terça-feira, abril 21, 2009




vós
sempre
dizeis
mata
um
é
um
assassino
mata
muitos
é
um
herói

vaso si di circulo sd mu eu am mé vaso do he roi, ou heron

vaso os da se do mp red ize is mata primeiro é primeiro as sa sin circulo da mata mui cruz os é prime iro homem do ero do ingles do roi, ou heron ,herói, eron, theron, me ron, assim declina em meu corrector heron

corrector remete para financeiros

se es mé mo as émi
i mé são mé mase es s


curioso sincronismo, fala a Palavra dos documentários de michael morr e de repente no canal um já pela madrugada, passa de novo columbine,

c ur io so sin c roni is sm o, falo primeira Pala vaso rea dos doc um en tá rio s de michael morr e de r ep en te no c anl um j á pe la madruga gado, p assa de n ovo co l um b ine,

estou a fazer outras coisa, nao trago nenhum caderno com folhas brancas para escrever desde ontem, e nem me apetece masi continuar este diário, e portanto ainda nao me decidi a comprar mais um caderno que fosse

es to ua f az e r o u t ra s co isa, n cao t rea g one n h um cade r no com das folhas brancas para es c r eve r d es de on te, en em me ap e tec e ma si conti nu ar este di á rio, e porta anto a inda n cao me dec id ia co mp r ar mais um cade r no q ue f os se


faz , ou melhor fez, ontem dia vinte o aniversário da matança em noventa e nove, o ano da expo aqui em portugal, anunciada por bill clinton à nação uma hora depois de ter dito que a américa tinha massacrado a resistência nos Balcãs e que tinham minorado as baixas civis, quando na realidade, assim nao foi, edifícios civis atingidos por engano ou nao engano, imenso mortos civis, pois é difícil de entender o nao conhecimento rigoroso e prévio dos alvos com as tecnologias e informações que hoje e ontem já se tinha

f az , o u mel hor de fez on te made ria dia vinte do circulo da ani ver sário da matança, na un cia ada por bill clinton à na sao uma hor a d ep o is de te raro do dito q ue a am ar e cia tinha massa c raro do ado a r e sis t en cia nos bal ca sec ca non da ue tinha do ham mino rato ado as das baixas civis, q ua ando na r e la id ad e, as si mna o foi, e di fi cio s c iv is a tin gido s por en g ano o un cao en gano, i m en s om o rt os c iv is, p o is é di fic il de en tender on cao c on he cimento rigor roso e ep do pr é vaso io dos alvos com as das tecnologias e in s for mações q ue homem oje e on te m j á set da tinha

no aparente espaço linear de uma hora, uma balança parecia se ter equilibrado, em dois lugares distantes do uno mundo, se o tempo fosse linear, e se nao se soubesse com antecedência que um ataque iria ter lugar

no a ap ren te es paço l ina e ra de uma hor a, uma bala ança par e cia sete r eq u i libra ado, em do is lu gar es di s t ant es do un o mundo, se o te mp o f os se l ine ar, e se na o se s o ub ess e com ante c en dec ia q ue um at aqui do q ue iria te rato dol vaso do g da ar

seria uma intervenção de Deus ou de homens que se fazem de deus

se ria uma int e eve vaso en sao dede us o vaso de homem om en s quadrado ue se f az ze madeira dede us

a primeira parte da equação já se desvelou em parte, existe um que é especialista em mortos de civis, ou seja que prepara as coisas para que assim aconteça, assim será a sua especialização

a prime ira p arte da e qu sao j á se d es velo lou em p arte, e xis te um q ue é es pe cia li a ts em mor to s de civis, o u seja q ue pr ep do para as co ia s para q ue as si m ac on te ç a, as si m se rá a s ua es pe cia l iza são

mais agora se desvelou em mais esta camada da cebola descascada, que o processo é operado por sexo, por taras sexuais

mais agora se d eve lou em mais e sta cam mad a da cebola d es cascada, q ue o pr e c esso é o pera ad o por sexo, por taras se x ua is

a segunda questão que se tem então que colocar, é de que cia falamos, a oficial, no sentido daquela que apoia o governo americano ou uma outra cia qualquer, ou seja um grupo outro que actue como a cia, ou ainda pessoas que colaboram com a cia mesmo que inconsciente de tal facto, por terem sido preparadas para tal, ou ainda por manipulação induzida com vista a um fim de acção especifico

a se gun da q eu st o aqui da ue sete em en tao quadrado da ue circulo duplo do falo do car, é deque da ue cia forte da al lam am da mosa circulo do fi cia primeiro, no serpente do os do en tio da quadrado da eu laque da ap da poia do circulo do governo a am e rc cia ana circulo do vaso da uma circulo do vaso da cruz da ra cia quadrado da ual, primeiro quadrado do eu ro ero, sir vaso do clo do vaso do seja primeiro mg rupo de outro do quadrado da ue ac cruz ue com circulo da primeira da cia, ova italiana sao da aida muito pessoa serpente do q ue circulo do olo barem com da primeira da cia me sm o q ue inc o sn cie en t es det ak primeiro do forte do ac to, por te rem serpente id do circulo do pr da ep do para da serpente spa para cc crato al, circulo da ua inda por maior da ani ip vaso da la são indu zorro id , induzida, ac do om do vaso ista a um do fi made ria de ac são espanhol do pe si do fi co

ou seja como se desvela nesta outra camada da cebola, são pessoas induzidas aos actos, o que leva a deduzir que pelo menos algumas delas não o farão em forma consciente

circulo da ova do vaso do seja com do circulo da sed espanhola vela nest primeira da outra da cam da made ria dada cebola, são pessoas indu zorro, id as aos ac to soc quadrado da ue primeiro da eva primeira dedo do zorro e rato do quadrado da ue da p do elo do homem en do os da al gum, ás del as sn cão circulo do forte do arão em forma co ns cie da en teresa

velha linha que outrora qui escrevi, dava conta por um filme francês, a diva e os gangster, que nas vezes os métodos dos polícias e dos ladroes se assemelhavam, numa dicotomia a preto e branco, que não é masi hoje verdadeira, na medida em que os processo de indução e o controlo rem estão acessíveis a muitos

velha da linha q ue outrora qui es c r e vi, da ava conta por do primeiro filme francês, a diva e os ds circulo da gan sg st te rato serpente, quadrado da ue nas vaso e ze serpente ny os met circulo do sd do os da poli ca e sed os dos ladroes se do ass ema al homem da ava vam, numa di circulo do to da mia ap rato e to e br aco, quadrado da ue en cão é ma si homem do oje verde ad e ira, na me dida em quadrado da ue os por rc ess ode indu sao e cc circulo em cruz rolo rem espanhol to primeira do ac ess iv e isa mui to see serpente

neste caso parecem ser ladroes e gansgteres , mas muitos outros no uno mundo, nem sempre assim nesta dicotomia se porão

neste do caso par rece em ser la dr o es e gan gs te r es , mas mui to s outros no uno , fita, italia, mundo, ne m se mp re a ss im nest a di c t mia se por ram da am

a serie jack bauer, vai paulatinamente encenado as frágeis fronteiras e nem sempre claras que hoje a todos se colocam em teremos de segurança

jack bauer, alemão, boer, ou seja alemão da africa do sul

j ac k na ur, alemão da boer, o u seja al ema mao da, ou na africa do sul

aqui o ultimo jack, mini, ou seja ingles, que me apareceu, relativo ao tiro da lança de duas pontas, com choque eléctrico, portanto algo dos sados, e torturas com eléctrodos, e amarelo e verde, duas riscas, ou seja sargento, duas riscas, dois circulos verdes em doirado, ou heroina angulo

