quarta-feira, fevereiro 24, 2010

continuaçao...

a mulher trazia um colete, que com os outros elementos já descritos, nos diz ainda do toiro, ou besta, e a imagem que a todos contei sobre o filme do assasinato de jf kennedy e dos ecos que depois aqui se desvelaram, ainda tornam a imagem mais clara, pois os circulos dos aneis , referenciam os nazis, e disseram tambem na rua das facas, ser o tal bal da bala, ou seja a besta do bal da bala e ainda um outro perfume ao ver a imagem da entrada do assis na tal divisao onde se viam os cabides e a sombras sobre os dentes, emergiu


primeria am mul her tar da ar zorro do ia primerio da colete, q ue c om os dos outros e lee mn t os j á d es c rito ás, nós di zorro za primeira inda do toiro, circulo da ova do vaso da bet primeira , besta, e a ia mg em q ue primeira de todos, c one net ei s ob reo fil me dop as sa sin ato de jf kennedy, é do os ser ep pn t es dos e cos q ue d ep o isa primeira do qui aqui, se d es vela lara am ram, primeira inda tor na ama ima ge maior do mais, fr da clara, p o is os circulos do os serpente da ani es , ref fr en cia am os nazis, e di ss e ram t am tambem na rua das f ac as, s ero t al b al da ab ala, o use seja primeria besta do bal da bala, v es sic a é a inda um outro do rop rp do perfume cao vera ima ge maior da en t rato ps ad dado , poker do assis, na t al di visa isa sao da visao, onda da se vi am os cab id es é primeira das s om bras s ob re os dent es, e mer gi iva vaso


pois aquela divisao me lembrou de imediato o colegio moderno, numa das primeiras, se nao mesmo a primeira reuniao de pais onde eu e a teresa fomos, e uma das coisas que lá reparei ao ver a sala dos meninos, fora os cabides, que estavam muito mal colocados em termos de segurança, num local de passagem, e as peças metalicas estavam a altura das cabeças deles, e portanto, logo levantei a questao, a exigir que os mudassem de lugar, ou seja não deixa isto de ser tambem um reflexo da morte de jk kennedy, no sentido da relaçao entre estes cabides da escola do colegio dos bandidos terroristas do soares, e as cabeças das crianças, ou seja espelha isto, um mesmo porcesso, ou melhor, uma semelhança, um perfume, como uma assinatura, e me lembrei eu agora de onde esta a raiz desta imagem, num filme de bertuluci, exactamente sobre os nazis, e onde um militar de uniforme negro mata uma criança, dentro de uma casa aparentemente num jogo, ao a agarrar pelos pes e fazendo rodar no ar, acaba por lhe esmagar a cabeça numa pancada contra um a parede
ou algo que lá estaria,



p o isa iss daquela, a di visao me lem br o onda da ova do vaso de imediato do circulo do colegio moderno, nu mad as das primeiras, se nº cao me sm circulo da primeira da reuniao de pais, tvi, onda eu é a primeira da teresa fo omo se de uma das co isa serpentes do q ue dele, r epa rei cao ove vera primeira da sala, dos meninos, for primeira os cab id es, q ue est ava vam am mu it om al c olo cado br, serpente em termos, de segur ança, nu primerio ml ocal de p as sage me ás das peças metalicas, es sat tv vam ana al tura das cab beças deles, e porta anto, l ogo l eva van teia da primeira q ue es tao, a e x i gi rato ps q ue os mud ass em del u garo onda do vaso use seja n cão de ix a is to de ser t am tambem um ref for mula one le xo da morte de jk kennedy, no s en t id o da relaçao, do tribunal, en t re est es cab id es da es c ola do c ole gi do io dos bandidos terroristas do soares, e às cabeças das crianças, psi, o use seja es pel home da primeira is to, um mes sm mo por rc esso, o u mel hor, uma se ml le homem ança es , um perfume, us s kin, c omo uma as sin a tura, e me lem br rei ei eu do agora de onda, é sta primeria da raiz, rai zorro, de sta desta ima mage em, nu maior do fil me de bertu luci, e x aca t ae mn te s ob re os ñazis, é onda um militar de uni fm o rarto ps me negro mna mata uma criança, d en t rode uma c asa ap ar ren te mn te nu primerio j ogo, cao da primeira, a garra ar p elo serpentes dos p es é fazendo roda ar no do ar, aca ba por l he es maga gara primeira cab beça nu ma pan c ad ac on t ra um a par arde pa rede, deo vaso ual g o q ue l á es sat raia rato da aia


esta foi a primeria reuniao nas instalaçoes do moderno, a que é continua ao pestalozzi, e onde ainda me lembro de outra minha intervençao, sobras as constipaçoes das crianças, e da explicaçao que dei aos pais , que elas correm e se mexem muito, e alteram assim constantemente a sua temperatura, e que portantos os pais tem que estar atentos para ver e se a criança aquece, lhe tiram um pouco da roupa, náo muita, para tambem não a fazerem arrefecer bruscamente, e ao contario, se assim se passa, e me recordo de um pormenor nessa explicaçao de ter mostardo como fazia, isto é, pondo os dedos no interior das camisas, a tocar a pele para ver a temperatura e me recordo de o ter feito numa precisa mae que por acaso era a que estava a meu lado, ou seja uma cobra, pois lhe toquei na zona das costas, onde se diz nas vezes em forma feia, serem os pneus, ou seja uma cobra dos acidentes com carros e carrinhas de transporte de crianças, porvavelmente um panico induzido pelos psi terroristas da escola e do grupo destes terroristas do ps


é sta fo do io do ia, a primeria r eu ni ºcao nas in st ala ac ço es do mode rato no, primeria q ue é cont ing ua cao do pestalozzi, é onda dea a inda me lem br ode outra min home da primeira inter vaso em n çao es s ob bras ás das constipaçoes das crianças, é a da e x p lic caçao q ue dei primeira do os pais , q ue el das leas cor rem e se mex e rato maior mu it oe al te ram as si em co ns tan te mente, primeria serpente da ua te mp pera da tura, é q ue porta antos os pais, te maior q ue es estar t ant os para q ue sea primeira criança aquece, l he tir iram um p o u cod primeria da ar do aro da roupa, n cáo mu it primeira da ap do para rato ps da am tambem, n cão primeira f az se rem ar refe ser br us cam am que mente, é cao c on tar io, se a ss em se da passa, e me record, circulo ode de um por men o rato ps ness da primeria, é x p lic caçao de teresas mo st ard o c omo f az ia, is to é, pond circulo do os dedos no ine t rato ps do iro das ca misas, a toca ra da pele, br, para ave vera primeira da te mp pea art da tra ru ur ra, é me record ode deo teresa rf , feito, nu ma pre c isa mae q ue por ac as circulo é ra priemria do q ue estav , primeira a meu lado, o use seja uma cobra, p o is l he toc ue ei na zon, ad as costa serpente da, onda da se di zorro nas vaso e ze es em forma f ei a, se rem os pn eu s, circulo do vaso do seja, uma cobra do primeria dos acidentes, ac c id dentes com carros rose car rinhas de t ra sn p orte de c ria anças, por v ave lem n te um pan j e co indu uz id o p elo s psi terroristas da escola, é dog rup circulo d estes terroristas do ps



estes fios que agora escrevi, desvelam um misterio antigo, que salvo erro ouvi uma vez contar numa festa de ex alunos do pestalozzi, creio que ao rapaz do sol, de uma historia real ou mito, ou seja , algo que terá sido apagado de alguma forma na memorias dos meninos, sobre uma guerra que se passou entre os dois colegios nessas duas mesmas intalaçoes continuas, que acho que uma vez aqui relatei, ao que parece os meninos do moderno apareceram com bandeira americanas e os meninos do pestalozzi começaram a fazer bandeiras russas, e ao que parece, segundo contam, a policia foi mesmo ver o que lá se passava, ou seja a suma disto me diz agora, que a puta da morte de kennedy, é do colegio moderno



estes fi do os q ue do agora , es circulo rato ps e vicente, d es vela lam am um mi s ter io ant tig o, q ue s alvo e rr o o uv vi uma vaso e zorro c on tar numa f e sta de e x al un os do p es t al oz ze, c rei do io q ue cao ra p az do sol, de uma hi s tor ia rea al circulo do vaso da mito, o use seja , al g onda do circulo do q ue teresa rá s id o ap pa do gado de al gum a forma na memorias dos meninos, s ob re uma mag da guerra, q ue se passou, enloqueceu, en t reo os do is c ole gi os ness as duas me sm as int ala ac ço es conti tin ua s, q ue ac ho q ue uma ave za qui rato la t ei, cao q ue par rede os meninos do moderno, a ap pre ce ram com do bandeira, am mer i c ana se os meninos do pest al ç oz ze co m eça ram a f az e rato rb ban de ira russas, é cao q ue pa rece se gun do c on tam, a pol ica f oi me sm ove ero q ue l á se p ass ava, o use seja primeira s uma dei s tome di zorro do agora, q ue primeira puta da morte de kennedy, é do c ole gui circulo do moderno, mode rn no


continua....
continuaçao


na imagem se viam duas putas salvo erro ambas do ps a entar de frente numa antecamara e depois a que vinha atras , o nazi do assis, virava a direita na imagem , ou seja esquerda real, e entrava numa divisao onde se viam cabides vazios pednruados numa rack, que desenhavam e projectavam uma ligaçao em sombra a outras sombras por baixo que eram perfeitos desenhos de dentes


na ima mage maior da se do vicente da via am de duas das putas, serpente alvo é rr circulo am bas do ps, a primeira ant ra de fr en te nu ma ante tec cam ara e d ep o isaque vinha da onda da morte, a t ra serpente do circulo do nazi do assis, vaso da ira da ava, priemira da direita, na ima mage em emo , circulo pdo vaso use dop seja da es q ue rda rea al, e en t rava nu ma di dao vaso issa sao da visao onda da se vicente via am cab bides das bid espanholas, vaso az io os ped dn rua ados nu ma ra ac ck, q ue d es en h ava vam am e pro ject cta ava vam am, uma da liga ac sao es em s om br a, primeria de outras s om bras por ba ix o, q ue e ram per ff rf , feitos, d es en ho sd e dentes espanhois


a que vinha à frente dele, e o cobria no incio da imagem, como a dizer que de certa forma, é quem por ele opera a mando dele, creio swer uma puta deputado do ps, e ao ver a sua face, me pareceu ser a mulher que arranjaram ao paulo pedrosa na altura em que ele foi preso, para tentarem compor assim a imagem dele, um tal namoro que existia a mil anos e que parece nunca se concretizava, assim pintaram a historia desvelando como de costume a manha que ela continha, esse perfume de reconhecimento se deu, pois acabara outra vez de me aparecer via as imagnes da apav aqui comentadas, a memoria da subida ao monte da virgem e de ao entra no estudio , um dos senhores que lá estava, estar a ver numa tv portatil, o directo das imagens desse mesma prisao


primeria do quadrado da ue da vinha à fr en te dele, é circulo do que o cobria, ano inc cio da ima mage mg em, c omo primeira di ze rato ps q ue de c se rta forma, é q ue em por dele, circulo do pera primeira da am a mando dele, circulo do rei do io sw, sudoeste asiatico, matança, é rato de uma puta deputado do ps, é cao vera primeira serpente da ua da face, revista, me par receu se ra mul her q ue ar ran j ar ram da am cao do paulo pedroso, ped rosa na al tura em q ue dele, fo do oi pr es circulo, para t en t ar rem co mp por as sima primeira mai ima mage maior dele, um t al na moro q ue e xis ti ia primeira do mi primeiro ano sec q ue pa rece n unc primeira ase c on crete iza ava, as si maio r mp pina t ram da primeira historia, d es vela lan ando c omo mode como de costume, cos t um me, da primeira da am manha do q ue da elza c on tinha, esse perfume, s us kin, de rec on he cie mn to ze de eu, p o is aca bar primeria de outra ave zorro de me ap ar recer via ás ima gn es da apa vaso da primeira do qui aqui, com en t ada sa da me mor ia da s a ub bid a cao do monte da virgem e deao en onda da cruz ra ano est stud di io , um dos s en hor es q ue l á es sat tva , es star primeira ave rn uma da tv porta do til, circulo do di recto, das ima gn es de esse, cobra da me sm primeria da pr isa sao da prisao


a mulher vinha em tons preto e brancos, com um cachecol tipo feito a mao, como uma canga ou magneto ao seu pescoço, continuava em frente para a camara destapando o assis, que voltava a esquerda dele e entrava numa outra habitaçao, essa onde se via os cabides, e a sombra no dentes, ou seja o peso nos dentes, ou seja pressao das dores,



primeria am mul her da vinha em ti on ns preto e brancos, com um c ac he co primerio t ipo, feito, primeira mao, circulo do omo de uma canga, circulo do vaso do mag neto cao serpente do eu p es coço, conti tin ua ava em fr en te para da primeira da cama ra d es tap pando do circulo do assis, quadrado da ue evo primeiro da tva, priemira da esquerda dele, e en t rava nu ma outra da h ab bit do taçao, essa da onda da se da via os cab bid id espanhola, é primeira s om bra ano dentes, circulo da onda do vaso do seja, circulo do peso, argentina, nós dos dentes, o vasp seja do press , pr do cobra da sao, a das dores espanholas


ao ver esta imagem, mais alucinei, pois ele espelhava pelas cores figuradas na mulher, e na rack dos cabides, um pedaço do filme de orville, um dos cineastas amadores que fez um dso filmes do assassinato de jf kennedy, que acabara de comentar, ou seja a imagem dizia, da costureirinha, pois esse é o perfume da imagem em dallas, ou seja da ak da morte de kennedy, e de mim mesmo como já anteriormente demonstrei, e ainda mais, um elemento que parece apontar a relaçao portuguesa na morte do primeiro


cao ove vaso é rato re e sta da ima ge made ria mais, fr, al lu cine ei, ip da puta do circulo do is dele, es p el homem ava p el as das cor es figu ur ada s na mul her, e na rat do ac ck dos cab bide id espanhola al, um peda ço, es do fil da me deo rato da ville, vaso da ille, um dos cineastas am ad das dores espanholas, q ue de fez , mar rocos, um ds do circulo do fil mes do ass as sin ato de jf k en ned delta, q ue aca ab br ad e com en tar, ato aro vaso use seja primeria ima ge maior di zorro do ia, da cos t ur rei ei rinha, p o is esse é co circulo do perfume, s us da kin, cristina coutinho, da ima ge me em dallas, o use seja da ak da m orte de k en ne d y, e de mim, me sm circulo doc omo j á ante rio ior que mente demo sn da cruz rei, onda é primeria inda ma si, um elemento q ue pa rece ap pao on tar da primeria da relaçao, tribunal, portu guesa na do ano da norte, a do primeiro

continua....
continuaçao...

o verso glossado é de vitorino menesio, e foi como todos sabem imortalizado na cançao interpretada pelo max


circulo do ove ver serpente do circulo gloss sado, é de vito toi rn do no men es sio io, é fo do oi c omo todos, sabem, imo rta l iza zado na can çao es inter rp pr eta ad a
p elo do maximo



vitorino, um outrop aparecera recentemnte qui, a porposito de umas imagens de uma loirinha em madrid , ao lado do marcelo ribeiro de sousa, em madrid, a mim, o perfume da rapariga náo me deixou de remeter tambem para outyra ilha , a das canarias, vitorino, menesio, ou da amenesia, ou seja do passe com drogas e controlo rem, de forma a tentarem apagar a verdade dos actos dos terroristas que ele protegem, como está espelahdo nos ecritos em dois mil e seis aqui neste livro da vida


vitor do rino do ps, um outro da rop ap ar e cera rec en te mn te qui, a por rp posi to de uma serpente ima mage ns de uma loi rinha em mad rid madrid, aol ado do mar c elo do ribeiro de sousa, em madrid, primeira am mim, do circulo do perfume, cristina coutinho, da ra par riga n cáo da me de ix o vaso de reme teresa t am tambem do para deo de outra, u t delta do ra da ilha , a das canarias, do vitor ino, men es io, o vaso da amenesia, o use seja dop asse com das drogas e do controlo rem, de forma a t en tar rem ap a gara abe ver dade dos actos dos terroristas que eles protegem, c omo é stá es p el a hd o nós e circulo dos ritos em dois mil e seis, as da prime ria aqui do ki do ine nest el iv roda david primeira


processo que é tambem usado sobre o meu filho, tendo começado a ser feito sem meu conheciemnto e a minha revelia em dois mil e quatro, coberto e organizado pelos do ps, sendo que é prova disto tambem, da existencia rel destes porcessos e do seu uso, o facto de até agora conseguyirem pelas patas do polvo, me negarem a lei na porpria ordem dos medicos, escandalo dos escandolos, de quem se diz ser medicos, seus filhos da puta, abusadores de crianças e pedofilos e torturadores como os nazis, que o inferno vos seja quentinho a ausencia de jsutiça!!!!



