terça-feira, março 15, 2011

septagesima quinta parte da arte das bombas em londres

septagesima quinta parte da arte das bombas em londres


se pt primeira tage sima mad a da quinta , p arte da arte da s b o mba serpente em londres



jean do lobo do sieff, declina ainda em o joao do lobo do si do effe, nome aqui em portugal, e ainda tambem em , serpente si ie effe, o do fm,

co set, cor set da cin da turinha da vespa, da ave es spa, piagio , pia p do pi ia gido, guido, io, e uma relaçao ao que parece com madonna, é uma da relaçao com da dama maior da ad da mad onnam







como narrava a bela jennifer O Connely numa das partes do beijo orado, estava eu no fim de semana anterior a buscar as antigas caixas à procura de elementos do magic bus , na televisao, um filme da tarde, em cima da torre do submarino o sean connery, diz a uma rapaz à civil que o acompanha, que era para isso que aquele submarino nuclear fora feito, para atacar a america, e que era bom de vez em quando uma revoluçao para agitar as coisas, o rapaz que deveria ser americano, olhava as palmeiras das ilhas sobre paisagem nocturna, e lhe respondia que fora ali que o avo dele o ensinara a pescar, depois o plano mudava, se via um interior de um aviao comercial, parecia que o rapaz se levantara para ir a casa de banho, um urso enorme com um simbolo no nariz estava como sentado na cadeira ao lado

circulo omo na rata rava primeira da bela j en ni if fero do ero da C on nely n uma das p art es do beijo, o rato do ado, est ava europeu no fi mde se mana ante rato iro do doiro primeira bus car ás das antigas ca ix as à por do cura, padre, de ele lem en t os d o ma gi circulo do bus na televisao, um fil meda da cruz arde, em c ima da torre, o do s ub marino, tvi, circulo do sean c on nery, di za priemira da a uma de um rapaz à si veil q ue do circulo do ac aco mp anha, q ue e ra para iss circulo, q ue daquele s ub do marino nuc lea ar for primeira, feito, para ata car a am erc primeira, eq da ue e ra b om de vaso é zorro em qua n dó da uam r evo luç sao es para a git ar às co ia serpente, circulo do rapaz q ue d eve ria ser am mer erc cia ian ano, o l homem ava às pal me isa ad da primeira das ilhas, s ob re pa isa sage maior noc t urna, el he, r es pond ia q ue for primeira da ali, algrave, q ue do circulo do av avo , circulo dele leo circulo en sin ara primeira p es car, d ep o iso circulo do plano da lan do primeiro ano, mud ava, se da via um inter ior de uam via circulo da radio comercial, par e cia q ue do circulo do rapaz se l eva van da vanda tara para ira primeira da casa de banho, um urso en o rato me com um si mb olo no n ariz est ava circulo do omo s en td ana cade ira cao lado

eu descia à cave para procurar o passado nos caixotes, pensando que este caozinho de peluche de meu filho que por aqui anda tambem trás um nariz em coraçao negro, e me dizia, mais uma vez a sic envolvida num passe de incriminaçao, assim respondem às justas e fundadas acusaçoes, demonstrando que sao criminosos, pois este peluche, aparecera aqui em imagem num dos meus videos em tempo nao muito ido, se nao mesmo já o conhecessem por entradas ilegais em casa, ou mesmo ainda, no plano do primeiro ano, uma relaçao com quem até eventualmente o tenha dado, para depois servir de peça para a intençao da queima

europeu d es cia à da cave, para por rc cu da ar do circulo do passado, louco, nós caixotes, p en sa bn doque rato de este cao z in ho de p e lu c he de meu fil ho hoque por a qui da anda do tam am tambem , cruz rato as , um n ari zorro ze maior cora raçao negro, é me di zorro do ia mais, uma vaso é za primeira da sic en vol v id dan ano um , um do passe de incriminaçao, demo sn t rando q ue sao dos criminosos, as si maior mr rato es ponde ma serpenet sj ju sta se fun da ad as das acusaçoes, p o is este pe luc he, ap ar e cera aqui em iam ge maior n um dos me us v ide os em tempo nao muito ido, se n cao do mesmo já do circulo do c one h c esse maior por das entradas ilegais em casa, ile leg a sis em casa, o vaso do mesmo, a inda ano do no plano do primerio ano, uma do tribunal da relaçao com q ue mat, é even tua lem t neo te maior n home da primeira do dado, para de posi ser vi rato da peça , para da primeira int r ten sao, a da qui do vaso do ima

na verdade a suma que ali na passagem do quarto de minha mae se apresentava na tv da sic, era mais uma tentativa de incriminaçao, como quem insinua que eu promovo revoluçoezinhas, pelo mundo fora, ou ataques à america, que filhos da puta sois!

na verd dade primeira serpente de uma qaudrado e vaso é ali, algrave, na p ass sage mdo qa u r t o demi min homem da primeira mae da se ap resen t ava ana tv da sic, é ra mais, uma ten tat iva de inc rim ina sao es, c omo q ue min sin da ua q ue é vaso por mairo ovo r evo luç oe z in h as, p elo mundo, es, for primeira cao vaso ata q ue s à am mer cia quadrao da ue fg do gil das ilhas do os da puta soci sis!

22 02 2012

ah bela menina jennifer O Connely de meu coraçao, cada vez que a vejo, mesmo trazendo sorrisos plastificados em sua aparencia, se entranha em mim, e fica como cá dentro às voltas em meu coraçao, na verdade é assim há muitas, muitas luas,

a hb ela me nina de me eu cora sao, c ad ave zorro q ue primeira do vejo, br, do mesmo t r az en do sor rato do iso serpenet da plat , if ica doc au dr ad, o do as em serpenet da ua da ap da rec ni a, seda da net da ran home em mim, é f ica circulo do omo cá do ed do dn , o da cruz rato circulo às volt às em me eu cora çao, na verd ad e é ass si maior homem á mui rta s mu it as l ua s

as imagens de si da casa que um dia perdeu por uma carta que se acumula na caixa de correio, essa douçura e suavidade gentil que em si sempre vi, esses olhos grandes azuis como o mar e o ceu, espantados de espanto, se entranha em mim, e sei que por debaixo deles vive um vulcao chamado paixao, sao talvez as mais recentes que de si vi, me recordo da beleza sofisticada dos anos vinte no once upon a time in america, das sedas no grande carro, onde aquele que sempre a queria de si abusa com um certo consentimento seu, que sabe do desejo que lhe vai no coraçao, e se entrega como sabendo que ali dessa forma acabara esse fogo, dessa maneira, recordo de si mais recentemente a entrar na festa, olhos de serenidade espantada perante todo aquele ruido das grandes confusoes e excesssos de dinheiros e substancias que tudo parecem comprar, as notas em seus labios, no meio da sala, onde a outra rapariga, mais focada e talvez mais pragmatica, lhe enfia o falo duplo, ding dong, e vejo os seus olhos e labios, que se humedecem de desejo mesmo nessas circunstancias pelo simples resposta do corpo, e penso na queda das torres, ou deveria pensar na queda das pontes, que tambem nas vezes simbolizam o amor, como na ponte de madison, um certo underline de amores, qause impossiveis, e de coraçoes que vivem assim como que rasgados da sua outra parte, na confusao dos laços que a vida nas vezes cria e que as gentes se deixam enlear,

as ima ge ns de sidas serpente da casa , q ue um dia per deu pop pr, uma da carat, pub, quadrado da eu da se cu mula na si xade do correio, essa di circulo vaso cura espanhol, é s ua vi dade g en til q ue em si se mp re vi, ness é olhos g rande sa dos azuis, circulo do omo do circulo omar mar, é circulo doc eu, es panta ad os de es pan to ze en t rara anha em maior mim, é serpenet se ei q ue por de ba do xo deles, vaso ive um vulcao, ca hm mad ad circulo do paixao, realizador, sao t alvez às mais re c ene nets q ue de si do vi, me recordo circulo, jornal, da bel é za sofi s tica ad dados ano serpente do vinte no do once, lotaria espanhola, up on primeira time in am mer erc cia, das sedas no g rande car do roi, onda daquele, q ue se mp reo q ue ria de si ab bus usa primeira, com um ce rt o c on sen tim en to s eu, q ue , sabe, o do desejo , q ue l he eva ino co da raçao, é se en t raga circulo do omo sa bendo doque ali, algrave, a dessa forma aca bar primeira desse cobra do fogo, de serpenet sa mane da ira, recordo circulo dode de si massi re cente, mente, primeira en t r ar na f ee sta, circulo do primeiro hoem serpenet circulo sode se r eni da ad e es panta da perna da te todo do circulo daquele rui dó, de g ar n d es c on fuso us serpente circulo do es , de e x c ess serpente rtp os de din he iros rose s ub stan cia serpernets q ue tudo pa recem com p ar, às notas em se us l abi os, no me io da sala, rr, onde dea primeira da outra rapariga mais, fr, fo c ad a é pr gama , ps, tica, l he en fia do circulo do falo duplo,di ng do ong, é vejo os se us o l h os se la bi os, q ue se h um mede ed dec cem do desejo, o mesmo ness as c irc u sn tan cias, se ep en sao na queda das torres, o vaso d eve ria p en s ar na queda da sd das pontas, q ue é etam do tam am tambem nas v e zorro do x es si mb circulo dol primera do ze aram do circulo do am mor, cv omo na ponte de mad iso maior n de um da se rt circulo un der line de amo ratos es, quadrado use im p oss ive is, é deco raçoes q ue vi ie massi mc omo q ue r as sg gado ds da s ua s de outra p art ema mna da c on fusa usa sao , a dos laços q ue da primeira v id ana serpente vaso é ze es circulo da ria, eq ue as genets se de ix am ene lea da ar

olho o antigo escadote na cave onde agora estou, abri-o e me recordei de como ele está instavel, na verdade a junçao de cima é sustida por um prego encurvado, como uma unha ou mesmo um arpao, de novo meus olhos estremeçem, perante a imagem e o simbolo que de novo ali se manifesta a meu olhar, o escadote está torto e periclitante, e quando nele subo, vou com a clara ideia do perigo que ele é, ou seja, vou me preparando mentalmente para que aquilo como o peso das caixas que quero abrir para procurar os desenhos do magic bus, pode mesmo provocar a queda, acabei de a ver na estaçao do comboio, estou electrico , na verdade já acordara electrico, é domingo, as gentes estao tambem exitadas como dando contributos para uma grande qualquer narrativa, assim os sinto em tudo o trajecto até chegar aos olivais, olho o prego de fora, e pressinto que ele me simboliza que existe um outro prego dentro daquelas caixas de meu passado, assim alguem anda brincando as induçoes e tentando os laços, espanto-me de mais uma vez assim estar a saber que está acontecer , nestas teias continuas em que tentam me enlear e desviar

olho do circulo do antigo esca do tena da c ave da onda dea do agora est o vaso, abr i traço ingles circulo , é me record dei de c omo dele e stá in s t ave l, na verd ad dea primeira jun sao es de c ima, é s us t id a por de um pr ego en c ur v ad o, circrculo do omo , um ar do pau, de n vo me us olhos est rem mne ne sem, pera ran te a ima ge meo si mb olo q ue de n ovo ali esse, man da festa da primeira me vaso circulo do gama, ar, circulo do esca do tee é sta to rt toe do oe pe ric lit ante, eq ua n dó nele s ub circulo , v o vaso com da primeira da clara, a da id deia do pe rig circulo qe dele é, o vaso do seja vaso circulo do vaso da me pre par ando do mental, o que mente , para q ue aquilo c omo o puta do peso, es o da primeira das caixa, banco, serpente quadrado da ue, quadrado vaso é do ero abr e rp do para por cura rato ps, os de serpente do en home da sodo oma gi circulo do bus, pode do mesmo por vaso do circulo do car da cara da primeira queda, aca bei dea ave rata na eat sao es do comboio, est o vaso do eletrico , na vera de já cao rda ra do eletrico, é do mingo, as g en t es est cao tam am tambem, é xi cta ada as c omo modo do dando, c on t rib but os para de uma g rande quadrado da ual do quadrado da ue rata na rr rat da cruz do iva, ass si maior do os sin to em tudo do circulo do t ra ject o primeira té c he gara o às olivais, olho do circulo do pr ego gode for primeira, é pr ess sin int o q ue dele , me si mb o liza q ue é xis te , um outro da rop dp pr ego d en t roda daquelas , ca ix as de me vaso do passado, ass si maior do aml da al gume anda br inc ando as indu ço es , é t en t ando os laços, es pant o traço da inglesa me da mede mais uam vaso , é zorro ass si maior da es star , primeira saber, q ue e stá a soc net ser , nest as da asas das teias continuas, c on ti on ua serpente, é maior do q ue ten tam en lea are red es viada da ar

a imagem do quarteto do cartaz, doi, dilema, no cais se entranhara em mim, fiquei a pensar o que a menina, ou melhor, quem atraves da menina, simbolizava daquela maneira estranha, na verdade o quarteto nao é bem um quarteto, pois a personagem de vermelho e negro onde nas pernas se reflectiram as pedras e as pedras do cais do comboio, e dos cabos das linhas de electricidade que apontam o museu de eletricidade, esta elevada em relaçao as outras, é como quem telefona a dizer qualquer coisa, qualquer coisa relativa aos tres, como desvelando um segredo de um trio, e fazendo uma especie de inquiriçao, a verdade doi, leio, com tom de espanto, pois sei que sim, mas a mentira muito mais doi, mesmo quando nao dói directo como farpa no coraçao, tras em si sempre uma semente que germina um grande mal no redor, como uma planta que nem sempre mesmo se ve, mas que frutifica mais tarde de ou mais cedo com juros na sombra da mentira,

a imagem dc quarteto, qa ur teto doca ratz, do do oi di l ema, no do cais da se en t ran hara em mim, fic cu ye ia da primeira p en serpente aro q ue da primeira da menina, o u mel ho pr,quadrado da ue ema at r av es da menina, si mb o liza ava daquela me ane sd da primeira da ira es star n homem da ana verda dade deo do quarteto, cinema, qa ur teto n cao é be maior, um do quarteto, p o isa pero ros sn a ge md , é eve vermelho en negro da onda na serpente das perna sd da se ref for mula one le c t iram ás das pedras, é às ped rato do as do cais do com boi ole ledos cabos das lina home serpenet sd, é el t rc cida deque pau em nt am do circulo dos museus, o da ele t ric cd dade, es sat da elevada em relaçao, às de outras, é circulo do omo q ue tele fon primeira, primeira ad di ze rato qaudrado da ual le ue da rr da coisa, quadrado da aul do quadrado da ue do rato co serpente do ia, rato ela , primeira da ad da cruz do iva primeria do os de tres, circulo omo do quadrado da espanhola vela do ando da ova do vaso do primeiro da ms, a am mr ia da sobral, é gato da red circulo de um trio, é f az nedo, uma es pe cie de inq ui ria sao es, primeira ve dr ad dedo da doi, lei em com do tom de es panto, p o is se isque s ei maior, massa da mentira, mu it o massi doi, o mesmo qa un dó dona n cao do doi di recto circulo do omo d moda, o da f arp a no cora raçao, t r as em si sempre de uma da se , mente, quadrado da ue do ger da mina , um gato do rande mal , no red dor, circulo do omo de uma p lana da cruz qaudrado da ue da ene ne maior sempre do mesmo , se ve masque fr rute do if do fi do ica da massi, a da tar da rede do deo do circulo da ova do vaso do massi se do dó com j ur os na serpente circulo do mb br rato ad da primeira, a mane da net da cruz da ira,

assim como o vi, acontece, quando pego o primeiro caixote, tudo aquilo abana, e eu preparado salto para tras de forma a ficar de pe como um gato, largo a caixa durante a queda empurrando ligeiramente para frente de forma a que nao me possa cair em cima,

ass si mc omo do circulo do vi do acontece, qua n dó do pego, jornalista, primeira do primeiro ca ix do xo te, tudo aquilo ab ana, é europeu pre par ad circulo do salto, para rat da cruz às dd da forma , primeira fi ca rato de pe c omo de um gato do primeiro argo , primeira da caixa duran tea primeira queda em p ur rando lige rata da ira do iram nt, é para da primeira fe rn te de forma da primeira quadrado da ue en cao da me p do os serpente da primeira ac aca circulo do air em circulo do ima

olho o conteudo dessa caixa que se encontra fechada há muitos anos, provavelmente uma decada, pelo que dela no redor se espalha, vejo circulos que sao bases de copos de cerveja, do tempos talvez de bruxelas, onde no verso escrevinhei palavras minhas em periodos de apontamentos, caem com circulos sobre uma cama antiga dobrada, como acrescentando pela posiçao em seu cair, historias de camas antigas, provavelmente adulteradas por terceiros com vista às constantes incriminaçoes, neste constante crime que fazem contra mim, uma carta, par avion, reforça ainda esta ideia como do vinho de uma carta, ou seja um historia contada numa carta, talvez como essa da puta agata que recentemente aqui dei conta,

olho circulo do conte , vaso do dó dessa, ma da ca ix a q ue da se en contra fec h ad a home do acento da pr ie mr ia á muitos anos, por v ave lem nt é uma da em persa dec ad a, p elo quadra circulo da ue dela no redo dor da se es p alha, vejo , br, circulos q ue da sao ba serpenet do es de cop os de c ser veja, do te mp os t alvez de br ux delas, onda no ove rato serpente circulo esc r e vinhe ei ip pala av rato as min hoem do às em per rti rid id os de ap on tae maior nt os, ca em com de circulos s ob re uma da cama antiga, dobrada, circulo do omo ac rato do es cent ando p ela posi sic sao es em serpente eu circulo do air das historias de camas antigas, por v ave lem nt e ad u l teresa rata ada spor de terceiros, com vaso do ista às das constantes incriminaçoes, nest é co ns t ante c rim do crime eq ue da f az ze rato maior dam contra ad da primeira mim, um ca rta p ar avio n, ref for primeria sa da primeira inda desta ideia, circulo do omo modo do vinho de uma ca rta, o vaso do seja, um da historia, h s itor ia c on t ad ano primeiro dama ca rta, t alvez circulo do omo dessa , da puta agata q ue re cente, mente , aqui dei conta,

e uma curiosa peça de madeira, branca, que se destaca tambem pelo tamanho a meu olhar, um suporte de provetas de um antigo kit de quimica, do tempo ainda salvo erro qaundo ainda vivia no campo grande na rua onde esse terrorista mor do ps tambem foi depois viver

é um cu rio da sa da peça de madeira, ilha, br anca, q ue da se d es taca tam am tambem ep lo tam anho primeira am me eu o l home da ar, um serpente da up orte de pro ove etas de um antigo kapa it de quim ik cado te mp o da primeira inda serpente alvo, é rr circulo qa un dó a inda vaso iv ia no do campo grande, dena da rua da onda desse cobra terrorista mor do ps, tam am tambem f oi d ep o is do canal viver

procuro os elementos do magic bus e vou abrindo os caixotes à procura de plantas até que numa caixa as encontro, aquelas que aqui publiquei, destaca-se a meu olhar, fotos e pranchas antigas de fotografias, e um pormenor de repente faz luz ainda sobre um outro, numa serie de belas fotos de nu com a olga e a fatima, a olga tras uma echarpe transparente em tons negros e doirados, e de repente realizo que este padrao é semelhante ao que cobria as fotos dessa bela, no passe do vip lounge, aqui narrada, a tal imagem da kate moss, as imagens em seu todo, contam-me de duas raparigas que sao como preto e branco, que me remete ainda para italia, e para produçao televisiva italiana, e petalas vermelhas de rosas que caem do ceu, talvez uma das primeiras vezes que assim as usei como em tantas vezes outras, em variaçoes com outras flores,

por do curo os dele, lem en t os d o ma gi circulo do bus se vaso do circulo do ovo do vaso ab rato do indo os ca ix ot es, à por cura de p lan antas primeira té maderia n uam si xa ás en c on t rato circulo daquelas q ue a qui pub liq u ei, d es t aca traço da inglesa se primeira me eu o l home da ar, fo to ze pr anc home as das antigas de fo tog ar fia se, um por men o rato de r ep pen te f az da luz , primeira inda s ob re umo ur to, n uma se rie de belas, lugar, f oto sd é n vaso com da primeira olga , é primeira da fatima, primeira olga t rato as, uma é ch arpe t r as na pr en te maior em ton serpentes negros e doirado sede r ep en te rea lia circulo 1 q ue de este padrao, é seme l homem ante cao q ue co br ia ás das fotos da serpente sade bela, no p ass, é do vaso ip lo un ge, a qui aqui, na rr ad a, primeira t al ima ge md da primeira kate maior os serpente às das imagens em serpente ue todo, conta do tam am do traço da inglesa mede de duas raparigas q ue da sao circulo do omo do preto, lugar, prieto, é br anc circulo , q ue da me rem te a inda para de italia, é para por duç sao es tele vaso da isi do iva ital iana anam, é pet as primerio ave rato mel homem as da rosa, q ue cae md circulo do c eu, t alvez uma das primeiras, vaso é ze es q ue ass si sima suse use ei c omo em t anta serpente vaso é ze es de outras, em vaso ari aç o es com de outras f alo ratos ps es da flor espanhola

ou seja como se desvela no corte do paragrafo acima, um passe antigo foi tambem montado com algumas dessas fotografias e foi usado no tal passe em noventa e oito , nove, com as tais fotos na parede dessa discoteca

circulo use ja circulo do omo da se d es vela no co rte do para rag rafo ac ima, um do passe antigo , f oi tam am tambem montado com al gum as de serpentes desas fo tog raf fias ia sef do fo fo oi usa sado no t al p ass, e é maior de noventa e oito, noe vaso na teo it circulo do , nove, channel internet, eua, com as tais, br, fo t os na parede, lugar, dessa ds sic circulo da teca

a mesma referencia que me apareceu em rodape numas das partes anteriores, alguem relacionado com o ham da am do mba do ban da ani do 9, que me remeteu para a memoria dessa bela rapariga assim meio electrica que apresentou essa serie no yahoo, por cima desta anotaçao em meu papel, china, ou seja do ham am mba do ban da ani do nono , na china , assim aprece declinar remetendo entao isto para as matanças na china tambem

primeira da mesma , ref feren cia quadrado da ue da me ap receu em roda ape en , uma sd as p art espanholas ante do rato do iro espanhol da al gato da ue maior rato mrm, ela cio em ad circulo com do circulo do ham da am do mb bad ad circulo do ban da ani do 9, q ue da me reme cruz europeia do para da primeira da meo da ria dessa bela rapariga, massi em me io da eletrica quadrado da ue da ap da resen to ova do vaso dessa da se da rie no yahoo, por circulo do ima de sta ano not taçao em me europeu do pap el, apv, china, o vaso do seja do ham am mba do ban da ani do nono , na china , as si maior ap rece dec lina rato reme t en dó en tao is to para ás ma tn ç as na c homem ina tam am tambem

no final do arrumo das caixas, um som no chao, um berlinde, transparente com uma chama laranja, psd, como aquele que agora apreceu no beijo a minha amada, quando lhe falo de criar rosas e lhe mostro o fresco na parede, que agora pintei, onde se parece desenhar entre outros elementos o olho do furacao, e onde parece tambem que o berlinde nele se encaixa, e isto me evoca ainda um dos blogs a que estive linkado, a angela dos belos berlindes, a bela rapariga fotografa

