terça-feira, dezembro 29, 2009

continuaçao
and
queens
and
kings
in
this
period
that
arouse
are
selected
in
function
of
particular
criteria
that
became
over
the
common

a q a k i t p t a a s i f o p c t b o t c
c t o b t c p o f i s a a t p t i k a q a
d s d s m s e t e e d n n f r a t e r e n
n e r e t a r f n n d e e t e s n s d s d
a n d q u e e n s a n d k i n g s i n t h i s p e r i o d e t h a t a r o u s e a t e s e l e c t e d i n f u n c t i o n o f p a r t i c u k l a r c r i t e r i a t a h t b e c a m e o v e r t h e c o m m o n
com circulo om mon bar do ra de n cruzes, he ove rato r e b, bec am me taht, circulo rite ria p art rell time ti tic cu do primeiro da ar, circulo forte do ff un c ti io em sele, serpenete se dele , el le circulo ted, em , e, ar do aro da rouse, ar mad di da ilha, ro use, cruz hat per rio ode , cruz hi is em kin kapa ki inlges king, e quadrado eu en ns sand, ar reia primeira

real
and
truthful
queens
and
kings
are
also
compassive
beings
because
they
arise
from
love
for
love
and
in
love
they
live
because
they
choose
to
live
in
love
will

r a t q a k a a c b b t a f l f l a i l t l b t c y l i l w
rat da primeira cruz ca, quadrado da aka ka do ac circulo do bb, big brother, big, br ot her, bta fifi, duplo bird, italia fia, ai, primerio da cruz ux da primeira bt c delta cento eoonze, duplo vaso, dos jogos de casa,
w l i l t c t b l t l i a l f l f a t b b c a a k a q t a r
duplo vaso cento e um, t c cruz bi do segundo bit, mor dida, primeiro do ia da al, fi do fat, do pedro, o gordo, da bb, ca aka primeira quadrado da cruz tar da ar
l d l s d s e o e s e y e m e r e d n e y e e y e o e n e l
primeira vareta di gita al is sd ds ceo da se do espanhol delta, e mer red dn ne delta ee delta e, oe, en ne el
l e n e o e y e e y e n d e r e m e y e s e o e s d s l d l
primeria vareta en neo oe do delta, ee delta en der rem rte reme me delta eye es ceo es sd ds primeiro da di gita da al
r e a l a n d t r u t h f u l l q u e e n s a n d k i n g s a r e a l s o c o m p a s s i v e b e i n g s b e c a u s e t h e y a r i s e f r o m l o v e f o r l o v e a n d i n l o v e t h e y l i v e b e c a u s e t h e y
c h o o s e t o l i v e i n l o v e w i l l
rea al ala alan lan dt ru ruth, forte vaso do onze, quadrdo ee en serpente sand, ar reia primeira, dk ki em king s ar rea al soc circulo do om, mp ass serpente ive b eing aguia do bec au use set they, e delta ar rise ise sef fr om ml ove for , primeiro ove andi din, primerio ove they, primeira ive bec au use set thet they, cho , beijo invertido, os set antoniio circulo tol ive ein nl ove primeiro will, wi do ll
will primrio ove em li vaso e, antonio cho os se cruz they, bec ca au use primerio iv e they, primeiro ove e m e and dl ove for , primeiro ove fr om ar rise rat ise they, bec ca au use b ein gato serpente c om mp ass serpnete ive, also, al s circulo, ar e, kin kapa ki ingles e q ue en ns queens, crux ruth forte vaso ll, e rea al, norte sul l rea

true
kings
and
queens
mostly
part
rules
over
they
owns
lifes

t k a q m p r o t o l
cruz ca kapa aqui do quadrado maior do mp , circulo do presidente , o pro do roto tol, ou seja da queda do helicoptero, he loc cop pt ero , feito com som, porto tol, protols
l o t o r p m q a k t
prime ero oto dez lot loto rto rpm, r ota tacoes os es per min vaso teresa, o do primerio ministro quadrado da ak , da cruz, loto, banda musical, ligada ao grupo do antonio cruz, uguru
e s d s y t s r y s s
e es sd ds sy serpente delta ts rato ps delta do ss, do augusto silva
s s y r s t y s d s e
ss delta de dag, rato serpente cruz delta sd ds se
t r u e k i n g s a n d q u e e n s m s o t l y p a r t r u l e s o v e r t h e y o w n s l i f e s
cruz rue , fr ato ue, ki kin king ingles sand, doque eu en ns sm , serpente ot primeiro delta par da p da ar reeel time ru prime rio es serpente bn cruz ove rell time they, circulo duplo vaso ns primeiro li forte espanhol
primeiro kapa ip p primerio ingles, life es, circulo duplo vas ns, ove rato ps ru l es p art mo st cruz primerio delta queens, and kings cruz rue , fr rue da ue

jud da dg dd do judge, o do mne, mente

and
sometimes
others
ask
from
them
opinion
advise
help
or
judgment

a s o a f t a a h o r
j o h a a t f a o s a
d s s k m m n e p r t
t r p e n m m k s s d
a n d s o m e t i m e s o t h e r s a s k f r o m t h e m a p i n i o n a d v i s e h e k l p o r j u d g m e n t
jud dg men da cruz inglesa, mente, circulo rato, he kapa do l ong da puta l ayer, ad di git da al vaso ise , ap pi pin ni em them, fr om as serpente sk, da ot her serpente , s om met time es sand, ar reia primeira espanhola

other
kings
and
queens
melo
also
exist

o k a q m a e
circulo kapa , ka quadrado m a e
e a m q a k o
e am pata ak, k no ck da out, circulo
r s d s o o t
rato serpente sd ds circulo ot
t o o s d s r
cruz circulo os ds rato ps
o t h e r k i n g s a n d q u e e n s melo lua quarto crescente, also, al serpente circulo , e xis cruz
e xix cruz also, al serpente circulo, melo lua quarto crescente queen serpente ar reia primeira do king da ot her, ot da alama

because
few
of
many
give
them
support

b f o m g t s
bife segundo do fom, forte do om mg g rand , o de rana do turismo, da cruz serpente
s t g m o f b
serpemte cruz montado g m mo forte segundo fr fabiano
e w f t e m t
e duplo vaso do ft teresa e mairo cruz
t m e t f w e
b e c a u s e f e w o f m a n t ani norton, commander, ny, gi v e t h e m s u p p o r t
serpente el da eva sao es, pp porta portugues rell time, man da cruz, do man da ani dd e n y, gi vaso , e, circulo ff e duplo vaso bec au use
...

este verso nao tem sentid logico, no texto , na forma em que ficou grafado, mas faz sentido no que o seu conteudo em relacao com este ponto do texto revela e por isso o mantenho na forma como o leio na forma em que foi escrito

este , vaso e ra o serpente circulo n cao te maior s en tid, cruz id circulo do logico, di gitas al, no do texto, na forma q ue fi co vaso fg ra raf fado, ma serpente f az s en tid id circulo no que circulo s eu conte eu do em relacao, com de este ponto, dot te x to rato eve vela e por iss circulo man bn do natal na fp forma, c omo circulo, o da lei , na forma em q ue f oi espanhol circulo rito, ps

also
kill
also
setu
alo
kill
y s lie l ie
al serpente do circulo also, kill, ki do onze also set vaso alo kill, ki do onze, delta serpente da lie do primeiro do ie
a k a s a k
primeira ak a asa serpente primeira da kapa
k a s a l a
kapa primeira as sa da primeira asa do sala, rr, s ala, s al primeira,
o l o u o l
circulo primeiro lou vaso do circulo do primeiro
l o u o l o
lou olo

igaul comentario a este verso

and
rand
thi
and
thing
happen
between
man
in
the
way
a r t a a t h b m i t w
primeira ar rta , primeira cruz homem sgundo mit it duplo vaso
duplo vaso crzu he, in man bee bet duplo vaso we en , cruz hi ing, an cruz hi rand dan square
dd id g n n n n e delta, ene duplo
delat e ene quadrado gato quadrado da di id dd
wayand rand cruz hi , and cruz homem energia inglesa, homema ap pp pen en bee da bet da cruz we en man in cruz he way


and
when
things
happen
between
man
in
this
way

a w t h b m i t w
w t i m b t w a
d n s n bb n n ns delta way
delta sn n n n s n square
a n d w h e n t hi n g s h a p p e n b e t we e n m a n i n t h i s

we
can
say
that
justice
is
heavily
hurt
and
all
the
kingdom
is
at
that
point
in
great
danger

w c s t j i h h a a t k i a t p i g d
d g i p t a i k t a a h h i j t s c w
e n y t e s y t d k e m s t t t n t r
r t n t t t s m e l d t y s e t y n e
w e c a n s a y t h a t j u s t i c e i s h e a v l y h u r t a n d a l l t h e k i n g d o m i s a t t h a t p o i n t i n g r e a t d a n g er
dan ger gato rea primeira cruz in p circulo int , cruz hat em is kin king quadrado do om , cruz he all, and hut, p izza, homem ur reel time cruz, he av primerio delta, is justice, cruz hat sa delta can we, we can invertido


because
compassive
justice
is
other
face
of
the
kingdom
or
better
saying
the
face
of
this
king

b ac au use as c om mp ass ive js u t ice is ot her, filo , filomena, foret te do ete vaso serpente, circulo forte ft he kingdon, rato e ino, kin gato dom do quadrado do om da bet teresa rato do aro, ane l, sa ying, o home da face, circulo do ft da energia serpente delta e serpente do king, kapa do ki ingles king

b c j i o f o t k o b s t f o t k
k t o f t s b o k t o f o i j c b
e e e s r e f e m r r g e e f s g
g s f e e g r r m e f e r s e e e
b e c a u s e c o m p a s s i v e j u s t ice is ot her face o f t he ki n d g om o r b e t t e r s a y i n g t h e f a c e o f t h i s k i n g
n gt he f ac ceo ft hi serpente , energia, ren, o rei dele

* filomelo, aret da arte do rato do isco da filo lobo do om do melo, br, um dos filhos de ia sion, e de de meter, irao de pluto, o que inventou o porcesso de prender uma junta de bois a um carro, e foi por isso recompensado, pela mae, que o trasnformou numa contelacao, o boieiro, laya, ze, fiolomelo e o pai de parios, o heroi eponimo de pario,

then
i
must
ask
you
again
and
i
ask
trough
you
chanceler
because
i
heard
trough
you

t h e n i mu st a sk e d, andi, cruz am vaso ed, delta circulo lop vaso cna chanceler, in t he meme t hat av mil y o u i, y e ar d e d
t i m s u a a i a t y c b i h t y
tim em ms serpente ua aia iat delta cb bi homem cruz delta
y t h i b c y t a i a y a m i t
delta crux he ibc, nl, circulo delta cruz aia , primeira do delta da manha mit
n i t k u n d i k t u r e i d h u
n ni it kapa un di dik da turra , cruz ur rei id homem vaso
u h d i e r u t k i d n k t i n
vaso hd, di ie die, eru ru rut kapa ki id dn kapa do tin

no contexto alargado desta questao neste ponto , chanceler, nao pode deixar de remeter para uma equacao, em sentido lato que outros igualmente neste ponto levantaram, se bem que nas entrelinhas destas pobres rimas, que sao sobretudo importantes pelo que se desvela no seu corte, digamos com algum grau de cerititude, diveras id, sete, ou nao, como ouvira tambem, e se refelctiu numa das rimas primeiras, nao ainda as contei, pois a mim nem me importa muito ou pouco, serem sete, cinco ou seis e meio, a juutica nao se faz em conta numerica desta naturesa, e se é expectavel de uma chanceler, como de qualquer um outro, o conhecimento dos numeros e das ciencias deles, tambem sabemos nos, que calha seu esposo, ser um homem versado nestes assuntos, no outro lado da balanca,ou dos que dizem em forma distinta, sobre este apsecto, os numeros, poderia pensar que um truque estava se tentnado afirmar, como muitos outros, em muitas outras manipulacoes, que tenho aqui perante todos desmontado,

o c on te x to lara gado, al arga gado de sta q ue st cao nest e ponto , c h anc ce ler,viegas, n cao p ode de ix ar de reme meter, para uma e qua ac cao, em s en t id dol ato, q ue deo de outros igua le lemn te net s p on to l eva van t aram, se b em q ue na s en t r el das linhas, de sta s p ob rato ps es r ima s, q ue sao s ob r e t ur to im porta ant es pp elo q ue se d es vela na s eu co rte, se d es vela , di gamo s c om al gum g ra vaso dec ser rit u de, di vera s id, sete, o un ocirculo ad da primeira, c omo o uv ira t am b em, e se r efe l c ti vaso numa das r imas primeiras, n cao a inda as c on t ei, p o isa primeria am mim ne made ria me i mp o ra mu it o o u pouc o se rem sete, c inc oo use is e me do io, a js u tica n cao se f az em conta nu mer ia de sta nat ur es, é se e e x p e cta ave el de uma da chanceler, c omo mode q ual q ue rum mo de um outro, o c on he cie mn to dos nu mer eros e das cie en cia s d el es, t am b em s ab emos nós, q ue cala homem s eu es p os, ser um home v e r sado nest es as s un t os, no outro rol lado da bala ala lan anca,o u do s q ue di ze maderia em forma di s tinta, s ob re este a ps sec to, os dos numeros, pode der ria pen sar q ue um t ru q ue e stava se t en a t ad o a fi rato do mar, c omo mui t os de outros, em mu it as outras m ani ip u laco ac aco é rato serepente,ps, q ue t en ho, primeira do ki aqui, pe ran te todos d es montado, de sd demo da mona

como poderia-mos pensar em modo distinto, se nesta linha de eventos, se viu em copenhagen, que curiosamnte esta ligado simbolicamente a um grupo de pensadores destas materias, um conjunto de gentes bartendo os pés e com uma senhora frente soprando uma flauta de pã, e no dia seguida, aqui em portugal inventaram, um tremor de terra,

c omo p der ia mo s p en s ar em mode di s tinto, se nest desat linha de v en t os, se vi vaso em cop en h a g en, q ue cu rio sam n te é sta liga do gado si m bol ica cam am que mente, primeria a um g rup, circulo da ode, o dos pen sado dor ratos espanhois, de sta s mat e ri as, um c on j un t ode g en t es bar te mn d os p es, é com de uma s en hora fr en te sp rando uma fla u t a ed pa, e no dia se guida, a qui em portugal in v en t aram, primerio t remo mor do tremor da terra,

e só por esta razao, tenho que concluir, que para tao grande trabalho e meios e envolvimento de tantos, inclusive os que se dizem cientistas, numa historia desta natureza, só demonstra em forma clara, que as culpas que trazem no cartório sao imensas e que estao dispostos a tudo ou quase tudo inventarem, para assim tentarem a criacao de um alibi, e tambem para encontrarem um ou mesmo dois bodes expiatorios, como por exemplo, bem a calhar, um casamento sagrado, a mesma under line, que se ouvia pelo espirito

é serepnte do circulo co do pr e sta r aza circulo az, t en ho q ue c on c lui rato, q ue para tao g rande t r ab bal al alho, é me io se en v o l vi m en t o det ant os da sin inc l us iv e os q ue sed di ze em cie en t istas, nu ma hi s tor ia de st nat ur e z a, s o demo sn t ra em forma da clara, q ue às das culpas, q ue t ra ze mno car aro do circulo do rio sao, i mne sas e q ue es tao di sp os t os primeria de tudo, o u q ua ase tudo in v en t ar rem para t en a t ar rem ema c ria ac cao de primerio al li bi, e eta tam am tambem para en c on t r ar rem um o um es mo do is bode s e x pi a tor iso, c omo por e x e mp lo, b em aca c al homem da ar, primeiro ca sam en to sa g rato ps ad circulo, a mesma un der l ine q ue se o uv ia p elo es pi rito

o curioso disto, é que aqui, tambem inventaram em dia nao muito ido umas trombas de vento, tiraram inclusive telhas de telhados, e colocaram com gruas, uma só peça metalica num pinheiro e depois, destas brincadeiras, todas, nestes dias, foi mesmo à seria, uma ilustracao de um relacao casual e nao acasual como a quantica de alguma forma afirma, na relacao entre as partes fora do conceito do local, entendido na sua elaboracao quantica tambem, isto é, local ou nao local,

o cu ur do rio, porto, do osso di is to, oe, q ue primeria do ki aqui, it tam am tambem, in v en t aram em dia n cao mu it o id circulo de umas t ro ob as de vento, t ira rato maior inc l us ive tel homem às de tel h a sd os, e c olo caram com gato ruas, uma s o p eca met al ica nu primeiro do pinheiro e d ep o i s, de sta s br inca de ira s, todas, nest e dia f oi me sm o primeira da se ria, uma i l us t racao de um r el aco ca s ual e en cao aca s ual c omo da primeira qua n tica de al g uam forma a fi rata mana da do tribunal da relacao, putas, ladras de crianças morram, en t rea a s pa art es for ad do circulo doc on ce it, o da dol ocal, en t en dido na s ua el ab bora rato aco qua n tica t am tambem, is t oe, l ocal o un cao primeiro da ocal, vaso igor, ps

resumindo agora, sem prejuizo de em posterior capitulo explicar em profundide alguns conceitos da quantica, o que falamos aqui, é de singulariedades, que sao factos observaveis com alguma frequencia neste ultimos tempos no ceu e na terra, vide, os tsumanis, o dia em que a terra nao parou nas alterou o seu movimento, só provavel sob o ponto de vista cientifco no tempo largo, o choque dos titas, e o magneto stellar, e muitos outros, alguns dos quais de pouco conheciemnto do publico, e até sabemos que alguns pensam que porventura a queda das torres, foi fruto de um fenomeno desta natureza, uma singulariedade, portanto passivel de ser enquadrada nas equacoes quanticas, e falamos tambem da teoria poder indicar que seria possivel o acesso a mundos digamos assim paralelos ao nosso, onde por via de uma singulariedade, se teria acesso, e que tal, podera ser com grande grau de certitude, na cabeca de alguns uma forma nao só de inverter os ultimos aconteciemntos, nomeadamente, as grandes degracas que ocorrerem, como resolver uma serie de problemas na terra como a trazemos estragada, agora, e até podemos pensar que alguns do objectovos actuais nas investigacoes do acelarador de particulas, tendem algum deste fim, por via experimental, com todas as condicionantes que einsentein, já à longa data a todos explicou, sobre as propias vias experiementais, no fundo a percepcao da quantica aplicada à propria investigacao

r es um indo agora, se mp re juizo de em p os teri o rato ps c apit u lo e x p lic ar em pro rof un dida al h un s c on ce it os da qua n tica, o q ue f al ala am amos a qui, e de sin g uk l ar ie dad es, q ue sao f ac atos ob ser v ave is com al gum a fr e q ue en cia nest eu vaso do rp do pi primeiro tim os te mp os noc eu e nat tera, a de castelo de vide, os ts uma ani s , circulo do dia em q ue primeira terra n cao p aro un às al teresa ero vaso do circulo s eu mo ov vim en to, s o pop pr v ave el s ob o porn do porto, de vaso ista s en t id o no te mp o l argo, o do choque do s tita se do circulo do mag gn neto, dn stell da ar, e mu it os de outros, al gun sd os quais, fr, de pouc o c on he cie mn to do pub l cio, é primeira te, s ab emo s q ue al gun s p en sam q ue por v en tura primeira da queda, q w ue da da s torres, f oi fr u to de um f en om en o de sta na ture za, uma sin gular ie dade, porta ant o p as s iv el de ser en qua d ra ad priemira das anas das e q ua co es qua n tica se f ala al lam am s o t am b em da teo ria pode der, indica car q ue se ria p os s iv el do elo do ac esso primeira do mundo s dig gamos, as si em para lelo sao no osso, onda por da via de uma sin gular ie dad e, se sete da teresa ria ac esso, e q ue eta al, poder der ra ser com g rande g ra vaso de c ser rt titu de, na cab eca ed qa al gus sn uma forma n cao s ode in verte ero os sul tim imo l s ac on tec ie mn t os, no me ad dame en te às g rand es deg r aca s q ue o cor rato ps e rem, c omo r es solver uma se rie de po rb l ema s n a terra c omo a t ra ze ms o est ra gada, agora, é a te pode demos p en s ar q ue al gun s d o ob ject ovo a ac tua is na sin v e t sig ac o es do a c e la rato da dor de p art i cu la s, t en dem al gum d este fi made ria por via e x per i men t al, com td o as a s condi cio nante s q ue ein s en t ein, j a al ong a data, primeira de todos ep lic o u, s ob rea s por rp ia s vias e x per ie mn tais,br, no f un do primeira da per rc sep cao da qa un tica ap lic ad a a pro rop pr ria do ia in v es tiga ac cao

nao é por caso que no meio desta sequencia de espaço tempo, sendo que esta questao e em meu ver a limitacao do entendidmento do fisica de hoje, pela erroneas leis sobre a luz e seu pretenso limite de velocidade na galaxia, e consequentemente sobre o que se entende sobre energia, nesta treta de demiurgos que agui se entretem a fazer, com vista a fugir com o rabo a seringa, apareceu na televisao portuguesa, na semana passada, ou por ai, metida a martelo, ou seja, tendo a serie acabado a tempos atras, um episodio do fringe onde de alguma forma esta quesato de novo se coloca, e pelo que vi da promoçao recente do episodio desta semana, vao outra vez insistir na tecla, e o drama enformador que se monta, é muito claro, a presença dos observadores, que sao gente que vem dos chamados mundo paralelos, que possuem a habilidade de passar de um universo a outro, e sendo a linguagem um sistema igualemente infinito, até posso tambem interpretar isto no sentido restricto daqueles que indevidamente tem chave de minha casa e aqui entram a controlar, naquilo que chamava em texto anterior , a nova inquisicao, pois minha casa é de certa forma um dos meus universos e um filho da puta terrorista mesmo que oficializado, que aqui entram sem convite, é no minimo um marciano

n cao é ep do por do caso, soc q ue no me do io de sta sec un cia de e ps aco te mp o, s en doque desta, a da questao, é em me uve vera primeira al li mit tacao do en t en di id men to do fi sic, a de homem do jornal de oje, p el a e rr one as das leis, s ob rea priemria da al uze, ze s eu pr e t en s o l i mit e de v elo da cidade na gala ax ia, sport ingles, e co nse eu q en te mente, s ob reo q ue se en t en de s ob re energia, nest a t rata eta desta treta, de demi ur g os q ue primeira gun da se, en t ray e t ema f az e rc om vaso ista me sm o, a fu gi o rat ps com do circulo do rabo da primeira rei gn, gaap ap ar receu, na tel v ei isa sao portu gi es a, na se mana p as sada, o up por rai aí, met id a am mar tel o, o use seja, t en do primeira da se rie aca a bd o a te r mp ps o at ra s, um e psi id o di do io do fr rin ge onda de al guma forma, é sta q ue es s ato de n ovo se c olo cv a, e p elo q ue vi da pro rome meo cao rec en ted o e psi do di o de st se mna ana, vao, mario soares, outra vez, in sis tor na tec la, é circulo do drama en for ma ad da dor q ue se do damon da monta, e mu it circulo toc circulo do primeiro aro, a pr es sena dos ob ser v ad dor es, q ue sao g en te q ue eve em do os c ham amado, luis s mundo para lelo s, q ue p os s ue ema a h ab bil id ad e de p as s ar de um univer ero sa de outro, é s en do primeira al lin guage em um sis t ema i gaul lem n te in fi n to, primeira te p osso ita tam am tambem inter rp pr etar is t no s en t id o r es t rict o da q ue k l es q ue in di v id damen te te maderia mc homem da ave de minha casa, é a qui en t ram a c on t rola la r, na q ui l o q q ue c ham ava em texto ante r iro , primeira da ana da nova, in q u i si sic cao, posi mina homem ca sede ce ra forma, um dos meus univer ero se de um fil ho da puta te rr orti titas, me sm o q ue o fi cia al iza zad o, q ue a qui en t ram s em c on vite, e no min ni imo um mar rc ian ia ano

o que nos aprendemos da realidade, sao modelos do que se poderia chamar de realidade, no sentido em que o conhecimento é mediado, pelos sentidos, a velha questao do um, do dois e do terceiro, ou seja , um implica sempre um dois e um terceiro, e todos eles infinitos, ou seja, duas cabecas, ou sete que sejam , sao sempre poucas, se retirar-mos a correcta ilaçao, sobre o processo do conhecer, onde por assim dizer, constantemente fazemos apostas interpretativas, que encaixam mais ou menos o que aprendemos nas nossa grelhas conceptuais, ou passiveis de serem expressas, em linguagem distintas, essas matrizes como qualquer matriz, pressupom-se em termos funcionais, como finitas em funcao dos vicios de aprendizagem , pensamento e de linguagem e da equacao complexa corpo mente que está presente a cada momento, e que é sempre distinta, que cada um transporta, e que a cada um assim diminui ou aumenta a capacidade de percepçcao do que alguns chamam, de outros tuneis da mesma realidade,

o q ue nós ap pr ren demo sd a rea al id ad e, sao mode elos do q ue se p ode der ria cha am mr der eliade, no s en t id o em q ue circulo do c on he cie mn t oe me di iad o, p elo s s en t ido s,sa primeira ave velha q ue es sato serpente ato do um, do do ise sed o teresa rc se iro, o use seja , um i mp lic a se mp re um do ise um te rc e iro, e todos el es in fi ni t os, o use seja, du as cab bec as, o u sete q ue sej am , sao se mp rep p o u c as, se r eti rato da ar mosa cor r e cta ila ac cao, s ob reo pro roc esso, o do conhecer, onda por as si ma se w di ze rato, rc co ns tan te mn te f az emos serpentes das apostas inter rp pr eta tati iva s , q ue enca ix am mais, fr, o u m en os o q ue ap ren demos na sn os sa das grelhas, c on ce pt ua is, o u p ass iv e is de ser rem e x press as, em lin guage made rai di s tintas, es sas mat rato ie zorro q ual q ue at r i z, pr ess u peo m bar do ra da se em te r mol s fun cio na is, c omo fi n it a em fun cao dos vic x cios de ap ren di j a g em , pesa san men to e de lin gauge meda da e au ac xao co mp e xa corp do circulo do que mente, q ue e sta pr es en te ac ad dam mo men to, é q ue e se mp re di s tnt a, q ue c ad a um t ra sn porta seq ue primeira ac c ad a um as si m dim in ue emo u au men t a a capa cidade de per cep ac cao doque al gun s c hamam deo de outros t une is da me sm a rea al di do iade,


estamos portanto falando de series numericas, ou tambem prosaicamente, das sua aplicaçoes no dia a dia, em quase todos os electrodomesticos, e nos pc e nas redes, e recordo que russel, para alem de escrever belas historias, como a da conspiracao para matar os querides lideres do mundo a caminho do socialismo mais o porfessor, coisa tal menos tal, propos um dia a classe de todas as classes de matematica, que nao se contem a si mesma, uma classe que nao se contem a si mesma a nao ser quando se contem a si mesma, e que se contem a si mesma se é só nao se contendo si mesma

est am amos porta ant o f al lan anda das series nume irc as, o u t am b em pro rosa aica cam am que mente, da ss ua das aplicaoes no do dia, primeira da ad do ia, em q ua ase de todos os le t ro dome st c iso, e nós ps ce nas red es, é rec o rato doque do russel, para al lem de es c r eve rato rb de belas, h sir oi as, c omo da priemira da ad da conspiracao, coa caa, pira racao, para maat rato os q ue rid es lider es do mundo primeria do ac ca minho , o do socialismo mais, fr do circulo do professor, co isa sat al men os t al, pro rop dos pus de um do dia da c la asse det todas as c la ass es de mat ema tica, q ue n cao se conte ema si me sm a, uma c la asse q ue n cao se conte ema primeira ad do si me sm a ana circulo ser qua anda se conte ema si mesma, é q ue se conte ema primeira si me sm ase é serpente circulo n cao se cont ema si me sm a

pode isto em termo de representacao, grafica, para simplificar, e visto que lhe falo disto por razoes do amor e de preocupacao de minha amada, e porque pela forma como me tratam, nem deveria estar para aqui a gastar meu latim, num desenho bi deminsional, poderia obter uma especfie de anel que existe no espaço, e que nao se encontra fechado, se lhe der espessura, imagem mais simples para relembar que ate um linha desenhada, é materia, autonoma e conectada com minha mao, e meu corpo e minha mente e existe no espaco infinito, chego à qualquer coisa proxima das imagens e modelos dos portais, ou dos buracos negros e outras singularieddes, que possuem distintas interpretacoes, mas por agora me fico na representacao em dois eixos, pois ela, simboliza de alguma forma , uma antiga figura do conehcimento da tradicao, o orubu, mas um orubu que ainda nao tem a cauda dentro da boca, se deixar de parte a ideia de que a materia, tem sempre intersticios, ou seja, se transpostasse este modeldo dois d, para um tres d, teria entao em vez do circulo, a esfera, ou mundo, ou universo, sempre em expancao, e nao lhe desenharia assim, um buraco, ou falta de ligacao, pois assumia que em qualquer dos vectores que nele posso traçar a ligacao, o buraco, os portais sempre estao presentes pela qualidade sub atomica da materia, e sendo que sempre em expansao, quer dizer, aqui nesta figuracao linguista, a percepcao e conhecimento do numero como realidade infinita, ou seja, ainda, nao implica necessariamente que o univero esteja em expansao, como habitualmente se fala , na teoria do big bang e da contracçao,

p da ode disto em t remo de r ep r es sn wet ac coa, grafica, para si mp li fi car, e vi st o q ue l he falo di st o por r az o es do amo rede pr e o cup ac cao de min h a amada, e por q ue p el a forma c omo me t rat am, ne m d eve ria est ra para qa u ia gas star me vaso do l a tim, num de s e nho bi demi min sio n al, pode der r ia ob bet rato uma es pec fie de ane l q ue e xis te no es pa dag o, e q ue n cao se en c on t ra fec h adao, se l he der es p es sura, ima ge m mais, fr, si mp l es para r el lem bar q ue a te um l ina hd es ne h ad a, e mate ria, au ton oma e c one nec t ad a com min h am mao, e m eu corp oe min h a que mente, é e xis te no es paco in fi ni to, che ga o a q ual q ue rc o isa pro ox ima das ima ge ns se mode elos dos po rta tais, o u dos burca cos negros e o u t ra s sin gular ie dd es, q ue p os s ue em di s tintas inter p r eta tacoes, mas por agora me fi co na r ep r es en tacao me made ria do is e ix os, p o is dela, si m b ok iza zade al gum a forma , uma antiga figu ra do c one h cie mn to da t r ad dico, o orubu, mas um orubu q ue a inda n cao t ema c auda d en t roda bo ca, se de ix ar de p aret a id e ia de q ue a mate ria, te ms e mp re inter s tic cios, o use seja se t ra ns post asse este model do do is d, par um tres d, te ria en tao em v e z do circulo a es fera, o u mundo, ou univers o, se mp re em e x pan sc cao, e noa l he de se en h ar ia as si m, um burcao, o u f al t ad e liga ac cao, p o is as s um mia ia q ue em q ual q ue r d os v e c tor es q ue nel e p osso t ra ac car a liga ac cao, o burcao, os porta si se mp re es tao pr es en t es p el a quali dade s ub a tom mica ica da mate ria, e s en doque se mp re em e x pan sao, q ue r di ze ra qui nest a figu r ur cao lin g u ista a per cep cao e c on he cie mn to do n ume mer ero c omo rea al id ad e in fi ni ta, o use seja, iand anda, n cao i vaso mp lic ane c es sari aam que mente, a do q ue o univer os est teja em e x pan sao, c omo h abi u t al lem mn te se f ala , na teo ria do big b ang e da ac on t racao,

o curioso disto, é que estava eu relendo o robert anton, ontem, e de repente dei como uma frase num dos seus exercicios, que diz, está uma bomba debaixo da mesa, e assim fui olhar a mesa onde estava nesse momento a ler, esta onde agora escrevo, a da asa, com o prumo e o g 4 por baixo, alvo de leituras sobre a queda das torres, e reparo, que no tampo por debaixo, está um desenho assim como um anel aberto, estranho desenho, pois o que me lenbrava de memoria, na altura em que foi feito, seria como que um acrescento no forro do tampo de baixo, mas nao parece ser , como se tivesse falta de varniz, e a logica de um acrecento nessa peca de madeira, tambem nao faz logica, a nao ser, o que dela deduzo de imagem, uma tampa, sobre a asa, como de um aviao, ora aqui estava de repente nao a bomba, mas a figuracao dela, ou seja, o orubu, a asa do orubu, relacionada entao cm a maça mordida em ny

o cu ur rio do osso disto, é q ue est ava eu r el lem nade ria do circulo do robert anton de ontem, e de rep pen te d ei c omo uma fr ase nu made ria d os se us e x e rc cic cio s, q ue di zorro, es sat uma bomba de ba ix o da mesa,madrid, e as si made ria fu oi ol h ar a mesa o pn de est ava ness é emo men t o al da ler, é sta onda deo do agora es c rato evo, a da asa, com do circulo do p do pr do rumo, é circulo dog do g 4 por ba ix o, alvo de lei turas s ob rea primeora queda das torres, e r epa aro, q ue no tam po p o r de ba ix o, é sta um de sn e ho as si mc omo um ane l ab e r to, e ts ran h j o de sn e ho, p o iso q ue me len br ava de meo ria, na al tura em q ue f oi ,feito, se ria c omo q ue um ac r es c en to no forro do t am mp pode ba ix o, ma sn cao pa rece ser , c omo set iv esse f al t ad e eva r nize, a logica de uma rec en to ness ap eca de madeira, t am bem n cao f az logica, ana o s ero q ue dek la ded uz o de ima ge m, uma ta mp a, s ob rea sa, c omo de um avia o, o ra qui estav de r ep en s t e n cao a b om b, masa figo racao dela, o use sd seja, o orubu, a asa do orubu, r el ac cio n ada en tao cm primeira am maca mor dida em ny

depois olhei o tampo, onde dei algumas marteladas quando a casa toda parti, olhei a linha, e se fez luz sobre a relacao, ao fundo temos o armario do vidro ingles, tambem na altura partido, depois a estante da dimensao, como imagem de matriz, depois esta asa, e em frente nas tres portas de vidro que correm , uma delas tem um dos vidros tambem nessa altura partido, ou seja, uma nova matriz, tres, tres, nove, ou seja em nove do nove, dois dias antes da queda, a partida, me diz ser a primeira das tres, do lado esquerdo, baixo, o que parece remeter para alguem ligado ao teatro, ou danca ou espetaculos, as pancada em cima da asa , mesa, me dizem ainda dois exentricos do grupo, o sessenta,do si quartos em decrescente k lua, e duas luas em baixo, em quarto crescente inclinada entre elas como um percentil, que se refelctia, numa estrahana camisa vermelha com dois buracos nesta posicao que a carmo, no canal dois, apareceu em dia recente, dois pingos se puseram em cima de uma caixa de maquilhagem que uma maquilhadora do clip para a fp , aqui na aparencia se esqueceu e deixou, onde agora dei com a seguinte informacao em co figo de bar ras, made in england, toll box, small grey, vinte e nove, duplo circulo do traco ingles quadrado do circulo, setembro de noventa e oito, dez vinte sessenta e novem , ou noventa e tyres, grau oto, tralo ingles do primerio, triade, vinte e cinco, natal, marco de noventa e dois , segundo, de noventa duplo circulo do segundo set do serpente argento, carmo, e nome da cruz, tam,bem

d ep o i s ol h ei o t am mp o, onda dei al guma s mat bar do ra rte tela ad as qua ando a casa toda p art ti, ol he ia priemira da linha, e se f az l uz s ob rea primeira da relacao, ao fundo, t emo s o ar mario do ov id ro ingles, t a mbem na al tura partido, de ep posi a est ante da dimensao, c omo ima ge made ria de matriz, d ep posi é sta asa, e em fr en te nas t r es portas sd e v id roque cor rem , uma delas te maderia um dos v id ro s t am bem ness a al rt ur p art id o, o use seja, uma nova m t r i z, t r es, t r es, no ove, o use ser r j em nove do nove, do is do dias, psd, ant es da queda, a p [ art id damme di z se ra da primeira das tres, do l ado es q ue r do, ba ix o, o q ue pa rece re meter para al g ue m liga gado ao teatro, ou danca ou es pec cat culo sas pancada em c ima da asa , mesa, me di ze ema inda do is e c en t rico sd dog rup o s ess e bar da rata, do si quartos em dec r es cente k lua, e duas luas em ba ix o, em quarto c r es cente inc l ina ad a entre elas c omo um per c en til, q ue se r efe l c t ia, numa e ts r ana ca misa vermelha com di bar do ra o is buracos nest ap o sic cao, q ue primeira da carmo, no ca sn al do is, ap ar e c eu em dia rec en te, do is ping os se p use ram em c ima de u ima ca ix a de maqui ilha ge made ria q ue uma maqui ilha dor ad o c l ip para primeira da fp , a qui na a ap rec en ia se es q ue c eu e de ix o u, onda deo do agora dei, com da primeira se gui inte in for macao em do figo de bar ras, made in england, toll b ox, sm all g rey, vinte e nove, duplo circulo do traco ingles quadrado do circulo, setembro de noventa e oito, dez vinte sessenta e novem , ou noventa e tyres, grau oto, tralo ingles do prime rio, t riade, vinte e c inc o, nata al natal, marco, o marco, designer, de noventa e dois , segundo, de noventa duplo circulo do segundo set do serpente argento, carmo, e nome da cruz, tam,bem

quantica, fala de tambem, de estados indeterminados, e de probabilidades, a imagem do colapso dos vectores, na historia do gato de sgoringder, levou mais tarde a introduçao, de um terceiro termo, entre o zero por cento que corresponderia o gato estar morto e os cem por cento que corresponderia ao gato estar vivo, o talvez, o talvez, que como palavra se aprocima do, e, na logica do terceiro incluido, numa mesma semelhante rutura de pensamento, com a logica aristoteliana, por assim escrever, eu prefiro o , e , ao talvez, embora saiba, que o talvez colapsa para um dos sentidos, sem necessariamente as certezas se poderem defenir pelo zero , ou pelo cem, la estamos tambem no calculo da probabilidade da tal borboleta em seu bater de asa em tokio, ser capaz de porvocar, um cataclismo em nova yorque, ou melhor talvez dizer, uma borboleta atravesssada por um alfinete, uma espada, que a cravou , ter esse acto , porvocado a consequencia

qua n tica, fla de eta tam am tambem, de sta ad os in det teresa e r mina ado s, e de pro ba bil idad es, a ima ge made ria do c ola ps o dos v e c tor es, na hi s tor ia dog do gato de sgoringder, l evo uma si t arde a int ro u dc cao, de um te rc e iro te r mo, en t reo z ero por c en to q ue cor r es ponde ria circulo do gato est ra morto, é os cem por cento q ue cor r es pn de ira a o gato es star vasp ivo, o t alvez, o t alve z, q ue co omo pala av ra se ap por rc ima do, e, na logica do terceiro inc lui i d o, numa me sm a s emel h ante rup pr ruta de pen sam en to, com a logica aris tot e li ana, por as si m es c r eve re u pr e f iro o , e , ao t alvez, em bora sa iba, q ue o t alvez c ola p as a para um dos s en t id os, sem ne c ess sari a emn te as ce rat z as se pode der rem de fina rp elo z ero , o u p elo cem, la e t sam os t am bem no c al culo da po rba bil idad e d a t al borboleta em s eu bate rato de asa em tokio, ser c ap az de por v o car, um cat ac lis mo em nova yoruqe, o u mel hor t alvez di ze rato, uma bo rb o l eta at ravesssa sada por um al fi nete, uma es pada, q ue a c ra v o u , tereas esse acto , por v o c ada a co nse q un cia

mas chanceler, digo-lhe sito sópor uma razao, que em forma sintécca é esta, para alem do que se desvelou no paragrafo anterior, que é muito clato, pois diz o gato de sg do gor ring der, do gor do ring alemao, ou da alema, vivemos sempre um pouco na mesma treta da idade das trevas e da inquisicao, e às vezes penso, assim, suponhamos,que minha amada, a tal que me está pelo amor prometida, nem me aparece a frente, pois acha que estas novas bestas inquisidoras, assim nos encaixariam aos dois, nessa tal armadilha das duas cabecas, que sempre me faz lembrar as aguias bifidas, de seu conhecimento, tal seria e sera sempre um problema, como concordara, e pelo amor que lhe trago, nao quero eu que nada de mal lhe possa acontecer, e se acontecesse, talvez um mesmo se passasse , por outro lado ainda, promessa e concretizacao de promessa sao coisas distintas e ainda devo acrescentar uma outra indeterminacao, será a promessa, caso ela exista , verdadeira, ou será ela mesmo um engodo, um capa, talvez até mesmo um alibi, criado num passado, com uma previsao de futuro, como a deducao que se poderia tirar do encontro de dois protoes numa mesma sala, um de uma vela e um proveniente de uma estrela que um dia se encontram, e pela luz da quantica, nas estupidezes que vem de tras, onde se assenta, como tudo, sempre assenta na pedra anterior, poderia entao ter que deduzir, que esse protao que veio da estrela tinha que ter decidido ou sabia desse encontro, pelos menos uns milhares de anos luz atras, depois temos a mais recente linha de obama, passando por trinidad, curioso nome, com um discurso super rapido que me perguntei se o estava a ler ou se o sabia de cor, parece que sim e tudo, onde uma outra questao se sub entendia, a jeito de pergunta, sobre o tal acto de energizacao, que ele sentira com michele ao pe de um oblisco, provavelemnte num outro dia da memoria, que me remete para um outro contexto especifico de certa forma relacionada com medicos pediatras, ou omesn, feitos por terceiros, mas que como outros pormenores ficara para outras nupcias, assim retomo o texto onde ele ficara, depois de lhe explicar em breve a razao da pergunta

mas chanceler, digo/lhe sito so por uma razao, que em forma sintectica e esta, para alem do que se desvelou no paragrafo nteiro, que e muto clato, pois diz o gato de sg do gor ring der, do gor do ring alemao, ou da alema, vivemos sempre um pouco na mesma treta da idade das trevas e da inqusicao, e as vezes penso, assim, suponhamos,q ue minha amada, a tal que me esta pelo amor pronmetida, nem me aparece a frente, pois acha que estas novas besast inquisiodoras, assim nos encaixariam aos dois, nessa tal armadilha das duas cabecas, que sempre me faz lembrar as aguias bifidas, de seu conheciemnto, tal seria e sera sempre um porblema, como concordara, e pelo amor que lhe trago, nao quero eu que nada de mal lhe possa acaontecer, e se acontecesse, talvez um mesmo se passasse , por outro lado ainda, pormessa e concretizacao de promessa sao coias distintas e ainda devo acrescentar uma outra indeterminacao, sera a promessa, caso ela exista , veradeira, ou sera ele mesmo um engodo, um capa, talvez ate mesmo um alibi, criado num passado, com uma previsao de futuiro, como a deducao que se podeira tirar do encontro de dois portoes numa mesma sala, um de uma vela e um proviniente de uma tesralk que um dia se encontram, e pela luz da quantica, nas estupidezes que vem de tras, onde se assenta, como tudo, sempre assenta na pedra anteriro, poderia entao ter que deduzir, que esse portao que veio da estrela tinah que ter decidido ou sabia desse encontro, pelos menso uns milhares de naos luza atras, depois temos a mais recente linah de obam, passando por trinidad, curiso nome, com um discurso super rapido que me perguntei se o estav a ler o u se o sabia de cor, parece que sim e tudo, onde uma ouyrra questao se seub entendida, e jeito de pergunta, sobre o tal acto de energizacao, que ele sentira com michele ao pe de um oblisco, provavelemnte num outro dia da memoria, que me remete para um outro contexto especifico de certa forma relacionad com medicos ou omesn, feitos por terceiro, mas que como outros pormenores ficara para outras nupcias, assim retomo o texto onde ele ficara, depois de lhe explicar em breve a razao da pergunta



what
promise
lady
in
what
promise
marriage
are
we
talking
about
here

w p l i w p m a w t a h
h a t w a m p w i l p w
t e y n t e e e e g t e
e t g e e e e t n y s t
w h a t p r o m i s e l a d y i n w h a t p o r m i s e m a r r i a g e a r e w e t a l k i n g a b o u t
ab circulo do vaso da cruz , cruz al king ki ingles, we ar e ema mar ria ge por mise w hat em lady, la ad delta por romi ise w hat

are
you
saying
to
me

a y s t m
m t s y a
e u g o e
e o g u e
a r e y o u s a y i n g t o m e
me met to sa ying, y ingles , delta c ie rc culo do vaso ar e
queda do bic azul prata bar do ra bardo nest e i n s t ante

that
someone
or
a
group
make
a
promise
or
false
promise
to
one
eventualy
myself

t s o a g m a p o f p t o e m
curz serpente circulo da perimeira gn ap da fp pt to oe madeira
m e o t p f o p a m g a o s t
meo ot tp forte gato ass ana h a d o, o medico, opa p am mg primeira os cruz
t e r a p e a e u e e o e y f
teresa ra ap ape pea eu ee oe delta forte
f y e o e e u e a e p a r e t
forte delto e circulo eu , e a primeira ep epa p do aret, par ar e cruz
t a h t s o m e o n e o r a g r o u p m a k e a p r o m i s e o u f a u l s e p r o m i s e t o o n e e v e n t u a l y m y s e l f
major , evil, delta serpente elf, gasolina fr, se primeiro do el v ar eta forte, eve en tua ua aly, al delta one to, pro romi romo se f au primerio se circulo vaso pro romi se , primeira am ak e gato do anel ro da el eva sao, es, primeira do circulo do rato , ps, serpente om meo one taht, cona, cruz primeria home cruz

a
kind
of
decoy
to
disguise
a
complex
control
mind
to
control
one
or
many

a k o d t d a c c m t c o m
m o o c t m c c a d t d o k a
a d f y o e a x l d t l e r y
y r e l o d l x a e o y f d a
a k l i n d o f d e c o y t o d i s g u i s e a c o m p l e x c o n t r o l m i n d t o c o n t r o l o n e o r m a n y
mmsn man ani ny, circulo rato ps one do controlo, c on cruz rol primeiro , to mind, psi, complex, co mp lex, l le x, primeira ad di sg gui se, it, to do decoy, dec circulo do delta, circulo forte kapa da kin, cristina coutinho, do ki inda primeira, ou seja tsunami, assim parece, a pr rece, ser

and
for
this
reason
the
false
promise
it
was
or
it
is

a f t r t f p i w o i i
primeira ft reel time da feder racao p oto guesa, sa do pido, pi do duplo da ova do vaso circulo do input output onze
i i o w i p f r t f a
onze do io duplo vaso ip fr reel time fa
d r s n e e e t s r t s
quadrado rato ps serpentye ne ee t s reel time serpente
s t r s t e e e n s r d
serpente cruz rato ps serpente ste ee en ns rato quadrado
a n d f o r t h i s r e a s o n t h e f a u k s e p r o m i s e i t w a s o r i t i s
e for reel time hi is rea as son cruz he fa uk se ep pro romi se it duplo vaso as sor rit it is
is it circulo rato duplo vaso as it do pro romi se fa uk se , cruz he rea son , cru z x hi is for e , e quadrado

continua....