sábado, julho 11, 2009

era ra da marca no tejo, assim me desvelou esta noite um carro na av quando vinha agora do cafe da estaçao,

era rai da ira dana mar rca no tejo, ass si med es velo lou e sta ni ite primeiro cat tp na av primeira do vaso da qua da anda da vinha do agora doc efe da est ac sao taçao

era, o simbolo espelhado na almofada, do leito em video anterior e do outro lado o vermelho que simboliza o sangue

e ra , o s em b olo es p el home ad circulo na al mo fada do l lei to em vaso id circulo ante r ior red circulo do outro so rol ad circulo do ove vermelho q vaso do delta e, s em v o l iza c irc cabo do vaso do primrio do circulo do sangue

ah, bela menina do perfume da hipnose, sabe estava aqui a lembrar-me da primeira vez que a vi, à já algumas largas e compridas luas atrás

primeira do home da be la menina do per rf primeiro me de homem do ip do pn do nose do hipo, serpente do ab e est tva ava primeira do qui al em br ar do traço da inglesa me da prime ira ave zorro q ue da primeira avi,`acento do principe do acento al gum as l argas da gase , dag ase, e co mp rid id as lu as sat ra serpente

me apareceu ali na rua em cimo de um poste ao pe do palacio do rei e da rainha, veja lá, com umas belas roupinhas de lás en tons alvos e cinzas que lhe davam um ar muito fofinho, enconstada ao que se pressupunha ser um ds vinte e um, pelo olho que dele se via, assim com desembaciadores que faziam lembrar blinds, num cartaz assinado pela marca da madonna, e eu ali fiquei embevecido a namorar aquela sua visao que assim como do ceu me aparecia, a ver se a via aqui na terra ao pertinho

me ap pr rec vaso al ina rua em c imo mode ode primrio ps post teresa primeiro do circulo do pedo do palacio do rei e da rainha, o do mne, veja primeira acento, com uma da aguia el as das roupinhas, to do vaso das pinhas, del às em to sn serpente alvo se das cinzas , q ue l he d ava vam, uma mui to fo fi muito ho, en c on ns t ad primeira , primeira do circulo q ue se pr es sp da p da unha ser primrio dz dez do vinte um , lara anjinhas, p elo do olho q ue dele, se da via, ass si em com de s em v ac cia ad dor espanhola q ue f az iam ima lem br ar b l in ds , no primrio do cartaz, ass si ian ina anda p el da lam da primeira mad donna e eu al e fic ue e em v eve c id o ana mora rna q ue la da visao q ue ass si em com circulo do doc europeu da me ap pare rec ceia da se do ia, primeira ave rar sea primeira via a qui na terra, br primeira do circulo do per do tinho

depois a procurei na net e a vi na sessao em forma mais completa, e soube entao que vinha do canada e morava na america, nessa altura e que trazia uma bela causa em seu coraçao, pois cuidava de crianças, e trazia uma sua fundaçao para esse fim, assim em duplo como um anjo ficou a morar em mim

d ep o isa pro roc cu rei ina net, a a vina ina s es sao em forma maís ci mo l eta , e s o ub e en tao q ue da vinha do canada, doc ana ad primeira e mor ava na am mer cia, mess a al tura e q ue t ra zorro ia uma be la ca usa em s eu cora sao, p o is cu id ava dec r ian ancas cortez e cruz ra zorro ia uma serpente da ua da fun da sao, para ess e fi mairo ass se em duplo, com c irc uk o, prim rio do anjo do fi, co da ua da mora da ar do rem em mim

hoje andava sonhando com seu belo postalinho aberto em forma publica

homem do oje anda ava s on homem anda com serpente do eu do segundo elo do ps da posta do linho ab e rato reell time do t o em forma da publica,

depois me dizia, assim grrrr, por dentro, que estes malandros poem assim uma menina tao bonita a dizer estas coisas mas nao poem por exemplo o numero de telefone, e assim querem tentar partir meu coraçao

d ep o is me di zorro do ia g rr rr, segundo da renascença, por d en t ro , que este serpente m al lan d ros poe em ass si em primeiro da menina tao bonita ad di ze rato e sta serpente co isas ma serpente n cao poe em mp por e x em mp primeiro do circulo dez, do circulo on primeirao mer do ero de tele do f do one e ass se em q ue rem ten tar da primeira da art do tir da me da eba do vaso da cora sao

depois me olhei eu proprio ao espelho, e nao perguntei, espelho meu existe alguem mais belo do que eu, nem de igual modo perguntei, mas sou assim tao bonito , para receber um postal de uma tao bela menina, que a resposta sei- a bem eu dentro de mim, e nao se deve andar a fazer perguntas tolas, nem aos espelhos,

d ep o is me circulo primeiro he e eu pro pr do rio primeira do circulo do es p el ho, e en cao per gun te ie es p el h om me eu e xis te al g ue em maós b elo doque eu, ne made ria de i g ual mod circulo per gun te ima ss circulo do onze as ss se em tao bonito, para rece cebe e rum post al de primeira tao be la menina, q ue primeira r es ps ota seia, b em me eu d en cruz rode ode da mim, e en cao sed eve anda ra f az ze rato per gun t as t ola serpente nema os es p el home os

depois me sentei, e assim como me dividi em dois, era um igaulszinho a mim que ali estava a meu lado, sentado, ainda esfregeui os olhos, uma vez, a ver se quando os abria, a via a si, em vez de ver outro paulo miguel, mas nao, era um outro que era como eu, tornei a esfregar os olhos, me dizendo, sou como uma galinha, estou hipnotizado, quando abrir os olhos, já nao ali estou, está ela, e quando abri, de novo era eu, e entao me disse, devo estar assim um bocadinho pro constipado, e a tal hipnose nao funciona muito bem, o melhor é entao conversar com este meu outro, talvez ele saiba o numero de telefone da bela gatinha e o consiga convencer a dar-mo

d ep ois me s en te ie ass si em c omo med iv vi id du em do is, a ra primeiro egaula serpente zorro do x in ho, primeira mim q ue al e est ava am eu lado, s en t ad circulo, a inda es fr r ge ui, os olhos, uma ave zorra ave rat se qua anda os ab ria, primeira via a si em vaso e zorro de eve ra de outro paulo, mig ue do el, mas nao primeira, e ra primeiro de outro, q ue a rac omo euro ep do vaso do torno do tor da ne do ia es fr e gato da ar do os olhos, me di zen do , serpente do circulo do vaso com do circulo de primeira galinha da linhas, est circulo do vaso do hip pn not iza ad circulo, qua anda es star as ss em pro co ns t ip pad circulo , e primeira cruz al h ip nose n cao da fun cio on primeira mui to b emo, mel hor é an tao c on vera s com este me vaso outro, cruz alvez el le sa iba do circulo no mer do ero de tele do fon do one da be la gat da tinha e o c on sega da ap da primeira do ac on vaso en , ser, ad ar do traço da inglesa mo

e entao ele, que era eu me disse a mim mesmo

parabens,

par ab en ns s

parabens porquê

para b en spor quadrado do vaso do maçon do cio e

parabens paulo por teres inventado mais uma vez há uns poucos anos atras uma nova forma de comunicar que hoje se encontra difundida mundialmente

para ra ab en sp ai primeiro do circulo de dez por te rat espanhol in v en t ad circulo maós, uam ave zorro home acento da primeira un sp o u cos ano serpente at ra serpente uma da nova , forma dec com unica car q ue h oje se e c non cruz ra di fun dida mun do quadrado da aia al que mente

de qual falas, perguntei eu, que como verá a menina pela própria pergunta, nao trago assim tanta necessidade de perguntar aos espelhos

deque aul al fal l as do fala serpente per g un net ti europeu , q ue c omo ove da vera menina p el ap per gun cruz primeira , n cao t rago ass si em cruz anta da necessidade, ne c ess sida dade de per gun tar primeria do os dos es p el home do os

ora, ora, nao te faças de tolo, disse o outro eu, e ue lhe fiz como calculará grrrrr, dizendo irra até a minha imagem se tornou diagonal em sua forma de falar, na verade, perigosa epidmia psiquica grassa no mundo, até contagia as imagens e os plasmas, se calhar é essa tal historia dos portais entre dimensoes,

circulo do ra, circulo do ra n cao teresa facas det do falo do duplo circulo , di ss circulo do outro europeu, e ue l he fi zorro com circulo c al ci la ra gato da estrela da renascença, di zen do ira primeira téresa , am mim homa da primeira e mage maior se torno vaso dia h on al em s ua da fora f al ar na vera de pe rg o sa e pi d mia psi quica g rato assa ano no mundo, a teresa cc c on tag ia às das imagens e os dos plasmas, se cala home da ar e ess primeria cruz ho s tori ad os spor prta prta rta si en cruz red dim en serpente do circulo do es pan home da al

aquele corte epistimologico que introduzis- te mundialmente na forma como hoje todos comunicam, em passar o plurar como endereço, sempre ou quase sempre, à primeira pessoa

au el le corte e ps pi st imo logico q ue int rodo zorro ite mind, mun di al lem n teresa na forma,com circulo do home de oje todos, com uni cam em p ass sar do aro p luar com circulo en der e co se mp rei vaso qua use se mp rea acento prime ira da pessoa, p esso primeira

nao foi bem isso que eu fiz, lhe comecei a responder, mas sabe menina na verdade ele , ou aquela imagem de mim mesmo, parecia que me conhecia mesmo bem, pois logo me disse

n cao f do io b em iss circulo do q ue eu fi zorro, l he com mec ceia ia ar es pond der mas s abe e menina na ave bra ba vera ad dele, o vaso de aquela e magem de mim me sm circulo, par rec cia q vaso me c on he cia me sm circulo b em p o is do logo, me di serpente da se

sim, sim, eu sei o que vais dizer,

s em si me eu se io q ue vaso a is di ze rato

aí , sim entao diz lá

primeira do acento isis em en tao di zorro la acento primeira

o que tu fizeste foi recentrar a pessoa, o Ser, no acto do falar e do comunicar, por isso te dei os parabens

o q ue t vaso fi zorro de este f do io rec en r a t ar primeira p s esso primeiro do circulo ser, no do acto do f al ar e doc om mini uni car, por iss circulo da teresa de io serpente para b en ns

está bem, eu aceito os cumprimentos que me dás, e olha por acaso nao tens o telefone daquela bela rapariga do perfume do hipo do nose,

que tolo que és, inventas umas coias, e depois parece te esquecer de com alguns a usam, e dito isto, bela menina, desapareceu no ar, com um puff,

q ue da cruz do duplo circulo do falo cravado no ceu, in v en t as uma sc co ia sed ep o is par rece teresa es q ue ser dec om al gun sa usa sam am e dito do is to ne la menina , de spa sapar pre rece vaso un no da ar, com do primeiro da p di vaso do ff

e eu fiquei à sua espera pela tarde fora

e do europeu fi c ue ia s ua es pera epal peal cruz arde for primeira

depois sonhei assim meio acordado, e no sonho, guiava, e punha a mao nos guiadores, e os farois do carro, como os boca de sapo, rodavam com as maos rodavam, e de repente estava eu na imagem do freeze, da bailarina de seu país, ou assim parece, que se imobiliza com um cisne em pleno voo, com a perna esquerda em angulo com a ponta para baixo, o homem está como tombado de encontro ao ciclorama depois da dança dos dois, e só o olho da menina se move, como um olho do citroen

d ep o is son he ia ss si em me do io aco ra do aro do dado, e no do sonho, s on ho, guia ava e p unha primeira mao no sg gui ad dor espanhola, e os f aro do is dc carro, com circulo do os da boca do sapo, poral, roda ava vam com as maos roda da va vam , e de rep pen teresa es cruz ava europeia na mage made ria do frize, fr ee ze da ba ila da rina da bailarinha de s eu do pós da tvi, circul do vaso ass si em par sec q ue se imo bil zorro do ac om primeiro cisne, em p el no vv circulo, cao ap pe rna esu e rda em ang vaso primero doc circulo dez com da primeir aponta do para ba ix circulo, circul do home e sta com circulo tom ba ad circulo de en c on cruz ro , primeria do circul o sic, cic lo rama d ep o is da dança do ser rp pn te do ise serpente do acento no circulo da emanuelle da menina se d o demo emo mo da ove com circulo do p rim rio do olho da quadra do ac do it do ro en

Muito curioso, a imagem de O Cristo em seu julgamento, que acabei de publicar, pois pela noite calhou ver de novo o episódio do fringe, da bela menina polícia, e a historia vai num ponto dos portais que abrem para universos paralelos, acabando o episódio por ela aparentemente através de um elevador, como a imagem das bota recentemente descrita por detrás da torre gémea da direita e quando o plano se abre, se vê, nesse outro mundo paralelo que as duas torres continuam de pé, e um jornal sobre a mesa fala da mudança do casal obama para a casa branca

Mui to c ur io osso o, a i mage made ria deo c rato do is to em s eu ju l gam en to, que ac ane id e pub lica rp p o is pe la lan ano da noite, c alho uve rato de n ovo, o e pi s o di do io do fr rin in ge, da be la me nina poli ca, e a hi s tor ia ava i nu maior ponto dos serpentes dos porta is, q ue ab rem para do uni verso s para lelo s, ac ab ban do o e pi s o di o por el a ap ar en te maior net at rav es de um el eva dor, com o a i mage made ria da sb ota rec en te mn te d es c rita por det ra s d a torre ge me ad da primeira da direita e qua anda do c irc u k o do plano se ab rese eve, ness e o u t ro do mundo p ap ra lelo q ue ás duas torres conti nu am de p é, e um jornal s ob rea da mesa , do fala da mu da dança do c asa sal ob am a para a c asa br anca

Acaba o episódio com ela a se chegar ao escritório de um senhor que procura à muito tempo, que vivera nessa tal realidade paralela, cujo nome de família é bell,

Ava ab ba bba el ad e se c he g ar ao es c rito ria o de um s en j hor que pro roc cura à mui to te mp o, q ue v iv vera ness a t al rea li dade para lela, cu jo no me d e f am i l ia é be ll,

Bell , sin os, segundo onze, depois fui jantar em cima da minha mesa um sino tambem, um sino que tem as garras, em baixo, e uma serie de recordações em mim emergiram algumas delas aqui narradas, sobre sinos, e portais, abertos ou meio fechados, em diversas conversas em espirito com distintas vozes, e uma estranha sensação se entranhava enquanto jantava ao relacionar isto tudo e ao ver na cabeça a imagem do quadro

Bell , sin os, segundo onze, d ep o is f oi j antar e em c ima da min h a da mesa do prime rio do sin circulo tambem, um sin o q ue te ma s g garra sm, em ba ix oe uma se rie de rec o r d aç o es em mim e mer giram al gum as del a s a qui na rr ad as, s ob re sin os, e por rat is, ab e r to s o u me io fe c h ado s, em di vera s c on versas em es pi rito com di s tinta s v oz es, e uma e t ra anha s en s aç sao se en t ra anha ava en q ua anta j ant ava a o re la cio n ar is to tudo e a ove rna cab eça a i mage made ria doc ua dr circulo

Pois se virmos com atenção o que o quadro em sua figuração conta, e a existência de ondas como um ripple de outra dimensao que estão por parte da figura de Cristo, cabeça e peito, ou seja pensamento e sentir e sangue da vida, que por sua vez está sentado num anel quebrado, e é exactamente por essa quebra que entram os anjos e os diabos que julgam os seres terrenos

P o is se vi r mos c o m at en sao o q ue o qua d ro em sua fi g ira raçao sao conta, e a e x is ten cia das ondas, com o um r i pp le de outra da dimensao, q ue es tao por p arte da figu ra dec r is to, cab eça e pei to, o vaso do use seja pen sam en to e s en tir da ire e do san g ue da vida, q ue por serpente da ua ave ze stá s en t ad on um ane l q eu br ad o, e é e x ac tamen da teresa que mente , por ess p r ie mr ia do ki aqui do quadrado do eu braque en cruz do ram do os dos anjos e os dos diabos do quadrado da ue j u l g am os ser espanhola teresa do rato reno serpente

Sem pretender agora aqui entrar em analise detalhada sobre os distintos significados destas hipóteses, me lembrei conduto de alguns factos Reais

Se m p r e tender do agora aqui entrar em ana l ise d eta alhada s ob reo ss os da di serpente dos tintos sig gn ni fi dos cado s de sta serpente do hipo do circulo do acento O, da teresa serpente es , me l em br rei cont dede al gun ns serpente f ac to s actos rea is

Contudo a linha da trave mestra que o quadro conta, e do processo da ligação entre a terra e ceu e que então acontece, quando assim acontece

C on tudo da primeira linha da t rave mestra q ue circulo do quadro conta, e do pro roc ess o da liga sao en t rea primeira da terra, br, e c eu e q ue en tao ao cn tec e, qua anda as si maior do ac on tec e

O símbolo do anel e do anel quebrado apareceu-.me, em dois mil e um, ao remontar novas imagens antigas sobre um poema de antonio botto, e musica , que antes tiveram outras imagens associadas á mesma banda sonora em finais da decada de oitenta, no âmbito do projecto ibérica , com um texto de amor de minha lavra, montado com imagens recolhidas em madrid

O s im b olo do ane le d o ane l q eu br ad o ap ar e c eu do traço da inglesa me, em do is maior ile do primeiro rum, ao remo on tar da rn de muitas ova s ima mage ns ant ti gás s ob re um poe ema de antonio b ot to, e mu sic primeira aqui do q ue ant es t iv vera tam da am de outras ima mage ns as soci ad as á me sm a ban da s on o ra em fina si da dec ad a de o it en t ano am bit o do pro ject o ibe rica primeira, com primeiro do texto de amor de min homem da al a vaso do ra do montado com das i mage ns rec o l h ida serpente em mad rid

Em oitenta o carismei, como hotel cairo, que era o nome de um boutique de moda, mas que nas imagens era como se fosse um hotel, um hotel onde alguém buscava uma mulher, com uma narração que vibrava entre dois pontos, como se fosse uma busca policial, e, ou uma busca de uma mulher amada

Em o it en tao cari sm e i, c omo h o tel do ca iro, q ue e ra circulo do n om mede do primeiro da boutique de moda, masque na s ima mage ns e ra com o se fosse um h o tel, primeiro home d c circulo da tel onda al g ue em b us c ava uma mul her, com uma n ar raçao q ue vi br ava en t red o si pontos, com o se f o ss e uma b us ca poli cia le, o u uma b us cade de uma mul her am mad ad da primeira

Assim de memória, sem rever essas imagens, me lembro, da fachada do hotel cairo, de um renault ou citroen dois cavalos amarelo, uma viagem pelo jardim de madrid, uma rapariga que lançava as cartas do tarot

Ass em made ria de me mor ia, s em r eve r es sas i mage ns, me l em br o, da faca h ad a do h o tel do cairo, de um rena u l to do vaso do c it ro e mn do is dos cavalos am mar elo, uma via ge m p elo do jardim de mad rid, uma ra pa rig a q ue lan ç ava as ca rta sd do circulo do tarot

Na segunda montagem , fui buscar imagens que filmara para um dos clip da Madredeus, a ascensão, poucos anos mais tarde, filmagens já aqui abordados no Livro da Vida, através de algumas fotografias de cena, em agronomia que desvelaram algumas passes de cruzes que ali me forma feitas

Na asa da se gun d a m on tage em , f oi b us car ima mage ns q ue fil mara para um dos c l ip da m ad red e usa primeira da ascensão, p o u cos e s o ma is t arde, fil mage ns j á primeira do qui aqui, ab o ratos dos dados no L iv roda da V id a, at ra s vaso do es de al gum primeira serpente da f oto gato da raf fia s de dec dc cena, e en prime ria, em a g ron o mia q ue d es vela ram al gum as p ass es dec c irc do culo do ru ze espanhol quadrado da ue al em me da forma feitas

Essa montagem minimalista, a preto e branco, onde só o anel que separado em dois semi circulo se junta, mais como uma imagem simbólica de fecho, ou de um anel de oiro que são dois semi circulos que se fecham, sobre um casal, um africano grande e careca e uma rapariga branca com um bebe, branco, que dançam em sombras chinesas, e uma narrativa paralela, de um homem que dorme na rua com um lâmpada que em movimento ora o oculta e desvela, filmado na prisão de monsanto

Ess a m on tage em mini mali sta, a pr e to e br qa n co, onda s ó o ane l q ue se para do em do si s emi circulo se j un t a, mais com o uma mai mage m s im b o li cade fecho, o u de um ane l de o iro q ue são do is s emi circulos q ue se f e c ham, s ob re um casal, um a fr i cano g rande e car eca e uma ra pa tiga br anca com do primeiro bebe, branco, q ue dan ç am em s om br as chinesas, e uma na r rat iva para lela, de um homem q ue d ur mena rua com um lam pada q ue em m ov em en to o ra o o cu l t a e d es vela, fil mad on primeira da ap do pr is do circulo da ad e de monsanto

O texto, é uma das cartas de despedida , de amor que botto, escreveu

O te x to, é uma das ca rta s d e d es ped dida id da primeira , de amo mor q ue b otto, es c rato da eve europeu

Ou seja em resenha, temos alguém de um hotel do cairo, em madrid, uma busca de uma mulher, que não se sabe se, se busca por amor ou como acto de investigação criminal, ligada ao tarot, ou a artes equivalentes, depois, Madredeus, agronomia, planta , sementes, dois semi circulos que se fecham sobre um casal com um bebe, e um homem que vive na rua , que esteve preso

O vaso do use seja em rese re en homem da primeira, t emo s al gume de um h ot al do ca ior, em mad rid, uma b s u aca de uma mul her, q ue n cão se s abe s es e b us capo por do rato, ps, amo ro u com do circulo do acto de investigação cir mina al, li gada ao tarot, o ua arte es e qui uva lentes, d ep o is, m ad red e us, g aro no mia, p l anta das sementes, do is s emi s circulos q ue se f e c ham s ob re um ca sal com do primeiro bebe, e um h oe maior do q ue vaso iv en primeira do rua , quadrado da ue do espanhol da tve preso

E depois temos este sincronismo, ou aparente sincronismo, em parte com este episódio do fringe, digo sincronismo, pelo facto da imagem do quadro, a ter publicada antes de o ver, e corresponder de certa forma, a ideia da abertura dos portais, e em parte, talvez não visto os espiões terem acesso a todos os meus arquivos e passos, e nesse sentido, como aqui anteriormente já o deduzi, muitas tem sido as equivalência com os guiões dessa serie

E d ep o is t emo serpente do este sin c ron oni ms o, o u ap par da rente da en te do sincronismo, em p arte com este e pi s o di o do fr in ge, di g o sin c ron is mo, p elo f ac to da i mage made ria do qua d ro, primeira da teresa pub lic ad a ant es de ove rec o rr es pond e rato de ce rta forma, a id e ia da ab e r tura dos porta ise em p arte, t alvez n cão vi s to os es pi o es te rem ac ess o a todos os me us ar q u iv os e p ass os, e en ness e s en tifo, com o a qui ante rio rato que mente j á o ded u z i, mui t as te m s id o ás e qui iva len cia s c om os gui o es de s as ase da seda rie, a rapariga dc as das casas das evasões, ou seja dos turismo dos amantes, e da puta

Mas uma linha se estabelece, com algum peso pela dedução lógica no que desta imagem é real sincronismo, e consequentemente significante, que estaremos provavelmente num dos braços que estiveram envolvidos tambem na queda das torres,

Mas uma da linha se e stab e le ce, com al gum dos pesos, pe la ded u sao da lógica no do ano q ue de sta i mage mé rea l sin c ron e ms oe co nse q u en te que mente sig gn ni fi can teresa, q ue est ar emo s pro da ova ave le lem n te nu primeiro dos br aços q ue est iv vera am ram en v o l v id os t am b em na queda, da s tor rato espanhol,

Pois, pois, estava eu a qui a pensar nas cruzes nas costas por causa da sutiãs, quando hoje de manha, ao abrir o yahoo, dou com um artigo sobre a relaçao entre os leites e a coluna e seus melhores processo de distribuição do peso em função de um melhor e masi correcto processo de sustentação

P o is, p o is, e stva eu a qui a pen sar nas c ru x e sn as das coast pr, campanhas do icep com rapazinhos f oto g raf o sin g l es pagos a preço de ouro, ca usa da s o u t ines, q un ad o h oje de manha, a o ab r iro y a h oo. Do u com um a rig o s ob rea primeira da relaçao, en t reo s leite sea da primeira coluna e se us mel hor es por rc ess o de di s t ib u o sao dao peso da regua em fun sao de um mel hor e ma si co rr e ct o pro roc ess o de s us t en taçao

Ah amada amadinha, então é assim, tu me beijas muito, eu te beijo muito, tudo vibra muito, as molequinhas ficam masi levezinhas com os beijinhos e começam a subir tipo anti gravidade, depois tu me fazes muitas festas, eu te faço, muitas, uma parte de mim, tipo assim um plasma salta de mim, depois, alapo-me em tuas costas, no intervalo dos beijos quando vestes a camisa, eu ali vou levezinho como uma brisa segura , e seguro teus seios, com minhas maos em conchinhas do mar, e quando tiveres por exemplo que falar e pôr bandidos diversos na ordem, eu com as minhas maos muito festejo os seios, para que o teu leite saia assim muito , muito forte, em teu espirito

Primeira do home do ham ad da aa mad dinha, en acto, en tao é as si made ria tome bei j as mui to, eu te bei jo mui to, tudo vi bra mui to, as mole quin h as f icam ma si l eve z in h as com os bei jin h o da sec om me ç am as ub o rt up oe ti gato rav id ad e, d ep o is tome f az es mui t as f es t as, eu te f aço, mui t as, uma p arte de mim, t ip o as si m um p l asma s al t ad emi, d ep o is, al ap o di traço da inglesa me em tua s costas, no o inter v alo dos bei j os qua anda v estes a ca misa, au al iv o eu do seguro, te serpente do se is o, com min h as mao em c on chi cn h as do mar, e qua anda t iv e r es por e x e mp lo q ue f al ar ep o r b andi do s di versos na ordem, eu com as minha s maos mui to f e ts e jo os seios, para q ue o te vaso leite s aia as si m mui to , mui to f orte em te eva vaso europeu do es pi rito

Por outro lado é uma evidencia científica, que se sempre muitos te beijar os biquinhos ficas sempre toda muito mais leve inteira, pois quando arrulhas, ficas sempre mais pomba

Por o u t rol ado é uma e vi den cia cie en tif fca, q ue s es e mp r e mui t os te bei j ar os bic u in h os fi cas se mp re toda mui t am maís l eve inte ira, p o is qua anda ar ru l h as, fi cas se mp r ema maís sis pomba

Depois o yahoo, dizia do ponto do inicio na noite anterior

The S t art ing Point: Dea t h in Pamplona an d o n a Mic h. T rai n t ra ck

http://news.yahoo.com/s/ynews/20090710/ts_ynews/ynews_ts438


na realidade, ouvira eu pelo espirito madrugada alta seria, que um se ia daqui embora em corpo, e hoje acordara assim mei na expectativa de tentar perceber quem seria, pois foi esta a noticia que me informou do primeiro morto, depois de falar de chegas de toiro, branqueamentos a pepinos constantes, ladroes de milhões a quem nada acontece, nesta injustiça crónica deste podre pais,

na re la id ad e, o u v ira eu p elo es pi rito madruga gada al t a see ria, q ue um se ia q da q eu i em bora em corp oe do h oje ac primeira corda ra as si m me ina e x pe c tati iva de t en t ra per rc cebe r q eu m se ria, p o is f oi es t a ano ti cia q ue me in f om o u do prime iro mor to, d ep o is de f al ar de che do gás de toi iro, br anque mane neto sa pepe ino s c on t a sn t es, la ad ro es de mil h o es a q eu mna do acontece, ness a in ju tiça c ron ica d este pod re do pais, tvi

pampelona ecoa, no nome do justino pampelona, e do perfeito como nos filmes, e nas imagens que aqui no Livro da Vida já entraram a este propósito, e de uma imagem, a ponte eifel no porto, sobre o douro, perfeito como nos filmes, pode tambem declinar
perfeito, cargo, do com do os dos filmes, ainda hoje aparecia o rapagão na capa dos bandidos do dn

p am mp elo na e coa, nono med o justino pampelona, e do per rf e it o com on os fi l messe en as i ma ge ns q ue aqui no L iv roda V id a j á en t rat am primeira de este pro p rosi to, e de uma mai mage ma ponte e i fel no do porto, s ob reo do cic culo do douro, perfeito com on os fi mes, pod e tam e b m dec l ina rat do perfeito do c argo, do com do os dos filmes, a inda home do oje ap ar e cia o ra pa g a on a capa dos bandidos do dn

The bull's horn hit Daniel Jimeno Romero, 27, in the neck then slipped into his aorta and lungs. Romero was the 15th person to die at the festival since 1911, and the first since 1995.

Cruz do homem do bull do onze da serpente dos cornos, o ultimo que aqui apareceu foi o pinho, energia do it do daniel, o da rtp, do jim en circulo de rome erro do segundo do seth, no home do pescoço, ne ck, cruz em homem ingles sl ip ped in to hi serpente da aorta do burrinha, primeira do circulo da rta, e primeiro un gato serpente, tome rome erro w as da cruz do homem ingles do quim ze , cruz home per son to di e f est iva primeiro sin ce primeiro nono do onze a primeiro fi rato st sem da ce em mil novecentos e noventa e cinco, primeiro nono de noventa e cinco

Circulo do ru zorro do homem do bull do onze da serpente dos cornos, o u l t imo q ue a qui ap ar e c eu f oi do circulo do pinho, ene r g ia do it do daniel, o da ar do tp, do jim en c irc uk ode de rome ero do segundo do seth, no home do p es coço, ne ck, c rue me maior do homem ingles sl ip ped in to hi serpente da aorta do b ur rinha, prime ira do c irc uk o da rata, e p rie miro un gato serpente, tome rome erro w as da cruz do homem ingles do quim ze , c g ru zorro do home per son to di e f est iva primeiro sin ce primeiro nono do onze a primeiro fi rato st sem da ce em mil novecentos e noventa e cinco, primeiro nono de noventa e cinco, do forte do aro de vigo da segunda de ester la

http://sports.yahoo.com/nba/blog/ball_dont_lie/post/Ron-Artest-remembers-Michael-Jackson?urn=nba,175530

can e kapa e rato serpente do canon, assim mostra o artest, que escolheu a camisa da ola trinta e ste, sete, ou por outras palavras, can, e lata coco co la, doca ano anon non, lap, l da ap c olo da lan do circulo da art de est ca misa são ola, onda do circulo de la
a va g lo ria de man d ar, da manada da ar, assembleia da republica, ass se em segunda da lei da primeira da rep ub da bica, vic bic sic circulo da eta

He wore 93 and 96 because he serpente bat-dung crazy, assim se le numa das linhas do artigo deste blog que trás aquele nome de que a bola nao mente, ou seja ou entra ou não, ou marca ou não , ponto, ou pontos.

He wore 93 and 96 bec au use he serpente sb ba t traço ingles td quadrado da un g c r az y, as si m se le nu ma d as das linhas do art ti g o d este b lo g q ue t ra s ac eu le no me d e q ue a b ola noa men te, o vaso use seja o u en t ra o un cão, ou ma rca o un cão , p on to, o up on t os.

Depois fiz uma sesta, quando sai pela tarde, na rua a caminha de campo de ourique, de nov vi uma senhora do corpo diplomático a sair do largo dos prédios novos que trazem uma reentrância, já não é a primeira vez que com esse carro com matricula do corpo diplomático me cruzo, pressuponho então que será uma das senhoras que ali nos prédios que traem a baliza de andebol em cima, irá fazer uma qualquer tipo de indução em espirito, de controlo rem, pois sempre me cruzo com ela depois de sonhos coloridos

D ep o is fi zorro uma s es t a, qua anda sa io p el a t arde, na rua a ca min home da primeira da ad de campo de ourique, de en ov vi uma s en hora do co rp do circulo diplomático, a serpente air do dol argo dos pr e di os de sn muitos ovos q ue t ra ze m uma rene t ra n cia, j á n cão é a prime ria ave zorro do que com ess e carro, quadrado, com mat ricula do cop o de ip l mat tico me c r uz o, pr es s up on h o en tao q ue se rá uma das s en hor as q ue ali nos pr e d is o q ue t ra ema bal iza de ande bo l em c ima, i rá f az e rum da primeira aqui da pata do primeiro do quadrado do eu rt, reel time ip do circulo da ode da indução, indu sao em espanhola da pie it circulo , ode dec on cruz rolo rem, p do circulo do is da se do mp re me c ru zorro do circulo do com dela, d ep do circulo do is de serpente em homem do os c irc do cabo do circulo do falo espetado no ar, olo, duplo circulo da ar rata da tata id os

Portanto pressuponho que seja a senhora puta, de quem eu hoje no final do sonho ouvi, dizer, com que então a mentir à mae, sua puta, que minha mae não é , e vá enganar criancinhas e de preferencia que morra de antes, para mais nenhuma enganar

Porta anta pr ess u p on h o q ue seja a s en hora puta, de que em eu homem do oje no fina al do s on ho o vaso do vi dizer, com q ue en tao a men t ira a Mae, s al do sul puta, q ue min homem da primeira mae n cão é , e vá en g ana r c rina cinhas e de pr e efe ren cia q ue mor ra de se guida, para maís n en h um a en gata da ana da ar

Só putas que se desvelam como de costume, morrei e que vossos filhos se os tiverem sequem de imediato

Serpente do acento no circulo ó, das putas q ue se d es vela al lam com o de cos t um me, mor rei e q ue vaso dos ossos dos filhos se os t iv e rem sec eu made ria do imediato

Ora por ali naquele largo, temos o tal david das analises piratas, e das manhas do esperma, e das picadas que me fizeram enquanto estava a dormir, a surprides, ou algo assim, uma casa de computadores, um dc cabeleireiro, um ginásio de fit de meninas, com professores particulares certamente de alongamentos diversos e uma casa de matemáticas diversas, para alem das habitações aparentemente particulares

O ra por al i na q eu el e l argo, t emo s do circulo da t al do david das anal ise s pi das ratas, e das manhas do es per ma, e das pica das q eu da me fi ze ram en qua anta da primeira es tva, a da dor mir, da dor russa, ou seja das mortes em beslan, serpente do ur rp rid espanhol, circulo do vaso da al goa ss em, uma da casa de com mp da puta ores, um dc cabeleireiro, uma gina do sio de fit de meninas, com pr inglesa cabala f esso rato es p art tic cu l ares ce rta tam am que mente de al lon gam en t os di versos e uma ca asa de mate ema tica s d iv da vera serpente puta maior , para al lem das h ab bit aç dos tacões sobre o circulo es, ap ar en te mn te p art ti cu do primeiro ares

Esta senhora puta, leva um segurança e tudo no seu carrinho prata com matricula, cd dez qualquer coisa

E sta serpente da inglesa hora, ap da p do ur da primeira, primeiro da eva de um da segur ança e tudo do no da se do europeu do circulo da ar do rinho da p rta com mat ru, circulo do clo do cd c em quadrado do vaso do quadrado da al, quadrado do eu do rc, co da isa

Depois do sonho, fiz a seguinte leitura, sobre a vareta que fez a marca agora na china, ou seja, sobre quem foi responsável desta vez pelo tremor

D ep o is do s on h o, f iza se gui inte lei tura, s ob rea primeira da vareta q ue de fez da primeira marca, do agora na china, o vaso do seja, s ob rec eu m f oi r es ponsa ave do primeiro, de sta ave zorro rp p elo t remo mor de este tremor

Sobre o signo de hipnose, serpente da ingles serpente espanhola, cujas cores rosa suaves nem de preposito eram mostradas nos cobertores das gentes que dormiram ao relento na china

S ob reo sig gn do circulo da hipnose, ser pente da ingles que é serpente es pan do home da ola, cu j as cor es rosa s u ave es ne made ria de pr e posi to e ram mos t ra ada s n nós c ob ero rato espanhol da s gentes q ue dor mir am ao r e len ton primeira do ac do homem do ina

Serpente do circulo da cruz inglesa, p all do ma ll das allumettes, all um met te espanhola, da cruz do pauzinho chines da onda das cinzas, que remetem para vulcão, sendo o ultimo aqui referenciado, o que se deu na russia, e que me desvelam o seguinte

Ser pen, cante inglesa da teresa, do c irc do culo da cruz inglesa, p all do ma ll das all um e tt es, all um met te espanhola, da c ru zorro do p au z in ho chines da onda das c in z as, q ue reme teresa maior do para do volcano, v u prime rio do cao, s en do o u l t imo a qui refer en cia ad o, o q ue sed eu na russia, e q ue me d es vela lam am do circulo do amo do circulo se gui inte, italia

Dez sis teresa moon, a sis da irma da teresa lua, ou a lua da teresa em dezembro, ou seja , relacionado com o roubo de meu filho, e o gang do terrorista que fez o tsunami no sudoeste asiático, o asis tico, dos caralhos bandidos e fora da lei do ps, que nem de preposito mostravam o soacrates hoje numa salinha tipo cinema com cadeiras vermelhas como aquelas que eu descrevera recentemente de um anuncio, e a puta do bandido ex ministro da educação, com um ar de espanto perante as bestialidade que certamente o outro proferia, que não transmitiram

Dez sis teresa moon, a sis da irma da teresa lua, ou a lua da teresa em dez em br o, o u seja , re la cio n ado com do circulo do roubo de meu filho, e ingles da cabala do circulo do gang do terrorista, q ue de fez do circulo do tsunami no sudoeste asiático, o asis tico, dos cara alhos ban dido se for ad da prime ria da lei do ps, q ue ne made ria de pr e posi to mos t ra vaso vam da am do circulo do socrates sio soc do raté espanhol, do bum para ser claro como a mais clara agua, home do oje nu ma s al da linha t ip o cine ema com dc ad e iras vermelhas com o a q eu l as q ue eu d es ce vaso do rato e ra rec en te mn te de um ano da un cio, e primeira puta do bandido, e x do ministro da edu caçao, com uma rata de es pan to p e ra ante às das best ia al id ad es q ue ce rta em n teo de um outro pro rofe ria, q ue n cão cruz ra sm it iram

Quero a cabeça destas filhos da puta num bandeja !!!

Q eu erro da primeira do cab da eça, taxi, g rup o do porto do bessa, de sta serpente dos filhos da puta, no p rim do rio do ban de j primeira

Angulo do delta da inglesa primeira ano do not da cruz her ap ps soto oto , primeiro do circulo do clo serpente, ar maria sobral

Angulo esse que a luz do final da tarde reproduzia, na asa da direita do meu sofá maior italiano, mostrando dois pelos, um que fizera a ligação da asa à perna em s emi arco preta, can tora das artes espanholas, e um outro ao lado do zipper que por assim dizer coze a asa na sua curvatura côncava, a p do elo na asa vermelha do cao das meias, das soc, imagem do hiponose, ou seja o cao do elefante com tromba, envolvido na queda das torres, imagens da zoom, já aqui detalhadas, do nariz do hipo , nose das negras

Ang u lo ess e q ue al uz do fina al da t arde r ep pro d uz do ia, na asa da direita do me vaso do eu do s do fá maior u t al ian o, ms ot ra ando do is p elos, um q ue fi ze ra da primeira, prima liga sao da aza à pe rn a em s emi arco pr eta, can tora das artes es pan hola se de um outro aol ado do z ip pp per q ue por as si maior da di ze rato do c oz e a primeira asa na serpente da ua c ur vaso da primeira da tura c on c ava, a p do elo na asa vermelha do cao das me ia s, d as soc, soci mage maior do hipo nose, o vaso sd use seja do circulo do onze do cao do elefante com da tromba, en v o l v id dona das quedas das torres, e ima mage ns da zoo maior, j á a qui d eta alha ada sd o n ar i zorro do hipo , no da seda das serpentes negras


O no do quadrado segundo do vinte, dot rato ipe, maçónico, o vinte do natal de dois mil e cinco, o vinte, duzentos e um, maçónico circulo do quadrado do bar do ra de setenta e quatro ponto elevado do esperma das coordenadas

O no do quadrado segundo do vinte, dot rato ipe, maçónico, o vinte do natal de dois mil e cinco, o vinte, duzentos e um, maçónico circulo do quadrado do bar do ra de setenta e quatri ip italiana da p on to el eva ad, circulo do esperma da s co rato da dena ad dd primeira serpente

Coordenadas que se referem ao triângulo das aguas das tres sementes de jason, e de medeia, e cuja linha do meio apontou os seguintes elementos,

Co r dena ada s q ue se refe rem ao t rina da gula das aguas das tres sementes de jason, e de medeia, e cu j da primeira da linha do me io ap on to do vaso do os se gui int es el em en cruz os,

Ph da cp do homem oto primeiro de setenta e nove, toto, i will be ove rato delta do circulo do vaso, reel time teresa color, fc do traço ingles do acide dez, do angulo da esquerda baixa, do fi do hi fi, das altas frequências, new dimension of sound, sp e cia al ne do duplo vaso f oto gato dc do oceano, viole st r ip do primeiro anzol, da bal leia, ma mo da bambi, serpente st paf, ni au p do ff, quadrados azuis sobre azul, que se reflectiam, no telejornal, na exacta dimensao daqueles que o papa mostrara ao receber obama no Vaticano, só que em preto e branco, da en foca, da europa, lars von trier, primeiro da ars , ss, do von cruz rie do rato

Ph da cp do homem oto primeiro de setenta e nove, toto, i will be ove rato delta do circulo do vaso, reel time t r es primeira rac do ac do color, fc do traço ingles do acide dez, do angulo da esquerda baixa, do fi do hi fi, das altas fr e q u en cia sn e w dim en sis on o f s o un d, sp e cia al ne do duplo vaso f oto gato dc do ocean, viole st r ip do primeiro anzol, da bal leia, ma mo da ban bi, ser pen teresa do st paf, ni au p do ff, quadrados az u is s ob re az ul, q ue se refe l ct iam, no tele e do jornal, na e x ac t a primeira da dimensao, casa de decoração e moveis, da q u el es q ue do circulo do pap a m os t r ar a ao rec e be r ob ama no vari c ana, sos do x q ue em pr e to e branco, da en foca, da europa, lars von t rie r, p rime iro da ars , ss, do von cruz rie do rato

O angulo da seta da tag heure, da tomada do candeeiro italiano, vodafone agipa ombro do homem de hat aro do delta do circulo do vaso made o ff foice, vinte dois hor as do bar do circulo do ang vaso deo primeiro do circulo de dezembro, dos clay s, dos az u le j os, az no aikon, moc do circulo do g 3 , new yorque, me ad iva , viva, estrela do gancho da forca da gal p, pp, fita vermelha e amarela e azul, pb, no pescoço da menina loira, a agua negra que verte da p ano , primeira do antonio, alho, e liga a cadeira com assento da cobra negra, que se reflectia na foto da visão do michael jackson, e o circulo do candeeiro da kundali tripla, o cordão, em roma

O ang u lo da s eta da tag he ur e, da tom ad a do can di e iro italiano, v o da f one a g ip a om br do hat ar o do delta do circulo do vaso made o ff foice, vinte dois hor as do bar do circulo do ang vaso deo primeiro do circulo de dezembro, dos c l y as, dos az u le j os, az no a e kapa on, moc g 3 me ad iva , viva, estrela do gancho da forca da gal p, pp, fita vermelha e mar el a e az u l, pb, no p es coco cortez da menina loira, a g a ua negra q ue verte da p ano , primeira do antonio, alho, e liga a cadeira com assento da cobra negra, que se refe l ct ia na f oto da vi sao do michael j ac kapa do s one do circulo do can di e iro da kapa da un dali ot cruz rato do ip de la, do circulo do co do rato do dao, em roma

Vodafone é o do circulo da chuko, ou seja circulo do home do vaso uk circulo, chu uk ki, c h uk, tom ad primeira rac da fi do cha, china, chevrolet e pica vc di do via je em c lasse executiva

Sis teresa às das ondas, das cinzas das clo u ds, rato da ep da rise, es sur pr rato,

No da flo da for mula do one, we rao on t ab al cruz, no do w h it te, un y o ur ham am , no ma id e cruz rat es cruz do anzol, do alter do chao, do alentejo, no bi ble data to sw e ar , o duplo da secreta do quadrado da manha, do trompete records dot cruz rom mp pete rec circulo rato ds, circulo do pelo da gema, circulo da p do el leo , do pelo sobre o quadrado da gema, gema atkison, do j oni do mit, ino do gancho da direita alta, segundo de noventa e quatro, da c apit pita da ak da cultura, q au dr ad o do sete, segundo do grupo de sessenta e seis, da forca da galp, da energia invertida, do angulo do ste, o do sete, o invertido, st ing pa ll ma ll das all um mt es de setenta e c on co de noventa e nove, vinte e sete, duplo qi ua dr ad o, sex to do traço ingles segundo, rep da rise isa

Em frente a loja chinesa, ao fim da tarde, um cartão, dizia, nadir, sexto da crus sessenta e oito, do circulo do leo do brasil, como sempre, assim dizia, set da puta da art do ts

Em fr en te a l i j a c h ine z a, ao fi mn da at r de, um car tao, c art ax o, di z ia, nadir, sex to do circulo da armadilha , da russe, s es s en t a e o it o, do circulo do leo do br as i l, com o se mp re, a ss im di z ia, set da puta da art do ts