pro roc circulo do esso, gasolina,gás sol primerio ina, q ue é eta tam am tambem usa sado s ob reo me eu fil no ho, t en do c om e çado br es, ase primeira ser, feito, se em me eu c on he cie mn to, é a primeira am min homem da primeira rata ps evel ia em do is mi da ilhe, é quatro, co berto é circulo dop rato gan ani za ado p elo serpentes do ps, s en doque ue é pro da ova di st o t am tambem, da e xis ten cia rato el de estes processos, stassi, e do s eu us o, o f ac ato de a té do agora c on nse se guy ire rem p el as pat as do polvo, me ne gare ema primeira da lei na porpria ordem dos medicos, es can do quadrado da primeira do alo, o dos es can dolos, de que em se di zorro ser medicos, serpentes se us fil ho s da puta, ab bus usa sado dor es de c ria anças, é pedo fil s oe dos tor tura dor es c omo os nazis, q ue o inferno vaso os do seja q ue en tinho a au use s en cia de js vaso da tiça espanhola home do circulo ns da al!!!!


esta imagem dos dentes, que tambem me diz , os circulos de pressao, sobre os meu proprios dentes, os que me provocam as dores de dentes, que em dia recente em palavra orada dizia me doerem regularmente há mais de um ano, o que não é verdade, na realidade trago dores nos dentes desde dois mil e cinco como todos sabem, pois aqui o tenho referenciado, teve depois um desenvolvimento num dos telejornais do canal dois


é sta da imagem dos dentes, q ue eta tam am tambem me di zorro do os dos circulos de pressao, circulo do irc culos da press sao, s ob re os me eu vaso dos pro da rop p rio serpente dos dentes, os q ue me por vaso cam as das dores de dentes, q ue em dia rec en te em pal av ra o rato ps ad a di iza me d oe rem re gular mente, homem do acento da primeira mais, fr, de um ano, o q ue n cão é ver dd e, en primeria rea l id ad e t rago dor espanholas nós dos dentes de sd e do is mi da ile c inc o c omo td osso, o sabem, p o isa primeira do qui aqui do io t en no ho refer en cia ado da teve d ep o is um d es en volve ie mn to nu priemrio made ria do os se rp + en t es dos telejornais doc anal dois
continua...
continuaçao...


ou seja tendo eu escrito a glossa ao verbo do grande max, o cantor, no final do texto anterior, recordei entao a rpariga com um papagaio que foi morta tambem numa falesia e que na altura em que aconteceu , o meu coraçao ao saber, aqui escrevi, bem como de um fogo numa casa de duas estudantes


circulo da ova do vaso do seja t en dó eu es c rito a gloss ca cao v e rb o do g rande max, o can tor, no fina al do tex to ante rato do ior, rec o rato dei en tao primeira rp a riga com um pap a gaio, papa a gena, pap a gina, pedrao antonio vieira gina, quadrado da ue fo do oi do imo da morta, rta t am tambem, numa f al es ia, é quadrado da ue na al tura em quadrado da ue ac on teceu , o me eu cora raçao cao, saber, a qui es circulo do rato, ps é vicente, b em mc circulo omo de um fogo, numa do circulo da asa de duas espanholas da cruz do vaso da sn nt cruz es pan hola


a ponte parece ser um claro exemplo de como as construçoes sao mal feita em termos de segurança e parece dar razao a quem na ilha logo a seguir a tragedia, disse, que as obras estao todas mal feitas, pois a ponte é elevada e tem como protecçao meros picoitos em forma de bicos de seios pintados de branco, que com o alcatrao negro figuram com precisao, uma dentadura, e sendo que pela porporçao que se ve na imagem parece que nem dois carros se poderao cruzar, embora o sentido de insegurança à ausencia do parapeito, me fora dado atraves de um pensamento, uma criança numa bicicleta, ali a passar, com um carro vindo da outra direçao pode facilmente cair e se cair, a altura o matará



pr time d ira da ponte dd dc ce ser um circulo do prime ero do primeiro aro, é x em mp lode, c omo as das construçoes, sao maio da al feita, em termos, de segur ança e par ref ce d ar r aza coa q ue mna da ilha logo ase gui ira primeira da tragedia, di s sec, q ue as das o bras es tao todas maio da al feit as, p o isa primeira ponte é el eva ad a, é te mc omo pro tec dao mer os pico it os em forma de bic os de seios pin t ado s de branco, q ue com o al cat ra one negro figu ur ram com pre c isa sao, uma den t ad dura ur da primeira, é s en doque p el a por rp pro roc sao es q ue se eve na ima ge maio do mp par rece q ue ne made ria do is dos carros se pode ra o c ruza ar rato, em bora , circulo do s en tid o de in segur ança à au use en cia ed para pei to me for a dado at rav es de um pen sam en to, uma c ria ança nu ma bic cic l eta, al ia p as sar, com um carro vaso indo da outra di re sao es da pode f ac ile lem n te c air e se cir, a al tura o mata rá



ao lado da ponte se via uma canalizaçao vermelha que aparece em muitas outras estruturas , pontes e não só, que figura portanto uma veia, o sangue dos dentes e da dentadura da besta, e ainda uma outra canalizacao em branco ou ferro claro mais fina e torta como uma shafler, uma alavanca, a alavanca que muito tem aparecido nestas ultimas imagens tambem relacionadas com a queda das torres em ny



aol ado da ponte se da via uma c anal iza ac sao es eve vermelha, q ue ap o ar rece em mu it as de outras est ru tir das iras , ponte se n cão serpente do circulo de ó, q ue figu ur ra porta anto uma veia, circulo do sangue dos dentes e da dentadura da besta, é a inda uma outra c anil iza coa em branco, circulo do vaso do ferro c l aro roma mai serpente fina e to rta c omo uma sh a fel ler, uma al avanca, a al avanca q ue mu it o te m ap ar e c id o nest as sul t ima s i mg en ns t am tambem r el ac cio n ad as com da priemira da queda das torres em ny



numa outra ponte com pelo menos tres arcos, antiga se via tambem a mesma veia figurada na canilizaçao vermelha, e uma outra ao lado em posiçao semi erguida simbolizando um falo em acto de penetraçao, deste exemplo tambem se deduz que as obras parecem não respeitar a manutençao das traças originais, ou seja desvela assim serem feitas por sapateiros, pois numa ponte daquela idade, não se justifica nunca uma canalizaçao assim colocada, visivel de lado , muito mal para quem diz querer viver do turismo e só do turismo


numa outra da ap da ponte com do mp da p do elo men os t ratos ps es arc os, ant tiga se da via t am tambem , a mesma ave da veia figu ur rato ps ad ana canil e çao, es eve vermelha, é uma outra do cao aol ado em po siç sao es s emi e rato dag da guida, si m bol iza x ando um falo em circulo toi, de penetraçao, do quadrado de este, é x e mp lot da ond da cruz am tambem, se dedo uz q ue as o bras par recem n cão ato rato espanhol do pe it ar a manu ten çao es das t ratas aças o rig gina ina is , o use seja d es vela as si m se rem feitas por sa pate iros, p o is numa da ponte daquela idade, n cão se js u ti f ica n unc a uma c anal iza cao as si m c olo c ad a, v isi v el del do ado , mu it o ma l para q ue maior da di zorro q ur e rato ps do viver, es, do turismo, é serpente do circulo da ó , a do turismo


esta ponte estava na aparencia pelo que se via das imagens em pé e os arcos, não deixam de simbolizar os dentes da dentadura, virados para dentro das aguas que correm em baixo, ou seja parece indicar o lugar da mordidela nas aguas, relacionado provavelmente com actos em dois mil e cinco, ou seja, relacionado com o sudoeste asiatico


é w sta ponte est ava na ap ar rec ni ap da p do pelo do elo q ue se da via das ima mage ns em pée, os arcos, n cão de ix am de si m bol iz x ar aro os dentes da dentadura, vaso dos irados para de en ny t rodas das sg das aguas, q ue cor rem em ba ix o, o vaso do sej ap pr ce indica car dp do aro l o g ar da mod id dela nas aguas, rato el ac cio n ado pro ova ave lem n te com actos em do is mi le cio n co, o use seja, r el ac cio ando com do circulo 101 do sudoeste asiatico, jogos de casa e de leito


da-se esta tragedia no seguimento do que desvelei sobre a morte de kennedy, e do aparecimento em espelho do doutor carriço reflectido em carrico, o nome do medico que recebeu kennedy em dallas, o que assinou o auto da sua morte, e sendo que nessa leitura se desvelou tambem que essa conspiraçao foi internacional e que nela participaram individuos de portugal, ou seja parece apontar , tambem madeira


quadrado da primeira do traço inglesa se, é sta da tragedia no se gui men toi doque eu d es v el da lei ei s ob rea primeira dam da morte de kennedy, e do ap ar rec cie mn n to em es pel ho do doutor carriço ref fel le c t id o em car rico, on om med, circulo do medico q ue rec e beu k en ned y em dallas, e as sin o u o au to da s ua morte, e s en doque ue ness al ei it tura se d es velo lou t am tambem q ue ess a cop pn ns spi pira raçao fo do oi inter na cio n al e q ue nela p art ti cip aram in di vi du os de portu gal, o use seja pa rece ap pao n tar , t am tambem made da ira

pelos visto , e sendo espelho, tambem assinou o auto para me matarem, nessa altura, ou seja em dois mil e cinco

p elos vi sto , é s en do es pel ho, t am tambem as sino u o au top para me mata rem, ness a al tura, o vaso seja em do is mi da ile le c inc circulo

continua...
Pomba branca, pomba branca de tao alegre voar, naquela terra distante toda coberta pelo mar


Pomba br anca, pomba do branco de t cao alegre, voar, na q ue dela terra, br, di s t ante toda co berta rta p elo do mar


Ouvi de novo o video ultimo, e quando chegou a parte em que falo do sarkozi, oa ouvir o som da criança, nele escutei a lingua dos macacos, ou seja, macaquinha, a ultima referencia que aqui aparecera, fora a relacionada com a tal modelo que um dia me estampou o carro e depois foi para a holanda, creio que assim se esclarece a imagem de sarkozi no haithi


O uv id en ovo v id deo u l t imo, é qua ando c he go ua p arte dem q ue falo do s r k oz i, o cao uv iro s om da criança, ne le es cu teia da lingua dos macacos, o use seja, ma aca quin h a, a u l t ima ref fr rec ne ia q ue a qui ap ar e cera, fora a r e l ac cio n ada com a tal modelo, q ue um dia me es tam p o u o carro e d ep o is f oi pr a a h ola lan anda, c rei o q ue as si m see es clare cea primeira ima ge made ria de onda s ar do ko do ove vaso da isca do oz ino hat haithi



dei com o rapaz sorros, a me olhar em cima numa capa de um jornal frances, seu olhar era de amor, e o que dizia assim me afigurou ser verdadeiro pelo menos em mais de metade, pois como ele dizia, o problema náo era a grecia mas sim o euro, e isto é verdade, no sentido, em que se grecias há muitas, o euro é uno, e náo só é uma moeda, ou seja a repsonsabilidade da situaçao lá, independentemente das corrupçoes que se encontram em toda a europa, é de todos e as medidas de politica economica e financeira, que se pretendem impor a grecia, trazem um custo muito grande a propria grecia, quando a politica financeira e da moeda e do comercio e do desenvolvimrnto ou nao toca a todos os que partilham a mesma moeda,


d ei com do circulo do ra p zorro de sorros, a me ol homem da ar em c ima numa cao ap priemira capa de um jornal frances, s eu o l homem da are é ra de am mor, é o p q ue di z ia as si m me ema figu ur ro u ser verde dade iro p elo men os em mais, fr, de met ad e, posi c omo dele, di z ia, o pro b l ema n áo e ra a gre cia mas s imo euro, e is to é vera dd en o s en t id o, em q ue se gre cia s h á mu it as, o euro é un o, e n cáo s ó é uma moe dao use seja a r ep ps son sa ab bil di iade da s it tua ac sao es lá, independente mn te das cor rup ç o es q ue se en c on t ram em toda a europa, é de todos, é as das medidas, de poli rt tica economica e fina ce ira iraque se pre t en dem im por a gre cia, t ra ze m um cu sto mu it o g rande a p + o rp ria gre cia, qua ando a poli tica fina ce ira e da m moe da e do c om mer cio, é do d es en v ol v ie mn to o un ºcao toca primeira de todos os q ue onda p + art ilha ham am, a onda me sm a m o e d a


depois ontem a noite, deitado o espirito me dizia que ue era muito grego, na verdade sou, isto é me reconheço muito na grecia antiga, mas tal nao desdita ou contradita o que acabei de acima dizer, e lhe digo uma coisa belo rapaz, quem estava com cara de facinora em dia recente numa outra foto, era o rapaz da morgan



d ep o is on t ema ano da noite, dei onda ei it ado o es pei rt tome di z ia q ue eu e e ra z mu it o g rego, na verde ad es o u, is to é me rec on he ço mu it on a gre si ant tiga, mas t al n º cao d es dita o u cio nt, norton, de matos, ra di dt a o q ue aca bei o de ac ima di ze r, e l he dig o uma co isa b elo ra p za, q ue m estav com ca ra de f ac cio n ra em dia rec en te nu ma outra f oto, e ra o ra pa z da dam mor gan , o us e j a seguros, ou seja seguros, seguro serpente use principe da primeira dos seguros


depois de ontem ter aqui comentado o extracto do dentista miguel, ao socrates, hoje dei com os dois numa capa de um jornal, onde ao miguel era atribuida a frase de que o objectivo de uma entrevista náo é propriamente o de fazer sangue, curiosa afirmaçao por parte de um dentista, e sendo que um dos ultimos a que fui, nao publicos como digo em palavra orada, mas dos privados, tinha imenso sangue nos aparelhos com que se preparava para me arranjar o dente, que logo passado algum tempo se estragou de novo, como alias cheguei a todos aqui a mostar



d ep o is de on te maior da teresa a qui com en t ado oe é x t rac ac ato do dentista miguel, x cao socrates, homem oje dei com circulo do quadrado, os id numa da capa, r eve ista, de um jornal, onda deao do miguel, e ra a t rib u id a a fr ase deque ue o ob onda do ject ivo de uma en t revista n cáo é pro rop pr ia am que mente, o de f az e rato ps san g ue, c ur rio sa a fi rata ps do mna ac sao es por p arte de um den t ista, é s en do que um dos sul t imo sa q ue fu in ºcao publico sc omo dig o em pala vaso do ra o r ad dama ma sd os privados, tinha im en s o sangue , dos nós dos aparelhos, quadrado c om q ue se pre apa rava para me ar ra n j aro c irc uk lo do dente, q ue logo pa s sado al gum te mp o se est argo vaso de n ovo, c omo alias, pandora, c he g ue ia todos da a qui am mo s da tara


pois assim o dentista miguel, ao dizer que ali não é o local de fazer sangue, está tambem a admitir que em outros locais, por sua mao, esse sangue de alguma forma é feito
p o is as simo circulo do dentista miguel, cao di ze rato ps q ue al i não é o l ocal de f az e rato ps sangue, é stá t am tambem ad mi it tir quadrado da ue em outros, primerio do circulo dol cais, o do joker, por s ua mao, esse do sangue de al gum primeira forma é feit circulo


depois deixe-me dizer-lhe que quando vi o extracto on line no noticiario do dois, algo de estranho se desvelou a meu espirito ao momento, nao trago a certeza de ser em parte induzido, portanto para que fique claro, como a cor contraria as aguas da merda dos assassinos na madeira, o explico, admitindo a possibilidade tecnica que eventualemente poderia ter sido preparada, de forma a me criar essa leitura, um mix feito sobre um plano aproximado de sua face nessa entrevista que lhe fazia um brevissimo trejeito de labios, como quem chuparia alguma coisa, e o que eu entendi pelo espirito era que fora apanhado com as aguas na boca, tem isto o valor exacto que agora acabei de escrever, isto é, é tambem passivel de ser verificado por uma peritagem tecnica nas imagens, da montagem na rtp, ou até durante o processo de encoding



