quinta-feira, agosto 13, 2009

Sabes amada, está por aqui um calor imenso, nesta cidade que só se pode mesmo andar na rua ao amanhecer ou ao anoitecer, são menos de seis da tarde, saí agora ate ao jardim comprar cigarretes e ver mais um belo barquinho dos pequeninos que no entretanto chegou e que trás tambem um x branco na chaminé preto e branco, curioso, parece que trazem todos assim x , agora, e cuja bandeira da ré, ou seja de onde está registada é um cruz templaria, creta a ressoar na imagem de que te falara no trinta e um da armada

S ab es am ad a, es t á p o rac do qui, aqui, um c al o rim en s o nest a da cidade, q ue s ó se do pode da ode me sm o anda rna rua ao am ane cher o ua o ano it tec e r, são m en os de se is da t arde, sa i agora para rai air a te a o jr dim c om mp para cigar r e t es e ver mai um b elo bar quin h o dos pe q eu nino s q ue no en t rta anto che g o ue q ue t ra s t am b em um x br anco na c ham ine, c ur is o, par ce q ue t ra ze m todos as si m x , agora, e cu j a ban de ira da ré, o use vaso seja de onda e stá regis t ad a é um c ru zorro te mp l aria, c r eta pro ova ave l mente a r esso ara na i mage made ria de q ue te f al ar ano t rin t a do ano da trinta e um da armada , e um da ramada , ram da am da rama da ad da primeira

E quando antes lá estive, começou de repente a nevar, até se espantaram meus olhos, mas na realidade, eram pequeninas bolinhas de esferovite que saiam da casa ao lado que se está fazendo, coisa estranha, o contraste, que até me lembrei de um dia em anos não muitos idos em que aqui em lisboa nevou e tudo, coisa muita rara de aqui acontecer,

E qua ando ant es l á est ive, com e ç o u de rep en te a ne eva ar, a té se es p ana tara am me us olhos, mas na rea li dade, e ram pe q eu ninas b o linhas de es f ero v it e q ue sa iam da c asa aol ado q ue se e stá f az e dn o, co isa est ra anha, do circulo do contraste, revista, cayatte, q ue a té me lem br rei ei de um dia em nao sn cão mui t os id os em q ue a qui em lis boa n evo ue tudo, co isa mui t a r ar a de a qui do acontecer

Até brincamos, eu a a senhora que tambem reparou no estranho fenómeno feito por passe, de navegação, e que deveria ser ali do mne

A té bric amo s, eu a as en hor a q ue eta tam am tambem, re par aro vaso no est ra anho f en om no feito por passe, de navega sao e q ue d eve ria ser al id do circulo do mne

De facto quando ia a sair entrou um daqueles rapazinhos alto e forte de fatinho com uma energia muito estranha, quase que aposto que seria ele, e se calhar era mesmo o que vira uma tarde a sair de lá e tambem nos cruzaremos em forma estranha

De f ac to qua anda do ia a serpente air en t ro u um daqueles ra p az in h os al t oe f orte de fat tinho com uma da energia mui t o est ra anha, q ua ase q ue ap post o q ue se ria el e, e se c alha ar e ra me sm oo q ue vaso da ira uma t arde a s air del á e eta tam am tambem nos circulo da ru zara ramos em forma est ra anha

Agora no jardim, ao olhar o barquinho olhei para o banco que atras de mim estava, e nele estava escrito, farusco, a palavra que atinha acabado de te falar sobre o tal cao que coçava a pulga nas vieirinhas e uma clara frase ao lado, quando nos juntamos muitos, somos maus

Agora no do jardim, a o ol h ar o bar quin h o ol hi ie para do circulo do banco, de dinheiro, da rua de baixo, q ue a t ra s de mim es tva, e ne el e est ava es c rito, f a ru us co, a pala vaso do ra q ue a tinha aca b ad o de te f al ar s ob reo t al cao q ue coc cortez ava p rie mr ia pulga nas vieirinhas e uma cal ra fr ase aol ado, qua anda nós j un t amos mui t os, s omo s ma us

A imagem de twaian, é de uma clareza impressionante, a ser verdadeira, isto actual e com correspondência aos eventos de agora, pois a bola imensa que rolava na torrente da lama e dos pedaços de madeira e paus em que o leito se tinha transformado, era exacta imagem em sua cor da tal bala da imagem da balança, relativa aos acontecimentos de santa maria

A ima mage made ria de t w aia ian, é de uma clare za i mp r es sio na te, a ser verde ad e ira, is to ac tua l e com co rr es pon dec cia ia primeira os ave en t os de agora, p o isa b ola i men sa q ue rolo ova na torre en te za do quadrado da al ama e dos ped dc cortez os de madeira e p au use em q ue ole it o se da set da tinha t ra n for mad o, e ra e x ac t a i mage madeira em s ua cor da t al b ala da i mage made ria da bala lam da ança, da joana re la t iva aos ac on tec cie m t n o ds de s anta mar ari

É uma prova clara, das vesicas magnéticas dos comboios elevados, da mesma forma que a maquina a vapor que vira em manha recente na noesis, remete tambem para a leitura de uma outra verdadeira que ali puseram um dia frente a gare marítima de alcantara, e cuja leitura remetia tambem para o tua, e acontecera à volta de mais um acidente que ali se dera, aqui constante no Livro da Vida, os pormenores desse cio

É uma prova da por da ova da clara, das v e sic as mag gn assento do etic às dos comboios el eva do sd a me sm a forma q ue p rie mk ria , primeira am ma quina ava ap por q ue vaso da ira em manha rec en te na noe sis, ren te e eta tam am tambem, para a lei tura de uma o u t ra ave rda de iraque al i p use ram um dia fr en te a gare mar it ima de al can tara, e cu j a lei tura reme t ia t am tambem para do circulo do tua, e ac on tec e ra à v o l t ad e maís um acide dente q ue al ise de ra, primeira do ki aqui co ns t am n te no L iv roda V id a do david, os por men o r es de ss e cio do circulo do io

taiwan, trás tambem o Livro da Vida um conjunto de referencias, e mais uma vez se prova que esta gentalha nao tras peias em matar e trazem suas maos cheias de sangue neste pais onde a autoriedade os cobre e a eles se verga

cruz primeire, revista cine ema, duplo vaso e cruz rato, ps, primeira cruz da primeira serpente do tam am tambem, doc circulo do ab bg da gula do nono roda da ava vaso si da sida id da primeira de david, prim rio circulo em principe , p rin c ipe, un cruz do circulo do onze das refer ren cia se ema maís, vaso da am primeira ave zorro se da pro da ova quadrada da ue e sta gato da en alha muito cao da cruz ra serpente pe ia da serpente em mat ar e cruz az se em serpente da ua das serpentes das maos das cheias, de s an gato da ue nest país, tvi, onda da primeira au circulo rie dade os cobre, pt tori das comunicaçoes, e primeira de eles, el es se da da seda da eve da ave da verga

Mais uma vez se via a mesma realidade, a ausência de meios de apoios internacionais e as gentes sozinhas tentando remediar aquela situação sozinhos, quando dispomos todos de tantos meios para em ajuda nos ajudar-mos uns aos outros quando necessário

Maís uma ave zorro da se via primeira da mesma rea li dade, a ua s en cia de me io s de ap oio sin int rena cio na ise sea ceia às g ene net s s oz in h as t en t ando reme dia rato a q u el a s it tua ac são s oz in h os, qua ando di sp omo s todos de t ant os me is o para em ajuda nós ps a ju d ar do traço do ingles mos un sao serpente de outros qua ando ne c ess sário da sá do rio
Ontem na imagens da alemanha, vi ao lado da senhora merkel, uma outra senhora num cartaz gigante, que me impressionou pelo seu olhar cheio de força e luz e amor , que não consegui saber o nome, sei que é candidata, e é uma avó muito bela, depois vi ainda a imagem da deusa com a coroa de louros em seu altar, lá muito ao alto, que bela tambem é em seu símbolo, ressoava isto tudo na imagem das asas do desejo, belíssimo filme, e ainda num outro anjo que está assim naquela foto de nova Iorque onde se vêm ainda as torres, que estanha fio este em seu sentir

On te mna i mage ns da al ema anha, vi aol ado da serpente en homem ro a mer k el, uma outra serpente en hor a nu primeiro car cruz az giga gan te, quadrado ue me i mp rato ess sio no vaso p elo serpente eu ol homem ar che io de f o rça e primeiro uz e amo rato , quadrado ue n cão co nse gui serpente ab ero no me, se e quadrado ue é can di data, e é uma av ó mui to be la, quadrado ep o is vi a inda a i mage made ria da de usa com a cora de lo ur os em serpente eu al tar, primeiro á mui to ao al to, quadrado ue be la cruz am tambem, é em serpente eu serpente im b olo,, rato esso ava is to tudo na i mage made ria das asas dode e jo, be lis simo fil me, e a inda nu primeiro outro anjo quadrado ue e stá as si mna quadrado eu la f oto de nova y o rato quadrado ue onde se eve me a inda as torres, quadrado ue est anha fi o este em serpente eu serpente e n i tir

Ah que amor na sua face senti, e a senhora merkel, um pouco triste, espero que nada de mal tenha a outra senhora acontecido, depois aparecia aquele senhor de cabelos brancos que já não via à muito tempo

A homem quadrado ue amo rna serpente ua face serpente en ti, e a serpente en hor a mer k el, um p o vaso co cruz rato iste, espanhol pero ero quadrado ue n ad a quadrado ema primeiro ten homem a a outra serpente en hor a conte c id o, quadrado ep o is ap ar e cia a quadrado vaso el e sn e hor de cab elo serpente br anco serpente quadrado ue j á n cão via à m vaso it o te mp o

Me lembrei da imagem que em dia recente a todos mostrei, de Berlin destruída e me recordei do que sempre soube, que as gentes da Alemanha tambem foram desnecessariamente castigadas com bombardeamentos que já nao tinham de ser, assim é quando a fúria se torna vingança, e dá seu fruto estúpido

Me primeiro em br ei da i mage made ria quadrado ue em dia rec en te a todos mos cruz rei, de berlin quadrado espanhol cruz rui id a e me record ei do quadrado ue se mp rato espanhol o ub e, quadrado ue as gato ene net ts da Al em n homem a cruz am tambem foram, pt, quadrado espanhol ne c ess ar rim n te cas ti gás com b om bar dea am neto serpente quadrado ue j á noa tinha ham am de ser, as si mé qua ando a f ur ia se tor na vi n gato aça, e quadrado á serpente eu fr vaso to est vaso do pido

E ainda uma outra linha que de alguma se ligava em sequência, com as imagens de hillary, em angola de um outro candidato angolano e alemão que ao que parece foi ameaçado pelos nacionalistas

E a inda uma outra da linha quadrado ue de al gum primeira da ase da se da liga ava em sec vaso en cia, com a si mage ns de hi ll ar y, em angola de um outro can quadrado id dt o angolano e al ema mao quadrado ue ao quadrado ue par ee f oi am e a ç ad o p elo serpente na cio na primeiro ista serpentes

Ontem de manha no supermercado do pingo doce, apanhei tres tomates da prateleira que estavam entre si ligados, e quando os levava na mao, um deles rolou pelo chao e se meteu debaixo da prateleira do esquilo, assim me pareceu, o que remete para editora , mas quando vi ao perto e o apanhei, o que lá li foi frutos secos , quatro quarenta e nove que masi parece dizer, quadrado de noventa e nove, assentei esta nota com outra, que antes li ao passar na tentadora, onze li zap, gap, o buraco do zap, que é um titulo que eu criei para os tempos de antena do zenha, e que depois o herman usou em seus programas, sem nunca nada me te dito sobre o assunto, estão estas notas ao lado de kellogg apóstolo serpente, edi cion acento li mit ad da primeira special, K c lassi sic, serpente do desequilibro do circulo direito da cruz invertida, do capitão solo, serpente olo, de grase serpente acento no O segundo do percentil, das gorduras, terceiro sete da estrela , o logo é muito semelhante ao do tal bar ao pe do rio, das arvores dentro das janelas, onde tive em tempos diversas visões o tomate que me rolou, me remeteu para a recente imagem dos testículos, assim aparecera num dos últimos textos,


On te m de manha no super mer cado do p ing o do ce, ap anhe ei t r es tom at es da p rta el e ira q ue es tva vam am en t re si liga dos gados, e qua q n do os l eva ava na mao, um del es r olo u p elo cha oe se met eu de ba ix o da pr a tele ira do esquilo, as si m me par e c eu, o que reme te para edi tora , mas q u q n do via o per t oe o a p an he io q ue l á li f oi fr u t os sec os , qua t ro q au ren ta e n ove q ue ma si pa rece di ze r, q ua dr ad o de noventa e nove, as s en te i e sta nota com da outra, q ue ant es li ao p ass ar na t en t ad aro, on ze li z ap, g ap, o b ur aco do z ap, q ue é um titu lo q ue eu c rei para os te mp os de ant en a do z en h a, e q ue d ep o is o her man us o ue em se us por g rama s, se m n unc ana dame t re dito s ob reo as sun to, es tao e sta s not as aol ado de k e ll o gg a ps t olo ser pn te, edi cion acento li mit ad da primeira special, K c lassi sic, ser pente do de sic u i libri do c irc u lo direito da c r u zorro invertida, do ca pita o solo, ser pen te olo, de g r ase ser pente ac en ton o O se gun do do per c en til, das g o r dura s, ter ce iro sete da ester la , o l g o é mui to semem l h ante ao do t al b ar ao pedo do rio, das ar v o r es d en t roda s j ane l as, onda t iv e em t ep os di versas v is o es, o to m at e q ue me rolo u, me reme te u para a rec en te i mage made ria dos t es tic u l os, as si m ap ar e cera num do sul t imo s textos, de uma ca rta rec ce bid a com pon tua ac são cortez, onda es c r e vi,

mas os testículos, vao bem e se recomendam, comprarei rum esta noite, se o beber comigo para fazer uma abordagem aos meus dentes

masos t espanhol tic u lo serpente, vao b em , co mp ar rei rum e sta no it e, se o bebe rato c o mig o para f az e rato um a ab o rato dag em a os me us d ingles t espanhol

e ter mina, mao rato, filhos da puta do cos t um me da gula do vi do ovo do ps

a factura dos tomates assim reza, tomates com rama dos trezentos, x, do circulo da di da visao de noventa e nove
primeira f ac tura dos tom at es as si em reza,tom at es com da rama da ama dos trezentos, filme, refe, do x doc irc culo da di da vao vaso isa do circulo de no ove da inglesa venta de n ove
Te falo em texto de ontem da chama do prego, a propósito do que as pombas me desvelara, na vista do jardim do mna descendo para o rio

Te falo em texto de pn te made ria da c ham am do prego, ap por rp posi to do q ue ás pombas me d es vela lara, ama rana vaso ista do man, no h ard dim do mana d es c en do para do circulo do rio

Ontem, de manha cedo quando descia, reparei que na casa da rua do costa, que está disposta em reentrância, lado esquerdo quem desce e que trás uma janela em vesica, as janelas estavam abertas e uma ventoinha branca estava ali colocada na janela a funcionar, ouvira antes eu pelo espirito algumas linhas do cio, que diziam, aqui está fresquinho, uso dois conjuntos de toalhas, que tambem vira numa outra janela bem como no veleiro alemão, e de repente um pouco mais abaixo, uma rapariga assim de ar estrangeiro com bone, e umas belas pernas, vinha subindo a rua com vieirinhas, deveria ser então quem por ali estava

On te made ria da manha ce do qua ando de es sc ia, r ep ar ei q ue na casa da rua doc o st a, q ue est á d ip ps ota em ren t ran cia, lado esquerdo q eu made ria de sc e e q ue t ra serpente uma jane la em ce isca, às das janelas es tv am ab e rta se uma v en toi in h a br am ca es tva al i c olo c ada dana jane la a fun cio na ar, do circulo da uva vc Vietname, do correio da manha, ira ant es eu p elo es pei it o al gum as das linhas do cio, q ue di z iam, a qui es t á fr es q ue in h o, usa sao do is c on un t os de t o alha s, q ue eta tam am tambem vaso da ira numa outra jane la b em com on circulo do ove do veleiro al ema mao, e de re pen te um po oi co maís ab aixo, uma ra p riga as si made ria de ar est range iro com b one, e umas b el as pe rna s, da vinha s ub indo ar ua com das vieirinhas, d eve ria ser en tao q eu mp por al i est ava

Essa casa é a casa onde um dia a imagem do tubarão, se desenhou numa mancha de um dos vidros da janela como aqui te dei conta, salvo erro assim de memória com um vidro que estava na altura partido e que correspondia ao andar onde agora estava a ventoinha, branca, como a do primeiro veleiro o tal dio paquito do sean, cujo pormenores tambem te falei , e trás um outro estranho e constante pormenor que e visível no andar de baixo desde muitas luas, uma roda de bicicleta que em parte aparece à janela, e que a primeira vez que a vi, me fez pensar em roda da vida, símbolo,

Ess ac asa da casa, é a circulo da asa da onda de um dia a i mage made ria do t u barão, se d es en h o un uma mancha de um dos v id ro s da jane la com o a qui te de i conta, s alvo e r ro as si made ria de me mor ia com um v id roque es tva na al tura p art ido e q ue co rr es pond ia ao anda ron de agora es tva a ve en toi n h a, br anca, com o ado prime iro do ove do veleiro, o t al dio pa q ue it o do sean, cu j o por men o r es tam am tambem te f al lei , e t rá s um outro est ran anho e co ns t ante pro rome no r q ue e v isi v el no anda r de ba ix o de sd e mui t as lu as, uma roda de bic sic l eta que em p arte ap ar ee a jane la, e q ue a prime ria ave z q ue a vi, me fez p en sar em roda david a, s im b olo,

O mais estranho, foi um dia que ao descer ali na exacta esquina aparecera um fumo de repente sem fogo, te recordas de eu ter falado de relaçao entre os dois, mas ali estava por uma qualquer passe, um fumo baixo, com menos de meio metro que ali se desvelou num instante e que logo desapareceu, ora agora, apareceu a palavra , a relaciona-lo, o fumo da chama, ou seja dali terá vindo as pedras e o omens que me fizeram torcer e magoar os pés, feitos por encomenda do tubarão, como em cima se desvela

O mais e ts ra anho, f oi um dia q ue ao de sc ser a lina e x cat a es q eu ina ap ar cera um f um ode mode re pen te se maior do f ogo, te record as de eu ter fala ado de relaçao en t re os do is, mas al i e stav por uma q eu l q eu rp ase, um f umo ba ix o, com m en os de me io metro q ue al ise d es ve lu num in s t ante e q ue l ogo de sapa rece u, o ra agora, ap ar e c eu a pala v ra , a r e la cio na do traço ingles primeiro do circulo de dez, o fumo da chama, o vaso use seja dali te rá vaso indo às das pedras e o omens q ue me fi ze ram tor ser e mago ar os p é s, feitos por en comenda do t ub da un do barão, com o em c ima se d es vela

Estranhamente numa das noites de agora onde estive escrevendo sobre a imagem da modelo fotografada pelo jonvelle, e da jóia, e da manha do ps, com a joana e na apl, porto de Lisboa, rocha de conde de obidos, em londres nas noticias dei conta de um estranho assalto, onde as jóias desaparecidas que mostravam para este perfume remetia, embora parecendo se estar a falar de outro tipo de jóias desaparecidas, concretamente de duas, talvez filhas de um leao inglesa, assim se lia nas entrelinhas, a possibilidade,

Est ra anha ham am que mente numa da sn o it es de agora onda est ive es c r eve en do s ob rea i mage made ria da mode, elo f oto g rf ad a p el o j on vaso da elle, e da jo ia, e da manha do ps, com da primeira da joana e na ap da l, porto de lis bo, roca hd e conde de ob bd io serpente em londres, nas not ti cias de i conta de um est ra anho as sal to, onda as jóias de spa rec id as q ue mos t rav am para este per rf um e reme t ia, em bora par e c en do se est ra a f ala r deo de outro t ip pode das joia sd e spa rec das cidas, c on creta tam am que mente dedo do às t alvez fil h as de um lea o inglesa, as si ms se lia nas en t re linhas, a p os sibil id ad e,

Depois de hoje publicar os textos, o espirito me confirmou ser x do ps

D ep o is de h oje pub lica aro do os dos textos, o es pi r to me c on fi r mo use ser x do ps
fofinha, no entretanto de aturrar e combater bandidos que roubam filhos a pais, os meus braços sempre te esperam

f o fin homam a ano no s ar ge to, en t r eta ant circuo de a turra ur ra e com bat e rato do aro dos bandidos que ro ub bam am primeira do pais, os me us br acos se mp re te es pera am

já uma vez te disse, que nao tenho ferias enquanto isto nao se resolver

j acento da primeira ave zorro da teresa do iss sec ue en cao t en hom e do circulo fe rias em qua anta is ton cao se r es solver

mas se chegares no entretanto, faço assim ferias em teus braços, acampo em teu labios, e tomo banhos na tua rosa e trato de ti, assim tipo,dou -te de comer e de beber e mostro-te as belas vistas

masse sec he gar es no en r rati ata anto f aco cortez as si em fer ia serpentes en te us br aços ac cam am mp po em t eu l abi os e tom omo circullo ban homem do os na tua, rosa, e cruz ar rato, ps, ass se em t ip circulo do vaso te traço ingles com mer e de b e b e rem oi s to do traço ingçes rt te as das belas serpentes do vaso do ista
Pequenas chaves soltas em forma sincrética das Palavras de vídeos recentes

ped

Pe q eu na s c h ave e ds sol t as em forma sin c r étic acento da primeira a das pal, fr eu., vaso do ra serpente dos vídeos, de v id é os rec centos c en t es

ac fr for mula

A formula, o lapso que aparece no vídeo, em vez de forma, está no contexto da solução de que falo do casamento de conceitos entre o asa e o balão, na forma futura dos novos aviões,

a st acetno bal ak al

A fom om fr for do circulo da mula, o l do lap da ap ps so x c ue ap ar rece no v id e o, em v e zoror de forma, e stá no c on texto da sol lu sao de q ue falo do cas men t ode c on ce it os en t reo do circulo da editora asa e o bal al la o, na forma fut ur ad os n ovos avio espanhóis dos aviões,

Fm fom om me f oi for foz, fr e q un cia mode lada forte do om me do forte do io da for da foz, do porto

Asabalao, asa serpenet ab da aba da sabá bal da bala da ala circulo

Tamiflu, tami, t am mi flu form mula one gato rip
Avastin, ac av ava serpente da cruz in,

Células fotoeléctricas, mna carnagem, em vez de fuselagem, elevação, o desenho da asa, e distinto entre a superfície superior e inferior, o ar a passar, passa assim mai depressa em baixo, e cria uma diferença de pressão, e assim se dá a elevação, como a bela penelope, dizia, numa capa em dia seguinte, a rapariga por cima, a mim parece-me sempre bem em qualquer posição, sabes,,,

cel sao mai da press do pedrito do lopes mp

Cel lulas, l u l as f oto el e t ric as, mna car rena ge maior, em vaso e zoror de fuse use sela lage ge em, el eva sao, o de en he io da asa, e di s tinto en t rea super rf fi cie super ior e in f eri iro, o ar a p ass ar, p ass a as si m mai de press a em ba ix o, e c ria uma de fr ença de press o a, e as si m se d á a el eva sa cao, com o a b el a p ene do lopes, di z ia, nu ma da capa em dia se gui inte, a ra pa riga por rc ima, a mim pa rece do traço inglesa me se mp r e b em e m q ual q eu r posi sic sao, s ab abe es,,,

Ah , amada , a luz é sempre coisa muito bela, como te lamber com os olhos quando andas nua em meu pé

a ham am ua em me eva

A ham am ad a , a l uz é se mp re c o isa mui t o b el a, com o te lam amber com os olhos qua anda das andas nu ua em me eva vaso p é
abigail, que belissimo nome, nham, nham, nac, nac

faz-me lembrar, assim um sonho de alma em cores quentes, esguia, como uma enguia, que sempre está e sempre ondula, como se nao estivesse, mas está, parece uma personagem de um filme, um filme sobre a vida de um pintor, que ao que parece nem os amigos sabiam ao certo se ela existia ou se era um só imaginar dele

onde está

primeira da segunda gail, gaelica , ab bi big gai l do quadrado da ue do be prime rio do iss nono men de muitos ham n do homem da manha, na ac d e n ac f az do traço ingles me l en br ar, as si em primeiro son, home do circulo de alma em cor es quadrado da ue da en t es, es guia com uma da en guia, quadrado da ue se mp re es t á e se mp re on di la com o sena nao est iv ess mase es t á , pa rece uma pero s, son a gema de ria de primeiro fil me, com de primeiro do pinto, primeira do circulo do quadrado da ue pa rece nemo os ami g os, sa bi a mai ce rt o , se el a e xis t ia e c rc u lo use ser ra um imagina r del le

ou um passe de um conde, que conhecia o pintor, e assim o iludia, que curioso, estranho, que tanto parecer ser real

circulo do vaso do primeiro passe de primeiro conde, q ue c on h ecia do circulo do pino, p ino cruz rato e ass se imo oi li dia , que c ur isa est ra am anha , q ue t ant circulo par recer ser re al


que bela sois

q ue bel as o is

que giro, nao era a foto da bela abigail, nma, bailey, gosto muito, leitoso, cremoso, doce, mas de outra bela, andam brincando comigo certamente, depois começam os telejornais mais tarde, e dizem a seguir, que foi problemas tecnicos e que pedem desculpa

q ue gato iro do giro, n cao e ra a f oto, de be el a abi gail nma ba e le delta, g os t om nu it circulo lei t osso , c remo moso, do ce ema ma s d e de outra vela anda dam am br inca can do co mig circulo ce rta tam am mente, d ep o is com e cortez am os tele e jornais máis cruz ard e primeira ase se fui rato q ue f do io pro ob l ema s tecnicos e quadrado da ue ped em do quadrado es sc c um p a

coisa manhosa, espectaculo à saida da actriz marina de vila da am moura, e em outros locais, assim rezava a agenda do tele do jornal, ps bandidos, nunca visto, a nao ser no carnaval, quando as bandas vao em cima de tir, ah é tir do vao, do pai dos bandidos, depois na pa gina da vila da dam oura, se ve uma vela du zen t os e sete en t a , q au t rc en to ze dao s d os quatrecent coups, setenta que remete para uma serpente am merc cia ana, quase parece a mercury, que apresentavem como o furacao da bahia, da casa da lenta, da canibalia, quem diria, circulos dos canibais, da lux ur ia , da ani iba bal primeiro doi ia da p ovo da primeira da beça do bal do lio do io, de mat o sin h os, da pr aia da el ln en t a, da vila nova da cerveira, dos indios do cartao jovem, car t cao j ove em juventude, p o isa sada, certamente , ou a ive mendes, do suave jazz insinuante, assim insinuavam, do vaso da ilha do treze de agosto , o inverso do trinta e um da a armada, do dom pedro, pedrito do golf do puts do r es ort,dos c ook e r serpente de lagos treze do c lube de ny do no eta w ar primeira ur

este verao está cheio de belas e de belos, e belos concertos e belos espectaculos, tudo muito belo, sem duvida, belos guioes, sem duvida,

e me di z es, q ue s a b i a s q ue eu , f aria um fil me da ia às docas, ge t on boa r d in m y he art an d l ive t her e for eve r,i l t ak e y o u a w a y in m y sw ee t arms t ro u g t h t he sea o f l ove

e st á do g iro,bic sic l eta, do o ove da vera do verao, a té pa rece a f e b r e , es p e r o eu q ue n ao à dos p orcos, p o is ge ra l em n te del es s ó os com o em cos tele eta s, g re l h ad as em car vao nat ural de pr e feren cia, para fi carem b em p as sados
ah amada ontem encontrei e comprei aqueles pesseguinhos da america do sul, de que uma vez te falei,que sao uma delicia, de uma doçura infinita, que se apetece comer de uma só vez e sao muito divertidos, pois vem em todas as formas, se aqui estivesse, sorrias para mim, eu para ti, e depois dava-os na tua boquinha

a ham ad da primeira on te mai iro men c on cruz rei e com mp pr rei ei, a q u el es p esse gui n hommem os da am erica do sul,de que uma ave zorro te f al lei, que da sao uma deli cia , de uma doc cortez ur primeria infinita, q ue se ap pt te pet te ce co om mer de uma a p s o y olo serpente do circulo ove ze sao mu it circulo di vertidos, p o is vaso em me em todas às das formas, se da priemria aki do qui, est iv esse, sor ria ser, cruz e, sor ira ria serepnte, para mim , eu para ti, e d ep o is d ava os bna tua boc quin homa primeira
Canal dois de hoje, jornal dois, ou melhor de ontem dia doze à noite, pequenas notas

C ana primeiro do is de homem oje, jornal do is, ou mel homem rode dede on te mad ria do duplo vaso dia do ze acento da primeira do ano do no it e, pe quadrado vaso ingles as not as

Cartão jovem, outro espelho, com o mesmo tipo de bonecos, que agora apareceram referidos em texto anterior, relacionado com a imagem dos cds que simbolizam as torres, e que eles desvelaram na queda

Ca tao j ov em, outro espanhol p e primeiro homem o, circulo om o me sm o cruz ip pode da ode dos b one cos, quadrado ue agora ap ar e ce ram refer id os em texto ante i rio rato, re la cio n ado com a ima g ingles imagine, ima ge mim ane, mag nag ingles da seda p ren cruz espanhol do cds que serpente im b o k iza am as das torres, e quadrado ue el espanhol d espanhol vela aram ram na queda
agarra o teu movimento, vinte e seis, ca carlsberg, euro cabo do vinte da se do is

A gara ot eu maior ov vi men to, vinte e se da isca do car primeiro sb e rato ge ur o cab o do vinte da sed o is

Ser ep net top do til da ise , use ma serpente cara de pro tec são, a mascara, ou seja a imagem das madeira no barco alemão, é dos tijolos do barreiro

270 mil para 140 mil a lista de espera das operações, baixou em quatro anos, a prova provada de que estas bestas não sabem programar, a treta do homem é que as cirurgias aumentam, e se assim for, basta por essa quota no calculo, filhos da puta, talvez uma lei que determine que os políticos profissionais, sejam sempre remetidos para o final da listas caso delas precisem, a ver se o problema não se resolvia logo

270 , mercedes ester la, mi prime rio do para 140, por det ra sd o cais do sodre, mila primeiro ista de espanhol pera das opera rações espanholas, ba x io vaso em qua cruz ro ano sa pro da ova pro v ada de quadrado ue est as be sat serpente n cão serpente ab em pro g rama rat dupla eta do homem om me é quadrado ue às das cirurgias au men tam, e se a ss si maior for, ba sta por ess a quadrado vaso ota no circulo al cu lo, fil homem os da puta, cruz alvez uma lei quadrado ue det teresa mine quadrado ue os poli toc serpente pro fi ss sio na is, sej am se ml re reme cruz id o spa az para o fina primeiro da serpente lia st do caso del as pr e circulo ise ema ave rato se o pro ob primeiro ema n cão se rato espanhol sol via dp logo

na Polónia, ou sobre o polónio, as substancias radioactivos

na polo do olo do ni a, o us ob reo p olo ni o, as serpente ub bta ancas das cias dos ra di o cat ivo ser p ene ne tv ts, ou seja cabo pt


ester la, madonna, se viam hoje ao nascer do dia imagem da menina em cima de uma sela com um falo gigante de aço, se elva em movimentos fálicos, seu ar é de preocupação e mesmo de algum receio, talvez pela consciência que lhe aflora num outro movimento , uma memória que lhe emerge de outro tempo, a seguir de nov michael jackson, ou seja o falo que o fez arder, falei no ultimo vídeo dele de novo, pela frase chapéu do que seria o titulo da sua digressão, e me esqueci de precisar o que vira em detalhe nas imagens aparentemente dos ensaios, em cima de um palco, era visível uma mira, simbolizada em traços, o movimento dos bailarinos era como se fossem saltar em cima, a mira assim vista, me lembrou o submarino do Báltico, e tambem obviamente todas os binóculos e miras de distintos tiros


ester la, madonna, se vi am homem oje a on acer do dia i mag ingles da menina em circulo ima de uma sela com do primeiro falo da dag gina te de aço, se el vaso da primeira em maior v oi men cruz os falo ico serpente, serpente eu ar é de pro roc ua p sao e me sm o de la g y um rec e iro, cruz alvez p el a co ns cie ingles cia quadrado ue primeiro he a flora nu primeiro outro mo vi men to , uma me mor ia quadrado ue primeiro he mer g ue de o vaso da cruz dot ro te mp o, a se gui rato de no do ov mic hael j ac ck son, o vaso use seja do circulo do f alo quadrado ue do circulo de fez ard der, f al lei no vaso primeiro cruz imo v id é o circulo dele de n ovo, p el a fr ase ca hp eu do quadrado ue se ria o titu lo da serpente ua dig rato ess cão, e me espanhol quadrado eu ci de pr e cisa aro quadrado ue vaso da ira em det ra primeiro homem nas si mage ns ap ar ingles te mn te dos ingles sa io serpente, em circulo ima de um p al co, e ra v isi vaso el uma de mira, mir primeira serpente im b o primeiro i za d a em cruz ra aços, o mo ov im ingles to dos ba ila la rinos e ra circulo omo se fosse maior serpente al tar em circulo ima, a mira as si maior vi sta, me primeiro em br ou o serpente ub marion do bal tico, e ta tam am tambem ob via am que mente todas do os bono cu lo se das miras de ds it in cruz os cruz iro serpentes

mais curioso ainda os ecos da imagem das portas de Brandeburgo, e de tambem de certa forma de selene, helene, a lua, filha de hiperon e de tia, filha do tita de palas, atenas, jovem mulher e bela que conduzia o ceu num carro de parta puxado por dias cavalos, tipo biplano , certamente, de zeus teve uma filha chamada pandia, e na arcádia foi amante do deus pã, que lhe deu dois toiros brancos, contudo é mais conhecida na sal versão altamente parideira como amante do belo pastor endiminon, de quem se diz ter montado uma rede com cinquenta filhas, diz-se tambem nas vezes que o herói naxo, dela é filho

maís cu riso a inda os e cos da i mage made ria da serpentes do portas, de brand e rato b ur goe de eta am tam tambem, de circulo e rta forma de se lene, a lua, fil homem ad e hi do ip pero ero ne de tia, fi primeiro homem a da tita de palas, at ingles a, j ove em mul ger e bela quadrado ue condo zorro do ia do circulo do ceu nu primeiro carro de pr cruz ra p ux ado por dias cavalos, cruz ip o bi ip lan do primeiro ano , ce rta tam am que mente, de ze us da teve uma fi primeiro homem circulo ham n da pan dia, e na arca dia f oi am amante da ante do deus pã, quadrado ue primeiro he de vaso do is toi it os bta anco serpente, circulo on tun o d é maís circulo on he cida no serpente al, verso da p rie emi da pria mira , a al alta que mente, al tamen te pari id eira com o amante do b elo do pastor da madredeus, certamente, ingles dim mino n, de quadrado eu mario se di zorro teresa montado., mon maior cruz ad o um ar rede com de cinquenta filhas, di zorro do traço ingles se eta tam am tambem nas vaso e zorro espanhol quadrado ue do circulo herói, heron, he ero do eron, naxo, dela é filho

a coisa, ou o coito , e o coito, que é tambem nome de um dos bandidos do icep, é como uma cobra voadora como me mostravam as andorinhas ontem a caminho dos barquinhos, pelos visto, coisos que fazem broches aos assassinos ali sediados nba misericórdia, e se estendeu pelo ceu até bem ao norte deste uno planeta

a circulo o isa, o vaso o co is oe circulo do coito, quadrado ue é eta tam am tambem no me d e um dos ban dido serpente do icep, é com o uma cobra voadora, com o me mos cruz rav am as ando rinhas on cruz ema p rie emi mira da caminho dos barquinhos, p el serpente primeiro vi serpente to, co is os quadrado ue f az e maior bro roc ch espanhol aos as sa sin os al i se dia ad os nba mi sir cor dia, e se est ingles de vaso p elo circulo eu a té b ema do circulo do norte do quadrado de este un circulo da p lam anet eta

pois calhou o rapaz a quem eu ontem trocara com o que via do aproximado lugar, no ab kapa do ka do zorro do set do io do ia, que estava assim nom meio de uma multidão, e se via de lado a aparecer , assim meia escondida, uma rapariga loira de um casal com um filho e camisola vermelha, que me lembrou pelas faces a drogaria ambulante do ps, a edite da estrela, ou a polícia da estrela, mas na realidade me lembrou tambem a joana, delicada ou não delicada, mas que parece fazer tambem favores, para por um pouco de mel a ver se as pestanas crescem, pestanas que remetem para habilidades de controlo rem, e visto ela ser da soci logi a e noa psi, talvez mais por broches de seu pai tambem, pois a ultima imagem dela, era camisola vermelha sobre seios fartos, bom mesmo para muito festejar e dar leitinhos, se não forem nunca azedos, insisto, neste importante pormenor, pois o espirito, brincalhão, certamente um twister invejoso, talvez mesmo uma outra rapariga com sentido de humor, acrescentava em dia recente, ah, a gordura, ah a gordura, amada, faz mal à circulação do sangue e consequente à oxigenação do amor, é preciso fazer muita ginastica horizontal, o que sabes é sempre coisa boa, outros ao fundo na sala dirão, mas todas a tem, sim em quantidade diferentes, se fosse a gisele, eu te diria, é uma questão de genes

p o is circulo al alho do vaso do circulo do rato ap az a quadrado eu me vaso on te maior cruz roca cara com do circulo do quadrado ue da via do ap pro x i mad o lu g ar, no ab kapa do ka do zorro do set do io do ia, que espanhol tva as si maio do nom me io de uma mul ti dao, e se da via de primeiro ado a ap rece rato , as si maior me ia espanhol conde dida, uma ra pa riga loi ira de um circulo a sal com um filho e cam is sola verme primeiro homem a, quadrado ue me primeiro em br o vaso p el as f ac espanhol a dr i gar ia am bul lan te do ps, a edite da estrela, ou a pol i ca da est rato e la, mas na re la id dd e me primeiro em br o vaso tam am tambem da primeira joana, deli circulo ad a o un cão del lu circulo ad am dam ás quadrado ue par ce f az e rato tam am tambem f av o rato espanhol, para por um p o vaso co de me la ave rato se as das pestanas circulo rato espanhol cem, pest , da p de este, ana serpente quadrado ue reme teresa maio para homem ab bil id ad espanhol dec on cruz rolo rem, e vi serpente to el a ser da soci logia e noa psi, cruz alvez maís por bro roc homem espanhol de serpente eu pai tam am tambem, p o isa vaso primeiro cruz ima mai mage made ria dd dela, e ra cam is sola vermelha serpente ob re seios f art os, b oi maio me sm o para mui cruz o f espanhol tej a ar e d ar da dos leitinhos, se n cão for rem nuc cna az e do serpente, in sis to, nest e em porta ante por me ingles o rp o is o espanhol pito o,b rato i can circulo de cortez primeiro homem a, ce rta tam am que mente, um twister invejoso, cruz alvez me ms o uma outra ra pa riga circulo om serpente ingles cruz id o de homem um o rac ac rato espanhol circulo ingles cruz a va em dia rec ingles te, a homem, a gor dura, a homem a a gor dura, am ad a, f az ma al à cir cu la sao do san g ue e a co nse quadrado vaso ingles te ox i gena sao do amo rato, é pr e circulo is o f az e rato mui cruz a gina serpente tica homem ori zon cruz alo quadrado ue serpente abe espanhol é se mp rec o isa boa, p o vaso cruz ra ao fundo na sal di irao, do durao, mas todas da primeira tem, si maior iro em qua n cruz id ase difer ingles cruz espanhol, se fosse a gi se ele, e vaso te di ria, é uma quadrado eu serpente to ad e g ene ingles espanhol

oxigenação, declina em radio oxigénio, e depois se deve dançar muito a rumba com aos maos em teu corpo, e regar com leitinhos regenerativos e então a coisa tende a se resolver, ah, repugnante repugnância, grita ao fundo, bla, blá sem blé e enfarte miocardio, a volta da linha da cobra e de seus buracos, volteava de novo nas portas , cds, alemão, onde tambem me recordei depois de ver a assinatura do comboio magnético em taiwan que um mesmo acidente se dera tambem na alemanha, se bem se recordam os desmiolados

ox i gena ac sao, dec primeiro ina em ra di do io do oxigénio, e d ep o is se d eve dan circulo de cortez ar mu it o da primeira rumba com da primeira do os das maos em te vaso corp o, e rega ar com leitinhos re gene rat io vaso uv, o ultra da violeta, o se ingles tao a co isa cruz ingles de a se rato espanhol solver, a homem, rep vaso gn a te rep vaso gn ac cia, g rita ao fundo, b primeiro a ap o rolo, b primeiro á se maior blé e ingles f arte mio car di o, a v o primeiro cruz ad da primeira da az linha da cobra e de se us dos buracos, v o primeiro teia ava de na ovo na serpente dos portas , cds, al ema mao, onda tam am tambem me record ei d ep o is de vera a sin tura do com bi o mag gn net tico cona em taiwan maior quadrado ue um me sm o ac iac dente se der a cruz am b em na al e manha, se b em se record dam am, os desmiolados

d espanhol mi ola do quadrado os

pois nas portas de Brandeburgo, na terra onde me véspera as forças políticas muito se agitaram, com rentrees, e mais ou menos tristes saídas, um rapariga que me pareceu africana, cruzava uma echarpe, sobre seu corpo vestido ao caminhar, a ecoar na imagem da photo special usa, às das portas do sol, ou seja em madrid, do jornal, aqui em casa quando escrevia a parte do texto sobre o delta que os barqueiros me mostraram no rio, o simbolize nos objectos, e depois de voltar pela noite, se bem que me cheirasse a que maozinha alheia, aqui neles em pouco os mexeu, assim li

p o is na serpente portas de brand e but g on a terra onda me vaso espanhol pera às f orças pol i cas mui cruz o se a gita aram ram com rato ingles tree se maís o um ingles os cruz rato is cruz espanhol sa id as, um ra pa riga quadrado ue me par rece vaso a fr i cana, circulo ru zorro ava uma e circulo harpa, serpente ob br espanhol eu corp ov vaso est id o ao ca min homem ar, a e coa ar na i mage made ria da ph oto spe cia primeiro usa, às das portas do sol, o vaso do use seja em mad rid, do jornal, a qui em casa circulo quadrado au n do e w espanhol circulo rato e via a p arte do texto serpente ob reo doc irc culo do delta quadrado ue os bac eu in homem os dos banqueiros, me mos cruz rato aram no do rio, o serpente im b o k ize nos ob ject os, e d ep o is devo primeiro cruz ra ep la noite, se b em quadrado ue me ch i rato a ss e a quadrado ue mao zorro in homem a al he ia, a qui nel espanhol em p o vaso co os me x eu, as si maior primeiro i

o x do ali cate da lupa negra e prata da faca do crocodilo, da queima de imensas beatas do laço do espanador das penas amarelas, do laço no canto do pasion invertido, , o x feito por uma tesoura do grupo cento e onze e a faca usa eva e forte da mora polícia, o mar estava representado por um vesica guarda napo azul, que depois caiu na gaveta em cima de uma cassete que diz, mat do triunfo dos porcos, ou seja dos buns em londres

