segunda-feira, fevereiro 02, 2009

No metro a caminho da estação de roma, palavra anverso do amor, a canção do grupo sentado, era canção infantil, ai, ai, ai , minha machadinha, e as machadinhas ressoam em meu pensar e meu saber, nas espadas chinesas do jet li

No do metro primeira do caminho da es taçao de roma, pala vaso do ra anverso do amor, a can sao do dog rup o s en t ado , e ra can sao da infantil, ai, ai, ai , min h a m ac h ad dinha e as m ac hadi em h as r esso am em me u p en sar em meu s abe rn as es padas c h ine z as do je cu do rato do zorro do li

Caminho adquire aqui dois sentidos dos múltiplos que toda a Palavra é, sobretudo quando é justa no sentido de proferida em verdade, uma que apareceu ao caminho , quando a família se separou, oeiras, onde ontem o espírito me dissera, todas as de oeiras, e agora hoje pela assinaturas do vendaval, que fora um local ondas as ondas do mar, galgaram a marginal, machadinha, era primeira referência de hoje, não sabia eu ainda que Matilde me daria uma outra, ao chegar ao velório, a outra, fora no telejornal, numa conferencia do pcp, onde se falava da aparente nova posição contra os pagamentos por conta, que é só uma gota do roubo e da podridão e abuso sistemático dos que levam os assuntos do estado em seu abuso crónico, onde ao lado do orador era por outro figurado, a faca da mao que fizera a grande penetração, um fotografo, com grande angular, nas cores oto, mostrava o movimento ascendente, descendente, muro para cima, buraco para baixo, ou truca truca, figura, o omen em reeel time dos fotógrafos que apareceram no jardim do império, e das cuecas que lá apareceram, com sangue e a tromba de elefante, falo grosso, caminho, ainda a editora, ligada ao partido comunista, e as duas autoras em dia anterior no jornal, a aparecerem, dos livros infantis, ou dos omens da canções infantis, na acusação dos actos mais vis que aqui estão neste livro de usarem as crianças em rituais de adultos,

Caminho ad q u ire aqui do is s en t id o sd os mul t ip l os q ue toda a Pala vaso do ra é, s ob r e tudo e capa q u ando é just e s en t id ode pro rof f e rid a em verde dade, uma q ue ap ar e ce ru ao caminho , q u ando a f am i l ia se s epa ro u, oeiras, onde on t emo es pei r to me di ss e ra, todas as de oeiras, e agora do h do oje pe l a as sin a turas do v en d ava l, q ue fora prime rio lo ocal das ondas, as ondas do mar, gala gara ram da primeira da marginal machadinha, e ra prime ira r e fr en cia de h oje, n cão s ab ia eu a inda q ue mat i l de me da ria de uma outra, ao che g ra ao velo do rio, a outra, for ano do tele e do jornal, numa c on feren cia do p da cp, onda se f ala v ad a ap ar en te n ova p o siç sao c on t ra os pa game en to águia da por conta, q ue é s ó uma g ota do ro ub oe da po dr id dao e ab us o sis t ema ti vc o do s q ue l eva am os as sun to sd o e ts sado em s eu ab us o c ron nico, onda ao l ado do o ra dor e ra por outro figu r ado, a f aca da mao q ue fi ze ra a g rande p ene t raçao, um f oto g rafo, com g rande angu l ar, na s co r es oto, mos t r ava o mo vi men to as c en det e, d es c en de t e, mu t oo do para c ima, bi r aco para do ba ix o, o u t ruca t ruca, f u g ur a, o omen em r ee el time dos f oto g rafo s q ue pa arc e ram no do jardim do i mp e rio, e das c uec as do que l á ap are ce ram, com s ab g ue e a t rom ba de elefante, f alo do grosso, caminho, a inda a e di tora, li gado ao partido cok muni s ta, e as du as au tor as em dia ante rio rn o jornal, a ap are ce rem, do s l iv r os in fan tis, o u do s om en s da can ç o es in fan tis, na ac usa sao do s ac to s mais vi s q ue aqui es tao nest e lui v ro de usa rem as c r ina sç as em rit ua is de ad u l to s,


Masi perto de mim, a família chinesa, com a menina de cor de rosa vestida, desenhos de arvores com tons vermelhos, pompons vermelhos como da pampas argentinas, e dos tangos, e um rolo de papeis nas maos, brancos com um quadrado vermelho, como antigos papiros , mas em aparência impressos na modernidade da net, as paginas tantas, o jovem pai, batia-lhe assim meio a brincar, um bocado para o bruto nela, a menina ripostava mais tarde, dizia a senhora africana que ia a meu lado, depois de uma conversa sobre medo, a visao da aproximação de um junkie que ela bem conhecia, como face de Jesus, com caixa de druffs, na mao, perguntando se o oriente era longe e como para lá se ia, que a menina , se via que já aprendera a bater, depois quando se levantara, deixara no ar a aparente estranha afirmação, que eles tinham ficado doentes, com a doença da liberdade, e que iam ser internados ou algo assim, absurdos, dois, dissera a senhora a primeira sobre o medo lhe respondera, a segunda já ia ela em pé a sair , quando a proferiu ficou assim a ressoar em mim, e no espaço da carruagem

