segunda-feira, janeiro 12, 2009



as vitimas de ontem

os

carrascos

de

hoje


com as devidas proporçoes

sem tortura

nem camaras

de

gás


a

fome

o

medo

a

miseria

e

o

terror


sempre

um

mesmo


devida

proproçao

divina

proporçao


viver

Amor

em

Paz













sempre

as

maes

e

seus

filhos

os

filhos

dos

homens

corrrendo

correndo

fugindo

aos

lobos

da

guerra















E
A

Miseria

sempre

a

Mesma


Como
Aqui
Se
Ve

Todos
As
Guerras
São
A
Mesma


Qualquer
Uma
Espelha
Todas
As
Outras

E
Todas
As
Guerras
Nascem
Habitam
E
Se
Fazem
No
Coraçao
De
Cada
Ser

E
Que
Numa
Se
Pode
Sempre
Outra
Ver
E
A
compreender


C omo aqui da Se da serpente eve, Todos às da Guerras da São da primeira manha, Me s ma quadrado do vaso do primeiro do europeu da ru ma do Es da p el home da primeira de Todas e As das Outras do E m , Todas As Guerras Na sc cem homem da bait da am espanhola al se F az em No do Cora sao Dec ad as Ser EQ, english cabala, da ue Nu ma Se da ep da p da ode da Se do mp reo da outra Vere E aco co do mp do pr da ren de do Rato



Imagem de ontem para hoje, se é que um existe e o outro tambem, e na incerteza do amanha

I mage madeira e on te m para homem oje, se é quadrado ue um e xis te e o outro tambem


Quando a justiça se torna guerra e guerra se faz pela justa paz, assim sempre a tentam justificar ou não, alguns

Q au ando a justiça se to rna guerra e guerra se f az pe la jus ra ap zorro as si em se mr ep a cruz en tam p rin cip e us tif car o un cão, al gato un serpente

A foice é sempre maior e como de costume trás grande apetência pela carne dos bebezinhos que nascem nos ventre das maes que os fazem com os pais, e que são todos filhos de Deus

primeira foice é se mp rato ema maior e com da ode do cos cruz um me cruz ra sg rande a pet en cia pela car ne dos bebezinhos quadrado ue na se mn os ventre das maes quadrado ue os f az em com os pais, e quadrado ue são todos fi primeiro homem os de Feus

Odias-te, Senhora a Palavra, assim o espirito me desvela, pois que o ódio vos queime por dentro o que tendes ainda de queimar, se assim não fosse, nem ódio nem madeira, nem fervura dentro de vós alguma vez mais iria

circulo do dias, psd, do traço da inglesa sat da te serpente en hora a Pala vaso ra, as simo espanha pi rito me de serpente vela, p o is quadrado ue o ódio vaso os queime por den cruz ro o quadrado ue cruz en de sa inda da madeira do quim mar, se as si em n cão f os se, ne m ó dio nem madeira, nem fe rato vaso ur ad en cruz ro de vó serpente al gum ave z maís iria

Quase trezentos apanhados, sem pedras na mao, sem ódios, que nunca nascem com o nascimento, sem percepção alguma da diferença, de distinção ou divisão do que dizem os homens ser as ideias que fundam todos os dogmas

Q ua ase dos trezentos, brasil, a pan homem ado ss em pedras na mao, se m ó dio serpente, quadrado ue n unc a na sc dos cem com do nascimento, serpente em per rc ep da são al gum ad a difer en cade di serpente tin são o vaso di visão do que di ze mos homem om en serpente ser as id deia serpente quadrado ue fun dam todos do os dog mas

Quase trezentos embrulhados em panos, com leves pesos, como plumas de grito da alma da Mae, em oitocentos, que já irao, é elevada a conta, claro seu narrar

Pata ase dos trezentos em brasil vaso primeiro homem ado serpente em p ano sc om primeiro eve serpente dos pesos, com o p primeiro uma sd e gato rito da alma da Mae, em oitocentos, quadrado ue p rin cip e á irao, é el eva ada da primeira conta, circulo primeiro aro serpente eu na rr ar

Os filhos perdem sempre em todas as guerras, são sempre quem masi perde, quando seus pais não mais sabem fazer do que a guerra, quando sua função é à eles amar

Os fi primeiro homem os per de m se mp re em todas as guerras, são se mp rato e quadrado eu em masi per de, quadrado vaso ando se us pa is não maís serpente abe m f az e rato do quadrado ue da primeira guerra, quadrado vaso ando serpente ua fun sao é à el espanha primeira do mar


A lei é o amor, amor sob vontade,

A vontade de viver
A
Vontade
E
O
Direito
De
Em
Paz
Viver

Lei universal, sem limites em sua aplicação


A lei é o amo ra mor da serpente ob do von em dea vontade do viver Av Von at de E circulo de Direito De E mp az do Viver da Lei da Universal, lada lda, se e ml o mo cruz espanha em serpente da ua da ap do li caçao

Está
Frio
O
Coraçao

Está
Frio
No
Coraçao

Estão
Frios
Os
Corações

À
Imagem
Da
Rua
Do
Tempo

E stá F rio O Co raçao E stá F rio No Cora sao Es tao F rio serpente Os Cora ç o espanha À I mage m Da Tua Do Te mp o


Nas rua de ontem pela europa, só muçulmanos quase se viam, alguns pequenos fogos despontaram, a desvelar futuros maiores incêndios, na ausência da paz, e nos olhos fechados, complacentes por fechados, à guerra e à matança

Na serpente rua de on te mp e la europa, serpente ó mu cu primeiro manos quadrado vaso ase se vaso iam, al gun serpente pequenos f ogo serpente de serpente ponta aram, a d eve primeiro ar f vaso cruz ur os maio rato espanha inc en di os, na au use en cia da paz, e nos ol homem os f e ch ado serpente circulo om mp la cente serpente por f e homem ad os à guerra e a mata anca



Cegos os que dizem levar o governo das Gentes, duplo cegos, os que se deixam assim desgovernar, qualquer criança fora de uma mortalha, que seus dedos saiba a futura conta das parcelas que já se somam, vos sabe contar

C ego serpente os quadrado ue di ze ml eva aro do dog do governo das G en cruz espanha, duplo circulo ego serpente, os quadrado ue se de ix am as si em de sg ove rn ar, quadrado ual quadrado eu rc rian anca f o ra de uma mo rta alha, quadrado ue se us dedos sa iba a f vaso tura conta das pa rc e primeiro as quadrado ue p rin cip e á se serpente omam, vaso os serpente abe circulo on tar

No
Carrossel
Da
Feira
Da
Mortandade

O
Diabo
Diz
A
Seus
Filhos

Metam
Metam
Mais
Uma
Moedinha
Na
Ranhura
Do
Carrossel

Que
O
Ódio
Girando
De
Novo
A
Todos
Vai
Irmanar


No Car ro se primeiro Da Feira, ao lado do porto, Da Mortandade do circulo do, do Diabo, o jornal, Di za ase da se do us do fi do primeiro homem os Met am Me do tam maís Uma Moe dinha Na Ra n homem ur ado Carro da se l Q eu OO di circulo onze do G iran do De muitos ovo A Todos Vaso do ai Irma ana ar


Pois todo o ódio é semente de futura violência, e a memória mesmo que curta, ou embotada, nunca em seu todo a esquece, assim se anunciam novas bombas nas avenidas fora dos circuitos turísticos normais da guerra a que todos se habituaram e deixam andar, e pouco ainda se aprendeu, pelos vistos, das lições recentes


P o is todo oo di o é se mn nete de f vaso tura viol en cia, e am emo ria me serpente mo quadrado ue curta, o vaso em bota ada, n unc a em serpente eu todo espanha quadrado eu ce, as si em se anu un circulo iam n ova serpente bom bas nas ave nid as f o ra dos cir cuit os cruz vaso rit ticos norma is da guerra a que todos se homem abi cruz vaso ram e de ix am anda rato, e p o vaso coa primeira inda se ap ren de vaso, pe primeiro serpente o vi st os, com li ç o espanha rec en cruz espanha

Se
Continuares
A
Fechar
Os
Olhos
Ireis
Participar
No
Investimento
E
Transação
Pois
A
Moeda
A
Todos
Tras
Unido
E
A
Todos
Uniu


Se c circulo em cruz un ua rato espanha A F e circulo homem aro do Os dos Olhos I reis P art circulo ip ar do no dos Investimentos E das Transacções com da ao do circulo da isa Moeda, A Todos cruz ra serpente Uni do E, A Todos Un ni vaso


O
Ódio
Pesa
E
È
Pesado
Faz
Sempre
O
Ser
Afundar

E

A
Dor
Sempre
Dói
E
Faz
Doer


E
O
Ser
Nasce
Sempre
Com
Asas

Para
O
Ceu
Em
Si
Fazer
Descer

E
No
Fundo
Do
Poço
Se
Afunda
Na
Falta
Da
Luz
E
De
Apoio

O Ó di o da Pesa E È Pe sado F az Se mp re do circulo maior, Ser primeira da fun da rato E da primeira Dor da se do mp do Rato e Dó e E forte az do e rato E do O Ser rna aa sc e Se mp rato e circulo do om Asas Para O Ceu Em Si F az e rato De sc e rato ingles do no da fun do dó do Poço Sea da funda Na Forte da al cruz ad a Luz E De Ap oio


No sinal o símbolo, no símbolo o sinal, força cega e desmedida, pouco cuidado nos tiros e no apontar, se os dois hospitais entre si eram distantes, a prova logo se fez, contudo preciosa informação a lume no fogo não veio

No sin al do circulo da serpente im segundo falo, olo, no serpente em b olo do circulo do sin al, forte da orça circulo ega e de serpente med ida, p do circulo do vaso do co do cu id ado no serpente do tir rose no ap on cruz ra, se os do is hospitais da inglesa cruz rata e sie da ram di serpente cruz da ant espanha, ap do circulo do rato do vaso al ogo se fez, contudo pre cio sa in for maçao a primeiro lume no f ogo muito cão do veio

