terça-feira, abril 27, 2010

espero que não vos tenha que relembrar pela enesima vez que me assiste pela lei como cidadão, a recepção de um recibo de todas as comunicações que vos envio, bem como a garantia real e efectiva dos direitos que me assistem pela lei

junto link de mais uma reclamação

exijo de vos o cumprimento da lei

http://ourosobreazul.blogspot.com/2010/04/interpelacao-generica-todos-os-orgaos.html

acabado de enviar a todos os grupos parlamentares com indicação na mensagem que o email foi enviado

aca ab bad ad o de en via ra primeira todos os g rupo s pa r lam en tar ares com in dic sao na mes na ge m q ue o ema i l f oi en viado

interpelaçao generica a todos os orgaos da republica



interpelação genérica a todos os órgãos da republica que se encontram fora da lei e cobrem e são deste modo cúmplices de pedófilos e cobridores de genocidas


inter rp dela ac sao es g ene rica primeira de todos os orgaos da republica, quadrado da ue da se en c on cru ram am for primeira da lei, e c ob br rem é sao do quadrado de este modo, cu mp i ece es de pedo filo se dos c ob br id dor es de g en no das cidas

email enviado ao palacio de belem , agora mesmo, a esse que indevidamente leva as vestes de presidente da republica


façam o favor de nao insistirem em vossas manhas, como sempre me fizeram nesse palacio com as minhas comunicaçoes, e levem esta missiva aquele que indevidamente leva as vestes da presidencia da republica de Portugal, nao o façam e a maldiçao cairá sobre a sobre a cas de cada um de vós, seus corruptos e vergados, e espero que nao vos tenha de lembrar pela enesima vez que me assite como cidadao desta republica um resposta dos serviços de recepçao e encaminhamento a cada vez que vos escrevo, bem como a entrega por este meio de um recibo de todas as comunicaçoes que vos enviei e que vos continuarei a enviar até cumprirem a lei ou irem todos para o inferno!!!!

ladroes e abusadores de crianças e quem os cobrem nao podem ter cargos ou funçoes publicas de estado

paulo forte

no link abaixo, interpelaçao a esse bandido fora da lei, no final da alucuçao


email enviado ao palacio de belem , agora mesmo, a esse que indevidamente leva as vestes de presidente da republica



façam o favor de nao insistirem em vossas manhas, como sempre me fizeram nesse palacio com as minhas comunicaçoes, e levem esta missiva aquele que indevidamente leva as vestes da presidencia da republica de Portugal, nao o façam e a maldiçao cairá sobre a sobre a cas de cada um de vós, seus corruptos e vergados, e espero que nao vos tenha de lembrar pela enesima vez que me assite como cidadao desta republica um resposta dos serviços de recepçao e encaminhamento a cada vez que vos escrevo, bem como a entrega por este meio de um recibo de todas as comunicaçoes que vos enviei e que vos continuarei a enviar até cumprirem a lei ou irem todos para o inferno!!!!

ladroes e abusadores de crianças e quem os cobrem nao podem ter cargos ou funçoes publicas de estado

paulo forte

no link abaixo, interpelaçao a esse bandido fora da lei, no final da alucuçao

torn e i a f az e r o u p l o ad e d e n ovo fi ze ram um me sm o, se us te rr o r istas, q ue os cabos dos v ossos sc r i p t s v os ema ran h e m a todos d e v e z!

me disse o espirito ser o do quadrado do mr do hiper, assim se confirma a id dada no post anterior, relativo ao inimigo, suplemento do publico

me di iss seo es pi do rito ser, serpente ero do quadrado do mr do fr ang circulo do hiper, ass si maior se c on f ima, primeira id dada am ano psot ante ior rato dela prime ik ra da cruz ivo cao do inimigo, p s vaso p lem n to do publico

seus cabroes do ics e das tais autoriedade das comunicaçoes e nao sei o que, deixem de se portar como bandidos e cumpram a lei a que sao obrigados!!!

se us c ab br o es do ics ed as t aia br, au tori rei e i d a sd w com muni da unica caçoes espanhois. en cao se io circulo q ue , de ix em maior de se prr rat rc omo do bandido, s cu mp ram am prime ie kapa do ra da lei, primeira quadrado da ue da sao ob rig dos gados do quadrado da estrela

mais uma vez os terroritas pelos tais scripts, conseguiram desincronizar o som e a imagem deste ultimo video, durante o trajecto do up load, que passa pelos servidores do preatdor do serviçao, os terroritsas do kangurto e do publcio, e pela pt, poratnto como exite uma aurtioriedade aqui para tratar desteas questopes faça o favor de os ir prender!!!

que pais de merda, nem um homem, e os bandidos fazem impunememnte o que querem, istio nºao pode ser !!!!!

video 27 de abril

27 04 10

66 do mb, do sessenta e nove , duplo deus , o do circulo do te rc e rio, terceiro, do s e x to de noventa e cinco, c on co, o segundo byt es onda pan hol

dinheiro e interpelaçao às bestas aqui

din ine homem iro é inter rp p dela , ac sao espanhola onda às das bestas aqui, primeira do qui aqui

e uma referencia a um outro eco sobre noventa e tres, vinda do morgan him self I supposed, numa noticia no yahoo

é uma refer fr rn en cia au de outo e co s ob reno, ren en no ove v en t a , é t r es , vaso inda do mor da gan , seguros, hi ms elf primeira coluna, serpente cio vaso pp p os s e d s ed, numa ano not ti cia no yahoo, delta homem da dp

é ina mais, e ainda, um e co s ob re a lina hd a imagem das to mad as da queda do avia o e do an fi e teta aro, e do ip pad p ad , a qui o es pe rito me d es vela uma cor r es ponden cia en t re as a am mr c as refel c t id as na ima ge m do s elo da cia, c omo s en d o e x pan det, da fabrica, ti on francaise brevete, br eve te para fuso 5 5 me do io do per c en til mm, s mar tie es da buc cha, a t al en fia d a, sete do mar bar do ra do per c en til mar, ou mm, o u seja s mar ti tie es pan ho l

e um conteudo importante, pois este é sem duvida um dos novos campos das batalhas de hoje, na velha teoria e pratica da sabotagem de um pais, ou de um sector economico ou do que seja, que se considere inimigo

é um conte vaso do dó em mp prorta orta, cruz ante , p o is este, é, se maior d uv id a um, dos sno ovos cam p os das bat alahas de h o pje na velha , teo ria e pr a tica da s ab bota tage m air o de pais, tvi, um ap is , circulo do vaso de um do sec tor e cono mico , circulo do vaso doque eu seja , q ue se c om s id der e inimigo, publico suplemento,

ressoa a forma da bucha , estranhamente num dos video publicados no canal movement, sobre dança portuguesa, nas peças que a monica e o camacho usam no jogo, dizendo que jogo acaba quando um derrubar as peças todas, ou seja , tambem implicado na morte da monica

rato esso da primeira da forma da v buc cha, est ram ham am , a que mente, nu maior dos v id deos pub l cia ad os no c anl maior ov vaso em en cruz, s ob red anca espanhola al portuguesa, nas p ecas q ue primeira da moni cae, circulo cama ac ho, usa sam am no do j ogo, di zen x do q ue o j ogo aca aba qua ando um der ru ub bar ar as p eças todas, circulodo vaso seja, tam am tambem em mp lic ad circulo, dona da morte da monica, a do dam

http://news.yahoo.com/s/ap/20100426/ap_on_go_ca_st_pe/us_building_better_spies

stanley kubrick, odisseia no espaço

serpente pn te anl nl primeiro le delta kapa vaso ub br r~brick ck , circulo kapa odisseia, c ana l, circulo di is de seia, se ia, no do es paco

fiz o encoding deste extracto do programa zero de audiencia, do qual sou autor e co autor, no dia 26, do corrrente, o belo programa que estou experimentando, assume a data à inglesa , ou seja diz- me 2010, programa da rtp, circulo do quadrado de dia vinte seis, ou seja do tsunami de dois mil e cinco, as imagens que aqui se veem, sao tiradas numa praia da linha de sintra e na praia de carcavelos onde se deu muitos anos mais tarde o arrastao, prenuncio do cio de outras bombas, daquelas que mataram mesmo, pois, o arrastao, como se sabe , foi uma ilusao montada com esse fim, na verdade nao houve nenhum, foi fabricado pelo menos com a cumplicidade das televisoes, o que aponta um das facetas da id, ser de um grupo, que trás tentaculos em todas elas


sao dessa praia, as imagens da pena que se move pelo vento


a imagem da pena a usei eu num video relacionado com a cruxificaçao de O Cristo e remete- me ainda para o mosteiro de belem , jeronimos, exposiçao d mari sobral mendonça no palacio das putas da cultura, e a morte de um pequeno rei que está na fachada simbolizado, uma antiga lenda do Portugal verdadeiro, nao este levado por estas gentes das tretas, bandidos e pedofilos, e fascitas disfraçados de democratas


a segunda parte deste pequeno extracto do progarama crismado com o nome de liberdade, mistura imagens do livro da deportaçao, ou seja do exterminio judeu e a belissima musica de goreki, que recentemente de novo apareceu à baila, associado a uma imagem de dança em lisboa, simbolizada entre outros numa imagem da rainha santa isabel, do milagre das rosas, o mesmo mitologema do mosteiro dos jeronimos, onde dei conta e uma visao de uma senhora que me pareceu ser anglo saxonica que um dia cobriu com um capuz de um roupao, um menino em seu colo e do nevoiro que naquele momento ali se pos

s alvo é rr o da primeira ima ge ms s ub marina arq u ivo da la t ina europa, é uam ima ge m de um c l ip dos del fi ns, ou seja, sj e a o delfim , o pro fess o r

e se bem me lembro est simbolo da imagem da pena foi tambem usado num clip da pilar home de melo feit pelo ze pinheiro

( é se b em me lem bro est si mb olo da ima ge maior da pena, sintra, fo do io do tam am tambem nu m ac iro r mc primeiro ip da pilar, home do melo, cds, feit, cml, p leo do ze pin he iro )


acaba com uma outra imagem de Um Cristo, esfomeado, batido, e torturado


estas imagens foram alvo de um video aqui outrora publicado,onde falei da liberdade e da falta dela, da intolerancia e do amor, e as imagens deste segmento,a acrescentam ainda, nazis


aqui esta noite durante esta vela, o espirito me acrescentou, sobre o tal do 2010, do dia a seguir ao natal, o da praia de sintra, é x te rio rato ps da pedra do mar, e outra vez apareceu novenata e tres como ano, o do cho , beijo invertido em noventa e tres na praia das maças ou por aí, o forte do angulo do vaso em novenata e tres, provavelmente um que estará relacionado com o roubo do canal zero e de outras conceitos de programas e aplicaçoes,

diz kahil gibram,


há muito tempo na mare alta

escrevi com a ponta de meu bastao
...

fi zo en cod din inglesa ad do quadrado de este, e x t rac acto do pro gama zorro do ero de au di en cia, do quadrado da ual, serpente do circulo do vaso do autor, é co au tor, no dia 26, do cor rato da ren teo do circulo do ob do elo do pro gama quadrado da ue est o vaso, é x p eri rim men t ando, ass um me a da data, empresa, à ibn g kapa le sa , o vaso do seja di zorro do me 2010, por gata rama da r tp, c irc culo do quadrado de dia vinte seis, o vaso do seja do ts un am id e do is mi le c inc o, as sima ge en ns q ue a qui se eve, sao tir ira ad as numa da pr aia da lina hd é sintra, é na p rai de carcavelos onda se d eu mu it os ano s mais t arde o ar rasta o, pr eu io do cio de outras b om ba s da ue delas, q ue mat aram me sm o, p o is, o ar rasta o, c omo se s abe,o sabe, fo oi uma mai lu usa sao montada, com esse fim, na ave rda dade n cao home do circulo da uve ne en h um, fo if, cristina coutinho,ruy h ard k ip l ing, ab br e cado p elp men os com a cu mp li cd cidade das televisoes, o q ue ap ponta um das f ac tea sd a id, ser de um g rupo, q ue t ra s ten t ac culos em todas el lea onda serpentes sao ed ds s par aia, as sima ge en ns da pena, sintra, q ue se m ove p elo vento é sta da ima ge maior da pena a use ie eu num v id deo r dela ac cio n ado com da primeira cruxificaçao de O Cristo, e rem te me inda para do circulo do mosteiro de belem , je ro nimo sea da primeira morte de um pequeno rei, q ue é stá na f ac h ad a si mb o l iza x ad o, uma ant tiga l en dad o Portugal ver dade iro, n cao este l eva ad o por e sta s g en t es da serpentes das tretas, ban dido se dos pedo filo serpente a se gun da ap da p da arte d este pe q eu no é x t rac acto do pro gara rama c rato is mad o com do circulo no med e liber da ed, ms it da tura rai ima ge ns dol iv ro a e porta taçao, o vaso do seja dó, é x teresa mino ino do judeu, é a bel iss ima mu sic ad e gor e ki, q ue rec en te mm s amt tie es net de n ov ap ar e c eu a ba ila, as soci ad o a uma ima ge maior ed dança em lisboa, si mb o l iza ad a en t re outros nu ma ima ge maior da raina homem s anta da isabel, do mila gre das rosas, o me sm o mito lo gema do mos te iro dos j ero nimo s, onda dei conta, é uma da visao, de uam s en hora q ue me pa receu serpenet do art o anglo saxonica, q ue um do quadrado do ia cobriu , com um ca ap do pus de um roupao, um me nino em s eu c olo é d o ne v o iro q ue na q u dele moe mn to al ise p + os aca ab a com uma outra rai ima ge maior de U m C r is to, es fom mea ado, bat id o,e tor tura ado
é sta si a mg e n s do foram pt alvo de um v id deo a qui outrora pub lic cado,onda f al lei ei da libe rda dade, é da f al t a d ela, da int tol ler anc ia e do amo rato, é as ima ge ns d este se gm en to,ac r es c ena tm a inda, na zorro do is a qui ie é sta no u te duran te e sta da ave da vela, o es pi rito me ac rec en to u, s ob reo t al do 2010, do dia a se guy irao nata al natal, o da p rai de sintra, é x te rio rato ps da pedra do mar, é outra ave za ap a r e c eu no v en a te t r es c omo ano, o do cho , bei j ho in v eti do dó em noventa e tres na pr ia da sm acas o u por raí, o fo rte do ab bg gula dez do ova do vaso em bn ove en a te tres, pro ova ave le m n te u y maior q ue es tara r dela cc , ac cio n ado com o ro ub o do c ana l z ero é de outras dos c on ce it os de pro g ram ase sea ap lic caçoes, di z kapa a hi primeiro do g ib br ram am, home do acento na primeira à muito tempo atras, na ana do mar é al t a es c rato ps e vi com da primeira da ponta de me eu ba st cao

uma das melhores ideias que concebi para o canal zero em dois mil e um, e que agora encontro corporizada, mais um roubo ou somente alguem que pensou um mesmo

uma das mel ~hor es das ideias, id dee ei às quadrado ue c on ce bi ip para co circulo do c anal zorro do ero em dois mi le primeiro, q ue do agora en c on cruz roco corp pro rato ps iza za ad da primeira~mais, fr, um, do roubo, circulo do vaso da serpente europeu que mente, al gato ue maior do quadrado da ue pen serpente circulo do vaso do mesmo

danilea, dani ile da lea, da ani da elle, a da presentation, o u s e j a sena tati tat it io

es t ri g en s hi rt ts da cruz serpnte das leeves,m o rato g en hi irt ts lee primeiro le eve s re ca ap pt cha, s top s p a m re dd b ook serpente b en vaso a sp , vaso ve prec da ajuda, das putas al dr as das putas ladras do ministerio da cultura

http://www.imvu.com/lp/st.php







como ainda nao chegas te ao jardim de meus abraços
aqui te deixo estas flores
e se quiseres ver dança portuguesa criei para ti um novo canal
.
.
.
.
( é se qui ise ser es ver dn aca porto guesa c rei ip ara rati ti, um n ovo c ana l )
está um filho da puta do ps , a fazer scripts que me dao cabo do acesso as aplicaçoes
policia, vá prende-los , suas putas!!!!
pol ica, vas acento primeira pre ed dn de ibn g l es ingles pr ren dd da puta do mr rio io os serpente ua das putas, o da arte do rato isco, arterisco, da puta do rolo e do orelhas, morram!!!!! )



ah , pela tarde como estava quente amada, de repente saira para a rua ao final da tarde e um bafo quente de verao me envolveu, uma rapariga ao passar, falava de não ter gps, eu me sorri por dentro a fazer grr ao mesmo tempo, uma outra em negro carro virava na curva da infantar quadrado, com os piscas a piscar e era bela na forma como ia sorrindo, como se estivesse dentro de uma especie de beijo, no pingo doce, encontrei uma antiga patinadora, charlize de novo saindo das aguas dos perfumes, muito bela estava ali na esquina a meu passar, e tu doce senhora de meu coraçao, quando chegas, que o calor de fora é sempre o calor em que dentro te trago


a homem do hp da p el t arde cd dc circulo omo est ava q u en te am mad ad da primeira, de rp en te sa da ira pa a ar ua cao fina al da t arde, é um baf circulo do q u en te e eve vera do verao, me en volve eu, uma ra pa riga cao p as s ar, f al ava de n cão teresa gata do ps, eu me sor rato ps ip por dentro, é fi zorro gato do rr cao me sm o teresa mp circulo co, uma outra em negro car ro vaso do ov da ira ava na c ur vaso da ad da primeira do infantar quadrado,beslan, com os piscas a pi serpente care e ra da ab bela lana forma c omo ia sor rato indo, c omo se est iv esse , dentro, rode uma es pe cie de bei j on o ping ingles do circulo doc e, en c on t rei uma ant ti g a ap pt ina ad dor da primeira cha rata l ize de en ovo sa indo das aguas dos perfumes, cc, mu it ob dela estav al ina es q u ina am eu p as sar, e t vaso doc se ss en hor ad em eu cc cora raçao, qua ando che gás, q ue ad ed circulo do calor, fr, de for a é se mp reo c alo rem q ue, dentro, te cruz do rago
olhei a mesa em frente e o meu caderno desenhou de perfil, uma asa de aviao, a ressoar na id e no narrado que o espirito aqui me desvelara, sobre o 747 e ainda o tupolev, da grande matança, por debaixo da mesa , visivel, era o rectangulo das quatro tomadas electricas, as tomadas da queda do aviao, enfiaram-lhe um prego, assim comprendi em espirito, resta saber onde, se nao fosse a imagem clara por si mesmo, na esquina, onde se assenta o rabo, contudo esta precisa linha , será mais tarde desenvolvida, mas nao deixou de reverbar na esquina do palacio, o rapaz do porche e tambem na imagem da rapariga que em fim de semana recente descia a av infante santo, as tomadas que reflectiam ainda um outro fio


circulo do primerio he ia am mesa, mad rid r id madrid, em fr en tee om eu cade rato no de en ho vaso de per rf fil, uma asa de avia circulo, a r esso da ar na id, é no na rr ado duque q ue o es pe it io a qui me de eve l av ra, s ob reo circulo do 74 7 ,é a inda o t up lol l e vaso da grande matança, por de ba ix o da mesa , vaso da isi iva vaso ei is se do ram do circulo do rectangulo, das quatro, tom a ad as dele, circulo rt tica das sas das tomadas do quadrado da primeira, é dp da queda do aviao, en fia aram do traço ingles, l he um p rego , as si mc om da p da ren da di em espanhola do pe it io, rato ior es sta , saber onde, se n º cao da fosse da sea da primeira rai imagem da mc da clara por si me sm on primeria espanhola quadrado do vaso ina, onda da se assenta, é circulo do r ab circulo, circulo on tudo, é sta do pre da cisa da lina homem da se sd do rá ma si it cruz arde do quadrado espanhol , serpente en volv id primeira, ma serpente na º elevada de ix circulo do vaso der eve r b ar na es qaudrado do vaso do ina do pal ac cio, circulo do ra ap zorro do porche e eta tam am tambem na ima ge maio da ra pr a riga, é quadrado da ue em fi maior de se man rec en ted quadrado da espanhola cia da primeira da av infante santo, fam da teresa red ás serpente anto às tomas quadrado da ue rato da efe, o do fel circulo 101 da teia am da primeira inda quadrado da ue ref fl le circulo da ti da am da primeira inda de um outro fi do circulo


mais uma vez a imagem de asas e dos avioes, e das minhas mesas e dos simbolos que aqui se tem nelas exprimido, nomeadamente nas leituras da queda das torres, onde curiosamente a tv que
aparece no video da queda do muro, é a mesma que em cima desta onde escrevo, está


ma si uma ave za ima ge maior da as da asa e dos avio es, é das min homem às das mesas, é dos si mb olo s q ue a qui sete maior nelas e x pr im id o, noe ema mad dam am , a que mente nas lei turas da queda das torre sm, onda dec cu ur rio psd p oto top sam a que mente, a tv quadrado da ue a pr e c en o v id deo da queda do muro, é a me sm a q ue em c ima de sta da onda es c r evo cruz ruiz rago


e me lembrei ao ver esta asa que se figurava no meu caderno, de uma outra assinatura que se expressara na agencia ao pe do marques de pombal, do tal que aparecera agora na imagem do apolo

e me lem br ei cao ver sta asa q ue se figu ur rato av no me u cd der no, de uma outra as sina tura q ue se express sara na a g en cia cao pedo do marques de pombal, do t al q ue par e cera agora ana na ima ge maior do apolo, na bi b l ia, onda deo do circulo dog rupo dos rapazes, de sen homem cao p delta do semem do mon t ro das aguas, o vaso seja do ts un am io do luis marques, cu j as sin in cia si a pp ar e cem nu ma cortez es code cig ar ro se pr nete do q ue e sta de it ado dona pr ia, aveiro connection, c on nec ti io


na biblia, onde o grupo dos rapazes desenha o delta do semem do monstro das aguas, ou seja do tsunami, o luis marques, cujas iniciais aparecem no maço de cigarros do que está deitado na
praia,

ba b ibl ia , onda deo do circulo do do g do rup , o dos raapzes, de senha do circulo do delat do semem do monstro das aguas, circulo do vaso do seja , o do tsunami, circulo 101 do luis marques, cu j as in nic cia is ap par recvem no maço , de dec cigar ros doque eu e sta acento delta d circulo do deitado, dona pr aia

p o is c alha ra ser uma da agencias, a primeira q ue maior do fo ia pr e sw en tar aro do c anal ze zorro do ero ant es do se pr rn te eu lan ç am en to, e ant es de se ro ub bad ad o e eve maior dido a q ue deles, q ue fi ze ram circulo do delta do circulo do vaso do tube, metro londres bum, uma da ap da p lic do caçao homem oje ava la id o em mais.fr, de um bil ia ciculo de dol ares, e de posi neste cruz do pais,tvi, em vaso e zorro de ap o ia aro os q ue t ar ze m ino ova ovoçao, discografica, com g rande impacto, fina ac e iro, rose pro pmo ove ema as bestas, q ue ge rem as pt se a fi ns com reg galias de es can do quadrado do alo


ali estava na sala de reunioes dessa agencia debaixo de uam mesa de vidro temperado talvez com dois ou mais centimetros de espessura a ligar um projector para fazer a apresentaçao, quando me levanto, a cabeça bate na mesa e um pedaço se partiu ao instante, o rapaz muito preocupado se eu me magoara e coisa e tal, eu que nao, acrescentava que estava já rachada, e agora esta imagem me subia na memoria, a reverbar ainda numa asa de vidro que em casa da familia ao que parece uma noite caira, assim me disse a puta que me trás o filho roubado, ou seja uma ligaçao entre ele e ela via as agencias via a profissao dela, se a tal se pudesse chamar, como directora de imagem na altura do icep


al lie estav na sala, rr, de r eu ni o es dessa agencia, a gi en cia de ba ix o de uam mesa, madrid, de v id ro te me prado es p esso, t al ve com dois, ou mais fr c en tim metros de es p es sura a l li g ar um por ject tor para f ze ra ap rese en taçao, e qua ando me l eva van to, a cabe beça bate na am mesa madri, é um peda aço es se p art ti vaso ua cao isn t ante, o ra p az mu it o pre o cup pado ad se europe me mago ara e co s ia e eta al, eu q ue n cao, acer, ac r es cena tva ra c qaudrado da ue estav j á rac h ad a, é agora e sta ima ge maior da me s ub bia ana me mor ia, ar ve rba a inda nu ma asa sade v id roque em cas da f am mi lia cao q ue pa rece uam no it e ca ira, as si maior me di iss s sea da primeira puta que me tras o filho roubado, o u sj é a primeira de uma liga aç sao es en t re dele e dela, via ás das agencias, via da primeira pro fi do iss sao dela, se t al se p u de w esse cha am mar c omo di rec tora e ima ge mna al tura do circulo do ice p do icp


noventa e tres, ainda de novo neste mesmo momento, o numero do mail desse bandido do psd, aqui publicado, que assim com esse numero na minha caixa de correio do gmail se defeniu,
como a reforçar mais ainda a prova, de onde o passe veio, noventa e tres , grau ipssisimus oto, tambem


no do ove da ingles venta, é t rata es, a inda de en ovo neste me sm do mesmo, mo men to, o nu mer ero do mail de esse do bandido dop a sd, a qui pub lic ad cao adao, q ue as si mc om esse nu mer ero na min homem da primeira da caixa de c or rei io do g mai l as si maior se d efe ni vaso,
c omo a ref for ç zorro rato mais a inda a por v ad e onda deo co circulo do passe veio, velo , vaso elo jason, o de noventa e tres , gato ray, delta do cao au ip ps sis si mus o to, t am tambem


nessa vela, navegando fora dar a uma foto, que me espelhara as mesmas fichas electricas embutidas no chao, e um rapaz de cabelos encaracolados num anfiteatro a perto e branco, em pe
no estrado falando para uma plateia, o pé apontando um semelhante rectangulo de tomadas das embutidas no chao, ali fora parar pelo link de uma noticia do ipad no yahoo sobre limitaçoes ao seu uso nas faculdades, assim rezava, o aparente conteudo, que ecoava a imagem que aqui relatei em video, sobre essas bestas da extrema esquerda e do confranto no ipf, pelo espirito escutei, entao, ser do grupo da tal besta mor responsavel pelas ilusoes, o que está por detras, o que as faz
ness primeira do av da vela, na vega gan ando, for ad da ar a uma, f oto q ue me es p el hara as das mesmas, fic homem as das eletricas, em but id as no cha oe, um ra p ar zorro de cab elos enca rac ola d f os nu m an fit e t onda do tor a pr to e branco, em pe no est ard o fal lan ando para uma plat teresa reia ia, com do circulo do pe ap on t ando, uma seme la homem nt te rec t an gula dez de tom mad as, as das em but id as no cha o, al cc for ap ar a rp elo l in k de uma do ano do not ti cia ad o ip ad no y a h oo, s ob re li mit taçoes cao s eu us on as faculdades, as si mr e z ava, circulo do parente conte vaso do circulo, quadrado da ue e coa ava a ima ge maior q ue a qui rata dela te ie em v id deo, s ob re ess as b es sat ts da e x t rata ema ed ds esquerda, é do c on fr anto no ip fm, p elo es p ei to es cu t ei, en tao, ser do g rupo da t al besta mor r es ponsa ave el p el as ilusoes, o q ue é sta por det ra serpente, circulo quadrado da ue às f az


ontem ao final da tarde ao descer a rua, logo ali em frente ao quarenta e tres onde um pastor alemao sempre ladra por detras dos bordados das cortinas, um jogo de cores no estendal, a
senhora como pondo a roupa a secar, um barulho feito pelo vento me chamou a atençao ao momento, uma revista das caras, ali estava em cima de um caixote de lixo, e as paginas com a
dança do vento fizeram de repente um som como uma suave matraca ou percursao, olhei ao momento, e vi a pagina que poisou naquela especie de roleta, era a catarina com um chapeu preto na cabeça, cc, como uma figura do all that jazz,


on te ema mao fina al da t ã arde cao d es cera da primeira da rua, l ogo al ie em fr en teao cao do quarenta e tre de sm, onda um do pastor alemao, se mp re l ad ra por det ra serpente dos bo rda dados das cor t ina serpente de um jogo de cor es no est en d al, a s en hor ac omo p on do primeira ro upa a sec ar, um ba ru l ho, feito, pe elo do ove do en vento, me cha am mo e ua a t en sao es cao mo men to, uma rata e vita das caras, al lie es west ava em c ima de um ca ix o te de l ix o, é as pa gina sc om a dn circulo es da primeira ad do circulo do ove do vento, fi ze ram de r ep en te um s om c omo uma s ua asve mat rac cao do vaso da per c ur ursa sao, ol he ia circulo lodo do circulo omo mo men to, e vi via da primeira pa g ima q ue p oi iso un dn daquela, es pe cie de r ero ole eta, e ra cc cat ar t ina com um cha p eu do preto na cab beça, cc, c omo uma figo ur ra ad dó a ll t hat do jazz,


já na passagem da noite da liberdade roubada em vespera, ali na av de ninguens, olhei eu ao momento os jovens ao fundo a porta da garage, um casal atravessava a rua mais ao perto, de repente a saia da rapariga se enfunou, a me dizer que esta besta do ra da cc do quatar, que deve ser entao o tal do predio do largo trinta e um da armada, com matricula marroquina, andava activo, a lançar cios, as cançoes na radio suspiravam o mesmo tema, subtis provocaçoes, tu que nao sabes seguir os passaros de fogo e bla e bla e bla sem coisa nenhuma e cobardes que agem em forma anonima,

putas que vos pariu, que o eterno inferno vos seja quentinho


j do acento da ana p as sage maior da do ano da noite, 2005, da lib e rdade ro ub bad ad a em v es pera, al ina av de nin g u en ns, o l he ei eu cao mo men to os j ov en sao fun dó priemira da porta da gara da rage, um ca s al at ravessa ava a rua serpente mais per to, de r ep en tea primeira s ia ad a rapariga, se en fun o ua me ize rato q ue desta besta, do ra da cc do quatar, quadrado da ue dd eve ser en tao do circulo do t al do pr dio do l argo t rina te um da ar am mad ac om mat ricula mar roc u ina, anda av ac ti cv o, a l an ç ar cios, as can cç o es na ra di o s us pira ave emo meso t ema, s ub t is por v o caçoes, t u q ue nº cao s abe es se gui iro os passaros de f ogo e b k la eb primeira e b l a se mc o isa n en h uma e co bar ard es q ue a ge maior em forma ano nima, pu it as q ue v os pari vaso, quadrado da ue oe ter no in fer no vaso serpente do circulo do seja dd quadrado do vaso do en tinho


lembrou-me contudo este ver, para alem das referencias à volta da av de ninguens aqui descritas no livro da vida relacionadas com a assinatura da matança em atocha, a rapariga do velo de
jason e da margarida na cabeça, pois fora ali em frente à garage que a vira uma vez ao passar e me lembrei, que creio, ser ela, que uma noite estava ali como farta de eseprar na esquina do palacio das necessidades, como se esperasse um amigo ou namorado que se atrasara, agora, todos estes fios se misturam, nestes locais, mne, av infante santo e alcantara, e a tal imagem que se formara no espirito bem recente de que lhe tinham enfiado um prego, que tanto poderia ser com ela ou com a que descia a av infante santo, com ar meio espavorido numa madrugada recente, um passe, certamente de alguem a querer algo assim insinuar, um perfume de abusos, como as cuecas manchadas de adoloscentres que um dia deixaram na amurada do jardim


lem br o u do traço da inglesa me c on tudo este ver, para al lem das refer rte cn ia sa v o l t ad a av de nin g u en s aqui d es c rita s no l iv roda david a, r fel dea ac cio n ada s com a as sina tura da matança em atocha, a ra pa riga do ove do velo, de jason, é dana mar gar rid ana cab beça, p o is for a al i em fr en te à gara rage q ue a av vaso ira, uma ave z cao p as serpente rato ps e me lem brei, q ue c reio ser dela, q ue uma ano da noite, est ava al e c omo fa rta de es pr ar na es q u ina do pala ac cio das necessidades, c omo se es pera asse um a mig o o un am mora a sd o q ue se at ra sari a, agora , todos estes fios ss, mi s t ur am, nest es loca si do mne, av infante santo e al can tara, é primeira tali ima mage maior do q ue da se for mar ano es pito b em rec en ted deque eu l he tinha ham am m en fia circulo do primeiro prego, quadrado da ue t anto pode ria ser com ela, o vaso do com da primeira rac quadrado da ue d es cia da primeira da av infante santo, com ar me io es pa av o rid o nu ma mad ru gada rec en te, um p ass se, ce rta tam am , a que mente, dea al g ue ema primeira q ue re a l goa ss em in sin u ar, uma perfume , cc, de ab bus os, c omo as cu e cas machada serpenet de ad di gita al l os c en t ratos es, q ue um dia d ei x ram na am ur ad ad o jardim

como disse este ponto sera posteriomente abordado, pela imagem do tal do porche negro que por ali parava

c omo di iss se de este ponto, se ra poste rio mn te ab o rato dd o, p dela, ima ge maior do t al do po rc he negro q ue por al ip ar da ava


hoje de novo durante o dia a mesmo passe, aqui e baixo, na tal casa onde uma se ri em forma metalica sempre da mesma forma, como louca, eu a dormir, acordado por marteladas, marteladas que sao falsas marteladas, isto é , nao creio servir para martelar seja o que for, ou entao mais, tipo pregos simbolicos, ao final do dia desci lá baixo, na porta um desenho colado na porta, onde se ve o mesmo simbolo da cobra do lago lock ness, como na imagem do apollo da biblia, alguem lhes pagará para não me deixarem descansr, assim me disse meu coraçao

homem do oje de en ovo duran teo circulo do dia, primeira do mesmo passe, a qui e ba ix on a t al casa onda de uma da se rato do ie em forma met al ica se mp red dam am da mesma forma, circulo do omo lou ca, eu primeria dor mir, russia, aco rda dado por mr tela ad as, mar tela ad ds q ue da sao f alsas mat ratas dela , ladas, is to é , n cao c reio ser vi rp para mar tela rato seja do circulo 101 do q ue for, ou en tao mais fr, t ip o pr egos si mb io lic os, ao fina al do dia de es ci l á ba ix on a porta, cds, um de s en ho c ola lado dona porta, onda da se eve do circulo do mesmo si mb olo da cobra dol lago antigo lo ck ness, c omo na ima ge maior do apollo da b ibl ia al g ue ml homem es pa gará para n cão me de ix ar rem de es can serpente do rato tor, as si maior da me di iss serpente da se me vaso da cora raçao

tomadas, aqui agora mesmo ao publicar, um anuncio no blog me diz, assis , ps , ten cias do vinte e quatro horas, hor às do vinte e qautro, puta que vos pariu, puta q ue vaso os pari pa do rio, psd

olhei a mesa em frente e o meu caderno desenhou de perfil, uma asa de aviao, a ressoar na id e no narrado que o espirito aqui me desvelara, sobre o 747 e ainda o tupolev, da grande matança, por debaixo da mesa , visivel, era o rectangulo das quatro tomadas electricas, as tomadas da queda do aviao, enfiaram-lhe um prego, assim comprendi em espirito, resta saber onde, se nao fosse a imagem clara por si mesmo, na esquina, onde se assenta o rabo, contudo esta precisa linha , será mais tarde desenvolvida, mas nao deixou de reverbar na esquina do palacio, o rapaz do porche e tambem na imagem da rapariga que em fim de semana recente descia a av infante santo, as tomadas que reflectiam ainda um outro fio



circulo do primerio he ia am mesa, mad rid r id madrid, em fr en tee om eu cade rato no de en ho vaso de per rf fil, uma asa de avia circulo, a r esso da ar na id, é no na rr ado duque q ue o es pe it io a qui me de eve l av ra, s ob reo circulo do 74 7 ,é a inda o t up lol l e vaso da grande matança, por de ba ix o da mesa , vaso da isi iva vaso ei is se do ram do circulo do rectangulo, das quatro, tom a ad as dele, circulo rt tica das sas das tomadas do quadrado da primeira, é dp da queda do aviao, en fia aram do traço ingles, l he um p rego , as si mc om da p da ren da di em espanhola do pe it io, rato ior es sta , saber onde, se n º cao da fosse da sea da primeira rai imagem da mc da clara por si me sm on primeria espanhola quadrado do vaso ina, onda da se assenta, é circulo do r ab circulo, circulo on tudo, é sta do pre da cisa da lina homem da se sd do rá ma si it cruz arde do quadrado espanhol , serpente en volv id primeira, ma serpente na º elevada de ix circulo do vaso der eve r b ar na es qaudrado do vaso do ina do pal ac cio, circulo do ra ap zorro do porche e eta tam am tambem na ima ge maio da ra pr a riga, é quadrado da ue em fi maior de se man rec en ted quadrado da espanhola cia da primeira da av infante santo, fam da teresa red ás serpente anto às tomas quadrado da ue rato da efe, o do fel circulo 101 da teia am da primeira inda quadrado da ue ref fl le circulo da ti da am da primeira inda de um outro fi do circulo



mais uma vez a imagem de asas e dos avioes, e das minhas mesas e dos simbolos que aqui se tem nelas exprimido, nomeadamente nas leituras da queda das torres, onde curiosamente a tv que
aparece no video da queda do muro, é a mesma que em cima desta onde escrevo, está



ma si uma ave za ima ge maior da as da asa e dos avio es, é das min homem às das mesas, é dos si mb olo s q ue a qui sete maior nelas e x pr im id o, noe ema mad dam am , a que mente nas lei turas da queda das torre sm, onda dec cu ur rio psd p oto top sam a que mente, a tv quadrado da ue a pr e c en o v id deo da queda do muro, é a me sm a q ue em c ima de sta da onda es c r evo cruz ruiz rago


e me lembrei ao ver esta asa que se figurava no meu caderno, de uma outra assinatura que se expressara na agencia ao pe do marques de pombal, do tal que aparecera agora na imagem do apolo


e me lem br ei cao ver sta asa q ue se figu ur rato av no me u cd der no, de uma outra as sina tura q ue se express sara na a g en cia cao pedo do marques de pombal, do t al q ue par e cera agora ana na ima ge maior do apolo, na bi b l ia, onda deo do circulo dog rupo dos rapazes, de sen homem cao p delta do semem do mon t ro das aguas, o vaso seja do ts un am io do luis marques, cu j as sin in cia si a pp ar e cem nu ma cortez es code cig ar ro se pr nete do q ue e sta de it ado dona pr ia, aveiro connection, c on nec ti io



na biblia, onde o grupo dos rapazes desenha o delta do semem do monstro das aguas, ou seja do tsunami, o luis marques, cujas iniciais aparecem no maço de cigarros do que está deitado na
praia,

ba b ibl ia , onda deo do circulo do do g do rup , o dos raapzes, de senha do circulo do delat do semem do monstro das aguas, circulo do vaso do seja , o do tsunami, circulo 101 do luis marques, cu j as in nic cia is ap par recvem no maço , de dec cigar ros doque eu e sta acento delta d circulo do deitado, dona pr aia


p o is c alha ra ser uma da agencias, a primeira q ue maior do fo ia pr e sw en tar aro do c anal ze zorro do ero ant es do se pr rn te eu lan ç am en to, e ant es de se ro ub bad ad o e eve maior dido a q ue deles, q ue fi ze ram circulo do delta do circulo do vaso do tube, metro londres bum, uma da ap da p lic do caçao homem oje ava la id o em mais.fr, de um bil ia ciculo de dol ares, e de posi neste cruz do pais,tvi, em vaso e zorro de ap o ia aro os q ue t ar ze m ino ova ovoçao, discografica, com g rande impacto, fina ac e iro, rose pro pmo ove ema as bestas, q ue ge rem as pt se a fi ns com reg galias de es can do quadrado do alo


ali estava na sala de reunioes dessa agencia debaixo de uam mesa de vidro temperado talvez com dois ou mais centimetros de espessura a ligar um projector para fazer a apresentaçao, quando me levanto, a cabeça bate na mesa e um pedaço se partiu ao instante, o rapaz muito preocupado se eu me magoara e coisa e tal, eu que nao, acrescentava que estava já rachada, e agora esta imagem me subia na memoria, a reverbar ainda numa asa de vidro que em casa da familia ao que parece uma noite caira, assim me disse a puta que me trás o filho roubado, ou seja uma ligaçao entre ele e ela via as agencias via a profissao dela, se a tal se pudesse chamar, como directora de imagem na altura do icep



al lie estav na sala, rr, de r eu ni o es dessa agencia, a gi en cia de ba ix o de uam mesa, madrid, de v id ro te me prado es p esso, t al ve com dois, ou mais fr c en tim metros de es p es sura a l li g ar um por ject tor para f ze ra ap rese en taçao, e qua ando me l eva van to, a cabe beça bate na am mesa madri, é um peda aço es se p art ti vaso ua cao isn t ante, o ra p az mu it o pre o cup pado ad se europe me mago ara e co s ia e eta al, eu q ue n cao, acer, ac r es cena tva ra c qaudrado da ue estav j á rac h ad a, é agora e sta ima ge maior da me s ub bia ana me mor ia, ar ve rba a inda nu ma asa sade v id roque em cas da f am mi lia cao q ue pa rece uam no it e ca ira, as si maior me di iss s sea da primeira puta que me tras o filho roubado, o u sj é a primeira de uma liga aç sao es en t re dele e dela, via ás das agencias, via da primeira pro fi do iss sao dela, se t al se p u de w esse cha am mar c omo di rec tora e ima ge mna al tura do circulo do ice p do icp
noventa e tres, ainda de novo neste mesmo momento, o numero do mail desse bandido do psd, aqui publicado, que assim com esse numero na minha caixa de correio do gmail se defeniu,
como a reforçar mais ainda a prova, de onde o passe veio, noventa e tres , grau ipssisimus oto, tambem
no do ove da ingles venta, é t rata es, a inda de en ovo neste me sm do mesmo, mo men to, o nu mer ero do mail de esse do bandido dop a sd, a qui pub lic ad cao adao, q ue as si mc om esse nu mer ero na min homem da primeira da caixa de c or rei io do g mai l as si maior se d efe ni vaso,
c omo a ref for ç zorro rato mais a inda a por v ad e onda deo co circulo do passe veio, velo , vaso elo jason, o de noventa e tres , gato ray, delta do cao au ip ps sis si mus o to, t am tambem
nessa vela, navegando fora dar a uma foto, que me espelhara as mesmas fichas electricas embutidas no chao, e um rapaz de cabelos encaracolados num anfiteatro a perto e branco, em pe
no estrado falando para uma plateia, o pé apontando um semelhante rectangulo de tomadas das embutidas no chao, ali fora parar pelo link de uma noticia do ipad no yahoo sobre limitaçoes ao seu uso nas faculdades, assim rezava, o aparente conteudo, que ecoava a imagem que aqui relatei em video, sobre essas bestas da extrema esquerda e do confranto no ipf, pelo espirito escutei, entao, ser do grupo da tal besta mor responsavel pelas ilusoes, o que está por detras, o que as faz
ness primeira do av da vela, na vega gan ando, for ad da ar a uma, f oto q ue me es p el hara as das mesmas, fic homem as das eletricas, em but id as no cha oe, um ra p ar zorro de cab elos enca rac ola d f os nu m an fit e t onda do tor a pr to e branco, em pe no est ard o fal lan ando para uma plat teresa reia ia, com do circulo do pe ap on t ando, uma seme la homem nt te rec t an gula dez de tom mad as, as das em but id as no cha o, al cc for ap ar a rp elo l in k de uma do ano do not ti cia ad o ip ad no y a h oo, s ob re li mit taçoes cao s eu us on as faculdades, as si mr e z ava, circulo do parente conte vaso do circulo, quadrado da ue e coa ava a ima ge maior q ue a qui rata dela te ie em v id deo, s ob re ess as b es sat ts da e x t rata ema ed ds esquerda, é do c on fr anto no ip fm, p elo es p ei to es cu t ei, en tao, ser do g rupo da t al besta mor r es ponsa ave el p el as ilusoes, o q ue é sta por det ra serpente, circulo quadrado da ue às f az
ontem ao final da tarde ao descer a rua, logo ali em frente ao quarenta e tres onde um pastor alemao sempre ladra por detras dos bordados das cortinas, um jogo de cores no estendal, a
senhora como pondo a roupa a secar, um barulho feito pelo vento me chamou a atençao ao momento, uma revista das caras, ali estava em cima de um caixote de lixo, e as paginas com a
dança do vento fizeram de repente um som como uma suave matraca ou percursao, olhei ao momento, e vi a pagina que poisou naquela especie de roleta, era a catarina com um chapeu preto na cabeça, cc, como uma figura do all that jazz,
on te ema mao fina al da t ã arde cao d es cera da primeira da rua, l ogo al ie em fr en teao cao do quarenta e tre de sm, onda um do pastor alemao, se mp re l ad ra por det ra serpente dos bo rda dados das cor t ina serpente de um jogo de cor es no est en d al, a s en hor ac omo p on do primeira ro upa a sec ar, um ba ru l ho, feito, pe elo do ove do en vento, me cha am mo e ua a t en sao es cao mo men to, uma rata e vita das caras, al lie es west ava em c ima de um ca ix o te de l ix o, é as pa gina sc om a dn circulo es da primeira ad do circulo do ove do vento, fi ze ram de r ep en te um s om c omo uma s ua asve mat rac cao do vaso da per c ur ursa sao, ol he ia circulo lodo do circulo omo mo men to, e vi via da primeira pa g ima q ue p oi iso un dn daquela, es pe cie de r ero ole eta, e ra cc cat ar t ina com um cha p eu do preto na cab beça, cc, c omo uma figo ur ra ad dó a ll t hat do jazz,
já na passagem da noite da liberdade roubada em vespera, ali na av de ninguens, olhei eu ao momento os jovens ao fundo a porta da garage, um casal atravessava a rua mais ao perto, de repente a saia da rapariga se enfunou, a me dizer que esta besta do ra da cc do quatar, que deve ser entao o tal do predio do largo trinta e um da armada, com matricula marroquina, andava activo, a lançar cios, as cançoes na radio suspiravam o mesmo tema, subtis provocaçoes, tu que nao sabes seguir os passaros de fogo e bla e bla e bla sem coisa nenhuma e cobardes que agem em forma anonima,
putas que vos pariu, que o eterno inferno vos seja quentinho
j do acento da ana p as sage maior da do ano da noite, 2005, da lib e rdade ro ub bad ad a em v es pera, al ina av de nin g u en ns, o l he ei eu cao mo men to os j ov en sao fun dó priemira da porta da gara da rage, um ca s al at ravessa ava a rua serpente mais per to, de r ep en tea primeira s ia ad a rapariga, se en fun o ua me ize rato q ue desta besta, do ra da cc do quatar, quadrado da ue dd eve ser en tao do circulo do t al do pr dio do l argo t rina te um da ar am mad ac om mat ricula mar roc u ina, anda av ac ti cv o, a l an ç ar cios, as can cç o es na ra di o s us pira ave emo meso t ema, s ub t is por v o caçoes, t u q ue nº cao s abe es se gui iro os passaros de f ogo e b k la eb primeira e b l a se mc o isa n en h uma e co bar ard es q ue a ge maior em forma ano nima, pu it as q ue v os pari vaso, quadrado da ue oe ter no in fer no vaso serpente do circulo do seja dd quadrado do vaso do en tinho
lembrou-me contudo este ver, para alem das referencias à volta da av de ninguens aqui descritas no livro da vida relacionadas com a assinatura da matança em atocha, a rapariga do velo de
jason e da margarida na cabeça, pois fora ali em frente à garage que a vira uma vez ao passar e me lembrei, que creio, ser ela, que uma noite estava ali como farta de eseprar na esquina do palacio das necessidades, como se esperasse um amigo ou namorado que se atrasara, agora, todos estes fios se
misturam, nestes locais, mne, av infante santo e alcantara, e a tal imagem que se formara no espirito bem recente de que lhe tinham enfiado um prego, que tanto poderia ser com ela ou com a que descia a av infante santo, com ar meio espavorido numa madrugada recente, um passe, certamente de alguem a querer algo assim insinuar, um perfume de abusos, como as cuecas manchadas
de adoloscentres que um dia deixaram na amurada do jardim
lem br o u do traço da inglesa me c on tudo este ver, para al lem das refer rte cn ia sa v o l t ad a av de nin g u en s aqui d es c rita s no l iv roda david a, r fel dea ac cio n ada s com a as sina tura da matança em atocha, a ra pa riga do ove do velo, de jason, é dana mar gar rid ana cab beça, p o is for a al i em fr en te à gara rage q ue a av vaso ira, uma ave z cao p as serpente rato ps e me lem brei, q ue c reio ser dela, q ue uma ano da noite, est ava al e c omo fa rta de es pr ar na es q u ina do pala ac cio das necessidades, c omo se es pera asse um a mig o o un am mora a sd o q ue se at ra sari a, agora , todos estes fios ss, mi s t ur am, nest es loca si do mne, av infante santo e al can tara, é primeira tali ima mage maior do q ue da se for mar ano es pito b em rec en ted deque eu l he tinha ham am m en fia circulo do primeiro prego, quadrado da ue t anto pode ria ser com ela, o vaso do com da primeira rac quadrado da ue d es cia da primeira da av infante santo, com ar me io es pa av o rid o nu ma mad ru gada rec en te, um p ass se, ce rta tam am , a que mente, dea al g ue ema primeira q ue re a l goa ss em in sin u ar, uma perfume , cc, de ab bus os, c omo as cu e cas machada serpenet de ad di gita al l os c en t ratos es, q ue um dia d ei x ram na am ur ad ad o jardim
como disse este ponto sera posteriomente abordado, pela imagem do tal do porche negro que por ali parava
c omo di iss se de este ponto, se ra poste rio mn te ab o rato dd o, p dela, ima ge maior do t al do po rc he negro q ue por al ip ar da ava