sábado, julho 18, 2009

Es circulo do lobo serpenet ak da ira

Ela o lobo, assim ao abrir o yahoo, li , numa notícia que dava conta do novo tema de Sakira, que bela estava a falar toda radiante como uma gata feliz ao sol,

El circulo do lobo do ovo de uma gt, g rande do turismo, do ur do turismo

El a o l ob o, as sima o ab r iro y a h oo, li , numa not tica q ue da aca conta do don do ovo t ema de sa kapa ur a, q ue be la e stav a a for mula one da ar todo ra di ant e com o uma gt a forte e liz primera do circulo do sol,

Dc lobo g en til

Depois vi, um pedaço de seus clip, ali estava ela dentro de uma jaula, com um mailot de carne, fazendo talvez de lobo, mas como um comentário na pagina dizia, parecia ser um lobo gentil, pois sua postura e tom do canto, assim dava

Quadrado da ep do maio, lot, di zorro do ia made ria da ava

D ep o is vi, um ped aço de se us c l ip, al i es tva el ad en t rode uma j au la, com um maio lot de ca rene do fazendo t alvez de lobo, mas c omo um com en tá rio na pa g ima di z ia, par e ceia ser primeiro lobo g en til, p o iss ua p os tura e tom do can to, as si made ria do quadrado da ava

Ah sakira, que bela estavas conversando, irradiando luminosidade, da imagem do vídeo e da canção em si mesma, já nem tanto assim achei no pouco que vi, pois para ser lobo, é preciso um pouco mais de autenticidade, se quiser eu explico-lhe ao pertinho

Primeira do homem serpente da ak ira mage made ria circulo do vaso do coq do quadrado europeu do vi, sec quadrado vaso ise, é x do traço ingles primeiro home da primeira do circulo do per do tinho

A h s ak ira, q ue b el a est ava s c on ver sand o, irra di ando lu mino sida dade, da i mage made ria do v í de oe da can são em si me sm a, j á ne m t anto as si m ac he ino p o u coc q ue vi, p o is para ser l ob o, é pr e c is o um p o u co ma s id e au t en ti cidade, se q u ise r e ue x p lico do traço ingles l he a o per tinho

Sabe, bela menina de meu coraçao, lembrou-me isto tambem por outra linha do sincronismo, do lux, e antes fragil no bairro alto de um pequeno poema que uma noite lá escrevi e que assim reza,

S abe, be la menina de me u cora sao, l em br o u do ponto dame is to ta tam am tambem por outra da linha do sin c ro ni sm o, do lux, e ant es fr a gil no bairro alto de um pe q e un o poe ema q ue uma ni te la acento es c r e vi e q ue as si mr e zorro da primeira,

Ela, o lobo, quem , a imagem da folhinha de papel aqui transcrita em dia recente, que aparecera por debaixo da chaise longue, onde falo da companhia dos lobos, os lobos do filme das sete noivas para sete irmãos, ou ainda a rapariga que agora descobrira ao procurar os lounge, o bar onde tentaram a minha morte no tempo da expo

El da primeira em dia rec da companhia dos lobos o por rc do ur do aro da serpente do lounge, no da teresa

El a, o l ob o, q u ema mai mage made ria da f o l h in h ad e pap el a qui t ra sn c rita em dia rec en teque ap ar e cera por de ba ix o da cha ise do longue, onde do falo da companhia dos lobos, os lobos do fil me d as do sete, no do iva serpente da spa do para sete iram ira am ramos os, o ua inda da prime ria da rapariga q ue agora d es co br ira a o por rc ur do aro da serpente do os do lounge, o bar onde t en t aram a min h a m orte no da teresa, mp do circulo da expo

Ela, então, a loba, dos lobos, da alcateia dos lobos, dos lobos que se reuniram nessa noite para tentarem a minha morte, assim acrescentava a linha pelo espirito

El a, en tao, al ob a, dos lobos, da al cat da teia dos lobos, dos lobos q ue se rato, ser eu un ni iram ness primeiro do ano dessa noite, para t en t ar rem ema min home da primeira morte, as si m ac r es c en t ava da primeira da linha, p elo es spi do pi do rito

Ouvira pelo espirito antes, uma outra linha foi em meus braços que morreste, e uma memória aflorava em mim relativa a esse sitio onde só tie duas vezes, a primeira nessa noite no tempo da expo, e um outra uns anos mais tarde, uma memória emerge, uma rapariga estampada em fotos imensas no corredor, em poses deitadas eróticas de enorme carga, olho a sakira, e nela vejo uma semelhança, vejo a bela taylor swift e tambem nela vejo de alguma forma o mesmo arquétipo, mas não consigo recordar a face dessa que estava estampada em fotos gigantes, tambem de uma beleza extrema, ne sei precisar em qual das duas vezes aí a vira, teria sido usada no ritual, onde tentaram a minha morte, se fosse nesse tempo que a vi,

Cir c uk , primeiro do circulo do aço da onda, o da expo, est am pada, rata me da carga, vejo gum face x cruz rato ema quadrado do ano do ritual, eu p rim rato oo do vi

O ultra do viol da eta, da ira p elo es pi rito ant es, uma outra da linha f oi em me us br aço s q ue mor r este, e uma me mor ia a flor one, ava em mim re la t iva a ess e si t io onda s ó da tie do às v e ze es, a primeira ness da primeira desse ano, da noite, no te mp o da expo, e um o u t ra un s ano s maís t arde, uma me mor ia e mer ge, uma ra pa riga est am pada em f oto s im en s as no co r red dor, em p os es de it ada s ero tica s d e eno r me carga, o l h o a s ak ira, e en el primeira da ave do vejo, br, uma se ml h ança do vejo da primeira ab e la t a y lo r se i ft e ta am b em ne la primeira ave do vejo de al gum primeira forma o me sm o arque t ip o, mas n cão c on sig o rec o r d ar primeira da face de ss a que e stav a es t am pada em f oto s giga gan t es, t am tambem de uma beleza e x t r ema, ne se ip rec isa rem q u la da sd ua s v e z es aí a v ira, te ria s id o usa quadrado do ano do ritual, onda e t en t aram a minha morte, se fosse ness e te mp o q ue primeira do vi,

O do bar do lounge, é do escritório dos suíços do bairro alto, assim se desvelava a relaçao com a anja,

O do bar do lo un ge, é do es c rito rio dos s u iss os do bairro alto, as si m se d es vela ava primeira da relaçao com da primeira anja,

Antes, ainda um outro intrigante escutado, pelo espirito, uma voz que afirmava com orgulho , fomos nos que escolhemos a lua, e se dizia ser americana, como se a lua escolhida num ritual, fosse tambem americana, me pergunto quem e qual ritual, pois remete isto de novo para casamentos feito por rituais através do espirito, aqueles que alguns diziam ser sagrados, e alguns certamente serão, ou não,

Ant es uma do vaso do oz do emo da sa da lua fosse to gun

Ant es, a inda um de outro int rig gan te dante, es cu t ad circulo da dop p elo es pi rito, uma vaso oz, q ue a fi r m ava com o r g u l h o , f omo serpenet dos nós q ue es col he emo sa lua, e se di z ia ser am erica ana, com o se a l ua es co l hi da nu primeiro rit ua l, fosse t am b em am mer rc ian a, me per gun to que me q ual rit ual, p o is reme teresa is to de n ovo para ca sam en t os feito por rit ua is at rav es do es pi rito, a q eu l es q ue al gun s di z am ser sagrados, e al gun ce rta em n te se ra o, circulo da un do cão,

Outra ainda , dizia, agradece a agulha doirada, a menina ou senhora da agulha doirada, se presume, sem masi dizer, recordei-me de operações feitas na distancia, se for por bem, certamente , mesmo sem rosto e endereço próprio, terá sempre meu agradecimento e meu agradecer

Oura primeira inda do irada deo opera oe en der ra dec ser

Oura a inda , di z ia g ar dec e a agulha do irada, a m eni nina o u s en hora da agulha do irada, se pr ess um me, se mai iro ma si di ze rato, rec o r de i do traço da ingles me de o pera ç o es feitas na di s tan cia, se for por be m, ce rta em n te , me sm o se m ro ts o e en der e ç o pro p rio, te ra se mp rem eu a g ra dec cimento em eu primeira gata do ra dec ser, hum, hum,

Agulhas doiradas, trago eu aqui um pequeno estojo de hotel que um dia alguém deixou na rua, do penta hotels, munchen penta hotel, vide referência no Livro da Vida e uma outra branca e negra com o capitel em desenho e forma as colunas do congresso, do lp da lousanne palace e spa

Agulhas do iradas, t rago eu a qui um pe q eu no es t ojo de hotel q ue um dia al g eu m de ix o un a rua, do penta hi te l s, mun ch en penta h o te kapa do primeiro, vide ref fr en cia no L iv roda david v id a e uma outra ba rn ca e en g ra c om o c apite tel em d es en h oe forma as co l un as do c on grés s o , do lp da lou usa anne do palace e da spa

Desde trasantontem, pelo virar da noite sem sue primo, o vento em rajadas chegou, ontem li no espirito que vinha de dc, quem diria, a única razão que poderia justificar este escutado, era uma outra, falta-mos o falo, presumo eu que percebera então a imagem das torres, mas que lhes faltara ainda a id do falo

Quadrado espanhol do ov do en to , a única , t r al o m a d e ria das torres

D es sd e t ra s ano do non, da teresa rea mp elo vaso ira rato da noite se m s ue pr imo, o v en to em raja da sc he g o um on te m li no es pi rito q ue vinha de dc, q u em di ria, a única ra za o q ue pode ria j us tif fi car este es cu t ad o, e ra uma outra, f al t a do traço ingles moso do circulo do falo, pr es eu mo eu q ue pe rc e cebe ra en tao a i mage made ria das torres, masque l he es do fala t ra a inda a id do f al circulo

Ainda com as declinações recentes dos avc , no pensamento, hoje pela trade, assim no espirito do lugar ao caminhar, assim li

A inda com às das dec l ina ç o es rec en t es dos av c , no pen sam en t, h oje p el a t rade, as si m no es pei rito do l u g ar ao ca min home da ar, as si mai iro li

O avc é o do circulo da ava do vaso do psd, o maior de noventa e um e noventa e dois, do quadrado do dia maior, o jj, o duplo principe, o da pedra lançada sobre a tampa do aqueduto das aguas livres, ou da pedra na mae de agua, me recordei ao instante, das ultimas visões ali, da mont blanc e outras que aqui estão no Livro da Vida, que é o primeiro do circulo do sessenta e seis da cristina coutinho, o nono do circulo do noventa e tres, é o responsável pelo fá maior do circulo do primeiro em noventa e dois noventa e tres, do leao de prata templário, o big, é da rodoviária do da capital da culatra de noventa e quatro,

O avc é o do c irc u lo da ava do vaso do psd, o maior de no ove en te e um e noventa e do is, do quadrado do dia maior, o jj, o d up lop rin c ipe, o da pedra lançada s ob rea tam pad o aqueduto das aguas livres, o u da pedra na mae de agua, me recorde ia o is t ant a e, da sul t ima serpente das visões ali, da mont blanc eo u t rta s q ue a qui es to a no L iv roda da vida, q ue é o prim rio do circulo do se da senta e se is da cristina coutinho, o nono do circulo do noventa e tres, é o r es ponsa ave l p elo fá maior do circulo do primeiro em noventa e dois noventa e tres, do leao de p rta te mp la rio, o big, é da ro d via rai do da capital da cu l t ra de no ove d anta e qua t ro,

Falta o falo, assim escutei, certamente que faltarão alguns falos de algumas desgraças, ou talvez não, pois em sonho o oráculo me confirmou o que já sabia ter, um full house, fiz uma panorâmica completa , trezentos e sessenta graus, que declinou de imediato em bes, na campanha dos trezentos e setenta graus, e depois tornei a fazer outra para verificar, e reparei ainda que dois ou tres pontos não se encontram totalmente esclarecidos, eram nos antípodas, ou assim me pareceu, e o sendo seria então relativo a portugal e a austrália

F al tao do circulo do f alo, as si mec u te e, ce rta em n te q ue f al t arao al gun s f alo s de al gum as d es g r aça s, o u t alvez n cão, p o is em s on h circulo do , oo ra culo me c on fi r mo u o q ue j á s ab ia t r e, um f u ll da house, fi zorro uma p ano ra mica co m p l eta , t r e zen to ze se s senta g ra us, q ue dec l ino u de imediato em bes, na ca mp anha dos trezentos, br grecia, e st en t a g ra use d ep o is torn ie a f az r o u t ra para v e rif fi car, e r ep ar rei a inda q ue do is o u t r es pontos n cão se en c on t ram tota al mente sc la rec id os, e ram noa ant ip pod as, o u as si m me par e c eu, e o s en do se ria en tao r la t ivo a por ti gal e a au s t ra lia

Falta o falo, tambem se podia aplicar a queda do tupolev, andava eu pensando da urgência de a todos falar de uma das múltiplas bombas relógios, e creio que o farei em vídeo, se bem que não me apeteça faze-lo, pois a injustiça continua nesta terra relativa a minha pessoa, e se bem que o mundo seja grande e os amantes viverem em todo o lado, cada vez mais me questiono, se valera a pena ajudar o que for,

F al t a o f alo, t am tambem se pod ia ap li cara primeira da queda do tupolev, anda ava eu pen sand o da ur e gn cia de a to ds f al ar de uma das mul t ip la s b om bas r elo gi os, e c re io q ue o f ar rei em v id é o, se b em q ue n cão me a pete teca f az e do traço ong l es lo, p o isa primeira da injustiça, conti nua nest a terra re la t iva a min home da primeira da pessoa, e se b em q ue circulo do mundo seja g r ande e os am ant es v iv ver rem em todo o l ad o, c ad a ve z maís me q u es ti on o, se vale ra a p en a a ju ad aro q ue da for,

Sintetizando este pensamento que andava me atravessando, antes da queda, pois de novo o vira convocado por um documentário da tv, onde de novo um linha fizera eco, numa outra múltipla que vinha de trás, a da sobrancelha, desta vez, era o perigo de queimar as sobrancelhas, ao fazer o experimento na tumbra, na Sibéria

Sin tete z indo este p es na am en to que anda ava me at r v es sand o, ant es da eu da, p o is de n ovo o v ira c on vaso do o cado por um doc um en t ar io da tv, onda de n ovo um da linha, fi ze ra e co, numa outra mul t ip la q ue da vinha de t ra sa sada ad primeira sobrancelha, de sta ave ze ra o pe rig ode q ue ima mar ás s ob r anc el h as, a o f az ero e x pei rn to na t um br ana s i b e ria

Pois se a solução é simples se bem que complexa, o problema desta bomba relógio e de muitas outras que temos armadas pela frente é aquele de que já falei em ultimo vídeo, da incapacidade provada das estruturas de governo darem respostas adequadas, e portanto para que insistir no molhado, sendo que como todos já saberão, o pior dos cenários, é aquele que teremos pela frente, pois um largo conjunto de indícios assim o tem confirmado

P o is sea primeira sol u sao é simples, se b em q ue co mp l e x a, o pro ob l ema det ts serpenet b om ba r elo gi oe de mui t as outras, q ue t emo s ar mad as p el a fr en te é a q eu le de q ue j á f al lei em u t l imo v id e o, da inca capa da pa da ac da cidade, pro ova ad a das es t ru turas de g ove e rn o d ar rem r es postas ad q eu ad as, e porta anto para q ue in sis tir no mol h ad o, s en do que com o todos já s abe ra o, o pior dos c en ar io s, é aquele q ue teresa remos p el a fr en te, p o is um l argo c on u jn t ode in di cio s as si mo te maior c on fi r mad circulo

Andava eu pensado no que a todos dizer sobre est assunto que meu coraçao diz ser capital de encarar rapidamente, antes da queda do tupolev, e uma das linhas que aflorara, que será abordado, caso fale em Palavra e imagem, de um historia de um filme russo que na tumbra se passa, a história de um caçador que vai ficando cego com o passar dos anos, e penso que aqui haverá certamente uma correspondência, que poderá se tambem chave desta queda, esta e a outra, metano

