terça-feira, abril 06, 2010


a cinderela da nata russa


ela e justin


seus panos são graciosos senhora a meus olhos, depois de a ver de novo de face fechada junto ao muro como quem recebera más noticias, neste tardio almoço, depois de ter reparado, que o verdete da varta, se manifestara também, nos dois troféus do sete, grupo por jornal que encaixados estão um no outro como ondas complementares, o vento e a luz dançava e varria o parapeito me acrescentando , da bailarina que outrora dançava, e do canto que lhe foi feito, mas isto é um outra linha mais complexa para outras núpcias se sobre este assunto as houver, ali estavam belas cornucópia, elos negros e brancos e sedas que se advinham suaves como sua pele


se us p ano s sao g rac cio s os s en hora a m e us o k h os, d ep o is dea ave de n ov, de face, fechada, j un to cao mut o c omo q ue m r e ce br am más not ti cia s, neste t ardi di io al moço, d ep o is de teresa r epa rata do ado, q ue o ve r d eta da ava varta, se man ani if est ar a t am bem, nos do is t rof eu s do sete, g rupo por do jornal, q ue enca ix ad os es tao um no outro como ondas com pem en tar ares, circulo ove do vento, é a luz dança ava e eva ria o para pe it o, me ac r es c en t ando , da ba ila rina ina q ue dana dan ç ava, é do canto q ue l he fo oi f e it o, mas iss o é um outra da linha mais, co mp lex a para outras nu pc ia s se s ob re este as sun t y o as h o uve rali est ava vam am de belas, cornucopia serpentes dos elos negros e brancos e sedas, quadrado da ue se ad iv n ham s ua ave es c omo s ua pele, br, p ele

na verdade odessa, apareceu em noite recente,relacionada ainda com imagens que vi no pravda quando da escrita destes últimos textos sobre a russia, rui isis

vou contudo, dois passos antes deste, nos meus apontamentos, em forma breve

o primeiro, prime do rio porto, é sobre lana caprina, um mupi que aqui comentei quando apareceu na rua, uma bela menina trincando uma maça e falando do fim do mundo

assim pelo espírito li, primeiro ângulo do ook dos donos da bola, o tal programa de terroristas dos comentadores de futebois que muitas vezes aqui tem vindo à baila

lana, lm ma caprina lan da ana ang gi fr, lana turner,tui rn ne rato ps,lanidor, lan ani id da dor, shop on line land rover cia, lancome bi cic sete vaso ab ange do defender, lana caprina da asu australia, luna s top, lan anan cio on comar ka teia da agencia lusa, gov, uniao europeia, euro pe x

lana caprina da mordedura da mça, fla sh ed di tor do choque de titas, solar, cell imp rem sado do ov do vinho l ba delta do metro, do numero das matriculas do cop pro do diplomatico, tambem banda musical, porto links, da la red u te pt do last fm, lauernte filipe, a land rover lan cia, imprensa, sol, solar pr rin int cell sharon is bin do sta aya ava do vam do sivitri, sw f do demo maker, ho w to rep ub da lish in tire o blog do traço inglês coc do cho q ue dos os tita s, os das companhias farmacêuticas

o segundo fora assim uma espécie de armadilha, assim o escutei depois pelo espírito em jeito de confissão, a de sempre que foram obrigados,sempre, sempre esta desculpa esfarrapada, que nada desculpa, nem nada de substante apresenta a desculpar, d es c uk l par

neste ultimo ataque via informática que me fizeram ao blogue e que me fez com os templates andar a volta, experimentado uns widgts, um me apareceu, um p l ayer e mb e bed, uma aplicação, pali caçao, posta nas que estão disponíveis para blogues, um aplicação para live streaming, com um nome francês ligado à cinema

era falsa, não funcionava,era um isco, que me ,lou, levou a uma companhia americana, am mer cia ana, com quem não falava há muitas luas atrás, e que conheci,buscando, na altura em que estava a desenvolver o canal zero

depois de espreitar os novos desenvolvimentos deles, decidi criar um canal de televisão live, na pagina deles, tentei crisma-lo com o código, do dig circulo da matriz do x, que me aparecera como a matrix, bna, não estava disponível, di ps on iv el o nome, criei um outro em declinação, canal zero, 01010