aqui o u l t imo j a c k, mini, o u seja ingles, q ue me ap rece u, r e la t ivo ao tiro da lan ç ad e du as das pontas, cios, com do chique eléctrico, porta anto al god os sados, e oi tor ur as com ele c t rod os, e a am r elo e eve verde, du as rr isca s, fi gado, o u seja sargento, du as r iscas, do is c irc cul o s ove verdes em do irado, o vaso do homem do ero ina angulo


e a velha equação, se a policia se torna igaul aos maus das fitas, se tornam em certa maneira e medida iguais e se perde assim a diferença que assenta no moral, e do outro lado da equação, se com um método de tortura se pode prevenir a vida de centenas, será ou não justificável que se o faça

e sabemos que a realidade não é a preto e branco, e existem estados de excepção, o problema é quando a excepção se torna regra,

e s abe emo s q ue a real id ad en cão é a preto e branco, e e xis t em es sat td os de e x ce p sao, o po rb l ema é q ua ando a e x ce p çao se t ron a rata da regra,

por outro lado, é claro concluir que as situações se extremaram,, por repetidos abusos de poder em distintos níveis, que levaram a uma situação que se pode ter caracterizado, todos contra um, pois todos, ou muitos, esta fartos dos sistemáticos abusos, sendo que estes que falamos vem da postura policial no mundo, ou seja , o extremo se atingiu tambem por este historial, que tem que ser sempre considerado, ou seja, ainda por outras palavras, se a política externa tivesse sido outra, menos necessidade se teria alguma vez de nos encontrar-mos todos no mundo a julgar estas ténues fronteiras, quando a actos de guerra num território, com características distintas das chamadas de convencionais

por o u t rol ado, é c al aro do roco n circulo do lui rato do quadrado da ue às da sita ac circulo de core t zorro do circulo uk es se e x cruz rem aram, por rato e pet id os ab us os de p ode rem di s tinto os ni v e is, quadrado da ue da primeira eva ram, a uma, da si cruz au sao quadrado da ue se p ode cruz rec da cara rac teri iza ad o, todos contra um, p o is todos, o um vaso it os, e sta forte da art do os dos sis t ema tico serpente ab us os, serpente ge en do que e est espanhol quadrado da cruz eu, tue, forte da al am os vaso em da post tura poli circulo da al no do mundo, o vaso do seja , oe x t remo seat in gi vaso da cruz da am e segunda em por este hi serpente do tori al, quadrado da ue te madeira quadrado da ue ser se mp rec on serpente id e ra do, circulo do vaso do seja, primeira inda por outras pala vaso do ra serpente da sea poli tica e x te rna t iv esse serpente, id circulo net da outra, m en os ne ce iss de se te ria la gum ave zorro de nos en circulo em cruz rato ar do traço ingles mos todos no do mundo a ju primeiro gato da ar e sta st en eu serpente do fr ine t rias, qua ando a ac to serpente de guerra nu primeiro terri circulo do rt io, com cara rac teri s tica serpente da di serpentes das tintas da ac circulo do ham do ac on vaso en cio na is

sem nunca querer escamotear esta questão, pois se trata de direitos humanos e da prevalência moral, para deles velar, como todos devem sempre velar, parece-me masi importante julgar so culpados pelo acto, que criou este vácuo legal na intervenção daqueles que mais ou menos veladamente levam as questões de investigação, segurança e prevenção de actos desta natureza

s em n un c a q eu r e r es cam ot e ra e sta q eu s to ap o is se t rata de direitos h uma ns e da pr eva l en cia mor al, para del es v e l ar, com o todos d eve em se mp r eve lar, pa rece do traço da inglesa me ma si i mp porta ante ju l g ar s o cu l pado s p elo ac to, q ue c rio u este v ac u o le gal na in t r eve en sao da q eu l es q ue mais ou m en os vela dame do dam en te l eva vam as q eu s to es de in v es tiga sao, segur ança e pr eve en sao de ac to s de sta na ture za


por outro lado a eficácia destes métodos, só muito e sempre excepcionalmente deverá ser autorizada, pois como se sabe não é assim que se combatem, e muitos outros métodos sem passar por tortura, são hoje, como ontem , bem mais eficazes


por o u t rol ado a e fi ca cia d este met osso, s ó mui to e se mp r e e x ce cio n al mente d eve rá s ser au ot tir da za ad ap o is como se s abe n cão é ass im q ue se com bate me muitos o u t ro sm e todos sem ap s sar por tot ur a, são h oje, com o on te m , b em mais e fi ca ze serpente





e primeira ave velha e qua sao, se a poli case tor na igaul a circulo da sm a us da serpentes das fitas, se tor rn am em ce rta mane ira e me dida ig ua ise se pr rede as sima difer n ç a q ue ass en t ano mor al, e do outro rol ado da e qua sao, se com um met ode de tor t u t ase p ode pr eve ni ira ra v id ad e c en t en as, se rá o un cão j us ti fi c ave l q ue se o f aça


s ase da ire j ac kapa do bauer, vaso primeira si paula t ina que mente en senado as fr a ge is fr on te iras e ne ms e mp r e clara s q ue h oje a todos se c olo cam em te remos de segur anca

bowling for columbine, assim se chama na realidade o documentário, e sempre me intrigara este titulo, mas o próprio documentário dá a explicação, ao evocar um outro massacre feito por dois pere que pertenceram a uma milícia e que rebentaram com um edifico federal, pois treinam com bonecos de bowling e explicam que correspondem aos pontos vitais de um ser, caso alguma vez tivessem que atirar sobre ele
bowling é tambem ,a actividade que conta para a disciplinas e a nota de desporto, sem sentido como reconhecem as duas colegas dos dois rapazes que fizeram o massacre e que de seguida se mataram



bo w l ing for co l um b ine, ass em se c hama na real id ad e o doc um en tá rio, e se mp reme in t riga gara este titu lo, maso pro pr io doc um en tá rio d á a e x p li caçao, ao evo car um o u t roma ss ac re f e it o por do is per e q ue per t en ce ram a uma mi li ca e q ue r e b en t aram com um e di fi co fede r al, p o is t reinam com b one co sd e bo l ingles e e x p l caim q ue co rr e ponde mao s pontos vita is de p rie mr io ser, caso al gum ave z t iv ess em q ue a tir ar s ob re el e bo w l ing é t a m b em ,a ac ti do vide q ue conta para primeira das di s cip l ina sea ano nota de d es porto, s en s en t id o com o dr e c one h c ema s du as c ole gás dos dois rapazes q ue fi ze ram o massa c re e q ue de se guida se mat aram

pinos de bowling linha a que se chama tambem de mecos, a ecoar na serpente da praia do meco

p ino s de b oe l in h g linha a q ue se c hama t am b em de meco sa e coa r na serpente da p raia do meco


bolas negras como as de bowling costumam ser, me apareceram em duas citações recentes, e um escutado recente no espirito aqui tambem faz sentido, assim ficou a coisa ela por ela, ouvi-a agora ao escrever e olhar o que se me desvelava no visto sobre o tremor em abruzzo, mas na realidade esta frase aplica-se a todos os ataques e a todas as vinganças, que em sangue acertam as contas, olho por olho, dente por dente

bo l as das negras com o às de bo w l ingles do cos t um mam ser, me ap ar e ce ram em du as c ista cortez do circulo do espanhol da rec en da cruz es, e primeiro es cu t ado rec en te no es pi rito aqui t am b em f az s en t id o, ass im fi co ua co isa el a por e la, o u vi do traço ingles da primeira do agora ao es c r eve reo ol homem ar o q ue se me d es vela ava no vi s to s ob reo do tremor em abruzzo, mas na r e la id dad ad e sta fr ase ap lica do traço da inglesa sea primeira de todos do os dos ataques e a todas as vin g aça s, q ue em san g ue ac e rta sm as das contas do olho por olho, dente por dente

pois dente por dente, se via alarga conta das administrações americanas ao longo dos tempo antigos, que mais ninguém deseja que voltem ao mundo, como dizia um canadense ao michael, vocês aí ao lado quando tem um problema é mais logo de puxar da pistola , nós aqui negociamos

p o is do dente por d en te, se da via al argo primeira da conta das ad min si t rações am e rc i ana sao long o dos te mp o antigos, q ue mais nin g eu m de seja q ue vo l t ema mao mundo, com o di z ia um c ana d en se ao ni c h a el, vo c es a ó aol ado q ua ando te m um por r b l ema é maís l ogo de p ux ar da pi s t ola , nós aqui ne ego cia am mos

vendo pela segunda vês o documentário em form acorrida sem quase tomar nenhumas nota de repente estou de novo a ver a parte que se passa em columbine, um primeiro pormenor vem a tona, a porta de segurança que um senhor depois instalou e que é passível de ser deitada abaixo por um machado, trás , um desenho que é semelhante ao dos moveis na loiça ingles, nos pratos, pois ainda agora acabara de o descrever, na imagem ultima que se manifestara aqui nesta mesa e na mesa de jantar

vaso do en do p e la se gun da ave s o duc u men tá rio em for m ac or rid a se m q ua ase tomar n en h uma serpente da nota, do dinheiro, de r e pen te es to u de n ovo ave ar a p arte q ue se da passa em columbine, um prime iro por m en o r vaso ema ton a, a porta de segur anca q ue um s en hor d ep o is in s t al o ue q ue é p ass ove l de ser de it ad a ab a ix o por uma m ac h ada, t ra s , primeiro de s en h o q ue é semem l h ante ao dos moveis na loi ca do ingles, no serpente dos p ratos, p o isa primeira inda do agora ac ab bara de o d es c r eve rna i mage madeira u l t ima q ue se m ani i f es tara au i nest am mesa e en primeira da mesa de j antar

se chamam de atlas, os mísseis que os pais dos meninos que ali vivem fabricam, estou em com o dicionário da mitologia aberto e as voltas sobre os espelhos dos mitos no presente, e vou ver o que me diz atlas

se c h amam de a t la s, os miss e is q ue os dos pais dos meninos q ue al i vaso iv em fabrica cam, es to ue m c om o di cio na rio da mito lo gia ab e r to e as das voltas s o br e os espelhos dos mitos no pr es en te, evo uve do ero q ue me di zorro do atlas

atlantida, sais, timeu, colunas de hércules, clito, evenor e leucipe, gémeos, atlas, oricalco, libios, atacados pelas amazonas, vaso circulo do ti gato do circulo mir ina

atlantida, produtora, atlantis, cristais e fainças, fa inças das fabrica s nos lu gar es que de n ovo acabaram de ser au i c on vo cada s, a por posi to da ca m a ra clara, cujo s im b olo g raf fi cao remete tambem para as est ru r ut r as geo di sic as, sais, timeu, colunas de her rc cu l es, circulo lito, impressora, eve en or e l eu cip e dos gémeos, a t l as, o ric al co, li bi os, at aca ado s pelas am primeira da zona serpente do vo as oo serpente do rato da cruz do ti gato do circulo mir ina

atlas . filho de jápeto, que ressoa em gapeto, ou seja o pinóquio, prometeu e epimeteu, ou seja pro de rome teresa vaso e ep do pi pim met europeu, pinóquio, em p ino do nó do ki do io, g ap pet circulo do j ape to, gapeto declina no corrector em galeto, o galo, p duzentos e oitenta, ou seja mercedes, alemão, stand a oitenta e oito, ao lado do sitio onde agora rebentaram as colunas das aguas, iram o de crono, ou sej i r mao, de pedro elosegui, o u seja, eve en tua le lem n te basco, oi elo da se do gui

estremo ocidente, ou seja cabo espichel, de novo, e por tabela e proximidade meco, hesperides, perseu, ou vaso perse, medusa, maria das lamas, ou seja dos produtos naturais que se extraem do barro das encostas do meco, pai de maia, , avo, hermes, ou ab circulo de hermes

es t remo o c id em n te, o u seja do cabo espichel, de n ovo, e por t abe la e por xi mi dad e meco, h es per rid id es, perseu, circulo do vaso perse da medusa, maria das lamas, o u seja dos pro du to s na t urais q ue se e x t ra em do bar ro das enco sta s do meco, pai de maia, , avo, her mes, o u ab c irc u lo de her do mes


bolas negras como bowling me tinham duas aparecido, aquelas que constam das fotos da ines gonçalves, e uma outra cena antes do tremor pela noite no largo dos quatro caminhos, ao chegar, uma rapariga jovem com um rapaz um bocado masi crescido do que ela e um cao, um cao de pelo beije e suave como alguns que nesta historia aparecem, e uma bola negra que o rapaz lançava ao cao e que nesse momento lavava ou assim parecia fazer na fonte


bo la s negras com o bo w l ingles me tinha do ham du a ap rec id o, a q ue l as q ue co ns tam das f oto s da ines gonçalves, e uma o u t ra c en a ant es do t remo mor pela no it en o l argo dos quatro ca minho sao che g ra, uma ra par toi g a j ove em com primeiro rapaz um bo cado ma si c r es c id o do q ue el a e primeiro cao, primeiro cao de p elo bei je e s ua ave com o al gus n q ue nest a hi s to r ia ap arc e cem, e primeira da bola negra q ue o ra p az lan ç ava ao cao e q ue ness e mo m neto lava ava o u as si m par e cia f az e rna do fonte

a frase no final, antes de novo entrarem no audi carrinha azul de dez laminas em cada roda e partirem com uma certa pressa, fora, larga a bola, dissera ao cao, da ultima vez que alcançava, mas o sentido me pareceu ser como que um recado para mim,

a fr ase no fina l, ant es de n ovo en t ra rem no au di car rina homem az u primeiro de dez la minas em c ada roda e pari r e em c om uma ce rta press a, for a, l arga a b o la, di ss e ra ao cao, da u l t ima ave z q ue al na ç ava, maso s en t id o me pa rece u se r c omo q ue primeiro rec ado do para da mim,

outros dados do documentário, onze mil cento e vinte e sete mortos com armas de fogo nos eua portavelmente no ano em que o documentário fora feito, ou seja , grupo onze do cento e vinte e sete, ou seja do fiat, de um fiat que era da minha mae e no qual eu me lembro de ter algumas vezes viajado para sesimbra, ou seja emergiu-me um perfume de que o acerto da conta poderia de repente tambem aqui se encaixar, ou seja columbine, italia, italia, relaçao com a guerra dos Balcãs, ou seja um rito que lá teria sido feito para acelerar os miúdos que o fizeram no liceu

outros dos dados, poker, apostas, ou ap das postas tsa, do doc um en tá rio, on ze mil c en to e vinte e sete mor to s c om arma s de f ogo nos eua por v ave l men t ge no do ano en q ue o doc um en tá rio for a feit o, o u seja , g rupo onze do cento e vinte e sete, o u seja do fiat, de primeiro fiat q ue e ra da min home da primeira mae e no q ual eu me lem br ode te r a l gum as v e ze s via jad o para s es e im br a, o u seja e mer gi u do traço da inglesa me primeiro per rf um me de q ue circulo do acerto da conta pode ria de r e pen te t am b em aqui se enca ix ar, o u seja co l um b ine, italia, it al ia, relaçao com az g eu r ra dos bal caso u seja primeiro rito q ue l á te ria s id o feit o para ac e lara aro s mi u do s q ue o fi ze ram no lic eu