Ma si per to de mim, a f am i l ia ch ine z ac, com da primeira menina de cor de rosa v es t id a, de s en h os de ar vo r es com ton s vermelhos, p om pom, duplo, serpentes dos vermes le h os c omo da a pp am ap as a ger n t ina sed os tangos, e primeiro do rolo de pa e is nas mao s, br anco s c om um quadrado vermelho, com o ant i g os pa iro s , mase em ap ar e cna i i mp press os na mode rn id ad em da net, as pa gina s t antas, o j ove em pai, bat ia do traço do ingles he ass em mei o a br inc ar, um b oca ado para do circulo do bruto nel a, a m en ina r ip ostava mais t arde, di z ia a s en hor a af ric ana q ue ia am eu lado, d ep o is de uma c on versa s ob r e medo, a visao da pao r x ima ç º ao de um j un ki e q ue el a be mn c on he cia, com o f aca e de js eu ss, com ca ix a de dr u ff s , na mao, per g un at n do se o oriente e ra do lounge e com o para l á se ia, q ue am e nina , se v ia q ue j á ap ren de ra a bat e r, d ep o is q u ando se l eva van tara, de ix ara no ar a ap ar en te es t r anha a for maçao, q ue el es tinha do ham fi do cado do en te sc om a do ença da liber dade, e q ue iam ser inter n ado s o u al goa ss em, ab us rodo s, do is di see ra a s en hor a ap rim e ira s ob reo med o l he r ep ps son de ra, a se gun dj á ia el a em p é asa irc , q u anda da primeira da ap do por rf e rio fi co do vaso do as da sima rato esso ar em mim, e no do espanhol do paço da car ruga em carruagem

Vermes remete, para torres, e tambem para a praga das baratas que aqui em casa nesse ano me fixarem e remete agora para schultz, alemão argentino, peanuts, e salmonelas, alemão tipo e argentino família, o pablo da margarida rebelo pinto

Vermes reme da te do para das torres, e ta am b em para da primeira de praga das bar a ts q ue aqui em c asa ness e ano me fi x ze ram e r ene te do agora do para do schultz, al ema mao ar g en t ino, pe anu ts, e s al m one l as, al ema o t ip oe argentino f am i l ia, o p ab l o da ma mar gar id a r e b e leo do pinto

Estava em frente a montra da livraria de esquina no chiado quando recebera a noticia da morte da lucinda atalaia, nossa mestra e fundadora do colégio infantil pestalozzi, e me metera no metro para a ir ver

Es t ava em fr en te am on t ra da livraria de es suina do no do chiado, q u anda rec e br a ano tic cia da dam orte da luc inda at a l aia, no ss sam am es t ra e f un dad o ra do cole gi o in fan til peste al os zz i, e me met te ra ano metro para primeiro roi rato do vaso e rato

Tinha descido a fnac, para verificar uma capas que caíram ao pegar num livro no fim de semana anterior que lá estiver a ver livros, estavam na mesma sequência no mesmo escaparate, encontros em capri, marcelo rebelo e sousa e duarte, o do psd, tambem, do mathias, do grupo do mathias, os senhores da má lingua, manuel serrao, mec e rui zink, o anzol dos bifes no geres, que fora o livro que caíra quando pegara , o dos encontros em capri na primeira ida, uma estranha capa, portugal como um bife do brasil, com um gancho, por alturas de montalegre, antes, esta tarde, o espirito me desvelara ainda em campo de ourique que o porco das costeletas, o merdoso, tinha sido enfiado no caixote do lixo,

Tinha da ad dd es cid o a fn ac, para v eri rif car uma capa s q ue ca iram ao pega rn primeiro livro no do fi madeira de se mana ante rio r q ue l á est iv e ra ave r livros, es tv am na me s ma seque eu en cia no me s mo esca par rate te maior do en c on t rose em capri, mar do celo do rebelo e do sousa e do duarte, o do psd, t am b em, do mat hi as, do g rup o do mat h u ia s, os s en hor es da má l in g ua, manuel serrao, mec e rui z in kapa do circulo do anzol dos bifes no do geres, q ue for a o l v ro q ue ca ira q u ando pega ra , o dos en c on t ros em capri na prim e ria id a, uma e ts rn h ac ap a do portugal com o do primeiro bife do brasil, x om do primeiro gancho, por al tura sd e mon t alegre, ant es, e sta t arde, o es pi rito me d es vela lara a inda em cam p ode o ur rique u q ue o porco das cos tele eta s, o mer do osso da tinha s id o en fia ado no ca ix o te do li xo,


Ontem ainda , pela noite na rua do restaurante do mar do norte da china, alguns carros de estado, e um com matricula cd, lá estavam, a indicação era precisa, um numero de telefone se componha com a montra do sol nascente e o numero de porta de um prédio ao lado, um encontro de namorados era perversamente sugerido, os corações vermelhos, do i love you na montra, trazia-os a menina nos tacões de suas botinhas de pom poms

On te ema inda , pe la ano do no it da te na rua do restaurante do mar do norte da china, al gun s car ros de estado, e um com mat ricula cd, l á e stav am, a indica caçao e ra pr e cisa, um n um ero de tele f one se c om pp on h ac om primeira montra do sol na sc en te e o n um ero de porta de primeiro pr é di o ao l ado, primeiro en c on t r ode namora do s e ra pr e t en sa em n te s u ger id o, os cora ç o es vermelhos , d o i l ove y p un a montra, t ra z ia do traço do ingles do os da primeira menina do no serpente dos taco es de su as b ot das tinhas de p om mp do circulo da maria sobral

Quando o livro com o bife no anzol da capa, me caíra o espirito me disse le ao contrario, e assim na contra capa, produtora relacionada com Moçambique e a monica calle da lapa, fi maior no sati is serpente do forte do facao, circulo do vaso do forte d ab cento e sete , set nma espanhol coa men to de f al cruz primeira pendurar um homem acento, é ess a questão, portugal é um pais pendurado, pendurado, remetia para enforcado, na ponte de s luis no porto, perfeito como nos filmes, justino, o homem que se enforcara na ponte, era um home do gal do porto, assim agora o sentido se desvelava

Q u anda do circulo do livro, com do circulo do bife e no do anzol da kapa, meca ira do circulo do es pi do rito tome me di se l e ao c on t ra rio, e ass em na contra capa, pro du ot ra r e la cio em d ac om mo cam do bique e a mi oni caca ll e da lapa, fi mai ro no sati is ser pente do f orte do facao, circo o do vaso do f orte d ab cento e sete , set nma es pan da ho l do coa men to de f al cruz primeira pen d ur ar um j om em ac en to, é ess a q eu s tao, portu gal é um pa is pen du r ado, p en dura ado, reme t ia do para en forcado, na ponte de s l u is no do porto, per rf e i to com o no s fi l mes, j us t ino, o h om em q ue se en forca cara na ponte, e ra um h om me do gal do porto, ass em agora o s en ti do se de es vela ava

Essa é que ra a questão, dizia o espirito deles, pois questões muito masi importantes trago eu e o mundo, se dois, para resolver, seus cabrões!!!!

Ess a é q ue ra a q eu s tao, di z ia o es pi rito de l es, p o is q eu s to es mui tom asi i mp porta ant es t rago eu e o mundo, se do is, para r es sol v e r, se us c ab ro es!!!!

Isto não é um país , parece um talho, ou em seu anverso, cruz do alho al ho, par rece ps apostolo serpente, muito cao do is do to justino, perfeito , como nos filmes

Is st on cão é primeiro pa ispa rece do primeiro talho, o ue em s eu em verso, da cruz do alho al ho, par rece ps a ps soto oto lo ser pente do mui to cao do is do to j us t ino, p efe it to , com o no serpente dos filmes

A chave completar a sei eu sobre este assunto , pois se desvelou, assim rezou, casa da comedia, uma actriz do feria, provavelmente do tempo do luigi da abbondanza, ou com pirandello relacionado, ou seja com o teatro italiano, ou com actores da comedia italiana, mabul mabuse, latina ropa, comida, do toiro da tv espanhola ingles ts, pr e it do i, circulo do primeira do sc da cruz maior da delta primeira cruz, vaso primeiro da web do utk edu uni study noventa e seis, da al ana anal en esta al dea homam ab rua primeiro do perímetro, e racios financeiros, forte cruz do Rato

Ac h ave co mp l en tar ase e eu s ob r e este as sun top o is se d es velo lou, ass em r e z o u, c asa da comedia, primeira ac t r i zorro do feria, por v ave le mn te do te mp o do lui g id a ab bon da danza, dana, o u com pira do iran de loo r e la cio em dao, oo use seja com do circulo do teatro, do italiano, o u c om ac tor es da com e dia it a li ana, m ab ul m ab use, l at ina r opa, comida, do toi iro da tv es pan hola do ingles ts, pr e it do i, circulo do prime ira do sc da cruz maio rda delta prime ira da cruz, vaso prime iro da w e bd o u t k edu uni study noventa e seis, da al ana anal en esta al dea homam ab rua pr e i me iro f orte cruz do Rato

O feiticeiro da ilha do cacau, s tome e principe, do herminio, o ferraz do herminio, da rosa do mundo e dos gnosticos, alguns bem falsos, como a cabras que se dizem psi ainda agora mencionadas , envolvidas no rapto de meu filho, e a blusa romena do antonio mega ferreira, ou seja de uma romena relacionada com o mega, outra vez, este cabrão a aparecer, tres linhas de b, tres x dois traços, dois falos, entre dois circulos e duas palmas, do josé do sarampo, do memorial do convento dd as cartas policiais, ou sej tambem relacionado com a menina morta na ilha onde saramago vive

O feiticeiro da ilha do doca c au, s tome e p rin c ipe, do her mini o, o ferraz do herminio, da rosa do mundo e dos gn os tico s, al gun ms b em f al s os, com o ac ab ra s q ue se di ze mp ps psi a inda agora men cio n ada s , en vo l v ida s no ra pt ode m eu fi l h oe a b l usa rome en a do antonio mega ferreira, o use seja de uma rome w en ar e la cio em da c om do circulo do mega, outra vez, este c abrao a ap ar e ser, t ratas es linhas de b, t r es x dois t ra sç os en t reo si circulos e du as das palmas, do jo da sé do s rama mago, do m emo rato da ila do convento dd as c art as poli cia is, o use sej t am b em r e la cio em dao com da primeira menina morta na ilha onda sara mago v iv e

O ultimo voo do flamingo, ou seja brasil, o outro pé da sereia, da sua excelência o mau tradutor, estevao do jonas, da baleia, italiano, o administrador, chupa ange o da encosta, o explodidor, massimo, makina feiticeiro, zambia, o porco, do mundo do talho do geres, foi deitado ao lixo, a mao do diabo do fósforo, guerra israel, espanha, o juiz, s emi romi, noite, nuit, hermes em sidon angulo alva angelo de lima, sidon thor em rami dea argentina, fata da alva, ser pse u os do no do metro, oriente, +e ma sis lounge

O u l t imo v oo do f al mingo, o use seja brasil, oo u t ro p é da se da reia, da s ua e x cel en cia om au t ra du tor, es te vao do jonas, da b al lei ia, italiano, o ad mini st ra dor, c h up a ange o da encosta, o e x p l o dido r, mass imo, ma kina feiticeiro, z am bia, o porco, do mundo do t alho do grés, f o id e it ado aol ix o, a mao do di ab o do f os foro, g eu tt a is ra el, es p anha, do circulo do juiz, s emi romi, noite, nuit, her mes em s i don angulo alva angelo de lima, sidon thor em rami dea argentina, fata da alva, ser pse u os do no do metro, oriente, +e ma sis lounge

Um outro livro me chamara a atenção no fim de semana anterior, um da patrícia , do grupo do independente , do paulo portas, a rapariga do passe que o filho da puta me fizera com ela na latina na decada de noventa, ali estava na capa com um casaco muito semelhante ao que agora trago, parecido com o financeiro na américa, e com um livrinho de apontamentos que é igual aos que já usei e que agora de novo uso nas vezes, ali estava um saído em diagonal do bolso, um bolso que está um pouco descosido, e que agora ao voltar no metro o espirito por um indiano bêbado, me mostrou ser o da cobra que subia das escadas do metro, do anzol vermelho do saco metro, abrira o livro ao calhas, como de costume e nele lera uma espécie de confissão da autora que diz, aque agora sabia que determinados segredos nunca deviam ser contados

