domingo, fevereiro 01, 2009

Ah doce amada, amadinha de meu coraçao, que bela és e como eu gosto tanto que me venhas saudar pelas manhãs, ali te colocas ao amanhecer, do lado de fora da janela e me cantas uns belos trinados, antes me fizeste acordar pelo teu amor dentro de mim, sei que és tu, quando assim acordo pela madrugada, e te vejo chegar a cantarolar, depois nas vezes os caes no pátio à solta ladram em seus ladrar, e tu te vai embora que como eu não gostas de muitos os ouvir ladrar, corações sensíveis, ao símbolo de Diana a caçar, me perguntas quando os caes saíram a rua, te direi que em dia da semana passada, ficaram cá fora e muito se fartaram de ladrar,

A hd o ce am ad a, am a din h ad em eu cora sao, q ue bela é se com o eu g os to t ant o q ue me v en h as s au da r p e l as man h ã s, al i te c olo cas ao am a men ce h r, do l ado de for a da jane l a e me c antas u mn s be l s o t r ina do s, ant es me fi ze este ac rda r p elo te u am o r d en t rode da mim, sei q ue é s t u, q u ando ass em ac o r do p e l a madruga da, e te vejo che g ra a can t ar rola ar, d ep o is na s v e ze s os ca es no pa tio à sol t a l ad ram em se us l ad ra r, e t u t e v a i em bora q ue com o eu n cão g o sta s de mui to s os o u vi r l ad ra r, cora ç o es s en sic e isa sao s im b olo de Di ana a c aç ar, me per gun t as q u ando os caes sa iram a rua, te di rei q ue em dia da se mana passada, fi caram c á for a e mui to se f ar tara ram am de l ad r ar,

Esta noite muito ventou, agora ao passar no jardim dezoito folhas de palma estavam caídas no triângulo das tres palmeiras, duas delas desenhavam um x

E sta no i te nm u i to v en to u, agora ao p assa r no do jardim dez o it a f o l h as de palma e stav am ca id as no t rina g uk l o da s t r es palmeiras, du as de l as de senha ava am do primeiro x

Plataforma, palavra que ontem aparecera, e que me remeteu inicialmente para negócios e dinheiros que servem ao trafico das aramas que alimentam os actos de terror e das guerras no uno mundo, e que todos tem que acabar, adquiriu pelo corpo ainda de madrugada um outro sentido, um outro tipo de plataforma, cisco, cisco esquerdo

P la t a forma, pala vaso do ra q ue on te m ap ar e cera, e q eu em me reme t eu inc ila que mente, para ne g c is oe din he eros q ue se rb em ao t raf fi o cd as ra ms q ue al i men tam os ac to sd ee t rr o red as eu rr as no uno mundo, e q ue todos te m q ue ca bar rm ad q u i rio p elo corp o a inda de mad d ru gado um o u t ro s en tid o, um o u t ro t ip ode pal t a forma, c isco, cisco es q ue ar dó
Umas horas depois de publicar o texto, um acidente se deu

Uma s hor as e w p o is de pub li car o texto, um ac cok acide id do dente se d eu

Será portanto tambem cruz nesse tempo e meados da decada de oitenta, o que explica estranha imagem da ilda figueiredo numa reuniao quase a chorar, e uns camaradas do pc, visto assim de costas, havia ali algo de pesado, que estava apara alem da aparência do conteúdo do que parecia acontecer, manuel pedro, era o nome que em mim andava a bailar, pela relaçao com o caso freeport

Se rá porta n tot a m b em c ru z ness e te mp o e em mad os da decada de oi t en tao q ue e x p lica es t r anha i mage madeira da ilda figueiredo numa da reuniao, grupo do guru, q u ase ac h o ra r, e un s cama ra da sd o pc, vi s to ass em de co st as, h avia al i a ll g ode pesa do, q ue e stva a para al em da ap ar en cia da c on t eu dodo q ue par e cia ac on te c r, manuel pedro, e ra o no em q ue em mim anda ava a b a e l ar, pe l da primeira da relaçao do com do circulo do caso, louco, da fr ee do port, da porta

Um autocarro com turistas chineses que teve um acidente e onde se deram mortes
No arizona, assim relatava o, tom E aves do arizona

Um au roca rr com dos turistas chi ne z es q ue da teve primeiro acide dente e onda dea se de ram mo rte sn no ari zon a, ass em r e la tva o rom, tom E aves do ar ix on a

Uma referencia por semelhança, luz, aparece em meu livro nas contas, bronica, vinte e sis de março, arco, iris, ou seja , o núcleo das putas que fizeram a manha com a puta falsa psicóloga, a luci do ferro, relacionada com o colégio moderno, ou seja mais uma confirmação da ligação e do envolvimento destes cabrões corruptos do ps no rapto e roubo de meu filho, como estava já mais que deduzido pelo complot que organizaram em todos o estado, e um outro, filho da puta , que agora aparecera, recentemente, quando as baratas todas começaram a tripar, o do mai, pai tambem de uma outra menina ruivinha da vinha do rui, das dança comigo, ou por aí

Uam r e ref fr en cia por semem l h anca, l u z, ap a rece em me u l iv ro nas contas, br oni nica, vinte e sis de março, arco, iris, o use seja , o nuc leo das putas q ue fi ze ram da primeira manha do com aa da puta da f al s a p i s o c olo g a, a l u c id o do ferro, r e la cio n da c om o cole gi o mode rn o, o use seja mais uma c on fi r maçao da li g ac sao e do en vo l vi e mn to de ste a c ab ro es co rr u pt os do ps no rat tp po e ro ub do bode, castelo, me u fi l h o, c omo e stav j á mais q ue dedu z id o p elo com p lot q ue o r g ani iza ram em todos do circulo do estado, e um outro, filho da puta , q ue do agora ap arc e ra, rec en te m ten, q u ando ás das baratas todas com eca ram a t rip ar, o do ma ip a it am b em de uma o u t ra menina rui vinha da vinha do rui, da serpente sd da dança co mig o, o u por a í

Um rui está aqui tambem no livro referenciado, rui metelo, que me lembra o metelo jornalista de economia, nono a spa s dez o i to set en t ad up do primeiro do duplo circulo

Um rui e stá aqui tam b e mn o l iv ro r efe r en cia ado, rui metelo, q ue me l em bra o met elo do jornalista de economia, nono a spa s dez o i to set en t ad up do prime iro do c up do primeiro do circulo duplo

Primeiro da princesa da aurora, assim um que apanhara na rádio dava conta num qualquer contexto, de filmes americanos, e de princesas muito crescidas de cabelos brancos como que, gozando com o amor eterno, ou tentado sugerir que a bela menina fosse a princesa da aurora, ou sea da manha, ou ainda, da estrala da manha, ou matutina, ou lucifer, luci do ferro

Prime iro da pr in c e z a da aurora, ass em um pal e r min h aqui da ue ap ana h ra na r di o d ava conta nu prim e rio q eu lu q e rc on texto, de fi l mes am e rc c ino sed e pr inc e z as mui to c r es cidas de cab e l os br na o co da ms, g o sand do circulo do com o mao r e t r eno, com o t en t ado s u ger i r q ue a bela me nina f os sea pric e jad a aurora, o use sea da manha, o ua inda, da est r ala da manha, ou mat u t ina, o u luci fer, luci do ferro

Um estranho acidente, numa auto-estrada em linha recta , ou tira linhas, onde o autocarro ficou na posição, como a de uma cruz inclinada, como desenhando a copa da espada, tombada, os vidros que ficaram para cima, reflectem com exactidão os quadrados que aparecem num dos vídeos, trailer do belo filme chines, jet li

Um m e ts r na hi acide dente ba a , n uma au to es t r ada em linha rec cta , o u t ira das linhas, onda do autocarro fi co un a p o siç sao, com do circulo doca cabo a ar g f en to a de primeira cruz inc l ina da, c omo de senha ando da primeira copa da es pada, tom b ada, os v id ro s q ue fi caram para cima, r efe l e ct em com e x at id do dao, do os dos quadrados q ue aa o ap ar recem nu madeira dos v id e os, t ra da ler do b elo filme ch one sj e cruz li

Cinco, estando o mais próximo do condutor inteiro, e os outros quatro, sem eles, provavelmente por se terem partido ou porque partidos forma na operação de resgate, alguns dos passageiros foram ejectados, segundo contavam duas senhoras testemunhas no yahoo

C inc o, es t ando oma is pro x imo do c on du tor in te iro, e os o u t ros q au t rose em eel es, p rova ave l que mente por se te rem p art id oo u por q ue p art id os da forma na o pera sao de r es gata, al gun s do spa ss a geiro s do foram e je cta do s, se gun do c on t ave em du as s en hora s t es tete m unhas no y a h oo

No video, tambem cinco são os quadrados antes do nome do video, mas a escrita da minha nota a me tinha desvelado, quatro mais um que era, um triângulo na posição de fogo

No v d e io , t am b em c inc o são os q ua dr ad os ant es do n ome do v id e o masa es c rita da min h ano ot a am me tinha de s vela ado, q ua t ro mais um q ue e ra o um t r ian gula na posi sic sao de f ogo

Como espelho é exacta a imagem, invertida, o primeiro, é o que se manteve com o vidros, os outros como furinhos, que recentemente entraram na Palavra como referência a toupeiras, quarta internacional, troskistas, e sendo que buracos na terra, são tambem referencia a minas, que se todos bem se recordam, muitas estranhas explosões em algumas fora aqui dadas conta.