onze, quarenta e cinco, quarenta e cinco, angulo primeiro Li, carris, mapa de zona de transportes, passe social, circulo do traço ingles em noventa e nove,

on ze, qua da renta e c on co, q eu r neta e co inc o, angulo primeiro Li, car ris, m ap ad e zon a de t ra sn p ot rato es, p asse soci al, circulo do t rato do aço ingles em no ove do vaso da venta e do en ove em noventa e nove

mais impressionante de todos estes casos de matança na américa, fora o que se passara numa pequena cidade, onde um miúdo de seis anos matara uma colega sua na escola com a mesma idade, como se dizia no documentário, o recorde da mais prematura destas negras historias

mais i mp r es sio nante de todos est es casos de mat n ç ana am erica, for a o q ue se p as sara nu ma pe q eu en a cidade, onda um mi u deo de se is ano s mat a ra uma cole gás ua na es co la com a me sm a id ad e, com o se di z ia no doc um en tá r io, o recorde da dama is pr ema tura de sta s negras hi s tor ia serpente

assim li, eri do rifi, ro for mula one do e, flint x w otto fl da lie, da mentira, dama do dam en t ira , es mao sc primeira am mosca esa pan hola, o rei edipo, o ajax,

e fiquei a olhar para o desenho que a criança fizera quando estava na esquadra , um estranho desenho que ele dissera ao polícia que o mantinha na sua parede, ser a sua casa,

e fi q eu ia o l homem da ar, para do circulo do desenho q ue a c rina aça fi ze ra q ua ando e stva ana es quadra , um e ts ra anho de sena o q ue el e di ss e ra ao pol i ca q ue o man tinha na s ua ap rede, se ra serpente da ua do circulo da asa,

se ve um casa figurada por um rectângulo vertical com um triângulo em cima , sem janelas nem porta, que parece um foguetão no ceu, pois por baixo existe na mesma cor um circulo , ou mancha, como se fosse um lago, ou um espelho, e em cima da cas no lado esquerdo real, direita no desenho, no ceu, com um astronauta, uma espécie de sol tambem azul que o figurava, e que quando o vi me pareceu ser um vírus tipo sida, como a dizer da infecção psíquica que o acometera

se eve primeiro do c asa figu r ada por primeiro rec tan gula do ove verte ti c al com primeiro t rina gula em c ima , se m jane l as ne maior porta, q ue pa rece um fo g eu tao no x eu, p o is por ba ix o e xis te na me sm ac co rum circulo , o vaso da mancha, com o se f os se prime rio lago, o vaso do primeiro espelho, e em c ima da cas no l ado esquerdo real, di rei t ano d es en homem on circulo do ceu, com primeiro astra un at a, uma es pe cie de sol t am b em az u l q ue o figu rava, e q ue q ua ando o vi me ap rece vaso use ser, primeiro vi rus t ip o sida, com o a d i ze r da in v e cç sao psi quica q ue o ac om e te ra

a proporção da cas é estranha e me recorda uma cas de personagens de banda desenhada, como castelos de cobertura de açúcar ou algo assim, mas que não consigo precisar, ou seja se, se perceber de onde vem, ou melhor de onde é, provavelmente se encontra a aceleração, indução , psíquica metida no episódio que terá passado, em som ou imagem, ou em ambas, e que terá despoletado a acção

a por rp porcao da cas é e ts ra anha e me record a uma cas de persona ge ns de ban da de s en h ad ac omo castelos de co be r tura de ac u car o u al goa ss im, masque n cão c on sig o pr e cisa aro do ro do vaso do seja s es e per rc e be r de onda eve emo mo do vaso mel hor de onda é, pro da ova da ave le lem n te se en c on t ra a ac e la raçao, m in indu sao , psi quica met id ano e psi do io q ue te rá passado, em s om o u ima ge eno mo u em m abas, e q ue te rá d es pole t ad o a ac são

como pista, o argumento deverá ter um situação dramática semelhante com um objecto de fogo, uma arma, ou outra equivalente

