quarta-feira, julho 10, 2013

Sobre actos de tortura fisicos sobre a minha pessoa



Sobre actos de tortura fisicos sobre a minha pessoa

Poucos dias antes de sair de lisboa, me deram de novo algo, ou sempre o mesmo, que me afecta o figado, na loja (dd) das sandes de ovo, talvez na sandes ou numa sopa que lá comi, dois anos e meio de dores contínuas no fígado à conta destes passes com um curto intervalo de talvez um mês em tempo recente

Ainda agora no Luxemburgo li, que seriam umas ervas vindas dos alpes, não sabendo eu ao certo se sim ou não, isto é, esta leitura, é mais uma, sobre a substancia provavel que tem usado ao longo dos anos para me manter doente, atraves do figado, que como sabeis é um orgão com grande influência psicossomática, nomeadamente ao que se chama genericamente, humor, ou humores ou estados de humor.

Ou seja, diz este facto tambem, que esta forma de contínua tortura fisica, pela criação de dor, serve ainda outros prepositos de alguns grupos que se encontram ligados a este crime de conspiração contra meu filho e a minha pessoa, e muitos mais, pois esta dor já a tive desde 95, depois de dois episodios anteriores, um no tempo dos liceus, e outro no primeiros anos da fundação da minha empresa Latina Europa, depois de uma estada em Cabo Verde, tendo sido provavelmente o lugar onde me deram essa substância. todos estes factos se encontram ou pelo menos se encontravam descritos em seus pormenores neste meu livro da vida

Por outro lado ainda, esta dor provocada, tem como efeitos visiveis nas faces, por exemplo, as olheiras, que tem servido desde decadas para insinuar sobre a minha pessoa dependencias de substancias, ou seja, tem servido tambem este prepósito, como peça da constante describilização da minha pessoa e dos meus feitos,  de argumento para os " estrangulamentos " de trabalho, que como sabeis vem desde o inicio dos anos 90, para o que posso considerar crimes contra o amor e a possibilidade de relaçoes intimas, para melhor roubar-me a todos os niveis, e todos estes factos juntos, consequentemente me dizem, que este processo de tortura atraves de uma substância vem sendo feito contra mim  pelo menos desde 95, pois foi desde essa altura, que a dor se (tpr, cruz feita pelos porcos do presidente, ou seja do grupo do cavaco e do psd em 95) tornou constante.

Como narrado, há pouco mais de um ano fruto de uma substancia que me deram na altura que não sei identificar, me abriram, inclusive, chagas grandes nas pernas até a altura dos joelhos, as aureolas maiores com uma dimensao  de tres centimetros, ao mesmo tempo que o figado foi de novo afectado e desta vez me senti quase a morrer.

Como igualmente narrado em pormenor no meu livro da vida, e assente num conjunto de factos percepcionados no hospital onde me dirigi, creio que as analises ao sangue e urina que na altura me fizeram poderão ter sido adulteradas, isto, não correspondentes às colheitas efectuadas pois nao detectatram nenhuma anomalia.

Recordo tambem, que o medico me disse então da necessidade de se procederem a analises mais finas, sereologicas, mas nunca as marcaram, o que considero, um facto claro de que alguem terá dado ordens no sentido de não me tratarem até ao fim.

Destes factos me queixei, inclusivamente no dominio do meu espaço de comunicação publica, mas à semelhança de muitos outros crimes relacionados com a saude, ou feitos através do sistema de saude e da ordem dos medicos, não tive como sempre nenhuma resposta até à data. E tambem como é publico trago eu diversas acusações proferidas contra nomeadamente a Ordem dos medicos por participaçao e cobertura no roubo e abuso de meu filho desde 2006, bem como relativamente a outros crimes, desde esclavagismo sobre mulheres derivado a regulamentos internos até crimes de morte.

Como tratamento me deram tres tipos de antibioticos, de largo espectro que debelou em parte a crise, mas que não resolveu nem a doença nem a dor.

Há uns meses, tambem como narrado, se passou em minha casa, um facto muito estranho, pois me puseram a dormir durante três dias, isto é, durante três dias só estive de vigila por periodos muito curtos, na ordem dos quinze minutos, com portanto, uma sonolência anormal que terá sido causada, creio que igualmente por substância que me terão introduzido na comida, e portanto não trago consciência do que se passou nesses dias.

Depois, passado algum tempo, talvez semanas, a dor e os estado febris desaparecerem e assim me mantive até à minha partida para o Luxemburgo onde em vespera me tornaram a dar a mesma ou outra substancia que de novo me afectou o figado. fiz mais de três mil quilometros de camioneta com uma só noite dormida em cama, cheio de dores e curtos estados febris, para aqui chegar.

Mais recentemente no mês de Maio como narrado, me internaram em forma ilegal e criminosa num hospital psiquiatrico, onde tambem trago papeis que me deram de analises ao sangue onde os indicadores se encontram bem, mas atendendo ao antecedente anterior aquando das chagas num outro hospital, o da Amadora Sintra , e ao processo criminoso deste internamento, me pergunto tambem se não terão sido falsificadas. Como é do conhecimento publico apresentei queixas formais sobre este crime, sem qualquer resposta até à data, com a excepção da carta inaceitavel  que aparentemente recebi do gabinete da actual ministra da justiça, como explicado e comentado em video recente.

A perversão deste crime, nestes momentos aqui neste texto narrado, vai ao ponto de falsificarem as analises para depois dizerem que nada tenho, e usarem o que eu digo das minhas queixas sobre as dores, como demonstração da minha insanidade mental ou algo semelhante.

Ontem aqui no Luxemburgo, passeando enquanto espero uma eventual resposta da Curia, dei com uma bela pequena igreja na parte antiga da cidade ao lado da ponte que tem as casamatas, é dedicada ao Arcanjo Miguel e dei com uma estatua dele no interior onde ele see encontra atado por um pulso de um dos braços, o outro por detrás das costas, e um pequeno anjo com uma seta a espeta na zona do figado, contemplei a face de Miguel, e me dizia, que estranho, parece a minha, ou seja ainda, conto isto tambem, porque penso que a Igreja de Roma em Portugal poderá estar por detras do conhecimento ou mesmo uso de uma substancia se calhar natural, se calhar não detectavel em analises normais, ou seja, as mais comuns, e tambem porque é um facto que a Igreja de Roma está envolvida neste crime de roubo e abuso de meu filho e de mim, como amplamente o provei ao longo destes anos. Relembro que na chamada sessão de conciliação do tribunal e menores em 2006, no gabinete da juiza, por detras dela, se encontrava um senhor que mais tarde vim a perceber quem era, e que passado algum tempo do serviço, apareceu a escrever semanalmente num dos jornais que está largamente envolvido neste crime de conspiracia, o padre Anselmo Borges.
10 07 2013
paulo forte