quinta-feira, julho 15, 2010

acusaçao contra os conspiradores,V

u l t i m a p arte de c i n c o d o tex t o q ue c ham ei , ac usa ção contra os co ns pira dor es


http://ourosobreazul.blogspot.com/2010/07/acusacao-contra-os-conspiradores-iv.html
http://ourosobreazul.blogspot.com/2010/07/acusacao-contra-os-conspiradores-lll.html
http://ourosobreazul.blogspot.com/2010/07/acusacao-contras-os-conspiradores-ll.html
http://ourosobreazul.blogspot.com/2010/07/acusacao-contra-os-conspiradores-l.html


provavelmente entao relacionado com o roubo do meu antigo conceito e ideia , a dos cartoes de credito e ainda de muitas outras, pois ontem nas noticas comentadas sobre as scuts aflorava tambem na imagem e veu desta ilusao, os misseis que aqui me enviaram constancia durante esse ano a pretexto das as tais obras na casa da prieto e dessa bestinha dos futebois do norte, ou seja do roubo da ideia da via verde tambem


por pro vaso da ave, ele mn te en tao rato dela , do ac cio n ado com do circulo do roubo do meu antigo c on ce tito, é id dei ia , ad os c art o es de c red it dito e a inda de mu it as outras, p o is on te mnas ni ticas co mena td as s ob re as s cu ts a flor ar vaso da primeira rat t am tambem na ima ge me eve v eu de sta da ilusao, os miss e isque eu aqui, me en via ram em co sn tan cia duran teresa esse dessa ano, primeir pre tex t o das a tasi o b r a s na cas da pr ie t toe é dessa bes tinha dos futebois do norte, o vaso do seja douro ub boda id e ia da via verde t am tambem


prieto, tambem filha de um homem que foi dirigente de um dos maiores clubes de futebol de portugal

pr ie to, t a m tambem na fil , homem da primeira de um homem, qaudrado da ue fo id di do rig en te de um dos maio ratos es circulo do lub ub do espanhol,. o de fu te b ol de porto vaso do g da al


na linha do apareciemnto deste texto do ff, tambem a linha do egipcio, na noticia aqui comentada sobre o papel da nasa, e ao olha-lo não deixo de ver nele uma face egipcia tambem, ou seja relacionado com os assuntos que a notica trata e que forma comentados em voz por mim, sendo que agora cima no corte se desvelou, alguem do grupo dele , ou deles, do dn, de dc


na al ina hd o ap ar rec cie mn to d este tex t o do ff, t am tambem a l ina hd do circulo do egipcio, na not ti cia qui com en t ad a s ob reo pa ep el da ana nasa, é cao o l h a do tralçi ingles primeio do circulo dez- n cão de i xo de eve rato ps nele, uma face e g ip cia t am tambem, o vaso do seja rato dela ac cio n ado com os ass un t os q ue ano tica t rata e q ue da forma co men t ad os em vi oz do por da mim, s en doque eu do agora c ima no co rte se d es velo vaso, al g ue maior do g rupo dele , o vaso del es, do dn, de dc



se bem que esta linha se amplifique ainda por outros fios e deduçoes que serao abordados depois, de concluido esta parte da acusaçao de esta faceta da conspiraçao, ou seja do porque , da razoes, e de quem esta por detras desta imensa cortina feita em todos os orgaos de comunicaçao sobre o caso do roubo de meu filho, e dos meus direitos e dos meus rendimentos,


se b em q ue desta da linha se am p li fic ue a inda por outros fi os se dedo ço es q ue se rat cao ab o rda dados d ep o is, de c on c lui do e sta p arte da ac usa çao es de esta f ac eta da co ns pira raçao, o u seja do por q ue , da ar zo es, é deque maior desta, a por detras de sta e men sa cor tina , feita, em todos os orgaos de co muni caçao s ob reo caso do orubu, o de meu filho, é d os meus direitos, spa, e dos me us ren dim en t os


pois esta linha das torres, tambem ela faz parte de uma imensa teia complexa com que tentam cobrir as reais relaçoes com esta matança!


P o is e sta da linha das torres, tam am tabem ela f az p arte de uma mai men sa te ia co mp le xa com q ue t en tam co br ira s rea is relaçoes com e sta da mata ança es da matança,!


Volto entao de novo ao ponto onde estava, dizendo que existe um poderoso grupo com ligaçao aos clubes que foi financiado ilegalmente pelos partidos atraves de uma operaçao feita pela televisao publica, ou seja um normal porcesso dos corruptos que desviam o dinehiro por negocios distintso feitos pelos orçamentos das casa publicas e institutos, á imagem de tantos outros que aqui tenho denunciado em constancia, todos eles à espera de justiça, e as gentes sempre cada vez mais roubadas e carregadas com impostos para pagar este forrobodo de muitos poucos bandidos fascistas


Vaso circulo do rim rio circulo do en tao de n ovo cao do ponto onda est ava, di zen doque ue , e xis te um pod ero sg rupo com liga do ac sao a os c lub es q ue fo cc fina cia ando ile gal lem n te p elos partidos, at r av es de ema má da opera raçao , feita, p dela , a televisao publica, o vaso do seja um norma al por c esso dos cor ru pt os q ue d es via amo circulo do dinheiro, dine hi do iro rop dp por dos negocios, n psi cio s di s t int ts o , feitos, p elos orça es men t os das c asa pub l cias se in s ti u t top ps, á ima ge maior de t ant os outros quadrado do vaso do delta, e, a qui t en ho de n un cia ado em co ns tan cia, todos eles à es pera de justiça, é ás g en t es e mp re cd ave zorro massi ro pub bd d ad as se ca rr ged as com i mp ps s oto p+a ra pa g ar este for robo bodo de mu it os poucos ban dido serpentes ds fascistas


pois é evidente que não foram unicamente razoes politicas que foram motivo dos que me tentaram matar, na realidade, foram sempre diversos, ao longo de diveros tempos de minha vida , se pensar que a primeira tentativa de quem me lembro fora uma tentativa de linchamento era eu ainda menino, no norte, como aqui uma vez o narrei, com a implicaçao e o mando da igreja catolica, mas com o passar dos dias outras interesses e motivaçoes criaram, noemadamente aquelas que derivam do plano economico, e dos roubos impunes e amplamente provado aqui, ou seja trazendo a cobertura de muitos e igualmente dos que se dizem ser autoriedades, corruptos que por sua vez mamam, quanto mais não seja ao nivel dos conceitos e da sua traduçao politica


p o is é e vaso id dente ingles madeira , bum, q ue n cão do for am unica, mente , por r az o es politicas, q ue fo ram mo t ivo do s q ue me t en t aram mata da ar do rato s ps, na rea l id ad e, foram, pt, se mp re d iv e r s os, cao l ong gode di v ero s te mp os de min h a v id a , se pen s ar sarque, t ub barao , a primeira da t en t at iva deque maior da me lem br o for a uma, t en tat iva de linc ham en to e ra eureopeu a inda me nini circulo, no do norte, c omo a qui uma v e zo na rr ei, com da primeira da mp lic caçao, é circulo do mando, o da igreja catolica, mas c omo p ass ar dos dias, psd, outras inter esse es se m ot iva ço es c ria aram, noe ema mad ad dae m tne, aquelas que der do ivam do pal no economico, é dos roubos s i mp une se am p lam am , a que mente, por v ad o a qui, o vas do sej, mc, t r az en da primeira cobertura de muitos , e ig ual lem n te d os q ue se di ze maior ser au tori ed ad es, cor ru pt os q ue por s ua v es zorro mam am, qua anto mais, fr, n cão do seja cao do nivel , o dos c on c ei t o seda s ua t r ad duc sao espanhola politica


como acabra de emergir na justaposiçao de um dos pedaços da ulitma grande conversa gravada, onde por debaixo, se desvelava a confimaçao deste interesses economicos, neste caso, o valor dos meus arquivos audiovisuais que tem sido paulatinamente roubados inclusive aqui de casa pelos diversos grupos que aqui regularmente entraram


c omo aca br a de mer gi rata na just ap posi sic sao es, de um dos ped aços es da u l it mag rande da conversa gravada, onda por de ba é xo, se d es vela lava ava primeira da c on fi maçao d este inter esse es e cono mico s, nest e caso, circulo do valor, o dos meus arquivos audiovisuais, q ue te maior s id o paula tina am , a que mente, ro ub bad ad os inc l us ive a qui id dec casa , p dos elos de di vaso e rato serpente do os sg gatos rupo serpente q ue a qui reg gular, mente, en t rato ps aram


enfim tudo somado, na lei da retribuiçao, razao mais do que sufeciente à ausencia continuada de justiça, para vos matar a todos de vez


en fi maior de tudo s oma mad on a lei da r e t rib u i sao, r aza o mais doque eu s eu fe cie n te à a use sen cia c on tin ua ad a de justiça, para vaso do os matar primeira de todos, de eve vaso e zorro


querida joana, espero que a vida lhe continue bela, sabe, menina, quando comecei a escrever a primeira parte deste texto, se me afigurou na consciencia que a menina casara já gravida, quem diria desta iluminaçao passado tantos anos, a fazer prova de como o amor e a luz é coisa sempre espantosa


q ue rid ida da primeira do cao jo da ana, es pero do ero do roque primeira v id a l he conti tin ue ds da bela, sabe, me nina, qua ando co mece ceia primeira es c reve ra da primeira p arte d este tex to, se me a figu ro un a co ns cien cia q ue primeira da menina ca da sara j á g r av id a, q ue maior da di da ria de aveiro, de sta desta el um mina ina ac sao do p as sado t ant os ano sa f az e r p o r vaso da primeira ad dec c omo co circulo do amo rat ps, é a primeira da luz, é co isa se mp re es pantosa

as


na verdade, sabe menina joana, trago eu diversas suspeitas que existiram sempre umas bestas que andaram a roubar meu semen e o traficaram por dinheiro e outros generos e assim trarei uma quantidade ainda não determinada em sua extensao, de filhos que me sao desconhecidos, quer dizer, se o fossem inteiramente , não poderia saber isto, pois não, sabe como é o valor dos genes, e coiasa assim que os perverso sempre inventam para ganhar os cobres que os levam a cova a todos, pois já há muito tempo que a soluçao desta faceta ficou escrita em ceu elevado, e ninguem escapara, posso afiançar-lhe com grande certeza


na ava vaso e rda dade, sabe, me nina jo ana, t rag circulo do europeu di ver sas s us pe it as q ue e xis tir am se mp re umas bestas, q ue anda ram da primeria a roubar meu semen, é circulo do t ra fi caram, vale de azevedo, por dine hi iro oe o ur t os g ene ero rose e as si maior t rato ar ei , uma qua nt tui id ad e a inda n cão det teresa e r maior da nina ad a em s ua extensao, tipo cabelos, percebe, de fil h os q ue me sao dc on he c id os, q ue rato di ze rato do seo fosse maior da mim inte ira man te , n cão pode ria saber isto, p o is n cão, sabe c omo é circulo do valor, money, dos g ene se co ia sa as si maior q ue os perversos, se mp re in v en tam para gan home da ar os cobres, q ue os l eva vam primeria da cova, ova da primeira rata de todos, p o is j á homem do á mu it o te mp o q ue a sol u sao es desta f ac e tea fi co u es c rita em c eu dele eva ad o, é nin g ue maior es cap ar da primeira, p osso a fian car do traço ingles primeiro dele com g rande ser e cruz za


pois a linha do tempo, do nosso brevisimo namoro, suas ferias de seguida em ibiza, vindo de lá com o aparente homem de sua vida, agora olhando atras, não deixa de me fazer cocegas no pensamento, está a entender


p o isa primeira da lina hd do circulo do tempo, do n osso br e v isi simo na am moro, s ua s ferias em ib iza,v indo dela com do circulo do a ap pr da ren tee h ome maior de s ua v id a, agora o l h ando at r aro da ar ps as, n cão de i xa de me f az e r coc ega gás no pen sam en t o, e stás a en ten der


sabe menina, acabei aqui de evocar uma antiga visao simbolica sobre a arvore da vida ainda por cima incompleta dos tais K do grupo dos sportinguistas, e da implicaçao em diveras matanças pelo mundo que ali aos meus olhos se desvelaram, quando me lembrei de duas maravilhosas, de belas, crianças que um dia aqui encontrei num café com a aparente mae e um que com ela vive, que ao que parece não é pai delas,


s ab +é me nina, aca b ei aq ui de evo car , uma antiga da visao, si mb o lic a s ob rea primeira arvore da vid a, a inda por c ima inc om p lea td os tais, br, K do g rupo dos spor ti bg us sita seda da implicaçao, em di vera ss , ps, mat anças es p elo do mundo doque dali , mao a os me us ol h os se d es vela lara ram, qua ando me lem br ei id é du as mara vil ho as de belas, lugar onde creio seu irmao trazer casa, c ria anças es q ue um dia a qui en c on t rato ps we ino , um do ca fé com da primeira ap ar rec net mae, é um q ue com ela vive, q ue cao q ue ap rece n cão é pa id delas


já as tinha visto, pois andavam na escola aqui dentro do jardim das necessidades, onde mantem os pavilhoes abandonado com quimicos diversos das antigas instalaçoes da direcçao geral das florestas, os via nas vezes com a mae e o pai, e reparara na enorme beleza doce delicada que elas sao, e sobretudo a menina que é a face da irma da mae, que aqui já não se encontra há muito tempo em corpo


j á às da tinha vi is serpente top, p do circulo do is da anda da ava vam da am na es c ola, a qui dn cruz rui roda do jardim das necessidades, onda man te maior os pavilhoes abandonados com dos quimicos, di ver s os das ant ti gás ss sin s t al aço es da direcçao ge rato ps da al das flor desta serpente, os da via na s v e ze s c oma primeria mae , e circulo do pai, e r epa rato ps ara na en o r me da beleza doc e deli c ad a q ue delas sao, é sobretudo da primeira menina q ue é primeira face da irma da mae, q ue a qui j á n cão da se en contra, h á mu it o te mp o em corp circulo


tinha me dado ela o telefone num desses cruzamentos ao final da tarde no jardim das necessidades, e pouco depois, uma pedra da calçada silvara ao lado da minha cabeça uma tarde ali ao passar, e outros zuns zuns escutados pelo espirito nessa altura me levaram a telefonar-lhe, e assim nos encontramos num dos cafes de alcantara, ela muito nervosa, com o actual marido e as duas crianças, eu ao balcao, pedindo algo, o menino se levanta e chega ao pe de mim, com uma folha grande em sua mao, e me disse em sua voz doce e delicada, qualquer coisa como, já reparaste , falta aqui uma folha, eu alucinando de mansinho, por dentro perante a luz daquele dizer que o menino me dizia, que não e coisa e tal, assim ficou a conversa com marta muito nervosa, que passado pouco tempo mudaram do bairro nem sei ao certo para onde,


tinha da me do dado, ela do circulo do tele fon one , nu maior de esses es c r uza men t os cao fina l da t arde bna j ar id maior das necessidades, é p o u co d ep ois, uma pedra da calçada , si primerio da puta do ps , o vara ao l ad o da min homem da primeira, primeiraa cabe bec çoa da espanhola, uma da trade al, é cao p ass da ar, e de outros z un s z vaso da ns , es cu tao ds p elo es pi rito nessa da al tura, me l eva rata ma primeira tele fon rato ps da ar do traço ingles l he, é as si maior nós en cn t ramos nu maior dos ca f es de ala can tara, ela mu it o nervo sa, c om o ac tua l mar id o, é ás dedu de duas crianças, europeu cao, o do bal ala ac cao, ped indo al g dp menino se l eva anta, é chega cao pede da mim, com uma fo l home da primeira g rande em s ua mao, e me di s se em s ua voz doc ee deli c ad a, q ual q ue r co isa c omo, já r epa raste , f al t a au e uma fo l h a, eu al lu cina n do de man sin ho, por d en t ro pera nt e a luz, daquele di ze rato q ue do circulo do menino da me di zorro do ia, q ue n cão e co isa e t ak l, as si maior fi co ua primeira da c on vaso da resa com da marta q ue do passado, p o u co te mp o m jud aram do bairro, ne ms ei cao ce rt o para onda


esta memoria que de novo emergira, aqui contado na altura de seu acontecer, se liga ainda à imagem do grupo K, e fala da partida da monica, ou seja, do envolvimento desse mesmo na morte dela tambem,


e sta me mor ia q ue de n ov e mer gira, a qui contado, dinheiro, na al tura de s eu ac on tec é rato da se da liga a inda à ema treceira mage maior do g rupo do K, e fala da p art id a d da primeira do damo do dam da monica, o vaso do seja, do en volvi ie mn to d esse me sm on primeira am mo rte dela t am tambem


estranho porque nunca soube ao certo quem era o tal pai das duas crianças aparentes da marta lapa, estranho pois lisboa é pequenina e portanto seria logico me ter com ele alguam vez cruzado, e de igual forma nem me lembro de a ter visto alguma vez gravida nas duas gravidez, se é que alguma vez esteve, estranho pois as vezes que lhe perguntei, a achei estranhamente evasiva nas não respostas, mesmo nervosa


est ran j ho por q ue n unc a s o ube cao c rt o q ue mer cao t al pai das du as das crianças, ap a ren t es da m a rta lapa, est rato ran an ho p o is lki da lis boa, do bosa , é p q ue nina e porta nt o serpente da ria do logico, me teresa com dele, al gua am v e zorro c ruza uza ad oe dei, g ual da forma ne maior da me len br ode dea primeria da teresa vi s to al g ua am v é zorro g r av id ana s du as sg gato da ar vide, castelo do bode, dez, se é q ue al gua am v e zoror est teve eve, est rato do anho p o is as v e zorro do ze es q ue l he per gun t ei, a ac h ei est ran ham , q ue mente eva s iva na s n cão r es postas, me sm o ne rata ava vaso do os da primeira


volto à joana e a familia dela, os marques lopes,


te recordaras como nos conhecemos, nessa altura, teria eu ainda duvidas de que tudo o que acontecia, não teria sempre uma razao, estariamos por volta do principio da decada de noventa, e umas noites voces, tu e teu irmao, apareceram no ultimo tango, que era a minha bela cantina das refeirçoes da noite, gargalhada puxa gargalhada e conversa, e assim nos conhecemos


te record ara s c omo nós c on he c emo serpente nessa al tt ur a, teresa ria europeu a inda d uv ida s q ue tudo do circulo q ue ac on tec s se, n cão te ria se mp re uma r aza c irc uk io, est aria amos por v o l t ad o pr inc ip io da dec ads de noventa, é uma s no it es v o c es, t ue te vaso iram circulo, ap ar e ce ram no u l t imo t ang o, q ue e ra primeria min h ab dela, can tina das refe irç o es da no it e, g ra gal h ad a p ux a g r al h ad a, é convers primeira e as si maior nós c on he c emo serpentes


a primeria memoria estranha que aqui apareceu, foi o que o espirito me desvelou sobre uma outra rapariga que uma noite trouxe salvo erro da festa de anos do pedro no tamariz, aqui de novo ecoado no canal dois, até campo de ourique , e que vim a saber à pouco tempo que uma historia de abusos ou algo assim teria sido inventada, na verdade, partia a rapariga para estudar no estrangeio no dia seguinte, curioso modus operativo, tao constante como aqui sempre o desvelei, sobre aqueles que sao usados por outros para me tentarem foder, partem sempre depois do pais por longos periodos, apareceu háuns anos numa capa da revista dos bandidos do dn, a rir-se muito, que bela


a prime ria me mor ia est rata a z anha q ue a qui ap a receu, fo oio q ue do circulo do es pi rito da me d es velo lou vaso s ob re uma outra ra pa riga, q ue uma ano da noite, 2005, t ro ux e s alvo e rr roda da festa de anos do pedro no tam ar iza qui id en v o e coa ado no do canal dois, a té de campo deo do circulo do lodo do urique, banco, é q ue v ima primeira , saber, à p o u co te mp o q ue uma da historia de ab bus o a o vasa al g o as si maior da teresa ria s id o in v en t ad ana ver d ad e, p art ia da primeira rapariga para est u do qaudrado f da ar no est range io no do dia seguinte, o do programa da tv, do bando do antonio pedro vasconcelos, aqui diversas vezes acusado, cu rayo iso mod us o pera rat ivo, tao co ns t ante c omo a qui se mp reo d es vele ei, s ob re aqueles q ue da sao usa sados por outros para me ten t arem fo der, p arte em se mp re d ep o is do pais, tvi, por l ong os pe rio do quadrado do o sapa receu h á un s ano serpente 2005, nu ma cap pada da r e v ista dos bandidos do dn, ar e rato do traço da inglesa se mu it o, q ue b dela


abreviando, que te recordarei, que a esposa do pedro, foi uma das que bem me tratou os dentes a atender aos resultados, curiso caiu-me um outro que me andava a doer há muitos meses, como ves a vida é bela, e tinha na parte lateral da coroa, um buraco perfeitinho feito por broca, mas sabes, a ultima vez que foi a uma, os aparelhos tinham sangue e tudo, donde avaliar a id da broca, parece ser de somenos importancia quando a ordem dos medicos sao pedofilos nazis e não aceitam as queixas que é acto garantido pela lei e o que é isto face ao roubo e a um acto de tortura de um filho


ab br e vian ando, q ue te reco rda rei, q ue a es posa do pedro, fo oi de uma das q ue b em me t rato vaso do os dos dentes, a a ten der a os r es sul t ad os, c ur iso ca eu do traço da inglesa me de um put roque, me anda ava ad oe rato h á mu it os mes es, c omo v es a v id do fa é bela, e tinha na coroa, um v ur aco per feit y in h o , feito, por br roca, mas s abe s, a ul ti am v e zorro q ue fo ia de uma do os ap ar el h s o tinha ham da ms ang ue e tudo, don de ava liar primeira id da broca da pa rece ser de s om en os im porta n cia qua ando da primeira da ordem dos medicos, a sao dos pedofilos nazis, e n cão ac ei t a sm as da qui ie x as q ue é ac ato gara ran t id o p dela , a da lei é circulo do q ue é is to da face cao do roubo e um acto de tor ur ad e um filho


a vida te corre bem, joana, trazes teus filhos se teus sao em teu regaço, sao alegres


teu pai teve negocios, a cadeia dos supermercados do ino, depois assim tipo um conjunto de socidades sobre o nome de novocentista e depois fizeram um banco, o banco privado de investimento


t eu pa it da teve , negocios, n ego cic os, primeira da cadeia dos super meca ad os do ino, d ep o is ass si maio t y ipo um c on jn t o de s cida ed es s ob reo ne moe de n ovo e cen t ista se d ep o is fi ze ram um banco, o banco pr iva ad o de in v est tim en t o


sabes, joana, os bancos não tem mais hoje em dia ouro, portanto basicamente fazem como todos, quando alguem chaga a um balcao e normalmente, apresenta um projecto, um estudo economico, que é analizado, e se aquilo é sustentavel, e o factor de risco, de preferencia de menos cem, pois como sabemos muito ele ousam, com garantias diversas até te penhorarem a camisa e as calças de preferencia, ou seja os bancos privados, fazem um mesmo, dizem assim ao capital internacional temos aqui um conjunto de bons e rentaveis projectos e empresas, nao nos arranja um credito baratinho, e para isto precisam entao de roubar ideias de outros nomeadamente de minha pessoa, pois sao sempre muito rentaveis


s ab es, jo ana, os dos bancos, n cão te maior mais, fr, h oje em dia o ur o, porta nt o ba sica cam nt e f az é mc omo de todos, qua ando al g ue m ce h gata da primeira da, a um bal cao, é norma l mente, ap resen t a um por ject o, um est stud o e cono mico, q ue é anal i zad o, e se a q ui lo é s us t en t ave leo fato tor de rico, de pr efe ren cia de men os c em, p o is c omo s ab emos mu it o dele o usa sam am, com gara ran tias di vera sat, é te lp onze pen hor a rem ema primeira ca misa, é ás c al ç as de pr efr ren cia, o u seja os bancos privados, f az e mairo de um mesmo, di ze maior ass si mao da capital, discoteca dos kkk, inter rn caio n al t emo saqui um com n j un to de bonse r en t ave is pro ject os se empresas, naso nós ar ranja um c red dito it circulo do bar rata do tinho, e para is to pre cisa isa sam am en tao de ro ub ar id e ia s de outros, noe mna da am en te de min hoem primeria hp esso do circulo da primeira da pessoa p o is sao se mp re m u it o rena tve is


e depois se lá fora alguns dos banquinhos foram condenados e em pouco tempo, aqui é o que se ve, pois os nazis estao no poder, a ultima informaçao que se soube, desse porcurador corrupto e vergado aos nazis, fora que se sabia há alguns meses que tinha sido roubado mil e oitecentos milhoes , que tinha recuperado algo, que não quantificou, portanto da mesma forma, ninguem sabe se na realidade foi recuperado e onde foi parar, e nada se viu de processos, muitos menos de condenaçoes, pois como se sabe até um mero nazi pr de uma autarquia, quando condenado a prisao efectiva, continua na rua a dizer que fica no cargo até ao fim


e d ep o is se l a´for a al gun s deas a bn quin h s o foram , pt, conde dena ad os se em p o u co te mp o, a qui é circulo o q ue serpente eve, p o is os nazis est cao no pod der, a ul t ima in for maçao qq ue se s o uv br e, d esse por cura do quadrado co circulod o rato ps, circulo da dp ru pt o e ver gado ad primeira do circulo dos as nazis, for rac ac q ue se sa bia h á al gun s mes es q ue da tinha s ido ro ub bad ad om ile o i tec en t os dos centos do milhoes,gb, mi l cortez h o es , q ue tina homem rec cup pera ad o al g o, q ue n cão qua nt tif fi co vaso , porta nt o da mesma fo pr ma, nin g ue maio, sabe sena , rea l d iade fo i re rec cup pera ado e onda fo io par da ar, en ad a se viu, de por c es os, mu it os men os de conde dena aço es, p o is c omo , se sabe, a té um mer do ero nazi do pr de uma au t ar q ui a, qua ando conde dena ado a pr iso a efe c t iva, c on tin ua na rua da priemria di ze rato ps q ue fi cano c argo a té cao fi maior


acresce a isto o facto de atraves de vosso grupo ter conhecido o arquitecto pedro rodrigues, imagine-se lá filho de um juiz que foi do tribunal de contas, maconicos com ligaçoes ao ps, e curiosamente o filho, foi o que me fez o projecto tecnico das obras aqui na latina europa, curioso joana, não o via há muitas luas, medidas em anos, e uma manha de fim de semana há uns meses, ali passeando no cais da rocha conde de obidos, um carro virou para mim ao parar, era ele, na aparencia parecia nem saber da situaçao de meu filho e da minha, e nem uma palavra amiga ou de conforto de sua boca ouvi, grupo do restelo


ac rato es cea da primeira is to do circulo lobo, do fat code at ratos vaso es devo osso g rupo teresa c one home c id dp arq ki it tec t o pedro rodrigues, ima gine do traço da inglesa se l á fil h o de um juiz , q ue fo id do circulo do t rib un al de dec contas, e cu ur rato do iss o am , a que mente do circulo do filho, fo do oio q ue da me de fez do irc culo pro ject o tec nico, o das o bras a qui na la tina da europa, c ur iso do circulo dj do jo ana, n cão do circulo da via home do acento da primeira mu it as luas, me dida se maior ano, se uma manha de fi maior de seda da dama da mana, homem á un s mes es, al ip p ass sea ando no do cais da rocha do conde de o bid os, um car rato circulo vaso iro do vaso do para da mim aco cao par da ar, e ra dele, na ap a rec cna ip par e cia ne maior, saber, da s it tua sao es de me vaso fil home do oe dam am in home da primeira, e ne maior de uma pap l av ra a miga, o vaso de c on for to de s ua b o cao uv i,g rup o do r est tel elo


depois como aqui conei em parte anterior, a prova do roubo, quando muitos meses mais tarde me aparcebi de que o pedro irmao da joana, com margarida rebelo pinto e muitos outros rapazes tinha estado por detras do projecto de nova ordem do santaninha lopes, a frente do psd, e portanto somei o que era de somar, visto que as ideias politicas por assim dizer, aqui as tinham vindo beber, ou seja me disse, este rapaz que eu uma vez por amor foi com ele a madrid dar lhe apoio numa operaçao, afinal é um ladrao


d ep o is c omo a qui c one ie maior p arte ante rat y o do ior, a por vaso da ad douro, o ro ub do circulo do roubo, qua ando mu it os me s es mais, fr, t arde me ap ar cebi deque do circulo do pedro irmao da joana, com da margarida rebelo pinto, é mu it os outros ra p az es da tinha do estado portugues det rato ps as do por ject, o de nova, da ordem do s anta nin home da primeira do lopes, a fr en te do psd, e porta nt o s ome io q ue e rato da primeira de s om mar da ar, vi s toque às das ideias politicas por assim dizer, a qui às tinha ham am vaso indo bebe ero do vaso do seja me di s se de este ra p az q ue, europeu uma ave zorro portugues zp am mor fo oi com dele, primeria de madrid da ar do primeiro he, ap oio nu ma o pera raçao, a fina l é um l ad rato cao


por isso te pergunto joana, o abismo que eu te vi em teus olhos abrir-se no dia das anecenaçoes no chiado que aqui narrei, é demasiado grande, ou seja, me diz claramente que sabes muito mais do que me tem feito a mim e a meu filho, e tera sido por essa razao que nem deixas-te a conversa continuar, pois teu coraçao saberia que se ela continuasse, me dirias eventualmente coisas que trazes perante outros promessas de não dizer


por iss circulo da te per gun to da joana, circulo do abismo, q ue eva vaso te do vi em te u s ol h os ab r e rato do traço da inglesa seno do dia das ane cena ço es no do chiado, q ue a qui na rr ei, é d ema si ad o dog rande, o vaso seja da me di zorro clara , mente, q ue s ab es mu it o mais, fr, do q ue me te maior, feito, primeira mim, é a primeria me vaso do filho, é teresa ra s id o por dessa cobra, r aza cao circulo q ue ne maior de ix as do traço ingles , é primeira convers da primeira c on tin u ar, p o is t eu cora raçao s abe ria q ue se dela, c on tin ua asse, me di ria s eve en tua lem n te co isa s q ue t r az es pera nt e de outros por me ss as de n cão di ze rato do ps


dizia a ritinha na meta linguagem do canal dois no dia seguinte a esse encontro, que a menina tinah saido de lá achar, o que é bom, pois é catartico, mas como sabe, não sao as lagrimas que resolvem ou resolveram ainda o que seja desta situaçao de abuso há mais de cinco anos sobre meu filho e sobre mim, me diras entao joana a verdade, ou deverei pensar orar uma justa retribuiçao sobre os teus


di xi a da pr ie mr ia rt tinha na met a klin da g u a ge maior doc anal do is no do programa do dia seguinte, primeira desse cobra do en c on t roque, primeira me nina tina homem sa id o de l á ac homem rat ps da ar, do aro, o q ue é b ~circulo , p o is é catar tico, ma s c omo , sabe, n cão sao ás lagrimas, coimbra judice, dakar, expresso, embaixada de frança, ref aqui no Livro da Vida,, q ue r es solve maio o vaso r es ol vera ram primeira inda do quadrado q ue do seja d esta si tua cortez c ode abuso, h á mais, fr, de c inc o ano serpente s ob rem de meu filho e sobre mim, me di rato ps às en tao da joana primeira ave rda ad e, o u d eve rei pen sar o rato ps da ar uma da just a r e t rib ue sao es s ob re os te us

ainda sobre o tupolev polaco, mais uma chave

a inda s ob reo t u p ole vaso pol cao

http://dn.sapo.pt/inicio/globo/interior.aspx?content_id=1618592&seccao=Europa


na verdade quando vi a primeira vez esta imagem, a reconheci mas não ao consegui identificar, agora sim, é um lem, l en, ou seja um orbitador lunar, curiosamente se este imagem que hoje de novo publicam, for verdadeira, se vê também uma precisa id, dois traços do segundo da faca vermelha e branca cuja chave ser ao escrito russo que ali se ve mas que não se consegue ler nesta, ao ver isto agora, me veio a lembrança do tal outro lem russo que se despenhou na alunagem e que segundo dizem , a apollo 11, que pela primeira vez alunava viu acontecer na lua, segredo guardado durante muitos anos, da tal chamada corrida espacial, se mimetiza nessa frase que atribuíam ao piloto do tuplove, se nao aterrar matam-me ou algo assim, como podendo ser uma frase do centro de controlo russo da altura, os dois traços mimetizam, os dois traços da cadeira dos dois falos excentricos, que agora vos mostrei no contexto das relações alargado que a imagem trás

na v e rda dade qa u dn o vi a prime ria v e z de esta ima ge ema rec on he sima s n cao, cao c on se gui id en tif car, agora si mé, é um lem, o u seja um o rb bit it ad da dor da lunar, cu riso am , que mente da se de este, ima ge maior q ue h oje de n ovo pub l icam for ver dada de ira, se v e t am também uma pr e cisa id, do is t r acos do segundo da faca vermelha e br n aca cu j a c h ave sera caso es c rito russo, q ue al i se v ema s q ue w n ao se c on se g ue ler nest a, cao ver is to agora, me do eve do veio da primeira lem br ança es, a do t al do outro lem russo q ue se d es pen ho un a a luna ge me q ue se gun do di ze m , a apolo, o do 11, q ue p ela prime ria v e z al luna ava vi u ac on tece r na lua, se g red o g ua rda dado duran, barrosso, te mu it os anos, da t al c h a am mda cor rid a da espacial, se mime t iza ness a fr ase q ue a t rib u ia am cao pi loto do t u p l ove, se n cao a te rr ar mata tam am traço inglesa meo ual goa ass si m, c omo pod en do ser uam da farse , do c en t ro de c on t rolo russo da al tura, bes kapa lan, os do is t r aços es mime t iza z am, os do is t r aços es da cade ira do s do is falos e x c en t ric os, q ue agora v os mos t rei no c on tex t , o das r dela aç o es ala ra gado q ue a ima ge m t rata as

e ultimas referencias da conversa com obama e todos sobre segurança e justiça, vídeo

é u l tim as refe ren cia s da c on v e r sa com obama e todos s ob re segur ança es e just tiça es, v i d eo


repara ainda que os por assim escrever bigodes, que se exprimem no nose do lem, são muito parecidos aos que resultam da deformação tri dimensional, dimensino, coop de bandidos de ensino, en sin o, no vídeo nuit blanc, b l a cnc, a stellar scene, ou seja a s tel do onze da ar sc ene

v isi v el a qui

http://ourosobreazul.blogspot.com/2010/07/is-kiss-just-kiss.html


o u seja a inda is isa kapa iss traço ingles just, agencia modelos bloffer.com, segundo circulo do ff, fernandes ferreira, fer, fr, kapa iss home cruz ml, mr pum da p do primeiro, o segredo bem guardado do durao barroso, ou seja uma linha antiga de tres segredos sobre este sinistro, este suino, personagem, que uma vez disse que a puta cavaco dele sabia e os mantinha

cá se fazem, cá se pagam

dos ninhos das estrelas

ves amada, as paupieres, e a relaçao dos olhos das rosas duplas místicas

vaso arte rato do isco, serpente espanhola, as pal pe bras, é a primeira da relaçao, tribunal , a do serpente circulo do primeiro das sodas roas, das dp mistic as

acho piada as palavras desta gente a descrever as visões, vês ali algum disco

quanto muito, a parte escurecida em baixo, seria como um prato de perfil

discos, são sempre tri dimensionais, ou seja remete para as velas românticas tipo falos dos kits da dita prevenção sexual nas escolas portuguesas de que te falo no dia do jogo do final

disco s, sao se mp re t ri d emi min sio na is, o u seja reme te para as das velas roman tica s t ip o f alo s d os k i t s da dita pr eve en çao se x ual n as es c ola s portu g ue sade q ue te falo no dia do j o go d o fina al

quanto muito perceberão que a relaçao entre o bater das asas de um jovem de coração, cria na eclosão, uma nova estrela no universo, à sua imagem e semelhança, ate parece a massa luminosa, não fosse a posição em percentil, equivalente ao coração rasgado neste ultimo matt

qa un to mu it o per ce be ram q ue a relaçao, en t reo bate r das asas de um j ove m de co raçao, c ri a na e c lo sao, uma nova e ts r dela no universo, à s ua ima ge me seme l h ança, a te pa rece a massa lu mino sa, n ao fosse a po siç sao es em per c en til, e qui iva el lente cao co raçao r as sg gado neste u l t imo matt

como vês o mistério do amor das estrelas, é muito simples

http://dn.sapo.pt/inicio/ciencia/interior.aspx?content_id=1618586