segunda-feira, agosto 13, 2012

ACCUSATION AGAINST ALL THE PORTUGUESE AUTORITIES


À criminosa que indevidamente ocupa o cargo da presidência da assembleia da república portuguesa

Aos criminosos que indevidamente ocupam o parlamento pois pela Lei todos são solidários com as omissões e actos.

Ao criminoso que indevidamente ocupa o cargo de primeiro-ministro

À criminosa que indevidamente ocupa o cargo de ministra da justiça

Aos criminosos que indevidamente governam, pois pela Lei todos são solidários com as omissões e actos.

Ao criminoso que indevidamente ocupa o lugar de presidente do supremo tribunal e a todos os outros em outras instâncias.

Ao criminoso que indevidamente ocupa o lugar de procurador-geral da república e a todos os outros em funções neste domínio.

Ao criminoso que indevidamente ocupa o lugar da presidência da república.

Me dizei e dizei a todos de vez, se a lei portuguesa não é clara relativa aos direitos que assistem aos cidadãos!

Me dizei e dizei a todos de vez, se os roubos, a constante devassa, o constante crime contra o bom nome, a conspiração, não são pela lei portuguesa crimes!

Me dizei e dizei a todos de vez, se roubar filhos, os abusar e torturar, bem como aos pais, não é crime pela Lei, e se a moldura penal para estes crimes, não é prisão!

Me dizei e dizei a todos de vez, se as continuas tentativas de homicídio e os homicídios deixaram porventura de ser considerados crimes, e se a moldura penal para estes crimes, não é prisão!

Me dizei e dizei a todos de vez, se negar o tratamento médico com vista a matar, é crime, e se a moldura penal para estes crimes não é prisão!

Me dizei e dizei a todos de vez, se quando muitos se associam com vista a cometerem crimes, não são considerados pela lei, associação de criminosos, o que por si só é sempre uma agravante!

Me dizei e dizei a todos de vez, se aqueles que actuam em modo de associação de criminosos, são sem excepção até à data, aqueles que levam altos cargos públicos na república, se pela lei portuguesa, não é isto um crime de atentado contra o estado de direito!

Me dizei e dizei a todos de vez, se o vosso, de todos, contínuo silêncio sobre os crimes que vos venho acusando desde que me roubaram o filho, não é prova da vossa culpa, ou se porventura trareis a ousadia e a falta de princípios e valores para tentarem suster perante algum, a vossa inocência!

Me dizei e dizei a todos de vez, se porventura sois mulheres e homens, trazeis cada um, um coração, se são pais e filhos e explicai como justificam a vós mesmos, vossos actos, vossas omissões e vossos crimes!

A verdade, é que tendes agido estes anos todos como criminosos e cometido diversos e constantes crimes contra dois cidadãos desta república, um dos quais uma criança menor, e como tal não podereis continuar a desempenhar as funções que desta forma aviltam e perverteram e tendes agido em constância contra a lei e o estado de direito, e trazeis pelos vossos actos responsabilidades criminais diversas!

Assim, exijo de imediato o levantamento de todas e qualquer tipo de impunidade decorrentes dos vossos cargos, a vossa demissão e prossecução integral da justiça que pela lei me é devida a mim e a meu filho!

Exijo de imediato a reposição integral dos meus direitos e dos direitos de meu filho de acordo com a lei!

E vós todos desta república, os frios, os mornos e os quentes vos inquiro, como aceitais vos sujeitar a um regime pervertido, onde a Lei, os direitos e as liberdades, ao contrário do que vos garante a lei, não mais existem, e quem sois vós, que pelo silêncio dais força a criminosos e a seus crimes!

Porventura nenhum de vós mais, trás um coração, nesta terra!

Que, se vos manterdes em vosso silêncio criminoso e nas vossas costumeiras hipocrisias, e mentiras, o Amor vos pague a vós e a vossos, na soma das dores do Pai, do Filho e do Espírito!!!

Paulo forte
13 08 2012



Sem comentários: