terça-feira, janeiro 06, 2009



minha doce amada,

mais um pormenor pelo telefone do amor telefonado a teu coraçao,

ainda o michael parker,


assim sempre te beijo eu,

velado à ausencia de tua face ao perto,

apertadinho a teu corpo,

a ainda ausencia dele,

assim é O bom aninhar


Que Delicia

Assim Estar


Que Delicia

Em Teus

Braços

Assim

Beijar

Assim

Descansar

Assim

Sonhar








vês, amada ,

a face da esfinge na coluna presa

pela mao que aqui nao se vê

O

P


O Colibri

Voa

Em

Mel

de Amor

A Esfinge

O



Horus Velando a Cleoptera

Como Sois Bela Senhora

de

Meu Coraçao

Coroada



hoje dia

luminoso

os ss

prenhe

de

Sol


E

Eu

Com

Ele

Acordei


Fui

Até

Belem


Parece um asa de aviao,

uns flaps

sobre a agua do rio

no refelexo azul e branco


ou


a té belem en

homem oje

primeiro vaso mino osso

od da dupla serpente

par rec e primeira asa de avia circulo

un serpente delta fla ap ps

serpente ob rea da agua do rio

no do rato efe lex circulo

real

um pol cia f o ra m orto na g rec cia ia, as si em d ava vam conta da conta a no ti cia outro ra an un cia ada

a g oo dc o p isa dea ad co p



se calhar é um hidroviao


sec ca ala da cala do home do ra é primeiro homem dr circulo vi ia, o aviao da energia




na pedra do cais

uma marca

um zorro

um circulo de um fio em vaso

e outras marcas

em angulos



na ped dr ra do cais, primeira ma arca rca do primeiro x do zorro do primeiro circulo uk de primeiro fi do circulo do vaso com outras ma rca serpentes da arca e man das gulas do primeiro os serpente





a gaivota pousava na pedra do meio do rio a ver os cacilheiro atravassar as aguas



no espirito escutava, qualquer coisa da moura do rá de cascais estar a chiar como o barco me mostrava no cais

a gai vaso da ota p do circulo da usa ava na pedra, do mei do circulo do rio ave do vaso do ero do os doc ac cantos do circulo da ilhe do iro me ar rava serpente dupla sar ar às das aguas , no do es pi rito esc cic ru lo do quadrado da cruz ava do q u al do q eu co da isa da moura do ra de c as cais es stra ac chi do ar com do circulo do barco da me mos t rava do no do cais, o louco, joker






que grande a rapariga aqui ficou ao aqui chegar


como a melhor se desvelar


parece mesmo uma versao do capuchinho


quanto maior


mais te trago para beijar





q ue g rande primeira rapariga aqui do ci co do vaso aqui che ega rat


com circulo da primeira da am me primeiro hor


se da sed es vela do primeiro ar


pa rac da race me s mo primeira sao dos v eros do cap chinho ca fe


q ua anto maio rato maís te cruz ego do para do ni bei j ar





bela , estranha e carregada rapariga, como mutante, tras algo de blade runner, e umas belas meias coloridas em riscas de arco iris





be la espanhola e ra da rn homem da primeira do car carregado ega ad da ra apa riga com ciruclo mut ante


cruz ra serpente al gata circulo ode blade r un ne reo ma serpenet aguia de belas mai isas is serpente do duplo circulo do falo em rat ti das iscas do arco do circulo da iris,


está no ceu, como imagem mundi


uma lamina como uma asa de palanador está apontada a seu peito


uma escada, uma serra, que é um rosto de homem


a casa tras um sala em semi circulo


parece a casa do pidewell em sines


o som era de vespas


o poema do amor dos corpos


o mar se mistura com tudo


até ele em fade desaparecer


a porpria casa se torna mar


as paredes se agitam


como ondas





e sta no ceu com o mage em m un di primeira la mina com circulo da primeira asa de pala ana dor e sta ap pon a cruz turb dieses as eu do pei to , primeira es c ada , primeira do serra, que é ro st circulo do homme do om en ac sas trás, maçonico, primeiro do sala em s emi cir cu em dez pa race ac sa p id we do onze em sin esapnhol, circulo da serpente do om e ra de vaso es spa serpente , circulo do poe da ema do am mor dos corp os circulo do mar da se emi is da tura com tudo, a té el e f ad e de sapa recer ao circulo rp da ria c asa set tor na do mar, as par rede espanhola se da primeira gita tam am com circulo das ondas





nao dizia esta capa, mas uma outra mesma sem o ser, mas o sendo, que gostava de começar de novo, como resposta ao que eu escrevera





como queres que se começe alguma vez de novo, se sempre tudo e continuo e nada de permeio nao existe, quando estás no leito deitada, e me ronronas pelo olhar, ou com a mao me acenas, ou me dizes vem cá, meu doce, e eu pelo ar como um gato de subito pulo e em ti aterro, nao está o sempre o ar que me sustem e me eleva no antes, no meio e no fim do pulo,





e se pulo para a ti chegar, e se a ti chego, alguam razao teria para partir





recomeçar, sempre, e sempre, a te beijar, um beijo sem começo nem fim



com o q ue r es se com e ce al gum ave es zorro de n ovo se se mp r tudo e conti nu circulo en ada de per meio circulo n cao e xis te q uando e sta serpente acento do no do leito, lei to, e me ron do ron do as p elo dez o l homem da aro , com da primeira mao mai da me ac das cenas en as o c me di ze serpente vaso em ca, me eu d c e eu p elo da ar com do primeiro gato de s ub bit circulo em ti a cruz erro rom, n cao e sta o se mp rato reo da ar q ue me s us te meme, el eva do no das ant es do no mei en no fi mai ro da p vaso dez

es e serpente do p u lo do para da primeira ti, che ega ar e sea ti che ego al g uam ra z ao teri a para par tit recomeçar, se mp es em pr rea te bei j ar , primeiro bei jo s em com e co ne maior fi maior



o homem da face em escada serra, parce ser um batmam invertido no ceu espelhado na terra, um morcego, se calhar dos telefones dos moto motor do rola



ou o home da fece revista, em es escada serra , par ce ser primeiro bat man invertido, no do c eu es ps l h ado na terra, primeiro mor c ego se cala hoem ra dos relefones, dos m oto , mo do tor do rola

no metro o antigo espiao do maçon do vinte um , morador na actor joao rosa de entao, mal me viu no cais efusioso, a me vir cumprimentar, em mim memoria recente de um encontro outro, aqui no bairro, num sabado de manha movimentado, é melhor nao dar nas vistas no local onde ele vive, ah olho só cartazes para passar o tempo, o elo da ligaçao a sic, assim desvelava o espirito

no do metro, mec vii rato cu mp rie mn tar

no do metro circulo do antigo espiao do maçon dos olivais, mara dor na actor do joao da rosa, de en tao, m al me vu dfo vaso do no do cais, am mec cu mp rie mn tar em mim me mor ia rec en te, mnum econtro aqui do no do bairro, manha do ni mn t ado é mel hor n cao d ar nas v ista serpentes do no do primeiro ucal, onda el do vaso nono homem da preimeira serpente do circulos caratzes, para p ass aro do te mp circulo, o el da ligaçao à sic, ass em d es vela ava o es pi rito

ah rapariga, agora o desenhi está masi defenido, parece trazer os olhos esmurrados, mais tarde o é que espirito me diz, ela é a maior serpente, o prblema e que pelo menos tres ou quatro de repente poderiam ser, o psicodrama montado , sempre na mesma tecla, violencia, vai-te embora rufia, assim dizia uma paçavra ali nos predios finos que pululam no antigo bairro popular, dinheiro e chic, recuperaçao economica, crescimento negativo, vide e olhai com atençao o brilho de frase de tao brilhante inteligencia e fino recorte, o negativo tambem cresce, torna-se cada vez mais negativo, mas nao deixa de se usar na demagoga frase, a magica palavra cresceiemnto, quem sabe, lá em casa com o frio, o trablho, a depressao, só oiçam metade, assim a queda no abismo melhor passa
rapariga do s en hi qaudrado efe ninho,
am maior serpente
espirito ass si me diz , dez
ps psi co do drama montado
para o roubo de filho
e acto de tortura
violencia, rufia, galo,
na rua das farnacias, os galos caminhavam depois na rua para lá e para cá, em poses de rufia, nos estandartes, os simbolos egipicos, desfraldados,
a puta que vos pariu a todos
compram porventura quimicos de vossas drogas legais que vos encham os bolsos e vos alimentam as familias, ao egipicio ou a algum farao?
sabem alguma coisa das antigas alquimias feita com os preparados naturais
ou o caldinho e pilo, e o vaso e copo e a vareta , o saber das plantas, o amassar, o extrair , o misturar, o encontro da certa proproçao certa, nao é memoria já do passado, remetiada para as gravaura e simbolos que da vossa outrora arte,em moldurqas exposat na parede
masi a arte praticqueis, fazeis ainda preparadoeres, certamente que cada botica um pelo menos terá se ainda se prezar, coisa assim tipo inofensiva, pomada doirada contra os calos na loja do fara rao dos trezentos ali a campa de ourtique, super prodiuçao , talvel sic e companhia lda, umuma outra qulquer
sois agora meros revendedores de laboratorios, uns cursos , umas viagens e congerssos com massagens incluidas, agora , nºao, porque se moralizou, é preciso dexixra cair no esquecimento dos homens a memoria da vilania, e depois venia a multinacional, e sua ordem, e depois aem para a rua os galos a meu passar?
esqueceis ou pensia que algume j+a se esqueceu o que está aqui nest elivro da vida sobre quimicos, e medicamentos e pobreza, de que lado pensais estra, conttra a pobreza, pela erradicaçao da miseria, pela promiçao de cuidados de saude, continuaos, de qualidade, pela vida fora a todos, parece-vos dema'is?
sois assim cada um de voces tao grande, ou assim vos jhulgais, para se por mairo do que o que vai ao lado?
perdes-te no entratanto, as pernas, nao sabeis mais pensar, nao tendes coraçao, nai tendes nem ideia, nem meta, nem saber, za resignaçao já se aspspoosu totalmenbte de vos? saberei entao tratar-vos, pois como podeis trtatar de outrs se estais vos proprios doente
nem homens sao nem vao ou estao vivos,
ppois nao vos já dei eu noticia de como o bem fazer
alguem de vices contrapôs, o que fosse
ou o silencio dos que obedecem, é mais sagrado que a funçao do caduceu
desde que aqui nasci, que a questao da saude nunca se reoslveu, e o aqui é sempre esplho e imagme de um outro qulquer aqqui no uno mundo
e sempre a levar com tretas, hoje o topico é o ar r e ff e cimento previsto nos proximos tres dias, a falta de assunto
f al t a ne c ess sida dade de bem c u id ar
pa rec e-vos q ue h á fata de as sun t o?
s ob ra-v os te mp o?
vos nao sois homens nem estais vivos, pois aceitam que se vos impunha um vida de miseria a ver a desgraça ao lado e a sentir-se impontente, como um cancro que grasa na coluna vertebral de um home até o matar por impossibilidade de postura
porque aceitam ser geridos por actores deste calibre como so governates se apresentama nosso olhos, como deixa repubklica assim acontecer, viver neste pantano continuo de faz de conta, onde tudo está sempre mal, caminha para pior e nao apresneta melhoras nem cura
vos osi cumplice de tremndo cerime e fazeis perigar a vida a quase todos, pois os quimicas arificias aletram as quimicas natuarais, pois só em pripeiedade delas podemos dizer como naturais por terem sido feitas pelo mau egenho do homem, e pela cegeuria em nAo saber olhar o corpo pequeno como fazendo parte do grande e assim entendendo agir de foram inetliugente aproveitando que é ele é nas formas que cuidam das partes, ou pensai que a planta cuida do jardim
sendo que tambem o faz , pois nao existe uma sem a outra
vos nao sois homens , sois zombies, dependentes de toda as especies de quimicos que etsravassem em tudo aas lamelas, perderam a capacidade de sonhar, de tre imaginaçao activa e actiuvamte
porque ceitais viver em crescimentos negativos de todas as formas e generos
e aceitam que a republica seja dirigida por homens que nao só nao respietam a lei nem a fazem respeitar, num caso de rapto e tortura de um a criança, como nada conseguem de bem resover, cujo discurso, se resume , para afrente virá pior, isso todos o sabem e trazem sabido
mias razao daria a quem a republica foss e bem conduzida, ou melhro que a republica em seu todos conduzisse bem os assuntos, mas o sistema que vos aceitais, nao vos permite essa libberdade de acçao,
porque assim aceitais
poque aceitais este regime que se perveteu por completo,
onde um pequna ditadura que se alternam vinda sempre da mesma fonet, oprime uma enorma maioria e a condena como sisifo a viver estarngulado ao londe de tod a sua vida, e a entrestivcer pela eatdo do jardim
e das flores
os filhos
pokes, ce ta tais este pere reve t eu por c mp l e to, um pe q un a ditadura, f one cruz o prime da en norma maio ria e a conde en a c omo sis i fo à viver, es star rn gula ado ao primeiro inde de tod a sua vida epla comida td do circulo do jardim, os dos filhos
uma minoria que se tonou corruptora de tudo e gera corruptos e um imenso desperdicio de tudo e de nada
recessao, rima com depressao
que parte ainda nao percebestes, oh senhores que se dizem govermantes, ou que trazem vestidas vestes com essa aparencia de figuro, mas esquecerem se da forma
nao está ela consagrada nos principios da lei
comlo deixais ser governados por fora da leis
que ficam impunes
pr e ceb est es o h s en hor g ive r antes nastes figo to, ap ren cia , ponto da se da forma nao consagrada na lei
a regra é simples com a cristalian agua deve ser
antes de mais por saude,
nao recupera nenhuma economia ou mercado, que nao saiba as pedras que necessita para sua actividade ser bem feita, e que assim nao as traga bem assentes, sem primeiro recuperarem os homens a S Esperança
reco cop pera n en h uam da economia ou do mercado
Ela
É Todos os Dias Roubada
e Vos Deixeis
Ela
É Todos os Dias Vilependiada
e Vos Deixeis
E
Ela Nasce
Sempre
da
Verdade
e
Nao
Nasce
Em Outro
Campo
Nem
Com Outro Adubo
Vos Nao A Amais
Vos Nem Mesmo
Mais Sabeis Amar
E
Inventam de mim
na praça
o violento
o que trata
mal a mulher
vos viveis , sem viver,
vos viveis sem viver
ao assim nao viver
vos aceitais viver num negro faz de conta onde reina a impunidade e as decisoes impostas
vos sois nao só zombies como masoquitas
sem verdade estais sempre perdidos
Pois Amar Requere A Pedra e o Toque da Verdade
e vos viveis em bluff, dramas e boatos
assim fazem os combate com os galos
na rua a passear
quereis prescriçao para crescimento positivo
vos dou simples receita
me perguntando para que a vos dar
se em parte já vos dei
e planta ainda nao vi
voltai primeiro a ser homens,
recuperai vosso fazer
lembrai-vos do que era ser boticario
e à figura voltai
quereis investimento de progresso,
mudai a vossa escola
façam protocolos com as univerisidades
de trabelho serio de investsigaçao com metas
substituei gradualemente o uso dos quimicos
avançam com projectos conjuntos para suprir
a carencia em pelo menos com os paises africanos que falam a mesma lingua
facam bons negocios e resolvei os problemas
e façam pela saude de todos na parte que vos compete
uni vaso reis dad es de t r abe primeiro h o se rio em v t sgi sao, s ub bstir rue
i in gi a bo ns ne ego ciso r sol l
tec la, ligaçao e perfil
normal parece ser para vos todos, os que foram perdularios, nao terem nenhum tipo de castigo
e se pretexto da ajuda, pretextando tambem da ne ce sis dad de ajudar as empresas e as familias, pois o desemprego crescerá, e o mercado pelo explicado sem gás
na autoeuropa todos acordaram, diminuir a carga horaria quando a encomenda diminui, e ambas as partes e declaram felizes, a terceira parte, os que se comportam nas vezes como caes, nao concordam com o alheio, e até acham de achar dizer que é mau
e vivem os seres presos numa vida infernal, sem tempo para eles proprios e para os seus, para suas familias , para seus bebes
qual é o maior valor
pesanai bem cada um
O Imperio do Espirito Santo
duas co ia sas declara
mais logico ter o dia
a nomada
e
uma nomada
a noite
porque dez
sao os
passos
da
primeira
conta
darao horas maiores
o relogio
justo
em
nossa
pequenez
e
tamanha
arrogancia
a volta
completa
do ano
marca
o
tempo
nada de grave
Mais Tempo Sem Tempo
Terá Cada Beijo
outras menos
Assim
Um
Mesmo
À
Volta
e os cinco dias uteis
que
passem
a
quatro
Assim
Se
Quebra
o
Infernal
Ritmo
Em
Seu
Preciso
Meio



dizes que testastes o gel do orgasmo do sexo, nao faço ideia do que me dizes, nao conheço sexo, conheço amor de corpo em corpo, e gel de orgasmo, o que conheço, e muito beijar, muita lingua molhada, muito estar, muito mover, muito parado, muito sorrir, muita conversa doce, muito, muito, tudo, até ter orgasmos pelas orelhas, sabias que se pode ter um em qualquer lado do corpo





di ze es serpente testa seprente tate espanhola do circul do gek primeiro do ciruclo rato do gás mo do sexo, n cao f aco id deia doque me di ze serpente n cao c on he com do sexo, c on he co amo rato de corp circulo em corp circulo e gel, ge primeiro de o rato gamo, o q ue cc on he co em mu it circullo bei ja r mui t as l in gata ua mol homam ad a mui to es star, muito m over arto , muito para ado muti, mui to , todos, a tétr rato o ra gas mo serpente pe l as dos orelhas, sa an s argenti bia serpente q ue se p ode te rum em q qul q eu r l ado do cop circulo





testaram o sexo com gel, ou o gel do sexo sem ele, ou com o gel testaram qualquer coisa, ou coisa ainda outra, tipo teste multiplos, com cruzinhas à filandesa, para nao ser sempre a americana

t es tara aram circulo sexo do com do gel, ouo, gel da se do xo, s em mel el e, o vaso com circulo gel t es tara am ram q ual q ue ra co isa o vaso co isa a inda outra, t ip o te ste e mul t ip lo serpenet com das cruzinhas, apsotas, c ru zorro das xinhas da primeira fil da lan de sa para n cap se mr rp pea am erica ana

na imagem vejo um delta deitado com um angulo para baixo, dum quadrado de uma gaivota de dois ganchos, piratas, do acento do nono do for mula one do viver





na mage me do vejo br, primeiro q eta delta deitado, sim parce haver razao de culpa, com do primeiro ang gulo do para ba ix circulo do primeiro quadrado de primeira das gai vaso das otas de dois pi ratas ganchos do ac en to do nono o for mila do one do viver, es





da culpa , saberao eles e quem a soferu se foi caso disso, o sexo, ou outro





d ac u l pa s ane ra o el es se q ue em a sofe, sofi, sofia, eru sef o e caso di iss o o s e xo o uou tr o

de gel me recordo de uma embalagem pequenina aqui ao pe da porta deixada, no dia seguinte as formiguinhas faziam uma carrieo até ele, devia ter qualquer coisa que elas muitos gostavam, mas crio assim de memoria que era gel anl, que geralemnte trazem substancias que como que insensibilizam a pele





de geis, vos disse já, como digo de todos os quimicos, as sociedades, tem que se por muito masi claras em relaçao a estas materias, um dos problemas com alguns dos geis, dectatado outrora, era por exemplo trazerem em sua composiçao, substancias com limalha de aluminio, o que nao é nada de aconselhar a usar





de ge is v os di s se j acento primeiro com o di g ode de todos os qwuim micos, as sic soci e dad es te maqui maior quadrado ue se por mui to ma si da clara serpentes em relaçao, a e sta s mat e rias do primeiro dos por r e b primieo das emas serpentes com al gus sm n dos ge is dec tata ad o antigo e ra por e x em mp l o t ar ze rem em s ua com mo o sic sao s ub stan cias co, lima alha de l au mini circulo , lu , o q ue n cao +e n ada dea ac on sela homem ar primeira usa ar

vascina do collo , como aceitais , gente incluir uma vacina baseada na opiniao de genets dos ministerios, achais que muito abona e tema abonado a favor do seu rigor, vos sois loucos, a assim nao ir na republica

já puseram maquinas de perservativos nas escolas secundarias a preço acessiveis




circulo do ro do orti sm momo da kama da sutra do s e do xo do sexo oral , o bi do cirulo da p primeira varta as da tia do tua





kamasutra do sexo oral, é como lamber um gelado, ou comer ostas, masbos sao bons e devem ser bem deleitados, que vem de leite, que tanto dao as vaquinhas como os bois, nestas casos, e tanto a deussa como o ocolibri, sao muitos ensiveis e delicados, e pressa, para que, já dizia meu avo, se o prazer está em todos os caminhso de todos sos campos, e em todos os passos, e cehga sempre os rios ao mar, e voltam a chegar





o sexo mora na cabeça, a cabela mora no coraçao, oral vem de boca, e o copo é tudo,



aqui te deixo, um sexo oral de alma





sexo, palavra estupida, apresada, como liberatdor de tensoes, ou como fazer jogging ou levantra pesos





kamasutra, um livri de leiruta quase obrigatoria, pois obrigra é sempre feio, em todas as escolas, a partir da puberdade, para que os meninos e as meninas aparendam a saber de seus prezres e serem felizes, pois prazer é tambem felicidade







seus labios, um farol e um padrao dos descobrimentos, seus dentes uma casa, os mastros parecem ma racas de un a hd e amor, maritimas de barcos de amor, asism se vem sem se per ce br ao fundo, como o maxilar assim o es p ero,








aqui na noite, diziam alguns de si, que trazia copro de bebezinho, que coias curiosa, de se dizer, cop ros leitosos, leitinhos, peles suaves e doces, cheirinhos bons de aguas suaves de colonia, gus, guss dá dás,





ao certo a r e ps o sata certa a tal di z ze r, sempre ao nu, seria de se dar
em nua verdade , a verdade nua
Nao É Assim O Amor Belo
traria eu ou algum outro, alguma vez razao de mentir ou ocultar a quem se ama

verdade está sempre nua

charlize, ao lado, cabelo loiro cortado curto, vestido de asas de vestal,
ela escapou ao monstro
eu vi a minha mae matar meu pai

uma outra bela rapariga portuguesa nua em sua verdade, mas nao desnudada em corpo
mostra belo seio,
dela dizem as letras
que é a mulher mais sensual de portugal

sabeis vos que sensual é ser capaz de sentir
e que se o corpo sente ao ver a outra parte desnudada
muito mais sente o corpo que sente
e me dizei, brilhantes mentes,
em que unidada
comum
medis
o sentir
que é
só de
cada
um e
pelo amor
de
dois
e mesmo
tres

e
bela
é
a
expresao

de
sua
face


di z si, br ile h ant es men st es




na ilha distante a senhora com etsranha pernuncia inglesa dava conta que o seu país nao quer ac e it az r ac e it ar os presos de git mo, assim dizia do gato it mo,

e ninguem recuperou ainda o bom senso, quanto mais a proprosta moralidade que se propos de recuperar

o as f a s l to negro e as, pedras, ped as brancas desnha com um home passaro com cab el a de passaro


ugggg, a guerra cintinua


o diabo ontem me levou a uma tesrnha terra
te es rn h a terra

um homem apareceu na televisao a ler um comunicado
a traduçao dizia que estes eram os juros
da iminente vitoria
nao há vitoria alguma
que seja feita com corpos
de mortos
nao há vitoria alguma em nenhuma guerra,
pois todos sempre algo perdem
um mesmo
a
vida
na rua a frase dos dois lados era uma mesma
dizia uma jovem judia, que os arabes bom esam arabes mortos, e acrecenta-va que os arabes diziam deles um mesmo
equivalente odio
ferida continuada em largas luas
pus grande e perigo de contagio
o oposto aquilo que deveria ser
a convivencia em vivos
e o enterro de seus mortos
em seu tempo certo
que nunca é o das balas
no hospital palestino, o medico estrangeiro
queixa-se da falta de meios
algume já o consegiu ajudar
bebes e crianças enrolados em panos, e caixoes de pinho
acçao desproporcionada dizem alguns
relativo a quanto tempo, considerais
e todos os outros que sempre viveram a seu lado
e por todos os lados
o que dursante este tempo fizeram
nao é prova disso , o mutuo e profundo odio
o maior , o que se deseja a morte a outro
que é semrp um mesmo, o mesmo
quando assim é,
só uma receita funciona
uma terceira parte
que leva as partes
de novo ao acordo
quarenta anos
esperam aqueles dois povos
poderem viver em paz
o
que
esta imagem
claramente
sempre diz
e
o diz
muito
muito
tempo
é
que
quando
nao
funciona
a justiça
feita
em
paz
se
faz
a
guerra
quem garante as duas partes
a justiça
se nao
terceira parte
que sao
todas
as
partes
da
una casa
do
uno
viver
resolvei o que a resolver de vez e proponham-se faze-lo em forma seria e definitiva, com a seriedade e o empenho em que ambas o creiam
digam assim para variar, aqui agora ficamos
até que isto de vez se resolva
vamos lá dar os passos
diarios
para que tal se dê
eu por mim vos falo do sentimento que é viver
negando-nos a completa justiça e trazendo um filho roubado
e ser alvo de um persiguiçao sistematica feita por muitos
e um parte de mim, continua sem acreditar como é possivel, todos serem complacentes com este andar, com este completo mutismo como burros cegos que parece nem mais verem nem mais ter coluna ou coraçao, como me obrigais assim judicialmente a agir contra vos , na defesa de um filho
di ze ia ss em para, para nao variar
aqui do agora do fi cam os
queque
tique taque, tique taque fazem os desfazados relogios feitos por homens que nao sabem medir proporçao e impoem o tempo, ao tempo do universo,
med, ned di ira pro porcao
no inferno, um senhor vestido de vermelho, uma cauda pontiguada, e duas orelinhas como cornos está atras de um balcao frigirifico tipo talho, e quando dele vos aproximeis, vedes o belo e freco produto, que todos os dias sempre aumentará até a se fazer a paz
ele com um facao vai cortando os corpos, num lado bom bifinhos tenrinhos de bebe palestiniado ao lado e em cima e em baixo, de bifinhos tenrinhos de judeus, o custo é todo o mesmo, ele contente sorrir, pois tras assim muito com que alimentar os seus demonios
assim conta ele os dias, aos mil quilos de carne fresca de homens outrora inteligentes

dc crane
qaunto tempo o ireis servir, mais quarenta anos!

ora, aqui se ve o semi arco dos telefonesas, dos verdes, do carro de parta tralvez farnces do padrao dos descobrimentos e dos marinheiros que se fazem ao mar, o prime oo da gravaçao do segundo abc, o terceiro do quadrado do anzil do forte do duplo vaso do vermelho nas laminas das grades do corredor dos barcso

tele f one sas dos verdes caro da ar rta r rave zorro f ar rn c es do padrao
um serie de ondas dentro do circulo do clip, o obejcto que serve para prender e juntar



homenagem jkubrick,

no ceu das estrelas a peça que veio do espaço, de agora, é um telefone vermelho e negro que garvita no ceu sobre o sol de uma orelha laranja, no ceu estralado com um traço de trovao
no do ceu das estrelas da peça de la, que veio do es paço, de agora é relefone vermelho e negro
no c eu es c r ala do com primeiro traço trovao




ah amada, mad, a, é sempre bom ter um objecto deste num cais

parece faltar um parafuso na anilha





aqui a historia desvelava o seu lado mais negro, vaso do boys do boy serepnet do feicho da caixa da eletrecidade das ondas do mar, da tal festa, assim li, e do tal uz do sul , a e ts r al do sex to do motor do quadrado co rc circul do toiro , can iro cantor,
au ia hi s tor ia d e v sela ava o seu lado ma si negro, vaos dos boys do boy ser ep net fi ce ho da caixa de eletrecidade das ondas do mar

um outro se me desvelou, o do cliff richard, e de um relaçao entre o home bode pseduo juiz corrupto e ele, que o segundo seria um sef vi dor do prime rio, a isto iremos em outro lugar em forma masi d eta ala hd a, ou seja em maior contexto, mas maddie está outra vez ne s ts horizonte
cliff richard e r eca cao en t rei home do bode ps sed vaso do circulo do juiz corrupto












um palmeira colorida que alberga muitos filhos distintos, bom exemplo de coexistencia pacifica e bela



certamente as duas folhinhas se estavam muito a beijar





um delta deitado como um circulo invertido de um ferry, muitos houve
um chaveta e ou um fusivel num delta deitado




ah amada, na sala de espera do barco do infinito amor, te busco, sempre te busco, para contigo me fazer ao mar e amar

ontem creio que v o s vi , senhora, num carro em duas cores que parece um outro mas é distinto, estava ali a piscar e me prendeu o olhar, vos , na mala tirava coisas para sua casa, onde vos vi entrar, finalmente sei onde mora, e me pergunto porque, as vezes em cima no muro olhava e me perguntava onde seria, curioso, tantas vezes ali vou, as vierinhas,

fiquei a ver se era ela, assim me pareceu,
um cartaz evocava um toiro relacionado com um nome familiar
maria joao

um cinto sem fivela, dizia anaconda
ontem amada, te ouvi dizer pela noite, e nos queria ela afastar, aos dois, que dizer e que linha tao estranha, que me desvela algume que por ti se faz passar, como um jogo, um jogo que é prorposto ser jogado as cegas, a fazer de conta de ti, só isto desvela a perfidez
masi belo seria uma conduçao séria a ti
parece que nem masi sabem que trazem casas e numeros de telefones, e pombos correiros e directos dizeres
eu por mim te espero sem espera
a capa dizia, eu preciso de ter um amante, um só ou um outro com o primeiro?
esfomeado dizer,
parece uma negociaçao,
teresa e goncalo no livro do stau
condiçoes contractuais nupciais
e arte geometrica
que alguem ali
no livro fez
c in dc o es c on t rat tc ua aia n up cia is
fp foe

o quatro dedo do circulo da pedra da erva, em semi lua, em quarro decrecenete




contudo , ali estava ao lado da gare de belem a pedra da calçada, nitida em seu contraste com o alcatrao
c sl c ada co ns t satre




o circulo do hp da festa do infinito
faltam pedras no chao
a outro serviram
um chaveta
na festa
é
feita
no semi
circulo
do cano
do
para
choque
ou
para
do
choque



minha amada, quando tu chegas e me dizes assim nua, nuazinha, sou eu que te trago em meu coraçao, sou eu que abro contigo pelo amor as folhas das rosas ao passar, sou eu que escrevo para ti no ceu estrelado da noite, sou eu que brinco contigo, quando te digo em voz alheia que pt ro um h oe m assim n´s ova s mo sao tap e te, ima gin aia o o pormenor deli cado, cole ct iva, por posta de orgia no o hor zion te de quem o p es no u, mais um esfomeado, certamente
vaz alheia, pt ro

ah amada tanta fome de te beijar, pela noite profunda a voz, era , masi uma noite que ele nao veio ter comigo, e eu que tanto preciso dele, ah amada que bom see ria ouvir-te nos olhos tal dizer, e ter tua morada, melhor que precisar, é desejar, por querer, quere-se porque se quer, sabe bem, é bom
na montra os retratos como se aparelham a falar de semelhenças, no baile de mascaras, a bea l vera como angelina ou angelina como vera, ambas belas de se verem
rumores fervilham na cidade, assim como sempre pretendem deles tentar fazer a realidade, boatos postos intencionalmente a correr
s he, her, e, assim me contava uma nota ao passar
grrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr
passai para cá meu filho, meu direito à justiça
js justiça