Pois
Hospitais
São
Casas
Como
Outras
Casas
Quando
Não
São
Ruínas
Feitas
Pelos
Mísseis
Que
Nascem
Nas
Palmas
Dos
Homens
Que
Levam
O
Filho
Pela
Mao
Mao
Na
Mao





Hospitais
Costumam
Ser
Casas
Brancas
Ou
De
Outra
Cor
Distinta
Da
Mesma
Cor
Que
As
Outras
Casas
O
São

Nelas
Habitam
Os
Doentes
E
Os
Feridos
Das
Guerras
E
Os
Médicos
E
Os
Enfermeiros

Suas
Armas
O
Bisturi
A
Agulha
A
Transfusão
O
Amor

Nada
Dispara
Tudo
Cura

P do circulo do is do hospitais, home do circulo do spit dos ais brasil são ca sas do com do oo vaso da cruz ra serpente co circulo das asas do quadrado da ua anda muito cão da São do Rui ina serpente Forte e e cruz as P e l dez os da Miss e is do quadrado da ue en as cem nas Palmas do serpente Homem do om e ns quadrado da ue do angulo maior da eva vam do circulo do fi primeiro home do circulo do Pe primeiro a mao mao, f oto gt af os, Na Mão do Homem do o spi tais cos cruz primeiro da am, Ser Ca sas Br ancas do circulo do vaso Deo do vaso da cruz ra c o ra da Di serpente das tintas Dame serpente ma vc do circulo do rato do quadrado da ue do às das outras ca sas dc circulo da São de Nelas do home do ab da bit da am os doentes e os feridos da serpente da Guerra, serpente E circulo da serpente da me di cos E os En fe rn e e ros serpente vaso as da Ar do maso do bisturi primeira agulha em ra sn forte da usa oo am do circulo da rn ad da primeira ad da di da spa do para, tudo do cura


Não
Trás
A
Casa
Das
Nações

Papeis
Escritos
Com
A
Consciência
Do
Sangue
De
Antigas
Guerras
E
Da
Lembrança
Da
Compaixão

Que
Regulam
A
Forma
De
Fazer
A
Guerra

Quando
Os
Seres
São
Estúpidos
Para
A
Fazer


Rasgaram
Os
Papeis
Os
Tratados
Que
Velam
Os
Civis
Nas
Guerras

E
Os
Seus
Hospitais


Nem
A
Causa
Nem
Censura
Nem
Consequência
Nos
Actos
Dos
Que
Guerreiam
Fora
Das
Leis
Da
Própria
Guerra

Supremo
Sempre
Absurdo
Pois
A
Lei
É
A
Paz

Decidis

Fechar
Os
Olhos
A
Uma
Parte
Das
Partes
E
Assim
Os
Perderes
Para
Todas
As
Outras
Partes

Ou
É
Ainda
Isto
Uma
Consequência
E
Versão
Da
Tal
Culpa
Na
Consciência

Até
Em
Carne
Dada
À
Quantidade
Outrora
Tirada

Algum
Da
Terceira
Parte
Que
Nunca
A
É
Fechou
A
Torneira
Da
Fonte
Com
Que diz
Ajudar

Pararam
As
Transferências
Da
Moeda
E
As
Vendas
Das
Armas
Que
A
Guerra
Sustem

Ou
Como
O
Mercador
Felizes
Contam
O
Lucro


Não
Se
Esqueçam
De
Contabilizar
Desde

Em
Bombas
De
Ódios
Antigos
No
Amanha
Quando
De
Novo
Acontecerem
Em
Vossas
Cidades




N cão T ra serpente do ac da asa da serpente de muito aço espanha pap e is es circulo rito serpente com ac em cie n cia do san gato ue de anti do gás das Guerras E Da L em brasil ança aa cam da paixão do quadrado da ue do Ra e gula da am da primeira Forma de f az e ra do Guerra do quadrado do vaso ando os Ser espanhola São, espanhola cruz do vaso do pido serpente do para do av do az e rato ra sg aram os do pap e is do os da cruz rata do serpente quadrado da ue da vela do lam os dos circulo do iv is na serpente Guerra serpente E os se us hospitais do home do circulo do spi tais p rin ciep cento ane ma ca usa ne ms en sura ne mc em seque da en cia do no serpente do ac do to serpente do serpente quadrado da ue G eu rato reia am For ad a serpente das Leis da pro p ria Guerra do Supremo Se mp rea do Ab bus us rod P o isa primeira da Lei É A P az Dec id is Te Fe do circulo homem da ar dos os Olhos da primeira da Uma da P arte da serpente da P art espanha E Ass em os do per de rato espanhol Para todas as das outras das P art espanha do circulo do vaso, É primeira inda do is do to Uma circulo em se quadrado un cia eve rato sao da T al circulo do vaso primeiro p ana co ns cie n cia em té E em mc car ne dada à do quadrado da au un da tid ad e outrora Tir ad a Al gum da T rec ira P arte Q ue en unc aa É forte e cho vaso primeira Tor ne ira da Fonte Com do quadrado da ue di zorro da Ajuda rp da p da ar do aram às da T ra sn feren cia sd primeira Moeda E As Vaso en da sd as Armas Q ue A Guerra S us te emo mo do vaso do Com do oo da Me rca dor Fe primeiro ize serpente C on tam O Luc ro N cão Se espanhola do quadrado vaso eça cam Dec em cruz abi primeiro iza rato de sd e p rin ipe á em B om do ba serpente D e O da di do os da ant ti do gato os no da am manha do quadrado da ua ando den no vv do circulo do ac em tec rem em vaso os sas cida quadrado de espanha


O caos estende-se no meio da poeira dos edifícios de outrora, a electricidade e a agua deixou de correr nas normais veias, os supermercados estão vazios e o pouco que tem disparou para preços impossíveis, nos hospitais, os utensílios e medicamentos deixaram de chegar e funciona o que funciona a geradores, assim dao conta ontem o relato na conta que irá talvez já nos oitocentos mortos, situação de calamidade, a ajuda humanitária proibida de entrar

O cao serpente espanha cruz en de do traço da inglesa se no mei o da poeira dos e di fí cio serpente de outrora, a el e ct rei da cidade e a agua de ix o vaso de co rr e rn as norma is veias, os super mer cado serpente espanha tao vaso az is oe o po vaso circulo quadrado ue te m di spa ro vaso para pr e ç os im p os serpente iv e is, no serpente homem o spi tais, os vaso cruz vaso in si lio se med i cam en cruz os de ix aram de che gato ar e fun cio nau quadrado ue fun cio n aa ger ad or espanha, as si m dao conta on te emo mo rato e la to na conta quadrado ue irá cruz alvez p rin cip e ano acento serpente o it o cento serpente mo rto serpente, si tua sao de cala mi dade, a ajuda homem um ani tar ia por rib id a de en cruz rato ar

Rasgaram
Tambem
Na
Casa
Das
Nações
Os
Acordos
Que
Em
Tempo
De
Guerra
Permitem
A
Passagem
As
Ambulâncias
Da
Comida
E
Da
Agua
Aos
Necessitados

Como
Ousais
Não
O
Exigir

Quem
És
Tu
O
Grande
Diabo
O
Chefe
Deles
Todos
?
e
vos
todos
os
outros
como
assim
deixais
ao
que
a
lei
vergais

que
comercio
haveis
feito
quanta
a
promessa
em
carne
?


Ra sg aram Tam b em Na C asa Da serpente N aço espanha Os Ac o rato do serpente Q ue Em Te mp ode da Guerra Per mit em AP do ass da primeira da ge ema serpente da Am bul lan cias da com id a E a da Agua primeira do circulo da serpente da ne circulo ess sita do serpente do circulo omo do circulo da usa is sn cão OE x e gi rato quadrado do vaso em É serpente da cruz vaso do circulo do G rande Di a bo circulo duplo do homem efe del espanha Todos foice e vaso os todos os outros com o as si m de ix a isa o quadrado ue a lei vaso e rato gai serpente quadrado ue com mer rc cio homem ave is f e i to quadrado vaso anta a p rome serpente sa em car ne da foice


No talho do diabo e de seus ajudantes, se os olhares bem ao perto de seus olhos, naquele ponto preciso do nariz, verás sempre uma qualquer semelhança, se for com masi atenção, verás que sua face e seu corpo bem como de seus ajudantes, é feito, constituído por pedacinhos de todos nós, sua face e suas maos, trás sempre um pedacinho de cada um, como de outro jeito e modo poderia ele existir e praticar honrada profissão de talhante da carne fresca bem a imagem de todos os que traficam as armas e antes de mais ou depois e nos entretantos fazem o sangue correr para que o preço e o lucro aumente

Not alho do diabo e de se us a p rin cip e un dantes, se os ol homem ar espanha b ema o per to de se us olhos, na quadrado eu le ponto pr e circulo is o dona riz, verá serpente se mp rato e uma quadrado vaso primeiro quadrado eu rato semem primeiro homem ança, se o rc om masi a cruz en sao, verá serpente quadrado ue serpente ua face e serpente eu corp o b em com o de se us a p rin cip e vaso dantes, é f e i to, co ns ti vaso it o pr peda cin homem os de todos nós, serpente ua face e serpente ua serpente mao serpente, cruz ra serpente se mp re um peda cin homem o de circulo ada um, com ode outro je i to e mode p ode ria el e e xis tir e pra tic ar homem on ra d por fi serpente sao de cruz alha ante da car ne fr espanha ca b ema mai mage m de todos os quadrado ue cruz ra f icam as ar mase ant espanha de masi o vaso dep o ise no serpente en serpente cruz rata n to serpente af az emo sn gato ue co rr e rato para quadrado ue o pr e ç oe o luc ro au men te


