domingo, setembro 15, 2019

Ah América que farei convosco

Ah América que farei convosco









911, 911, 911…. X dezoito já vezes

Que crédito vos posso eu dar?

América dos hustler, sempre a correr

Sempre a fugir do vós mesmos

E sempre a esconder-vos de nós

Aqui

Onde querido?

Em todo o lado que não é América

Não vos recordais das repetidas imagens ao longe bem ao longe não fossem os cordeirinhos que vos enganais destas formas para manter os vossos estados de exceção criminosos que servem essencialmente para roubar e matarem quem querem, de um fogo imenso que diziam ter estado a arder durante uma semana no centro do que fora outrora as torres, para dar assim uma ideia consonante com o vosso imaginário de ficção cientifica, que seriam portanto russos marcianos ou não sei de que galáxia, ou bruxos maldosos, ou o proprio Diabo, ou qualquer coisa do gênero, pois aquilo fora uma arte de muitas coisas que ninguém sabe depois destes anos todos, foda-se !

Que dizeis ou continuais a não dizer passados estes anos todos às pessoas de vossas próprias cidade e de NY em particular!

Não vos recordais de vos ter desde o início chamado à atenção desta mentira, então se o aço remanescente das torres foi embarcado em 18 cargueiros logo a seguir para a China em forma estranha como se uma conspiração se tratasse, como disseram numa conferencia de uma ordem de engenheiros ou quejando logo a seguir, o que poderia ali estar a alimentar o fogo durante semanas ou mesmo meses?

As vossas mentiras, e de quem falo eu, do povo americano inteiro, não creio, mas continuamos sem saber como passados todos estes anos ninguém ao certo sabe o que se passou!

Esta imagem me apareceu agora neste 911, e se verdadeira, isto é se tirada no 911 de 2001, onde está o fogo?

Como poderiam estar as pessoas no que parece ser a borda de uma cratera de uma bomba ou misseis que caíssem do céu, com esse fogo imenso que se encontra, ou encontrava num conjunto de vídeos que estiveram disponibilizados online via you tube e em outros servidores?

A STORY OF UNIVERSAL LOVE AS LOVE ALWAYS IS II

ou das piores bestas humanas


creio que no entretanto já alteraram o que aqui de novo corrigido vos publico, se calhar querem criar um problema com o Oriente, porque razão? 

terão responsabilidades no cartório relativamente ao tsunami de 2011, ou serão todos e todas puras e virgens donzelas

….tambem vi um que era assim, rapariga de rabinho para o ar, o rapaz enfiava-lhe um funil de lata no buraquinho,  depois vertia umas enguias pequeninas com agua que iam entrando nela, a rapariga dava gritinhos que me parecerem de prazer e se assim lhe digo é por duas razoes, primeiro ela mesmo segurava o funil,  pequena duvida metafisica é que são orientais, e os moans das raparigas  a meus ouvidos são estranhos, como saberá porque já lhe expliquei, provavelmente porque nunca os ouvi ao perto pertinho, se sim certamente não teria mais duvidas....

SOBRE O LIVRO LIFE STYLES, 93 -III- A



Sou um homem sózinho



Sou um homem sózinho
A quem roubaram um filho
E todos os dias algo mais
Não um departamento do MSN
E vós me bombardeis em forma diária

Só a mim?

Certamente que não

E depois vos mudais
As marcas das bombas
E até se vos for preciso
As crateras
Vulgos
Detalhes
Das vossas construções de fantasias
Amor
Certamente que sim
Sempre um resto
Espera-se no inteiro
Mesmo
Quando a ilusão é rainha
E as mascaras e mentiras
Damas de companhia

Curioso, me aparecera Demi
No bordel do MSN

Bela palavra em português

Que diz

Metade
Incompleta de mim

(homenagem ao Brasil)

Ou uma antiga moeda quebrada
Em forma de cobra de eros
E roubada
Pelas bandas de Alcácer Quibir

Ou em versão apimentada
Da Natacha e do Eugénio
no Diploozum Paradox

Dois bichinhos que vivem
Lábios nos lábios
E se o beijar pelo coração de um para
O outro também

Bela forma de morrer amada, não acha?

Como se abrindo uma porta coulissante
E dizendo a quem de frente a visse, cheguei

Sobre veste negra trazia um colar raiado de prata

Como um sol de outrora
De um assessor em DC
Que depois de uma separação
Se barricara em casa
Pintara a porta de amarelo

Como aqui em Lisboa, a casa dos copos invertidos
e sois chamava aos filhos
antes da senadora
dizer das cobras que lá rastejavam
pagas em conferencias a oiro pobre
do roubado ao espírito

Hoje ao buscar no bordel a foto

Uma já nunce da mijinha narrativa

O colar era afinal a cobra metálica dos Avengers
Vos adoro, nos vossos claros dizeres,

Como a expectativa da vossa nudez

Síncrono com um qualquer caralho ou rosa

Que depois de ver que eu assim a vira, no andar de cima faz uma mesma sugestão em silencio de amante que chega e vê no outro lado o amado deitado já de pau erguido, e se anuncia abrindo a porta em seu arrasto de som quase metálico

Ah querido, mas os meus beijos são de carne na carne

Deveras querida?

No tempo dos guerras coloniais de outrora
como as de hoje

Casava-se por correspondência

Um rapaz via uma foto de uma bela
E escrevia-lhe uma carta

E a rapariga atravessava de barco durante quinze dias o oceano

E depois se o rapaz não tivesse morrido no entretanto com uma bala

Casar-se-iam, espera-se, mesmo nas correspondências do MSN, felizes para sempre