quarta-feira, março 16, 2011

septagesima sexta parte da arte das bombas em londres

septagesima sexta parte da arte das bombas em londres




se pt a ge s ima sexta p arte da arte das bombas em londres





este buraco, o unico que atravessou o tijolo, foi feito com uma garrafa de azeite das oliveiras da serra, lugar no alentejo, assim creio, a ressoar em quinta, ou quintas palavra que parece ser recorrente nesta ultima parte, azeite remete ainda para o gallo, ou galo, ou gato alo, e isto parece indicar, o acto, como sendo uma resposta dos bandidos do ps,

este b ur rato do aco, circulo do uni coc q ue at ravessa o u o ti j olo, f oi feito com uma g r ar fade az ze it e da serpenets dos oliveira, dn, sd da primeira serra, lu gato da ar no do alentejo, al len en tejo, ass si mc rei o, primeira rata , essa o rem da quinta, tambem jornal, o vaso quintas pal av rac ac q ue pa rece ser reco rr en te nest primeira d a ul t ima p arte, az ie te reme te a inda para do circulo onz dog gato allo, o vaso g alo, o vaso do gato alo, é is top primeira da rece indica car traço da inglesa me , circulo do acto, circulo do omo s en dó, uma rata da es posta dos bandidos do ps,

como mostra o video, um relaçao ali no momento em que o gravava deduzi, por uma linha amarela vertical do lado de baixo da imagem do fresco, que correspondia antes de pintada, a uma branca que era o suporte do aquecedor que ali esteve e tambem tras como veem, um cabo eletrico da porpria canalizaçao de electricidade, ou seja , o cabo da electricidade da cobra br anca am rato dela

circulo do omo maior da ostra do circulo do ov vaso ide deo, um rda relaçao ali, algarve, no meo maior nt circulo, em q ue do circulo g r ava vao, mario soares, da primeira dede uz ia da por ass si m l ina h am ar dela , ver tic da al dol do primero ado de ba do xo da ima ge md o fr es coc, q ue cor r es ponde ant es da a uma br anca, q ue e ra do circulo do s up orte do a q ue ce da dor q ue ali es teve , e eta do tam am tambem t r as c omo vaso do ee maior, um cabo dele t rico da por rp p ria c ana liza sao es de electricidade, o vaso do seja , do circulo do cabo da electricidade da cobra br anca am rato dela

a relaçao se estabelece na imagem, com um stick uhu, amarelo tampa branca que esta em frente ao cd do apocalipse do coppola, e um circulo negro com um triangulo

primeira da relaçao, se este abe le cena ima ge mc om um do ds s ti ck uhu, am ar do elo da tampa br anca q ue es sat em fr en te cao cd do ap o cali ip do pse do cop p da ola, é um do circulo nr gato da roc om de um da cruz r ia n gula

apocalipse do coppola, como aqui disse, a musica que puseram no dia da encenaçao no metro de lisboa onde me tentaram em forma colecvtiva criar e envolver em mais uma ilusao, depois de eu a ter ouvido aqui em casa em vespera, como narrei em partes anteriores desta analise,

ap o cali ip pse do cop p ola, c omo aqui di serpente se, primeira mu sic a q ue p use ram no dia da encenaçao no metro de lisboa, onda da me t en t aram em forma cole cv t iva circulo ria ratop sp é en vol ver , em mais, fr, uma mai lusa usa sao, d ep o is de eurupeu primeria teresa o uv id o aqui em casa em vaso da espanhola pp pera, circulo do omo na rata rei em p art es ante rato ps iro es de sta desta , ana lise,

pois como aqui vos acusei, uma tal encenaçao só pode ter sido feita com o conluio dos terroristas de estado portugues, como se prova pelos ingredientes que usaram nela, e onde está a resposta a esta inquiriçao, em lado nenhum, a fazer prova da verdade do que disse, e isto é um acto criminoso dos constantes ao longo destes seis anos por parte destes bandidos!

p do circulo do is circulo do omo aqui vaso do os ac cu use is , uma da tal encenaçao serpente do circulo da ó pode , teresa serpente id circulo feita com do circulo do c on lui , o dos te rr e ratos istas de es sat td circulo do estado portugues, circulo do omo da se pro da ova p elos ing red ie en t es q ue usa saram ne la, é onda, esta a priemira rata da es posta , a primeira desta inq u iri sd cao, e ml ado n en home um, a f az e rato rp por vada vaso 3 ed r ad dedo doque di serpente da se, é is to , é um do acto criminoso , dos co ns t ane nets cao la ong o de ste es se iss ano spor p aret de ste es ban dido serpentes !

acrescento ainda que esta imagem do berlinde, como olho do furacao, remete ainda, assim o sei em meu coraçao, para uma imagem que esteve muito tempo aqui na bancada de casa no local das primeiras conversas oradas, um desenho que vos mostrei diversas vezes, de uma rapariga, uma aguarela, que dança a um sol, e cujas ultimas leituras à volta dele, como aqui narradas, se prendem com um efeito de luz que depois relacionei com a kim kardishian e por tabela com londres salvo erro tambem, vide referencias

ac rato do es cento, a inda q ue esta, a da imagem do berlin dec omo do olho do furacao, reme te a inda, ass imo s ei em me vaso cora raçao, para uma mai ima ge maior q ue es tve mu it o te mp circulo aqui na ban c ad a dec asa da casa serpenet ano no l ocal das primeiras convers as o rato da asa, um de s en hoque vaso os maior ostre rei d ove rato sas vaso be ze es, de uma rapariga, uma a g ur dela, q ue dança da a um sol, é cu ja sul t ima s lei it turas à vol t a dele, c omo a qui aqui na rr ad as, se pr ed dn, é mc om um efe it o de luz, algrave, q ue d ep o is rato ela , a do ac cio n ei com ad da primeira da kim , cc, k ar di sh ian , é por t ab bela com londres serpente alvo é rr circulo tambem, vide ref fr 3, é cn ia serpente

minha doce senhora, trago sempre saudades tuas quando estás ao longe viajando em parte incerta ao perto de meus olhos, de minhas maos, de meus labios e no meio das tempestades deve sempre o amado muito beijar a amada,



min homem da primeira doc é s en hora, t rago se mp re saudade serpente, a puta do mario soares envolvida no roubo de meu filho, t ua serpente qua n dó e stá sao l on ge via j ando em p arte inc e rta cao per to de me us olhos, de min homem as das maos, de me us l abi os, é no me io das tempestades da eve se mp reo circulo do onze do amado, ps, mne, mu it o bei j ar a am ad da primeira,

assim escrevera eu no primerio dia de fevereiro, a proposito de uma imagem que me aparecera na tv em casa de meus pais, onde a bela kate blanche fazia de rainha de outrora, de lado para a tv, primeiro vi as velas das caravelas, depois ela a fazer de rainha zangada com seus navegadores e sua corte, cabelo em coroa como de alguma forma está simbolizado na imagem do quadrado da indianapolis museu , ou seja sugerindo, um mesmo arquetipo

ass si maior mes c rato da eve vera europeu no prime rio dia de fever eiro, a por rp posi to de uma mai ima ge maior q ue da me ap re cera na tv em ca sade me us do pais, tvi, onde dea primeira do bel d a k a te blanc , he f az ia de rai rain homem da primeira de outrora, de l ado para da primeira tv, prime ero do vi às vaso delas, da serpenet das cara vaso elas, d ep o is dela, primeira f az e rato de rai n home da primeira zan da gada com se us na vega dor es, é serpente da ua co rte teca cab elo em coroa, circulo do omo da mode , al gum da primeira forma e stá desta, si mb co circulol da liza dona da imagem do quadrado da in diana da polis, a do museu , o vaso do seja su ger indo, um mesmo arquet ipo

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/02/um-beijinho-ti.html

estava eu no principio desta analise sobre as eventuais bombas em londres, nao me recordo já ao certo se foi mesmo nesse fim de semana que vi os imans no frigorifico e da relaçao que entao se consciencializou na minha consciencia como aqui narrei em partes anteriores, e meu pai ao chegar me disse que queria falar comigo

est ava europeu no pric n i p io do sta desta, ana lise s ob re às even tua is das bombas em londres, n cao da me recordo circulo da já cao ce rt to ze fo do oi do mesmo ness , é fi mde se mana quadra dom da ue do vi do os dos imans, no fr igor if ico, é a primeira da relaçao, quadrado da ue da en tao da se do co da ns da ci en cia da al do lizo da ova do vaso na min do homem da primeira, co ns ciencia circulo do omo aqui ie na rr ad primeira em oparte, serpente ante rio rato dos espanhois, é me vaso do pai cao circulo, he gato da ar da mne di serpenet da sec quadrado da ue quadrado da ava do vaso da ria f al ar co mig circulo

como aqui tambem o contei, mais um crime, e uma ameaça de morte, deste vez feita pelo mando do terroristas do ps, o teixeira do santos que aqui se acusa tambem neste termos, uma ameaça, como aqui o narrei em sues pormenores, e uma penhora numa conta de meu pai, por uma aparente divida minha como cidadao no valor de duzentos e cinquenta e nove euros e vinte enove centimos, abaixo em palavra orada a acusaçao contra ele o bando do ps, nos tribunais do mundo e perante Deus !!!!

circulo do omo aqui , do tam am tambem do circulo do conte ei, mais, fr, um crime, é uma da ameaça de mo rte, de ste vaso e zorro, feita, per lo mando do terroristas do ps, circulo do teixeira do santos aqui, se ac usa tam am tambem nest, é termos, uma da ameaça, circulo do omo aqui do circulo na rata ara rei em s ue s por men o ratos es, é uma pen hora n um ad da primeira c on cruz, ad e me europeu pai, por uma ap ren te di v id a min home da primeira circulod o omo cida dao no da valor, ft, de d uz zen to ze cin q u en t a e en ove euro se do vinte do en ove cent imo s, aba do xo em pala vaso rata o r ad a , a ad da acusaçao contra dele do circulo do bando do ps, o dos nós nos tribunais, do mundo é pera nt ed europeu serpente !!!!



sai da repartiçao de finanças e caminhei ate a zona da expo para apanhar o metro, em cabo ruivo, uma avo poisava a descansar do peso dos scos de compras em frente ao stand da porche, no cafe da estaçao dos autocarros, a rapariga dd a sic, a loira, seriam talvez tres horas se tanto, vi um resumo de imagens do tsunami no japao, a onda filmada de aviao ou helicoptero, parecendo como um onda de surf do hawai, depois as casas a serem arrastadas, um petroleiro que choca contra um dique, os gestos das maos da rapariga, com os papeis em cima da secretaria, simbolizaram naquele momento, a asa da demoiselle, a linha recente aqui contada, e a imagem do brilho da luz, como a dizer sem dizer que esta conta fora fruto deste acerto, lata nao vos falta perante as matanças e vossos acertos de criminosos, de genocidas, entrei depois no subsolo da baleia de jonas, abri um livro e assim ao momento li, Jesus tinha curado um epilectrico, me lembrei da imagem do metro aqui narrada com o tal que me dizia que um amigo dele tinha uma vez ficado entalado na porta, tornei a por os dedos ao calhas, e o livro me disse, guardas-te o melhor vinho para o fim, e a historia do vinho e dos habitos dos vinhos nas festas de casamento, onde geralmente se serve primeiro o melhor, em meu espirito , a imagem da matança do tsunami de 2005, a grande matanças, que estas putas terroristas andam a tentar cobrir nestas mistificaçoes como a tal divida, desço ao metro, olho o painel e veja a mesma imagem das aguas a entrar pela terra no japao, as mesmas cores, um mural de um australiano, onde se ve um surfistas vermelho, com cabelo de gil, o gil, e uma mao vermelha por debaixo em linha de sangue, como aqui a imagem de londres tambem

serpente aida da repartiçao de finanças, é ca min h ei rt primeir tea da zona da expo, para ap anha aro rome circulo do metro, em cabo ruivo, uma av circulo p oi serpente ava primeira d es can serpente da ar do peso , dos ss cos de co mp rato as em fr en te cao do stand da porche, no ca fe da es sat sao es dos autocarros, a ra pa riga dd da primeira da sic, a loira, se ria am t alvez tres hor as da se t ant circulo , vi , um r es sumo de ima ge en ns do ts un am ino japao, primeira onda fil mad de avia circulo, o vaso hel eli co pt ero, pa rec en dó, c omo um da onda de s u rf do h a dp ai, d ep oi sas primeira ca sas , primeira se rem ar rasta ad as, um pet r ole iro que cho ca do contra um diq ue, os g es t os das maos da ra pa riga, com os pap ei s em c ima da secreta ria, si mb o liza x ar zara ram naquele mo men to, a asa da demo is elle, a lina home re cente aqui c on t ad a, é a iam ge md circulo do br ilho da luz, c omo da primeira di ze rato se maior di ze rato q ue desta conta, for a fr u to de este ac ed dr circulo da lata n ao vaso do os f al t a pera nt, é as matanças, e v oss os ac e rt os, sao de criminosos, de g en o cidas, en t rei d ep o is no s ub os loda bal é ia de jonas, ab r é um liv rato do oe as simao moe maior nt circulo do li, Jesus tinha, curado, nome, um e pi le t rico, me lem br ei da ima ge md o metro a qui na rr ad a com do circulo do tal q ue da me di zorro do ia q ue um a mig o dele , tinha uma v e zorro do fi cado en t ala dona da porta, cds, tor mne ia por os dos dedos aco cao do calhas, rua, é circulo do liv rome di serpente da se, guarda serpente traço inglesa te o mel hor vin ho para do circulo do fi me da primeira da historia do vinho, hi s tori az do vinho, é dos h a bi t os dos vinhos n as festas de casamento, onda ger rale lem mne net se es e rato vaso do primeiro circulol do melhor, em mue es pe it o , a ima ge md da matança do tsunami de 2005, primeria g rande matanças, q ue destas putas tee rr ori ts as anda dam am primeira t en tar co br, é rato nest as misti fi caçoes c omo da primeira da tal divida, d es ço cao metro, olho do circulo do pa ine le do veja , primeira da mesma imagem , da primeira das aguas, primeira en t ratop ps ar p ela terra no japao, as das mesmas cor es, um m ur al de um au s t rali ano, onda da se ve um s u r f ist as verme l h o, com cab elo de gil, o gil, é uma mao , ver e ml h a por de ba do xo em linha de sangue, circulo do omo aqui , primeira ima ge md é londres tambem

Sem comentários: