domingo, junho 28, 2009


Do ultimo vídeo, em sinopse, breve, video de vinte e tres de junho,

Do u l t imo v id é circulo, em sin pse, br eve, v ide é circulo deo da ode de vonte, t r ip ipe e cruz rato espanhola de j un home do circulo

O vídeo fala, da justiça como garante da liberdade, fala do apocalipse, interpela de novo o terrorista durao, que continua em silencio sepulcral, ou seja, visto saber da interpelação, cada vez mais parece assim confirmar a sua responsabilidade, nas distintas acusações que aqui neste livro da vida lhe venho fazendo

Ov italia, o cali ip pse silencio fr, primeira ve zorro di serpente das tintas do circulo f az do se dn circulo

Ov, italia, id é circulo do fala, es, da just tiça com o gara ante da liber ad e, fala do ap o cali pse, inter rp el ad e en ovo o te r roi sta serpenet do durao, q ue conti n ua em silencio, fr, sp eu l carl, o vaso do use seja, vi s to , o saber, da inter rp el la ac sao, c ad primeira ave zorro maís pa r c e as si m c o n fi mar a s ua r es ponsa bil id ad dena nas di s tintas ac usa ç o es q ue a qui nest el iv roda vaso da id al he v en home do cie culo do circulo f az ze dn circulo

Fala do filme que se calhar estreará ou não no mundo, com a data do próximo ano, onde alguns elementos que ecoaram no real, foram já tambem abordados no ultimo texto, como o tal pequeno aviao branco

Fala a al do pro c tambem do branco, br ab co

F al do fi ml leque se cala home rato est rea rá o un cão no mundo, com da primeira data do pro x imo ano, onda al gun s el em en to s q ue e coa aram no rea al, foram, pt, j á tambem ab o r dados no u l t imo te x to, com o o t al pe q u en o avia do circulo do branco

Fala da miséria que já chegou a um bilião de gentes no mundo e da necessidade de se inverter este fazer, que se assim não for se chegar ao ponto critico em que a balança se desequilibrará sem retorno, como Platão nos deixou escrito de já ter acontecido, e apresenta uma solução de novo para a criação do fundo do fim de todas as misérias, de novos modelos de cooperação e desenvolvimentos, que permitem tambem regrar os sistema de trabalho e de emprego e de marrocos,

F al da dam da am mne ponto do nós a c cir pera rato do aro sis t ema do trabalho e emprego

Fala da dam am da mise ria q ue j á c he g o ua um bil ia o de g en te s no mundo e da necessidade, mne, de se in verter este f az e r, q ue se as si mn cão for se c he g ra a o ponto c rit ti tico em q ue a bal ança se de i qui libra rá se maior re torno, com o pl a tao nos de ix o u es cito de j á teresa ac on tec id o, e ap r es en ta uma sol u sao de n ov para a cir sao do f un dodo fi made ria de todas as mise ria s, de n ovo s mod elo s d e co o pera sao e de s en vaso do x circulo prime rio vi men to os, q ue per mit em tambem reg r aro s is t ema de t ra bal alho e de e mp rego e de mar roco serpentes,

Depois faço para todos papinha, e a papinha de que falo, é sobre regulação de produção e produtos, e marcados, financeiros, reciclagem e experiências e concursos lançados pela onu, ou melhor sugeridos à onu que os lance, concretamente do aproveitamento do coco e de uma experiência de cultivo nas faculdades de agronomia, com alfaces, ora alface, é o nome de um senhor que tambem se foi no meio desta confusões, e que um dia comigo trabalhou na escrita dos guiões do ícaro, uma serie infantil

D ac nicas om c rte prim ero tv one dia co mig til

D ep o is f aço pa rato do s pap da pinha, e a pap in h a de q ue do falo, é s ob r e reg u la ac sao de por du sao e pro du to ze ma rca ad os, fina ce iro s, rec sic la ge me e x pei ire nicas e concursos lança do s p el a onu, o u mel hor s u ger id os à on u q ue os do lance, c on creta que mente do ap pro rove it am en to do coco e de uma e x pe rie en cia de cu l tv circulo na serpentes das faculdades de a g ron o mia, com do al faces, o ra al face, é o ne o me de um s en hor q ue tam b em se f oi no me io de sta c on fuso es, e q ue um dia co mig o t da rabia do alho un a es c rita dos guy io es do i car o, uma se rie in fan til

A imagem começa com uma lata de atum, ou seja acto um , acto primeiro, e tum, que declina em tio tambem, o tio do ato do primeiro das conservas, de pescas, da industria pesqueira nacional, outrora verdejante, nesta área especifica, a do atum, com fabricas tambem em cabo verde, um alata aberta com um circulo, que é um anel que permite abrir a tampa

A i mage m c om eça com da primeira lata de atum, o vaso do use seja acto um , ac to prime iro, e t um, q ue dec lina em tio t am b em, o tio do ato do prime iro das c on serva s, de p esca s, da indu s t ria p es q eu ira na cio n al, o u t ro ra verde jan teresa, nest a a rea es pe ci fi ca, a do a t um, com fabricas tambem, italianos em cabo verde, um al at a ab e rta com dop primeiro circulo, q ue é um ane l q ue per mit e ab rato da ira da tampa, tampa declina tambem em mesa, ou seja em mad ad di de mad rid madrid, a tampo da tio do acto primeiro , vaso maior

O senhor do desenho, uma estranha impressão, é um senhor com patilhas largas como se usava antigamente, a ultimo vez que vi um semelhante, foi no grupo das gentes que na irlanda, apresentaram um processo contra a igreja católica, por abusos continuado de setecentas crianças, e onde um pormenor, sobressairia, tanto que aqui o relatei em vídeo, os dossiers vermelhos do processo, eram como um leque vermelho, ou seja o leque do sangue ma madrid, e a imagem do processo operativo da penetração , em crianças então, assim se tem que deduzir, em comboio, ou seja em grupo

O s en hor do d es en h o, uma est ra anha im press o a, é um s en hor com pa cruz das ilhas do primeiro arga serpente do sc do com circulo da se usa ava anti tiga a am mente, au l cruz imo ove zorro do q ue vi um semem l h ante, f oi no g rup o das g ene net ts q ue na irlanda, ap r es en t aram um pro roc esso c on t ra a igreja cat o li ca, por ab s us o conti nu ad o de sete c en t as c rin ç as, e onda um pro rome en no rato, s ob r ess s ar ira, t ant o q ue a qui o re la te i em v id é circulo, o dd do os da sie rato serpente verme prime rio homem os do pro roc ess o, e ram com do circulo do primeiro leque ver ml le homem do circulo, o vaso do use seja do circulo do leque do sangue mama d rid, e a ima mage made ria do pro roc ess o opera rat cruz iv o da p ene t raçao , em circulo da rina aça serpente da en tao, as si maior da set e em quadrado da ue dedo zorro e ira rato, em com sg gun do segundo do circulo do io, o do ovo do vaso use do seja em gato rup circulo

A imagem de madrid da carruagem é clara como a mais clara agua, imagem de penetração, de grande penetração, com um preservativo azul bebe, até este pormenor está claro, para alem de outros já aqui evocados, como um toiro vermelho, visível no telhado da composição, vide notas anteriores sobre este atentado

A ima mage made ria de madrid da car rua ge mé clara com o am maís da clara agua, i mage made ria de p ene t raçao, de g rande p ene tr açao, com um persa per ser vat ivo az u l bebe, a té este por m en o rato e stá c al to, para al lem de outros j á a qui evo cado s, com o um toi it do circulo do ove vermelho, v isi vaso do el no do tel homem da ad do circulo da com posi sic sao, vide not as ante rio ratos es s ob re este a t en t ad circulo

Tenorio, digo eu a palavra como cantando, como se fosse opera, ou seja remete para alguém ligado a musica e provavelmente à opera, tenorio, atum tenorio, declina tambem at um tem en no do rio, porto

T en o rio, di go eu a pal av ra como can t anda, como se f os se opera, o vaso sio use seja reme teresa para al g eu em liga do gado primeira da am mu sica e por v ave l mente à da dao opera, t en o rio, a t um t en o rio, dec lina tambem at um tem en no do rio, porto

Um pormenor se vai desvelando ao longo do vídeo, a primeira parte dele é definida por um pormenor que se ve no enquadramento, um dos ganchos da cobra kundali, do candeeiro romano, que entrou no enquadramento, e que aponta a mesa e o prato que no fim da refeição, quando apanho com o garfo, símbolo do tridente, os grelos com flores, a que chamo tambem de couves, abana, como saindo da sua normal posição, ou seja desvelando um movimento excêntrico, a imagem de descarrilamento

Um pro rome no rato da se eva id es vela lan anda aol, primeira do circulo do long conde, l ong, o do ov vaso id, é circulo da primeira da p do rime da ira da p da arte, canal fr, dele, del le , é d efe nid ap do por, um por m en o rato do quadrado da ue se eve no en quadra men to, um do serpentes dos ganchos da cobra k un dali, do can di e i rt o romano, q ue en t ro un circulo do en qua dr ad men to, e q ue ap da ponta primeira da mesa e circulo da p do rato q ue no fi made ria da r efe i ça, qua anda ap anho com do circulo do dog g ar fo, s im b olo do t ride dente, os g r elo s com flor es, a q ue c ham o tam b em de co uve s, ab ana, como sa inda da s ua norma l posi sis sao, o vaso si use seja d es vela lan anda um mo vie mn to e x c en t rico, i mage made ria de d es carril lam am en to

