segunda-feira, fevereiro 09, 2009

doce amadinha

dece do ce am mad dinha,

lá ia eu lançado quando a cassete acabou

la ia eu lan c ado q au un doa c as sere ac abu

se ainda nao estiver dormindo em pé, vou ver se gravo a segunda parte com o que disse que aqui nao ficou

sea inda n cao es t iv e rato dom mr rarto indo em pé, vo vaso uve rato se garo da rav do circulo da primeira da segunda p da arte com circul quadrado ue di seque aui n cao fi co vaso

O triângulo de fogo das duas facas e um caneta de tinta vermelha uni ball, sobre um texto meu de uma vivência de amor em noventa e nove, com a agenda do cisnes negros dos telefones, e a septicemia, a infecção , genital, sexual,

O t r ian gula de fogo das du as das facas e um ac can te de tinta vermelha uni ba ll, s ob r e um texto meu de uma v iv ven cia de amo rem no ove en t a en ove, com da primeira agenda do cisnes negros de os tele f one es, e a se pt ci mia, primeira in fec sao ge en ni cruz al se do x ual

Querida menina de meu coraçao, uma das facas das duas que com uma caneta uniball, fizera triângulo de fogo em mil novecentos e noventa e nove, julho, ao chao no entretanto caiu,

Q eu rid am en ina de meu coraçao, uma das f aca sd as du as q ue com uma can nete uni ba ll, fi ze ra t r ian g uk de fogo em mi l n ove centos e en ove en te en ove, ju l h o, a o chao no en t e rta anto ca e vaso,

Trás a faca em sua bainha duas setas cruzadas para cima com um E, e um F, respectivamente nos triângulos laterais, da compreensão e diz mora, do mg ra,

T ra asa da primeira f aca em s ua bainha du as s eta s c ruza ad as para c ima com um E, e um F, r es pe ct iva mente n st rina gulas l a te rai s, da com pr en sao e di z mora, do mg ra,

Aponta o seu bico dentro da bainha, a pilha da caixas de fotos, onde se le , cem, primeiro de setenta e seis da cruz do vinte e quatro do correiro da manha, vesica agfa set da cruz de noventa e um , em julho, precisamente,, record ra pido rrn cento e onze, cento e onze, vc, tres vi gula da tríade, tres traços verticais vindos do topo, brancos sobre azul, aseis circulo do nono da kapa, quatrocentos e quarenta quatorze vaso, vity, technology model angulo duplo cv do bar do ra am cinquenta e seis sul norte, dois, um, olivais, zero, cinco, duzentos e seis, peugeot, duplo circulo seiscentos, Itália, quatorze, ce ffc , sendo c duplo , como a imagem dos carris na grecia na casa ardida nos fogos de verão, tested com da p l delta , play, with fcc standard mate , made, in taiwan visor e fole circulo roma te kapa cem, uni bar do ra da estrela, ad pat dor entre sony oito mm, e agfa slides dia mator mil e quinhentos, da a, sessenta mar made in germany


Ap da ponta do s eu bico d en t roda da bainha, a p ilha da caixa s d e f ot ts primeiro, onda se le , cem, prime iro de setenta e seis da cruz do vinte e q au t ro do correiro da am amna home hd da ave e sica agfa set da crus de noventa e um , em julho, pr e cisa sam w n rt e, record ra pido rrn c en to e in ze, primeiro do na h u lo do onze, li, tres vi gula da t riade, tres traços v e rt ti casi v indo s do top o, br anco ss ob re az u l, ase is circulo do nono da kapa, q u t roc en toe e quarenta q ua t ro r ze vaso, vity, tec h no lo g y mode l angulo duplo cv do bar do ra am cinquenta e seis sul norte, dois, um, oliva si, z ero, cinco, duzentos e seis, pe u i ge ot, duplo circulo se i centos, u t ala a, q au t ro r ze, ce ff c , s en doc duplo , como a imagem dos carris na g rec i az na casa ar f dida nos fogos de eve ra o, t es ted com da p l delta , play, with fcc stan d art ts mate , made, in t a i w na m visor e f ole circulo roma te kapa cem, uni bar do ra da estrela, ad pat dor e n t re s o ny oito mm, e agfa s lides dia mat o r m ile q eu in h en to sd a a, se s senta am mr made in ge r m any

