sexta-feira, agosto 28, 2009




ao

belo

leao

ab primeiro

ooo, tres circulos

oe e o la ooo, gel ad circulo da onda de la









uma estranha parecença com o almerindo marques ex presidente do conselho de administraçao da casa dos bandidos que vao ao bolso de todos, e que se disfarçam de dentistas, dos perversos, assim a senti, a semelhança ao ver esta foto na time,





uma e cruz ra anha par rec c en çortez ac om o al mer indo do marques, e x pr es id dn te dente do conselho de ad mini s cruz da raçao, da c asa dos bando do ps, q ue do vao , primeiro do circulo da eva do vao, que vao aos bolsos de todos, d ine h ro, dinheiro, e q ue se d is f ar cortez am de d en ns t ista sd os per v ero sm do perversos ,mas sima s en ti prim,primeira semem primerio ança cortez da primeira do ove rato est a for f oto ft na time

desenho em meu caderno a espada , cruz invertida que tem por cima do olho direito e as duas formas marcadas pelas rugas e de repente dou comigo, num logo de uma das casas de comida aqui em salema, o restaurante atlantico, onde uma estrela de ferro esta caindo com um fios como luzes de presença, a volta emaranhadas no meio de azulejos com x






d es s en h o em me vaso cade rn no primeira espada, es pada, c ru zorro in vertida, q ue te mp por rc ima do olho, visao, direito, e às di às das formas, mar rca ad as ep la serpente ru gás gase, dentista, e der ep pen te dovaso co mig circulo nu primeiro l ogo, de uma das ca sasa dec comida, com id a , primeira do ki aqui em sal ema, circulo do restaurante a t lan tico , onda uma estrela de ferro,ps, e sta ca indo com primrio fi do os com do circulo as luzes, espanha, uz es de pr es enca cortez, a vil cruz primeira ema ra ana home sd as no me do io de az u le j os com do x, da marca






um cabo tem dois sentidos, inverssos, tanto para rebocar como desvelando de onde veio a manha


um do cabo te made ria do is s en t id os da ivresse , da bebedeira, nono vaso rato ess os cruz ant circulo do para da rac da rec co ob o car com circulo ode es vale vela ando deo da onda eve do veio do io da primeira manha, vale, o ex do benfica, da aguia,




se ve na jante como um tacho dois porta moedas veiscas como aquele que se viu no banco traseira do carro onde bhutto, foi morta, a asa de tras como um gancho amolgado no reboque, e um escrito que declina em ,convite, um convite que foi feito, e home cc can tor, ei s eta s emi circulo dos dentes do pneu, ou seja algo feito nos pneus, durante o tempo em que estve parado, w e efe fte tc ch em i, s eta c rav na terra , e tacho, alguma droga na comida


serpente eve vaso en primeira jante, pric c anal lis boa, ante tec omo primeiro tacha, do is do porta, moedas, nome de judeu, vaso e iscas com o circulo da primeira daquele do q ue se vi vaso no do banco, cruz ra ase se da ria doca carro da onda da morte de bhutto, f oi mo rta, primeira asa sade det ra serpente, com do circulo do primeiro gancho, capitao po rata, amolagado, amolgada, am mola la gado, no do r e b boc, super bock, alema, e um es c irc uk , o do rito q ue dd dec primeiro ina em c on vite mescedes, um c on vi te q ue f oi feito , e home cc can tor, inter net e x p lo rato duplo, e is s eta s emi cir culo dos dentes do pn eu, circulo do vaso use seja al gato do circulo feito, no sp ne is duran te circulo do tempo, jornal, em que es tve parado, eta do tacho, da comida, al gum primeira ad to g ana na com id primeira


tempo parado , é o tempo de uma das fotos abaixo, no hospital, se ve um barata, aranha, e um toiro de as costas de uma enfermeira, ou seja um toiro por detras de uma enfermeira,


te mp circulo para ad circulo, é circulo do jornal tempo, de uma das f oto s ab ba ix circulo , no da energia spot al se eve primeiro barata, ar da ranha, e um toi iro de as co as t as sd de uma eng ferme ira , circulo do vaso use seja , primrio toi, can tor it circulo por det ra serpente de uma en f e rn e n e, me da ira,


agora percebo o ar aflito com que ele estava numa das declaraçoes sobre a tramoia de que foi alvo, e que agora revi, como quem dizia, nao sei o que me fizeram, mas fui tramado, assim era o seu ar ,


agora ra ap per rc en bo circulo da ar da primeira for mula one it circulo com q ue elle est ts ava n uam das dec la lara raçoes s ob rea primeira da tramoia, dat ram do ramo c ur rc culo do ia, deque f oi alvo, e q ue agora rato e vic omo , q ue em di zorro ia n cao se io q ue me fi ze ram m s f vaso io t ram amado, as si em era noventa do circulo da ar



o cabo atravessa um conjunto de pessoas e em particular um pelo ombro, um encontro de ombros, uma pega , e um conjunto de pessoas a volta e em diversos linhas de cruzamento



circulo cabo, sul africa, ar ravessa, vinhos, um c on j un to ode p ess às e em p art ti vaso cu l ar primeiro mp elo on br o, p do rim da rede do ero br ro, um en c on cruz rode ode deo om br os , uma pega, e um c on j un t ode de p esso as sa av o l t a e em di iv vasos eros das linhas dec ruza am men t o



a posiçao do home central, apareceu ontem salvo erro, figurado por uma rapariga numa peça de televisao em fundo, salvo erro na alemanha, como se estivesse a entrar num centto de negocios, vestida em branco

a ap ps o posi sic sao es, do home c en t rat la , ap par rece vas on te ms alvo e rr circulo do figo ur ad circuklo por uma ra pat tiga nu ma pe çortez z serpente det e cortez e vaso is circulo em fun do s alvo e rr do circulo na alemanha, com o se est iv esse a en y t rat ara nu primeiro cento, c en cruz circulo, de en ego do ciso, do dente do ciso, dente, d en te , teresa, v est id da primeira em br anc circulo




um set up, por isso tanto se agitam algumas hostes, no outro lado do atlantico, hoje até li, alguem que dizia atençao às ondas de choque do poço, em tom mais ou menos ameaçador, assim me pareceu

primeiro do set uu y up da arma da di da ilha, por iss circulo cruz ant circulo se a gota am m al gum as h os t es no outro lado do at l natico, a cruz norte sul, lan tico, jh oje a té li, a lhome cat ue em q vaso ed di izi primeira a ten sao, às das ondas de dec choque, cho q ue do p oco, em tom maís circulo vaso um en os am me aça ad dor ass si em me par rece vaso


o nome da rapariga que morreu no carro, kopec, me remete para moeda russa, ou russa como sendo loira , uma loira,


on noe made ria da ra par riga q ue mor reu no do car ro kapa do ki ipe circulo , me rem te para moe da ru s sa, circulo o vaso ur serpente sa com o s en do l o ira , uma lo ira,







parece que um elefante lhe quiz ir a pila, por assim dier, ou seja castra-lo, sou hoje conhecidas as atitudes de reagan nesses anos vis a vis a familia kennedy e inclusivamente o uso de agentes do fbi aparentemnte apra lhe dar prteçao, mas que foram usados, como está provado para o investigar em profundidade de forma a tentar trama-lo


deve ser alguem da vela, visto que parece ter ele a retranca na cabeça, e sendo assim que lhe criaram o cancro, deverá ser a mesma pessoa,


algeum outro puxa o elefante pela orelha para tras, ou seja, sabe disto, e tentpu em parte evita-lo assim parece,


se ve as garras em sue casaco, como masi tarde a tal barata , no hospital, ou seja um mesmo home ou grupo tambem envolvido no enato psudo acidente de aviao


o elefante da mancja de tinat do qual saem dois picos que mataram a seu ira , irmao


quim ze, se ve num dos homens de gabardine, ou seja um quim ze dos serviços secretos, o que terá preparado a manha, e se ve nele tambem espelhado na garra que o menino tras, ou seja na manha da queda do aviao


qui em ze, se eve ni maior made ria dos homes de gabardine, g aba var di ine, circulo vaso use seja, um quim ze d os serpente ser vaso da ilha dos secretos, o q ue te rá pr ep par ad circulo da primeira manha, e se eve nel eta tam am tambem, es p el la hd circulo primeira garra q ue o menino t ra serpente , circulo do vas use seja ana da manha da queda do avia circulo




um outro promenor ecoa desta foto, numa outra com os dois irmaos no caso da Pow w o w I n 1964, six months after John's death, Ted and Bobby talk shop in McLean, Va. o trapezio que permite subir,e o baloiço que baloiça, como um pedulo, e um cao, que olha o trpaezio do baloiço , passando tambem pelas pernas, pelo falo simbolico do outro seu irmao
um outro pro rome en o rec coa, dina saurio, de sta f oto, numa outra, com os do is iram is na caso, na louca, pow duplo vaso circulo do duplo vaso, em peirmeiro nono de sessenta e quatro, si s mon t homem serpente af teresa john apostolo serpente da morte, dam am orte, dea cru home te dand do bobby , dia , mes, policia do cruz, carlos, al kapa da shop, da compra, im mca lea vaso da primerio do circulo do onze do vao , circulo ot ra ap pe sorro do io, q ue per mit te, s ub ire do circulo do bal do oico espanhola ka, q ue bal loi cortez primeira com do circulo ped dulo, sado metafisca bienvenuto, e um cao, q ue ol g primeira ot rp pa e z io do ba lou onze cortez circulo, p ass sand o tam am tambem, p e l a s per rna s p leo f alo s im b o lico codo de um outro, s eu ram ram mao
iramis, artemis, num caso com uma india em mil novecentos, e sessenta e quatro, umaindia italiana, c ar la br uni





aqui vejo o homem já em sua maturidade, o ser que conhece a miseria do mundo e que luta contra ela, o homem do sonho, da liberdade que só é plena de barriga cheia, em sentido lato

a qui id ov e k o oo home em s ua mat ur rid ad e o ser q ue c on ge ce a am mise ria do mundo e q u e l u t ac on t ra ela , o circulo da cas do son h o , d liber dade q ue serpente do ax cento O, é p lena de mar bar riga che ia em s en tid di gita al la to do acto

dois
seres
iguais
num
mesmo
mundo
vidas
tao
distintas
ds si n mm v td
es ss sm oo s os
do is seres es ie g ua is nu um me sm o mundo vaso id as tao di s tin t as
tintas di serpente tao sa di vaso, mundo mo se es me no um sia vaso gato ee se es seres is do dó


esta é uma foto dos seus ultimos dias, com sua esposa, no seu veleiro com o nome que tanto nas letras me aparece, mya
es t a é uma da f oto do ss eu sul t imos do dias, com s ua es posa, no seu veleiro l iro no s eu ive vele do rio roco om circul em no mec q ue t ant circulo na s eta ts das letas , me ap par rece da mya
estranhei ao ve-la as cordas de segurança que fazem um x, entra a quinta e a sexta vigia, assim parece pelo menos existor uma sexta
est ra anhe ia ove do traço ingles de la, às das cor rda sd e segur anca q ue f az em primerio x, en t ra primeira da quinta e primeir a ase da sexta, dois jornais, portugieses, vi g ia as si em pa rece p elo men os e xit xis tor, uam do jornal set, ou sete set
pois um perfume aqui se reflecte, que se relaciona com o veleiro no cais rocha de conde de obidos, pois entre as mesmas vigias, sendo que no cc caso do outro, uma estranha vigia, esta na linha de agua, assim mei submersa, e desenha uma asa , e um vaso com as linhas das vigias, um pormenor que reparara fora a escada que num dos dias que o vi, estava montado para o lado do mar, nessa posiaçao das vigias, como a desta foto, e o estranho era que o zodiaco continuava no conves, portanto aquilo me pareceu ser um cio,


po is um per rf um me a qui ise ref fl e ct te q ue , se ser rat el la ac cio io em ac om o ove do veleiro, no do cais da roc homa ad e dec conde de ob bid os , p o is en t rea s me sm as gi g ia ss en doque no da cc , caso, do outro, uam esr ra anha vi g ia e sta na linah dea g ua ass si em me is ub mer sa e de s en g a primeira asa, e um vaso com as das linhas das vi g ia s , um por men o rat q ue r epa par ara for a esca ad da q ue nu madeira dos serpentes do dias, psd, q ue o circulo do vi, est ava montado patra o lado do don ar, ness ao posi cia ac sao das vi g ia s com ad e sta f oto , e o ets ra anho da era, q ue do zodiaco, conti nu ava ano no co n v es , porta anto, a q u ilha me par rece vaso ser primeiro cio do io
pois o nome do local do acidente dele de carro, ressoa como já me tinha apercebido no do barco, cha dd ad o paqui, id dd do dick, p u vaso cha pond, mary jo kapa cop do pp peche, ene ne emi s eta c rav na terra , we, f e tc emi , lança kkk, assim um palito repousou com percentil inclinado aqui à imagem da vareta do pauzinho chones, o ultimo das fotos ultimas qui publicada
p o is on no em made ria ad da dol ocal d ac do acide dente del le lede carro, r esso da primeira com o j acentoda primeira me tinha da ap per rc ceb bid on circulo do no do barco, c h ad dd circulo do paqui, l anca cortez kkk, ou seja do circulo maximo da am mx imo de espanha, primeiro corno, p al it circulo lito, rep ep po isa is vaso com do per cen til, inc lina ad o a qui a e magem da ava ar eta dop au z in h circulo, c homem one es , o u l t imo das f oto sul t ima s qui pun lic ad da primeira




este refelexo, na janela, estava qui ao lado da retrete do atalantivco , em vertical, ressoa numa imagem que aqui narrei , do et que como polvo se alapa a cabeça das gentes num filme de ficçao cientifca que boiava um dia no cais da rocha conde de obidos, e aqui, se lia nele, ge primeiro , ou vaso maior big sp delta p rin ciep,
este ref efe elle do xo, na jane le de la , est ava qui aol ado da ret re te do ar al lan ti vaso vc circulo, em ver t i v a l, r esso da primeir anuma mai mage made ria q ue a qui na rat re4i, do et q ue com do circulo do polvo, se al lapa primera cabeça, cabe eça, da sg g ene ts num primeiro dil mede fic sao c ue en ti fca, q ue boi ava um dia ano no cais da roc h ac c conde de ob bid os , e primeria do ki aqui, se l ia nel le ge pro rome iro , circulo da uva vaso maio rato da big, agencia de comunicçao e banco, sp delta p rim do cieo, iacep
continua....










Publiquei o texto anterior , e me saltou uma pagina google portugal, portanto como alguém acrescentando se tratar do peru português, o tal ior, o tal, burro, ps , das comunicações, e deve trazer esta evento algo a ver com a tal experiência feita aqui no algarve, da onda gigante, pois uma imagem parecida, se desvelou em dia recente, como a me relembra-lo

Pub lic eu io do texto ante iro , e rome me sal to u uma pa gina g oo g le portu gal, porta anto com o al g eu m ac r es c en t s ando set ratar do p eru porto gi ie es, o t al io ro t al, b ur ro, ps , das com da mu das nica caçoes, e d eve t ra ze rato e sta eve en to al goa ave r c om a t al e x per ie en cia feita a qui no al g rave, da onda gina te, p o is uma mai mage made rua par e cv id a, ase d es sc el o u em dia rec en te, com o prime ria am me r el em br a do traço ingles kapa do l es do primeiro do circulo do cio de dezembro
Na tal praia da maria luisa qui no algarve, o jornal dos bandidos, o masi do crimes e coias e tal, correio da manha, mostrava em dia recente, umas aparentes fotos comparativas , masi o menos nos mesmo ângulos, da tal arriba que na aparência caiu, e nada batia certo, naquelas imagens, ou melhor se desvelava um perfume de manha, pois as dimensões de agora pareciam menores do que antes, como se a erosão, fosse um fenómeno inverso

Natal al p raia da maria luisa qui no algarve, o jr en rn al dos bandidos, o ma s id o c rim es e co ia set cruz al, correio da manha, ms ot ra vaso em dia rec en te, uma s a par 3 en t es f oto s com mp ar a at iv sas , ma sio m en os no sm es mo angu lo s, da t al ar rib a, cos to l eta, q ue na ap a rec cn ia ca i ue n ad a bat ia ce rt o, ma q eu l as i mage ns, ou mel h rose d es vela ava um per rf um med da manha, p o is às das dimensões do agora par e circulo do iam men circulo rato es do q ue ant es, com o sea ero sao, fosse um f en om en oi em verso

Numa delas na falésia, era visível um burro, desenhado em seu perfil, como um ior, uma das redes de comunicações desta terra de bandidos a solta

Nu mad del as na f al e z ia, e ra v isi v el um burro, d es en h ado em s eu per rf fil, com o um ior, uma das red es de com única caçoes de sta terra de bandidos a sol cruz primeira

Numa outra capa ainda mais recente no mesmo jornal, se via em outra falésia, ou a mesma, com uma cas mesmo em cima, uma estranha sombra , como se tivesse sido feita em painting, e desvelava ela, um club de golfe, e uma semi mínima, como a dizer da tal musica do put das musica da s emi mini ima

Nu ma outra da capa, a inda maís rec en te no me ms o jornal, se via em outra f al es ia, o ua da mesma, com uma cas me sm o em c ima, uma est ram n h a s om br a , c omo se teve do iss e es serpente id do circulo do f e it a em pa int ing, e d es vela ava el a, um c lub de golfe, e uma s emi mini oma, com o a di ze rato da t al mu sica do put da sm u sica da s emi mini ima
Quando dei pelo clip da alice que menciono no texto de ontem, entre outros que vi, fui parar a um que se chama de whiteout, uma estranha historia que me pareceu assim meio de monstros tenebrosos no meio de uma estação americana no alasca

Qua ando de ip elo c l ip da alice, q ue men cio nono dp texto de ontem, en t re de outros q ue vi, f oi vaso par ar a um, norte sul, q ue se c h am a de w hi te do out, uma revista sobre lisboa, uma est ra anha hi s tori a q ue me par e c eu as si m me io de mon t ros te me br o os no me io de uma t esta sao am erica ana no da al lasca

Em baixo uma conferencia de imprensa com a parte da equipe que fizera o filme num festival de filme sem san diego,

Em ba ix o uma c on feren cia de i mp ren s a c om a p arte da e q u ipe q ue fi ze ra o fil me num f est iva l de fi l me se maior de san diego,

Olhei um pedaço da entrevista, e dera com a belíssima rapariga cheia de humor, que me pareceu muito masi bonita ao natural do que propriamente o que dela vi no filme, a coisa aqui estava entupida , a ligação e fui saltando na time line, que era comprida, e fiquei com uma história de underwear , onde a rapariga me parecera traz assim algo contra os underwear com alguma insistência, de tal forma que ficou estranhamente as ressoar dentro de mim, e me evocou uma memória através de um nome, uma marca, que aflorara num dos últimos textos, se bem que em outro contexto, a relaçao se estabelecia com um episódio antigo, aqui narrado, como um porche de parta sem ninguém com o motor a trabalhar, e depois um arranque rápido não visível, e umas cuecas que ali deixaram, ao ped do cruzamento onde se deu o choque entre o fidji e o ov italiano vermelho, de repente me parecia que a bela kate falaria de Alasca, e de monstros de alasca, e de aviões afundados em gelo, como se fosse de alguma forma a chave do que se passara em campo de ourique, um outro gelo, um outro gelo de alguém daquelas bandas, talvez, não necessariamente américa mas canada

O l he i um ped aço da en t r e vaso do ista, e der ac om a belissima ra pa riga che iade h umo mor, q ue me pa rece eu mu it oma si da bonita, ao na t ura l do que po rp ria am men to, o q ue del a vi no fil me, a co isa a qui es tva en t u pida , a liga sao e f u i sal t ando na time l ine, q ue e ra co mp rid a, e fic eu i com uma hi s tp ria de un der we ar , onda da prime ria da rapariga, me par e cera t ra zorro xa rato as si m al g o c on t ra os un der we ar com al gum a in sis t en cia, de t al ramon fom ra q ue fi co u est ra anha ham am a que mente, as r esso ar d en t ro ad e da mim, e me evo co u uma me mor ia at rav es de um no me, uma ma rca, q ue a flor for mula one ar a nu made ria do sul t imo s te x t os, sebe em q ue em outro do contexto, a relaçao se e stab el e cia com um e pi s o di do io antigo, a qui na rr ad, com o um porche de pa rat sem nin g eu mc om o m oto tor a t ra b al alha ar, e dep posi um ar ra n ue ra pido n cão v isi v el, e umas cu eca s q ue al id e ix aram, ao ped do c ru z am rn to onde sed eu o cho q ue en t reo fi dj ie o ov it al ian ano do ove vermelho, de r ep en te me par e ceia q ue a b el a kate fala ria de al as ka, e de mon t ro s de al as ca, e de avio es a fun dado s em gel o, com o se fosse de al gum a forma ac h ave do q ue se p as sara em campo de ourique, um o u t ro do gel o, um outro g elo de al gume da q u el as bandas, t alvez, n cão ne c ess sari am que mente am erica cama serpente do canada





depois da segunda vez que lá fui de nov ver, e assim li

dep o is da se gun da ave z q ue l á f u id en ov ver, e as si made ria do maior li

do dark castelo, d un ge on, do alasca do no do horizon, empresa , de compras on line, ou algo assim, w hi te o vaso cd ca ac cruz da kate ce c da ck kin da venda, s al le, e, dois mil e sete , ser do bar do ra da segunda serpente do vinte do gelo de Montreal do brave one hd, o un d ana un j ur rie es, co do mic cc, cristina coutinho, o w p anel , ane primeira di rec tor do mini do circulo sena com o pr, da scott base, ou sci en, a ressoar em outras linhas de uma nova notícia sobre kennedy, da tesa do film, ba se do set m un quadrado re word de la, pan ts un der we ar ba gráfico novelas, v ane, navel s o ombro, s h o u l der do ban do icc, comunicações, na realidade um dos rapazes parecia trazer um tique na asa, que muito abanava, o forro da mesa remetia para a casa das tabuinhas de kennedy em camelot, trazia uma manga em fita vermelha, que me evocou ao momento da visão, kaballa,

do d ark cas telo p do al as kado do no do horizon, emo da reza , de c om p ra s on l ine, o ual goa ss i made ria, w hi te o vaso cd a cruz da kate se c da ck kin da venda, s al le, e, dois me ile do sete , ser red circulo do bar do ra da segunda serpente d ov int e dog dod gel o de mon t re la ad o br ave one hd, o un d ana un j ur rie es, co do mic cc, c ru st na co u tin ho w p anel , ane primeira di rec tor do mini do circulo sena com o pr, da scott base, ou sci en, ar esso ar em outras das linhas de uma nova not tica s ob re k en ne d y, da tesa do film, ba se do set made ria da un au d r ado re word de la, pan ts un der we ar ba g raf fic h n ove ls, v ane, navel s o ombro, s h oul der do ban do icc, com única caçoes, n ar e l a id ad e um dos ra p az es par e cia t ra ze rum tic ue na asa, q ue mui t o a ban ava, o do forro da mesa, madrid, reme t ia para a c asa das t ab u in h as de k en ne d y em ca melo elo ot br, t ra z ia uma manga em fi t primeira ave vermelha, q ue me evo co ua o mo men t o da vi sao, k ab bal do ll, primeira


kate como cat woman, ou seja michelle pfeifer, ou seja do grupo das farmácias,

ka te c omo cat w oman, o use seja mic hel l ep fei fero vaso di seja do g rupo das f ar ma ac cia,

star bar do ra do ring, gr, kate bec ck kim sade, o gabriel do match, dos fósforos das quinas do lar, do tom gato srek do rit, do columbus s h irt, com o alex circulo la u h lin, do mini circulo s en d c om pute, dos computadores, do cast crew, e uam estranha ressonacia, com base num papel que ela fez, num filme que se chama maria louise, a ressoar no que o vento de novo me mostrara em salema, ao fazer bater a caixa eléctrica que tem o símbolo do bolt, do trovão

