sexta-feira, outubro 01, 2010


+
este é a prancha que me serve de suporte ao rato comprado nas amoreiras que tem tipo delirium tremendus, é que foi um passe que as bestas terroristas fizeram aqui, primeiro dando-me cabo do chinês, o vol e depois lá colocando este, que era o único dos mais baratos que lá havia, e cujas cores, e forma fizeram também ecoar numa campanha pub de mupis como aqui na Casa de Deus dei conta, e sobre o qual depois ainda me lembrei, que a sola dos tenis da rapariga que espelha este rato,  remete para uma das imagens do logo do canal zero, circulo anal zorro do ero, publicado no livestream,

este dó do prado rem en quadrado us traço da inglesa do uni cod ar ep ed ua da sima da manah


este é pri e mr ia  pr anc home da primeira q ue da me ser vaso ,ed e s u p orte cao do rato com do museu do prado nas amo reia serpentes q ue te maior do  x da cruz dot ipo deli rio, o do bebe bed o,  vaso de um t rem en d us, é q ue f oi de um p ass e q ue ás das bestas te rr o ritas fi ze ram aqui, prime iro dd do dando do traço da inglesa me do cabo do chines, ovo vas do ole d ep o is l á c olo can do de este, q ue e ra do circulo do uni codo serpente  mais bar ratos q ue l á h avia, é cu ja s  cor es, é forma fi ze ram tam am tambem e coa ar numa cam o anha da pub de mu pi sc omo aqui na Ca sade De us dei conta, é s ob reo quadrado da aul d ep o is a inda me lem brei, q ue primeira sola dos ten is da ra pa riga q ue es p delha , este rato,  rem te para de uma da s ima ge ns dol ogo ~godo c anal z ero, c irc culo anal zorro do ero, pub l cia ad dn no live st rea am,

as raparigas do cartaz ~que se vem de costas, em mini saias, me remeteu para a memoria de uma  que comigo trabalhou no tempo da expo, irma da vera, a actriz da nbp, ou seja como falando de roubos de ideias e quem sabe também dos arquivos que ao que prece rendeu uma pipa de massa, mas insignificante em relaçao ao valor real eles, 

o as da cruz do tempo do mo da pr rece prime rio 

às das raparigas do cartaz, sic,  onda q ue da se vaso e mde dec costas, em mini serpenet  das aias, me rem da cruz do europeu,  para da primeira da me mor ia de uma  q ue co migo t r aba bal , meo, ho un not do tempo , é mai rato circulo da  poda expo, irma da vera, a aca cat raro roi zorro da n bp, o vaso do seja c omo f al ando der ero dos o ub os de id e ise q ue maior,  sabe,  tam am tambem dos arquivos q ue cao q ue pr rece ren de vaso de uma da pipa, nome,  pade do massa, it, ma s in sig ni if ican te em relaçao,  cao av prime rio do circulo do rato real deles,opu vi faalr em seiscentos mil , mas tal verba se pode aplicar ao roubo tanto dos meus últimos apontamentos como das ultimas fotos, a dos derrames incluídas



pezinho mole, é o nome dando pelos cowbois fora da lei as pessoas normais, e se vires bem aqui, cá esta o homem pistoleiro, que fuma cigarros em boquilhas, e um outro com uma prisca, que com o laço deita abaixo o meu armário inglês,

pé da cow do boy do boi,da lei, cigara da rose eva do vaso do cao da ar da primeria do mario, circulo ingles, o pedo homem pistoleiro


pe z in ho omo damo da mol ole, es , é circulo do nome do dando p elos dos cow bois for primeira  ada da lei ás p esso as norma is, e se vaso ire s b em aqui, cá  é sta do circulo do homem pi s tol ie ero, roque fu ma cigar rose maior  boc quilhas, é um outro com de uma pr isca, q ue com o la aç sao es da deita abaixo,  o me eva vaso d au ar a mario, o inglês,


e sta de c ima é a primeira das du as pr anc h as de sta r e visa sat q ue f oi ip da pub l ciada em e p iso dio s, onda leio en tao, o morris, o do morris, é o gosc sc cin em ny, waldo, cam peo do atp de ferro do velho organizado pela rainha, duzentos e dois, segundo doz , do ze, circulo clo lop ps zara gata no do saloon, s al salo, ste ten en ns sde , bondade, d es spa traco ingles cha traco te primeira bebe rato por q ue em bre traço ingles vaso e, is to est tara em bebe acento ive el, pulta lu com boi forte do ff, , dn, o do boxe, morais, p elo criquete circulo do vaso p elo hoquei , aqui em cima, na relva, esplendor na relva , es pe cie de ani ima mai ze traço n h os q ue da c rac ac daa cc, do roubo, cao da ar v o c es maconico, os dos dois, sobretudo, cruz vaso sam, a cremalheira dos pe  x in  h os damo da  mole, o veio, o velo, dos j ove sn entre aspas g en tele en le,  que se di verte por , é x em p lo, assis ti , ps, uam vaso é zorro da caçada, acento da raposa, ra posa, q ue ter mino vaso na bibli o teca, madeira, d conde de hamp, h am mp traço do peito, chester , grau dezoito, do nome m c on tin ua dez ase sete


e sta da terceira, acor, rato es,  já pub l ciada ante rio rato, mente,  na Ca sa de D e us, d es vela  a inda,  a da relaçao com da pri emi mira do ra da dama da matança no gelo, o vaso do seja bes lan
sabe, bela jolie, estava para aqui a pensar, coisa de quem trás mal nos olhos, certamente por não ver os lábios, os seios e a rosa de nossa amada ao perto pertinho, na operação da onu, na verdade também nunca vi, que me lembre, o tecto daquela casa vetusta e demode, devem ser altas, e certamente terão frescos com as escabrosas imagens da miséria do mundo e das crianças que a menina tão bem conhece e tanto tem mostrado ao mundo como embaixadora da unicef que também é

serpente abe, dao da bela jolie, est ava para a qui qa ue aqui, a pen s ar, co isa saee q ue maior t rato ps as do mal nos olhos, cera rate maior nt e por n cao ver os l ab io s, os se iso, é primeira da rosa de nós da sa amada, cao do per to p e rato rt do tinho, na por raçao da onu, na verd ad e eta tam am tambem n un ca vi, q ue da me lem br reo tec t o daquela da c asa v est u t , primeira é demo mode, d eve maior ser al t as, e ce rta em nt e te rato do cao dos fr es cos com do as esca bor , pitis, br rosas, sas ima ge ns da mise ria do mundo, é da s crianças q ue da primeira menina tao b em c on h ece e t ant te maior mo st rato ps do ado aco cao mu n dc omo em ba ix dora da unicef, q ue tea eta tam am tambem, é

vinha assim do céu feita borboleta, entrava pelo zénite do tecto, e descia por aquelas grandes cordas, com as suas belas piruetas, e disparava logo para o alto, para chamar a atenção aos distraídos, que eles certamente ficariam logo em sentido, também me pode vir buscar a prisão onde me encontro, se me prometer primeiro não me confundir nunca com o outro rapaz, a quem a menina pedira ajuda uma vez, e que depois a queria trair roubando lhe algum objecto ou algo assim, pois sabe que nunca lhe faria tal coisa, quer dizer, com um exepcao, lhe roubaria um pedaço de seu coração, mas pensando bem, também nem é o caso, pois já lhe roubei um pedaço, que trago em mim, e só lhe faz bem a si e a mim, portanto nem roubo, é,

vinha ass si md o c eu feita bor rb ole priemria le eta, en t rara ava p elo do zenite , dico fr, do tec t oe, é d es cia por daquelas g ar n d es co cordas rda serpente, com ás s u as das belas das pi rue eta se d is par ava l ogo para do circulo do alto, para c ham mar primeira a ten sao es, primeria do os di s t rai d os, q ue deles, ce rta tam am mente, fi car iam l ogo em s en t id o, t am tambem me da pode vi r b us car primeira da prisao, pri isa sao es, onda da me do encontro, se me pro rome met rato do prime rio n cao da me c on fun di rato n un ca com do circulo do outro rapaz, primeria q ue ema primeira da menina ped da ira da ajuda, mc, pt, governo, uam vaso é zorro do ze q ue d ep o is onda da primeira q ue ria t rai rato r o ub bando do dando, l he al gum ob j c to o ual goa ss si maior, p o is ,sabe, q ue n unc al he do faria ,trovante, e bancario, t al co isa, q ue rato di ze rc om um e x e p ºcao, le home ero ub bari aria , italia, um ped dc sao es de s eu co raçao, mas p en s ando b em, tam am tambem ne méo o caso, p o is j á l he ero ub ei um ped aç sao es, q ue t rago em mim, e s ó l he f az b ema si, é primeira mim, por rat tnt one maior mb be maior do mr do roubo, circulo é,

depois do sonho, foi tomar banho, e as aguas definiram de novo a imagem do narigudo do falo,

d ep o is do sonho, f oi de tomar, cidade, ban home , natal oe ás das aguas, d efe ni iram de n ovo primeira ima mage md o n ar rig vaso do dodo do f alo,

abri a porta do armrio e na zona que correspide a cabeça da besta assim se ve

ab br i , prime ria do porta, cds, do ar mr io é na zon primeira q ue cor r es pide primeira cabeça da besta as si maior da s e v e

o home do cowboy pistoleiro, já lhe explico porque, em outra imagem, repare só no pormenor que da boca dele sai uma espécie de cigarro, boquilha, tipo anos vinte que parece uma língua da cobra de fogo

circulo do home do cow , co da dp do boi do pi s tol ie ero rato circulo,  j á   l he é x p lic o por q ue, em outra rai mage circulo it rato ps circulo ingles, , r epa r es ó no por men o rato do que da boca dele,  sa é uma es pe cie de c cig garro, boc quilha da ilha , t ipo ano serpente do vinte, t r ipe,  q ue par ee uma lin g vaso  dada da aco co br a d e fogo


dentro do armário, a correspondência com a figura deste face, um esfregão nas cores brasil, cif, verde br anca, azul rosa, ps, am mar ele do ultra, da cruz ra da graxa do home do sete

d en t rodo ar do mario, ps,  a cor reo n dec cia ai  com da primeira figo ur ra de este face, um es fr, é gato do cao nas cor es b r a si l, cif, verde br anca, azul rosa, ps, am mar el leo do ultra, da cruz ra dag rato da axa do home do sete

contudo esta imagem remete ainda para os assuntos que neste momento estão a ser detalhados no outro blog, Casa de Deus


c on tudo é sta da ima mage maio mr reme te a inda para do os ass un to serpente os da ue neste mo men  t o es t cao primeira ser d eta ala hd os no outro b lo gato da caa, a  sade De us

como lhe explciarei de seguida, antes de voltar a frase em frances que a bela menina, nao entendera

c omo , l he é x p l cia rei de sg guida, ant es de vol tar da primeira fr ase em fr anc es q ue ad da primeira e eb dela, da  menina, n cao en ten der a
depois sonhei, e estava no sonho, e deveria estar deitado, e a rapariga me saltava em cima, ah amada que bom sentir, senti alegria do amor da mulher amada, que nos ama, e salta para cima de nós a sorri e a brincar, e meu rosto no sonho tudo ao momento se iluminou, a sorrir também, , de repente lhe vejo a face e a reconheci, uma bela rapariga cujo nome de família fora aqui na casa ao lado recentemente evocado na pessoa de um seu irmão marinheiro, e de perfumes de desgraças e estranhos passes no terreiro de paço e em outros lugares,

d ep o is s on he ie es tva no do sonho, e d eve ria es star dei a td o, é primeira ra par riga me sal t ava em c ima, a home do ham da amada, q ue b om s en tir, s en ti primeira leg ria do mao rato da mulher amada, q ue n os ama, é sal t a para c ima de nós, primeira sor ire rea primeria bric cna ar, é me vaso do rosto do no do sonho, t vaso do circulo do dao moe maior tn o da se i lu mino ua primeira sor rata i r t do tam da am tambem, , de re pen te l he eve vejo, primeira face da priemira d ft nb sp reco n he ci, uma bela rapariga vaso do j ho no mede da familia for primeira do qui aqui na casa ao lado, rec en tem nt e evo do cado, br, na pessoa, de um s eu irmao do marinhe iro, e de perfumes de desgraças, é est ratos anhos a ps serpente es no do terreiro de paco , é em outros lu gare ares, na vera de ne maior t rago europeu me mor ia v isi iva al de ss e ira am mo, dela sim, clara , cd, de sd é min home da primeira mia ad o l es cen cia am da t rago eu me mor ia v isi siva do aval de s se ira mo, dela sim, clara , cd, de sd e min home da priemira ad o le es cen cia ana vera d ene

depois a via a subir como que uma escada em caracol, como os belos beijos que em ti expandem o amor, como quando te lambo a pele, eu deveria te la visto de um qualquer patamar onde ela chegara, como se tivéssemos saído os dois de um prédio, mas como se fosse em seu inverso, pois a via a subir as escadas do caracol, nos despedíamos pois entretanto chegara alguém para ela, era estranho personagem, com um voz como se fosse um actor a actuar, ao partir, vira o poisar e abrir como se fosse uma capa de violoncelo, e reparara que uma das mãos dele, era como que deformada, a mão, s europeu do teseu,é serpente do ski, assim declinou o corrector neste momento,

d ep o isa primeira da via , primeira s ub erc omo q ue uma da es c ad a em car rac aco l, c omo os b elos bei j os q ue em ti es x pan demo primeira mor, qa un dó da te lamb o primeira pele,br, eu d eve ria teresa de la vi st , circulo de um aqui, quadrado l ue rato pata a am mr da onda dela chega da gara, onda c omo da se ti v ess emo s sa id o , os dois de um pre ed io, mas co mk se da fosse em es eu in ver s o, p o is a via, primeira s ub ira serpenet das es c ad as doca ra co l dos nós d es pi di amo sp o is en t rta nt o chega gara al g ue maio do para dela, é ra est rato do anho poer son age maior, com um vaso do oz c omo da se da fosse, um a tor a ac tua rata, cao p art tir, vaso da ira do circulo p oi isa da serpente da ar é abr irc omo se da fosse de uma da cap do ed do viol on c elo, é r ep ar ara q ue uma das maos dele, e ra c omo q ue de for m ad a, primeira mao, s eu teseu,é serpente do ski, as si maior dec lino vaso do circulo do cor rec tor nest e mo men to,

acordei, e ao pensar no sonho, pela capa do violoncelo , vi o prédio aqui ao lado, na minha consciência, ficou como uma espécie de perfume a divina comédia mistura com romeu e julieta, de amores contrariados, na verdade me pôs a pensar se não tem sido o caso com esta bela rapariga que sempre achei bela, me saltou da memoria, uma frase escutada não há muitos anos em espírito, de alguém que me relembrava, tudo por causa de uma frase em francês, que ela não tinha entendido

acord ei, é cao pen saerpenet da ar do no sonho,psi, p dela , capa do viol len cle do leo , o violentador, vi do circulo do pr dei do circulo aqui ao lado, na min homem da primeira co ns cien cia, fi co vaso c omo , uma es pe cie ed do perfume, cc, primeira da di da vina da comedia, teatro, maior is serpente da tura com do romeu, é ju li e ta, de amo es conta ria ad os, na verd ad e me p os a pen s ar da se n cao te maior s id, ou sida, se ida, dp do caso, maluco, com desta bela rapariga, q ue se mp re ac he ei da bela, me salo da me mor ia, uma fr ase es cu t ad ana o há mu i t s o ano serpente em es p ei rito, de al g ue maior doque da me rato dele lem brava, sony, tudo por ca usa de uma fr ase em fr anc espanhol q ue dela, n cão da tinha en ten dido


continuara, quem sabe...

beijo à jolie

ah
jolie
que
jolie
estava

abri
a
revista
e
a
vi

que bela

me pareceu um pouco mais magra de face e talvez quem sabe de corpo também, fica-lhe bem, embora me tenha nascido uma pequena preocupação se sua saúde estaria bem, se não estiver, venha ter comigo, que eu a curo assim em tipo beijinhos

sabe bela amada jolie, nao sei que febre é essa que deu também na menina que à imagem de muitas outras meninas belas, me aparecem agora todas assim em tipo vestidinho de neglige de suave cetim, que faz logo sonhar as mãos de um rapaz em suaves deslizar e o tirar e muito beijar, estava muito bela num assim em tom simples e claro, veja lá que até aqui em portugal em dia recente, também um conjunto de belas assim ao que parece desfilou , vinha a fernanda na capa com um com umas rendinhas assim um bocado pesado demais para a simplicidade do cetim, que é como as sedas, leves, maleável, deslizante como os beijos, se estiver assim meio adoentada, primeiro não poderá estar mais que meio, mas não chegue assim vestida, que se chegar, eu lhe pego ao colo e a deito logo em leito de beijos sem fim,  bem,  também cura
sabe bela menina de meu coração, deveria fazer assim tipo de lara, e entrar na onu com aquelas pistolas e coisa afins e dizer aos rapazes para acabarem com o analfabetismo num mês no mundo inteiro e também para se chegaram com o dinheiro para o fundo do fim da pobreza no mundo , é só dizer quando vai, que eu faço daqui uma espécie de backup, na forma que precisar, para os convencer de vez, entenda-se

antes dera na perfumaria com a diana kruger também de cetim, a olhar para mim como se caminhasse, com um jarro ao lado de uma gota de oiro, do perfume que ela é, eu olhei apara ela, e me disse, que curioso também com esta rapariga quando me movo , ela move os olhos, depois me disse, mas este jarro é o jarro e uma imagem no jardim das necessidades que publiquei na Casa de Deus, que estranho dizer, então, di circulo do rato da gota de oiro do falo do pri ni circulo do  pedo do aro do mne, psd,  com uma mosca poisada na concha, que me remete para primavera como cetim , para a paula do deslizar nos sonhos , ou seja da igreja de paulo, que tem estado iluminada a realçar o medalhão da senhora que trás a crianças sem cabeça, como a imagem do vídeo de meu filho bebe, que em parte se apagou, numa gravação indesejada,estranha e clara soma esta



primeira do home do jo, da lie do ie, qaudrado vaso é jo pri é mr io ie, esta ava, ab br ria pri e mr ia da revista, rata rev vaso sita ista, é a primeira do vi, quadrado da ue, da bela,
um po u co mais, fr,  mag ra de face,  é eta   alvez q ue maior, sabe,  de corp circulo  tam am tambem, fi ca do traço ingles primerio he,  b em, em bora me ten homem da primeira na sc id o , uma pequena pre o cup aç sao es da se da serpente da ua da saude, vera,   est aria b em, s en sena nau do cao est ive rato, v en home da primeira  teresa co mig circulo, q ue e ua c ur o ass si maior em t ipo bei jin homem  os
s abe db da bela am ad a jo l ie, n cao s ei q ue fe br e  é essa q ue de u tam am tambem na menina q ue à ima mage maior de mu it as outras de meninas de belas, me ap recem do agora todas as si maior em t ipo v est id din h o de ne ene g lige de s u ave dec set tim, q ue f az l ogo s on home da ar as das maos de um rapaz,  em s u ave es d es liza reo tir da ar, estav mu it o bela nu massi me maior do ton do simples,  é circulo do prim ero do primeiro aro, a té aqui em portugal e em dia rec cent e, tam eb maior,  um c on jun to de belas,  as simao q ue pa rece d es filo ilha da lou  , vinha da  fernanda na capa, com de um com das ren dinha sas si maior,  um bo cado pesa sado demi as para da primeira si mp li cida dade dedo cetim, q ue é c omo às de sd e, l eve s, mal lea ave el, d es liza nt e c omo os bei jose est ive rato ass si maior da me io do en t ad a, prime do rio n cao pode ra es star massi sic q ue me do io, ma serpente  n cao c he g ue ass si maior vaso es t id a, q ue da sec,  he g ar, e u l he do pego,  cao c olo é a primeria de it o l ogo em leito de bei j os se maior do fi maior,
s abe bela menina de meu coraçao, d eve ria f az e rato as si maior da cruz ipo pode da lara, e en t rato ps da ar na o nu com ad daquelas pi s tol as e co isa a fi em nse di ze rato  a os ra p az es para aca ba rem com do circulo  anal do fa beti is mo nu maior do  mes,  no mundo inter io e eta tam am tambem para se chega da gara da ar ram com do circulo do dinheiro,  din he rio, porto psd,  para do circulo do fun dodo fi mda p ob br e za no mundo , é s ó di ze rto ps qua n do ava do ai, q ue eu f aço des aqui uma es pe cie de ba ck u p, na forma q ue pre cisa ratops , para os c on v en ser de v es, en t en da traço da inglesa se

ant es der ana per rf fu da maria com da priemira  diana do kruger, unhas ,  tam am tambem de ce tim, a ol homem da ar para da mim c omo se ca min h asse, com um ja rr o cao lado de uma g ota deo iro, do per rf um me, cc,  q ue dela é, eu o l he i ap ara dela, e me di s sec, q ue cu rio s t am am tambem com desta rapariga qa un dó da me maior ovo , ela m ove os olhos, d ep o is me di s s ema~s este j ar rato ps circulo, é circulo do  j arro, é uma ima ge maior  do no jardim das nec ess sida es q ue pub liq u ei na Ca sade De us, q ue est r anho di ze r, en tao, di circulo do rato da gota deo iro do f alo do pri ni circulo do  pedo do aro do mne, psd,  com de uma damo da mosca,  p oi sada na concha, q ue me reme te para prima vera c omo cet tim , para da primeira de paulo do d es liza rato  nós dos sonhos , o vaso do seja da igreja de paulo, q ue te am maio do estado,  i lu minada a rea l ç es aro meda alhao da am o q ue t rato asa crianças se m ca beça, c omo a ima ge mdo ov, italia, igreja de roma,  id dd deo do circulo  seo br e, sobre  meu filho bebe, quadrado da ue em puta da  arte sea da primeira da pa gato do circulo, un,  uma da g r ava sao espanhola inde do seja jada, est rata da anha, é clara,  serpente  oma desta, cura , o cabrão dos padres

mor rei do grupo dos pedófilos de merda, morrei, seus filhos da puta abusadores de crianças , que o inferno vos seja quentinho,!!!!!!!!