U do m o u t ro do livro da me c hama ra a t en sao no fi madeira de se mna ante rio rum da patrícia , dog do rup o do independente , do paulo portas, ar ap a riga do p asse q ue o fi l ho da puta me fi ze ra c om el ana la t ina na decada de n ove en te a, al i e stva ana capa com do primeiro c as aco mui to semem l h na te ao q ue agora t rago, par e c id o com do fina ce iro na am erica, e com primeiro l iv rinho de pao n tamen en t os q ue é i g u ak ao s q ue j á use i e q ue agora de n ovo us on as v e ze s, a l i e stva um sa id o em dia g on al do bo l s o, primeiro bo l s o q ue e stá um p o u co de sc o sid o, e q ue agora o avo l t ra no metro o es pi rito por um inde ian o b e bed am me mos t ro use ero da cobra q ue s ub ia das esca da sd o metro, dona em zorro i l vermelho do metro, ab ria aro do ro do livro ao c alha s, com ode cos t u me en ele le ra uma es pe cie de c on fi s sao da au ot ra que di z, aqui do q ue agora as bia q ue det e r mina do s se g red os n unc a de v iam ser conta do serpente

Quando fora comprar o segundo, na semana passada, me enganei na aparência na porta onde o tinha comprado depois de bater umas tantas casas, a procura de um semelhante, assim pequeno e jeitoso que coubesse no bolso, mais facilmente, e que me obrigasse a tomar notas mais sintéticas, e entrara numa tabacaria de campo de ourique, onde o joe berardo estava na capa de um qualquer jornal, deitado, lera antes na tabuleta totoloto e totobolas, ou seja do toto do loto, grupo musical liado ao grupo de cascais da reuniao e ao uguru, e do toto das bolas, do futebol, do toto do futebol, depois me lembrei que o comprara na papelaria da pampulha, onde de novo dera com a gisele numa encenação e um dizer sobre as banheiras da michelle pfeizer, e de mísseis magnéticos de vibração com um menina em semelhantes calções brancos, que encaixava numa imagem da russia nesse tempo recente, uns mísseis para cima e para baixo, clara imagem, e um dizer, que a russia, pensava já não trazer necessidade de construir ou apontar mísseis a polónia, ou o míssil do polónio, sendo que este assunto será detalhado em outras nupciais

Q u anda dp fora co mp r aro da se do segunda gun dona se do man pa s ad dam am me en g ane ina ap ar rec ni ana p rita onda do circulo da tinha co mp do prado d ep o is de bate r um as t antas ca sas, a pro cura de um semem l h ante, ass em pe q u en oe je it oso q ue co ub ess en o bo l s oma is f ac ile m t ne, e q ue me ob riga ass e a tom ar am mr no t as mais sin te tica se en t r ar a nu ma t ab aca ria de cam p ode o u rique, onda do circulo do joe berardo e stva ana capa de um q ua l q eu r jo rn al, de it ado, le ra ant es na t ab u l eta t oto loto e toto bolas, o use seja do toto do loto, g rup o mu sic vale do toto das bolas, do futebol, do t oto do fu te bo l, d ep o is me l en br rei q ue o co mp r ra na pap e la ria da p am pulha, onda de n ovo de ra c om a gi sele n uma en c en a sao e primeiro da di ze r s ob rea serpente das banheiras da m i ch elle p fe i ze rede miss e is ma gn etic os de v ib raçao com primeiro da menina em se ml h ant es c al co es br anco s, q ue en ca ix v anu mai mage mda russia ness e te mp o rec en te, uns miss e is para c ima e para ba ix o, da clara rai mage me primeiro di ze r, q ue a russia, pen s v a j á n cão t rea ze rato da necessidade de c o ns t u iro u ap on t ra miss e isa p olo ni a, ouo miss da ile do p olo ni o s en do que este as sun to se rá d eta alha ado emo u t ra s n up co ia s

Gisele, traz uma t shirt onde se le coluna do duplo vaso spi circulo red, depois um gatinho cinza e branco pequenino que ela acaricia junto a seu pescoço, o gatinho da gisele, seth pp angulo en é muito cruz aire das tres s etas cravadas no chao, a terceira serpente da el eva são p do quadrado le ingles da cruz, do uguru, tres m, fitas, judia o ponto vermelho do triângulo de fogo do código, sis titanic, zon ser o ente do arco do nono E triângulo de fogo, son segunda me da cruz invertida, net cruz invertida, que aparece ni, no meu penúltimo video, da cozinha italiana da massa, pasta, e do dinheiro, a luva do tubarão, da mao da massa, do dinheiro, o cabo do pincel, o falo, e do pingo do gallo do azeite, da saia plisse, do vermelho, x no vaso de fogo do chapéu branco e azul, elle, e cruz gisele, serpente en game en cruz c on cruz rato e pida home roco, a b sida tel do lup do pod vermelho, alfama, da poly, a almofada na banheira do lago dos cisnes , da bailarina, i pod da pro do cruz red do roberto cavali, s c is met t t u homem en ger ki gali, vi homem ka bug primeira , a criação do benjamim, a criança que nasce da vela indicador dor maior mar, mer da rc da cruz vaso sopa mega x morta

Gi ise le, t r az uma t sh irt onda se le coluna do duplo vaso spi circulo red, d ep o is um gat un h o c in z a e branco pequenino q ue el a ac ar i cia j un to as eu p es coço, o g ar in ho da gi sele, set home do pp angulo en é mui to cruz aire das t r es s etas c rav ada s no chao, a t rec eu ira ser pente da el eva são p do q au dr ado le ingles da cruz, do uguru, tres m, fitas, judia o ponto verme l hp do t rin gula de fogo do c o di g o do sis tita anuc, zon ser oe en te do arco do nono E t r ian gula de fogo, son segunda me da cruz invertida, net cruz invertida, q ue ap a rece ni, no meu p en u l t imo v id e o, da co z in h a iat al ian ana da massa, pa sta, e do dinheiro, al da uva do t u barão, da mao da massa, do di ne h rio, o cabo do pincel, o falo, e do pingo do gallo do az e it e, da s aia p l iss e, do ove do verme l ho, x no vaso de f ogo do c h ap eu bar anco e az u l, e ll ee c ru z gi sele, ser pente en game en cruz c on cruz rato e pida home roco, a b sida tel do lup do pod vermelho, al f am ad a poly, a almofada na ban he ira do lago dos c i s ne s , da ba ila da rina, i pod da pro do cruz red do roberto cavali, s c is met tt vaso do homem do en do ger ki gali, vi homem ka do bug da primeira , a c ria sao do benjamim, a criança q ue na sc eve el a indica dor rm mar mer cruz vaso sopa mega x morta

Uma gisele, por aqui existe, foi um dia apresentada pela maria sobral mendonça, uma advogada, filha de alguém que é ou foi política, me disse trabalhar com os verdes, ou o bloco , ou a proteste, um dos tres que não me recordo ao certo

Uma gi sele, por aqui e x is te, foi primeiro dia ap r es en t ada pe l am aria da sobral mendonça, uma ad vo gado, fi l h ad e al g eu em q ue é o u f o ip pol it tca, me di ss e t r aba la home do rc om os verdes, ou o b l oco , o ua porte este, um do s t r es q ue n cão me record o ao ce rt o

Pois os bb, que apareceriam na capa da tal blusa romena do mega ferreira, remetiam para duas linhas anteriores desta complexa historia, primeiro para a d e d , que trás um e financeiro, que faz um b, e para mulher do bruno, a tal alema, e ainda para a cadeira vermelha da capa onde a michele pfeizer aparecera, pfeizer, q ue del ina t am b em e m f ar ma ceuta tica, o use seja ordem de tiro e gi do pito

P o is os bb, q ue ap ar e ce r iam na capa da t al b lu da usa de rome do en ado do mega ferreira, reme t iam para du as das linhas ante rio es de sta co mp lex a hi s tor ia, prime iro para ad e d , q ue t ra s um e fina ce iro, q ue f az um b, e para mul her do bruno, a t al a l ema, e a inda para da primeira do cade da ria vermelha da capa da onda da am michele p fei ze rato da ap da ar e ser az, pfeizer, q ue del ina t am b em e m f arma ceuta tica, o use seja da ordem de tiro e g ip it circulo do pi to, dog al ina ceo

Saindo do metro li, a valsa do com do bashir, segundo dos dois pompons vermelhos, flores vermelhas e negras, gago coutinho, ou seja do grupo do diabo com ligação ao paulo portas, a serva da cera da mica do vale de azevedo, o do circulo do duplo deus m setenta e sete, ira ad do ministério da saúde angulo negro, noventa e tres, ipssisimus, do bar do rá do terceiro do sg dos ritos da vesica francesa , cadeira ra dn ney, cinquenta e ste do bar do ra do quim zé do bar do rá do Zacarias, faca da luz, setenta e sete rover branco, dez vinte nono, vaso maior de oitenta e sete, do quadrado do sex to águia D e D da cruz quadrado austríaco, setenta e nove, terceiro circulo un antonio maçon, com do símbolo da cruz da nhac, nhac, ou seja da comida, ero da informática de roma mil novecentos e setenta e set roma, eu e tu, a chuva dissolveu os caminhos, o poema que entra no Livro da Vida em véspera, e que agora se reproduzia na igreja onde a lucinda estava a ser velada, os meus olhos espantaram-se ao chegar

sa inda do metro li, ava valsa do com do ba sh i r, se gun dodo sd o is p om pro rome iro do ministro serpente vermelhos das f l or es vermelhas e negras, do gago, actor, co do vaso do tinho, o use seja do g rup o do di do ano do diabo com da li g aç sao ao paulo pr t asa serva da cera dam do vaso do cado vale de azevedo, o do circulo do duplo deus maior de setenta e sete, ira ad do mini s teri o da s au de m am gula negro, n ove t na e t r es, ip ps sis si mus, , do bar do rá do t rec euro do sg dos ritos da v e isca francesa , cade ira ra dn ney, cinquenta e ste do bar do ra do quim zé do bar do rá do z ac arias, faca da luz, maior de setenta e sete rover branco, dez vinte nono, vaso maior de oitenta e sete, do quadrado do sex to a gui a D e D da cruz quadrado austríaco, setenta e nove, terceiro circulo un antonio maçon, com do si agudo maior do segundo falo da cruz da n h ac, n h ac, o use seja da co mida, e ro da in for mat tica de roma mi in nl ove dos centos e sete n t a e set roma, eu e tu, ac home da uva di s sol v eu os do caminho serpente, circulo do poe ema q ue en t ra ano L iv ro da V id a em v es pera, e q ue do agora se r ep ro di z ana igreja onda prime ira luc inda e stva ase ser vela ada, os me us olhos es pan tar am traço da inglesa sea o che gato da ar

ali estava a fachada da igreja a aparecer, com um cruz desenhada em desequilíbrio , contrario e oposta cruz que é desenhada no meu caderno no curto poema

al i es z sat v a a f ac h ad a da igreja a aparecer, com primeiro da cruz de senha ada em de si qui l br rio , c on t rai iro e o ps ota primeira cruz q ue é de s en h ad ano me u cade ron on circulo do curto, o cabrão da moda, poe ema

ou seja uma cruz que me foi feita com base neste poema e neste caderno pelo grupo do curto, relacionada com a tal cruz feita pelo circulo da moda, aqui já anteriormente referenciada, com brasileiros, e os dos cabrões da ps, da ota, ou sej do outro lado do rio, e consequentemente a ver tambem com o caso freeport, na medida em que alcochete é a terra da lucinda onde ela amanha será na terra enterrada, uma outra relaçao emerge, a ff, de fatima felgueiras do ps, e as relações com o brasil

o use seja primeira cruz q ue me f o i f e i t ac om base nest e poe ema e nest e cade r no p elo gt up o do curto, rte la cio em quadrado do ac om a t al cruz, feita p elo circulo da moda, aqui j á ante raro do iro do ome rome da en te r e fr en cia ada do com br as i lei i rose os dos c ab ro es da ps, da ota, o use do sej do outro lado do rio, e co nse q u en te mn te ave r ta tam am b em com do circulo do caso do fr e ep da o rt, na me dida em q ue al coc he te, é primeira da terra da lucinda onda el pr qua sd rato quadrado do em me ira am anha se rá na terra en te rr ada, uma outra da relaçao e mn ne r g ue, a ff, de fatima didi do fel g eu ira s do ps, e as das relações do com do circulo do brasil

eu tu
a chuva dissolve os caminhos,
tu
eu
a paga a luz
vem cá devagarinho
nhac nhac
- dança comigo?




A cruz que é feito na segunda linha do poema para o braço esquerdo da cruz, direita na imagem e que na igreja da santa joana princesa, está desenhada com o braço direito maior, ou seja um todo terreno, duas cruzes juntas, em desequilíbrio, sinal do pi, tambem, ou seja a cruz da divisão da santa joana princesa, ou da princesa da santa joana, ou seja inda de eventualmente uma criança e filha, que ecoa, no nome de um aparente mistério de uma mae que matou sua filha e cujo cadáver nunca apareceu, que recentemente teve um desenvolvimento que afinal a quereria ter vendido, e depois que correra mal, ou seja uma criança para ser usada, e que deverá ter mesmo sido usada num qualquer ritual, pois se a matara, saberia sempre onde seu corpo estaria, ou seja um criança que foi usada num ritual para lançar uma maldição, com processo equivalente ao que matou tres adolescentes em santa comba dao

Ac ru z q ue é f e i to na ase da sé da segunda gun, da linha do p ema para do circulo do br aço esquerdo da cruz, di rei t ana da imagem e q ue na i gre kapa jad a santa joana princesa, e stá de sn e h ad ac om do circulo do br aço direito maior, o use seja primeiro do todo terreno, du as das duas cruzes j un t as, em de sic quadrado vaso li b rio, sin al do pi t am do pita, b em, o use seja primeira cruz da di da visao da santa joana p rin ce z a, o u da princesa da santa joana, o use seja inda de eve en tua le maior cruz ne primeira criança e filha, q ue e coa, nono da me de do primeiro da ap ar da ren te mis te rio ode primeira mae q ue mato vaso da serpente da ua filha ecu jo c ad ave rn un ca ap ar rec eu, q ue rec en te mn te e cruz na teve um, can l a um, de s en vo l vi e mn toque a fina al aqui do eu rato e ria te rato v en q au dr ado do fido, e d ep o is q ue co rr e ram al, o use seja, um da c rina aç para ser usa ada, e q ue d eve rá te r me s mo s id o usa ada n um q al q eu r rit u al, p o is sea mata ra, s abe ria se mp reo em de s eu corp o est aria, o use seja um c rin ç a q ue f o i usa ada n um rit ual do para lança rum am mad di sao, com do pro roc ess o e qui iva do lente ao q ue matou t r es ad o l es cent es em s anta co m ba do dao

A partir do meu poema, desenhando a trave horizontal da cruz, com base na segunda linha que a define, obtenho uma inversão nas palavras que assim diz, caminhos os dissolve chuva a , ou seja, caminho serpente do os da di serpente sol vaso é circulo do homem da uva, mulher de durao, curto, relaçao com maria elisa, maria elisa, relaçao com a mulher de durao, a primeira cruz que ela a uva mandou fazer, ou seja , deduzo, que masi houve, o que prova que a faz a mando do durao, e tambem como processo de
transferência, e que a morte da joana, está relacionada com uma delas tambem, com um cruz feita no estados unidos, que portanto esconderá um acto que o durao, ou seu grupo terá lá feito

A p art do tir do dom eu poe ema, de senha anda da primeira cruz da rave h ori zon t al da cruz, com base na se da segunda ps it o la pistola da linha, do q ue a de fi ne, ob t en ho uma in v r es o ana serpente das palavras do q ue as si em de i zorro do caminho serpente do os da di iss sol vaso e do circulo do homem da uva primeira , o use seja, caminho da serpente do os da di serpente sol vaso, é circulo do homem da uva, mulher de durao, curto, relaçao com da maria elisa, maria elisa, relaçao com da primeira mulher de durao, a p rim e ira da cruz q ue el aa uva man do u f az ero use seja , ded vaso do zo, q ue ma si h o uve, o q ue p rova q ue a f az a ma n dodo durao, e ta am b em com o pro c esso de T ra sn feren cia, e q ue am mor da morte da orte da joana, e stá r e la cio em da c om uma delas tambem, com do primeiro da cruz feita pelo no dos estados unidos, q ue porta ant o es conde rá primeiro acto q ue o dr u a º são do cao te rá l á feito

Eu tu, declina em europeu c ru x z do vaso da cruz do vaso europeu, a paga al vaso do zorro vaso em acento em LA, da eva, da, a seis, da ar do rinho do nhac nhac, ou seja do rimo da comida, ou seja do rino dos restaurantes, do ponto do traço inglês, ou seja do rino do restaurante ingles, as matanças em inglaterra, com relaçao ao dança comigo, ou use do sej, o cabrão do tempo do secretaria de estado da cultura e da juventude no tempo dos festivais europeus, uma cruz que terá sido feito no comboio em que viajei de bari para roma , um cabrão do seja que estará relacionado de alguma forma com o grupo do dança comigo, da catarina furtado, cujo pai é do pz como se sabe, parelha do outro , que é ou foi provedor do publico , quando asseguraram dos dois a gestão da rtp, onde eu foi como de costume muito mal tratado quando apresentei um conjunto de propostas, e sendo que a empresa não teve nesse reinado dessas bestas, nenhum trabalho

