segunda-feira, agosto 17, 2009

Um com sentença passada, no jardim pelo noite, uma pequeno aviao partia em direcção ao sul piscava entre brancos e vermelhos rápidos, como deixando um tracejado pelo ceu, antes uma pomba nocturna riscara o ceu, e depois de rasar o telhado das telhas inclinadas do meu palácio de outrora, agora ocupado por bandidos, poisou em cima do terraço da igreja, num dos pilares do triângulo maçónico, o da direita de frente, por detrás da terceiro vaso da chama, a contar da esquerda

Um com serpente en t en cortez primeira , a passada, do no do jardim, j ard dim p elo ano noite it e, uma pe q u en o avia o p art ia em di rec cor e t zorro sao a o sul pi sc ava en t r e bras nc cos e verme primeiro homem serpente o ra pido sc omo de ix ando um t rac e j ad o p elo ceu, ant es um ap om ba noc r t urna r isca da cara do circulo do c eu, e quadrado ep posi de ra sar o tek la hd o das telas, das tel homem as inc primeiro ian andas do me u pala e code o u t ro ra, agora o cup pado ad circulo dos por bandidos, p o is o u em c ima do t e rr aço da igreja, nu made rai dos pi lar es do t rina gula dez maçónico , por det ra serpente dat re do rc e do io da ova do vaso da terceira, ilha, chama, da esquerda

Depois uma traça por ali apareceu dando voltas, como se fosse um aviao a cair em torneau

D ep o is uma t ra aça por al i ap ar e c eu da sn do serpente voltas, com o se fosse um ava io a c air em torn e au

Ah, se desvelara a rede da teia branca de plástico com unha vermelha à mostra, que apontara ao meu pé, no skate de ibiza

A homem, se quadrado eve lara primeira ar rede da teia br anca de p la serpente tico com un a homem verme primeiro homem a am os t rac ue ap ponta da tara a om eu p é, no da serpente kate de ibi iza

Um angulo da unha em relaçao primeira apontada ao filho , depois ao meu pé , as minhas bota que ressoavam nas notas da menina que mostra os porcos

A unha verme primeiro homem ad a teia da aranha da br anca, a ar anha q ue de sc e do ova vaso a e rta t ub uk ar, t ub lula r b e ll serpente, refe, cor es bra si le ira serpente

Ou seja a rede da unha que fez tambem cair meu filho nas ilhas canárias, em las palmas, a referencia liga ao farol, azimutes, as tres cerejas, as tres sementes vermelhas que dele saem

O vaso use seja primeira ar rede da unha q ue de fez tam am tambem circulo air da queda de meu filho, nas ilhas c ana ria serpente, em las palmas, a refer en cia liga da primeira do circulo do farol, f ar do rol, onda, az ie muti es, as t r es cerejas, as t r es semem en t es verme primeiro homem as q ue del le sa e maria

Pois quando se anda de skate, nas vezes se cai

P o is qua anda se anda de serpente kate, ka da teresa, na serpente vaso zorro espanhol sec do aí

Palmas acabou de ecoar aqui , mais um aviao que caiu, mais um morto,

Palmas aca bo u de e coa ar a qui , maís um avia circulo do q ue e ca do io da ova do vaso, maís primeiro, morto

Primeiro fui dar a casa da palma em cascais, onde está um bela rapariga de nome sofia, da família do senhor que agora caiu, a imagem do azimutes

Prime iro f vaso do oi quadrado ar ac asa à casa em palma, em ca serpente do grupo do cais, onda e stá um bel a ra pa riga de no me sofia, da f am i primeiro ia do serpente en horque, agora , ca do io da ova do vaso da ua e mage made ria duplo vaso do azimutes

SS

Sofia, ou ines, ou ainda, dormir com o inimigo?
Sofia o u ines , o u a inda dor mor mir com do circulo do inimigo, foice

S o fia ia ítalo ana circulo do vaso da ines, circulo do vaso ua da primeira india, com do circulo do inimigo, almada, xutos e pontapés, suplemento do publico

S sc ub pib lico

S o fia ia it alo ana circulo do vaso da ines, circulo do vaso ua da primeira india, com do circulo quadrado oi ni mig o, almada, x u to ze ds do circulos dos pon tap es, serpente up le mn to do p ub lico

Sem comentários: