segunda-feira, outubro 05, 2009

Ultima pincelada no quadro da mesa da ferradura, cara tinta ou pincel, mil almas, mil anos e sobe a contagem da carne fresca, pedem robots e câmaras de vídeo em miniatura para procurar os sobreviventes, talvez duas semanas antes, um documentário mostrara, os dez ou qualquer coisa assim animais mais perigosos dessa ilha, historia humana de homem mordido no braço por um tigre e a imagem se reflectia aqui depois nete pais, o livro me diz a sqwau, foi resgatada, da memória dos fios fazem ploc, depois do acampamento, na chegada a tenda grande , a bela rapariga de voz sussurrada das fiadas de pérolas no pescoço como um colar de contas, e jeans abertas saía do palco do lado de seu marido, nesse momento chegava um outra casal, uva e durao, ou uva e o durao, ou o durao da uva, de costas para os olhos, cujo num passe de pregistidaçao, e tudo se passava no mesmo sitio, onde o home que acabou em dia recente com não sei quantos ministérios de burocratas de uma só vez, e distribui os rendimentos do sangue negro que vem do ventre da mao, directo em cheques a seus súbitos, dissera da canto, do envelope, na cor do seu olhar, p ac , a pedra, ágata, trás no estados unidos nome de trovão

U primeiro tim a p in cel ad ano do quadro da mesa da fe rr ad ura, car a tinta o vaso pin cel, mila nose serpente ob e a conta tage made ria mc arne fr esca, pede em ro bota ts se cam aras de v id é o em mini a tura para por rc cura ar os serpente ob rato e v iv inglesa cruz espanha, cruz alvez du as se mnas ant espanha, um doc eu mn tar io mos cruz ra tp ara, os dez o vaso quadrado ua primeiro quadrado eu rato co isa as si maior do ani mais ma is per rig ossos de ss a i primeiro kapa homem da primeira da est tor ia humana de home mordido, no br aço por um tigre e a ima ge made riad se ref fl ce cruz i a qui d ep o is net ts do circulo do país, tvi, o loi iv rome di z a sqwau, f oi rato espanha gat ada, da me mor ia do si fi os f az em p lo cd ep o is do aca maior do am ane net on a chega gada primeira da tenda gato rande , a bela ra par tiga de v oz serpente uss ra da da serpente fia da sd ep ero pêro la serpente no p espanha coço com o um c ol ar de c contas, e j inglesa a ab e rta ss aía do p al co do primeiro ado de serpente eu mar id o, ness e mo men to ce homem a gato ava um outra ca serpente al, uva e dura o, o vaso uva e o durao, o vaso o durao da uva, de costa spa para os o primeiro homem serpente o, c ojo num p asse de pr e gato est vaso da ac são espanha, e tudo se p ass ava no men serpente o si tio, onda o home quadrado ue aca bo vaso em dia rec inglesa te com n cão serpente ei qua ant os mini st teri serpente ode b ur roc ra st de uma serpente ó v e ze di serpente cruz rib vaso io serpente ren dim inglesa to ds serpente o sangue negro quadrado ue eve maior do ado v inglesa red a mao, di recto em che quadrado vaso espanha a se us serpente ub bit os, die rato ss e ra da canto, do inglesa v e lope, na co rato ps do serpente eu o primeiro homem ar, p ac , a pedra, a gata, cruz ra serpente no est ad vaso do serpente un id os no me det cruz ova o

Sempre em ti conheci a bruxa má e vingativa que em teu coraçao como eterna morava, contudo ou sem nada, todos nos deitamos com os nossos fantasmas e nossas bestas e com eles pela mao dançamos lento ou rápido , escuro tenebroso ou luminoso

Se 3 mp re em ti com n he ci a br ux a má e vin em gat iva quadrado ue em te vaso cora sao com o e te rn a mo mora ava , c on tudo ou se mna ad a, todos nós de it am mos com os no ss os fantas mase no serpente sas be sat se c om el espanha pela mao dan circulo cortez, co rte zorro, am os primeiro inglesa to o vaso ra pido , espanha curo cruz ene br osso o vaso lu mino serpente o

socrates, faz furos com um berbequim num tecto branco cor de nuvens ao lado do circulo da luz do cristal, escorre agua do ceu de cima e a minha casa mete agua, buraco nos tectos como fios de escutas e de espiões, e de actos e espionagem, antes vejo um circulo de punhos enfiados uns nos outros em roda fazendo como que um orubu, sentado sem cima da minha mesa da asa , a besta com seu peso, inclinou o tampo , a mesa estampada, ou o estampido na mesa, como a imagem do carril da mademoiselle, das serpente dos actos do vaso al eta, calço as minhas sandálias e saio para a rua caminhando a procura de alguma coisa, o nevoeiro desce imenso na noite escura opaco, oiço vozes de um casal que caminhara mais a frente, tenho a vaga percepção da fora do semi arco desenhado nas pedras que pareço ver e que penso que são como que a marca de uma passeio, fog, frog, sapo, serpente ap da primeira, blind do quadrado do ess, espanha, de repente o que pensava ser um passeio, é um buraco, e neles estou começando a cair, o tempo se ralentiza em forma impossível, e me apercebo da imensa altura do precipício, onde no fundo vejo formas como ondas do silos, que são como parafuso sem fim, uma maquina de trituração, umas turbinas na altura de uma barragem, em ralenti, viro-me no ar, e agarro-me a duas reentrâncias que existem na parede e assim me sustenho, sei o que a imagem me diz, sei o que ela espelha, a mandíbula do metro em londres e a soma me diz de um circulo de homens que se encaixam uns nos outros com os punhos enfiados, que um nevoeiro , uma cegueira foi assim criada, de forma a me fazer cair, ou seja a me incriminar, acordo, e sei que ele me tentou matar, razão tinham as trovas do vento quando me disseram em dia recente, que fora ele que me quisera estrangular, motivo?, plausível, o amante dele foi morto e nas sua vinganças cegas, ele o cego, o verdadeiro cego, num ritual, arrebenta o metro em londres

Soc ray espanha, f az f ur os com um bar quadrado ne quim nu primeiro tec to br aco cor de n uve ns ao primeiro ado do c irc culo da luz do cristal, espanha cor rea agua do c eu de c ima e a min homem ac asa à casa, ass met e agua, b ur rc do cao dos nós nos tectos, com o fi os de espanha cu cruz as sed e ep ps psi oe espanha, e de ac to ze espanha pi on a ge made reia, ant espanha do vejo, prie ie emi can tora miro, um circulo de punhos inglesa fia dao serpente un serpente nos outros em roda do fazendo, com o quadrado ue um o ru ub vaso, serpente inglesa cruz ad o serpente em c ima da min homem da primeira da am mesa da asa , a besta com serpente eu do peso, inc primeiro ino vaso o tam po , a mesa est am pada, o vaso o est am pido na mesa, espanha, com o a ima ge made ria do c ar rato ps ilha da mademoiselle, da serpente serpente dos ac dos atos da ova do vaso da al eta, c al cortez, o as min homem as sand al ias se sa io para da primeira rua ca min homem ando a pro roc cura de al gum ac o isa, one v o iro d espanha ce i men serpente on p rie can tora mira do ano da noite espanha cura o paco, oiço v oz espanha de um ca serpente al quadrado ue caminha ra ma isa fr inglesa te, cruz inglesa homem o a av gato a per cep sao da for ad o serpente emi arco d espanha inglesa homem ad donas das pedras, quadrado ue par e circulo cortez, co rte zorro, ove rato e c ue pen soc ue são com o quadrado ue primeira da am marca de uma p ass e seio do io, fr o gato do sapo, serpente ap da prime ira, b primeiro ind do quadrado do ess, espanha, de rato ep inglesa te o quadrado ue p inglesa serpente ava ser um p ass seio do io, é um b ur aco, e nel espanha est o vaso com el lan anda a c air, o te mp o se ra len cruz iza em forma em mp os serpente iv do el, e me ap do per da cod, primeira e men sa al tura do pr e cip pi do cio do io, onda no da fun do vejo das formas c omo das ondas do c ilo serpente, quadrado ue são com o para raf fuso se maior do fi made ria, uma ma quina de cruz ritu ira são espanha, umas ti rb binas ina serpente na al tura de uma bar rage made ria, em rato al inglesa ti, vaso iro do traço ing kapa primeiro espanha rome no da ar, e a garro do traço do ingles me a du as rato inglesa cruz ran cia serpente quadrado ue e xis te mna parede e as si maior do me serpente us cruz inglesa homem o, se io quadrado ue a ima ge ma sw e me di zorro, se io quadrado ue el a espanha p el homem a, am ad di da bula do metro em londres e a serpente oma me di zorro de um circulo de homem om inglesa serpente quadrado ue se inglesa c ix am un serpente nós, outros com os punhos inglesa fia ado serpente, quadrado ue um ne vaso do circulo iro , uma ce gato eu ira f oi as si made ria mc c riad ad e forma a me f az e rato c air, o use seja primeira a me incriminar, ac o rato do, e se i quadrado ue el e me cruz inglesa cruz o vaso matar, ra da aza do circulo da tinha do ham a serpente cruz rato do ps das ovas do ov vento qua anda da me di ss e ram em dia rec inglesa te, quadrado da ue for primeira dele, o el do leque da dame do ki ize ra est ran gular, maior do ot ivo da foice, , pal vaso as iv el, o amante dele foi morto, e nas serpente ua da vingança, vin gan circulo cortez, co rte zorro, as c ega gás, el e o c ego, ver dade iro roc c ego, nu maior do rato do iva da ava do vaso da cruz al, ar rato e b inglesa cruz, a , o do circulo do om do metro em londres
Tiago silveira, a puta que se diz ser secretario da justiça, olho, às escuras a prateleira debaixo, da estante no quarto de meu filho, no canto em frente, ao símbolo das imagens da outra extrema correspondente, no sitio do angulo que corresponde ao feito em noventa e nove, na altura do tratado de lisboa, o senhor fantástico, e ao vê-lo, vejo nele , esta puta, o tiago silveira, ao lado, um tank com um canhão falo com ponta ensanguentado, baixo, e o tigre que me aparecera no oráculo, do sonho ali está, ao lado dele , antes o tigre azul e branco estava conduzindo o tanque, desenha o tanque um angulo como a imagem do senhor do quarteto, cinema, fantas tico, quando mexo no tigre tipo gato, o boneco do senhor fantástico, outro dos filmes, como o dos trabalhos de hércules, que eu via com meu filho quando a família estava reunida, descai, e por detrás aparece para meu espanto, a mulher fantástica, que é imagem arquitecta tambem da puta que me trás o filho roubado, a imagem não podia ser mais clara, o home que está á frente da teresa, confirmando assim desvelado em espirito de ele ser o rá da teresa, e o quatro ponto do quadrado onde se inscreve o delta deitada, ou melhor o delta que foi deitado, sendo que tendo aparecido aqui quarteto, deveremos estar então a falar do pedro bandeira freire, uma morte e um morto

Tiago serpente iv e ira, a puta quadrado ue se di zorro ser secreta rio da justiça, olho, às das escutas a pr rte le ira de ba ix o, da est ante no do quarto de meu filho, no can to em fr en te, a o serpente im b olo da sima ge ns da o vaso cruz ra, e x cruz rema co rato espanha pond det teresa, no serpente it tio do angulo quadrado ue co rr espanha ponde a o f ei to em noventa e nove, na al tura dot rata ad o de lis boa, o serpente en hor fanta serpente tico, e a ove do traço ingles primeiro circulo dez, vejo, br, n el e , e sta puta, do circulo do tiago, si primeiro ve ira az, aol ado, um cruz ank com um can h o a fala com da ponta en sa gato vaso en cruz ad o, ba ix oe do circulo do tigre, quadrado ue me ap rec e ra ano orca vaso lo, doc on ho, natal, al ie stá, aol ado dele , ant espanha circulo irc cabo do tigre azul e branco est ava condo zorro indo do circulo do tanque, ded en h a o tanque do primeiro angulo com o a ima ge made ria do serpente en hor do quarteto, circulo ine w ema, fantas tico, qua ando m ex on o tigre cruz ip o gato, o b one cod, o serpente en hor fantas tico, outro dos fil me sn, com oo quadrado os cruz ra ab cabo a gato hi is de her circulo vaso primeiro espanha, quadrado ue eu da via com me vaso do fil ho qua ando da primeira f am il ia espanha tva rei ib bid a, quadrado espanha cc a ie por det ra serpente ap a rece para me vaso espanha pan rato to, a mul her fantas tica, quadrado ue é ima ge m ar quadrado eu cruz ip a cruz am b e made ria da pi vaso ta quadrado ue me cruz ra serpente o fi primeiro h o ro ub ado, a ima ge made ria n cão pode ia ser mais circulo primeiro ar, o home, que está á frente da teresa, circulo on fi rato man do ass imo quadrado espanha vela lado, em p espanha si rito de ele ser o rá da teresa, e o vaso quadrado cruz ro ponto do quadrado onde da se, in serpente circulo rato ps eve o delta deitada, o vaso mel ho o delta quadrado ue f oi de it ad o, serpente en doque cruz en do ap ar rec e circulo id o a qui quarteto, quadrado eve remo serpente espanha star en tao a f al ar do pedro bando do ira do freire, uma mo rte e primeiro morto

Vou de novo ao site da associação da multimedia, para ver o nome desta besta, e leio no link, o primeiro de sessenta e oito do ft da moda, e de repente o arquétipo da imagem da mulher fantástica, adquire uma outra imagem de uma outra pessoa, a fatima lopes, que creio ser casada com um qualquer financeiro, uma rapariga com muita allure em paris, pelo que as crónicas rezam,

V o vaso de en ovo a o site, da as soci aço da multimedia, para ave ero no me de sta besta, e le io no primeiro ink, o prime rio de serpente espanha senta e o it o do ft da moda, e de rato ep en teo arque cruz ip o poda ima ge made ra da mul her fantas tica, ad quadrado vaso ire uma outra rai ima ge made ria de uma outra p esso a, primeira fatima lopes, quadrado ue circulo rei do io ser ca sada com um quadrado vaso primeiro quadrado ur fina anc cie ie ero, uma ra pa riga com mu i cruz a all ur e em paris, p elo quadrado ue as circulo ro nicas rato ez am,

O tanque diz, no terceiro de oitenta nove, prata rodas negras com quatro mísseis, canhão doirado e vermelho, como heroina, jantes com bicos de quatro estrelas, nas mesmas cores do tanque , made in china, quando pego nele, salta lá dento uma cabeça, que era o condutor original do tanque, preto com cabeça e capacete de tanque como de aviador de primeira guerra mundial em doirado, ap ela partida, trás um bico no circulo da base, como um triângulo faca que roda num interruptor ou um dimano de tres pontos , ou seja um triângulo que roda dentro de um circulo, uma antiga imagem aqui descrita no livro da vida,

O cruz an made rato ps do ia doque di zorro do no cruz terceiro de o it en a te en n ove, p rata rodas negras com da quatro, tvi, miss e is, can ho do irado e da eve vermelho, com o her roi circulo do ina, j ant espanha com dos bicos de qi ua cruz ro est rato el as, nas me sm as cor espanha do cruz anque , made in china, qua ando do pego, jornalista, e sines, ne le, serpente al cruz a primeiro á dente o uma cab eça, quadrado ue e ra o condo do vaso do tor o rig gina al do tan quadrado ie do preto com cab eça e capa sc set de tan quadrado ue com ode avia ad rode da primeira guerra mi un dia le lem mn do ira quadrado oi, ap ela p art ida, cruz ra serpente um bico no circulo irc culo da base, com o um cruz rato ps ian gula dez faca, quadrado ue roda num inter rup pt tor, o vaso um din ano de cruz rato ps espanha pontos , o use seja um cruz rato ina gato delta dez primeiro do circulo, quadrado ue da roda quadrado en cruz ro de primeiro circulo, uma ant tiga ima ge maqui quadrado espanha circulo rita no primeiro iv roda david , vaso id da primeira,

A mascara da mulher fantástica, se espelha então na rainha margot, da mesma forma que o triângulo dentro do circulo, pata alem de símbolo de photoshop, misturador de cores, é tambem símbolo da entidade de prevenção de catástrofes, ou seja nomeadamente do cm combate aso fogos, ou seja uma outra ponta se desvela, porque acabada de mencionar a propósito do filme, a vaga de calor em franca, onde se terao ido tres mil

Primeira am mascara da mul her fan st as tica, se e sp primeiro h a en tao na rainha mar gato ot, da mesa, espanha, forma, quadrado ue o cruz rin gula quadrado en cruz ro do circulo irc culo do vaso dez, pata al lem de serpente im b ll o de ph oto sh do circulo do pm, is da cruz do ur da tura da ad da primeira dor dec cor espanha, é eta tam am tambem serpente im b olo da entidade de pr eve en sao de cat a serpente cruz rof espanha, o use seja no me ad dam am que mente do cm, co rato rei do io da manha, e não da manhã, com bate as o fogos, o use seja uma outra ra da ap da ponta se quadrado espanha vela, por quadrado ue aca b ad a de men cio na ra por rp ps o cruz io do fil me, ava da vaga de cala aro em f ar n ce, onda se te ra o id do circulo irc do vaso do ll dos tres mil

video cento e dois, vaso id é circul ce en t oe e do is

conversa com adjani e audrey e depois mais ou menos a meio, interpelaçao à besta que diz ser secretário de estado da injustiça e a outros caralhos ladroes bandidos e esquizofrenicos

c on ver s ac con ad janus e au do carre do rey e d ep o is maís, cir cle v a se primiere, en isa am me io int rat ep p el la ac sao, à besta, q , e , se di zorro ser secreta ria dao ode estado da e em jut ts tica t ila espanhola

sendo mais cor de cafe, quase podia ser uma homenagem à bela e grande escritora yourcenar, a quem eu muito amo,

s en do maí s c o rat dec a f e q use pod di ia ser uam v as am h oe em mna gema a bela, e g rande es c tito rito tora y circulo do vaso cena en a a ar , primeira q ueem eu mu it o ano do amo