sábado, fevereiro 20, 2010



20 02 10 d

hoje é sábado, e nao domingo como começo por dizer

homem oje é sábado, outro jornal, e ainda, sa ac en to ab bad ad circulo, en elevado circulo cão, nado, nato, naco nabo, do min go c omo co meço por di ze rato ps

2002 la raja , laranja, dez, primeiro do circulo do quadrado, ou do quadrado do circulo, sic, visto os sapatos que comprei me dizem r ee b ook, classic, circulo la sic, e o saco ainda acrescenta, sobre o tal desporto, da dupla penetração, o ovo nos amantes, vir da rua dos fanqueiros, ou seja palavra que aqui quer dizer faca, fan queiroz, do 1100, segundo do trinta e um de lisboa, 21, olivais, olivais, 88, sete, vinte de sessenta e oito, f ax 88 6 de 83 e noventa e sete, da rua do joao das regras, putas advogados ou juízes, o sex to da praça da figueira, outra modelo portuguesa, do 11 00 segundo de noventa e quatro, capital da cultura, do telefone, dos olivais, laranjinhas, 88 set circulo seth do maestro, vinte e oito, eugenio, dos santos, da rua do d, duarte, numero segundo, do 11 oo so segundo em noventa e quatro, do triângulo dos laranjas 88 6 13 maçónico

2002 la raja , la gelado, ice c rea am, gel ado, anal, lara anja, dez, prime iro doc irc culo do quadrado, ou do quadrado do circulo, sic, vi s to os sa pt os q ue co mp rei me diz e mr ee b ook, classic, circulo la sic, é circulo do s aco a ind ac r es centa, son reo t al des poer rt to, da dupla p ene t raçao, o ovo nos amantes, vi rda rua dos fan q ue iros,roso, italia, o use seja pal av ra q ue a qui, q ue r di ze rf aca, do 1100, seg~un do do trinta e um de lisboa, 21, o lic v aio s, olivais, 88, sete, vinte de sessenta e oito, f ax 88 6 de 83 e noventa e sete, da rua do joao das regras, putas ad vi o gados o u juizes, o sex to da praça da figueira, outra modelo portuguesa, do 11 00 segundo de noventa e quatro, capital da cu l tura, do tele fon edo one, dos olivais, lara n jinhas, 888 set circulo seth do maestro, vinte e oito, eugenio, dos santos, da rua do d, duarte, numero segundo, do 11 oo so segundo em noventa e qua t rio, psd, porto, do t rain h u ilo dos la t anjas 88 6 13 mc oni co

monte branco, mont blanc, amoreiras, mae das aguas, visão, aqui descrito no livro da vida, e recentemente o fio através do protocolo entre o gago e o reitor da faculdade

monte br anco, mont b l a n c, amo rei das iras da mae das aguas, vi sao, a qui id quadrado do es c irc cv u lodo rito, em embaixador do ps, no l iv roda david a, e rec en te mn teo fi o at rav es do rta porto c olo en t reo gago é circulo do reitor da faca u l dade

hoje pelo fim da tarde, um carro na rua capitão pallas, me figurou o triângulo de fogo do financeiro, ou seja se confirma o que aparecia espelhado no carro com as insígnias do dakar, caldeira, e se acrescentou depois uma relação com duas meninas , tweedy, pb e vermelho, do manequim, ou seja o vampiro, o que figura a silhueta no assassinato em dallas,

h oje p elo fi maio amo mor do onze da t arde, um carro ma rua capitao pallas, me figu ro u o t rina ab bul o de fogo do financeiro, o u s e j se soc n fir mao q ue ap ar rec ee ia es p el l had o no carro com as in sig ni as do d ak ar do caldeira, e se e ac rec en to u d ep o is uma r la ac sao es com duas meninas , tweedy, pb e vermelho, do mane q u y imo u seja o vam pi rt o, o q ue figu ra a s u ilhe ue eta no ass a sin ato em dallas

ontem ainda o espírito me conduziu aos arquivos, directo ao texto onde está transcrito a visão no terreiro do paço num dos dias em que fui tentar falar com o bode, e inclusive o levar apara esquadra, e aparece nesse texto sobre essa tarde, onde no tal saco de plástico violeta se encontravam revista de com capas de jogadores de futebol portugueses, um sub titulo que é uma das frase que de novo apareceu em texto recente, fazendo assim a prova

on te ma inda o es pi rito me c oc ondo do vaso ze zorro eu a os arquivos, di rec to ao tex to onda e stá t ra ns c rito a vi sao no do terreiro do paço num dos dias, psd, em q ue fu it en tar f al rato do rc om do circulo do bode, e inc l us ive o l eva ra do para da esquadra, e ap ar rece ness e tex to s ob re ess a t arde, onda no t al saco de pala s tico viol eta se en c on t rava am da revista de com das capas de jogadores de fu t y e bol portu gi es e s, um s ub titu lo q ue é uma das fr ase q ue de n ov ap ar c eu em tex to rec en te, fazendo, luis, as sima por vaso da primeira

http://news.yahoo.com/s/ap/20100220/ap_on_go_ca_st_pe/us_anthrax_investigation

http://news.yahoo.com/s/ap/20100220/ap_on_el_se/us_conservatives_senate

http://news.yahoo.com/s/ap/us_interrogation_memos




volto ainda a uma precisa sequência referida nesta ultima trilogia e também a questão das três raparigas que constam de dois catálogos distintos de forma a melhor clarificar estes assuntos

vaso do circulo lodo, marlon brando, brand circulo, pub, primeiro to da primeira inda, a uma, do pr e circulop da isa sec quadrado do vaso da en cia ref fr rei ei id primeira ane stau l cruz ima mat rio logi primeira, é eta am tambem ema primeria q u es tao da s t r es rta pa rig gás q ue cio ns t am de do is cat al logos di s tintos de forma a mel hor cal rifi car est es as sun t os

a imagem que vi do durao e de um assessor aparentemente em Bruxelas, a vi antes da noticia do pequeno avião em austin, e depois andei a procura dela, no histórico e também no arquivo do dn, e não dei mais com ela, ou seja, um perfume de que alguém a quis depois fazer desaparecer

a ima mage made ria q ue v id o durao e de um ac es sor ap ar ren te mn te em br ux delas, a vi ant es da not ti cia do pe q u en o avia o em au s tin, é d ep o is ande ei a por rc do cura dela, no hi s tor i co e eta tam am tambem no ar q u ivo do dn, e n º cao dei, mais com da lea, o use eva do vaso do seja, um do perfume onda , s us kin, cc, deque eu al gato da ue da ema dos quiz d ep o is f az e rato do aro d es ap par recer

são três as raparigas nesta ultima trilogia mencionadas, três africanas, a primeira está num só catalogo, o tal da imagem em que ela figura a aranha que vem do rio , tejo,

sao t r es as das raparigas nest a ul t iam t rio logi a men cio na ad as, t r es africanas, a prime ira e stá nu primerio s ó cat al logo, o t al da ima ge me made w ria q ue dela figu ra primeira aranha q ue eve made ria do rio , te jo,

as outras duas estão efectivamente no catalogo da Eduarda abbondanza e do mario matos ribeiro, o tal catalogo com imensos nomes de africanos mundialmente conhecidos, de diversas áreas, muitos deles americanos

as de outras duas, es s ato efe c t iva vam am que mente, do no do catalogo da eduarda ab bon da danza, é do mario matos ribeiro, o t al cat al ogo com im en s os no me sd e a fr ica ano s m un dia al lem n te c on he c id os, de di ver sas ar rea s, mu it os deles am mer ican s o

a mais baixa, de estatura, é a do episódio no Alcântara mar que no vídeo relato, e a mais alta e magra, a tal que me estampou o carro contra um caixote de lixo de cimento quando uma noite a levei a casa e que depois foi para a Holanda, a tal a quem escrevi nessa altura um poema de amor,

a mais, fr, da baixa, de est ar da uu t ra, é a do episodio no al can tar mar q ue no v id deo r el ato, é a primeira mais al t a ema magra, at al q ue me es tam am p o u o carro contra, um ca ix o te de l ix o de cie mn to qua ando uma no it e a l eve ia c asa da casa, é q ue d ep o is f oi pa rta a hol ana ad a, a t al a q ue m es c r e vi ness a al tura um poe ema de amo mor, onda dea a t rato am mora sam n te,


20 02 10c
terceira e ultima parte desta trilogia de hoje, na realidade sexta feira

terceira é u l t ima p arte de sta t rio log ia ed ho je en a r el a id dd e s e x t a f ei rta


20 02 10

10 20 10b

segunda parte
se gui gun da ap par rte


20 02 10
20 2010

primeira parte de tres
prime ria p arte det rato ps es pam n hol

outros fios e ecos relativos a kennedy, sa carneiro, mali, paris dakar, serpente top do cubo, questões politicas nacionais, a visão do museu de moda e design

outros fi os se cos, rato fr fel p rim k é eira da cruz ivo sa kennedy, sa carneiro, mali, pari s d ak ar, ser pen te top do cubo, q ue st toes es pol it tica s na cio na isa, visao do museu demo da am da moda e do de si gn

os círculos que aprecem no primeiro filme da morte de Kennedy, para alem do eco que aqui comento, de hoje, quando os vi, neles senti dois perfumes, primeiro o símbolo dos jogos olímpicos, depois audi, ou seja Alemanha, sentido de nazis, ou seja círculos de um mesmo grupo internacional, como se afigura ter estado envolvido na morte dele, devem portanto, io seu numero, corresponder aos círculos reais que ali em dallas nesses dias se organizaram, multiplicais por três ou quatro e assim se obtém o numero de gente envolvida


os c irc culos q ue ap rece cem no prime iro filme d am o rte da morte de kennedy, para al lem do e coc que a qui com en to, de h oje, qua ando os vi, ne l es s en ti do is per rf um es, prime iro, o s im b olo dos j ogo s o l i m picos, de p o p is au di, o use seja al lem n h a, s en t id o de nazis, o u seja c irc culos de um me sm o g rupo transacional, psi, c omo sea figu ra teresa do estado en v o l v id dona da m orte dele, d eve em porta anto, io s eu nu mer ero, co rr es ponde der a os c irc uclos reais q ue al i em dallas ness es dias se o r g ani iza zara ram, multi + lic cais por t r es o u quatro e as si m se ob t emo nu mer ero de fg en te en v o l vaso da id primeira

o eco ultimo que comentei relativo ao eco aqui sobre o ataque de coração de bill clinton, a imagem da chaise longa que me remeteu para a imagem da photo, trás ainda uma outra óbvia relação expressa em sincronicidade, pois a posição desse homem e o facto de ele trazer um capacete integral, se reflectiu na imagem da morte do russo na abertura dos jogos olímpicos no canada

oe é co u l t imo q ue com en t ei r e la t ivo cao é co a qui s ob reo ataque de coraçao de bill clinton, a ima mage made ria da ac ha ise long, a q ue me rem e t eu para a ima ge made ria da ph oto, t ra sa inda uma outra, ob ivo da relaçao, e x press a em sin c ron i cidade, p o is a posi sic sao es desse homem, é o f ac ato de ele t r az e rum capa do cete int e gral, se refe fel le c ti un a ima ge made ria da m orte do r us son a ab e r tura dos jogos o l im pico s n o c ana ad a

o acontecimento do pequeno avião em austin, teve antes uma outra imagem , em véspera, publicada pelo menos na edição on line do dn, onde se via durao de óculos escuros como mimetizando a imagem dos homens de óculos escuros da revista francesa, mostrados no vídeo, que trás essas imagens e muitas outras, que começa com o céu da boca, e ao lado dele tendo por cenário em Bruxelas, um edifício que de certa forma era semelhante ao que se vê nas imagem do helicóptero da policia de ny, um assessor que fazia o gesto a indicar que estava dentro do bolso, ou seja, que sabiam quem era, ou seja em soma, a historia, que se narrou do crash, deste pequeno avião, não é em parte real, se nao for ainda mais grave o que desta sequência se pode concluir

o ac on tec c ie mn to do pequeno aviao, avia o, em austin, teve ant es uma outra rai ima mage em , em v es pera, pub lic ad ap do pelo do elo men os na e di sao es on l ine do dn, onda da se da via de durao, deo c uu, comboios, l os es curos como mime t iza ando a ima ge made ria dos homens deo culos es curos da revista fr ab bn cesa, mos t r ado s no v id deo, q ue t ra s es sas ima ge ns e mu it as outras, q ue co meça com o c eu da boca, e ao l ado dele t en do por c en a rio em bruxe els, um e di fi cio q ue de c e rta forma é ra seme la h n te a o q ue se eve nas ima gn ne do hel i cop pt da cruz do ero da pol policia sica de ny, um ass es sor q ue f az ia o g es to a indica r q ue estav d en t ro do bo l s o, o u seja, q ue s ab iam q ue mer a, o u seja em s oma, a hi s tor ia, q ue sena rr o u doc ra sh, de este pe q eu no avia o, n cao é em p arte re al, se n º cao for a inda mais sg rave, o q ue de sta seq ue en cia se da pode dc dec on circulo lui rato

hoje ao ver numa montra um pavão, se me ligou também, pelas cores, as penas da saia da bela joss, que somado aos pormenores que aqui parecerem narrados no conjunto destes três vídeos, me leva pela posição da sua cabeça e braços na foto do cartaz do concerto, ainda a conclusão, do pea do cok, e me recordei de uma outra imagem bastante mais antiga aqui a porta do prédio , num fim de semana de manha, muito cedo, tipo saída de discotecas, onde o rapaz da altura do rés do chão aparecera com uma rapariga do mesmo figurino da joss, a posição dela era semelhante e um terceira personagem feminina que vinha a trás, tudo muito estranho como na altura aqui narrei, penso que a terceira rapariga, seria a mesma que depois me pareceu vir a trás de uma outra rapariga de branco loira que me cruzaram na infante santo, mais tarde também aqui descrito


h oje cao ver numa mon t ra um p ava o, seme li go u t am também, p el as cor es, as p en as da s aia da bela joss, q ue s oma mado a os por men o r es q ue a qui pa arc e rem na rr ad os no coc cn ju to d este t r es v id deo, me l eva p el a posi sic sao es da s ua cab beça e br aços na f oto do cartaz, do c on cer rt to, a inda a c on c lu usa sao, do pea dc cok, e me rec o r dei de uma outra ima ge made ria ba st ante mais, fr, anti tiga a qui ia pr ie mr ia da porta do pr e dio , nu primeiro fi made ria de se mana de mana h, mu it o ~sed o, t ipo s aida de isco teca son deo do rapaz, da al tura do r es do cha o ap ar e cera com uma rapariga do me sm o figu rino da joss, a po siç sao es dela, e ra seme la h n te e um terceira pero sn g a e m fe me nina q ue vinha a t ra s, tudo mu it o est r anho c omo na al tura qui na rr ei, p en soc ue a terceira rapariga, se ria a em sm q ue d ep o is me par e c eu vaso ira rat atras as, de uma outra rap riga de br anc o loi ira ra rac q ue me c ruza zara am na infante santo, mais t ad der, tadeu, t am tambem a qui d es sd dc cc circulo do rito