domingo, julho 18, 2010

aqui ficam alguns dos links que encontrei quando andei a navegar com a bela francis

Fi id dd le Tim isa primeira pse eu dó ny maio.

http://www.laluzdejesus.com/shows/2010/Fiddle-Tim/Fiddle-Tim2010.htm

hom maior da tuberculose, tp, t rip la l la al uz de jesus com bar ra dos shows, do 2010, r tp

Cho psy Cheech, Civil Condo duct, da ameaça ao filho, Hi ip ps L ike Bat t l es h i p s ,por c esso dalava t her,da cabra, da G o at Shit (I Don serpente t Owe Y o u S hi it cruz)The Bal ll ad of Jim J one es, S c um fu ck Celest i a l do Splendor, a g r axa, do Spector do Hector

http://www.myspace.com/k3ira_knightl3y, a que me faz lembrar Andrómeda, ou uma estrela assim parecida, tambem vi a emmy russon, no metro, ou entao uma sosia, que coisa curiosa, esta nesta pagina acima


http://www.myspace.com/mccartney_mary

todos os amiguinhos e amiguinhas sao de uma rara beleza, que belos sois!!!!!

acusaçao de actos de tortura controlo psiquico, feitos pelo ps e pelo psd, IV

continuação...


assim face ao exposto se aconselha que as cidades exigam, a investigação e controlo destas matérias, e nomeadamente a colocação de sistemas de câmaras nas escolas com principal prioridade nos infantários e creches, e que assim qualquer pai a qualquer momento poderá por um simples browser com ligação a Internet visualizar quando quiser, ou seja permitindo na realidade o acesso e controlo por parte dos pais, camaratas de sestas incluídas, bem como refeitórios, sendo que é hoje um sistema deste, não trás preço proibitivo que condicione a sua não expansão, por quatrocentos, quinhentos euros já se pode montar um sistema desta natureza

ass si maior da face cao e x post o se aco on sel h as q ue às cida de es e x i g am, a in vert ti g aç sao e c on t rolo de ste teas materias, e noe mad dam am a que mente, primeira c olo caçao de sis te am de cam asas nas escolas, com p rin cip primeira pr io ria d ad e nós in f ana t rato iso e c rec h es, e q ue as si maior q au q l ue rato pai primeira q u l au q rato moe mn to pode ra por um si mp l es br o ws e rc om liga sao es primeira inter ne v is ua l iza rato qua dn circulo q u iz ero u seja per mi ti n dona rea l id ad deo do ac esso, é c on t rol por p aret dos pais, cama ratas de s estes inc l u id as, b em c omo refe it o rio s, s en doque, é h o je um sis t ema d este, n cão t r as +pr e ço pro ib it ivo q ue condi one primeira s ua n cão e p x ansao, por q au t roc en ts o, quin h nt os euros j á se da pode monta rum sis t ema d esta na t ur e za

alias, vos que vos dizeis políticos, e que tendes aprendido a soletrar para melhor enganar as gentes, a palavra transparência na condução do que deveria ser comum, mas que vos tendes como perversos que sois a constante manha de transformar em vosso proveito, que razão existira hoje para que que cada um e todos os gabinetes da coisa publica, seja a que nível for, não estarem sempre on line, com câmaras e até com o som das chamadas telefónicas que recebem e fazem, e que um mesmo se passe naquilo a que chamais de reuniões de trabalho e por aí fora

alias, vaso do os q ue, v os di ze is politicos, é q ue t en d es ap ren den dido primeira sol e t ra para mel home rato circulo en g ana rata ás gentes, primeira p al av ra t ra ns pa ren cia na condu sao do q ue d eve rato do is ser com do primeiro, masque eu do vs t en d es c omo per vaso dos eros q ue soci primeira conta nt e, é a da manha de t ra sn for mar em vaso osso pro ove it o, q ue r aza circulo e x it ira h oje para q ue, q ue c ada a um , é todos os gabi nt es da co isa publica, seja primeiraa q ue do nivel for, n cão est ar we mon l ine, com cm ar ase seat, e´c omo s om das c ham ad as tele fon icas q ue rec e be me f az e mec ue um me ms o se p ass ae gre cia na q u ilo da primeira do q ue c ham ama mais de reu ni o es de t r aba bal l ho e pr aí for primeira

como quem não deve, o que não é vosso caso mediano, pois em roubos, vocês devem centenas de milhões, nada teme, espero então amanha ver o anuncio, de que vao estar acessíveis na próxima semana em cada um dos vossos gabinetes um sistema assim para que todos possam saber o que andam a fazer, se é que fazem alguma coisa

c omo q ue maior n cão d eve, o q ue n cão é v osso caso med fia ano, p o is em ro ub os, v o c es d eve maior c en t en as de milhoes, n ad a te me, es pero ero en tao am manha vaso do ero anu un cio, deque da puta do vao, es star ac ess iv e is na pro x ima se mana em c ad a um dos v os s da dp gabi bin te se um sis t ema as si maior do para q ue todos p os sam s ab ero , o saber, q ue anda dam am da primeira f az é rato ps, se é q ue f az e m al gum a co isa

e não tentem passar por nus, pois os ladroes e incompetentes sempre se vestiram as mais negras e densas sombras, e certamente ninguém quer saber como vocês beijam as vossas amadas, se é que mesmo o sabeis fazer

e n cão t en te maior p ass da ar por nu sp o is os ladroes e inc o mp pet en t es se mp rese v es t iram as massi negras e d en sas s om bras, e cera rate mn te nin g ue maior q ue rato ps s ab e rc omo v o c es bei jam às v os sas a mad as, se é q ue me sm dp sabe is f az é rat ps

ou não havia para ai um belo discurso do tal plano tecnologico e coisa e tal

é muito simples cada vez que entram num gabinete começa o streaming automatico de audio e video multi camaras, selecionadas no browser de quem vos quer ver

o mesmo com os dinheiros publicos, não há razao para pagar um tostao que seja em impostos enquanto cada um que levrar cargo publico e mexer com dinheiro comum, não o justifique on line no mesmo momento em que o usou, e tem vantagem acrescida, pois assim as contas estao sempre em dia, deixai de pagar impostos eqnuanto asssim não for!!!!!!!!

o mne sm o com os dine hi iro s publicos, n cão h á r aza o para pa a g rum tosta , circulo q ue seja emi m post os en qua nt o c ad a um, q ue le eva vaso da rata da ar c argo publico, é mex e rato rc com do dinheiro com do primeiro, n cão o ju s ti fi q ue on l ine no me sm o moe mn to em q ue do circulo us o ue te maior van tege m ac r es cida, pop is as sima s contas es tao se mp rato em dia, dei xa id e pa a g r im post os eq nu anto ass si m n cão for!!!!!!!!


ainda sobre controlos e induçoes psiquicos, a francis kurt cobain e a outras belinhas de meu coraçao que aqui aparecem

fr anc is bean do kurt cobain, te digo assim em suma, bela menina de belos olhos da cor de seus pais, que por uma noticia no dn, le levou a estas paragens, uma menina de quem se diz na aparencia ter um pai que outrora se suicida, e aos dezaseis anos faz uma festa de aniversario em que o tema , é o suicidio, me diz de imediato duas coisas, que porcura respostas, e que e bela, pois tras em si a coragem e luz para alcançar a verdade, e assim mora em meu coraçao

fr anc is bean do kurt cobain, te dig o ass si mair me maior s uma, bela menina de b elos olhos da cor de se us pais, q ue por uma ni ti cia no do dn, le l evo ua primeira destas para g e n s, uma me nina deque maior da se di zorro na ap a ren cia teresa um pai q ue outrora se s u i cida, é primeira os dez ase is ano serpente f az , uma da festa de ani ver sario em q ue o t ema , é o ss ue c id o, me di zorro de imediato, da it o du as co ia s, q ue por cura r es postas, é q ue e b dela, p o is t ratos as em sic cora rage me da luz , para al can ç ar a ve rda ad e, e as si maior damo da mora em me vaso da cora raçao

pois sabe pelos seus desenhos, que a morte de seu pai foi induzida, ao contrario do que fizeram crer, e isto diz uma ou duas coisas , que as policias não o entenderam, pouco provavel, ou o cobriram, e se o cobriram é porque sabem quem foi e o protegem

p o is sabe p elo s s eu s desenhos, q ue primeira da morte de seu pai, fo oi indu z id a, cao contra do rio doque fi ze ram c rato +e rato, é is to di zorro de uma, o u du as co isas , q ue às pol icas n cão circulo en ten der am, p o u co pro ova ave elo dp vasp circulo que o cobriram, é seo co br iram é por q ue, sabem , q ue maior fo ie o pro tege maior

cuiroso esta declinaçao, acima, pois apareceu aqui o ministro do iram a encenar um dizer com a puta de veu violeta , como se falasse de passes de hipnotismo, numa cadeia sem pes de tras, ou seja hipnotismo de um tipo de levitaçao, com ou sem corpo, como dizendo das tecnicas sufis, sendo qeu um aqui aparece, neste texto em partes anteriores, a conversa era sobre os quatro mil e quinhentos, ou seja quadrado dos quinhentos, chave aqui mencionada com o ino , e a inovaçao, que inspecionaram as instalaçoes do iram em forma diaria, qause um inteiro exercito, não lhe parece,

