sábado, março 06, 2010

são sensivelmente seis da manha deste sábado, acabei de publicar, o texto anterior, e meu amigo cursor do ratinho se colocou com as vezes se coloca nos textos de arquivo, fazendo o higlith a vermelho de um preciso, como sei que o ratinho é meu amigo, lá cliquei, a ver o que me dizia e qual era a relação que assim me desvelava, sexta feira 30 de Junho de dois mil e seis, resposta a um requerimento do pretenso tribunal de família de Lisboa, a mando dos ladroes de crianças e responsáveis por um conjunto muito grande de danos, alguns dos quais ainda nem avaliados em sua profunda extensão, me aparece na leitura o nome o pedro dias ferreria, o tal assistente da Vera dao saudade e silva, ambos quadros ou ex quadros do icep, o primeiro mais ou menos da mesma idade do tal que acabara de descrever, no texto anterior, o da web caixa da cgd

sao s en s iv dele mn te se is da manha do este s ab bad ado, aca bei de pub lic da ar, é me vaso do am mig cv irc culo do cursor do ratinho, se c olo co vaso com às vaso e ze es se c olo cano serpentes tex t os de arc vaso do ivo, fazendo, luis, circulo do hi gato primeriro da it homem da ave vermelho, de um pre ciso, circulo omo s ei quadrado da ue do circulo do ratinho é me vaso a mig o, l á cliq ue ia ave ero roque me di iza, é qaudrado da ual e ra da primeira do tribunal da relaçao, quadrado da ue as si maior da me maior do quadrado da es vela ava dp circulo do jornal sexta feira, terceiro do circulo de jun ho, dedo is mi da ile le se is, r es ps o at a um, rec u erie mn to do pr e t en serpente do circulo da cruz do rib un al de f am ila id é lis boa, primeira do mando dos ladroes de crianças, é rato es posa n vasos do ei spor, roma, um circulo em ju ti da onda sobre o circulo mu it o gato rato ane dan co, al gun sd os quais, polica francesa, a inda ne maior ava la id os em serpente da ua p do pr da ru funda, é x ten sao, me ap primeira da rece na lei it da tura do circulo, no meo do do pedro dias ferreria, ota al assis , cruz da en te da ave da vera do dao da saudade e da silva, pico, es pinhos, am bosque, quadrado da ua dr serpente do duplo circulo ue, é x qua dr sodo icep, o prim mr rio mais, fr, o vaso men os da me sm a id ad dedo t al quadrado da ue ac an ra, é es c r eve rato sos sonhos, psi induçoes, o da web caixa

depois sobressaiu na leitura, escola, e me lembrei no imediato de ontem, seriam quase seis da manha, chovia, ainda noite, desci a alcantara a comprar meia forma e cigarros, quando desço a rua chovendo, duas senhoras vem vindo das aguas santas, senhoras trabalhadoras a caminho do seus trabalhos, acabo por as apanhar ao pé da escola onde existem grades de protecção para a rua, e de repente elas param, uma delas diz a outra, uma casca de banana aqui, e lhe dá um pontapé, para o meio da estrada, depois ultrapassei-as, e lhes disse, parece mesmo de propósito para que alguém parta uma perna, uma delas, a senhora que chutara acrescentou, já vistes mesmo aqui em frente a escola com crianças e tudo, e assim foi nosso raspar, agora ao ler o texto do arquivo, me pareceu então óbvio que o tal pedro dias ferreira, ou , ou e, a vera do adao, da silva, ou seja a vera do primeiro pai da silva, da picada, , linhas das historias dos picos e da transmissão de doenças, foi , ou foram, o, ou os, responsáveis, pela casca de banana na escola, e escola de crianças, neste contexto, nesta historia, é a de beslan

d ep o is s ob r ess a e un a le it da tura da es c ola, e me lem br rei ei no do imeditao de on te maior, se ria am quadrado do vaso da ase se is da manha, chu da via, primeira inda do asno , ano da noite, dois mil e cinco, de sc ia al can tar primeira co mp ara da meia for primeira, é cigar ros, quadrado 2 ua ando de sc o da primeira da rua, chu uve en do, du as das s en hor es vaso em vaso indo das a sg ua ss anta s, s en hor as t ra bala hd o ra sa cã do minho, o do seus trabalhos, aca bo por as a pan h ar cao do peda es coa al onda deo, e xis te mairo mr gato arde de pro tec sao es do para da ar da ua, e de r e pente delas, ap ram, uma delas di za de outra de uma ca sc cade b ana asna a qui, el he d á um p on tap ape, para do circulo do me io da est rato da ada, d ep o is u y l tap as seia se l he es di s se, pa rece me sm mode, pr peo do pi st o para rac do quadrado da ue da al gato da ue maior rp da p art primeira, uma perna, uma delas, as serpente en home roda da primeira quadrado da ue do chu , beijo invertido, do rid circulo da tara ac rec en to vaso, j á vi st es me sm o primeria do qui aqui, em fr en tea primeira da escola, es soc la com das crianças, é tudo, é as si maio fo oi no ss o ra spa ar do agora cv cao do vao, ler, é rato do ero do tex to, o do arco da onda do vaso do ivo, me pa receu en tao ob vi do io quadrado da ue do circulo da pt da al do pedro da di serpente do ferreira, fo oi o rato da espanhola da al da ponsa ave l ong p l ayer, primeiro da p dele, primeira o ac aca do sc cade da ban ana na espanhola co al, é es circulo da ola de dec crianças, nest te, tec circulo on tex to, nest primeira da historia, é primeira de beslan, a do bes , da rede do bes

uma outra curiosa linha que aflora do texto de dois mil e seis , é esta, pois remete pela expressão, equilibrista bêbado, para um canção, brasileira, salvo erro, assim de memoria cantada pela elis, que remete para uma rapariga especifica que relaciono com a lis, count

uma outra rac cu rio sa da lina home q ue a flor ado e t x t ode do is mi le se is , é esta, p o is reme teresa p el a, é x press sao e qui lio br sita do bebado, para um can sao es, bar s ile da ira, s alvo e rr circulo, as si maior de meo ria can t ad ap dela, é lis, q ue reme teresa tee para uma ra pa rig a es pe cif ica q ue r el ac cio no com om a lis, co un nt cruz

para depois como um equilibistra bêbado que se pensa no ar mas está no chão e escorrega na casca de banana da banana que acabou de comer, extrair a sua conclusão, que enuncia a vontade da requerente “…atestam a incapacidade do requerido para estar sózinho a tomar conta do seu filho.” (extraído do considerando segundo).

E ainda em sinopse curta, desta resposta ao trinual de crianças, ou seja aos responsaveis do roubo de meu filho, e de outros como imagem e infelizmente como realidade, uma outra ideia ecoa nestes textos e nos processos de induçao psiquica sobre crianças que apareceu tambem nestes textos anterioes sobre o chile, , quando menciono, que os ladroes, sempre quiseram que a criança nunca dormisse em casa do pai, ou seja, uma razao se esconde popr detras disto, a possibilidade de o induzir pelos sonhos e por tudo o resto, mas sobretudo no acto de cormir

E primeira inda em sin circulo do pse cu ur da rta, de sta rata da es peo sta ao t rin ual de crianças, o vaso seja do os rato espanhol do posa ave is do roubo ed me eva vaso do fil ho e de outros, circulo omo ima mage ge me in fel liz que mente, circul do omo real di iade, uma outra id deia e coa nest espanhol dos tex to ze, nós por c esso sd e indu sao es psi quico s ob re crianças, qua ando men cio no, que os l dr o es, se mp rec u ise ram quadrado da ue primeira criança nu n cado miss e em c asa do pai, circulo da ova do vaso do seja, uma ar rato da aza do circulo da se do espanhol conde pop pr da det do ra serpente disto, ap da p os serpente do si da sibil do bil da id ad, é deo ind uz ze rp da p elo ss on ho da se por do delta do vaso dop quadrado do resto, maso do sobretudo no do acto dec circul cor mir, ou sej do acto da matança de beslan


concluindo a siemtria entre os dois edificos, outras forma da sau arquitectura remetem-me ainda para o conjunto das torres do world trade center, elementos que abordei recentemnete quando comentei o relatório sobre a wtc sete, se não me falha o numero da torre, que agora nºao posso verifcar, pois nas fotos vsitas de cima, se ve alguas figuras geometricas que identifiquei sendo que pelo menos duas sao paraelas a formas que aqui existem noedificio da caixa geral de depósitos, a piramide, no topo de uma dos edificios em nova yoruqe em cor lapis lazuli, link da maria sobral mendonça, bolg com o mesmo nome, a puta que tambem nºao pagou o trabalho que lhe fiz e que esteve expsoto no palacio da ajuda, vide notas, que aqui tras por baixo maquinas multibanco, ou seja a velha linah escutada um dia , estou inside intel, ou seja relacionando com o caravlçho rodrigues, que participou na feitura dos ditos, e uma cupula cuja circulo se não mesmo em cupula corresponde exactamente ao atrio da culturgest, ou seja , o local de espectaculos , de dança tetro e musica e exposiçoes, entre outros, assim creio, porque nunca gostei daquel edificio, e portanto qause nunca o frequentei

concluindo a simetria entre os dois edificos, outras formas da sua arquitectura remetem-me ainda para o conjunto das torres do world trade center, elementos que abordei recentemente quando comentei o relatorio sobre a wtc sete, se nao me falha o numero da torre, que agora nao posso verificar, pois nas fotos vsitas de cima do conjunto, se ve algumas figuras geometricas que identifiquei, sendo que pelo menos duas sao paralelas a formas que aqui existem no edificio da caixa geral de depositos, a piramide, no topo de uma dos edificios em nova yorque em cor lapis lazuli, link da maria sobral mendonça, blog com o mesmo nome, a puta que tambem nao pagou o trabalho que lhe fiz e que esteve exposto no palacio da ajuda, vide notas, e que aqui, cgd, tras por baixo maquinas multibanco, ou seja a velha linha escutada um dia , estou inside intel, ou seja relacionando com o carvalho rodrigues, que participou na feitura dos ditos, e uma cupula cuja circulo se não mesmo em cupula corresponde exactamente ao atrio da culturgest, ou seja , o local de espectaculos , de dança teatro e musica e exposiçoes, entre outros, assim creio, porque nunca gostei daquele edificio, e portanto quase nunca o frequentei

c on c lui indo a s ie maior curz da ria en t re os do is e di fi cos, outras serpentes da forma da s au arq u it tec da tura reme te maior do traço inglesa da me, a inda para do circulo do c on jun to das torres do world trade center, el lem en to serpente q ue ab circulo do rato dei, rec en te maior nete qua ando com en te io do rato dela, tori cao s ob rea primeira wtc sete, se n º cao me do f alha do circulo do n um ero da torre, q ue agora nº cao p osso v eri rif fc car, p o is nas f oto serpentes vaso das sitas dec ima, se eve al g ua serpente figo ur ra s geo met rica serpente q ue id en tif fi q ue ei s en doque eu da p do elo men os das duas da sao para delas, da primeira forma serpente do q ue a qui aqui, é x is te mairo noe di fic cio da caixa geral de e posi t os, primeria pira maio ide, no top do circulo da ode uma dos ed i fi cios em nova delta do circulo do ruc quadrado do e em cor la p is l az zuli, q ue a qui t ra spor, roma rb ba ix o ma quina s mul ti banco, o use seja primeira ave velha lina homem es cu t ad a um dia , est o vaso in s id, é in tel, o use seja rato dela ,a do ac cio na ando com o cara vaso l cho, es chines, do rodrigues, q ue p art tic p o un da priemira f ei it ura dos ditos, é uma cup uva vaso la cu j a c irc culo da se n cão meso, es, em cup u la cor rato da ep p onde, e x cat tamen t tam am , a que mente, teao do cao do atrio, maçons, da cu primiro da cruz do ur gato do est, o use seja , o l ocal de espanhola pe do cta, carl serpente do circulo dc do cruz, culos , de dança te tec cv cruz ro, é mu sica, é e x posi si ço es, en c rui zorro reo de outros, as si mc rei o, por q ue nu n ca g os t ei da quadrado do vaso el , é di fi cio, é porta anto do qa au use n un cao fr, é quadrado do vaso da en cruz ei

um outro aspecto curioso e desvelador se estabelece pela relaçao das tres chamines, ou seja , sendo a da cgd , a maior, parece indicar a cabeça ou uma das cabeças, a daqui do predio da rua em xisto, onde apareceu a sombra do falo projectado relacionado com os espanhois que por aqui vivem e ainda a dos edificos da av de ninguem que tem escrito quimicos, ou seja , expressa um dos aspectos da cobertura da queda das torres em nova yorque, pois o tal acusado era denominado por quimico, ou seja sendo cobertura, na america, não deixa aqui de explicitar um certo lugar , donde provavelmente, o quimico, entendido com o capaz de reaçoes, diversas, inclusive de outras naturezas, provavelmente por ali mora


um outro do as pe ct o cu rio se d es vela ad da dor se e stab e le ce p el a do trinbunal darelaçao, a das t ratas es c ham ine es, o vaso do seja , s en dp a da cgd , a maior, par cee indi cara cab beça, o u uma das ca beça sada do qui do predio, da rua em xis to, onda dea ap ar c eu a s om br ado do falo pro ject ado rato dela ac x cio n ado com os espanhois, q ue por a qui vive me a inda a dos e di fi cos da av de nin g ue maior do que eu te maior do es circul do rito, ps, o dos quim micos, o use seja , é x press primeira, um dos ap ps tec to s da coe br tura da queda das torres em nova yo ruqe, p o iso t al ac usa sado e ra d en om ina do por quim e co, o u seja s en do co be r tura, na am a erica, n cão de ix a aqui, de e x p li cia t rum ce rt o lu g ar , don de por v ave lem en te que mente, o quim mico, en t en dido com do circulo do ca p az de rea çao es, di ver za sin c l us ive de oura s na ture za, pro ova ave lem n te por al imo da mora

continua, para a suma desta parte relativa ao espelho que se estabelece entre estes dois edificios

c on tin ua, para a s uma de sta p arte r el at iva cao espelho, q ue se es stab e le ce en t re este sd o is e di fi dos cios
continua, para analise mais detalhada dos dois edifícios e do que eles desvelam

volto contudo ao filme para vos explicar um aspecto que me é claro mas porventura a muitos não, pois a historia que ele conta, a ser verdade, a intenção primeira do rapaz era, vejam lá estampar o avião contra a casa branca, faz lembrar outra coisa, um dos pormenores do que se disse ser o plano do onze de Setembro, o que aponta que quem cobriu o que na verdade se passou, terá ido certamente buscar a tal gaveta dos fantasmas, outra secção ao lado da das doenças, como as gripes dos porcos, que servem para meter medo ao mundo e encher os bolsos as farmacêuticas e assim alimentar em modo fechado, o processo, doença, saúde, mantendo esta inversão completa, pois a realidade é ao contrario,

vaso do circulo o do primeiro da cruz do toco on tudo cao fi l me para vaso os, é x p lic da ar, um as pe c toque ue da me , é cala rato ma serpente spor v en tura am mu do vaso da it os nº cao é, p o isa primeira do meo da historia, q ue dele conta, a se se rato ps ver dade, a int en sao es prim mira ira do ra p az se ra , ve j am l á est am p aro avio c on t ra ac asa br anca, f az lem br aro de outra co isa, um dos por men o ratos es doque eu se di serpente da se , ser serpente do ero rop da p do plano, lan do primeiro ano, do onze de setembro, o q ue pao n t ac q ue q ue mc ob rio, circulo q ue na ave rda dade se p ass o vaso, teresa rá id circulo ce rta tam am mente, bu sc ar a t al g ave eta dos fantas maso, outra da sec cc sao es aol ado da da serpenets das doenças, dc c omo as g r ipe rip es dos porcos, q ue ser vaso em para met rem medo, cao mundo e enc cher os bol s os as f ar ram am mc c eu tica s q eu as si m ali men tar em modo f e cha ado, o pro roc c esso da doença, s au de, man ten deo é sta in vaso da es ra circulo co mp l eta, p o isa ar rato el da ainda, e, é cao circulo em cruz rai circulo ar do rio , porto

e mesmo tendo sido a fonte da inspiração da cobertura, não deixa a historia real deste episódio, em todos os planos que a abordemos de reflectir com precisão muitas das facetas que se colocam à volta do onze de Setembro, nomeadamente a possibilidade real de um ou mesmo poucos quase anónimos, por variadissimas razoes poderem despoletar um tal evento

é me sm o t en do s id o primeira da fon teresa, da in spi ip da pira da ra da raçao da co be rt ur a da tura, n cão de ix, a real do quadrado de este e pi sodio da primeira dahistoira em todos os p lan ano do os q ue da primeira ab o rato ps dos demos de r efe fla, fel do circulo do tir com pre c isa sao es mu it os das f ac e tsa s q ue se c olo cam am à vaso do circulo do primeiro da cruz da primeira do ado do onze de sete mb, a da mul do ti do banco do rio, ou seja do porto om e ad dam am a mente, p rie mira p os sibil id ad e rea l de um o vaso do mesmo, p o u cos q ua ase ano nimo spor v aria di sis ma serpentes r azo es pode der rem d es pole tar um t al eve en to

o edifício da caixa geral de depósitos em Lisboa, o banco do estado português, é um elefante, tipo mamute que quando nasceu desequilibrou por completo o bairro que ali existia, parece uma daquelas obras típicas do estado novo, embora tenha sido já feito muito depois do vinte e cinco de Abril, e sendo elefante, daqui se extrai, uma primeira referencia de id

circulo do ed di do fi do cio da cod dp da primeira da caixa geral de depositos em lisboa, circulo do banco do estado portugues, é um elefante, t ipo manu vaso teque, madeira, qua ando na sc eu de sic u libro bro vaso por co mp le to do circulo do bairro, alvalade, av de roma, q ue al i e xis tia, par ce uma da q ue l as das obras ti picas do estado novo, em bora t en home da primeira s id o j á, feito, mu it o d ep o is do vinte e c inc code da ode de abril, é s en do elefante, discoteca de meninas, elefante branco, br anco, da qui se e x t rai, uma prime ira refer efe ren w en cia de id

as semi colcheias que acompanham por fora a estrutura , como no bloco de edificios no chile, lhe dá assim aspecto entre uma barata e um animal pre historico talvez saido da guerra das estrelas, e barata, e especificamente, aquele tipo de estruturas, sao tambem imagem de computadores, e especificamente de ligaçoes de cpus, sendo que recentemente como a todos aqui mostrei me deixaram um pention tres pontos de interrogaçao aqui a porta conjuntamente com um disco rigido caviar, que tambem apareceu recentemente em palavra orada, referente a ovas de esturjao, associado a conceitos economicos de raridade e valor de mercado

as serpente emi , can tora, co l cheias q ue ac om p anha gato do ham am por fora pr ie mr ia est ru tura , circulo omo no do bloco de ed if i cios no do chile, tambem bairro de lisboa, l j he d á as si maior as pe circulo do to en t re uma ba rata e um anim al pre home s it ori cao t alvez sa id, o da guerra das estrelas, é bar rata da ata, livraria, es pe ci fi cam am que mente, cm, correio da manha, aquele t ipo pode est ru tura serpenet da, sao t am tambem ima mage ge maior de computadores, é es pe ci fic que mente, de liga ac ço es es dec pus, s en do que eu rec en te maior net com do circulo da primeira de todos aqui, mo s t rei me de ix az xaram um pen ti on t rato dos es pontos e inter ro g aç sao es a qui ia primeira da porta, c on juna ta e mn te com um di co do rigido do caviar, q ue eta tam am tambem ap ar c eu rec en te mn te em pal av aro rato ad a, refer red do dente da primeira das ovas de es t ur j cao, as soci ado da onda da primeira dos c on ce it os e co no micos der ari dade e eva do valor, jornal, de mer doca cado, br

quando isto realizei em minha consciencia, me lembrei entao da caixa web, uma empresa na altura recem formada do grupo com vista ao desenvolvimento de aplicaçoes, a quem eu fora com a mariana aprsentar o e cultura e falar do canal zero, e onde curiosamente encontrei um rapz que conhecera do trabalho na expo , pois era funcionario do icep, como sempre os meninos transitam de umas casas para as outros no normal corropio dos que sao protegidos pelos bandos que delapidam o estado, os partidos, e que é mais um só exemplo entre mil de como a promiscuidade é real e como as teias se fazem verdadeiras mafias com ligaçoes tentaculares

qua ando is to rea lize ze do ei em min homem da primeira co ns cie en cia, me l em br rei ei en tao da c aixa web, uma em presa, es, na al tura recem for mad ad do circulo do dog rupo com vi sta cao de s en volv ie mn to de ap lic dps caçoes, primeira do quadrado da ue maior do eu da for primeira do ac om a mar iana ap rato serpente en tar do aro, é cu da primeira tura, é f al ar doc anal zorro do ero, é onda cu rio sam am que mente, en circulo em cruz rei, um rato ps da ap zorro quadrado da ue circulo em homem da cera dot cruz ra ab primeiro no ho, na expo , p o is ie se ise do ra fun cio na do rio do icep, circulo omo sempre, os meninos t ran s it tam am de umas ca sas para as de outros no norma iso primeiro cor rop do pi io dos q ue sao por teg id os p el os bandos q ue dela pida do dam am do cirulo do es sat td o , os partidos, é quadrado da ue, é mais um serpente do acento bn no do circulo do ó, e x e mp lo en t remi emi l dec omo da primeira por mi s c u id ad e é real e c omo as das teias, se f az em ver dade da ira ma fia s c om liga ac ço es t en t ac cu l do ares

como de costume, nao houve nenhuma excepçao, nas muitas apresentaçoes, lá lhes estive dando liçoes a borla e mostrando os prototipos e depois como de costume aguas de bacalhau, pois as bestas tendo visto ouro nos projectos já tinham concerteza decidido bloquea-lo de forma a melhor o poderem roubar, como aconteceu com o cnc nas maos do bandido receptador no minimo de material roubado, o mr bean, com uma das aplicaçoes, o, e-cultura, hoje bandido a frente do tribunal de contas, e sendo que como aqui provei tal só pode ter sido feito com a cobertura de outros ministros do ps, na medida em que as obras se encontravam já registadas na altura, ou seja a corrupçao e o mando do roubo, terá vindo de muitos mais acima

