terça-feira, maio 26, 2009

´
continuação do texto anterior,

Veja la , bela menina be, como tudo é musica, pois acabei de fazer click e ao passar no pequeno rádio que está na sal , logo uma outra bela voz me disse, radiation underground, como então a querer corrigir que o teu dizer, do túnel, se referia a tube, ou seja underground, ou seja aos metros em Londres, se assim for teu dizer, e sendo que apareceu tambem quando me aparece a chave do tsunami em dois mil e cinco, provavelmente estaremos então perante um mesmo grupo, que operou diversas desgraças, pois o processo é semelhante , sabes quando ontem fui as amoreiras, para alem da imagens indefinidas das belas meninas em diversos cartazes, todas elas dissolvidas em perfume do cio sensual que estava montado, e que me fazia escutar pelo espirito , que era ela que aqui estivera, pensava eu numa bela imagem de uns calcoezinhos de praia laranja, um biquini, que alguém pusera no prédio mais novo aqui atras com uns trapozinhos pretos em contrate com as varandas brancas e que me tocaram pela beleza extrema da imagem, sabe como é a menina, ou talvez não saiba, nem seja assim tao bom de saber, pois é uma beleza que se infiltra pela ausência de nossa amada, e depois sabe, a menina, todas as roupas nos estendais muito se abanam pelo sopro do amor, e nas vezes eu fico como que a ver se a vejo, nas imagens indefinidas, nas amoreiras, um centro como o que a menina numa das imagens estava, a reforçar a imagem do underground, quando procurava a loja dos computadores, uma imagem me saltou pela grandeza à vista, o belo rapaz actor que tambem deverá estar por cannes, que da ultima vez que aqui o vi, foi com uma laranja espetada na ponta de uma espada no aeroporto, quando da chegada daqueles que se diziam eventualmente terem estado expostos a tal eventual gripe suína, assunto que será abordado em outras núpcias, se assim o for, e ainda um rapaz em carne alto e magro como um tira linhas rosto masi ou menos quadrado ,assim cabelo meio aloirado, que vinha em passada larga num corredor em frente ao corredor intermédio das comidas, mas que nem bem lhe vi a face, mais senti o perfume, que não o era, pois me desviara até ao corrimão, para ver o piso em baixo, a ver se via a loja que procurava

Vaso abc el a do tua be la be, com o tudo é mu sica, p o is ac ab be id e f az e rc li ck e a o pa ss ar no pe q u en o rá di do circulo do io q ue e stá na s al , l ogo uma outra be l a voz me di ss e, ra di at io em underground, com o en tao aqui do eu rato e rc or rig fi r q ue o te vaso di ze raro da se , e do t une l, se refer ia primeira do tube, o vaso do use seja un der ground, o use seja a os met ro s em l on rato es, se ass em for teresa eva vaso di ze rato, e s en doque ap ar rc eu tambem, qua anda da me ap arc e a c h ave do t us sn ami em do is mi ilhe c inc o, por v ave lem n bt e est ar emo s en to pe ra ante um me sm o g r delta do vaso do po, q ue poe ra u di vera s de sg r as ç as, p o is o pro roce ess o é semem l homem ante , s ab es q ua ando on te maior f u ia serpente das amoreiras, para el am meda i mage en ns in d efe nid do às das belas meninas em di vaso dos eros dos cartazes, todas elas, di s sol vaso id as em per rf um med circulo do cio s en sul primeira aqui do ki do q ue e stva montado, e q ue me f az ia es cu t ra p elo es pi rito , q ue e ra el primeira aqui do q ue aqui est iv vera, p es sn ava eu nu ma be la i mage made ria de u ms c al c oe x in bo dd e p ria laranja, primeiro bi da kin ni, q ue al gume p use ra no do pr e di do io mais novo aqui atras, do com un ns t ra po in h os pr e to ze em c on t rate com as das varandas br anca sec q ue me toca aram pela beleza e x te r mad a i mage made ria, s abe com o é a me nina, o u t alvez n cão as iba, maior da ne maior do seja ass si sm tao b om de s abe rp o is é uma beleza q ue se in fil t ra pe la au s en cia de no s sa amada, e d ep o is s abe, a em nina, todas às das roupas nos estendais, s t es sn de ia s mui to ze ab anam p elo sopro do am mr, e nas vaso e ze s eu fi co com o q ue primeira ave rato da sea do vejo, br, nas si mage en ns in d efe nid as, nas amoreiras sm, sd primeiro c en t ro co mo o q ue primeira am me nina nu mad as si mage en ns e stav a, a r e f orça ra rai mage made ria do underground, q ua anda pro roc cura ava a loja dos co mp puta dor espanholas, uma i mage made ria da me s al to u pe la g rande dez zorro à vaso ista, o b elo ra p az ac tor q ue é eta da am tambem, d eve verá est ra por can ne es, q ue da u l t ima ave zorro do q ue aqui da primeira do vaso do io vi, f oi com da primeira laranja es pea td ana ponta de uma es pada no aero do porto, qua anda quadrado do ac do he da gada daqueles , do q ue se di zorro do iam eve en tua lem em teresa ds e cruz rem do estado, e x post os sat cruz al eve en tua al g rip es vaso ina, as sun toque se rá ab circulo do rato do dado em outras nu up cia serpentes , se a ass imo da for, e primeira inda de um rapaz em car ne al to ema magro, manteiga com o um tira linhas rosto, ma sio u m en os do quadrado ,a ss si em cab elo da me io al loi r ad o, q eu da vinha em passada l ar gan do primeiro co r red dor em fr en tea o co r red dor inter me di o das comidas, masque ne maior b em ml he vi da primeira da face, maís s en ti do circulo do perfume, q ue n cão o e ra, p o is me de via ra a té a o co r rim mao, para ave ero do circulo do piso em ba ix o, primeira ave rato da se via primeira loja q ue por rc cura ava