o x do ali cate da lupa negra e p rata da f aca do circulo roco dilo, da quadrado vaso ima de ime nasa bea cruz as do la aco cod o espanhol pan ana dor das p ingles as am mar el as, dol aço no can to do p as sion invertido, , o x feito por uma te soura do g rupo circulo ingles to e on ze e a fca usa eva e forte da mora pol i ca, omar mar espanhol tva rato ep rato e serpente ingles cruz ad o por um v e sica g ur ad a na ps azul, quadrado ue d ep o is ca iu na g ave eta em circulo ima de uma ca serpente sete quadrado ue di zorro, mat do cruz riu un do fo dos porcos, o vaso do use seja dos b un se em londres

as penas do espanador que laçou a paixão, ou seja que a inverteu, trás o seu rabinho, sobre um papel com anotações, dobre a vitoria do mito, samocracia, o rapaz de campo de ourique, luis Sttau do monteiro, expo noventa e oito, imagem do avd, ou seja , oleiro do barro das telecomunicações, em versão sincretico, farmácia quinhentos e um , quim ze do duplo circulo d he ia, acento na Ó, primeiro burro, air f , quadrado do sete capa, quarenta e set era ram, fla ps, da impossível proporção humana, renascença, italia, leonardo, tacões, pr ise harbour, porto, joplin, e colour tv j am j on joplin, jj, álea cinco cent, dez bar do ra do sete, de oitenta, restaurante hermes, vareta da cruz do hi do it quadrado do espermatozoide do clube bb do moniz, do instituto dos pesadelos, era marjorie um A invertido, marrocos, cc, ao lado a mira da angulo do submarino, zorro ero
da au di ingles ciado serpente emi do arco maçónico

as das sp ingles as do espanhol pan ana dor quadrado ue la circulo de cortez o ua paixão, o vaso use seja quadrado ue a in v e cruz eu, cruz ra serpente os eu ra bin homem jo, serpente ob re um pap el com ano tacões, d ob re a vitoria do mito do dom da it circulo, sam am o crá da passara cia, o rato ap az de cam pode o vaso cruz rique, luis sata vaso do monteiro, e x p o n ove da inglesa venta e o it oi do toi mage made ria do av d, o vaso use seja , o lei iro do barro das tele com unic circulo de cortez ole espanhol, em ver sao sin circulo fr etic a, f ar ma ac cia quin homem ingles toze um , quim ze do duplo circulo d he ia, acento na Ó, prim rio burro, air f , quadrado au dr ado do sete capa, quarenta e set era ram, fla ps, da i mp oss iv el por porção da humana, rena serpente circulo ingles cc circulo de cortez a, italia, leo do nardo dos tacões, pr ise homem ar b o ur, porto, j op lin, e circulo olo vaso cruz tv j am j on joplin, jj, al lea cinco cent, dez bar do ra do sete, de oitenta, restaurante hermes, vaso do aret ad da primeira cruz do hi do it qua d rato quadrado ad o do espanhol per mato zorro o id e do circulo lube bb do moniz, do instituto dos pesa d elo serpente, e ra mar jo rie um A in v e tir do, mar dos rocos da cc, aol ado da primeira am mira da angu gula do serpente ub marino, zorro erro da au di ingles ciado serpente emi do arco , espanhol, maçónico

ah amada, me dizia o espirito hoje de manha que os bandidos, andavam à pesca e assim parecia quando fui comprar vierinhas, pelo ceu o cio assim falava, de que voltarias quando a vela se mudasse, olhava eu naquele momento o logo incompleto da cruz do templo vermelha na caravela do porque do povo pequenino, ali ao trinta e um da armada, depois que eras a old fashioned girl, ah eu tambem sou um rapaz old fashioned, na verdade , sabes me lembro em pequenino de ver meu pai a por after shave, old spice, e a fazer o mesmo, sempre gostei daquele cheiro, às vezes ainda agora, o uso quando lá vou a casa, depois fiquei a pensar , num anuncio de uma onda gigante com a musica da carmina burana, lá estamos nos carmins, de novo, que belo são as fulvas, espero eu de que não seja necessário tamanha onda para de novo a meus braços te trazer, na news diziam que ir de novo a lua custaria mil milhões, sabes, é quase metade do que se necessita para acabar com a miséria e a fome no mundo, é melhor gasta-lo primeiro nesta tarefa, que eu por mim, espero que voltes a borla, e no único preço, o do amor verdadeiro, que não funciona em base de avaliações de moedas e câmbios, ah talvez falassem dos sw ciclos de onze em onze anos, do Sol, ah amada o Sol é pai de todos, e para Todos Brilha, mesmo quando deixamos morrer os filhos a fome, talvez ele se zangue no entretanto e aqueça tanto que a todos queime

a ham am ad a, me di zorro ia o espanhol pi rito homem oje de manha quadrado ue os dos bandidos, ana da avam vam am à pesca , espanhol,. e as si maior par e cia qua ando f ui co mp rato ar vie rinhas, p elo circulo eu o cio as si maior f ala ava, de quadrado ue v o primeiro cruz arias qua ando a eve da vela se mu da serpente se, ol homem ava eu n a quadrado vaso el e mo mn to o logo inc om mp le to da circulo ru zorro do te mp dp polo do olo verme primeiro homem ana cara ave da vela do p o a quadrado ue do p ovo pe quadrado vaso e nino, al ia o trinta e um da armada, d ep o is quadrado ue e ra asa o primeiro d f as hi one ned girl, a homem eu eta tam am tambem serpente o vaso um rapaz o primeiro d f as gi one dn a bv e rato dade , serpente ab espanhol me primeiro em br o em pe quadrado eu nino de eve rato me vaso p aia por a ft e rato serpente homem ave, o primeiro ds sp ice, e a f az ero me sm o, se mp rato g os te id a quadrado eu le che iro, as v e zorro espanhol a inda a goi ra, o us o qua ando primeiro á v o vaso ac asa, d ep o is fic eu ia pen sar , nu maior a anu cio de uma onda gina te com da primeira um sic a da carmina b ur ana de rana, primeiro á est mo serpente nos car min serpente, de n ovo, quadrado ue b elo são às das fulvas, espanhol pêro do ero, eu de quadrado ue n cão seja ne circulo espanhol sario tam anha onda para de nov a me us br aços te cruz ra ze rna ne ws di zorro iam quadrado ue i rato de n ovo a lua cos cruz aria mi primeiro mil homem oe ss abe serpente, é qua ase met ad e do quadrado ue se ne circulo espanhol sita para aca bar com a mise ria e a f om e no mundo, é mel hor gás cruz ado do traço ingles lo prim rio nest a tar ar e f a, quadrado ue eu por mim, espanhol pêro quadrado ue v o primeiro cruz espanhol a bor la, e no único pr e circulo de cortez o, o do amo rato ver dd e iro, quadrado ue n cão fun cio na em base de ava li aç o espanhol de moedas e can bi os, a homem cruz alvez f al ass em dos sw cic lo serpente de onze em on ze ano serpente, do Sol, a ham am ad a o Sol é pai de todos, e para T o d os Br ilha, me sm o qua ando de ix amo serpente mor rato ero serpente fil homem os a fom om me, cruz alvez el e se zorro ang ue no ingles cruz rato eta anto e a quadrado eu circulo de cortez a cruz ant o quadrado ue a todos quadrado eu em me

