terça-feira, dezembro 28, 2010

a todos, ao papa de roma, a policarpo, que se diz patriarcado de portugal


este recibo recebeu um carimbo do patriarcado de lisboa, dia vinte nove do corrente, a senhora olhava o texto, de tal forma que eu as paginas tantas lhe perguntei se não compreendia alguma coisa, não me respondeu, como bem educada que é, depois lhe disse para carimbar, assim o fez , e disse, ficou ao contrario, pois ficou respondi-lhe eu

este, lugar,  re cibo rece do beu , um do car im bodo , o do patriarcado de lisboa, do  ia da ava do vaso int en ove do c or ren te, primeira s en hora o l homem ava circulo tex cruz circulo, de t al forma q ue é vaso  ás pa gina serpenet da cruz das antas primeiro dele,  per gun t ei se na cao co mp ren dia al gum a co isa, n cao me r es ponde eu, c omo b em edu c ad a q ue é, d ep o is l he di serpenet da se , para car im bar da ar, as si mo de fez , e di s se, fi co u cao c on t rato dela  circulo ari o, p o is fi co u r es pon di traço ingles l he europeu

mais claro a coisa se torna, quando depois olhei a primeira data que ali manuscrevi, em cima, pois o vinte e nove, mais é vinte e quatro de dezembro, portanto falamos também do tsunami de 2005, o segundo do 010, o sete da igreja, circulo 201, ou seja vinte dezembro, rato cruz ipe

mais circulo dp primeiro rol do aro da primeira  co isa sada da se, set do  tor do nac da ua ando do qaudrado da ep do circulo do iso , primerio he do ia da primeira da data, empresa,  quadrado é vaso  ali,  manu sc rato é vi, em circulo do ima, p do circulo do iso do vinte, é  en ove, mais é vinte e quatro,.  dede da se mb br circulo, do porta, cds,  nt circulo,  f da al amos tam am também, o  do ts un am ide 20 do circulo da estrela, o segundo do 010, o sete da igreja, circulo 201, ou seja vinte dezembro, rato cruz ipe

o nome da senhora me diz ainda uma outra relaçao entrada na carta, pois uma palavra que pelo espirito se decompôs, beneplácito, que me leva a italia, e lacito, que me levou a uma organização do cnrs, de recolha e investigação de línguas antigas do mundo, me diz por suma, maria terceira do  ene da bene da dita do correia

on o meda da senhora , me di za inda uma outra do tribunal da relaçao , en t rata a d a na ca rta, p o is uma pala vaso  rac q ue p elo es pei r to ze deco p os, b ene p lacito, q ue da me l eva da primeira da italia, é l ac it o, q ue me l evo ua da a uma , organização do cnrs, de reco primeiro do homem da primeira, é in  v est tiga ac sao de l ing u as antigas do mundo, me di zorro por s uma da maria t rec , é irado  ene da bene da dita do correia





papa e policarpo, foi a terceira vez que me dirigi ao patriarcado de lisboa, nestes anos, talvez à mais de três anos, assim de memoria,  como aqui no livro da vida narrada, das duas vezes anteriores que por lá passei, deixei meu contacto para que o segundo me contactasse, e nada se passou, ou seja não recebi nenhum contacto vosso, o que prova a vossa culpabilidade no que hoje em forma formal entreguei como acusação à igreja de roma

papa é policarpo, fo ia t rece da ira vaso é zorro q ue da me di rig gi do cao pat ria rato cc , cristina coutinho, ad circulo de lisboa, nestea, cha , ano serpente, t alvez à mais, fg do rato,  de t r es anos, as si mde me mor ia,  circulo omo a qui no l iv roda v id a na rr ad a, do as de duas,  vaso é ze es ante r iro,  é zorro serpente q ue por l á p ass ei, de ix ie me vaso c on t ac to para q ue o se gun do me c on t ac tasse, é n ad da primeira da  se p ass o u, o u seja n cao re cebi n en home primeiro  c on t ac to vaso  osso, o q ue pro da ova ad  vasp os sa cu l pali dade 3 no q ue home oje em fo pr ma for mal en t reg eu é c omo ac usa sao espanhola à da igreja de roma

como toda a gente do mundo o sabe, trata-se de um roubo e de um abuso de um filho, o meu, ireis continuara a insistir que não trazeis conhecimento da acusação !!!!

circulo do omo toda da prime rata da ia da gente,  do mundo circulo, o sabe, t rata inglesa se de,  um do roubo, é de um abuso de um filho, o me vaso , ire is circulo em  tin do vaso da ara, primeira em sis do tir quadrado da ue en cao dat cruz rato tor da aze is circulo em he cie maior nt circulo , o  da acusação !!!! 
inferno como vós todos!!!!!

acresço ainda a narração do inquio e desvelador vosso acto na igreja do chiado abaixo aqui narrado, no seguimento do cio do furação, ainda dois passes, e o que o espírito sobre eles me desvelou
ac do rato espanhol da cc, circulo da primeira  inda da ana da rr, a da radio renascença, a da raçao da inc do vaso do io,  é do quadrado da es vela da ad da dor do vaso do osso do acto na igreja do doc da  hi da ad do circulo, o da  aba do xo aqui narrado, nose da se do guy em en to , o do cio do furacao, primeira inda do is p ass es, é circulo quadrado da ue do circulo do espanhol  p ei rt to serpente do ob re deles,  med espanhola velo elo lou 

antes de subir ao chiado e entrar na igreja estive no cais das colunas a cumprimentar o céu , a luas e as estrelas, quando voltava, na rua do oiro, um primeiro passe, um dos guindaste que por ali estava atrás do paço do lado esquerdo, quem vinha do rio, mudou a sua posição, como indicando a zona do castelo, estranhei pois aquela hora, obviamente que não deveria estar ali ninguém a mexe-lo, ou seja mexeram-no propositadamente,

ant espanhola,.  do serpente  ub do irao cao do chi ad circulo, é en cruz rato da ar na igreja est ti teve no do cais,  da serpente das co luna sa cu mp rime en nt da ar do aro roc do ceu europeu , ás luas é as est rato delas, qa un dó vol t ava ana da rua do oiro, um prime do rio do passe, um dos gui n da ste tec que por ali, super mer cado,  est ava at rato as do paco , dol primeira do ad circulo do esquerdo, q ue maior da vinha do rio, mud o ua,  serpente da ua p oi serpente da isca do cao, circulo omo indica cando da primeira da  zon ad circulo do castelo, est ratyo ps ane hi  do ip do hipo da puta do circulo do is daquela,  hor primeira do ob da via am,a que  mente,  qaudrado do vaso é en cao da eve ria da espanhola star ali,  nin gato da ue ema má do mex , é traço ingles primeiro do circulo, o vaso do seja mex , é cruz  am traço ingles no pre posi t ad dam am, a que mente

entrando pela rua do arco, logo no primeiro cruzamento, ao lado de uma loja com bandeira e musica que se ouve na rua, me apareceu um primeiro, homem magro alto, com chapéu de chuva poisou ali ao pé da perpendicular, e começou a  fazer os habituas estranhos gestos de face e com o guarda chuva apontando também a direcção do castelo, parei por un instante ali ao ve-lo, quando de repente se cruz um outro comigo, andando rápido, e passando rasante, mais baixo, cabelos maiores, em caracóis, meio gordo, gabardina clara

 
en cruz rato anda puta dela, a da rua do arco, l ogo no primeiro circulo da ruza , uza, am en cruz delta circulo, cao lado , de uma loja com do bandeira, é mu sic primeira q ue da se o uve na rua, me ap ar receu um prime iro, homem magro alto, com do cha ape eu dec circulo do homem da uva , p o iso vaso do ali cao peda da perpendicular, é  co meço espanhola da al ,  ua   f az ero serpente h ab bit ua s est ratos anhos g est os de f ax ce , é com do circulo do g a urda c homem da uva ap pao nt ando tam am tambem da primeira di re sao es, a  do castelo, pa rei por un in s t ante ali cao ove traço ingles primeiro do circulo, qua n dó de r ep en te da se da cruz , um outro roco do co do mig circulo, anda do dando ra do pido, é p ass ando ra s ante mais ba, é xo, cab elo s mai o ratos es, em cara rac co is, me io gordo, g aba rato da dina da clara


depois de sair da igreja do chiado, fui até ao adamastor, ali estava o palácio das farmácias, todo iluminado, e um jovem no segundo andar do lado direito quem esta de frente agitado de um lado para o outro ao telemóvel, era o único que se via pelas janelas, o que é estranho pois estavam todas iluminadas, depois me sentei ali no café do adamastor, que faz como um delta pela posição em que se encontra entre duas pequenas ruas, que ali desaguam, e dei com uma fadinha, de asas de borboleta, curioso, pois tinham  acabaram de entrar mais uma vez numa visão das amoreiras 

do quadrado da ep do circulo do is , de serpente do air da igreja do chiado, fu ue primeira da té cao do adamastor, ali espanhol  tva do circulo, o da pala do ac do cio das fam ac ia serpenet das farmácias, , todo el primeira do vaso  mina do ado, é um do no se gun do anda da ar do l ad circulo do direito, fac,  q ue maior desta,  de fr en te a git ad o de um lado para do circulo do outro cão tele emo ove primeiro, é ra circulo do uni coc ue se da via  p delas, as das janelas, o q ue é est rato do anho,  p o is est ava vam am todas si primerio do vaso da min da ad às, do quadrado da ep  do circulo do is da me serpente da en cruz,  ei , ali ino ca fe do , o da ad do dam am ma serpente do torque fo rte do az circulo  omo , um do delta puta dela,  posi sic sao , em q ue da se en c on t ra en t red u as das pequenas,  ruas, q ue ali d es g au am, e d ei com uma f ad dinha, de asas de bo rb o l eta, cu do ur do rato da  iso , serpente circulo da puta do circulo do is da tinha do ham ad da am,   aca bar am de en cruz rato da ar mais , uma vaso é zorro  de  n ondas,  uma da visao das amoreiras

a pequenina se chamava maria, estava com a mãe e uma outra rapariga e poisou às paginas tantas na minha mesa, e me começou a dar os tremoços para a minha mão, me disse que em casa dela eram só raparigas, três marias, ela, a mãe, e a gata, e que pensava comprar um gato para lhe fazer companhia, me disse que tinha também um tutu no fato com asas de borboletas mas que a mãe teria achado demasiado para aquele dia, depois em disse, sabes quando eu quero fazer desejos, daqueles complicados, como que ninguém no mundo tenha frio, tenho que rodar muito, para os concretizar 

a pe da pequenina , a da sec do circulo do ham da ava maria, espanhola da tva com da primera mãe, é uma outra rapariga, é p do circulo do iso da ova do vaso do às pa gina ser pn netes das  antas na min home da primeira da mesa, madrid,  é me co meço espanhol da ua da primeira da ad da ar os da cruz  do rato emo moços , para primeira min home da primeira mao, me di serpente da sec do quadrado vaso,  é em ca sa de la , é ram serpente do circulo das ra par rig do gas, tres marias, ela, a mae, é a primeira gata, eq ue p en serpente da ava com p ar , um gato para kapa l he f az e rc om pa anhi a, me di s seq ue da tina home  tam am tambem , um tutu no fat top com das asas de borboletas,  masque da primeira mae teresa ria aca hd circulo irc cu uk l o ,  de ma s id o para q u dele, o desse dia, d ep o is em di s se, s abe es qua  n dó eu quadrado do vaso do ero f az e rato do desejo serpente, da ac 1 ue deles co mp li cados, c omo q ue nin g ue maior no mundo ten home da primeira fr io, t en hoque roda ar mu it o, para os c on zer ti iza ar  

houve contudo um momento, onde parte daquela conversa me apreceu de certa forma encomendada, quando ela disse dos tais desejos complicados, pois meteu as maos pelas prorpias palavras e foi o unico moemnto em que o fez, ou seja, esta parte fora encomendada, e aqui estva a manha, pois ela rodava como a sugerir furacoes, como a dizer alguem por ela, que determinados desejos e sua concertizaçao fossem a causa dos furacoes, 

homem do circulo da uve , c on tudo,  um mo men to, onda p arte daquela da convers primeira da me ap receu de ce rta forma en comenda dada, qua n dó dela di s se dos tais, br,  de sej os co mp lic cados, p o is met eu as das maos p delas pro rp ia s pal av r ase fo io uni co moe maior nt circulo em q ue do circulo de fez, o vaso do   seja, é sta desta, p arte for primeira  en comenda dada, é a qui es tva primeira da manha, p o is dela,  rod ava c omo da primeira s u ger i rato  f ur racoes es, c omo da primeira di ze rato da al g ue maior do mp do por dela, q ue det teresa rato min ad os desejo se  serpente da ua c onscer t iza ac sao es da fosse ema primeira ca usa sados fur r ac aco espanhol,


puta que vos pariu aqueles que usam as crianças e as fazem mentir para safar os pedófilos e criminosos, inferno com vós !!!!



circulo da puta,  quadrado da ue da eva do vaso do os pari , vaso  daqueles,   q ue usa sam am as crianças, é ás f az e maior men tir do para sa f ar os pedófilos, é criminosos, inferno com vaso do ó  os serpente  !!!!
nessa noite alta pelo espírita,  algum me dizia, são os terroristas, depois mais tarde ainda, me apareceu no espírito o segundo, entendi, então ser o segundo que se cruzara comigo na rua dos arco



ness primeira do ab bn circulo , ano da  noite,  al tap elo es pi do rito da al gume da me di zorro do ia, sao os terroristas, d ep o is mais, fr,  cruz  arde a inda, me a ap rece eu no es pe do rito do circulo do segundo, en ten di, en tao serpente ero circulo rose  do segundo quadrado da ue da sec , se circulo da ruza zara co mig on primeira da rua dos arco


hoje no vinte e oito quando fui ao patriarcado, ali no cruzamento do terrorista mor do ps, da presindecia, passva um pavao pela estrada, dizia, o condutor, como nao tem dinheiro, veio ca fra comer, eu respondi, nao, é o espelho dele,

homem oje no do vinte e oito,  qua n dó fu io do cao pat ria arc ad do ado ali no cruzamento, õ do circulo da ruza uza sorro  am men cruz circulo, o do terrorista mor do ps, o da pre sin dec cia, p ass vaso a um pavao p ela , a da est rata da ad a, di zorro do ia, do circulo do condu do vaso do tor, c omo n cao te maior  din he iro, do ove do veio ca fr aco co mer, eu rato do es pon di, na cao, é circulo do espelho dele,