Com o do espelho é e x cat a a i mage madeira, invertida, o prime iro, é o q ue se am n teve com do vi dr o, os dos outros, com o f ur rinho s, q ue rec en te mn te en t r aram mna Pal av ra com o ref ren cia a to up e iras, q u art a inter na cio n al, t r ot ki sta se s en do que b ur aco sn a terra, são t am b em refer en cia am ina s, q ue set todos b em se rec o r dam, mui t as es t r anha s e x p l o s o es em al gum as for a aqui dada s conta.


Pela espada leio como já aqui o escrevera, o forte da águia com a estranha cabeça descrita, deitada, que se encontra agora em cima do livro da deportação, ou seja relacionado com a resposta à uma das perguntas que era tambem nos últimos textos feita, reforçando assim, a id tambem relativa , a que caim falamos

Pe l a es pada lei o c omo j á aqui o es c r vera, o f orte da a guia com a primeira es t r anha cab eça de sc rita, deitada, q ue se en c on t ra do agora em c ima do l iv roda da ep do porta, da sao, o use seja r e la cio n ado com a r es posta à uma das per gun t as q ue e ra t am b em nos u l t imo s textos feita, r e f o rca can do ass em, oma id tambem r e l at iva , a q ue caim f ala mo s


Por cima da deportação, do holocausto, está um dos meus livrinhos de notas antigos que já aqui um dia entrou com a analise de umas contas, relativas aa aos meus trabalhos de fotografia

Por rc c ima da d ep porta sao, do h olo c au s to, e stá um dos me us l iv rinho sd en ota s an ti g os q ue j á a qui primeiro dia en t ro u com da primeira ana ll ise de uma s contas, real t iva s aa ao s me us t r aba alho s de f oto g raf fia

Na contra capa, está uma cruz inclinada, com a trave do horizonte mais de duas vezes maior em seu comprimento para a esquerda, do que para a direita

Na da contra capa, e stá uma c r uz inc linda, com da primeira trave do ho r ion t am mais de du as v e ze s maio rem s eu co mp rim en to para a esquerda, do que do para da primeira di rei t a

Nela assim diz

Ne l a ass em di z

Eu
Tu
A chuva dissolve s caminhos
Eu
Tu
A paga a l u z
Vem cá devagarinho
Nhac, nhac.

- dança comigo?



Web , europeu cruz do vaso , primeira, da chuva, ac homem da uva, di serpente do sol vaso es caminho serpenet ts, eu cruz vaso da ap a gata primeira al lu, zorro, uz, e ou ainda a paga do holocausto da luz, ou da criança desaparecida, , vaso em ka, de eva gar da rinho do ho da energia , hi f en do dança comigo foice, com mig io da foice


Uma mesma cruz, a imitar a que tinha eu escrito, no texto da interpelação a américa, onde aparece um preciso nome, estava hoje reproduzida no dn, sobre o antigo patriarca russo que para o ceu se foi, uma noticia sobre o novo, o kiril, que curiosamente, é o nome de um padre que é elevado a papa, que tambem ele fora alvo de perseguições e deportações, num filme que se passa em roma, que recentemente foi transmitido, na rtp, uma bela história de um homem , humilde, que pretende que a igreja entre nos eixos, que me fez lembrar a real de um outro que muito pouco tempo esteve a frente da igreja antes de ser assassinado, e que também chave que a igreja devia por os seus imensos bens materiais ao serviços dos pobres, e fazia ele, que entrava e servia de intermediário numa uma negociação com a china e outros de outras partes do mundo, num preciso ponto quente das relações no mundo, onde se via que a comida , ou a falta dela, era como é factor, que alimenta todas as confusões e nas vezes as guerras.

Uma me s ma cruz, a i mit ar a q ue tinha eu es c rito, no texto da int r ep e la c sao a am erica, onda ap arc e um pr e c is on ome, e stva h oje r ep pro du z id a no dn, s ob reo ant i g o pat ric arca uss a q ue para o c eu se f o i, uma not ti cia s ob reo n ovo, o ki r il, q ue cu rio sam que mente, é o no me de um p ad rec ue é el eva ado a pap aqui da ue t am b em el e fora al v ode persi gui ç o es e d ep p o rta ç o es, n um fi l me q ue se p ass a em roma, q ue rec en te mn te f o i t ra ns mi t id on a rtp, uma bela hi s to ira de um h ome m , h u mi l de, q eu pr e t en de q ue a igreja en t r en os e ix os, q ue me fez lem br ar a real de um outro q ue mui top o u co te mp o e s tve a fr en te da igreja ant es de ser as sas sin ado, e q ue t am b ema ch ava q ue a igreja de v ia por os se us i m en s os be ns mat e ria is ao ser vic os dos pobres, e f az ia el eta, am b em uma ne g o cia sao com a cho ina e a russia, num pr e c is o ponto q eu ente das r el ac s o es no do mundo, onda se vaso do ia que, a comida , ou a f al t a del a, e ra com o é f ac tor, q ue al i men t a todas as c on f u so es e n as v e ze sas sg eu rr as.