star bar do ra do ring, gr, kate bec ck kim sade, o g ab briel rie do el do match, dos f os o dos foros das q u ina sd o lar, do tom gato s k e rato do rit, do c ol um n us s h irt, com o al e zorro do circulo la u h lin, do mini circulo s en d c om pute, dos c o mp y t ad dor es, do ca st crew, e uam est ra anha r esso na cia, com b ase num pap el q ue el a fez, nu m fil mec q ue sec hama maria lou ise, a r esso ar no q ue o v en t ode en ovo me mos t r ar a em sal ema, a o f az e r b at e ra ca ix a el e t rica q ue t emo s im b olo do bolt, do t rova circulo

depois descobri uma outra bela ruivinha que me deleitei a vê-la, um nome muito, frequente, amy, adams,

d ep o is d es co br i uma outra be la rui vinha q ue me del e teia ave do traço ingles de la, um no me mui t o, fr e q u en te, am y, ad dam am maior serpente maria sobral,
A base do guarda chuva onde o gato pela alta noite veio estranhamente brincar, como se na base dela algo estivesse escondido, trás a seguinte referencia, brevettado, numero do vinte oito, maestro, de noventa e cinco, setembro, segundo do bar do ra de oitenta e sete circulo kapa do e, maçónico, assi, o diz


A b s ase do dog ur ad ac home da uva dao onda do circulo do gato p el a al t a no noite, it e eve veio e t r ana home que mente br inc da ar, com o sena b ase del a al g o est iv ess e es condi dido, t ra s ase gui inte refer ren cia, br eve tt ad o, nu meo rato do vinte oito, ma est rode da ode de noventa e cinco, setembro, se gun dodo bar do ra de oitenta e sete circulo kapa do e, maçónico, assis,sis do cio do circulo da di do zorro, o relativo ao veleiro, assim me diz agora o corrector,

outra vez esta porcaria da ligaçao a cinquenta e seis k

circulo vaso cruz ra ave zorro es st a pp pr por rc aria da liga da sao primeira de c inc q ue en t a e se ix kapa

hoje de manha no balcao , li as chitas zetas, aszorras etas ts serpentes da di do ps, relativo ao cio da camioneta, assim, relacionou o pensamento

homem oje de manha do no do bal cao , li as das chitas , c hi t as das z etas , as sor ra se est se ts serpentes da ad da di do ps , re la t ivo primeiro do circulo do cio da cam mi one eta ass si re la ac cio no vaso do circulo do pem pen sam am men to
A base do guarda chuva onde o gato pela alta noite veio estranhamente brincar, como se na base dela algo estivesse escondido, trás a seguinte referencia, brevettado, numero do vinte oito, maestro, de noventa e cinco, setembro, segundo do bar do ra de oitenta e sete circulo kapa do e, maçónico, assi, o diz



A b s ase do dog ur ad ac home da uva dao onda do circulo do gato p el a al t a no noite, it e eve veio e t r ana home que mente br inc da ar, com o sena b ase del a al g o est iv ess e es condi dido, t ra s ase gui inte refer ren cia, br eve tt ad o, nu meo rato do vinte oito, ma est rode da ode de noventa e cinco, setembro, se gun dodo bar do ra de oitenta e sete circulo kapa do e, maçónico, assis, do circulo da di do zorro


outra vez esta porcaria da ligaçao a cinquenta e seis k


circulo vaso cruz ra ave zorro es st a pp pr por rc aria da liga da sao primeira de cin q ue en t a e se ix kapa
A base do guarda chuva onde o gato pela alta noite veio estranhamente brincar, como se na base dela algo estivesse escondido, trás a seguinte referencia, brevettado, numero do vinte oito, maestro, de noventa e cinco, setembro, segundo do bar do ra de oitenta e sete circulo kapa do e, maçónico, assi, o diz



A b s ase do dog ur ad ac home da uva dao onda do circulo do gato p el a al t a no noite, it e eve veio e t r ana home que mente br inc da ar, com o sena b ase del a al g o est iv ess e es condi dido, t ra s ase gui inte refer ren cia, br eve tt ad o, nu meo rato do vinte oito, ma est rode da ode de noventa e cinco, setembro, se gun dodo bar do ra de oitenta e sete circulo kapa do e, maçónico, assis, do circulo da di do zorro


outra vez esta porcaria da ligaçao a cinquenta e seix k


circulo vaso cruz ra ave zorro es st a pp pr por rc aria da liga da sao primeira de cin q ue en t a e se ix kapa