o peru assim me disse, web design, preston, l anca shire zip code br vaso maior field de massa s ac he set ts pro f ile da home, do gel ado da onda do circulo dez , dez das spanish lessons me g u t sa , gusta, prime ira p arte dos downloads p d f n c rato serpente oe da ep de sao paulo do not do ice number, hh s x vo d aya ano do dn ovo, ju s tin do porto tam am, s ni homem do nci, necrofilia, sb ss e ts b 01010 do circulo do terceiro, til ll le reg gula tory, dos trials clínicos, rc segundo câncer gov bar do ra do rc appl ffp do hhs ni homem nci, justin porta do tam da am, vod, zon fibra foice, do video on demand, grupo plc, informática, peru do vodafone, vod, a prime ria do fon é maior, ad serpente do ângulo ao canal zero, o qi da moura gu

a brincadeira no site do live stream, era muito divertida, feitas nos logos que se usam como separadores ali estavam gráficos de uma matrix da onda digital, que se fazia onda e um cidade de arranha céus com um avião a voar , ou talvez sugerindo a se estampar contras as torres

a imagem de odessa nas nossas memorias, é a imagem do couraçado, co ur raçao de p ot en kim, e da mae e do carrinho de bebe largado, lara rag do p el as escadas abaixo, durante os tiros, na revolução russa de dezassete, dez za ase do sete

ali estava no pravda a bela natalia vodyanova, que nasceu em odessa, a quem chamam da cinderela russa, na verdade o é, casada com o justin portman, apresentado como artista plástico, p l as t cio, britânico, calvin klein ck, da kate blanche, ou seja, da rapariga portuguesa, portu gui es a que com ela se parece, a adelaide, assim era uma das linhas do un der line de sta da historia neste ponto, quem est y av v es t indo quem ou seja, quem usa as roupas, a capa de uma outra

meus olhos alucinavam de baixinho, perante a beleza, e perante uma est a rn h a as soci aç ao entre nomes com uma outra bela ra a p rig a que rec en te m net aqui evocara, a natalie portman ,porte ema do man,pois juntando o nome dela, e o da família do homem dela, obtinha assim o nome da bela judia, a que junto então, en ata o, a bela judia, hu dia, do vo do quadrado aya do ano da ova

e justin a ecoar, just estrela ina e coa ar, ainda no nome de um outro justin tam bem, também aqui convocado algumas vezes ao lado de madonna, mad donna e nao, n en cao, só, com bolas de espelhos em discotecas, di co tecas, e pontapés, e imagens três das facetas do som, o clip

olho no redor e vejo ainda, couraçado de pote em kim, matriz, do tralo da imagens na cidade dela, gaz porm, , ela é a tambema imagem de andromeda, que anda em minha cabeça,

feira de abril, 01 02 10 sas sin os do estado português, a cobra vermelha de socrates, primeiro do circulo dezembro, det em br to, set, dez mortos num autocarro em moçambique

phoenix, mais ou menos também recente linha ,hp, por outras mortes, rom bi os do plus, ver sio sion 11o da a7 co p y rig th, 1985, 88, phoenix tec , 1990 a 2006, dell inc, a 11 rig t h s re ser ev ue de,

drive primeira do not found, para ll el ata pata input output pr id e master strike, the f1, key to continue, f2, i to run the set up utility

o por caster do pelicano do stream, vaso do up da date do program, matança dos judeus, o militar do chicote, paixão de cristo, mel gibson,ak o madredeus, o da valentim de caravalho, da guitarra de oitenta e tres, de 83 per centil, 88, 91, o lizzard do set do up do wizzard, do game dos jogos on line da guerra do irao

mogul is com do demo do canal, ba ck u pp c andre d 6/9/98 mb vaso gun, 96 0 98 9 x 80 1291x 1363, 300 x 250, php, te mp do plat do monster do com do php, ph da primeira,

wi x com, 91 kapa com

arons, bíblia da universidade, um do mega , do site da bíblia, a revista, jo g le acon ts set up, d ab h b o ara

um estranho apontamento que remete indirectamente para o segredo de fatima, matrix, flo ad da indução do tsunami, the matrix com, ama am a, bc lua kapa car do ab aries, kapa 1981, presidente nixon, may 21 , ap vinte route 66, jose segundo do sete 06, cali for ni a , route 66, o simbolo da casa das undiades, o foto, 0102

pato, ou pata, de novo tinha entrado a imagem do pato da republica dominicana num dos recentes videos, onde a vareta apontara uma tripla relaçao entre eventos, quando dou por uma outra relaçao, que se encaixa ainda num escutado generico, sobre as meninas da coca e dos buns, a cultura sic, a cultura sic, das hordas das espias e dos espioes, que acham que vale tudo na busca do que chamam de verdade, putas que vos pariu a todos, ladroes de crianças e fora da lei, e assassinos, pois me apareceu um link com a fatima , a que aparece agora numa capa de um livro muito docinha dizendoalgo assim, o amor depois de ti, ali estva ela num programa de herman jose, numa cena de mau gosto indiscritivel, o pato, era o freixes, que dizia a cançao da rabula, que teria sempre a mao no cu de alguem, o freixe, do tempo da sec, sg re , circulo de fatima, trinity triangulo, doc 60 quadrado jess vermelho amarelo, ml, c ho s en do delta, dog se is suse sej , jo jo vaso s use do j neso hc delta at q nag u l o d quadrado ed, w e u 6, 30,circulo urse, 3, o doc do segredo, o ft at ima, fat ima, blue sea fish, jeremias

pato, o u pata, de n ov tina h en t r ado a ima ge m do pato da re pub l c ia do mini c ana num dos rec ene net s videos, onda ed dea primeira ave v ar eta ap on at ra uma t r ip la relaçao entre eve en to s, qua ando do u por uma outra da relaçao, q ue se en caixa a inda nu m es cu t ado g ene ric o, s ob re as meninas da coca e dos buns, a cu l tura sic, a c u l t ur a sic, das ho rda s das es spi pi as e dos es pi oe es, q ue ac ham q ue da eva do vale, t u dona bu s cado doque da chama de verde dade, putas q ue v os pari ua primeira de todos os ladroes de crianças, dec c rina aças e for ad da primeira da lei, é ass as sin os, p o is me a p ar receu um l ink com da primeira da fatima , a q ue ap rece do agora numa da revista capa de um l iv ro mu it o doc cinha di zo mao r d ep posi de t ia al i es tva ela num pro grama de herman jose, num ac en a d ema u g os t y o in di sc rit iv el, o pata e ra o fr ei x es, q ue di z ia a can çao da ra do ab da bula, q ue teresa ria se mp rea primeira mao no cu de al gume, o fr rei ei x es, do t e mp da poda da sec, sg re , circulo de fatima, t rin it y t rian gulo, doc 60 quadrado jess vermelho amarelo, ml, c ho s en do delta, dog se is suse sej , jo jo vaso s use do j neso hc delta at quadrado dn a g u l o do quadrado do ed, w e u 6, 30,circulo urse, 3, o doc do segredo, o ft at ima, fat ima, blue sea fish, jeremias

a fatiam do rei david, a adele de fatima do bernardes, demo do dragon da bola do blast z box 360 michael jackson, fatiam da ecolinah do pro rof rai mundo

dois do si dos bicos se inter rp pene t ram, agua e fogo e del nascem dois x, xx, ala ava lava lade, car dea do patriarca do pede, per do dao, pecados da igreja, dos pes da sa da cruz, igreja da filipa, do ambrosio do souza, o m oto tor r ista do ra dos porcos , cardia l patriarca, car dea



reparo hoje que as chuvas de novo caíram em são paulo, na foto de capa de um dos jornais portugueses, um volvo, como um perfil de um peixe, ou de um submarino, entre as árvores, me convocou ao momento em mim, a a imagem recente de me parecer ter visto meu filho a passar num carro do corpo diplomático, que usa aquele modelo

rata epa p aro home do oje q ue às das chuvas de n ovo ca íram em sao paulo, na f oto de dc capa de um dos jornais portugueses, um volvo, c omo um per rf fil de um peixe, ou de um s ub marino, s ub bar do marino, do diplomata, en t rea s árvores, me c on vo co ua cao mo men to em mim, a a ima mage ge m r e cente, en te, de me pa recer teresa vi s to me u filho a p ass ar nu maior carro do corp, o diplomático, q ue da usa daquele mode elo


te disse ter lançado o i ching no domingo de ramos depois de publicar um dos textos sobre a ultima matança na russia

links


domingos de ramos, o espelho do i ching primeira parte


domingo de ramos, o espelho do i ching, as cruzes no ceu, o sete, segunda parte


agora te posso mostrar as fotos que te disse nessa tarde ter tirado


iria jurar senhora que deitaste as velas ao vento hoje como blind, sobre meu quarto, ao bocado, peguei a varta e tinha verdete no polo positivo



sala t ava primeir4a ac se rac aca das três palmeiras

pedra a pedra, assim me diz o espírito, ou ainda, deixa os cães se comerem todos uns aos outros

