quinta-feira, agosto 12, 2010

mais um ataque terrorista

o search, nao funciona, como poderão ter reparado, e quando trono a carregar o template da mini aplicaçao , também não,

circulo do seabra, sea arch, n cao fun cio naco omo pode rato ps cao teresa rato ep pr ado, é qua n do trono, primeira car rega aro ar temp late da mini, da rua, ap lic cacao tam am também, n cao

este ataque foi preparado, para que quando usasse o corrector ortográfico, aparece se como apareceu, a palavra seabra, como alternativa ao search, assim estas putas fazem estas induções, através de constantes crimes, pois não se pode fazer isto por lei, de igual modo os arquivos não abriam, e agora esta corrigido

este ataque,fo ,i, macon, pre par ad o, para q ue qua n do s usa ss seo do corrector, ft, orto tog ra fi co, ap a rece se c omo ap a receu, a pal av ra sea br ac omo al te rn a t iva cao se arch, as si maior destas putas, f az e maior est as indu ço es, at r av es de cos sn t ant es c rim crimes es, p o is n cao se da pode f az e rato disto, por l dei, de i g ual mo do os arquivos, n cao ab r iram, é agora e sta cor r i gido

e um outro porque somos juntinhos

é um outro, por q vaso e s omo serpente jun tinhos


Doce
senhora
de
meu
coraçao

oiço
te

sinto
o
receio
em
teu
peito

ao
entenderes
a
complexidade
de
viveres
a
meu
lado

pois dificil
é
a vida
de
quem
é
conhecido
não
por
querer
mas
por
Ser

e
o
paraiso
é
sempre
mais
distante
quando
longe
de
mim
aqui
em
corpo
estas

e
o
mundo
está
pesado
e
cheio
de
ameaças

sempre
te
o
digo
a
verdade
a
acçao
correcta
de
acordo
com
teu
unico
coraçao
é
a
protecçao
do
amor

oiço
a
pensar

Doc, e, s en hora, de me u co raçao da sao oiko, oi co espanhol, te sin t dp rec ei o
em t eu pe it o cao en t en der es a com le x id ad e de viver es a m eu lado, p o is di fi c el
é a v id a de que mé c on he cid o n cão por q ue r e r ma spor Ser, meo pa rai s o é
se mp re mais di s t ante qua n do l on ge de mim a qui em corp o e sta seo mundo, e stá
da pea do pesa sado, e che io de ameaças se mp rete o dig o a ve r dade , a ac cc sao
es cor rec ft a d e acor do com t eu uni coco raçao, é a pro tec sao
es do am o rato top ps oi ço a pen serpente da ar

poema concreto para ti


Poema concreto para ti

ufa, ufa
está
um
calor
de
rachar

racha
rachinha
fendinha
rosinha
colibri
anseia
contigo
muito
para
sempre
casar

Poe am c on creta para das ti, u f au fa é stá, um c alo r de
r ac home ar da racha da r a chinha da f en dinha ros sin h a
coli br, i, an seia se iac circulo mu it circulo do para se mp pre c asa ron das ti g circulo da mu it o casa da sada da ar

actos de dia cinco, lamas, diversas, e carta ao brasil e a todos

não faço tenção de me desviar da minha escrita na ordem em que estou, pois a injustiça sobre mim e meu filho se mantém, e nada vejo dos homens aqui que me de sinais de alguma mudança, e meu filho continua sem mim, e eu sem ele

n cao f aço e x ten çao es de me de via rato ps da min home da primeira es circulo da rita n cao pr de me maior q u e est o u, p o isa primeira rai da in ju ica es, a italiana da injustiça, s ob re mim, é me vaso do fil h o se man te men ad a do vejo br, dos h ome en ns aqui, dp vaso ,i, q ue da me de sina is e al gum a mud pr ie emi mira da dança, é me vaso fil h o c on tin ua se maior da mim, e europeu se maior dele

contudo a importância do assunto, leva-me a publicar o que trago ainda incompleto sobre este assunto no blog Casa de Deus e á medida que avançar tentarei publicar as restantes partes, pois a historia é complexa, como são as matanças de muitos, quando a justiça normal acordada entre os homens, está e continua ausente , pois corrompida vai e é


c on tudo a im porta n cia do ass un to, l eva do traço inglesa me a pub lic aro q ue t rago a inda inc om p le to s ob re este assunto no do blog C asa sade De use á me dida q ue avança es rata t en t a ar tar do rei pub lic, da ar ás r es t ant es p art es, p o isa primeira da historia é co mp le xa, c omo sao ass maat n ç as es ed mu it os, qua n do a just tiça es desta,qua n do a just iça es norma l acor d ad a entre os homens, e stá e c on tin ua au s en te , p o is cor rom pida vaso da primeira ie, é c on tin ua au s en te

contudo, a chave principal deste assunto, está na segunda pagina

c on tudo, primeira da chave pi rn cip da al de este ass un to, e stá na se gun da pa gina

acusaçao de assasinio e actos de tortura e matança larga, com base no que se desvelou nas partes anteriores

A imagem anterior da abadia tem ainda que ver com o mesmo grupo por detrás da matança na love parede, a ultima aqui mencionada, feita com passes também através daqueles que impunemente porque cobertos pelas autoridades portuguesas aqui constantemente entram, pois as provas dessa entradas são mais do que muitas , bem como dos objectos e aparelhos que levam , alteram e avariam, e sendo que o espírito na escrita me desvelou que trazem também uma puta que é responsável pela relaçao dos equipamentos que aqui existem e dos novos que cá entram, impressionante, a corrupção, e o tamanho da sua extensão, este grupo relacionado com o segundo invertido do grupo , um dois três, carlos cruz e varinha magica kapa do rup do ps, está também envolvido no passe da morte das crianças em beslan, pois a rapariga que aqui mencionei numa das ultimas entradas, a que era semelhante a uma modelo que aparecera vestida de cento e quarenta quilates no pravda, é desse mesmo grupo, o grupo das modelos que apresentam agora salvo erro o preço certo, que como aqui desvelei em diversas vezes, foi sempre usado , usa sado, em muitas induções de leituras, ou seja, prova isto o conhecimento e uso desses processos


primeira rai ima ge maior man te rato ps iro da aba ad di te maior da a inda q u eve rato com do circulo do mesmo, g rupo por det rat as da dama da matança na l ove da parede, lx, cascais, primeira u l t ima, primeira do qaudrado da aqui do ki vaso , i, macon, men cio n ada, feita, com p ass es onda eta tam am tambem at r av es da q u el ss q u ei mp un e, que mente, por quadrado do vaso cobertos pelas autoriedades portu gui es as aqui , co ns tan te maior nt, e, en t ram, p o is as por vaso do as dessa das entradas, sao mais, fr, doque de muitas , be maior circulo loc omo dos ob ject os se ap ar el h os q ue l eva vam am, é s en do que do circulo do es pe it io na es circulo da rita me d es velo vaso q ue t ra ze maior tam am tambem uma puta, q u e é r es pons ave priemira p dela, a do tribunal da relaçao, do s e q u ipa men t os q ue a qui e xis te med os n ovos q u e cá en t rami mp r es sio nante, primeira da corrupção, é circulo do tam anho da s ua extensao, este gato do rupo rato dela , do ac cio na ad o c om do circulo 101 digi ta al do segundo invertido do g rupo do um dois tres, carlos cruz, é vaso ar primeira rinha magi ca kapa do rup do ps, e stá tam am tambem en vol v id fo no do passe da dama do dam am da mao rte, a das c rina aças es em beslan, p o isa primeira ra p riga q ue a qui em n cio ne, i, numa das u l t ima s en t ratas ada s, q ue e ra seme l home ante da a uma modelo, q ue ap ar e cera v est id ad dc é cento e qua da renta ki ila at es no pr av da, é de esse me ss mo g rupo, santos silva, o g rupo das mode elos q ue ap rese serpente en tam do agora s alvo é rr dp do pre ço es cer toque c omo aqui d eve lei em di ver sas v e z es fo ia alvo de mu it as indu ço es de lei turas, o u seja, por va is t dp c on g he cie m nt toe oe , é us, circullo desses pro roc dos essos

há uma outra prova deste envolvimento na matança ultima da Alemanha, pois em apercebi por um comentário num jornal on line, que cá tinham entrado nesse tempo, pois, davam conta em forma diagonal da existência de uma cruz nas tomadas de electricidade na régua que aqui trago, debaixo desta secretaria, coisa que só poderiam saber cá tendo entrado, e na parede estava a tal gravura de uma imprimiria antiga alema, com uma águia tipo fenix, que depois caiu ao chão, na altura da matança, que teve ainda a ver com o passe feito através do vídeo, visto o trident, ter ali aparecido, no ultimo, o da conversa na mesa com bill clinton, que também remete para os dentes e para as torres em ny

homam do acento da primeiro, uma outra pro da ova de este en volv ie m nt o n a mat ança es u l t ima da alemanha, p o is em ap cru z e r cebi por um com en tar io nu maior do jornal on line, q u e cá tinha do ham da manha, en t r ato ado ness e te mp o, p o is, d ava vam am conta em forma dia g on al da, é xis teresa, laurinda, ie tn cia de uma do cruz , nas tom ad as dele , t r cida dena da regua q ue a qui t rago, de ba i xo de sta sec rta ria, co isaque s ó pode ria am, saber, c á t en do en t rato do ado, e na parede est ava da primeira da t al g r av ur ad ,e, uma im pr emi ria antiga alema, romi, com de um aguia t ipo f eni x, q ue d ep o is ca ie u cao ca, home cao, na al tura da matança, q ue da teve da inda primeira ave rato rc com do circulo do p ass e, feito, at r av es do v id eo, vi s to circulo dp do trident, teresa al i ap a rec id o, no u t l imo c on ver s ana da mesa, madrid, com do bill clinton q u y e, e eta tam am tambem me b m reme te para os dentes, é para ás tor das torres, dos ratos es em ny

Sua puta silvia cunha, jornalista da tretas das revistas do grupo da patricia reis, a puta do paulo portas, e por extensao do nuno das produçoes ficticias, silvia a imagem da bela arquette, actriz americana que tanto amo, e que sempre vos serviu para nao só a aproximaçao como para muitos passes de muitas desgraças, es g ratas aças das espanholas

S ua da puta si kapa primerio do vaso do , i, do cunha, jo rn l ista da te rta s das ratas e vitas do g rupo da patricia reis, é por extensao do nuno das por d u lo es fit ti cia sa da ima ge maior da bela arque tt e, ac t rato i, zorro am erican q ue t ant o am oe q ue se mp rato é ava vaso os serviu, para noa serpente do circulo da primeira pro roxi ima maçao c omo para p ass es


na verdade extensoes, é a palavra certa, pois ainda agora pela noite depois das mudanças que dei conta em texto anterior, hoje e antes, do passe da assinatura das lamas sw, com relaçao, isto é passagem pelo brasil, que aqui sera comentada em pormenor, atraves do tal da js do peugeot cinza escuto, ou castanho, que aqui em vespera apreceu, terceira ou quarta cave, preparaçao do passe dos esgotos, pois uma extensoes, uma enorme cabeleira, ali puseram com outros elementos, um sofa com duas pegas metalicas nas costas, com vasos invertidos, um presente da casa da misiricordia, assim reza um caixote que ali esta, do pad do leito, isto é do tampao, dos passes de sangue feitos com cabelos, do pad da puta ad do pad do leito, com gavetas , abrir e fechar em moveis, um parte dos tais sons que sempre aqui se escutam, como tenho dado conta

n a ve rda ad e e x ten s o es, é primeira p al av ra ce rta, p o is a inda agora p ed dela, lan ano da noite, 2005, d ep o is das mud danças q ue dei conta em tex t o ante do ior, j do h oje é ant es, a do passe da ass sin a tura das lamas sw, com do tribunal da relaçao, is t o é p ass a ge maior mp elo bar si primeiro, q ue a qui da sera co mena td a em por men o rat y, o do ps, at r av es do t al da js do peugeot c in za es c ru rt o, o vaso do castanho, q ue a qui em vasp~da espanhola pera ap pr receu, da terceira, dv, o u q au rta cave maior, pre epa pra da raçao do p as se dos es g oto sp da puta o is uma das es ten s o es, uma en o rata da me c abe le ira, al ip u sw e ram com de outros dele , lem nt os, um s o fa com du as das pegas met al ica s na serpente rua da costa , sc do om vasos invertidos, um pr es en te da c asa sada mi siri cor dia, as si mr, é za um ca i xo teque, madeira, al i e sta, do p ad do l e it o, is to é do tam am p do cao, o do spa ass es de s ab bg da ue, do pad da puta ad do pad do leito, com g ave eta s , ab br ire f eca home rem dos moveis, um da p arte dos tais, br, s o ns q ue se mp rea do qui aqui se es cu tam, c omo ten ho dado conta, p o kapa, é o rato

o curiso disto, melhor dizendo, o certo disto, é que andava eu com as extensoes na consciencia há já algum tempo, pois aflorara de novo a consciencia do passe feito pela puta silvia cunha na visita a minha minha avo viriginia, que teve como consciencia, cca, no tempo antes de sua passagem em corpo, ter ainda que sofrer por uma grangena na perna, feito por tecnicas de cabelos e sangue e apodecimento, e antes disto ter de novo aflorado, ou melhor alflorara isto, por um estranho video que vira na net, de um arabe que mostrava uma trança que estaria dentro de uma menina virgem possuida por um jin, e que profetizava entre outra abilidades, e que de dentro dela saira essa trança que ele mostrava ao tirar de um saco plastico na televisao, fora isto no momento da procura das extensoes, quando a rapariga da franjinha apareceu, depois, ou melhor, à semelhança de uma rapariga do programa americano dos astros, que certamente os espioes que vem as minhas navegaçoes, depois espelharam atraves dessa, e de uma serie de cantoras arabes e libanezes tambem de franjinhas,que nessa altura vi, e que me levou a esse video, depois olhei, o leito do trapezio aqui no escritorio e me dei conta, entao, que o rasgao que lhe fizeram, tinha uma razao de ser, pois as fios no permeio da vesica desse mesmo rasgao, eram como a trança, hoje mesmo pela noite, aqui a vejo na rua uma enorme, com um ar negro, de negros feitos, assim foi o perfume que me subiu ao instante ao olhar, um rapaz na varanda do predio ultimo a descer aqui, ao telefone, dizia , pela tua prima, como dizendo que o presente da misiricordia, fora , pelo mal que fizeram à minha prima, puta que vos pariu mais vossos passes que sao crimes de assassinio, e que portanto tenho que deduzir se presente na realidade se trata, que bem o saberao, e se as policas não forem cumplices, certamente os acusarao,

o cu rato do iso di st o, mel hor dei zorro ned o do ce rto di s to, é q ue and ava e u com as ten s o es na cam s ciencia h á já , cab dele lee ee, lei rato can tor rr os, acento da primeira, al gum te mp o, p o is a flor ara de n ov da primeira c on ciencia do p asse , feito, p ed dela , da puta silvia cunha na v isi sita primeir min homem da primeira , a do dam da minha avo viriginia, quadrado vaso é teve c omo c on sic e nica, no te mpo ant es de s ua p ass a ge maior em cop o, teresa ra primeira inda q u e s o fr e rp rato da por de uma g ran gena na perna, fr ei t o por tec nic as de cab elos e san g ue e a pode dec cimento, e ant es di s to teresa de n v o falo rato ps ado, o u mel h or al flor ara s it o, por um est r anho v id eo q ue vaso daira rana ana net, de um ar abe bec q u e mo st rata ava , uma trança q ue est a ria d en t rode uma menina vi rato ge maior p os s u id a por um do jim, monaco, hi n, jin, e q ue por rf eti z ava en t re de outra, a h bil di iad es, é q ue de d en t ro dela sa da ira dessa trança, q ue dele, el, maior do os t rava cao tir ar de um do saco, roseta, p la s tico cona da televisao, for a is ton o men to da por cura as das sd extensoes, qua n do da primeira ra p riga gada franjinha ap receu, d ep o p is, o u mel homem ato circulo da primeira seme l homem ana de uma rapariga do programa americano dos astros, q ue cera rate m nt e os es pei o rec q ue v em as min h as navegaçoes, d ep dp is es p el haram at r av es dessa, e de uma se rie de can tora s ar abe es se l iba ban e z es e eta tam am tambem de franjinhas, f a rn jin h as,q ue ness a al tura v i, e q ue da me l evo ua s esse v id eo, d ep o is o l h ei, o leito do t ra pe z x ia qui no do es c rito rio e me dei conta, en tao, q ue o r a sg s g cao q ue l he fi~ze ra, tina home uma r aza circulo de ser, p o is as fi os no per mne io da v e sic a desse mesmo, e ms mo r as g cao, e ram c omo ad da primeira trança, homem oje me sm o p dela, lan ano da noite,a qui a do vejo, br, na rua, uma en o rato da me, c om um da ar negro, de negros , feitos, as si maior fo io do perfume, cristina coutinho, q ue me s ub iu cao ins t ante cao ol home da ar, um r ap q dp zorro na vara n do do predio ultimo a descer aqui, cao tele fon one, e, di zorro do ia , p dela , tua , pr ima, c omo di z en doque do circulo do pr es en te da mi siri cor dia, for a ap do elo loma mal al, q ue fi ze ram à mina hp prima, puta q ue v os pari vaso mais, fr, v ossos p ass es q ue sao c rim crimes es de ass as sin io, e q ue porta nt o ten hoque dedop uz zoro rato da se pr es nete na rata dela aida ade se t rata, q ue b emo s ab we rato cao, é se ás pol ica s n cão fo rem cu mp l ice es, cera rate m nt e os ac usa sara circulo,

são isto técnicas de espelhos, e técnicas de tradição antiga, que de novo ganharam uma expansão mundial, com o aparecimento de negocio que comercializam cabelos vindo de diversa origens, como uma vez aqui dei conta , inclusive de ofertas religiosa na índia, promessas,

sao is t o tec nicas de espelhos, é tec nica de t ardi sao es antiga, q ue de en ovo g a mna haram uma, é x pan sao do mundial, com o par rec ie maior nt circulo do laco de n ego do ciso, q ue co mer cia al iza x m cab elo s vaso indo, de di ver sa o rig es, c omo uma do vaso e zorro aqui dei conta , inc l us ive de o p fe rta s r eli gi o sana india, por me ss as,

atirei três setas agora, e assim me rezaram, circulo roma, circulo azul, das putas que se dizem da cas real portuguesa com relaçao à igreja católica romana em roma, e é friso dos dentes da dentadura,mol ares lado direito, espectro politico

a tir do rei, t r es s eta serpentes do agora, e ass si maior da me re zara ram, c irc culo roma, c irc vaso do prime rio do circulo do azul, das putas q ue se di ze maior da c as da real portu guesa com da do tribunal ak do primeiro da do tribunal da relaçao, acento da primeira da igreja catolica romana em roma, e é fr iso dos dentes, a da dentadura,a am mol ares do lado direito, espectro pol it ico, a am puta, a puta da manha da manha

esta noite ao descer a alcantara , li ser o passe da abby, do onze do os, os do onze, da rua, ua ligado aos franceses

é es sta ano da noite, 2005, cao d es cera da primeira de alcantara , li se serpente do ero p as seda da abby, do onze do os, os do onze, da rua, ua liga do gado a os fr anc es esss