ah que já me is esquecendo, das capas dos jornais dos bandidos de hoje na banca em passant, olhando em quase movimento que paciência para estas besta não existe, me disse o espirito que um dos bandidos do dn tinha sido preso, deve ser o tal das picas, que esperam para lhe dar a sentença de oito anos, do dos públicos, um nadador, e um nome spitezer a ressoar em lambreta e sombra da besta, mandante dos ab antigos, e um nadador que reproduzia em forma subtil o logo das camionetas que trazem na jante o símbolo nuclear, o pro do tom, e do electrão do cos, capitão cosmo, assim se diz a bestinha chamar, o que salta do triângulo que gira, da nata da sao

a homem quadrado ue j á me is espanhol quadrado eu circulo ingles do, d às das capas dos j on a is dos bandidos de homem oje na banca, bancos, em passant, w, o primeiro homem anda em qua ase maior ov vie mn to quadrado ue p ac cie ie ingles cia para est as besta n cão e xis te, me di ss e o espanhol pi rato to quadrado ue um dos bandidos do dn tinha serpente id o pr espanhol o, d eve serpente ero cruz al das picas, quadrado ue espanhol pe ram para primeiro he d ar a serpente ingles cruz ingles circulo de cortez a de o it o ano serpente, do dos pub lico serpente, um na da dor, e um nome spi te e ra rato espanhol são ar em lam berta e serpente om b rta da besta, man dante dos ab antigos, e um na da dor quadrado ue rp o du zorro ia em forma do subtil do circulo do logo das cam ion te sa quadrado ue cruz ra zorro em na j an te o serpente im b olo nuc lea ar, o pro do tom, e do el le cruz ra o do cos, circulo apit puta cao co ms o, as si maior se di zorro da a best tinha ca ham ar, o quadrado ue sal cruz ad cruz rib bg galo gula quadrado ue da gira da ira da nata da são, e do tremor em abruzzo

bela menina de meu coraçao, sendo o nome o mesmo, deverá entao ser neta da bela senhora que se foi com provecta e longa e plena e brilhante existência, e eu que sou uma espécie de burro sem o ser, só agora o associei, se assim for, me deixe dizer-lhe que a avo, era muito sábia, e muito sabia, e soube quando percebeu das qualidades daqueles que os burros, verdadeiros, sem o ser, assim lhes chamam, as bestas, são seres cheios de luz, falou-me o espírito de inversão , de inversão de paixões, e ouvi eu a volta da sua ida, pelo espirito , e penso de que de alguma forma a ela se aplicaria, de que a senhora fizera uma marca numa besta e depois caíra, se assim foi , foi como sempre foi, uma lutadora,

be la menina de me vaso cora sao, serpente ingles do o no me o me sm o, d eve rá ingles ato ser neta da bel primeira ase da primeira da ingles hor, primeira aqui do ki do quadrado ue se f oi com pro ove cta e long a e pel na e br ilha ante e xis cruz ingles cia, e eu quadrado ue serpente o vaso uma espanhol pe cie de b ur ro se e w mo ser, serpente ó agora o as soci ce ie, se as si maior for, me de ix e di ze rato do traço ingles primeiro he quadrado ue a avo, e rá muito serpente ab bia ia, e mui it o sa bia, e serpente o vaso b e qua ando per rc cebe beu das quadrado ua li dad espanhol da quadrado vaso el espanhol quadrado ue os burros, verde ad e iro serpente, serpente emo ser, as si maior primeiro homem espanhol circulo ham am as bes sat cruz serpente maior são ser espanhol che io serpente de primeiro uz, f al li vaso do ponto do traço do ingles da me o espanhol pi rato cruz io de in verão , de in ver sao de pa ix o espanhol, e o vaso vi eu a v o primeiro cruz ad a serpente ua id ap elo espanhol pi rito , e p ingles serpente ode quadrado ue de al gum a forma a el a se ap li caria, de quadrado ue a serpente ingles hora fi ze ra uma marca num ab est a e d ep o is ca ira, se as si maior f oi , f oi com o se mp ref oi, uma lu cruz ad o ra,

nesta teia imensa que me trazem a mim e a meu filho montada, um pássaro ontem, me disse que aqui o arquitecto em cima, e da via do assis do ps, quem diria

nest da primeira da teia imensa, q ue met cruz ra ze ma mim e am me vaso fil homem do circulo, o da montada, um p ass aro on te mario me di s sec ue da primeira do ki aqui do circulo do arquitecto em c ima, e da via do assis do ps, q eu em di da ria de aveiro, certamente, ce rta ae mente

ritinha, se vai cair caia, que paciência para as sua más disposições, não trago eu muito, se caísse em meus braços, ainda poderia pensar em tratar de si, agora estar a levar com esses vosso cios constantes, na paciência, como se diz em crioulo, a menina é assim pro tensa, mas deve ser engraçado ve-la assim relaxada, e perceber a razão dessa sua dureza, quantos minutos deu ontem ao guarda ou aparente guarda prisional, no alinhamento total do telejornal, torres e haxixe e coisa e tal, e aviões e tap, certamente, sabe menina, já lhe disse, que aí nessa casa são ladroes, a abusadores de crianças, e cobridores de pedofilos, olhe que se pega por convívio as doenças, dos porcos, subtenda-se

ritinha, ratinho da ar red da prime ria da tinha , re tin ia dao ro t ina, , se eva i c air c aia, q ue p ac ie cie en cia para a ss ua más di is sp o siço es, n cão t rago eu mui t o, sea is sw e em me us br aço s, a inda pode ria p en sar em t rta ar de si, agora es star a el v ar com ess es v osso cio s co ns t ant es, na p cie en cia, com o se di z em c rio u lo, a me ne nia é ass im pro t en sa, mas de eve ser en g ra ç ad ove do traço ingles de la, as si mai iro re l axa da, e per rc cebe ra r aza o de s sa s ua du ire za, q un t os minu t os de u on te mao guarda o u ap ar 3 en t g ua arde pr is o nl, no al in ham am en to do tota l do telejornal, tor r es e h ax ix e e co isa e eta t al, e avio es e tap, ce rta tam am que mente, s ab e me nina, j á l he di ss e, q ue a í ness ac asa são la d ro es, a ab usa dor es dec crianças, e co ob br id dd dor es sw de pedo filo sol primeiro circulo he, q ue se da pega por c on v iv io as das doenças, dos poc os, st ub t en da do y traço da inglesa se

olhe é a propósito depois de todo o circo sobre santa maria, quais são afinal as conclusões, alguém preso, e acusado, pergunta o pássaro, ou se esquecerão do que a todos relembrei, que se fartaram de matar gente com os das ambulâncias, ou a vida humana, não mais tem valor, aqui nesta terra de bandidos

circulo do primeiro he é, primeira da ap do pro posi to d ep o is de todo o c irc o serpente ob re es serpente da anta maria, quais, fr policia são primeira fina al as circulo em circulo do lu da serpente do circulo es, al gume preso, e ac usa sado, per gun tao p ass aro o use es quadrado da eu ce ra do c ur rc culo do quadra da ue da primeira de todos re lem br ei, quadrado da ue se f art aram de mat ra gente com os das am bul lan cia serpente, do circulo da ua vaso id da primeira da humana, muito cão maís te maior do valor, primeira do ki aqui nest da primeira da terra, br, de ban do dido das serpentes, dido, di id do circulo