na verdade, ainda agora no final da tarde, no jardim de novo chegando o casal com os cães, a duska, como eu chamo aqueles cães pequenos de orelhas compridas e pelo doirado, correu para mim e me ladrou, como de costume faz, a seu lado o outro negro já com a bola nos destes
saltava a cerca das três palmeiras, a rapariga ao passar por mim, falou comigo pela primeira vez, me disse desculpa, me pergunto até que ponto de que

já no fim do jardim, meu olhar tornou a olha-los pois mais um cão tinha chegado e se aboquinhavam entre eles, o dono, em voz alta tentando separa-los, lis

o espírito, o espirita, me acrescentou, dos rc ,







emo mode d es ra

descendo a rua lá estava o vizinho da casa pequena a modesta, encostado ao gradeamento, lhe perguntei
então deu-lhe a lâmpada, era dele
ah não sei
hum, fez minha face aproximando se do senhor
a minha mulher é que lhe pegou
e deu a
acho que sim

(bela lam am lama a p da tubular, gas xenos, argo do bn)


antes descendo pela tarde, uma bela lâmpada tubular, de um estranha gás, xenon, argon, ou algo assim com um transformador violeta de isqueiro de carro, ali estava, quando para cima voltei, o primeiro vizinho, a janela,

não será por acaso daquele rapaz que muitas vezes esta parado no jipe aqui afinando o motor

(nado nata naco do nabo)

não percebo o que diz, dizia
hum, fiz eu repetindo-lhe
ah, não sei não


assim se fazia de desentendido, o senhor do carro vermelho, um dos três que um dia levara com um outro carro que aqui se despistou

a deixei à guarda do outro vizinho que conhece o do jipe, para lhe perguntar, dizendo-lhe que se não fosse dele a reclamaria , eu , depois

a bela rapariga loira de estrelas na face, vestida de branco com mala doirada em grande contraste, me mostrara uma igual ou equivalente no tecto da sala de cima, agora mais arejada do que era habito

ep da pada

uma pequena luz aplique de tecto cor violeta, como uma espada de um jedi, ou a cor violeta da espadas dos metros, aquelas que fazem bum







um outro ângulo de um mesmo colibri, um ângulo onde se vê um falo psd com sangue sobre superfície alva das neves, como as marcas na neves, uma haste reproduz o semi arco, a bengala, a cruz ansa, que se desvelou nos apontamentos do pátio de Lencastre, uma outra haste tem em sua ponta a equivalência da primeira mancha, a da mosca, a mosca do gelo, artic vodka

minha amada sabe de si e de mim, pois ambos somos um em dois, e quem assim se ama, se ama em forma verdadeira, e isto é a única real, pois no amor os amantes se conhecem, e sao um em outro e versa no verso,

na rua os sacos das gentes, me falam de segredos de lingerie femininas, soa quase como um aviso, pela insistência com que se pontificam a me apresentar aos olhos, como pequenas peças de puzzles cifrados,


depois da imagem da vareta vermelha no tal barco, braço, no Tejo, aparentemente francês, depois de ter visto a bruni montada num caça as asas azuis de franca um sincronismo, sion do sino

a subir as escadas , vindo do ângulo onde esta o extintor se cruza, entrando a rapariga que vive na casa da porteira com o menino africano, a quem eu oiço nas vezes como parecendo perder a paciência, ali vem ela no patamar de cima, com um chapéu de chuva vermelho, ml, inclinado na mesma posição, pelo espírito oiço, aqui tens a mulher da inversão, a ultima que anda em mim, é a relativa à matança da russia, a grande matança de quase duzentas crianças, de seguida vejo uma outra que mora no prédio da loja dos tecidos, a entrar, qual das duas, me pergunto, então

estranha imagem monta da minha memoria, vindo um dia ido, do largo do Carmo, descendo, quase na esquina, um carro voltando, uma mãe e um filho, africanos, o menino, ainda meio bebe, na cadeira da frente , ao me olhar, todo ele se espantou, de boca aberta e tudo, a mãe, com uns belos caracóis do shampo linic, fez uma face de desagrado, e acelerou subindo a rua, trazia o antigo carro um perfume, a Holanda, o menino era parecido com este aqui do prédio que me disse um dia que o primo dele, era parecido comigo, e assim achava que eu era da família

aqui antes me aparecera ao abrir o word pad, pad ad, um estranho texto copiado do blogue da paula, deslizar no sonho, um texto que na altura em que o publicou, achei estranho em seu conteúdo, eventualmente subjacente e passível de ser deduzida, um acto de conspiração,

montado como um acto de conspiração, de conspiração contra mim, a acusação que me fizeram de ser autor da matança em beslan


paula, do blogue deslizar no sonho, me remete a egeac, egeu, egipico, egas, cml, a manuel falcão, ao grupo do psd e do sete, miragaia, outrora jornalista desportivo, cristovao, aldeia do meco, link

pedra a pedra, assim me diz o espírito, ou ainda, deixa os cães se comerem todos uns aos outros


um estranho texto, como uma pedra, com um perfume de acusação a seguir a uma matança, e a que estava em minha consciência porque sobre ela escrevia eram as da russia

acabava com uma estranha assinatura, p. de paula, que se le com o pp, como p de paula, da igreja das necessidades, o padre com quem aqui uma vez falara, no seguimento das bombas na Argélia, o MNE,


al elo, a lelo, me dd diz aqui esta uma historia da matança, sem o afirmar, uma subtil inteligência indução ou espelho de algo ouvido contar, e uma assinatura estranha, p de paula, paula, a igreja de paula, p talvez de padres, e antes me aparecera aos olhos policarpo, olhando de lado e dizendo que está ao pe da cruz pedindo, di id dn, desculpa, depois de ouvir no espírito pela enesima vez que, o agente, net, fora obrigado, sem mesmo saber ao certo quem é, e consequentemente sem saber nem do fino dano, nem da integral responsabilidade,

p lic caro rop pp cp pm o cobardes, en vaso e luvas das mesmas, , ave ru g ua aqui elo, enqua, co ns ue en t y

e esta cruz que Policarpo como cobardes, envergando as mesmas cores, do tal padre que até ao momento recusam dizer claramente quem e, mas dizendo que pedem desculpa e que ele foi mandado e obrigado a assim agir, tentando desta forma escamotear aquilo que a lei enquadra e à lei compete de ser averiguar e os actos, e os motivos, e as consequências, e de ter consequente a responsabilidade depois de pesada


a ti bruni te digo o que escutei na visão profética, por rf etic a, de ferre cantando rimbuad, rim b ua ad, sobre musica de beethoven, bee bet home do forno


et oui, feder al, psy chiado, do horror, le coc k tail do molotov, da austriaca do freud sexy, do co py rig th, 2000, to us dos direitos de repro autorizes, y compris les pays fabuleuz, les faibles nouvelles and co ando com and co je ti en s bi en en v ue mon petit, a filatelsita, a fotografa, le tout paris, le tout new york, le toput nomenklatura, le tou first combine do ab, and co do ina bord a b l e, la fontaine de la tele preneuese, le loup dans le supermache, de la trouille e du plastique nuclearise, le gueniille re mp lace ra smoking, au gala da opera avec le pupitre, la mise re en vi sion do mache


le prozenete do champs elises, des chars de assult, de la porca miseria sw, mais s van gogh, a lan 10000, mc 2, des fuseaux horaires, da raiva de odessa, um barco de 1905, potemkine, do codigo civel e do codigo penal, histoire ancienne et de la mere sorbonne lundi, o chaplin do tokio, cor ton 64, le dernier neon, demi brume a londres, torrent son glycerine, da en cic lo ped ia t ra sn se x ual, da critica da razao da mandragora, la porte de 68 mettra son poing, ca lui rappellera des bons souvenirs, de la mu cis de la cacofonia, caco ph oni q ue, bien en ten du, do camiao de 35 tonnes dana l auto route, aout, lenine a odessa chez l armateur


les inscriptions ne seront plus que balneaires, bal al lena aires, do CI do CITe L IMAGINAIRE; IS S EST NO Y E; IL ETA IT NU, P R I E Z P O UR E U X









sala t ava primeir4a ac se rac aca das três palmeiras

pedra pedra, assim me diz o espírito, ou ainda, deixa os cães se comerem todos uns aos outros

na verdade, ainda agora no final da tarde, no jardim de novo chegando o casal com os cães, a duska, como eu chamo aqueles cães pequenos de orelhas compridas e pelo doirado, correu para mim e me ladrou, como de costume faz, a seu lado o outro negro já com a bola nos destes
saltava a cerca das três palmeiras, a rapariga ao passar por mi, falou comigo pela primeira vez, me disse desculpa, me pergunto até que ponto de que

já no fim do jardim, meu olhar tornou a olha-los pois mais um cão tinha chegado e se aboquinhavam entre eles, o dono, em voz alta tentando separa-los, lis

o espírito, o espirita, me acrescentou, dos rc ,


emo mode d es ra

descendo a rua lá estava o vizinho da casa pequena a modesta, encostado ao gradeamento, lhe perguntei
então deu-lhe a lâmpada, era dele
ah não sei
hum, fez minha face aproximando se do senhor
a minha mulher é que lhe pegou
e deu a
acho que sim






pedra pedra, asssim me diz o espirito, ou ainda, deixa os caes se comerem todos uns aos outros






na rua do restaurante da rosa ao calhariz

as grossas velas

choram
grandes
lágrimas

de
cera







ba sm

outrora o vento soprou sobre uma na falésia

o ventos dos lobos maus

que derrubam nas vezes as casas e os templos

a foto na capa do jornal era o negro espanto

uma jovem bela e sorridente, vestida de negro, uma pistola em sua mão, um sorriso na face,o homem mais crescido por detrás dela, como que a amparava, sorrindo de frente como quem a oferecia em sacrifício, a pistola, e a mão que a segurava, oscilava, era a dela e era a dele

ham as sd às das viúvas negras, ed à vinte anos

as chamadas viúvas negras, mas a teia não é delas, menos de vinte anos e duas se fizeram explodir, que pai que adulto, assim o faria em nome de que loucura

pois uma outra teia, aracne, primeiro as crianças enlaça

assim me confirmou as palavras anteriores, em seus intersticios

os especialistas em símbolo das viúvas que fazem bum

pelas teias armadas por terceiros , que criam decepções amorosas assim montadas com esse fim, o de se entregarem à morte pela violência

oiço pelo espírito de imagens de meninas outras em lugares distantes, gasolinas como coca, que trás em sues processos a própria gasolina, imagem de fogo e que depois em espiral de raiva, nas festas, explodem em símbolo, uma explosão real lá ao fundo se deu

muitas forma de isto fazer, com muitas variantes, sem a menor duvida, pois a imaginação do mal é grande como a do bem








depois de publicar o apontamento da casa do pátio privado de Lencastre


assim a folha que se desenrolava abaixo, assim mo disse

A pagina no seu todo me diz e complementa, o bandido do artur silva, dois em mim, o ultimo invocado, o nuno artur silva das produções fiticias, e o banqueiro

O bandfido do artur silva, o principe de sm, o do calhariz, das pedras, do rice , paper, da stuka, ou do mig, ou das asas de frança, como mostrava bruni num mirage, miragaia, o jornalista, a mira da rage do mir, do russo, a ecoara na bela rapariga que na revista de moda declarava gostar de fazer queda livre nas brincadeira com seu amado, a caminho do leito , b l a c k principe ps , o john, o player dp special, 3,1o e, macionico de oiro do brasao de dois leoes do poker do seis do home sete dos fósforos, salamance inx, sala lam am man ce do inc x, do ataque da garra do dragao do home de oitenta , cores brasileiras, com simblo, das chelas do chi do pi, ou do pi do chi, china, com das rodas dentadas,

a seta do tridente da trindade, de asas negras, como arqueiro, e sete negra parta castanha, que aponta a garra do dragão, ao lado, um ângulo e uma hora, seis e vinte , se is maçónica, do homem às circulo da it do ro en


a irmandade do rei da ani espanhola

ontem ao isto aqui escrever caiu como simbolizando o titulo, anterior, ou seja dando a id, o rei da irmandade dos senhores dos anies, com o simbolo da arvore em seu peito, o que esta ao lado da aguia, ou seja uma referencia indirecta a uma das torres caidas

o motivo sao as aguas roubadas, aguas roubadas, simboliza filhos roubados ou amores roubados, ou amados mortos

nos apontamentos se desvela, um ste do, sete quatro sete vc, viet cong, sendo um outro que aqui apareceu recente, modelo sete dois sete, setembro, umas aguas furtadas, sm, o lugar onde mora, lugar da onda do demo da dam am da mora, aqui


g 5 4


a bela rapariga de cabelos escuros ruivos, a concha da primavera

di ip ps ota sc om do leque, iam mg

em casa, parado um instante, atras da secretaria da asa do prumo com o g 4 por baixo, olho por um instante o reflexo na parede inclinada do que era o quarto de meu filho, o sol vindo de tras projecta os cubos da estante e as silhuetas dos livros na parede a traves das tres portas de correr, e no ponto em que estou, vejo uma cruz desenhada sobre a flaming june descansando em azul de ceu quente, em contraste com o seu quente laranja do fogo do amor, sonha a rapriga, e meu coraçao, para me tranquilizar , diz-lhe que sao belos seus sonhos, ao lado dela em cima, as asas dela figuradas, em forma aberta, a imagem se estende, às imagens de michael parker, se estende a uma bela rapariga de cabelos ruivos escuros dispostos como leque, como se estivesse dentro de agua, só que vestida, sua figura, andromeda, um jovem bela mulher, cujo beleza emergia em espelho na imagem da naomi watts, no pravda, uma mulher que parece trazer uma cruz como uma sombra sobre ela projectada , enquanto dormia, enquanto dormia, alguém sobre ela a projectou






por cima da imagem da ponte ou do vale de maria quebrada, a contra forma, me desvela, um pêndulo e um blue tooth, blue moon, uma loja em frente ao restaurante das rosas ardidas, uma rapariga, relacionada com a rr, e com o sala, uma psi


no jardim os anturos choram a tua ausência




assim escreveu outrora um poeta muito amado







penso
o
dia
esta
doce


as
pombas

que
outrora
me
lançaste
senhora

tomam
tranquilos
banhos
numa
poça
da
rua









oiço então muito de ti nas plantas e nas cores delas todas

uma graça assim melodiosa descendo dos andares, sem presença ao olho, entra num coração como manteiga de belas torradinhas que eu gosto de te dar a comer,

e as melodias das graças trazem sempre grandes fados consigo, uma vez ouvidas mais se ouvem,

consciencializo a sua presença pelo seus sons na casa de cima, nas vezes parece um perfeito contraponto, assim as graças medem o ser emocional, pé ante pé, asa ante asa

a rapariga é estranha, pois quando chega lhe cai violeta ao chão, como quem diz que uma dor lhe foi, a rapariga é estranha pois traz a priori uma estranha referencia, habita a casa do energumero, o que me leva a pensar no género e substancia de eventual ligação

mas isto não faz da rapariga estranha, talvez seja melhor dizer , que as raparigas quando chegam actuam meio estranhas


a rapariga estava ao sol como jogadora de ténis, e trazia a face fechada, cumprimentei-a ao passar com a voz que me nasceu ao vê la assim, com ternura suave e distante , pois não se entra assim na tristeza de alguém sem primeiro termos licença ou claro sinal

as raparigas fazem coisas deliciosas, quando se querem aproximar dos rapazes quando assim trazem em sua intenção o coração











a ouvi no silencio, falando a telefone com nas escadas, me lembrei de uma outra rapariga brasileira numa festa do energumero há muitas luas atrás, um conversa de amor, em voz sussurada no eco da reverbaçao das escadas, precisam os rapazes às vezes de couraças emocionais, a estas setas de cupido ou ainda assim tipo versão, espinho para coroa

ah a voz deliciosa, desvelando uma enorme gama de emoções, com o mesmo tom de base, uma imensa capacidade de ternura e uma energia musical como a das mulheres, assim meu ouvido o ouviu

amada, devias chegar rápido , pois um rapaz ouve assim uma bela alma numa voz que a desvela e assim a desvela vinda do cimo das umas escadas , se martiriza nas vezes o coração na parte ausente


que entras pelas frinchas da porta e vidro, olho aqui e vejo a matriz

ontem vi uma bela hera, pendurado, em belo tecido, e outra roupa mais intima de grande beleza, a secar ao vento, como moldura de meu alto céu,







ponho o la woman no dvd magic, e jim morrisson, me diz que ela é o meu amor, que é jane de la, que é a mulher que esteve mais sozinha no mundo, e que vai partir esta noite apanhando o comboio ou um autocarro, que não a deves perder,


a tua ausência, agora mais fere, as palavras dele me acrescentam, não sentiste o amor quando ela saiu de casa, sim jim , senti, cada vez que por longos períodos minha amada não volta, sempre se sente o amor em cada partida, seja a nossa, seja uma outra pois é sempre símbolo e imagem da partida e do regresso, que ainda , não se tornou presente, ah, jim morrison, presente é no mínimo uma expressão, complexa e alargada,








( cm sao mne us passos)

minha amada sabe de si e de mim, pois ambos somos um em dois, e quem assim se ama, se ama em forma verdadeira, e isto, é a única real, pois no amor os amantes se conhecem, e são um em outro e versa no verso



este é o reverso da manta de luz que se estendeu no muro do jardim, em doirado profundo e profuso, em sua chegada a meus passos no dia em que no jardim de ti procurei


ah amada, docinha, o amor frutifica sementes de luz, assim se sabe da verdade dele

já uma lágrima tua me caiu em meu colo neste entretanto

te direi de um segredo que ao meu olhar se desvelou, mas tens que bater na árvore para que ela lá te leve, pois to conto baixinho assim ao ouvido











knock, knock at heavens door


( mr)


marcas
cicatrizes
eu
senhora

que
me
lembre
algumas


espero
eu
que
de
vós
assim
não
seja

que
não
padeceis
de
igual
mal
e
males

pois
estragam
nas
vezes
os
corações


marcas
trago
algumas

poderei
dizer
por
si
senhora

evoquei
aqui
recente
uma
na
testa
a
terei
feito
em
vossa
honra
ao
vosso
amor
espelhará
ela
uma
outra
que
me
apareceu
outrora
simbolizado
num
passaporte
rasgado


serão
pedras
de
amor
senhora

como
o
jardim
mo
mostra








corações enganados que porventura assim se enganam, ao lado do amor








senhora
por
detrás
de
teus
cabelos
está
sempre
a
tua
rosa

e
se
Deus
nos
Faz
rosa
e
colibri

é
para
que
ambos
muito
sempre
se
beijem

Pois
os
Amantes
como
os
bebes
Se
alimentam
pela
boca

como
o
negais
então

(8 mnegauis )

ou
haveis
vos
outrora
me
julgado

ele
é
um
falso
assim
proferiste
outrora
juízo
senhora


ou
a
ultima
imagem
à
chegada

a
rapariga
brincava
com
uma
rosa
negra
por
cima
de
seu
cabelo

um
rosa
negra
por
cima
do
cabelo
solar

porventura
versão
contemporânea
de
um
outro
outrora












o pequeno homem olha o monstro adamastor

mob bn s t ro ad ma s tor


meus passos em teu amor me levaram ao largo do pátio



privado do Lencastre, onde esta a assinatura do 9 do 11 , da dp do nove do onze assim agora se desvela na escrita





esta é a casa do pátio com o numero nove do onze, e uma ponte como a do Tejo, cortada em parte pelos cabos, figurando a boca de um grande e perigoso tubarão




na esquina descendo a inscrição


como te contei, esta foi a minha foto seguinte, está no eixo da, da casa, em angulos opostos, aponta uma das esquinas



mais tarde subindo a calçada, a tinta fluorescente, me chamou a atenção desta assinatura, antes vira uma casa de esquina, com um outro grafismo em frente, que falava da foda suissa,


já o dia caia, assim se reflectiu esta luz

no jardim dos faunos e das graças e de outros animais mitológicos

me perguntas se trago eu meus lábios secos de amor
como se não trago os teus nos meus
















na verdade amada me diz o amor lá do alto
repara como elas são distintas e moram lado a lado e se movem uma para a outra

às vezes amada, me pergunto em que casa vives

o meu presente de meu aniversario para ti, está nesta minha outra casa, que me diz curiosamente num outro pais, é uma casa antiga que mantenho como que fechada, trás lá uma foto que poderia ser meu estado de espírito nos dias que me encontro


http://casadedeus.blogspot.com/



sabes amada, a imagem que sempre achei mais bela deste video, é um rapaz e uma rapariga que dançam juntos e que se apaixonam, assim se vê este começo de paixão,

também vejo lá muitas outras coisas, ainda em dia recente, ouvi, que ele, repara no pormenor insidioso, tinha simbolizado a queda das torres, o vídeo conta tudo, dizia o rapazinho na tv em dia recente, a dar o mote, de mais uma pedra, certamente, dos bandidos

e também oiço alguma coisas, como uma fase trocada num dos canais, uma inversão que foi feita, no encoding a partir de uma cassete dos packs promocionais deste vídeo que fiz para eles, terás que ouvir em mono, depois verificarei se tenho outra neste formato, que é dos poucos que posso codificar







no jardim dos animais mitológicos

o olho do musgo na antiga casca cinza

me

mostrou









que os animais são guardiões também de historias tenebrosas

desvelam estranhos perfumes

esta é a cara da árvore dos cabelos de medusa, , que um dia morreu, depois renasceu, em alguns dos seus cabelos, e agora floriu numa flor num só ponto









pois reparara antes de sair que assim o meu burrinho estava
burrinho ou burrinha

como a outra imagem da bela rapariga estranhamente deitada com um perfume de morte
mais do que abandono