c omo mode cos t um me, nº cao home do circulo da uve ne en h uma e x c f epa ac sao es, nas mu it as ap rese en taçoes es, l á l homem es de est ive do dando , liç oe es primeira do ab ao bor rato kapa de la, é mo serpente da cruz do rato ps da ando os pro rato oto t ipo se ep o is c omo de c os t um me das aguas de bacalhau, p o is às das bestas t en do vi s to o ur on os por ject os j á tinha ham am, c on ce rte za dec id ido b lo c ue a do traço ingles primeiro mr do io do circulo em dezembro, de forma da primeira mel hor do circulo do pode der rea am ro ub bar da ar c omo do ac on tec eu , do com do circulo do cnc, nas maos do ban dido rec peta da ad da dor no mini do imo damo da mode mate ria di gita da al doro do ub bad ad o, o pm mr bea n, home oje ban dido a fg ren te do t do tribunal de contas, é s en doque eu c omo a qui por vaso ei t al s ó pode teresa s id o, feito, com a co b e r tura deo de outros min s it ros do ps, na me dida em q ue as ob ra s se en c on t rav vam am j á regi st ada s na al tura, o vaso seja da primeira da corrupçao, é circulo do mando do roubo, teresa rá vaso indo de mu it os mais, fr, ac ima

tambem da CGD, a culturgest, onde de igual modo procedemos à apresentaçao das duas aplicaçoes, ao antonio pinto ribeiro, muitas vezes já aqui convocado neste Livro da Vida e mais uma vez a coisa nao teve resposta

tam am tambem da CGD, primeira da cu l t ur gato de est, onda dede i g ual mod o pro roc e demo serpente pn da teresa, à ap rese en taço espanhol das duas, as das ap lic caçoes espanhois, cao do antonio pinto ribeiro, mu it as vaso e ze es sj á da primeira do prik do qui aqui, circulo em vaso do circulo cado, br, nest eL do iv da roda daVid primeira, é ema mais uma ave za co isa n º cao teve da rata da espanhola posta

a puta , outra que vem da gulbenkiam, a demonstrar que em todos os sectores eles transitam de bordel em bordel, lá nos contou da sua vida, devia pensar que impressionava o carneiro, que era uma especie de olheiro, andava de pais em pais a procura de novos valores para os trazer cá, meritoria ocupaçao, e que tinha um problema com a promoçao que eu lhe expliquei como resolver e como o e cultura o poderia ajudar, mas o rapazinho se fez de desentendido

primeira puta , outra q ue eve maior dag u l bem ki am, a de ms on t rato ps da ar q ue em todos os sec tor es deles, t ra s it sita da am de bor del e mb o rato del, l á ano dos nós c on to vaso da serpente au v id a, de via p es na arque eu i mp r es sio n ava o caren iro, q ue e ra uma es pe cie de o l he vaso do iro, anda ava de pais, tvi, em pa isa pro roc cura de n ovo s valor es para os t ar ze rato c á, me rito top p ria o cu opa sao es, é q ue da tinha um pro b l ema com a por moça o q ue e vasp vaso l he é x p l sic ue ei c omo r es solver, é c omo oe cu l tura do circulo pode der ria ajuda ar arto ps, maso do rapazinho se de fez de de s en t en dido

quando do tremor, mal colei em minha consciencia esta relaçao entre os edificios, e certamente passes via computadores, quando aflorou a noticia e a linha da bailarina cuja perna se partira, me lembrei no imediato que aquilo, a culturgest é tambem lugar de espetaculos e em mim a intuiçao de que seria uma bailarina que por ali deveria ter passado num espectaculo, se nao mesmo realcionado com historias mais antigas com a monica, visto que o rapazinho, creio que a terá andado a catrapiscar

qua ando do t remo mor do tremor, maior da al c ole lei em min homem da primeira co ns cie en cia é sta do tribunal da relaçao, en t re os e di fi cio se ce rta em n te epa ss e sx via com p u a td dor es, quadrado n dó a flor o ua amo do not ti cia da bai la rina cu j ap perna se p art tir da ira, me l em br ei no do imediato, q ue a q u ilo, a cu l t ur g est é eta tam am tambem lu g ar de es pec cat cu lo se em mim primeira i n ui são dao es da ode deque ue da se ria de uma ba ila rina q ue por al id eve ria teresa rp do passado, pa s sado, nu m es pe cta cu lo, se nº cao me sm do circulo de historias maia nt ti gas com da primeira monica, vi serpente toque ue do circulo do rapazinho, c rei o q ue da primeira teresa rá anda dao primeria cat ra psi sic car, o cat do ra ap do pi da isca car circulo da ar

antes me lembrei ainda de outro elemnto arquitectonico desse mamute elefante barata cpu, na av joao xxi, mais um display de nada , ar e vento, e arrogancia , um portico avançado em relaçao a fachada do predio, qautro colunas que suportam uma piramide, e uma estrada de permeio, me recordo de ter lá passado a mil anos atras com o carro, pois debaixo do portico, moram, ou moravam caixas multibanco, na verdade mais simbolica a imagem nao poderia ser, e acabara de me aparecer um, num passe recente aqui descrito, o do arroz tombado e da ups, no restaurante do mercado de alcantra, ora aqui temos o mesmo portico, das piramides, mais um terceiro na rua dos banhos de alcantra , que uma vez relacionei com visao com frança e mais recentemnte se desvelaram outros asptectos, como o lugar dos jogos de casa 101

ant es da me l em br ei a inda deo de outro dele mn to ar rui tec t oni co de esse mamute el e fan teresa da barata cp vaso, na av joao xxi, maís, fr um di sp la y de n ada , ar e eve en vento toe, é ar ro gan da cia , um portico avança do em relaçao, a f ac h ad ado do pre di do io, q au t roco lunas q ue s u porta tam am uma pira ram maior id e, é uma est rato ada de per me io, me record ode teresa l á p as sado ap da primeria mila nós at ra sc om circulo do carro, p o is de ba ix o do por tico, mora ram am, o u mora ava vam das caixas mul ti do banco, na ave r dade mais, fr, si mb o li x caa, carlos cruz, ima mage ge maior nº cao pode der ria ser, e aca bar ad e me vaso ap a recer de um passe, o do arroz tom bb bad ado é da ups, no do restaurante do mercado de al c ana cruz ra, o ra do qui t emo serpente do circulo do mesmo pop pr tico, das pira ra am maior da id espanhola lama do si um da te do rc, é iro na rua dos ban ho sd dea al can t ra ac rac q ue uma ave z r el ac cio ne e com da visao, jornal, com de fr ança e ema mais rec en te mn te se d es vela lara ram outros as pt tec t os, c omo do circulo dol lu gato da ar dos jogos de casa 101

me recordo daquele espaço em minha meninice, uma fabrica de tijolos do tempo das industrias, assim contruida da qual mantiveram no meio daquele mamarracho, uma chamine de tijolos, identica a de aqui, mas maior, ou seja imagem da sombra do falo, e tambem identica à que ficou na urbanizaçao nova da av de ninguens, aqui em alcantra local das visoes dos falos em madrid entre muitas outras

me record o d au do eel do es paço em min homem da primeira me i n ice, uma da fabrica, de ti j olo s do te mp o das industrias, as si mc on t rui dada q ual man ti vera ram no me io da eu le mam ar rac ho, uma c ham ine de ti o j olo s, id en tica primeira de aqui, mas maio rato, o use seja ima mag ge maio da sm br ado falo, e eta tam am tambem ema q ue fi co un da primeira ur rba bam ani iza ac sao es da nova, da av de nin g u en serpente saqui em al can tar l ocal das vso da iso es dos falos em mad rid en t rem mu it as de outras

continua, para analise mais detalhada dos dois edifícios e do que eles desvelam,


volto contudo ao filme para vos explicar um aspecto que me é claro mas porventura a muitos não, pois a historia que ele conta, a ser verdade, a intenção primeira do rapaz era, vejam lá estampar o avião contra a casa branca, faz lembrar outra coisa, um dos pormenores do que se disse ser o plano do onze de Setembro, o que aponta que quem cobriu o que na verdade se passou, terá ido certamente buscar a tal gaveta dos fantasmas, outra secção ao lado da das doenças, como as gripes dos porcos, que servem para meter medo ao mundo e encher os bolsos as farmacêuticas e assim alimentar em modo fechado, o processo, doença, saúde, mantendo esta inversão completa, pois a realidade é ao contrario,


vaso do circulo o do primeiro da cruz do toco on tudo cao fi l me para vaso os, é x p lic da ar, um as pe c toque ue da me , é cala rato ma serpente spor v en tura am mu do vaso da it os nº cao é, p o isa primeira do meo da historia, q ue dele conta, a se se rato ps ver dade, a int en sao es prim mira ira do ra p az se ra , ve j am l á est am p aro avio c on t ra ac asa br anca, f az lem br aro de outra co isa, um dos por men o ratos es doque eu se di serpente da se , ser serpente do ero rop da p do plano, lan do primeiro ano, do onze de setembro, o q ue pao n t ac q ue q ue mc ob rio, circulo q ue na ave rda dade se p ass o vaso, teresa rá id circulo ce rta tam am mente, bu sc ar a t al g ave eta dos fantas maso, outra da sec cc sao es aol ado da da serpenets das doenças, dc c omo as g r ipe rip es dos porcos, q ue ser vaso em para met rem medo, cao mundo e enc cher os bol s os as f ar ram am mc c eu tica s q eu as si m ali men tar em modo f e cha ado, o pro roc c esso da doença, s au de, man ten deo é sta in vaso da es ra circulo co mp l eta, p o isa ar rato el da ainda, e, é cao circulo em cruz rai circulo ar do rio , porto


e mesmo tendo sido a fonte da inspiraçao da cobertura, não deixa a historia real deste episodio, em todos os planos que a abordemos de reflectir com precisao muitas das facetas que se colocam à volta do onze de setembro, nomeadamente a possibilidade real de um ou mesmo poucos quase anonimos, por variadisismas razoes poderem despoletar um tal evento


é me sm o t en do s id o primeira da fon teresa, da in spi ip da pira da ra da raçao da co be rt ur a da tura, n cão de ix, a real do quadrado de este e pi sodio da primeira dahistoira em todos os p lan ano do os q ue da primeira ab o rato ps dos demos de r efe fla, fel do circulo do tir com pre c isa sao es mu it os das f ac e tsa s q ue se c olo cam am à vaso do circulo do primeiro da cruz da primeira do ado do onze de sete mb, a da mul do ti do banco do rio, ou seja do porto om e ad dam am a mente, p rie mira p os sibil id ad e rea l de um o vaso do mesmo, p o u cos q ua ase ano nimo spor v aria di sis ma serpentes r azo es pode der rem d es pole tar um t al eve en to



o edificio da caixa geral de depositos em lisboa, o banco do estado portugues, é um elefante, tipo manute que quando nasceu desiqulibrou por completo o bairro que ali existia, parce uma daquelas obras tipicas do estado novo, embora tenha sido já feito muito depois do vinte e cinco de abril, e sendo elefante, daqui se extrai, uma primeira referencia de id


circulo do ed di do fi do cio da cod dp da primeira da caixa geral de depositos em lisboa, circulo do banco do estado portugues, é um elefante, t ipo manu vaso teque, madeira, qua ando na sc eu de sic u libro bro vaso por co mp le to do circulo do bairro, alvalade, av de roma, q ue al i e xis tia, par ce uma da q ue l as das obras ti picas do estado novo, em bora t en home da primeira s id o j á, feito, mu it o d ep o is do vinte e c inc code da ode de abril, é s en do elefante, discoteca de meninas, elefante branco, br anco, da qui se e x t rai, uma prime ira refer efe ren w en cia de id


as semi colcheias que acompanham por fora a estrutura , como no bloco de edifícios no Chile, lhe dá assim aspecto entre uma barata e um animal pré histórico talvez saído da guerra das estrelas, e barata, e especificamente, aquele tipo de estruturas, são também imagem de computadores, e especificamente de ligações de cpus, sendo que recentemente como a todos aqui mostrei me deixaram um pention três pontos de interrogação aqui a porta conjuntamente com um disco rígido caviar, que também apareceu recentemente em palavra orada, referente a ovas de esturjao, associado a conceitos económicos de raridade e valor de mercado



as serpente emi , can tora, co l cheias q ue ac om p anha gato do ham am por fora pr ie mr ia est ru tura , circulo omo no do bloco de ed if i cios no do chile, tambem bairro de lisboa, l j he d á as si maior as pe circulo do to en t re uma ba rata e um anim al pre home s it ori cao t alvez sa id, o da guerra das estrelas, é bar rata da ata, livraria, es pe ci fi cam am que mente, cm, correio da manha, aquele t ipo pode est ru tura serpenet da, sao t am tambem ima mage ge maior de computadores, é es pe ci fic que mente, de liga ac ço es es dec pus, s en do que eu rec en te maior net com do circulo da primeira de todos aqui, mo s t rei me de ix az xaram um pen ti on t rato dos es pontos e inter ro g aç sao es a qui ia primeira da porta, c on juna ta e mn te com um di co do rigido do caviar, q ue eta tam am tambem ap ar c eu rec en te mn te em pal av aro rato ad a, refer red do dente da primeira das ovas de es t ur j cao, as soci ado da onda da primeira dos c on ce it os e co no micos der ari dade e eva do valor, jornal, de mer doca cado, br


quando isto realizei em minha consciencia, me lembrei entao da caixa web, uma empresa na altura recem formada do grupo com vista ao desenvolvimento de aplicaçoes, a quem eu fora com a mariana aprsentar o e cultura e falar do canal zero, e onde curiosamente encontrei um rapz que conhecera do trabalho na expo , pois era funcionario do icep, como sempre os meninos transitam de umas casas para as outros no normal corropio dos que sao protegidos pelos bandos que delapidam o estado, os partidos, e que é mais um só exemplo entre mil de como a promiscuidade é real e como as teias se fazem verdadeiras mafias com ligaçoes tentaculares


qua ando is to rea lize ze do ei em min homem da primeira co ns cie en cia, me l em br rei ei en tao da c aixa web, uma em presa, es, na al tura recem for mad ad do circulo do dog rupo com vi sta cao de s en volv ie mn to de ap lic dps caçoes, primeira do quadrado da ue maior do eu da for primeira do ac om a mar iana ap rato serpente en tar do aro, é cu da primeira tura, é f al ar doc anal zorro do ero, é onda cu rio sam am que mente, en circulo em cruz rei, um rato ps da ap zorro quadrado da ue circulo em homem da cera dot cruz ra ab primeiro no ho, na expo , p o is ie se ise do ra fun cio na do rio do icep, circulo omo sempre, os meninos t ran s it tam am de umas ca sas para as de outros no norma iso primeiro cor rop do pi io dos q ue sao por teg id os p el os bandos q ue dela pida do dam am do cirulo do es sat td o , os partidos, é quadrado da ue, é mais um serpente do acento bn no do circulo do ó, e x e mp lo en t remi emi l dec omo da primeira por mi s c u id ad e é real e c omo as das teias, se f az em ver dade da ira ma fia s c om liga ac ço es t en t ac cu l do ares


como de costume, nao houve nenhuma excepçao, nas muitas apresentaçoes, lá lhes estive dando liçoes a borla e mostrando os prototipos e depois como de costume aguas de bacalhau, pois as bestas tendo visto ouro nos projectos já tinham concerteza decidido bloquea-lo de forma a melhor o poderem roubar, como aconteceu com o cnc nas maos do bandido receptador no minimo de material roubado, o mr bean, com uma das aplicaçoes, o, e-cultura, hoje bandido a frente do tribunal de contas, e sendo que como aqui provei tal só pode ter sido feito com a cobertura de outros ministros do ps, na medida em que as obras se encontravam já registadas na altura, ou seja a corrupçao e o mando do roubo, terá vindo de muitos mais acima


c omo mode cos t um me, nº cao home do circulo da uve ne en h uma e x c f epa ac sao es, nas mu it as ap rese en taçoes es, l á l homem es de est ive do dando , liç oe es primeira do ab ao bor rato kapa de la, é mo serpente da cruz do rato ps da ando os pro rato oto t ipo se ep o is c omo de c os t um me das aguas de bacalhau, p o is às das bestas t en do vi s to o ur on os por ject os j á tinha ham am, c on ce rte za dec id ido b lo c ue a do traço ingles primeiro mr do io do circulo em dezembro, de forma da primeira mel hor do circulo do pode der rea am ro ub bar da ar c omo do ac on tec eu , do com do circulo do cnc, nas maos do ban dido rec peta da ad da dor no mini do imo damo da mode mate ria di gita da al doro do ub bad ad o, o pm mr bea n, home oje ban dido a fg ren te do t do tribunal de contas, é s en doque eu c omo a qui por vaso ei t al s ó pode teresa s id o, feito, com a co b e r tura deo de outros min s it ros do ps, na me dida em q ue as ob ra s se en c on t rav vam am j á regi st ada s na al tura, o vaso seja da primeira da corrupçao, é circulo do mando do roubo, teresa rá vaso indo de mu it os mais, fr, ac ima


tambem da CGD, a culturgest, onde de igual modo procedemos à apresentaçao das duas aplicaçoes, ao antonio pinto ribeiro, muitas vezes já aqui convocado neste Livro da Vida e mais uma vez a coisa nao teve resposta


tam am tambem da CGD, primeira da cu l t ur gato de est, onda dede i g ual mod o pro roc e demo serpente pn da teresa, à ap rese en taço espanhol das duas, as das ap lic caçoes espanhois, cao do antonio pinto ribeiro, mu it as vaso e ze es sj á da primeira do prik do qui aqui, circulo em vaso do circulo cado, br, nest eL do iv da roda daVid primeira, é ema mais uma ave za co isa n º cao teve da rata da espanhola posta


a puta , outra que vem da gulbenkiam, a demonstrar que em todos os sectores eles transitam de bordel em bordel, lá nos contou da sua vida, devia pensar que impressionava o carneiro, que era uma especie de olheiro, andava de pais em pais a procura de novos valores para os trazer cá, meritoria ocupaçao, e que tinha um problema com a promoçao que eu lhe expliquei como resolver e como o e cultura o poderia ajudar, mas o rapazinho se fez de desentendido


primeira puta , outra q ue eve maior dag u l bem ki am, a de ms on t rato ps da ar q ue em todos os sec tor es deles, t ra s it sita da am de bor del e mb o rato del, l á ano dos nós c on to vaso da serpente au v id a, de via p es na arque eu i mp r es sio n ava o caren iro, q ue e ra uma es pe cie de o l he vaso do iro, anda ava de pais, tvi, em pa isa pro roc cura de n ovo s valor es para os t ar ze rato c á, me rito top p ria o cu opa sao es, é q ue da tinha um pro b l ema com a por moça o q ue e vasp vaso l he é x p l sic ue ei c omo r es solver, é c omo oe cu l tura do circulo pode der ria ajuda ar arto ps, maso do rapazinho se de fez de de s en t en dido


quando do tremor, mal colei em minha consciencia esta relaçao entre os edificios, e certamente passes via computadores, quando aflorou a noticia e a linha da bailarina cuja perna se partira, me lembrei no imediato que aquilo, a culturgest é tambem lugar de espetaculos e em mim a intuiçao de que seria uma bailarina que por ali deveria ter passado num espectaculo, se nao mesmo realcionado com historias mais antigas com a monica, visto que o rapazinho, creio que a terá andado a catrapiscar


qua ando do t remo mor do tremor, maior da al c ole lei em min homem da primeira co ns cie en cia é sta do tribunal da relaçao, en t re os e di fi cio se ce rta em n te epa ss e sx via com p u a td dor es, quadrado n dó a flor o ua amo do not ti cia da bai la rina cu j ap perna se p art tir da ira, me l em br ei no do imediato, q ue a q u ilo, a cu l t ur g est é eta tam am tambem lu g ar de es pec cat cu lo se em mim primeira i n ui são dao es da ode deque ue da se ria de uma ba ila rina q ue por al id eve ria teresa rp do passado, pa s sado, nu m es pe cta cu lo, se nº cao me sm do circulo de historias maia nt ti gas com da primeira monica, vi serpente toque ue do circulo do rapazinho, c rei o q ue da primeira teresa rá anda dao primeria cat ra psi sic car, o cat do ra ap do pi da isca car circulo da ar


antes me lembrei ainda de outro elemnto arquitectonico desse mamute elefante barata cpu, na av joao xxi, mais um display de nada , ar e vento, e arrogancia , um portico avançado em relaçao a fachada do predio, qautro colunas que suportam uma piramide, e uma estrada de permeio, me recordo de ter lá passado a mil anos atras com o carro, pois debaixo do portico, moram, ou moravam caixas multibanco, na verdade mais simbolica a imagem nao poderia ser, e acabara de me aparecer um, num passe recente aqui descrito, o do arroz tombado e da ups, no restaurante do mercado de alcantra, ora aqui temos o mesmo portico, das piramides, mais um terceiro na rua dos banhos de alcantra , que uma vez relacionei com visao com frança e mais recentemnte se desvelaram outros asptectos, como o lugar dos jogos de casa 101


ant es da me l em br ei a inda deo de outro dele mn to ar rui tec t oni co de esse mamute el e fan teresa da barata cp vaso, na av joao xxi, maís, fr um di sp la y de n ada , ar e eve en vento toe, é ar ro gan da cia , um portico avança do em relaçao, a f ac h ad ado do pre di do io, q au t roco lunas q ue s u porta tam am uma pira ram maior id e, é uma est rato ada de per me io, me record ode teresa l á p as sado ap da primeria mila nós at ra sc om circulo do carro, p o is de ba ix o do por tico, mora ram am, o u mora ava vam das caixas mul ti do banco, na ave r dade mais, fr, si mb o li x caa, carlos cruz, ima mage ge maior nº cao pode der ria ser, e aca bar ad e me vaso ap a recer de um passe, o do arroz tom bb bad ado é da ups, no do restaurante do mercado de al c ana cruz ra, o ra do qui t emo serpente do circulo do mesmo pop pr tico, das pira ra am maior da id espanhola lama do si um da te do rc, é iro na rua dos ban ho sd dea al can t ra ac rac q ue uma ave z r el ac cio ne e com da visao, jornal, com de fr ança e ema mais rec en te mn te se d es vela lara ram outros as pt tec t os, c omo do circulo dol lu gato da ar dos jogos de casa 101


me recordo daueel espaço em minha meinice, uma fabrica de tijolos do tempo das industrias, assim contruida da qual mantiveram no meio daquele mamarracho, uma chamine de tijolos, identica a de aqui, mas maior, ou seja imagem da sombra do falo, e tambem identica à que ficou na urbanizaçao nova da av de ninguens, aqui em alcantra local das visoes dos falos em madrid entre muitas outras


me record o d au do eel do es paço em min homem da primeira me i n ice, uma da fabrica, de ti j olo s do te mp o das industrias, as si mc on t rui dada q ual man ti vera ram no me io da eu le mam ar rac ho, uma c ham ine de ti o j olo s, id en tica primeira de aqui, mas maio rato, o use seja ima mag ge maio da sm br ado falo, e eta tam am tambem ema q ue fi co un da primeira ur rba bam ani iza ac sao es da nova, da av de nin g u en serpente saqui em al can tar l ocal das vso da iso es dos falos em mad rid en t rem mu it as de outras


continua...