quarta-feira, fevereiro 09, 2011

trigesima setima parte da arte das bombas em londres

trige es sima serpente ima, p arte das bombas em londres
vige sima set ima p arte da arte das bombas em londres


breve comentario ao que se develou na parte anterior, um nome russel, que de novo apareceu na parte anterior, pois russel , para alem das referencias às visoes do escritor aqui comentedas em diversos textos deste livro da vida como metaforas da situaçao que o uno mundo tem atravessado nestes anos desta grande sombra, é tambem a marca do fogareiro que aqui trago, foi alias neste contexto, relacionado com a rua coelho da rocha aqui em campo de ourique, que de novo ele surgiu, pois como podem ver nas fotografias, tambem ele foi alvo de uma arte, ou por que o vendeu ali na esquina da rua de infantaria dezaseis, cuja placa se le hoje , infantar de dez ase is, ou seja o da tar do infante de dez ase do is, e fogareiro como aqui expliquei a todos tambem há longo tempo atras, quer dizer em portugues tambem taxi, ou seja, pensando isto, parece a soma neste ponto apontar , uma relaçao do taxi visivel nas imagens de londres do autocarro com o russel, ou alguem do grupo, casa, dele

br eve com en tar rio do io cao q ue da se d eve evel lou na p arte ante rato do iro, um no me r uss el, q ue de n ovo ap ar e c eu na p arte ante r iro, p o is r uss el , para al lem das ref fr e cna is às das viso es do es c rito tor a qui co mena td as em divers as tex t os de ste este liv roda v id primeira do ac omo met a for as da s it tua aço q ue circulo do un circulo do mundo te maior ata r ave es sado nest as an s o desta g rande s o mb br a, é eta do tam am tambem da primeira marca do fog do areiro, bairro, q ue a qui t rago, fo ia do alias do nest, é c on tex to, rato ela , ac cio n ad o com da primeira da rua coelho da rocha, aqui em campo deo urique, banco, q ue de n ov dele s ur gi vaso , p o is c omo pode mairo n vaso é rn às das fotografias, fo tog ra s fia s, tam am tambem ele, f oi al vaso do circulo de uma arte , o vaso do por q ue do circulo do vaso en de eu ali lina da esquina da rua de infantaria dezaseis, quadr ado dc cu ja p laca da se le homem do oje in fan tar de dez ase is, o vaso do seja, o da tar do infante de dez ase do is, e fog ar rei o roco mo a do qui aqui, é x p liq u ei primeira to ds tam am tambem , há l ong do circulo desse tempo atras, q ue rato di ze rem portu gues tam am tambem taxi, o vaso do seja, p en sando is to, pa rece primeira s oma nest é ponto ap on tar , uma da rata ps, ela aço do taxi vaso isi v el nas ima ge ns de londres do autocarro com do circulo do russel, o vaso al g ue md circulo lodo dog gato rupo da casa del e

mais curiosa esta relaçao se torna, pois ao analizar as primeiras imagens , que correspondem às primeira partes deste longo texto, sobre a arte das bombas em londres, senti, ao me aperceber da manipulaçao das fotos , o mesmo perfume, de um pequeno conto do russel, sobre uma armadilha, a armadilha, mais complexa e simultaneamente a mais simples, a que decorre numa linha recta , que por sua vez me recorda quando o li, de sentir nela um perfume a metafora de zenao, sobre a demostraçao do nao movimento dos corpos

ma sic ur rio serpente es da rta da relaçao , se do torn a, p o is cao ana liza ratas às pri miras ima ge en ns , q ue cor r es ponde maior do * mec, às primeira p aret ts de este l ong o tex t o, s ob rea primeira da arte das bombas em londres, s en ti cao da me apr 3 e ce be rda man ani ip pul da sao es das fotos , o mesmo, me sd mo do perfume, cc, de um pec un circulo do conto do russel, s ob re uma rama ad da di da ilha, primeira ar ram am di ilhas, ma serpente com p le xa , é si mu l t ane am , a que mente, primeria do massi si mp l es, primeira q ue deco circulo ren de uma da linha, lugar, rec tam , q ue por s ua v e zorro da me do record circulo qua n dó da primeira da lide s en tir ne primeira da a um do perfume, primeira met a for qa de zena os, s ob r eo n cao mo v ie maior nt circulo , o dos corp os

igualmente relembro que a morte de marlon brando se deu na mesma altura desse atentado, pelos cios que aqui na altura descrevi, onde a radio e a sic esteve profundamente envolvida com helicopteros e outros meios camuflados por esses dias, vide as referencias neste livro da vida

i g ual lem nt é rato , ele , lem bro que da primeira damo da moret de marlon brando se d ei na mesma , a da al tura de esse cobra do atentado, p elos cios q ue aqui na al tura d es c rato e vi, onda dea da primeira da sic es tev por rf funda do dam maior nt, é en vol v id as com hel e co pt ero rose, outros mairo ie serpente circulo dos cam u f aldos por s se do dias, psd, vide às refer en cias nest e li v roda david primeira





vaso da es sima ima da set, ima p arte da arte das bombas em londres

o ultimo video, e cultura, aqui o link da sua publicaçao,

o vaso delta t imo v ide deo, é cu l tura aqui , circulo do li nk da s ua pub lic do caçao

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/02/trigesima-terceira-parte-da-arte-das.html



sobre o video de aqui publicado, algumas pequenas consideraçoes sobre o que ele desvelou a meu olhar durante esta montagem linear que fiz, para vos melhor explicar esta componente associada à perseguiçao constante que me fazem e a meu filho, e das relaçoes que esta mesma perseguiçao me desvela, e em seu reverso desta montagem de incriminaçao, com contornos de crime de conspiracia mundial, como igualmente, pelo mesmo processo, se devela sobre a verdade do que aconteceu

serpente ob br reo circulo v ide circulo lobo do ac ima pub li do cado, al gum as das pequenas c on s id der raçoes, s ob reo q ue dele, d es velo lou primeira me vaso circulo do primeiro homem da ar duran te, esta dd do damo desta montagem, mont tag éma mai iro line arque fi zorro do para vaso do os mel hor, é x pp lic da ar, é tsa com p one nt , é as soci ad a à perse gui sao es da constante perseiguiçao, co ns t ante q ue da me f az ze , é me primeira me do eu vaso do filho, é da serpentes das relaçoes, tribunais, q ue desta mesma , ada pee rata se gui sao es da me d es vela, em s eu r eve rato serpente on cao s o desta monta mede da incriminaçao, com do circulo em tornos de cos no pira cia do mundial, futebo, c omo igau lem nt é, p elo do mesmo, o do por c esso s o ab re ave dr ad dedo doque aco one net c eu, o que teceu

estes abaixo , foram os pontos que me surgiram como dignos de nota numa primeria leitura do video, depois de o ter aqui publciado

este es serpente abi xo , forma os pontos q ue da me s ur giram circulo omo dig gn os da nota n uma prime ria da lei tura do v ide o, d ep o is deo teresa aqui , quim, pub l ci ad do ado

a confissao ou a acusaçao, espelhada na voz do gil na peça que ele narra que nao é o filme que na locuçao menciono, cuja sinopse na lucuçao, nos diz de uma rapariga que insastisfeita com a vida sexual do casal, embarca numa aventura onde vai testar os seus limites, rematando a conclusao dessa mesma locuçao com a ideia chapeu que se o amor nao é para sempre, já o sexo o é, mas sim no filme hiroshima mon amour,

primeira c on fi iss sao o vaso da primeira , a da acusaçao, es p ela homem da ad ana da voz do gil, na p eça q ue dele na rr a rac q ue n cao é circulo do filme , q ue na lo cu sao men ci io no, massi maior no fil da meda rea liza dor a francesa, cu ja sin pse nós di serpernte de uma ra ap riga q ue in sas t is feita, com da primeria v id a se x ual doca s al, em bar ca ano n uma ave en tura onda vasdo do ai t est star os se us li mit es, rem ata n dó da primeira c on c lusa usa sao dessa mesma, a da l o cu çao com da primeira id deia c h ape eu q ue seo am mor n cao é para se mp re, ja do circulo do se do xo, o é massi maior no fil me homem hi do iro serpente hima mo n am mo do ur

este aspecto é capital para a compreensao do que se esconde e se devela atraves, do e cultura entendido como um todo, ou seja , inclusive na soma dos sentidos das peças , como alias desde logo chamei a atençao no comentário que nessa apresentaçao faço

este as pec to é de ca pit ak para da primeira c om pr es n sao doque da se es conde , é se d eve vela , at r ave es do e c uk l t ur rta en ten dido c omo um da cruz dp do, o vaso do seja inc l us ive na s oma dos s en t id os das p eças , c omo alias de sd e l ogo c ham ei primeira a t en sao no c oe maior nt ar io q ue ness primeira da ap resen taçao do f aço espanhol

começo por vos explicar que o gil que aqui menciono, cuja voz é audivel nessa mesma locuçao, é o gil ferreira, filho da maria elisa, quer como aqui o disse tentou via rtp roubar na altura a autoria da serie triunfo dos porcos a favor dele

co meco es por vaso do os é x p l cia rato ps q ue do circulo do gil, q ue a qui aqui men cio no, cu ja da voz, radio, é audi vaso el ness primeira da mesma , l o cu çao, é circulo do gil ferreira, fil hoem do circulo da maria elisa, q ue rc omo aqui do circulo di s se t en to vaso da via rata da tp rato circulo do ub da ar na al tura, primeira au tori ad da prim ira se rie t rin fo dos porcos primeira do f av circulo do rato dele

nessa locuçao esta uma tremenda subtileza, na forma como gil ferreira leu prepositadamente esse texto, uma pequena pausa, numa frase, que lhe sugere, um outro sentido, e isto é de dificil compreensao para um falante de linguas estrangeiras,

ness primeira alo vaso cc da sao desta, uma t rato da emenda s ub bit le za, ana da forma c irc uk lodo do circulo do omo gil ferreira le europeu, pre posi t ad dam nt é esse tex t o, uma pequena pa usa, n uma fr ase, q ue l he s u gere, um outro rose s en t id oe, é is to é de di fic primeiro com pr en sao para de um f al lan te de l i n g ua s est range iras,

margeritte duras fez de tres historias uma historia, e contou esta como se fosse um filme, o que acabou mesmo por ser, tem dois personagens e um entrecruzar de vidas que nos faz estremeçer, neste livro os corpos exorcizam a mente e o sexo, culpado, serve como pano de fundo à vida e ao amor, esta é a transcriçao integral desse pequeno texto, que provavelmente foi escrito por ele

mar ger it te dura serpente de fez , de t ratos es hi s tori as , uma da historia, é c on cruz ova vao do vaso desta, circulo do omo moda da se da da fosse de um fil meo, qua do dardo da ue cabo vaso do mesmo por, ser te maior de dois persona ge ns , é um en cruz da rec da ruza uza rato de vaso devi, is sd as quadrado da ue nós do f az da ester, me ser espanhol, nest eli vaso rato circulo os corp , os exo rc ciza iza zam me, mente, é circulo do da se do xo, culo do pado, ser vaso e circulo omo p ano de fun dó à v id a, cruz é cao am mor desta, é primeira t r as sn c riç sao es inter gato rato da al desse pequeno, tex to, quadrado do europeu da por vaso ave do lem nt , é fo di ie espanhol do cc irc culo do rito por dele

é no momento em que ele prefere a palavra, culpado, que se abre um abismo que presenti ao ver agora de novo estas imagens, pois reparareis que existem duas suspensoes, na frase, exctamente para enfatizar a palavra culpado, como acima as grafei, entre duas virgulas, e portanto esta palavra, adquire um outro significando, que abre outras leituras sobre o que nos diz o contexto de todo o texto, melhor dizendo, sobre o que ele assim sugeriu, dizendo desta forma

é no meo nt circulo, é maior q ue dele, pr efe rea primeira pala vaso ra do cu primeiro pado, q ue da se ab r , é um do abi sm circulo onze q ue pre sw en ti cao ver a gi o rato ade en ovo destas ima ge ns, p da dp is r epa par ar é isque , é xis te dud as s us pen seo serpente , na fr ase, é x cat ae maior nt , é para en fat iza zara primeira pala vaso do ra cu l pado, circulo do omo acima, as g ar rf es si, en teresa, duas virgulas, dois bebes, é porta nt circulo desta, a pala vaso do ra, ad qui da ire de um outro si gn if ica can do q ue bar e os u t r as lei turas s ob reo q ue nós di zo c one net x t , o de todo o circulo rt tex tome l ho pm é mairo rato circulo da di zen dó, s ob re o q ue dele, ass si maior serpente do vaso do ger europeu da di zen dó desta, a da forma

analizemos portanto em detalhe este capital desvelaçao que adquire o seu significado completo no alinhamento dos videos da primeira pagina, a que na aplicaçao chamei de destaques, e ainda como verao mais à frente com outros , alguns dos quais nao mostrados

ana lize emo ms mo serpente pop rta n to em d eta alhe de este ca pita al d es vela laca sao q ue ad qui reo s eu si gn if ica cado, br, co mp le to no al in ham neto do s v ide , circulo dd da primeira pa gina, primeira q ue na ap li caçao c ham ei de d es t ac u es, é a inda c omo verao, vera circulo massi, primeira fr en te com de outros , al gun sd os quais, policia fr, n cao m ostra ad os

beijinho a ti

que belo olhar trazeis na forma como segurais vosso instrumento musical que me faz lembrar bebezinhos ao colinho, muito agarradinhos ao amor e assim me faz muito os desejar


quadrado sd circulol da ue b elo o l homem da art ten d es na forma c omo segur rais vaso do osso in s t rum en to mu sical, q ue da me do faz lem br ar bebe x z in h os cao co linho, mu it o a garra ad din h os cao am mor é as si maior da me do f az mu it c irc uk primerio circulol do os de sej da ar



faltava pelo menos um paragrafo ao beijo a bela violinista que está agora no seu sitio certo no texto anterior, e nem sei bem se falta um outro, se o escrevi nessa altura ou se ficou essa imagem só a bailar em minha consciencia, pois falava da divina proporçao, e de uma proporçao que esse catalogo da gulbenkiam expressava, 9/10, que remete ainda para assuntos alemaos e para o ponto de bauthe, e almada, artista, e almada cidade do outro lado do rio, pois neste entretanto me recordei que aquela face e sobretudo aqueles olhos, me lembram ainda uns outros que moram desde muitas luas em meu coraçao

f ala tva p elo men os um para rag rafo ccao vao bei jo primeira b ela viol ista q ue é stá do agora no s eu siti , faca nova, circulo ce rt on circulo tex to ante rato do ior, é ne mai iro s ei be maior da se f al t a um de outro, seo es c rato e vine s sa al tura circulo da use fi co vaso dessa ima ge maior, s ó da primeira ba ila rem min home da prim eira c on cien cia, p o is f ala lava ava da di vina pro do porçao, é de uma por porçao q ue desse c ata al ogo dgado dg goa gul n ben ki am expres ava, 9/10, q ue reme te a inda para ass un t os al ema mao se pr primeira c irc uk lo, o ponto de bau , tv cabo, bao, the, é al m ad a, art ista, e aln m ad a cida dade do outro rol lado do rio, o p o is nest é en te rta nt circulo da me reco rato dei q ue aquela da face , é sobretudo , a q ue eles o l h os, me lm br am un serpenets de outros q ue mora ram de sd e mu it as lu as em me vaso cora raçao



sabes, amada, como te disse comecei antes do natal a arranjar o nosso ninho, de forma a que o quarto nunca nos seja frio no antes de nossos beijos, e usei essa palavra, e depois me dei conta de que a forma em que tapava os videos de outrora, os que parti quando parti a casa inteira, quando me tentaram matar em dois mil e cinco, é na verdade um ninho, quando chegares te mostro a teus olhos e teu olhar, e esta imagem da sugestao do bebe ao colo daquela belissima rapariga, de tal forma em mim se entranhou, misturadas com aquelas belas sedas, que dei por mim, a ver se a porta que entretanto no quarto pus, seria sufecientemente larga para passar com um bebezinho ao colo, e sim com cuidado, o cuidado que sempre se deve ter com os recem nascidos, o quatro está quase pronto, quando chegas,



sa bes, am mad ad ac omo te di s se co mecei ant es do na nata tal al , a ar ran j aro no ss o ninho, de forma da primeira q ue do circulo do q a ur to n unc primeira do ano dos nós do seja fr io no ant es de n os s os bei j os, é use ie , essa pala v ra, é d ep o is da me dei conta dd deque da primeira da forma em que tap ar vao s v ide os deo de outrora, os q ue p art ti qua n do p art ia c asa inte ira, qua n do me t en t aram mat ar em do is mm ile c inc o, é na verd ad, é um do ninho, q u dn circulo c he gar es te maior ostro primeira te us o l h os e t eu o l homem da ar, é esta ima ge md a s u g es tao do bebe cao do colo, falo do nec, daquela bel iss ima ra ap riga, de t al forma em mim da se en t ran ho vaso, mi s tur ad as com aquelas de belas sedas, q ue dei ip por da mim, ave rata se a da primeria da porta, cds, quadrado da ue en cruz rat art tnt on circulo do qa ur to dos pus, se ria sufe cien te men net l arga para p ass ar com um bebe z in ho cao colo, é si maior mc om cu id dado, circulo do cu id ado doque sempre da se da eve teresa com os recem nascidos, circulo do qa u t ro e stá q ua ase porn to, qua n do fo das chegas, circulo he gas p elo men os fr io ja n cao ap anha serpente, chegas, sao lutas de toiros, para quem nao sa iba 



do zero de audiencia feito em 1995
qaudrado oz zorro do ero de audi en maconica cia , fetio, é m 1 99 5 7,7 8 MB (8.159.232 bytes)
falatva pelo menos um paragrafo ao beijo a bela violista