A caa , carta que fala de relações amorosas, a minha, referencias , S de serpente da primeira cruz da primeira celebridade, e do dinheiro e da am mentira, de um encontro num elevador, que espelha a Adelaide, que hoje aparecia no dn, que um dia me fez um passe na cas de banho do majong, e depois deve ter inventado um história, di serpente do play,, tres anos sufis cie en t es na opinião, galeria, primeira cruz, especuladores de bolsa, amor universal , astros do ca c ruf s ac ru f u cio do pr ip rio, filho, pressuponho uma historia, esta que o texto fala , e o de jesus, O Cristo, que fez chorar uma mae,

A caa , ca rta q ue fala de r e la ç o es am o rosas, a min h a, refe rn cia , S de ser pr n te da prik eira cruz da pi rm e ira cele br id ad e, e do din he iro e da am men t ira, de um en c on tor nu primeiro elevador, q ue es pe l h aa ad e la id e, q ue h oje ap ar e cia no dn, q ue um dia da me de fez do prime rio p asse na cas de ban h o do majong, e dep o is d eve ter in v en t ado um hi s toi ira, di ser rp en te do p la y, t r es em os sufis cie en t es na o pi ni a o, gale da ira da primeira cruz, es pe cu la dor es de bolsa do amor universal , as t ro s do c ac ruf s ac ruf u cio do pr ip rio, fi l ho, pr ess u p on ho uma hi s tor ia, e sta q ue o te x to fala , e o de j es us, O Cristo, q ue fez charar o primeiro am mae,

Masi a avo virginia, a vao da opera, do avo capitão, e do avo armindo

Ma s ia av do circulo da virginia, primeira do vao da opera, do av o c apit tao, e do av o ar m indo

Ap da arte primeira da gaja, al é boa com do circulo do caraças, diabo, com batatinhas fritas ficava eternamente cheio,

Ap a da arte primeira da gaja, cig ana, al é boa com do circulo do vc ar aç sas, com bata ti mna h s fr rita s fi c ava e terna mente che i o,

E ap da arte segunda , e ra s ib re esta foice, anoréxica, , anima alma , julio pereira, a rapariga do caderno do cifrões, dos cheques, no caderno do castelo de s jorge, a any do primeiro do circulo do rato do delta de s bento

Q eu em português da terceira da pessoal me do forte do input output, com uni do cado primeiro vaso maior di angulo da ema ba ck ground, vinte, trinta , quarenta,

A bala de mao dada, calculo teórico do comportamento do carro , ca do rato rp do bull shi tt, da merda, is to é bul serpenet da hi tt, da merda em todo o terreno, vinte en ove em br o , v e in te set nove, d up lo vaso do circulo do vaso

Menina Adelaide, é muito bonitinha em proporção inversa, ao quadrado da sua inteligência, nem se compare com uma outra que remotamente lhe é parecida, fica-lhe mal, e falta-lhe eterno leitinho, mas nao se preocupe, nao que o Amor é para todos

Menina Adelaide, é mui to b oni tinha em pro porcão inversa, ao q ua dr ado da s ua intel i g ên cia, ne m se com par e com uma outra que r emo tam da am que ente l he é par e cida, fi ca do traço da inglesa, l he ema al, e f al t a do traço do primeiro he e t reno lei do tinho, ou tino, o dos filmes

Neste ultimo parágrafo a caneta vermelha caiu e aponto o cabo da ficha do alimentador da ca do non, quem diria como isto é pequena província

Neste u l timo para g raf o a cab n eta vermelha ca e ue ap on to o cabo da fic h a do al i men ta dor da ca do non, q eu terceiro em di da iria com o is to é p q e un a pro vin cia

cu rio osso, fala ra eu de ra u l castro, e l á e stav a ele de vi sita a m ar rocos, p elo s vi s to a cruz nao é s ó a de cabo verde, mas tambem a r e la cio n ada com a min h a da prisao, di z iam as letras q ue t ina h i do vi sitar ami g os dos pet rol leo e do g ás, se pro du ze m al gu ns g ene eros, naquela doce terra