terça-feira, outubro 05, 2010

na verdade bela diana, recordo de si, um outro ar, deitada em vestidinho leve de verde verão, olhos brilhantes, braço em arco para cima, como recordando um êxtase, ah quem me dera que fosse de mim

na verd ad e da b dela, diana, recordo circulo de si, um outro da ar, deitada, em v es ti id din ho l eve de eve verde vera circulo, olhos br ilha nt es, br aço em arco pr a  c ima, c omo rec o rda dando,  um e x t ase,  a homem  q ue maior da me der rta rac ac q ue da fosse de mim
bela diana de meu coração
falava eu
do
perfume
que
é
seu

e
de
repente
sua
imagem
mudou

a
gota
de
oiro
passou
para
o
lugar
da
flor

certemente cheira bem na distancia da rosa, a me lembrar uma antiga linha de um texto do blog da filha do adriano moreira, certamente uma historia de rituais da deusa ops, uma insinuação, uma tentativa de criar uma bruma

que
bela
sois

embora
em
seu
rosto
atento
me
pareça
uma
ligeira
preocupação
morar

b dela, da  diana de me vaso do cora erc da raçao f al ava eu do ,perfume, cc, q ue é s eu, e ed r e pen te s ua iam mg em mud o ua primeria gor, a d e o iro p ass o u para do circulo do l u g a r d a flor ,cera rate ,mente, c he ira be ema mna di s tan cia da rosa, primeira me lem br ar uma antiga da lina hd, é um tex t o d o b l o g da filha do adriano moreira, cerarat ac av cruz, uma da do homem da serpenet ps  i t or ia de rituais da deusa o ps, uma in sin ua sao es,  uma ten tat ia av de c ria rato de uma da br uma, q ue b ela s o is em bora em s eu rato os to a t en tome, par eça es, uma dali lige da ira pre o cup sao es mo ad da ar

( mais um menos dois dias neste continum, depois de mais um ataque que me deu cabo dos dois computadores)