Esta ponta do bico de um dos tres ganchos da cobra do cordão triplo que sobe pela coluna do candeeiro romano, ou de roma , ou feito em roma, que é visível na parte superior da direita do enquadramento, obtém às paginas tantas na acção do vídeo, um match, um pequeno match, que é feito pela posição em que um palito , que figura uma lança, dupla, como a imagem do ben hur, quando lançam na casa os dois amigos as lanças as traves , e que no vídeo aparece por um momento dentro da mao, apontando a direcção da outra que é visível no candeeiro, como a dizer, que a lança, dali veio, a lança que penetrou

E sta da ap da ponta do bico de um dos t rato ds es ganchos da cobra do co r dao t rip lo q ue s ub e pe la co l un a do can di e iro romano, o u de roma , o u fe it o em roma, q ue é v isi vaso el na p arte s up e iro t da direita do en quadra men to, ob bt em às pa gina s t anta s na ac coa cortez do v id é circulo do prime rio match, um pe q un o mat c h, q ue é fei to pe la posi sic sao em q ue um pal it o , q ue figu ra uma lança, d up la, com circulo da primeira i mg em do b em homem ur, qua anda lan ç am na c asa os do is amigos às das lanças e às das t rav es , e q ue no v id é circulo do ap ar rece por um meo mn to d en t roda mao, ap on t anda a di rec cortez sao da outra q ue é v isi vaso do el no can di e rio, com o a di ze rato, q ue primeira lan ança, dali veio, al lan ança q ue p ene to vaso

Olhando os objectos em cima da mesa dispostos, e o seu movimento em jogging, o primeiro pormenor que se evidencia , é desvelado pelo movimento da garrafa de azeite gourmet, que avança um pouco dento do enquadramento e que se encontra no eixo das tres cobras do cordão entrançado da kundali romana

O l home da anda do os ob ject os em c ima da mesa di s post os, e o s eu mo ov iv em n to em jo gg ingles , o prime rio por m en o rato q ue se e vi den cia , é d es vela ado p elo mo ov vi men to da ga r rf a de az ze it te g o ur met, q ue ava ança um p o u co d en t o do en quadra men to e q ue se en c on t ra ano e ix o das t ratas es cobras do co r dao en t ra ança ad o da k un dali romana, ro om ana

Antes de avançar, está ele onde em vídeo anterior depois de brincar com minha amada com uma banana lhe dizendo que para ela não tem casca, me dou conta que a curva de uma das serpentes do kundali, parece ser uma gravides, ora neste vídeo, , a garrafa do azeite está mais um menos nessa mesma posição em relaçao ao candeeiro e pela mistura das formas, mais parece ser um plástico que uma lisa e rectangular garrafa de azeite, ou seja , a chave que se desvela, parace ser a do preservativo, o gourmet, do azeite, da oliva, da oliveira, ou do oliveira, dos desportos, o azeite como fio de oiro do dentro de dum preservativo, ou seja o fio da gravides da cobra da kundali, a que dá origem ao nascimento do triplo cordão, assim parece rezar esta parte da sequência inicial

Ant es de a van car, e stá el e onda em v id é co rc u lo ante iro de pp o si de br inca r com min home do acento à am amada com uma ab ban ana l he di z en do q ue para e l a n cão te m ca sc a, med o u conta q ue a c ur vaso da ad e uma das ser pen ted do k un dali, par rc ce ser um a g rav id es, o ra nest e, a garra raf a do az it e e stá maís um m en os ness am es ma posi sic sao em relaçao ao condi e iro e pe la mis tura das formas, maís pa rc e ce ser um p la tico q ue um l ix a lisa e rec tan gular gar rf a de az i e t e, o vaso use seja , a c home ave da chave q ue se d e vaso da sela, pa race se ra ad o perse r vat ivo, o g o ur met, do az i e te, dao l iva, da oliveira, o u do ol iv e ira, dos d es port ts o, o az i et e com o fi do io do deo o iro do d en t ro de du primeiro perse r vat ivo, o u seja do circulo do fi do io da g rav id es da cobra da k un dali, a q ue d á oi r gema o na cimento do t rip lo co r dao, as si m par ce r e z ar e sta p arte da sec un cia i n i c a l, in ni nica ca al

A comida no prata, são um lata de atum, a conserva , ou seja a lata que conserva o ato um do tio, os dos lombos de atum, duas batatas, um ovo cozido, e couves que são grelos, imagem do sex feminino, em flor, ou seja novas regadas com o azeite, o tal azeite do gourmet que faz a gravidez da cobra, o tridente, o grafo, e a faca, são cores prata e negro

A c om id ano no p rata, são primeiro da l at a de at uma c on serva , o vaso do use seja a l at primeira aqui da ue c on serva do circulo do ato do primeiro do tio, os dos lo m b os de at um, du as bat at as, um ovo c oz id o, e co uve es q ue são g r elo s, ima mage made ria do se x fe me nino, em flor, o vaso do use seja nova s reg ada s com o az ze it te, o t al az e i te do g o ur met q ue f az a g r a vi id dez da cobra, o t rin de te, mo grafo, e primeira faca, são cor es p rata e en negro

Ou seja ainda , algo que estava guardado, em genero de conserva, um saber, uma semente, ou ambas, uma arma que alguns decidiram abrir face aos problemas que o mundo se defrontava, lá estamos outra vez na linha do arquivo do congresso, em referência antigas ainda do tempo em que bush era presidente, algo que deveria então estar relacionado com um conhecimento ou segredo anglo saxonico, a atender as patilhas do personagem figurado na lata , que ressoava na irlanda

O da ova do vaso do use seja primeira inda , al gato do circulo do quadrado da ue espanhola da tva gato do vaso da ar do dado, em gato do en ro do ero em dec on serva, o primeiro o saber, uma semem en te, circulo do vaso da am bas, uma arma que al gun sd dec id iram ab br rif rf face ao spor rb prime rio da ema serpente do quadrado da ue do circulo do mundo sed e fr on x ava, primeiro do acento á e ts mo serpente do circulo do vaso da cruz da outra ave do ra, ave zorro na linha do arco vaso do ivo doc on gre ss circulo , em refe rn cia anto togas do gás da primeira em dao dt te mp circulo em quadrado da ue bus do homem e ra pr espanhol, id do dente al gato circulo do quadrado da ue da eve ria inglesa do tao espanhol do sat ra re la cio em ado com um do circulo do one, home da cie mn to circulo da use gato do reo do dam ang lo s ax oni co, a t ane ra at en der as pa t ilha serpente do p ero sn primeira do ge em figo ra, dona da lata , quadrado da ue rato do esso da ava ana na irlanda, lata é igual a can, circulo do can, coca , circulo da onda

A linha dos objectos à minha frente, é composta, por um vaso de hexágono das aguas, azeite, que simboliza a condo e o falo e o vinho da azeitona, o semem, a manteiga, da vaquinha mimosa, cujo desenho é a onda do tsunami, sal, serpente da al, e o sino da sala de jantar antigamente com garras, ou com das garras,

Primeira da linha dos ob j c e t os à min homem da prim mr ria fr en te, é co mo pi sta, por prime rio vaso de he xa gn o das aguas, az e it e, q ue s im boi kapa iza primeira do condo e do circulo do falo e circulo ov do vinho da azeitona, o semem, a man te i gada ad da primeira da ava quin h a mimo sa, cu jo de s en h o é a onda do t us na ami, s al, ser pente da al, e o sin o da sala, rr grupo, de jn, jornal do porto, at ra ant tiga am mn te com das garras, o vaso do com das garras

Um copo semelhante se partiu aqui recentemente, com um outro vaso ao mesmo tempo, o que mao deixou de ser coisa estranha, um outro redondo, como um circulo do higland clan, ou seja cumulativamente quando em dia mais ou menos recente aqui se partiram em rajada, o hexágono das aguas do circulo das terras altas, que tambem remete para douro, aqui em portugal la

Um cop o semem emel homem ante se p art ti vaso aqui rec en te que mente, com de um outro do ova do vaso ao mesmo te mp o, o q ue mao de ix o oi de ser co isa est ra ana homem de um outro red don co, com o um circulo do hi g h lan anda do c lan, ano o vaso suse seja com mula t iva em n te qua anda em dia maís o vaso m en os rec en te a q eu ise pa rt iram em ra jad a, o he xa g on o das aguas do circulo das terras altas, q ue eta tam am tambem reme teresa do para do douro, a qui em portu gal l primeira

Uma outra linha se dispõem ao longo deste vídeo, como metáforas de diversa imagens sobre financeiros e dinheiro que soa colocadas em linha que faz uma angulo com esta primeira, ou seja o dinheiro, as maças, ou melhor, os financeiros da maças, nova yorque, a amarela e uma vermelha, que mais parece um pêro em seu topo, e onde num determinado momento se vêem as ondas do mar, tambem nele desveladas

Uma o u t r sa da linha se d ip s o ema o long, o de este v id é circulo, como met a for as de di vera s ima ge ns s ob re fina ac e iro rose e din he iro q ue s o a c olo cada s em linha q ue f az uma do angulo com e sta primeira, o vaso do use seja do circulo do dinheiro, às das sd das maças, o vasp mel hor, os fina anc e iro serpente da maças, nova yorque, a am mar e la e uma verme l homem da primeira ,aqui do ki eu maís pa rece primeiro p ero, cao espanhol, em s eu top o, e onda nu primeiro det r emi minado mo om m en o se eve em ás das ondas do mar, tambem bn e s e n el e d es vela ladas

Ainda agora nest domingo de manha cedo, o espirito me disse que estava aberto o aço, do sw, das comunicações pt, sessenta e oito, pub li cidade, ao lado de uma cobra como aquela que aparece no vídeo que irei de seguida a este texto publicar, referencia dos financeiros e ricoh

A inda agora nest do min g o de m ana h ac e do, o es pi rito me di s sec ue e stav a ab e rt oo aço, do sw, das com uni c ç o es pt, se da serpente da senta e o it o, p ub li cidade, ao l ado de uma cobra com do circulo de aquela q ue ap ar ee ce no v id é circulo do q ue i rei e de se guida a este te x to p ub lica ar, refer en cia dos fina ce iro rose se rico homem

Aos quarenta e um , cinquenta e cinco, oregaos, maça amarela, maça vermelha, tipo pero, a moeda não vale por si, art ti cu la são, não nasce da arvore onde nasce um maça, se a gente cuidar bem da arvore, nascem mais, nascem muitas, e boas, e bonitas e saborosas,

A os qua da renta e um , cin q u en t a e c inc, o rego as gai da maça amarela, maça verme circulo cortez homem da primeira, t ip o p ero, am oe d a nã o do vale por da si da art ti cu la são, n cão na sc e da arvore on madeira e na sc e primeiro da maça, sea da primeira g en tec cu id a r b em da arvore, gravura, g rav ur da primeira, na sc cem em maís, na sc em mui t as, e boas, cobras, e bo ni t as e s ab do circulo das rosas,

Aos quarenta e dois , trinta e dois, se figura nos meus braços ao acender o cigarro, o bico do isqueiro, a faísca, a acendalha, do seio do fogão eléctrico, tipo laboratório dos químicos, ou alquimico, do angulo dos oregaos, a palavra fala dos tres organismos que existem nas sociedades, contemporâneas, das finanças , que determina a problemática relativa à asfixia ou não asfixia, dados das simetrias, de um estarem em cima dos outros

A os qua ren te a e do is , t rin t a e do is, se figu ra nos me us br aço sao ac en d ero ci garro, o bico do is q eu iro, a f aica, a ac en d alha, do se io do fo g a o el e c tico, t ip o l ab o rat toi ira dos qui mico s, o u al qui mico, do ang u lo dos o reg a o sa p al av ra do fala do s t r es o r g ani sm os q ue e x is te mna s soci e dad es, c on te mp o r ane as, das fina l ç as fia, q ue det r mina a pro ob l ema tica r e la t iva à as f ix ia o un cão as f ix ia, dado s d as si mer das tias, de um est arem e, m c ima dos serpentes dos outros

Na imagem a maça vermelha, como um pero, fica em cima da amarela, duas marlenes, duas raparigas, que correspondem , pois se encontram no eixo da garrafa de azeite, como um falo que dali saiu, talvez então um falo duplo, um dong

na mage ema primeira da maça vermelha, com do circulo do primeiro pero, fi ca em c ima da am mar el de la, du as das marlenes, du as das raparigas, q ue co rr es ponde em , mp oi se en c on t ram no e ix o da g ar rf a de az e i te, com o do primeiro falo q ue dali sa io, t alvez en tao, en ato, um f alo d up lo, um don gato

me recordei agora ao isto transcrever de um pequeno trailer com a bela rapariga do once upon a time na américa, agora crescidinha numa cena de sexo com outra rapariga no meio de uma roda de apostadores homens, numa festa que se pressupõem ser em nova Yorque ou na américa,

me recorde i agora ao is to t ra ns c r eve r de um pe q u en o t rai ler com da primeira bela rapariga do once, es, up on primeira do time na am erica, agora c r es c id dinha nu ma c en ad e sexo com da outra rapariga no me io de uma roda de ap posta das dores espanholas h om en s, nu ma festa q ue se pr ess u p oe m ser em nova y o ru quadrado do e o un da primeira am erica,

ministérios das economias, funções de programação, que ecoa tambem em programação
de redes, ou seja de aplicações informáticas, competira , caberá por natureza a análise das cadeias de produtos, por que isto tem que ser feito um por um, um por um, torna a palavra a repetir como dando ideia de comboio, de repetição, e as agencias de inovação, que retira a maça amarela e agita com a mao a vermelha, de novo ficamos com oito, e depois fazemos isto para o set, o isqueiro, heroina e coca, azul e vesica amarela, de caneta preta e para o seis, até termos os passos lógicos, associados aos produtos, ou seja de novo, a palavra lógica, a dar mais peso a esta declinação, programação e lógica, e um numero que deriva da sequência, noventa e oito, expo, sete , seis, sete de junho, o triângulo de fogo da maça dos oregaos, no meio e o isqueiro., assim parece então ser o sentido comulativo através da imagem , tábua raza, ou seja deitar abaixo, e recomeçar de novo, financeiros, e finanças, mudança, ou seja mudança do sistema financeiro do mundo, chips, dinheiro electrónicos, inter bancários feitos por computador, cunhar moedas as toneladas demora tempo, imprensa nacional casa da moeda, que é o lugar onde isso aqui se faz, regras bancos, quem manda os bancos nos governos ou os governos e antes o povo neles


mini s téri os das e c on om ia s , fun ç o es de pro g rama ac cabo da sao, q ue e co a tambem em pro g rama são de red es, o vaso suse seja de ap li caçoes in for mat tica s, co mp te ria , cab e rá porn a ture za a ana l ize das cade ias de pro du to d, por q ue is to te maior do q ue ser fe it o um por um, um por um, ton ra a pal av ra a r e pet tit rc omo dando id e ia de com bi ode re pet do tição, e às das agencias de ino caçao, q ue re t ira a primeira am maça, am mar e la e a gita com p rie mr ria mao da primeira ave vermelha, de n ovo fi cam os com o it o, e d ep o is f az e do traço ingles mos is to para o set, circulo do isqueiro, he roi ina e coca, az u le eve isca am mar el a, de c ane te pr eta e para do circulo da se is, a té te r mo s os dos passos lo gi cos, as soci as o ds a os pro do to s, o vaso do use seja de novo, a pal av ra lo gi ca, ad ar maís do peso, a reg gn t a tina , a est a dec lina sao, pro g rama sao e lo gi ca, e um nu m ero q ue de riva da sec u en coa, nov en t a e o it o, e x p o, sete , seis, sete de junho, o t r ian gula de fogo da maça dos o reg a os, n p me io e o isqueiro., as si m pa rc e en tao s ero s en t id o co mula t iv o at rav es da i mage made ria , t abu a r aza, o vaso use seja de it ra ab a ix oe reo cm e ç ar de n ovo, fina anc cie ero rose fina ac s as, mu da dança, o vaso use seja mu dança do sis t ema fina n ce iro do mundo, c home da ups, din he rio el e c t r on i cos, int r e ban ca rio s feitos por co mp puta ad da dor, c un h ar moe da s as t one ladas demo ra te mp o, imprensa na cio n al c asa da moeda, q ue é o lu g ar onda iss o a qui se f az, reg ra serpentes dos bancos, q eu em manda os dos bancos nos do dog do g ove rn os o vaso do os governos e ant es do circulo do p ovo nel espanhol

a mao do cabo africano da maça do azeite, gb , parlamento, speaker, libras do sexo, na rede, circulo , um , circulo, 010,dinheiro, primeiro do circulo dez , tecnologias, amarelo, rectângulo primeiro vermelho, loja da lança do pero, gato das filhoses, o que foi as filhoses.

Prime mer ria am da primeira mao do cabo africano da maça do azeite, gb , par la am men to, sp e ak e rato das libras do s e x on primeira rede, circulo , um , c irc culo, 010,din he iro, prim rio do circulo dez , tec no olo gi as, am a e r lo, rec tan gula primeiro vermelho, loja da lan ç a do p ero, gato das fil h os es, o q ue f oi as fil homem do os espanhol

Me evoca isto ao agora escrever, a loja das mascaras africanas no principe real, com o padrão em boca das grades que ecoara em diversos fios, sendo so mais recentes a cenografia do tetaro em cannes, da boca à rolling stones e da enorme lingua vermelha que de lá saia, e um outro eco, da mesma grade em imagens relativas aos bancos privados aqui dos problemas,


Me evo ca is to a circulo do agora es c r eve ra da loja da s ma caras a fr ica sn as no do principe re el la, com do circulo do padrão, em boca da s g ra ad es q ue e coa ra em di versos fi os, s en do s om maís rec en te sa c en o g raf fia ia do t eta aro em can ne s, d a boca à ro ll inglesa dos stones e da en o r m az l in g ua ave vermelha q ue de l á s aia, e um outro e co, da me sm a g r ad e emi mage ns re la t iva sao os dos bancos privados a qui do s por rb primeiro da ema serpente,

O que está em cima da mesa, o valor facial daa moedas e da correspondência com os produtos, se ouvem os caes a ladrar ao fundo na rua neste momento, ou corte epistomologico, taxa, tofler tres por cento, um por cento, façam as contas, transito lunar, organização atlântica, cobra cuspideira, alias, mediterrânea, o correcto caminho, electricidade , acordo, a cobra entra no vídeo, figurada, entre a mao, por uma lança dupla, ben hur, e aponta tambem o traço superior do blind, tres traços se vêem, ou seja

O q ue e stá em c ima da mesa, es, circulo do valor f ac cia al da am o e da seda co rr es ponde ni cc om os dos produtos, se o uve mos do os dos caes a l ad rata ar a do circulo fun dona rua nest e mo men to, o u co rte e pi s tom olo gi co, t axa, to forte mula one, ler t rato espanhol do por c en to, um por c en to, f aç am ás das contas, t ra sn si to l un ar, o rago r g ani iza sao at al na tica, cobra c us spi id e ira, al ia s, me di terra ane a, o co rr e c to ca minho, el e t r cidade , ac o r do, a on br a en t ra ano v id é o, figu ra ad a , en t rea mao, por uma lan ança d up la, b en homem ur, e ap da ponta tambem do circulo do t ra aço s up per rio oir do b l in dt rato es t r aço s se eve em, o vaso use seja

P do f da orte, circulo rt teresa, de it ad dona da regua, do ur o, do s t r es t ra aços do b l in dd o c ego, o da c ima da mat rizo do vaso use seja da rede, t r e ze t r e ze, o vaso dodo ze, doze, e um o u t ro e co vi s ual homem do oje de manha, qua anda e stav a s en t ad o no s o fa, uma mat riz t rá s t am b emo pa ine s t ra se iro do a pp leo do circulo do g q au t ro, cu jo conte u do, f oi t am b em d es c rito em por m en o rn de uma outra al lie tura co ns t ante do L iv roda V id a,

A matriz ,remete para as linhas da serie fringe, do transporte no tempo, do hulk, dos gases, o pero vermelho nesse ponto do vídeo, mostra as ondas tusnamis, em sua cabeça, ou seja da asa da colher do tacho das ondas vermelhas da maça, ou seja do sangue na maça.

A m at r i z ,reme teresa para às das linhas da x se ire f l ingles e fr rin in ge, d o t ra sn p orte no te mp o, do h u l kapa do s g as es, o p ero ove vermelho ness e ponto do v id é circulo mos t ra as das ondas ts un am is, em s ua cabe eça, o vaso do use seja da asa da co l her do t ac h o das ondas vermelhas da maça, o vaso do seja do san g u en primeira da am da maça.

Trabalho manual, duas décadas, canalizadores, electricistas, pedreiros, pipa de dinheiro, pita piratas, e um cartão do balkar dentro de uma capa no armário onde o obama primeiro indicou e que depois se prende com o michael jackson, tambem, e que será abordado no vídeo e texto a seguir, balkar, o canalizador e pedreiro que me instalou os azulejos aqui na cas de banho, balkar, ba al bal kapa da ar, canalizador, é tambem imagem de sexo,

T ra aba do alho manu ual, do as das dec ad as, cna c ana l iza dor es, el e t rec ista serpente dos ped re iro serpente da pipa de din he iro, pita pi rata se um car tao do ba ak ar d en t rr ode uma da capa, revista, no da ar do mario onda do circulo do ob am a prime rio indico ue q ue d ep o ise pr en de com do circulo do mic home da primeira do el j ac kapa do son tambem, e q ue se rá ab o r dao dn circulo do ov, italia, v id é circulo e te t x o a se gui rba kapa do cao da ar, o can l iza dor e ped re iro que me in s t al lou os dos az u le j os a qui na cas de ban hi o, bal kapa da ar, ba al bal kapa da ar, c ami prime rio zorro da ad o ré eta am tambem e be i mage made ria de se x circulo,

Estamos a dar pés, sem tiros, assim como as palavras desta frase, bárbaros, desertificaçao, plantar arvores, tens , tendes alguma duvida sobre isso, cultivar carne como cultivamos alfaces, quando entra em produção à séria, o bi ll do gate serpente apple, uni x, o segundo do onze da prata da maça un ni x, silos, nuclear, camarás na net, talvez assim tenhamos a sorte de uma criança salvar a muitos quando der por uma racha num reactor de uma central nuclear,

Est amos ad ar p és, se m tir io rio iro serpente, as si m c omo as pal vaso do ra s d es ra fr ase, bar rb aro s, de ser ti fi caçao, pal na tar das arvores, g rav ac sãos espanholas te en ns , t en d es al gum ad vaso david , id da primeira ida , s ob re iss o, cc u l t iva ar da carne, com o cu l t iva vam am mo serpente dos al face es, qua anda e bn ra en t ra em pro duc sao à sé ria, o bi ll do gate ser pen te a pp le, uni x, o segundo do onze da p rta da maça un ni x, silos, nuc lea ar, cam mara sn primeira ane da net, t alvez as si em t en ham am os a s orte de uma c rina ança s alvar a mui t os qua anda der por uma r ac home da primeira racha, a nu primeiro rea ac tor de uma c en t ra al nuc le lea da ar,

Ban kim moon, onu do ban, do filho do major, da un da lua do valentim loureiro, filho, a lua da kim, ou seja a lua da cristina coutinho, escolas agriculas, primeiro talhão, referência tambem a cemitério e morte, alface, o alface, pais da margarida,

Ban kim mo nn, on vaso do ban, do fil home do circulo , o do major, da un da lua do v al en tin lo ur rei do iro, fil h o, a l ua da kim, o vaso da use seja da primeira lua da cristina cu it tinho das escolas a g ric lula s, prime rio t ala home do circulo, refe rn cia e eta am tambem a c emi ter io e m orte, al face, o al face, pais, tvi, da maga ra id a,

Depois aparece a bola de plasticina vermelha, que simboliza o vírus dos porcos, ao lado do isqueiro e a lança do fio da história do ben hur, ou seja passando tambem pelos actores do conflito israel e árabe, que se relaciona tambem com a linha da columbine, da matança no liceu, se ouve um som de fósforo, outra vez no vídeo,

D ep o is ap par rece p rie mr ia da bola de p l as ti cina ave vermelha, q ue s im b o l iza o v i rus dos p orco sao lado do isqueiro e primeira lan ança do fi o da hi s toi ra do b en home ur, o vaso do use seja p as sand o t am b em p elo s ac tor es do c on for mula one da it do circulo de is ra el e ár abe, quadrado da ue ser, e la cio em en prime ria da cruz da am e segunda em com da primeira da linha da co l um b ine, da mata ança no liceu, se circulo da uve, prime rio serpente om de f os foro, o u t r ave zorro do no, v id é circulo,

Confessem a vossos filhos, olhem, nos somos maus pais, gostamos muito de vós, mas não sabemos resolver os problemas que temos criado, pico eu com a lança o vírus nesse momento, e lhe desenho vesica, ou olhos que nao se vêem na imagem, com a unha, a unha do diabo vermelho, assim me dizia ontem de manha um maço de cigarros no chao da rua da cuf, onde se via uma cobra laranja que entrava num colector

C on f ess ema vaso dos ossos fil homem do os, o l homem em, nós s omo s ma us do pais, tvi, g os t amos mui to de vaso ó s, mas n cão s abe emo s r es os l v ero s pro ob l ema s q ue t emo s c ria ad o, pico eu com da primeira lança do circulo do vi rus ness e moe mn to, e el he de s en h ove sic as, o u o l homem do os q ue noa se eve e mna i mage mc om a primeira unha, a un home da primeira do diabo vermelho, as si maior me di zorro do ia on te made ria da manha do primeiro meo maço de ci garro s n o cha, o do circulo da rua da cuf, onda da se da via de uma cobra laranja, q ue en t ray to vaso da primeira do ano nu primeiro cole circulo do tor

Green spam, ou serpente pam da p da am da green, cereal de um determinado estado para acertar na lógica da batata para extrapolar a inflação, e acertar, não é qualquer um que conhece essa arte, a dos marcadores, masi ou menos constantes e do relacionamento constante com os marcadores, não o digo, no vídeo mas é o que se trata, marcadores, adn, ad dn da primeira, genes, vírus, constantes, constâncio, bancos, bancários, os vírus dos bancos e dos bancários

G re en spa am, o u ser pente p am da p da am da g re en, cere ala de um det re emi minado e sat td o para ac e rat ra na logica da bat at a para e x t ra polar a in fla sao, e ac e rta ar, n cão é q ual q e ur um que co ine homem da ce ess a arte, canal fr, a dos ma rca cado r es, ma sio u m en os co ns t ant es e do re la cio na men te co ns t ante com do os do mar cado r es, n cão o di g on ov , it, id é circulo oma, mas é o q ue se t rata, mara cado r es, adn, ad dn da primeira, g ene es, vi rus, co ns t ant es, co ns tan cio, ban cos, ban car io s, os vi ru s d os bancos e do s ban ca do rio, porto, serpente

O hexágono é o do dark vader, mas isto, será explicado na parte seguinte

O he xa g on o é o do d ark v ad e r, mas is to, ze rá e x p li cado na p arte se g vaso int teresa, italiana
Do ultimo vídeo, em sinopse, breve, video de vinte e tres de junho,

Do u l t imo v id é circulo, em sin pse, br eve, v ide é circulo deo da ode de vonte, t r ip ipe e cruz rato espanhola de j un home do circulo

O vídeo fala, da justiça como garante da liberdade, fala do apocalipse, interpela de novo o terrorista durao, que continua em silencio sepulcral, ou seja, visto saber da interpelação, cada vez mais parece assim confirmar a sua responsabilidade, nas distintas acusações que aqui neste livro da vida lhe venho fazendo

Ov italia, o cali ip pse silencio fr, primeira ve zorro di serpente das tintas do circulo f az do se dn circulo

Ov, italia, id é circulo do fala, es, da just tiça com o gara ante da liber ad e, fala do ap o cali pse, inter rp el ad e en ovo o te r roi sta serpenet do durao, q ue conti n ua em silencio, fr, sp eu l carl, o vaso do use seja, vi s to , o saber, da inter rp el la ac sao, c ad primeira ave zorro maís pa r c e as si m c o n fi mar a s ua r es ponsa bil id ad dena nas di s tintas ac usa ç o es q ue a qui nest el iv roda vaso da id al he v en home do cie culo do circulo f az ze dn circulo

Fala do filme que se calhar estreará ou não no mundo, com a data do próximo ano, onde alguns elementos que ecoaram no real, foram já tambem abordados no ultimo texto, como o tal pequeno aviao branco

Fala a al do pro c tambem do branco, br ab co

F al do fi ml leque se cala home rato est rea rá o un cão no mundo, com da primeira data do pro x imo ano, onda al gun s el em en to s q ue e coa aram no rea al, foram, pt, j á tambem ab o r dados no u l t imo te x to, com o o t al pe q u en o avia do circulo do branco

Fala da miséria que já chegou a um bilião de gentes no mundo e da necessidade de se inverter este fazer, que se assim não for se chegar ao ponto critico em que a balança se desequilibrará sem retorno, como Platão nos deixou escrito de já ter acontecido, e apresenta uma solução de novo para a criação do fundo do fim de todas as misérias, de novos modelos de cooperação e desenvolvimentos, que permitem tambem regrar os sistema de trabalho e de emprego e de marrocos,

F al da dam da am mne ponto do nós a c cir pera rato do aro sis t ema do trabalho e emprego

Fala da dam am da mise ria q ue j á c he g o ua um bil ia o de g en te s no mundo e da necessidade, mne, de se in verter este f az e r, q ue se as si mn cão for se c he g ra a o ponto c rit ti tico em q ue a bal ança se de i qui libra rá se maior re torno, com o pl a tao nos de ix o u es cito de j á teresa ac on tec id o, e ap r es en ta uma sol u sao de n ov para a cir sao do f un dodo fi made ria de todas as mise ria s, de n ovo s mod elo s d e co o pera sao e de s en vaso do x circulo prime rio vi men to os, q ue per mit em tambem reg r aro s is t ema de t ra bal alho e de e mp rego e de mar roco serpentes,

Depois faço para todos papinha, e a papinha de que falo, é sobre regulação de produção e produtos, e marcados, financeiros, reciclagem e experiências e concursos lançados pela onu, ou melhor sugeridos à onu que os lance, concretamente do aproveitamento do coco e de uma experiência de cultivo nas faculdades de agronomia, com alfaces, ora alface, é o nome de um senhor que tambem se foi no meio desta confusões, e que um dia comigo trabalhou na escrita dos guiões do ícaro, uma serie infantil

D ac nicas om c rte prim ero tv one dia co mig til

D ep o is f aço pa rato do s pap da pinha, e a pap in h a de q ue do falo, é s ob r e reg u la ac sao de por du sao e pro du to ze ma rca ad os, fina ce iro s, rec sic la ge me e x pei ire nicas e concursos lança do s p el a onu, o u mel hor s u ger id os à on u q ue os do lance, c on creta que mente do ap pro rove it am en to do coco e de uma e x pe rie en cia de cu l tv circulo na serpentes das faculdades de a g ron o mia, com do al faces, o ra al face, é o ne o me de um s en hor q ue tam b em se f oi no me io de sta c on fuso es, e q ue um dia co mig o t da rabia do alho un a es c rita dos guy io es do i car o, uma se rie in fan til

A imagem começa com uma lata de atum, ou seja acto um , acto primeiro, e tum, que declina em tio tambem, o tio do ato do primeiro das conservas, de pescas, da industria pesqueira nacional, outrora verdejante, nesta área especifica, a do atum, com fabricas tambem em cabo verde, um alata aberta com um circulo, que é um anel que permite abrir a tampa

A i mage m c om eça com da primeira lata de atum, o vaso do use seja acto um , ac to prime iro, e t um, q ue dec lina em tio t am b em, o tio do ato do prime iro das c on serva s, de p esca s, da indu s t ria p es q eu ira na cio n al, o u t ro ra verde jan teresa, nest a a rea es pe ci fi ca, a do a t um, com fabricas tambem, italianos em cabo verde, um al at a ab e rta com dop primeiro circulo, q ue é um ane l q ue per mit e ab rato da ira da tampa, tampa declina tambem em mesa, ou seja em mad ad di de mad rid madrid, a tampo da tio do acto primeiro , vaso maior

O senhor do desenho, uma estranha impressão, é um senhor com patilhas largas como se usava antigamente, a ultimo vez que vi um semelhante, foi no grupo das gentes que na irlanda, apresentaram um processo contra a igreja católica, por abusos continuado de setecentas crianças, e onde um pormenor, sobressairia, tanto que aqui o relatei em vídeo, os dossiers vermelhos do processo, eram como um leque vermelho, ou seja o leque do sangue ma madrid, e a imagem do processo operativo da penetração , em crianças então, assim se tem que deduzir, em comboio, ou seja em grupo

O s en hor do d es en h o, uma est ra anha im press o a, é um s en hor com pa cruz das ilhas do primeiro arga serpente do sc do com circulo da se usa ava anti tiga a am mente, au l cruz imo ove zorro do q ue vi um semem l h ante, f oi no g rup o das g ene net ts q ue na irlanda, ap r es en t aram um pro roc esso c on t ra a igreja cat o li ca, por ab s us o conti nu ad o de sete c en t as c rin ç as, e onda um pro rome en no rato, s ob r ess s ar ira, t ant o q ue a qui o re la te i em v id é circulo, o dd do os da sie rato serpente verme prime rio homem os do pro roc ess o, e ram com do circulo do primeiro leque ver ml le homem do circulo, o vaso do use seja do circulo do leque do sangue mama d rid, e a ima mage made ria do pro roc ess o opera rat cruz iv o da p ene t raçao , em circulo da rina aça serpente da en tao, as si maior da set e em quadrado da ue dedo zorro e ira rato, em com sg gun do segundo do circulo do io, o do ovo do vaso use do seja em gato rup circulo

A imagem de madrid da carruagem é clara como a mais clara agua, imagem de penetração, de grande penetração, com um preservativo azul bebe, até este pormenor está claro, para alem de outros já aqui evocados, como um toiro vermelho, visível no telhado da composição, vide notas anteriores sobre este atentado

A ima mage made ria de madrid da car rua ge mé clara com o am maís da clara agua, i mage made ria de p ene t raçao, de g rande p ene tr açao, com um persa per ser vat ivo az u l bebe, a té este por m en o rato e stá c al to, para al lem de outros j á a qui evo cado s, com o um toi it do circulo do ove vermelho, v isi vaso do el no do tel homem da ad do circulo da com posi sic sao, vide not as ante rio ratos es s ob re este a t en t ad circulo

Tenorio, digo eu a palavra como cantando, como se fosse opera, ou seja remete para alguém ligado a musica e provavelmente à opera, tenorio, atum tenorio, declina tambem at um tem en no do rio, porto

T en o rio, di go eu a pal av ra como can t anda, como se f os se opera, o vaso sio use seja reme teresa para al g eu em liga do gado primeira da am mu sica e por v ave l mente à da dao opera, t en o rio, a t um t en o rio, dec lina tambem at um tem en no do rio, porto

Um pormenor se vai desvelando ao longo do vídeo, a primeira parte dele é definida por um pormenor que se ve no enquadramento, um dos ganchos da cobra kundali, do candeeiro romano, que entrou no enquadramento, e que aponta a mesa e o prato que no fim da refeição, quando apanho com o garfo, símbolo do tridente, os grelos com flores, a que chamo tambem de couves, abana, como saindo da sua normal posição, ou seja desvelando um movimento excêntrico, a imagem de descarrilamento

Um pro rome no rato da se eva id es vela lan anda aol, primeira do circulo do long conde, l ong, o do ov vaso id, é circulo da primeira da p do rime da ira da p da arte, canal fr, dele, del le , é d efe nid ap do por, um por m en o rato do quadrado da ue se eve no en quadra men to, um do serpentes dos ganchos da cobra k un dali, do can di e i rt o romano, q ue en t ro un circulo do en qua dr ad men to, e q ue ap da ponta primeira da mesa e circulo da p do rato q ue no fi made ria da r efe i ça, qua anda ap anho com do circulo do dog g ar fo, s im b olo do t ride dente, os g r elo s com flor es, a q ue c ham o tam b em de co uve s, ab ana, como sa inda da s ua norma l posi sis sao, o vaso si use seja d es vela lan anda um mo vie mn to e x c en t rico, i mage made ria de d es carril lam am en to

Esta ponta do bico de um dos tres ganchos da cobra do cordão triplo que sobe pela coluna do candeeiro romano, ou de roma , ou feito em roma, que é visível na parte superior da direita do enquadramento, obtém às paginas tantas na acção do vídeo, um match, um pequeno match, que é feito pela posição em que um palito , que figura uma lança, dupla, como a imagem do ben hur, quando lançam na casa os dois amigos as lanças as traves , e que no vídeo aparece por um momento dentro da mao, apontando a direcção da outra que é visível no candeeiro, como a dizer, que a lança, dali veio, a lança que penetrou

E sta da ap da ponta do bico de um dos t rato ds es ganchos da cobra do co r dao t rip lo q ue s ub e pe la co l un a do can di e iro romano, o u de roma , o u fe it o em roma, q ue é v isi vaso el na p arte s up e iro t da direita do en quadra men to, ob bt em às pa gina s t anta s na ac coa cortez do v id é circulo do prime rio match, um pe q un o mat c h, q ue é fei to pe la posi sic sao em q ue um pal it o , q ue figu ra uma lança, d up la, com circulo da primeira i mg em do b em homem ur, qua anda lan ç am na c asa os do is amigos às das lanças e às das t rav es , e q ue no v id é circulo do ap ar rece por um meo mn to d en t roda mao, ap on t anda a di rec cortez sao da outra q ue é v isi vaso do el no can di e rio, com o a di ze rato, q ue primeira lan ança, dali veio, al lan ança q ue p ene to vaso

Olhando os objectos em cima da mesa dispostos, e o seu movimento em jogging, o primeiro pormenor que se evidencia , é desvelado pelo movimento da garrafa de azeite gourmet, que avança um pouco dento do enquadramento e que se encontra no eixo das tres cobras do cordão entrançado da kundali romana

O l home da anda do os ob ject os em c ima da mesa di s post os, e o s eu mo ov iv em n to em jo gg ingles , o prime rio por m en o rato q ue se e vi den cia , é d es vela ado p elo mo ov vi men to da ga r rf a de az ze it te g o ur met, q ue ava ança um p o u co d en t o do en quadra men to e q ue se en c on t ra ano e ix o das t ratas es cobras do co r dao en t ra ança ad o da k un dali romana, ro om ana

Antes de avançar, está ele onde em vídeo anterior depois de brincar com minha amada com uma banana lhe dizendo que para ela não tem casca, me dou conta que a curva de uma das serpentes do kundali, parece ser uma gravides, ora neste vídeo, , a garrafa do azeite está mais um menos nessa mesma posição em relaçao ao candeeiro e pela mistura das formas, mais parece ser um plástico que uma lisa e rectangular garrafa de azeite, ou seja , a chave que se desvela, parace ser a do preservativo, o gourmet, do azeite, da oliva, da oliveira, ou do oliveira, dos desportos, o azeite como fio de oiro do dentro de dum preservativo, ou seja o fio da gravides da cobra da kundali, a que dá origem ao nascimento do triplo cordão, assim parece rezar esta parte da sequência inicial

Ant es de a van car, e stá el e onda em v id é co rc u lo ante iro de pp o si de br inca r com min home do acento à am amada com uma ab ban ana l he di z en do q ue para e l a n cão te m ca sc a, med o u conta q ue a c ur vaso da ad e uma das ser pen ted do k un dali, par rc ce ser um a g rav id es, o ra nest e, a garra raf a do az it e e stá maís um m en os ness am es ma posi sic sao em relaçao ao condi e iro e pe la mis tura das formas, maís pa rc e ce ser um p la tico q ue um l ix a lisa e rec tan gular gar rf a de az i e t e, o vaso use seja , a c home ave da chave q ue se d e vaso da sela, pa race se ra ad o perse r vat ivo, o g o ur met, do az i e te, dao l iva, da oliveira, o u do ol iv e ira, dos d es port ts o, o az i et e com o fi do io do deo o iro do d en t ro de du primeiro perse r vat ivo, o u seja do circulo do fi do io da g rav id es da cobra da k un dali, a q ue d á oi r gema o na cimento do t rip lo co r dao, as si m par ce r e z ar e sta p arte da sec un cia i n i c a l, in ni nica ca al

A comida no prata, são um lata de atum, a conserva , ou seja a lata que conserva o ato um do tio, os dos lombos de atum, duas batatas, um ovo cozido, e couves que são grelos, imagem do sex feminino, em flor, ou seja novas regadas com o azeite, o tal azeite do gourmet que faz a gravidez da cobra, o tridente, o grafo, e a faca, são cores prata e negro

A c om id ano no p rata, são primeiro da l at a de at uma c on serva , o vaso do use seja a l at primeira aqui da ue c on serva do circulo do ato do primeiro do tio, os dos lo m b os de at um, du as bat at as, um ovo c oz id o, e co uve es q ue são g r elo s, ima mage made ria do se x fe me nino, em flor, o vaso do use seja nova s reg ada s com o az ze it te, o t al az e i te do g o ur met q ue f az a g r a vi id dez da cobra, o t rin de te, mo grafo, e primeira faca, são cor es p rata e en negro

Ou seja ainda , algo que estava guardado, em genero de conserva, um saber, uma semente, ou ambas, uma arma que alguns decidiram abrir face aos problemas que o mundo se defrontava, lá estamos outra vez na linha do arquivo do congresso, em referência antigas ainda do tempo em que bush era presidente, algo que deveria então estar relacionado com um conhecimento ou segredo anglo saxonico, a atender as patilhas do personagem figurado na lata , que ressoava na irlanda

O da ova do vaso do use seja primeira inda , al gato do circulo do quadrado da ue espanhola da tva gato do vaso da ar do dado, em gato do en ro do ero em dec on serva, o primeiro o saber, uma semem en te, circulo do vaso da am bas, uma arma que al gun sd dec id iram ab br rif rf face ao spor rb prime rio da ema serpente do quadrado da ue do circulo do mundo sed e fr on x ava, primeiro do acento á e ts mo serpente do circulo do vaso da cruz da outra ave do ra, ave zorro na linha do arco vaso do ivo doc on gre ss circulo , em refe rn cia anto togas do gás da primeira em dao dt te mp circulo em quadrado da ue bus do homem e ra pr espanhol, id do dente al gato circulo do quadrado da ue da eve ria inglesa do tao espanhol do sat ra re la cio em ado com um do circulo do one, home da cie mn to circulo da use gato do reo do dam ang lo s ax oni co, a t ane ra at en der as pa t ilha serpente do p ero sn primeira do ge em figo ra, dona da lata , quadrado da ue rato do esso da ava ana na irlanda, lata é igual a can, circulo do can, coca , circulo da onda

A linha dos objectos à minha frente, é composta, por um vaso de hexágono das aguas, azeite, que simboliza a condo e o falo e o vinho da azeitona, o semem, a manteiga, da vaquinha mimosa, cujo desenho é a onda do tsunami, sal, serpente da al, e o sino da sala de jantar antigamente com garras, ou com das garras,

Primeira da linha dos ob j c e t os à min homem da prim mr ria fr en te, é co mo pi sta, por prime rio vaso de he xa gn o das aguas, az e it e, q ue s im boi kapa iza primeira do condo e do circulo do falo e circulo ov do vinho da azeitona, o semem, a man te i gada ad da primeira da ava quin h a mimo sa, cu jo de s en h o é a onda do t us na ami, s al, ser pente da al, e o sin o da sala, rr grupo, de jn, jornal do porto, at ra ant tiga am mn te com das garras, o vaso do com das garras

Um copo semelhante se partiu aqui recentemente, com um outro vaso ao mesmo tempo, o que mao deixou de ser coisa estranha, um outro redondo, como um circulo do higland clan, ou seja cumulativamente quando em dia mais ou menos recente aqui se partiram em rajada, o hexágono das aguas do circulo das terras altas, que tambem remete para douro, aqui em portugal la

Um cop o semem emel homem ante se p art ti vaso aqui rec en te que mente, com de um outro do ova do vaso ao mesmo te mp o, o q ue mao de ix o oi de ser co isa est ra ana homem de um outro red don co, com o um circulo do hi g h lan anda do c lan, ano o vaso suse seja com mula t iva em n te qua anda em dia maís o vaso m en os rec en te a q eu ise pa rt iram em ra jad a, o he xa g on o das aguas do circulo das terras altas, q ue eta tam am tambem reme teresa do para do douro, a qui em portu gal l primeira

Uma outra linha se dispõem ao longo deste vídeo, como metáforas de diversa imagens sobre financeiros e dinheiro que soa colocadas em linha que faz uma angulo com esta primeira, ou seja o dinheiro, as maças, ou melhor, os financeiros da maças, nova yorque, a amarela e uma vermelha, que mais parece um pêro em seu topo, e onde num determinado momento se vêem as ondas do mar, tambem nele desveladas

Uma o u t r sa da linha se d ip s o ema o long, o de este v id é circulo, como met a for as de di vera s ima ge ns s ob re fina ac e iro rose e din he iro q ue s o a c olo cada s em linha q ue f az uma do angulo com e sta primeira, o vaso do use seja do circulo do dinheiro, às das sd das maças, o vasp mel hor, os fina anc e iro serpente da maças, nova yorque, a am mar e la e uma verme l homem da primeira ,aqui do ki eu maís pa rece primeiro p ero, cao espanhol, em s eu top o, e onda nu primeiro det r emi minado mo om m en o se eve em ás das ondas do mar, tambem bn e s e n el e d es vela ladas

Ainda agora nest domingo de manha cedo, o espirito me disse que estava aberto o aço, do sw, das comunicações pt, sessenta e oito, pub li cidade, ao lado de uma cobra como aquela que aparece no vídeo que irei de seguida a este texto publicar, referencia dos financeiros e ricoh

A inda agora nest do min g o de m ana h ac e do, o es pi rito me di s sec ue e stav a ab e rt oo aço, do sw, das com uni c ç o es pt, se da serpente da senta e o it o, p ub li cidade, ao l ado de uma cobra com do circulo de aquela q ue ap ar ee ce no v id é circulo do q ue i rei e de se guida a este te x to p ub lica ar, refer en cia dos fina ce iro rose se rico homem

Aos quarenta e um , cinquenta e cinco, oregaos, maça amarela, maça vermelha, tipo pero, a moeda não vale por si, art ti cu la são, não nasce da arvore onde nasce um maça, se a gente cuidar bem da arvore, nascem mais, nascem muitas, e boas, e bonitas e saborosas,

A os qua da renta e um , cin q u en t a e c inc, o rego as gai da maça amarela, maça verme circulo cortez homem da primeira, t ip o p ero, am oe d a nã o do vale por da si da art ti cu la são, n cão na sc e da arvore on madeira e na sc e primeiro da maça, sea da primeira g en tec cu id a r b em da arvore, gravura, g rav ur da primeira, na sc cem em maís, na sc em mui t as, e boas, cobras, e bo ni t as e s ab do circulo das rosas,

Aos quarenta e dois , trinta e dois, se figura nos meus braços ao acender o cigarro, o bico do isqueiro, a faísca, a acendalha, do seio do fogão eléctrico, tipo laboratório dos químicos, ou alquimico, do angulo dos oregaos, a palavra fala dos tres organismos que existem nas sociedades, contemporâneas, das finanças , que determina a problemática relativa à asfixia ou não asfixia, dados das simetrias, de um estarem em cima dos outros

A os qua ren te a e do is , t rin t a e do is, se figu ra nos me us br aço sao ac en d ero ci garro, o bico do is q eu iro, a f aica, a ac en d alha, do se io do fo g a o el e c tico, t ip o l ab o rat toi ira dos qui mico s, o u al qui mico, do ang u lo dos o reg a o sa p al av ra do fala do s t r es o r g ani sm os q ue e x is te mna s soci e dad es, c on te mp o r ane as, das fina l ç as fia, q ue det r mina a pro ob l ema tica r e la t iva à as f ix ia o un cão as f ix ia, dado s d as si mer das tias, de um est arem e, m c ima dos serpentes dos outros

Na imagem a maça vermelha, como um pero, fica em cima da amarela, duas marlenes, duas raparigas, que correspondem , pois se encontram no eixo da garrafa de azeite, como um falo que dali saiu, talvez então um falo duplo, um dong

na mage ema primeira da maça vermelha, com do circulo do primeiro pero, fi ca em c ima da am mar el de la, du as das marlenes, du as das raparigas, q ue co rr es ponde em , mp oi se en c on t ram no e ix o da g ar rf a de az e i te, com o do primeiro falo q ue dali sa io, t alvez en tao, en ato, um f alo d up lo, um don gato

me recordei agora ao isto transcrever de um pequeno trailer com a bela rapariga do once upon a time na américa, agora crescidinha numa cena de sexo com outra rapariga no meio de uma roda de apostadores homens, numa festa que se pressupõem ser em nova Yorque ou na américa,

me recorde i agora ao is to t ra ns c r eve r de um pe q u en o t rai ler com da primeira bela rapariga do once, es, up on primeira do time na am erica, agora c r es c id dinha nu ma c en ad e sexo com da outra rapariga no me io de uma roda de ap posta das dores espanholas h om en s, nu ma festa q ue se pr ess u p oe m ser em nova y o ru quadrado do e o un da primeira am erica,

ministérios das economias, funções de programação, que ecoa tambem em programação
de redes, ou seja de aplicações informáticas, competira , caberá por natureza a análise das cadeias de produtos, por que isto tem que ser feito um por um, um por um, torna a palavra a repetir como dando ideia de comboio, de repetição, e as agencias de inovação, que retira a maça amarela e agita com a mao a vermelha, de novo ficamos com oito, e depois fazemos isto para o set, o isqueiro, heroina e coca, azul e vesica amarela, de caneta preta e para o seis, até termos os passos lógicos, associados aos produtos, ou seja de novo, a palavra lógica, a dar mais peso a esta declinação, programação e lógica, e um numero que deriva da sequência, noventa e oito, expo, sete , seis, sete de junho, o triângulo de fogo da maça dos oregaos, no meio e o isqueiro., assim parece então ser o sentido comulativo através da imagem , tábua raza, ou seja deitar abaixo, e recomeçar de novo, financeiros, e finanças, mudança, ou seja mudança do sistema financeiro do mundo, chips, dinheiro electrónicos, inter bancários feitos por computador, cunhar moedas as toneladas demora tempo, imprensa nacional casa da moeda, que é o lugar onde isso aqui se faz, regras bancos, quem manda os bancos nos governos ou os governos e antes o povo neles


mini s téri os das e c on om ia s , fun ç o es de pro g rama ac cabo da sao, q ue e co a tambem em pro g rama são de red es, o vaso suse seja de ap li caçoes in for mat tica s, co mp te ria , cab e rá porn a ture za a ana l ize das cade ias de pro du to d, por q ue is to te maior do q ue ser fe it o um por um, um por um, ton ra a pal av ra a r e pet tit rc omo dando id e ia de com bi ode re pet do tição, e às das agencias de ino caçao, q ue re t ira a primeira am maça, am mar e la e a gita com p rie mr ria mao da primeira ave vermelha, de n ovo fi cam os com o it o, e d ep o is f az e do traço ingles mos is to para o set, circulo do isqueiro, he roi ina e coca, az u le eve isca am mar el a, de c ane te pr eta e para do circulo da se is, a té te r mo s os dos passos lo gi cos, as soci as o ds a os pro do to s, o vaso do use seja de novo, a pal av ra lo gi ca, ad ar maís do peso, a reg gn t a tina , a est a dec lina sao, pro g rama sao e lo gi ca, e um nu m ero q ue de riva da sec u en coa, nov en t a e o it o, e x p o, sete , seis, sete de junho, o t r ian gula de fogo da maça dos o reg a os, n p me io e o isqueiro., as si m pa rc e en tao s ero s en t id o co mula t iv o at rav es da i mage made ria , t abu a r aza, o vaso use seja de it ra ab a ix oe reo cm e ç ar de n ovo, fina anc cie ero rose fina ac s as, mu da dança, o vaso use seja mu dança do sis t ema fina n ce iro do mundo, c home da ups, din he rio el e c t r on i cos, int r e ban ca rio s feitos por co mp puta ad da dor, c un h ar moe da s as t one ladas demo ra te mp o, imprensa na cio n al c asa da moeda, q ue é o lu g ar onda iss o a qui se f az, reg ra serpentes dos bancos, q eu em manda os dos bancos nos do dog do g ove rn os o vaso do os governos e ant es do circulo do p ovo nel espanhol

a mao do cabo africano da maça do azeite, gb , parlamento, speaker, libras do sexo, na rede, circulo , um , circulo, 010,dinheiro, primeiro do circulo dez , tecnologias, amarelo, rectângulo primeiro vermelho, loja da lança do pero, gato das filhoses, o que foi as filhoses.