cuir roso e sta dec lina sao es, a c ima, p o is ap a receu a qui o mini st ro do iram a en c en ar um di ze rc om da priemria puta de eve do ov veu do eu viol eta , c omo se f al asse sede p ass es de hipnotismo, nu ma cade ria se maior p es de t r as, o vaso do seja h ip pn no s tim sode, um t i p o pode levita sao, com o u se m c corp o, c omo di zen do das tec nicas sufis, s en do q eu um a qui ap a rece, nest e tex t o em p art es ante rio rato es, a convers a e ra s obr e os quatro mi le quin he t os, o u seja qua dr dó dos quinhentos, c h ave a qui men cio n ad com do circul do pedro do ino , é primeira da inovaçao, q ue in spec cio na aram as do sin das instalaçoes do iram em forma dia ria, q a use um inte iro é x e r c it o, n cão l he pa rece,

parece isto a cadeira do barbeiro, ou seja ainda as ligaçoes a primeira guerra do golfo, sendo que o senhor mencionva a com o libano, que aqui foi gatilhada como a todos na altura narrei
ar rec par de is to da primeria cade ira do ba rbe iro, o u seja a inda as liga ço es priemria da primeira guerra do golfo, s en do q ue do circulo do s en hor men cio n v a ac om o li ban ano, q ue a qui fo i gat til h ad a c omo primeira de todos na al tura na rr rei ei
pc dp

p o is abe p elos se us d es en h os, q ue da primeira da am morte de s eu pa if oi indo vaso z id a, cao c on t ra rio do q ue fi ze ram crer, é is to di zorro uma circulo do vaso do as co isas , q ue é as das policas, n cão o en t en der am, p o u co por v ave dele, o u o co br i ram, é seo co br iram s o a por q ue , sabem , q ue m fo ie circulo do que o pro tege maior

quando me diz num dos seus titulos lembra , mesmer, ou o mesmorismo, me lembra o lugar do cao, ali da guarda dos marinheiros, pois ele reflecte e espelha em muita constancia e intensidade esses mesmos passes, muitos deles de caracter de abusos sexuais

q un dó da me di zorro nu primerio dos se us tito vaso l os lem br a m es mer, o u o mes mor is mo, me l em b r a cao lu g ar do cao, ali da g ua rda dos marin he iros, p o is dele ref for mula one e c te e es pe dela., home da primeira em mu it a co ns tan cia e int en sida dade desses cobras, me sm os p ass es, mu it os del es de ca rac teresa de ab bus os sexuais

olho agora biblioteca do fire foz, os links da minhas navegaçoes recente sobre este s assuntos que se nisturam e me falam ainda de outras linhas desta complexa historia, e reparo no que a janelinha me enquadra, assim nela agora li, depois de fazer um pausa neste texto para jantar

olho do agora da biblioteca do f ire red da primeira da foz, o di ref do oz, do os dos links da minhas navegaçoes, ou seja um cabrao especialista nas minha navegaçoes, masi um acto criminoso,massi, italia, um acto c rim mino osso, rec en te s ob re este s ass un t os q ue se ni s tura ram e me f al lam am a inda deo de outros das linhas desta, co mp le xa historia, e r epa aro noc q ue primeria jane da dinha da linha da me en quadra, as si maior ne dela do agora do li, d ep o is de f az e rum p as ua nest e tex tp para j ant da ar , taxi, banda do porto,

o alvo da pt, tipo ava io da ze gun da g ue e ra, da inc kapa da ser pente fas php, em presa portu guesa de ap lic caçoes in for mat icas para fina anças,es, e p la en man neto, do g lut ao am mar elo, da etar do fr am do bean, do cabo, africa sul, in s ing my spa ce, vaso id deo traço ingles c r az delta da motion, cd da cele do bar do ra da birch do cabo argenta do frances bena circulo do glutao, coba bain, do tiger do woods mistress, kapa cu do ur da reell time chain da crime scene, a puta da arte primeira, a da custodia

um outro desenho seu, teve tambem um eco, anterior aqui em minha palavras, im comming, … pelos vistos os girinos, nas tuas aguas interirores, te iluminaram, ou algo assim, conversa com minha amada ausente em parte incerta em meu coraçao, em dia recente, sendo que os ultimos girinos que vi, fora na imagem do lago, aqui narrada, no jardim de dentro do palacio das necessidades

um outro d es en ho s eu da teve e eta tam am tambem um e co, ante rasto do ior a qui em min homem da primeia p la v ra s, im com ming, … p el s o vi st os os girinos, semen, nas tua s aguas inte rato iro ratyo es, te i lu mina ram, o ual goa ss si maior, convers ac om min homem da primeira am mad a a use en te em p arte inc e rta e m eu co raçao, em dia recente, s en do q ue os ul t io sg irin os q ue vi, for a a i mage m do l ago, a qui mna rr a ad ano jardim de d en t rodo pal cio das necessidades

ali estava um personagem que come como cronos, uma estrela estrenha, desiquilibrada, e enferrujada na expo noventa e oito, ou seja water time, lisbon e x p o sed , lis bon made for , you, delta circulo do vaso, e por detras dele, se vem assim como perservativos com girinos, ou seja espermatozoides, ou seja incubaçao, ou incubus, e uma id ,

al i est av um perso nage m q ue c ome c omo cronos, uma est rata dela , est ren home da primeira, de sic u i libra ad a, e en ferro ru jada ana e x p on ove en t a em noventa e oito, o vaso do seja water do time, lis bon e x p o sed , lis bon made for , you, delta circulo do vaso, e por det rato ás dele, se v em as si mc omo perse r vat ivo s c om gi rinos, o u seja es per mato zo id es, o vaso do seja da inc cu ub ba sao es, o u inc u bus, é uma id

por aguas à volta das suas, onde da galeria se fala de croquetes, e alcois, bel simbolica mistura, foi parar a uns falsos espaços que pareciam de tres belinhas muito belinhas deste planeta, andava a porcura do seu espaço para lhe dizer isto em forma pessoal, assim me ditou seu olhar, esses alias, com uns estranhos grafismos e animaçoes, a bela nicole cantava numa fonte a um rapaz que lhe dizia que uma certa noite lhe deveria ter batido ao quarto, mas que o amava para sempre , mas que ele tinha uma bela mulher, já viu, esta classica confusao das belas raparigas, em seus amores, masi a tal linha do tempo dificil da rapariga onde um rapaz pelo amor a salva, veja lá o rapaz que usa o perfume que eu usei, durante muitos anos, a cco da channel, estrela, mas que não sabe quem ela é, e depois a rapariga volta a sua vida normal, eu fiquei logo muito mal disposto, lhe digo, mesmo sendo as fotos dela ali muito belinhas, na verdade me aprecera um filmezinho dela, cujo frame, era ela assim com face meia chateada, no topo de uma cama com grades como a minha, eu a alucionar mas tambem tu rapariga como a madonna, me aparece na minha cama, e entao a fui ver, trazia assim um titulo tipo o rabinho da bela ao longo dos tempos, e era uma colagem de pedacinhso de filmes com nudez, veja lá, o mais belo , estava ela montada assim em cima do que se pensaria ser um rapaz e se via no fim das perinhas, aquelas duas covinhas onde eu gosto muito de meter os dedos


por aguas à v o lt ad as s ua s, onda da g al e ria se da fala de c roquetes, e al co is, bel si mb o lic a mi s tura, fo i p ar ara un s f al s os es paços q ue par e ciam de t r es bel in h as mu it o bel in h as d este p lan eta, anda ava a por cura do s eu es paço para l he di ze rato is to em forma p esso al, as si maior da me dito use vaso o l home da ar, esses al ia s, com uns est ran h os g ra fi s mose anima maçoes, ço es, a bela nicole can t ava nu ma fon te a um rapaz, q ue l he di z ia q ue uma ce rta ano da noite, 2005, lhe d eve ria tereas bat id o c vao qa ur to, masque do circulo do que a amava para sempre , masque dele, da tinha de uma bela mul her, j á vi vaso, e sta da fac classica, rr, c on fu sao das belas raparigas, em se us am o r es, ma sia t al lina hd o te mp o di fi ci l da rapariga onda um ra p az p elo am o ra s alva, veja, br, l á o ra p az q ue usa o cc, perfume , q ue eu use id durao te muitos anos, a cc cod a c h annel, estrela, masque n cão , sabe quem ela é, e d ep o isa rapariga v o l t a as ua v id primeira ano norma al, eu fic q ue i l ogo mu it oma l di sp os to, l he dig o, m es mo s e n do às f oto s dela al em u it o bel in h as, na verd ad e me ap rec cera um file lm z in ho dela, cu jo fr am e, e ra dela , as si m c om face meia cha te ad ano tp pode, uma da cam com g r ad es c omo primeira min h a, eu a luci cio n ar mas t am tambem t u ra pa riga c omo da primeira madonna, me ap rece na min h ac ama, e en tao primeira fu ive rata, t ra z ia ass si m um titu lo t ip dp ra bin h o da bela ao l ong godo s te mp os, se e ra uma c ola ge made ped ac cin h sode filmes com nu dez, veja l á, o mais b elo , est ava dela montada, as si maior em c ima madoc q ue se pen sar ia ser um ra p az e se da via no fi maior das pe rinhas, a q ue delas du as c ov das vinhas onda eu g os to mu it o de meter os dedos


depois fui parar a um site do paul ou da filha do paul , trazem todos muitos links como numa pagina normal e dei com uma rapariga a vestir uma t shirt e me disse, eu conheco-te, mas aqui para nos que ninguem nos ouve, nem percebi quem era ao principio, na verdde esta rapariga que parece nas vezes esperar na mesa ao jantar, com face de censura, eu que chego atrasado, é tambem mestre nas artes de representaçao, digamos assim, pois, já me apareceu uma vez com umas glandulas que não eram as delas, e eu me arrepiei e tudo, mas não por elas, depois encostava o nariz assim às bolinhas vermelhas, tipo narizes do mac donalds, ou seja do par da pata que encontrara no dia do futebol do brasil, ou ainda o joao antero, o o jo cao da anet do ero do mac donads,do ferreira, ou da ferreira, ou seja dos hamburgers, carne de vaca ou outra, entenda-se, e entao percebi um passe que aqui me aconteceu, no final a rapariga falava para a camara, que bela cheia de energia, morasse em meus braços e eu a beijava toda todinha, sempre sempre, e não a faria esperar para o jantar, dava assim de boca e tudo como se faz aos bebezinhos, ainda vai ter é que explicar como me cria uma hemorragia em meu nariz quando encosta o seu a bolinhas vermelhas, fico com vontade de lhe dar uma dentadinhas, sem bem saber qual a quantidade por pelinho de pressao dos caninos, na meta linguagem pelo ar, não sabes o efeito que tens em mim, bem se fores tu, chega aqui ao perto que logo te direi, a bela keira de meu coraçao aparecia sentada num canape a comer morangos, com um belo e leve vestidinho, e aquilo andava de um lado para o outro, como um vaivem, dos agradaveis ou dos outros debaixo da terra, que as vezes fazem bum, somando aqui ao meu canape, tenho agora o falo vermelho simbolizado no rolo da sas italiana, portanto a soma é , o falo do jo do ant do ero da ferreira, que pelos visto come moranguitas


d e pop is fu ip par da ar a um site do paul , o vaso da filha do p ual , t r az em todos mu it os l in k s c omo nu ma pa gina norma l e dei com de uma ra p riga primeira ave vaso est tir, um ts hi rt q ue me di ss e, eu c on he co traço da inglesa te, massa do qui aqui, para nós q ue nin g ue maior nós o uve, ne maior per cebi q ue mer a cao pric ni p io, na ver dd e e sta ra pr aiga q ue pa rece na s v e ze s es pera rn primeira da mesa cao j ant ar, com da face de c en sura europeu q ue c homem ego a t rato a sado, é eta tam am tambem met renas artes de representaçao, dig gamos as si maior, p o is, j á me ap receu uma v e zorro com umas sg lan du l as q ue n cão e ra *as delas, e eu me ar re pie ie tudo, mas n cão por delas, d ep o is en costa ava circulo do nariz as simas bolinhas ver m l h as, t ip o n ar ize es do mac dona l ds, o vaso do seja do circulo do pta da par da pata q e en conta tara rato ano do dia , o do fu te bo l deo bar si l, o ua inda do circulo do joao antero, o o jo cao da anet do ero do mac donads,do ferreira, ou da ferreira, o vaso do seja dos ham b ur ge r serpente da carne de vc cao do vaso de outra, en t en da do traço da inglesa se, é en ato per cebi, um p ass e q ue a qui me ac on teceu, no fina l a ra pa riga f ala lava ava para da primeira da camara, cml, q ue bela s cheia de e r ne rif fg ia, mora asse em me us br aços e europeu da primeira bei java toda to dinha, se mp re se mp re, e n cão primeira do faria, es pera rata do para do circulo do j ant ar, d ava as si maior de boca, é tudo c omo se f az a os bebe z in h os, a inda v a i teresa, é q ue e x p lic ar c omo mec ria uma da h emo mor rag ia da hemorragia, em me vaso na riz qua ando da encosta, o s eu primeira das bolinhas verme l h as, fi coc om van t ad e de l he d ar uma dent ad dinhas, se maior bem saber, qua q l a q un t id ad e por pe linho de press sao dos can ino s, na met a lin gauge mp elo da ar, n cão s abe s o efe it o q ue te ns em mim, be maior da se for es cruz vaso, chega da primeria do qui aqui cao per toque l ogo teresa di rei, a b dela kapa eira de me vaso cora raçao ap ar e cia s en td primeira ano um , can ape primeira co mer morangos, com um b elo el e vaso v est id dinho, é a qui ilo and av de um lada para do circulo do outro, c omo um vaivem, dos a g r ad ave is o vaso dos outros de ba i xo da terra, q ue ás v e ze s f az e maior bum, s oma anda a qui cao me u c an ape, t en ho agora o falo vermelho, si mb o l iza dono do rolo da sas italiana, porta anto top primeira s oma é ,circulo do falo do jo do ant do ero da ferreira, q ue p elos vi s to c om e moran gui t as


sabe amadinha keira, esperar e fazer esperar é coisa que nao gosto mesmo, e sabe o mais estranho, é quando aqueles que dizem de nós gostar, ancorados por essa mesma razao, acham que podem chegar atrasados e chegam, mesmo

s abe am ad dina home kapa da eira, es pera rata e f az e rat es pera r é co isaque noa g os to me sm oe, sabe, o mais est rato do anho, é qua ando daqueles q ue di ze maior de nós g os t ar, anc cora ad os por ess am e sm a r az xao, aca hm q ue pode mc he g ara t ra sados e c he gam, me sm o

e inda vi a bela, kate blanche, tao bela estva assim sentda com sues belo cabolos e costas meias desnudadas pelo que se imagina ser um belo vestido, me lembrou a alias dela aqui, que tambem anda ou andou por ny, e deve ser do grupo do porcao, que bela sois cate blanche, cada vez que vos vejo, meu coraçao, faz assim e por fim, chego a primeira que vi, para somar um quadrado, bela menina francis, que está muito belinha com uns belos olhos e uma franjinha assim em meia lua em face de lua

é inda via da bela, kate b lan do lanche, tao de bela es tva as si maior s en td ac om s ue es b elo cab bolos se costa s meias de snu dada s p elo q ue se ima ge ina ser um b elo v es t id o, me l em br eo u primeira alias dela aqui, q ue e eta tam am tambem anda do circulo do vaso d ano vaso de por ny, é d eve ser do g rupo do porcao, q ue b dela s o is cat é b l anc he, c ad ave zorro q ue vaso do os do vejo,br me vaso co raçao, f az as si me por fi maior, c h ego da primeira, prime da ira q ue do vi, para s om mar um quadrado, b dela me nina fr anc is, q ue est mu it o be linha com uns b elo s ol h os, é uma fr an jinha as si maio em meia da l ua em face del primeiro da ua

depois os espeioes no dia seguinge qui fizeram aparecer uma sosia da menina kate blanche, ali ao pe da rua no cento e vinte e oito, antiga linha aqui mencionada, relativa a morte de uma senhora peixe que esteve na basilica da estrela e de um ruivinho num porche

d ep o is os es pei o es no do dia seguinte , rtp, porto, ladroes, ge qui fi ze ram ap ar e recer uma s os ia da m en ina kate blanche, al i cao ped da rua no c en t oe vinte e oito, antiga da linha a qui men cio n ad a, rata ed dela t iva da primeira morte de uma s en hor peixe q ue es tev na basilica, a da estrela, é de um rui vinho nu maior porche

uma joven rapariga asaitica, que me remeteu para si, e lhe explico, na noite do dia do jogo com o brasil, ao passar no bairro alto, me chamou a atençao a musica que saia de um pequeno bar que nunca trago o habito de entrar, e que costuma ser ao vivo, como era o caso, e a precisa musica que evolava nesse momento era uma de seu pai, uma que me fez sempre sentir o coraçao quebrado, pois fala de amores perdidos e coraçoes assim meio rachados, e eu a procurava e portanto, a musica entrou assim como faca quetne em manteiga plo meu coraçao, ali na porta estva o rapaz do imperio austro hungaro com que falei durante resto da noite, e lá dentro estava uma rapariga asiatica, com un vestido negro muito bela, sabe, achei estranho agora, esta memoria do sincronismo emergir, relacionado com o aparecimento da menina no jornal dos bandidos, o que me confirma mais uma vez, que eles estavam a espiar todos os meus passos, o mais estranho é que ouvi depois no dia seguinte, pelo espirito que essa mesma rapariga teria sido abusada ou comida, na latitude grande que aqui tras a palavra comida, as vezes de bom agrado das partes, mas nem sempre necessariamente,

uma jp v en ra pa riga asa it tica, q ue me reme te u par s ie l he, e x p lic on primeira ana ano da noite do dia, do j o g o c om o brasil, ao p ass ar no bairro alto, me c ham o ua ta en sao es primeria mu sica q ue s aia de um pe q un o bar q ue n unc a t rago circulo do h a bit o de en t r ar, e q ue cos t uma sera cao do vivo, c omo e ra co circulo do caso, e a pre cisa mu sica q ue evo lava ness e mo men to e ra uma de s eu pai, uma q ue me fez se mp re s en tir o co raçao que br ad o, p o is fala de am o r es per dido se co raçoes es as si maior me io rac h ad os, se eu da primeira por cura ava e porta anto, a mu sica en t ro ua ass si mc omo faca q u t ene em mante i gap l om e u co raçao, al i na porta es tva do circulo do rapaz , do im per i au s t r o h un garo com q ue fa l ei dura net r est o da ano noite, e l á d en t ro es tav uma ra pa riga as ia tica, com un v e stui do negro mu it o b dela, sabe, ac he i es t r anho agora, é sta me mor ia do sin c ro n is mo e mer gi rato, rato dela , o do ac cio n ado com o ap ar e cei em n td a am en ina no do jornal dos bandidos, o q ue me c on firma mais, fr, uma v e z,orro q ue deles est av ma es pia da ar, todos os meus passos, o ma si est rato anho é q ue o p u vide p o is do no dia seguinte,rtp., p elo es pei it o q ue dessa mesma rapariga, te ria s id o ab usa sada o u com ida,dana la titu de g rande q ue a qui a tras, a pal av ra com id a, as v e ze s de b oma g ard ad as p art es, mas ne nm se mp re ne c es saria em nt e,

ao bocado no telejornal me dei conta que houve um furaçao no japao, e que segue como tempestade tropical para o vietname, quem diria, a soma dos eventos, a confirmar a sombra do facto, a si bela menina, lhe digo, o que sei, que ouvi tambem que teria lido algo no video do zero de audiencia que aqui em outro blog publiquei e que tras um pedaço de uma cançao de seu pai, cruxificado, me lembra um outro clip portugues feito na latina europa, com uma situaçao de cruz e sangue que era jorrado contra quem lá estava , salvo erro do joao peste, um rapaz assim meio complicado, que o ze pinheiro muito carregava na aparencia


cao bo cado no telejornal, me dei conta, q ue h o uve um f ur raçao no japao, é q ue se g ue c omo tempestade, t rop ical para do circulo do vie tn am me, q ue maior di da ria, a s oma mad os eve en to sa c on fir mara primeria sombra do facto, a si b dela menina, l he dig dp q ue s ei, q ue o uv i t am tambem q ue teresa ria do lido al g on ov id eo do z ero de au dien cia q ue a qui em outro , rob b lo g pub lic u eri e q ue t r as um ped aço de uma can sao de s eu pai, c ru x if ica dao, me lem b ra um o u t roc l ip portugues , feito, na la tina eu rop roupa, com uma s it ua çode es dec cruz , é sangue q ue e ra j hor r ado do contra q ue ml á est ava , s alvo e rr o do joao peste, um ra p az as si maio me io co mp li cado, q ue do circulo do ze pinheiro mu it o car rega ava na ap ar rec cna i,

uma outra imagem, de um dos clips de seu pai, que vi nestas paginas, teve tambem um eco em mim, um em que ele na aparencia toca num estudio onde aparecem uma majoretes, que me lembraram de imediato as do filme da morte matada de j f kennedy, como sentido um mesmo perfume ali, se calhar os mesmos que estiveram por detras da morte de seu pai

uma o u t y ra i mage maior, de um dos c l ips de s eu pai, q ue vi nest as pa ginas da teve tam am tambem , um e co em mim, um em quadrado ue dele , lena ap rec en ia toca nu maior e stud est io onda ap a recem uma majo r e t es, q ue me lem br aram de imediato, às do fil meda n morte mata ad a de j f k en ned y, c omo s en t id o um me s m o perfume , cristina cotinho, al ise cala homem rato ps os dos mesmos, q ue est i vera am por det r ad da priemria do dam mo rte de s eu pai

sabe francis eu gosto muito de sua mae, sempre a achei muito bela, e sei que ao que parece a vossa relaçao não tem sido muito facil, assim é nas vezes com as maes e os pais, e houve uma linha sobre sua mae que de novo aflorou neste leitura e que em parte já lhe respondi acima, e que eu acho que me lembrava dela, de alguma forma, isto é, provavelmente na altura em que dela a primeira vez em apercebi, achara estranho aquele dizer, um sentimento que sua mae exprimiu, sobre a menina ser de alguma forma a causadora do suicidio de seu pai, qualquer coisa como que o mal estaria em si, assim parece ter sido vinculada nos medias, o ver de sua mae, creio que agora à luz do que já sabe, não era bem isso que ela sentiu , mas que provavelmente não soube explicar melhor, e que por consequencia a tera muito perturbado a si, se precisar de colinho, é só dizer, bela francis

s ab e fr anc is eu g os to m u it o de s ua mae, se maior do pre da primeira c h ei mu it o b dela, é s ei q ue cao q ue ap rece a v os sa da relaçao, n cão te maior s id o mu it o f ac el, as si mé mena s v e ze s com as maes e os pais, é h o uve uma da linha s ob re s ua mae q vaso de n ov a flor o u neste la e it tura e q ue em p arte j á l he r es pondi ac ima, e q ue eu ac ho q ue me l em br ava dela, de al gum a forma, is to é, por v ave lem n te na al tura em q ue dela a prime ira v e ze m ap per cebi, ac hara est r anho a quele di ze rum s en tim en to q ue s ua mae , e x pr emi u, s ob rea primeira menina, ser de al gum a forma a ca usa d r o r ad o suicidio de seu pai, q au q le ur co isa c omo q ue o m al est a ria em si, as si m pa rece teresa sd io vin cu lada nós medias, cao ver de s ua mae, c reio q ue agora da luz, doque já sabe, q ue n cão e ra b em iss o q ue dela s en ti u ma masque eu por v ave lem n te n cão s o ube é x p lic da ar mel hor, e q ue por co nse q u en cia priemria teresa ra mui t per t ur rb bad ad o da primeira de si, se pre cisa rato ps de c o lin j h o, é s ó di ze rato rb b dela fr anc is

acusaçao aos banqueiros dos papelinhos, ladroes

impressionante as imagens que antes de ontem repetiam dos mesmo banqueiros d o b cp, o filipe pinhao, com o livro que escrevera limpar o nome, por detrás no telejornal, imagem fixa, onde se lia o titulo, do valor do nome de uma pessoa, ou algo assim, o paulo teixeira pinto, em tao numa da tais reuniões, de controlo que aqui abordei, extraordinariamente devagar, as paginas tantas levava a caneta de prata e negra a assinalar algo que lhe aflorara a consciência no preciso instante num pequeno caderno de apontamentos, a manga branca, se enganchava na pagina e a levantava, o patrono deles todos, o jardim, com uma expressão de culpa, arrependimento, face meio deitada, os olhos, traduziam este estado de alma que clamava por piedade e misericordia

em press sin ante às sima das imagens q ue on te maior rato do fa da ep e t ia m dos mesmo banqueiros , do quadrado do ob da cp, do circulo da fil ep da ile da puta da pinha do cao, que tambem quer dizer , da porrada do natal, com do circulo da dol do liv ro q ue es c reve vera li mp aro no me, por der as nu tele jornal, imag e maior fi xa, onda da se li cao tit tito vaso lo, o do valor , grupo, do no mede uma ps p esso a, o ual goa as si mo do paulo te ix ira do pinto, em tao nu ma d a tasi reu ino es, de c on t rolo q ue a qui aqui ab o rato dei, é x t rato do x, do cao r dina ria am que mente, d eva vaga do gato dag da ar, ás pa ginas t anta s l eva ava pr primeria can te de p rta e negra a a sin al ar al g o q ue l he a flor ar a a co ns c ien cia no pre ciso in s t ante nu m pe q ue no cade r no de ap ponta tamen t os, primeira am manga br anca, se en g aca homem v ana pa gina é primeira le onda van t ava, o pat rop pn no deles todos, circulo do jardim, com uma express sao dec cu l pa , ar r e pen dim en to da face me io deitada, os olhos, t r ad uz iam este es t ad do circulo do estado, de alma q ue c lama ava por da piedade,ad da rtp. e da mis siri cor do ia

já a todos disse que os senhores estão envolvido no roubo de meu filho e consequentemente em seu acto de tortura, e enquanto esta situação não tiver sido esclarecida em toda a sua extensão e ele não estiver de novo em meus braços, nem misericórdia nem piedade, alguma vez equacionarei, e fazem o favor de passar para cá a verdade integral dessa manipulações, que parecem mais serem feitas em meus apontamentos, como aqui diversas vezes dei conta, de alterações de pormenor, ou seja, com a acusação ainda de entrarem cá em casa, e passem também desde já a laia de indeminizaçao compensatória, 90 por cento de cada um dos vossos mealheiros, putas que vos pariu, !!!!!

j acento da primeira dea de todos , di ss e q ue os s en hor es es tao en volv id on o roubo de meu filho, é co nse q u en te mn te em s eu acto de tor tura, e en a q un to desta, a da si tua sao es n cão t ive rato ps s id o, es clare rec da cida em toda a s ua extensao, é dele, n cão est ive rato de n ovo em me us br aços, ne maio misi siri cor dia ne maior da pie dade, al g u j m ave ze qua cio na rei, é f az emo f avo rato ps, de p ass ar para c á a ver d ad inte g r al de essa da man ani ip u laço aco es sm, q ue pa recem mais, fr, se rem , feitas, em me us a ponta em nt os, c omo q eu id di vera s v e ze s d ei conta, de al te raçoes de por men o rato, o u seja, com da primeira da acusaçao, a inda de en t r arem ca em casa, e p ass em eta am tam tambem de sd e j á a l aia de in de mini iza sao es co m p en sato ira, 90 por c en t o dec ad a um , dos vaso dos ossos me al he iro serpente das putas, q ue vaso do os pari pa rio, a puta do porto !!!!!

quero o meu filho de volta, seus vermes !!!!!