Eu cruz do vaso dec l ina em europeu circulo do ru do ux do x do zorro do vaso da cruz do vaso europeu, a paga al vaso do zorro vaso em acento em LA, da eva, da, a seis, da ar do rinho do nhac nhac, ou seja do r imo da comida, o use seja do rino dos restaurantes, do ponto do traço ingles kapa do primeiro espanhol, o use seja do rino do r es tua ra n te ingles, as mat ancas em inglaterra, com da relaçao ao dança comigo, o vaso do use do sej, o c abrao do t r e mp o do secreta ria de estado da cu l tura e da juve en t u de no te mp o dos f es t iva si europeus, p ria am primeira cruz q ue te rá se id o f e i to no com boi o em q ue vi a je id e bari do para de roma , primeiro c abrao do seja q ue es tara r e la cio na ad quadrado da ode al gum primeira da forma do com do circulo dog rup o do dança comigo, o de angelis, da catarina furtado, c u jo pai é do p zorro do com circulo da se serpente do abe, que o sabe, par e primeiro homem do ado outro , q ue é o u f o ip por vedor do publico , q ua ando as segur aram dos do isa g es tao da r tp, onda eu f o i com ode cos t um me mui tom al t ratado q u ando ap r es en te i um c on j un to de pro ps t as, e s en do que a e mp r es a nã o teve ness e reina ado de s sas best as, n en h um t r aba do alho

Inverto as palavras na vertical do pema e obtenho, foice co mig circulo do traço ingles nhac nhac, devagarinho cá vem z u angulo primeira a seis primeira pa europeia do t vaso caminhos os di sol vaso e, chuva a cruz primeira do vaso europeu

In v e rt o as das palavras na v erica l do pe ema e ob t en ho, foice co mig circulo do t r aço ingles n h ac cn home do ac, d eva g rinho cá, vaso em zorro do vaso do angulo da primeira da a seis, primeira pa europeia do t vaso caminhos os di sol vaso e, chuva ac ru do x prime ira do vaso europeu

Masi invertendo, obtenho, na trave, serpenet do circulo do homem do nim ac serpente do circulo do oe vaso dez, primeiro do circulo da dupla serpente ss, id av vaso do home do circulo do au da cruz x eu

Ma si in v en t en do, ob t en ho, na t r v a e, se rp ene net do circulo do homem do nim ac serpente do circulo do oe vaso dez, primeiro do circulo da dupla serpente ss, id av vaso do home do circulo do au da cruz x eu

Invertendo todas as letras obtenho, foice, e cio forte, o gata se is e mo circulo ac cna do traço ingles ca homem nl, homem no homem ni, ra gata av primeira do acento do cento, me do vaso duplo do E, vaso da cruz, serpente circulo do homem nim, ac serpente do circulo E vaso do angulo do circulo do ss id, av vao s home doc irc do culo da primeira, do vaso da cruz vaso do E

In verte en do todas as le t ra s ob t en ho, f o ice, e cio f orte, o gata se is e mo circulo ac cna do traço ingles ca homem nl, homem no homem ni, ra gata av primeira do acento do cento, me do vaso duplo do E, vaso da cruz, serpente circulo do homem nim, ac serpente do circulo E vaso do ang gilo circulo do ss id, av vao serpenet do home doc irc vaso de dez da prime ira, do vaso da cruz vaso do E

Por isso senhora da vida, ou pura como preferir, senhora manuela ferreira leite, tudo isto sabendo, e protegendo o senhor durao, se mantêm o psd como todos os outros partidos silenciosos face ao rapto de meu filho!

Por iss o s en hor ad a v id a, o u p ur ac omo pr efe r i r, s en hor a manu le fe r rei e a lete, tudo is to s ab en do, e pro te ge n do o s en hor durao, se am net mi o ps dc omo todos os s o u t ros p art id os si le en cio s os f ace ao ira pt o de m eu fi l h o!

Ao chegar a igreja assim li, serpente da anta da jo da ana inc espanhola ar dos lagames d´el rey, cinquenta e sete , ou estrela do seth, do duplo circulo do vi da vesica francesa,

Ao che gara da igreja ass si em li, ser pente da anta da jo da ana inc es pan da hola da ar dos la game es d apostolo serpente e primeiro do rey, cinquenta e sete , ou estrela do seth, a madeira do duplo circulo do vi da vesica francesa,

Um pc com uma montagem de imagens da bela e preenchida vida da muito amada lucinda ali estava com um poema da Matilde por cima feito no dia de hoje, ou melhor de ontem a publicação deste texto

Primeiro vaso maior do pc com da primeira mon tage em de i mage ns da bela e pr en chi id a v ida da mui to am ada luci n d a ali e stav ac do com do primeiro poe ema da Am til d e p por rc ima feito no do dia de homem de oje, o um mel hor de on t ema pub li caça al de ste e cruz x to

Mais um machado
A cortar a raiz
A ferir a raiz do coraçao
Dói tanto
Tanto perder
Não ser capaz de crer
Só querer
Sem nada querer nas minhas maos
Lucinda
Luz da verdade
Saudade imensa
De quem
Chorar não sabe

Ma si primeiro machado ac si rta ra rai zorro a fe rat da ira rai zorro do coraçao
Dó it ant o T ant o per de rn cão ser ca da ap da p az dec r e r serpente do acento no circulo q eu r e r S em n ada q eu r e rn as min h as maos Luc inda Luz da verde dade
S au dade em en as de q eu mc hor anã, o sabe


Depois um anzol desenhado por sua mao , partia da ultima palavra e estava apontado ao canto superior direito do pc, onde as imagens desfilavam, o canto da direita alta, da puta da direita alta, certamente ruiva do cds, meia cortada hoje aparecia em sua face ao lado do puta do paulo portas, a comentar não sei quem que estaria sem castigo, devia estar a falar de ele mesmo, o cabrão, do quadrado da micro do soft, italiano, ot da liber dade, desk top do com do pr es sario da intel do pen tio vaso primeiro quadrado da mode elo cento e cinquenta e dois, ou quim ze, joaquim jose, primeiro de cinquenta e dois e triângulo de fogo serve lusa ino ova da ginasta , da ida ao circulo chines, chen, da forca numa estrela poe detrás da ginasta rítmica, ou dos ritmos, os rr ab da air iram , da exchange presideum ny da viagem à neve com os amigos da santa joana de picoas, no outono inverno, ou seja do corte ingles, s ac da anha, da ana do assento do Andrade do corvo, das ilhas, do pereira do melo, do marques do pombal da correspondência com a linha azul de muitas ovas torre da pa portuguesa dos dois traços do comboio, do angulo do seth superior da direita, asa ser do templo copas bicos Irlanda, vermelho e negro senhora,

D ep o is do primeiro anzol desenhado por s ua mao , p art ia da u l t ima pala vaso do ra ee stav a ap on t ado ao can to s up e rio r di rei to do pc, onda as si mage ns de s f ila ava mm, o can to da di r e tia al t a, da puta da di rei ta al t a, ce rta mente a rui iva do cd serpente da meia co rta ada homem do oje ap ar e cia em s ua face ao l ado dop u t ado p ua dez do portas, a c om en t ra n cão se e q eu em q ue es t r aia se em cas ti g ode v ia es t ra a f al r de el em es mo, o c abrao, do quadrado da micro do s o ft, italiano, ot da li be rda dade, de sk top do com do pr es sario da intel do pen tio vaso primeiro qua dr as o da mode elo cento e cinquenta e do si, ou quim ze, joaquim jose, prime iro de cinquenta e dois e t ri na gula de f ogo ser v e al usa ino ova da gina st a , da ida ao c irc u oo ch ine sc homem en, da f o rca n uma estrela poe det ra sd a gina sta r it mica, ou do s r it mo s, os rr ab da air iram , e c ch e ge pr e dide primeiro da ny da viagem à neve com do os dos amigos da santa joana de pico a as, no outono inverno, o use seja doc orte ingles, s ac da anha, da ana do as s en to do na dr a dn dedo do corvo, das ilhas, do pereira do melo, do marques do pombal da co rr es pon d en cia com da primeira da linha az u l de mui t as ovas da torre da pa portu g eu ss ad os do is t r aç s o do comboio, do angulo do seth s up e r iro da direita, asa ser homem do templo das copas dos bicos ira ln ad ave vermelho e negro senhora,

Tanto de nós , o devemos ao pestalozzi e a Lucinda Atalaia

T ant ode nós , o d eve mosa o p es t al o zz i e a luc inda da a cruz al aia

Ali estava seu corpo frio deitado, muita dor e muita coragem teve sempre Lucinda aqui, pois as doenças a acompanhavam desde muito tempo atras, e ela não baixava os braços, olhei-a toquei-a , seu frio corpo, e me dei conta, melhor ter partido do que continuar na dor em que estava

Al i e stav as eu corp o fr rio de it ado, mui t a dor e mui ta cora ge m teve se mp r e Luc inda aqui, p o isas do en ç asa ac cm p anha ava vam de sd e mui to te mp o at ra se el a n cão ba ix ava os br aço s, ol he i do traço da inglesa primeira toqe u ise eu f rio cop ro, e me de i conta, mel hi r t r e p art id o do que conti nu ar na dor em q ue e stav a

Quase nem reconheci sua face, sua alma e seu brilho naquele corpo dela que ali estava, todos nós que com ela convivemos, continuamos a recordá-la quente em nossos corações

Q u ase ne m r e c on he c is ua da face, s ua alma e seu br ilho na q eu le corp o de la q ue al i e stav primeira da cruz do circulo do sn da + os quadrado da ue com el ac on vaso do iv emo son c ru x em uam os a rec o rda acento do dó do traço da primeira do quadrado do ur da rn da te em no ss do os cora circulo do cortez do circulo espanhol

Me contaram que a besta do soares e de sua família, na sua senha de ficar com todo os espaços ali da cidade universitária, certamente comprados com os seus salários e normais e legais rendimentos, que um processo de despejo corre em tribunal contra o pestalozzi

Me c on tar am q ue a best ado do soares e de s ua f am mila, na s ua s en h ad e fi car com do t o do os es paços al id a cidade universitária, ce rta e mn te com prado sc om os se us s ala rio se norma si e le gai s r en di e mn t os, q ue um pro c esso de d e sp e zo co rr e em t rib un al circulo em cruz do ra do circulo da p espanhola da cruz al do circulo do zorro ze

A Lucinda sempre foi alvo de ataques desta gentalha, invejosos , vermes

A L u c inda se mp ref oe alvo dea cruz aqui do quadrado do eu s d e sta g en cruz alha, in vaso, é jo ss os serpente do os dos vermes

A bíblia estava aberta em miqueias, tres, contra os chefes e os falsos profetas, e as falsas profecias e o castigo a Jerusalém, simao pedro, a falar, o cântico dos cânticos e a primeira carta aos corintios, assim a mao da serva lusa, preparara a precisa encomenda a meus olhos, morram os que encomendam, em O Cristo O Digo

A b ib lia e stva ab e rta em mic ue ia s, t r es, contra os ch efe se os f al s os por rf eta sea s f al sas pro f e cias e o cas ti g o a je rato da usa primeiro em, se do ima do circulo do pedro, primeira do forte da ala do aro ro do can tico dos can tico sea rime ria ca rta aos co rin tio sas sima mao da serva lusa, pr ep ar a ra a pr e cisa en comenda am e us olhos, mor ram os q ue en com en dam, em O C r is to O Di gata circulo