com o pi sta, o ar gum en to d eve rá te rum si tua sao dr am a tica semem l h ante com prime rio ob ject ode f ogo, uma ram, o u o u t ra e qui iva do valente

olhando a minha reprodução do desenho, veja na casa, um quadrado do qual sai uma seta pra cima à direita, que quebra o triângulo figurado pelo que seria o telhado, uma cas sem janelas e porta é uma casa que não se habita, pois nem se entra nem se sai, e que está no espaço intermediário entre o ceu e a terra, e a criança ainda mais elevada

o l h ando a min h a r ep pro du ç sao do de s en h circulo dao ove da, veja na c asa, um qua dr ado do q au l as i uma s eta pr a c ima à di rei t ac u q eu br a o t rina gula figu r ado p elo q ue se ria o tel h ado, uma cas se m jane la se porta é uma c asa q ue n cão se h ab bit a, p o is ne m se en t ra ane m se sa ie q ue e stá no es paço ine ter me dia ro io en t reo c eu e primeira terra, e a c rina aça a inda maís el eva ad primeira


olhando a figuração que o menino fez de si mesmo, entre um vírus e um aranhiço, ou seja a imagem da teia que o terá envolvido, vejo a serpente da vareta do percentil da direita, do cruz como o t da tmn, ou seja como uma cimitarra, do renova, do semi circulo da lua no primeiro dia crescente, do sete cv vi, ou circulo vv da vareta, duas asas da maria, us angola, anzol, do rei edipo, o ajax

o l home ando primeira do figu raçao quadrado da ue do circulo do em do me nino de fez de si me sm circulo, en cruz rato e um do vi ruse do primeiro aranhiço, circulo da ova do vaso do seja da primeira image made da ria da teia da teresa ia, quadrado da ue circulo da teresa rá ingles vaso do circulo do primeiro dol do vaso, id circulo do vejo primeira serpente da ava vareta da rata eta do percentil da direita, o médico, do cruz com o ot da t mn, o vaso do seja com circulo da primeira cimitarra, do reno ova, do s emi c irc culo d al lu no prim ero dia c rec en te, do sete cv vi, ou circulo vv da vareta, du asa da sas da maria, us ang gol, e zo primeiro do rei e di ip do po, do circulo da do prime rio do p rin ciep do c it ro en do ax

e crachou o o packard bell, e assim li na mensagem do texto do erro, ou do ero, b cc circulo do tridente da estrela, circulo da ode do code, do primeiro milhão, ab cp forte do terceiro circulo do semi circulo de noventa e cinco, segundo, segundo da cp segunda, ste segundo, bc terceiro do traço ingles do oitavo circulo, b cp oito do circulo da estrela, dezasseis a, de noventa e dois, os ver, primeiro un der s core dois mil e seiscentos , gravador sony, sp do terceiro un der s core, do pro duque da mandala, un der s core do primeiro

e c rac h o u o opa ac k ar r b e ll, e as si ml ina mesa ge en do texto do erro, ou do ero, b cc c irc culo do t ride dente da estrela, circulo da ode do code, do prime iro mil h a o, ab ca minho do ferro serpente, f orte do t rec e iro c irc culo do s emi cir culo de noventa e c on co segundo, segundo da ca minho ferro p segunda, ste segundo, bc terceiro do traço ingles do o i tv vao c irc cabo vaso do prime rio do circulo do b ca minho do ferro, p oito do circulo da estrela, dez ase isa, de noventa e dois, os ver, primeiro un der s core dois mil e se i centos italia, fiat, , g rava dor da son on ny, sp do t rec iro un der s core, do pro du ct da mandala, un der s core do primeiro




e r í dana, e rifle, pó circulo ra rac om circulo reno, e rf ile fil h ad o rei de argos, t á la o e a irma ad rastro, esmicro, esfinge, es sm mic do ro da esfinge, es fi n ge