Anda ava eu p es sn ad o noc eu a todos di ze r s ob re est as sun to que me u cora sao di zorro ser ca apit pita da al, de enca r ar ra pida dam am que mente, antes da queda do tupolev, e uma das linhas q ue a flor ar a, q ue se rá ab o r dade, caso f al le em Pala vaso do ra e i mage made ria, de primeiro da historia de um fil me russo q ue na t um br primeira ase p ass a, a hi s toi da ira de um c aç cado dor q ue eva i fi can ando dc doc ego com o p ass ar dos ano se p en soc q ue a qui h ave vera rá ce rta tam am que mente, uma co rr es ponde dec dc cia, quadra da ue do pode do ra set do tam da am e tambem em circulo do homem ave de sta queda, e sta e a outra, met a n o

Ou seja quadrado do ur zorro do vaso oz za al la ala, espanhola, e metano, met ana, me t ana, met telo, tel circulo, ou filmes circulo, por associação caçador com outro filme, the hunter, cruz he home un teresa sas

O vaso do use seja quadrado au do rato da ad, o do ur zorro do ova serpente oz za al la ala, espanhola pan hola, e metano, met ana, me t ana, met telo, tel circulo, o vaso da fil mes sir do circulo do irc do vaso dop primeiro do circulo dez , por as soci aç sao c ac cortez ad dor com de outro filme, t he home da un terresa, rc circulo do ru zorro, he home un teresa sas

Metano, gás, remete tambem para um episódio recente aqui contado da instalação do gás chamado de natural, aqui no prédio, do cotovelo e da purga que deixaram a fazer mesmo ao lado da porta com as instalações eléctricas das campainhas, trincos e mesmo da porta que é de metal, e de um aparente policia de transito do goe, do grupo das operações especiais

Met ano, gás, reme teresa tambem do para do primeiro e p i so d io rec en te a qui conta ad o da is n taçao do gás c ham ad o de nat ural, a qui no pr e di o, do coto velo e da p ur g a q ue de ix aram a f az e r me sm o aol ado da por ac om ás das in s t al a sç o es el e ct ric as das campainhas, trincos e mesmo do porta, q ue é de met al, e de um ap par rec cn te pi lica de t ra n s it o do goe, do g rup o das o per ç a o es e s p e cia is

Falos, é sempre e tambem , que ninguém o esqueça, imagem simbólica pois muito é falo sem na realidade restrita o ser, falo, é o que penetra, e é tambem a forma e o modo de o fazer, assim sempre se deve entender esta palavra no contexto das desgraças, não aplicado restritamente ao sentido do amor quando passa pelo corpo, ou corpos

F al os, é se mp re e tam da am tambem , quadrado da ue nin gato vaso do emo espanhol do quadrad da ue circulo de cortez primeira , mage ms si maior do segrundo do li da cap do circulo do is mui to, é f al do circulo da se da mna rea li dade rato espanhola cruz ric tao ser, f do alo, é o quadrado da ue p ene t ra, e é cruz am e segunda ema da p da rie emi ira da forma eo mod ode do circulo do deo do f az e rat, as si maior da se mp re sed eve en cruz en der e sta pala vaso do ra no contexto das do quadrado das es sg ra aças, do muito cão da ap li cado rat espanhol da cruz ric tam am que mente a os en cruz. id d c circulo do amo rat da qua anda da passa p elo cor rp circulo , ova do vaso do cop os

Hoje, sabado de nov em meus passos o espirito continua a insistir que foi um passe, um xo, um beijo invertido que um qualquer maçónico me deu em oitenta e cinco, provavelmente espanhol, de dois maxi bus

H oje, sabado de n ov em me us p ass os o es pi rito conti nu a a in sis tor q ue f oi um p ass e, um xo, um bei jo in vertido q ue um q u q al q eu r m ac oni co me d eu em oitenta e c inc o, pro ova ave le lem que mente espanhol, de do si m ax i bus

Ontem ao arrumar cassetes de vídeo, dei com uma gravação ainda inédita em termos públicos, gravada provavelmente cerca de um ano depois do tsunami do sudoeste asiático, embora o espelho que ali está, creio que o parti quando parti a casa toda ao descobrir o dínamo que aqui tinham instalado, e salvo erro isso foi antes do primeiro anos, após o roubo de meu filho

On te mao ar rum mna ar da c as sete s de v id é o, de i com uma g rava ac coa cortez, a inda ine dita em te rm os pi u b l ics, g rav ad a por v ave le m n te c e rca de um ano d ep o is do t us sn am id o sudoeste asiático, em bora o es pe l h o q ue al i e stá, c rei o q ue o p art ti qua anda p art i a c asa toda ao d es co br iro do dínamo, din di ina amo, q ue a qui tinha do ham da manha i ns t al ad o, e s alvo e r ro iss o f oi ant es do prime iro ano sa posa do cir do cabo do roubo de meu filho

Ontem o transcrevi e aqui o deixo em parte, até mais ou menos o ponto onde craschou na própria transcrição, codificação, aparecendo a seguinte mensagem explicativa

On te emo mo t ra ns ser vi e a qui o de ix o em p arte, a té maís o um en os do circulo do ponto onda c ra sc h o un a pro p ria t ra ns c ric sao, di co f o fi di caçao, ap ar e c en do a se gui inte mesa ge m e x p li cat tica

Event type bex, p1 da w t sn trinta e dois exe, ps , p2 cinquenta e um , estrela primeira de dois mil e seiscentos, que declina em sp player sony, p3, do terceiro do db, ou seja do g ritos, do quadrado de oitenta e quatro da a2, ou seja au di, p4, g rito homem eu da up, el eva são, do grupo onze, ps pc 5 45, estrela do primeiro do dois mil e seiscentos, p l ayer s on ny, dupla estrela do ze, p6, quarenta e oito, circulo do terceiro de oitenta e um, doc, p7, duplo circulo do ze em noventa e cinco, quadrado da vela latina, p8, circulos quatro, quadrado do circulo do nono, e p9, maior sete circulo,

E c en t t y pe br x, p1 da w t sn trinta e dois exe, ps , p2 cin eu t na e um , e ts re la primeira de dois mil e se i c en to s, q ue dec l ina em sp p l ayer s o ny, p3, do t rec i r do db, o vaso do use seja do g ritos, do qua dr ad de o it en a te quatro da a2, o vaso si seja au di, p4, g rito homem eu da up, el eva são, do g rupo onze, ps pc 5 45, ester la do primeiro do dois mil e se i c en to s, p l ayer s on ny, dupla e ts ra l do ze, p6, qua r en te e oito, circulo do terceiro de oitenta e um, doc, p7, cup lo c ur u lo do cao, do ze em noventa e cinco, quadrado da vela latina, p8, circulos quatro, quadrado do circulo do nono, e p9, maior sete circulo,

E ainda se desvelou nesta operação masi duas linhas relativas a outros assuntos, a primeira disse l all do kruger, lápis lazuli, a serpente bailarina

E a inda se d es v elo u nest a opera rac sao ma s i d ua s linhas re la t iva sa de outros as sun to sa primeira di ss e l a ll do k tug e r, l ap is la az zuli, a serpente bailarina

E a p au use do onze, o master templário, o antonio ap, p au use do onze, duplo circulo de cinquenta e sete, estrela do grupo do sete, duplo circulo de oitenta e oito, que remete tambem para duas referencias, a garagem ao pe da av mistral, onde comprei outrora o mercedes duzentos e oitenta e tambem para uma das fotos em londres,

E a p au use do onze, o mas teresa te m p la rio, o antonio ap, p au use do onze, c ur rp lo circulo de cin q e un t a e sete, est real do g rupo do sete, d up lo circulo de oitenta e oito, q ue reme teresa tambem, para du as das refer en cia sa gara ge mao pe da av mi st ra l, onda co mp rei o u t ro ra o mer ced es du zen to ze oitenta e ta m b em para uma das f oto s em londres,

O controlo rem sobre a terra br, na queda do tupolev, assim tambem pelo espirito ouvi, que a terra do br, a ultima que vira nesse ponto, fora o site da gisele, onde lera as engraçadas respostas a um comprido inquérito, e me disse o oráculo do espirito, que tambem tinham entrado nos sonhos da terra br, se for ela, neste caso, ou de uma outra terra, ou seja mais um confirmação, em mil, do método de indução rem, como forma de operar através de terceiros, as desgraças, muito útil, para esconder, os próprios autores,

O c on t olo rem s ob rea primeira da terra br, na queda do t up ole le c, as si m t am b em ep lo es pi rito o vaso do vi, q ue da primeira da terra do br, a u l cruz ima quadrado da ue vaso da ira ness e ponto, for primeiro di circulo do site da g ise sele, onda ler a as en gato da ra circulo cortez ad as rato das espanholas postas a um, co mp rid do circulo da inc do eu do rito, e me di ss eo orca vaso do lo do espanhol do pi rito, quadrado do vaso da eta tam am tambem tinha do ham da manha, en cruz rat ado nos son home os da terra br, se for el a, nest e do caso, ou de uma outra terra, o vaso do seja maís primeiro do circulo on fi maçao, em mi primerio , do método, actor stud io, brand o, de indu sao rem, como forma de opera rat rav es pan hola s de terceiros, as do quadrado da es sg ratas aça serpentes, mui to vaso do it do til, para espanhol do conde do ero ro os da por rp rio serpente dos autores,

Sobre este vídeo , e simplificando como sempre é a beleza das coisas simples e belas e luminosas, e porque a paciência sem ser para beijos reais em minha amada, que teima em se manter ao longe, está curta, e começo verdadeiramente a pensar se não será melhor começar a levar estas bestas todas uma por uma para o inferno no mais profundo e sepulcral silencio

Serpente do ob re este vaso id é circulo , e si mp li fi can do como se mp re é primeira da beleza das co isa serpente do simples e be la se lu mino as, e por quadrado da ue ap da primeira pa do ac cie en cia se maior ser, para bei p rin c ipe os da rea is em min home do ham da am da ad aqui e teresa ima em se mantera do circulo do longe, e stá da curta, e com e cortez circulo do ove verde dad e ira ram am que mente a pen s ar se en cão se rá mel hor com el ar a l eva serpente do r est, ás best as todas uma por uma para o inferno no mai sp pro f un do e s ep u l carl do silencio


Quando o copo está muito cheio, qualquer gota o entorna,

O bisel do espelho, é imagem da faca, do seio da direita, pois levo eu a mao a ele uma só vez, o mesmo seio onde em dia recente ali ao pe do rato , na sol ao rato, ou rato aos sol, como aqui dei conta , um bico de uma as alema, de um bmw vermelho me bateu, com um homem que era um operacional de qualquer grupo de bandidos e que me dizia ao passar , qualquer coisa, mas não sabes onde está o olho, na altura em que obama de certa forma o mostrara na visita ao cairo, na verdade , se foi entretanto aiwass, um egiptólogo, um senhor muito sábio

