segunda-feira, fevereiro 28, 2011

sexagesima oitava parte da arte das bombas em londres

sexagesima oitava parte da arte das bombas em londres


sexagesima oitava parte da arte das bombas em londres



retorno aos aspectos medicos, que aflorei na parte anterior, pois , tambem aqui nesta area esta conspiraçao contra um pai e um filho se mantem, pelo silencio criminoso dos corruptos, que me impossibilitam até ao momento, o responsabilizar deles, em actos criminosos aqui amplamente descritos, e isto dá corpo e sustentaçao, a esta linha, como motivo

rato é torno a os as pec t os medicos, q ue a flor ei na p arte ante rato do ior, p o is , tam am tambem aqui nest primeira ar rea , esta, a da conspiraçao, c on pira raçao, c on psi rç sao es contra de um pai, é um fil ho da se ema man te mp elo silencio, cc, c rimi ino n osso dos corruptos, q ue me imp oss sibil bil io tam do circulo r es ponsa sa bil iza rato deles, em actos criminosos aqui, am p lam am, mente, d es c rei it os, to ze is to d á cop pro, é s us ten taçao, primeira desta , a da linha, circulo do omo mo cruz ivo

pois só a culpa podera estar por detras do silencio criminoso

p oi serpente ó ad da primeira , cu l pa pode ra esa sate r pro det rato as do silencio c rim ino serpente circulop






olho de novo o espaço alterado que se ve e pressente nesta foto, e as linhas me dizem ainda, de uma janela em arco, e duas linhas de cadeiras frente a frente, a primeira imagem que me vem a consciencia é uma simetria do arco, com o desenho da retorta que se encontra no restaurante funil , o tal restaurante onde a puta que me tras o filho roubado jantava no dia do bum, e da tal tremenda gargalhada qui narrada

circulo do primerio ho de n ovo do circulo do es paço , al teresa rato do ado quadrado da ue serpente eve, é pr ess en te nest primeira desta foto, é as das linhas, lugar, me di ze maior ma inda, de uma jane la , é maior mar arco, é duas, das linhas de cade ira serpente fr en te primeira da frente, primeira da primeira rai ima ge maior q ue da me vaso ema primeira co ns cien cia, é uma si met ria do arco, feira de arte de madrid, e escola de arte em lisboa, na se, com do circulo do de s en homem do circulo da re da torta rta, q ue sd ase en contra no r es taura nt é fu nil , circulo do t al r es t au t ran te o pn dea primeira da puta que me tras o filho roubado, j ant ava no do dia do bum, é da t al cruz rato da rua da emenda gaga arga gal, rata da alhada do qui na rr ad da primeira

a segunda imagem que daqui aflora, pela forma do arco e pela disposiçao das cadeiras, é de uma igreja, catolica,

c irc uk ki do io do segundo do circulo, ima ge maior q ue a da qui da a flora, p ela, ad da forma do arco , é p ela di sp o siç sao es das cade ira sé de uma mai gata ra ja, da catolica, universidade, vide referencia de id sobre esta puta que já se desvelou neste livro da vida

esta leitura é ainda reforçada pela acçao dos tres personagens em cena pois algo aparentemente estranho ali está figurado, ou seja , parece que o que se encontra a tras, em frente ao arco, esta a filmar o local de cena, mas a posiçao e angulo que se dezuz, mais parece dizer que ele esta a filmar o cu do outro que se encontra de gatas, ou de quatro patas, e cuja posiçao dos braços e das maos mais parece simbolizar uma oraçao do que a busca de vestigios no chao,

esta , lei it ru ra é primeira inda ref for orca da forcada es, p ela, a da acçao dos tres peros sn a ge en ns em cena am , p o is al g o ap ar ren te mai ior nt , é est rato do anho ali, algarve, é stá acento figo ur ad o, o vaso do seja da pa da rece q ue da se en contra primeira de tras, em fr en teao cao do arco, esta, primeira fil mar aro l ocal dec cena, massa posi sic sao es, é ang da gula q ue da se de zorro da uz, massi par ce di ser serpente ze rato q ue deles, eta primeira da fil mar do circulo doc ,vaso do outro , q ue da se enc on tar dega gatas, o vaso de quatro patas, é cu ja posi sic sao dd os br aços, é a das maos mais , fr, pa erc , é si mb o liza rato de uma circulo da raçao doque da primeira bus cade, br, vaso est ti gi os no cha circulo do chao, ou seja dos tremores, nas minas, tambem

falamos entao de filmes, de gravaçoes feitas sobre eventuais abusos sexuais e de crianças pois um outro pormenor para isso aponta, na verdade, é a primeira chave que me apareceu nesta imagem depois de a ver pela primeria vez, e é consonante com outros fios que se tem desvelado nesta analise em partes anteriores, ou seja reforça e dá peso a esta possibilidade , como mecanismo

f al amos en t cao de fil mes, de g r ava ço es feitas s ob re eve en tua is a bus os se x ua ise de crianças, p o is umo de outro da rop do por men o rato rp do para iss circulo ap da ponta, na verd ad e, é primeira da prime ira rac ac circulo lodo do homem ave q ue da me ap receu nest primeria da imagem , d ep o is dea primeira ve rp dela , prime ria vaso é zorro,e é c on s on primeira te tec do com de outros fi os q ue da sete maior d es vela lado , nest primeira ana lise em p art es ante rio ratos es, o vaso do seja ref da forca, a orça, é d á do peso, moeda, primeira , esta, p oss sibil bil di iade , circulo do omo meca can ni sm circulo

à peça que se ve em primerio plano do lado esquerdo da imagem, a branco, e do sentido que adquire e desvela com o primeiro varao azul dos tres que sao visiveis na carruagem, pois esta forma desde o inicio me intrigou, e ela simboliza uma serra de arco, e em sentido mais amplo oficinas, e oficinas, me remetem pela analise do catalogo de manufacturas , para as fotos da casa pia, das oficinas da casa pia ou equivalente, e esta leitura foi ainda reforçada pelos sincronismo da linha de eventos no tempo em que olhei para esta imagem, ou seja final do ano , principio deste

à p eça q ue sd a eve em prime rio do plano , a puta da lan do pri mne iro do primeiro ano, do l ad circulo da esc ue rda da ima ge ema do branco, é do s en t id doque ad qui ire, é d es vela vaso, ela, com do circulo do pr mer do io ova do vaso do varao, filho, do arao , azul, d os de tres, q ue da sao vaso isi vaso ei serpente na carruagem, p o is desta, a da forma de sd deo inc cio do io da me int rigo ue dela , si mb o liza uma da serra de arco, e é maior ms s en t id o mais a mp primeroi do circulo das o fi cina se fic ina serpente , mr, é reme te mp ela ana lise do cat al ogo do gode da manu, f do ac das turas, , para ás f oto sd da primeira da casa pia, das o fi cv vina do ina sd da primeria ac aca circulo do as da pia , rua maria pia, o vaso do eq u iva al lente en te , é esta, a da lei it tura fo do oi ref forçada p elos sin c ron u is moda lina hd , é e vaso nt ts circulo no te mp circulo, é maior doque circulo do primeiro he do ei para desta ima ge maior, o vaso do seja fina primerio do ano , pr inc vip io de este, este