Prime mer ria am da primeira mao do cabo africano da maça do azeite, gb , par la am men to, sp e ak e rato das libras do s e x on primeira rede, circulo , um , c irc culo, 010,din he iro, prim rio do circulo dez , tec no olo gi as, am a e r lo, rec tan gula primeiro vermelho, loja da lan ç a do p ero, gato das fil h os es, o q ue f oi as fil homem do os espanhol

Me evoca isto ao agora escrever, a loja das mascaras africanas no principe real, com o padrão em boca das grades que ecoara em diversos fios, sendo so mais recentes a cenografia do tetaro em cannes, da boca à rolling stones e da enorme lingua vermelha que de lá saia, e um outro eco, da mesma grade em imagens relativas aos bancos privados aqui dos problemas,


Me evo ca is to a circulo do agora es c r eve ra da loja da s ma caras a fr ica sn as no do principe re el la, com do circulo do padrão, em boca da s g ra ad es q ue e coa ra em di versos fi os, s en do s om maís rec en te sa c en o g raf fia ia do t eta aro em can ne s, d a boca à ro ll inglesa dos stones e da en o r m az l in g ua ave vermelha q ue de l á s aia, e um outro e co, da me sm a g r ad e emi mage ns re la t iva sao os dos bancos privados a qui do s por rb primeiro da ema serpente,

O que está em cima da mesa, o valor facial daa moedas e da correspondência com os produtos, se ouvem os caes a ladrar ao fundo na rua neste momento, ou corte epistomologico, taxa, tofler tres por cento, um por cento, façam as contas, transito lunar, organização atlântica, cobra cuspideira, alias, mediterrânea, o correcto caminho, electricidade , acordo, a cobra entra no vídeo, figurada, entre a mao, por uma lança dupla, ben hur, e aponta tambem o traço superior do blind, tres traços se vêem, ou seja

O q ue e stá em c ima da mesa, es, circulo do valor f ac cia al da am o e da seda co rr es ponde ni cc om os dos produtos, se o uve mos do os dos caes a l ad rata ar a do circulo fun dona rua nest e mo men to, o u co rte e pi s tom olo gi co, t axa, to forte mula one, ler t rato espanhol do por c en to, um por c en to, f aç am ás das contas, t ra sn si to l un ar, o rago r g ani iza sao at al na tica, cobra c us spi id e ira, al ia s, me di terra ane a, o co rr e c to ca minho, el e t r cidade , ac o r do, a on br a en t ra ano v id é o, figu ra ad a , en t rea mao, por uma lan ança d up la, b en homem ur, e ap da ponta tambem do circulo do t ra aço s up per rio oir do b l in dt rato es t r aço s se eve em, o vaso use seja

P do f da orte, circulo rt teresa, de it ad dona da regua, do ur o, do s t r es t ra aços do b l in dd o c ego, o da c ima da mat rizo do vaso use seja da rede, t r e ze t r e ze, o vaso dodo ze, doze, e um o u t ro e co vi s ual homem do oje de manha, qua anda e stav a s en t ad o no s o fa, uma mat riz t rá s t am b emo pa ine s t ra se iro do a pp leo do circulo do g q au t ro, cu jo conte u do, f oi t am b em d es c rito em por m en o rn de uma outra al lie tura co ns t ante do L iv roda V id a,

A matriz ,remete para as linhas da serie fringe, do transporte no tempo, do hulk, dos gases, o pero vermelho nesse ponto do vídeo, mostra as ondas tusnamis, em sua cabeça, ou seja da asa da colher do tacho das ondas vermelhas da maça, ou seja do sangue na maça.

A m at r i z ,reme teresa para às das linhas da x se ire f l ingles e fr rin in ge, d o t ra sn p orte no te mp o, do h u l kapa do s g as es, o p ero ove vermelho ness e ponto do v id é circulo mos t ra as das ondas ts un am is, em s ua cabe eça, o vaso do use seja da asa da co l her do t ac h o das ondas vermelhas da maça, o vaso do seja do san g u en primeira da am da maça.

Trabalho manual, duas décadas, canalizadores, electricistas, pedreiros, pipa de dinheiro, pita piratas, e um cartão do balkar dentro de uma capa no armário onde o obama primeiro indicou e que depois se prende com o michael jackson, tambem, e que será abordado no vídeo e texto a seguir, balkar, o canalizador e pedreiro que me instalou os azulejos aqui na cas de banho, balkar, ba al bal kapa da ar, canalizador, é tambem imagem de sexo,

T ra aba do alho manu ual, do as das dec ad as, cna c ana l iza dor es, el e t rec ista serpente dos ped re iro serpente da pipa de din he iro, pita pi rata se um car tao do ba ak ar d en t rr ode uma da capa, revista, no da ar do mario onda do circulo do ob am a prime rio indico ue q ue d ep o ise pr en de com do circulo do mic home da primeira do el j ac kapa do son tambem, e q ue se rá ab o r dao dn circulo do ov, italia, v id é circulo e te t x o a se gui rba kapa do cao da ar, o can l iza dor e ped re iro que me in s t al lou os dos az u le j os a qui na cas de ban hi o, bal kapa da ar, ba al bal kapa da ar, c ami prime rio zorro da ad o ré eta am tambem e be i mage made ria de se x circulo,

Estamos a dar pés, sem tiros, assim como as palavras desta frase, bárbaros, desertificaçao, plantar arvores, tens , tendes alguma duvida sobre isso, cultivar carne como cultivamos alfaces, quando entra em produção à séria, o bi ll do gate serpente apple, uni x, o segundo do onze da prata da maça un ni x, silos, nuclear, camarás na net, talvez assim tenhamos a sorte de uma criança salvar a muitos quando der por uma racha num reactor de uma central nuclear,

Est amos ad ar p és, se m tir io rio iro serpente, as si m c omo as pal vaso do ra s d es ra fr ase, bar rb aro s, de ser ti fi caçao, pal na tar das arvores, g rav ac sãos espanholas te en ns , t en d es al gum ad vaso david , id da primeira ida , s ob re iss o, cc u l t iva ar da carne, com o cu l t iva vam am mo serpente dos al face es, qua anda e bn ra en t ra em pro duc sao à sé ria, o bi ll do gate ser pen te a pp le, uni x, o segundo do onze da p rta da maça un ni x, silos, nuc lea ar, cam mara sn primeira ane da net, t alvez as si em t en ham am os a s orte de uma c rina ança s alvar a mui t os qua anda der por uma r ac home da primeira racha, a nu primeiro rea ac tor de uma c en t ra al nuc le lea da ar,

Ban kim moon, onu do ban, do filho do major, da un da lua do valentim loureiro, filho, a lua da kim, ou seja a lua da cristina coutinho, escolas agriculas, primeiro talhão, referência tambem a cemitério e morte, alface, o alface, pais da margarida,

Ban kim mo nn, on vaso do ban, do fil home do circulo , o do major, da un da lua do v al en tin lo ur rei do iro, fil h o, a l ua da kim, o vaso da use seja da primeira lua da cristina cu it tinho das escolas a g ric lula s, prime rio t ala home do circulo, refe rn cia e eta am tambem a c emi ter io e m orte, al face, o al face, pais, tvi, da maga ra id a,

Depois aparece a bola de plasticina vermelha, que simboliza o vírus dos porcos, ao lado do isqueiro e a lança do fio da história do ben hur, ou seja passando tambem pelos actores do conflito israel e árabe, que se relaciona tambem com a linha da columbine, da matança no liceu, se ouve um som de fósforo, outra vez no vídeo,

D ep o is ap par rece p rie mr ia da bola de p l as ti cina ave vermelha, q ue s im b o l iza o v i rus dos p orco sao lado do isqueiro e primeira lan ança do fi o da hi s toi ra do b en home ur, o vaso do use seja p as sand o t am b em p elo s ac tor es do c on for mula one da it do circulo de is ra el e ár abe, quadrado da ue ser, e la cio em en prime ria da cruz da am e segunda em com da primeira da linha da co l um b ine, da mata ança no liceu, se circulo da uve, prime rio serpente om de f os foro, o u t r ave zorro do no, v id é circulo,

Confessem a vossos filhos, olhem, nos somos maus pais, gostamos muito de vós, mas não sabemos resolver os problemas que temos criado, pico eu com a lança o vírus nesse momento, e lhe desenho vesica, ou olhos que nao se vêem na imagem, com a unha, a unha do diabo vermelho, assim me dizia ontem de manha um maço de cigarros no chao da rua da cuf, onde se via uma cobra laranja que entrava num colector

C on f ess ema vaso dos ossos fil homem do os, o l homem em, nós s omo s ma us do pais, tvi, g os t amos mui to de vaso ó s, mas n cão s abe emo s r es os l v ero s pro ob l ema s q ue t emo s c ria ad o, pico eu com da primeira lança do circulo do vi rus ness e moe mn to, e el he de s en h ove sic as, o u o l homem do os q ue noa se eve e mna i mage mc om a primeira unha, a un home da primeira do diabo vermelho, as si maior me di zorro do ia on te made ria da manha do primeiro meo maço de ci garro s n o cha, o do circulo da rua da cuf, onda da se da via de uma cobra laranja, q ue en t ray to vaso da primeira do ano nu primeiro cole circulo do tor

Green spam, ou serpente pam da p da am da green, cereal de um determinado estado para acertar na lógica da batata para extrapolar a inflação, e acertar, não é qualquer um que conhece essa arte, a dos marcadores, masi ou menos constantes e do relacionamento constante com os marcadores, não o digo, no vídeo mas é o que se trata, marcadores, adn, ad dn da primeira, genes, vírus, constantes, constâncio, bancos, bancários, os vírus dos bancos e dos bancários

G re en spa am, o u ser pente p am da p da am da g re en, cere ala de um det re emi minado e sat td o para ac e rat ra na logica da bat at a para e x t ra polar a in fla sao, e ac e rta ar, n cão é q ual q e ur um que co ine homem da ce ess a arte, canal fr, a dos ma rca cado r es, ma sio u m en os co ns t ant es e do re la cio na men te co ns t ante com do os do mar cado r es, n cão o di g on ov , it, id é circulo oma, mas é o q ue se t rata, mara cado r es, adn, ad dn da primeira, g ene es, vi rus, co ns t ant es, co ns tan cio, ban cos, ban car io s, os vi ru s d os bancos e do s ban ca do rio, porto, serpente

O hexágono é o do dark vader, mas isto, será explicado na parte seguinte

O he xa g on o é o do d ark v ad e r, mas is to, ze rá e x p li cado na p arte se g vaso int teresa, italiana