d ep posi de ix e traço da inglesa me di ze rato do traço ingles primeiro dele, q ue qua ando vi do circulo, onda é x t arc to on l ine no not ti cia rio do dois, al gode es t ar rn ho se d es velo lou a me eu es pei rt o cao mo men ton º cao t rago, a ce rte z xa de ser em p arte indu uz id o, porta anto p+ ara q ue fic w ue cal roco omo primeira ac cor c on t ra ria as das aguas da merda dos assassinos na madeira, oe é x p lic o, ad mi t indo a p os sibil di iade tecnica, q ue eve en tua lem n te pode ria teresa s id o pre epa rato do ps ad a, de forma am mec ria rato dessa lei tura, umda onda do mix feito, s ob re um pal no ap roxi ima mad, ode s ua da face ness a entrevista, q ue l he f az x ia um br e vi s simo t re jei it o del ab bios, c omo q ue m chu par ia al gum ac o isa, é o q ue eu en t en di p elo es pie it o e ra q ue for a ap ana h ad o com as das aguas na boca, é te m is to ova do valor, joranl, é x acto q ue agora ãca bei de es c ree vaso rell is to é eta tam am tambem p ass ive kapa do priemrio rol de ser v eri rif fi cado, br, por uma pe rita tage maior tecnica nas ima ge ns, da monta ge mna rata do tp, o ua té duran teo circulo do pro roc esso de en onda rif cod fing



o sentido que depois pela noite se me afigurou fora um broche a uma criança, ou seja estamos perante uma abuso, como muitas da historias dessa ilha do cacique, onde um padre, o max, abreviatura de maximo, salvo erro jesuita, ao que parece chegou mesmo a matar um numa falesia porvavelemnte para encobrir, e sendo que estas historias de abusos na ilha não se esgotam aqui neste exemplo, infelizmente



o s en t id doque q ue d ep o is p el lan ano da noite, dois mil e cinco, se me a figu ur ro onda da ova do vaso for a um, br roche a uma criança, o use seja es t amos pe ran te uma ab bus o, c omo mu it as da hi s tori as de essa da ilha do cacique, do grupo do jardim, onda um pade, o max, ab r e via da tura de maximo, s alvo e rr o je es u it a, cao q ue ap pr rece c he go um ,es mo priemria am mata ar um numa f al es ia por v ave lem n te para enco onda br ire, s en doque eu destas historias, h s it o ria sd e ab bus sao na ilha, n cão se es sg g otam a qui nest, é e x em p lo, in f el liz que mente


e se me desvelou na faca do paragrafo anterior, a mesma certeza, ou seja está isto relacionado com o grupo de dois mil e cinco e os textos que de novo me apareceram no arquivo deste livro da vida, ou seja relativos a janeiro de dois mil e seis, depois de talvez cinco meses de ausencia de escrita, pois foi quando me roubaram o filho, e me tentaram matar mais uma vez, hoje se juntou uma outra frase, do almoço no palacio, da baba da galinha dos leitinhos dos porcos,



é seme d es velo loi onze un a faca do para g rafo ante rato da art do ior, a mesma ce rte za, o use seja é stá disto, r el ac cio n ado com o g rupo ode do is mi da ile c inc oe os tex t os q ue de n ovo me ap ar e ce ram no do arquivo do quadrado de este, l iv roda david a, o u seja r el a t ivo sa jn a eiro de do is mi le se is, d ep o is de t alvez c inc o mes es de au s en cia de es c rita, p o is f oi qua ando me ro ub aram o fil ho, e me m t en t aram mata ar mais, fr uma ave zorro, homem do oje se jun to vaso uma outra fr ase, do al moço no pala ac do cio, da baba da gal ina hd os leitinhos dos porcos,


Do negro bailinho da morte colectiva na madeira, o tal bailinho onde se costuma ver o reizinho despota de barriga à mostra feito bailarina tipo assim brasileira de carnaval, no meio do povo, a mostrar os seus dotes de cacique


D, é negro ba id do circulo 101 do linho da dam am da morte orte c ole ct iva na madeira, o t al bai do linho lei rt o, onda da se cos t uma ave ero do circulo do rei zinho do quadrado do despota, es pot a de barriga, primeira da m os st ra , feito, ba ila rina t ipo as si maior da bra s ile ira de c ar naval, no me io do p ovo, a m o str ar os se us dot es dec deca ca da cc sic da ue



dentes e dentadura da besta, e ferreiro e ferrar a besta, velha imagem na verdade, desde dois mil e seis, passando por evocaçao recente na cimeira da onu, em nova yorque , depois por copenhagen, depois mais um tremor falso em s vicente e depois um à seria no haithi, com mais de duzentos mil mortos, conta toda junta , demasiado grande para que alguem traga a veleidade de pensar que a irá escamotear


dente sed da dent ad ur a da besta, é ferreiro e ferr a ra besta, velha ima mage mna ver dade, de sd e do is mi da ile le se is, p as sando por evo caçao rec en te na cime ira da onu, em nova yorque , d ep o is por cop he a g en, d ep o is mais, fr, um t remo mor do tremor falso em s vicente, é d ep o is um à se ria no do haithi, com ma s id e d uz en to s mi l mor t os, conta top da junta , de ema s iad o g rande para q ue al g ue m t raga a vaso dele, id da ad é d ep pen serpente da ar quadrado da ue da primeira da irá es ca cam do mo do t e ar do tear



a dentadura está figurada em diversos fios da imagem global da desgraça na madeira, e é visivel em diversas imagens de video que apareceram nas reportagens e estao on line nos respectivos noticiarios, nomeadamente , o do canal dois da rtp, que geralmente sigo


primeira da ad sd da dent ad ur a é stá figu rato da ad primeira em di ver s os fi os da ima mage em global, jonal, gato loba do bal da al, da desgraça na madeira, e é v isi vaso el em di ver sas ima ge ns de v id deo q ue ap ar e ce ram nas r ep porta ge nse est o a on l ine nós r es pe ct ivo s no tic cia rato isso norma ton, no me ad dam am, que mente , o doc circulo do anal do is da rata do tp, q ue ger al mente sig circulo, alemao


a merda dentro das canalizaçoes, imagem simbolica que liga os eventos do haithi, como os da madeira, pelos caneiros, já vinha de tras, aqui em cio diversos, nomedamente o do publico, com a versao soft da apresentaçao , o chichi, o rapaz de gatas como lambendo uma poça de chichi e duas matronas sentadas a ler certamente filmes porno ou algo do genero, e se rindo muito, gozando com a coisa, alvo isto de comentario em palavra orada aqui em dia recente


prime ria da am merda d en t roda serpentes das canalizaçoes, c anal liza ac co es, ima g en si mb o lic da primeira do q ue da liga os eventos da onda do haithi, c omo os da madeira, p elo s c ane iros, j á da vinha det ra serpente aqui em cio diversos, no med dam am que mente, o do publico, com da primeira da ave rata da sao serpente do circulo do lobo do ft da ap pr es en taçao , o chi chi, dupla, a dupla dp, o ra ap zorro de gatas c omo lam bendo uma p o çade es chi chi e duas matronas s en t ad as al ler cera rate mn te fil mes porn circulo do, o ual god o g ene ero, e se rato indo mu it o, g oz ando com da primeria do ac co isa, alvo is to de o com en tar rui, o em pal av ra o rato ps ad primeira aqui em dia recente

um outro fio recente e anteior, em sua expresao, na chamada linha de tempo ligava tambem o haithi, ao caso do chamado polvo aqui, imagem da mafia, numa imagem que emergira a porposito do haithi e das acçoes de solidariedad do grupo de musicos we are the world, e cujas corres se reflectiram nas capas do sol, o jornal portugues, ou seja, este fio se alarga bem mais para tras no tempo, a principio da decada de noventa, no pais vizinho do haithi, a republica dominicana, e passa por diversas desgraças que ocorreram no mundo, assasinat de j f kennedy e sá crane do iro da morte sá carneiro, care m miro rop, da queda das torres em nova yorque, sendo que a traduçao da frase, remete tambem para elas, world, world trade center, associando , ou melhor, desvelando outra linha da id, comercio , e finanças,


um outro fi do io recente, é ante ior, em s ua é x press sao, na c ham ad a lina hd, é te mp o liga ava tam am tambem do circvulo do home da primeria da it do hi, energia, cao do caso, do louco, do c ham amado do polvo aqui, ima ge made ria dama da fia, iatalia, nu ma ima ge maior do q ue e mer gi da ira primeria da ap por rp posi to do haithi, é das acçoes de sol id ari e dad dog rupo de mu sic os we primeria aret he world, e cu j as cor rato do es da se ref fro mula one le c t iram nas capa sd do circulo do sol, o j hor n al portu gues, o use seja, este fi io se ala rato ps gata primeira ab em mna ip do para rato ps ra serpente sno te mp o, a prin cip io da dec ad de no ove da en venta, no do pais, tvi, v i zinho do h a it hi, a r ep pub un kapa lic da primeira na republica dominicana, do mini c ana, ep da passa, por di ver sas das d es sg graça s q ue o cor r e ram no mundo de sd e a queda das torres em nova yorque, s en doque da primeira do dat t ra duç sao es da fr ase, reme te eta tam, am tambem para delas, world, wor l dt da trade center, as soc ian do , o u mel hor, d es vela lan anda de outra da linha da id, co om do mer cio , é finanças