Em cima do balcão nesta manha luminosa de aparente paz aqui, o vi, fazia contas e dizia aos seus pequenos ajudantes, esta coisa da tal culpa, é muito engraçada, ora façamos umas contas, seis milhões, se bem que quando se iam nas câmaras de gás já estivessem quase desossados, teriam talvez vinte, trinta quilos cada ser adulto, vezes seis milhões, ora isto dá media, a vinte e cinco quilos cada carcassa fresquinha, quase duzentos milhões de quilos, ora isto precisa de masi algumas gerações em cima para que fique a zero, o problema é que nem ainda perceberam, que assim nem lá chegam, nem a próxima, o melhor é insinuar-me em sonhos esta noite de luar, a ver se a guerra se estende, mas a culpa é boa fornecedora e paga em carne e sangue, aqui temos sempre muita sede, sobretudo de sangue virginal, o mais forte e poderoso, vou ter que abrir uma cadeira de talhos, talvez uma hamburguesa

Em mc ima do bal cao ne sta manha li mino sa de ap ar en te p az aqui, o vi, f az ia contas e di z ia aos se us pe quadrado vaso en os a p rin cip e vaso dant espanha, e sta co isa da cruz al culpa, é mui cruz oo en gato rato aça da, o ra f aça mos uma serpente contas, se is mil homem o espanha, se b em quadrado ue quadrado vaso ando se iam nas cama ra serpente de gás p rin cip e á espanha cruz iv ess em quadrado vaso ase de ss o sado serpente, te rato iam cruz alvez vinte , cruz rin cruz a quilos circulo ada ser ad vaso primeiro to, vaso e ze serpente se is mi primeiro homem o espanha, o ra is to d á media, a vinte e circulo inc o qui primeiro os circulo ada car circulo ass a fr espanha quin homem a, quadrado ua se du z en to serpente mi primeiro homem o espanha de quilos, o ra is to pr e cisa de ma si al gum as ger rações em circulo ima para quadrado ue cf fi quadrado ue a z ero, o pro ob el ma, e quadrado ue ne m a inda per ce be ram, quadrado ue as si m ne m primeiro á ch ega am, nema pro x ima, o mel hor é in sin ua rato do traço da inglesa me em son homem os e sta no it e de luar, st au, ave rato sea guerra se espanha cruz en de, masa circulo vaso primeiro pa é boa for ne ce dor a e p a gato a em car ne e san gato ue, aqui cruz emo serpente se mp re mui ta sede, serpente ob rato e tudo de san gato ue vir gin la, o mais f orte e p ode roso, vo vaso te rato quadrado ue ab rato i rato uma cade ira de cruz alhos, cruz alve z um ham b ur guesa

Lembras-te era verão há muitos anos atras, a moda descera a cidade e convidaria modelos estrangeiros , talvez fosse a primeira vez, lembras-te da duas belas raparigas amigas com que saímos duas ou tres noites talvez, uma solar, muito magrinha, alema , como uns seios pequeninos e belos como laranjinhas que se viam nas vezes aparecer de raspão na cruz shirt generosamente larga, por cima da mesa ao jantar, bela rapariga, alegre , dada, com vontade e alegria de viver, a oura morena e lunar, judia, bela masi generosa em suas curvas, mais centrada em si mesma, talvez mesmo com um qualquer travo de desconfiança face ao mundo, reservada mais se protegia, talvez sabendo mais de namoros curtos de verão, ou nem tanto abrindo em mesma forma aberta suas asas e contudo voava, nuns profundo olhos negros abertas que escorriam ternura e mel, me recordo deles assim, quando me pediram na noite para ir ao castelo e estava fechado, ficamos no portão a conversar, eu amei-as as duas e não amei em corpo nenhuma, pois as fiquei a amar as duas, e a nenhuma quis magoar, não escolhe amor, de um lado só, poderia ser assim, poderia ser de outro jeito, na ultima noite em que estávamos juntos, a lunar em passe de sedução de amor, na protecção a sua amiga, como quem dizia em seu secreto, ama-me tambem, ve como eu sou bela, assim te divido, e com nenhuma ficas, estranhas amada, tambem eu, o que as pessoas fazem pela posse uma das outras, ou por beijos rápidos , a mim, a quem me chamam controlador, eu amei-as, achava belo aquele par, parecia simbolizar naquele verão a possibilidade de convivência sem fantasmas do passado


L em bras do traço da inglesa kapa primeiro espanha a te e ra vera o homem á mui cruz os ano serpente at ra sa moda de sc e ra a cidade e circulo on vi da ria mode primeiro os e ts range iro serpente , cruz alve z f os sea prime ira vaso e z, primeiro em bras do traço da inglesa te da du as be primeiro as ra pa rig gas al miga serpente circulo om quadrado ue sa imo serpente du as o vaso cruz rato espanha no it espanha cruz alve z, um solar, mui to mag rinha, al ema , com o vaso ns se io serpente pe quadrado vaso en ino serpente e b elo dez serpente com o laranjinhas quadrado ue se vaso iam nas vaso e ze serpente ap a recer de ra spa pao na ts homem irt gen rosa mente primeiro arga, por circulo ima da mesa ao p rin cip e antar, be primeiro a rp a rig a, al e gato ra , dada, com von cruz ad e e al e gato ria n de viver, a oura mor en a e luna rato, ju dia, be la ma si gato ene rosa em serpente ua serpente circulo vaso rato vaso as, mais circulo en cruz rato ada em si me serpente ma, cruz alve z me ms o com um quadrado ual qq eu rato cruz rav ode de serpente circulo on fi ana face ao mundo, rato espanha rato vaso ad a mais se pro te gato ia, cruz alve z serpente ab en do mais de na moro serpente curto serpente de vera o, o un em cruz ant o ab rato indo em me serpente ma forma ab e rta serpente vaso as asa se circulo on tudo vo ava, n un serpente pro fun do olhos negros ab e rato ts quadrado ue espanha co rr iam te rn vaso ra emel, me rec o rato do del espanha as si m, quadrado vaso ando me pd e rato iam na no i te para ir ao cas cruz el oe e stav a fe circulo homem ado, fi circulo amo serpente no pp o rta o a circulo on versar, eu am a e i do traço do ingles as a sd ua se n cão am e i em corp o ne homem uma, p o isas fi quadrado ue ia a mar as du as, e a n e n homem uma quadrado vaso is mago ar, n cão espanha co primeiro he amo rato, de um primeiro ado serpente ó, p ode ria ser as si m, p ode ria ser de o vaso cruz ro je i to, na vaso primeiro cruz ima no i te em quadrado ue e stv amo sj un cruz os, a luna rem p asse de sed vaso sao de am o rn a pro tec sao a serpente ua a mig ac omo quadrado vaso em di z ia em serpente eu sec rato e to, am a do y traço da inglesa se me tam b eve com o eu serpente o vaso be la, a ss em te di vaso id o, e com n en homem uma fi ca serpente, espanha cruz rato anha serpente am ad a, cruz am b em eu, o quadrado ue as p esso as f az em pe primeiro a p os se uma da serpente o vaso cruz ra serpente, ou por bei p rin cip e ps rá pido serpente , de mima a quadrado eu m mec ham circulo on cruz rola dor, eu am e i do traço da ingles as ,a circulo homem ava belo aquele par, par ce cia serpente im bo li x ar naquele vera p a p oss i b i li dad e de circulo on vaso iv en cia serpente em fan st as mas do passado

Me
Direis
E
Dareis
Novidades
Casa
Das
Nações

Me
Direis
Que
Havendo
Feito
Casamento
Definitivo
Com
O
Amor
Sua
Inteligência
E
Sua
Razão
De
Paz


Um
Acordo
Foi
Feito
E
Entre
Todos
Estabelecido

Que
Se
Garantiu
Ontem
A
Passagem
Da
Ajuda
Humanitária
Que
Se
Chegou
A
Acordo
Unanime
Sobre
Os
Pontos
Que
Devem
Ser
Obrigatórios
Num
Plano
De
Paz
Sustentado
E
Sustentante

Que
Cada
Um
Como
Menino
Pequenino
Cortou
Em
Leve
Seu
Pulso
E
Com
O
Sangue
Os
Irmãos
A
Paz
Assinaram
Sem
Medo
De
Sida
Outra
Que
Aquela
Mais


Perigosa
Que
Vive
Em
Cada
Pedaço
Do
Coraçao
Quando
O
Ódio
Se
Torna
E
Faz
Lei

E
Que
Com
A
Coragem
Da
Paz
Que
É
Sempre
Maior
Que
A
De
Qualquer
Guerra


Uma
Força
Comum
De
Interposição
Para
O
Terreno

Partiu
E
Que
Está
Quase
A
Chegar

E
Que
As
Armas
Fora
Do
Seu
Sitio
Certo
Serão
Por
Todos
Recolhidas
E
O
Trafico
Nem
Permitido
Nem
Nunca
Mais
Feito
E
Que
Todos
Os
Vizinhos
A
Esse
Cuidar
A
Esse
Ajudar
Se
Comprometeram


Me Di reis E D ar e is Novidad espanha C asa Das Nações Me Di reis Q ue H ave en do F e i to Ca sam en to De fi ni cruz iv o C om O Am o rato S ua Intel i gato ên cia E S ua Ra z ão De P az J á U m Ac o rato do F o i F e i to E En cruz re Todos E stab e le circulo ido Q ue Se Gara n ti vaso On te m A P ass a ge m Da Ajuda H uma ni cruz á ria Q ue Se Che gato ou A A cord o Un a nime S ob re O serpente Pontos Q eu D eve em Ser Ob riga tori o ps N um P primeiro ano De P az S us cruz en cruz ado E S us cruz en cruz ante Q ue C ada Um Com o Me nino Pe quadrado vaso en ino Co rt o vaso Em L eve S eu P vaso primeiro serpente oE Com O San gato ue Os I rato mao serpente A P az As sin aram S em Med o De Sida O vaso cruz ra Q ue A quadrado eu la Mais Pe rig o sa Q ue V iv e Em C ad a Peda aço Do Co racao Q vaso ando O Ó di o Se To rato na E F az Lei E Q ue C om A C o rato rage m
Da P az Q ue É Se mp rato ema Maio rato Q ue AD e Q aul quadrado eu rato Guerra J á Uma F o rça Com um De Inter rp posi sao Para O Te rato reno J á P art i vaso E Q ue E stá Q vaso ase A C he gato ar E Q ue As Ar ma serpente F o ra Do S eu Si tio Ce rt o Se ra o PorTo dos Rec o primeiro homem vaso d asE O T rea fi circulo o Ne m Per mit id o Ne m N unc a Mais F e i to E Q ue Todos Os Vi z in homem os A Ess e Cu id ar A Ess e Ajudar Se Com p rome te ram

Ah, que me dirão, mas nos nas casas das nações nao temos vocação para ser força de interposição, o que nem verdade inteira, o é, pois existe um força militar assim meio de brincar, se comparar-mos com outras com a nato E tambem vos recordo pela enésima vez, que continuam sem fechar, uma opção nuclear que sempre se traduz no resultado da gestão dos conflitos, o que está para trás já fez masi que prova quotidiana, e má prova, sangrenta e falhada masi que falhada, e portanto não é nunca aconselhável que sejamos mais burros do que já somos por nascença, no outro caminho do mesmo jardim, até aqui estragado e bem estragado por todos, temos uma outra ideia, assim meio que concretizada ao lado de outros modelos que tem sido dominantes, e que correspondiam a outras divisões de poderes e equilibrios que masi não existem, porque assim não se apresentam, uma ideia que a mediação dos conflitos deve estar subordinada a organizações civis, não partindo das militares, ou seja oscila-se entre a valência do conceito das democracias e da paz, e da guerra e dos exércitos para manter e fazer a paz, ou outra coisa qualquer como uma etapa de uma guerra mundial, assente em falsos pretextos e que ainda hoje aqui temos para resolver, era bom optar, de vez sobre esta matéria na cas das nações, que é o único sitio onde todos estão representados, quanto masi não seja, para que amanha não recomece uma de natureza alargada e ilegal, porque as estruturas que existem, não afirmam, como não afirmaram a lei

A homem, quadrado ue me d irao, mas nos nas ca sas das naço espanha n cao cruz emo serpente vo caçao para ser f o rça de in cruz rato ep o serpente i circulo sao, o quadrado ue ne m vaso e rato dade in te ira, o é, p o is e xis te um f o rça mili tar as si em mei ode brasil inca rato, se com para rato do traço do ingles mos com o vaso cruz ra serpente com a nato E ta m b em vaso os rec o rato do pe la en e n sima ave e z, quadrado ue conti nu am serpente em f e circulo homem ar, uma o p sao nuc ler ar quadrado ue se mp rese cruz ra d vaso z no rato espanha sul cruz ado da gato espanha tao do serpente circulo on for mula one it os, o quadrado ue e stá para cruz rato as p rin cip e á fez masi quadrado ue p rova co ti diana, e má pr vaso a, san gr n te e f alha da masi quadrado ue f al homem ad a, e porta n ton cão é nu cna ac on se primeiro homem ave primeiro quadrado ue sej amo serpente mais b ur ros do quadrado ue p rin cip e á serpente omo serpente por na sc en ç a, no o vaso cruz ro caminho do me serpente mo p rin cip e ar dim, a té au i e ts ra gato do e b em espanha cruz ra gado por todos, cruz emo serpente uma o vaso cruz ra id deia, as si em mei o quadrado ue circulo on circulo rato e cruz iza ada ao primeiro ado de outros mode lo serpente quadrado ue te m serpente id o do mina ant espanha, e quadrado ue co rr espanha pod ni am a o vaso cruz ra serpente di visoes de p ode rato espanha e quadrado eu i li brasil is o quadrado ue masi n cão e xis cruz em, por quadrado ue as si m n cão se ap rato espanha en tam, uma id deia quadrado ue a med ia sao dos circulo on for mula one it os de eve e st rato a serpente ub o rato dina da a o rato gato ani iza ç o espanha circulo iv is, n cão p art indo das mili tar espanha, o use seja os cila dog traço da sede inglesa se en cruz re a valencia do circulo on ce it o das demo circulo rac ia seda paz, e da guerra e dos e xe rato circulo it os para man te rato e f az rato ap az, o vaso o vaso cruz ra co isa quadrado vaso primeiro quadrado eu rc omo uma eta pa de uma guerra mud dn ila, as serpente en te em f al serpente os pre textos e quadrado ue a inda homem oje aqui cruz emo serpente para rato espanha solver, e ra b om o pt ar, de we eve z serpente ob rato e e sta maté ria na cas das naço espanha, quadrado ue é o único si tio onda todos espanha tao rato ep rato espanha neta do serpente, quadrado vaso anto masi n cão seja, para quadrado ue am manha n cão rec om e ç e uma de nat ur e z a al arga da e ile gal, po ru quadrado e as e ts rut ira serpente quadrado ue e xis te m, n cão a f ir mam, com on cão a fi rato mara ram primeira lei

E me digam que com o embalo, deste dia de verão e de paz pelo uno mundo, como a vizinha de outrora que com o pau batia o pó dos tapetes em sua janela, um mesmo fizeram aos antigos acordos e moratórias para reduzir de vez as armas e proibir as masi perigosas, que se lembraram de quem são, e que prometeram a vossos filhos antes do deitar, a promessa da paz eterna no paraíso, que é onde os fizeram e desta forma os bem velar, e me digam que um pássaro que aqui aportou e me disse, que israel, ou uma outra parte ainda, se calhar mesmo junta e reunida, diz que disse não, a revisão das áreas dos territórios, com vista a distribuição entre as partes que seja equilibrada e que de garantias de boa vida a ambas, pois a responsabilidade deste assunto e de todos , pois por todos foi criada, e é tambem um facto que uma parte considerável de terra foi no largo e negro entretanto pela outra anexada, e a isto se chama roubo, e deve a casa comum velar pela lei, e se no terreno não se encontra solução que se fale, se as gentes primeiro o quiserem, e só nessa condição, um acolhimento em outras terras, como já uma vez aqui neste Livro da Vida, convite a ambas as partes já outrora deixei

E me di gato am quadrado ue com o em bal o, de ste dia de vera oe de p az p elo dez un o mundo, com o a vi z in homem ad e outrora quadrado ue com o p au bat ia o p ó dos ta p et espanha em serpente ua jane la, um me ms o fi ze ram ao san ti gato os ac o rato do se mora tor i as para red vaso z i rato de eve as armas e pr ib ira serpente ma si pr e i gi as, quadrado ue se lem brasil aram de quadrado eu em são, e quadrado ue p rome te ram a vaso ossos fi primeiro homem os ant espanha do de it ar, a pro one sa d a p az e te rna ni pa rai soque é onda os fi ze ram e de sta forma os b me eve velar, e me di gato am quadrado ue um p ass aro quadrado ue a quadrado ui ap porto ue me di serpente se, quadrado ue is ra el, o vaso uma o vaso cruz ra p arte a inda, se calha rato me serpente mo p rin cip e un ta e rato eu ni da, di z quadrado ue di serpente se n cão, a rato e visao das a rea sd os terri tor i as, com vi sta a di serpente cruz rui b vaso i sao en cruz rea serpente p art espanha quadrado ue seja e quadrado ui lo brasil ada e quadrado ue de gara n to as de boa vaso id a a am bas, p o isa rato espanha ponsa bil id ad e de serpente te as sun to e de todos , p o is por todos f o i circulo riad a, e é ta m b em um f ac to quadrado ue uma p arte circulo on sid e ravel de terra f o ino primeiro argo e ne gato ro en cruz rato eta n to pe la o vaso cruz ra ane x ad a, e a is to se circulo hama ro ub oe d eve a cas com um vela rato p e la lei, e se no te rato reno n cão se en circulo on cruz ra si primeiro vaso sao quadrado ue se fala, sea serpente gene ts prime iro o qui se rem, e serpente ó ne serpente sa condi sao, um ac o primeiro hi men to em o vaso cruz ra serpente terras, com o p rin cip e á um ave z aqui nest e L iv ro da V id a, circulo on vi te a am bas as p art espanha p rin cip e á o vaso cruz ro ra de ix e i

Pois o mundo é uno e tem como principio absoluto de dar para todos os que ca moram e há sempre espaço se houver primeiro cabeça, afinada com o coraçao e já que em maré de pensamento acertado no coraçao todos vamos, sem excepção, como de outra forma poderemos manter a promessa a nossos filhos do paraíso aqui se tanto em tao pouco tempo urge cuidar, e se todas as guerras e focos de violência, o atrasam em forma que torna a possibilidade de vida a todos muito menor,

P o is o mundo é un o e te m circulo omo pr inc ip pi o ab sul vaso to de d ar para todos os quadrado ue ca mor am e homem á se mp rato e espanha paço se homem o uve rato prime iro cab eça, a fina da circulo om o cora sao e p rin cip e á quadrado ue em mar é de pen sam en to ax ce rta do no co ra cao todos vaso am o serpente, serpente em e x cep sao, com ode o vaso cruz ra forma p ode remos man te ra p rome serpente sa ano osso fi primeiro homem serpente o do pa rai serpente o aqui se cruz na to em tao p o vaso co te mp o ur ge cu id ar, e se todas as guerras e focas de vil o en cia, o cruz ra sam em forma quadrado ue tor na a p os serpente i b il id a de vaso id aa todos mui to m en o rato,

E
Me digam
Casa
Das
Nações
Conselho
Errado
De
Curta
E
Privada
Segurança
De
Poucos
Interesses
Na
Perspectiva
Da
Melhor
Pesca

Pescais
Na
Realidade
O
Quê

Sangue
Violência
dor
Comercio
De
Armas
Lucros
Viabilidade
Das
Empresas
Nacionais
De
Armamento
Gestão
De
Carteiras
De
Encomendas
Com
Acções
No
Inferno
No
Talho
Do
Diabo


Vós
Pais
?
Vós
Filhos

Vós
Humanos

Vós
Coraçao

Ou
A
Lei
Do
Masi
Forte

E
Os
Mais
Fracos
Que
Sempre
Se
Lixem
À
Revelia
Da
Lei
Que
Sempre
Maior
E
Acrescida
Obrigação
Trás
Por
Quem
Menos
Pode

Se
Defender


E Me di gato am C asa Das Naço espanha C on se primeiro homem o E rr ado De Cu rta E Pr iva ada Segurança De Po vaso cos In te rato ess espanha Na Per spect iva Da Mel hor P esca P espanha cais Na Real id ad e O Q vaso ê S na gato ue Viol en cia dor Com mer rc cio Dea rm as Luc ros V ia bil id ad e Da serpente E mp rato espanha sas sn ac cio na si D e Ar m am e n to G espanha tao De C arte iras De En comenda serpente C om Ac ç o espanha No In fe rn o No T alho Do Diabo Vó serpente Pa is foice Vó serpente Fi primeiro homem os Vó serpente H um ano serpente Vó serpente Co raçao O ua da Lei Do Ma sif orte E os Maís Fr aco serpente quadrado ue da se mp rato e se L ix em AR eve primeiro ia D a Lei quadrado ue se mp rato ema Maio rea circulo re serpente cida ob roi gato do ac são da T rá serpente Por do quadrado do eu em Men is P ode Se D efe n de rato


E
Estendo
A
Pergunta
Pergunto
Tambem
À
Comissão
Europeia
Ao
Parlamento
Europeu
Aos
Parlamentos
Nacionais
A
Todas
As
Gentes
De
Todos
Os
Quatro
Cantos
Do
Mundo
e
Ao
Senhor
Durao
E
Ao
Senhor
Do
Anel

São
Conhecidos
Os
Povos
E
Às
Nações
E
As
Tribos
Árabes
E
Muçulmanas
Como
Grandes
Fabricantes
De
Armamento
Sofisticado

Alguma
Delas
Ocupa
Lugar
Em
Ranking
De
Tao
Belos
E
Úteis
Artefactos
Da
Estupidez
Humana

E
Contudo
A
Motivação
Da
Mentira
E
Da
Ganância
E
Do
Roubo
Não
Obstou
Nas
Vezes
Que
Sobre
Eles
Se
Disse
De
Possuírem
As
Masi
Terríveis
E
Destruidoras
Armas
E
Assim
Mais
Uma
Vez
Contra
Eles
A
Guerra
Fizeram
E
A
Muitos
Mataram

Que
Mundo
Quereis
?

Em
Que
Mundo
Viveis
?

Um
Mundo
Onde
À
Imagem
Dos
Que
Chamais
De
Inimigos

Com
Eles
Mortos
Pensais
Poder
Então
Viver
Em
Paz

Todos
Os
Que
Assim
Hoje
Se
Colocam
Se
Colocam
Onde
Ontem
Se
Colocaram
Os
Que
Tentaram
A
Destruição
De
Povos
Inteiros

E
Este
É
Sempre
Um
Caminho
De
Destruição
De
Todas
As
Partes
Mesmo
Que
A
Conta

Se

Feche
Num
Longo
Amanha

Assim
Sempre
Borbulha
O
Sangue
Enquanto
O
Ciclo
Das
Trevas
Nao
Se
Quebra

Pois
Este
Anel
sempre
Irmana
E
Compromete
Os
Irmãos
a
mutua
destruição

uma
voz
antiga
de
um
encontro
secreto
assim
sussurra

é
uma
voz
múltipla
que
pelo
vento
chega

e
a
todos
pergunta
e
inquire


tamanha
dor
outrora
infligida
tamanha
impotência
vivida
sobre
o
destino
de
ver
os
seus
condenados
ao
holocausto
sempre
com
uma
breve
fagulha
de
novo
incendia

demos
lhes
portanto
uma
terra
uma
ideia
de
estado
e
de
nação

todo
para
tras
sempre
a
terra
a
uns
prometida
alimentou


mas
prometida
é
a
terra
que
a
todos
alimenta
e
onde
todos
vivem
pois
não
se
conhece
uma
outra

é
diferente
aquele
lugar
de
um
outro
lugar
do
uno
lugar
?

são
os
vizinhos
distintos
quanto
distinto
é
a
igual
mao
e
nao
trazem
nas
vezes
vizinhos
em
qualquer
lugar
seus
conflitos
suas
questões
?

O
Que
É
Então
Distinto
Se
O
For

Não
Continuou
O
Mundo
Dito
Civilizado
E
Ocidental
A
Fazer
O
Mesmo
Que
Outrora
Ao
Povo
Judeu
Fez

Não
Acham
Estranha
A
Semelhança
Dos
Guetos
Se
Manterem
Nas
Cidades
Porque
Assim
As
Deixaram
Organizar

Diremos
Então
A
Diferença
Reside
No
Estado
E
Nas
Tribos
E
No
Facto
De
Terem
Armas
De
Pólvora

Mas
Se
Pensares
Bem
Nada
Disto
É
Aqui
Distante
Ainda
Agora
O
Vimos
Como
As
Republicas
Se
Tornaram
Frágeis
Quando
Poucos
Usurpam
O
Que
É
De
Todos
E
Por
Todos
Deve
Ser
Velado

Ou
Me
Direis
Ainda
Que
Achais
Então
Normal
Ter
Continuado
O
Mesmo
Caminho
Cujo
Gás
Final

Se
Conhece



E
Diz
A
Voz
Acrescentando



demos
lhes
dinheiro
apoio
armas
potentes
das
mais
avançadas
caças
rápidos
que
risquem
o
trovão
no
ceu
e
os
pomos
ali
como
uma
testa
um
corno
uma
unha
no
meio
dos
velhos
inimigos

Mas
Prometida
É

A

Terra
Em
Que
Do
Ceu
Cai
A
Necessária
Agua
E
O
Sol
E
A
Lua
Em
Amor
Nos
Braços
De
Um
e
Do
Outro
No
Terceiro
Vivem

e
a
voz
dos
diabos
assim
continuou


uma
infecção
é
permanente
se
o
amor
não
a
cuida

e
uma
guerra

sempre
jeito
em
muitas
precisoes

quando
as
gentes
no mundo
acordam
e
se
deitam
em
calma
paz

quando
nos
corações
nasce
na paz
a vontade
acertada
de
acerta
e
do
circulo
certo
fazer

antes
que
sonho
se
torne
maré
entre
eles
acendemos
o
fósforo
à
Medida
Da
Exacta
precisão


pois
nada
mais
fácil
a
um terceiro
entre
dois
a
confusão
semear

sempre
um
disposto
está
a
se
vender
e
a
ter
uma
arma
na
mao

e
a
certa
negra
táctica
sempre
diz
tao
fácil
é
faze-lo
num
lado
como
num
outro
ou
mesmo
através
de
um terceiro

pois
o
fogo
quando
arde
o
vento
a
todos
os
lados
o
leva




E Es cruz en do A Per gun tap P do per da gun do to Ta do tam da am e b ema do com da miss sao europeia ao P ar primeiro e m en to Eu rop eu ao serpente P ar la men cruz os na cio na isa Td o da As da Gentes Det cruz todos Os quadrado da eu cruz do ro roca doca do Can cruz os Do Mundo e Ao Serpente da en hor Durao E Ao Serpente da en hor Do Anel São circulo em he cid os O serpente da P dos ovos E Az serpenet do naço espanhol E As da cruz da rib os Ar abe serpente E Muçul manas Com do circulo do dog rand espanha da Fabri can cruz espanhola Dea ar ma men to sofi serpente tic ado Al gum a D el as Ocupa L vaso gato da ar Em Ran king De Tao B elo dez se vaso da te do is da Arte factos Da Es cruz do vaso dao pide dez Humana E Circulo do sin tudo Am ot iva são Da Men cruz ira E Da Gana muito cia E Do Ro ub em cão ob st o un as do vaso e ze serpente do quadrado da ue Serpente ob reel El da espanhola Se Di serpente da se D e P os serpente vaso e rem Asma si Terri vaso e is E D espanha cruz rui dora serpente das Armas E Ass em Mais Uma ave zorro do Contra El espanhol da A Guerra do Fi ze ram E Am Mui to serpente da Mata ram quadrado do ue do Mundo do quadrado do eu dos reis foice Enke Maior un do Vaso dos reis foice primeiro Mundo Onda À I mage m Do serpente quadrado da uec hama is De Inimigos S ó circulo do om El espanhol Mo rto sp, sh o rtp primeiro ayer, en sa is da P ode ren en tao Viver E m P az todos os quadrado ue as si em homem oje Sec do falo da cam se e sec do falo daa cam onda on te ms sec do falo do caram do os quadrado da ue Te maior da cruz a ram A D espanha cruz rui sao De P ovos Ine iro se Este É Sm pr e primeiro da Caminho DeDe st rui sao De Todas As P art espanha Me serpente mo Q i e A C on cruz a S ó Se Fec homem e N um Longo Am anha As si m Se mp rato e B o rb vaso primeiro homem a O S na gato eu En quadrado ua n cruz y o O Cic lo Das T rato eva serpente Napo, guarda s es cruz as, da Se Q eu brasil a P o is Este Ane primeiro se mp rato e I rm ana E Co mp rome te Os o rato maos a um tua de serpente cruz rui sao uma voz ant i gato a d e um en circulo on cruz ro sec rato e to As si m serpente us sura é uma vo az mul tip la quadrado ue p elo dez vento chega e a todos per gun cruz a e inc vaso ire Tam anha dor o vaso cruz ro ra in formula one do gida dat da am anha e mp ot en cia vaso do iv id as da serpente ob reo de serpente tino de eve ros se us conde mad o a ao home do falo do casuto maestro sc om cm se mp rec com da primeira bet rato vaso e fagulha de n ovo Inc en dia demo serpente do primeiro ingles da serpente do porta muito to primeira da terra uma id deia de estado e de n aça do circulo todo para cruz ra serpente da se do mp rea terra a un short p primeiro ayer, p rome cruz id a al e men to um as pro rome tid a é a terra quadrado ue a td os al ie mn ta E onde todos vaso iv em p o is não se circulo on he ce uma outra é difer en te aquele lu gato ar de um outro Lu gato ar do uno, it, primeiro vaso gato ar foice são os vizinhos di serpente tintos quanto distinto e a igual maoista en cão cruz ra ze em mnas vaso e ze serpente do vi zorro em homem do os em quadrado da ual do quadrado eu rato da lu gato da ar da se us circulo em for mula one it os serpente da ua serpente do quadrado eu st õ espanha da foice O Q ue É En tão Di serpente tinto Se O For N cão Conti nu o vaso O Mundo, o Dito C iv i primeiro iza ad o E Ocidental seguros, A F aze rato O Me serpente mo Q ue O vaso cruz ro ra Ao P ovo Judeu Fez N cão Ac ham Es cruz rato anha A Semem primeiro há nça Do serpente G eu to serpente Se Man te rem Nas Cida de espanha Por quadrado ue As sima serpente sd de ix aram O rato gato ani iza rato Di rato emo serpente En tao A Difer en ça R e side No Es sat td do E Na serpente T rib os En No F ac to De Te rem Armas De Pol vo ra Mas Se Pen sar espanha B em N ada Di serpente to É A qui Di serpente tante A inda do Agora O Vi mo serpente C omo As Republicas, coimbra, Se Tor n aram F ra ge is Q vaso ando P o vaso cos Urso vaso pam O Q eu É De Todos E Por Todos D eve Ser Vela lado O vaso Me Di rei serpente A inda Q eu Ac homem a is En tao Norma primeiro Te rato C on tin ua ado O Me serpente mo da Caminho C vaso jo Gás Ff ina primeiro J á S e C on he ce E Di z A da rádio Voz Ac rato espanha circulo en cruz ando demo serpente primeiro he serpente di ine hi ra p oio armas p ot en cruz espanha d as mais Ava van ç ada sc aça serpente ra pido serpente quadrado eu rato is quadrado eu moda ot do rova o no do doc eu e os da p dos omo serpente ali circulo omo primeira testa, te sta do primeiro corno da uma unha no do mei o do serpentes dos velhos inimigos, almada x vaso to ze dos pon tap espanha, mas por met id a é a terra em que do circulo eu cai a ne circulo ess sa a p soto lo serpente da ria agua e o sol e a lua em am mr nos brasil aços de um e do outro V ive me a voz dos diabos assim conti nu o vaso uma in fec sao é per mane en te se o amo rn cão A circulo vaso id a e uma guerra dá se mp rato e je i to em muitas pr e circulo is o espanha, acores, ocidental, seguros, quadrado un do as gato en te serpente no mn do ac o dam e se de itam em circulo a primeiro ma p az quadrado ua ando no serpente cora ç o espanha na sc e na p az a von cruz ad e ac e rta ada de ac e rta e doc ce rto f az e rato a antes quadrado eu Os sn homem o se tor ne mar e en cruz reel espanha ac en demo serpente o f os f o ra à Me dida Da E x ac cruz ap rato e cisa o p o is n ad a mais f ac ila um terceiro en cruz red o isa a circulo on fu são semem ar se mp rato e um di serpente post o e stá a se vaso en de rea te rato uma arma na mao e a ce rta negra cruz ac tica se mp rato ed i z tao f ac i primeiro é f az e do traço ingles dez primeiro do circulo n um primeiro ado Com o n um outro o vaso me serpente mo at rav espanha de um terceiro p o is o f ogo quadrado vaso ando ard e o V en to a todos os lados o primeiro eva



o dito civilizado é o da ocidental seguros dos acores, de não esquecer que um dito, só na aparência, aa pr e cn ia, será civilizado

quereis exemplos cegos disto, burrinhos, carneirinhos meios vesgos, manipulados desde infância com todos os negros leitinhos, exigi boas escolas e bons professores sempre, e pensai então, ou melhor recordai, que quando muitos percebem a importância crucial do desenvolvimento em harmonia no mundo com todos, pois so com todos pelo grau de interdependência pode ser feito, que nada melhor de um guerra para justificar a continuidade das matanças, e das armas, e dos exércitos e do guerrear, como tentando assim os homens a desesperança, a deixar de acreditar que outra via, a da paz existe e é entre todos sempre viável, tao mais viável que o custo de qualquer e de todas as guerras

quadrado vaso reis e x e mp primeiro os circulo ego serpente di st o, burrinhos, car ne i rin do homem do os dos meios, pub, vaso do espanha gato do os de sm ani ip do vaso do lado sd e sd e em primeira uva da gan cia com todos os ne gato rato serpentes da lei tinho serpente do pen sa e en tao, o vaso do mel hor record a e, quadrado da ue quadrado vaso ando mui cruz os pe rato e b da ema mai e mp do porta muito cia circulo do ru cia primeiro do de serpente do en vo primeiro vi e mn to em homem da ar do moni ano do mundo com todos, p o is soc do om todos p elo dez gato do rato do au de inter dep en den cia p ode ser f e it o, quadrado da ue en ada mel hor de primeira guerra para p rin cip e us tif cara conti nu id a de da serpente matanças, e das armas, e dos e x rec e i to sed o gato eu rr e rr, com o cruz en cruz anto as simo serpente homem om en serpente a de serpente espanha pera ança, a de ica rato de ac red itar quadrado ue o vaso cruz ra via, a da p az e xis te e é en cruz re todos se mp rato e vi ave primeiro, tao mais vi ave primeiro quadrado ue o circulo us cruz ode quadrado vaso primeiro quadrado eu rede de todas as guerras

olhai a linha das refregas, relacionai o que se passou nesse preciso momentos que anteciparam o pus, no redor, e pensem em termos de contra reacção, vejai o inicio e o imediato antes, e procurai ver o que na mesa estava, que levou então à guerra, procurai as partes entre elas, se muitas vezes a refrega não foi expressamente alimentada, por poucos, muito pouco, e tentem perceber de onde veio, quem protagonizou e armou a confusão, e certamente que refrescareis, todas as partes, a luz sobre esta guerra que dizem ter sessenta anos, mas que facilmente se pode estender ao século doze, não tanto pelo motivo religioso, mas pelo que sempre em alguns casos ele escondeu e tentou justificar, e pelas matanças que ordenou e permitiu ordenar


o primeiro homem aia primeira da linha das rato e fr e gás, rato el ac cio na i o quadrado ue se passou ness e pr e circulo is o mo neto serpente quadrado ue ante cip aram o p us, no red o rato, e pen serpente em e m te rato mos de contra rea sao, veja rio inc cio e o i me dia ti ant espanha, e pro cura da rai vao vaso do ero quadrado ue na mesa espanha cruz ava, quadrado ue primeiro evo vaso en tao a guerra, por rc cu rai as p art espanha en cruz re el as, se mui cruz as vaso e ze sa rato e fr ega n cão f o i e x press sam que mente al i men cruz ada, por poucos, mui to p o vaso co, e cruz en tao per rc e be rato de onda do veio, quadrado eu em pro ota gato oni z o ue ar mo ua circulo on f vaso sao, e ce rta sm n te quadrado vaso rato e fr espanha care is, todas as p art espanha a luz serpente o brasil e e sta guerra quadrado ue di ze m te rato se serpente senta ano sm as quadrado ue f ac ile m cruz ne se p ode espanha cruz en der ao século, rua, do ze, n cão cruz anto p elo dez mo cruz iv o rato e li gi o serpente o, maso da p elo dez quadrado da eu da se do mp rato e em al gun serpente dos casos el e espanhol conde ue da cruz en to vaso do p rin cip e homem do us tif do fi car, ep el as das matanças quadrado da ue circulo do rato deno ue per mit o ur da dena ar



a
antiga
voz
se
apresenta
com
uma
outra
variação

dizem
assim
que
esse
foi
o
preço
a
Israel
Pelas
Terras
Outorgadas

E
Se
Nas
Vezes
Assim
Terá
Sido
Outras
Não

Pois
As
Toupeiras
Dos
Fósforos
Escavam
Em
Todas
As
Terras
O
Único
Critério
O
Que
Masi
A
Jeito
Está
A
Cada
Momento
De
Mais
E
Melhor
Arder
Onde
O
Capim
Está
Mais
Seco


Esta
Segunda
Linha
Da
Mesma
Voz
É
Como
Meia
Voz
Que
Fala
Menos
De
Meia
Verdade
E
Assim
A
Devereis
Sempre
Escutar
Pois
Todo
O
Que
Se
Fala
E
Escuta
Se
Deve
Sempre
Ouvir

Escutai
Bem
Israel

Escutai
Bem
Palestina

Escutai
Bem
Todas
As
Partes

Vós
Os
Dois
Primeiros
Sois
E
Estais
Irmanados
Como
Cordeirinho
Sacrificial

Quem
Vos
Faz
Em
Constância
Guerrear
É
O
Vida

De
Todos
Ladrão

Atentai
Nisto
Com
Vossa
Razão
Fazei
Apelo
A
Memória
Que
Isto
Percebereis

E
Deixai
Ambas
As
Partes
De
Ser
A
Carne
Do
Mesmo
Canhão

Ou
Então
Tereis
Guerra
Enquanto
O
Mundo
durar

e
quando
estiver
ele
em
seu
todo
a
acabar
vereis
tarde
de
masi
como
instrumentos
instrumentalizados
por
muitos
outros
que
vossa
terras
vizinhas
nem
habitam
e
que
vos
levaram
pelas
gerações
a
guerrear

pois
o
paraíso
está
sempre
aqui
entre
os
homens

e
Deus
Tambem

Abri
O
Olho
Do
Vosso
Coraçao

E
Atentai
Ainda
Muito
Bem
Nisto

Cuja
Luz
É
Pedra
Base
Da
Paz

Pois
Das
Duas
Uma

Para
Se
Fazer
A
Terceira
A
Paz

Para
Apanhar
O
Hamas
Israel
Mais
Uma
Vez
Mata
Em
Grande
Muito
Grande
E
Ninguém
Ao
Certo
Sabe
Se
O
Objectivo
Venceu

Isto
É
Um
Facto

O
Silencio
A
Volta
Da
Questão
O
Próprio
Exercito
Acima
Dos
Tribunais
Em
Israel
O
Veu
Decretou

Facto
Este
Que
A
Israel
Muito
Devia
E
Deve
Preocupar
E
Que
Por
Todos
Devia
Ser
No
Imediato
Cuidado

Pois
Uma
Democracia
É
Sempre
Um
Estado
De
Direito
Porque
O
Direito
Melhor
Protege
Que
As
Armas

E
Torto
É
Sempre
Perante
Deus
O
Direito
Das
Armas
Pois
Ceifam
Elas
As
Vidas
Inocentes


E
As
Arvores
Dao
Quando
Vivem
E
São
Deixada
Viver
Sempre
Novos
Ramos
Frutos
E
Belas
Flores
E
Isto
É
O
Segundo
Facto
Aqui
Nesta
Curva
Do
Mar

Pois

No
Passado
Israel
Assim
Tentou
E
Nunca
Em
Fim
O
Alcançou


E
Muitos
Se
Começam

Nesta
Altura
Com
Certa
Justeza
A
Perguntar
Se
Tanta
Matança
Justifica
O
Incerto
Prémio


O
Terceiro
facto
é
que
a
guerra
se
manterá
se
se
mantiver
a
posição
perfilhada
pela
palestina
e
por
israel
se
mantiver
em
que
ambos
dizendo
e
fazendo
em
modo
distinto

não
aceitam
viver
com
o
outro

E
Às
Terceiras
Partes
Distintas
Que
Nunca
O
São
Relembro
e
Digo


É
Capital
Que
Cada
Um
Traga
Uma
Clara
Posição
Sobre
Este
Assunto
E
Esta
Fronteira

Pois
Dois
Pesos
E
Duas
Medidas
Sobre
A
Básica
Equação
Da
Partilha
Da
Terra
Comum
É
O
Que
Tem
Favorecido
Sempre
A
Guerra

E
Não
Desdita
Isto
Do
Que
Foi
Roubado
Seja
Em
Algum
Modo
Ou
Forma
Reposto
ou
compensado

a
todos
os
amantes
amados
do
uno
mundo
digo

aqueles
que
estão
em
guerra
divididos
estão
e
a
divisão
no
uno
sempre
assim
operam


e

Um
Justo
Em
Guerrear
As
Guerras

Masi
A
Mais
Sabendo
Todos
Bem
sabido
como
o
tempo
urge
para
do
que
é
verdadeiramente
no
mundo
importante
de
bem
cuidar

e
sabem
todos
os
amantes
que
muito
muito
trazem
para
cuidar
e
que
as
infecções
o
pus
e
mortandade
afastam
os
homens
e
o
Ser
Do
Que
É
Mais
Importante

Pois
O
Mundo
Precisa
De
Salvação
E
Não

Maos
Outras
Do
Que
As
Trazemos
E
Não
São
Demais
E
Todas
Elas
Trazem
Cada
Uma
Cinco
Dedos
Que
Em
Constância
A
Todos
Irmanam
Aquém
E
Alem
De
Qualquer
Diferença

Parai
A
Guerra
Caminhei
Pela
Vareda
Da
Paz
Ou
Sereis
Declarados
Perante
Deus
Como
Genocídas
Da
Inteira
Humanidade

Pois
Uma guerra
Maior
Existe
A
De
Todos
Salvar

Uma
Guerra
Que

Se
Ganha
se
a
Paz
houver


eu
filho
de
Deus
nu
a
todos
sempre
me
confesso

que

há muitas
muitas
luas
que
da
chaga
de
meu
corpo
o
sangue
não
escorria

hoje
de
manha
se
misturou
ele
com
outro
sangue

que
é
sangue
a
todos
comum

a
bela
e
preciosa
agua

assim
meu
sangue
de
meu
cálice
no
cálice
comum
hoje
de
novo
a
todos
na
partilha
deste
pao
a
todos
alcançou

sabeis
vos
que
muitos
assuntos
trago
eu
a
tratar

que
aqui
na
minha
terra
os
que
se
dizem
ser
homens
cobrem
os
ladroes
de
crianças
e
falam
a
lingua
inaceitável
do
silêncio
cúmplice

por isso
a
todos
digo
continuai
assim
orarei
eu
em
Meu
Deus
E
Pai
Que
A
Terra
Toda
Treme
E
Que
Todos
De
Todos
As
Partes
Sejam
Reduzidos
A



E
Se
Assim
For
E
Vier
A
Ser

Rezará
Então
A
História
Havia
Duas
Tribos
Que
Não
Se
Entendiam
Em
Viver
Lado
A
Lado
Numa
Terra
Que
Nunca
É
De
Nenhum
Nem
De
Ninguém
Mas
De
Todos
E
De
Deus

Tanto
Persistiram
Na
Arrogância
Do
Guerrear
Tanto
O
Sangue
Dos
Filhos
De
Deus
Correu

Que
Um
Dia
Ele
A
Paciência
Perdeu

E
Todos
Transformou
De
Novo
Em


Para
Que
Sempre
Se
Todos
Se
lembrem
e
tragam
lembrados
que
sáo

Dele
vem
e
Ele
Voltam

Outros
Disseram
Que
Ele
Assim
O
Fez
Para
Salvar
A
Muitos
Mais

Cada
Um
Que
Nele
Viva
E
Esteja
Ao
Certo
Certo
À
Sua
Proporção
E
Justa
Medida
O
Saberá








A ant i gata da primeira ad da primeira da rádio da voz da se da ap rata espanhola inglesa cruz do ac do om com uma outra do vaso das arias da são da di do zé em ass em quadrado do eu do ess e forte do oio pr e coa do Is ra el Pe primeiro as da Te rata ra serpente do O do vaso do torga da se serpenet inglesa e as do vaso e do ze espanhol do onze, serpente ass em Te rá Sid oo vaso da cruz do ra sn cão da P do circulo das isas do To u pei ra serpente do dodo s f os for as esca ava vam em Todas A s Te rato ra serpente do O Ú nico do circulo da Rute do Rio do circulo maior do quadrado eu masi sia Je i to E stá AC ad am ano om ingles to de Mais E Mel hor Ard e ronde O, circulo do Ca do pim E stá Mais Sec circulo


Espanhola sat do ts da se da gun da Linha da Me serpente da ma Voz É Com do circulo da me ia da Voz do quadrado da eu da Fala Me no sd e Meia ad primeira Vera de E Ass em AD da eve reis se do mp pr e E pan hola s cut ar rp do P do circulo do is Todo O ki na ue se do Fala E es see cut asa quadrado eve da se do mr do pe O vaso do vi rato Espanhol circulo do cu cruz primeira ib em Israel

Espanhol circulo do vaso da cruz primeira ibe em P al espanhola cruz dot ina

Espanhola cu cruz primeira ibe, bic sic primeira eta em Todas as da P da art espanhola

Vó serpente do os do is da P do rime do iro ss do ise dos Est ais da Irma mana ado sim c ron ni sm o do circulo omo e co rato deles e rim do homem do os s ac do rif do fi cia is quadrado do eu em Vaso do os F az em Constância G eu ra da rea ar é O, circulo do David, Vi dade Todos La d ra circulo em Atenas, At en primeira ti ni serpente do to com Vaso do os da sa do ra da za do circulo do F az e ia do pelo madeira de dez primeira Me mor ia quadrado do eu do Is to Per do rc e be reis E De ix aia da am e ba sas P art espanhola de Ser, o AC da ar ne dó

Me serpente do mo do can homem da primeira do duplo circulo do infinito deitado do vaso do ingles gel s do tao da te reis guerra En quadrado do vaso do ant do circulo maior do Mundo do quadrado do ur da ar e quadrado do vaso ando

Est iv e rato ele em serpente eu todo da primeira do ac do bar vaso e reis cruz arde de ma sic omo e ns cruz rum en cruz os I ns cruz rum en tali iza quadrado do os por mui cruz os circulo do vaso da cruz dao ap da rosque vaso do os da as da te rata ra serpente do vi z in h as da Ne do maior homem do abi tam e quadrado da eu vaso do os primeiro da eva ram pe primeiro do as ger aç circulo espanhol a gata da eu rata da rea da ar do

O do para do sio

P o is opa oara ra do sio e stá se mp rea qui en cruz reo os h om en se De us Tam da manha segundo em Ab ao Rio Olho do Vaso do osso da Cora são E em en cruz aia inda Mui to B em Ni serpente to c vaso do p rin cip e da primeira da Luz É Pedra Base Da P az Po da is Da sd vaso do as da Uma Para da Se F az e ra Terceira ap do az do para da ap pan do home do aro Hamas do Is ra el Mais Uma ave zorro da Mata Em G rande Mui to G rande E Nin gato da eu ema mao do circulo da ce rato do to Serpente ny abe Se do circulo do ob do ject iv circulo do vaso en dc do circulo eu do Is to É vaso maior primeiro dom do F ac to

O circulo do silencio, declina em circulo de comes, o de sn h a dor, e tambem em frança, e co do mes , or gn iza sao de esquerda e da rainha das abelhas

E Temos aqui a teia que passa pela faculdade de direito, dos ac nos tribunais que continuam a me fazer, ainda esta se mna, mais uma manha da tal injunção do porto, que passa por favores a italia, do ovo de dezembro, do ac Este, com da rapariga da diesel, o anuncio, com ligação ao grupo europeu da cabala, ou english cabala, como é comum connhece-lo, com relaçao ao tal imediato do trinta e , largo da marinha, demo da Uma de dc da rac da cia, e se do mp ds se do rato, socialistas, e responsável pelo vaso maior contra mim no estado, feito pelo da faculdade de Direito, e serpente das armas do cento espanhol, que é a serpente da coop da arvore, porto, e do dao, do quadrado do vaso ando, do nono da maçónica sao e do viver, es, do ramos dos ovos fr do zé de belas, e que a flor espanhola e is do to e se da gun do ac ao to aqui, no vaso do rato do ado do mar

O , circulo do Silencio, primeira do ovo do primeiro da cruz da dat da ad da primeira aqui do quadrado do vaso do espanhol do tao do O P rip rio E xe rc e to ac ima
dos serpentes dos Tribunais em Is do ra el do O V, do fiat, italia, do ove europeu de Dec ra e to do vaso do Forte do ac ao to Este do quadrado eu da primeira do Is do ra el
Mui cruz ur bo diesel e vaso do ia E do quadrado da eve Pr e circulo da cup ar E Q, european cabala, eu do Por Todos do quadrado e vaso do ia, ser no do Imediato
E cu da id do ado da P do circulo do is da Uma Demo do dc circulo da rac cia É Se mp rato e vaso maior primeiro do Estado De Direito , faculdade, Por quadrado da ue do circulo maior de Direito dame primeiro do hor Pro da te ge do quadrado do eu as das Armas E Tor to É Se mp rato da ep do pe do ra muito te Deus do circulo de Direito da serpente das Armas da P do circulo do is ce i f am El asas Vaso da id do as do sin do Ino do cent espanhol E, A serpente da Arvore, serpente do Dao quadrado do vaso ando Vaso do nono em E São De ix ad primeira do Viver Serpente do mp da ren dos ovos do ramos fr do vaso do to zé de Belas, Flor espanhola E Is do to, É O Se gun do f do ac to Aqui ne sta ac circulo do vaso do rato do vaso do ado do Mar

P do circulo do is sj do acento do ano, o Pa s s ado Is ra el Ass em T en to eu N un ca Em Fi mo da Al do can circulo de corte da eu da Mui to ss e circulo do om e ç am J á Ne sta Al tura e com da ce rta p rin cip e us te p rin cip e a ap e rat da gun da tar da set anta Mata n ç a J us tif fi cao da Inc e rato to pr emi circulo


Relaçao entre se da vera mantera e da são da sic, que a perfilha, do per francês da ad primeira, da pal do ina, do grupo da di z en e do fazendo da di dos vinhos, a ds, fanny, dp ac a itam e ao viver, e com do da ilha terceira da spa da rata das pinturas com relaçao ao ministro lino, do circulo da são do Rato, do ps, acentos no brasil, cruz raga, com uma clara do psoe, ou seja alguém loira como clara que deverá ser nest cruz do caso a da sic e ainda com relaçao ao sim as ee do este e sta fr ira

O Te rc e rio f ac to é quadrado eu da primeira guerra da se da mantera ra da ase da se man cruz iv vera da p o sic são perfilhada, per rf fi primeiro homem da ad da primeira , pela pal es cruz ina e por israel se man cruz iv e rem quadrado eu am bo s di z en do e Fazendo em mod o di s tinto
N cão ac e itam viver com do circulo do outro E às da Terceira da spa rata e ts da di serpente das tintas do quadrado do eu nunca, jamais, o ministro, do O da São, do Rato e primeiro em bro e Di goe acento do cap pt tita primeiro do quadrado do eu circulo da ad a um, da cruz raga Uma Clara Psoe terceira são serpente do ob brasil rato e Este As sun to EE e sta Fr rn te ira



P o is do is dos pesos E du as da med id as serpente do ob da rea Ba sica E pata são da P art da ilha da Te rata ra do com do primeiro É circulo do quadrado eu Te maior forte do av do circulo da rec id o se mp rea guerra en cão do quadrado da espanhola dita do is to do quadrado eu do forte do circulo e do ro do ub ado do Sej e Em Al gum Mod oo do vaso da forma Ra da ep do os to circulo do vaso do com do mp pen sado a todos os am ant espanhóis do amado do sd circulo do un do circulo do mundo da di de goa quadrado do vaso e primeiro espanhol do quadrado do eu espanhol do tao em guerra di iv vi dido serpente espanhola do tao e primeira da di da visao do no do uno da se da mp rea ass si emo do circulo do pera ram

E homem acento al do justo em guerra rea ar as das guerras ma s ia mais serpente do ab n en do Todos B em sab id doc omo do circulo da te do mp do ur da ge do para do que eve rda dade iraque mente no Mundo e mp do porta ante de se gun do em cu id ar espanhol abe em todos os am ant espanhóis quadrado da ue mui to da mu i tot ra ze em para cu id ar e quadrado da ue as inde dec Corte circulo espanhol do circulo do pus e da mortandade af as tam os homem do ome ns e circulo do Ser do que É Mais I mp rta ante P o is O Mundo Pr e cisa de Serpente da al vaso do ac da sao do en cão do homem á Mao serpente do circulo onze do vaso da cruz do ra sd doque do as da cruz do ra ze emo se en cão da São De ema mais E Todas Elas, Trazem Cada Uma Cinco Dedos Que Em Co ns cruz na cia A Todos Irma anam, Aqui da ue em E Al em deque da ual quadrado da ue ra da difer ença e Pa da rai primeira da guerra ca da min do he ip e primeiro da ava red da primeira da Paz do circulo do vaso da se dos Reis, dc Dec lara do s Pe ra da ante Deus Com o G en no da cida sd primeira em te ira do homem primeiro da ani dade P do circulo do is Uma guerra maior existe, ad de T ur bo da diesel, do os da serpente alva ar da Uma Guerra quadrado do eu serpente do ó da se da gan do homem da ase primeira da Paz e hp, primeira da uva do rato
Cada uma trás cinco homens, que são a figuração dos cinco dedos de uma mao que assim estendem, referencia à mao de circe, na epopeia de Ulisses

Europeu do fi do olho de Deus nu a todos da se do mp do rem e circulo em forte do esso do quadrado eu do principe da primeira do ac e dn to , acento, home do acento da manha da mu it as da do primeiro da it do as da lu, as da doque da chaga de me eu corp o do circulo do sangue em cão espanhol e co rato da ria de aveiro, do grupo da sueca e das apostas e dos dados, do hp do home do oje da manha da sé da miss da cruz ur ro do vaso de ele, com do outro sangue, que é sangue a todos comum, do ab e l a ep rec is do cir u circulo do primeiro do circulo dez da sa da agua, ou seja do mar, do tsunami

As si em me eu san gato eu de me eu c al ice no doc da doca al ice com um do h oje de de muitos ovos de todos na p da art da ilha de ste do pao da primeira de todos, al can ç circulo do vaso da serpente abe is vaso os quadrado da eu da Um i to sas do sun to st rago eu primeira da cruz dt rata arque aqui na minha terra os quadrado eu se di ze,
Ser homem do om en sc doc o do ob do remo serpente do primeiro da ad ro espanhol do roubo das crianças, c rato ian ç as e fala l am al ibe, bic sic primeira eta do b ac k gato ro un d do gato da ua do ina e it ave primeiro do s ile cn ni, o cúmplice, circulo do primeiro do mp da p do primeiro ice por iss o a todos di gato do circulo do conti nu aia ss emo do circulo do ra rei europeu em me europeia do vaso de Deus E Pai quadrado da eu primeira da Te rato rat o da cruz rem ee e quadrado da eu Todos De Todos As P da art espanhola do Sej da am do red vaso do x do zorro, id os da ap do acento ó E da Se Ass em For E Vi e ra Ser

Re e zara do en tao primeira da energia, do st do circulo da ira do homem da avia du as da cruz do rib da bic sic primeira eta do os do quadrado do eu en cão se en cruz en di am em Viver, Lado, primeiro angulo do ado Nu ma Te rata ra quadrado do europeu un unc a É De em en home do primeiro da ne em De n in gato do eu em Mas De Todos E De Desu, ou seja russia

T ant do circulo do per do sis da cruz dor ra iam na arri gan cia dog eu rr e rat ant circulo maior do O do Sangue dos filhos de Deus que Co rr eu e primeiro doque do primeiro do Dia, e lea da P ac cie en cia Per de europeu

E Todos T ra ns for mo vaso de muitos ovos em pó do para do quadrado eu da se mp rese Todos Se primeiro em brasil rem E cruz da rage em primeiro em brasil ado serpente do quadrado eu da sáo do po dele, vaso em e el evo do primeiro tam


O u cruz rato os Di ss eram quadrado da ue El e Ass em do circulo de Fez do Para S alva ra mu it os maís do circulo da ad da am al do quadrado da eu Nel e viva E espanhol da te p rin cip e aa da ce rato to c e rato reeel time to acento à serpente do ua pro da pro são e just primeira me dida do circulo serpente abe rá, que o sabe
E
Me
Dizei
Senhores
Quem
Dizem
Levar
A
Conduçao
da
Europa
E
A
Todos
Os
Cidadaos
Representar
Continuais
Em
Negaçao
Em
Mutismo
Ao
Aqui
Inquirido
Deverao
Os
Amantes
Amados
Do
Uno
Mundo
Tomar
Vosso
Silencio
Como
Aceitaçao
Integral
da
Vossa
Culpa
No
Minimo
Entender
Como
Omissao
Se
A
For
?