O b ise sel do espelho, é i ma mage made ria da faca, do se io da direita, p o is l evo eu a mao a el e uma s ó ove z, o me sm o se io da onda em dia recente ali ao pe do rato , na sol ao rta o, o u rato a os sol, com o a qui de i conta , um bico de uma as al ema, de um b m w verme l h om me bat eu, com do primeiro homem q ue e ra um opera cio n al de q ual q eu r g rupo de bandidos e q ue me di z ia ao p ass ar , q ual q eu r co isa, ma s n cão s ab es onda e stá o olho, na al tura em que ob mad e ce rta forma o mos t r ar ana vi isi t a ao cairo, na vera ad e , se f oi em n te rta ant o aiwass, um e g ip pt to do olo do logo, um serpente da en hor mui to serpente do os do ab do io

Mas se isto são fragmentos de linhas de verdade de uma mesma verdade, que pela tarde acabara de se reflectir tambem no guião do episódio da matrix que hoje deu, na linha do profeta escolhido que vai como cego, mas não deixa por isso de ver, o fundamental que ali se desvela é,

Masse is to são fr a gm en to s d e linhas de eve vera ad e de uma me sm primeira ave ver dade, q ue pe la t arde aca bar a d e se ref for mul one e c tir tambem no gui a o do e pi s o d io da mat r ix q ue h oje de un da primeira linha do por rf eta es co l hi id do q ue eva e com o c ego, ma s n cão de ix a por iss ode eve ero da fun dam en t al q ue al ise d espanhola vela é

A chave é o cao, o cao que me tinha , e que se chamava antonio, que ontem, ao isto ver, foi muito estranho, escutara de novo suas patinhas a andar pela casa, e que a determinado momento do vídeo, se inquieta, e começa a andar e eu lhe digo, o que se passa antonio, e acrescento qualquer coisa no genero, que assim não me consigo concentrar, e lhe digo para se sentar

Prime vaso da ria do ac home ave mao da anda do rp com ela co isa da en tar

primeira do ac home da ave é circulo do cao, o cao do quadrado da ue me da tinha , e quadrado da ue se c primeria da hm ava do antonio, quadrado da ue em te mao is top pp ove rato, f do oi da mu it do circulo de est ra anho, espanhol cu at ra de en ovo serpnet vaso do às das pat tinhas, primeira anda rp el ac asa, e quadrado da ue ad da det re emi minado mo men to do v id e o, se inc vaso do ie da eta, e com eça a ana do quadrado do ra e eu primerio he di gato do circulo, o do quadrado ue que se p ass a anton vaso do oe do ac da rec en to c ual, do quadrado da eu rat rc do co isa no ge enro, roque do quadrada da ue as si mn cão me c on sig o circulo em circulo da en cruz rato da ar, el he di gato do circulo do para se serpenet da en tar

O cao antonio, é um cao de agua cruzado com coc espanhol, ou seja o cac espanhol , cao das aguas, ou seja do tsunami, e trás cores brancas e preta , com um mancha negra circular no lombo, e portanto, este deverá ser com forte grau de probabilidade a faca do tsunami de dois mil e cinco e consequentemente a faca que foi apontada a minha família quando a tinha e tambem por consequência o que me trás roubado o filho

O cao antonio, é primeiro cao de agua c ru z ad o com coc es pan hol, o vaso do use seja o c ac es pan hol , cao da as aguas, o vaso do seja do tsunami, e t ra serpente da cor espanhola do bar da rn ca se pr eta , com do primeiro mancha negra da circular, no da dol om bo, e porta anto, este quadrado da eve rá ser com f orte gato da ra vaso do pro ob ab bil id ad e primeira faca dot us na maior mi id, e do is mi el da ile c inc oe co nse q un nete, mai iro net primeira faca q ue f oi ap da ponta ada a min home da primeira do f da ami lia qua anda da primeira tinha e t a do tam da am tambem, por co nse quadrado do eu un cia do circulo do quadrado da ue met ra serpente do roubo, ro ub ad duplo circulo da fil, homem do circulo

O processo operativo, como é contado pela imagem em palavra foi o do medo e do susto, do grande susto que faz tremer o próprio coraçao

Circulo do por re do esso do io do ero pro da p do rio, cara sao

O por rc esso opera t ivo, com o é conta ad o pe la i mage made ria em pala vaso do ra f oi do circulo do medo e do s us to, dog rande do susto quadrado da ue f az cruz rato do reme em mer ero pro p rio cora são

Sincronisticamente a isto, continua a arrumar os livros e dei com um catalogo da fic, uma feira da industria da cultura que se organizou em e da qual eu fui uma espécie de comissário para o vídeo, o home que ali esta figurado em foto, com um ar de quem sabe bem o que fez ou o que se passou, é o rocha de matos, e curiosamente, o meu texto tem uma gralha , o que é estranho, pois geralmente um catalogo é revisado, ou seja , parece indicar que uma marosca ali foi feita,

Sin c ron is tica cam am que mente , primeira do is to, c on tin ua a r rumar os dos livros e de e com um cat al logo da fic, uma fe ira da indu s t ria da cu l t u t ac q ue se o r g ani zo ue meda, q u q l eu f vaso do oi uma es pe cie de co miss a rio para o v id é o, o home q ue al i e sta figu ra ad em f oto, com um ar de q eu em sabe bem o que fez, o u o quadrado da ue se p ass o u, o que se passou, é o roc homem da ad e da ema do matos, e circulo do ur do rio da sam am que mente, o maio rato do eu do texto da te maior uma gara la homem , o quadrado da ue é est ra anho, p do circulo do is ger la lam am en bte um cat al logo é r e visa sado, o vaso do seja , pa rece indica car quadrado da ue uma do mar aro da rosca al e f oi feita,

Ao ler este texto, uma forte identidade e a garantia do futuro, que começa com uma citação do joao dos santos, que explana o conceito que as gravuras eram uma fora de registo audível, concluindo que ler é ouvir com os olhos, ou seja uma imagem de operação sinestetica, dos sentidos como sempre eles operam, que me remete de memória para um poema de kahil gibram, ou seja , falamos aqui tambem do Líbano, para alem de fez, mar roco serpente

A o ler este texto, uma f orte id en tid ad e e a gara n tia do pav do futuro, q ue com eça com uma sita sao do j a o dos santos, q ue e x plano circulo do c on ce it q ue às das gravuras, e ram uma for ad e regi s to au di v el, co n c k lui indo q ue ler é o circulo da ova do vaso do vi rc om do irc os dos olhos, o vaso use seja uma mai mage made ria de opera sao sin este tica, dos s en t id os com o se mp r e el es opera ram am, q ue me rene nete teresa ds a de me mor i c a para um poe ema de k a hi l g ib br ram, o vaso do seja , f al amo saqui tambem do l ib ban do ano, para al lem de fez, mar roco serpente

Al ler este texto, em forma distinta, mas que me é comum, se desvela , audiovisual com das operações ba sica se stá ca en to, com se ob se rca em men sas hor do às di s tintos planos rato al pre ten de al he io à no s sa da vontade, will, circulo audi vi s ual nós, me io s p ó ps posi t os au di io vi s ual am aa al que mente, circulo q eu men os dos pães, abundância, ab b un da danza, dao f e rta por ova ave l que mente, cio f un do primeira da função, fun são, serpente do acento no circulo do áudio, au quadrado do io, primeira abundância, mula ante q eu em me s o t iva ge ns de eve vaso en quadra da primeira do c irc o do foret do acento ac si primeiro, com o s u je it to circulo cruz ria do mundial, serpente espanhola, q eu dos nós portugueses, doc omo le lem emo s, cia al g os t os são de outros , São os do vaso oto s q eu de ix on nest da primeira da edi di sao da f ll c

Al ler este texto, em forma di s tinta, masque me é com um, se d es vela , au di o v is ual com das opera rec ç o es ba sica se stá ca en to, com se ob se rca em men sas hor do às di s tintos p lan os rato al pre ten de al he io à no s sa da vontade, wi ll, circulo audi vi s ual nós, me io s p ó ps posi t os au di io vi s ual am aa al que mente, circulo q eu men os do se pr en te da spa do paes, ab un danza, ab b un da danza, dao f e rta por ova ave l que mente, cio f un do primeira da função, fun são, ser pente do acento no circulo do au di o, au q au dr ado do io, primeira ab un dan cia, mula ante q eu em me s o t iva ge ns de eve vaso en q au dr a o da primeira do c irc o do foret do acento ac si primeiro, com o s u je it to circulo cruz ria do mundial, serpente es p ana hola, q eu dos nós portugueses, doc omo le lem emo serpente , da cia al g os t os são de outros , São os do vaso oto s q eu de ix on nest da primeira da edi di sao da f ll c

E isto é só uma pequena parte desta missa, e is to é serpente do cento no circulo da manu da elle, uma pequena da p arte de sta miss primeira

Ao que se deve juntar as visões aqui descritas ali à volta da fil e da residência, e tambem do hospital da cuf e da companhia de dança e do hotel da opera descritas no livro da vida

Ao c ue se d eve j un t ra as vi oe saqui d es c rita s al i à v o l t ad a fil e da r es id en cia, e ta tam am tambem do h o pita l da cu f e da co mp anhi ad e dança e do h o tel da opera d es c rita sn o l iv roda da vida

Sobre o quadrado do vortex, aqui recentemente entrado, abri o cd e nele mais explicito não poderia estar, pois assim reza, bio , big, cds vinte um, ou seja o big do cds das laranjinhas, dos olivais, nassarana coissoro, aparecia ontem mesmo na tv, num program de humor que via pela primeira vez, all rig homem ts re ser vaso e quadrado spa c elo olisipo, ou seja cml, museu câmara, pantalha, bonifácio e paulo, os rapazes franceses da dlp, dos retroporjectores que me quiseram comer, ou quase, quando na expo decidi não ir pela proposta deles, en teresa rata par en te sis, puta, da cruz , circulo de en teresa rata par ren te sis, de mil novecentos e noventa e seis, s y m b 1 os da se, ou seja, serpente delta maior do segundo do primeiro do os da sé

S ob reo do circulo do quadrado do vortex, p rie me ira do ki aqui rec en te m net en t r ado, ab rio cd e n el e maís e x p li cito n cão pode ria es star, p o is as si m r ex z a, b io , big, cds vinte um, o vaso do use seja do circulo do big do cds das laranjinhas, dos olivais, na s sar ana co iss o ro, ap ar e cia on te maior me sm o na tv, num pro g ram de h umo r q ue via p el a pr im e ira ave z, all rig h om me ts re ser vaso e q au dr a ad o spa c elo o li s ip o, o vaso do seja c m l, mu use se vaso do ca mara, pan t alha, b oni f ca io, os ra ap z es fr anc es es da dl p ,dos ret rop por ject tores, tor es, q ue me q u ise ram co mer, o u q ua ase, qua anda donna e x p o de c id di n cão i rp el a pro p ros t a del es, en teresa rata par en te sis, puta, da cruz , circulo de en teresa rata par ren te sis, de mil no v en centos, italia, e no v en t a e se is, s y m b 1 os da se, o vaso do use seja, ser pente delta maio rato do segundo do prim rio do os da sé

dizia o rapaz que o dito narana coissoro, já nao andaria a chatear o paulo portas porque tivera o cds bons resultados eleitorais, eu para mim à luz disto, me parece que o paulo é outro, e sendo o quadrado do furacoes, talvez qaundo a seta aqui o atingiu tenham eles perdido toda e qualquer capacidade de os fazer, perguntando e dizendo, nada melhor que fazer uns , para me levar, pelo que sou e pelo que defendo a produzir soluçoes que melhor poderam aproveitar, um mecanismo bastante plausivel, nao vos parece , a todos, visto todos os quadrantes politicos sistematicamnete assim me fazem, mantendo este ignomioso silencio de afronta à minha pessoa, e ao rapto de meu filho

di zorro do ia do circulo do rapaz q eu do circulo do dito, maso, na ar da ana de rana co iss sor circulo, princiep acento da primeira n cao da ana anca cad da ria, ac he primeira do tear da teresa , da ar, circulo do paulo portas, q ue por q ue ti iv vera c irc lu o do cds, da puta saudade e silva, b on ns serpente rato es sul t ad os el lei tora is eu para mim primeira do caento da luz, primrio uz, di s to,me , pa rece el es per dido toda e q ual q ue rato capa da radio da cidade, de os f az ze rato, per gun t ad dn do oe di ze dn circulo, na ad dam am dam mel hor que f az e rta run serpnte, par mel eva rato rp da p do elo da dop, q ue s circulo da ue e p da p do elo q ue d efe en da primeira pro d uz e rato sol lu çortez circulo oe es , q ue mel hor, pode ram ap por v e ut tar da ar , do primrio meca ni s mo ob bas t ante p l au si iv do el, n cao vaso os pa rece primeira de todos os td os circulo os quadra ra ant es politocs, sis t ema mat tic cam nete ass se me f aze ze, man t en di do dó de este e gn no om mi osso do silencio, fr, dea fr on cruz primeira à min home da primeira da pessa, e primeiro do circulo do rapto de meu filho

Pela tarde, no do oráculo do sesta, via um papel com o nome de vortex como se estivesse num contrato, que era durante o sonho por alguém rasgado, ou melhor alguém que não se via, o rasgava, e ouvi, que era então a rapariga lobo, a que estaria a frente da alcateia, e que andara a contar historias sobre falta de pagamentos de direitos de autor, mas não sei de quem, puta que vos pariu a todos!!!!


Pela tarde, no da orca, o rac culo do se sta, via um pap el com o no me de v o re t x com o se est iv esse num c on t rato, q ue e ra do duran , te o sonho por al g eu m ra sg gado, ou mel hor al gum e q ue n cão se via, o ra s h g ava, e o u vic ue e ra en tao a ra pa riga lobo, a q ue est r aia a fr en te da al cat da teia, e q ue anda ra a c on tar hi s tori as s ob re f al t ad e pa gam en t os de direitos de au ot rato, mas n cão se id e quadrado do eu maio rato da art do circulo da rp da puta q ue vaso do os pari, aposta, ap da posta, ua todos!!!!

mais uma vez pelo espirito, hoje ouvi, tinha razao, sempre tiveste a razao do teu lado, é bom de assim ouvir, mesmo tendo tantos , tanto duvidado,

maís uma ave zorro p elo es pi rito home do circulo do je do circulo do vaso sd, do vi da tinha ra az za circilo, se mp re cruz iv vaso este , primeira ar ra az circulo da sas dot europeu lado, é segundo om de ass se em circulo do vaso vi rato, me sm circulo ten dot ant os , t ant circulo do vi dado circulo

Ah menina eu tambem vos vi, que bela é, seu humor em seu ser, de novo parece ir fazer uma nova serie de médicos, espero que desta vez tenha mais sorte com o amor aos médicos seus colegas, que bela estáveis assim de vestidinho azul, às paginas tantas mostrava a sua orelhinha e eu aqui até tive vontade de lhe dar beijinhos cornucópias, na realidade tinha acabado de neles falar, e ali estava a menina mostrar a sua orelhinha, quase até fico assim como que doente, de amor, não quer cá vir me salvar, he he he, eu tambem a salvo, sempre com muitos beijinhos

primeira da hm en ina eu t am segundo tambem, em vaso do os vi, c ue be la é, serpente do eu homem umo rem serpente da eu ser, de en ovo pa rece e rf az e rum ano ova se rie de médicos, es p ero q ue de sta ave z da cruz en home do ham maís serpente orte com do circulo do amo mor a os médicos se us circulo do ole gás, quadrado da ue bela est ave is sas si made ria de eve serpente da ti din homem do circulo do az vaso primeiro, às pa gina s cruz antas mos cruz rav ava da primeira as ua do circulo do re linha e eu primeira aqui do ki, a té t iv e von cruz ad el he da ar bei jin homem do os cor nu cop ia s, na re la id ad e tinha ac ab ad o de nel es f al ar, e ali e stva a me nina mos t r ar as ua o re linha, q ua ase a té fic o as si m c omo q ue d o en te, de amo rn cão q ue rca acento do vi rato da me es ss se pr en te da alva rato, h e h e h e, eu t am b em a s alvo, se mp rec do circulo do om mu it os bei em hi em homem do os dos médicos