no fina da al do aldo, moro, ar rato do umo modas ca i xa s, um serpente do om no cha circulo , um de berlin de, t ran spa rente com uma da chama do circulo hama laranja, psd, circulo do omo daquele , leque do agora ap receu no do bei jo primeira da min homem da primeira amada, qua n dó dol primeiro, he falo de c ria ratos das rosas , e l he maior ostro do circulol do fr es cona da parede, lugar, quadrado da ue do agora do pin tei, onda da se pa rece de sena homem mr rato da ren cruz rede de outros deles, ml lem da dp en cruz do os do circulo do olho do fur da racao, é onda pa race tam am tambem , zona de belas, q ue do circulo do be rato do linde , ne le da se en caixa, é is to me e vo caa primeira inda de um dos blogs, primeira q ue es teve li nk ad o, primeira angela dos b elos dos berlindes, primeira bela rapariga fo tog raf primeira rafa

e furacoes nesta historia há muitos, e aqui parece se desvelar uma outra relaçao com yahoo, quer tem estado tambem convocado nestas ultimas linhas sobre o katrina, e ainda temos as trombas de agua primeiro em gb, que de alguma forma se espelham na parede e na linha das rosas inglesas, da peça de dança inglesa, da imagem da estrutura dos metros e do autocarro e ainda tambem numa equivalemnte estrutura da bancada da global data, como descobri no cio que montaram no primeiro dia deste ano , como aqui narrado, e ainda recentemente a tromba de agua no centro do país, e antes, na propria madeira que tambem aqui apareceu

é furacoes nest primeira da historia homem do acento da primeira de mu it os, é a qui aqui pa rece da se d es vela ar , uma outra do tribunal da relaçao com do yahoo, q ue rato da te maior do estado , tam am tambem c on vaso circulo do cado, br, nest as ul t ima serpentes das linhas s ob reo circulo do kat rato da ina, é primeira inda t emo serpntes as das trombas de agua, pri mk é rio em gb, q ue de al g vaso ua da primeira da am forma, se es p el ham na parede, lugar, é na lina hd às das rosas inglesas, da p eça cade dan sa da inglesa, da iam ge md da primeira est ru tura dos metros, é do autocarro, é primeira inda tam am tambem n uma eq u iva al lem nt , é est ru tui ira da ban c ad a da g loba do bal da al data, circulol do omo d es co br ino cio quadrado da ue mona da cruz ram no pri mr io dia de este ano , circulo do omo a qui aqui, na rr ad o, é a inda re cente, mente, primeira da tromba de agua, no c dp en t rodo do país, tvi, é a ant es, na por rp p ria da madeira q ue é rta tam me eb maqui ap ar rece terceiro cu vaso

sabe bela jennifer O Connely, estranhamente uma das conversas consigo, salvo erro aquela onde levei tambem obama para a tendinha de indio, parou antes de chegar, a um importante ponto em termos simbolico, pois creio que tera sido a base de uma acusaçao contra mim, uma montagem, o que chamei em palavra orada, de violaçao como que consentida, no belissimo filme once upon a time in america, que tambem por essa correspondencia de que lhe falei, onze, como apostas, e jogos espanhois, me remete ainda para a existencia de uma ligaçao com os outros elementos simbolicos que a historia do seu cartaz me falou, a pontem, as setas , os x, e os predios como a figurar as torres, no contexto daqueilo que extrapolei da analise nas partes de seguida, já publicadas, especificamente na que chamei de intermitent kiss

