elo s dias na c asa, sea s flor es fr u ti fia am em no s so am o rp elo am o rec on t en te s sor rie me ms eu ser, e e sta pr e o cup a ç º ao em p arte ac r es cida, q ua ando n cão v os t rago por per to, onda a sd o r es todas do ine i ero am o rem me u cora sao por si em vo s sa ian da au use en cia, todas en t ram, me s mo s ab en do q ue al gum as são fal sas, com o f a l sas q eu ix as, pr ep posi t ada s pr e o cup aç o es q ue vi isa sam pr e o cup ar, por me s quin he z nas v e ze s, p elo simples maior al fazer

Ah senhora, sabeis, que sempre me apetecem poemas concretos, assim do genero constante, mim tarzan, tu jane, vem ca , ou vou eu a voar numa liana para te comer inteira sem nenhum mal fazer, e sabeis porque vos confesso do que só assim vos pensar, me faz crescer o colibri

A h s en hora, s abe is, q ue se mn pre me ap et e cem poe ema s c o n c r e to sas si em do g ene ero co ns t ante, mim t ar z an, t u j ane, eve em ca , o ovo u eu a vo ar nu ma li ana para te co mer in te ira se m n en h um m al f az e rato, e es abe is por q ue v os c on f ess o do que s ó as si m v os p en sar, me f az c es c ero co li br i



Ah Senhora de meu coraçao, medos, alguns, pouco, nenhuns, muitos ou nadas, receio que te enjoes assim nas vezes, como no outro dia pelo espirito ouvia, a linha , tenho dias que não me apetece, mnas sei eu que vos sei fazer apetecer, assim espero, assim sempre o espero

A h S en hor ad em eu cora sao, med os, al gun s, p o u co, n en h u ns, mui to s o u n ada s, rec e io q ue te en jo es as si m n as v e ze sc omo no outro dia p elo es pi rito o u via, primeira linha , t en ho dias q ue n cão me a pet e ce, mna s se i eu q ue v os se i f az e r a pete ser, as si m es p ero, as si m se mp reo es p ero

A imagem das grinaldas brancas, tinha-a eu visto recentemente no blog da rosa, um blog, pois uma semelhante grinalda, a trazia a rainha reina nessa fotografia, que aparecera por volta da visita oficial da rainha e do rei a portugal

A i mage made ria da sg r ina alda s br ancas, tinha do traço ingles da primeira do eu vi s to rec en te que mente no b l o g da rosa, um b l o gp o is uma semem l h ante g rina alda, a t ra z ia a rai n h ar e ina ness a f oto g raf fia, q ue ap ar e cera por vo l t ad a vi sita o fi ca i l da rainha e do rei a portu gal

E um estranho pormenor se reflectira aqui em casa, quase de certeza, provocado , ou melhor arranjado, por aqueles que a mando de outros aqui indevidamente sem autorização entram

E um es t ra anho por m en o rato da se r e for mula one e ct da ira aqui em c asa, q ua ase de ce rt e za, pro ova do cado , o um el hor ar ra n jad o, por aqui dos eu l es q ue a am n do deo de outros aqui inde vi dam en t rat se em au tori iza sao en t ram

Pois se não ando a contar a comida que trago no frigorifico, dá me ideia que retiraram algumas cenouras, e assim a imagem de alguma forma espelharam, pois uma pequenina como um dedo mindinho com outro pedacinho que corresponderia a sua extremidade, no saco deixaram, e era esse pormenor que equivalia a posição da rainha na foto do blog onde está com a bela grinalda em seus belos cabelos, e uma faixa de estado em cor violeta com a coroa, semelhante a dos relógios ro lex, , e tambem a que um dia aqui no ceu de lisboa se expressara

P o is se n cão ando a c on tar aco mida q ue t rago no fr i gor i fi co, d á am me id e ia q ue r e tir aram al gum as c en ouras, se as sima primeira rai mage made ria de al gum a forma es pe l h aram, p o is uma pe q eu en nina com do circulo do primeiro dedo min din homem do c irc uk o do circulo do com do outro peda c in h o q ue co rr es ponde ria a s ua est r emi dad en o saco de ix xara aram, e e ra ess e por m en o r q ue e qui iva lia ap posi sic sao da rainha na f oto do b l o g onda e stá com da primeira bela g rina alda em se us b elo s cab elo se uma f au x ad e estado em co ra viol eta com primeira coroa, semem l h ante a dos r elo gi os, to do lex, ole x, e ta am b ema q ue um dia aqui no c eu de l is boa se e x press sara

Eu no pouco que da rainha vi, da sua visita, a achei tensa, quiçá preocupada, e assim tambem ficou meu coraçao, sendo que parte deste sentir foi como já o disse em parte por terceiros identificados, induzido, mas tal não obsta a que a preocupação a tenha sentido

Eu do no do p o u coque da rainha vi, da s ua v isi t a, a ac he it en sa, qui ç a pr e o cup da pada, e as si em t am b em fi co um eu cora sao, s en do q ue p arte de st e s en tir f o i com o j á o di s se em p arte por te rc e iro s id en ti fi cado s, indu z id oma s t al n cão ob sta aqui da ue a pr e o cup aç sao a t en homem do as en t id circulo

Depois ouve toda a informação que eu aqui com todos partilhei do que o espirito me desvelara durante a sua visita e das ligações da rainha ao grupo do outro lado do grande mar, o grupo do ulisses, e um lapsus se deu, um estranho lapsus, pois trocara eu a relaçao de dois poetas, quando falei do que vi nas imagens da sua visita a uma escola infantil, onde se dera em sua honra um concerto e só dei por ele depois

D ep o is o uve toda a in for maçao q ue eu aqui com todos p art ilhe id o q ue o es pi rito me d es vela lara duran te as ua v isi t a e das liga ç o es da rainha ao g rupo do outro l ado do g rande mar, aro g rup o do u l iss es, e um la ap ps us se d eu, um es t ra anho l ap us, p o is t roca ra eu prima di ira da relaçao dedo i s p oe t as, q ua ando fal lei do q ue vi na s ima mage ns da s ua v isi t a au ma es c ola in fan til, onda se d e ra em s ua h on ra primeiro c on ce r to e s ó de ip por el e d ep o is

Pois na realidade a rainha visitara a escola com o nome de miguel torga, poeta e não só, homem que está por detrás da fundação daquela que deve ser a maior ordem mais ou menos informal do país, e homem que trouxe como é do conhecimento publico ligações ao ps, nomeadamente aos do grupo que o fundaram, como o mario soares e sua companhia, e homem da montanha e das terras de coimbra, onde como se sabe alguns dos fios desta historia passaram, um belo e grande homem com uma bela e luminosa obra

P o is na real id ad e a rainha v isi tar a a es c ola com do circulo do no me d e miguel tor g a, poe eta en cão s ó, h om em q ue e stá por det ra s da fun d aç sao da q eu la q ue d eve se ra maior ordem ma sio um en os in for m al do pa ise h om mec q ue t ro ux e com o + é do c on he cimento do publico liga ç o es ao ps, noe ema dam en te ao sd o g rupo q ue o fun d aram, com oo mar io soares es ua co mp anhi ia, e h om da me da montanha e das te rr as de co im br a, onda com o se s ab e al gun s do s dio s de sta hi s tor ia p ass sara am um b elo e g rande h om e com de uma bela e lu mino sa ob ra

E ao mencionar a escola , a associei a um outro poeta e matemático, tendo feito referência a um poema dele muito conhecido, o antonio gedeao, um homem que leccionara ali na estrela no pedro nunes, um homem das navegações do tempo da diaspora, responsável pela criação de belos instrumentos, e se o poema que me apareceu, é em meu sentir e ver, indicado como homenagem a rainha, pois nos relembra que o mundo é como bola colorida nas maos de uma criança e que sempre que o homem sonha, o mundo pula e avança, que é o que a rainha tem feito com as crianças deste mundo, por outro lado, a estrela remetia para o cruzamento com a senhora soares, a sair do comissariado, onde se calhar ela , a rainha estava ou estivera, não deixei de estranhar e reflectir sobre estas estranhos cruzamento nos sentidos das palavras, e sendo que quando estava no jardim da estrela nessa tarde, uma vela latina deitada ao ar, na escola de madeira dos meninos, fora o que me fizera naquele momento tomar a decisão de meus passos e do cruzar com a barroso, e depois com as imagens que dei conta, a dos tapetes do irao, e as das docas, do barco da eve e do trimara

E au cao m en cio na ra da es c ola , a as soci e ia um outro pe ota e mat ema tico, t en do f e it tor e fr en cia a um poe ema del em u i to c on he cid o, o em ton io do ge deão, primeiro h om em q ue le cio na ra al ina estrela no do pedro nunes, primeiro h om em da s navega ç o es do te mp o da di ap o ra, r es ponsa ave l pe l a c ria sao de b elo s i ns t rum en t os, e se do circulo do poema me ap rece indica com o homem do oe mna gema rianha, p o is no r e le br braque, iraque do mundo é com o b ola c olo r id ana s mao sd e uma c rina aça e q ue se mp rec q ue o h om em son h a, o mundo p u la e avança, q ue é o q ue a rainha te m f e i to com as das crianças de ste mundo, e se por o u t ro do rol ado, primeira estrela reme tia para do circulo onze da ruza am en to c om a sn hor a soares, asa i rato do co miss aria ado, onda se calha re la , a rianha e sta vao u es ti vera, n cão de ix e is de e ts rana h r e ref fr for mula one e ci ts ob re e sta s es t ra anhos cio urz a m e n to s no s en tid o das pala av ra se s en do que q ua ando e stav primeira do no do jardim da e ts r e la ness a t arde, primeira vela la t ina de it ad a ao ar, na es c ola de made ira do sm eni ni ns, for a o q ue me fi ze ra na q eu le moe en o tom ar aa dec isa ode me us passos e doc da ruza rc om a bar roso, e d ep o is com as sima ima mage ns q ue de i conta, a dos tap pet es do irao, e as doca si do barco da eve e do t rim mara da ar primeira , que é primeiro cat am mar a ra

Masi estranho ainda fora ter acordado e sentido a necessidade que realizei de gravar em video o que o sonho pelo oráculo me desvelara, e pelo facto de que o livro qu está em cima da asa da chaise longue, ser exactamente a antologia poética do miguel torga, há um preciso momento em que lhe toco no acto da Palavra

Ma si espanhol da cruz dot ra anho primeira inda for da primeira teresa rac circulo do aco do rato rda do es serpente en ti d o ane circulo do ess id ad e quadrado da ue da real ize id e gato da rava ar em vaso id e, oo do quadrado da ue o son homem do circulo do p elo opel, circulo do rac vaso dop primeiro do circulo do med espanhol do veal ra, e p do elo fat tc ode deque da ue do circulo do primeiro ni o nono ro q u e stá em circulo do ima da asa da circulo do homem da primeira ise do longue, ser e x cat am que mente a anto do primeiro do circulo dog ia poe tica do miguel tor gato da primeira, homem á um pr e circulo do is do om o men to em quadrado da ue do primeiro homem ingles do toco no ac to da pala av ra

O primeiro toque no livro, acontece quando falo das confusões na irlanda, esta recente da morte de dois policias, e antes de uma bem masi grave, já qui abordado, por um escutado antigo no espirito , de que a matança teria ocorrido por alguém que fez correr o amok, ou seja relacionado com certos rituais, que quando o ouvi, ou melhor entendi, com base no ultimo dos relatórios feitos sobre a matança, parecia indicar que teria sido feito nas forças armadas que interviram, acontece na linha do tempo, aos sete , cinquenta e um, ou seja o set de cinquenta e um, o segundo dos om dos cios, o home do es pi rito dos oráculos, tebas, o homem da sible, do arco, ou de cibeles, madrid, ou seja com relaçao a madrid, e al cantara, ou seja da ponte com africa do norte, pois esse o significado da palavra de origem árabe, alcantara, maçon, arnaut, bradenburg, ou seja com relaçao ou um cruzamento com maçons alemaos, o responsável tambem pela minha quebra face aos gnosticos, depois vem a aninhas, aninha é tambem uma bela rapariga que era amiga da rita lopes alves dos tempos do jamaica, creio que da lapa tambem, para, engodos, fusos, do natal, ob rig ad a , o sinal do tridente e ds seta no vaso do terceiro invertido, que é letra árabe tambem, ou indiana, capicua, betas e servos, nac ala, no região do rei e da rainha, ou seja implicado nas mortes que ali ocorreram, sofrimentos, imagem da igreja remetia para o Líbano, ultimo episódio da guerra com israel, e de um homem, morto que me pareceu ser o militar católico que fora morto na comitiva, numa estrada a subir como a das casas do sonho ou pseudo sonho da teresa, al bum de noventa e dois, andrew, furacão, republica dominicana, madoff, doze do vinte e dois, drop out, digitais ou seja madoff indu air, aviões hindu, o americano que morreu num dos primeiros aviões deitados ao chao ?, o que não fora id publicamente?, rituais da vela latina ou na vela latina, do tridente do delta do nariz do diabo, mad o ff, proter e gamble, vizinha, vaso homem psd ligação a africa, norte do nino, mac can ericssom, queda da mac anne, ou seja morte de alguém do clã mac can, modelo grega, se calhar um da hélio, londres , caranguejo, as pinças do caranguejo, restaurante tailandez?, se o for está tambem relacionado com o primeiro tsunami, l´oreal, feira do livro de campo de ourique, onde vi depois a mascara do diabo escrita na tinta, relacionado com o fp, o dedo depois aponta nesse momento o miguel torga, ou seja alguém de coimbra ou de direito, aque andou em direito em coimbra, as vagas de calo, em junho e julho em paris, tres garras no peito , paris, sedução da masi bela das tres de paris, torres, furacão , katrina, ave don, espelho de paris, cruzes nas finanças em noventa e nove, roubo da ideia da brisa, br iss meca n inca da leitura, lolita de campo de ourique da igreja alema, relacionada com a o palácio da ajuda, , erário publico do grupo do lugar do anjo do urubu, eduardo lourenço, a pedra que rola, do grupo de Ulisses se de paris, defender, gb, Inglaterra, cio das crianças inglesas, bicos azuis, d pedro quinto, estrela, a moret da dulce dos gnosticos, outra vez o quadrado do tridente, masarati, o do masarati, azul escuro, do trovão, ou seja do raio que caiu do ceu, da banana , Chiquita banana, em cima da Chiquita banana, da vela, do silencio, a rapariga imagem da helena, lang, asteca, maia, nu sin e marie, do supermercado , por símbolos, estou partida, cuida de mim, a imagem da menina imagem de pompeia, na tentadora, no dia das quatro, ca fe , sio , acss , sindicatos, leis tribunais, polícia, id, rapaz da espionagem, broches e minetes, uma merda qual quer

O prime iro do toque nk l ov ro, acontece q ua ando falo das c on f us poe s na ira lan anda, e sta rec en te dam orte de o di poli cia se ant es de uma b em masi g ar v e, j aa qui bao rato do dado, por um es cu t ad o ant ti g on o es pi rito , de q ue am matança te ria oco r rid o por al gum e q ue fez o rum do am o ck, o use seja r e la cio n ado com ce r to s ritu a is, q ue q u ando oo u vi, o um el hor en t en di, com base no u l t imo dos r e la tori s f e it os s ob rea mata ança, par e cia indica car q ue te ria s id o f e i ton as forças armadas q ue ein te r v iram, acontece na linha do te mp o, a os sete , c in q u en ny t a e um, o use seja o set de c in q u anta e um, o se gun do d os do serpente dos om dos cios, o home do es pi rito dos o rac u l os, tebas, o h oe made ria da cib le, do arco, ou de c ib el es, mad riad, o use seja com da relaçao da primeira de madrid, e al can tara, o u seja da ponte com af ric ad don do norte, p o is ess e o si gn i f cia ado da pala av ra de o rige m ar abe, al can tara, maçon, ar n au t, br ad en b ur g, o u seja com da relaçao o u um c ur xa men to com dos maços al ema os, o r ep ps son s ave l t am b em pela min h a q eu b ra da face aos gn s o tico s, d ep o is v ema ani n h as, a nin h a é um abel a ra p riga q ue e ra ami gado da rita do lopes alves do s te mp o s do j am aica, c rei o q ue da lapa tam e b m, para, en god os dos fusos do natal, ob rig ad a , o sin al do t rin dente e ds s eta no da ova do vaso do quadrado do terceiro invertido, q ue é letra ar abe tam e b mo do vaso do indiana, ca pi c ua, bet as e es e r v os, nac ala homem do ano regia o do rei e da rainha, o use seja i mp li cado nas mortes q ue al i o co rr e ram, s o fr rie mn t os, i mage made ria da i g r e k j, ar e met ia para do circulo cc do libano, u l t imo e pi s o dido dag eu e ra com de israel, e de um homem morto, q ue me par e c eu s ero militar aca cat o lico q ue for am orto na com it iva, nu ma es t ra da as ub irc omo a das ca sas do son h oo u ps eu do sonho da teresa, al bum de n ove en venta e do is, au dr e w, f ur da racao da republica dominicana, mad o ff, do ze do vinte e do is, dr o po u ts, di gita is o u seja mad o ff indu air, avio es hi n du, o am e rc ian o q ue mao rr eu n um dos prime iro s avio es de it ado sao chao foice, o q ue n cão for a id pub lica mente foice tir ua is da vela latina o un ave da vela la t ina, do t rid do dente do delta don ar i z do diabo, mad o ff, pro t r e g am b le, v isi sin h ava vaso do homem psd liga da sao ao f ar ica, no rte do nino, mac e rc sic ss om da queda dam ac anne, o u seja az m orte de al gue made ria doc la mac can, mode elo da grega, se c la h ar um da he do lio de londres , caran g u jo, as das pinças do caran g u jo, r es t aura ra na te ta ila lan dez foice, s e o for e stá t am b em r e la cio n ado com o p rim ero ts un ami, l ap pt olo s serpente do circulo real, fe ira do l iv rid id e cam da p da ode o ur rique, onda do vi d ep o isa mas cara do diabo es c rita na t in tar e la i cona dc om do circulo da feder raçao portu guesa de futebol, o dedo d ep o is ap da ponta ness e mone to o mig u le do torga, o u seja al g eu made ria de coimbra ou de direito, aqui do q ue andou em direito em coimbra, as das vagas dec al rt o, em j un h o e ju l h o em paris, t r es g ar ra sn o pei to , par is, sed u sao da ma si bela da s t r es de paris, torres do furacão katrina, ave don, es pe l h ode paris, ce das ruzes nas fina aça s em no ove en t a en ove, ro ub o da ideia da brisa, br iss meca nin c ada lei r ur a, loi t ad e campo de ourique da igreja alema, r e la cio n ada com a o pala cio da j auda, e ra rio do publico dog do rup o do lugar do anjo do orubu, eduardo lourenço, primeira pedra q ue rola, dog rup o de u l iss es e de paris, defender, gb, inglesa ka da terra, c is o das c r ian ç as inglesas lea serpente dos bicos azuis, d pedro quinto, est r e la, am mor e td da primeira dulce dos gn s ot ticos, o u t ra c es o q quadrado do t rid do dente, masa rat ti, o do masarati, az u l es curo, do t rova o, o u seja do rai o q ue ca i u doc eu, da ban ana , chi quita banana, em c ima da chi qui ta ban ana, da ave da vela do silencio, a rapariga i mag e made ria da helena, lang, asteca, ma isa, nu sin ema da marie do supermercado , por s im b olo s, es to u p art id ac u id a de mim, a i mage made ria da menina i mage made rie de pompeia, na t en t ad or a, no dia das quatro, ca fe , sio s , acss , sin dc cat atos das leis e dos t rib un asi, pol i ca, id, ra p az da es pi on a ge m, br o che se mine ts, uma me e da q ua l q eu rato


E no inicio do video, morte de quinze crianças na alemanha, o rapaz das finanças, do pc, sible, arnaut, bradenbourg, sin di co es passado e alema rei chest tag, rei do ch es da tag, relaçao, omem ingles sexto forte, vírus cavalinho da chuva, ferrari, das chuvas, alemão, o corredor, filho para cuidar, direitos roubados, criança roubada, pedofilos, abusadores, vírus no pc, dcom icep, de dc, as da teresa puta, corrupção à canzana, ate matar, a senhora francesa, a norte di francês, escritório dc, luis, dezasseis, dezassete, dezoito, ou em sete de agosto de nove, ou nove agosto dois mil e sete, teatro montado, com meninas do tetaro do fantasma da opera, pérolas da carla bruni, o weber, o br aqui da tv, símbolo da bruni, crucificação, igreja, visao, one , mortos em irlanda do norte, ruiva , fence, a ruiva cordeirinho, , cinco seis, sete oito, ou estrela do sexto de setenta e oito, aacs, sabado, programa tv, aceleração r tp do ics cat ad up pa informação, lolita, lind al aime l art, violações de crianças e adolescentes, casa pia, clip dos bono, blody sunday, e aqui confusão, sete de cinquenta a e um , ou estrela do primeiro, o segundo do om dos s«cios,

E no inc io do v id e o, mor e td e q u onze c r ia nl ç as na alemanha, o ra p az das dina sç as, do pc, s ib le, ar n au t, br ad en bo ur g, sin di co es passado el ema rei chest tag, rei do doc do he s da tag da relaçao, omem ingles see x e to forte, vi rus c ava linho da ch uva, fe rr ari, da sc g uvas alemãs, o co r red o rf fi l ho para cu id ar dos direitos ro ub ado s, c r ia sn ç as ro ub a sd o a, ped di fi l os, ab suda dor es, vi r us no pc, dc om
O cabrão da delegação do icep em dc, o responsável pelo dc om


icep, de dc, as da teresa puta, co rr up sao a o can z ana, a te mata ra s en hor a f ar rn c e sa, a no rte da di do francês do escritório dc, lu si, dez ase is, dez a sete, dez o i te, o eu m sete de agosto de nove, o un ove em agosto do is m ile sete, te at ro mona td o, com meninas do t eta ro do fantasma da o pera, pe rola sd a carla bruni, circulo onze do weber, o br aqui da tv, s im b olo da bruni, c ru z i f cia são da igreja visao, one , ml r to s em irlanda do norte, ru iva , f en cea ruiva co r de i rinha, , c inc o se is do set e o i to, o u estrela do sex to de setenta e oito, aacs, s ab ado , por g rama tv, ac e lara sao ratos do tp do is aa c s cata d up a in for maçao, lol it a, lind al aime l art, viola ac ç o es de c rina s ç e ad ç l os c en te s, c asa pia, c l ip do s b on o, b lo dd delta do sunday, e ac u i c on f u sao, sete de cin q u en te a e um , ou estrela do prime rio, o se gun dodo do om dos serpentes argento dos cios,

nas calças, é visível o seguinte contar,

na sc al ç as, é v isi v elo se do gui n te c on tar,

o tridente do ro lex que é símbolo tambem do ro da lex, relógios, e marca um dia no ceu de lisboa, associado à letra coptica, co pt tica, da al, ph do primeira aposta, mais um vez se confirma que este merda, foi derivada a uma aposta, que estes assassinos fizeram, a aposta do abeto, seis st, da lua em crescente para cima voltada, treze, nono, dupla tríade dos olivais, m al ka do homem be cruz ars serpente, tar, hi serpente do energia em vaso da aa apostolo serpnete da ad be do ruah, se do he homem da primeira kim, e a letra que parace um quatro, cuja correspondência, é o sénior deacon, o deão, da issa char, do sessenta e nove, feito com os burros nos olivais, uma noite aqui relatado no Livro da Vida

o t rid dente do ro lex q ue é s im b olo t am b em do ro da lex, r elo gi os e ema rca primeiro dia no c eu del , sin os do lis boa, ass soci ad o à letra co pt ica, co pt tica, da al, ph do + prime ira da a posta, mais um v e zorro da sec on firma q eu de este merda, f o id e riva ada a uma aposta, q ue estes asa s sin os fi ce ram, a aposta do ae bt, se is st, da lua em c r es cente para c ima vo l t ada, t reze, nono, dupla t riade dos o l iv ia sm al ka do homem be cruz ars serpente, tar, hi serpente do energia em vaso da aa ap os t olo se rp nete da ad be do ru ak, se he, do homem da primeira kim, e a letra que par w ac e um quatro, cu j a c o rr es pon dec ia, é o s eni o r dea con, o dea do circulo da iss do ac do h ar, do sessenta en ove, f e it o com os b ur ro sn os o il via s, uma no ite aqui r e la t ado no L iv roda vaso da id da primeira ida

pelo livro das correspondências com estes símbolos, leio ainda , zero, seis, vinte e dois, sessenta e quatro, dezanove, cento e noventa quarenta e cinco, quarenta e seis, vinte e cinco, trezentos e vinte e cinco, do sessenta e nove, aries e virgo, arco iris, cento e um, dos dois centros comerciais, na ara kapa do energia do el, o trezentos e vinte e cinco de sessenta e oito, o das valquirias, o pr da ema do grupo da mulheres e deusas que mente, assim me desvelava o espirito depois , neste linha, ou a ela relativo, o p y rr do ho zoroastruanusn do en te rata par ren tesis, da teresa ac co mp da lish men da cruz do circulo do f seis r axa cruz work primeira, primeiro cop pt toco al ph da primeira aposta

p elo dol iv roda s co rr es ponde dec cia sc om est es s im b olo s, lei o a inda , zorro do ro, se is, vinte e do is, se s sena te q ua t rid id dez ano ove, c en to e en ove da inglesa venda do pato ur en ta e cinco, q au renta e se is, vinte e c inc o dos trezentos e vinte e c on co, do se s sena t en ove, a rie es se da virgo do arco iris, a psi, do grupo cento e um, dos do is c en t ros com mer rc cia is, na a ra kapa do energia do el, o t r e z e neto se vinte e c n co dd e se s senta e oito, o das v al q u iria s, o pr da ema do dog rup o da mul her es e de usa s q ue mente, ass im me d eve lava o es pei rito d ep o is , nest e linha, o ua el ar e la t ivo, o p y rr do ho zorro astrum anu sn do en te rata par ren tesis, da teresa ac co mp da lish men da cruz do circulo do f seis r axa cruz w ot kapa da primeira do primeiro cop pt toco al ph da pi rm e ira ap da posta

o deão da lua, e da banana, tres de cinquenta e um, o da tríade da estrela do primeiro, da vela, do vinte d dois tem correspondência com a palavra do video, dos bicos azuis, a referencia da reina no museus dos coches , rua pedro quinto, ou seja da zona do bando da estrela, envolvido ma morte da dulce dos grupo dos gnosticos, do silencio, ou seja fr, a rapariga da imagem de helena, lan gato astecas, maia, mu, atlantida, tita, da gine marie do supermercado, gine, quer dizer tambem puta, morto por símbolos, ou seja com ligação a escrita enformadora

o dea do circulo da lua, e da ban ana, t r es de cin q u en t a e um, u d at riade da estrela do prime iro, da vela, do vinte d do is te m c o rr es ponde dec cia com da primeira da ap al vaso do ra do video, dos bicos azuis, a refer en cia da reina no mu use se us dos coc he es da rua pedro quinto, o da produtora espanhola, o use seja da zona do bando da estrela, en vo l v id oma m orte da dulce do sg rup o dos gn os ticos, do si len cia o, it, o u seja fr, a ra pa riga da i mage made ria de helena, lan gato as da teca, maia, mu, at al ant id a, tita, da gi une marie do supermercado, gine, quer dizer tam b em puta, morto por s im b olo s, o u seja com liga ds sao primeira es c rita en for mad dor a

quando se desvela o tridente do masarati, que entre no vaso do deão, ou seja de italia, relacionado com o deão do zoroastas, a palavra diz, relativa à minha quebra junto aos gnosticos, aninhas, rapariga do tempo do jamaica, para, engodos, para fusos, do natal, maria cavaco e presépio, ou seja dos tremores de terra, do tsunami, ob rig ad a do deão, da perna esquerda, capicua da região do rei e da rainha,

q ua ando se d es vela o t rin det e do masa rati, q ue en t reno vaso do dea o, o u seja de italia, r e la cio na do c om o dea o do zorro as t as, o ap al v ra di zorro, r e la t iva à min h a q eu br a j un to aos gn os ticos, a nin h as, r ap a ro gado do te mp o do jamaica, para, em god os do para dos fusos, do natal da maria cavaco e pr e s ip pe io, o u seja do s t remo rato es de terra, do ts un ami, ob rig ad a do dea o, da pe rna es q eu rda, cap do pi c ua da regi a o do rei e da rainha,

e ainda uma terceira imagem se simboliza, onde se ve o tridente de neptuno, o delta do nazo, dos rituais da vela latina, mad circulo do ff, al bum de noventa e dois, furacões da republica dominicana, madoff, doze, vinte e dois, dos drop outs, ou seja do código binário, di gi t al do mad o ff da indu air, protor na gamble, vizinha, vaso do home do psd com ligação a africa, morte de nino

e a inda uma te rc e ira rai mage maior ms se s im bo l iza, onda se eve o t rin det e, o delta do nazo, nazi, dos ritu a is da vela latina, mad circulo do ff, al bum de noventa e dois, f ur ac o es da r e publica do mini c ana, mad o ff, doze, vinte e dois, dos dr op o u ts, o u seja do co di g o bina rio, di gi t al do mad o ff da indu air, pro tir na g am b le, v i z in homem da aba da ava vaso do home do psd com lia g ç al do circulo da primeira de a fr ica, cam da orte d en ino





chamei banana à lua nesta posição, pois um dos elementos do passe do nino passou pela queda de um isqueiro azul e prata aqui ao lado do prédio, que caiu por um movimento de um passarinho, ao lado de uma banana, e depois alguém os recolheu , o que não deia de dizer que foi feito em forma propositado, pois muitas coias ali esta e só essas foram recolhidas passados alguns dias, reparei nesse acontecer, que uma espécie de desenho na parede do prédio, em baixo, segunda cave , prefigura como que um cristo crucificado, ou seja a imagem falava de crucificação

c ham me i ban ana primeira lua nest a p o siç sao, p o is um dos el em n to sd o passe do nino p ass o up el da primeira queda de primeiro is q eu iro a az u le p rata aqui ao l ado do pr é di do circulo do que caiu, por primeiro mo vi men to de um p ass a rinho, ao l ado de uma ban ana, e d ep o is al g eu mos re co l he ur , o q ue n cão deia de di ze rato do que f o i f e it o em forma pre ep rosi t ado, p o is nm ut as co ia s al i e sta e s ó es sas do foram rec o l hi da s pa ass sad a s al gun serpente do dias, r ep par do rei ness e acontecer, q ue uma es pe cie de d es en h o na par rede do pr e di oe m ba ix o, se gun do ac ava , pr e figura com o q ue um cristo c ruci fi cado, o u seja a i mage ma iro do fala ava de c ru x ci fi do caçao

depois pelo espirito ouvi, vou-te velar, masi uma voz feminina, de uma senhora que trás pelos vistos a ousadia de me dizer que me vai velar, o u tentar faze-lo, como tantas vezes tenta, e nalgumas sobre determinados pontos deste contar, nas vezes o fazem, por processos múltiplos

d ep o is p elo es pi rito o u vi, vo u d traço da inglesa te vela ar, ma si um av oz fe me nina, de uma s en hora q ue t ra s p elo s vi st os a o usa dia de me di ze rato q ue me v a iv el da ar, o u t en tar f az ze do traço ingles do prime rio do circulo, com o t antas v e ze s t en ta, e en a sl gum as s ob re det r emi na sd os pontos de ste contra, nas v e ze s o f az em, por pro c ess os mul t ip primeiro os

tirai o cavalinho da chuva, que só o podereis fazer momentaneamente, e será sempre uma só gota na imensa teia com que tentais manipular todas as gentes, neste teatro imenso, que corre logo a tapar a verdade quando ela se afirma, vide , mataram quinze crianças na alemanha, desvelei eu aqui a verdade, e o que se viu de seguida em todos os telejornais, alinhamentos sobre o caso do fritz que manteve a filha cativa, assim se pretende desviar as atenções, abram os olhos, gentes!

Ti rai o c ava linho da c home da uva, q ue s ó o p ode reis f az e r mo men t ane ma en te, e se rá se mr pr e uma s ó g ota na i m en sa teia com q ue t en ta si m ani ip u l ar todo as a sg en t es, nest e te a at roi m en soque co r re l ogo a a tap ar a ve rda d we q ua ando el ase a firma de vide , mata aram quin ze c rina acs na al e manha, d es vele da lei eu aqui delta do ia da ave verde dade, e o q ue se vi vaso de se guida em todos os tele jo rna is, a l ina h mane neto ss ob reo caso do fr do ritz q ue man teve a filha cap at iva, ass em se pr e t en de d es via ra s at en ç o es, ab ram os ol h os, g en net e ts!

Vos dou uma outra informação sobre a moret das crianças, que deriva de uma das primeira imagens, que me apontou estar tambem alguém envolvido do tiro, em monsanto, alguém que pratica tiro em monsanto, portanto , provavelmente o operador do acto remoto da vontade, certamente alguém que terá feito tiro ao alvo, nessa altura, nesse momento, fácil de verificar, e que tambem pela natureza da imagem esteve implicado no big one, pois este pedaço da imagem e correlativo a um outro já aqui abordado, será o carpinteiro do big one

V os d o u uma o u t ra in f oma maçao s ob rea am mor e td as c rian ankas as, q ue der e riva de uma das prime ira i mage ns, q ue me ap on to u es t ra t am b em al gume en vo l v id o do tiro, em monsanto, al gume q ue p ra tica t iro em monsanto, porta anto , pro da ova da ave le mn te o o pera dor do ac to remo da oto da vontade, ce rta mente al gume q ue te rá f e i to t iro ao alvo, ness a al tura, ness e mone en to, f ac i l de v eri fi c cabo da ar, e q ue t am b em pela nat ti ur e za da imagem es teve i mp li cado no big one, p o is este peda aço da i mage me co rr e la t ivo a um outro j á aqui ab o r dado, se rá o car do pin da te iro do big one

De facto, senhora conseguiste velar parte de um oráculo que me apareceu no sonho de este domingo, mas não o suficiente para todo ele ocultar

De f ac to, s en hora co nse q u iste vela ar da rp da puta da arte de um o rac do culo q ue me ap ar e c eu no son h o de este do mingo, mas n cão o sufe cie en te para todo el e o cu primeiro tar

Big one, assim a voz da menina me dissera, ao acordar, no final do sonho, como se fosse uma menina real, aqui em baixo no pátio brincando, como se ela em seu jogos estivesse fazendo o eco do sonho, e a confirmar o seu conteúdo, ou melhor, aquilo que o referenciava,

Bi g one, as sima prime ria da voz da me nina me di iss e ra, ao ac o rda ar, no fi na al do son h o, com o se f os se uma menina real, aqui em ba ix on o pa tio br inca can ando, com o se el a em s eu j ogo s es t iv ess e fazendo o e co do sonho, e a c on fi r mar o s eu conte vaso do do, o u m e l hor, aquilo q ue o refer rec ni ava,


Numa praia nocturna, uma senhora e quatro meninas nadadoras, tipo profissionais da natação síncrona, faziam exercícios entre natação, de repente partem apressadas, i´m sorry, eu não sei porque me pede desculpa, depois vejo um pequeno aviao no ceu em dificuldades, tento ajuda-lo , vejo que se despenhou contra um prédio pequeno, vo a correr, estão mortos, há uma mascara neste com, como se a morte fosse atribuída a outrem, mas não é, a mu duro aparece e diz, que tem a ver com os assuntos irlandeses, mas noa, assim não parece, golfinhos, natação sincronização imagem de uma das photos ou dos zoom, num artigo sobre a ajuda dele no combate e cura de determinadas doenças, nomeadamente no que se chagam de atrasos, imagens mais recente do big one com o cessna , sá carneiro, a rai nin inglesa , day, inglês dia, baba, a carne, como que emergia em logo de uma parede, uma extrusao de carne, como um ferro de marcar vacas, mas que viesse de dentro da carne, formas extrusao, remete para o clip da madonna, das facas , por assim escrever dos triângulos com base no som, ou seja remete para o processo das frequências, masi correcto, para diversos processos que se operam vias frequências

Numa par rai aia da raia noc t urna, uma s en hora e q ua t ro me ninas na dado rea as, rip o pro f iss son nl a da nata sao sin c ron a, f az iam e x rec sic cio s en t re nata sao, de r ep en te p art em ap r ess ad as, i´m sor r y, e un cão se ip por q ue me do pede d es culpa, d ep o is do vejo um pe q un o avia on o c eu em di fi cu l dad es, t en to ajuda do traço ong ingles primeiro do circulo , vejo q ue se d es pen ho u contra um pr é di o pequeno, vo a c o rr e rato, es to a mor to s, h á uma mas cara nest e com, com o sea m orte f os se at rib u i d aa o u t rem, mas n cão é, a mu d ur o ap ar rece e di zorro, q ue te ema ave rc do om do os dos as sun to s ir lan dez es, mas noa, ass em n cão pa rece, gol fi n h os, nata sao icn c ron iza sao i mage made ria de uma das ph oto s ou dos zoo ns, nu mar trigo s ob rea ajuda del eno com bate e c ur a de det r emi minadas do enças, no ema dam que mente no q ue se ch aa made ria am de at ra s os, i mage ns maís rec en te do big one com do circulo do ce s san, sá car me iro, a rai nin inglesa , day, inglesa kapa l es dia, baba, ac rn ne em com o q ue e mer gi a em l ogo de uma ap rede, uma e x t ru sao dec carne, com do circulo do primeiro do ferro de mara c ar vacas, masque vi ess e de d en t roda car ne, formas e x t ru sao, reme te para do circulo do c l ip da madonna, d as facas , por ass em es c r e vaso rato do s t rina gulas com vaso com base no s om, o vaso do sej ar e met ep aa do aro pro c esso das fer q u en cia s, ma si co rr e c to para di dos versos pro c ess os q ue se o pera am vias fr e q u ê n cia serpentes

A imagem estranhíssima da carne que vem de dentro da própria carne, como um ferro quente, é a a imagem de um vulcão, um acabara nestes dias de se manifestar no mar, que é tambem descrição do processo dos tremores que depois dao origem aos maremotos, em termos da carne dos pequenos corpos, é tambem imagem de cancro,

A i mage m es t ra n hi s sima da car ne q ue eve em de d en t roda pro pr ia car ne, com o do primeiro do ferro q u en te, é aa i mage made ria de primeiro vaso do s emi circulo do primeiro cao, um ac ab ar a ness t es do Dias, de se m ani f es tar no do mar, q ue é t am b em d es c riç sao do por rc circulo do esso dos tremores, q ue d ep o is dao o rig em aos mar e mo oto s em te r mos da ca rne dos pe q eu en os corp os, é ta m b em i mage made ria de can circulo do ro,

Ouvira eu pelo espirito, a senhora dizer, estou tendo um caso, depois navegando dera com uma rapariga de costas com uma larga cabeleira assim tipo platina, de costas olhando um modelo homem, as letras diziam de que madonna estaria gravando um clip com um modelo de nome jesus no br e que ao que parece existia uma química real entre eles

O u v ira eu p elo es pi rito, a s en homem do ira di ze rato, es to u t en do pt tim rio do caso, d ep o is n ave gan do der ac om uma ra p riga dec o sta s com uma l arga cab e lei ira ass em t ip o p la t ina, de c os t as aol h ando um mode elo do circulo do primeiro homem, as das letras di z iam de que da mad o rn na es t raia g rav ando um c l ip com do primeiro mode elo de nome js e us no br e q ue ao q ue pa rece e x is tia uma quim mica rea al en t re el espanhol

A imagem que me aparecera no sonho, da extrusao da carne remetia para dois outros fios, o da madonna, via cama de infância minha e de meu filho, com poemas sagrados das terras do norte de africa, do logo da analuti, com o menino chorando na lua com um corno que lhe saia da face

A i mage mc q ue me ap ar e cera no son h o, da est rusa do usa sapo da car ne reme tia + para do is o u t ro s fi os, o dama da donna, karen via cama de in fan cia d mina h e de me u fi l ho, com poe emas sagrados das terras do don orte de africa, dol ogo da ana l u ti, com do circulo do menino ch o ra ando na l ua com do primeiro corno do q ue l he s aia da face

E do fio que a foto da reina no blog das mulheres e deusas trouxera, que se reflectira nas cenouras, aqui em casa, sendo este ultimo pedaço, eventualmente assim por terceiros dispostos, contudo o sentido não se altera, em sua leitura

E do fi o q ue a f oto da reina no b l o g das mul her es e de usa s t ro ux e ra, q ue se r efe l ct ira na s cenouras, aqui em c asa, s en do est e u l t imo ped dc sao, eve en tua le mn te ass em por te rc e iro s di s post os, cont u do o s en t id on cão seal te ra, em s ua lei cruz do vaso da cruz primeira uza


Grinalda, amendoeiras em flores, primavera, queda da ponte de entre os rios, a faixa violeta, ou seja as cores da igreja de O Cristo, e a coroa, de prata, ou seja, o ro da lei, do igreja de O Cristo, dos cristãos primitivos, do grupo que depois me apareceu , e do nome que assim se desvelou como sendo o próprio bispo de tessalonica, ou seja da grecia antiga, ou seja ligado ao grupo do Agostinho da silva tambem

G rina da alda al das amendoeiras em flo es, for mula one da flor espanhola da primavera da queda da ponte de entre os rios, a f a ix a viol eta, o use seja as co ra to ds a da igreja de O Cristo, e a coroa, de p rta, o vaso do sej do circulo do ro da lei, do igreja do ka de O Cristo, dos c r is tp o es prime irt iv os, do g ru do circulo do poquer, d ep o is me ap rec eu , e do n oe maior do q ue as si em se d es velo da lou com o s en do o pr rp rio bispo de te s sa l oni nica, o vaso do seja da grecia antiga, o vaso do seja liga do li gado ao g rup o do agosto tinho do silvam t am b em, silvam, cds,

Cenouras, qui em casa, estava o dedo mindinho, com a terceira parte como que separada, a ilustrar a imagem do dedo cravado na face da criança da ana luit , e assim diz, aspas ria is circulo do quadrado invertido da vesica deitada, do rol do ro da ola, do gel la do, estrela de seiscentos e um, ou seja da levis, ou do levy, duplo circulo do nono, de noventa e dois, junho, sessenta e um do circulo do set, hf, italia, noventa e cinco, do grupo de sessenta e oito, do levy, francês alemão, o sexto

C en ouras, qui em c asa, e stav a do circulo do dedo min din h o, com da primeira da terceira, ilha, p arte do cok do circulo do q ue s epa ra da, a i l us t ra rai mage made ria do dedo c rav ado na face da c riana ç ad a ana lui t e as s im di zorro, a spa serpenet da ria do is circulo do q au dr ado invertido da ave da isca deitada, do rol do ro da ola, do gel la do, estrela de seis dos centos e um, o vaso do seja da levis, o vaso do levy, duplo circulo do nono, de noventa e dois, junho, se s sena t e primeiro do circulo do set, hf, italia, n ove en a t e c on co do dog do rup da ode sessenta e oito, do levy, fr anc espanhol al ema do mao, do circulo do onze do sex t o


Pelo dedo assim como cortado da reina, ainda assim mais li, se do tt, to do te rato do reno, certamente da comporta, ou com relaçao ao grupo que para na comporta do tal falso arquitecto, ou falso maçon, vaso da up da el eva são do ajuste de contas da águia, ou com a águia, vaso it to da onda primeiro de oitenta e oito, infelizmente infiel, infernal, dedo, d edu, maior finger, ring finger, indicador, index, finger, anda mini mo ou min do dinho, do little finger, onda do polegar , thumb, do polegar da tumba, do túmulo da médée, ano nu l ar do ring finger, da mordidela no pequenino, a aranha que mordeu o pequenino, capitão gancho, az de sete, dois, do br, na semana do quarto dia, teia do zé na altura da lisboa bia noventa e quatro, poia de cao a frente do bar do lima, do cds,

P elo do dedo ass si mc omo co rta ado da reina, a inda ass em maís li, se d circulo do dot da dupla cruz t uber cu l o set da cruz do to do te rato do reno, ce rta e m n te da com do porta, ou com da relaçao, primeira do circulo do g rup o q ue para na co mp o rat do t al f al s o arquitecto, o u f al s o m a ç on, vaso da up da el eva são do a j u st e dec contas da águia, o vaso do com da primeira águia do vaso it to da onda prime iro de oitenta e oito, in fe lis que mente in fi do el infernal dedo, d edu, maio rato rf fi em ger, ring do finger do indica dor, in dec x, finger, anda mini mo ou min do dinho, dol it cruz le do finger dao onda do p ole gato da ar , t home primeiro do segundo do p ole g ar da tumba, do t u mul o da médée, ano nu l ar do ring finger, da mor dide de la no pe q un nino, primeira aranha q ue mor de u o pe q e u nino, c apit tao do capitão gancho, az de sete, dois, do br, na semana do q au rt o dia, teia do zé na altura da lis boa bia noventa e quatro, poia de cao a frente do bar do lima, do cds,

E seguem-se nas notas a sequência dos numeros que começa por cc , circulo do seis do vinte e dois de sessenta e quatro.... areis e virgo, arco iris, comes, silence, psi, relacionado com o grupo de levi, maio de sessenta e oito, ipf, conferencia, e por ai fora

E se g eu m do traço da inglesa se sena s ni t as a sec, ca non, un cia dos numeros que com eca por cc , c irc do culo do se is do vinte e dois de sessenta e q au t ro.... ar rei se da virgo do arco iris do comes e do silence, psi, r e la cio n ado com o gato do rup do circulo dao da ode do levi, maio de sessenta e oito, ipf, conferencia, ep da puer por rai for a

Ah senhora de meu coraçao, na noite primeira em que chegastes com vosso esposo a esta terra, depois de gravar o pequeno video, abri à sorte os textos de Agostinho, os textos e ensaios filosóficos primeiros volume e me saiu o texto da verdade na pagina cento e dezasseis, muito se me alegrou meu coraçao, não o vou agora transcrever na integra, mas sim seu primeiro parágrafo, este livro me voltou de novo aos olhos na altura dos confrontos na grecia no final do ano, com a morte de mais uma criança, nessa altura por eles com algumas outra palavras destes belos ensaios, a eles orei

A h s en hor ad em eu cora sao, na no i te prime ira em q ue che gás te sc om vaso do osso es poso a e sta da terra, d ep o is de g ra vaso da ar do circulo do aro do pequeno, vaso id é circulo ab ri à serpente da orte os dos textos dea gato do sotinho, os te x toe e en sa io serpente da filo sofi o circulo s prime iro serpente do ovo do lume e me sa i u o texto da ave rda dade na pa gina c en to e dez ase is, mui to se me al e grou me do vaso do cora sao, n cão o vo do vaso do agora t ra sn c rever na in te g ra, ma sim s eu prime iro para g rf fao, este l iv rato me v olo t vaso de n ovo a os olhos na al tura dos c on fr rin to s na grecia no fina al do ano, com da primeira da am orte de maís primeira criança, ness a al lu t ra por el es com al gum s outra pala av ra s d este s b elos en sa io s, a el es o rei

Senhor, ontem vi o teu milagre, muitos corações ganhaste à causa, muitos homens se voltaram por el ao caminho da salvação perfeita, ouvi choros e palavras que não eram de mágoa, mas da alegria de se verem junto de Deus aqueles que até esse momento tao longe tinham estado do grupo dos eleitos, mais eloquente que os conselhos e as promessas, pôde mais que os teus actos de bondade e os teus pensamentos de justiça, por eles re agradeço o que fizeste,

S en hor, on te made ria do vi o t eu mila gre, mui to s cora ç o es gan h as te à c au usa, mui to s h om en ns se vo l t aram por el ao ca minho da s alva sao per rf e i tao u vi ch o rose pal av ra s q ue n cão e rac maior de mago a, mas da al e g ria de se eve vere rem j un to de Deus a q eu l es q ue a té ess e mo men to tao do longe tinha ham es sat td do dog rup o do se lei to sd o ima si elo q u en te q ue os co nse l h os e as por m e s sas, p ô de maís q ue os te us ac to s de b on dade e os te us pen sam en t os de j us tiça, por el es re a g ra dezembro circulo do cortez, oo q ue fi ze de este,

Ontem senhora , descendo a rua, duas belas crianças africanas as paginas tantas vinha atras de mi, voltei a cabeça para com o sorriso a as cumprimentar, e a menina que na frente vinha de sua irma e de sua mae, trazia um curiosa camisa que dizia pop affairs, com uns circulo vermelhos sobre branco, depois a irma, passou por mim dançando como fazendo ballet em forma tao bela e graciosa que eu próprio dei por mim a brincar com ela fazendo mais ou menos os mesmos gestos, ela, muito seria a olhar-me, depois pensei isto tem a ver com o nino ainda, assim me pareceu, antes encontra outra senhora africana , em frente a padaria, do possolo, vestida com uma bela capulana e com um bebezinho muito pequenino que estava num fato de leopardo, que me sorri todo por dentro a vê-la, , hoje pela tarde do muro do jardim dos quatro cantos do mundo, o padrão de circulos vermelho se tinha transformado em corações vermelhos que ali poisavam num estendal de uam cas contignua a de goa

On te m s en hor ad es c en do ar ua, du as cb belas c ruan ç as a fr i canas as das pa gina serpente da cruz das antas da vinha at ra sd emi, vo l teia cab el a para com do circulo do sorriso, as cu mp rim en tar, e am eni nina q ue na fr en te da vinha de s ua irma e de s ua mae, t ra z ia um cu rio s ac ca misa q ue di z ap o p af fair s, com un s cir culo vermelhos s ob re br anco, d ep o isa irma, p ass o up por mim dan cna ado com o fazendo ba ll e t em forma tao be la e graciosa q ue eu pro p rio di por mim a b rin c ra com el a fazendo maís o um en os o s m es mo sg es to s, e la, mui to ze ria a o l h ar do traço da inglesa me, d ep o is p es nei is to t ema ave rc om circulo do nino primeira inda, ass em me par e c eu, ant es en c on t ra o u t ra s en hor a fr i cana , em fr en te a pad rai, do p os sol olo do onze, v es tui do ac om primeira bela cap u l ana e com um bebe z in h om u it o pe q u e nino q ue e stav num fat ode leo do prado, q ue me sor ri todo por d en t ro ave lis, h oje pe la t arde dom ur o do jardim dos q ua t ro can to sd o mundo, do circulo do padrão de circulos vermelho se da tinha t ra ns for mad oe em cora ç o es vermelhos q ue al ip o isa ave m n um es t en d al de uam cas conti gn ua a de goa

Impressionante a manha que sempre se desvela!!!!

Antes em véspera pela noite já alta retornado a casa depois de um passeio ao jardim, ao péd o trinat e cinco, encontra uma fita de uma folha a quatro com um estranho dizer, vacios, ok (24), ou vc cios do circulo da kapa do en te rata pr ren te sis do vinte e quatro horas, da tele do jornal, e li no poste onde outrora alguém pusera uma laranja e que depois ardera, ao pé da escola, duplo deus, treze, tríade da estrela de noventa e nove,

Ant es em vaso da es pera pela noite j á al t a retornado a cas d ep do posi de primeiro p as do seio da primeira do c irc uk ki id o jardim, ao péd o t rina te c nc o, en c on t ra primeira fita de uma f o l h aa quatro com do primeiro es t ra anho di ze r, v ac io s, o k (24), ou vc cios do circulo da kapa do en te rata pr ren te sis do vinte e quatro horas, da tele do jornal, e li no do poste onda o u t ro ra la guy p use ra uma lara anja e q ue d ep o is ard e ra, ao pé da es c ola, d up lo de us, t r e ze, t rat iad do circulo da estrela de n ove en venta t a en ove em noventa e nove,




Sabes senhora de meu coraçao, fiquei a pensar naquela linha que te contei, de ao que parece alguns no congresso, pretenderem sujar meu nome, ou algo assim, na realidade, se me entregasse a tais estranhas tarefas, o poderia eu a eles fazer, pois me recordei, que mais uma vez nem resposta tive, a carta que lhes enviei, masi avisado, seria pensar se tambem não teria primeiro que sujar o correio electrónico, aqueles que disponibilizam o processo, mas nem será este o caso, pois a missiva , ficou no campo próprio da pagina própria, a na ser que fosse falsa, um duplicado, ah senhora medos, pouco, nadas, grandes e pequenos, este mundo que trago para te oferecer, tao de pernas para o ar, onde tantos se entregam em constância a torpedear os outros, e a infeliz experiência acumulada de ter visto nas vezes o amor em parte destruído por maos alheias, a única diferença, talvez mais experiência, mas a mais experiência nunca é garantia total de protecção eficaz, e se te posso sempre proteger e te protejo, pelo amor em que te trago, nem sempre te faço em toda, imune a maldade externa e alheia, pois para alem de meu julgar, sempre o teu existe, mesmo quando somos enganados a mal julgar, e na esperança e voto do amor que assim nunca nos aconteça, e na esperança e no voto de amor, que pela nudez entres os amantes, a luz sempre se afirme às sombras, pelo voto leal da lealdade

S ab es s en hor ad em eu cora sao, fic q eu ia p en sar na q eu la linha q ue te conte id e ao q ue pa rece al gun s no c on grés es s o, pr e t en der rem s u j ar me un om meo u al g o a ss si mna r e la id ad e, se me en te r g ass e a tais es t ra anhas tar e f as, o p ode ria eu a el es f az e rp o is me recorde i, q ue mais uma ave z ne m r es ps ota t iv e, ac art a q ue l he s en vie ima si av isa sado, se ria p en s ra se t am b em n cão te ria prime iro q ue s eu j ar o co r rie io el e t ron nico, aqueles q ue di sp oni bil z amo pro c esso, mas ne m se rá este do caso, p o isa miss iva , fi co un o cam po pro p rio da pa gina pro pr ia, ana ser q ue f os se f al sa, um d up li cado, a h s en hora medos, p o u co, n ada sg r anes e pe q eu en os, este mundo q ue t rago para te o fe rec e r, tao de per na s para o ar, onda t anto s se en t r ega g am e m co ns tan cia a top rea dr a os o u t rose a a in fe liz e x pe rie w en cia ac u mula ada de t e r vi s ti nas v e ze s o am o rem p arte d es t rui id o por mao s al he ia sa única difer en ç a, t alvez mais e x pei rn e cia, masa mais e x per i en cia n unc a é gara n tia total de por te sao eficaz, e sete p os s o se mp r e pro te ger e te pro te gop elo amo rem q ue te t rago, ne m se mp r e t e f aço em toda, im une a m al dade es t rena e al he ia, p o is para al e made ria de m eu j u l g ar, se mp reo t eu e xis te, me s mo q ua ando s omo s en g ana do sa m al j u l gare na es pera ança e v ot ro do amo r q ue as si m n unc primeira ano s ac on teca, e na es pe ra ança e no v oto de am o r, q ue pe la n u dez en t r es am ante es, a l uz se mp rese a fi r me às s om bras p elo v oto lea l da lea la dade

Na realidade masi que o nervosismo vir da imagem do poema do arnaut, ele vem , ou está relacionado com o evento da queda das torres em nova Yorque, e com beslan, hoje no telejornal, o socrates e a edite estrela, numa reuniao, o pormenor era elucidativo, um papel dobrado em sua mao, equivalente ao que eu trago com este assunto dentro de um dos meus cadernos, masi uma vez a dizer, primeiro que me continuam espiar, que me deitam substancias para dormir, pelos dias em meus passos, e que depois entram cá em casa, e fingem que não, e mantém toda esta ilegalidade, sobre o roubo de meu filho e de meus direitos, filhos da tremenda puta

Na rea li dade ma sic q ue o nervo do sismo vi r da i mage made ria do poe ema do ar nau da cruz da tele eve emo do mo u e stá r e la cio n ado com do circulo do evento da queda das torres em nova delta da orc ue, h oje no tele j i rn al, o soc rat es e a e dite da estrela, nu ma da reuniao, o por m en o r e ra e lu c id dat ivo, primeiro pap el do brado em s ua mao, e qui iva do lente ao q ue eu t rago com este as sun to d en t rode um do s me us cade rn os, ma si um ave z ad di ze r, prime iro q ue me conti nu am a es pi ar, q ue me de it am s ub stan cia s para dor mir, p elo serpente do dias em me us p ass os, e q ue d ep o is en t ram cá em c asa, e fi n ge m q ue n cão, e ma man te m toda e sta i le gali dade, s ob reo ro ub ode me u fi l h oe de me us do direito serpente dos filhos da t rem muito do quadrado do dad da ap da puta

O menino dos vizinhos do ps da papelaria, é que trabalha para uma firma de advogados, dos mais importantes, segundo suas próprias palavras um dia me contaram, com representação de interesses espanhóis, disse ele um dia que se fartava de levar os sócios ao aeroporto e ir buscar clientes, ou algo assim

O m eni nino dos vi z in h os do ps da pap e la aria, é q ue t ra ba alha para da primeira da firma de ad vaso dv do circulo dos gados, do s mais i mp orta ant es, se gun do s u as pro pr ia s pala av ra s um dia me conta ram, com o r ep r es en taçao de inter ess es es pan ho is, di s se el e um dia q ue se f art av ca de l eva aros soci s o sao aero pro oto e i r b us car c lie en te s, o u al g o as si m

É impressionante, este despudor, oficialmente, pois são gentalha que leva cargos oficiais de desgoverno, nada fazem, me trazem as portas todas fechadas e a nada me respondem, e depois vao para os meios de comunicação com estas encenações, que só provam cada dia que passa, o seu envolvimento como cúmplices

É i mp r ess sio na te, este d es p u dor, o fi cia l mente, p o is são g en t alha q ue l eva cargo sofi cia is de d es g ove r no, n ada f az em, e me t ra ze ema s portas todas, f e ch ada sea ana dame r es ponde me d ep o is vao para os mei s ode com un cia sao com e sta s en cena ç o es, q ue s ó pro ova vam da am c ada dia q ue p ass a, os eu en vo l vi em n toco mo cu mp l ice es

E se diz o home ser primeiro ministro de portugal, depois o senhor do psd no jardim de sua casa, vinha dizer, que estes assuntos, referindo-se a outros que eram para ser tratados a porta fechada, quando trazem todos cumplicidade neste atentado a liberdade, aos direitos democráticos e são cúmplices com roubos de crianças e abusos infantis, paulo portas, falava de que era uma humilhação, uma continua humilhação, para o provedor de justiça, o que na aparência leva o cargo, mas que tambem a nada responde, quando deveria tambem ele velar pela garantia dos direitos dos cidadãos que habitam este pais de putas corruptos e bandidos

E se di z o h om me ser primeiro ministro de portugal, d ep o is o s en hor do ps dn circulo do jardim dd es ua cas, vinha di ze rato, q ue est es as sun to s, refer indo do traço ingles da sea da primeira de outros, q ue e ra q m para ser t rata do sa do porta f e ch ad a, q ua ando t ra ze made ria todos cu mp li cidade nest e a t en t ado a liber dade, a os de direito serpente demo c rat ti co se são cu mn p li c es com dos roubos de crianças e ab us os on fan t is, paulo p rta s, f ala ava de q ue ra uma h u mi l h a sao, uma conti n ua h um ilha sao, para o por vedor de j us tica, o q ue na ap rec ni al eva do cargo, masque t am b ema na da r es pod e, q u en do d eve ria t am b e m el eve lar do pele, br, gara n tia do serpente de direito s dos sc id dos dados, poker, q ue h ab bit am e este pa is de putas co o r up pt as e ban dido serpentes


Suas putas, todas , de todos os partidos políticos, que são putas bandidas, pois como todos no mundo sabem que se comportam fora da lei, como amplamente e em forma exaustiva, aqui provado, sem que respondessem a uma questão que fosse das mil acusações que aqui neste Livro da Vida vos tenho posto

S ua das putas todas , det todos os dos p art id os poli ticos, q ue são putas ban dida s, p o is com o todos no do mundo s ab em mse comporta am, co mp porta orta am, for ad primeira da lei, com o am p la que mente e em for ma e x au s t iva pro ova rova do, se maior do q ue r es ponde ss ema primeira q eu s to aqui do q ue da fosse das mil ac usa ç o es do q ue aqui nest e L do nono da roda vaso, id av os st cruz en homem do circulo do post


Suas putas todas, de todos os partidos políticos e de todas as organizações que existem neste pântano de corrupção de verdadeira mafia que se estende por todo o lado e por todos os organismos, nao só do estado como ordens distintas, pseudo fraternas e de classe, , vós tendes feito cabal prova de que são pura mafia e mafiosos, pois este caso, prova como as vossa suja patas de corruptos que sois , se estendeu e estende a todo o lado

S ua s p ur as todas, det todos o sp rt id os poli tico sede todas as o r g ani iza ç o es q ue e xis te em neste pan cruz do ano de c o rr up sao de eve rda de ira m a fia q ue se es t en de por todo o l ado e por todos do circulo do sor g ani sm os, noa s do circulo do estado com do circulo das ordens, v ó s t en de s f e i to ca bal por vaso ad e q ue são p ur a ma fia e ema fio s os, p oi s este caso, pro da ova com o as vo s sa s u j a pata sd e corruptos q ue s o is , se es t en de ue es t en dea todos do circulo do primeiro ado

Muitos de vós estais assim com sangue e muito em vossas maos, muitos de vós irao ser acusados de crimes contra a humanidade, pois a matança de alguns de vós e de todos os outros que os cobrem, é muito grande e de todos vós, faz delas cúmplices em distintos graus, mas todos passíveis de acção , enquadramento e moldura penal

mu i t os de v ó s es tais as si mc om sangue e mui to em v os sas mao s, mui to sd e v ó s irao ser ac usa do sd e dec cc rim es c on t ra a h uma ni dade, p o isa mata ança de al gum sd e v ó sede todos os dos outros q ue os cobre br rem, é mui to g rande e de todos v ó s, f az del as cu mp l ice es em di s tinto sg ra us, mas todos p ass iv e is de ac sao , en q ua dr am en teo e mol dura p en al

e o psd que não venha com tretas de que estes assuntos se tratam a porta fechada, pois a luz do mundo é una e de todos e estes crimes se estendem por muitos e variados territórios como todos sabem, e até agora é mais do que claro, que todas as portas legais, onde estas matérias se tratam, os crimes, tem estado por vossas todas maos fechadas, e portas fechadas, nem abertas estão, pois eu me dirigi a todas, e todas foram por vós e por vossos tentáculos, de todos os partidos e organizações, fechadas, e faz isto prova cabal de como a vossa corrupção é transistemica, e se estende a todos os organismos do estado português, nomeadamente aqueles que as leis garantem a independência, para que exactamente assim as coisas não se possam passar, ou se passem muito mais dificilmente e ao psd, digo o que sempre disse, que é a mais grave acusação que trago contra vós, pois nema sá carneiro e seus acompanhantes vocês garantiram justiça, e se tornaram assim como todos, cúmplices tambem destes assassinatos

e o psd q ue en cão v en homem do ac om t r eta sd e q ue est es as sun to s se t rata tam da am primeira porta f e ch ad ap o isa l uz do mundo é un a e de todos e est es c rim es se es t en de mp por mui to ze v aria do s terri tóri os com o todos sabem, e a té agora é maís do q uec l aro, q ue todas as das portas le gai serpente da onda e sta s mate ria serpente da se t rata tam da manha, os dos crimes, te maior do estado por v os sas todas mao is f e c h ad as e portas f e c h ada sn em ab e rta s es tao, p o is eu me di rig ia todas, e todas foram por vaso ó se por v ossos t en t ac u l os, de todos os par id os e o r g ani iza ç o es, f e c h ada se f az is to pro da ova ca bal de c omo a v o os a co rr up sao é t ra n sis te m nica, e se est en dea todos os o r g ani s mos do estado portu g eu s, noe ema da e m n te aqueles q ue as leis gara n te ma inde pen den cia, para q ue e x ac cat ae m n te ass sima s co isa n cão se p os sam p ass ar, o use p ass em mui to maís di fic ile mn te e ao psd, di g oo q ue se mp r e di s se, q ue é a maís g rave ac cio usa sao q ue t rago c on t ra v ó s, p o is nema sá caren do rio e se us ac om mp anha ant es vo c es gara n t iram justiça, e se tor na aram ass em com o todos, cu mp l ice es tambem de st es as sa sin atos

e ao cds, segundo percebi das meias palavras de hoje no telejornal do canal dois, que a todos vos caracterizam este modo impossível de tratar assuntos de justiça, parece enato que portas dizia ser o guedes, o elo de ligação com alguns eventos que aqui tenho mencionado das guerras que me fazem desde pequenino, e especificamente nos olivais no tempo do liceu d dinis, e tambem este ultimo atentado que vos relatei, e vos digo a todos, todos vós vos deveriam comportar pela primeira vez em vossas vidas como homens e reconhecer os imensos pecados que tem cometido contra as gentes de portugal ao longo deste trinta últimos anos, e contra o pais em si mesmo, e depois entregar os bandidos a justiça, como deve ser , pois assim são as leis, e ainda executarem o que a algumas luas atras, alguns de vós políticos mesmo disseram, que foi , se calhar o melhor seria criara um período de suspensão da democracia em portugal, para que de novo ela pudesse ser semeada em forma correcta, garantindo a liberdade e o respeito pelos direitos das gentes, recordo-vos que foram alguns de vós que avançaram há tempos com esta ideia, e não eu, que suspensão de democracia é sempre coisa que me arrepia, contudo nós não vivemos numa, vivemos num estado mafioso, e portanto algo de profundo tem que se fazer, para a limpar , de uma vez por todas, coisa eu todos vocês demonstram ao longo de décadas serem incapazes e pior não estarem nem interessados em faze-lo, pois assim perpetuam as vossas manhas e os vosso polvos

e ao cds, se gun do per rc en bi das meia s pala av ra sd e h oje no tele jo ra nl do can l do is, q ue a todos do vaso os ca rac teri iza am este mod o im mp os s iv el de t rata ar as sun to s d e j us t ila, pa rece en tao q ue ota s portas di z ia s ero guedes, o el o de li g ac sao com al gun s eve en to s q delta do e aqui t en h o men cio n ado das guerras q ue me f az em de sd e pe q eu nino, e es pe ci fi cam que mente no s ol iva sino te mp o do lic eu d dinis, e ta am b em este u l t imo atentado q ue v os r e la te i, e vo s di goa todos, todos v ó s vaso os d eve r iam comporta ar pe l a prime ira ave ze maior vo s sas v id as com o h om en se rec on he ce rr os si men s os p eca cado s q ue te mc om met ido c on t ra as gene ts de portu gal ao longo de st e t rin t a u l t imos anos, e c on t ra o pa is em sio me s moe d ep o is en t r e g ra os bandidos a j us tica, com do circulo da ode eve ser , p o is as si m são as le ise a inda e x e c u t ar rem emo q ue a al gum as lua t ra s, al gun s d e v ó s p loi toc s me s mo di ss e ram, q ue f o ise calha ar aro mel hor se ria c ria ra um per rio dd e s us pen sao da demo c ra cia em portu gal, para q ue de n ovo el a p u de s se ser semem ad a em forma co rr e cta, gara n t indo a liber dade e o r es pei top elo s direito sd as gentes, rec o r dodo traço ingles do vaso os q eu do foram al gun s d e v ó s q ue avança ram h á te mp os com e sta id deia, en cão eu, q ue s us pen sao de demo c ra cia é se mp rec o isaque me ar r ep ia, c on tudo nó a não v iv emo s nu ma, v iv emo sn um eta do ma fio s oe porta anto al g ode pro f un do te m q ue se f az e r, para a li mp ar , de uma ave z por todas, co isa eu todos vo c es demos sn t ram ao longo de dec ada s se rem inca p az es e piro n cão es t rem ne min teressa dos em f az e do traço ingles primeiro do circulo, p o is as si m per rp pet uam as v os sas manhas e os v osso dos pol vaso os

e depois senhores, excelentíssimas putas, ladroes de crianças e cobridores de pedofilos e abusadores de crianças, não tenho eu que perder meu tempo a tentar descodificar dia a dia as vossas diagonais e sempre insuficientes tentativas de resposta a tao graves acusações que com justiça contra vos tenho vindo a fazer ao longo dos dias, só a forma dominante e constante em que não as dao, é prova da vossa incapacidade de actuar de acordo com as leis que este pais trás, e tambem demonstração cabal de que não podem , nenhum de vós exercer os cargos públicos que dizem exercer, pois todos os dias fazem prova de todos de não trazer espinha vertebral direita

e d ep o is s en hor es, e x cel en ti s simas putas, l ad ro es de c r ina ç as e co br id dor es de pedo fi lo se dos ab usa dor es de c r ina acs, sn cão t en ho eu q ue per der me u te mp o a t en tar d es co di fi car dia ad ia as v os sas dia g on a ise se mp r e i n sufe cie en t es t en tati iva s de r es posta a tao g rav es ac usa ç o es q ue com j us tica c on t ra v os t en ho v indo a f az e ra o longo dos di sas, s ó primeira do foram do mina ante e co ns t ante em q ue n cão as dao, é pro da ova da v os sa inca pa da cidade de ac da tura de ac o r do c om as das leis q ue este pai ap oto l o serpente s t rá se t am b em demo ns t raçao ca bal de q ue n cão p ode em , n en h um de v ó s e x e rc ero s cargos publico s q ue di ze m e xe rc e rp o is todos os do dias f az e m p rova de todos de n cão t ra ze r es pinha verte br al direita

vos disse no texto anterior do móbil da tentativa e do método da acusação que contra mim muitos de vós de todos os quadrantes lançaram, neste ultimo período conturbado do mundo, e masi acrescento , que para alem dessa principal motivação, que passava por ter desde o inicio um lista de bodes expiatórios, como em outras vezes aconteceu, é tambem evidente e móbil, o facto de que muitos pelos sucessivos roubos que me tem feito e através dos quais enriqueceram, que seria de toda a conveniência, e masi se tornou , imperativo, a partir do momento em que eu comecei a me desvelar através deste Livro da Vida, a necessidade de me calar em foram definitiva de forma a se protegerem a si mesmos, e as bandidagens que sempre me fizeram, portanto estamos aqui num situação de dois em um, ou seja duas ordens de motivações foram o móbil da tentativa de me incriminarem como autor do terror do mundo, e isto é muito claro para todos, e mesmo que subsistam algumas duvidas sobre algumas da autorias que eu tenho reclamado, relativas ao passado, qualquer um que saiba ler, ve o que eu criei e com todos partilhei ao longo deste anos, e todos saberão julgar , se eu na realidade sou um criador, ou não, e por outro lado ainda, se algumas do passado não estão averiguadas, é porque o vosso pântano da corrupção, tem na pratica negado a justiça, pois se ela me fosse feita, vossas manhas e vossos actos de constante perseguição, ficariam descobertas

v os di s se no te x to ante iro rato do mo bil da t en t av vita e do met o do da ac usa sao q ue c on t ra mim mui to s d e v ó s det todos os q au dr ant es lana ç aram, nest e u l t imo per rio do c on t u r b ado do mundo, e ema si ac r es cento , q ue para al em de s sa p rin cip pp pal mo t iva sao, q ue p ass ava por te rato de sd e o in ni cio primeiro do onze do ista de bode s ex pi a tori as, com o oe emo mo de outra v e ze s ac on tec eu, é t am b em e vi dente e mo bil, o f ac to de q ue mui to s p elo ss u c ess ivo s ro ub os q ue me te m fe i t o e at rav es do serpentes do quais, enrique ce ram, q ue se ria de toda a c on vini ne cia, e ema si se torno u , i mp e ra t ivo, a p art tir do mo men to em q ue eu com e ceia me d es vela ar at rav es de st e L iv roda V id a, a ne da necessidade de me cala rem do foram de fi ni t iva de forma ase pro te ger rem ema si me s mose sea s ban dida ge ns q ue se mp reme fi ze ram, porta anto est amo saqui nu primeiro a is t au sao de do is em um, o use seja du as das ordens demo emo t iva ç o es for aqui mo móbil da t en tati iva de me inc rimi ina rem com o au ot r do te rr o rato do mundo, e is to é mui toc primeiro aro para todos, me s mo q ue s ub sis tam al gum as du v id as s ob rea al gum as das autorias, q ue eu t en ho rec lam d ar e la t iva sao passado, q ual q eu rum q ue sa iba ler, ve o q ue eu c rie i e c om todos p art ti le hi irao longo de ste ano set td os s s abe ra o j u l g ar , se eu n ar e la id e es o u um c ria dor, o un cão, e por o u t rol do ado a prime ria inda, se al gum s d o passado n cão es tao ave rig ua da sé por q ue o v osso pan t ano da co rr up sao, te mna pra tica ne gado da primeira da justiça, p o is se el am me f os se f e i t a, v os sas manhas fi car iam das descobertas

e ficarão, não tenhais ou trazeis a mínima duvida sobre este assunto, pois eu sou pai, e não abandono meu filho, e pretendo a justiça que me é devida, e ao que saiba sou ainda cidadão deste país

e fi cara on cão t en há is o u t ra ze isa mini ma d u v id a s ob re este as sun top o is eu s o u pai, en cão ab ban don om eu fi l h oe pr e t en do a justiça q ue me é d e v ida e ao q ue sa iba s o ua inda cida dao de st e p a ís

e os senhores não podem continuar a desempenhar vossas funções publicas, as cabeças actuais dos partidos, tem que ser substituídas, como prova e penhor da vossa intenção real de modificar este estado que todos juntos tornaram pantanoso e devolver o poder a quem por democracia o deve ter, as gentes

e os s en hor es n cão p ode em conti nu ar a d es em en h ar v o ss a fun ç o es publica s as cab eça s ac tua is dos p art id os, te m q ue ser s ub st ti u id as, com o por v a e pen hor davo s sa in t en ç º ao rea l de mod i fc ar este eta do q ue to s o j un to s tor na ra pena t ano s oe d evo l v ero p ode rac q eu mp por demo c ra cia o de eve te ra sg en t es

e essa fitinha de mau cinema que manteis e trazeis ao longo deste últimos oito meses, ou por aí relativo ao provedor de justiça, para alem de ser prova cabal de como se borrifam nos direitos que as leis consagram pelo regime as gentes deste país, tem sido mera cosmética, pois nem o anterior garantiu a um cidadão, eu que aqui vos escrevo, a defesa dos seus direitos, e todos sabemos como não vao em geral todos os órgãos de justiça deste país, de como a justiça padece de doença crónica que a tronou a todos injusta, com excepção daqueles que se crêem poderosos

e ess a fit tinha de m au cine ema q ue man te ise t ra ze isa o longo de ste u l t imo s o it om es e s, o u por a í r e la t ivo ao por vedor de justiça, para al e made ria de ser pro dao ova do ca do ab do bal dec omo se bor rif am no serpente de direito, serpente do que as das leis c on sa g ram p elo do r e gim e as g en st es de st ep á is, te maior sid om mer a cos met tica, p o is ne mo ante rio r gara n ti ua um cida dao, eu q ue aqui v os es c r evo, a d e fesa dos se us direito set todos s abe emo sc omo n cão vao em ger al todos os órgãos de j us tila de st ep do p a ís de com o a justiça pad dec e de do ença c ron ica q ue a t ron o ua todos in just ac om e x cd ep sao daqueles q ue sec rem p ode dos roços

ao ler o poema da acácia, assim a visao mais desvelou,

sobre o helicóptero da sic que andava no ar naqueles dias e que me seguiu por diversas vezes, na zona de belas, pedro marques lopes, ou o pedro do marques lopes, santana lopes, a serpente da anta da ana do lopes, a pedra do lopes, a pedra tumular do lopes, mul ar burro da ar, o burro da ra, o ob circulo do ponto vermelho da primeira do bar do ra da marino, mar rino, o tam do pao do io do sangue, o tam pam , circulo da cruz am pam, a ra do marinho, do es toiro, da atocha

s ob reo do he li cop pt ero da sic q ue na dv a no ar na q eu l es do dias e q ue me se gui u por di das versas vaso e ze espanhol, na zon , prima ira de belas do pedro mar do vaso do quadrado espanhol do lopes, o u o do pedro do marques lopes, santana lopes, a serpente da anta da ana do lopes, a pedra do lopes, a pedra ti u mul da ar do lopes, mul ar burro da ar, o burro da ra, o ob circulo do ponto vermelho da prime ira do bar do ra da marino, mar rino, o tam do pao do io do sangue, o tam pam , circulo da cruz am pam, a rata da cruz , primeira do marinho, do espanhol toiro, da atocha

a reina, a reina do curry cabral na noite em que meu filho nasceu, do curry do cabril, carril curry, arroz, do circulo do zola, do palerma da conferencia do ipf, o homem que estava com ela será o pai de sangue do francisco?, o home do irao, da komeni, kapa do om , co do com da eni, empresa espanhola da ova da energia , o do largo do rato, a flor da ac à cia e os sin a is da semem da te serpente da te do mp primeiro circulo, a te do miguel portas, a teresa dias coelho, co rato rei circulo da manha do angulo do ho, cruz angulo do homem do circulo do natal, do ts un do bar do rá do ami, do fernando, se id do circulo da ler, o vie gás do no serpente, em bolos, a russa, ou melhor a português que esta casada com um russo, pintora que uma noite apareceu na casa do viegas, e no serpente do ritu dos ais das dor espanholas om mit ode homem do irao, e os do europeu do e xe do miguel, portas puta primeira do primeiro circulo, c on he cartaz india, do circulo dele, do homem da india, e do zénite, polar e egípcio

a reina, a reina doc ur r do delta do cabral na no it e em q ue me vaso do fi l h o n as c eu, do c ur r delta dodo c abril, ca rr i l c ur r y do arroz, do circulo do zola, do pal e r ma da c on feren cia do ipf, o ho e m q ue e stva com el a se rá o pai de s en g ue do fr anc isco da foice, o home do irao, da ki m eni, kapa do om , co do com da eni, em presa es pan hola da ova da energia , o dol argo do rato, a flor da ac à cia e os sin a is da semem da te serpente da te do mp primeiro circulo, a te do miguel portas, a teresa dias coelho, co rato rei circulo da manha do ang u l circulo do cortez, o do ho, cruz angulo do homem do circulo do natal, do ts un do bar do rá do ami, do fernando, se id do circulo da ler, o vie gás do no serpente, em bolos, a russa, ou mel hor a por tug u es q ue e sta ca sad ac om um russo, p ino ota, pin em tora, que uma no i y e ap ar e c eu na c asa do viegas, e no serpente do ritu dos ais das dor espanholas om mit ode homem do irao, e os do europeu do e xe do mig eu l serpente do portas da puta primeira do primeiro circulo, a ruiva, circulo em he do cartaz da india, do circulo dele, do homem da india, e do zénite, polar e egípcio

ab ro circulo do angulo vaso do ro do sá, gara ra primeira id do al tar, tejo tar do alter , chao do alentejo, e com do circulo do espanhol pato do quadrado da ua do pr circulo do pro e circulo do com do passo, com paso, o louco, o falso arquitecto, da es circulo do cu do br do circulo do vaso id da primeira , q eu serpente do acento no O in tim elevado vaso dao rato da gula, primeira in ti miss ima com uni unhao, nine inc homem das unhas , rr, do no do osso da abraço, da guida, a gorda, dezoito com passo , p ass circulo do osso, da abraço, da sida, da esquadra dezoito da psp, dez circulo it to im put out put , it to cruz, do antonio, o antonio da ez cgd, e da cam ave seca a primera, a ana cae da crua do ano , cae eta cruz ano, natal circulo, nata do tua

ab ro circulo do angulo vaso do ro do sá, gara ra primeira id do al tar, tejo tar do alter , chao do alentejo, e com do circulo do espanhol pato do quadrado da ua do pr circulo do pro e circulo do com do passo, com paso, o louco, o f as l s o arquitecto, da es circulo do cu do br do circulo do vaso id da primeira , q eu ser rp pn da te do acento no O in tim elevado vaso dao rato da gula, p rie mr ria do ia in ti miss ima com uni unhao, nin vaso da inc homem das unhas , rr, do no do osso da abraço, da guida, a gorda, dezoito com passo , p ass circulo do o ass o, da abraço, da sida, da esquadra de x zo i to da ps p, dez circulo it to im put out put , it toc rato do zorro do vaso do antonio, o antonio da ez cgd, e da cam ave seca a primera, ana caetano, a ana cae da crua do ano , cae eta cruz ano, bat al circulo da nata do tua

ritual

por sinais e palavras te conheço
e decifro a tua condição
vem, que te mereço
meu amigo e meu irao

soletra a palavra fecunda
letra a letra, sem rubor nem medo
diz a primeira, que eu direi a segunda
é nosso e só nosso este segredo

e
assim renovado o juramento
sob a grande ogiva intemporal
seremos a pedra e o cimento
do novo mundo livre e fraternal

ritual da pag da gina do primeiro nono, por sin a si e pal vaso ra serpente da teresa c on he ç oe dec i fr o a tua da condi são vaso em q ue da te mer e ç om eu ami g oe me u irao
sol e t ra a pal av ra fec un d al e t ra a l e t ra, se mr ub o rn em med o di z a prime ira, q ue eu di rei a se gun d a é no ss oe s ó no ss o este segredo e as si mr en ova do o j ur am en to s ob a g rande o gi da uva in temporal s remos da primeira pedra e do circulo do cimento don ivo do mundo dol iv r ee fr a te rn al


por pe vaso em me europeu, sol le di é, es sd, ds de, é di primeira sol me vaso E por

duplo infinito da primeira ao infinito deitado primeiro, circulo do primeiro

primeiro circulo do primeiro do circulo duplo da primeira doc cie, da primeira do iram o do circulo t rip lo

lan r e t a r f, ee rato vil, o dn um ovo no do t n emi mic a vigo, e dn reg , ab o s l aro pm e t ni, ot ne mar u jo, oo davo ne r missa E

ode rato gato espanhola e ts e, os son do ó da se do circulo ss on é, ad dn nu vaso gato do es a ie rid eu e vaso do quadrado do ari emi rp az id

ode m men r ob ur me as rt e primeiro da primeira aa rt el

ad da primeira do dn do vaso do ce f ar vaso ala ap aa rte primeiro os

circulo da primeira onda mr riu eu meo g ima eu m

circulo de cortez, e reme cruz do quadrado da europeu dame do vaso

circulo da primeira onda id no c auta o rf ice cede

circulo do cortez, e homem noc da te as ra vao vaso primeira ap e si ani serpente da rop

saiu me ti dao do rui osso do prédio, donde um circulo do vaso ingles estaria montado, de facto umas raparigas inglesas por aqui pareceram, tinha deixado a esposa à porta da igreja, assim escutara, bando de adolescentes à porta pelo principio da tarde estavam, canada, aço, amorim, um mais novo, uma historia de uma compra de aço, a relaçao pela tarde , da analise entre os dois símbolos dos dois sonhos idênticos, o homem só com um pé tachado da hera em sangue, é o da teresa, o tino, o circulo da cruz do tino navarro, o tino do Navarro, quatro vezes quatro, igual dez ase is, aqui primeiro no prédio depois nos prédios mais acima, e a imagem do filho, em Bruxelas, sonho, ski, chocava contra o banco de cimento, ou seja da construtora, ou seja , de entre rios, o vulcão da torre do falo mergulhado nas aguas, o falo das aguas, nas aguas espetado, na gravides espetada, amendoeiras em flor, demissão no japao, por aparente condução alcoolizada, depois da vista da hillary à imperatriz, tres piros espinhados, tres porcos espinhos, tres espinheiros nesta ultima sequência de símbolos vivos, tex t gato es, tex hugo s, norte sul, os mesmos da noret sul, comprada pelos espanhóis , a tvi vendeu,

s a i um me ti dao do rui do osso do pr é di circulo do, don de primeiro circulo do vaso ingles est aria montado, de f ac to umas ra pa rig do gás inglesas por aqui par e ce ram, t ina homem de ix ado a es posa à po rat da igreja, ass em es c u tara, bando de ad l os cente sa porta p elo p rin cip io da t arde est av vam do canada do aço do amorim, um maís sn ovo, uma hi s to ira de primeira compra de aço, primeira da relaçao pe la t arde , da ana lisa e en t reo sd o is s im b olo sd os do is son h os id en ticos, o h om em s ó com um p é t ac h ado da hera em s na g ue, é o da teresa, o t ino, o c irc do culo da cruz do t ino navarro, o tino dona vaso do rr o, q au t rove ze es quatro, igaul a dez ase is, aqui prime iro no pr e di do circulo do d ep o is no serpente dos prédios mais acima, e a i mage made ria do fi l h o, em br ux e l as, son h o, s kapa do vaso, cho c ava contra o banco dec cimento, o vaso do seja da co ns t ru tora, o vaso do seja , de entre rios, o vu l cao da torre do falo mer gula hd on as das aguas, o f alo das aguas, na sa gata da ua serpente es pet ado, na g rav id es e serpente da peta ada, am en d oe iras em flor, d emi miss sao no j ap pi, por ap ar en te condo da sao al co l iza ada, d ep do posi da vi s ta da hi ll ary à i mp pera rata do arroz, dos tres ss es piros es pei n h a o dt rato es porcos es e ep do pinho serpente dos tres e pei n he iro s nestea u l t ima sec ca non u en cia de s im b olo s v iv os, te x t gato es, t ex hugo s, norte sul, os me s mos da noret s u l, cam prada p elo s es pan ho isa tvi v en de vaso europeu,

um espinheiro aparecera simbolizado numa mandragora, no tecto de um corredor da monica calle, a da cal le, da monica, vinda de um home zarolho, zara alho, com da primeira te soura, no ceu , ou seja, o que o roubou o sexo, foi para o ceu, assim parece contar este linha, que a monica contou, calle, declina por semelhança em calla, praia espanhola, canárias, barcelona, alguém do tempo da bienal de barcelona, em dia recente me apareceu um que fiquei a olhar, qu representava o ayuntamento de madrid,

um es pin he iro ap ar e cera s im boli iza son da primeira da mandragora, do francês, escritor, no te ct ode primeiro co r red or da m oni caca ll e, a da ca l le, dam monica, vaso inda de primeiro home z aro l ho, zara alho, com da primeira te soura, no c eu , o vaso do seja, o q ue o s o ub o u o sexo, f o ip do para do circulo da ceia ss em par rc ce circulo onze on tar este linha, q ue a monica conto vaso da calle, dec l ina por se ml he anca em calla, p raia es pan hola, c ana ria serpente de barcelona, al g eu made ria do te mp o da bie en nl a de bar celo na, em dia rec en te me ap ar e c eu um q ue fi q eu ia olhar, q u r ep r es sn t ava o a y un tam en to de mad rid,

uma outra imagem do espinheiro aparecera no jardim das necessidades, ao lado do muro que dá para o palácio na zona da gnr, e do neptuno das pedras, durante a escrita de um texto anterior

uma da outra rai mage made ria do es p ein he iro ap ar e cera no do jardim da serpente das necessidades, aol ad circulo do m ur o q ue d á para o pala cio na zon ad a gn red do circulo do ne pt un o das pedra asa das pedras do pedrosa ,dur ante a es c rita de um texto ante rio rata

de seguida uma terceira arvore tambem semelhante, no largo do mna, que é uma espécie de mesa, que ecoava depois nas ultimas palavras de obama aqui transcritas, sobre o bowling, quando me apareceram as crianças ruivas inglesas do pai com ar asiático, o menino às paginas tantas, entrou pelo espinheiro adentro, eu que o vi entrar, e não o vi sair, lhe perguntei, atravessaste-o ?, que não , respondeu, que tinha saído por onde entrara

da se see da guida uma t rec e ira da arvore t am b em semem l h ante, no l argo do mna, q ue é ima es pe cie de mesa, q ue e o c ava d ep o is nas u l tim as pal vaso do ra sd e ob ma aqui t ra ns c rita ss ob reo bo w l ingles, q ua ando me ap ar e ce ram as c r ian ç as rui iva s in g le sas do pai com ar as iat tico, om eni nino às pa gina s t antas, en t ro u p elo es pin he iro ad en t ro, eu q ue o vi en t rato da ar, e en cão do circulo da p do vi sa i r, l he per gun te i, a t rave s sas do traço ingles da te do t arco do circulo da foice, q ue n cão , rato es ponde vaso, quadrado da ue do vaso da tinha sa id do circulo do por da onda da en cruz rat ar primeira

um quarto me apareceu relacionado com um piano, de uma pianista do são luiz, com folhas de palma em sua volta, que parecia uma mascara de alce, que remetia pra canada e para as historia do silence, do comes, dos rituais da sagração da primavera, o homem veado, ou o home homossexual e um galo todo vermelho

um q au r tome ap ar e c eu r e la cio n ado com do pr i meo ro piano, de uma pi ani sta do sa luiz, com das folhas de palma em s ua vo l t aqui da ue par e cia primeira mas cara de alce, q ue reme tia pr ra canada e para as das hi s tori isa do si len ce, doc o mes, dos ritu a is da sagra raçao da prima ave vera, o h om em veado, o u o h om e h omo s ex da ual

um piano que já não funciona de uma senhora que antes tocara no s luiz, rodeado de palmas, como um altar em sua memória, na conversa , o contexto se alargara, remetendo para os seguintes elementos complementares

primeiro mp pi do ano q ue j anão fun cio na de primeira s en hora q ue ant es to da cara do no serpente do s luiz, rode dea ado de palmas, com circulo do primeiro do al tar em s ua me mór ia, na c on versa , o c on texto seal ala rato da gara, reme t en do para os se gui ny t es el em en to s co mp le men tar espanhola

alfaiataria do figueiredo, o pai da puta que me trás o filho roubado, da marinha como relaçao ao trinta e um da armada, sendo que o espirito me desvelou ser o segundo do onze do trinta e um da armada, o pior assassino, uma historia provavelmente passada na rua do norte ao bairro alto em tempo antigo, talvez no tempo da monica lapa, um quadro da monica com vestido vermelho e gato preto ao colo ao lado de um chines que verte ferro fundido num quadrado de uma fundição, uma historia com a monica e um fotografo na costa, ou a imagem que eu trago dele a me cortar o cabelo com um pano de rosas no meco, tintas antigas de marrocos, espanhóis do bairro alto, dos que comparam o bairro

alfaite aria do figo ire red o, o p ia da puta q ue met ra serpenet do circulo do fi l ho o r ub ado, da am mr rinha do ham da manha com do circulo da relaçao a ot runa te, primeiro da armada, s en do q ue o es pi r tome d es velo lou serpente do ero se gun dodo do onze do trinta e um da ar ana dao pi o ra s sas sin o, uma hi s toi ra por ava ave primeiro que mente ps sad ana rua do norte ao bairro alto em te mp o ant ti g o, t alvez no te mp o da monica lapa, um q ua dr a o da mao nica com v es tid do ove vermelho e do gato preto aoc olo aol ado de primeiro c h ine s q ue eve rte do ferro da fun dido nu primeiro quadrado de uma fun di sao, uma hi s tor ia com primeira da monica e um f oto g raf fon ac costa, o ua e mage made ria q ue eu t rago del e am me co rta aro do cab do elo com do primeiro do p ano de rosas no meco, tin t as anti gás de mar do roco serpente, es pan ho is do bairro alto, do serpente ss q ue com p aram o ba e rr circulo


ou seja, necessidades, gnr, alcantara, ministério dos negócios estrangeiros, bienal de barcelona, campo de ourique ao pe do mercado e da igreja e da coelho da rocha do atlier da helena napoleão, outro espinheiro, um outro na rua saraiva de carvalho, este ultimo contado no parágrafo acima, no tempo da revolução e dos revolucionários, com relaçao ao canada e portanto tambem a monica lapa,.

O use sea j, das necessidades, gnr de alcantara, mini s teri o do sn ego do ciso est range geiro sd da primeira bie en al de bar celo na, cam p ode ourique ao pe do mer rca cado e da igreja e da coelho da rocha do at lie rata da helena n ap o leao, outro es p ein he iro, um outro na rua sara iva de cara vaso do alhao, este u l t imo contado no para g rafo ac ima, no te mp o da r evo lu sao e dos r evo lu cio na r is kapa, com da relaçao da primeira do circulo do canada e pro t anto t am b ema mon cia da lapa,

Quatro pontos aqui nas redondezas, eventualmente quatro homens conluiados, quatro homens que partilham uma mesma culpa e que na altura decidiram me apontar como culpado, da sapataria, ou melhor da alfaiataria do figueiredo de carvalho, da família da puta, quatro homens da armada, da marinha onde o comandante exerceu, ou seja a prova que a montagem do roubo vem de muito tempo atras, se o francisco for realmente de meu sangue, se não for, a intenção, será a que o espirito me desvelou, pretender fazer crer-te que ele é teu filho, assim te enredam nesta luta por ele e se não tiveres descendência , eles acabam por ganhar, ou seja, pressuponho que um cabrão com a teresa tudo isto organizou, e que esse cabrão e o filho da puta e da besta por detrás de todas as confusões que me armam desde que nasci, e que trará relaçao com o figueiredo pai, zona do bucaço.

Quadrado da ua cruz do ro p on to sa do vaso do ina serpente red don dez zorro as, eve en tua le mn te quadrado da ua da cruz do ro homem do om en ns circulo em circulo lui iad os, quadra do au cruz do ro homem do om en serpente do quadrado da ue da ep da puta da art ilha do ham, uma me serpenet da ma cu da primeira pa e quadrado da ue na al tura dec id da di do iram, me da ap on tar com do circulo do culpado, cu do primeiro pad do circulo da sapa da cruz da primeira aria da ria, circulo do primeiro el hor da al fa it da primeira da ria do figueiredo de carvalho, da f ami primeiro do ia da puta, quadrado do au cruz do ro homem do om en ns da armada, da mr rinha onda do circulo do comandante e x e rc do europeu, dd circulo use do seja da primeira pro da ova do quadrado da ue am on tage made ria do ro ub ove made ria de mui to te mp o at ra serpente, da se do circulo do f r anc sico da for real que mente de maior europeu sangue, serpente do en cão da for, primeira em cruz da en sao, ser cruz aa quadrado da ue do circulo espanhol do pi do rito da med espanhola do velo da lou, pretender forte do az e rc ra e rato do traço da inglesa te quadra da ue el le é, te w vaso fi primeiro homem do circulo ho, ass em te en red dam nest al vaso da tap por de el e espanhol ingles cão da cruz do nono e rato espanhol quadrado espanhol do circulo da en den cia , el espanhol do ac do ab do bam por gan do homem da ar, circulo do use seja, pr ess up em homem do circulo do quadrado do delta e prime rio circulo do abrao com da primeira da teresa que tudo isto organizou, e quadrado da ue ess e circulo do abrao e o fi do primeiro do homem do circulo da puta e da best da ap do por det cruz do ra sd, fr, se rie di gi t al, e todas as do circulo em f us do circulo espanhol do quadrado da ue me ar ma made ria de sd e quadrado da ue en primeira roi da sci, e quadrado da ue tar a á relaçao com do fi quadrado do dog eu da ire red do circulo do pai zon da ad do circulo do bucaço.

O segundo do vaso do aço do filipe pinhal, o irmão do figueiredo, que trabalha no bcp, do circulo do cabrão do jardim, está nisto implicado, a reacção as palavras ultimas que lhe dirigi, isso o confirma, será portanto a origem do roubo da invenção do conceito do cartão de credito,

O se gun dodo do vaso do aço do filipe pinhal, o i rato da mao do figueiredo, quadra da ue t ra b alha no do bcp, do circulo doca abrao do jardim, e stá ni s toi mp li cado, a rea sao as das pala av ra serpentes do vaso do pro rome iro do da cruz do ima serpenet do qi ua dr do ado da ue do primeiro he di rig e, iss oo circulo em fi rato ma se rá porta ant circulo da primeira do circulo de rig em do ro ub circulo da in vaso da en sao doc on ce i t o do ca rt tao dec red di it do to,

A outra possibilidade, á ao tentarem inculpar-me de diversos crimes, que eu seja morto, como quase foi, e assim ficarem com o filho e meu sangue,

A o vaso da cruz do ra da p do os da sibil do bil id ad e, á ao cruz en tar rem inc vaso do primeiro dol par do traço da inglesa me d e di dos versos do circulo do rim espanhol, quadrado da ue do europeu do seja morto, com do circulo do quadra da ua da ase f orte oi, e as do si da made ria do fi da carem do com do circulo do fi primeiro homem do oe me do vaso do sangue, a francesa da sé

Estes filhos da puta, com grande sangue em suas maos, para alem das merdas que sempre me fazem desde que nascei, serão portanto os responsáveis, por espinhos que me puseram na minha cruz ao longo de décadas, um em alcantara, relacionado com o home da igreja de paula, o antigo padre, um em espanha em barcelona, um no canada, um em italia, outro no brasil, estes serão os espinhos maiores do passado, que é também sinónimo do louco, que estes crimes que me acusaram, cometeu

Est es fil do homem do os da puta, com gato do rande do grande sangue em s ua serpente das maos, para al em das mer da serpente do q ue se mp reme f az ze madeira de sd e q ue na sc e ise ra do circulo do porta anto os r es ponsa ave is dos por espinhos q ue me p use ram na minha cruz ao longo de dec ad as, um em al can tara, r e la cio n ado com do circulo do home da igreja de paula, o antigo padre, um em es pea da anha em barcelona, um no, no do canada, paul saint jean, um em italia, est es se ra do circulo do os dos es pinho serpentes maiores do passado, quadrado da ue é tam n b em sin o nimo do louco, quadrado da ue est espanhol c rim es q ue me ac usa sara ram, co met europeu


Mandragora ressoa ainda , mandrake, produtora do magico, o man dr agora, o filho da puta do joker, man do quadra serpente do circulo do ra do av do quadrado do sete, kapa do maçónico , um homem maçónico,

Frutos maçónicos das sementes vermelhas, ou seja do sangue em beslan, frutos do maçon da teresa, frutos do primeiro seth do trinta e um da aramada, cruz ra do alho da primeira pedra do br , vaso da primeira cruz, a fei do circulo do cartaz, ou seja a gi sele coa anda , do cabrão da foz, do porto, do coa, ligado as gravuras rupestres, altamira, da loja da al tar do mira, e do cabrão do blog, o professor tambem ligado ao grupo do ipf, circulo do omo do sabão , do detergente, s av ao det e rato da gente, revista, penitente, p eni tem te p eni, penitencias, pecador, pe cado do rato, as im p ur das rezas, católico, q eu ferem, de dos sonhos, que ferem a homam ar da moni, primeira do uni veros, do poeta da universidade,

Fr u to serpente dos maçónicos das sementes vermelhas, o vaso do seja do sangue em beslan, fr u t os do maçon da teresa, fr u to sd circulo onze do primeiro seth do trinta e um da aramada, c ur zorro do ra do alho da primeira pedra do br , vaso da prime ria cruz, a fei do circulo do cartaz, o vaso do seja da primeira gi sele coa anda , doca do abrao da foz, do coa, li gado as g rava rua serpente rup es t rato espanhol da altamira, da loja da al tar do mira, e doc abrao do blog, o pro f ess de sor, ponte de sor, t am b em li gado ao g rup o do ipf, c irc do culo do omo do s ab bao , do det regente, serpente do av ao det e rato da gente, revista, p eni t en te, p eni te made ria da te da p do eni, p eni t en cia serpente da p eca dor, pe cado do rato, as im p ur das rezas, cat o lico, quadrado do eu ferem, de do serpente dos sonhos, quadrado da ue ferem primeira do homam da ar da moni, primeira do uni veros, do poeta da univer sida dade,

E as dima primeiro da cruz ra ns for mo em pedra cu da bica ca fe da al e cruz ra quadrado da eu falta ba pal ca ra perdida no do silencio da serpente aca cias serpentes, di is da do no do silencio, o gomes, o aca cio cin ho da ac ca do cio, a ana da incandescente, inca dec en te tom omo mo de outro pedra, e de outra e inda e a india da india, a rapariga do tempo do liceu, a lia, e co ns cruz ru circulo, pedra e letra , escultor, es ciu ang gula do tor, no serpente europeu e x acto ex ac trote geres, c ava primeiro do circulo do cavalo, cavalia, onde uma raiz de dente estava em outro dia posta ali ao lado da tentadora, que remetia tambem para a imagem do cordão entrançada da ligação entre o ceu e a terra, circulo da ava lia, irmão da maria, no serpente do europeu lu gato da ra e x acto circulo son ho antigo, o gato do iva, o gato do iva da catedral, da sé de lisboa, a francesa da sé

E as dima prime iro da cruz ra ns for mo em pedra cu da bica ca fe da al e cruz ra quadrado da eu f al t ab a pal ca ra per dida no do si l en cio da serpente aca cias serpentes, di is da do no do silencio, o g om espanhol, o aca cio cin ho da ac ca do cio, a ana da inca can de sc en te, inca dec en te tom omo mo de outro pedra, e de outra e inda e a india da india, a ra pa riga do te mp o do liceu, a lia, e co ns cruz ru circulo, pedra e letra , es cu do primeiro tor, espanhol cio da ang gula do tor, no serpente europeu e x acto ex ac t rato dao circulo da teresa no geres, circulo da ava do primeiro do circulo do cavalo, circulo da ava do primeiro do ia, onda uma rai zorro de dente e stav primeira em outro dia posta al i aol ado da tentadora, quadrado da ue reme da cruz do ia tambem, ap ra primeira do iam g a em doc do co rato do dao entrançada da liga da sao en cruz reo circulo do eu e primeira da terra, br circulo da ava lia, ira ama da maria, no ser pente do europeu lu gato da ra e x acto circulo son homem do circulo do antigo, do circulo do gato do iva, o gato do iva da catedral, da sé de lisboa, a francesa da sé

Al gato do vaso do acento no e em ad da eira dec cifra do spy dr ra , dupla mensagem universidade, o le ny, traço ingles do rito escocês, fr for mula one az do vaso do angulo indigo, de saab, br roc homem ando , andina, andi di ina, institute national du audiovisual, ab rato indo, si , oui la aba a si ilha lab. primeira , alquimista, no mar da more do te mp circulo, da pedra, do escultor do tempo, te mp circulo do maçónico do trinta e um da armada, es quadro, es quadrado do pintor espanhol pinto coelho, da esquadrai es pata ad ria do instituto das artes ins titu primeiro do circulo da belas, artes, do centro de arte da reina sofia, a rai anha sofia, sofi italiana, ota al liana lis ana , al, a liana, al ina primeira

Al gato do vaso do acento no e em ad da eira dec cifra do spy dr ra , d up la men sage maior da universidade, o le ny, traço ingles do rito es coc es do fr do for mula one az do vaso do angulo indigo, de saab, br roc homem ando , andina, andi di ina, isn titu te national du au di ov is u el, ab rato indo, si , oui la aba a si ilha l ab prime ira do alquimista, no mar da more do te mp circulo, da pedra, do es cu l tor do te mp o, te mp circulo do maco nico do rin t a e um da armada, es quadro, es q au dr ado do pin tor espanhol pinto coelho, da es q ua d rai es pata ad ria do instituto das artes ins titu p rie mr tio do circulo da be ll as art espanholas , do c en t rode arte da reina sofia, a rai anha sofia, sofi italiana, ota al liana lis ana , al, a liana, al ina primeira

O pintor espanhol, o pi do w da dor do espanhol pa w hol, sofia pinto coelho, a sofi primeiro pinto coelho, a margarida rebelo pinto, a margarida do barco do pinto do douro, ramos pinto, a margarida do ramos pinto, é a claudia, c l au di a do circulo do angulo au di, primeiro , alema primeira, angela, o maçónico do trinta e um da armada, é o espanhol do fuschi, f u do chi, o homem da embaixada espanhola, conselheiro cultural, es pan homem da onda do ts un ami , do fernado, o vc ab ra do el corte ingles, do alfaiate e do corte ingles, explosão do metro em londres,

O pin tor es pan hol, o pi do w da dor do espanhol pa w hol, sofia pinto coelho, a sofi prime iro do pinto coelho, am mar gar id a rebelo pinto, a margarida do barco do pinto do douro, ramos pinto, a margarida do ramos pinto, é a claudia, c l au di a do circulo do angulo au di, primeiro , al ema prime ira da angela, o maço do nico do trinta e um da armada, é o es pan hol do fuschi, f u do chi, o h oe made ria da embaixada es pan hola, co nse le homem do hiro do iro cu l t ur al, es pan homem da onda do ts un ami , do fernado, o vc ab ra do el corte ingles, do alfaiate e doc orte ingles, e x p do primeiro do circulo da sao do metro em primeiro dr espanhol,

Oiço
vos
gritar
Na
realidade
Não
vos
oiço
gritar

oiko, vaso do os gato rita ar na real li dade n cao vao serpente do os oiko gato rita do Rato, circulo e cortez circulo cv os gato rita do rato na rela li dade do mui ot cao do vaso so oiko gato rita rat

Sei
Pelo
Espirito
Que
Griteis

S pe quadrado dog rite tite do is, se ip da p do ele es pei rito q eu gato do rite is, io oe serpente is

Sei
Quando
Escrevo

Medida
Em
Que
O
Escrevo
Se
Escrevesse
Sobre
O
Quê
gritais

Se e quadrado do delta ra ando es circulo rato evo homem da primeira do acento med dida ida em q eu do circulo do espanhol rato evo se es c reve ess e es ob r ro quadrado do vaso do E do gru gato tita cruz asis

Mother
B ina homem
Hubbard
Aima
Vaso au

Hv
Vaso id e fuher, the star in the west, forte vaso elevado f vaso angulo ler, her, a lei t ira alema, a lei tora alema, a judaica alema

O nn sec sn es os circulo do g do circulo do os serpente do circulo do se homem se pr en te

Sg, homem do circulo espanhol serpente do circulo do os da se do circulo do hoem gatto serpente

O sg é o primeiro do circulo de noventa e quatro, da capital cultural da cultura

mn, doca al vim ni sta do circulo al mini sta kapa li nm w est ban kapa chuck, circulo do uve ck, calvin klein, ch, vaso ck, a jude law, a estrela do west morris, o este ranger, ra do ger, a jude la w a lada são, ala la sd sai alema, aaa al ka line ll j e eu primeiro id dt tt tao oo p rim mr do rio da radio renascença, caa a aaa lll ee ema tripla da terceira, da ilha terceira

a l ei tora alema a mel a a ro tie ca , a lei tora a le ma primeira me lap pt o , pro , meca, a j u d aica aa le ema ma, a leitora el ma, am mel la aa ac cia ad u j a, a mel abel da linha aa cia ad, a jud aica pera rocha, gara rava são lada são, caia da


seguem assim as minhas notas anteriores

se gui ima , se gume ass ima s nin h as not as

chili, hot dog, o colar do pescoço, este torrrent, que é tambem nome de uma calle nas canárias, no brasil, quatro nono g de k ra primeira , E o mahabharata” mil novecentos em oitenta e nove, gnesha, deus do corpo humano, e carta de elefante, vaso y asa sa arks, milico explosão num carro em west menphis, medical band, primeira coluna onze w primeira do homem bi ll hi ll ki ll, w indi ws media p layer, kergo, no sepa gelado, oitenta e ste, sessenta e cinco, quarenta e tres, dois, triângulo de fogo, tres traços superiores, tres em baixo, circulo, um, dois, tres, arte, gine espaço lg, mat h na sio um do ginásio de matemática, nove seis cinco zero dois quatro seis cinco sete, bi l v e x e h ar e dupla estrela, ru y go estado hi ll apostolo serpente dois vezes quatro gig, d quadro de giz com madeira oito circulos

c h u li do hot dog, o c l ar do p es coço de este torrrent, q ue é t a m b em no me de uma ca ll en as c ana ria sn no brasil, quatro nono g de k ra o rim e ira , E o ma h ab h a rata” mi l n ove centos e em o it en a te e en ove, gn es h a goesa, de us do cop o h um ano, e da ca rta de el e fan te, vaso y asa sa arks, mi lico e x p l o sao num carro em west m en ph is, medi c q l band, prime ira co l un a onze w primeira do homem bi ll hi ll ki ll, w indi ws media p layer, k e r g on o s epa gelado, o it en a te s te, se s senta e c inc, q ur renta e t r es, do is, t rin gula de fogo, t r es t ra l os s up per rio s, t r es em ba ix o, circulo, um, dois, tres, arte, gine es ap ç o lg, mat h na sio um do gina sio de mat ema tica, no ce se is c inc o z ero do is q ua t ro se is c inc o sete, bi l v e x e h ar e dupla estrela, ru y go estado hi ll ap os t olo serpente do is vaso e ze serpente quatro gig, d q ua dr a ode gi zorro com madeira o it o c irc u l os


nos montantes da ponte são visíveis, ampulhetas figuradas nas vigas cruzadas, ou seja dois x , um em cada pilar, que são tambem indicação da ampulhetas, , dois triângulos que se opõem em sus bicos, mix francês, primeiro extracto, do circulo da ampulheta de dois triângulos, branco amarelo, mixing, cheney, os óculos, colcheia musical, bico para cima est titi, amarelo sobre azul vermelho francês, assim se desvelou o código de cores, o primeiro da nota da colcheia, dos caes da clinica do hi cento e onze apostolo serpente nono como uma bengala, da shop one, rapariga que agora os com co tiro, quarteto sabores, clinica da cave, vinho e pao, br rie, sessenta e oito, as passas secas,

no s montantes da ponte são v isi v e is, am pulhe eta s figu ra da sn as vi gás c ruza da s, o u seja do is x , um em c ad a pi k ar, q ue são t am b em indica caçao da são da ampulhetas, , do is t r ian gulas q ue se o poe me ms us bicos, mix fr anc es, prime iro est rac to, do c irc u lo da ap u l h eta de do is t r ian gulas, br am co am ar elo, mix ing, ch en e y, os o c u l o s, coc l he ia mu sical, bico para c ima est titi, am ar elo s ob r e az u l verme l h o fr anc es, ass em se d es velo lou o co di g ode co r es, o p rim mr rio da nota da co l che ia, dos ca es da clinica do hi cento e on ze ap os t olo ser pente nono com o uma bem gala, da shop one, ra pa riga q ue agora os com co tiro, qua z rt e to s ab o r s, clinica da c av, vin h oe pao, br rie, se s senta e oito, as p ass sas do serpente da sec as,

no telejornal de sabado, segundo set b portugal, comunicações, macau, tor, diz o louco, o amorim, ninguém, perde uma manha de sabado, quarta cave, uma caixa ,cgd, a cruz gráfica equivalente a da igreja onde a lucinda fora velada, tor deo s francês, j ntar , a a faria da santa, gula o arquitecto gouveia, o falso arquitecto, vermelho e e negro, vela d angulo j un tra mi fr rola da estrela, a imagem da ginasta na capa da revista da tal grupo de enterros, servalusa, escrito no mar, principe maior, inatel, a para da galinha do inatel, do teatro da trindade, malhas, malar , m al arm, assembleia igual a festa milk, primeira da ruivinha, principe do c oto velo, do co y o de italia, provetas, bebe, mode r z at ni za são das escolas, mil cent e um tres vesicas brancas azuis, ou terceiro da rainha d Amélia, do Santiago , alquimista, al t ria, a pancada da vareta, isabel legre, do lego do y da eu do primeiro templário, santarem, maria de lourdes, dias loureiro, porto rico, empresas tecnológicas adquiridas pelo bpn, dois mil e um, sociedade lusa de negocias, po símbolo do bpn, duas laminas ninja, do jose manuel ley, do s strauss, banco insular, ilha de antonio duarte, carro cento e dez médicos oncologistas, inclinada, o elo do estetoscópio, da sida maçónica, lua vermelha, sobre quadrado branco em porta azul, jo da quim, ki maior do abreu, da al lx ca de maré dos urbanos , can o ro do seio de colon, madrid, ad inicio , jo anal segundo, rn onze, canada da carta de direito de coimbra, auditorias, seguros, sida, dis cuidados de saúde primários, di preservativo, filme do canada, sentença de morte, ruiva a can t ire, os girassóis no campo, komatsu da foz do tua, br vinha, vale glaciar de zezere, plantas arvores, z, set a austrália, incêndios, pistolas de agua carnaval, dos arquétipos maya, da ruiva, entre irmãos, o imperador da atlântica, gisele do ballet nacional, moldava, agua o setimo com , da monica lapa


no tele j ina l de sa b ad o, se gun do set b portu gal, com uni caçoes, m ac au, tor, di zo l o u co, o amorim, nin g ue, pere red e uma manha de sabado, quarta cave, u mi caixa ,cgd, ac da cruz g raf i ca e qui iva lente a da igreja om n de a luc i sd a for ave lada, tor deo s fr anc es, j n tar , a a faria da s anta, gu l, a o ar qui tec to gouveia, o f al s o arquitecto, ve mel h oe en e g ro, ove da vela d angulo j un tra m i fr rola da e ts r e la, uma ge madeira da gina s ta na c apa da r e vi sta da t al g up o de enterros, s ase r ve lusa, e c rito n mar, p rin c ipe maio r, in a tela para da gal in h a do inatel, do teatro da t rin dade, m al h a sm m a l ar , m al arm, as se m b leia i g ual a f es t am i l k, pri me ira da rui vinha, pr inc ipe dd o c oto velo, do c o y o de italia, pr e ove eta asa, bebe, mode r z at ni za são das es c ola s, m il c en te um t r es v e soc as br am cas az u is, ou t rec e iro da rainha d ame l ia, do ss na tiago , al quim ista, al t ria, a pancada da v ar eta, isa bel le g red ole gi id o y da eu do prime iro te mp l a rio, santa rem, maria de lourdes, dias lou reo vaso o, porto rico, em pr e sas te c n olo gi ca s ad qui rida s p elo bp n, do is mil e um, soc cie dade l usa de negocia s, p o s im b olo do bp n, du as la minas nin j a, do jose manuel da ley, do s strauss, banco in sul ar, u l h a de antonio duarte, carro cento e dez med i cos on c olo gi sta s, inc l ina da, o el leo do este to s c op pico, da sida ma c oni nica, lua verme le h as ob re quadrado br am co em porta az u l, jo da quim, ki maior do abreu, da al lx ca de mar e dos ur ban s o , can o ro do seio de colon, mad rid, ad in nin cio , jo anal segundo, rn onze, c ana dam da ca rta de direito de co im br a, audi toi ra s, seguro s, sida, dis cu id ad es de s au de prima riso, di per ser v at ivo, fi l em do c na da, s en t en ç a de m orte, rui vam a can t ire, os g ira ss o is no cam p o, k om a ts u da f oz do tua, br vinha, v ale g laci ar de zeze rep l as t as ar vo r es, z, set a a us t ra l ia, inc en di os, p is t ola sd e agua caran naval, dos ar qu i t ip os maya, da rui iva, en t re ir mao s, o i mp e ra o rda at lan tica, gi sele do ba ll e t na cio n al, moda v aia, a g u ia o sete mo com , da m o nica lapa

trinta e um, sete primeiro ou de setenta e um m6, vi a suspensão dos carris a abanar, vin gás carris, da estrela inclinada it o, quarenta e dois do a x em noventa e tres, vinte e tres deo noventa e tres, do ss dupla estrela, vao do gat do mp da gomes freira via setenta e quatro, set do quadrado das amoreiras, do gp do ox da vesica do farol, vinte leito da sua foda, e tao., oitenta e oito, el do ze do primeiro nono, cinquenta e dois, ad de noventa e dois, o lido das lunas da cute da alfa romeo, madrid zona da cruz sessenta e oito, noventa e e nove, s mar amarelo preto, dezassete g a kim , circulo sexto de sessenta e oito, duplo set de setenta e quatro, j u xara, estrela em marcha atras, tampão de gasolina, porta do condutor aberta, senhora no banco de passageiro, ao lado deo deposito, dezanove, dois quarenta e cinco, foi golo do sporting, quando o vaso lia o texto do trafico do geres, monica e os outros um p pro g s igualmente referenciados no texto, de co nn e dos hotéis da madam, toque contra as coias, assim diz o locutor lhe ter parecido acontecer, jornal do sporting, terceiro golo pontapé na sua negra da arias femininas cannes, chou, vaso ip lombarda, invertido, i u s rente da ria


trinta e um d sete prime rio u de setenta e um m6, vi a s us pen sao do s carris a ab bana ana ar, vin gás carris, da ester la inc l ina da i t o, quarenta e dois do a x em n venta e tres, vinte e tres deo noe v n t a e tres, do ss dupla estrela, vao do gat do mp da gomes freire via s t en ta e quatro, set do quadrado das amoreiras, do gp do ox da vesica do farol, vinte lei i ot da s ua foda, e tao., oitenta e oito, el do ze do prime rio nono, cinquenta e dois, ad de ni ove en t a e do si, lido das lunas da cute da alfa romeo, mad reis zona da cruz sessenta e oito, noventa e en ove, s mar a mr elo do preto, dez as sete gata primeira da kim , circulo sexto de sessenta e oito, duplo set de setenta e q u t ro, j u xara, estrela em marcha atras, tam pao de gás o lina, porta do com du tor ab e rta, s en hor ano ban co de p asa geiro, aol alo onze, ado deo d e posi to, dez ano ove, do is q au r eta a e c inc o, f o i g olo do sp o rt ingles, q ua ando o va vaso li a o te x to do t raf fi co do ger es, mo nica e os o u t ros um p pro g si g ual que mente r e fr en cia do sn o texto, de co nn e e do s hotéis da madam, to q ue contra as co ia sas si madeira di z o lo cu ot l he t r e par e c id o acontecer, jo ra nl do sp o r t ingles, t rec e iro g olo porn t ana s ua negra da arias fe me ninas can ne sc h o u,. U ip l om ba rda, in verte id o, i u s ren te da ria

aço ressoava depois desta linha de acontecimentos, na visita de obama ao canada, abordado no texto maior, e me lembrei ao aqui aparecer uma referência ao amorim, de um deles, mais novo, de uma vez o ter encontrado, deve ter sido no tempo da minha primeira estada aqui em campo de ourique, e me recordo de ter ido a uma reuniao, num estranho escritório daqueles tipo salas alugadas cheia de papeis e em grande desarrumação na secretaria, onde estava esse home com uma senhora, que deveria se sua esposa, assim um tia grande e bela, e de ele me ter vindo com uma estranha conversa sobre um negocio de aço, qu estava na iminência de comprar não sei quantos milhares de toneladas de aço que vinham num barco, e que se o fizesse, ficaria rico e por ai fora, aquilo me apareceu muito estranho, pois parecia um negocio no mínimo daqueles de oportunidade, ou seja, o homem quase que tido apostava naquele negocio que se concretizasse lhe permitira fazer não sei o que, se calhar financiar alguns projectos ou mesmo se reformar, parece este encontro próximo de um outro que se deu com o jaques rodrigues num escritório que el trazia ao pe da estrela, sobre a produção dos amante de duras, na china, e de revistas com meninas mais ou menos despidas que ele queria na altura fazer, e que depois fez ins anos mais tarde , depois de terem fracassado as primeiras,

aço r ess o ava d ep o is de st linha de ac on tec i men t o s, na v isi ta de ob ma, ob ra,o br ram am oma da ogma, o fi cina sd e arma men to, o i u seja r e la cio n ado com o t ra raf fi co de armas e se calha rc om o navio q ue es t ra anha mente a fun do u, cm me ninas a bordo, ob ma ao c ana da, ab o r dad on o texto maio reme lem b v rei ao a qui ap ar recer uma r efe rn cia ao am o rim, de um del es, mais n ovo, de uma v e zo te ren c on t ra do, d eve te r s id on o te mp o da min h a prime ira es t ada a qui em cam p ode ourique, e me rec o r do de te r id o a uma da reuniao, num es t r anho es cito ria da q eu l es t ip o s ala s al lu gadas che ia de pa ep ise em g rande de s ar rua maçao na secreta ria, on d e e stva ess e h om e com uma s en hora, q ue d eve ria se s ua es poza, ass em um ti a g rande e be l a, e de el e met re v indo com uma e ts r anha c on versa s ob re um ne g o cio de aço, q u e stav ana i mi n en cia de com pr ar n cão sei q u q n t os mil h ar es de t one lado as de aço q ue vin ham num bar co, e q ue se o fi ze ess e, fi caria rico e por ai for a, a q u i lo me ap rec eu mui to es t r anho, posi par cia um ne g o cid on o mini mo d qq eu l es de oportu ni dade, o u seja, o ho am q ua ase q ue tid o ap ostava na que le ne g o cio que se c on ce rt iza ss se le h per mit ira f az e rn cão se io q ue, se calha r fina n cia r al gus pro ject os o um es mo ser e for mar, pa rece este en c on t ro pro x imo de um outro q ue se d eu com o jaques rodrigues num es c rito ria q ue el t ra z ia ao pe da estrela, s ob rea pro du sao dos am ante de d ur as, na c h ina, e de r e vi sta s c om me ninas mais ou men s o d es pei da s q ue el e q eu ria na al tura f az e r, e q ue depôs fez i ns ano s mais t arde , d ep o is de trem fr aca s sado as prime ira s,

q do vaso ove l h n elm c ur po sete circulo sexto, dilo top eça., benfica igual a braga, sporting, igual a sporting, assim era quem jogava, c lu mate em c rise, br, flecha da vitória, das aguas de santa catarina, sida ciclone da onda vale da maria, trezentos e setenta ppm., ppm igual a cpm, sete duplo circulo ppm, word simulator, arizona, a v id a , floresta tropical, amazonas, os peixes, piscicultura, foi ela que arrebentou as aguas, o avental macau negrão, o rato maior financeiro ar ve or co cem da vareta nas grandes cidades, madrid e londres, paris dois mil e tres, vaga de calor, as casa precisam de ser adaptadas as variações da temperatura, na regra da construção, cem anos, previsao, frança foi corporificaçao da visao profética katrina, frança,. Linha cinco, v m v ca k v nil h o ox lousiana, cento e trinat mil, milhões de dólares, custo katrina, o, cinco aumento de temperatura, o mesmo se pasa no corpo humano, trinta e seis, trinat e seis e meio, trinat e ste, world simulator, word simulator, nova york, catástrofes, torres, aguas, das torres, Holanda tunel, aviões na agua, assinatura, agua, rio hudson

q vaso ove l h n elm c ur po sete circulo sexto, dilo top eça., b en fi ca i gula a br aga, sp o ring, i g ua l a sp ot ing, as si me r a q eu m jo g ava, c lu mate em c rise, br, for mula one e ch a da vi toi ra, das aguas de santa cat a rina, sida do cic l one da onda vale da maria, trezentos e setenta ppm., ppm i h gula ac pm, sete duplo circulo ppm, word si mu la tor, ari zon a, a v id a , flor e sta t rop pi c al, am az on as, os peixes, psi cu l tura, f o i el a que ar r e b en to u a s aguas, o ave en t a l m ac au no g ra o, o rato maio r fina ce iro ar ve or co cem da v ar eta nas g rand es cida d es, madrid e londres, paris do is mil e t r es, vaga de c al o ra s c asa pr e cisa sam de ser ad pat ada s as v aria ç oe s da te mp e ra tura, na regra da co ns t ru sao, cem anos, pr e visao, fr ança f o i corp o rifi caçao da visao por rf e ct ica kat rina, frança,. Linha cinco, v m v ca k v ni l h o ox lou si ana, cento e trinat mil, mil ho e sd de dol ar es, cu st o kat rina, o, c inc o au men to de te mp e ra tura, o me s mo se pasa no corp o humano, t rin t a e se is, t rina te se ise mei o, t rina te ste, w o r l d si m u la tor, word si mula tor, nova york, cat as to fr es, torres, aguas, das torres, ho lan d t une l, avio es na agua, as suna tura, agua, rio h u do son

assim se lia no documentário do world simulator, na tv

ass em ms se lia no doc um en t ra rio do w o r l d si mula tor, na tv

descendo a a calçada do combro, um final de trade, em frente a gnr, na altura em que me aparecera a primeira imagem de um cruz posta por um gnr ali ao lado das instalações na rua que leva ao mna, também, sem santa catarina, o espirito me desvelou uma cruz ou a mesma, ou talvez o home da gnr que na altura seria do comando de sta catarina

d es c en do a ac calçada do com br o, um fina al de t ra de, em fr en te a gnr, na al tura em q ue me ap ar e cera a prime ira i mage madeira de um cruz por sta por um g en rali aol ado das ins t al ç o es na rua que l eva ao mna, tam n b em, se m santa cat rina, o es pi rito me de s velo lou uma cruz o ua me s ma, o u t alvez o h om e da gnr q ue na al tura se ria do co man d ode sta catarina

quando é o próximo veiculo eléctrico no ceu, era a pergunta que o espirito desvelava no largo da estrela frente a igreja naquele final de trade, bacalhau demolhado, esturricado, v ra gun a primeira logo oitenta per cen til jamaica, mosquitos, taiwan, os ovos da larva, do traço da galinha como dois vaso de agua irmanados, a galinha do mosquito do dengue, ossos para v alhos sem forcados gados moreia

q ua ando é o pro x imo ove i cu l o el e ct rico no ceu, e ra a per gun t aqui do q ue o es pi rito d e s vela ava no l argo da est r e la fr en te a igreja na q u le fina l de t ra de, b aca l h au demo mol h ado, est u t ti cado, vaso do ra gun a p rim ria l ogo oitenta per c en til jamaica, mos q ui t os, t a i w ano s o ovo s d a l ar v ado traço da gal da linha com o do is vaso de agua ir mana do sa gal linha do mosquito do den g ue, os s os para vaso alhos se m f orca do sg gados moreia

yan, de ny, me aparecia escrito num banco do metro este domingo, ao voltar dos olivais depois de ver dois africanos um deles com uma camisola do bob marley, assim recordara em mim ao vê-lo, esse belo rasta que fora morto em forma estranhíssima, assim meu coraçao sempre o soube

yan, de ny, me ap ar e cia es c rito num ban co do met ro este do min g o, ao vo l tar dos o l iva si edp o is de eve r do si af ric naso um del sin os es com primeira cam i sola do bob mar l e delta, as si em rec o r da ra em mim a ove do traço ingles primeiro do circulo dez, ess e b elo rasta q ue for am orto em for ma est r anhi s sima, as si em me u cora sao sem pr e os o ub e

a car ta do fluido glaciar, fr, sis mar ref da ilha Alasca, transmigração, é necessário prever, duzentos e sessenta milhões de refugiados ambientais. Setecentos ppm, ou noventa e set circulo pp m primeiro, a meta de kioto, menos cinquenta por cento de gazes até dois mil e cinquenta, ou seja vinte do estrala do circulo , ki oto, am met a de noventa e sete pp maior , ou pm , primeiro ministro, set duplo circulo do anzol dos acores do pm

a car ta do fluido glaciar, fr, sis mar e f da ilha al as ca, t ra s mig raç º ao, é ne c ess a ap os t l o serpente rio pr eve r, du z en to ze se s senta mil h o es de te f u i gi ado s am bi en tais. S tec en t os pp m, o un ove eta e set circulo pp m prime e rio, am eta de ki oto, m en os cin q eu en at por c en t o de g az es a té do is m ile cin q u en a to u seja vinte do est r ala do circulo , ki oto, am met a de noventa e sete pp maior , ou pm , prime iro min si t ro, set duplo circulo do anzol dos acores do pm

países desenvolvidos, países emergentes, raja, ampulheta, india, medicina tradicional chinesa, quant masi disponível ele se mostra, mais eu me afasto, o dilema grey, to peca , cinema da cola, o top eca da peça da calle, duarte de braga, austrália, fire ball, cem mortos, estado vitoria Alfredo, hell wuth all his fury, cate blanchett, luis grelhado, alto da colina, cado foice, tres metros, bombas dentro das arvores, umas atrás das outras, da montanha em direcção ao mar, cais da rocha conde d obidos, carros derretidos ao sul, australiana b aro , do sul, a imagem, discoteca ila jovem, Internet, interrogatório, setubal, pcp primeiro comando de portugal, pcc, o bico, dos jovens mr a gados jose Manuel , o levy, o judeu do público

pa ise s d es en vol v id os, pa ise s e mer gente s, ra ka aka, am mp pi l j h eta, india, med di cina t ra di cio n al ch ine za, q ua n t ma si di sp oni c v el el e se mos t ra, mais eu me a f as to, o di l ema g rey, to p eca , cin ema da c ola, o top eca da peça da ca ll e, d u art e de braga, au s t ra l ia, f ire ba ll, c em mor to s, eta ado vitoria al fred, he ll w u t h a ll hi s f ur y, cate b lan chet t, luis g r el ah ado, al to da colina, cado foc cie, t r es metros, bombas d en t roda s r av o r es, umas t ra sd a s outras, da montanha em dr e sao ao mar, cais da roc h a c onda d o bid os, cat to s der e tid os ao sul, au s t r al ina b aro , do sul, a i mage madeira , di co teca ila j ove em, in t rene t, ine te rr o gat tori o, set u bal, pcp + roi me iro co man d ode portugal, p cc, o bico, dos j ove en s mr a gados jose manu le , o l e vaso delta, o ju de u do pib lico

o socrates está maluco, meteu os pés pelas maos ao tentar explicar o que pretendia fazer sobre o menor desconto dop pagamento do irs aos com maior rendimento, alguém na sala ao fundo, levava as maos a face como quem dizia, enlouqueceu, sobretudo muito mal se explicou, dop, agora aqui apareceu, quem sabe se estaria under influence, of some unknown type, foram ao casino , mas nao pagamos, diz o louça, tecido adaptável à mudanças das temperaturas, boa ideia de inovação nacional, p arco iris da casa do manuel seguro, provavelmente referencia ao que eu vira na penha de frança a partir do miradoiro de s pedro de Alcântara, afegao, ad pediu ajuda ce já d mi leoa nos tambem, manaus, empresário, vinte e oito pessoas, quatro saberiam, po? Em cas, trocaram cartas entre macau e china, china boss, os escorpiões, ccb, bando , o dos tremores na china, o hitler, o homem da energia da cruz do ler, viegas, o triunfo da vontade, de leni rosenthal, igmar bergman, alain resnais, feridas da guerra, joao paulo cotrim, cicatrizes, bunkers, o chá na loja dos relógios, ccb nazismo, atlântica, a noite e o nevoeiro, en g naval, alvaro de campos, o autocarro na china, mostrava as ps posições invertidos, ouro e azul, tambem, a mesma, na imagem do porto e do furadoro

o soc ar y es e stá malu co, met eu os pé s p els mao sao t en t ra e x p li caro q ue pr e t en dia f az e r s ob reo m en o r d es conto dop pa g am en to do irs aos com maio r ren di men to, al gume na s al ao fun do, l eva ava as mao sa face com o q eu m di z ia, en lo q ue c eu, s ob r e tudo mui to m al se e x p lico u, dop, agora au i ap ar e c eu, q eu m s abe se est aria un der in flue en ce, o f s om e un k no w n t y pe, for ram ao ca sino , ma s noa pa gamo s, di z o lou ç a, tec id o ad a pt ave l à mu danças das te mp e ra turas, boa id e ia de ino ova s sao nacional, p arco iris da c asa do mane u l seguro, por v ave l men bt e r e fr en cia ao q ue v ira na p en h ad e fr ança a p art tir do mira do iro de s pedro de a l can t ra r, a fe goa, ad pe di u ajuda ce já d mi leoa nos t am b em, mana us, e mp r es sario, vinte e oito p esso as, au t ro s abe riam, po foc ie Em cas, t roca ram ca rta s en t r ema macau e ch ina, c h ina boss, os es co pr rio es, ccb, bando , o dos t r emo r es na c h ina, o hi t ler, o ho em da energia da cruz do ler, viegas, o t rio un f o da v na td e, de l eni rose en t h al, i g mar bergman, al ian r es mais, f e rid as da g e u rr a, j a o a p au lo cot rim, cica t riz es, b un k e r s, o c h á na loja dos r elo gi os, ccb na z is mo, al tan tica, a no i te eon evo iro, en g n ava l, al ava aro de cam ps o, o au toca carro na c h ina, m m os t r v a as ps o siç o es in v e t id os, o ur o e az u l, t am b ema me sm, na i mage madeira do porto e do f ur ad o ur o

seguem as nota já publicadas, sobre a vesica do delta deitado, dos óculos de onde sai a faca apontada a latina europa... até anestesista , é o primeiro da cristina coutinho, o anestesista do curry cabral, ou do curry d cabral, o navegador, ou seja da india

se g eu ema s not a sj á pub lica da s, s ob rea ave sica do delta deitado, dos o cu l os de onda s aia primeira faca ap on t ada a latina europa... a té ane s t e sis ta , é o prime iro da c ru s t ina do coutinho, o ane st e sis t ad o curro do cabral, ou do c ur r y d c ab ra l, o n ave gado ro u seja da india

e assim continuam
e as si em conti tin uam

pedra nn boys, a do aviao? Brasileiro ane hatreley, k eura di will cta grupo, filha de carlos cruz, os porta, o home descido do carmo, rosa maria do vontade, risa maura m parece o vozinha, seis gan do , teres , seis millions, a grade parte recolhida nos últimos tres meses, acelerando negativa espiral, evolução ive, noventa en os, oma bam chaveta vieira, o so w o italiano, io st t com de la cos titu z i one sta ista, vermelho e branco, buraco na bandeira bad dn, dos católicos alameda a caixa de pandora da constituição, cf preto e branco, e vermelho, oto, le cc o

pedra nn boys, a di avia o da foice Bar sile iro abe hat r e ley, k eura di will cta g rupo, filha de carlos cruz, os porta, o home de sc id o do carmo, rosa maria do van ny t ad e, r isa mar ua m par e cie o vo zon h a, se is gan do , teres , se is mi ll lion ns, sa g r ad e p arte rec o l h id ano s ul tim os t r es me s es, ac e lara ando en g at iva es pira al, evo lu sao ive, no ove en t a en os, oma bam ch ave eta vieira, o so w o italiano, io st t com de la cos titu z i one sta ista, vermelho e branco, buraco na bandeira bad dn, dos cat loi co s al am ada a ca ix a de pandora da co ns titu i sao, c f preto e branco, e verme l h o, oto, le cc o

seven wonderfuls of the earth, o organizador, é o home do laço do helis polis, os aviões gregos, egipto ra k u la eu, primeiro hawai, o vulcão sagrado, big island home do pele, hawais is for e goda ess mice cena e a estrala da montanha prego mo dn t l y ka ion zeus, as imagens do jardim, no deu ad ce cinzento, fotos central nuclear, da salomon cicatriz, banda da av rte, economista, ressoa na id dada pelo obama, dos dois candeeiros tridentes em baixo e em cima na véspera da bill, o tridente das casa reflexo dos carris, reflexos do azul dos eléctricos da estrela, o blog, o vinte e oito, condutor do schultz alemão, idade maior do auto de mia, chiquita banana , gancho da lua, cinzas sexto financeiro do seth, do queijo laranja

s eve en w on der rp u l s o ft he herat, o or g ani iza dor, é o h om e do l aço do he lis pol is, os avio es g r ego s, e g ip pt o ra k u la eu, prime iro hawai, ovo l cao sagrado, big is land home do pele, h a w au sis for e god a ess mice c en a e a est r ala da min t anha pr ego mo dn t l y ka ion zeus, as i mage ns do jardim, no deu ad ce cin z en to, f oto s c en t ral nuc lear, da salo mon cica t r i z, b ad a d a av rte, e co ni mi s ta, reo s sa na id dada pelo obama, dos dois can di e r iro s t rin de ts em ba i x oe em c ima na v es pera da bi ll, o t rid dente das ca sn r e for mula one e xo dos carris, r e for mula one e xo s do az u l dos el e ct ricos da estrela, o b l o g, o vinte e oito, com du tor do sc h uk t z al ema mao, id ad ema ior do au to de mia, chi qui ta ban ana , gancho da l ua, c in z as sex r f ina n ce iro do seth, do qui jo lara anja

no largo da fonte ds quatro caminhos, ou direcções, depois dos dois patos lá trem parado, alguém uma embalagem de grão de bico la deixara num banco para meu ver, campo largo entre palmeiras, garo de bico extra g ar danzos

no l argo da fonte ds q ua t ro ca minho s, ou di reç o es, d ep o is dos do is patos l á trem para ado, al gume uma em bala ge madeira de g ra o de bico la de i z x ra num banco para me uve ver, cam po l argo en t re pl am e iras, garo de bico e t x t ra g ar danzos


minutos trinta e cinco, video , ultimo, o angulo da caneta vermelha e prata e da faca da bainha, no angulo das ancas da mesa, madris

minu t os t rin t a e co inc o, v id e o , ul t im o, o ang u lo da can eta verme l h a e p rta e da f aca da ba in h ano angulo das ancas da mesa, mad dr is

ao emergirem as memórias relativas ao texto da infante santo sobre as bombas na avenida, meus passos me levaram lá a ver a tal pastelaria, a ver se a conseguia identificar, a que agora se chama de tata, não me recordando como se chamava na altura desse domingo em que lá estive em oitenta, assim no caminhar pela noite li,

a oe mer g ire rem as m emo mo ria s r e l t a iva sao texto da infante santo s ob rea s bom bas na ave ni d a, mue s passos me l eva ram l á ave ra t al p as tela ria, ave r sea c on se guia id en tif car, a q ue agora se c hama de tata, n cão me rec o r dando com o se c h am ava na al tura de s se do mingo em q ue l á es t iv e em o it en ta, a s s i m no ca minha r p e la no i te li,

es paço do infante promotor re cruz lis business projecto gil, arc qui es fiscalização vaso hm, coutinho r rc, z ip audi, oitenta e um, noventa e sete vaso primeiro d circulo segundo onze, ana pita verox perdigão, caiu trinta e quatro po cento, amelia rua lia home da g a ua cinquenta e oito gato, volve ser sec i tit y do stand das vendas da infante santo, banco popular de salema, quin tele totta, as gás sessenta quadrado, ou circulo sexto do quadrado das cinzas, do porto building sessenta kapa , a cobra vermelha do as do cais do clod mill das pilhas, estado maior do exercito, interruptor das ondas, do toiro do icep, sessenta e tres gb dupla estrela, cais sessenta e seis, casa celo mil da viva fit pilates , sessenta e um p , o fr o do ar condicionado de motor, a quarta, audi, princesa lada da guerra das estrelas, ma caso r dezoito dupla tríade, ve ct panda, moveis cunha do tui viagens, lago pb santander, do cao sessenta e oito b picasso, pastelaria e snack bar am bi big s mar t negro, oi dezanove vaso do angulo, do bigode vermelho do twingo do corte e cose costura óptica panorama rua Tailândia, caju da curitiba br f one fax do bernardo da xa mim Filipinas do infante duzentos e oitenta, a zeta alema, terceira cruz vima , doze ste cd estrela quadrado da estrela, portas largo s vicente, restaurante totta, f az ti seis , terceira rei t rta cobra trinta por cento percentil, lei miza si es mujer do ex da lus da ester la, sessenta e oito do oitenta e oito, pp, sex ro da estrela d f trinat e quatro cruz toy ota quad renta e dois vinte e oito ele quarenta e nove do circulo da estrela p do x nissam patrol, angulo estrela lavandaria , caetano auto, vinte e cinco, oi setenta e tres, azul e branco, terceira jante, dez noventa e cinco, da i, he o trinat e nove, joana da aguiar, cut dl io da miro flora do aviao francês de noventa e ste, a angulo oitenta e sete fu d vesica deitada azul prata

es paço do infante pro omo romo tor rec da cruz lis bu sin ess pro ject o gil, arc qui es fisca l iza sao vaso hm, coutinho r rc, z ip audi, oitenta e um, noventa e sete vaso prime rio d circulo segundo onze, ana pita verox per di g a oca i u trinta e quatro po cento, am a e lia rua lia home dag a ua cinquenta e oito gato, volve ser sec i tit y do stand das vendas da infante santo, banco pop u l ar de s al ema, quin tele totta, as gás sessenta qua d r a z do, ou circulo sexto do quadrado das cinzas, do porto building se s en t a kapa , a cobra vermelha do as do cais do c lo d mill das p ilha s, estado maior do exercito, en te r r up pt tor das ondas, do toiro do icep, se s senta e t r es gb dupla estrela, cais se ss en t a e se is, c asa celo mil da vaso iva fit pol at es , se s en t a e um p , o fr o do ar condi cio n ado de m oto tor, a q au rta, audi, p rin c es a lada da guerra das estrelas, ma caso r

dezoito dupla t riade, ve ct panda, m ove is cunha do tui via ge ns, lago pb santa der, do cao se s senta e oito b picasso, p as tela ria e sn ac k bar am bi big s mar t negro, oi dez ano ove vaso do angulo, do bi god eve vermelho do t w ingles do o do ca rte e cose cos tura o pt tica p ano rama rua Tailândia, caju da cu riti b ab r f one fax do bernardo da x a mim filipe pinas do infante du z en t o ze o it en tea, a zeta al ema, t rec e ira cruz v ima , doze ste cd estrela quadrado da estrela, port is l argo s vicente, r es t aura ante totta, f az ti seis , t rec eu ra rei t rta cobra trinta por c en to per c en til, lei miza si es mu je r do e x da lu sd a ester la, se ss en t a e oito do oitenta e oito, pp, sex roda estrela d f t rina te quatro cruz toy ota quad renta e dois vinte e oito ele q au r en ta e nove do circulo d a est r al p do x no s sam patrol, angulo estrela l ava n da ria , caetano auto, vinte e cinco, oi sete n m t a e t r es, az u le branco, t rec e ira jan te, dez no ove en venta e c on co, da i, he o t rina te en ove, jo ana da aguiar, cut dl io da miro flor a do avia o fr anc es de noventa e ste, a angulo oitenta e sete f vasp quadrado da vesica deitada azul p rta

portugal oficialmente em recessão, era a aparente noticia, como são todos ou quase as notícias de hoje, desliguem as televisões e deixem de ler os jornais, é conselho que a todos dou, até os macacos que mentem descaradamente sem excepção se compuserem, e fazerem de novo a verdade e a luz com faróis do dizer e do contar

por u gal o fi cia l mente me rec es sao, e ra a parente not ti c is, como são todos o u q ua ase as not i cas de h oje, d es ligue ema ass das tele visoes e de ix e madeira de ler ero s j o rn is, é c on se l h o q ue a todos do u, a té os macacos que men te madeira d es cara damen te se m e x dep sao se com p use rem, e f az e rem de n ovo a ve r dad e e al uz com fa roi s do di ze red o c on t rato da ar

dois virgula quatro, ou vinte quatro, dia de natal e nome de pasquim, ine fofo , nery, o vinte um da al, dezoito, do ze fr primeiro d circulo es , te mp os di fi ci es bao conti nu a rem , carris, cama eléctrica, cinza c h ave eta p ac ka ra rato onze, lis cont contentores, as ondas do tsunami, nor see peixe, dois mil e ste, hipo tecas de g rande da dimensao, duzentos primeiro do circulo, vidas, f ogo, ferro a vapor, laranja azul, po ponte de peixes, o c le gi o do trabalho, e é uma ab e rata da raçao diz a cg da ep , convento sol u são do rui horta, des t se sig seis vaso fl liber der des j es d , le be ra ar es demo o raf t u co, antonio fr anca, di rec t bpn, porta gira tori a , ca fe do banco de portugal, ne gato dos oicos dos negócios, di ra guarda la y o ff, au tom omo t ive es oitavo kapa maior, aeroporto b ur pa delta, dez , quim ze, cinquenta pesos, pessoas, uma mulher aqui, bom br rie, as rodas doc r ro família

ru de cruz id e per dida man do circulo do nove do onze, ass t chi e f g ra ni zo caixas fire w all, e h vaso dl gol, home ar mundo hebreu, hp oma s, he x bola homem abu ma z en, pancada, z im b ab ue, g over rn no t ra ns sic são, muco dois mil e um, viol en cia ra pra ri gás, qua tor ze horas, atentado chiita, cheta, si no es no ass em justo di z a v ene z eu la

vaso ene z, libras das libras eu lo , tundra s ibe ria, ne t ano, as minas, ce in t ista polar foca gancho, serpente da tele do vieira, deguela, di fun do dos dois grous, video, perna fr os t , it queijo, rede instalada, dizeres de armas, , col i b r s os se un o es anta r t id a, sul americana a ponte, anuncio de ponte, j ana t rav u me tica , ela apaga a velas, fica as escuras a passagem., a vela michelin, lin, a descoberta da ruivinha, o fogo gp no gelo, a imagem da estrela de david, em p arte e x p li ca da no v id e o
estrela, do circulo do mic, o cabo judaico da vieira da tv, the a ft te rat da life, do grupo da maria elisa, jorge gabriel, bo r lam ka am made rio de henry k ib s en, in s en, a bruxa mimi e o gato que teimava em ser preto, campo alegre porto, única,

ao ver o video qua tor ze do circulo onze do segundo do circulo do nono serpente do onze do duplo quadrado do q au dr ad o do seth, c dois circulo doc prime rio me da onda do vaso do duplo bar do ra da p au l o de bar do rá de fi ni onda prime ria do te mp we ra vo in te, vinte e nove quadrado, di rato do duplo circulo da sas sex e ma al madeira id mp. Te mp we ra vinte e nove dd di r oo a pp com pat do ponto txt, isa ss exe, cinquenta e um dois mil e seiscentos p l ayer dupla estrela do ze do t rip lo circulo do circulo do ff set setenta e oito oitenta e seis se s sena te oito, ad , e l as shell e x port ver sion

bowling for columbine, banco oferece amor, abra uma conta e leve uma arma a escolha, temos sempre masi de quinhentos nas nossa caixas fortes, para lhe garantir suave escolha do tiro ao alce humano, the sound sexto of power, bang, bang, o pai faz mísseis no fundo da tua onde são escapulidos pela noite, assim pensam que nenhuma criança os verá a passar, perguntam-lhe então acha assim tao diferente fazer armas , que sim é para nos defender caso o inimigo ataque, américa mergulhado nos últimos anos por uma profunda paranóia alimentada ao segundo pelos medias e as ameaças imaginarias de tudo um pouco, e conhece, sues filhos, ah, bom, não sei, não sabia que ele frequentava aquele grupo, imagem clara do abandono, vinte e um é com id a do se s senta e se is do traço ingles em noventa e nove,

bo w l ingles for co l um b ine, banco o fe rece amo r, a b ra uma conta e l eve uma rama a es co l h a, t emo s se mp r ema si de quin h en to sn as no s sa co ix as f orte s, para l he gara n tir s ua ave es co l h a do tiro ao al ce h um ano, t he s o un d s e x to o f p o we r, ban g, b ang, o pi a f az miss i es no f un d o da t ua onda são es ca do pulido serpente pe lam ano it te, as s i m pen sam q ue ne h uma c rina aça os vera a ps aa ar, per gun tam do traço ingles l he en tao acha ass em tao difer ren te f az e r ar masque si mé para nos defender do caso do circulo do inimigo at a q ue, am erica mer gula hd on os ul r t imo s ano s por uma pro funda para no ia al i e mna td a ao se gun do p elo s med isa e as me aça sima gina ria sd e t u d um po i co, e c on he ce, su es fi l h os, a h, b om, n cão se in cão s ab ia q ue el k e fr e q u en t ava a q eu le g rupo, iam ge made ria da az clara do ana ban don o,

a imagem da bicicleta inclinada como os dois circulo da cruz na imagem do arcanjo miguel na igreja, por detrás de bush na manha da queda das torres, já aqui abordada, é o que se seguem nas notas

a i mage made ria da bic cic l eta i nl cina ada com o os do is circulo da cruz na i mage madeira do ar can j o miguel na igreja, por det ra sd e b u s h na manha da queda das torres, j á au i ab o rda dada, é o q ue se seg vaso da mnas not as

bin laden, ne da j n ib, ou jn ib, nib, we ne quadrado a jn nib nu me ero de id en ti fic açao ban car ira dez o i t o ampulheta ana aca anca da ria

maior maj james bath, e onze gato tom do b us h pele teo, eco da historia da graça, ida a peixe t rop a h ax en abu ar bus to s eve en, estrela in lina ada, edi fi cia de fundo e g ip pt to, car l y le g ro up, indigo, jon h major, tambem , homem em no lo g naso y pun te, uni ted d efe en se, br ab ley treze, cruz ank, seis bar do rá do set per cen til, investimento na ma erica, a aol times, te mg rande in v es tim en to, p rin c ipe ban da ar, set pr cento da am erica, un co l gás , h all u b ur ton, di ck c h en e y, p ipe l ine p elo a fe gn es tao, h am id k ar za i, f oe mer un el ev ado c al


depois das notas já publicadas relativas a id do pan rico do crato, rui salgueiro, refugio aboim ingles, mertola, o que diz se o u eu que ten h o ot eu fil ho, o te rc e iro el eva ado negro e am mr elo

vinte e tres do circulo de setenta e nove da vesica vermelha do faraó, duplo vaso seio rato e rem az u le am ar elo, aria lot c lass ca la s sica, sessenta e seis, de noventa e seis , dois quadrado, noventa e seis e noe v n t a en ove zorro, a imagem nas es cd as no ca sario, o son ho , ou não da puta da ladra dd e meu filho e de meu sangue, ardei no inferno, já, o do he li cop da puta do pt do ero, o primeiro tres do seis seis seis, do seth, dez eu as de mol h ar es terceiro do duplo vaso , lápis lazuli, a puta mendonça, primeiro quadra sd o negro e vermelho, segundo deitado , circulo duplo vinte dos quatro prismas, vinte e tres do circulo de setenta e nove, e x r raçao, das quatro v eu iscas, p r ta e negras, carnaval, redondo, o loto , se g b di az uk e br na b co,, trinat e um , ordem do templo, bala primeiro do circulo de setembro, prime rio do sex to, jo san primeiro quadrado invertido, do infinito deitado, duplo vaso , o seio do in fn it o, o s ub marino, loto segundo, o jack do pot , do mel, oi seja do sessenta e nove , em madrid, a foram de nova na televisão, da ladra puta maria elisa, ajudante da por mo sao de durao, +e idênticas a minhas notas em meu caderno, afazer masi uma vez prova de como espiam minhas notas filhos da puta , ardei

sec tor do au tom ove l do porto, a fia, ser dinhas, en comendas, im pin gi raio lei, lea sin g para c red i to s, r ira o ra pete de ba ix o do pé s, ferreira lei t r, a estrela amarela inc l ina ada, a cepa t orta da q eu l es t r es que de mim o pais, o se gun dodo c oto velo, muni cip io de gon do mar, e v o ra, l is boa, s ab t a rem, tvi, te rr e iro do paço, dez ase is do duplo quadrado do t riade do sex to, para rage maio segundo, do arco de p rta, a l o ç ove verme vermelho, das na is angulo ica por e c ce são, expo, casi do sodre, quatro me se ms de inferno, cc mer, cio sp, vita lis, papa, ca ile cae sai serpente circulo ca al

leio gui angulo dep un bloco l zorro c em dois mil


no carnaval de manha, o corso, na figueira da foz, a bela viriato que aparecera no tal anuncio das macaras do diabo e dos assuntos africanos antes da morte de nino e do seu chefe das forças armadas, ali estava com um ara de quem fazia um grande frete, ou de quem tinha sido chamada a pedra, qualquer que fosse, talvez pelos gráficos, a manha era de sol radiante, a bela menina, que me diz o espirito ser a menina ou a mia, uma das duas, filha de um dos arrieiros , da ponte que outrora caiu, me pergunto o porque,

no car da naval da manha, do circulo do corso, o laurent pasquier, na figueira, a outra bela rapariga do circulo da am dam da moda, a da foz, a b e la vi ria to que ap ar e cera no t al e un cio das ma caras do diabo e dos as sun to s a f ric ano s ant es dam orte de nino e do s eu c h efe das f orça s ar mad as, al i e stva com primeiro ar a de q ue em f az ia um g rande fr e te, o u de q eu m tinha s id o ch ama da a pedra, q ual q eu r q ue f os se, t alvez p elo s g ra fi c os, primeira manha e ra de sol ra diante, a b e la me nina, q ue me di z o es pi i r tio se ra me nina o ua mia, uma da sd ua s, fil homem da primeira ad de um dos ar i e iro s , da pn te q ue o u t ro rac aca i vaso da me do per da gun to o por do quadrado da ue,


Bela viriato, vaso dos ossos dias na s v e ze s é min h a madruga gado, q ue b elo s cab el o s h o je t ra ze isa m eu o l h ar, v os s o is toda mui to be la, e g os to se mp r e mui to de ave r, é uma be la me nina, toda f e liz e che io de br ilho, um r e galo am eu cora sao, o vaso do ovo do osso no me t am b em, s o a do traço da inglesa me se mp rem u it o b em, p o is b em f al t a se mp r e fi ze ram e f az emo s vi ria t os, os viriato

Be l a vi ria to, vossos dias nas vezes é minha madrugada, que belos cabelos hoje trazeis a meu olhar, vos sois toda muito bela, e gosto sempre muito de a ver, é uma bela menina, toda feliz e cheio de brilho, um regalo a meu coraçao, o vosso nome tambem, soa-me sempre muito bem, pois bem falta sempre fizeram e fazem os viriatos


Me recordo de um dia pelo espirito tambem a um fim de semana me ter aparecido um telefone, e para ele telefonei, era o da nova imagem a produtora , e para meu espanto me atendeu uma rapariga que me disse chamar viriato, ao que parece estavam a fazer assim me disse, um anuncio no fim de semana,

Me record ode primeiro do dia p do elo es pi rito tambem a um, fi made ria de se mana me t r e ap ar e c id o primeiro do tele f one, e para el e tele forte do om ne i, e ra o da n ova imagem a por du ot ra , e para me u es pen tome a t en de u uma ra pat ti g aqui do q ue me di s sec h am ar viriato, ao q ue par ce e stav am a f az e ra ss em me di s se, um na un cio no fi madeira de se m ana,


no livro quarto, mais uma desvelaçao

, m 6 m, ou mgm, tino navarro noventa e tres , m tem valor de quarenta sessenta e tres n estrela circulo au mgn, a austríaca do mgn, maior id dn ni gato homem cruz sw is cruz bar kapa nadir, egipto, fr ra rate romi om mic ron o, ups o l on, ypsolon, publico, da mu eta, o fr do rate da romi o mic ro w do up solon um eta, c l e f des g ran ds m y s te r es chave des g ran ds m y sr e rat espanhol am erica cao en b du ring, un to cruz he end ar the end duplo vaso as nau g h cruz to em dure liber m dic, cap zeta, cruz he en d w as nav g h t to en d ur e gravador liber, tres tristes tigres liber doc, cruz he greek ram ma t h cup ink pp pot k ni fe w id e kapa ep cruz ot in posi tio w sand a t he pap pir us p do y russo f ani, ardent, is on l y t he la tin for toi le t par p ep do pap ra, antonio pedro vasconcelos, ra l y r eno ova ren reno ova, g ao bo pb v e isca da chuva suissa, s l av bo tres bpa pat no irs y di duplo tridente, letra russa, ban pene angulo da descida direita do delta do n, in ver tdi, do t rin det e e deitado, da vareta do circulo do faraó do tintin, do n invertido do forte do y luis figo mo b en m te r b mr delta prime ria set im verte td o das quinas , assim rezava um titulo de um jornal russo aqui, a complementar

bate certo esta ligação entre estes dois bandidos, o apv que é o pap, e o tino navarro, outro bandido, ex mrpp, se me lembrar que ambos já me tentaram fazer a folha diversas vezes, e sendo que a situação do roubo na spa passa obviamente por eles, vide o relato da ultima assembleia onde o cabrão veio para mim como se me quisesse bater, bem, métodos dos filhos da puta esquerdistas

bate ce r to e sta liga da são en t re est es do is bandidos , o apv que é o pap e puta ap, porto, e o t ino navarro, o u t ro ban dido , e x mr pp, se me l em br ar q ue am bo s j á me t en t arma f az e ra f o l h a di versas v e ze s, e s en do que a si tua sao do oroubu ana spa passa ob iva mente por eles, vide, o do assis, o r e l ato da ul t ima ase em b leia onda o c abrao veio para da mim com o se me qui ss es e bate r e, b em met o do sd os fi l h os da puta es q eu r di st as

tino navarro, cruz ino n ava ar ro , a rr circulo , oni cruz circulo rr na ava vam duplo vaso

ma América as torres em forma de hexágono, os vaso do hexágono, do copo, sete aviões a jacto a venda e ninguém os queria comprar, arnold dizia na california que andaram a gastar mais do que tinham, o livro diz para o desculpar de seu erro, Desu, Deus o fará ou não, hillary no japao, a imperadora cinzenta de costas a lhe agradecer,

ma am erica as tor es em forma de he x a g on o, ova sd o he x a g on o, do cop o, sete avio es a j ac to a ve en da e nin g eu mos q eu ria com pr ar, ar no l di z ia na cali for nia que and ram a gás t ra mais do q ue tin ham, o l iv ro di z para o d es cu l par de s eu e rr o, Desu, De us o fa rá o un cão, hi ll a r y no japao, a i mp e ra do ra cin z en t a d e costas a l he a g ra dec e rato,

o t en t aria r es ponde na faixa da fabrica, it, s ob reo circulo do ass columbia, si madeira maior do celeiro , da columbia, celeiro do p ovo do cento e onze, o tó zé brito, o brito da galeria cento e onze


s pons da ms do circulo do red lin spa s mais o um en os cu red maior delta, dupla vaso rn kapa prime rio espanhol spa serpente da lea rn ho duplo vaso a m om com b i ned segundo pro duc t ts ge seis ot do rio o f her, duplo vaso do rin l aza az serpente for eve rata do ponto da carla ser pem muito da te kim,. Pele ser p ene nete vaso cc ess com segundo vaso do delta al , ink laca e bia az ze rao serpente a ps oto l o serpente a g r ess iv e, ian mc cat t homem do delta

ca da fe chave do joao arquitecto do ferro do nono da rapariga no pingo one mica da ene da ne da mica da ratinha, segundo ou terceiro bebe, o vicente tele mit a formiga, ventos contrários, vela, cais, bolina, s calda ad a do hemingway, da alice vieira do chiado, s lide cara do diabo, ca fe as soci e liber dad , comunicação , tertúlia, brasileira, alameda, vava, o pulso


ca da fe chave do joao arquitecto do fe r rp. Nono rapariga no do pongo one da mica da ene da ne da mica da ratinha, segundo ou t rec e iro bebe, ove c en te tele mit a formiga, ventos c on t ra rio s, vela, cais da bolina, s calda ad a do he min g w a y, da alice vieira do chiado, s lide cara do diabo, ca fe as soci e liber dad , com uni caçao , te rt u l ia, br as i leira, al am meda, v ava, o pulso

columbia, oito pessoas, cheias, colorado, evora montado, o obama e a caneta, c olo xa de evora, zero troupe, o homem do banco na ar, dizia que aquele veiculo já fora detectado em dois mil e seis ,s em a reportagem da tv dizer qual, no seguimento de eu ter falado de um cio montado e de um barco tipo fortaleza sem id que aparece nas vezes na rocha conde d obidos

co l um bia, oito p esso as, che ia s, c olo r ado, evo ra montado, o ob am a e a can e eta, c olo xa de evora, z ero t rup e, o ho em do ban co di iza q ue a q u le eve i culo j á for a dec t ado em do si mil e si es ,s ema r e porta ge madeira da tv di ze r q ual, no se gui men to de eu ter fala ado de um cio montado e e de um bar co t ip o f orta le za sem id q ue ap a rece nas v e ze sn a rocha do conde de obidos

falara a palavra da imagem da elevação da cruz, de um dos significados da OTO, e logo de seguida um sinc se deu, um edifício da gm, cuja construção é uma cruz deitada com dois apoios em angulo de quarenta e cinco graus , ou por aí, que encaixam na cruz e que parecem peças de ligação de uma espécie de mecano, ou chave de porcas, ou das porcas,

fla, aco r es da for mula one a ra da primeira pala av ra da imagem da el eva sao da cruz, de um dos i sig ni fi cado sd a OTO, e l ogo de se guida um sin circulo da se d vaso, um e di fi cio da gm ac vaso do j ac o ns t ru sao é primeira cruz deitada com do is ap o is em a g u primeiro d circulo deo onze da ode de qua renta e c inc o g ra us , circulo da up por a í, q ue en caixa am na c ru x e que par cem p eça sd e liga o sao de uma es pei cie de meca no ano mec co do cc co, macedo, me can co, o u c h ave de porcas, o u da s p orcas rca serpentes, liga sao

no edifico da gm, se vêem os apoios da cruz deitada, ok, j , dizia a gm, to u circulo , gravuras do minha, du as das pancada f orte es, vinte quarenta e c on co, az a a 5 nikon imagem, no discurso de ob mao x e stav ana sexta lança do lado da direita, r q au dr ado do f ad e im f ad e out, no ipod, f ad n fa deo circulo escudo tn circulo j ao a o carvalho das ne w a , banco, fr ee port, os in ter mia dr rio iss io do n e g o cio, londres, do sangue, do ze o k saxo, ford , americano, burla parecido com o esquema do mad o f, vinte estrela vinte, for stand for, mao vermelha, um jcp, comboio, entre sc rea ar, bes gara tia do he x a g on o inc l ina ada, no pico da rama ge madeira do sabor, cv, de belas e f rie l as, rn vinte e oito de cinquenta e oito, terceiro circulo ji homem da ad, a ten to da i lu mina sao da publica, alto de ocam , filipe faisca , aa bara tinha que me a ap rec eu na linha bne g ra de ba ix o do fio q ue no v id e o f az ac ru z de ba ix o do c irc uk lo do toi to

trago eu uma peça semelhante en cor negra versus o prédio da gm que salvo erro e cor de cimento, ou cinzento, que é de uma pequena lancha das que saem nos mc donalds, que saiu um dia meu filho, e que eu lhe montei, o braço que corresponde masi ou menos em sua figura ao do edifício , e a coluna da hélice do motor, uma lancha salvo erro de casco vermelho, que se reflectia no barco na av vinte e quatro de julho em imagem recente

t rago eu primeira p eça semem l h nat en cor negra ave r sis o pr e di o da gm q ue s alvo e r ro e co rato de cie mn to, o u cin z en to, q ue é de uma pe q un al an c h ad as q ue as em nos mc dona s l ds, q ue si vaso do primeiro dia me u fi l h oe q ue eu l he m ot e io br aço q ue co rr e ps n de ma sio u m en s o em s ua figu ra ao do e fifi cio , e a co l un ad a he l ice do m oto tor, uma lan c h a s alvo e r rode casco vermelho q ue se r efe t ia no bar co na av vinte e q ua t rode julho em i mage madeira rec en te


bull dog, freeport, mr smith, el perro dos postes stamps, ps ot es s tam ps espanhol, o dos selos s t ma ps s tam am mp ps, duplo circulo branco e vermelho, os ferreira das besta


depois na figueira, no casino para o qual fizer eu o video em que a rapariga sai da ostra, na primavera, versão assim meio cabaré de botecelli, o padre que se diz padre maluco, ou não tanto, a dizer que os homossexuais eram doidos, doentes, a duvida sobre o dizer dele, e se efectivamente outra coisa para além dessa não estava tentando dizer

d ep o is na figueira, do no do casino, o amorim, para o q ual fi ze r eu o v id e o em q ue a ra pa riga sa id primeira ostra, na prima ave vera, vaso e rata sao as si em mei o ca bar e de bori ce ll io padre q ue se di zorro p ad rem malu co, o un cão t ant o, a di ze r q ue os h omo sex ua is e ram do is o ds, do i en t es, ad u vi ad s ob reo di ze r del , sin os e, e se efe ct iva que mente o u t ra co isa para al é madeira de s sa n cão e stva t en t ad dn o di do ze do rato

pois curiosamente ele figurara na peça televisiva o vaso da cruz ao peito da estrela de david, o triângulo de fogo sem base, do vaso do triângulo de fogo fechado dentro do maior das aguas, do corno na testa da criança, da ana luti, do is ferreira da besta, ou seja do doiro,

p o is cu r isa sam que mente el e figu r ar ana p eça tele v isi iva do circulo da ova do vaso da cruz ao pei to da est r e la de d avid, o t rin gula de f ogo se madeira b ase, do vaso do t rina gula de fogo fe cha ado den t ro do mai rda serpente das aguas, do co rn no na te sta da c rina aça, da ana l u ti, do is fe r rei ira da best a, o u sej a d o do iro,
en gui primeira, da ria das enguias, aveiro, a primeira ave do iro


luana, he e delta e segundo vaso do delta ne eu francos, mu lu vaso emo serpente católicos, os medias e os médicos, decidirem quem vive ou não vive, a questão , ética, pois é e não pode ser, o tubarão do ero, morte súbita, anatomia, ar rit mia, a estrela e o feto, a cobra do vaso do trinta e um da cobra do cruz no Y em baixo e o triângulo de fogo aberto maos dadas que se reflecte na imagem do desenho do video, coc dos franceses w in, vaso st a da isabel do coq das palmeiras, farmácias, lu tt ib em vesica amarela, az uk vermelha, mg ao alto, pedro iamanjá tmz, cruz maior zorro, angela , parecida com angelina trompa do falopio, fertilização em vitro, rainy dogs, tom waits, a imagem de um sósia dele um dia no jardim da estrela, os caes da chuva , nadia s eu man

lu ana, he e delta e se gun do ova vaso do delta ne eu francos, mu lu vaso emo ser pente cat o lico s, os medias e os me di cos, dec id di rem q eu m v ive o un cão vie, a q eu s to a , etic ap o is é en cão p ode s ero t u barão do ero da m orte s ub it a, ana to mia, ar rit mia, a estrela e o feto, a co br ad ova vaso do trinta e um da co br ad o cruz no Y em ba ix oe o t rina gula de fogo ab e r to mais dada sm q ue se r efe l ct en a i mage made ria do de s en h o do v id e o, coc dos fr anc es e sm w em, vaso st a da isabel do c quadrado das palmeiras, fr am ac ia s, lu t t ib em v e sica am ar e la, az uk vermelha, mg ao alto, pedro iam na j á t m z, c ru x maio r zorro, angela , par e cida com ange l ina t ro mp ad o f al o pi o, f e rti liza sao em vi t ro, rai ny dog doge di d ge s, tom w a i ts, a i mage madeira de um s os i a del, sin os e primeiro dia do no do jardim da estrela, os cae sd ac homem da uva , nadia serpente do eu man

o do primeiro do ab ma, pancada no b as k e te ball, h ad es foice t home ink pu nk, do fla mingo do hades, texto e d i tora, home as de homem do cuidado com a lingua, sexto m quadrado do set mil em todo o mundo, texto editora ema il com dos xailes negros dos açores, congo, a pancada do norte rui reinhinho, o carro das escadarias da assembleia da republica, linic, relógios,

o l ab ma, pancada no b as k e te ball, h ad es foice t home ink pu nk, do fla mingo do hades, texto e d i tora, home as de homem do cuidado com a lingua, sexto m quadrado do set mil em todo o mundo, texto editora ema il com dos xailes negros dos açores, com goa pancada do n orte rui reinhinho, o carro das esca da aria sd a as se m b lei ia da republica, li ni c, r elo gi cos,

ana viriato via-a hoje, em versão loira, é parecida com a gatinha da insolence, a patinha, o dos calados é o maior, a do cos e é o maior puta do plano tecnológico, cabo do magalhães, dj do saraiva martins, vaticano, do casino da figueira da foz, da figueira , do porto

ana vaso da iria do gato tom da via, do traço ingles da primeira do home do oje, em verso da são loi ra, é par e cida com a primeira gatinha da in sol en ce, ap primeira tinha, o dos do quadrado do os cala d os é o maior, ad o coa s e é o maio rp da puta do p l ano tec no olo gi co, cabo do maga l h a es, dj do sara vaso do iva do mat ti ns, vaticano, do ca sino da figueira da foz, da fi g eu ira , do porto

afinal o aviao que vira ontem chegar é o do presidente de angola, na imagem da janta no palácio da ajuda, o rapaz, desvelava no enquadramento, a chaveta da direita da imagem, ou seja da esquerda no real, do duplo angulo do canto superior da esquerda, do x na fava, dd , do x na faca vermelha do rectângulo cor de rosa , as putas do ps, a começar pelo que se diz ministro da cultura que agora aparecia em dia recente depois de se ter reciclado certamente, da mol dura do quadro de oiro das seis velas, que figu ram as cinco lanças para o ceu, assim era o pedaço da mensagem relativa a bomba aqui despoletada que matou nino

a fina al o avia o q ue vaso ira on te made ria mc che gato da ar é o do pr es sin det e de ang ol ana i mage made ria da j ant ano pala cio da ajuda, o ra p zorro, d es vela ava no en q au dr am en to, a c h ave eta da di rei t ad a i mage mo u seja da es q eu rda no rea l, do d up do primeiro do circulo do ang u l o do can to s up per i rda es q u e rda, do x na f ava, dd , do x na f aca vermelha do rec tan gula cor de rosa , as putas do ps, a com eça r p elo q ue se di zorro do ministro da cultura do q ue do agora, ap ar e cia em dia rec en te d ep o is de sete rato da rec cic l ado ce rta e mn te, da mol dura do q au dr ode oiro das se is das velas, q ue do figu ram as c inc o lan ç as para do circulo do c eu, as si em e ra o ped dc ç a da men sage made ria r e la t iva a bomba aqui d es p ole t ad aqui do q ue mato vaso do nin circulo

serpente do quadrado da s en pr rn te do kino, ou seja do cinema, kapa do ino da kin circulo, templo vermelho e branco, men, circulo da iza do branco, em bala ge de dez la minas, cabo br anca longo, ding, ou dong, seta vermelha entre duas lui sas prat e verde cin za s gás do rolo , lapa sessenta e nove, assim ep l os vi st for a feito o rc

circulo da agua é bw preto e vermelho, matelass, azul amarelo e laranja, cos branco faca do ti da ler partido, um custo do duplo das ordens do subsolo, uma laranja, uma banana, numa bebida, a madeira, a ressoar na historia da linda q aime l á rt, azul e branco, dois circulos o da esquerda da agua, o desequilíbrio da cruz, assim foi feito, papagaio do trinta e um da estrela do circulo francês prata leao , duas pombas do passarinho da ponte, do vale da marion, dos travões invertidos terra ceu

cir irc do culo da agua é bw preto e ve verme vermelho, mat e l ass, az il am ar elo e laranja, cos bt anco faca do ti da ler p art id o, um custo do d up lo das ordens do subsolo, uma lara anja, u, ma ban ana, nu ma be bid a, am madeira, a r ess sora na hi s tori ad a linda q aime l á rt, azul e branco, dois circulos o da esu e rda da agua, o de sic u li br rio da cruz, ass em f o i f e i to, pap a gaio do t rin t a e um da est r e la do circulo fr anc es p rata lea o , du as das pombas do pas sari n ho da ponte, do ova vale da am mr rio em, d os t rav o es in verte id os terra c eu


primeiro dol a t in te s u f non da i g ual agente ac cao, qua li dade, estado, in fe pr ant e pop a té in te dos veludos, e c rino s u t ac h es e al jo fe espanhol e ram en c on t ra dio nas v en das nelson faria, cabeça da torta da p oitava, cab eca da torta da p da oitava, felicia, anal mat trigo e la li cio la, t rec e iro p do xx da c r z u di ze r ro sede serpente emi, in te gral, vaso do c al culo difer ren cia l, e do sl, do ze ab sor vida edi são e qua são e ka são h om en a ge me te mp o, sf quatro anal mat leonor, do teles, antes do ero do figueiredo, o al faiate, a g en te de ac sao da q u li dade, is o i ns titu to de qua li dade da norma, do estado do nel s om no comandante ne pt nuno da puta do manuel faria, o cab do eça torta to rta da p da oitava in te ger rim ad j super prime rio ab s sin cruz de en t rego vaso da onda, em sul ina quim do h omo ni o da secreta do pua do circulo da rosa dos açúcares, in te efe red in teli g en cia, in tel, in te rato em e est life, in te nse li g h t avid s o un d, en te s u t y, en te rato vaso is, in te rio raro sun, in te rp pr red, in te en se primeiro delta anno n d q ng too, in te em si fi cat ion se ix circulo d h arma, en te onze e cic u l o tva primeiro do one pai n hindu

só merda este duplo fez da grande como se ve pelo parágrafo acima que mesmo assim é só parte

só me rda este d up lo fez dag rande com o se eve p elo para g rafo ac ima q ue me s mo ass em é serpente do ó p arte

ainda sobre a pedra da lisboa noventa e quatro

a rocha , o túmulo do jason mark pad more do paul agnes, é c leio, lei one isabelle des roche rata serpente arc ch n francois, ba zola, o alfinete da dama da roche, da vesica negra , o cd da roche ba rata do home espanhol, do carro vermelho com dois furos no chassi, carro eléctrico do vinte oito, o do manuel faria, o nelson, o almirante do manuel faria, trovantes, estrela e rat ge do duplo vaso nu vine ne do st y le da l´oreal paris do dezassete bairro, dos setenta e oito piratas, do raio duplo lb , águia do polo pn m3 bmw, do bar do ra de noventa e sete sin ac ala rato da me mu sic a az clara da santa ane , o angulo dos olivais aia is vinte dois do estrela circulo do home , amarelo dores, am mar e quim ze tuberculose sete setembro de circulo do infinito ad circulo da iza do raio do zorro por fr anges, o riga da gina da al chave da inglesa cruz rato do delta segundo, delta da kathy home do delta forte e db, g ritos d eta do bull, he id ric noventa e cinco, nono primeiro ev dos dois traços ingleses e c ce pt , porto tio, ca onze e d spa sin te lu de , en te red segundo delta fr, home segundo ascii, ver sion, one proff fr rea ding e c xx ce pt in t re lu de b y di onze he id co p do delta, tres virgula quatorze, da divisão., rigth co py rigth, oto , oto p do circulo da box, alcantara, quadrado do trinta fair faz ca noventa e quatro, noventa e sete infinito, usa quadrado do quim ze , quatro estrela quadrado do cinquenta e um em setenta nove vareta mês as ge son primeiro delta, ba sed no sang real edi tio do sessenta e nove europeu, ab serpente en cruz fr om in te ra lu de , que é o do ritual, a chave do jasom, est, a robert do tp, o fantoche da maria do barreto, da filomela monica, ana lise cruz ra ms ac dio na al, e est rutura soci cia primeiro ana lize, o cabrão do porto, do programa onde fui apresentar o canal zero, no monte da virgem vila nova de gaia, da terra do brasil, o pap el soci cio lógico ro onze, e papa pp pe angulo do psi do c olo gi co do sc do rip di cruz , rip pt, chelsea college de londres , psi e sociologia, circulo lente com fazendo , cleonte com do circulo do tito, mf circulo quadrado do segundo di gi t al onze mo dv e rato seis, vinte um, quadrado do primevo, terceiro do ff sete do quadruplo circulo do sete ded


a rocha , o t um mul o do jason mar l pad more do paul a gn e w, é c lei o, lei one isa be ll e de s roche rata serpente arc ch n francois, bad o la zola, o al fi nete da dama da roche, da vesica negra , o cd da roche ba rata do home es pena hol, do carro vermelho com dois furos no ch as si, carro el e ct rico do vinte oito, o do man u le faria, o nelson, o almirante do manuel faria, t rova van t es, estrela e rat ge do duplo vaso nu vine ne do st y le da l´oreal paris do dez as sete ba iro o, dos setenta e oito pi ratas, do raio duplo l b , a guia do p olo pn m3 bmw, do bar do ra de noventa e sete sin ac ala rato da me mu sic a az clara da santa ane , o angulo dos ol iva si aia is vinte dois do estrela c irc uk o do home , a am mr elo dor es, am mar e quim ze ti be rc u l o se sete setembro de circulo do infinito ad circulo da iza do raio do zorro por fr anges, o riga da gi mna da al c h ave da inglesa cruz rato do delta segundo, delta da kathy home do delta forte e db, g ritos d eta do bull, he id ric noventa e cinco, nono primeiro ev dos dois traços ingleses e c ce pt , porto tio, ca onze e d spa s in t re lu de , en te red segundo delta fr, home segundo ascii, ver sion, one proff fr rea ding e c xx ce pt in tre lu de b y di onze he id co p do delta, tres virgula qua tor se, da di da visao., rig t h sc co py rig t h s, oto , oto p do circulo da box, ala can t ra, q au dr ado do trinta fair faz ca noventa e quatro, noventa e sete infinito, usa au ad ra ado do quim ze , quatro estrela quadrado do cinquenta e um em set en m te e n ove v ar eta mes as ge son primeiro delta, ba sed no sang re 4 al e di tio do se s senta e nove europeu, ab serpente en cruz fr om in te ra lu de , que é o do ritual, a c h ave do jasom, est, a robert tp, o fan to che da mar ua do bar do reto, da fil o mena monica, ana lise cruz ra ms ac dio na al, e est rutura soci cia primeiro ana lize, o c abrao do porto, do pro g rama onda f u i ap r es en tar o c anal ze r to, no monte da vi r ge, m vila b ova de g aia, da terra do br as i l o pap el soci cio l o gi co ro onze, e papa pp pe angulo do psi do c olo gi co do sc do rip di cruz , rip pt, che l sea co ll e ge de londres , psi e soci o lo g ia, circulo lente com fazendo , c leonte com do circulo do tito, mf circulo quadrado do segundo di gi t al onze mo dv e rato seis, vinte um, quadrado do prime r oo, te rc e iro do ff sete do quadruplo circulo do sete ded


encontrara a Dulce da apf, e no dia seguinte recebi um recado de minha mae da parte de uma das minhas amigas, que uma Dulce falecera, primeiro pensei, se seria a que acabara de encontrar, e que me remetera para o alentejo, crato, como o local de alguém que trás o meu filho roubado, mas não era uma outra Dulce ligado ao circulo do prof. Agostinho, assim li no velório e a volta da igreja da estrela, sobre os motivos de sua morte, masi uma morte provocada, sem margem de duvida, assim meu coração logo o soube

en c on t ra ad u l ce da ap feno do circulo do dia se gui n te, day after, viseu, rec e bi um rec ado de min hp mae da p arte do dum das min home das ama i gás, q ue uma dulce f al e cera, prime iro pen se ise se ria a q ue ac a ba ra de en c on t ra rec q ue me reme terra para o al en tejo, circulo do rato, nuno crato, és tu meu filho da puta, com oo da primeira ova do primeiro de al gume quadrado da ue cruz do ra serpente do om europeu do fi primeiro do home do circulo do roi iba do ado, mas sn cão e ra uma outra da dulce do li gado ao cir culo do pro forte da primeira gata do os do tinho, as si em lino velo do rio e primeira do vaso do circulo do primeira da cruz da primeira da igreja da est r e la, serpente do ob reo ser pe te mo t ivo serpente sd d espanhola da ua m orte, ma si uma m orte pro ovo circulo da ad ase em mar ge madeira dedo vaso id primeira , as si em me vaso da cora circulo do cortez elevada sao do primeiro do garo do falo na terra cravada di duplo circulo do os do circulo do ub, s ub do marino, e

nuno crato, mas um caralho d uma puta e um ligado a puta da maria elisa,

nuno crato, mas um car l h o do cara do alho do quadrado da primeira puta e primeiro do li gado da primeira puta da maria elisa,

portugal profundo, sica al vermelho amarelo, quatro velas falsas , segundo sete do dez, Internet ki circulo do terceiro, vi vaso da puta de oitenta e oito, vi circulo do set de oitenta e oito, tuti car geek pt informática., ma it prata e negra, dezoito , estrela do seth, eagle cego esquerdo, slim cigarretes, uma pomba violeta atras de um pomba verde, rato tino em pre m set rf esplanada self service, dos filhos da puta do leao ng seis set serpente de benfica, de chelas, s pato botas vermelhas a menina de olhos azuis como seda, com o boneco debaixo do braço, d tres da cruz da cc da estrela inglesa , do rapazinho de sardas ruivas do porche baratinho, z b noventa e cinco x no vaso otis, bd de setenta e um, estrela sete circulo do quadrado do mc, corsa azul, noventa e um ,s et do sec to ge , zorro do angulo vaso e de noventa e ste, homem forte do vaso do segundo de oitenta e cinco, hi ale tridente, do el do onze, dj do terceiro circulo do oh, sessenta, sessenta maria de freitas, bee dezanove hp bx sete segundo av do vinte um de duplo nono jr, xl, seis seis ma rat dulce e garbana duplo circulo de sessenta dam f ka, as gi es ron p as do doirado, prisma, a recta tam me home wt, d seis , doc, av dr duplo vaso , be si, en cd sessenta e cinco, circulo de noventa e um, angela cruz, mestre lagoa, oitenta e oito, oi ri dez a sete delta do principe , duzentos e do ze mp, gato do vaso vinte dois, cinquenta e oito nl, cento e vinte e sete, maior fiat, cd a rada, estrela de oitenta e oito, vaso primeira, circulo do sexto do terceiro do set dos dois xx, sete do trinta e oito, dez ma fe , sb, estrela primeira maria vitoria, salgados, estrela angulo, bv, tnt c j vinte e ste, x zorro m seis set, ana esterno radiografia, s q oitenta e um, óó, em sexr o b setenta e um, gato maior estrela do quadrado dos fx do rf dezanove en sabor, tradição, circulo do nono de oitenta e seis xl, duplo nono sessenta e sis, estrela do sete, uma transit suissa, ambulância oitenta e oito ester la segunda vv , sessenta e quatro Casablanca carris, noventa e sete, vinte seis bx vaso da cruz noventa e seis setenta e quatro ,m norte sul x a almansil, usa pen, rato e gular, cv vinte e dois n ovo dos nove decimo, serpente do segundo do terceiro dos nove décimos, e rta delta do circulo do elevado do segundo do duplo quadrado do nove decimo, mat anel descentrado com pérola, mao violeta da francesa, mad eu , pr ise pannini isabell huppert, but di bernar ti, dezoito ps da setenta e nove, terceiro invertido do jazz do ts, p unto dina mic trinat e nove lua quarto crescente, fiat quinhentos vermelho, forte vaso do vinte oito em noventa e oito, um dança, de sd e vinte e , nove seis quatro, tres quatro , sete, quadrado oitenta e tres, um tiro parte do para debaixo do palácio da ajuda, apito de futebol, cr de noventa e nove, mega promoções, mega clip cao chip cao, desentope ns conceição, do s antonio, serpente cruz serpente , epal e aba ce do rei do circulo do ac da borges, se fa r pat en te vinte cinco estrela de noventa e cinco, com p ila da guia com cora, os n t , noventa e quatro ca , sete primeiro do circulo de sessenta e um de circulo d infinito, do duzentos e sete, a pomba ao lado da gamela da gazela do periquito amarelo, ana cisne, pancada leda, circulo do rato vaso do zorro do vi angulo segundo home pt

portu gal pro rod un do, sica al vermelho amarelo, q au t rove l as fal sas , se gun do sete do dez, in t rene net ki circulo do terceiro, vi vaso da puta de o it em mn ta e oito, vi c irc do culo do set de oitenta e oito, tuti car gee kapa da pt in for mat tica., ma it prata e negra, dez o it o , est real do seth, eagle cego es q eu r do, s li m cigar r e t es, uma pomba viol eta at ra sd e um pomba verde, rato tino em pre m set rf es p l ana ada sel f ser v ice, dos filhos da puta do leao ng seis set serpente de benfica, de chelas, spa pato b ota s verme l h as am menina de olhos azuis como seda, com o b one co de ba ix o do br aça cao, dt rato do espanhol da cruz da cc da estrela inglesa , do ra p az in h ode sardas rui iva s d circulo do porche barata do tinho, z b no ove en venta da cruz primeira e cinco x no vaso otis, bd de setenta e um, est r e la sete circulo do quadrado do mc, corsa az vaso do primeiro, noventa e um ,s et do sec to ge , zorro do ang vaso co circulo do cortez coco do vaso e de noventa e ste, homem do om em f orte do vaso do segundo de oitenta e co nc o, hi ale tridente, do el do onze, dj do terceiro circulo do oh, se s senta sessenta mf, bee dez ano ove hp bx sete segundo av do vinte um de duplo nono jr, xl, seis se is mar rat da dulce e g ar bana d up p rime io do duplo circulo de se s senta dam mf ka, as gi es ron p as do doirado, prisma, ar eta tam me home wt, d seis , doc, av dr duplo vaso , be si, en cd sessenta e co nc o, circulo de noventa eu um da angela cruz, mestre lagoa, o it en a te oito, oi ri dez a sete delta do principe , du z en to sed do circulo do ze mp, gato do vaso vinte dois, cinquenta e oito nl, cento e vinte e sete, mai ro da fiat, cd a rada, estrela de o it en a te oito, vaso primeira, circulo do sexto do terceiro do set dos dois xx, sete do trinta e oito, dez ma fe , sb, estrela primeira maria vitoria, salgados, estrela angulo, bv, tnt c j vinte e ste, x zo rr om seis set, ana est reno ra di o g raf fia ia s q oitenta e um, óó natal, em sex ro b sete na te primeiro gato maior ester la do quadrado dos fx do rf dezanove en sabor, t ra di sao, circulo do nono de oitenta e si es xl, duplo nono sessenta e sis, estrela do sete, uma t ra ns it suissa, am bula lan cia oitenta e oito ester la se gun da do vv , s es senta e quatro casa b lan anca dos carris, noventa e sete, vinte si es bx vaso da c rui zorro de noventa e seis setenta e qua t rim norte sul x a almansil, usa pen, rato e gular, cv vinte e dois n ovo dos nove decimo, serpente do segundo do t rec iro dos nove dec imo ser t a y o el eva ado do se gun dodo duplo quadrado do nove dec imo, mat anel d es ce 3 n t r ado com pe rola, mao viol eta da fr a nc es am ad eu , pr ise pan nini isa be ll h up pert, but di berna r ti, de x zo it o ps da setenta e nove, t rec e iro invertido do jazz do ts, p unto dina mic trinat e nove lua quarto crescente, fiat quin h en to s verme l hi, f orte vaso do vinte oito em noventa e oito, um da dança, de sd e vinte e , nove si es quatro, tres q u t ro , sete, quadrado oitenta e tres, um tir ro p arte do para de ba ix o do pala cio da ajuda, apit ode fute b l, c rato de n ove en vente e en ove, mega pro omo ç o es, mega c l kapa do ip cao ch ip cao, de s en top e ns c on ce is o ado s antonio, se pr en te c ru z ser pente , epal e aba ce do rei do circulo do ac da borges, se f ar pat en te vinte c on co estrela de noventa e c on co, com p ila da guia com cora, os n t , noventa e q au t roca , sete prime rio doc irc culo de se s senta e um de cir ru c l o d infinito, do uz en t o ze sete, a pomba aol ado dag ane la do pi ric u i to am ar elo, ana cisne, pan c ad al leda, c rato do delta do vaso do zorro vi angulo segundo home pt



uma imagem aqui na minha secretaria, o orubos da bela, terceiro circulo, principe do sexta feira, az sg por debaixo do arco hawai, ou seja do kam da uguru, violino espada dos carros maça o, coluna das sementes vermelhas, a serpente da cruz , águia invertida, doirada e prata lamina, o do ritmo, o tap dance, angulo esquerdo, entre a lupa pn e caneta de prata negra, o li x ar de circulo seis ver, a chegar a s pedro, o sonho ou a mentira da teresa, o sinal vermelho, vesica vermelha, de s en gor dura e da br ilho de uma ser + en ny te do Ó sg lg, tres tiros na jane la li mp a v i dr os do conti da nete, farol design hotel, a for di si aco, vila do conde, circulo da chaveta da di r e tia do quarto do del sin os ra do vaso da per mna da esu e rda do segundo doc quadrado do ur to elevado doc u dr ado do zorro, segundo invertido, t riade invertida do primeiro do treze invertido de angulo sida sexta

o tenente invertido, os ângulos ao contrario do que eram representado na imagem do obama, vaso do rio do porto electrónico do blog spor, bo circulo angulo ho cite ce na cr , bob ra , seis, seis, ema mai primeiro do circulo co do ponto com, o terceiro , a tríade da quin to, estrela , andre cordeiro da assis t en te dezoito do bar do ra de cinquenta e tres, ou estrela, terceiro, nove do bar do rá do infinito, igual dezassete, carlos antena franco, maria josé pinto barbosa, o oitavo é o jose megre, o circulo do nono da simoneta luz afonso,

o t en ene en te invertido, os ang u l os ao c on t ra rio do q ue e ram r ep r es sn t ado na i mage made ria do ob ma, vaso do rio do porto el e ct ron nico do b primeiro do circulo dog spor, bo circulo angulo ho cite ce na cr , bob ra , seis, seis, ema mai prime io do circulo co do ponto com, o t rec e i iro , a t riade da quin to, e t r e la , andre cordeiro da assis t en te dezoito do bar do ra de cinquenta e tres, ou estrela, t rc e iro, n ove do bar do rá do infinito, igual dez ase sete, car primeiro do circulo do san t ro franco da maria josé pinto barbosa, o oitavo é o jose megre, o circulo do nono da si mn o te a luz afonso,

cop o sex ro vaso quadrado ion a en s h por gues se us eu maçónico ser pn te, delta do circulo do fi rte n f b ur rinho, com vareta no cu, das luas que se in t r ep ene t ram fazendo a ve sica ap ar recer, cabo negro, do l alo do al i men t ad o rda delta el e ct ron nica inc de roma dos cisnes nero sin verte id os, e dos peixes , fez o bico sa iro o bico de ba ix o da ca rta, e, +e o s im b olo na ca rta à m orta, o b ur rinho da v ar eta no rabo inc l ina ado, lia , e do vaso do hi ds lan de lys, de it ad o q ue ap da pin t a as pernas ante rio r es direita e o braço di t rei to do b ur rinho deitado, sabe o copo sexto vaso pogu, pogo, polu, p lu, dion, en s h o porto, pr it u g eu s, si, delta do circulo do forte da ne primeiro amarelo, vermelho e verde, ou seja da pt

durao barroso, foi o rato da isca dos vaso do bao do bar do rá do circulo do os da águia cia, o plátano deitado, ou seja remete para a imagem de obama no canada, o aço americano, obama a escorregar na neve, ao sair do discurso, bush tinha que saber o que se ia passar, para ele saber, outros da ad tinham que saber, sebe, bush, segundo vaso us serpente home da se be , o segundo da sé, columbia, vaso , aviao militar espionagem, terras derrocadas, de casas construídas em cima de leitos de rio à imagem do que aconteceu aqui em alcantara na rua de ninguém no vaso do múltiplo x da ponte vermelha, referencia no Livro da Vida, as cheias, a imagem dos tráficos e sacrifícios humanos, o pedro estava nesse terra da bela cantante, quando eu uma vez lhe telefonei., brinquei com ele, se estava a comprar droga na columbia, aboim ingles, o aboim, ingles do Algarve?, existe no livro um referencia a trafico de crianças num orfanato numa cidade desse pais, evento que me chamou a atenção quando se deu, já antigo no tempo de seu acontecer, lívida, aço, golf, o amorim, puten canção zeta , imagem das docas,

durao barroso, foi o rato da isca dos vaso do bao do bar do rá do circulo do os da a guia cia, o p la t ano deitado, o vaso do seja reme te para a ima em de ob oma no c ana ada, o aço am mer rc cino, ob ama a es co rr ega rna neve, ao s a ira rato do di s curs o, b us h tinha q ue s ab ero q ue se ia p ass ra, para el e s ab ero u t ros da ad tinha do ham q ue s ab e r, se be, b us homem , se gun do vaso us serpente home da se be , o segundo da sé, co lu bia, vaso , avia o mi li t ra es pi on a ge made ria , terras der roca ada sd e ca sas c on tu id as em c ima de me it os de rio à iam ge madeira do que ac on tec eu aqui em al can t r ana rua de nin g eu sn no vaso do mul t ip lo x da ponte vermelha, refer en cia no L iv roda vida, as che ia sa i mage madeira dos t raf fi cose s ac rif fi cos h um ano s, o pedro e stva ness e terra da be la can t ante, q ua ando eu uma ave z l he tele f one i., br inc eu i com el e, se e sat av a co mp r ar dr o g ana co l um bia, ab oi min g l espanhol, o ab oi min g l es do al g rave da foice, e xis te no l iv ro um refer en cia a t raf i c ode c ria sn ç as num o rf ana tan uma cidade de s se ap a is, eve en to que mec homem amo ua a cruz en sao quadrado da ua ando sed europeu, j á na ti g on o te mp ode s eu ac on te ser, l iv id a, aço, gol f, o am o rim, put en can sao z eta , put, golf pute, putin, russia, e mage da madeira das docas,

se durao barroso foi o rato da isco do circulo do vaso da net , que foi isco d circulo, isco dc irc vaso do primeio di circuloo de dez, da agua da cia ao aço canadense, quer isto sizer, que armou um laço a uma espada canadense, e que pel cia a fez cair, e que a imagem de obama a escorregar na neve, é a prova que a cia em quem ele manda, ecorregou no assunto da nve ou seja o laço que durao montou à espada canadense, foi montado com a acusaçao de que ela teria sido a espada, da matança na russia, de beslan, e não tido sido, visto ele tre escorregado, entao a espada , porvavelemnte etrá sido o durao, quem será a espada candense, tombada, o paul saint jean? ou a jena do santo paulo, jean, a jean da joni mitchell, do principe da one do mitchell, mit circulo do hell, he onze, realcionada com a oni, mit , do instituto de investigaçao,



fn ck major, f vaso circulo do home do major do governo ingles, huno, alemão, teutónico, estepes geladas na russia, filme, o as Daimler, d aimer da ler, assim um operário via em sua casa a televisão, do maga z ine da ler, duas mortes dulce, relaçao com o alentejo e o roubo de meu filho e de sangue e de trafico genético, e um outro senhor, ou senhora que estava na capela ao lado, onde a monica fora velada, e u sn vizinhos com que me cruzei lá aqui da rua do numero do cento e vinte e cinco azul, a letra dos trovantes, o manuel faria de novo a aparecer, e ainda masi um eco, a cas em baixo por cima do bar do tejo de alcantara, com os cinco v, e cinco punhais lá dento, e oito guaritas em cima como vaso de fogo, para o ceu, tem tambem o mesmo numero de porta, ao lado das lotarias do campiao, cento e vinte cinco az vaso primeiro das bolachas, das pancadas que me deram na mesma rua, o motor real time do trinta e um da aramada, onde agora em dia recente caíra um vareta do telhado do bar do tejo com uma rajada de vento, pássaro azul cento e vinte cinco, primeiro da segunda da estrela, clan scotch, sida arco, arco da sida, da high land, tambem no trajecto da tua estava o sinal da sida, relacionado com a morte de alguém, com alguém que morreu em paris, ou de paris, o filho aparecera com o copo de wisque na mao, em cas pequeno acompanhado com miguel e mais dos estranhos e silencioso amigos, a cruz dizia-lhes tres circulos de alternativas,

fn ck major, f vaso circulo do home do major do gi iv e rn no ingles, h un o, al ema mao, t eu ton nico, est ep es gel ad as na ru ss ia, fil meo as d au um ler, d a i mer da ler, as si em um o pera rio via em s ua casa a tele visao, do maga z ine da ler, du as m orte serpente da dulce, da relaçao, do com do circulo do alentejo e o do roubo de meu filho e de san g ue e de t raf fi co g ene tico, e um outro senhor, o u s en hora q ue e stav na cap e la aol ado, onda am onde a monica fora velada, e u sn vi z in h os com q ue me c ruze i l á aqui da rua don primeiro ero do cento e vinte e c on co azul, al e t ra dos t rova sn t es, o manuel faria de n ovo a ap ar recer, e a inda ma si um eco, a cas em ba ix o por cima do bar do tejo de al can t rac do om do os dos cinco vasos, e c inc o pi un unha is l á dente da estrela circulo , e oito gatas da ua rita serpentes em c ima como vaso de f ogo, para do circulo do c eu, te m t am b emo me ms on primeiro do ero de porta, aol ado das lot arias do cam pi ao, c en to e vinte c inc o az vaso prime o roda s bo l achas, das pancadas q ue mede ram na me s ma rua, omo mor ot real do time do t rin t a e um da ar am ada, onda agora em dia rec en te ca ira um vaso da ar eta dot te p rim rio homem do ado do bar do tejo com da primeira ra da aka ada de eve en to, , p ass aro az u l c en to e vinte c inc o, prime iro da segunda da estrela, c lan sc ot ch, sida arco, arco da sida, arco, feira de arte em madrid, arco da sida em madrid, da hi g home da land, te m b em not ra ject o da tua e stav o sin al da sida, r e la cio n ado com am orte de al homem do gume, com al g eu em q ue mor rue em pr is, o u de paris, o fil h o ap ar rec cera com o cop o de w is q ue na mao, em cas pe q eu no ac om p anha ado com mig u le e mais dos es t r anho se silencio s o am o g o sa cruz di z ia do traço ingles do primeiro homem espanhol de tres circulos de al te rna t iva ser p ene net,