segunda-feira, abril 01, 2013

479 M 01 04 2013





sim irmazinha giseliana, must i presume, contra a parede ou de outras mil formas, que é sempre bom se o for

é sempre muito belo ver um papa deitado no chão em cima de um colchão que quase não se vê não vá chocar os pés feridos de O Cristo, os sapatos esses, pretos, quem sabe se não do diabo do pravda vermelho, a quinhentos euros o par, ou mesmo cada um, mas respostas às acusaçoes sobre um roubo de um filho e um acto de abuso que dura desde 2005, nada, como se vê e se prova a hiprocrisia continua a reinar na igreja do anti cristo, continua a reinar em roma, onde na pagina de internet, como estado que são, só traziam, e se calhar assim continuam, os telefones do museu do vaticanoe o preço dos bilhetes, mas hoje as capas dos pasquins aqui, davam contam que a homilia fora a criticar a ganância, quem diria do claro retrato, com pormenor de pendão doirado em angulo de uma sobra que a cabecinha de sua eminência projectava na fria laje, onde o manto vermelho mais parecia o meu edredon, como se estivesse algume por baixo dele, mais ou menos em posição de freira como se dizia outrora, mas certamente isto será só produto de uma imaginação e sobretudo de uma capacidade de falar a verdade e a justiça inteira em forma inteira.

num sonho quem sabe se projectado, as escadas de novo apareciam, no interior de uma casa como a nova na minha sem ser , rua, onde ontem estava a bela bika de cestinho à frente, contudo o sonho fora antes, desta vez subia as escadas, em cima tipo um sotão, uma cama de criança com a roupa aberta, sem criança, como que levada, olhava em redor as escadas que entravam no soalho e se via um corredor que deveria dar a uma outra habitação, em frente á cama da criança vazia, dois envelopes no chão com dois cartões onde se em soma se lia , you, icep, ou delta do circulo do vaso do ice, ou ece, ou ainda ecce, depois aprecia uma data, 20 de abril, como a projecção do estapor me estivesse dizendo que meu filho trocado e roubado, será morto dia 20 de abril. ao acordar dei conta que as letras desta da data que no sonho aparecera, são as da casa dos tecidos da zimmer, agora fechada para aparente remodelação, cuja data de abertura, parece ser esta, onde em soma, a remodelação adquire sentido de morte.

que sonho projectado é este e quem é o caborde que o projectou

que tem isto de verdade, ou é simplesmente como de costume, mais uma tentativa de intimidação, como sempre estão fazendo, (luis fazendo det) ao longo destes anos, a jogar no que um coração de um pai sente na ausência e no não saber de seu filho, que cães sois, morreis todos, inferno com vós!

matais uma criança, e lisboa desaparecerá do mapa, seu filho da puta cobarde!

quero a verdade e o meu filho de volta!

479 E 01 04 2013 prove of envoy of second ultimatum to durão barroso