terça-feira, setembro 29, 2009

Como vos tinha chamado à atenção em dia recente sobre esta vacina, e a necessidade das cidades trazerem organismos independentes de controlo de qualidade e de analises sobre a perigosidade destas coisas, coisas, palavra mais certa, coisa que podem matar e que matam

C omo vaso do os da tinha c ham amado, ps, à t en sao em dia rec en te s ob re es ts v ac ina, e a ne da necessidade, mne, das cida do quadrado es, t ra ze rem o r gan is mo s inde o pen dentes es de c on t olo de q u q li dade e de ana l ise do sed do ss , santos silva, ob rea peri rig isi dd e de sta s co ia s, co ia s, pala vaso do ra mais ce rta, co isa q ue pode made ria mat ar e q ue mat da am



29 Setembro 2009 - 09h21-correio da manha

Autoridades estão a investigar este caso
Inglaterra: Jovem morreu após ser vacinada
Natalie Morton, de 14 anos morreu na segunda-feira após lhe ser ministrada na escola que frequenta em Coventry, a vacina HPV1 Cervarix que serve de prevenção ao cancro do colo do útero.
De acordo com as autoridades de saúde britânicas, foi aberto um processo de investigação e todo o lote de vacinas, da qual foi retirada a que foi ministrada a Natalie foi posta de parte.

A comunicação social revela que a jovem sofreu uma rara reacção à vacina que a terá conduzido à morte, embora as causas oficiais sejam desconhecidas. Por outro lado, as colegas de Natalie que também foram vacinadas sentiram naúseas e enjoos e foram enviadas para casa.

traduçao para leigos,

cruz ra ad di vaso da sao, para da lei do dog do gato do os

Au tori id ad es e serpente tão a in v es tiga rato de este caso, Inglaterra: J ove m mor reu ap ó s ser v ac cina ina ad a Na t al lie do ie Mor ton, de 14 ano s mor reu na se gun da do traço ingles fe ira ap ó s l he ser mini st ra ada na es c ola q ue fr e q u en t a em C ove en t rato do delta , a vacina HP vaso do primeiro, ser erva vaso ari do x q ue serve de pre eve en são, a o can c ro do c olo do ú t ero. De acor doc om as au tori d ad es de sa ú de britânicas, f oi ab e r to um pro roc esso de in v es tiga são e todo o lot e de v ac ina sd a q ual f oi ire tir ad a a q ue f oi mini s t ra ada ana t al ie f oi post ad e p arte.

A com única do cação soci al rato da eve la vela , q ue a j ove m s o fr eu uma r ara rea ac são à va c ina q ue a te rá condo do zorro, id do circulo da à m orte, em bora as ca usa s o fi cia is sej am d es c on he cida s do ponto do por de outro lado, as c ole gás da nata l ie q ue eta tam am também do foram, pt, v ac ina ad as s en t iram na úse as e en jo os e foram en via da spa para rac do circulo da asa da casa.
Coimbra, recentemente entrada, em texto, de novo nas noticias ontem a assinatura com a morte de tres mulheres num lagar, uma cuba de vinho, em cima de um tractor era levada, sem algumas tábuas de madeira, um barril, um pião dos jogos da santa casa, pedrinha da covilha, do ac do aco covil da ilha da freguesia de ferro, do ps, d z des ase do sete, da primeira do sessenta e nove, da fun do dao, terceiro do quadrado da estrela primeira

Circulo em oi made ria do bra, rec en te q ue ie que mente, en t ra ada, em te x t ode en ovo nas not tic cia s on te ema primeira da as sin a tura com da primeira am da m orte de t rato ps es mul da her es nu ml la gato da ar, uma de cuba de vinho do vaso ino, em c ima de um t rac tor e ra l eva ad a, se em ma d a al gum as t abu as de madeira, ilha, um bar rato ps i primeiro, do primeiro pi a o , furacão, do os sj dos jogos da s anta casa, ped rinha da c ov ilha, do ac do aco covil da ilha da fr e g u es ia de ferro, do ps, d z des ase do sete, da primeira do se s en ta e n ove, da fun do dao, te rc e iro do quadrado da estrela primeira

Mor rem int ox i cado sc om do gás a f az e rato ps do vaso in ho, natal, Um t raba do alho de ero t ina h ab bit tua al nest a é poc ad do circulo do ano, em q ue sec o l he às das uvas e se f az do zo do vaso do vinho, aca ab o u em t ra gé di a para um ca sal e um amigo, q ue for ram am a t rai ç o ad os p elo s vaso ap o rato ps es tó xico do bico da serpente libe rta ad os p elo mo st o, on te em à t arde, em Rio de Gal das linhas, in homem do ás, fr e g eu serpente do ia de Alma da m ala gato do vaso do ê serpente do doc on cel do homem da ode de dec de coimbra do mor re ram os t rato ps, ê sin to xica cado sn do circulo do paz se rato, pan ze r de ferme en tação do la gato da ar de vaso in no do natal.
Ph i lip pp p ine dea cross, homem da cross to do ll rato ps da ise es, a sn ne do duplo vaso das sw storms br e w, segundo delta da teresa circulo do erro do ano , roja, princesa do ano, as soc cia ted pr ess do escritor do duplo vaso do rito, teresa circulo do erro do pi do ano, man da ani da ila do filipe pp ine
au st ra l ia, o bi l do se gund ki do onze do l do io do input oi u tp put, na aire, se gun bdo la ts di gita segunda da swan, da pata, queen, do q ue en serpente da lan dada, lan anc do media club, circulo lub primeiro s ub do mar ino, g rup o t nil, tvi, do br is do borne do air do poto, ben en dig do circulo do segundo ank, da ventoinha, do dinheiro e do avia circulo, gasolina espanhola, do dinheiro do furaçao, circulo rell time do hi h ato do homem est pa id ,e executivo mais bem pago, e x e cut iv o rec ce uv o, ivo, duentos time, mortes madris, ave rage duplo vaso cir do cabo do vaso do lo do rato espanhol ps, kapa e rato serpente do sala do ary, a estrela do falo do maçonico do rio tinto,
http://www.huffingtonpost.com/2009/09/27/clinton-there-wont-be-a-r_n_301140.html

como eu entendo este rapaz, e como as manhas sao sempre as mesmas em suas variaçoes
Este acidente da notícia do mercury no post anterior, para quem ande distraído , não deixa de ser um eco num outro que aconteceu à umas luas valentes em espanha, e remete para o tal grupo de novo aqui convocado pela palavra, o tal grupo cento e um , ou mil cento e um dos jogos de casa

Este acide dente da en teresa da not tica do mer c ury no post ante ior, a puta do antonio costa, para q u em ande di s t rai id o , n cão de ix ad e ser um e co num outro, q ue ac on tec eu h á s umas lu as v al en t es em espanha, e reme teresa rea cha, china, para o t al g rup ode e n ov a qui v om vaso do circulo do cado p el qa par ala v ra para t al g rupo cento e um , ou mi l c en to e um dos jogos de casa, ou mesmo da s anta casa

Diziam letras da putas no jornal dos bandidos em dia recente, que era de conveniência e coisa tal, provavelmente a deles, e provavelmente a encenar um qualquer falso sos, para que eu safasse eventualmente o rabinho de um qualquer bandido, proteger, e que a canção da dança da chuva, não seria o suficiente

Di zorro iam am das letras da putas do no do jornal dos bandidos em dia recente, q ue era de c on vi ni en cia e co isa t al, pro da ova da ave le lem n teresa primeira deles, e por v ave lem n te a en cena ar rum q ual q eu rato ps f al s o, serpente os, pra q ue eu sa f asse eve en tua al lem n teo dos ra bin h os de um q ual q u we r b ban dido, porte ger, e q ue a cna can sao da d ança da ac home da uve, n cão se ria o sufe cie en teresa

Agradecendo a tradução, que creio se reportar a do livro de poesia toda do herberto helder que recentemente li para todos e para hillary em particular, efectivamente, caso o seja, uma canção da chuva como diziam, só protegerá a terra ressequida pelas estupidez humana e quem sabe melhore tambem o leitinhos do seios das jovens maes

A g ard dec en do a t ra ad u são es, q ue c rei io se r ep porta ra do l iv rode poe s ia ti o dado do he rb e rt o hel der, q ue rec en te mn te li para todos e para hi ll ar y em p art tic u lar, efe ct iva vam am mn te, caso do circulo do seja, uma can sao es da ac homem da uva, com o di zorro do iam, serpente do acento no circulo da ó pro te gato rá primeira da terra, r esse u id a p el az est up pide id es humana, e q u em s abe mel hor e eta tam am tambem do circulo do leite do tinho do sio sd às das jovens maes

Pois na realidade choveu aqui em lisboa, e ainda ontem quase pelo amanhecer de novo assim aconteceu, andava eu nesse preciso momento pensando na mae das filipinas, e conversava em espírito com ela do que ainda falta cumprir da promessa que lhe fiz , ao seu pedido antes de partir, e quando vou a janela reparei que o chao estava de novo molhado


P o is na rea al id ad e c h uv eu a qui em lis sb boa, e a inda on te made ria q ua ase p elo am man he ser de n ovo as si m ac on tec eu, anda ava eu ness e p pr e ciso, mo men to pen sand dona mae das filipas ina ase da se c on ver s ava em es pei r to c o m el ad o q ue a inda f al a tc cu mp rato ps e rda por me ss a q ue l he fi z , a os eu ped dido ant es de p art tir da ire, qua ando v o ua j ane la r ep par rei do ie, q ue o ca ho est ava de no ovo mol home da ad circulo

Na noite no telejornal, a noticia de cheias nas filipinas, e assim percebeu meu coraçao ao vê-las, a relaçao e tambem o cio do dn, pois o poema que li, não especificando a que serve, diz claramente , comanche, que é nome de código na américa e que tambem trás proximidade, com cayenne, ou seja, porche, agora se fechava o ciclo desta linha que vem desde à muitas luas atrás, sobre a conta das chuvas nas filipinas, pensam tambem a parte respectiva as putas do dn e nao se esqueçam de incluir a morte da senhora, que me foi aqui anunciada em véspera como relatei no livro da vida

No da no it e no telejornal, a no tica dec cheias nas filipinas, e ass im per rc e beu me do vaso cora sao a ove do traço ingles do l as, primeira da relaçao e eta tam am tambem do circulo do cio do dn, p o is o poe ema q ue li, n cão es pe cif i can ando a q ue serve, di zorro clara ram am que mente , com anc he, q ue é no mede cod di g on a am erica e q ue eta tam am tambem, t ra s por x i m i d ad e, com ca y ene ne, o use seja, po rc he, agora sef e c irc uk lo do homem kapa da ava, o cic lo de sta da linha q ue eve made ria de sd e à mui t as lu as at rá ss, silva santos, ob rea p rie emi mira da primeira conta das chuvas nas filipinas, pen sam t am tambem ema primeira p arte rato ps es pe ct iva às das putas do dn e naso da se es q eu ç am de inc lui ra morte da senhora, q ue me f oi a qui anu un cia ada em v es pera com o r el a te ino l iv roda david da vida

De notar ainda que o passe na estação de alcantara, foi preparado com pormenor, pois estive neste domingo, masi de quarenta minutos à espera que o comboio chegasse, o que é um tempo anormal, e portanto prova que terao inclusive tornado a comandar os comboios, como fizeram em tempo num outro passe na estação do metro do sporting, prova isto de como a teia de corrupção do ps é enorme e de como usam a seu belo prazer para fazerem o que querem

De not ra a inda q ue o ps sena est aç sao es de al can tara, f oi pr e para ado com por men o rato ps, p o is est iv e nest e domingo, ma s id e qua da renta minu t os à es pera q ue o com boi do io chega asse, o q ue é um te mp o ano r m al, e porta anto pro da dao da ova, q ue te ra o inc l us iv e tornado a com anda ar os com boi os, com o fi ze ram em te m ps o nu mo de outro p asse na est aç sao es do metro do spor t ingles, por vaso da primeira is to de c omo primeira da teia de co rr rup p sao es do ps, é en o r me e de c omo usa sam am a s eu b elo pr az e rato rp do para, f az e remo q eu do quadrado do eu do rem

Na volta dos olivais, dois passes, um primeiro na entrada da estação, do metro, onde tambem está claro o envolvimento dos medias, na imagem que hoje traziam da saga do tal rapaz de chapéu de cowboi, e botas , de nome zelaya, e portanto com ligação a linhas da hillary e do apoio da américa, e depois um outro dentro da carruagem , começo pelo segundo que é mais simples de contar

Na ava da vasp do circulo do primeiro da cruz da ad os dos olivais, do is p ass es, um prime iro na entrada da est aç são es do metro, onda eta tam am tambem, e stá c dop prime rio do aro, do circulo do envolvimento dos medias, na ima ge made ria q ue homem do oje t ra zorro do iam da saga dot cruz al ra p az de cha ap do vaso dec cowboi, e b ota s , de en no me ze primeiro da laya, e porta anto com liga ac são es , primeira das linhas da hi ll ar y e do ap oio da am erica, e de pp o is um outro d en t roda da carruagem , com e ç cortez do circulo do p elo se da gun do quadrado da ue é ema do si do simples, dec on tar

Vindo do oriente, ou seja ad da zona da expo, e das linhas das visões nas torres e outras que aqui constam neste livro da vida, tres jovens, um casal e seu amigo que saiu numa estação antes, e que vinham falando brasileiro, ou seja, dizia o brasil, que o cimento do homem do conhecimento, ou seja do pavilhão do conhecimento ou a ele ligado, e portanto uma linha antiga relativa a alguém ligado a ciencia, e conhecimento, fora do task force do boss, do bruce do springsten

Vaso indo do oriente, o use seja ad da zon ad da primeira do tempo da expo, e das linhas das vi s o es nas torres e o u t rta s q ue a qui c on st am nest e l iv roda da vida, india, t ratos es j ove en ns, um ca s al e s eu ami g o q ue sa europeu nu ma est aç são es ant es, e q ue vinha ham da manha, f al lan ando bar serpente da ile iro, o use seja, di zorro do ia do circulo do onze do ob do brasil, q ue do circulo do cimento do homem, o do c on he cie mn to, o use seja do p av i ll h a o do c on he cie mn to o ua el e liga do gado, e porta anto uma da linha antiga, r el a t iva a al g u em li gado da prime ria da ciencia, e c on he cie mn to, for ad o ta serpente kapa da f orce do boss, do br u sed o sp ring st en

A imagem do zelaya, vem já de muito atras como todos se recordarão, o penúltimo fio que as putas do dn encenaram, o mostrava deitado num canapé ou algo assim, e com os pés com botas apoiadas à cowboi numa cadeira, que mostrava um curioso desenho em seu espaldar

A ima ge made ria do oz do ze dd da primeira da edi tora da laya, vaso em j á d e mui to at ra sc omo todos seda da se rec o r do quadrado do arao, o p en u l t imo fi do io do q ue ás das putas do dn en cena en da primeira do ram, o mos t rava de it ad on um c ana ape o u al goa ss em, mec om os p es com das b ota s ap poia ad as à com boi nu ma cade ira, q ue mos t ra vaso um cu rio s d es en ho, natal, em s eu es pal da ar do rato ps

A imagem era fabricada, como algo que se apresenta ao olhar na esperança de ser interpretada, e assim fazer luz sobre algo que alguém afirma e outros certamente contraditarão, como estas bestas tem tentado julgar estes terríveis crimes muitos deles contra a humanidade, o que o prova é a posição do homem e sobretudo da cadeira e da relaçao entre ele e ela, pois não é a posição natural numa situação de descanso como aquela, ou sej está forçada, e diz claramente, em forma subtil, que é uma encenação

A ima ge mer a fabrica ota l ia dao italia, ca ada, com o al g o q ue se par da senta a o o l home da ar na es per na aç es de ser inter r pr eta ad a, e as si made ria f az e rato ps da luz, s ob re a l g o q ue al gume a firma e a outros ce rta tam am quadra do ie que mente, c on t ra ad dita arao, com o e sta s b est as te made ria t en t ad o ju l g ar est es terri iv e is c rim es mui ts del es c on t ra a h uma ani dade, o q ue o por vaso da primeira, é a posi sic são espanhola do home e s ob br e t u o da cade da ira e da relaçao, en t re e l e e ela, p o is n cão é a posi sic sao na tura al nu ma si tua aço ode cod d es can soc omo aquela, o use sej e stá f orça da, e di zorro clara ram am que mente, em forma s ub til, q ue é uma en cena ac sao

Assim mostram o espaldar da cadeira de madeira cor de café, que é tambem cor de pele, que bela declinação, assim logo encenada pela lógica descritiva , a partir da construções semânticas, que sabem que eu uso , apoiadas em sinónimos extraídos de folhas de calculo, que eu uso, espantariam-se meus olhos, se não conhecesse desde sempre as bestas e as suas manhas das apostas, de sangue dos assassinos, para que fique a todos e ao tribunal penal internacional , clara a acusação

As si em mos t ram o es p la ad ar da cade da ira da madeira , cor de c a fé, q ue é eta tam am tambem, co rato ps de pele, br, q ue b el a dec lina ac são espanhola, as si em logo en cena ada p el a lógica d es c rit iva , a p art tir da c on s t ru ç o es se man tica s, q ue s ab em q ue eu us o , ap o iad as em sin o nimo s ex t rai id os de f ol h as de cal cu lo, q ue eu us o, es pan tar iam do traço da inglesa se me us olhos, se en cão c on he ce ws e de sd e se mp rea ás sd das bestas e as s u as das manhas das apostas, de sangue, do os ass as sino serpentes, para q ue fic ue da primeira de todos e primeira do circulo, o do tribunal penal internacional , clara a ac usa são espanhola

Se lia então no espaldar e pela forma, a borboleta da lira , ou da harpa celtica, de uma foto do man ray, do grupo dos surrealistas, que recentemente fora tambem alvo de uma tentativa de correlação com um filme com o paul newman, onde um nome ressoava numa das fotos tiradas por uma rapariga que fora do grupo surrealista , tambem conhecida por conde naste, a for doo man ray, acho que é dele, não me recordo ao certo agora, é muito conhecida , as costas de uma rapariga nua, onde se vê as abertura de um violoncelo, ou seja de uma menina musica , stella , uma das tres stelas do seth de acordo com a insistência que vem dos guionista da América, sobre as linhas dos manuscritos do mar vermelho, exequíel, quarenta, as botas do cowboi em cima do assento, o u seja as botas, as botas da torres, a ostra, botecelli, em cima do colo da menina, assim é a suma da preposição da foto, ligando como se vê diversos fios que aqui relatei

Se lia en tao no e spa l da ar ep la forma, a bo rb o l eta da lira , o u da harpa primeira do celtic ad e uma f oto do man ra deo do delta, dog rup o dos surrealistas, q ue rec en te mn te for a rato ps t am tambem alvo de uma t en tat iva de co rr el la ac sao com um fil me cm pop ual ne w man, onda um no me r esso ava nu mad as fotos tir ad as por uma ra pa riga q ue for ado dg dog rup o s ur ria ak ista , tambe c on he cida por conde naste, a for doo man ray, ac ho q ue é del en cão me rec o do ao ce rt o agora, é mui to c on he cida , as das costas, de uma ra pa riga nua, onda se eve as ab e rt i ur ade um viol on c elo, o use seja de uma menina mu sica , st e ll a , uma das t r es st e l as do seth de ac o r do c om a in sis t en cia q ue eve made ria dos gui on ista s d a am e rc ia, s ob rea s linhas dos manu s c rito s d omar do mar vermelho, e x qui ie el qua renta, as das botas do c o w boi em c ima do as s en to, o use seja as das botas, as botas da torres, primeira ostra, bo ti ice el li, em c ima do c olo da em nina, as si mé a s uma da pre ep posi sic sao da foto, li gan do c omo se e quadrado da eve, di versos fi os q ue a qui r el a t ei

Uma destas relações, só a poderiam saber entrando como de costume cá em cas pois calha a revista que esta por detrás da minha chaise longa, a trazer, e não é ela visível pelo angulo em que se encontra nos vídeos, ou seja prova assim que ca entraram, como sempre o fazem estas putas, para tribunal europeu criminal tambem

Uma de st as das relações, s ó a pode ria am saber en t ra ando com ode cos t um me cá em cas p o is ca alha ar rato ps e eva do vaso ista, q ue e sta por det ra sd am min h a ce h a ise da al ong da a da cruz do ra da ase da se do ze re n cão é el a v isi v el p elo ang gula em q ue se en c on t ra nos v id é os, o use se j ka por v a as si m q ue ca en t rato aram, com o se mp reo f az em e sta s pi u t as,, para t rib un ak l eu rop eu c rimi na al t am tambem

Depois em dia seguida juntaram as putas na comunicação social, masi um linha, que agora quem tem o poder no país do senhor, pedia ao brasil, para o deixar de apoiar, sendo que quem o apoio inicialmente se bem se recordam fora a américa via senhora hillary

D ep o is em dia se gui id junta tar ra sm as das putas na comunicação soci al, ma si um da linha, q ue agora q u em t emo pod der no pa s id o s en hor, ped ia ao brasil, para o de ix ar de ap oi ar, s en do q ue q u emo ap a oio in ni cila ila lam am que mente, se b em se record dam am for a a am erica via se m hora hi ll ar do delta

E como todos os que viram esta ultima fio da encenação nas notícias difundidas na televisão, foram buscar assim umas fotos sem pés nem cabeça aparente , de um arco, que se referia eventualmente ao brasil duas imagens, um arco muito elevado, com a proporção do desenho de um clip , quem o viu, saberá logo pela forma como as apresentaram, que ali havia manha, mais uma prova para o tribunal penal internacional

E c omo, ecce homo, td osso os quadrado do primeiro da dol da ue vi rato ps ma e stau primeiro da cruz do t ima fi do io da en cena ac sao nas not tica s di fun di id ds na tele da visão, forma b us car as si m uma s fotos se m p é s ne m cab eça ap ar rec cn te , de um arc oi, q ue se refer ia eve en tua al le lem n te ao bra c si l du as das imagens, um arco mui to el eva ado, com a por rp do porcao do d es en h o de um c l ip , q u emo ov ie vaso, s abe rá logo p el a forma com o as ap r es en t aram, q ue al i h avia manha, maís uma por vaso da primeira do para do circulo do t rib un al da p en al inter na cio on al

quando cheguei a boca do metro dos olivais, depois do jantar a luz do candeeiro por cima logo começou a piscar, a dar sinal de algo, como sempre estas putas fazem usando a iluminação publicas nestas merdas

qua ando che g u ei a boca do metro do sol iva is, d e p o is do j antar a luz do can di ei iro por c ima logo com e ç o ua pi sc ar, a da ar sin al de a lg o, c omo sempre est as putas f az em usa sand o a i lu mina aç sao da publica, suplemento do jornal, serpente nest às das merdas

porquê, perguntarão, pela simples razão que o tal arco que forma arranjar para estabelecer a relaçao com o brasil, tem a mesma proporção da entrada desse boca de metro, com um outro pormenor, corresponde ela a uma fiada de dentes de uma dentadura de uma besta com salvo erro, dezoito dentes, dezasseis deles em travessões metálicos, e dois da extremidade, correspondentes ao que seria o ciso de um tal animal, à medida exacta destas bet as , sub humanas, que entram no chao como simbolizando a ligação entre mandíbulas, os outros dentes , travessões, metálicos assentam em pedras brancas paralelipipedas, como dentes metálicos, como um aparelho de dentes, ou dentes metálicos tipo pirata das caraibas,

por q ue, per g un t arão, p el a simples r aza o q ue o t al arco q ue da forma ar ra n j ar para e stab e le cera da primeira kapa da relaçao, tribunal, com do circulo do brasil, te ema am es sm a p rop do pro sao da entrada d esse boca de metro, com um outro por men do circulo do rato ps, co rr e ponde el a, a uma da fia ad, da a dos dentes de uma do quadrado da en tura de uma besta com s alvo e rr o, dez o it o d en t es, dez as ie es d el es em t rave esso es met al i cos, e do is da e x t remi dade, co rr e pond det es a o q ue se ria o ciso de um t al anim al, à me dida e x aca t d e sta s bet as , s ub h uma ana s, q ue en t ram no cha o com o s im bo l iza zan ando a liga sd do ac da são espanhola en t re man di bulas, os de outros dentes , t rav esso es, met al i cos as s en tam em pedras br ab cas para le l ip pepe ped as, com o d en t es met a l i cos, com o um ap ar el homem da ode dos dentes, o u d en te es met al i cos t ip o pi rata das cara iba serpentes

continua....
Falara eu de uma imagem recente do tal rolls royce que me aparecera num angulo de noite de tempestade vindo braço de prata, relacionado com os bandidos do tal grupo que por ali na altura andava, que remete para uma batalha no ifp, sobre o especialista teórico francês das prisões e da liberdade, e coisas assim , ou assado, e logo um filme em síncrono me disse, que ra a princesa gena, gema da arte do gato ton,, em walt disney pic da ture do ur espanhol do principe da pérsia, cruz do home ingles da sand ds do circulo do time do dois mil e dez, t rp programa e stanley kubric, do cubo, o da box, da imagem recente nas amoreiras sobre a queda das torres

Fala ala ra eu de uma ima ge made ria rec en te d o t al rol do onze da serpente roy da ce que me ap ar rec e ra nu primeiro ang gula , ode da noite de tempestade, vaso indo do br aço de p art rta a, r el ac cio io na ado com os dos bandidos do t al g rupo q ue por al ina al tura anda ava, q ue reme teresa para uma bata alha no do ifp, s ob reo es pe cia l ista teo ric o f d r ane w es das pr is o es e da liber ad e, e ca sis as simo vaso do assado, as sado , e l do ogo do primeiro fil me em sin c ron o me di ss sec ue ra a porn c es a gena da arte do gato ton,, em w al td i sn e y pic da ture do ur es pan hol do por rc ni ipe da pérsia, c ru zorro do home ingles da sand ds do circulo do time do dois mil e dez, cruz triunfo dos poc os rp pro gata da rama e stan le y k u bric ,do cubo, o da box, da ima ge made ria rec en te nas amo rei das iras s ob rea primeira da queda das torres

O pen b ank circulo do ft , he do west, mike sw e ft, san jose, cinquenta e tres anos, ou ester la da tríade, ainda relativo à noticia referida no post anterior
um eco ontem via o mercury news, segundo do delta do mike do switf

um e co on te made duplo vaso da via doc circulo da mer rc cu ur y ne ws, se da gun dodo delta do m ike do sw ti tf

http://www.mercurynews.com/news/ci_13428570?source=yahooNewsML&nclick_check=1

pois vinha um corvette, e um porche em sentido contraio, num acido dente do san jose, quem diria, pós ted corvette do no rt home do bound, bo un quadrado, on em z ank era do ro da ad em ab out, pressupõem-se que tambem houvera um in, para o movimento do dínamo do yin e do yang ficar a rodar para alem do que já roda por si mesmo a natureza, pelas 4 . 4 do primeiro ministro, friday, to turn le ft pn bering, estreito, misturador, veneno e submarino, beringer drive, st ru ck segundo delta primeira porche do serpente do vaso do circulo da cruz do sul, primeiro de oitenta e cinco, no mini, gb, em um da bala anc e no mon t home ang gula do delta fe espanhola persona primeiro é x p press ess fr om a m r i can , e x p ess

p o is da vinha, um co r v e t te, e um por rc he em s en t id o c on t raio, nu prime rio do acido dente do san jose, quadrado do vaso em di da ria da iria, p os ted corvette do no rt home do bound, bo un qua d rato ps ado, on em z ank e ra do ro da ad em ab out, pr ess u poe em traço da inglesa sex sec ue eta tam am tambem h o uve vera um in, para o mo vi men to do din amo do y in he do y ang, fi cara roda ar para al lem do que j á roda por si me sm o a ant ur e zap elsa 4 . 4 do prime rio min si t ro, fr id a y, tot ur rn le ft pn be ring, est rei to, mis tura da ad da dor do v ene en oe s ub marino, be ring ger drive, st ru ck se gun do delta primeira por c he do ser pen te da ova do vaso do circulo da c ru zorro do sul, primeiro de oitenta e cinco, no mini, gb, em um da bala anc e no mon t home ang gula do delta fe espanhola per sn on a pi r mi ero é x p press ess fr om a m r i can , e x p press do ess
A puta do socrates é a Fernanda cancio, jornalista da treta do grupo dos bandidos do dn e consequentemente de muitos outros medias, olhando o nome da puta, fernanda cancio, nela leio fc a ar da rodoviária nacional, n cio anda ac can circulo di, cu id da di do io

Primeira da ap da puta do soc ray espanhola é a fernanda na ad primeira da cancio, jornalista da teresa cha do w da rta do g rup o dos bandidos do dn e co nse q u nete mn ted e mui t os o u t rr os medias, o l h ando o noe made ria da puta, f ar anda can anc cio do oi, nela le io fc a ar da rod dv ia ria na cio na al, n cio anda ac can c ur circulo do delta do ki di cu id di io

Se a puta é a responsável pelo io dos cio da rodoviária nacional será tambem do cio da viagem para o Algarve aqui narrada, e tambem dos cios que pro cocaram uma serie de acidentes, com gente que entrava em contra mao, se bem se recordam e dos quais resultaram sangue e mortos, inclusive da morte do pai do miguel ramos

Sea da primeira puta é a r es pós na ave l p elo io dos cio da rodo via ria na cio na al se rá t am tambem do doc io da via ge made ria para do circulo do al g rato ps ave primeira aqui do ki do vaso ina rr ad a, e eta tam am tambem do s cio s q ue pro coc da coca do aram de uma se rie de acide dent espanhóis, com g en te quadrado da ue en cruz do rato av em contra mao, se b em se rec o rato do dam da am e do serpentes dos quais, fr policia, rato do es da uk primeira do ac da ac ru zorro do ram sangue e mor t os, inc primeiro us ive dam am orte da dop do pai do miguel ramos

Se a puta é responsável pelas imagens através da escrita e dos combinas que tem e trás nos medias de informação, pela rapto da madeleine mca can, tal terá que ter sido feito com o o conhecimento do socrates, assim se explica a o polícia não ter chegado a nenhuma conclusão, como nunca chega quando os corruptos as vergam, vide todos os casos sem aparente solução de todos os justos que forma perseguidos e mesmo os que caíram, como sá carneiro

Sea da primeira da ap da puta é r ep ps os na ave l p el as ima ge ns at rav es da es c rita e do s c om binas q ue te me t ra s nos med io s d e in for maçao, p el a r ap pt, o da madeleine mca can, t al te rá q ue teresa s id o feito, com o o c one h ce im en to do socrates, as si ms se e xp l cia a o pol i can cão teresa ce h a g do a ne en h uma co nc lu s al usa sao, com o n unc a chega qua ando os corruptos, as verga am, vide todos os dos casos se made ria , dos sem aparente sol u são, de todos os js u t os q ue forma perse gui id os e me sm o os q ue ca iram, com o sá da caran e iro

A puta cancio trás um irmão, com ligações aos amorins e a frança discotecas, assim se estabelece a relaçao com franca tambem, e sendo que eu trago informações sobre o amorim e os casinos e uma linha que ouvi no espirito relativa a dividas, relaçao ainda com a produtora de eventos ual, e o tiago torres da silva , ligação ao brasil

A puta can cio t ra s um i rn mao, com liga aç o es aos amo rin sea da primeira de frança das discotecas, as si m se e stab le ce da primeira da relaçao com franca tam e b me s en do que eu t rago in for mações s ob reo amo rim e os ca sino se uma da linha q ue o uv vi no es pei it o r el a t iva a di v id as, relaçao a inda com a por du ot ra de eve en tos ual, e circulo do tiago torres da silva , liga da sao da primeira do circulo do brasil


Assim se explica tambem a ausência da notícias que dava conta em capa do correio da manha em dia recente de que inglaterra já tinha pista sobre as contas do tal caso freeeport, nos offshores

As si maior se e xp lica tam e b ma a usa en cia da not tica q ue d ava conta e, made ria da capa do c o rr e iro da manha em dia rec en te de q ue inglaterra, j á tinha pi sta s ob rea serpentes das contas dot al do caso fr ee ep orto, no serpente dos o ff shore espanhol


Serpente do quadrado de setenta e nove da trans do campo do santana, do treze, do pátio treze, assim se le hoje nos restos do lixo do tal que parecia eu vivia aqui no quarto andar esquerdo, do golfe, com um saco que trazia as cores do lotus amarelo e negro, com um símbolo tipo africa que se encontrava invertido quando o vi na rua, ou seja de um golfe em africa, provavelmente o do paiol, que rebentou ou talvez da queda tambem do aviao do empresário, uma embalagem de espaguete acrescentava o sentido duplo, das massas, ou seja italia e do dinheiro

Ser rp pen te do quadrado dd e sete en t a en ove da trans do campo do santana, do t r e ze, do p a t io treze, as si made ria da se le homem do oje e ni serpente dos restos do lixo do t al quadrado da ue par da rec da ceia do europeu do vaso do iv ia da primeira da rac do qui aqui do ino do no da qa ur t o anda ar es quadrado do ue rato dodo golfe, com um s ac o quadrado da ue t rato, os ps, az ia ser pen te cor es dolo ru s am mar ato elo e negro, com um si mn olo t ip o primeira do fi rca quadrado da ue se en cabo, circulo on tt, t uber rc do cu lo seda da rav do ava invertido qua ando ov vi na rua, circulo da use seja de um golfe em africa, por vaso da ave lem n teo do p a io p rie emi can tor do miro do qi e r e b en to vaso do duplo da cruz alvez da queda tam e segunda da made ria do aviao do em presa sario do rio, uma em bala lage made ria de es par da g u te do ac es c en t ava o s en tifo d up lo, das massas, o use seja it al ia e do dinheiro, din he do iro, en guia


Uma imagem críptica emerge com frequência das letras, a tita, da al, a gita da al, ou seja uma rapariga com face de cigana, que é da norte sul, norte sul, eixo, da organização de cooperação e desenvolvimento arranjada por homens dos países do norte com os dos países do sul, um dos grandes players, por assim dizer, no tabuleiro de algumas , poucas organizações mundiais com peso nas coisas, norte sul tambem um editora musical ligada ao grupo odos bandidos da tvi, que agora de novo acabara de se desvelar pelo espirito, com a id de um passe feito por uma rapariga com uma vareta de lâmpada fluorescente, aqui na rua, do possolo

Uma ima ge made ria da c rip pt tica e mer g ue com fr e q u en cia da serpente das letras, a tita, da al, a gita da al, o vaso si io use seja de uma rapariga com da face da cigana, qi do ie, é da norte sul, norte sul, eixo, da o r g ani iza sao de c oo pera sao e d es en v o l v ie mn t o ar ran jad a por homens dos pa ise sd do circulo do norte, com os dos pa ise sd o sul, um do sg rand es p layer spor, roma, igreja raja, as si m di ze rato da rn do no t abu lei ur ode al gum as , p o u coa s or gam niza puta ps, circulo cortez, es, o es mun di aias com do peso, moeda e pais, nas co ia s, norte sul t am tambem, um da e di do dito da tora mu sic al liga gado da primeira do circulo do g rup, o dos bandidos da tvi, q ue agora de en ovo aca bar ad e se d es vela ar p elo es pei it o, com a id de um p ass e feito por uma rapariga com uma ava vaso da ar eta de lam ap da pada dada ala e made ria da, for mula one do ur os c en te, a qui da ina na rua, do ps oo primeiro do circulo do p os s olo do possolo

Fala este texto até este momento de uma com face de bela cigana, a puta do socrates, e calhou nas notícias uma outra bela, logo aparecer após a imagem das estrelas no ceu por cima da exposição dos tais do design, que como bem lembra a paula rego, são sempre muito castrados nas respectivas escolas, cheias de proibições, o que se ve tambem amplamente em muitos dos resultados do que hoje se chama de design

F al da ala primeira de este, t e x to, a té este mo men to de uma com da face de bela cig ana, primeira puta do socrates, e c al alho un às not tica serpente de uma outra bela, do logo, primeiro do cdu , duplo circulo do falo do gato cravado na terra, br, ap ar recer ap os a ima ge made ria das estrelas no ceu por c ima da e x p o siç sao dos tais, br, do de i gn, q ue com ob em lem br az asa primeira da paula rego, são se mp ren mu it o cas t ra ado s n as r es pe ct iva s, escolas, che ia s d e por rib i ç o es, o q ue se eve eta tam am tambem a mp la lam am que mente, em mu it os dos r es uk y t ad os do q ue h oje se da c ham ad dede is gn

Pois logo a outra cigana, cujo nl nome aparecia ontem num texto em pequena variação da coisa impossível, o genero, como guto, e não guta, que é não só um arquétipo de cigana como tambem parecida com uma bela actriz franco italiana, a monica bellucci, e irma da garra garganta funda da manuela moura guedes, dos bandidos da tvi, com as recentes linhas que o espirito desvelara em antecipação do tal do grupo do cebrian, ou lá como o rapaz dos bandidos socialistas se chama


P o is do logo da primeira da outra cigana, cu jo da nl, no me ap ar e cia on te made ria nu primeiro do t e x to em pe q u en a v aria são es da co isa i mp oss iv el, o g e ne ero, com do circulo do guto, e n cão da guta, q ue é n cão s ó um arque t ipo pode da cigana, a primeira, então do en ato, , com o t am tambem par e cida com uma bela actriz do fr anc o it al ian a , a monica be ll vaso da cc ie e irma da dag da garra g ar gan t a fun d ad da primeira da manu lea do moura guedes, cds, ds o bandidos da tvi, com as rec en net ts serpentes das linhas q ue o es oi do rito d es vela lara em ante cip aç sao do t al do g rup o do c e br ian, o u l á com o o r ap az dos bandidos soci a l ist as sec da chama, ou seja consequentemente do fogo, ingles, visto ser este que se desvelou agora no texto

O use seja co nse q eu en te que mente do fogo, ingles, vi s to ser este, q ue se d es velo lou circulo do vaso do agora no te x da cruz no circulo


A guta moura guedes, muito belinha, sempre apoiada em dinheiro via expo design, pelos bandidos socialistas que escolhem os que suportam e os que fodem nas sua políticas discricionárias, dando milho aos caes e as cadelas que os suportam, que tambem creio terá sido suportada pela puta teresa carvalho no âmbito do icep, ali estava ela na estação feita pelo almada negreiros, onde os negreiros dos socialista se reuniam , para apoiar o bandido do costa, e onde estava tambem , generosa a câmara que o mostrou, e um da norte sul, o jorge do sampaio, fla, das linhas das palavras, ficar uma muito engraçada a ressoar, sem ambiguidades, pressuponha-se que não estariam a falar nem de sexo como lhes chama nem consequentemente de dings,

A guta da moura dodo dog do guedes, mu it o belinha, se mp re ap da poia ad a em dinheiro, via e x p o de se serpente do ei do gn, p elo s bandidos socialistas, q ue es co l h em os q ue s u p p orta tam am e os q ue fodem nas s ua pol it tca, rito carlos cruz e companhia dos abusadores, s d es c rico na ria serpente do dando, mil h o a os caes e as cadelas q ue os s up pi rta tam am, q ue eta tam am tambem c rei do io, da teresa rá, s id o s up porta ad a p el a puta teresa cara vaso do alho no am bit o do icep, al lie ie stav el ana est aç são do tacao, feita, p elo al lam am ad da ane dos negreiros, onda do os dos negreiros dos socialistas, se r eu ni am , para a poia do aro do circulo do bandido do costa, e onde es tva t am tambem , g ene rosa a ca mara q ue o mos t ro u, o um do quadrado do ano do noret do sul, o jorge do sampaio, fla, da serpente das linhas das pala vaso do ra serpente, fi car uma mu it engraçada ar esso ar, se m am big gui vaso id ad es, pr ess up on h a do traço da inglesa sec ue n cão est aria am a f al rato ps, ne made ria de sexo com o l homem da es chama, ne mc on sec u en te mn te d e din gato serpente

Na estação no domingo quando se passou no ceu o que descrevera, a imagem do delta formado pelas duas estrelas na lua que figura o crescente, como uma pena de badmington, me remeteu pela memória para um texto da área desta segunda bela, que pelo fio de uma serie de hoje que me levou a abrir os textos gnosticos, me disse ser então, uma das tres ciganas, que eu deveria reunir numa só , curiosa tarefa, assim me disse agora mesmo o manuscrito de joao,

Na est aç são es do no do domingo, qua ando se passou., no c eu o q ue d es v reve eve vera, a ima ge made ria do delta f om ad o p el as du as estrelas na lua q ue figu ra o crescente, como uma p en ad e bb ad min gato do ton, me reme te vaso da el eva são, p el a m emo moira, para um texto da ar rea de sta se gun da bela, q ue p elo fi da dao ode uma se rie de h oje q ue me l evo ua ab r iro s textos gnosticos, me di ss e ser en tao, uma d as t ratas da es cig ana s, q ue eu d eve ria r eu ni rato rn nu ma s ó , c ur isa tar e fa, as si made ria da me di ss e agora me sm o oma manu s c rito de joao

Ou seja , na verdade a puta do socrates bandido fora da lei , e envolvido no rapto de meu filho, como o jorge sampaio, que com eles sempre está, e o ps em geral, como amplamente provado pela teia da corrupção e sonegação transistemica da justiça, que executam à volta deste caso, usando o estado e as confrarias a que pertencem,, terá então, um qualquer especialista gnosticos, e de alguma forma estas duas putas com uma terceira, serão, em suas doutas opiniões, uma encarnação, por assim escrever, de uma figura gnostica

O use seja , na verde dade dd da prime ria da puta do socrates, ban dido for ad primeira da lei , e envolvido no ra pt ode me u filho, c omo do circulo do jorge sampaio, q ue com eles se mp re est á, e o ps em ger al, com o am mp la lam am que mente, provado, p el a te ia da co rr up sao es e s one g aç são es t ra n sis te emi, can tora, mica da justiça, q ue e x e cu dao tam am, à v o l t ad este caso, usa sand oo estado e às das confrarias a q ue per t en cem,, te rá en tao, um q ual q eu r es pe cia l ista gn o is tc io, e de al gum a forma est as du as das putas com uma t rec e ira, se ra o, em s u as do u t as i p pi ni o es, uma enca caran sao de uma figu ra gnostica

Para alem da tristeza do que o espirito ne desvela agora na faca das letras de que pretensos gnosticos, que se reclamam do conhecimento e da tradição dos primitivos cristãos e de O Cristo e que apoiam os poderosos e perversos que abusam dos pequenos e dos pobres e dos humildes, a troco de vitualhas no banquetes dos abutres, o texto que me veio a memória na sequência da imagem que se manifestou ou que manifestaram, no cais de alcantara mar, por cima do museus onde estão as gentes do tal design, fora uma pequena tese que encontrei há muitas lua atras na internet, e que se chama em ingles qualquer coisa como, a arte do bricouleur post modernista, grrrr qualquer coisa, no campo de ténis ou no campo de badmington, o que serve para estabelecer e confirmar algumas das relações que aqui se desvelam

Para al lem da t rata ps si te z a d , o q ue o es pi rito ned es vela agora na faca da s das letras de q ue pr e t en s os gn os tico s, q ue se rec cc cam am lam do c on he cie mn to e da t ra di são es do s p r im iro do ovos crista o s e d e O C r is to l e q u ap o ria am os pode rosa e do perverso, q ue ab usa sam am dos pequenos e dos pobres e dos h um il d es, a t roco de vi t ur alha sn o ban q ua t es dos ab u t r es, o t e x to q ue me da eve do veio, primeira am me mor ia na sec un cia da ima ge made ria q ue se m ani f es to u o u q ue mani f es tara am, no do cais de al can tar mar, por c ima do m use us onda es tao as g ene net s d o t ak primeiro do d e i gn, for a uma pe q un a te sec ue en c on t rei h á mui t as lua at ra s na inter net, e q ue se c ham a em ingles, made ria q u q al q ue rato ps do rc co isa com o, a arte do bric co u le ur por mode r ni sta, g rrrr, no do campo de t en is o un o campo de bad min g ton, o q ue serve para e stab e le ser e c on fo imar mar al gum as das relações, tribunal, q ue a qui se d es vela lam am

Escusado será então relações da norte sul com a américa, de relembrar de novo a queda da ponte na américa, o eco na câmara municipal de lisboa, e muitas outras desgraças,

Es cu sado se rá en tao r el aço es da norte sul com da primeira am erica, der el lem br ar de en ovo da primeira queda da ponte na mae rica, o e co na cam ara rt m un ci ap pal al de lis boa, e mui t as outras de sg ra aças,

Aguardo os vossos comentários, antes de os levar a julgado no espirito, visto que entre os homens continuam vós as bestas, a negar e trazer vergados a justiça e os homens que dela dizem e que dela deveriam cuidar

A g u ard o os v os s os com en tá rios, ane ts de os l eva ra ju l gado no es pi rito, vi st q ue en t reo ss os h om en ns conti nu am v ó serpente do ás das bestas, a ne da gare t ra ze rato do ps, ver gados da primeira da justiça e os h om en ns q ue de la di ze mec ue de la d eve ria am cu id da ar

Pela lógica faltará ainda um terceira menina do mesmo tipo, para que o trio esteja completo, talvez a maninha mais velha de uma delas

P el la a logica f al tará a inda um terceira me nina do me sm o t ip o, para q ue o t rio es te ja c om p le tota al alvez a ma nin ham am da maís velha de uma delas

Antes da estrela começar a desaparecer no ceu, da noite, quem sabe, talvez com um laser feito no terraço do porprio museu, da tal exposição do design do oriente, já a montanha estava condensado no ceu, quando uma rapariga do outro lado do cais, me mostrava o seu delta das aguas entre as suas belas pernas, eu suspirava amada, pela visão do que ela me mostrava, olhando o lado, para nela não me prender, trazia dois x em dois sapatos negros , olhava a direcção da linha, um casal jovem estava ao lado, tudo encenado, com uma barriguinha, o rapaz partia, às paginas tantas, como dizendo de dois x de uma historia de uma rapariga abandonada, ou maltratada ou mesmo violada, que ficara gravida, masi uma acusação destes medrosos, ladroes e abusadores de crianças, um outro rapaz africano escutava a conversa de duas mulheres, masi crescidas, certamente uam delas a que me mostrara pelas saia a cueca, a dizer de onde viera a marca , dois x, de cascais feitos com o tal passe do sangue nos dias lunares e falos pelos rabinho acima

Ant es da estrela com eça ra d es spa rece rato ps no c eu, da ano da noite, q u em s abe bec om um laser feito no do terraço, do por rp io museu, da t al e x p o s ila o do design do oriente, já a mon t ana h es tva conde en sado no c eu, qua ando uma ra pa riga do o u t ro rol do lado do cais, me meo s y t rav o s eu delta da s aguas en t rea s s ua sb de belas pernas, eu s us pit ra vaso am ad a, p el a vi isa sao do que dela, me mos t rava, o l h ando ola lado, para nel a n cão me pr e d en rato, t ra x ia do si x em do is sapa patos negros , ol h ava a di reç a o da linha, um ca sal j ove m es tva aol ado, tudo encenado, en cena ad circulo, com uma bar rig gui n h a, o rp az pa art ia, às pa gina s t antas, com o di zen dode do dedo is x de uma hi s tori a de uma ra pa riga a ban do dn a, o u mala t ratada o um es mo viol do io da lada, q ue fi cara g rav id a, ma si uma ac usa são es d estes mer do s os dos ladroes e ab usa dor es sw de c rian anças es, um outro ra p az a fi rc cano es ct ua ava a c on ver sade du as mul her es, ma si c r es cidas, ce rta em n t e uam delas, a q ue me meo s y t ra rap el as s aia a cu eca, a di ze rato deo da onda do viera primeira da am marca , do is x, de cas ca si feitos, com o tal p ass e do sangue no os dias luna ares e dos f alo s p el os ra bin h os ac ima

A tal conta que alguém do espectro pelo espirito pedia depois, cerca de cinquenta meninas de cascais,

At al cona da cruz , c ru zorro do x, q ue al g eu made ria do espectro p elo es pi rito ped ia de ep o is da cerca dec cin q u en t am eni na s d e c cas ca si,