a dentadura é figurada numa ponte estreita muito estranha, que ficou quebrada, desvelando uma vareta vermelha, que pelo perfume me remeteu de imediato para o ilusionista, gravura do dn, e imagem dos magicos americanos, e consequentemnte para beslan, imagem na escola dos meninos nos oliviais, todo isto referencias no livro da vida

a d en rta ad rua é figu ur rato ps ad a numa da ponte, est rei it a am mu it o est rato ps anha, q ue fi co vaso da cruz quebrada, oeiras, d es vela lan ando uma vaso ar eta ave vermelha, q ue p elo do perfume, s us kin, cc, me reme te vaso de im e da it o do imediato, corte real, para do circulo do i lu sio ni sta, g ar vaso ur primeira do ado do dn, é ima mage ge made ria dos magicos am erica canos, e co nse q u en te mn te pa rta bes lan, ima ge ema mna escola, dos me nino s nós dos oliviais, todo is to refer en cia sno l iv roda david primeira

continua....
Depois de publicar o penultimo texto, o cursor ficou sobre o arquivo do blog referente http://ourosobreazul.blogspot.com/2006_01_01_archive.html, ou seja, parece existir e se demonstrar assim a relaçao com os eventos que descreve, com o que se passou nessa estranha altura , principio de dois mil e seis

D ep posi de pen vaso pro prmeiro da pub l cia aro u l t imo tex to, o cur sor fi co u s ob reo arq u ivo do b lo g refer ren te http://ourosobreazul.blogspot.com/2006_01_01_archive.html, o u seja, par ce existir, é se demon s t ra as sima priemira relaçao com os dos eve ventos en t os, q ue d es c reve com o q ue se passou, ness a est r anha al tura , prin cip io de do is mile le se is

...

Pequeno pormenor no video ultimo em que falo da haithi, e relato a visita de sarkozi, uma criança entra no predio, e o som que fez parece ser de choro , simbolizando asim a imagem de dor

Pe q un no por men o rato ps no v id deo u l t imo em q ue falo da haithi, é rato ps ela ato primeira vaso ista de s ar k oz i, uma criança en t ra ano pre d io, é o s om q ue de fez pa arce ser dec hor o , s im bo l iza ando a sima ima ge made ria de dor


Já o dia vinte e tres vai na sua terceira hora, acabei de ver a parte do inicio do telejornal do canal dois que ainda nao tinha visto como disse no texto anterior

J á o dia vinte e tres, vespera de natal, v aina s ua ter ce ira hor a, aca b ei id eve vera primeira p da arte do in ni cio do telejornal do c ana l do isque a inda noa tina homem vi st o c omo di iss s seno tex to ante rato do ior

o contexto da noticia , a primeira que apanhara quando liguei ontem a tv, fora a conversa em estudio da apav, que agora entendo no seu contexto integral, deixai-me dizer a todos que a acçao da apav é muito meritoria, e sempre a trouxe e trago em meu coraçao

o c on tex to do ano da not tica , a prime iraque ap anha hara qua ando lige u i on te ema primeira da tv, for a ac on ver sa em es stud do io da ap av, q ue do agora en t en do no s eu c on tex to inet gral, de ix ai do traço da inglesa me di ze ra de todos qua a acço da ap av é mu it o mer it tori a, é se mp rea t ro ux ee, é t rago em me eu cora raçao

pois antes da parte das violencias familiares, estavam os rapazes an rua fazendo uma campanha e prevençao, contra os larapios, tipo carteiras onde o rapaz que faz pub ao bcp, roubava a brincar a mala de mao da bustorff, a bela rita que morra em meu coraçao desde que uma vez fui ao monte da virgem tambem por la andava, entrevista da apresentaçao do canal zero, e um rapaz com o belo nome de lazaro, mostrava uma aguia parecida com a minha, e falava de cartoes de credito, portanto uma outra linha ali se desvelava, o rapaz do bando do rua de s lazaro, a aguia dos cartoes de cresdito, sendo que em dia nao muito ido, alguem aqui dispos um conjunto de fotos e outros elementos, no qual constava um estracto do bcp com estranhos movimentos de anulaçao de cartao de credito,

p o is an t es da p arte ds viol en cia s f am ili ares, est avam os ra ap z es an rua do fazendo, uma cam p anha e pre eve en çao es, contra os lara pi os, t u ip o ca rte ira s on deo rapaz, q ue f az pub ao bcp, ro ub ava a br inc ar am ala de mao da bus t y for rf ff , ab dela, a rata tita quadrdo da ue do mor ra em me eru cora raçao de sd, é quadrado da ue, uma ave zorro do fu do ia do circulo do monte da virgem, tam am tambem por la anda ava, é um ra ap zorro circulo do om ob do elo noe made ria del primeiro da aza aro, ms ot rava uma aguia par e cida com a min do homem da primeira, é f ala ava de ca rto toes dec red di it o, porta anto uma outra lina h al ise d es vela ava, o rapaz do bando do rua de s lazaro, a aguia dos ca rt toes de c r es dito, s en doque em dia n º cao mu it o id o, al g ue maqui di sp os um c on jun to de f oto se fr sef de outros elementos, no q ual co ns t ava um es t ra acto do b cp com est r anhos mi v u ie mn t y os de anu la ac sao es de c art rta tao dec red it circulo

nessa subida a rtp monte da virgem como depois aqui relatei, ao chegar corria a noticia da prisao de paulo pedroso, encontrei o alvaro costa por detras do programa, e uma rapariga da regie me mostrou uma foto de um filho que tinha nascido com uma espinha bifida, ou seja em suma, pedofilos do ps, alvaro costa, relaçao com londres, um passe do apresentador sobre uma aprente brincadeira com heroina em uso de picas, e um nascimento de uma cobra, uma relaçao com londres

ness a s ub bida bid id da primeira , a rata do tp do monte da vi e rata ge mc omo depois, a qui r el la t ei, cao aoc he g ar cor ria ano it tica da prisao de paulo pedroso, en c on t rei o al vaso do aro do costa, ps, por det ra sd do circulo do programa, e uma ra ap riga da regie, tvi, me mos t ro u uma f oto de um fil ho que da tinha na sc id o com uma es pinha bi fi dao use seja em suma, pedo filo, icam, sd do circulo do ps, al vaso do aro da roca do costa, da relaçao com londres, um p as sed do circulo do apresentador, s ob re uma ap ren te bric cna de ira com her ero ina em us sode picas, e um na sc ie mn to de uma co br a uma da relaçao com de londres


se lia ainda na notica da apav, o trinta e um do ano de noventa e um, no hotel ibis, do fontana dos roubos patromoniais, no hotel da aguia, dos roubos das contas bancarias, cortina vermelha no metro, ou seja do bum, da joana do marques do vidal, apav, as tres velas vermelhas da gravides do colar de perolas do x no sargento do traço ingles da violencia domestica

se do l ia a inda na not tica da ap av, o t rina te, um do ano de noe v n t ae um, no ho tel ibis, do font, a ana dos ro ub os pat romo ni ais, mo ho tel da aguia, dos ro ub os das contas banca ria s, cor tina vermelha no onda do metro, o use seja do bum, da joana do mar q us do ov do vidal, ap av, as ft rato es das velas ver nel h as dag da gravidez, rav id es do c ola lar primeiro da ar de pero das rolas do x no s ar e g en to do t r alo ço in g l es da viol en cia do ome do me serpente tica

o telejornal começava no sumario com a apresentaçao de outra demissao do segundo administrador da pt,

circulo dao tele, o do jornal, com eça v a no s um mario com aa pr es dent taçao de outra d emi miss o ad do circulo do segundo, ad min s it ra da dor da pt,


na meta linguagem das imagens e das proprias palavras do administrador que se demitiu, escoilhidas a dedo, pelo dele, visto serem extractos de transcriçoes, simples frases que ressoam estranhamente no mijo com que vem apresentando as tais outras escutas, que como a todos expliquei, servem sobretudo para tentar branquear as pesadas responsabilidades que estas bestas trazem todas em suas maos, com crimes de genocidio, onde se acrescenta agora mais os quarenta e dois da madeira, até ao momento

na meta l ing guage made ria das ima ge ns e da s pro rop pr ia s pala vaso do ra serpente dd sd do ad min s it r ad da dor, q ue se d emi ti u, es c oi l hi id as a primeira do dedo, p elo dele, vaso is to se rem é x t rac actos de t ra ns c riç o es, si mp l es fr ase es q ue r esso am est r anha ham am que mente no do mijo, a linah do chichi, com q ue vaso em ap r es en t ando as tai os de outras es cut as q ue c omo primeira de todos, é x p lic ue ei ser v em sobretudo, para t en tar bar a q nu ue da ar do as pesa sado sa r es p os na bil di iade es q ue é sta s bestas, t ra ze m todas em s ua s maos, com c rim es de g en o c id di do io om n de se ac r es c en ta agora mais, fr, os qua da renta, e do sida madeira, a té cao do omo men to

pois é bom não esquecer, que o que se apresenta na mesa, no momento deste acontecer, na madeira, vem desde mujito tempo atras, desde jf kennedy, queda das torres em ny, passando pelo tremor do sudoeste asiatico e agora o mais recente, antes do da madeira no haithi, via as historias e a mao dos actos na republica dominicana em principios de noventa, e ainda agora neste final da tarde, o espirito me desvelou estar tambem relacionado com a vespa branca do serpente do design que actua a mando do tal da cruz feita outrora na ilha da madeira, de um tiro na infante santo, ou no infante santo, que escutei no passar de uma vam ao momento desta leitura que o espirito agora me desvelou

p o is é b om n cão es q ue ser, q ue, o q ue se ap pr es dent ana mesa, es, no do meo mo men to d este acontecer, na madeira, vaso em de sd e mu j it o te mp o at ra s,d es de jf k en ned y, ue dada s torres em ny, p ass sando p elo do tremor do sud oe sta asiatico, é agora circulo do mais rec en te, ant es do da madeira nod o haithi, via as hi s tor ise sea priemira mao dos actos na rep u b l cia do mini c ana em pr inc ip pi io os de noventa, é a inda dp agora nest ts fina al da t arde, o es pi rito tome d es velo lou es star t am tambem, r el ac cio na ado com primeira ave da v es sd spa br anca do serpente do de s ei gn q ue ac tua, primeira do mando do t al da cruz feita, o u t ro ra ana ilha da madeira, de um tiro na in fan te s ant o, o un o in fat s anto, q ue es cu t ei no p as s rato ps de uma vam cao moe mn to de sta lei tura q ue o es pi it o a gi o ra me d es vaso el lou


se via figurado no edificio de picos, forum pt, a cunha desenhada como elemento da fachada, e em cima o logo com dois circulos, certamente do abilio, visto o escritorio dele na altura em que mais suma vez depois de passar por muitos outros na pt, com o canal zero, fui reunir e onde depois , sem que nada como de costume avançasse com o canal zero, apareceu a tv interna da pt, com obviamente, o conceito tecnico do canal zero por detras , tempo do miguel horta e costa, ainda, e por cima o satelite, ou seja a cunha das comunicaçoes via satelite

se da via figu ur rato ps ad on o e di fi cio de pico serpente do forum pt, primeira do ac da cunha de sn h ad ac omo el em en to da fa h c ad a , e em c ima o logo com do is c irc culos, ce rat e mn te d o ab i lio, vi s to o es c rito rio dele na al tura em q ue mai s uma ave z d ep o is de p as sar por mu it os outros na pt, com o c ana l z ero, f oi r eu bn ire da onda d ep o is , s em q ue n ad ac omo mode cos t um me avanca asse com o c ana l zorro do ero, ap ar e c eu a tv ine t rato ps na da pt, com ob via am que mente, do circulo do c on ce it o tec nico doc ana l zorro do ero por detras , te mp o do miguel ho rat é costa, ai bn da, e por c ima o sate lite, o use seja a cuna hd as das comunicaçoes via sate lite

pt fernando soares carneiro, é o segundo nomeado pelo governo a sair da empresa em menos de uma semana, assim dava conta a noticia do canal dois

pt ferand circulo do soares carneiro, é circulo, c irc uk lodo, circulo do segundo nom e do p elo governo a s air da em presa em men os de uma se mana, as si made ria d ava conta priemria do ano da not ti cia doc ana l do is


s am s un gato, da fun da acao na navega da internet, no do forum picoas, da pico do sol , a face oculta, do circulo do dn, do jn e da tsf, o polvo, assim adquiria de repente um outro sentido esta manipulaçao das constantes tretas, em dia seguido a ter comentado as frases da capa do sol, logo no dia seguinte, na rtp, no noticiario da hora de almoço, me pareceu entender que diziam que afinal as frases publicadas eram falsas, ou seja, nem constavam das escutas, o que mais uma vez demonstra que isto é uma merda, toda uma outra, para alem da imensa lata destas putas todas que se dizem jornaliatas em mentoras descaradas sobre tudo e nada em continuo, a safar os cu uns aos outros

s am s un gato, da fun da ac cao sao es na ana vega , a da internet, no do forum picoas, do pico do sol , primeira da f ac é oculta, do c irc culo do dn, do jn e da tsf, circulo do polvo, ass si em ad do qui da iria, é rata da ep da en te de um outro, s en t id circulo da primeira de est manipulaçao, das co ns tnt es te rta serpentes, em dia se guido, primeria teresa com en t ad o as fr ase sd primeira capa do sol, logo do no dia seguinte, rtp, na rata do tp, no do noticiario da hora de almoço, me par c eu en t en der q ue di s zorro iam q ue a fina al as fr ase es pub l cia ada s er am f ala s alsa, o u seja, ne mc on onda serpente da tv vam am das escutas, cu t as, o q ue mais, fr, uma ave zorro demon s t rac ue is to é uma da merda, toda uma de outra, para al lem da im en sa l , sala, rr, ata de sta s putas todas, q ue se di ze maior do sj dos jorna do jo rna da lia ata as em men tora sd es cara d as s ob re tudo e en ad a em conti nu o, primeira safa aro os cu un sao serpentes de outros


ou seja , em suma, ou melhor uma das facetas desta suma, o polvo, é entao uma organizaçao que se estende pelo dn, pelo jn e pela tsf, assim de repente este sentido se desvelava nas entrelinhas da noticias

o circulo da ova do vaso da use seja em serpente uma, o vaso primeiro do mel hor, uma das f ac eta sd destas, serpente uma, circulo do polvo, é en tao uma o rato gato ani do niza ps, çoc es ue se de est en de p elo dn, p elo j ne p el a ts f, as si maior de r ep en te este, s en t id o se d es vela lava, vulcao, nas en t ratos el ds linhas da not ti cia serpentes


as frases do fernando do soares carneiro trasncritas na noticia, como habitualmente fazem com extractos do que chamam de comunicados, fora escolhida a dedo, pois de imediato se afigurou o sentido do corte das palavras, ou seja um claro perfume que o escreveram assim para que eu assim o entendesse, o que parece indicar que se trata de apresentar uma teoria, sem ter o onus de a perfilhar, ou por outras palavras, ainda, até que ponto seria entao verdade que este se teria na realidade mesmo demitido

as rf fr ase sd o fernando do sao rato do es caren do iro t ra sn c rita sn priemira do ano da not ti cia, c omo h abi bit tua al le lem n te f az e mc om, é x t rac atos doque ue da chama com muni cados, br, for a es co l h id a ad dedo, p o ise do imediato se sea a figu ur ro u os en tid, o do c orte das pala vaso ra s, o use seja um c l aro rop dp perfume, s us kin, q ue o es c r eve vera ram as si maior do para q ue e ua s simo en t en de esse, o q ue pa rece indica rata, q ue se t rata de ap pr es en tar uma teo ria, se maior dop t ero on us de a per rf fi ilha ar, o u por outras pal av ra sa inda, a té q ue p on to se ria en tao verde dade q ue este sete ria na rea l id ad e me sm o do quadrado da demi emi, can tora it id circulo co

n cao da ren da un cio , cao do circulo argo, de ad mini s t ra dor da pt sg de ps sa do para

e

defender, j ipe, ano nor hon ra hipo te tica cam qaudrado maior do dia maior , a que mente, mac cha da dos slides, s lides espanholas, da tvi, das escutas radio e video

e

dec lara raçao, ou seja , de novo o mesmo perfume, o da matança de beslan que tambem emergue fortemnte da merda na madeuira, como o explicarei de bnovo,


é dec lara raçao, o vaso do seja , de n ovo circulo do mesmo, sm do circulo do perfume, s us kin, o da matança de beslan, q ue eta tam am tambem e mer g ue f orte mn te da am merda na made vaso da ira, c omo o é x p lic car do ar rei de bn ovo


ava da vaga, ou seja da onda, do vaso da primeira do arpao do delta da primeira, ps en dó, etica de uma ce rta da opiniao, publico, a pretensamente ofendida, cruz ema capa da cidade, radio, midas, amplificador, amoplificaçao, é p ur e si mp ie es que mente, de iza iz primeira de home ave rato top sin em ns cruz ru men t os para cruz rava rato uma lu t a ju sta sat argos tica da fibra oprica, cunha do abilio, mic rop ph one homem delta br onda do brid, em pf angulo on afl, da cgd,


ava da vaga, o vaso do seja da onda, do quiadrado do ova vaso da primeira do arpao do delta da primeira, ps en dó, é tica de uma ce rta da o pi ni o a, publico, a pr e ten sam asm qeu mente, circulo da fendida, cruz ema capa da cidade, ra di om id as, am mp li fi cad da dor, amo p li fi do caçao, é p ur e si mp ie es que mente, de iza iz prime ira de home ave rato top sin em ns cruz ru men t os para cruz rava rato uma lu t a ju sta sat argos tica da fibra oprica, cunha do abilio, mic rop ph one homem delta br onda do brid, em pf angulo on afl, da cgd,


de seguida a noticia do tagus park e do figo, aparecia o isaltino, dizendo que a camara de oeiras era acionista maioritario da tagus park, que poratanto deveriam te-lo consultado sobre o tal contrato com o figo, dando assim a entender que nao o fizeram, e que agora que se tinha apercebido, mensionado um valor muito superior ao que aparecera primeiro nas noiticas, setecentos e cinquenta mil euros, que tinha reunido com a tagus e que atendendo ao montante de negocio, do tagus em seu todo, lhe parecia que tal montante era muito elevado, que tinha dado instruçoes e que eventualmente, como o contrato previa uma clausula de rescisao unilateral, não seria renovado no proximo ano, que puta sois, seu corrupto de merda!!!


de seda da se da guida primeria do ana do ano da not ti cia do tag us p ark é do figo, ap ar e cia o isa l tino, di zen doque eu da primeria da cam ara deo do circulo das iras, e ra ac cio ni sta maio rita rio da tag us p ark, q ue por rat anto d eve ria am te do traço ingles dez x primeiro do cir rf culo, c on sul t ado s ob reo t al c on t rato com do circulo do figo, dand o as sima en t en der q ue n º cao o fi ze ram, e q ue do fag do agora q ue se da tinha ap per ceb bid o, men sic cona ado um v alo r mu it o s up ei r ato ot cao q ue ap ar e cera prime rio nas no it ica s, sete c en to ze cin q u en ta mi l onda dos euros, q ue tina homem reu nid o com da primeria tag use q ue a t en den do cao mon t ante de ne g o c iso ips ps, do t a gus em s eu todo, l he par e cia q ue t al mon t ante e ra mu it o el eva ado, q ue da tinha do dado, poker, in s t ru ço es e q u eve en tual al qeu mente, c omo do circulol do c on t rato pre da via, uma c la sul ad, é r es cisa sao uni la te ra l, n cão se ria reno ova ad don o pr rio io x imo ano, q ue puta s o is, s eu cor ru da opnda do pt ode da merda!!!


a prova da corrupçao destas puta do psd, está feita nas proprias palavras dele, pois nem mesmo conhecendo os estatutos sociais da sociedade do tagus park, uma coisa é obvia, e só um mentiroso a pode assim tentar escamotear dos olhos de todos, sendo que a camara representa o povo, portanto não se tratam de negocios de caracter particular, pois o que se sabe, é que esse contarato terá sido uma contrapartida do apoio do figo à candidatura de socrates, assim se diz, e se assim tiver sido, ou mesmo que nao, se pode deduzir um outro elemento, que ele foi feito há já alguns anos, ora certamente e independentemente do contrato social da tagus, e sendo esta puta o mandante do acionista de refrencia, a cmo, certamente que no final do ano em que o contrato se deu, os serviços da cmo certamente tiveram conheciemento das contas e consequentemente da verba que fora paga, caindo assim por terra esta mentira desta puta, quando diz que nao o conhecia, pois para alem de tudo tras a obrigaçao de o conhecer, processo judicial em cima, já, sua putas corruptas do que se diz porcurador

a pro dao ova da cor rup çao es de stas desta puta do psd, e stá feit sn as por rp ria s pal av ra serpente dele, isaltino, p o is ne maior me sm circulo c on he c en do os es tatu t os soc ia sd a soc ie dade do tag us p ark, uma co isa é ov bv ia, é s ó um men tiro rosso, primeira da pode, as si em ten tar esca mo tear dos olhos de todos, s en doque da primeira da camara, r ep pr es en tao p ovo, porta anto n cão se t rata tam am de negocios, de cara rac teresa rp p art tic cu lar, p o iso q ue da se o sabe, é q ue esse c on tar rato do ato te rá s id o uma c on t ra p art id dado ap oio do figo, à candida da tura de socrates, as si maior da se di ze, se as si maior do t ive rato s id o, o um es mo q ue en ºcao ,se da pode, dedu uz da onda do ze rum de outro elemento, q ue dele, f oi for mula one do feit, o h á j á al gun s ano da serpente o ra ce rta em n te e independente maior net doc c on t art tao soci al da tag use s en do é sta puta circulo do mandante do ac cio n ista de ref fr en cia, a cm o, cera rate mn te q ue no fina al do ano, em q ue o c on t rato sed eu, os ser viç es os da cm o ce rta em n te tie vaso do ram c on he cie mn to da sc contas e co nse sec q ue en te que mente, a da ave rba q ue for primeira paga, ca indo as si maior do por da terra, br portal, é sta mne da mentira de sta desta puta, qua ando di zorro da rop dp q ue n º cao o cn he cia, p o is para al lem de tt o do rt ra asa ob br riga ac sao es de 3 o c on he cer, o conhecer, por rc esso judi cia al em c ima, j á, s ua put as cio r rup pt as do q ue da se di zorro do procurador, por rc cu a ra da dor


depois neste alinhamento fabuloso, ou melhor de fabula, negra de todas estas merdas, se via um extracto de uma entrevista do socrates por outra puta dentista, o miguel, na sic, onde lhe perguntava se o tal contrato fora uma contrapartida ou nao, o socrates com cara de acossado lá dizia pela enesima vez que nao, como se ninguem soubesse de mil casos destes sempre ao longo dos anos deste pantano que estas putas todas transformnaram a chamada democracia e estado de direito, e assim ficava, ou pretendem que ficasse, por exemplo esta puta do soares carneiro, era na aparencia um jornalista do clube dos decanos dos boys para os job, e blows, e a ultima vez que o encontrei, salvo erro fora nomeado, adminstrador do icep, quem diria, as putas mudam, de quarto, o bordel sempre aberto, o povo sempre apagar com mortes inclusive , como agora na madeira, as tais chamadas baixas colaterais, á madeira de seguida irei


d ep o is nest e al ina hm en to f ab bul do osso, o u mel hor de f ab da bula, negra de t o do as das merdas, se da via um, é x t rac ato de uma en t r e vaso do ista do socrates, por outra puta dentista, o miguel, na sic, onda l he per gun t ava se o t al c on t rato for a uma, c on t ra p art id cao u noa, circulo do socrates com da cara de aco s sado l á di zorro do ia p el a ene sima vaso é zorro do q ue noa, c omo se da av de ninguem , s o ube es sw, é de mi l caso sd de este se mp rea o long, o dos anos d este pan t ano q ue e stas das putas todas, t ra ns for mna aram ac ham ad a demo c rac ia e estado, o de direito, e as si em fi c ava, o u pre t en de maior do q ue fi ica asse, por es em p lo é sta puta do soares, carem n iro, e ra na ap ar e c en ia um hor na l ista do c lube dos dec ano s dos boy s para o sj ob, e b lo ws sea da primeira u lt ima ave zorro do q ue do circulo , en c on t rei, s alvo é rr o for ano ema mad dao, ad min s it ard dor do oi ce p, q ue made ria di da iria, as das putas mud dam am de quarto, o bor del se mp re ab e rt o, o p ovo se mp re a pa g ar c om m orte es sin c lu s ive , c omo do agora na madeira, as tais, br, c ham am mad as ba ix as c ola te rai sá madeira de se guida ire rei ei


continua...