Sabe bela menina, agora acabei de voltar neste final de tarde do supermercado, quando lá estava, passaram assim umas coxinhas de frango na mao da senhora que ali é responsável, e depois li, no tapete, assim numa embalagem, surf, que é um produto de limpeza, que declina em sur, sul, serpente do ur da rf, como dizendo que as coxinhas da franga é amicíssima da surf, este que declinei, veja lá o que a musica do espirito diz ao nosso passar,

S ab e be la menina, agora ac ab e id evo l tar nest e fina al de t arde do super mer cado, qua anda l á e stav a, p ass sara ram am ass si em um às das coxinhas de fr ang on a mao da s en hor primeira aqui do q ue al i é r es p os sn ave l, e d ep o is li, no tap pete, as si em nu ma em bala ge m, s ur rf, q ue é um pro do to de limpeza, q ue dec l ina em sur, s u l, ser pente do ur da rf, com o di z en do q ue às das coxinhas da fr ang a é ami ss is ima da s u rf, este q ue dec l ine e, veja l á o q ue primeira am mu sica do es pie r to di zorro ao no ss o p ass sar at,

Ao chegar ao prédio uma pomba, descia planando quase na vertical bem na esquina das antenas retransmissoras no cimo do telhado do prédio, como a dizer, que uma pombinha das ditas comunicações, teria entrado em função das ultimas letras , tipo em queda livre na vertical, coisa que nunca e bom de acontecer a nenhuma pombinha, mesmo as más pombinha, mas enfim, ela só me o mostrava, e ao entrar no prédio, bum, olhei a trás é o tripé das indicações da dc vareta, tinha acabado de tombar, ficara com os carris da base na vertical, veja lá passaram de diagonal na cruz a angulo recto entre o ceu e a terra e a vareta de face para o chao da calçada da pedras

Ao c he gara do circulo do prédio da primeira pomba, de sc cia ia pala anda q u ase na verte i ca l b em na es q u ina das ant en as r e t ra ns miss o ra sn o c imo deo tek h ad o do prédio, com o a di ze rato , q ue uma p om bin h a das ditas com única caçoes, teresa ia en t r ado em fun sao das u l t ima s l e t ra s , t ip o em queda l iv rena verte ti ca l, co isa q ue n unc a e b om de acontecer a n en h uma p om bin h a, me sm o às das más pombinhas, mas en fi m, el a s ó meo mos t rav a, e ao en t r ar no pr é di do circulo do onze do io ,b um, o l he ia t ra sé o t rip e da si indica caçoes da dc iv e rte tinha ac ab ad o de tom bar, fi cara com os dos carris da b ase na ave r ti c al, veja lá p as sara am de dia o gn al na cruz a ang u lo do recto en t reo c eu e primeira da terra e primeira ave da vareta da eta da face, para do circulo do cha, do circulo da calçada, da pedra serpente

Agora ao entrar a agua na casa de banho tinha dado outro leitura, mas como não a vi à saída, o que não desdita que já lá estivesse, e sendo que tambem podia estar, ou no entretanto da minha saída, alguém entrou e lá a desenhou, a mascara dos cornos de novo entrou fazendo o desenho de portugal, e dentro do armário, que abri, se eve do circulo do piassa em outra posição, ou seja alguém o fez, e aponta ele a cera buffalo, quem diria