serpente abe bdda da bed da bela j en ni if fero ero da do ac do circulo on nely, est ran ham , mente, uma das convers as c on sig circulo, serpente alvo, é rr circulo daquela da onda l eve ei tam am tambem ob ama para da primeira da ten dinha, br de indio, par aro vaso da ant es de c he gara da a um im porta nt , é ponto, em teresa rato ms circulo do si mb o lico, p o is c rei circulo quadrado da ue teesa ra s id circulo da primeira base de vaso am da acusaçao contra mim, uma do damo da montagem, o quadrado da ue c ham ei em pal av ra o rato ad da primeira, de viol aça sao circulo do omo q ue c on s en t id primeira do ano do bel iss imo do filme once up on primeira do time in am erc a, q ue é eta do tam am tambem por dessa cor e r sp on dc ia deque l he f al lei do ei on ze, circulo do omo ap as oto se dos jogos espanhois, me reme te a inda para da primeira, é xis ten c a ide vaso da am liga sao es com do os de outros dele , em nt os si mb o lic os q ue primeira da historia, do serpente do eu cartaz, sic, me falo vaso , a ponte maior , as serpentes etas , os x, é os pre do quadrado da di da iso soc omo da primeira figo ur da ar ás das torres, no c on tex to da q u ei da ilo q ue e x t r ap pole ole ei da ana lise nas p art es de se guida, ja acento pub l ci ad as, es pe c if icam e rato nt rte tena q ue c ham ei de inter mit en cruz kapa do iss, estado

provavelmente a tal montada pela cristina coutinho com o pedro lopes do ino, na altura em que ela andava já com o pedro, ou seja tambem com a participaçao desse constante grupo dos meninos que me perseguem por pura inveja desde o tempo do sete

por vaso da ave lem , mente , primeira da t al da montada p ela , a da ad da cristina coutinho, com do circulo do pedro lopes do ino, na al tura em q ue dela ana da ava da ja acento do com do circulo do pedro, o vaso do seja tam am tam bem abe mc oma da primeira p ar ti cip sao es desse, o constante gato do rupo podo serpente dos meninos, me nin soc q ue da me perse g ue maior do por p ur da primeira inveja de sd ed deo do tempo da poda do sete

belas, lugar dos cios, da autoestrada na primeira chapelada do cavaco silva, da chave escondida, lugar onde mora essa besta do pedro marques lopes, escriba dos bandidos no jornal dos bandidos , o dn, que tanto, como provado à exaustao, me perseguem há anos em forma criminosa

belas, lu gato da ar, o dos cios, da autoestrada, dana primeira da cha do pe lado do cavaco silva, da ac homem ave es c on dida do dam am , lua gato rato da onda do demo da mora, essa da besta do pedro marques lopes, es circulo da riba , a dos bandidos no jo rn ak primeiro dos bandidos , circulo do dn, q ue t ant circulo , c omo por vaso da ad do circulo da à , é xa us cruz cao, da me do perse doge maior há anos em forma circulo do rim ino sa

links relativos aos outras aspectos do beijo a jennifer O Connely, pois só neste contexto se compreende a complexidade das relaçoes, e dos eventos e chamando a atençao para o que esta figurado em termos simbolicos nos ultimos video, pois é muito claro

li nk serpente rato , ela , t ivo serpenet da primeira do os de outras, as pec t os do bei jo da primeira jen n if fero do ero da C on nely, cantora, p o is iss serpente ó nest , é c on tex to ze com pr ende dea primeria com p el x id ad, ée das relaçoes, é dos eve en to ze c ham ando da primeir a ten sao es vaso do para do circulo q ue e sta figo ur ad o em termos , si mb o lic os nó s ul t imo s v ide circulo , p o is é mu it toc circulo do primeiro aro

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/02/to-beloved-jennifer-o-connely-first.html

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/03/beijo-ou-justa-e-medida-parte-de.html

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/03/carta.html

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/03/carta-o-beijo-ou-confissao-parte.html

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/03/carta-o-beijo-ou-confissoa-parte.html

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/03/intermitent-kiss-to-beatifull-lady-of.html

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/03/acusacao-teresa-caeiro-e-outros.html

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/03/acusacao-teresa-caeiro-e-outros-segunda.html

http://ourosobreazul.blogspot.com/2011/03/intermitent-kiss-to-jennifer-o-connely.html

e ainda tambem os ultimos videos a que chamei de sobre o rally,

é primeira inda do tam am tambem os vaso primro cruz imo serpente dos videos, primeira quadrado da ie circulo ham ei do serpente obre reo circulo do rato all delta









continua...