Agora primeira do circulo de en cruz da rata da ar primeira da agua na cas de banho tinha, do dado o vaso si da cruz ro do rol da lei e it tura do ur da primeira, mas circulo do omo em cão primeira vi à sa id dao, q ue en cão de espanhola serpente dita quadrado da ue j á l á est iv ess e, es s en do que eta am tambem p o id a est ra, o un o en t r eta anta da min h a sa id a, al gume en t ro ue l á ad es en h o ua ma sc as ra dos cornos de n ovo entrou, f az ze dn circulo do desenho de portugal, e d en t ro do ar do mario, q ue ab ri, se eve o pi ass a em o u t ra posi sic sao, o use seja al gume do circulo de fez, e ap da ponta el lea primeira ce ra b u ff alo, quem diria, suas putas, bandidas, que entram em casas alheias sem permissão,

Sabe menina, quando agora por ca esteve, a estatua da deusa negra que aqui me acompanha, trazia assim dois cabos eléctricos , uma a preto e outro a branco, que partiam de seus pés, que é uma imagem de um fio que já vem de trás que se prende com a câmara do arquivo da esfinge e tambem com a posição terceira da semente que mostrou em dia recente a posição dos tres pontos do delta, mas nessa noite, em que penso que a menina ainda cá estava, passava na tv um documentário sobre o poeta fernando pessoa, e uma aranha ali apareceu e se escondeu debaixo do cabo negro da ficha que liga ao aspirador doirado e negro s argento, e cujo bico, sem bico de pelo negro, o que me levaram, aponta uma folha pássaro, mais um anel que aqui encontrei entre os livros que está em cima do to quarenta e um de toronto

Sa be menina, qua ando agora por ca est teve, a es tatu ad a de usa negra q ue a qui me ac om p anha, t ra zorro do ia ass si em do is cabos el e ct rico s , uma a pr teo e o u t ro primeira do banco, q ue p art ima de se us p es, q ue é uma i mage made ria de um fi do io q ue j á ave em made ria de t ra s q ue se pr en de c om a ca mara do arquivo da es fi n ge e ta m b em com a posi sic sao terceira da semente, q ue mos t ro u em dia rec en teresa prime ria posi sic sao dos tres pontos do delta, mas ness primeira ano no it te, em q ue pen soc q ue primeira menina, a inda c á e stav a, p ass ava na tv um doc eu mn t ar io s ob reo o poe eta do fernando da pessoa, maura, e uma ar a mna homem al i ap ar e c eu e se es conde vaso de ba ix o do cabo negro da fi u c h aque q ue liga ao as pita dor do irado e negro s ar g en to, e cu jo do bico, se em bico de p elo negro, o q ue me l eva ram, ap pao n cruzes a uma f ol h a p ass aro, maís primeiro ane l q ue a qui en c on t rei en t re os l iv rosque, porca, e stá em c ima do to q au rato ur da eta e um de toro ron to

Que engraçado, como tudo sempre se desvela, epal luz

Q ue en gato rato da aça ad circulo , com do circulo de tudo, da se mp da rese do quadrado da espanhola vela, epal primeiro uz, certamente então a ver com o tal passe da inundação provocada falsamente

Ce rta am que mente en tao primeira ave rc do om do circulo do tal passe da in un d ac sao pro vaso do ovo do circulo ad a f al sam am que mente

Sabe menina, curioso, mesmo a os sincronismos em volta da imagem da dança do ventre, sabe me recordam as franjinhas duas meninas em particular em suas danças, a menina e outra bela menina que trago em meu coraçao, tambem d outro lado do atlântico, mas mais ao sul, que habla el castelhano, com uma bela voz tambem quentinha, me fico a perguntar se a imagem se refere a alguma das meninas ou mesmo as duas, ou ainda a uma terceira

Sa be menina, c ur is o sm es mo a os sin c ron is mos em v o l t a da i mage made ria da dança d ov um ti t re, s abe me record dam ás das franjinhas du as das meninas em p art tic u l ar em s u as dan ç as, a menina e outra bela menina q ue t rago em me u cora sao, tam tambem d outro rol da ad do circulo do atlântico, banco, mas maís primeira do circulo do sul, q ue homem do ab la el caste ll homem do ano, com de uma bela da voz tambem q eu en tinha, me fi coa per g un tar se a iam ge ms e ref rea al gum ad as meninas o um es mo as do as, o ua inda primeira de uma teresa rc e ira

Sabe menina, vai este beijinho longo, e ainda hoje gostaria de escrever a minha Rainha e ainda a bela menina Sharapova, que me trás tambem intrigado com um assunto e depois ir finalmente a terceira posição do delta que tema ver com a queda das torres e ainda aos restantes elementos da chave dos atentados em londres, mas vinha pensando na geometria resultante do cruzamento de duas das imagens que a sua historia de tres, conta, pois se a juntar em sua normal sequência, obtenho uma angulo que marca tres e quarenta e no qual dentro tenho, dois ângulos opostos, como um sete, angulo, assim me dizem as linhas cruzadas, mas a questão prende-se tambem com a posição da leitura das letras que estão na vitrine, é que são o angulo de trás da tal id dos calções de banho mais os elementos que em si trás em sua roupa

S a be menina, ava a e este beijinho l ong goe oe primeira inda do home do oje g os t aria de es c r eve ra min home da primeira Rainha e a inda a b e la me nina s h ar ap ova, q ue me t ra s tam b em in t riga ad o com um as sun to e d ep o is i rf ina lem n te a t rec e ira posi sic sao do det l t aqui do q ue t ema ave rc om da primeira queda das torres e a inda primeira do os r es tan t es el em en to s d ac homem ave dos atentados em londres, mas vinha p es sn nando na ge om met ria r eu l t ante do c ruza am men t o dedo do às da sima ge ns q ue a s ua hi s tor ia det rato espanhola conta, p o is sea primeira j un tar em s ua n roma l sec ca non eu en cia, ob t en h o uma na gula q ue maraca t r es e qua renta e no q ual d en t ro t en h o, do is ang u l s o opostos, com do circulo do primeiro sete, do angulo, as si maior me di ze ema às das linhas c ruza uza da sm as a quadrado do vaso espanhola do to da primeira da ap do pr en de do traço da inglesa se e eta da am tambem , com da primeira do posi da sic sao da lei tura das letras q ue es tao na vi t rine, é q ue são circulo do angulo de t ra sd primeira da cruz al id dos c al ç o es de banho maís os el em en to s q ue em si t ra serpente em s ua ro da up, el eva são da primeira

Que é tambem imagem do angulo da quatro L, recentemente abordado na photo, ou seja relacionado com os quatrocentos golpes, ou seja com a catarina portas e o jorge Colombo que depois foi trabalhar para o seu país

Q ue é ta am tambem i mage mader do angulo da quatro L, rec en te que mente ab o rf dado na ph oto, o use seja r e la cio n ad com do os dos quatrocentos golpes, do sergio truffaut, o use seja com da prime ria cara rat tina do portas e do circulo do onze do jorge c olo dez maior boca quadrado da ue d ep o is f oi t rara da aba da alha da ar do para do circulo do serpente europeia do pais, tvi

Do sitio de onde vem , no subsolo, cc, leio então em seu normal sentido, ti on n ar kapa no it kapa ra n

Do si tio de onda eve em , no s ub s olo, cc, le io en tao em s eu nor na l s en t id o, ti on na rara da kapa do no das it kapa ran

Sabe menina be, a aranha, certamente que aqui a puseram quando entraram, se calhar no dia em que me levaram o bico com escova do aspirador, pois tenho andado em limpezas e essa aranha, nunca a tinha ainda visto, e depois fiquei a pensar, sabe, num daqueles links que no blog publiquei em dia r4ecente, pois um deles é como um acto de tortura de uma teia de ranha que se faz a volta de um falo, como se fosse feita por uma aranha, neste caso do cabo preto da serpente argenta doirada e negra, já declinei algures os que se obtém daquela escolha dos nomes dos set clips, mas agora não os encontro, portanto vou de novo declina-los, depois lhe mostro o que eles dizem

Sa be menina be, primeira aranha, ce rta tam am que mente, q ue aqui primeira da ap p use ram qua anda en t r aram, sec la homem da ar no do dia em q ue me l eva aram ram do circulo do bico com da es c ova do as spi ira dor, p o is t en h o anda dado em li mp e zorro do à da ase ess primeira aranha, nu unc a a tina homem primeira inda vaso is to, e d ep o is fic eu ia pen sar, s ab e, nu primeiro daqueles li nk s q ue no b lo gato da pub lic do eu e em dia r 4 e c en te, p o is um del es é com o um ac to de tor ur ad e primeira da teia der anha q ue se f az a v o l t ad é primeiro f alo, como se f oss e f e i t a por uma aranha, nest e do caso do cabo do recto da ser pente at g en t a do irada en negra, j á dec le ine i a l g ur es os q ue se ob t rem da q eu la es co l homa da primeira dos nomes do s set c li ip do ps, mas do agora n cão os en c on t ro, porta anta vaso circulo do vaso de novo, de muitos ovos, dec l ina do traço ingles l os, d ep o is l he mos t ro o q ue el es di do ze maria

Continua ....

Sem comentários: